Você está na página 1de 26

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

2º SEMESTRE DE 2019

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA - DEPEL


CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA – COELE

Aula
30/10/2019

Professora: Teresa Cristina Bessa Nogueira Assunção


email: bessa@ufsj.edu.br
Interruptor Simples

Diagrama unifilar
Interruptor Duplo

Diagrama unifilar
Interruptor Three-Way (Paralelo)

Diagrama unifilar
Tomada Monofásica
PROJETO ELÉTRICO
DIMENSIONAMENTO DE CONDUTOS

Tipos de Linhas Elétricas

Linha Elétrica: Conjunto constituído por um ou mais condutores, com


elementos de fixação e suporte, e se for o caso, de proteção mecânica,
destinado a transportar energia elétrica ou a transmitir sinais elétricos.

• Aberta;
• Aérea;
• Aparente;
• Em parede ou no teto;
• Embutida;
• Subterrânea;
• Pré-fabricada.

COELE/DEPEL/UFSJ
PROJETO ELÉTRICO
DIMENSIONAMENTO DE CONDUTOS

Conduto elétrico é um sistema de tubulação elétrica usado para


proteção e direcionamento da fiação.

Eletroduto Eletrocalha perfurada


com tampa removível encaixada

Bloco alveolado com dois furos

COELE/DEPEL/UFSJ
PROJETO ELÉTRICO
Eletroduto

Metálicos ou isolantes; magnéticos ou não magnéticos.

• Eletroduto Rígido: Eletroduto que não pode ser curvado, a não


ser com ajuda mecânica, com ou sem tratamento especial;

• Eletroduto Curvável: Eletroduto que pode ser curvado com a


mão, usando uma força razoável, mas sem qualquer outra ajuda;

• Eletroduto Transversalmente Elástico: Eletroduto curvável que,


deformado sob a ação de uma força transversal aplicada durante
um curto intervalo de tempo, retoma sua força original logo após
a cessação da força;

• Eletroduto Flexível: Eletroduto curvável que pode ser dobrado


com a mão, com uma força razoavelmente reduzida, mas sem a
ajuda de outro meio, e que destinado a ser frequentemente 8
dobrado em serviço.

COELE/DEPEL/UFSJ
PROJETO ELÉTRICO
CONDUTOS ELÉTRICOS

Eletrocalha

Bandeja e eletroduto

COELE/DEPEL/UFSJ
PROJETO ELÉTRICO
CONDUTOS ELÉTRICOS

Leitos

Escada

10

COELE/DEPEL/UFSJ
PROJETO ELÉTRICO
CONDUTOS ELÉTRICOS

Prateleiras: Suporte contínuo


para condutores, engastado ou
fixado em uma parede ou teto por
um dos sus lados, e com uma
borda livre.

Espaços em construção: espaço existente na estrutura ou nos


componentes de uma edificação, acessível apenas em determinados
pontos.

Galeria: Corredor cujas dimensões permitem que pessoas transitem


livremente, contendo estruturas de suporte para os condutores e suas
junções e/ou outros elementos de linhas elétricas,

Poço: espaço de construção vertical, estendendo-se geralmente por


todos os pavimentos da edificação.

11

COELE/DEPEL/UFSJ
PROJETO ELÉTRICO
CONDUTOS ELÉTRICOS

• Os circuitos devem pertencer à mesma instalação (QD, QDG);


• Os condutores devem ser semelhantes (intervalo de 3 seções
normalizadas);
• Todos os condutores devem possuir a mesma temperatura
máxima;
• Todos os condutores devem ser isolados para a maior tensão
nominal;
• É vedada a utilização de eletrodutos que não sejam
expressamente apresentados e comercializados como tal;
• A NBR 5410 somente permite a utilização de eletrodutos não-
propagantes de chama e, quando embutidos, suportem os
esforços de deformação característicos da técnica construtiva
utilizada.
• Nos eletrodutos só devem ser instalados condutores isolados,
cabos unipolares e multipolares.
• Normalmente, em instalações elétricas de baixa tensão, utiliza-
se eletrodutos de PVC rígido, quando a instalação for embutida, 12
ou eletrodutos metálicos ou de PVC, quando aparente.

COELE/DEPEL/UFSJ
PROJETO ELÉTRICO
CONDUTOS ELÉTRICOS

• Os condutores ou cabos não devem ocupar uma percentagem da


área útil do eletroduto maior do que:

Eletrodutos

13
Critérios para utilização de eletrodutos: NBR 5410

COELE/DEPEL/UFSJ
PROJETO ELÉTRICO
CONDUTOS ELÉTRICOS

ÁREA ÚTIL DO ELETRODUTO


AT ELETRODUTO =  ( De − 2 e ) 
2

4  

De = Diâmetro externo do eletroduto, mm;


∆De = Variação do diâmetro externo, mm;
EP = Espessura da parede do eletroduto, mm.

