Você está na página 1de 110

BOTÂNICA

PAULO JUBILUT
sumário
BOTÂNICA 03
Introdução à Botânica e Briófitas e Pteridófitas 03
Gimnosperma e Angiosperma 14
Flor, Semente e Fruto 27
Raiz, Caule e Folha 44
Histologia Vegetal 63
Fisiologia Vegetal 81
Hormônios e Movimentos Vegetais 99
INTRODUÇÃO A BOTÂNICA
Do grego botanikós = relativo a ervas, a CÉLULA VEGETAL
Botânica é a área da Biologia que estuda os
vegetais em todos os níveis de organização. A organização de uma célula vegetal é muito
parecida com a da célula animal, apresentando
O Reino Plantae, Metaphyta ou Vegetal abrange muitas organelas comuns, como mitocôndrias,
todas as plantas ou vegetais eucariontes. retículo endoplasmático, complexo de Golgi,
Quase todos os representantes são dotados de ribossomos, entre outras. Lembramos que ao
plastos com clorofila e, portanto, capazes de se estudar uma célula típica, tomamos como
realizar fotossíntese, sendo então denominados padrão a célula eucariótica.
autótrofos. Suas células possuem parede
A célula vegetal apresenta estruturas típicas,
celular de celulose e armazenam amido como
como a membrana celulósica ou parede
substância de reserva.
celular que reveste externamente a célula
A classificação das plantas pode ser simplificada vegetal, sendo constituída basicamente de
de acordo com o esquema abaixo: celulose, podendo ter deposição de outros
polissacarídeos como lignina e suberina.
Eucariontes Clorofilados
Uma outra estrutura que caracteriza a célula
vegetal é o plasto, organela que pode ser ou
vegetais avasculares vegetais vasculares não pigmentado.

BOTÂNICA
Quando os plastos não possuem pigmentos
algas Briófitas Pteridófitas espermatófitas coloridos, são chamados de leucoplastos,
como os amiloplastos que armazenam amido,
os oleoplastos que armazenam lipídeos e os
Gimnospermas angiospermas proteplastos, que armazenam proteínas.

As plantas podem ser classificadas de acordo Entre os cromoplastos, plastos pigmentados,


com vários critérios, como mostra o quadro além do cloroplasto que contém clorofila
abaixo: (pigmento verde), existem os xantoplastos,
CRITÉRIO DIVISÕES PRINCIPAIS GRUPOS que contém xantofila (pigmento amarelo), os
Sem tecidos eritroplastos, que contém pigmento vermelho, e
Talófitas Algas superiores
diferenciados assim por diante.
Com tecidos Briófitas, pteridófitas,
organizados Cormófitas gimnospermas, O vacúolo é uma organela com dimensões
angiospermas
maiores que na célula animal e ocupa grande
Sem tecidos parte do hialoplasma da célula.
condutores de Avasculares Algas, briófitas
seiva
Com tecidos Pteridófitas, Podemos diferenciar a célula vegetal da célula
Vasculares ou animal também pela ausência dos centríolos nos
condutores de Traqueófitas
gimnospermas e
seiva angiospermas vegetais superiores.
Sem flores, frutos Criptógamas Algas, briófitas,
ou sementes pteridófitas
Com ou sem Gimnospermas,
frutos, mas com Fanerógamas angiospermas
flores e sementes

www.biologiatotal.com.br 3
Quando uma célula vegetal está em meio
hipotônico, absorve água. Ao contrário da célula
animal, ela não se rompe, pois é revestida pela
parede celular ou membrana celulósica, que
é totalmente permeável, mas tem elasticidade
limitada, restringindo o aumento do volume
da célula. Assim, a entrada de água na célula
depende da diferença de pressão osmótica
entre o meio extra e intracelular e, também,
da pressão contrária exercida pela parede
A Organização Eucariótica da Célula Vegetal celular. Essa pressão é conhecida por pressão
de turgescência, ou resistência da membrana
PRINCIPAIS DIFERENÇAS ENTRE CÉLULAS
celulósica à entrada de água na célula.
VEGETAIS E ANIMAIS

CÉLULA CÉLULA
VEGETAL ANIMAL
Centríolos Ausentes Presentes
Peroxissomos Presentes Presentes
Complexo Vesículas Vesículas Célula vegetal ganhando água e tornando-se túrgida

de Golgi isoladas empilhadas


Quando a célula está em meio hipertônico, perde
Cloroplasto Presentes Ausentes
água e seu citoplasma se retrai, deslocando a
Vacúolos Maiores Menores membrana plasmática da parede celular. Como
Plasmodesmos Presentes Ausentes não há deformação da parede celular, ela não
Parede celular Presente Ausente exerce pressão de turgescência. Diz-se então
BOTÂNICA

Reserva Amido Glicogênio que a célula está plasmolisada.

Nos tecidos vegetais, as comunicações entre


as células são feitas por meio de estruturas
denominadas plasmodesmos. Eles permitem
trocas de materiais entre células vizinhas por
meio de pontes citoplasmáticas.
Célula vegetal plasmolisada

OSMOSE NA CÉLULA VEGETAL Se a célula plasmolisada for colocada em meio


hipotônico, absorve água e retorna à situação
Quando está em meio isotônico, a parede celular inicial. O fenômeno inverso à plasmólise chama-
não oferece resistência à entrada de água, pois se deplasmólise.
não está sendo distendida (PT = zero). Mas como
as concentrações de partículas dentro e fora
da célula são iguais, a diferença de pressão de
difusão é nula. A célula, portanto, está flácida, BRIÓFITAS
ou seja, a força de entrada de água é igual à
força de saída de água da célula. Do grego bryon = musgo e phyta = planta.
São vegetais autótrofos, pluricelulares, sem
flores (criptógamos) e de pequeno porte,
devido à ausência de tecidos de condução
(avasculares), chegando no máximo a 20 cm de
altura. O transporte de água e nutrientes ocorre
Célula vegetal flácida por difusão e por osmose de célula para célula.

4
espécies conhecidas e a classe Musci, com
aproximadamente 15 mil espécies, sendo as
principais representantes das briófitas.

IMPORTÂNCIA

Embora simples, esses vegetais possuem uma


Musgo (Briófita) importância ecológica e auxiliam a manter a
integridade de uma encosta, pelo entrelaçamento
Foram os primeiros vegetais a conquistarem dos rizoides. Algumas apresentam a capacidade
o ambiente terrestre, porém ainda dependem de formarem turfas, formando extensas turfeiras.
da água para a reprodução. São encontradas As turfeiras produzem ácidos e substâncias
geralmente em ambientes quentes e úmidos, antissépticas que matam fungos e bactérias.
especialmente em áreas tropicais e subtropicais. A acidez também ajuda a preservar animais
Assim, como os liquens, as briófitas são muito mortos e curiosamente esse efeito preservativo
sensíveis à poluição. certamente foi responsável pela conservação de
cadáveres em alguns locais da Europa do Norte,
Existem evidências que esses vegetais
de cerca de 2 mil a 3 mil anos de idade.
tenham surgido das clorófitas (algas verdes).
Aproximadamente foram catalogadas 24 mil A turfa é cortada e secada ao ar, para também
espécies de briófitas, sendo a maioria de água ser usada como combustível ou obtenção de gás
doce, algumas vivem sobre rochas batidas pelas combustível e coque, um resíduo proveniente
ondas, porém não existem espécies marinhas e do aquecimento da turfa em câmara fechada
outras vivem em margens de cursos d’água e utilizado como combustível para calefação

BOTÂNICA
sobre o solo de florestas. doméstica.
Não apresentam raízes, caules e folhas típicas, Apresentam uma grande capacidade de absorver
porém possuem estruturas semelhantes, água, portanto as briófitas que formam turfas
denominadas rizoides, cauloides e filoides. são misturadas ao solo, na jardinagem, para
aumentar a absorção de água para as plantas.

CICLO BIOLÓGICO

Caracterizam-se por apresentar uma alternância


de gerações bem definida. Os gametófitos (n)
verdes e duradouros e os esporófitos (2n),
formados pela união dos gametas e transitórios.

Existem órgãos especializados na produção


dos gametas, são chamados gametângios e
estão localizados no ápice dos gametófitos.
Estrutura de um musgo
O gametângio masculino é o anterídeo, que
produz os anterozoides e o gametângio feminino
O grupo compreende 3 classes distintas: é o arquegônio, produzindo apenas um gameta
Hepaticae, com aproximadamente 9 mil feminino, a oosfera.
espécies; Anthocerotae, com apenas 100

www.biologiatotal.com.br 5
O gametófito é a fase duradoura, adulta. Os interior do gametófito para formar um esporófito
gametas são de sexos separados. Para que (2n). Quando o esporófito se tornar maduro se
ocorra a fecundação é necessária a presença desprende do gametófito e liberta os esporos
de água, onde então, os anterozoides entram haploides (resultados de meiose), para dar início
no arquegônio e apenas um atinge a oosfera. a um novo indivíduo.
Forma-se o zigoto (2n). Este germinará no
Pingo
2 de chuva

Gameta
masculino 3

“Gema” Anterídio
Gametófito
masculino
(n)
Protonemas
(n)
“Gema”

Oosfera

Esporos Gametóforo
Gametófito Arquegônio
Dispersão feminino
dos esporos (n)
7
Rizoide
Peristômio
BOTÂNICA

Esporângio 5 FERTILIZAÇÃO
MEIOSE (Dentro do arquegônio)
Seta
Cápsula Zigoto
(esporângio) (2n)

Pé Embrião

Arquegônio

4
2 mm

Esporófito
jovem
(2n) 6
Gametófitos
femininos Ciclo reprodutivo do Musgo

PTERIDÓFITAS
São as espécies conhecidas como xaxins,
samambaias, cavalinhas, avencas, entre outras.
Juntamente com as briófitas, compreendem
o grupo das Criptógamas, vegetais que não
possuem flores. Geralmente terrestres e estão
distribuídas por todas as zonas climáticas, porém
preferem ambientes úmidos.
Pteridófita – Samambaia

6
Acredita-se que as pteridófitas tenham surgido O resultado desta decomposição é a formação
paralelamente às briófitas, de um ancestral de carvão, petróleo ou gás natural.
comum. Já possuem raízes, caules e folhas. Um
tipo de caule bastante comum nesses vegetais CICLO BIOLÓGICO
é um caule subterrâneo chamado rizoma, suas
folhas são muitas vezes longas apresentando Assim como as briófitas, as pteridófitas também
divisões (folíolos) e as raízes são adventícias e apresentam uma alternância de gerações
fasciculares. (metagênese). Porém, a fase predominante é a
esporofítica (2n), sendo a geração gametofítica
Nas folhas das pteridófitas encontram-se os (n, denominado prótalo) temporária.
esporângios (células que por meiose origina
esporos), esses esporângios em conjunto são No esporófito adulto, células diploides originam
chamados soros, que se tornam negros na por meiose os esporos (n). Caindo em local
época de reprodução. apropriado e úmido estes esporos germinam
produzindo o gametófito (prótalo), uma estrutura
fina, com uma forma semelhante a um coração.
Tanto os anterídeos como os arquegônios se
desenvolvem na superfície inferior do prótalo.
Nesta região, os anterozoides nadam (portanto
há necessidade de água) em direção a oosfera.
Desenvolve-se um jovem esporófito e ao mesmo
tempo ocorre a degeneração do prótalo. O
esporófito cresce e surge a planta adulta,
fechando o ciclo.

As espécies monoicas, desenvolvem um só tipo de

BOTÂNICA
Estrutura de uma Pteridófita

IMPORTÂNCIA prótalo hermafrodita, sendo o ciclo reprodutivo


isosporado. Mas as espécies dioicas produzem
O caule de algumas samambaias é utilizado prótalos de sexos diferentes, um feminino
para a fabricação de vasos para plantas, porém (megaprótalo) e um masculino (microprótalo),
uma grande importância do grupo é a formação sendo daí o ciclo reprodutivo heterosporado.
de combustíveis fósseis, que resultam da
decomposição parcial de vegetais.
Germinação Prótalo cordiforme
Esporos (n) do esporo (gametófito hermafrodita)
(n)

MEIOSE NO Anterídio
ESPORÂNGIO

Anterozoides
R! (n)
Folíolo
com soros
Oosfera (n)
Esporófito Arquegônio
Esporângio Esporófito jovem (2n)
maduro(2n) Zigoto (2n)
FECUNDAÇÃO
Soro com
esporângios

Prótalo
(gametófito)
(n)

Báculo Ciclo reprodutivo da Samambaia

www.biologiatotal.com.br 7
LEITURA COMPLEMENTAR
NOVO FÓSSIL REVELA PLANTA COM FLOR MAIS ANTIGA DO PLANETA!
Desafiando as hipóteses sobre a evolução das Assim como é difícil dizer onde e quem teria sido
plantas, um pesquisador da Universidade de o primeiro da espécie dos humanos (Homo
Indiana (Estados Unidos), observou em amostras sapiens), também é difícil de determinar qual
de fósseis de plantas aquáticas o que seria a seria a primeira planta com flor que existiu no
planta com flores mais antiga já conhecida. mundo. Mais ainda saber se foi uma planta
David Dilcher analisou mais de 1.000 fósseis com aquática ou alguma que já havia chegado ao
fragmentos de plantas encontrados na cadeia ambiente terrestre. Isto porque os fósseis de
de montanhas dos Pirineus, onde fica a Espanha plantas são mais comuns de serem formados
atualmente. em ambientes aquáticos.
A descoberta das flores foi feita utilizando diversos
métodos combinados, desde estudos químicos
em que, gota por gota, se revelava ainda mais
as estruturas até a utilização de microscópios
eletrônicos com aumentos poderosos. A nova
descoberta recebeu o nome de Montsechia vidali
e apesar de suas flores não terem pétalas, são
consideradas angiospermas por terem a semente
recoberta pelo ovário (fruto).
BOTÂNICA

O achado é o segundo que revela que


possivelmente as flores surgiram há mais
tempo do que se imaginava, algo perto de 30
milhões de anos. Uma coisa interessante é que
esta planta poderia revelar que as plantas com
flores surgiram dentro d’água, o que contradiz
a hipótese mais antiga de que as flores teriam
surgido como uma adaptação para o estilo de
vida terrestre. Fonte: Science Magazine

ANOTAÇÕES

8
EXERCÍCIOS
CAIU NA FUVEST - 2017

Assinale a alternativa que ordena corretamente três novidades evolutivas, de acordo com o seu surgimento no
processo de evolução das plantas terrestres.
a Sistema vascular, semente, flor.
b Sistema vascular, flor, semente.
c Semente, sistema vascular, flor.
d Semente, flor, sistema vascular.
e Flor, sistema vascular, semente.

3 (UNICAMP 2014) Cladogramas são diagramas que


indicam uma história comum entre espécies ou grupos
de seres vivos. Os números 3 e 4 no cladograma
apresentado abaixo correspondem, respectivamente,
aos seguintes grupos vegetais:

1 (IFSUL 2015) Os seres vivos pertencentes ao Reino


Plantae são designados de vegetais. Desse Reino,
fazem parte diferentes grupos de plantas com
características morfofuncionais específicas. Uma

EXERCÍCIOS
dessas características é a de apresentar, pela primeira
vez, vasos para condução de nutrientes.
Na evolução das plantas, os primeiros vegetais a
apresentar a característica citada acima foram as angiospermas e gimnospermas.
a
a briófitas. pteridófitas e gimnospermas.
b
b pteridófitas. c pteridófitas e briófitas.
c angiospermas. d gimnospermas e angiospermas.
d gimnospermas.

4 (UFJF 2017) Quanto ao ciclo reprodutivo das plantas


2 (UERJ 2014) Desde o início da colonização do é CORRETO afirmar que:
ambiente terrestre, houve grande diversificação das a nas Briófitas e Pteridófitas, a geração com indivíduos
maiores, de vida independente e duradoura, é o
plantas, graças ao surgimento de características esporófito.
vantajosas à adaptação, que permitiram a b o gametófito será sempre diploide e produtor de
sobrevivência e a reprodução em terra firme. gametas.
c nas Gimnospermas, o gametófito produz as sementes
As estruturas correspondentes a adaptações nuas.
evolutivas exclusivas das plantas, que contribuíram d nas Angiospermas, o esporófito é diploide e
independente.
para seu desenvolvimento e diversificação no habitat nas Briófitas, o esporófito tem a necessidade de água
e
terrestre, estão indicadas em: para que ocorra a fecundação dos esporos.
a fruto, semente e mitocôndria
b vaso condutor, cutícula e estômato
c membrana celular, cloroplasto e raiz 5 (UPE 2017) Todos os vegetais descendem de algas
d meristema apical, parede celular e flor verdes primitivas, porém a complexidade veio com o
tempo. Assim, vamos descrever a figura a seguir:

www.biologiatotal.com.br 9
7 (UNISINOS 2016) No ano passado, foi publicado
o Decreto Estadual 51.109-14, que declara a flora
nativa ameaçada de extinção no estado do Rio
Grande do Sul. De acordo com o Decreto, 804
espécies foram enquadradas como ameaçadas de
extinção, sendo 722 espécies de angiospermas, três
de gimnospermas, 64 de pteridófitas e 15 de briófitas.
Sobre as características dos diferentes grupos
vegetais, assinale V nas afirmações verdadeiras e F
nas falsas.
( ) As angiospermas são plantas que possuem flores
e se dispersam por sementes.
( ) As gimnospermas são plantas que produzem
frutos, como o pinhão da araucária.
( ) As pteridófitas são um grupo de plantas vasculares
sem sementes.
( ) As briófitas são plantas vasculares que se
dispersam por esporos.
A ordem correta, de cima para baixo, é:
É CORRETO afirmar que as plantas vasculares a V–V–V–F
evoluíram para plantas vasculares com sementes na b F–V–V–F
passagem marcada pelo número c V–F–F–V
a 5 d V–F–V–F
b 4
e V–F–V–V
c 3
d 2
e 1 8 (FEEVALE 2012) As samambaias são plantas
comumente encontradas no sub-bosque florestal
EXERCÍCIOS

e crescem preferencialmente em locais úmidos e


sombrios. Sobre as características das samambaias,
6 (UEMG 2016) A classificação dos seres vivos se são feitas algumas afirmações.
baseia em uma série de características anatômicas,
I. São plantas vasculares sem sementes.
morfológicas, fisiológicas, bioquímicas, evolutivas,
etc. Analise esse cladograma que mostra as principais II. Apresentam alternância de gerações durante o seu
aquisições evolutivas na classificação das plantas ciclo de vida.
III. A fase esporofítica é diploide e mais longa em
relação à fase gametofítica, que é haploide.
Assinale a alternativa correta.
a Apenas a afirmação I está correta.
b Apenas a afirmação II está correta.
c Apenas a afirmação III está correta.
d Apenas as afirmações I e II estão corretas.
e Todas as afirmações estão corretas.

