Você está na página 1de 2

Prática simulada III (processo penal). Web-aula de nº 09.

Aluno: Matheus Miranda, 201801152284.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA __ VARA CRIMINAL DA COMARCA...

(10 LINHAS)

IMPETRANTE, advogado, regularmente inscrito na OAB/PR XXX, (endereço), com fundamento


no artigo 5°, LXVIII da Constituição Federal e arts. 647 e seguintes do Código de Processo
Penal, impetrar

(3 LINHAS)

HABEAS CORPUS
(2 LINHAS)

em favor de Sarajane, nacionalidade, estado civil, profissão, cédula de identidade, inscrição no


CPF, residência, em razão desta estar sofrendo constrangimento ilegal por ato ilegal e abusivo
do Delegado do Distrito Policial da Capital, (Nome), pelos fatos a seguir expostos.

(2 LINHAS)

1- DOS FATOS.
O Delegado do Distrito Policial da Capital determinou, aos seus agentes, a prisão de
todas as garotas de programa que atuam na região, pois pretende restabelecer os
bons costumes na cidade, como afirmou em entrevista à rádio local. Algumas horas
após a ordem, os agentes de polícia realizaram as primeiras prisões. Sarajane, que atua
como acompanhante na localidade, passou a temer ser presa no horário em que
realiza os seus encontros, razão pela qual deixou de fazê-los. Como advogado de
Sarajane, elabore a peça cabível para resguardar o seu direito de locomoção

(2 LINHAS)

2- DO DIREITO.

O artigo 5º da carta magna disponhe em seu inciso XLVIII, que cabe habeas corpus
sempre que for violado o direito a locomoção, ou ele se ver ameaçado no mesmo
direito de forma ilegal.

Portanto a análise se faz em aferir em primeiro momento ameaça a restrição ao direito


de locomoção, e a legalidade deste mesmo ato.

Quanto a ameaça, fica evidente, haja vista a existir prisões feitas por agentes policiais
que cumpriam a ordem do Delgado de polícia, o que evidencia a ameaça a locomoção
da paciente em questão violando o direito de ir vir que é garantido
constitucionalmente como direitos essencial.
Quanto a legalidade do ato, com fulcro no art. 648 a em seus incisos I, III, a prisão
decretada pelo Delgado de polícia far-se-á ilegal, haja vista não haver previsão legal
para a conduta a qual ele tenta reprimir, não havendo por tanto justa causa, e também
não tendo o já mencionado Delegado competência para tal ato.

(2 LINHAS)

3- DOS PEDIDOS

Diante do exposto requer que seja julgado procedente o presente pleito, sendo assim
garantido o direito a locomoção do paciente.

Local e data.

Profissão ou Advogado

Identidade ou OAB