Você está na página 1de 28

Pontifícia Universidade Católica de

Campinas
Faculdade de Odontologia

CLAREAMENTO DENTAL INTERNO E


EXTERNO
Disciplina de Clínica Odontológica Integrada V - Profª Marines Risso

G6
G5 Carolina Gabrini Boza 15259609
Anália Bernardes 15605694 Felipe Piccolo Lopes 15256241
Ana Paula Barbosa de Santana 15261837 Ingrid Carmargo Nascimento 15127889
Brianna Monte 15078827 Isabel Carmen de Souza 14075303
Bruna de Oliveira Masson 15606508 Larissa Natsumi Tawara 15113467
Bruna Alvez de Souza 15298508 Mariana Franco Silva 15077837
Gabriela Zamboni Envall 15609415 Raquel Machado de Andrade 14069421
Mayara Ravália Cayetano 13059522 Tabata Ferraz Ferreira 15028343
Paula Mateus João 15172257 Vanessa Langue 15033434
Sabrina Berto 15437981 Vithória Bresser 15032428
MÉTODOS

Interno Dentes desvitalizados

Externo Dentes vitalizados


ETIOLOGIA DO
ESCURECIMEN
TO
CAUSAS CAUSAS
INTRÍNSECAS ENDÓGENAS

1. Acesso inadequado (presença de teto)


2. Permanência de material obturador 1. Amelogênese imperfeita
endodôntico na coroa do dente 2. Hipoplasia do esmalte
3. Micro- infiltração em restaurações 3. Fluorese dental
4. Necrose pulpar 4. Alterações por
5. Hemorragia pulpar causada por trauma tetraciclinas
(ferro – cel. Vermelhas + sulfureto de 5. Dentinogênese imperfeita
hidrogênio – necrose = sulfureto de ferro)
6. Ingestão excessiva de medicamentos:
tetraciclina, fluoretos
MECANISMO DE AÇÃO DO
CLAREAMENTO INTERNO
Ocorre por meio da oxidação dos pigmentos. Através de soluções a
base de perborato de sódio (pó) e peroxido de hidrogênio 30% (agua
oxigenada). As reações de oxidação caracterizam-se pela
transferência de elétrons, entre pelo menos duas espécies envolvidas,
a que se oxida (perdendo elétrons) e a que se reduz (ganhando
elétrons). Dentre as reações de oxidação pode-se citar as de
combustão e corrosão. O armazenamento do material, depois de 6
meses o peroxido é 50 % menos efetivo, vidro âmbar e refrigerado.
Combustão:
É utilizada uma fonte de calor para liberar o oxigênio ativo dos
agentes clareadores.A fonte de calor cataliza os produtos de
decomposição dos agentes clareadores em radicais livres oxidantes
instáveis, permitindo a maior difusão destes nos túbulos dentários.
PREPARO DO DENTE
Profilaxia Colocação de um tampão com
Registrar a cor e fotografar cavit ou CIV, colocação de uma
bolinha de algodão umedecida
Acesso adequado entre sessões para presa do
Proteção dos tecidos moles material

Isolamento absoluto Condicionamento ácido da


dentina (15 s para abrir os
Remoção de 2 mma da canalículos e a solução
obturação endodôntica com penetrar e clarear)
brocas largo
TÉCNICA
S

Termocatalítica Walking Bleach


Técnica Termocatalítica
• Substancia utilizada: Perborato de sódio (pó) + peróxido de hidrogênio 30%
(liquido) faz um pasta e colocar dentro da cavidade.
A pasta em contato na cavidade causa decomposição, é rápido, potente e cáustico
1. Colocar o material na cavidade
2. Recobrir a superfície V com a pasta através de um algodão embebido pode ajudar
no clareamento.
3. Levar instrumento aquecido junto a pasta na câmara pulpar.
4. Repetir a operação por até 3 vezes
5. Secar a câmara pulpar e colocar “curativo de demora” com a pasta, não pode
restaurar no mesmo dia pois altera a adesão da resina diminuindo a resistência de
união.
Técnica Walking Bleach

