Você está na página 1de 6

Instituto Teológico Quadrangular

Cidadania

Simone Candido de Souza

Organização Política do Brasil

São Paulo

2019
Instituto Teológico Quadrangular

Política
A palavra política denomina a arte da ciência ou da organização. No regime
democrático a ciência da política é a atividade dos cidadãos que ocupam os assuntos
públicos no voto ou militância. O termo político é derivado do grego antigo politéia
que indicava todos os procedimentos relativos a pólis.

O exercício do poder político pode ser administrado por diversos modos de


poder baseando-se nos meios nos quais os ativos se utilizam para determinar a reação
da massa passiva. Destacamos entre estes, o poder econômico, poder ideológico e o
poder político.

O estudo da política surgiu na Grécia Antiga, quando Aristóteles e Platão se


dedicaram a compreender e a definir as diferentes formas de governo. Desde então, a
política entrou em pauta e recebeu grande atenção de governantes e das respectivas
sociedades, pois a política está presente em toda relação.

Política no Brasil

Política do Brasil funciona sob o modelo de República


Federativa Presidencialista, formada pela União, os Estados, o Distrito Federal e
os Municípios. O exercício do poder é atribuído a órgãos distintos e independentes,
submetidos a um sistema de controle para garantir o cumprimento das leis e
da Constituição. O Brasil é uma República , o chefe do Estado é eleito pelo povo, por
mandato. É presidencialista porque o presidente da República é chefe de Estado e
também chefe de governo. É federativa porque entre os federativos têm autonomia
política.
A União está dividida em três poderes, independentes e harmônicos entre si.
São eles o Legislativo, que elabora leis; o Executivo, que atua na execução de
programas ou prestação de serviço público; e o Judiciário, que soluciona conflitos
entre cidadãos, entidades e o Estado.
Promulgou-se a constituição vigente, no dia 5 de outubro de 1988.
O Poder Executivo é regulado pela Constituição Federal nos seus artigos 76 a 91.
Dirigindo os negócios do Estado, o Executivo age direto por meio dos Ministérios e
Órgãos que integram a Presidência da República, e indireto, por meio das entidades
da administração indireta, que são as autarquias, empresas públicas, e as sociedades
de economia mista.
Instituto Teológico Quadrangular
Desde 1891, quem exerce o executivo federal é o Presidente da República. O
presidente é eleito por voto popular direto para um mandato de quatro anos. Em caso
de derrota nas eleições no primeiro turno, é eleito no segundo. Quando não pode
governar o país, o seu substituto é o Vice-Presidente da República. Os colaboradores
que auxiliam o Presidente da República nas tarefas administrativas são os Ministros de
Estado, que o chefe do executivo nomeia.
As Forças Armadas do Brasil, constituídas pela Marinha, pelo Exército e
pela Força Aérea, são instituições nacionais, permanentes e regulares que têm como
missão constitucional zelar pela defesa da Pátria, pela garantia dos poderes
constitucionais e, por iniciativa destes, da lei e da ordem.
O Ministério Público da União é uma entidade oficial do Poder Executivo para
promover a justiça e defender os interesses da sociedade. A Segurança Pública é
exercida para a preservação da ordem e da incolumidade das pessoas e do patrimônio,
através dos seguintes órgãos: polícia federal; polícia rodoviária federal; polícia
ferroviária federal; polícias civis; polícias militares e corpos de bombeiros.

O Governador do Estado exerce o executivo estadual. Quando não pode


governar a unidade federativa, o seu substituto é o Vice-Governador do Estado. Os
colaboradores que auxiliam o Governador do Estado são os Secretários Estaduais.
O Prefeito exerce o executivo municipal. Quando não pode governar
o município, o seu substituto é o Vice-Prefeito. Os colaboradores que auxiliam o
Prefeito são os Secretários Municipais.
O Brasil tem um sistema pluripartidário, ou seja, admite a formação legal de
vários partidos políticos. Estes são associações voluntárias de pessoas que
compartilham os mesmos ideais, interesses, objetivos e doutrinas políticas, que tem
como objetivo influenciar e fazer parte do poder político.

