Você está na página 1de 2

FACULDADE JK – UNIDADE I – GAMA-DF

Instituto de Desenvolvimento Educacional Avançado Ltda - IDEA


CNPJ – 08692649/0001-22

Alguns recados sobre a música “Pensamento – Cidade Negra”

Gessé Chaves Macêdo1

Proponho aqui apenas elaborar brevíssimas discussões sobre a música Pensamento de


Cidade Negra. Essas podem ser divididas em três (mas não devemos imaginar que estão em
ordem de importância ou que são categorias isoladas).

1) A capacidade de expressar um pensamento:

“Você precisa saber


O que passa aqui dentro
Eu vou falar pra você”

O cantor deseja explicar qual a importância do pensamento. Para isso, teve de pensar
nessa ideia antes do ato de sua exposição. Mas “o que passava aqui dentro” só pôde ser
transmitido por meio da linguagem.

2) Uma ideia sobre aprendizagem:

“Você vai entender


A força de um pensamento
Pra nunca mais esquecer”

O “não esquecer”, declarado pelo cantor, mostra sinais de uma configuração importante
da aprendizagem discutida na disciplina. A aprendizagem, por ser uma transformação no
comportamento, precisa em ser uma alteração duradoura. “Entendo a força de um pensamento
para não esquecer”. Em outras palavras, quando aprendo algo e mudo por função disso, eu não
consigo voltar a ser quem era.

3) O pensar como uma função superior humana.

“Eu fui para o Japão


Com a força do pensar
Passei pelas ruínas
E parei no Canadá”

1
Aluno do 5° semestre da Licenciatura em História.
FACULDADE JK – UNIDADE I – GAMA-DF
Instituto de Desenvolvimento Educacional Avançado Ltda - IDEA
CNPJ – 08692649/0001-22

Os pensamentos de Vygotsky já denunciavam que apenas humanos têm a capacidade


plena de fazer atividades como compreender símbolos, criar significados para instrumentos,
algumas das funções psicológicas superiores. Os símbolos organizados na frase “fui para o
Japão” terá significado para nós. Penso sobre o Japão, consigo entende-lo como algo, mesmo
sem precisar de sua presença concreta.