Você está na página 1de 9

Ciências Físico-Químicas

Ácido-Base e pH
8º Ano

O que é um ácido?
Existem várias definições para ácidos, das quais a mais utilizada é a definição do
químico sueco Svante August Arrhenius, formulada no final do século XIX. Segundo
ele, ácidos são substâncias que se ionizam em solução aquosa, libertando iões H+ (ião
hidrogénio).
Um exemplo é o ácido clorídrico (HCl), que se decompõe em:
HCl H+ + Cl –

Alguns anos mais tarde, em 1923, Brønsted descreve, numa definição mais geral, a
ideia de que ácido é uma substância que se comporta como um dador de protões (iões
H+). Assim, esta última definição, generaliza a teoria de ácidos de Arrhenius e, todas
as substâncias que se comportam de acordo com esta definição, são denominadas ácidos
de Brønsted.
O químico Americano G.N. Lewis, formulou uma definição mais geral, que, segundo
ele, um ácido é uma substância susceptível de captar um par de electrões.
Apesar da definição de ácidos e bases de Lewis ter uma grande importância devido à
sua generalidade, quando normalmente falamos de um ácido ou de uma base, estamos a
referir-nos à definição de Brønsted. O termo "ácido de Lewis" é usualmente reservado
para substâncias que podem aceitar um par de electrões, mas que não contêm átomos de
hidrogénio ionizáveis.

Propriedades de um ácido?
 Têm um sabor azedo (como exemplos: o vinagre deve o seu sabor ao ácido
acético, e o limão ao ácido cítrico)
 Causam mudanças de cor nos corantes vegetais (por exemplo: alteram a cor da
tintura azul de tornesol, de azul para vermelho).
 Reagem com certos metais (como o zinco, o magnésio e o ferro) produzindo
hidrogénio gasoso.
 Reagem com carbonatos e bicarbonatos, para produzir dióxido de carbono
gasoso.
 As suas soluções aquosas conduzem a electricidade.

Nomenclatura
Um dos problemas para os alunos de química, é a nomenclatura das substâncias.
Esta dificuldade poderá residir no facto de que esses alunos desconhecem o nome dos
aniões.
Devem então, primeiramente os alunos aprender o nome dos principais aniões.
Se necessitares, consulta a TABELA DE CATIÕES E ANIÕES.

1
Ciências Físico-Químicas
Ácido-Base e pH
8º Ano

Para a nomenclatura dos ácidos, procede da seguinte forma:


Exemplo: HCl.
ÁCIDO + NOME DO ANIÃO COM A TERMINAÇÃO ALTERADA.
A alteração deverá ser feita da seguinte forma:
Alteração -> terminação do anião (para melhor decorar)
ico <- ato (bico de pato)
oso <- ito (osso de cabrito)
ídrico <- eto (Frederíco no espeto)

Ex: anião Cl- (ião cloreto). O Ácido chama-se Ácido Clorídrico.


anião SO42- (ião sulfato). O Ácido chama-se Ácido Sulfúrico.
anião SO3 (ião sulfito). O Ácido chama-se Ácido Sulfuroso.

Ácidos fortes
Chama-se ácido forte, aquele ácido que se dissocia completamente em solução a
temperatura e pressão constantes. Nessas condições, a concentração de um ácido forte é
igual à concentração de iões de hidrogénio (Hidrônio ou H3O+). A equação para a completa
dissociação de um ácido forte (HA) é:
HA(aq) → H+(aq) + A-(aq)
onde o ácido liberta protões (H+) e uma base conjugada (A-) em concentrações iguais.
[HA] = [H+] = [A-]; pH = -log[H+].
Por exemplo,
HCl + H2O → H3O+ + Cl-
A constante de dissociação de um ácido forte em comparação com ácidos fracos é igual à
da concentração de hidrônio expressa no termo logarítmico: pKa < -1.74.
Alguns ácidos fortes bastante conhecidos são o ácido clorídrico, o ácido sulfúrico, o ácido
nítrico e o ácido perclórico.
Acido Forte - é todo substancia que liberta muitos iões H+.

