Você está na página 1de 19

Psicologias da Educação e Teorias da Aprendizagem

Autoria: Lindolfo Anderson Martelli

Tema 06
Piaget e Vygotsky: Aproximações e Distanciamentos
Tema 06
Piaget e Vygotsky: aproximações e distanciamentos
Autoria: Lindolfo Anderson Martelli
Como citar esse documento:
MARTELLI, Lindolfo Anderson. Psicologias da Educação e Teorias da Aprendizagem: Piaget e Vygotsky: Aproximações e Distanciamentos. Caderno
de Atividades. Anhanguera Publicações: Valinhos, 2014.

Índice

CONVITEÀLEITURA PORDENTRODOTEMA
Pág. 3 Pág. 3

ACOMPANHENAWEB
Pág. 9 Pág. 11

Pág. 13 Pág. 14

Pág. 15 Pág. 17

© 2014 Anhanguera Educacional. Proibida a reprodução final ou parcial por qualquer meio de impressão, em forma idêntica, resumida ou modificada em língua
portuguesa ou qualquer outro idioma.
CONVITEÀLEITURA
Ao acompanhar o crescimento e desenvolvimento social e psicológico das crianças é possível perceber o quanto
elas evoluem a medida que o tempo passa, como aprendem a construir relações afetivas e sociais de distintas formas
com adultos e com outras crianças. Ao acompanhar mais de perto este processo é possível perceber que as crianças
desenvolvem desde cedo pensamentos por si mesmas pois ainda bebês já fazem escolhas, decidem sozinhas quais
brinquedos consideram mais interessantes, esboçam reações de alegria ou tristeza ao escutar a voz de pessoas que
conhecem, acham graça de determinadas ações ou objetos que as estimule.

A compreensão de que o desenvolvimento humano, o raciocínio e o aprendizado dependem de elementos tanto biológicos
quanto sociais é a base de investigação deste tema. Hoje você tem uma compreensão sobre o desenvolvimento humano
muito diferente das gerações que o antecederam e isto se deve ao legado deixado por teóricos da psicologia como
Jean Piaget e Lev Semenovitch Vygotsky. Neste tema você terá a oportunidade de acompanhar as aproximações e
distanciamentos existentes entre as teorias desenvolvidas por estes dois psicólogos em relação a aprendizagem humana.

PORDENTRODOTEMA
Piaget e Vygotsky: Aproximações e Distanciamentos

Considerando a longa história da sociedade ocidental é possível afirmar que até bem pouco tempo se acreditava
que o cérebro infantil funcionava como o dos adultos e a única distinção entre eles era o tamanho de seus corpos. As
concepções inatistas que reconheciam elementos como tempo, espaço, quantidade e até mesmo princípios morais
como inerentes a condição humana foram questionados por teóricos como Jean Piaget, Alexis Nikolaevich Leontiev,
Alexander Romanovich Luria, Lev Semenovitch Vygotsky e Henri Wallon, durante grande parte do século XX. Estes
teóricos se opunham tanto ao inatismo que pressupõe conteúdos mentais inerentes ao ser humano desde o nascimento,

3
PORDENTRODOTEMA
quanto ao empirismo, que parte da premissa de que o conhecimento evolui a partir da experiência que o sujeito vai
acumulando, como uma espécie de determinismo ambiental. Embora tenham levantado hipóteses distintas para o
desenvolvimento psicológico humano, estes autores reconhecem que a aprendizagem ocorre a partir de uma interação
entre o sujeito e o ambiente, portanto, são chamados de interacionistas.

Ao questionar estas concepções, Piaget sugeria que os processos mentais da criança, são substancialmente diferentes
dos processos mentais dos adultos. Sua suspeita se tornou alvo de intensa investigação científica, na busca da resposta
para a seguinte pergunta: como se dá o processo de evolução da inteligência humana?

Inicialmente Piaget pressupôs que o desenvolvimento humano, especialmente das crianças era afetado por fatores sociais
como a linguagem e o contato com outros indivíduos. Em suas observações percebeu que os bebês têm movimentos
corporais limitados, basicamente chorar e sugar, mas logo passam a agir com os elementos que estão a sua volta, como
os brinquedos por exemplo. Desta análise Piaget concluiu que a ação, e não a interação social, provoca o raciocínio
neste estágio.