Poder Legislativo no Brasil


O Poder Legislativo do Brasil é um dos poderes constituídos do país.
A Constituição Federal adota os princípios da soberania popular e da representação,
segundo os quais o poder político pertence ao povo e é exercido em nome deste por
órgãos constitucionalmente definidos (art. 1º, parágrafo único). Para tanto, a
Constituição Federal constitui três Poderes, o Legislativo, o Executivo e o Judiciário,
independentes e harmônicos (art. 2º). O Poder Legislativo do Brasil é exercido, no
âmbito federal, desde 1891, pelo Congresso Nacional, que se compõe da Câmara dos
Instituto Teológico Quadrangular
Deputados e do Senado Federal, compostos, respectivamente, por deputados federais
e senadores.
Os Senadores são representantes das unidades federativas (Estados e Distrito
Federal) e os Deputados, do povo. Realmente, tanto o Congresso quanto cada uma de
suas casas são os representantes de toda a nação.
Os Deputados Federais representam a população, escolhidos por voto direto e
secreto em cada eleição legislativa, para um mandato quadrienal, entre nascidos
no Brasil com mais 21 anos, exercendo os direitos políticos.
A Câmara dos Deputados compõe-se de representantes do povo, eleitos, pelo
sistema proporcional, em cada Estado, em cada Território e no Distrito Federal.
O Tribunal de Contas da União é sediado em Brasília e tendo como área de
jurisdição o Brasil inteiro, o Tribunal de Contas da União é formado por nove ministros,
nomeados dentre nascidos no Brasil que possuam as seguintes exigências
Os Ministros do TCU possuem mandato vitalício. Cabe ao TCU o julgamento das
contas do Presidente da República, dos outros poderes da esfera federal, julgar as
contas dos administradores e demais responsáveis por dinheiros, bens e valores
públicos da administração direta e indireta, incluídas as fundações e sociedades
instituídas e mantidas pelo Poder Público federal, e as contas daqueles que derem
causa a perda, extravio ou outra irregularidade de que resulte prejuízo
ao erário público.
No Poder Legislativo Estadual, quem exerce o poder legislativo é a Assembleia
Legislativa, unicameral, formada por representantes escolhidos por voto popular para
um período quadrienal. São aplicadas aos deputados estaduais as mesmas normas da
constituição federal a respeito do sistema eleitoral, inviolabilidade, imunidades,
remuneração, perda de mandato, licença, etc. A remuneração dos deputados será
determinada em cada legislatura para a próxima legislação.
A quantidade de deputados, na Assembleia Legislativa, é limitada à
população estadual e à quantidade de seus deputados federais. Para deputado federal,
três estaduais são eleitos, até que 36 membros são completados na Assembleia
Legislativa. Desde então, a cada deputado federal equivale um estadual.3
Para o exercício da fiscalização financeira e orçamentária, o Legislativo dispõe
do Tribunal de Contas do Estado, que a Constituição estadual define a estruturação e o
funcionamento ,semelhante ao do Tribunal de Contas da União.
O Poder Legislativo Municipal a Câmara de Vereadores exerce o poder
legislativo municipal. O povo elege os vereadores, para um mandato quadrienal,
acompanhando as normas generalistas das constituições federal e estadual.
Instituto Teológico Quadrangular
O número de vereadores é limitado à população municipal, obedecidos os
seguintes limites, de acordo com o artigo 29, IV da Constituição de 1988.
O processo legislativo municipal acompanha as linhas generalistas das
esferas federal e estadual, devidamente adaptadas. A Constituição antevê que a
comunidade participe, por meio de "iniciativa popular de projetos de lei que
interessem especificamente o Município, a cidade ou bairros, por meio de declaração
de, no mínimo, o percentual de cinco eleitores." (artigo 29, XIII).
O Poder Judiciário do Brasil é o agrupamento dos órgãos públicos com os quais
ocorre a atribuição constitucional brasileira da função jurisdicional. Ele é formado por
cinco órgãos: Supremo Tribunal Federal (STF), Superior Tribunal de
Justiça (STJ), tribunais regionais federais e juízes federais, tribunais e juízes militares,
e tribunais e juízes dos estados, do distrito federal e dos territórios. Assim o STF como
os tribunais superiores quanto o Tribunal Superior do Trabalho (TST), o Tribunal
Superior Eleitoral (TSE) e o Superior Tribunal Militar (STM) — estão sediados
em Brasília, capital do país, e jurisdicionam o Brasil inteiro, 11 ministros formam o STF,
cuja competência principal é guardar a constituição, 33 ministros formam, pelo menos,
o STJ.
O órgão que exerce o poder judiciário estadual é o Tribunal de Justiça, além
das comarcas que agregam um pequeno número de municípios, além do município-
sede, propriamente dito, uma vez que nenhuma cidade possui poder judiciário
independente. Segundo as constituições federal e estaduais, somente a União e
as unidades federativas devem possuir o Poder Judiciário.[
Para que seja garantida a honestidade dos magistrados no exercício de suas
funções, a Constituição assegura aos juízes, com as limitações nelas apresentadas a
vitaliciedade, irredutibilidade de vencimentos e inamovibilidade.
Atualmente, o Brasil tem trinta e três partidos políticos legalizados no Tribunal
Superior Eleitoral – TSE.
O Plebiscito e Referendo são consultas ao povo para decidir sobre matéria de
relevância para a nação em questões de natureza constitucional, legislativa ou
administrativa.
A principal distinção entre eles é a de que o plebiscito é convocado
previamente à criação do ato legislativo ou administrativo que trate do assunto em
pauta, e o referendo é convocado posteriormente, cabendo ao povo ratificar ou
rejeitar a proposta. Ambos estão previstos no art. 14 da Constituição Federal e
regulamentados pela Lei nº 9.709, de 18 de novembro de 1998.