9 (UECE 2017) As briófitas, os vegetais mais antigos do


mundo, são plantas pequenas e delicadas que vivem,
geralmente, em ambientes úmidos e sombreados.
O critério presença de sementes estaria indicado Em relação à reprodução das briófitas, escreva V ou
corretamente pelo número: F conforme seja verdadeiro ou falso o que se afirma
nos itens abaixo.
a 1.
b 2. ( ) O arquegônio é a estrutura reprodutora feminina
c 3. em forma de frasco, com uma base alargada da qual
d 4. parte um longo tubo, que produz a oosfera.
( ) O anterídio, estrutura reprodutora masculina,

10
é o local onde os anterozoides, cada um com dois essa estrutura ocorre apenas nas gimnospermas.
flagelos, são produzidos. d A fecundação intermediada pelo transporte do
gameta masculino através de um tubo polínico
( ) As briófitas se reproduzem sexuadamente reduz a dependência de água nas plantas, durante
por fragmentação, processo em que partes de um a reprodução, e é um fenômeno presente nas
angiospermas.
indivíduo ou colônia geram novos gametófitos.
e A redução da geração esporofítica (esporófito) e o
( ) O anterídio cresce durante o desenvolvimento do aumento da geração gametofítica (gametófito) nas
angiospermas permitiram seu sucesso reprodutivo no
embrião e o jovem esporófito emergente continua em ambiente terrestre.
sua base recebendo alimento.
Está correta, de cima para baixo, a seguinte sequência:
a V, F, V, F. 12 (UEL 2015) As samambaias pertencem ao grupo
b F, V, F, V. das pteridófitas, as quais possuem características
c F, F, V, V. adaptativas que permitiram a conquista do ambiente
d V, V, F, F. terrestre com mais eficiência que o grupo das
briófitas.
Sobre as adaptações morfológicas e reprodutivas
10 (MACKENZIE 2016) Briófitas e Pteridófitas são que possibilitaram o sucesso das pteridófitas no
denominadas plantas criptogâmicas, o que significa ambiente terrestre, considere as afirmativas a seguir.
que são plantas que não têm flores.
I. A predominância da fase esporofítica.
A respeito desses dois grupos de vegetais, são feitas
II. O aparecimento dos tecidos xilema e floema.
as seguintes afirmações.
III. O desenvolvimento de rizoides para fixação.
I. Nas Pteridófitas, a meiose é espórica, enquanto que
nas Briófitas ela é gamética. IV. O surgimento dos esporos para reprodução.
II. Nas Briófitas, o gametófito é mais desenvolvido do Assinale a alternativa correta.
que o esporófito e nas Pteridófitas é o inverso. a Somente as afirmativas I e II são corretas.
III. Nas Pteridófitas, há tecidos condutores b Somente as afirmativas I e IV são corretas.
c Somente as afirmativas III e IV são corretas.
especializados, enquanto que nas Briófitas eles não
d Somente as afirmativas I, II e III são corretas.

EXERCÍCIOS
existem.
e Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.
IV. Nas Pteridófitas, o esporófito é sempre diploide,
enquanto que nas Briófitas ele é sempre haploide.
Estão corretas, apenas,
13 (ACAFE 2016) O Reino Plantae, Metaphyta ou
a I e II. Vegetal é um dos maiores grupos de seres vivos na
b I e III. Terra. Abriga os vegetais eucariontes, multicelulares
c II e III. e autotróficos fotossintetizantes, que apresentam
d I e IV. alternância de gerações em seus ciclos de vida.
e II e IV. No cladograma a seguir, está representado o grau de
parentesco entre diferentes grupos de vegetais.

11 (UFSM 2015) O Reino Vegetal ou Plantae é formado


por organismos em geral fotossintetizantes que,
possivelmente, originaram-se no ambiente aquático. A
perfeita adaptação das plantas ao ambiente terrestre
só foi possível graças ao surgimento de diversas
novidades evolutivas. Sobre esse assunto, assinale a
alternativa que contém apenas informações corretas.
a Os estômatos são aberturas reguláveis que auxiliam
no controle da perda d’água na forma de vapor, estando
presentes apenas nas angiospermas.
b Apenas hepáticas e antóceros possuem um sistema Acerca das informações contidas no cladograma
vascular verdadeiro, formado de xilema e floema; esse e dos conhecimentos relacionados ao tema,
sistema permite a condução de água, sais minerais e
produtos da fotossíntese a maiores distâncias dentro assinale a alternativa correta.
da planta. a O numero II indica o aparecimento da semente,
c A cutícula é uma camada cerosa que auxilia as plantas, estrutura que se origina do ovário da flor, o qual se
reduzindo as perdas d’água por evapotranspiração e desenvolve depois da fecundação. As gimnospermas
protegendo-as da ação danosa dos raios U.V. do sol, e produzem sementes, que se originam nos estróbilos

www.biologiatotal.com.br 11
femininos, mas não produzem frutos. o caule e as folhas. Essas plantas são chamadas
b As angiospermas são plantas que possuem raiz, caule, traqueófitas, pois seu tecido condutor é representado
folha, flor e sementes protegidas por fruto, estrutura pelas traqueias ou vasos liberianos, também chamados
indicada pelo numero III. Esse grupo de plantas pode de floema, que transportam água e sais absorvidos
ser dividido em monocotiledôneas e em dicotiledôneas. pelas raízes, e os vasos lenhosos, também chamados
Em relação à estrutura floral, as monocotiledôneas de xilema, que transportam a solução orgânica com os
possuem flores trimeras e as dicotiledôneas, flores produtos da fotossíntese.
tetrâmeras ou pentâmeras.
c Em I, o Reino Plantae está dividido em dois grandes
grupos, as atraqueófitas e as traqueófitas. Plantas
traqueófitas possuem xilema e o floema, vasos 15 (UEPG 2008) O reino Plantae é representado por mais
condutores, respectivamente, de seiva elaborada e de de 300 mil espécies de vegetais. Entre eles estão as
seiva bruta. pteridófitas, importantes representantes do processo
d O grupo das Pteridófitas, conforme indicado em II, evolutivo vegetal. A respeito dessas plantas, assinale
compreende plantas que possuem raiz, caule, folhas e
sementes localizadas na parte inferior de suas folhas. o que for correto.
01 As pteridófitas deram um grande passo na conquista
do meio terrestre, pois foram os primeiros vegetais
vasculares, capazes, portanto, de transportar facilmente
14 (UEPG 2011) A respeito das samambaias, o mais a água das raízes para seus órgãos aéreos, o caule e as
importante grupo das pteridófitas, assinale o que for folhas.
correto. 02 As pteridófitas são chamadas traqueófitas, porque
seu tecido condutor é representado pelas traqueias
01 Dentro de uma escala evolutiva foram as primeiras ou vasos lenhosos (xilema), que transportam água e
plantas a apresentarem verdadeiras raízes, caules e sais absorvidos pelas raízes e pelos vasos liberianos
folhas. (floema), os quais, por sua vez, transportam uma
02 Essas espécies, denominadas Cicadáceas, geralmente solução orgânica com os produtos da fotossíntese.
possuem folhas grandes e são plantas vasculares, sem 04 Uma importante especialização dos vasos lenhosos
sementes. das pteridófitas é a impregnação de suas paredes por
04 As folhas das samambaias, em geral, têm função dupla: uma substância de grande resistência, a lignina, que
fotossíntese e reprodução, pois na parte inferior dos proporciona a sustentação mecânica do caule e das
folíolos distribuem-se grupos de esporângios, os soros, nervuras das folhas.
que, em algumas espécies, ficam protegidos por uma 08 As folhas das pteridófitas em geral têm função dupla:
fina lâmina de cobertura, o indúzio. fotossíntese e reprodução. Na parte inferior dos
08 Nas samambaias, todo organismo, ou corpo vegetativo, folíolos estão os esporófitos, responsáveis pela sua
com raízes, caules e grandes folhas, correspondem ao disseminação.
prótalo, a fase mais desenvolvida do ciclo de vida 16 O mais importante grupo de pteridófitas é o das
EXERCÍCIOS

dessas plantas. filicíneas, conhecidas popularmente como samambaias.


16 As pteridófitas deram um grande passo evolutivo na
conquista do meio terrestre, pois são os primeiros
vegetais vasculares, sendo capazes de transportar
facilmente a água das raízes para seus órgãos aéreos,

ANOTAÇÕES

12
GABARITO DJOW

CAIU NA FUVEST - 2017


[A]
Durante a evolução das plantas terrestres surgiram, primeiramente, o sistema vascular em pteridófitas, posteriormente, a
semente em gimnospermas, e flor nas angiospermas.

INTRODUÇÃO À BOTÂNICA

1 - [B] 9 - [D]
As pteridófitas foram as primeiras plantas terrestres a As briófitas se reproduzem sexuadamente por oogamia,
desenvolver tecidos condutores de seivas (xilema e floema). isto é, pela fusão da oosfera com o anterozoide biflagelado.
O desenvolvimento do embrião resulta no crescimento do
esporófito que emerge no ápice do gametófito feminino.
2- [B]
O desenvolvimento de vasos condutores para o transporte rápido 10 - [C]
das seivas, a formação da cutícula impermeável que protege
as folhas da desidratação e a presença dos estômatos para a [I] Incorreta: Em todos os grupos vegetais a meiose é espórica.
realização das trocas gasosas, são adaptações vantajosas para
a conquista e a diversificação das plantas no ambiente terrestre. [IV] Incorreta: Em todos os grupos vegetais o esporófito é
diploide, enquanto o gametófito é haploide.

3 - [D] 11 - [D]
As plantas gimnospermas (3) formam sementes, mas não
produzem flores e frutos. Essas estruturas estão presentes em O desenvolvimento do tubo polínico transportando o gameta
angiospermas (4). masculino até o gameta feminino, tornou as angiospermas
independentes da água para realizar a reprodução sexuada.

BOTÂNICA
4 - [D] 12 - [A]
O esporófito de Angiospermas é diploide (2n) e independente,
feminino e masculino. São adaptações que possibilitaram o sucesso das pteridófitas
no meio terrestre: a predominância da fase esporofítica sobre a
gametofítica e o desenvolvimento dos tecidos condutores xilema
e floema.
5 - [B]
As plantas vasculares com a capacidade de produzirem sementes
surgiram em 4, grupo que deu origem às gimnospermas. 13 - [B]
As angiospermas formam raiz, caule, folhas, flores, frutos
e sementes. São subdivididos em monocotiledôneas que
6 - [C] produzem flores trímeras e dicotiledôneas, grupo que produz
A independência da água para a fecundação e, consequentemente, flores tetrâmeras e pentâmeras.
o aparecimento de sementes, ocorreu há cerca de 300 milhões de
anos atrás, no grupo vegetal que deu origem às gimnospermas e
angiospermas, ou seja, em 3.
14 - 01 + 04 = 05.
7 - [D] As cicadáceas são uma variedade de gimnospermas. Em
samambaias, a geração verde e duradoura dotada de raiz, caule
As gimnospermas são plantas vasculares que produzem (vizoma) e folhas corresponde à geração esporofítica. O prótalo
sementes, mas não formam frutos. As briófitas são vegetais representa a geração gametofítica e é um vegetal reduzido e
vasculares, porque não formam tecidos condutores durante o temporário. O transporte da seiva mineral (bruta) é realizado
seu desenvolvimento. pelos vasos lenhosos do xilema, enquanto o tráfego da seiva
orgânica (elaborada) se dá pelos vasos crivados do líber (floema).

8 - [E]
Todas as afirmativas estão corretas e correlacionadas ao 15 - 1 + 2 + 4 + 16 = 23
enunciado.

www.biologiatotal.com.br 13
FISIOLOGIA VEGETAL
A fisiologia vegetal estuda os mecanismos que paredes denominado estria de Caspary. A água
se processam no organismo de uma planta, deverá então penetrar nessas células, de forma
para que ela mantenha o seu metabolismo intracelular, para atingir o cilindro central, porém
funcionando de maneira satisfatória ao seu se a planta não necessitar dessa água, esta será
crescimento, desenvolvimento e processos devolvida ao solo. Após atingir o cilindro central,
reprodutivos. a água será transportada para todas as partes
do vegetal.

ABSORÇÃO

Para as plantas terrestres, o solo é o reservatório


natural de água. De sua disponibilidade
dependerá, em grande parte, a sobrevivência do
vegetal.

A água está presente no solo sob diferentes


formas. Uma pequena fração está quimicamente
ligada às partículas do solo, formando uma
Absorção intracelular e Intercelular
película líquida que é a ÁGUA HIGROSCÓPICA,
inclusive não utilizada pela planta. Constituindo TRANSPIRAÇÃO
a fração líquida do solo ou a solução do solo

BOTÂNICA
está a ÁGUA CAPILAR, de extrema importância Transpiração é a eliminação de água sob a
por representar a fonte hídrica direta para a forma de vapor. A planta transpira através da
planta, retida nos espaços pequenos. cutícula e lenticelas da casca (10%) e através
dos estômatos (90%).
A água no solo flui por difusão ou por fluxo de
massa (um tipo de movimento da água guiado 1) TRANSPIRAÇÃO ESTOMATAR: é um
pela pressão) em direção ao sistema radicular da processo fisiológico que depende da abertura
planta, onde será absorvida. e fechamento dos estômatos. Quando a planta
está bem suprida de água ela passa dos vasos
A raiz é o órgão da planta responsável pela condutores do xilema para o parênquima foliar.
fixação e também pela absorção de água e de Daí a água é conduzida para as células guarda
sais minerais do solo. Ela representa, portanto, o dos estômatos que ficam túrgidas ocasionando
acesso da água ao interior do vegetal. É comum a abertura dos ostíolos. Os ostíolos abertos
a presença de pelos absorventes na raiz, o que favorecem a perda de
aumenta sua capacidade de absorção de água. água na forma de vapor.
Se essa perda for muito
Uma vez no interior da raiz, a água circula pelo
grande e a reposição
parênquima cortical entre as células ou pelos
for deficitária, as
espaços intercelulares, ou ainda penetrando nas
células guardas ficam
células, intracelulares. Na parte mais interna
flácidas, pois perdem
do parênquima cortical está a endoderma,
água para as vizinhas
uma camada de células com um espessamento
e o estômato se fecha.
composto de lipídios, característico nas suas Abertura e fechamento dos estômatos

www.biologiatotal.com.br 81
2) TRANSPIRAÇÃO CUTICULAR: é um que as de folhas estreitas. Plantas de regiões
processo puramente físico e não é controlada secas, como o deserto, reduzem sua área de
pelo vegetal. transpiração formando espinhos.

Mais recentemente tem-se admitido a Espessura da cutícula: quanto mais espessa


participação dos íons potássio nos movimentos for a cutícula da folha, menor será a taxa de
dos estômatos. A ação da luz provoca a entrada transpiração.
desses íons por transporte ativo até às células Pelos: se estiverem vivos, contribuem para
guardas, as quais recebem água por osmose, o aumento da transpiração. Se estiverem
tornando-se túrgidas, provocando a abertura mortos retardam o processo já que mantêm
dessas células. Já no escuro, o potássio sai das uma camada de vapor de água mais difícil de
células, as quais ficam menos concentradas, ser retirada pelo vento.
perdendo água para as células vizinhas,
Abertura dos estômatos: quanto mais
ocasionando o fechamento dos estômatos.
abertos estiverem os estômatos mais será a
transpiração.
FATORES QUE INFLUENCIAM A
TRANSPIRAÇÃO
GUTAÇÃO OU SUDAÇÃO

FATORES AMBIENTAIS OU EXTERNOS: Sudação ou gutação significa a perda de água


sob a forma líquida. Essa perda ocorre através
Temperatura: a transpiração é mais dos hidatódios e a observação das gotículas
acelerada com o aumento da temperatura, que se formam nos bordos das folhas mostra
até certo limite, quando então os estômatos que não se trata de água pura, mas de uma
BOTÂNICA

se fecham ou ocorre a morte da planta. solução diluída de sais. Algumas experiências


Solo: sua ação é indireta; depende do teor demonstraram que a sudação:
de água nele contido. Quanto mais úmido,
Torna-se muito lenta ou cessa totalmente
maior a transpiração.
quando as raízes são mergulhadas em água
Umidade do ar e ventilação: a transpiração destilada com ou sem aeração.
varia inversamente em relação à umidade
Torna-se lenta se as raízes encontram-se em
do ar. Porém, mesmo com umidade relativa
solução aquosa de sais, sem aeração.
de 100%, a transpiração não é zero, pois o
sol aquece a superfície foliar, diminuindo a Fica mais ativa se a solução em que se
umidade relativa nessa região. A ventilação mergulha as raízes contém sais e é aerada.
moderada pode acelerar a transpiração Neste caso, o processo pode se prolongar se
porque retira a camada de vapor da superfície existe grande quantidade de vapor de água
foliar facilitando a saída de maior quantidade na atmosfera.
de vapor de água. Essas experiências servem para mostrar que
Luz: provoca a abertura dos estômatos, a sudação está diretamente relacionada à
resultando em um aumento da transpiração. absorção de sais minerais e o aumento deles
nos vasos do xilema. A concentração elevada
de sais no xilema, traz como consequência
FATORES INTERNOS:
o aumento da entrada de água por osmose,
Área de evaporação: plantas de folhas criando uma pressão de raiz. Se a transpiração
largas têm um teor maior de transpiração do está prejudicada pelo alto teor de umidade

82
do ar, o excesso de água que entra na raiz é fluxo de água dos vasos lenhosos para tais
eliminado pelos hidatódios na forma líquida, o células foliares. Esses vasos agora retiram
que constitui a gutação. água das raízes, pois a concentração radicular
é maior que a do solo, formando-se assim uma
coluna contínua de água desde as raízes até as
CONDUÇÃO DE SEIVAS folhas. Essa coluna circula sob tensão e entre as
moléculas de água ocorre o fenômeno da coesão
1.CONDUÇÃO DE SEIVA BRUTA (Teoria de o que impede o rompimento da coluna líquida.
Dixon ou da coesão-tensão): foi proposta no
final do século XIX pelo fisiologista A. Dixon e A transpiração e a fotossíntese removem
atualmente é a mais aceita. Quando as células constantemente água da planta. Essa extração
das folhas perdem água por transpiração, sua gera uma tensão entre as moléculas de água.
pressão osmótica aumenta. Isso provoca um

BOTÂNICA
Teoria da coesão-tensão

Intensa Transpiração: Adesão das Moléculas


absorção de H2O na raiz devido
Coluna de H2O → de H2O à parede: →
a perda na transpiração
tensionada Evita rompimento da coluna

PORÉM, LEMBRE-SE:

Quando a umidade do ar está muito alta e a folha pressão da raiz. Essa teoria, porém, não é válida
está saturada de água, significa que a planta para plantas de grande porte, pois essa pressão
está perdendo pouca água por transpiração exercida pela raiz, não conseguiria impulsionar
e absorvendo muita água pelas raízes. Nesses a água até a copa.
casos, a planta irá eliminar o excesso de água
mais sais minerais pelos hidatódios, através da

www.biologiatotal.com.br 83
2. CONDUÇÃO DA SEIVA ELABORADA (Teoria
de Münch ou Deslocamento por Pressão): a
teoria mais aceita para explicar esse fenômeno
é a teoria proposta por Münch. Segundo ele, nas
folhas a concentração de glicose é alta, pois aí é
que se realiza a fotossíntese. Já na raiz, a maior
parte da glicose já chega polimerizada para ser
convertida em amido (o amido é insolúvel em Solução
Solução
Diluída
água) e, portanto a concentração de glicose é Concentrada

baixa.