Os estudos de Piaget partem do princípio de que desenvolvimento de crianças e adolescentes se caracteriza pela
sucessão de estruturas mentais diferentes, cada uma delas regida por leis próprias e caracterizando um modelo de
compreensão da realidade que inclui percepção, pensamento, linguagem, e afetividade. Uma estrutura mental simples
constitui, sempre, a base ou infraestrutura de estruturas mais complexas, portanto o desenvolvimento cognitivo é marcado
por um processo de sucessivos esquemas mentais (GOULART, 2012).

O sistema piagetiano é estruturalista e também é conhecido como construtivista dialético. Seus estudos demonstraram
que a criança exerce controle sobre a obtenção e organização de sua experiência do mundo exterior. Ainda bebê a
criança tem a capacidade de decidir pelas ações que a levam a explorar o mundo ao seu redor, ela acompanha o entorno
com os olhos, decide quais objetos quer tocar e brincar, agarra, solta, empurra, cheira os objetos e os leva a boca. Estas
ações que integram a corriqueira exploração do mundo aos poucos se estrutura em esquemas psíquicos ou modelos
elaborados pela criança.

Os esquemas simples se organizam e se integram a outros esquemas que estruturam o desenvolvimento psicológico
da criança em maior complexidade. O conhecimento é adquirido de forma dialética, ou seja, integrado com o ambiente.
Os conceitos de adaptação, assimilação e acomodação propostos por Piaget ajudam a explicar o caráter dialético da
construção do conhecimento. Por exemplo quando uma pessoa faz uma leitura textual ela assimila a compreensão das
palavras, das frases, dos parágrafos e do texto como um todo a partir do que conhece sobre o assunto, ao mesmo tempo
em que procura organizar o próprio conhecimento sobre o assunto em um processo de acomodação.

4
PORDENTRODOTEMA
Uma estrutura é um sistema de transformação, que comporta leis ou propriedade de totalidade (por oposição às
propriedades dos elementos), e que se conserva ou enriquece pelo próprio jogo das transformações sem que
estas conduzam para fora de suas fronteiras ou façam apelo a elementos exteriores. Uma estrutura compreende
características de totalidade, de transformação e de autorregulação”. (PIAGET, 1970 apud GOULART 2012, p.
16).

Os termos assimilação, acomodação e adaptação que Piaget adota da biologia servem para explicar a inteligência
como um processo biologicamente orientado, que envolve uma combinação da utilização de capacidades previamente
aprendidas (assimilação) e da modificação do comportamento quando necessário (acomodação). O equilíbrio ideal
entre esses processos constitui o comportamento maximamente adaptativo. (LEFRANÇOIS, 2013).

Ainda jovem Piaget trabalhou com os psicólogos Theodore Simon e Alfred Binet que utilizavam questionários estruturados
como testes para medir o nível de inteligência das crianças. Ao aplicar estes questionários Piaget percebeu que a resposta
das crianças eram mais importantes do que a ordem das perguntas e sob esta perspectiva analisava as respostas
fornecidas para a partir delas submeter as crianças a outras perguntas. Este método clínico também foi aplicado em
suas três filhas que tiveram todas as fases de desenvolvimento criteriosamente analisadas por seu pai.

Em seus estudos Piaget defendia que o desenvolvimento das funções de conhecimento, de representação e das funções
afetivas é marcado por períodos bem delineados. O modelo de Piaget é uma teoria de estágios de desenvolvimento.
Para ele existem quatro fases que envolvem o desenvolvimento da inteligência humana, e cada uma delas é marcada
por representações mentais que orientam a forma como as informações são organizadas. Estas representações
mentais, chamadas de esquemas, são percepções e ações que conferem à estrutura mental a base necessária para
organizar vivências anteriores que preparam o indivíduo para as futuras. Segundo Piaget, o processo de pensamento
das crianças atravessa uma série de quatro estágios principais: o período sensório motor (do nascimento aos 2 anos), o
pré-operatório (de 2 a 7 anos), o operacional concreto (de 7 a 11 anos) e o operacional formal (dos 11 anos em diante).
Outra consideração importante de Piaget é que este processo não pode ser apressado, e embora ocorra mais ou menos
na mesma idade, cada pessoa possui um ritmo de desenvolvimento próprio.