É um clareamento mais suave


• Substancias utilizadas: perborado de sódio ( pó) + água
Em contato com a agua sofre decomposição mais lento e seguro
1. Preparar uma pasta de Perborato de sódio + água levar na C.P.
2. Selar a C.P. com resina
3. Marcar nova consulta após 1 semana. Se necessário, repetir,
deixando a pasta por períodos mais prolongados.
4. Caso a cor tenha sido atingida colocar uma pasta de hidróxido de
cálcio + água por 1 semana.
COMPARAÇÃO
Técnica Termocatalítica Walking Bleach
50 a 60 % de sucesso no
90% de sucesso no clareamento
clareamento

maior ocorrência de reabsorções menor ocorrência de reabsorções


REABSORÇÃO
Quando realizamos um clareamento interno, temos que colocar uma
solução para poder provocar o clareamento interno e então a
solução queima a matéria que está escurecendo o dente e isso que
vai clarear o dente. Se não selar bem essa região que é porosa, essa
solução vai penetrar para os túbulos dentinários, vão destruir o
ligamento periodontal e então vai começar a reabsorção. Essa
mesma solução pode penetrar no sulco gengival e destruir o
ligamento periodontal dando uma reabsorção.
Solução clareadora age sobre matéria que escure o dente

Gera clareamento

Mas Inadequado selamento

penetração nos túbulos dentinarios

sulco gengival

destruição do ligamento

reabsorção
PROGNOSTICO
Esclarecimento ao paciente: nem sempre é sucedido e pode haver novo
escurecimento
MARCAS COMERCIAIS
Clareador Whiteness Perborato 20%
- Embalagem c/ 1 frasco c/ 10g de pó
(Perborato de Sódio), 1 frasco c/ 8g FGM R$ 62,99
de líquido (Peróxido de hidrogênio a
20%), 1 colher dosadora p/ o pó

Clareador Claridex Endo - Peróxido


de Hidrogênio 20%. Kit com Pó 10g
BIODINÂMICA R$ 64,80
+ Liq 10ml e Medidor

Clareador Whiteness Super Endo -


Peróxido de Carbamida 37%.
Embalagem com 1 seringa com 3g +
FGM R$ 88,99
15 ponteiras de aplicação

Clareador Opalescence Endo -


Peróxido de Hidrogênio 35%.
Embalagem com 1 seringa 1,2ml +
ULTRADENT R$ 52,10
Pontas.
HTTPS://WWW.YOUTUBE.COM/WATC
H?V=LRRHPMB00ZU
MECANISMO DE AÇÃO DO CLAREAMENTO
EXTERNO:

O processo básico de clareamento envolve a oxidação, que


consiste em um processo químico onde os materiais
orgânicos são convertidos em dióxido de carbono e água.
Através de reação química promovida pelo oxigênio que é
capaz de quebrar as moléculas de pigmentos em
moléculas menores, permitindo maior reflexão da luz.
O peróxido de hidrogênio quando em contato com a saliva e fluidos
da boca, se degrada em água e oxigênio, promovendo
desmineralização do elemento dental.

O peróxido de carbamida tem sido mais indicado, uma vez que


libera menor quantidade de peróxido de hidrogênio e libera ureia, a
qual vai contribuir para manter o pH da boca em níveis neutros,
diminuindo a possibilidade de desmineralização.
PREPARO DO DENTE:
Não é necesessário um preparo invasivo nos dentes
que irão ser clareados, realizar uma profilaxia e
raspagem supragengival para que a placa e o
calculo não interfira no clareamento, pois a
substancia não penetra o calculo podendo assim
haver manchas e destonalidade de cores.
CUIDADOS:
Realizar barreira gengival no clareamento de consultorio;
Cuidado para o produto não entrar em contato com a gengiva no
clareamento caseiro;
A substancia é extremamente irritante a tecidos moles, para
reverter, caso isso ocorra é necessáro passar o neutralizador
quando em clareamento de consultorio ou suspender por alguns
dias e lavar bem o local no claremento caseiro.
TÉCNICAS:
Clareamento de consultório:
Os agentes clareadores utilizados são peróxido de hidrogênio a 30 e 35%, e
peróxido de carbamida a 22%, 35% e 37%.

