Você está na página 1de 3

UERJ – FFP - DCH

Disciplina: Teoria da História II


Semestre: 2019-2
Prof. Carlos Mauro
Observação: Os textos sublinhados serão apresentados pelos alunos.
1) Émile Durkheim. “Introdução – Objeto de pesquisa: Sociologia religiosa e teoria do
conhecimento” in IDEM: As Formas Elementares da Vida Religiosa. São Paulo, Martins
Fontes, 2003, pp. V-XXVII.
2) Max Weber. “A ‘objetividade’ do conhecimento nas Ciências Sociais” (extratos) in:
Idem. Weber. São Paulo, Ática, 1997, 79-127. Organização: Gabriel Cohn.
3) H. G. Weels: “Uma nova espécie de estado” in: Idem. História Universal – volume IV.
São Paulo, Companhia Editora Nacional, 1970, pp. 12-30.
4) Johann Huizinga: “O teor violento da vida” in: O declínio da Idade Média. Lisboa,
Ulisseia, 1996, pp. 6-21.
5) Christian Delacroix, François Dosse & Patrick Garcia. “O Método Metódico” in: Idem.
Correntes Históricas na França – séculos XIX e XX. Rio de Janeiro, FGV; São Paulo,
Unesp, 2012, pp. 69-135.
6) Charles V. Langlois et Charles Seignobos. Introdução aos Estudos Históricos (1897).
Curitiba, Antonio Fontoura, 2017, pp. 136-160.
7) Marc Bloch: A Sociedade Feudal. Lisboa, Edições 70, s.d., pp. 99-133 (no pdf).
8) Claude Lévi-Strauss: “Introdução: História e Etnologia” in: IDEM. Antropologia
Estrutural. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, s.d., pp. 13-41.
9) Fernand Braudel. “História e ciências sociais: a longa duração” in: Idem. Escritos sobre
a História. São Paulo, Perspectiva, 1992, pp. 41-78.
10) Michel Vovelle, “A História das Mentalidades na encruzilhada das fontes” in: IDEM.
Ideologia e Mentalidades. São Paulo, Brasiliense, 1991, pp. 27-64.
11) Fernand Braudel: “O Tempo do Mundo” in: A Dinâmica do Capitalismo. Rio de
Janeiro, Rocco, 1987, pp. 51-76.
12) Jacques Rossiaud: “A prostituição, sexualidade e sociedade nas cidades francesas do
século XV” in: ARIÈS, P. & BÉJIN, André (orgs.). Sexualidades
Ocidentais:Contribuições para a História da sexualidade. São, Brasiliense, 1987, pp. 93-
114.
13) Lawrence Stone: Familia, sexo y matrimonio en Inglaterra: 1500-1800. Mexico,
Fondo de Cultura Económica, 1990, pp. 59-74.
14) Lawrence Stone: “O ressurgimento da narrativa: reflexões sobre uma nova velha
história” in: Teriografia - https://teoriografia.files.wordpress.com/.../stone-lawrence-o-
ressurgimento-da-narrativ. Última visita em 12 de agosto de 2018.
15) Carlo Ginzburg: “Sinais: raízes de um paradigma indiciário” in: Idem. Mitos,
emblemas, sinais. Morfologia e História. São Paulo, Companhia das Letras, 1991, pp.
143-179+260-275.
16) Edward Thompson: “Introdução: costumes e cultura” in: IDEM. Costumes em
Comum. São Paulo, Companhia das Letras, 1998, pp. 13-24 + 407-408.
17) Giovani Levi: “Prefácio” in: OLIVEIRA, Márcia e ALMEIDA, Carla (ORGS.).
Exercícios de Micro-História. RJ, FGV, 2009, pp. 11-16.
18) Clifford Geertz: “Uma descrição densa”: por uma teoria interpretativa da cultura” in:
IDEM. A Interpretação das Culturas. RJ, Guanabara, 1989, pp. 13-41.
19) Robert Darnton. “Apresentação” e “Conclusão” in: IDEM. O Grande Massacre dos
Gatos e outros episódios da História Cultural Francesa. São Paulo, Graal, 2011, pp. 13-
19 e 331-338 (Notas: 376-379).
20) Marcelo Jasmin e João Feres Jr. “História dos Conceitos: dois momentos de um
encontro intelectual” in: Idem (org.). História dos Conceitos: debates e perspectivas. RJ,
PUC-RIO; Loyola; Iuperj, 2006, pp. 9-38.
21) Robert Darnton: “Best-sellers” in: IDEM. Os best-sellers proibidos da França pré-
revolucionária. São Paulo, Companhia das Letras, 1998, pp. 38-98 + 406-415.
22) Eric Hobsbawm & George Rudé: “As insurreições no sudeste” in: IDEM. Capitão
Swing. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1982, pp. 99-116.
23) John Pocock: “1776 – A Revolução contra o Parlamento” in: IDEM. Linguagens do
Ideário Político. SP, Edusp, 2003, pp. 269-287.
24) Eric Foner: “A anatomia da emancipação” in: Nada além da liberdade. Rio de
Janeiro, Paz e Terra, 1988, pp. 25-71.
25) Sidney Challoub: “A cidade-esconderijo” e “O esconderijo na cidade: os cortiços e a
liberdade” in: IDEM. Visões da Liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 1990, pp.
212-248 e 267-276.
26) Hayden White: “Enredo e verdade na escrita da história” in: MALERBA, Jurandir
(org.). A História Escrita: teoria e história da historiografia. SP, Contexto, 2008, pp.
191-210.
27) Carlos Ginzburg: “Introdução” in: O Fio e os Rastros: verdadeiro, falso, fictício. São
Paulo, Companhia das Letras, 2007, pp. 7-14.
27.1) Roger Chartier: “Literatura e História” in: Topoi, Rio de Janeiro (dezembro 2000),
197-216.

Textos de apoio
Clifford Geertz. “Anti-anti Relativismo” in: IDEM. Nova luz sobre a Antropologia. Rio
de Janeiro, Jorge Zahar Editor, 2001, pp. 47-67.
François Furet: “O quantitativo na História” in: IDEM. A Oficina da História. Lisboa,
Gradiva, s.d., pp. 59-79.
Hayden White: “Introdução: a poética da História” in: Idem. Meta-História. São Paulo,
Edusp, 1995, pp. 17-45 [trechos].
Jacques Revel: “Mentalidade: uma particularidade francesa? História de uma noção e de
seus usos” in: Idem. História e Historiografia: exercícios críticos. Curitiba, Ed. UFPR,
2010, pp. 95-116.
Michael Roberts: “O Pós-Modernismo e a Virada Linguística” in: Peter Lambert, Phillipp
Schofield (cols.). História: Introdução ao Ensino e à Prática. Porto Alegre, Penso, 2011,
pp. 262-276.
Roger Chartier: “O Mundo como representação” in: Estudos Avançados, 1991,11 (5):
172-191.
Nota: A avaliação será através de duas provas escritas e sem consulta.