5
PORDENTRODOTEMA

Figura 6.1 – Teoria de estágios de Piaget.

Fonte: Adaptado (WEITEN, 2010, p. 313).

O primeiro estágio proposto por Piaget é o sensório-motor, que engloba os dois primeiros anos de vida. Este nome remete
a capacidade das crianças de coordenar suas afluências sensoriais com suas ações motoras. A criança aprende sobre
o mundo basicamente a partir dos seus sentidos (sensório) e da ação física (motor). Para Piaget esta fase é marcada
pelo egocentrismo, pois a criança interpreta o mundo a partir do seu próprio ponto de vista. Nesta fase as crianças agem
primeiramente por reflexo, sem compreendê-los e sem intenção de fazê-lo; mais tarde conseguem coordenar os reflexos
em relação aos objetos. A primeira fase é marcada pela capacidade de organizar os sentidos e antecipar ocorrências,
imaginando objetos que não estão presentes.

6
PORDENTRODOTEMA
O principal desenvolvimento durante o período sensório-motor é o aparecimento gradual de pensamento simbólico.
No início deste estágio, o comportamento de uma criança é dominado por reflexos inatos; as crianças não estão
“pensando” tanto quanto estão apenas respondendo a estímulos. Mas, por volta do final do estágio, a criança é
capaz de usar símbolos mentais para representar objetos (por exemplo uma imagem mental de um brinquedo
favorito). A chave para esta transição é a aquisição do conceito de permanência do objeto, que se desenvolve
quando uma criança percebe que os objetos continuam a existir mesmo quando não são mais visíveis (WEITEN,
2010: 313).

No período chamado de pré-operatório as crianças aperfeiçoam o uso de imagens mentais. Este é o momento em que
as crianças reconhecem a permanência do objeto mesmo quando não o veem e que iniciam o processo de entendimento
do princípio da conservação e da reversibilidade. Esta fase marcada pelo egocentrismo pode ser verificada quando
a criança concebe as coisas como vivas, exatamente como elas, por este motivo podem imaginar que as estrelas ficam
tristes, a água da banheira fica brava e as plantas sentem dor.

A capacidade de reorganizar as estruturas mentais de tal forma que possam fazer operações emerge no estágio
seguinte o período operacional concreto. Nesta fase a criança tem a capacidade de desfazer mentalmente uma ação
(reversibilidade) e de perceber que existem diversas maneiras de olhar para um mesmo problema. O estágio final do
desenvolvimento é chamado de operacional formal e se estende dos 11 anos até a fase adulta. Para Piaget este é o
período em que o indivíduo é capaz de aplicar as operações a conceitos abstratos.

A teoria de Piaget contribuiu significativamente a forma como o desenvolvimento cognitivo passou a ser compreendido,
porém é importante destacar algumas críticas levantadas sobre a sua teoria:

1. Piaget parece ter subestimado o desenvolvimento cognitivo de crianças pequenas. Alguns pesquisadores
encontraram evidências de que elas começam a desenvolver a permanência objeto por volta dos 3 a 4 meses, bem
mais cedo do Piaget sugeriu. (BAILLARGEON, 1987, 1994 apud WEITEN, 2010).

2. Os indivíduos apresentam simultaneamente padrões de pensamento que são característicos de vários estágios
diferentes (COURAGE e HOWE, 2002; BJOURKLUND, 2005 apud WEITEN, 2010).

3. Piaget subestimou a influência dos fatores culturais no desenvolvimento cognitivo. Em contraste, Vygotsky afirmou
que a cultura exerce uma forte influência sobre o modo como o crescimento cognitivo se desenvolve.