Dessa forma, a glicose se difundiria


continuamente das folhas até as raízes através Recipiente A Recipiente B

dos vasos do floema. Essa proposta pode ser Teoria da coesão-tensão

comprovada pela retirada de um anel de casca do


No início da primavera, ocorre a subida de
tronco de uma árvore, próximo ao solo – o anel
seiva elaborada a partir da degradação do
de Malpighi. Após algum tempo, verifica-se um
amido presente nas raízes. Isso eleva a pressão
intumescimento da região do caule logo acima
osmótica das células do parênquima da raiz e a
do corte e a degeneração progressiva da copa
água do solo flui para essas células, arrastando
da árvore até que a planta morre. Isso ocorre
moléculas de açúcar em direção ao topo da
porque a retirada do anel cortical interrompeu
planta. O açúcar é utilizado na formação de
a chegada da seiva elaborada na raiz que ficou
novas folhas e de flores.
sem nutrientes para seu metabolismo.
BOTÂNICA

LEITURA COMPLEMENTAR
PLANTAS TAMBÉM DORMEM! PESQUISADORES REGISTRAM
A EXATA POSIÇÃO DAS FOLHAS DURANTE O DIA E A NOITE.
O ciclo circadiano controla a vida em todo dentro dos laboratórios, com plantas pequenas
o planeta. Seja você um organismo diurno ou partes de plantas maiores, sendo difícil o
ou noturno, o importante é que, em algum estudo de plantas de grande porte. Pensando
momento, você precisa descansar. Em animais nisso, pesquisadores da Finlândia, da Áustria e
e seres humanos, esse ciclo é bastante evidente, da Hungria uniram esforços em uma tentativa
apesar da grande diversidade de vida na terra. de quantificar o ciclo circadiano e sua relação
Mas, o que sabemos sobre as plantas? Será que com o movimento das folhas em árvores de
as árvores também dormem? grande porte.
O ciclo circadiano de plantas já é bastante A espécie escolhida para o estudo foi o vidoeiro-
conhecido. Alguns anos após a publicação de seu branco (Betula pendula), uma espécie nativa
consagrado livro, A Origem das Espécies, Darwin da Europa. Para analisar o padrão das folhas
publicou também um livro onde apresentou do vidoeiro, os pesquisadores utilizaram um
dados sobre os movimentos das plantas e sua moderno equipamento de escaneamento
relação com o ciclo circadiano (The Power of a laser, cuja principal vantagem é o uso
Movement in Plants, 1880). Com o advento da de luz infravermelha para a realização das
biologia moderna, estudos moleculares têm imagens, possibilitando um distúrbio mínimo
demonstrado até mesmo os genes responsáveis no movimento das folhas, uma vez que estas
pelo ciclo biológico das plantas. interagem com qualquer luz visível que possa
Estes estudos, porém, são realizados geralmente estar sendo emitida no ambiente.

84
Apesar de estes parecerem resultados bastante
óbvios, esta foi a primeira vez que este tipo
de movimento pôde ser registrado em árvores
do tipo. Os processos pelos quais as plantas
controlam o movimento de suas folhas e galhos
são antigos conhecidos da ciência, e a água é
um elemento extremamente importante durante
estes movimentos: mudanças na concentração de
moléculas de água dentro das células resultam
em uma maior ou menor pressão, a qual controla
o movimento das folhas.
Durante o dia, quando as plantas precisam
“crescer” para capturar uma boa quantidade
de luz solar – essencial para o processo de
fotossíntese – as plantas acumulam uma
maior quantidade de metabólitos no interior
de suas células, alterando o fluxo osmótico e,
consequentemente, a quantidade de água no
interior de cada uma das células. Com uma maior
quantidade de água, as células tornam-se mais
Teoria da coesão-tensão
inchadas, e este conjunto de células “cheias de
água” resulta na elevação das folhas.
As medições foram realizadas em duas
Com o passar das horas e a diminuição da luz
localidades diferentes, no sul da Finlândia e no
solar disponível, as plantas alteram novamente
norte da Áustria, para posterior comparação.
o fluxo osmótico, perdendo água do interior
Além disso, ambas as análises foram realizadas
das células. As células, agora “murchas”,
em meados de setembro, próximo ao equinócio
resultam em folhas menos estiradas, ou seja, a
solar, quando a duração dos dias e das noites é
planta “relaxa”, economizando energia até o
muito parecida.

BOTÂNICA
retorno da luz solar.Quantificar estes processos
A análise das imagens, registradas entre o e relacioná-los a árvores de grande porte é
nascer e o pôr do sol, demonstraram resultados importante para que possamos compreender de
muito interessantes. Segundo os pesquisadores, que modo as plantas utilizam a água e demais
as folhas e os galhos das árvores decaem elementos metabólicos, além de tornar possível
gradativamente com o passar das horas, até que a comparação de espécies de diferentes regiões
atinjam seu ponto mais baixo aproximadamente geográficas e meteorológicas. Segundo os
duas horas antes do nascer do sol. Alguns galhos pesquisadores, o próximo passo desta pesquisa
chegam a baixar até 10 centímetros durante a será quantificar novas espécies, a fim de se
noite, retornando à posição mais alta algumas comparar os resultados obtidos com as espécies
horas após o nascer do sol. já analisadas.
Fonte: Frontiers in Plant Science.

ANOTAÇÕES

www.biologiatotal.com.br 85
EXERCÍCIOS
CAIU NA UERJ - 2017
Os estômatos são estruturas encontradas na maioria dos órgãos aéreos dos vegetais. Situados na epiderme,
são formados por duas células-guarda que controlam a abertura de um orifício, o ostíolo. Eles desempenham
papel fundamental na fotossíntese, pois permitem as trocas gasosas no vegetal.
A abertura dos estômatos de duas espécies vegetais, A e B, foi monitorada em duas condições: uma das
espécies foi mantida em ambiente quente e seco; a outra em ambiente quente e úmido. Observe, no gráfico, a
porcentagem máxima de abertura dos estômatos verificada ao longo de um dia:
Identifique a espécie mantida em ambiente quente e úmido. Justifique
sua resposta.
Indique se a concentração de íons potássio no interior das células-
guarda da espécie A será maior ou menor em comparação à da espécie
B, às 12 horas. Justifique sua resposta.
EXERCÍCIOS

1 (UFRGS 2016) Assinale a alternativa que preenche


corretamente as lacunas do enunciado abaixo, na
ordem em que aparecem.
As plantas necessitam de nutrientes minerais,
constituídos de diferentes elementos químicos,
os quais são retirados do solo através das raízes. Mesmo que essa planta viesse a sofrer ação contínua
Macroelementos como o __________ são do vento e sua copa crescesse voltada para baixo,
necessários em maiores quantidades. Já elementos essa seiva continuaria naturalmente seu percurso.
como o __________ são necessários em menores
O que garante o transporte dessa seiva é a:
quantidades.
a gutação.
a nitrogênio – cobre
b gravidade.
b boro – manganês c respiração.
c fósforo – potássio d fotossíntese.
d potássio – nitrogênio
e transpiração.
e cobre – fósforo

3 (FATEC 2015) As sequoias são árvores que ocorrem


2 (ENEM 2016) A figura abaixo ilustra o movimento da na região oeste da América do Norte e que
seiva xilêmica em uma planta. pertencem ao grupo das coníferas, também chamado
de gimnospermas. Elas podem atingir mais de 100

86
metros de altura e para que ocorra fotossíntese em a tecidos condutores.
suas folhas, a água captada pelas raízes precisa b estômatos.
c parede celular.
percorrer toda essa distância e alcançar as suas
d tecidos mecânicos.
copas. Em um edifício de altura equivalente, seria
e cutícula.
necessário o uso de potentes bombas d’água para
realizar o transporte de água até os andares mais
altos. Já no caso das sequoias e de qualquer outra
7 (UFRGS 2017) Em relação às raízes de Angiospermas,
planta de grande porte com vasos condutores de é correto afirmar que:
seiva, o transporte da água até o topo é explicado
a são as responsáveis pela nutrição orgânica das plantas.
pela teoria da coesão-tensão de Dixon. b absorvem macronutrientes como o manganês (Mn)

De acordo com essa teoria, o transporte da água no c têm o câmbio fascicular como o responsável pelo
crescimento em altura.
interior das sequoias é decorrente, principalmente: d apresentam epiderme e mesofilo altamente
a do bombeamento feito por vasos pulsáteis das raízes. diferenciado.
b do aumento da temperatura das folhas e do tronco. E têm pelos absorventes como os principais responsáveis
pela absorção de água e sais minerais.
c da perda de água nas folhas por transpiração.
d da entrada contínua de água pelas raízes.
e da movimentação das folhas pelo vento.

8 (UPE 2017) Para combater determinadas doenças


em plantas, os agricultores recorrem aos herbicidas,
uma vez que determinadas doenças virais só são
4 (UNICAMP 2015) A situação de seca citada na
reportagem é determinada por mudanças no possíveis de serem eliminadas, se o produto penetrar
ciclo hidrológico, em que as plantas têm papel nos tecidos e nas células vegetais. Assim, focam seus
determinante, uma vez que representam uma fonte estudos em substâncias que possam ser transportadas
de vapor d’água para a atmosfera. Os vasos que a longa distância, tanto pela associação com o floema
conduzem a água das raízes até as folhas são os como pelo intercâmbio entre domínios simplásticos.
a floemáticos e a transpiração ocorre pelos estômatos. Quando a planta se encontra sob estresse, e as taxas

EXERCÍCIOS
b floemáticos e a transpiração ocorre pelos tricomas. de transporte via xilema e floema são mais reduzidas,
c xilemáticos e a transpiração ocorre pelos tricomas. os(as) __________ podem ser mais efetivos(as) no
d xilemáticos e a transpiração ocorre pelos estômatos.
transporte das moléculas de herbicidas sistêmicos, a
longa distância.
Assinale a alternativa cujo termo preenche
5 (PUCRS 2014) A dormência é um período do ciclo
da vida no qual o desenvolvimento de um organismo CORRETAMENTE a lacuna.
é temporariamente suspenso. Em geral, ela está a vacúolos
b plasmodesmos
associada às condições ambientais, quando o
c estômatos
organismo necessita contornar situações adversas d lamelas médias
como, por exemplo, a alteração das condições de e tonoplastos
temperatura, umidade e luz. Um exemplo de estrutura
que se apresenta em estado de dormência é:
a o feto.
9 (UFRGS 2012) Assinale a alternativa correta em
b o broto.
relação à condução da seiva bruta em angiospermas.
c o ovário.
a O fluxo da seiva bruta ocorre das folhas para outras
d a plântula. partes da planta através do floema.
e a semente.
b A explicação para a seiva bruta mover-se pela planta é
dada pela hipótese do fluxo por pressão.
c A transpiração aumenta a pressão osmótica e promove
o fluxo da água desde as raízes até as folhas, no
6 (UFSM 2013) Vindas da água, as plantas também interior do xilema.
enfrentaram muitas dificuldades na colonização d A absorção de CO2 na fotossíntese pode aumentar o
fluxo da seiva bruta para as folhas.
do ambiente terrestre. Para reduzir a transpiração
e Ao retirarmos um anel ao redor do caule (anel de
de folhas e caules, a qual poderia ser fatal, elas Malpighi), é possível verificar a morte da planta pela
interrupção do fluxo da seiva bruta.
desenvolveram

www.biologiatotal.com.br 87
10 (CP2 2014) Para que possa realizar fotossíntese, todo água, que sobe.
vegetal precisa de água. Absorvida pelas raízes, ela c As moléculas de água sobem devido à formação de
pontes de hidrogênio entre elas e as paredes dos tubos
percorre o caule através de seus vasos condutores, capilares, à pressão positiva da raiz e à transpiração.
até chegar às folhas mais extremas. d As árvores possuem células móveis, especialistas em
recolher a água no solo e em distribuí-la pelo caule e
O que permite à água vencer esse trajeto é o princípio pelas folhas.
da: e Na verdade, não é a água que sobe pelo caule; apenas
a energia da água é transferida para as folhas por
a tensão superficial, associado à adesão entre as reações químicas.
moléculas da água e à coesão destas com as paredes
dos vasos condutores.
b capilaridade, associado à coesão entre as moléculas
da água e à adesão destas com as paredes dos vasos
condutores.
13 (UFPB 2011) Os estômatos são células modificadas
da epiderme responsáveis pelas trocas gasosas entre
c pressão hidráulica, associado à coesão entre as
moléculas da água e à adesão destas com as paredes a planta e o ambiente. Essas trocas se dão através
dos vasos condutores.
do ostíolo, que tem seus movimentos de abertura ou
d solubilidade, associado à adesão entre as moléculas
da água e à coesão destas com as paredes dos vasos fechamento provocados, entre outros fatores, pela
condutores. concentração de água e de íons K+, no citoplasma
das células-guardas, concentração de CO2 e O2, na
câmara subestomática, e pela intensidade luminosa.
Com relação à influência desses fatores na abertura
ou fechamento dos ostíolos, é correto afirmar que a
a alta intensidade luminosa promove o fechamento.
b alta concentração de CO2, na câmara subestomática,
promove a abertura.
11 (UCS 2014) O estômato é uma estrutura epidérmica c baixa concentração de O2, na câmara subestomática,
promove o fechamento.
que controla a entrada e a saída de gases da planta.
d alta concentração de K+, no citoplasma das células-
Assinale a alternativa que apresenta a relação guardas, promove o fechamento.
EXERCÍCIOS

dos fatores ambientais que afetam a fisiologia do e baixa concentração de água, no citoplasma das células-
guardas, promove a abertura.
funcionamento dos estômatos.
a A maioria das plantas abre os estômatos ao anoitecer,
fechando-os ao amanhecer devido ao fotoperíodo.
b Os estômatos abrem-se quando submetidos a altas 14 (CEFET 2014) Algumas plantas captam o gás
concentrações de gás carbônico, informando que a taxa carbônico durante a noite, convertendo-o em ácido
de fotossíntese chegou ao máximo.
c A indisponibilidade de água para a planta estimula
málico que fica armazenado nos vacúolos de suas
a abertura dos estômatos pelo processo de difusão, células. Pela manhã, os estômatos fecham-se e as
informando que há deficit de suprimento hídrico.
trocas gasosas entre a planta e o ar atmosférico são
d A intensidade de luz, a concentração de CO2 e o
suprimento de água regulam a abertura e o fechamento praticamente interrompidas.
dos estômatos.
e A migração de íons de cálcio para o interior das A vantagem fisiológica dessa captação noturna é
células estomáticas permite o controle da abertura e a aumentar a conversão desse gás em oxigênio.
do fechamento dos estômatos, regulando a pressão
osmótica. b minimizar a perda de CO2 durante a respiração.
c reduzir o risco de desidratação durante o dia.
d intensificar a síntese de carboidratos durante a noite.
e diminuir a degradação das moléculas de clorofila pela
12 (UCS 2012) Todos os seres vivos precisam absorver luz.
água. Para ingeri-la, alguns animais conseguem
abaixar-se ou mover-se de alguma maneira, porém
as árvores absorvem a água extraindo-a do solo pelas 15 (UNICAMP 2016) A concentração de CO2 na
raízes. Mas como elas fazem para vencer a força da atmosfera em uma floresta varia ao longo de um
gravidade e transportar a água até suas partes mais dia e está intimamente associada com a fisiologia
altas? (fotossíntese e respiração) das espécies presentes.
a O floema das árvores cria vácuo interno, o que permite A concentração de CO2 na atmosfera também varia
que a água suba por ele.
em função da disponibilidade de água no ambiente.
b As raízes das árvores contêm pequenos órgãos que
funcionam como estufa, aquecendo e evaporando a Considerando o gráfico a seguir, é correto afirmar que

88
corte, preferencialmente dentro d’água ou com uma
mínima exposição ao ar, até submergi-la novamente
no recipiente. Tal conduta permite que:
a as células estomáticas voltem à turgidez para que
os estômatos possam permanecer abertos e assim
restabelecer o fluxo de água do jarro para as partes
superiores do vegetal.
b o ar presente no floema seja empurrado por capilaridade
e expulso pelo estômato.
c a água presente no xilema entre em contato com a água
a a fotossíntese das plantas é maior no início e no final do jarro, restabelecendo a coesão entre as moléculas e
do período diurno. formando uma nova coluna de água.
b as plantas respiram mais na estação chuvosa. se eliminem fungos e bactérias que colonizaram as
d
c na estação seca, há um pico de respiração às 12 horas. células mortas, restabelecendo o metabolismo celular.
d as plantas fazem mais fotossíntese e respiram menos e se restabeleça a pressão positiva e o transporte de sais
na estação chuvosa. ativos para o interior do xilema.

16 (CFTMG 2017) Analise o gráfico a seguir. 19 (FMP 2016) Há mais de 300 anos, o cientista italiano
Marcello Malpighi realizou um experimento no qual
ele retirou um anel de casca do tronco de uma árvore.
Com o passar do tempo, a casca intumesceu na região
acima do corte.

Considerando uma planta em situação experimental


mantida, constantemente, na intensidade luminosa
A, o resultado esperado é que essa planta:

EXERCÍCIOS
a entre em estado de dormência.
O intumescimento observado foi causado pelo
b consuma seus recursos até morrer.
c consiga desenvolver-se normalmente. acúmulo de:
d inicie o processo de reprodução sexuada. a solutos orgânicos que não puderam ser transportados
pelo floema rompido.
b solutos inorgânicos nos vasos lenhosos acima do anel
removido.
17 (UFJF 2017) A pressão de turgescência mantém a c seiva bruta nos vasos condutores removidos junto com
o anel de casca.
célula vegetal em sua forma, impedindo a plasmoptise.
d produtos da fotossíntese no xilema que foi partido com
Quanto ao processo da osmose em células vegetais, o corte na casca.
assinale a alternativa CORRETA: e substâncias que não puderam ser usadas no processo
fotossintético.
a em meio externo hipertônico a membrana plasmática
impede a plasmólise.
b a turgescência, que tem auxílio do vacúolo, ajuda na
sustentação das folhas.
c em meio externo hipertônico ocorre entrada passiva de 20 (UPE 2015) “Planta no quarto não mata ninguém:
água nas células vegetais. - Se fosse, não haveria um índio vivo na Floresta
d em meio externo hipertônico a célula vegetal murcha, Amazônica”, argumenta o botânico Gilberto Kerbauy,
resultando na plasmólise com ruptura da parede celular.
da Universidade de São Paulo.
e a pressão osmótica e a pressão de turgescência só
atuarão na forma da célula, mas não no conteúdo do (Disponível em: http://super.abril.com.br/cotidiano/planta-quarto-
vacúolo.
nao-mata-ningue,-437671.shtml)

Essa afirmativa baseia-se na seguinte crença:


18 (UPE 2017) Normalmente, quando ganhamos ou
compramos flores, costumamos colocá-las dentro a As plantas consomem o gás carbônico durante o
processo de respiração, diminuindo-o da atmosfera.
de um jarro com água, para que permaneçam
b À noite, as plantas consomem oxigênio no processo de
bonitas por mais tempo. Porém, muitas vezes, elas respiração, deixando-o rarefeito no quarto.
acabam murchando e perdendo suas pétalas. Para c No processo de fotossíntese, as plantas consomem
oxigênio e água, deixando o ar mais seco.
se evitar isso, é aconselhável que se faça um novo

www.biologiatotal.com.br 89
d As plantas produzem gases e toxinas à noite para Cerrado, a partir da germinação da semente, durante
repelir insetos predadores, intoxicando o ambiente.
o período de um ano. Considere que, nesse período,
e No processo de respiração, as plantas consomem gás
carbônico e eliminam oxigênio que, em excesso, pode as condições climáticas e edáficas foram típicas da
causar danos ao sistema nervoso. região e que a taxa de crescimento foi calculada
pelo quociente entre a variação da altura (cm) e do
tempo (meses do ano). A seta indica a ocorrência de
queimada. Os dados apresentados mostram que o
hábito de crescimento das duas espécies é distinto,
pois, na espécie A:
21 (UEPB 2014) A palma forrageira. por sua suculência, a a brotação é inibida pela ocorrência de queimada,
enquanto, na espécie B, esse fator destrói a parte aérea
adaptação e palatabilidade, apresenta-se como a preexistente.
principal fonte de alimento para os rebanhos bovinos, b o crescimento da parte aérea é menos sensível à
caprinos e ovinos nos longos períodos de estiagem, precipitação, enquanto, na espécie B, esse fator não
altera o crescimento.
constituindo-se em uma importante alternativa c o crescimento da parte aérea é nulo durante o período
econômica e social para o semiárido. Sobre essa de dias longos, enquanto, na espécie B, esse fator não
altera o crescimento.
espécie podemos afirmar, EXCETO: a germinação da semente é estimulada pela ocorrência
d
a A palma é uma cactácea forrageira comestível, de queimada, enquanto, na espécie B, esse processo
planta xeromorfa, de origem mexicana, possui caule ocorre devido ao aumento da disponibilidade de água
cilíndrico e seus cladódios, conhecidos como palmas no solo.
(ou raquetes) achatadas, carnosas e em formato oval, e o aumento da massa fresca é inversamente proporcional
são de ciclo de vida perene e largamente difundida no à temperatura média mensal, enquanto, na espécie B,
Nordeste brasileiro. esses fatores são diretamente correlacionados.
b A palma se encontra seriamente ameaçada por um
inseto produtor do ácido carmínico, conhecido como
Cochonilha-do-Canuim, Dactylopius opuntial. O
inseto espalhou-se de modo desordenado, devastando
as plantações da palma forrageira no Semiárido e 23 (UFRGS 2014) Considere as seguintes afirmações
provocando prejuízos na produção pecuária. sobre as relações hídricas e fotossintéticas das
c A suculência da palma é uma característica diretamente plantas.
relacionada com a capacidade de conservar água. A
EXERCÍCIOS

chave para conservação da água na palma está no I. A água absorvida pelas raízes percorre uma única
número elevado de estômatos e no fechamento noturna
dos mesmos, resultando que a maior parte desta água via, através dos espaços intercelulares.
acumulada durante o dia não se perca durante a noite,
quando as temperaturas são mais amenas e a umidade II. A abertura dos estômatos permite a saída do vapor
relativa do ar é mais alta.
de água e a entrada do CO2 atmosférico por difusão.
d A palma pertence a um grupo de plantas que trocam
CO2 com a atmosfera num horário cm que as plantas III. Apenas uma fração da água absorvida é retida na
C3 e C4 estão com os estômatos fechados, grupo este
denominado Metabolismo Ácido das Crassuláceas planta e utilizada em seu metabolismo.
(MAC).
A suculência na palma se manifesta de diversas formas: Quais estão corretas?
e
em nível morfológico, por suas “raquetes” grossas, e a Apenas I.
em nível anatômico, por seus grandes vacúolos cheios b Apenas II.
de água, nas células fotossintéticas e as diversas células
armazenadoras de água. c Apenas I e III.
d Apenas II e III.
e I, II e III.