Ácidos mais conhecidos


Ácido Clorídrico (HCl)
O HCl impuro é comercializado com o nome de ácido muriático e é um reagente muito
usado na indústria e no laboratório.
É utilizado principalmente na limpeza de pisos ou de superfícies metálicas antes da
soldagem (decapagem).
O HCl encontra-se presente no estômago, no suco gástrico, conferindo a ele um pH
adequado para a acção das enzimas digestivas gástricas.
Ácido Fluorídrico (HF)
O HF tem a propriedade de corroer o vidro; por isso, é usado para fazer gravações em

2
Ciências Físico-Químicas
Ácido-Base e pH
8º Ano

vidros e cristais.
Ácido Sulfúrico (H2SO4)
É o ácido mais importante na indústria e no laboratório.
É utilizado nas baterias de automóvel, é consumido em enormes quantidades em inúmeros
processos industriais, como processos da indústria petroquímica, na fabricação de corantes,
tintas, explosivos e papel.
É também usado na indústria de fertilizantes agrícolas, permitindo a fabricação de produtos
como os fosfatos e o sulfato de amónio.
O ácido sulfúrico concentrado é um dos desidratantes mais enérgicos. Assim, ele
carboniza os hidratos de carbono como os açúcares, amido e celulose; a carbonização é
devido à desidratação desses materiais; O ácido sulfúrico "destrói" o papel, o tecido de
algodão, a madeira, o açúcar e outros materiais devido à sua enérgica acção desidratante. O
ácido sulfúrico concentrado tem acção corrosiva sobre os tecidos dos organismos vivos
também devido à sua acção desidratante. Produz sérias queimaduras na pele. Por isso, é
necessário extremo cuidado ao manusear esse ácido;
As chuvas ácidas em ambientes poluídos com dióxido de enxofre contêm H2SO4 e causam
grande impacto ambiental.
Ácido Nítrico (HNO3)
Depois do ácido sulfúrico, é o ácido mais fabricado e mais consumido na indústria.
É usado na fabricação de explosivos como o trinitrotolueno (TNT) e a nitroglicerina
(dinamite); é muito útil para a indústria de fertilizantes agrícolas, permitindo a obtenção do
salitre.
O ácido nítrico concentrado é um líquido muito volátil; seus vapores são muito tóxicos. É
um ácido muito corrosivo e, assim como o ácido sulfúrico, é necessário muito cuidado para
manuseá-lo.
Ácido Cianídrico (HCN)
Ácido utilizado em indústrias diversas, como nas de plásticos, acrílicos e corantes, entre
outras. Mas ele tem também um destino sinistro: nos Estados Unidos, foi usado nas
"câmaras de gás" para executar pessoas condenadas à morte.
Ácido fosfórico (H3PO4)
Os seus sais (fosfatos) têm grande aplicação como fertilizantes na agricultura;
É usado como aditivo em alguns refrigerantes.
Ácido carbónico (H2CO3)
É o ácido das águas minerais gaseificadas e dos refrigerantes. Forma-se na reacção
do dióxido de carbono com a água:
CO2 + H2O → H2CO3

3
Ciências Físico-Químicas
Ácido-Base e pH
8º Ano

O que são bases ou alcalis?


Segundo Svante Arrhenius, uma base (também chamada de álcali) é qualquer
substância que liberta única e exclusivamente o anião OH- (iões hidróxido) em solução
aquosa.
As bases possuem baixas concentrações de iões H+ sendo consideradas bases as
soluções que têm valores de pH acima de 7.
Possuem sabor amargo e são empregadas como produtos de limpeza, medicamentos
(antiácidos) entre outros.
Muitas bases, como o hidróxido de magnésio (leite de magnésio) são fracas e não
apresentam perigosidade.
Outras como o hidróxido de sódio (NaOH ou soda cáustica) são corrosivas e sua
manipulação deve ser feita com todo o cuidado.
Em 1923, o químico dinamarquês Johannes Nicolaus Brønsted e o inglês Thomas
Martin Lowry propuseram a seguinte definição:
Uma base é uma substância que recebe protões (iões hidrogénio - H+)

Mais tarde Gilbert Lewis definiu como base:


qualquer substância que doa pares de electrões não ligantes, numa reacção
química.

As bases neutralizam os ácidos, segundo conceito de Arrhenius, formando água e um


sal:

Ácido + Base → Água + Sal


Ex: H2SO4 + Ca(OH)2 → 2 H2O + CaSO4
(ácido sulfúrico + hidróxido de cálcio → água + sulfato de cálcio)
HCl + NaOH → H2O + NaCl
(ácido clorídrico + hidróxido de sódio → água + cloreto de sódio)

Bases mais conhecidas

Soda Cáustica (NaOH)


É a base mais importante da indústria e do laboratório. É fabricada e consumida em
grandes quantidades. É utilizada no fabrico do sabão e da glicerina. Também serve para
a obtenção dos de sais de sódio em geral, como a salitre. É usada em inúmeros
processos na indústria petroquímica e no fabrico do papel, da celulose, corantes, etc.
É utilizada para a limpeza doméstica.
É muito corrosiva e exige muito cuidado ao ser manuseada.
É fabricada por electrólise de uma solução aquosa de sal de cozinha. Na electrólise,
além do NaOH, obtêm-se o H2 e o Cl2, que também têm grandes aplicações industriais.