7
PORDENTRODOTEMA
4. Piaget via o controle gradual da linguagem por parte das crianças como apenas outro aspecto do desenvolvimento
cognitivo, enquanto para Vygotsky a aquisição da linguagem é o centro da promoção do desenvolvimento cognitivo.
Piaget considera a fase em que as crianças na pré-escola falam em voz alta consigo mesmas enquanto realizam suas
atividades como um discurso egocêntrico, enquanto para Vygotsky este discurso serve para que a criança planeje
suas estratégias, regule suas ações e alcance seus objetivos (WEITEN, 2010).

5. Outras habilidades cognitivas podem surgir mais tarde do que Piaget pensava. Por exemplo, muitos adultos não
são pensadores lógico-formais. (BAUER, 2006 apud SANTROCK, 2009, p. 47).

6. A cultura e a educação exercem influência mais fortes no desenvolvimento da criança do que Piaget pensava. A
idade que as crianças adquirem habilidade de conservação está relacionada com a extensão em que sua cultura
fornece práticas relevantes (COLE, 2005 apud SANTROCK, 2009)

7. É possível treinar crianças para raciocinar em um estágio cognitivo mais alto. Piaget acreditava que este treinamento
era superficial e ineficiente, ao menos que a criança estivesse em ponto de transição entre estágios. (GELMAN e
OPFER, 2004 apud SANTROCK, 2009)

Enquanto a teoria da aprendizagem piagetiana relaciona-se com o desenvolvimento humano biologicamente


orientado, para Vygotsky a interação cultural, junto com a linguagem proveniente da cultura é o que possibilita todos
os processos mentais superiores. As perspectivas de Piaget e Vygotsky a respeito do desenvolvimento cognitivo têm
muito em comum, mas também se diferenciam em muitos aspectos. Na teoria de Piaget o desenvolvimento cognitivo
é nutrido principalmente pela exploração ativa da criança do mundo ao seu redor. A criança é vista como agente de
mudança. Em contraste, Vygotsky dá uma ênfase muito grande ao modo como o desenvolvimento cognitivo da criança
é nutrido pelas interações sociais com os pais, professores e outras crianças.

Para Vygotsky as funções mentais têm conexões externas ou sociais e para que ocorra o desenvolvimento cognitivo é
necessário que a zona de desenvolvimento proximal seja explorada. Para ele as crianças absorvem os valores e o
conhecimento técnico historicamente acumulados pelas gerações ao interagir com os adultos e até mesmo com outras
crianças. Enquanto para Piaget as crianças constroem o conhecimento transformando, organizando e reorganizando
conhecimentos prévios a abordagem socioconstrutivista de Vygotsky enfatiza os contextos sociais de aprendizagem e
a construção do conhecimento por intermédio da interação social.

De acordo com Santrock (2009), a implicação principal da teoria de Vygotsky para o ensino é que os estudantes precisam
de muitas oportunidades para aprender com o professor e com os colegas mais habilidosos, responsáveis pela viabilidade
dos andaimes que favorecerão o desenvolvimento da ZDP.

8
PORDENTRODOTEMA
Para Suelly Amaral Mello (apud CARRARA, 2004) a teoria de Piaget sobre o processo de desenvolvimento humano,
relacionado a inteligência e a personalidade, que acontece naturalmente a medida que a criança cresce, trouxe um certo
imobilismo para a atuação dos educadores. Ela argumenta que para Piaget a educação seria apenas uma facilitadora do
desenvolvimento de qualidades que o sujeito desenvolveria naturalmente ao longo do tempo. Neste sentido a teoria de
Vygotsky confere ao educador a capacidade de criar aptidões que são inicialmente externas aos indivíduos e que estão
dadas como possibilidade nos objetos materiais e intelectuais da cultura historicamente acumulada.