ÁREA ÚTIL OCUPADA PELOS CONDUTORES

N cf    Dcf2 N cn    Dcn2 N cp    Dcp


2

AT CONDUTOR = + +
4 4 4
Dcf,cn,cp= Diâmetro externo dos condutores fase, neutro e proteção, mm2;
Ncf,cn,cp= Número dos condutores fase, neutro e proteção

NÚMERO MÁXIMO DE CONDUTORES OU CABOS EM UM ELETRODUTO

0, 4 AT ELETRODUTO 14
N=
AT CONDUTOR
COELE/DEPEL/UFSJ
PROJETO ELÉTRICO
CONDUTOS ELÉTRICOS

DADOS CARACTERÍSTICOS DE ELETRODUTOS

15

COELE/DEPEL/UFSJ
PROJETO ELÉTRICO
CONDUTOS ELÉTRICOS

DADOS CARACTERÍSTICOS DE CONDUTORES ELÉTRICOS

16

COELE/DEPEL/UFSJ
PROJETO ELÉTRICO
EXEMPLO 1: Seja um eletroduto de aço carbono de tamanho nominal
20, de acordo com a NBR 5598 e condutores de seção nominal 2,5 mm2 ,
cujo diâmetro é 3,7 mm. Dimensionar o número máximo de condutores
contidos no eletroduto

EXEMPLO 2: Admita-se que se queira instalar três circuitos em um


eletroduto rígido de PVC, conforme a seguir:
• Circuito 1: três condutores de 2,5 mm2 ;
• Circuito 2: três condutores de 4 mm2 ;
• Circuito 3: quatro condutores de 6 mm2 .
Especificar o eletroduto.

EXEMPLO 3: Determinar o diâmetro mínimo do eletroduto flexível de


uma linha interna de 10 m com curva 90º, capaz de conter os
condutores de três circuitos monofásicos com condutores de 1,5 mm2
(circuito 1), 2,5 mm2 (circuito 2) e 4 mm2 (circuito 3) de uma mesma
instalação. O condutor de proteção é de 4 mm2 .

17

COELE/DEPEL/UFSJ
PROJETO ELÉTRICO

18

COELE/DEPEL/UFSJ
PROJETO ELÉTRICO

19

COELE/DEPEL/UFSJ
PROJETO ELÉTRICO
CONDUTOS ELÉTRICOS

1. Determinar a área útil de um eletroduto de PVC rígido, tamanho 60,


classe B.
2. Determinar a área da seção transversal de um eletroduto de aço
carbono, que contém um circuito trifásico a cinco condutores, de
isolação PVC, classe B de seções, respectivamente iguais a 120 mm2,
70 mm2 e 70 mm2.

OBS: Os trechos contínuos de tubulação, sem interposição de


caixas ou equipamentos, não excedam 15 m para linhas internas à
edificação e 30 m para as linhas em áreas externas às edificações,
se os trechos forem retilíneos. Se os trechos incluírem curvas, o
limite de 15 m e de 30 m devem ser reduzidos em 3 m para cada
curva de 90º. Por exemplo, um trecho com três curvas não poderá
ter um comprimento superior a 15 – (3 X 3) = 6 m

20

COELE/DEPEL/UFSJ
PROJETO ELÉTRICO
Canaletas no Solo

21

COELE/DEPEL/UFSJ
PROJETO ELÉTRICO
CAIXAS DE DERIVAÇÃO

As caixas de derivação devem ser previstas em:

• Todos os pontos de entrada ou saída de condutores ou cabos na


tubulação;

• Todos os pontos de emenda ou derivação de condutores ou cabos;

• Para dividir a tubulação, caso a distância entre as caixas seja grande.

Acessórios de Eletroduto

• Luva;
• Bucha;
• Arruela;
• Curva; Braçadeira;
22

COELE/DEPEL/UFSJ
PROJETO ELÉTRICO
Canaletas no Solo

Exemplo: 21 cabos unipolares de seção de 120 mm2

Scanaleta = 20267 mm2

Scanaleta = 200 x 105 mm = 21000 mm2

Mamede página 126: Utilização das canaletas no solo


Página 122 NBR 5410
23

COELE/DEPEL/UFSJ
PROJETO ELÉTRICO
Canaletas e Perfilados

Mamede página 126: Utilização das canaletas e perfilados


Página 122 NBR 5410
24

COELE/DEPEL/UFSJ
PROJETO ELÉTRICO
Bandejas (eletrocalhas) , Leitos e Prateleiras

Sugere-se ocupar a calha com no máximo 35% de sua área útil.

Dimensionamento de eletrocalhas

Largura Altura Comprimento


(mm) (mm) (mm)
50 40 1000
100 40 1000
150 60 1000
150 60 2000
200 60 2000
300 75 2000
300 75 3000
400 75 3000
500 100 3000 25

600 100 3000


COELE/DEPEL/UFSJ
PROJETO ELÉTRICO
Dimensionamento de Bandejas (eletrocalhas) , Leitos e Eletrocalhas

• Os cabos podem ser contíguos ou em várias camadas;


• A seção (S) de um cabo é considerada igual ao quadrado de
seu diâmetro externo (De);
• Coeficiente de enchimento (k) igual a 1,4 para cabos de
potência e 1,2 para cabos de controle;
• Considerar ou não um fator de reserva (a).

Dimensionar uma bandeja para conter 20 cabos unipolares de cobre,


com isolação e cobertura de PVC, 120 mm2, admitindo na bandeja
uma reserva de 20%.

De = 19 mm - cabo de 120 mm2.

Bandeja 215 mm de largura 26


e 60 mm de altura.

COELE/DEPEL/UFSJ