4
Ciências Físico-Químicas
Ácido-Base e pH
8º Ano

Hidróxido de magnésio (Mg (OH) 2)


É pouco solúvel na água. A suspensão aquosa de Mg (OH) 2 é o leite de magnésio,
usado como antiácido estomacal.
O Mg (OH) 2 neutraliza o excesso de HCl no suco gástrico.

Hidróxido de Cálcio (Ca (OH) 2)


Chama-se também cal hidratada, cal extinta ou cal apagada.
É obtida pela reacção da cal viva ou cal virgem com a água. É o que fazem os pedreiros
ao preparar a argamassa.
É consumido em grandes quantidades nas pinturas a cal (caiação) e no preparo da
argamassa usada na alvenaria.

Hidróxido de amónio (NH4OH) e Amoníaco (NH3)


Hidróxido de amónio é a solução aquosa do gás amoníaco. Esta solução é também
chamada de amónia. O amoníaco é um gás incolor de cheiro forte e muito irritante.
É fabricado em enormes quantidades na indústria. A sua principal aplicação é a
fabricação de ácido nítrico. É também usado no fabrico de sais de amónio, muito usados
como fertilizantes na agricultura.
Exemplos: NH4NO3, (NH4) 2SO4, (NH4)3PO4 .
A amónia é muito utilizada na fabricação de produtos de limpeza doméstica, como o
limpa-vidros.

Classificação das Bases


Quanto ao grau de dissociação
Bases fortes: São as que dissociam muito.
Em geral os metais alcalinos e alcalino-terrosos formam bases fortes (famílias IA e IIA
da Tabela periódica dos Elementos).
Porém, o hidróxido de Berílio e o hidróxido de Magnésio são bases fracas.
Bases fracas: São as bases formadas pelos demais metais e o hidróxido de amónio, por
terem carácter molecular.

Quanto à solubilidade em água


Solúveis: Todas as bases formadas pelos metais alcalinos são solúveis. Podemos citar
também o hidróxido de amónio, que apesar de ser uma base fraca, é solúvel.
Pouco solúveis: São as bases formadas pelos metais alcalino-terrosos em geral.
Insolúveis: As demais bases. Vale lembrar sempre alguma parcela dissolve, mas
chama-se insolúvel quando essa quantidade é insignificante em relação ao volume total.

5
Ciências Físico-Químicas
Ácido-Base e pH
8º Ano

O que é o pH?
O pH ou potencial de hidrogénio iónico, é um índice que indica a acidez, neutralidade
ou alcalinidade de um meio. O conceito foi introduzido por S. P. L. Sørensen em 1909.
O "p" deriva do alemão potenz, que significa poder de concentração, e o "H" é para o
ião de hidrogénio (H+).
Às vezes é referido do latim pondus hydrogenii. O "p" equivale ao simétrico do
logaritmo de base 10 da actividade dos iões a que se refere, ou seja:
pH = - log10 [H+]

em que [H+] representa a concentração de iões H+ expressa em mol/dm3. As soluções


podem então ser consideradas ácidas ou básicas consoante o valor do seu pH:

. Soluções ácidas: [H+] > 1,0 x 10 -7 M, pH < 7,00

. Soluções básicas: [H+] < 1,0 x 10 -7 M, pH > 7,00

. Soluções neutras: [H+] = 1,0 x 10 -7 M, pH = 7,00

O que é a escala de pH?


O carácter ácido de uma solução está
relacionado com a concentração de iões
H+ presente nessa solução (quanto mais
forte é um ácido, maior é a concentração
desses iões na solução).
A escala de pH é uma maneira de indicar
a concentração de H+ numa solução.
Esta escala varia entre o valor mínimo 0
(acidez máxima), e o máximo 14 (acidez
mínima ou basicidade máxima).
A 25 ºC uma solução neutra tem um valor
de pH = 7.

Para que serve a escala de pH?


É uma escala de valores que serve para
determinar o grau de acidez ou de
basicidade de uma dada substância.
Varia entre 0 e 14, sendo o valor médio, o
sete, correspondente a soluções neutras.
Para valores superiores a 7 as soluções
são consideradas básicas, e para valores
inferiores a 7, serão ácidas.

6
Ciências Físico-Químicas
Ácido-Base e pH
8º Ano

Como medir o pH?


O pH pode ser determinado usando um
medidor de pH (também conhecido como
pHmetro) que consiste em um eléctrodo
acoplado a um potenciómetro. O medidor de pH
é um milivoltímetro com uma escala que
converte o valor de potencial do eléctrodo em
unidades de pH. Este tipo de eléctrodo é
conhecido como eléctrodo de vidro, que na verdade, é um eléctrodo do tipo "ião selectivo".