A orientação e a ajuda constante dos parceiros mais experientes, no processo da educação e do ensino promovem o
desenvolvimento cognitivo da criança, que sozinha não tem condições de decifrar os produtos da cultura humana. Nesse
sentido o educador é o mediador da relação da criança com o mundo que ela irá conhecer, pois os objetos da cultura
só fazem sentido quando aprendemos seu uso social – e só pode ensinar o uso social das coisas quem já sabe usá-las
(CARRARA, 2004)

ACOMPANHENAWEB
Jean Piaget - Fases do desenvolvimento

• Assista este vídeo que apresenta uma breve biografia de Jean Piaget e mostra como este
importante psicólogo construtivista desenvolveu suas teorias relacionadas ao desenvolvimento
do intelecto humano. O vídeo é composto por uma narrativa que explica as diversas fases do
desenvolvimento com exemplos e imagens ilustrativas.
Link: <https://www.youtube.com/watch?v=EnRlAQDN2go>. Acesso em: 06 jul. 2014

Tempo: 6:46

9
ACOMPANHENAWEB
Piaget por Piaget

• Assista ao documentário que apresenta Jean Piaget argumentando sobre suas teorias e
rebatendo críticas ao seu pensamento. Neste documentário em preto e branco, dublado em
língua portuguesa, o psicólogo apresenta exemplos e mostra quais foram os caminhos que o
levou a investigar o desenvolvimento cognitivo das crianças. Este filme foi realizado na Suíça
em 1977.
Link parte 1: <https://www.youtube.com/watch?v=FWYjDvh3bWI>. Acesso em: 06 jul. 2014

Link parte 2: <https://www.youtube.com/watch?v=nir494onPwE>. Acesso em: 06 jul. 2014

Link parte 3: <https://www.youtube.com/watch?v=uYqQ6S3Uwp4>. Acesso em: 06 jul. 2014

Link parte 4: <https://www.youtube.com/watch?v=193RbO65iS4>. Acesso em: 06 jul. 2014

Tempo: 10:30 / 10:29 / 10:29 / 10:02

Vygotsky x Piaget - Teorias

• Assista a este vídeo que mostra uma animação bem humorada sobre as diferenças entre
a teoria de Vygotsky e Piaget. Os personagens dialogam e mostram o principal foco de suas
abordagens.
Link: <https://www.youtube.com/watch?v=NQH-e8OOaM8>. Acesso em: 06 jul. 2014

Tempo: 1:58

10
ACOMPANHENAWEB
Paradigma Sócio-Construtivista na Educação

• Assista aos vídeos produzidos pela Univesptv para a disciplina Psicologia da Educação que
destaca as contribuições trazidas pelo pensamento do psicólogo bielo-russo à área da educação,
comparadas ao pensamento de Piaget.
Link parte 1: <https://www.youtube.com/watch?v=5T3ZiIC7ZbE&list=PLC10A414BE1E55755>. Acesso em: 06
jul. 2014

Link parte 2: <https://www.youtube.com/watch?v=5wYI0rzyYpY&index=2&list=PLC10A414BE1E55755>. Aces-


so em: 06 jul. 2014

Tempo: 9:55 / 7:57

AGORAÉASUAVEZ
Instruções:
Agora, chegou a sua vez de exercitar seu aprendizado. A seguir, você encontrará algumas questões de múltipla
escolha e dissertativas. Leia cuidadosamente os enunciados e atente-se para o que está sendo pedido.
Questão 1

Na construção de pontes sobre rios,’ os andaimes servem de suportes quando necessários e são gradualmente removidos a
medida que a ponta fica pronta. Qual a relação entre a metáfora do andaime com o desenvolvimento cognitivo segundo Lev S.
Vygotsky?

11
AGORAÉASUAVEZ
Questão 2

Uma professora realizou um dos testes aplicados por Piaget para um grupo de crianças de faixas etárias distintas. Primeiramente
alinhou paralelamente 3 lápis do mesmo tamanho sobre uma mesa, de modo que seus extremos coincidissem. Ela sugeriu às
crianças que os lápis eram igualmente longos.

Em seguida a professora adiantou um dos lápis em relação aos demais.

Quando a professora questionou as crianças sobre o comprimento do lápis, qual a provável resposta dada pelas crianças com
faixa etária entre 4 e 5 anos e as crianças com faixa etária entre 7 e 8 anos respectivamente. Justifique sua resposta.