22 (UFG 2014) Analise a figura a seguir.


24 (MACKENZIE 2013) Respiração e transpiração são
dois processos que ocorrem nas plantas e no ser
humano. A respeito disso, considere as afirmações
abaixo:
I. A transpiração nesses organismos tem finalidades
diferentes.
II. Na transpiração do ser humano, a água é eliminada
A figura ilustra a curva de crescimento da parte na forma gasosa, enquanto nas plantas ela é
aérea de duas espécies vegetais (A e B) nativas do eliminada na forma líquida.

90
III. A fase aeróbica da respiração no ser humano b
ocorre nas mitocôndrias, enquanto nas plantas, ela
ocorre nos plastos.
IV. Tanto nas plantas quanto no ser humano, a
respiração ocorre o tempo todo.
Assinale se estão corretas, apenas, c
a I e II.
b I e III.
c I e IV.
d II e III.
e II e IV.

25 (UDESC 2013) Analise as proposições abaixo em


relação aos estômatos da planta.
I. Os estômatos estão localizados, principalmente, na
epiderme inferior das folhas e são constituídos por
duas células clorofiladas em forma de rim ou feijão, e
que são chamadas de células-guarda.
II. Os fatores que estimulam a abertura e o
fechamento dos estômatos são a luz, a concentração
de gás carbônico, a concentração de íons e o grau de
hidratação da planta.
III. A absorção de água pelas células-guarda do
27 (UDESC 2012) Analise as proposições abaixo, em

EXERCÍCIOS
estômato altera a sua forma e faz com que o espaço relação à fisiologia vegetal:
entre elas, chamado de ostíolo, se feche.
I. O estômato é formado por duas células clorofiladas
IV. Os estômatos permitem a transpiração da planta e que são chamadas de células-guarda. Elas possuem o
também a troca de gases com a atmosfera. formato de rins.
Assinale a alternativa correta. II. As células do parênquima clorofiliano, quando
a Somente as afirmativas II e IV são verdadeiras. perdem água, começam a secretar o ácido abscísico,
b Somente as afirmativas I, II e III são verdadeiras. que é um hormônio inibidor do transporte ativo
c Somente as afirmativas I, II e IV são verdadeiras.
de íons potássio, promovendo o fechamento dos
d Somente as afirmativas I e III são verdadeiras.
e Somente as afirmativas III e IV são verdadeiras. estômatos.
III. Os estômatos das folhas devem estar fechados
para que a planta realize uma boa fotossíntese.
26 (UFTM 2012) Uma planta da mata atlântica foi Assim, as folhas ficam menos concentradas e, por
submetida a condições ideais de temperatura, osmose, absorvem água por transpiração.
umidade no solo e concentração de gás carbônico,
IV. A absorção de energia luminosa é um dos fatores
e mantida sob luminosidade natural ao longo dos
que estimula o transporte ativo de íons de potássio
dias. O gráfico que melhor expressa a variação da
que se acumulam na célula, permitindo a abertura
transpiração, ao longo de pelo menos dois dias, é
dos estômatos.
indicado em
Assinale a alternativa correta.
a
a Somente as afirmativas I, III e IV são verdadeiras.
b Somente as afirmativas II e III são verdadeiras.
c Somente as afirmativas II, III e IV são verdadeiras.
d Somente as afirmativas I e II são verdadeiras.
e Somente as afirmativas I, II e IV são verdadeiras.

www.biologiatotal.com.br 91
28 (UNESP 2016) Considere o seguinte experimento:
Um experimento simples consiste em mergulhar
a extremidade cortada de um ramo de planta de
flores com pétalas brancas em uma solução colorida.
Após algum tempo, as pétalas dessas flores ficarão
coloridas.
Considerando as informações acima e o gráfico
(Sergio Linhares e Fernando Gewandsznajder. Biologia hoje, 2011.) fornecido, assinale a alternativa correta.
Considere os mecanismos de condução de seiva bruta a O gráfico mostra que, nas coníferas estudadas, os
meristemas apicais reduziram suas atividades a cada
e seiva elaborada nos vegetais. Nesse experimento, o duzentos anos, aproximadamente.
processo que resultou na mudança da cor das pétalas b As variações em largura dos anéis registradas no gráfico
indicam intensa atividade do câmbio vascular no século
é análogo à condução de: XX, possivelmente devido ao aquecimento global.
a seiva elaborada, sendo que a evapotranspiração na c No início do século XVII, essas coníferas produziram
parte aérea da planta criou uma pressão hidrostática mais vasos lenhosos que liberianos, possivelmente por
positiva no interior do floema, forçando a elevação da influência de um clima mais frio e seco.
coluna de água com corante até as pétalas das flores. d Os dados do gráfico permitem concluir que existe
b seiva bruta, sendo que, por transporte ativo, as células da periodicidade na produção de novas células do
extremidade inferior do xilema absorveram pigmentos parênquima medular, produção essa que se intensificou
do corante, o que aumentou a pressão osmótica nas durante o século XX.
células dessa região, forçando a passagem de água
com corante pelo xilema até as células das pétalas das
flores.
c seiva elaborada, sendo que, por transporte ativo, as
células adjacentes ao floema absorveram a sacarose 30 (UEL 2011) A figura a seguir é uma fotomicrografia
produzida nas pétalas da flor, o que aumentou a ao microscópio óptico de estômato de Tradescantia,
pressão osmótica nessas células, permitindo que, por em vista frontal:
osmose, absorvessem água com corante do floema.
d seiva bruta, sendo que a evapotranspiração na parte
aérea da planta criou uma pressão hidrostática negativa
no interior do xilema, forçando a elevação da coluna de
água com corante até as pétalas das flores.
EXERCÍCIOS

e seiva elaborada, sendo que a solução colorida era


hipotônica em relação à osmolaridade da seiva
elaborada e, por osmose, a água passou da solução
para o interior do floema, forçando a elevação da
coluna de água com corante até as pétalas das flores.
Os estômatos são responsáveis pela regulação das
trocas gasosas e pela transpiração nos vegetais. A
concentração de CO2 e a temperatura atmosférica são
29 (PUCSP 2017) Os anéis de crescimento caulinar são fatores ambientais que influenciam no controle do
utilizados para estimar a idade de espécies vegetais
arbóreas que formam um desses anéis por ano, em mecanismo de abertura e fechamento dos estômatos.
condições de clima temperado. A largura desses Com base na figura, no texto e nos conhecimentos
anéis varia de acordo com as condições climáticas sobre o processo de abertura e fechamento de
da primavera e do verão às quais a planta ficou estômatos, assinale a alternativa que explica
exposta ao longo de sua vida: anéis estreitos indicam corretamente as razões fisiológicas pelas quais a luz
crescimento limitado diante de clima mais frio e seco, influencia neste processo.
e anéis largos são formados em condições climáticas a Na ausência de luz, as células-guarda recebem íons Na+,
mais quentes e úmidas, que favorecem um maior perdem água para o ambiente por osmose, tornam-se
murchas e, como consequência, o ostíolo se fecha.
crescimento em largura do caule. O gráfico a seguir b Na presença de luz, as células-guarda eliminam íons K+,
mostra a variação da largura média desses anéis em perdem água para o ambiente por osmose, tornam-se
flácidas e, como consequência, o ostíolo se fecha.
coníferas de mais de 500 anos de idade. Na ausência de luz, as células-guarda eliminam íons
c
Na+, absorvem água por osmose, tornam-se túrgidas e,
como consequência, o ostíolo se abre.
d Na presença de luz, as células-guarda recebem íons
K+, absorvem água por osmose, tornam-se túrgidas e,
como consequência, o ostíolo se abre.
e Na presença de luz, as células-guarda recebem íons Na+,
perdem água para o ambiente por osmose, tornam-se
flácidas e, como consequência, o ostíolo se abre.

92
GABARITO DJOW
CAIU NA UERJ - 2017
Espécie: B.
Justificativa: devido à grande disponibilidade de água, os estômatos permanecem abertos durante todo o dia.
Concentração: menor.
Justificativa: as células-guarda da espécie A perdem íons potássio e água, diminuindo a abertura dos estômatos e reduzindo
a perda de água.

FISIOLOGIA VEGETAL
1- [A] 9-[C]
São macronutrientes necessários para o desenvolvimento A transpiração foliar causa uma força de sucção (pressão
normal dos vegetais: N, P, K, Ca, Mg, S. Os outros minerais osmótica) que promove o fluxo de água desde as raízes até as
são necessários em quantidades pequenas e, por esse motivo, folhas, no interior do xilema.
denominados, micronutrientes.

10- [B]
2- [E]
A subida da seiva mineral através dos vasos lenhosos do xilema
De acordo com a teoria da sucção-absorção, a subida da ocorre devido à sucção da copa provocada pela transpiração
seiva bruta pelos vasos lenhosos do xilema é determinada, foliar, capilaridade, coesão entre as moléculas de água e a
principalmente, pela transpiração realizada pelos estômatos adesão desta com os vasos condutores.
localizados nas folhas das árvores.

11- [D]
3- [C]
A intensidade da luz, a concentração de CO2 e a disponibilidade
De acordo com a teoria da coesão-tensão de Dixon, a subida hídrica regulam a abertura a o fechamento estomático.
da seiva bruta pelos vasos lenhosos do xilema é determinada
pela sucção da copa causada, principalmente, pela transpiração 12- [C]
estomática das folhas. O transporte de água desde a raiz até as folhas das plantas

EXERCÍCIOS
traqueófitas ocorre devido à sucção exercida pela copa, cujas
folhas transpiram. A coesão entre as moléculas de água e adesão
4- [D] destas com as paredes dos vasos lenhosos permite a subida de
seiva bruta pelo xilema em estado de tensão.
Os vasos condutores da seiva bruta (mineral ou inorgânica) são
denominados xilemáticos (xilema ou lenho). A forma principal
de perda de água pelas plantas terrestres é através das aberturas
dos estômatos situados na epiderme das folhas. 13- [C]
O fechamento estomático ocorre quando a concentração de O2
na câmara subestomática é baixa.
5- [E]
As sementes de plantas espermatófitas apresentam o estado de
dormência para que possam germinar em condições ideais de 14- [C]
umidade, temperatura e luminosidade. O fechamento estomático durante o dia é uma adaptação
fisiológica que reduz o risco de desidratação nas horas mais
quentes do dia, em ambientes áridos.
6- [E]
A cutícula, constituída por substâncias gaxas, impermeabiliza
a superfície de partes aéreas das plantas, evitando a perda 15- [B]
excessiva de água para o meio ambiente. O gráfico mostra que na estação chuvosa a taxa respiratória
das plantas é maior do que na estação seca, porque no período
chuvoso o fluxo de CO2 para o ambiente é maior.
7- [E]
Os pelos absorventes epidérmicos presentes nas raízes de
angiospermas são os principais responsáveis pela absorção de 16- [B]
água e sais minerais que compõem a seiva bruta (ou inorgânica). Em A, há baixa intensidade luminosa, portanto, diminuição da
fotossíntese, que acarretará em menor produção de O2 do que
CO2 e a planta consumirá seus recursos até morrer.
8- [B]
Os plasmodesmos são canais que conectam os citoplasmas
de células vizinhas, proporcionando a troca de substâncias 17- [B]
entre elas. Assim, quando a planta sofre estresse e diminui o As células vegetais podem acumular, em seus vacúolos, soluções
transporte por xilema e floema, os plasmodesmos atuam com que absorvem água por osmose, aumentando a pressão
maior efetividade em transportes longos. hidrostática interna, que pressiona a parede celular. No entanto,
uma força de igual intensidade e oposta é exercida pela parede

www.biologiatotal.com.br 93
celular, mantendo a integridade e sustentação celular. 24- [C]
[II] Incorreto: A transpiração em animais e vegetais ocorre por
meio da eliminação de água na forma de vapor.
18- [C]
[III] Incorreto: A fase aeróbica da respiração ocorre nas
O corte do ramo com flor no interior da água evita a entrada de mitocôndrias presentes em células animais e vegetais.
ar nos vasos xilemáticos e, consequentemente, a interrupção do
fluxo da seiva bruta.
25- [C]
19- [A] III. Incorreto: O ganho de água pelas células-guarda dos
estômatos altera a sua forma e faz com que o espaço entre elas,
chamado ostríolo, se abra.
A remoção do anel da casca em uma planta angiosperma
dicotiledônea provoca o acúmulo de compostos orgânicos em
sua parte superior, porque foi rompido o floema, tecido condutor 26- [B]
que transporta a seiva orgânica das folhas até as raízes do
vegetal. Gráfico B. As plantas de matas tropicais, geralmente, abrem
seus estômatos nas horas mais quentes do dia, porque a
disponibilidade de água no solo desse ecossistema é abundante.
20- [B]
Durante o período escuro do dia, as plantas respiram, 27- [E]
consumindo o oxigênio e eliminando o dióxido de carbono para
o meio ambiente. O item [III] está incorreto. O estômato estando fechado impede
a entrada de CO2. Portanto, a fotossíntese da planta será
prejudicada.
21- [C]
A chave para a conservação da água nos tecidos da palma é o 28- [D]
fechamento estomático diurno, quando a temperatura ambiental
é maior e a umidade menor. A mudança da cor das pétalas é análoga à condução da seiva
bruta, sendo que a evapotranspiração da parte aérea do vegetal
cria uma pressão hidrostática negativa no interior dos vasos
lenhosos do xilema, causando a subida da coluna líquida com
22- [D] corante até as pétalas das flores.
O gráfico mostra que a espécie A é mais apta no tocante à
germinação de suas sementes após a queimada. A germinação
das sementes da espécie B é favorecida durante os meses mais 29- [B]
chuvosos do ano, no cerrado brasileiro.
O aumento da largura dos anéis xilemáticos do caule no século
EXERCÍCIOS

XX reflete a elevação da temperatura global.


23- [D]
Grande parte da água absorvida pelas raízes das plantas é 30- [D]
perdida nas folhas sob a forma de vapor. Portanto, apenas uma
pequena parte da água é utilizada no seu metabolismo. O CO2 Na presença de luz, as células guarda recebem íons K+,
atmosférico penetra nas folhas pelos estômatos através de um tornando-se hipertônicas em relação às células vizinhas.
processo denominado difusão. A água absorvida pelas raízes Consequentemente, elas ganham água por osmose, tornam-se
percorre diferentes vias até chegar aos demais órgãos da planta, túrgidas e o ostíolo abre.
como através das paredes celulares e dos espaços intercelulares
e também através das células.

ANOTAÇÕES

94
FLOR
A flor corresponde ao aparelho reprodutor CLASSIFICAÇÃO DAS FLORES
das fanerógamas. É formada por conjuntos de
folhas modificadas, que têm por função produzir As flores são classificadas de acordo com vários
e proteger as estruturas encarregadas da critérios. Vejamos alguns deles.
reprodução sexuada.
1. QUANTO AO NÚMERO DE VERTICILOS
As flores são formadas por quatro verticilos EXTERNOS
(cálice, corola, androceu e gineceu), receptáculo
e pedúnculo. Observe as partes abaixo: Aclamídeas: sem cálice e sem corola.
Exemplo: gramíneas.
1. PEDÚNCULO OU HASTE: é um ramo de
Monoclamídeas: possuem cálice ou corola.
caule que prende a flor à planta.
Diclamídeas: quando possuem cálice e
2. RECEPTÁCULO: é a região do pedúnculo que corola.
serve de ponto de sustentação para os verticilos.
OBS:
3. VERTICILOS: Cálice e corola diferentes: Perianto, típico de
dicotiledôneas. Ex.: Rosa
Proteção: Cálice e corola iguais (tépalas): Perigônio, típico de
monocotiledôneas. Ex.: lírio
Cálice: verticilo protetor formado por folhas
modificadas, geralmente verdes denominadas
sépalas.
2. QUANTO AO SEXO DAS FLORES

BOTÂNICA
Corola: verticilo protetor formado por
folhas modificadas denominadas pétalas. Monóclinas ou Hermafroditas: possuem
Geralmente é colorida e tem como função os dois sexos, androceu e gineceu. Ex.: cravo,
atrair agentes de polinização. laranjeira.
Reprodução: Díclina ou Unissexuada: possui apenas
Gineceu: verticilo reprodutor feminino. androceu ou gineceu. Ex.: abóbora, mamão.
Formado por folhas modificadas denominadas Estéreis: não possuem androceu ou gineceu,
carpelos ou pistilos. ou se apresentam, mas não são férteis. Ex.
Androceu: verticilo de reprodução masculino margarida.
formado por folhas modificadas denominadas
estames. OBS:
Estigma
Carpelo Vegetais Monoicos: apresentam flores monóclinas
Estame Antera
Estilete ou díclinas.
Filamento Ovário
Vegetais Dioicos: apresentam flores díclinas.