O Papel da Igreja na Política


Instituto Teológico Quadrangular
Desde os primórdios do povo israelita já era comum profetas ligados a política,
a saber: José, Moisés, Samuel etc. Hoje no Brasil, temos a frente Parlamentar
Evangélica, que é uma associação civil, de natureza não governamental, constituída no
âmbito do Congresso Nacional e integrada por deputados Federal e Senadores da
República Federativa do Brasil. O principal objetivo da FPE é unir esforços para que os
valores cristãos sejam preservados no Poder Legislativo. O grupo se organiza para
trabalhar em temas como a descriminalização das drogas e do aborto, a ideologia de
gênero nas escolas entre outras pautas.
A IEQ, através da Secretaria Geral de Cidadania e do Conselho Nacional de
Diretores, desenvolve o Projeto Político de Cidadania da Igreja com vistas ao
fortalecimento da Igreja.
Na doutrina sócio – política da IEQ, segundo os princípios da palavra de Deus, a
Igreja do Evangelho Quadrangular é contrária: ao divórcio sem fundamento,
casamento de pessoas do mesmo sexo e homossexualismo, aborto, a imposição de
controle de naturalidade e esterilização, pena de morte, exploração da criança e do
adolescente, legalização da profissão das prostitutas, discriminação de raça, cor e
credo, corrupção e impunidade, opressão aos menos favorecidos, vícios, fechamento
de igrejas e prisões de pastores.
Na doutrina sócio – política da IEQ, segundo os princípios da palavra de Deus, a
Igreja do Evangelho Quadrangular é a favor: do Direito da Cidadania, Direito a
Educação Religiosa com Plena Liberdade de Expressão, Assistência Social, Direito a
Ocupação da Mídia pela Igreja, ética e Decência nos Meios de Comunicação, Meio
Ambiente, Amparo aos Necessitados, Saúde, Moradia com Infraestrutura e Trabalho
Justo e Estável.
O termo cidadania tem origem etimológica no latim civitas, que significa
"cidade". Estabelece um estatuto de pertencimento de um indivíduo a uma
comunidade politicamente articulada – um país – e que lhe atribui um conjunto de
direitos e obrigações, sob vigência de uma Constituição.
No Brasil a luta pelo exercício da cidadania plena é ligada a diversos
acontecimentos e movimentos sociais e alguns destes ficaram marcados na história do
país como a Abolição da Escravidão, Promulgação da Constituição Federal de
1988, Movimento Diretas Já.
A Igreja do Evangelho Quadrangular sempre teve uma forte participação no
cenário das políticas públicas, este é um sistema organizacional absolutamente
necessário para que haja ordem e democracia entre as pessoas de uma sociedade.

Você também pode gostar