Questão 3
Por volta dos 3 anos de idade Piaget observou que as crianças se tornam extremamente questionadoras e a pergunta mais fre-
quente é “por quê”? As respostas que as crianças desta faixa etária dão ao que é perguntado demonstram quais características?

a) De conservação de peso e medidas.

b) Egocêntricas de finalismo, animismo e artificialismo.

c) Relacionadas a ausência dos objetos porque não o veem.

d) Com alto grau de subjetivação relacionado aos valores morais e éticos.

e) Centrados na explicação lógico-causal.

12
AGORAÉASUAVEZ
Questão 4

No campo da educação Piaget e Vygotsky contribuíram para romper com a noção de inatismo vigente em muitas propostas pe-
dagógicas. Os autores possuem concepções diferentes na forma como desenvolvem suas teorias relacionadas ao aprendizado.
Apresente as principais distinções teóricas envolvendo a concepção de aprendizagem destes dois psicólogos.

Questão 5

O trabalho de Piaget sugere que nos estágios iniciais, a interação com os objetos concretos é essencial para ampliar o conheci-
mento e desenvolver as compreensões e capacidades subjacentes ao pensamento. Consequentemente, oferecer oportunidades
para as atividades mentais e físicas é uma implicação educacional básica para a teoria de Piaget (LEFRANÇOIS, 2013, p. 262).
Diante do exposto indique como deve ser a organização e a disposição dos brinquedos em uma brinquedoteca.

FINALIZANDO
As crianças desenvolvem alguns de seus pensamentos por si mesmas, mas pelo fato de sermos seres sociais, a
aprendizagem eficaz também pode ocorrer quando elas colaboram umas com as outras. Este tema apresentou a você
as principais teorias de Piaget e Vygotsky em relação ao processo de aprendizagem. Embora os autores apresentem
divergências em relação aos seus posicionamentos teóricos é possível perceber que o ser humano possui três fontes
essenciais de conhecimento: a herança biológica, que é o ponto para características tipicamente humanas como a
linguagem, a memória e a atenção voluntária, a experiência individual e a herança social pela qual as gerações transmitem
suas experiências, conhecimentos, habilidades aos seus descendentes.

13
REFERÊNCIAS
CARRARA, Kester (Org). Introdução à Psicologia da Educação: seis abordagens. São Paulo: Avercamp, 2004.
COLLIN, Catherine et al. O livro da Psicologia. Tradução Clara H. Hermeto e Ana Luisa Martins. São Paulo: Globo, 2012.
GOULART, Iris Barbosa. Piaget: experiências básicas para utilização pelo professor. 28 ed. Petrópolis: Vozes, 2012.
JEAN Piaget - Fases do desenvolvimento. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=EnRlAQDN2go>. Acesso em: 06
jul. 2014.
LEFRANÇOIS, Guy R. Teorias da Aprendizagem. São Paulo: Cengage Learning, 2013.
PARADIGMA Sócio-Construtivista na Educação. Parte 1. Disponível em: <https://www.youtube.com/
watch?v=5T3ZiIC7ZbE&list=PLC10A414BE1E55755>. Acesso em: 07 jul. 2014. de julho de 2014
PARADIGMA Sócio-Construtivista na Educação. Parte 2. Disponível em: <https://www.youtube.com/
watch?v=5wYI0rzyYpY&index=2&list=PLC10A414BE1E55755>. Acesso em: 07 jul. 2014.
PIAGET por Piaget. Parte 1. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=FWYjDvh3bWI>. Acesso em: 06 jul. 2014.
PIAGET por Piaget. Parte 2. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=nir494onPwE>. Acesso em: 06 jul. 2014.
PIAGET por Piaget. Parte 3. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=uYqQ6S3Uwp4>. Acesso em: 06 jul. 2014.
PIAGET por Piaget. Parte 4. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=193RbO65iS4>. Acesso em: 06 jul. 2014.
SANTROCK, John W. Psicologia Educacional. 3 ed. São Paulo: McGraw-Hill, 2009.
VYGOTSKY x Piaget – Teorias. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=NQH-e8OOaM8>. Acesso em: 06 jul. 2014.
WEITEN, Weine. Introdução à Psicologia: temas e variações. Edição concisa. São Paulo: Cengage Learning, 2010.