3. QUANTO AO NÚMERO DE PEÇAS POR


VERTICILO
Pétala
Sépala
Trímeras: três ou múltiplo de três peças.
Óvulo
Ex.: Monocotiledôneas.
Receptáculo
Estrutura da flor

www.biologiatotal.com.br 27
Dímeras, Tetrâmeras, Pentâmeras: duas, 2. GINECEU OU PISTILO
quatro, cinco peças, respectivamente, por
verticilo. Ex.: Dicotiledôneas. É o verticilo feminino formado por folhas
modificadas denominadas carpelos. Cada
carpelo é formado de três partes: estigma,
4. QUANTO AO AGENTE POLINIZADOR estilete e ovário. O estigma é a região superior
do gineceu preparada para receber os grãos de
Ornitófila: polinizada por pássaros
pólen. O estilete é um tubo através do qual os
Anemófila: polinizada pelo vento núcleos do grão de pólen descem para atingir a
Quiropterófila: polinizada por morcegos célula de reprodução feminina que fica abrigada
no óvulo. Este, por sua vez está encerrado no
Entomófilas: polinizada por insetos ovário que corresponde à parte inferior alargada
Antropófila: polinizada pelo homem do gineceu.

Estigma

ÓRGÃOS REPRODUTORES DA FLOR


Estilete
1. ANDROCEU

Cada uma das folhas modificadas – o estame Carpelo


é formado por: filete, conectivo e antera. O
conjunto de todos os estames forma o androceu.
Os estames estão presos ao receptáculo pelo
filete; na porção superior deste, nota-se uma Ovário
BOTÂNICA

região de fixação, o conectivo, que prende a


região alargada denominada antera, dentro da
qual formam-se os grãos de pólen.
estrutura do carpelo

Formação do grão de pólen O gineceu pode ser simples, quando é formado


Os grãos de pólen formam-se nos sacos por um só carpelo, apocárpico, quando o gineceu
polínicos da antera. Os sacos polínicos estão é formado por vários carpelos separados e
envolvidos por um tecido denominado tapetum, sincárpico, quando o gineceu é formado por
que também nutre as células. São quatro sacos vários carpelos unidos.
polínicos, cada dois em uma teca. Quando a
antera se torna adulta os sacos polínicos se
SIMETRIA
rompem liberando os grãos de pólen.
Importante para o estudo da sistemática vegetal,
Estrutura do grão de pólen pode ser:

Os grãos de pólen são formados por células radial ou actinomorfa: quando a forma da
haploides com dois núcleos: um vegetativo flor permite que se tracem vários planos de
com função de formar o tubo polínico e outro simetria.
reprodutivo com função de fecundar o óvulo. bilateral ou zigomorfa: com apenas um
plano de simetria
assimétrica: sem nenhum plano de simetria

28
DIAGRAMA FLORAL FECUNDAÇÃO

Pode-se representar uma flor através do seu O óvulo se forma no interior do ovário, por meio
diagrama floral. Observe o diagrama abaixo: das seguintes etapas:

1. inicialmente dentro do ovário forma-se um


pequeno aglomerado de células, no qual se
encontra a célula mãe do saco embrionário;

2. A célula mãe (2n) sofre meiose e origina 4


novas células haploides chamadas megásporos;

3. Três desses megásporos se degeneram e


diafragma floral
desaparecem, restando apenas uma única
De fora para dentro, representa-se: as sépalas célula;
(cálice), as pétalas (corola), os estames (androceu)
e os carpelos (gineceu). Existe também a fórmula 4. Por mitose, o megásporo origina 8 núcleos:
floral, que pode ser exemplificada abaixo: uma oosfera, duas sinérgides, três antípodas e
K5 C(5) A10 G2 dois núcleos polares. Esses oito núcleos fazem
Onde: parte do saco embrionário;
K: representa o número de sépalas
5. Ao redor do saco embrionário, formam-
C: representa o número de pétalas
se camadas de proteção e nutrição do óvulo
A: representa o número de estames
(primina e secundina).
G: representa o número de carpelos

BOTÂNICA
( ): peças unidas (prefixo gamo ou sin)

A dupla-fecundação em uma Angiosperma

www.biologiatotal.com.br 29
O processo de fecundação acontece da seguinte 4. o núcleo reprodutivo inicia a descida e sofre
maneira: mitose, formando dois núcleos espermáticos.

1. inicia-se a formação do tubo polínico através 5. ocorre a dupla fecundação, onde um núcleo
do núcleo vegetativo. espermático fecunda a oosfera originando o
zigoto (2n) e o outro fecunda os dois núcleos
2. o próprio óvulo secreta substâncias químicas polares, formando o endosperma ou albúmen
para atrair o núcleo vegetativo. O tubo penetra (3n), responsável em nutrir o zigoto.
pela micrópila do óvulo.

3. o núcleo vegetativo se degenera

FRUTOS
É o produto do desenvolvimento do ovário após a
fecundação, sendo exclusivo das angiospermas.
O fruto tem por função principal proteger a
semente, além de armazenar reservas nutritivas
e facilitar a disseminação das sementes no
ambiente.

Partes de um fruto
BOTÂNICA

CLASSIFICAÇÃO DOS FRUTOS

Os frutos podem ser classificados em carnosos e


secos. E ainda podem ser classificados também
quanto a capacidade de abrirem para liberar suas
sementes. São chamados de frutos indeiscentes
aqueles que não liberam as sementes após
estarem maduros e deiscentes que liberam as
sementes.
frutos

1. SECOS INDEISCENTES
Os frutos que se desenvolvem a partir do ovário
da flor são chamados frutos verdadeiros e neles Aquênio: com uma única
distinguimos as seguintes partes: pericarpo e semente presa ao pericarpo
semente. apenas por um folículo.
Ex.: morango, caju, dente-
O pericarpo corresponde à parte externa do de-leão, girassol.
fruto e nele podemos observar três camadas:
Cariopse: com a semente
epicarpo, mesocarpo e endocarpo. Este último
ligada ao pericarpo em toda
se for duro, recebe o nome de caroço.
a extensão.
Observe a figura a seguir: Ex.: grão de milho, de trigo,
de arroz.

30
Noz: semelhante ao Drupa: fruto que apresenta
aquênio, porém o tegumento o endocarpo esclerosado por
é bastante rígido. lignina formando o caroço.
Ex: noz. Ex.: pêssego, azeitona,
manga, ameixa, abacate.
2. SECOS DEISCENTES
Quando o fruto se desenvolve a partir de uma parte
Folículo: fruto com diversas
da flor que não o ovário, ele é designado como
sementes, formado por um
pseudofruto. Assim como os frutos verdadeiros,
só carpelo. Apresenta uma
eles podem ser classificados em: pseudofrutos
abertura lateral por onde as
simples, múltiplos e compostos.
sementes são liberadas.
Ex.: peroba. Pseudofruto simples:
Vagem/legume: fruto que proveniente do receptáculo
se abre longitudinalmente de uma só flor envolvendo
pelas suturas. o fruto verdadeiro.
Ex.: feijão, ervilha, amendoim Ex.: maçã, pêra, caju.
(fruto subterrâneo). Pseudofruto múltiplo: formado
Síliqua: fruto que apresenta por diversas flores (inflorescência)
vários carpelos com várias que se desenvolvem e acabam
sementes. por se fundir.
Ex.: couve, repolho. Ex.: abacaxi, amora, jaca, figo.

BOTÂNICA
Cápsula: fruto que Pseudofruto composto:
apresenta abertura por formado por diversos
fendas longitudinais ou ovários de uma mesma
poros. flor.
Ex.: eucalipto, papoula. Ex.: morango.

OBS.: A banana é um fruto originado


3. CARNOSOS
por partenocarpia, ou seja, os óvulos se
Cápsula carnosa: fruto atrofiam e não são fecundados. Por isso a
com várias sementes banana não possui semente.
presas no endocarpo
com o interior oco.
Ex.: pepino-selvagem,
melão-de-são-caetano. SEMENTE
A semente é o resultado do óvulo fecundado, os
Baga: fruto com sementes vegetais que possuem sementes são chamados
livres, isto é, sem caroço. espermatófitos.
Ex.: laranja, melancia, uva, Uma semente apresenta uma estrutura simples,
limão, tomate, pimentão. composta de tegumento ou casca, que é formado
por duas camadas: a testa oriunda da primina

www.biologiatotal.com.br 31
do óvulo e o tégmen, originada da secundina do CICATRIZES DAS SEMENTES
óvulo; e a amêndoa, que é composta pelo embrião,
cotilédones (folhas embrionárias nutritivas) e Em consequência da transformação do óvulo em
pelo albúmen ou endosperma (tecido de reserva semente, se formam algumas cicatrizes.
nutritiva).
Hilo: marca de separação entre a semente e
As sementes das monocotiledôneas apresentam
o fruto
apenas um cotilédone envolvendo o embrião, já
Rafe: cicatriz alongada, deixada no ponto
as sementes das plantas dicotiledôneas possuem
em que o funículo encostava na primina dos
dois cotilédones alimentando o embrião. Uma
óvulos curvos.
importante diferença é que nas monocotiledôneas
Micrópila: é uma pequena depressão
o endosperma participa ativamente da nutrição do
deixada pela micrópila do óvulo.
embrião. Já em dicotiledôneas, são os cotilédones
que mais nutrem o embrião, sendo o endosperma
reduzido. GERMINAÇÃO DAS SEMENTES
Observe abaixo uma semente de monocotiledônea
(milho) e uma de dicotiledônea (feijão): A germinação de uma semente depende de fatores
internos (intrínsecos) e externos (extrínsecos). Os
fatores internos são: a maturidade e uma boa
constituição. Já os fatores externos incluem: água,
ar, temperatura e luz. A parte da semente que irá
dar início à germinação é o caulículo, que contém
uma região localizada abaixo dos cotilédones
(hipocótilo) e uma região acima (epicótilo).
BOTÂNICA

Quando o hipocótilo cresce e vai empurrando os


cotilédones para fora da terra a germinação é
Sementes de milho e de feijão chamada de epígea (típico das dicotiledôneas e
das gimnospermas) e quando o hipocótilo não
As sementes das gimnospermas, quando em cresce, o cotilédone permanece embaixo da terra.
conjunto se chamam estróbilo ou pinha, e são nuas
pois não há a formação de frutos. São constituídas
pelo tegumento e pela amêndoa, contendo o
embrião, um número variável de cotilédones (de 1
até 18) e o endosperma haploide.

TEGUMENTOS SUPLEMENTARES GERMINAÇÃO EPÍGEA

Arilo: revestimento gelatinoso que auxilia no DIFERENÇAS ENTRE MONOCOTILEDÔNEAS


desenvolvimento e na germinação de algumas E DICOTILEDÔNEAS
sementes, além de evitar microrganismos. Ex:
mamão. Além do número de cotilédones presentes na
Carúncula: é um pequeno revestimento extra, semente, as angiospermas monocotiledôneas
localizado apenas na região da micrópila, e que e dicotiledôneas exibem outras características
também auxilia a proteção da semente contra que também podem diferenciá-las. No quadro a
microrganismos. seguir você pode verificar as principais diferenças
entre esses dois grupos de angiospermas:

32
CARACTERÍSTICAS
Monocotiledôneas Dicotiledôneas
Raízes fasciculares ou cabeleira, isto é, Raízes pivotantes ou axiais que têm maior
observa-se um aglomerado de raízes com grau de desenvolvimento do que as demais e
maior ou menor grau de desenvolvimento. geralmente, penetram no solo verticalmente.
Caule do tipo colmo (caule aéreo com nós
bem nítidos como o da cana) e o do tipo Caule do tipo tronco (caule aéreo lenhoso com
estipe (caule aéreo longo e cilíndrico com um ramificação densa como o ipê) e do tipo haste
aglomerado de folhas no ápice como o das (caule flexível como o das ervas em geral);
palmeiras); internamente os feixes líbero- internamente, os feixes líbero-lenhosos se
lenhosos apresentam-se desordenadamente apresentam ordenados em círculo.
distribuídos.
Folhas paralelinérveas (com nervuras Folhas reticulares (com nervuras em rede).
paralelas).
Flores trímeras, isto é, as peças florais Flores dímeras, tetrâmeras ou pentâmeras, isto
organizam-se em número de três sépalas, três é, com peças florais organizadas em número
pétalas, três estames, três carpelos; ou seis de duas, quatro, cinco ou múltiplos.
pétalas, seis sépalas, etc.
Sementes em um cotilédone; as reservas são Sementes com dois cotilédones que podem
armazenadas no endosperma ou albúmem ser ricos em reservas quando o endosperma é
bastante desenvolvidos. pouco desenvolvido.

BOTÂNICA
Monocotiledôneas (milho) dicotiledôneas (feijão)

DORMÊNCIA E QUIESCÊNCIA

A dormência é uma condição especial de repouso, 160 anos. Porém, esse não é o tempo máximo
no qual as sementes podem permanecer assim verificado para um estado de dormência.
por um longo período de tempo. Muitas vezes, as Um botânico japonês datou uma semente da
condições ambientais encontram-se favoráveis espécie Nelumbo nucifera em 2 mil anos, que
à germinação, mesmo assim as sementes são após a entrada de água germinou rapidamente.
germinam. Muitas sementes precisam secar O recorde foi o das sementes de Lupinus articus,
antes de germinar, para evitar uma germinação em 1967, encontradas com restos de animais de
dentro de um fruto úmido; outras necessitam aproximadamente 10 mil anos, que colocadas
ser expostas a extremos de temperatura para em condições ideais germinaram em 48 horas.
germinarem ou então à ação ácida de sucos
digestivos de animais para terem sua dormência A quiescência é um termo usado para um tipo
suspensa. especial de dormência, onde a não germinação
das sementes é causada pela falta de condições
Em 1879, foram armazenadas sementes de ambientais (extrínsecas).
ervas daninhas para um projeto experimental de

www.biologiatotal.com.br 33
LEITURA COMPLEMENTAR
ÁRVORE QUE MUDA DE SEXO? QUE HISTÓRIA É ESSA?
Uma das árvores mais antigas da Escócia Enquanto os indivíduos femininos apresentam
começou a mudar de sexo. Ela, que até tem pequenas bagas vermelhas, os masculinos
nome, “Teixo de Fortingall”, há séculos foi apresentam pinhas em seus ramos.
identificada como uma árvore masculina. Através
de medições e estimativas, a idade suposta da
árvore é 5 mil anos, podendo ser a mais velha
da Europa. E agora, depois de tanto tempo, está
produzindo frutos, característicos de indivíduos
femininos.

Chamado de falso fruto, a cobertura carnuda vermelha


cobre a semente e está presente em plantas femininas.

Por enquanto descobriu-se somente um galho


com as pequenas bolinhas vermelhas. Os motivos
para tal alteração ainda não foram totalmente
esclarecidos. Max Coleman diz que uma mudança
no equilíbrio hormonal deve ser o que desencadeie
esta mudança de sexo, sendo a causa para tal
alteração as influências ambientais.
O Teixo de Fortingall, possivelmente a árvore mais velha da Europa.
O botânico afirma que a árvore parece saudável e
No mundo das plantas existem algumas que o comportamento não é algo novo na ciência.
BOTÂNICA

espécies dioicas, ou seja, cujos indivíduos Outros indivíduos pertencentes a esta família,
possuem ou órgãos reprodutores masculinos e também outras coníferas, já apresentaram a
ou femininos, assim como nós. E esta árvore, mudança de sexo no decorrer de suas vidas. O
pertencente a espécie Taxus Baccata, é uma delas. Teixo de Fortingall ficará agora sob observação,
e aquelas poucas baguinhas que surgiram este
Segundo o botânico Max Coleman do Royal Botanic
ano deverão fazer parte de um programa de
Garden de Edimburgo, foi uma grande surpresa
conservação, que visa preservar a diversidade
descobrir algumas sementes em uma árvore
genética dos teixos.
claramente masculina. A distinção de sexo é bem
Fonte: Spiegel
visível durante as estações do outono e inverno.

ANOTAÇÕES

34
EXERCÍCIOS
que se apresenta em estado de dormência é
a o feto.
b o broto.
c o ovário.
d a plântula.
e a semente.

5 (UEL 2014) Assinale a alternativa que apresenta,


1 (UECE 2016) Na feira, um biólogo pediu ao feirante correta e respectivamente, o órgão da planta utilizado
um quilo de um fruto simples, carnoso, do tipo baga, como especiarias: pimenta, canela, cravo-da-índia,
e dois quilos de uma drupa indeiscente. As frutas noz-moscada e gengibre.
solicitadas são respectivamente a Fruto, semente, botão floral, rizoma, tronco.
a morango e tangerina. b Fruto, tronco, botão floral, semente, rizoma.
b mamão e azeitona. c Rizoma, semente, tronco, botão floral, fruto.
c abacate e laranja. d Semente, rizoma, fruto, botão floral, tronco.
d pêssego e limão. e Semente, tronco, botão floral, fruto, rizoma.

2 (UECE 2015) Apesar de serem mais conhecidas pela 6 (UERN 2013) Alguns frutos são partenocárpicos: se
maioria das pessoas por sua função decorativa, as desenvolvem sem que ocorra a fecundação.
flores são os órgãos responsáveis pela reprodução (Pezzi, Antônio; Gowdak, Demétrio Ossowski; Mattos, Neide
Simões de. Biologia. Vol. 2. São Paulo: FTD, 2010.)
nas angiospermas, sendo compostas por folhas
modificadas, com funções específicas, denominadas A partir da afirmativa anterior, pode-se inferir que os
verticilos florais. Com relação aos verticilos florais, frutos desenvolvidos sem que ocorra a fecundação
pode-se afirmar corretamente que também NÃO apresentam a formação de uma
a as tépalas são o conjunto de pétalas coloridas e a estrutura denominada

EXERCÍCIOS
corola compreende o conjunto de sépalas. a flor.
b a corola corresponde ao conjunto de sépalas e o b folha.
perianto compreende o conjunto de pétalas. c ovário.
c o cálice é constituído pelas sépalas; já a corola é d semente.
constituída pelas pétalas.
d todas as flores possuem cálice, corola, androceu e
gineceu.

7 (UFRGS 2012) As estruturas sexuais das angiospermas


são as flores. Com relação às estruturas florais, é
3 (UFPR 2014) Uma pessoa vai ao mercado e compra correto afirmar que
pepino, cenoura, abóbora, tomate, uva, feijão, a as anteras contêm os megasporângios, que produzem
beterraba, couve e milho. Quantos desses produtos o pólen.
são frutos? b a superfície terminal do pistilo que recebe os grãos de
pólen é chamada estame.
a 1.
c as folhas externas estéreis constituem o cálice.
b 2.
d as flores são designadas perfeitas quando apresentam
c 3. cálice e corola.
d 4.
e plantas em que ocorrem tanto flores mega como
e 5. microesporangiadas são denominadas dioicas.

4 (PUCRS 2014) A dormência é um período do ciclo 8 (CFTMG 2012) Sobre os órgãos vegetais e suas
da vida no qual o desenvolvimento de um organismo funções, é INCORRETO afirmar que determinadas(os)
é temporariamente suspenso. Em geral, ela está a caules efetuam as trocas gasosas.
b folhas realizam reprodução assexuada.
associada às condições ambientais, quando o
c raízes desempenham o papel de fixação.
organismo necessita contornar situações adversas d frutos executam o processo de fecundação.
como, por exemplo, a alteração das condições de
temperatura, umidade e luz. Um exemplo de estrutura

www.biologiatotal.com.br 35
9 (CFTMG 2012) Observe a estrutura vegetal abaixo.

11 (FGV 2016) A fotografia seguinte retrata o surgimento


de um novo coqueiro a partir de um fruto parcialmente
enterrado na areia e disperso pelo mar.