Realizar profilaxia;
Remover resíduos de resina composta;
Registrar a cor inicial dos dentes - anotar na ficha e fotografar;
Afastamento dos lábios, bochecha e a língua;
Seca os dentes e isolar a gengiva;
Aplicar o agente clareador (maneira de aplicação varia de fabricante para
fabricante)
Dessensibilizante e LBI.
Registrar a cor final do dente - anotar na ficha e fotografar.
Clareamento caseiro:
Realizada com o peróxido de hidrogênio a 10%, 16% e 22% e com o
peróxido de carbamida a 10% e a 15% com carbopol ou sem
carbopol.
OBS: O carbopol é um polímero carboxipolimetileno que tem por
finalidade espessar o material, prolongar a liberação de oxigênio,
tornando o processo mais lento e melhorar a aderência aos tecido,
evitando o seu extravasamento para a cavidade bucal e sua
deglutição.
Moldar o paciente, vazar o molde e obter o modelo para confecção
da placa;
Confeccionar as moldeiras;
Recortar as bordas da moldeira de clareamento;
Realizar profilaxia;
Remover resíduos de resina composta;
Registrar a cor inicial dos dentes - anotar na ficha e fotografar;
O produto deve ser usado durante a noite ou 2 a 4 horas por dia;
Dessensibilizante;
Registrar a cor final dos dentes - anotar na ficha e fotografar.
COMPARAÇÃO
Técnica de consultório Técnica caseiro

Resultados Rápidos Resultados lentos

Menos estáveis Mais estáveis

OBS: UMA ASSOCIAÇÃO DAS DUAS TÉCNICAS GARANTE RESULTADOS SATISFATORIOS, POIS
UMA CONPENSA A FALHA DA OUTRA.
SENSIBILIDADE:
Um dos efeitos colaterais do tratamento clareador
pode envolver uma sensibilidade à alterações
térmicas desse modo o clareamento está
contra-indicado para pacientes que apresentam
sensibilidade térmica, dentes com comprometimento
pulpar, lesões de erosão/abrasão e abfração e
pacientes com câmara pulpar ampla.
PROGNÓSTICO:
Desde que feito de maneira correta e supervisionada por
um dentista o prognostico tende a ser favoravel e
consegue alcançar um bom resultado.
IMPORTANTE:
É valido lembrar que muitas empresas vendem o
clareamento caserio sem nenhum responsabilidade e sem
orientar a necessidade da supervisão de um profissional,
podendo causar consequencias desfavoraveis ao invididuo,
como irritação de tecidos moles (principalmente gengiva),
reatração gengival, erosão, abfração e abrasão dental
devido a um uso prolongado, desgaste de esmalte, e até
mesmo comprometimento pulpar
MARCAS COMERCIAIS
Clareador Whiteness Perfect –
16% de peróxido de hidrogênio kit FGM R$ 92,74
com 05 seringas

Clareador Whiteness Perfect –


FGM 10% de peróxido de R$ 13,58
FGM
hidrogênio com 01 seringa

Clareador Opalescence PF –
Ultradent 10%, 15% ou 20%
R$ 58,90
peróxido de hidrogênio, kit com Ultradent
04 seringas

Clareador Opalescence PF –
Ultradent 10%, 15% ou 20% R$ 108,83
peróxido de hidrogênio, kit com
Ultradent
09 seringas

Clareador Total Blanc Home Kit –


Nova DFL 16% de peróxido de R$ 89,20
Nova DFL
hidrogênio kit com 06 seringas
REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS:
Bernardon JK, Sartori N, Ballarin A, Perdigão J, Lopes GC, Baratieri LN.
Clinical performance of vital bleaching techniques. Oper Dent
2010;35:3-10.
DE LUCENA, MAISA TEIXEIRA LEIBANTE et al. CLAREAMENTO INTERNO
EM DENTES DESVITALIZADOS COM A TECNICA WALKING
BLEACH-RELATO DE CASO. REVISTA UNINGÁ REVIEW, v. 24, n. 1, 2018.
FRANCCI, Carlos et al. Clareamento dental: técnicas e conceitos
atuais. Revista da EAP/APCD, p. 78-89, 2010.
MARTOS, Josué et al. Clareamento dentário de consultório associado ao
clareamento caseiro. Revista Dental Press de Estética, v. 10, n. 3, 2013.
BUCHALLA W, ATTIN T. External bleaching therapy with activation by
heat, light or laser-a systematic review. Dent Mater 2007;23:586-96.
PREÇOS DOS CLAREADORES: https://www.dentalcremer.com.br

Você também pode gostar