14
GLOSSÁRIO
Acomodação: modificação de uma atividade ou capacidade em face de demandas ambientais. Na descrição do desen-
volvimento de Piaget, assimilação e acomodação são os meios pelos quais os indivíduos interagem com o mundo e se
adaptam a ele.

Adaptação: mudança que acontece em um organismo em resposta a um ambiente. Supõe-se que tal mudança facilita
a interação com determinado ambiente. A adaptação desempenha papel central na teoria de Piaget.

Alexander Romanovich Luria: Alexander R. Luria desenvolveu pesquisas ao lado de Leontiev e Vygotsky na Rússia
no início do século XX. O neuropsicólogo desenvolveu estudos sobre a causalidade e o pensamento lógico–conceitual
da atividade teórica como função do sistema nervoso central.

Alexis Nikolaevich Leontiev: Leontiev nasceu em 1903 em Moscou. Formado em Ciências Sociais, procurou desen-
volver uma psicologia baseada na filosofia do marxismo-leninismo. Em conjunto com Alexander Romanovich Luria e
Lev Semenovitch Vygotsky desenvolveram a teoria de origem sócio-histórica das funções psíquicas superiores. Os três
pesquisadores trabalharam no mesmo grupo até 1930, quando Leontiev foi convidado a criar um grupo de pesquisa na
cidade de Kharkov, retornando a Moscou em 1934.

Andaimes: para Vygotsky, o andaime está relacionado a Zona de Desenvolvimento Proximal. Andaime significa mudar
o nível de apoio. Durante uma sessão de ensino, uma pessoa mais habilidosa ajusta a quantidade de orientação para
adequar ao desempenho atual do aluno. Conforme a competência do aluno aumenta, menos ajuda é dada. Os andaimes
são utilizados para ajudar os estudantes a atingir limites mais altos em sua zona de desenvolvimento proximal (HO-
ROWITS, 2005 apud SANTROCK, 2009, p. 49).

Assimilação: ato de incorporar objetos ou aspectos de objetos a atividades previamente aprendidas. Assimilar é, em
certo sentido, absorver ou usar esses objetos ou aspectos deles para algo que já foi apreendido.

Conservação: termo usado por Piaget para a consciência de que as quantidades físicas continuam constantes ape-
sar das modificações em sua forma ou aparência. Por exemplo, Piaget encheu dois copos do mesmo tamanho com a
mesma quantidade de água. As crianças verificaram que a quantia presente nos recipientes eram iguais, em seguida
o líquido de um dos copos era transferido para um recipiente mais alto e mais fino. Quando as crianças no período pré
-operacional eram questionadas sobre a quantidade de líquido presente nos recipientes distintos.

15
GLOSSÁRIO
Egocentrismo: para Piaget, o egocentrismo é caracterizado pela incapacidade de assumir o ponto de vista de outra
pessoa.

Jean Piaget: Jean Piaget nasceu em Neuchatel, Suíça, em 1896. Precocemente, aos 11 anos, demonstrava interesse
pelas ciências biológicas e chegou a publicar um trabalho sobre um pardal albino que encontrou. Aos 22 anos obteve o
doutorado em biologia. Em suas viagens pela Europa trabalhou em uma clínica de psicanálise a partir dai cresceu seu
interesse pelo processo de pensamento das crianças. Piaget se dedicou a estudar o desenvolvimento cognitivo humano
a partir de uma vasta gama de assuntos, como por exemplo, a linguagem (1926); realidade (1929); causalidade (1930;
moralidade (1932); tempo (1946); inteligência (1950); brincadeira, sonhos e imitação (1951); consciência (1976), entre
outros. É um autor com dezenas de publicações. (GOULART, 2012: 24)

Processos mentais superiores: designação usada por Vygotsky para indicar processos não observáveis que ocorrem
na “mente” (na falta de um termo mais preciso). Aquilo que normalmente chamamos de pensamento humano (LEFRAN-
ÇOIS, 2013, p. 437)

Reversibilidade: a incapacidade de conceber a possibilidade de reverter uma ação. Esta dificuldade impede que des-
façam uma coisa mentalmente.