Sobre essa estrutura, é correto afirmar que


a sustenta a antera.
b atrai insetos polinizadores.
c transporta o grão de pólen.
d armazena nutrientes para o embrião.

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:


O berimbau é um instrumento musical de origem
africana, muito tocado no Brasil em rodas de O processo reprodutivo ilustrado é típico de uma
capoeira. Em sua obra Viagem pitoresca e histórica angiosperma, sendo classificado como
ao Brasil Jean-Baptiste Debret descreveu o berimbau a sexuado, pois depende da germinação do fruto
originado pela fecundação entre a semente (gineceu)
como segue: “Este instrumento musical se compõe e o pólen (androceu).
da metade de uma cabaça presa a um arco curvo de b assexuado, no qual o embrião germina a partir do
ovário da flor transformado em semente e protegido
bambu, com um fio de latão, sobre o qual se bate pelo fruto.
ligeiramente. Pode-se conhecer o instinto musical do c sexuado, pois ocorre a partir da fecundação entre os
tocador, que apoia a mão sobre a frente descoberta esporos masculinos e femininos para formação do fruto.
d assexuado, pois ocorre o brotamento direto a partir do
da cabaça a fim de obter, pela vibração, um som
EXERCÍCIOS

fruto, sem necessidade de fecundação da semente.


grave e harmonioso”. e sexuado, no qual duas fecundações geram o embrião e
Disponível em: <http://www.redetec.org.br o endosperma internos à semente e ao fruto.
/inventabrasil/berimb.htm>. Acesso em: 7 fev. 2012.

12 (UFG 2010) Analise a figura a seguir.

Com base na morfologia floral, conclui-se que, nessa


flor,
a o cálice propicia a atração de polinizadores noturnos,
impedindo a fecundação cruzada.
10 (UFG 2012) As estruturas vegetais obtidas da
b a corola proporciona um ambiente favorável à
cabaceira, Cucurbita sp., e do bambu, Bambusea germinação dos grãos de pólen, facilitando a
fecundação cruzada.
sp., utilizadas para fabricar o instrumento musical
c o ovário é súpero, dificultando a penetração do tubo
descrito são, respectivamente, polínico para alcançar o óvulo.
a pseudofruto e estipe. d as anteras posicionam-se acima dos carpelos, facilitando
b fruto composto e haste. a transferência dos grãos de pólen para o estigma.
c fruto verdadeiro e colmo. e os verticilos florais reprodutores são desprotegidos da
ação do vento, facilitando a ocorrência da polinização
d infrutescência e tubérculo. cruzada.
e fruto partenocárpico e tronco.

36
13 (UFC 2008) Qualquer célula vegetal viva, que possua a Folhas com parênquima aerífero são próprias de
vegetais terrestres que vivem em ambientes secos e/
núcleo, adequadamente manipulada, poderá originar ou salinos.
embriões, semelhantes aos embriões zigóticos, b Folhas com parênquima aquífero são próprias de
denominados de embriões somáticos. Dentre as vegetais aquáticos e auxiliam na flutuação.
c Pneumatódios são adaptações especiais características
várias possibilidades de utilização desses embriões dos cactos e auxiliam na sua sobrevivência em regiões
somáticos está a produção de sementes artificiais. áridas.
A técnica consiste na produção de cápsulas de d Em busca de luz, as orquídeas e bromélias parasitam a
copa das árvores, utilizando os hidatódios para sugar a
gelatina que contenham o embrião e um hidrogel seiva de seus galhos.
com substâncias orgânicas e inorgânicas. A principal e Brácteas são adaptações presentes nas bases das
flores, que podem ser coloridas, atuando como atração
função desse hidrogel seria: de insetos e pássaros.
a induzir mutações e inibir a germinação daquelas
plantas com características indesejáveis.
b possibilitar a formação de um embrião com estrutura
bipolar, ou seja, com parte aérea e raiz. 16 (UFSM 2008) “Outra fruta se cria numas árvores
c hidratar o embrião somático, simulando as condições grandes (...) depois de madura é muito amarela. (...)
reais de umidade elevada de uma semente verdadeira.
chamam-lhes cajus, têm muito sumo e cria-se na
d evitar que as plantas oriundas de embriões transgênicos
polinizem outras plantas no ambiente onde as ponta dessa fruta (...) um caroço como castanha, e
“sementes” serão lançadas. nasce diante da mesma fruta.”
e compensar a ausência de reservas nutritivas, que são
acumuladas nos processos normais de desenvolvimento Observe as figuras a seguir e tente entender,
das sementes.
botanicamente, a descrição pouco científica de uma
de nossas frutas nativas, feita por Pero de Magalhães
Gândavo, em 1500.
14 (UNIFESP 2007) A figura mostra uma espiga de
milho em que cada grão é um ovário desenvolvido
e contém grande quantidade de amido, um polímero
que é formado a partir de precursores produzidos
pela planta.

EXERCÍCIOS
Assinale a alternativa correta.
a Se F = F’, o caju (F’) é um fruto verdadeiro.
b Se P = P’, a parte carnosa do caju (P’) não é um fruto
verdadeiro.
c Se O = O’, a castanha (O’) não pode ser um fruto
verdadeiro.
Considerando a origem da espiga e do amido, é d Se O = O’, a castanha é uma semente.
correto afirmar que cada grão de milho: e Se F = F’ e se O = O’, o fruto verdadeiro é a união de
a é um fruto e o amido ali presente teve sua origem F’ e O’.
em precursores formados a partir da fecundação da
oosfera e dos estames.
b é uma semente e o amido ali presente teve sua origem
em precursores formados a partir da dupla fecundação
e do ovário. 17 (PUCMG 2008) É preciso diferenciarmos o que
vulgarmente denominamos “frutas” do que em
c é um fruto e o amido ali presente teve sua origem em
precursores que procedem do ovário e de qualquer biologia devemos considerar um “fruto”. Frutos
outro órgão da planta. são estruturas auxiliares do ciclo reprodutivo das
d é uma semente e o amido ali presente teve sua origem
em precursores que procedem do fruto e das folhas. angiospermas. Protegem as sementes e auxiliam a
é uma semente e o amido ali presente teve sua origem sua disseminação. Os frutos verdadeiros derivam
e em precursores que procedem do único cotilédone que do ovário amadurecido após a fecundação. A esse
o embrião possui.
respeito, assinale a frase INCORRETA.
a A parte suculenta e comestível da maçã e da pera não
deriva do ovário, essas frutas não apresentam partes
15 (UNIOESTE 2012) Identifique a alternativa que correspondentes ao fruto.
evidencia adaptações que permitem ao vegetal b A parte suculenta do caju deriva do pedúnculo, mas
a castanha é um fruto seco cuja parte comestível é a
desempenhar funções importantes. semente.

www.biologiatotal.com.br 37
c A banana utilizada na dieta humana é fruto verdadeiro, c A velocidade de respiração é menor quando as frutas
porém partenocárpico, não apresentando sementes. estão mais maduras.
d O abacaxi é derivado de uma inflorescência, formando d Quando são resfriadas, a velocidade de respiração
uma infrutescência dos ovários e demais peças florais. diminui e as frutas se degradam menos.

18 (UNESP 2015) Na aula sobre morfologia vegetal, 20 (UCS 2015) “Sem Glúten na terra da massa. O
os alunos foram levados ao pátio da escola, para Glúten, que está sendo rotulado como vilão da perda
analisar um pé de Mussaenda alicia, ou mussaenda- de peso, também virou o campeão de dúvidas sobre
rosa-arbustiva. A professora chamou a atenção dos o seu consumo”.
alunos para algumas características da planta, cuja Fonte: Jornal Zero Hora, Revista Dona.
24 ago. 2014, p. 22-24. (Adaptado.)
foto encontra-se a seguir.
Assinale a alternativa correta.
a O rótulo dos alimentos que contém “glúten free”
significa que o alimento apresenta menos açúcar,
menos gordura e, consequentemente, emagrece.
b As pessoas que são intolerantes ao glúten, denominados
celíacos, devem evitar o consumo deste tipo de açúcar.
c O glúten é uma proteína que comumente está presente
em alimentos calóricos como pizza, pães, biscoitos
Além das folhas e do tronco, os alunos observaram feitos com farinha de milho ou soja.
estruturas cor-de-rosa e, no interior delas, as d As pessoas celíacas não devem comer batata, pois este
alimento contém grande quantidade de glúten.
amarelas. A partir da observação, levantaram e O glúten é um grupo de proteínas encontradas no
hipóteses sobre tais estruturas. endosperma de sementes de cereais, como trigo, aveia
e centeio.
Assinale a alternativa que contém a definição e o
argumento corretos para a hipótese levantada.
a As estruturas rosa são pétalas; pois, por definição,
as pétalas são as estruturas chamativas da flor e se
observa que, nessa planta, essas são as estruturas mais
EXERCÍCIOS

vistosas.
b As estruturas rosa são flores; pois, por definição, flores
são os órgãos que atraem os polinizadores e tais
estruturas são as mais chamativas da planta.
c As estruturas amarelas são flores; pois, por definição,
flores contêm os órgãos reprodutivos da planta e foram 21 (UECE 2016) Atente ao que se diz sobre flores, e
observados gineceu e androceu nessas estruturas. assinale com V o que for verdadeiro e com F o que
d As estruturas amarelas são folhas; pois, por definição, for falso.
folhas protegem os órgãos reprodutivos da planta e
foram observados androceu e gineceu internamente a
essas estruturas. ( ) Flores que apresentam órgãos reprodutores de
e As estruturas rosa são folhas; pois, por definição, ambos os sexos, masculino e feminino, são chamadas
qualquer órgão presente na planta, que não seja raiz, dioicas.
caule ou flor, independentemente de sua coloração,
deve ser chamado de folha e tem por função principal ( ) Flores hermafroditas são denominadas completas
realizar fotossíntese.
quando constituídas por quatro conjuntos de verticilos
florais.

19 (UECE 2015) As frutas se mantêm vivas enquanto ( ) Nas espermatófitas, o ovário, que fica na base do
estiverem respirando. Quando estão na árvore gineceu, corresponde ao fruto desenvolvido a partir
utilizam a matéria orgânica que está na seiva da fecundação.
elaborada e quando são arrancadas continuam
( ) As sépalas são geralmente verdes e sua função é
respirando às custas de seus próprios tecidos.
cobrir e proteger o botão floral antes de ele se abrir.
Sobre o processo de respiração das frutas, assinale a
A sequência correta, de cima para baixo, é:
afirmação FALSA. a F, F, V, V.
a A respiração das frutas é uma combustão lenta que
b V, F, V, F.
consome oxigênio e produz gás carbônico.
c V, V, F, F.
b Quando colhidas e vão para um ambiente de menos
d F, V, F, V
oxigênio, as frutas respiram com menor velocidade e
duram mais.

38
22 (UECE 2016) No que diz respeito ao cajueiro, analise Analise as proposições em relação à representação
as afirmações abaixo. da flor, na figura.
I. O cajueiro (Anacardium occidentale) é uma árvore I. O esquema representa uma flor hermafrodita.
originária da África, comum na região Nordeste do II. O receptáculo floral em algumas espécies pode se
Brasil. desenvolver e originar frutos.
II. Seu fruto é macio, piriforme, comestível, de cor III. A flor esquematizada é típica do grupo das
alaranjada ou avermelhada, muito apreciado na Gimnospermas.
culinária nordestina.
IV. As pétalas podem servir como elementos atrativos
III. Suas folhas são simples e pecioladas; seu sistema no processo de polinização.
radicular é formado por uma raiz pivotante bem
desenvolvida. V. No estigma ocorre a fixação do grão de pólen.

IV. A castanha, fruto seco do tipo aquênio, possui uma VI. O óvulo fecundado pelo grão de pólen dará
só semente ligada à parede do fruto por um só ponto. origem ao embrião.

Está correto o que se afirma em Assinale a alternativa correta.


a Somente as afirmativas III, IV e VI são verdadeiras.
a III e IV apenas.
b Somente as afirmativas I, II, IV e VI são verdadeiras.
b I, II e IV apenas.
c Somente as afirmativas II, III e V são verdadeiras.
c I, II e III apenas.
d Somente as afirmativas I, IV e V são verdadeiras.
d I, II, III e IV.
e Somente as afirmativas I, II, V e VI são verdadeiras.

23 (UFU 2016) Com relação à produção dos frutos pelas


angiospermas, considere as afirmativas a seguir. 25 (UDESC 2015) Originalmente, ao longo da evolução
das plantas, o principal papel dos frutos é dar
I. O pimentão e o milho são chamados de frutos proteção às sementes. Posteriormente, ocorreram
indeiscentes, uma vez que não se abrem. adaptações que conferiram aos frutos a função

EXERCÍCIOS
II. O caju é um pseudofruto derivado do pedúnculo da de auxiliarem na dispersão das sementes. Para
flor e não do ovário da flor. desempenhar estes papéis os frutos desenvolveram
uma série de modificações e adaptações em suas
III. A amora é um exemplo de infrutescência, ou seja,
estruturas (pericarpo; mesocarpo e endocarpo). Estas
é um conjunto de frutos derivados de inflorescência.
modificações servem como meio de classificação
IV. Os frutos são formados a partir do desenvolvimento para os frutos.
do grão de pólen.
Tabela
Assinale a alternativa que apresenta apenas
afirmativas corretas. Coluna I Coluna II
a I e III. 1. Frutos carnosos A. Abacate
b I, II e III. 2. Frutos secos B. Abacaxi
c I, II e IV. 3. Frutos deiscentes C. Caju
d II e III.
4. Frutos indeiscentes D. Azeitona
5. Pseudofrutos E. Laranja
6. Infrutescência F. Feijão
24 (UDESC 2015) A figura representa esquematicamente
uma flor. 7. Não é fruto G. Milho
Assinale a alternativa que indica a associação correta
entre a Coluna I e a II, na tabela.
a 1 – C; 5 – A; 7 – G
b 2 – D; 4 – F; 6 – E
c 2 – G; 6 – B; 7 – F
d 4 – F; 4 – G; 2 – F
e 3 – F; 2 – F; 1 – D

www.biologiatotal.com.br 39
somente a palavra “angiospermas” poderia substituir
26 (PUCRS 2012) A longevidade de frutos durante o
armazenamento depende do nível de atividade de adequadamente, no texto acima, as palavras
determinadas enzimas do metabolismo. A ilustração “endospermas triploides”.
a seguir mostra como a temperatura e o pH podem A sequência correta é
afetar a atividade destas enzimas. a V - F - F.
b V - V - F.
c V - F - V.
d F - V - V.
e F - F - V.

Dentre as condições indicadas a seguir, as mais


eficientes para prolongar a longevidade de frutos
28 (PUCRS 2005) Relacionando os grupos da coluna I
através da redução da atividade enzimática estão com as informações da coluna II.
reunidas em:
COLUNA I
a Elevação do pH de 2 para 4 e redução da temperatura
de 40°C para 20°C (1) Fungos
b Redução do pH de 6 para 4 e elevação da temperatura
de 40°C para 60°C (2) Briófitas
c Elevação do pH de 6 para 8 e elevação da temperatura
de 40°C para 60°C (3) Pteridófitas
d Redução do pH de 4 para 2 e redução da temperatura
de 40°C para 20°C (4) Gimnospermas
e Elevação do pH de 4 para 8 e elevação da temperatura (5) Angiospermas
de 40°C para 60°C

COLUNA II
27 (UFSM 2010) “Cerca de 2/3 das calorias consumidas
pela humanidade vêm de plantas (...) - como o trigo, ( ) Sementes nuas
o arroz e o milho - cujas sementes são envolvidas
EXERCÍCIOS

( ) Avasculares com reprodução por metagênese


pelo endosperma.
( ) Nutrição heterótrofa
(...) Todas as grandes civilizações do mundo, exceto os
( ) Sementes presentes em frutos
Maori da Nova Zelândia, floresceram na dependência
de endospermas triploides” ( ) Vasculares que nunca formam tubos polínicos
(Ciência Hoje on-line, 01/02/02). A ordem correta de preenchimento dos parênteses,
de cima para baixo, é:
a 2, 1, 3, 4, 5
b 4, 2, 1, 5, 3
c 4, 3, 1, 5, 2
d 5, 1, 2, 4, 3
e 5, 3, 1, 4, 2

29 (UNESP 2004) Flores hermafroditas de uma


determinada espécie de planta foram polinizadas
Com referência a esse texto, assinale V (verdadeira) manualmente sendo que, em algumas, o pólen
ou F (falsa) em cada afirmativa. depositado sobre os estigmas era proveniente de
I - Somente as plantas que produzem frutos podem anteras das mesmas flores (grupo A). Em outras, o
possuir endosperma. pólen depositado sobre os estigmas era proveniente
de anteras de outras flores da mesma espécie (grupo
II - A semente não é “envolvida” pelo endosperma
B). A figura apresenta os resultados obtidos a partir
- esse tecido compõe, com o embrião, o interior da
dessas polinizações.
semente.
III - Entre os nomes dos grandes grupos vegetais,

40
Tendo o gráfico como referência, pode-se afirmar
que:
Considerando esses diagramas, assinale a única
a esta espécie de planta apresenta algum tipo de
mecanismo que impede a autofecundação. alternativa incorreta.
b esta espécie de planta apresenta algum tipo de a A representa uma flor trímera e B representa
mecanismo que impede a fecundação cruzada. uma flor pentâmera, comumente encontradas
nesta espécie de planta, a fecundação cruzada garante em monocotiledôneas e eudicotiledôneas,
c respectivamente.
maior sucesso reprodutivo.
nesta espécie de planta, o androceu amadurece antes b A flor do diagrama A apresenta androceu composto
d por seis estames, mas gineceu composto por apenas
que o gineceu.
três carpelos.
e nesta espécie de planta, o gineceu amadurece antes
que o androceu. c A flor do diagrama B apresenta cálice composto por
cinco sépalas e corola composta por cinco pétalas.
d Nos diagramas florais, os verticilos florais são
projetados num plano horizontal que indica as
posições relativas dos elementos que os compõem.
30 (UPF 2017) A figura abaixo apresenta duas flores e A flor do diagrama A apresenta três verticilos florais e
representadas simbolicamente por meio de a flor do diagrama B apresenta cinco verticilos florais.
diagramas florais A e B.

ANOTAÇÕES

EXERCÍCIOS

www.biologiatotal.com.br 41
GABARITO DJOW
FLOR, FRUTO E SEMENTE
1 - [B] 11 - [E]
O fruto simples carnoso, do tipo baga, possui o mesocarpo A reprodução sexuada em angiospermas envolve uma dupla
suculento e numerosas sementes pequenas, por exemplo, fecundação com a formação de um zigoto 2N que originará o
o mamão. O fruto do tipo drupa possui o endocarpo duro e embrião e um zigoto 3N que produzirá a reserva nutritiva para
lignificado (caroço), como, por exemplo, a azeitona. o embrião, denominada endospermas secundário ou albumen.

2 - [C] 12 - [D]
Entre os verticilos florais estéreis observamos o cálice, constituído Essa flor possui as anteras posicionadas acima do carpelo,
pelas sépalas e a corola formada pelas pétalas. facilitando a autopolinização.

3 - [E] 13 - [E]
Os frutos comprados no mercado são cinco: pepino, abóbora,
tomate, uva e milho, uma infrutescência. A cenoura e a beterraba
são raízes tuberosas; o feijão é uma semente e a couve, um 14 - [C]
conjunto de folhas comestíveis.

