Você está na página 1de 3

ROLETA SUSTENTÁVEL: ELABORAÇÃO DE JOGO EDUCATIVO COMO

ESTRATÉGIA DE EDUCAÇÃO ALIMENTAR E NUTRICIONAL

BATISTA, Mônica

Universidade da Amazônia (UNAMA), discente – monica2dominium@gmail.com

BARBOSA, Cristiane

Universidade da Amazônia (UNAMA), discente.

NASCIMENTO, Talita.

Universidade da Amazônia (UNAMA), discente.

CUNHA, Thainá.

Universidade da Amazônia (UNAMA), discente.

AZEVEDO, Vanessa D’ Paula.

Universidade da Amazônia (UNAMA), discente.

SILVA, Elenilma Barros.

Universidade da Amazônia (UNAMA), docente

Introdução: O uso dos jogos didáticos tem ocupado cada vez mais espaço no campo
educacional, pela sua capacidade de despertar emoções e conduzir os jogadores a uma
experiência eufórica de apreciação, o que aumenta a motivação e o interesse para
enfrentar as dificuldades apresentadas (GOMES e FRIEDRICH, 2001). Em concordância
com o pensamento do autor o objetivo foi desenvolver um jogo educativo como estratégia
de Educação Alimentar e Nutricional (EAN). Metodologia: O jogo “Roleta Sustentável”,
foi desenvolvido tomando como referência a metodologia do material “Jogos na Mesa”,
publicado em 2016, pelo Ideias na Mesa, que é uma rede virtual de experiências em
Educação Alimentar e Nutricional (EAN), que visa o estabelecimento de referenciais
técnicos, conceituais e metodológicos e ao fortalecimento e valorização da EAN. Para
construção do jogo foram considerados os seguintes elementos: o objetivo do jogo, perfil
dos jogadores, o conteúdo, nome do jogo, número de jogadores, metas, desafios,
resultados e recursos. Resultados e Discussão: Como objetivo do jogo foi estabelecido
a promoção da aprendizagem da sustentabilidade, através da reciclagem de materiais e
redução de material orgânico com o aproveitamento integral de alimentos e diminuindo
o desperdício. Incentiva o entendimento dos alunos sobre o tema sustentabilidade,
estimula os alunos a encontrarem soluções sustentáveis e saudáveis no ambiente escolar
e domiciliar. Tendo como perfil dos jogadores alunos do ensino médio na faixa etária a
partir de 14 anos. O jogo utilizado é uma “Roleta Sustentável”, um jogo coletivo e
competitivo que pode ser jogado de 2 a 6 jogadores. O jogador tem como meta, responder
corretamente o maior número de perguntas sobre o tema sustentabilidade. O desafio é
eliminar os concorrentes, e como resultado tornar-se o último jogador e grande vencedor.
As regras do jogo e a dinâmica se dá quando, inicialmente organiza-se duas filas de
jogadores em quantidades iguais, realizando uma disputa no par ou ímpar com os dois
primeiros da fila, para saber quem começa rodando a roleta. O vencedor da disputa roda
a roleta, que irá parar em uma determinada cor, que representa um material a ser reciclado.
O jogador responderá a uma pergunta correspondente aquele material. Acertando a
pergunta, elimina seu concorrente que estará fora do jogo, e ele como vencedor voltará
para o final da fila para disputar as próximas rodadas. Se não souber a resposta, passa a
pergunta para o outro jogador que pode responder ou repassar, se repassar ele é obrigado
a responder, errando resposta será eliminado do jogo, e seu oponente será considerado
vencedor da disputa e voltará para o final da fila, e fica aguardando a próxima rodada. Os
desafios são individuais, porém, podem ser adaptados ao coletivo determinando as filas
como equipes. As perguntas podem ser reformuladas com menor grau de complexidade
para que o jogo possa ser utilizado também para alunos do ensino fundamental. Se o
desafio for individual e no desenvolvimento do jogo acontecer de, restar apenas uma fila,
os competidores são redistribuídos em duas novas filas, um novo par ou ímpar é realizado
para continuar o jogo. Como resultado deve restar apenas um jogador, que será declarado
o vencedor. Se o desafio for coletivo (equipes), vence a equipe que eliminar a outra fila.
Como recursos para construção da roleta foram considerados os seguintes materiais
reciclados: base de MDF reutilizado medindo 45x45cm, ripão coletado na rua medindo
10cm x 1,10cm, círculo em material Eucatex reciclado da parte de trás de guarda-roupas
medindo 60cm de diâmetro, o qual foi dividido em marcações de 5 partes iguais e colado
sobre ele E.V.A. colorido. As cores simbolizam os tipos de materiais reciclados e
símbolos da reciclagem que fazem referência as lixeiras de coleta seletiva, azul (papel),
vermelho (plástico), verde (vidro), amarelo (metal) e marrom (orgânico). De acordo com
Kishimoto (2002), a atividade lúdica atende ás necessidades do desenvolvimento, e não
pode ser considerada como algo sem valor. Esta tem um papel importante a longo prazo
na formação humana. Para Rodrigues (2001), "O jogo é uma atividade rica e de grande
efeito que responde às necessidades lúdicas, intelectuais e afetivas, estimulando a vida
social e representando, assim, importante contribuição na aprendizagem". Conclusão: A
construção de jogos educativos para o nutricionista é sempre um desafio que tira o
profissional do pensamento meramente biológico para colocá-lo em contato com questões
mais humanas, sociais e pedagógicas que são necessárias para dinamizar as ações de
educação alimentar e nutricional. O jogo foi planejado e elaborado com a função
educativa, proporcionando um debate em sala de aula, favorecendo a construção de
conhecimentos sobre a área da sustentabilidade e aproveitamento integral dos alimentos,
propiciando a interação entre professores e alunos. Por ser de confecção simples e de
baixo custo, a metodologia pode ser repassada a instituições de ensino, que, no geral,
carecem de atividades lúdicas na área. Desse modo, conclui-se que o jogo “Roleta
Sustentável” oferece grande potencial como instrumento de Educação Alimentar e
Nutricional (EAN).

Palavras Chave: Educação Alimentar e Nutricional, Jogos e Brinquedos, Jogos


Experimentais.

Referências:

GOMES, R.R.; FRIEDRICH, M.A. Contribuição dos jogos didáticos na aprendizagem


de conteúdos de Ciências e Biologia. In: EREBIO,1, Rio de Janeiro, Anais; p.389-392,
2001.

EQUIPE IDEIAS NA MESA; OBSERVATÓRIO DE POLÍTICAS DE SEGURANÇA


ALIMENTAR; UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. JOGOS NA MESA - Como criar
jogos para promover a alimentação adequada e saudável. Brasília, 2016, Disponível
em:<https://ideiasnamesa.unb.br/upload/midia/18-10-
2016%2012:41:44Apostil_Curso_Jogos_na_Mesa.pdf.>. Acesso em: 17 mar.2019.

KISHIMOTO, T. O brincar e suas teorias. São Paulo: Pioneira, 2002.

RODRIGUES, M. O desenvolvimento do pré-escolar e o jogo. Rio de Janeiro: Ed Vozes,


2001.