Zona de Desenvolvimento Proximal (ZDP): termo criado por Vygotsky para descrever uma série de tarefas que são
muito difíceis para que a criança domine sozinha, mas que podem ser apreendidas com orientação e assistência de um
adulto ou de crianças mais habilidosas. O limite mais baixo da ZDP é o nível de habilidade alcançado por crianças tra-
balhando independentemente. O limite mais alto é o nível de responsabilidade adicional que a criança pode aceitar com
a assistência de um instrutor hábil (SANTROCK, 2009, p. 49)

16
GABARITO
Questão 1

Resposta: O andaime permite que exista uma alteração no nível de apoio para que se atinja níveis mais elevados. Neste
sentido é justamente o suporte que o professor, tutor ou orientador precisa fornecer ao aluno para que atinja níveis mais
avançados. Por exemplo: quando a tarefa que o estudante está aprendendo é nova o professor deve usar um ensino
direto. À medida que a competência do estudante cresce, o professor fornece menos orientação. Quando os professores
e colegas de classe utilizam o “andaime” na aprendizagem colaborativa, a aprendizagem dos estudantes é beneficiada.

Questão 2

Resposta: Ao questionar as crianças sobre determinado problema que exige explicação, elas costumam dar respostas
que evidenciam noção de causalidade. Estas respostas evidenciam diferentes níveis de idade. Para a questão que
envolve o comprimento dos lápis, Piaget observou que crianças no período pré-operatório concentram-se em um ponto
de cada vez, dai a dificuldade de resolver o problema do lápis. A criança tende a centrar sua atenção em um dos extremos,
não conseguindo focalizar a atenção no outro. As crianças de aproximadamente 7 anos conseguem compreender que o
lápis se manteve do mesmo tamanho que os demais e são capazes de justificar o próprio pensamento.

Questão 3

Resposta: Alternativa B.

Justificativa: Nesta fase as crianças buscam respostas as suas dúvidas e desenvolvem hipóteses de explicação que
estão relacionadas as suas características egocêntricas, dai a incapacidade de compreender a visão dos outros. As
respostas tendem a atribuir vida a objetos e coisas (animismo) e procuram estabelecer uma finalidade (finalismo) a todas
as coisas a partir da própria existência, por exemplo, ao afirmar que o sol nasceu junto com os homens para lhes dar a
luz ou que as nuvens decidem acompanhá-la enquanto caminha.

17
Questão 4

Resposta: A teoria de Piaget sobre o processo de desenvolvimento humano tem fundamentação estruturalista e busca
nos elementos biológicos o desenvolvimento relacionado a inteligência e a personalidade. Para Piaget a capacidade
cognitiva acontece naturalmente a medida que a criança cresce. Em contrapartida, Vygotsky entende que as capacidades
mentais superiores, que estão relacionadas ao pensamento, são frutos de uma construção social e histórica. Sem a
mediação cultural não seria possível desenvolver a linguagem e a capacidade de aprender. Enquanto Piaget confere a
mediação pedagógica um caráter facilitador da aprendizagem que se desenvolve naturalmente ao longo da vida, para
Vygotsky o mediador pedagógico é responsável pela criação de aptidões que são inicialmente externas aos indivíduos
e que estão dadas como possibilidade nos objetos materiais e intelectuais da cultura historicamente acumulada.

Questão 5

Resposta: É necessário compreender que a brinquedoteca precisa ser pensada a partir do público que a utiliza, ou
seja, a faixa etária das crianças que brincam neste espaço. Por exemplo, para as crianças menores de até 2 anos
é importante que os brinquedos estejam a vista, ao alcance das mãos. Para as crianças entre 2 e 7 anos devem ser
disponibilizados brinquedos que favoreçam o desenvolvimento das operações lógico-causais e para as crianças a partir
dos 7 anos é importante disponibilizar livros de histórias infantis para que desenvolvam a capacidade de fazer julgamentos
subjetivos. Esta também é a fase em que as operações de probabilidade e estrutura combinatória são desenvolvidas,
daí a importância de jogos e atividades que estimulem tais habilidades.

18