15 - [E]
4 - [E] Parênquima aerífero auxilia na flutuação de plantas aquáticas,
As sementes de plantas espermatófitas apresentam o estado de enquanto parênquima aquífero armazena água em plantas que
dormência para que possam germinar em condições ideais de vivem em solo seco.
umidade, temperatura e luminosidade. Pneumatódios são orifícios encontrados em raízes
pneumatóforas, presentes em plantas que vivem em regiões
cujo solo apresenta baixa quantidade disponível para este órgão.
5 - [B] Orquídeas e bromélias são plantas epífitas e que não parasitam
outros vegetais, apenas os usam como suporte para obtenção
A pimenta é um fruto que se desenvolveu a partir do ovário da de luz solar.
flor da pimenteira. A canela é a casca do caule, que é classificado
BOTÂNICA

como tronco. O cravo da índia utilizado como especiaria Brácteas são formações florais que protegem o botão floral e
corresponde ao botão floral seco. A noz- moscada é a semente muitas vezes podem apresentar cores como atrativos para
encontrada dentro do fruto da moscadeira. A porção do gengibre agentes polinizadores.
utilizado como especiaria corresponde o caule subterrâneo,
conhecido como rizoma.
16 - [B]
6 - [D]
Os frutos desenvolvidos sem que ocorra a fecundação não 17 - [A]
apresentam sementes.

18 - [C]
7 - [C] As estruturas amarelas são flores. As flores contém os órgãos
As folhas mais externas à flor, e muitas vezes verdes, constituem reprodutores da planta, denominados androceu (masculino) e
as sépalas, cujo conjunto compõe o cálice. gineceu (feminino).

8 - [D] 19 - [C]
Os frutos são estruturas responsáveis pela proteção e A velocidade da respiração é maior quando os frutos estão mais
disseminação das plantas angiospermas. maduros.

9 - [D] 20 - [E]
As sementes contêm o endosperma. O endosperma se constitui O glúten é um grupo de proteínas observadas no tecido de
em uma reserva energética para nutrir o embrião durante a reserva (endosperma) de sementes de cereais como aveia, trigo,
germinação da semente. centeio, etc.

10 - [C] 21 - [D]
A metade da cabaça a qual o enunciado se refere é metade As flores que apresentam órgãos reprodutores de ambos os
do fruto verdadeiro da cabaceira, também conhecida como sexos, são denominadas monóclinas.
aboboreira. E o arco é um caule do tipo colmo presente no Nas espermatófitas, plantas produtoras de sementes, o ovário
bambu.

42
desenvolvido formará o fruto somente em Angiospermas. Caju - pseudofruto;
Azeitona - fruto carnoso;
Laranja - fruto carnoso;
22 - [A]
Feijão - fruto seco deiscente;
[I] Falso: O cajueiro é uma árvore nativa da América e comum na
região Nordeste do Brasil. Milho - fruto seco indeiscente.
[II] Falso: A porção comestível do caju é um pseudofruto
formado pelo desenvolvimento do pedúnculo floral que acumula
substâncias de reserva. 26 - [D]
As condições mais eficientes para prolongar a longevidade dos
frutos, através da redução da atividade enzimática, seriam:
23 - [D] redução do pH de 4 para 2 e diminuição da temperatura de 40
°C para 20 °C.
Estão incorretos os itens:
[I] o pimentão é um fruto carnoso do tipo baga.
[IV] os frutos verdadeiros são formados a partir do 27 - [D]
desenvolvimento do ovário da flor. As gimnospermas, como os pinheiros, ciprestes, sequoias, etc,
são plantas que não formam frutos. Porém, suas sementes
possuem reserva, denominada endosperma primário, um tecido
24 - [D] haploide.
[II] Falsa. O receptáculo floral, em algumas espécies de
angiospermas armazenam reservas e originam os pseudofrutos.
28 - [B]
[III] Falsa. Gimnospermas não formam flores.
[V] Falsa. O óvulo fecundado pelo grão de pólen dará origem à
semente. 29 - [C]

25 - [E] 30 - [E]
Abacate: fruto carnoso; Ambas as flores apresentam quatro verticilos florais ou conjuntos
de apêndices, sendo cálice, corola, androceu e gineceu.
Abacaxi - infrutescência;

ANOTAÇÕES

BOTÂNICA

www.biologiatotal.com.br 43
GIMNOSPERMAS
Em gimnosperma este tecido, ou seja, o xilema é
formado por vasos do tipo traqueíde, um cilindro
com muitos orifícios chamados pontuações.
Também o floema, tecido de condução de
seiva elaborada apresenta-se diferente das
angiospermas, pois não apresentam células
companheiras. Possuem com frequência canais
Pinheiro-do-paraná (Araucaria angustifolia)
resiníferos, as flores são unissexuadas, enquanto
Do grego gymnos = nu e spermae = semente. Ou o vegetal pode ser monoico ou dioico e a forma
seja, são plantas que possuem sementes nuas, de polinização mais frequente do grupo é através
sem frutos, pois suas flores não possuem ovário. do vento (anemófila).

Juntamente com as Angiospermas, pertencem Entre as gimnospermas, encontram-se os seres


ao grupo das fanerógamas (com flores) e de maior longevidade, como os pinheiros-da-
espermatófitas (com sementes). Compreende califórnia, que podem atingir 4600 anos.
geralmente vegetais de grande porte, como
gigantescas sequoias (até 117 metros), as
quais pertencem ao grupo das coníferas, a mais IMPORTÂNCIA
significante e maior classe das gimnospermas,
Têm grande importância como fornecedoras
pinheiros, ciprestes, cedros, entre outros.
de matéria-prima, madeira, celulose, resinas,
Atualmente existem aproximadamente 650
medicamentos, gomas, essências, além de
BOTÂNICA

espécies descritas que habitam zonas frias e


algumas sementes servirem de alimento.
temperadas.

CICLO BIOLÓGICO
A reprodução das gimnospermas também se
caracteriza pela alternância de gerações, sendo
a geração esporofítica (2n) a fase duradoura,
enquanto que a geração gametofítica (n) é
temporária.

O esporófito adulto produz estróbilos


(microstróbilos – masculinos e/ou megastróbilos
Sequoia gigante
ou pinhas – femininos) que correspondem às
São dotadas de folhas longas e finas (acículas) flores, ou inflorescências. No cone feminino
ou curtas e espessas em forma de escamas, existem esporângios, chamados óvulos,
tronco espesso com muitos galhos. As flores produtores de megásporos. Em cada óvulo,
desses vegetais são atípicas e reúnem-se em apenas uma célula-mãe de megásporo, diploide,
estruturas denominadas estróbilos ou cones. se divide por meiose e origina 4 novas células:
3 pequenas que degeneram e outra maior que
Existe uma diferença anatômica no tecido de se diferenciará no megásporo funcional. Esse
condução de seiva bruta de angiosperma e megásporo germina dentro do próprio óvulo por
gimnosperma. mitoses, originando o gametófito feminino,

14
que amadurece, surgindo os arquegônios com A oosfera é então fecundada. Para isso não
uma oosfera em cada um. há a necessidade da presença da água, o que
constitui um importante passo evolutivo na
Nos cones masculinos, os esporângios conquista do meio terrestre.
produzirão micrósporos a partir de células-
mães que se dividem por meiose. Esses A oosfera fecundada transforma-se em
micrósporos germinam dentro dos esporângios, zigoto e em embrião, o qual permanecerá no
originando vários gametófitos masculinos, gametófito feminino. Esse por sua vez passa a
que constituem os grãos de pólen. nutrir o embrião através das reservas nutritivas,
passando a se chamar endosperma (n).
A polinização geralmente ocorre na primavera.
Aproximadamente 15 meses após a polinização, O embrião mais o endosperma, além dos
o tubo polínico (gametófito masculino maduro) cotilédones (folhas embrionárias) constituem
atinge o gametófito feminino. As plantas que agora a semente.
possuem tubo polínico são ditas sifonógamas.

1 Na maioria das 3 Cada escama do cone ovulado tem dois


espécies de coníferas, óvulos, cada um contendo um megasporângio.
cada árvore tem tantos Somente um óvulo é mostrado.
cones ovulados
quanto polínicos. Óvulo

4 A polinização
ocorre quando um
Megasporócito (2n) grão de pólen
Cone alcança o óvulo.
Integumento O grão de pólen
ovulado então germina,
Cone polínico formando um tubo
polínico que digere
Microsporângios lentamente o tecido
no seu caminho

BOTÂNICA
Microsporócitos
(2n) pelo megasporângio.
Grãos de
Esporófito pólen (n)
maduro Grão de Megasporângio (2n)
(2n) pólen
MEIOSE germinando
MEIOSE
Megásporo
viável (n)
Microsporângio
(2n) 5 Enquanto o
tubo polínico se
2 Microsporócitos dividem-se por meiose, desenvolve, o
megasporócito
produzindo micrósporos haploides. Um sofre meiose,
micrósporo desenvolve-se num grão de produzindo
Sementes sobre a pólen (gametófito masculino envolto pela quatro células
escama ovulífera parede polínica). haploides.
Apenas uma delas
Arquegônio sobrevive como o
megásporo.
Gametófito
feminino
6 O megásporo
Reserva de desenvolve um
alimento (tecido gametófito feminino
gametofítico) Tegumento (2n) Núcleos e contém dois ou
(2n) espermáticos três arquegônios,
(n) cada um com uma
oosfera.
Tubo polínico

Embrião
(nova geração FECUNDAÇÃO 7 No momento em que as oosferas
esporofítiva) (2n) estão maduras, dois núcleos espermáticos
formam o tubo polínico, que se estende
até o gametófito feminino. A fecundação
8 A fecundação ocorre geralmente mais de um ano Oosfera (n) ocorre quando o núcleo espermático se
CHAVE une à oosfera.
após a polinização. Todas as oosferas podem ser
fecundadas, mas geralmente apenas um zigoto se
Haploide (n) desenvolve em um embrião. O óvulo torna-se
Diploide (2n) semente, consistindo em um embrião, reserva de
alimento e tegumento (casca).

Ciclo Reprodutivo de gimnosperma

www.biologiatotal.com.br 15
ANGIOSPERMAS
Classificam-se em dois grandes grupos:
Monocotyledoneae (monocotiledôneas)
com aproximadamente 65 mil espécies e
Dicotyledoneae (dicotiledôneas) representando
o grupo com 170 mil espécies. O nome é devido
ao número de cotilédones (folha nutritiva
embrionária) presente na semente. Ou seja, as
monocotiledôneas (grama, milho, orquídea, ...)
apresentam apenas um cotilédone na semente
enquanto que as dicotiledôneas (quase que a
Flor-de-lotus (Angiosperma)
totalidade das angiospermas) possuem dois
cotilédones na semente.
O grupo das angiospermas (do grego: aggeion
Em aulas futuras perceberemos que existem
= vaso, urna e spermae = semente) compreende
grandes diferenças nestes grupos de plantas,
o maior grupo de plantas atualmente. São
com relação as raízes, caules, folhas, flores e é
aproximadamente 235 mil espécies de tamanhos
claro nas sementes.
variados.

A característica mais marcante das angiospermas


é a produção de frutos (pela presença de IMPORTÂNCIA
ovários na flor) protegendo as sementes, sendo,
BOTÂNICA

portanto, também vegetais espermatófitos. São frequentemente utilizadas na alimentação


Acredita-se que esses vegetais tenham se (arroz, feijão, milho, soja, tomate, batata,
originado de alguma gimnosperma primitiva. canela, café, trigo, alface, palmito, manga,
beterraba e muitos outros). Possuem o látex,
São predominantemente terrestres, sendo utilizado em indústrias, muitas espécies possuem
algumas dulcícolas (água doce) e raramente propriedades medicinais, outras já são tóxicas.
marinhas. A maioria é de vida livre, existindo E ainda são muito utilizadas na confecção de
poucas espécies parasitas. Algumas são epífitas roupas.
(vivem sobre outras plantas, sem parasitá-las),
outras são trepadeiras, fixando-se em árvores,
muros, e atingindo grandes alturas no interior
das florestas. CICLO BIOLÓGICO
São vegetais fanerógamos, porém, suas Do mesmo modo que as gimnospermas, as
flores são mais especializadas e completas. angiospermas possuem a geração esporofítica
Podem se reunir em conjuntos formando as (2n) predominante, e a geração gametofítica
inflorescências. O xilema também se diferencia (n) temporária. A polinização pode ser feita de
das gimnospermas, pois formam traqueias, as formas diferentes, como vento, água, insetos,
quais mostram-se anatomicamente diferentes aves ou até mesmo o homem, apresentando
do xilema (traqueíde) das gimnospermas. No com isso maiores adaptações à vida terrestre.
floema existem células anexas, possuem com
O gametófito masculino se caracteriza pelo
frequência o látex, uma secreção de extrema
grão de pólen, o qual possui duas células,
importância à planta.
uma vegetativa responsável pela formação do

16
tubo polínico (sifonógamas) e outra célula ou albúmen (3n). Portanto, em angiospermas,
reprodutiva, que participará do processo de ocorre uma dupla fecundação diferentemente
fecundação. O gametófito feminino compreende das gimnospermas. Agora, o embrião (que
o saco embrionário (dentro do óvulo), formado apresenta os cotilédones necessários) mais o
por oito células, e após a fecundação abrigará o endosperma constitui a semente.
embrião. Três dessas oito células participarão do
processo de fecundação: oosfera e 2 núcleos Após esse processo, o ovário por ação hormonal
polares. Então, a célula reprodutiva masculina passa a amadurecer e a se transformar em
ao sofrer uma mitose, origina duas novas células fruto, protegendo a semente. Esta por sua vez,
iguais, sendo que uma delas fecunda a oosfera, terá oportunidade de dar início a uma nova vida
originando o embrião (2n) e a outra atinge os vegetal através da germinação.
dois núcleos polares formando o endosperma

CHAVE 1 Na antera, cada microsporângio 2 Um micrósporo desenvolve


contém microsporócitos que se um grão de pólen. A célula
dividem por meiose, produzindo generativa do gametófito se
Haploide (n) micrósporos. dividirá, formando dois núcleos
Diploide (2n) espermáticos. A célula do tubo
produzirá o tubo polínico.
Flor desenvolvida na Microsporângio
planta esporofítica (2n) Antera
Microsporócitos (2n)

MEIOSE

Célula generativa
7 Quando a Óvulo com Micrósporo (n) Célula do tubo
semente germina, o megasporângio
embrião desenvolve (2n) Núcleo do tubo
um esporófito Gametófito masculino
maduro. (no grão de pólen)
(n)

BOTÂNICA
Ovário Grãos de
MEIOSE pólen
Semente
germinando Estigma
3 No megasporângio
de cada óvulo, o Tubo
megasporócito se divide Megasporângio polínico
por meiose, produzindo (2n)
quatro megásporos. Um Megásporo Núcleos
Embrião (2n) deles sobrevive e forma espermáticos
um gametófito feminino. viável (n)
Endosperma (3n) Núcleo
Casca Semente do tubo
6 O zigoto (tegumento) Integumentos
desenvolve o (2n)
embrião, que fica Micrópilo
Antípodas
encerrado na Estilete
semente, juntamente Célula média
com o alimento de (com dois
reserva. (Os tecidos Gametófito feminino núcleos)
do fruto que (saco embrionário)
circundam a semente Sinérgides
não são mostrados.)
Zigoto (2n) Oosfera (n)
Núcleo do
endosperma em Núcleo da
desenvolvimento oosfera (n)
(3n)
4 Após a polinização,
FECUNDAÇÃO dois núcleos
espermáticos são
descarregados em
cada óvulo.
5 A dupla fecundação ocorre. Um núcleo
espermático fecunda a oosfera, formando um
zigoto. O outro núcleo espermático fecunda a
célula média, formando o endosperma
(reserva de alimento, 3n neste exemplo). Núcleos espermáticos
(n) já descarregados

Ciclo reprodutivo de angiosperma

www.biologiatotal.com.br 17
EXERCÍCIOS
CAIU NA UFRGS - 2017

Observe a figura abaixo, que ilustra as relações evolutivas dos grupos das Gimnospermas e Angiospermas.

Com base na figura, a correspondência correta


dos itens I e II, na ordem em que aparecem, é
a folhas – cones.
b sementes – flores.
c frutos – embriões.
d ovários – esporos.
e estróbilos – grãos de pólen.

Capítulo 2. Relações Filogenéticas das Samambaias.


Capítulo 3. Relações Filogenéticas das Gimnospermas.
Capítulo 4. Relações Filogenéticas das Angiospermas.
Em quais capítulos do livro, o estudante encontrará
as informações que procura?
1 (PUCMG 2015) As angiospermas apresentam, em
seu ciclo de vida, particularidades que as distinguem a Nos capítulos 1, 2 e 3.
b Nos capítulos 1, 3 e 4.
das gimnospermas. São processos e/ou estruturas
EXERCÍCIOS

c Nos Capítulos 1, 2 e 4.
exclusivas das angiospermas, EXCETO: d Nos capítulos 2, 3 e 4.
a dupla fecundação. e Em todos os capítulos.
b tecido triploide nutritivo.
c frutos derivados do ovário.
d óvulos e sementes.
4 (UFRGS 2015) Assinale a alternativa que apresenta uma
estrutura reprodutiva exclusiva das angiospermas.
a Tubo polínico
2 (PUCRS 2016) Na reprodução de angiospermas, cada
óvulo desenvolve uma semente após a fecundação, b Endosperma secundário
c Grão de pólen
e o ovário forma um __________ que encerra as
d Saco embrionário
sementes. A semente armazena vários nutrientes,
e Semente
como proteínas, óleos e amido, enquanto o embrião
se desenvolve a partir do __________. Inicialmente,
esses nutrientes são estocados no __________ da
semente. 5 (MACKENZIE 2015) Nas plantas superiores
(gimnospermas e angiospermas), a fase gametofítica
a fruto – óvulo – cotilédone
é bastante reduzida e desenvolve-se no interior do
b fruto – zigoto – endosperma
c tegumento – óvulo – epicótilo próprio esporângio.
d tegumento – zigoto – cotilédone Os gametófitos masculino e feminino, nessas plantas,
e pericarpo – zigoto – endosperma
correspondem, respectivamente, ao
a grão-de-pólen e óvulo.
b célula do tubo polínico e endosperma.
3 (PUCRJ 2016) Buscando informações sobre plantas c tubo polínico e saco embrionário.
vasculares, um estudante consultou o índice a seguir: d microsporócito e megasporócito.
e célula espermática e oosfera.
Capítulo 1. Relações Filogenéticas das Briófitas.

18
6 (ENEM 2012) A imagem representa o processo de 8 (FGV 2016) A fotografia seguinte retrata o
evolução das plantas e algumas de suas estruturas. surgimento de um novo coqueiro a partir de um fruto
Para o sucesso desse processo, a partir de um parcialmente enterrado na areia e disperso pelo mar.
ancestral simples, os diferentes grupos vegetais
desenvolveram estruturas adaptativas que lhes
permitiram sobreviver em diferentes ambientes.

O processo reprodutivo ilustrado é típico de uma


angiosperma, sendo classificado como
a sexuado, pois depende da germinação do fruto
originado pela fecundação entre a semente (gineceu)
e o pólen (androceu).
b assexuado, no qual o embrião germina a partir do
Qual das estruturas adaptativas apresentadas ovário da flor transformado em semente e protegido
contribuiu para uma maior diversidade genética? pelo fruto.
c sexuado, pois ocorre a partir da fecundação entre os
a As sementes aladas, que favorecem a dispersão aérea. esporos masculinos e femininos para formação do
b Os arquegônios, que protegem o embrião multicelular. fruto.
c Os grãos de pólen, que garantem a polinização cruzada. d assexuado, pois ocorre o brotamento direto a partir do
Os frutos, que promovem uma maior eficiência fruto, sem necessidade de fecundação da semente.
d reprodutiva. e sexuado, no qual duas fecundações geram o embrião e
Os vasos condutores, que possibilitam o transporte da o endosperma internos à semente e ao fruto.
e seiva bruta.