O pH pode ser determinado indirectamente pela adição de um indicador de pH na


solução em análise. A cor do indicador varia conforme o pH da solução. Indicadores
comuns são a fenolftaleína, o alaranjado de metilo e o azul de tornassol.

Outro indicador de pH muito usado em laboratórios é o chamado papel de tornassol


(papel de filtro impregnado com tornassol). Este indicador apresenta uma ampla faixa de
viragem, servindo para indicar se uma solução é nitidamente ácida (quando ele fica
vermelho) ou nitidamente básica (quando ele fica azul). Utiliza-se ainda em grande
escala, o papel indicador universal, que é uma mistura de indicadores de pH,
normalmente em solução ou secos em tiras de papel absorvente, que apresentam distintas
cores para cada pH de 1 a 14. Tabelas com cores padrões do produto para os pH medidos
são fornecidos com as tiras, para que se possa determinar o valor de pH, por comparação
da tabela com a cor obtida na tira embebida na solução a analisar.

7
Ciências Físico-Químicas
Ácido-Base e pH
8º Ano

Obs: Embora o valor do pH compreenda uma faixa de 0 a 14 unidades, estes não são os
limites para o pH. É possíveis valores de pH acima e abaixo desta faixa, como exemplo,
uma solução que fornece pH = -1,00, apresenta matematicamente -log [H+] = -1,00, ou
seja, [H+] = 10 mol L-1. Este é um valor de concentração facilmente obtido em uma solução
concentrada de um ácido forte, como o HCl.

Erros de medida com um medidor de pH (eléctrodo)


Há vários tipos de erros que podem ocorrer nas medidas do pH ocasionados por diversos
factores, entre eles, destacam-se:
 Erros dos padrões de calibração: Uma medida de pH não pode apresentar uma
precisão maior que aquela dos padrões de referência disponíveis, apresentando
erros da ordem de ±0,01 unidades de pH;
 Erro do potencial de junção: Há um potencial de junção na membrana que separa
o meio interno do externo do eléctrodo. Se a composição iónica entre estes
diferentes meios (interno e externo) apresenta-se muito distante da composição da
solução tampão padrão utilizada na calibração do eléctrodo, o potencial de junção é
modificado, ocasionando variações nas medidas de pH em torno de 0,01 unidades;
 Erro do deslocamento do potencial de junção: A grande maioria dos eléctrodos
combinados possui um eléctrodo de referência de prata-cloreto de prata que contém
no seu interior, uma solução saturada de KCl. Tendo em vista a alta concentração
de iões cloreto no interior do eléctrodo, esta possibilita, em contacto com o
eléctrodo de prata, a formação de AgCl43- e AgCl32-. Na membrana porosa de vidro
do eléctrodo, que separa a solução interna e externa, a concentração de iões cloreto
é menor (KCl está diluído), o que favorece a precipitação do AgCl. Se a solução do
analito a ser medido conter um agente redutor, pode ocorrer ainda a precipitação de
Ag(s) na própria membrana. Estes efeitos modificam o potencial de junção
provocando um deslocamento lento do valor de pH no visor do instrumento durante
um período grande de tempo. Tais erros podem ser corrigidos pela calibração do
eléctrodo a cada 2 h.
+
 Erro do sódio (erro alcalino): Quando a concentração de iões H é baixa e a
concentração de Na+ é alta, o eléctrodo responde ao Na+ como se este fosse o H+ e o
pH medido torna-se menor que o pH verdadeiro.
 Erro ácido: Em ácidos fortes, o valor do pH medido torna-se maior que o pH
verdadeiro, devido à saturação de iões H+ na superfície da membrana de vidro do
eléctrodo. Isto ocorre devido à saturação dos sítios activos da membrana de vidro
do eléctrodo.
 Erro no tempo para atingir o equilíbrio: As medidas de pH geralmente são
obtidas após algum tempo de contacto do eléctrodo com a solução de interesse.
Numa solução bem tamponada, sob agitação adequada, este tempo de espera fica
em torno de 30 segundos. Numa solução mal tamponada (por exemplo, próxima ao
8
Ciências Físico-Químicas
Ácido-Base e pH
8º Ano

ponto de equivalência de uma titulação) necessita de um tempo maior para atingir o


equilíbrio.
 Erro de hidratação do vidro: Um eléctrodo hidratado apresenta uma resposta
adequada às variações de pH, enquanto um eléctrodo seco, necessita ser hidratado
por várias horas antes de ser realizada uma medida.
 Erro de temperatura: As medições de pH necessariamente devem ser realizadas
na mesma temperatura em que ocorreu sua calibração.

Bom Estudo!

Você também pode gostar