9 (FAC. ALBERT EINSTEIN - MEDICINA 2016) Um

EXERCÍCIOS
7 (UFRGS 2012) A figura abaixo apresenta algumas das pesquisador aplicou uma solução de auxina em
características compartilhadas por grupos de plantas. pistilos de uma planta e, em seguida, as flores dessa
planta foram protegidas para evitar a ação de agentes
polinizadores. Depois de certo tempo, obtiveram-se
frutos simples, quanto à origem carpelar, porém sem
sementes.
A planta em questão
a é uma angiosperma, e o processo observado é a
partenocarpia artificial, no qual a auxina promoveu o
crescimento do ovário.
b é uma angiosperma, e o processo observado é o da
formação de pseudofrutos, no qual a auxina promoveu
o crescimento de outras partes da flor, além do pistilo.
c pode ser uma gimnosperma ou uma angiosperma, e
o processo observado é a partenocarpia artificial, no
qual a auxina promoveu o desenvolvimento do ovário.
d pode ser uma gimnosperma ou uma angiosperma, e o
processo observado é o da formação de pseudofrutos,
no qual a auxina promoveu o crescimento de outras
As características associadas aos números 1 e 2 partes da flor, além do pistilo.
representam, respectivamente, a presença de
a esporófito haploide e folhas verdadeiras.
b gametófito haploide e sementes. 10 (UFRGS 2013) A coluna da esquerda, abaixo,
c esporófito haploide e estômatos. lista quatro grupos de plantas atuais; a da direita,
d embrião protegido e tecido vascular. características desses grupos.
e embrião protegido e sementes.
Associe adequadamente a coluna da direita à da
esquerda.

www.biologiatotal.com.br 19
1. Briófita ( ) plantas avasculares que 12 (UEFS 2017)
apresentam rizoides
2. Pteridófita ( ) plantas sem sementes que
apresentam esporângios
3. Gimnosperma ( ) plantas com estróbilos que
apresentam sementes nuas
4. Angiosperma
A sequência correta de preenchimento dos parênteses,
de cima para baixo, é Observando-se o ciclo de vida do vegetal em
a 3 – 2 – 1. destaque, é correto afirmar:
b 3 – 1 – 4. a Esse vegetal é desprovido de um tecido vascular
c 1 – 4 – 3. específico devido à dependência da água para sua
d 2 – 3 – 4. fecundação.
e 1 – 2 – 3. b A germinação que precede a formação do gametófito
ocorre por mitoses sucessivas.
c O esporófito é monoico e pode, por meiose, gerar
células gaméticas específicas.
d Os esporos, originados do esporângio, ocorrem por
uma divisão sem disjunção cromossômica.
e No ciclo, observa-se que a fase duradoura é
gametofítica, e a temporária, esporofítica.

11 (FGV 2014) Um grupo de estudantes percorria uma


trilha pela Mata Atlântica, quando um deles observou,
13 (IFPE 2012) O Reino Plantae apresenta quatro
na ponta de um bambuzeiro, estruturas vegetais que, importantes Divisões:
a princípio, desconheciam. Iniciaram então, sem
grande aprofundamento, um curto “debate botânico I. Divisão Briophyta (Briófitas).
EXERCÍCIOS

científico” sobre a classificação de tais estruturas, II. Divisão Pteridophyta (Pteridófitas).


devidamente registradas na imagem.
III. Divisão Coniferophyta (Gimnospermas).
IV. Divisão Antophyta (Angiospermas).
Sobre esses grupos vegetais, assinale a única
afirmativa totalmente correta.
a As briófitas são plantas avasculares (talófitas), que não
apresentam raízes, caules e folhas verdadeiros, e sim
rizoides, cauloides e filoides. A sua reprodução se dá
O estudante que primeiro identificou as estruturas por alternância de gerações com predominância da
fase esporofítica que é diploide.
afirmou que eram estruturas reprodutivas vegetais, b As pteridófitas são plantas vasculares (traqueófitas).
tais como flores, ou frutos, ou sementes. Reproduzem-se por alternância de gerações com
predominância da fase gametofítica que é haploide.
Com relação a esse comentário, o estudante c Nas gimnospermas, as sementes se desenvolvem
no interior de frutos e durante o seu ciclo de vida
a não está correto, pois os bambus são dicotiledôneas, o esporófito diploide é mais desenvolvido que o
como a grama e o capim, portanto não produzem tais
estruturas reprodutivas. gametófito haploide.
está correto, pois os bambus são gimnospermas, como d Nas angiospermas, plantas com flores, sementes e
b frutos, o esporófito é bem desenvolvido. Esse grupo
a palmeira e o coqueiro, que produzem tais estruturas,
mesmo que diminutas. é representado pelas monocotiledôneas e pelas
dicotiledôneas.
c não está correto, pois os bambus são angiospermas,
como a samambaia e a avenca, as quais nem sempre e Tanto as briófitas como as pteridófitas são plantas
produzem tais estruturas. avasculares e apresentam reprodução por alternância
de gerações com predominância da fase gametofítica.
d está correto, pois os bambus são monocotiledôneas,
como o trigo e a cana, portanto produzem tais
estruturas, mesmo que pouco chamativas.
e não está correto, pois os bambus são eudicotiledôneas,
como a orquídea e a bromélia, as quais não produzem 14 (FMP 2017) O projeto Flora do Brasil 2020 tem como
tais estruturas reprodutivas. objetivo fazer a divulgação de descrições, chaves de
identificação e ilustrações para todas as espécies de

20
plantas, algas e fungos conhecidos no país. COMPONENTES CONSTITUIÇÃO
A tabela abaixo mostra a distribuição das 46,104 GENÉTICA
espécies nativas reconhecidas até o momento. oosfera (gameta feminino) AB

Algas 4.747 células-mãe de esporos masculinos AaBb


Angiospermas 32.813 células do endosperma AAaBBb
Briófitas 1.526 Esses dados permitem concluir que
Fungos 5.711 a os esporos femininos desse exemplar, produzidos por
mitose, tinham constituição AB ou ab.
Gimnospermas 30
b os esporos femininos desse exemplar, produzidos por
Samambaias e Licófitas 1.277 meiose, tinham constituição Ab ou aB.
Flora do Brasil 2020 em construção. Jardim Botânico do Rio de c os núcleos espermáticos desse exemplar, produzidos
Janeiro. Disponível em: <http://floradobrasil.jbrj.gov.br/>. Acesso por mitose e presentes no tubo polínico, tinham
em: 23 jun. 2016. constituição ab.
d os núcleos espermáticos desse exemplar, produzidos
De acordo com a tabela, o número de espécies nativas por meiose e presentes no tubo polínico, tinham
constituição Ab.
brasileiras do reino Plantae, reconhecidas até o
momento, portadoras de vasos condutores de seiva é
a 32.813
b 32.843 17 (COL. NAVAL 2015) Observe as definições dos grupos
c 34.120 vegetais I, II e III.
d 35.646
I. São vegetais simples que não possuem verdadeiras
e 39.831
folhas, caules e raízes e nem possuem tecidos
especializados no transporte de água e outras
substâncias no interior da planta. Entretanto,
15 (UECE 2015) Atente para as dicas abaixo. apresentam rizoides que, além de absorver água,
I. Apresento raízes fasciculadas, folhas paralelinérveas fixam esses organismos ao substrato em ambientes
e flores trímeras. úmidos terrestres.

EXERCÍCIOS
II. Produzo sementes em ramos reprodutivos II. São vegetais que dependem da água para a
denominados estróbilos. reprodução e não apresentam sementes. Entretanto,
III. A fase dominante do meu ciclo reprodutivo é o apresentam caules, raízes e folhas verdadeiras e,
gametófito. também, apresentam tecidos especializados na
condução de materiais no interior de seu corpo.
IV. Sou um esporófito ramificado, mas não produzo
sementes. III. São vegetais que não dependem da água para a
reprodução. Geralmente os grãos de pólen são levados
A sequência que corresponde corretamente à
pelo vento até os elementos reprodutores femininos.
descrição dos itens I, II, III e IV é:
Apresentam sementes, mas não apresentam frutos.
a dicotiledônea, araucária, pteridófita, monocotiledônea.
b monocotiledônea, pteridófita, hepática, gimnosperma. Assinale a opção que apresenta os nomes dos grupos
c dicotiledônea, gimnosperma, musgo, samambaia. de vegetais I, II e III, nessa ordem.
d monocotiledônea, pinheiro, musgo, samambaia.
a Algas, Briófitas e Angiospermas.
b Briófitas, Pteridófitas e Gimnospermas.
c Algas, Pteridófitas e Angiospermas.
16 (FAC. ALBERT EINSTEIN - MEDICINA 2016) Considere d Briófitas, Gimnospermas e Angiospermas.
dois pares de genes com segregação independente e Pteridófitas, Angiospermas e Gimnospermas.
em uma angiosperma que tem autopolinização,
e cujas flores têm apenas um ovário, no qual se
aloja um único óvulo. Suponha que as células 18 (FUVEST 2015) Abaixo estão listados grupos de
diploides da flor de um exemplar dessa espécie organismos clorofilados e características que os
apresentassem genótipo AaBb, e que a partir dela distinguem:
tenham se originado componentes com determinadas I. Traqueófitas – vaso condutor de seiva.
constituições genéticas, que se encontram na tabela
II. Antófitas – flor.
abaixo.

www.biologiatotal.com.br 21
III. Espermatófitas – semente. III. os gametófitos femininos, após a fecundação, vão
IV. Embriófitas – embrião. originar um tecido chamado endosperma que pode
ser diploide ou triploide.
V. Talófitas – corpo organizado em talo.
IV. após a fecundação, os óvulos vão dar origem à
Considere que cada grupo corresponde a um semente contendo um embrião diploide.
conjunto e que a interseção entre eles representa
o compartilhamento de características. Sendo P um Estão corretas, apenas,
a I e IV.
pinheiro-do-paraná (araucária), indique a alternativa
b I e II.
em que P está posicionado corretamente, quanto às c II e III.
características que possui. d II e IV.
a e III e IV.

20 (ACAFE 2016) A maior diversidade de plantas do


mundo
b Depois de sete anos de trabalho, um grupo de 575
botânicos do Brasil e de outros 14 países concluiu
a versão mais recente de um amplo levantamento
sobre a diversidade de plantas, algas e fungos do
Brasil, agora calculada em 46.097 espécies. Quase
c
metade, 43%, é exclusiva (endêmica) do território
nacional. O total coloca o Brasil como o país com a
maior riqueza de plantas no mundo.
Fonte: Revista FAPESP - ED. 241 | Marco 2016.
d Disponível em: http://revistapesquisa.fapesp.br/
EXERCÍCIOS

Em relação ao processo reprodutivo das plantas,


correlacione as colunas a seguir.
1. Dicogamia
e
2. Apomixia
3. Cleistogamia
4. Reprodução Gâmica
5. Propagação vegetativa

19 (MACKENZIE 2014) ( ) Mecanismo que favorece a autofecundação, já


que a polinização ocorre antes da abertura do botão
floral ou antese
( ) Amadurecimento da parte feminina (gineceu) da
flor e da parte masculina (androceu) em momentos
diferentes, favorecendo a alogamia.
Os desenhos acima representam as fases de vida ( ) Reprodução biológica sem fecundação, meiose ou
gametofítica de gimnospermas e angiospermas. A produção de gametas, com o resultado das sementes
esse respeito, são feitas as seguintes afirmações: serem geneticamente idênticas às da planta mãe.
I. os gametófitos masculino e feminino são ( ) Multiplicação assexuadamente de partes de
constituídos por células haploides. plantas (células, tecidos, órgãos ou propágulos),
II. tanto os gametófitos femininos como os óvulos são originando novos indivíduos.
constituídos por células haploides. ( ) Fusão de gametas maternos e paternos oriundos
da mesma planta ou de diferentes plantas.

22
A sequência correta, de cima para baixo, é: b Qual o nome do grupo de plantas dotadas de flores?
Por que a formação das flores permitiu um grande
a 2–1–3–4–5 sucesso evolutivo para esse grupo de plantas?
b 5–4–1–3–2
c 4–3–5–2–1
d 3–1–2–5–4

21 (FUVEST 2012) As afirmações abaixo se referem a


características do ciclo de vida de grupos de plantas
terrestres: musgos, samambaias, pinheiros e plantas
com flores.
23 (UEPG 2014) Entre as angiospermas, observando ao
I. O grupo evolutivamente mais antigo possui fase microscópio um corte transversal de raiz na zona de
haploide mais duradoura do que fase diploide. maturação, distinguem-se três conjuntos de células
II. Todos os grupos com fase diploide mais duradoura dispostos em camadas concêntricas, originados pela
do que fase haploide apresentam raiz, caule e folha diferenciação dos meristemas primários: a epiderme,
verdadeiros. o córtex e o cilindro vascular. Da organização
morfofuncional desses elementos, assinale o que for
III. Os grupos que possuem fase haploide e diploide
correto.
de igual duração apresentam, também, rizoides,
01 As células parenquimáticas possuem paredes celulares
filoides e cauloides (ou seja, raiz, folha e caule não espessas repletas de lignina, uma substância que gera
verdadeiros). a impermeabilização da parede.
02 Imediatamente abaixo da epiderme, localiza-se o
Está correto apenas o que se afirma em córtex, constituído por várias camadas celulares
que surgem a partir do meristema fundamental e se
a I. diferenciam em parênquimas, tecidos de sustentação
b II. (colênquima e esclerênquima e endoderma).
c III. 04 A epiderme é constituída por uma única camada
d I e II. de células, originadas do protoderma. Ela reveste
externamente a raiz jovem e fica em contato com

EXERCÍCIOS
e II e III. o solo. As células da epiderme são intimamente
unidas entre si, o que impede que moléculas grandes
penetrem na planta.
08 Um tipo de tecido de preenchimento e reserva é o
22 (FAC. SANTA MARCELINA - MEDICINA 2017) O gráfico esclerênquima. As células do esclerênquima possuem
paredes finas, constituídas basicamente por celulose.
ilustra a variação numérica dos gêneros de algumas
16 Os elementos traqueários das angiospermas são de
plantas, que sofreram uma possível influência do ois tipos: traqueídes e elementos de vaso. Ambos são
aquecimento global, durante a era Mesozoica. constituídos de células vivas com intensa capacidade
de regeneração celular e reparo de lesões.

24 (UEPG 2013) Com relação a todas as características


das angiospermas, assinale o que for correto.
01 Após a fecundação de uma angiosperma, o ovário
transforma-se em frutos, e os óvulos, no seu interior,
transformam-se em sementes.
02 Nas angiospermas, o endosperma da semente não tem
função durante a germinação, pois todos os nutrientes
dessa etapa são retirados da fotossíntese.
04 A semente de uma angiosperma é formada pelo
tegumento, proveniente das paredes do óvulo, e pela
amêndoa, constituída de embrião e endosperma.
08 Todas as angiospermas são classificadas como
monocotiledôneas por se encaixarem no grupo das
plantas cujos embriões possuem apenas um cotilédone.
16 A dispersão do fruto por animais é chamada de
zoocoria. Quando a dispersão do fruto é realizada pelo
a Cite o clima ideal para a sobrevivência das cicadáceas vento é denominada anemocoria e, se a dispersão for
e gimnospermas existentes atualmente. Por que realizada pela água, denomina-se hidrocória.
o aquecimento global poderia ter prejudicado a
reprodução das samambaias no período analisado no
gráfico?

www.biologiatotal.com.br 23
25 (UEM 2013) As angiospermas são consideradas 04 O fruto do tipo cariopse apresenta uma só semente,
a qual está ligada à parede do fruto por toda sua
as plantas com maior sucesso de colonização no
extensão.
ambiente terrestre, por apresentarem flores, frutos 08 Endosperma é um tecido triploide, rico em substâncias
e sementes. Sobre esses órgãos, assinale a(s) nutritivas, originado da fusão dos núcleos polares com
o núcleo espermático.
alternativa(s) correta(s).
16 A fertilização consiste no transporte do grão de pólen
01 A semente resulta do desenvolvimento do ovário, após da antera de uma flor masculina até o estigma de uma
ter ocorrido a fecundação. flor feminina.
02 Anemocoria é um mecanismo de dispersão de
sementes e frutos pelo vento.

ANOTAÇÕES
EXERCÍCIOS

24
GABARITO DJOW

CAIU NA UFRGS - 2017


[B]
O caráter evolutivo I, compartilhado por gimnospermas e angiospermas é o aparecimento da semente. Em II, surgem as
flores e os frutos, característicos de plantas angiospermas.

GMINOSPERMA E ANGIOSPERMA
1 - [D] 9 - [A]
A produção de óvulos e, consequentemente, de sementes, ocorre As auxinas aplicadas em pistilos de flores promovem o
em gimnospermas e angiospermas. desenvolvimento do ovário sem que haja fecundação. O ovário
desenvolvido origina o fruto partenocárpico sem sementes
artificial. As únicas plantas que apresentas flores e frutos são
2 - [B] as angiospermas.
Em angiospermas, após a fecundação, o ovário forma um fruto
que encerra as sementes. O embrião se desenvolve a partir da 10 - [E]
célula-ovo ou zigoto. O desenvolvimento do embrião é garantido
pelos nutrientes armazenados no endosperma da semente. As briófitas se caracterizam como vegetais de pequeno porte
como os musgos e não possuem tecidos de transporte de
nutrientes diferenciado, possuindo, no entanto, rizoides. As
3 - [D] pteridófitas caracterizam-se por serem plantas sem sementes
e possuírem esporângios localizados nas faces inferiores das
As plantas vasculares (ou traqueófitas) incluem as Pteridófitas folhas. Gimnosperma possui o significado de semente nua e
(samambaias), Gimnospermas e Angiospermas. não apresentam flores, mas possuem estruturas reprodutivas
chamadas estróbilo.

4 - [B]
11 - [D]

BOTÂNICA
O endosperma secundário 3N é uma substância de reserva
presente, exclusivamente, nas sementes das angiospermas. A observação do estudante está correta, pois os bambus são
angiospermas monocotiledôneas e produzem flores, frutos e
sementes, mesmo que pouco chamativas.
5 - [C]
Em gimnospermas e angiospermas, os gametófitos masculino e 12 - [B]
feminino são representados, respectivamente, pelo tubo polínico
e saco embrionário. A germinação dos esporos que precedem a formação do
gametófito ocorre por divisões mitóticas sucessivas.

6 - [C]
A polinização cruzada é fonte de variabilidade genética
13 - [D]
(alternativa [C]). Porém, o aparecimento dos frutos facilita a As briófitas são plantas avasculares com metagênese nítida e
dispersão de embriões que, isolados geograficamente, podem predominância da fase gametofítica haploide. As pteridófitas
originar novas espécies de angiospermas, contribuindo, assim, são vasculares com fase esporofítica predominante. As
para uma maior diversidade genética (alternativa [D]). gimnospermas não formam flores ou frutos.

7- [D] 14 - [C]
A característica 1, compartilhada pelas plantas relacionadas As plantas que apresentam vasos condutores de seiva são
ao cladograma, corresponde ao aparecimento do embrião Pteridófitas (samambaias e licófitas), Gimnospermas e
protegido pela planta-mãe. A característica 2, relacionada aos Angiospermas, totalizando 34.120 espécies nativas brasileiras
grupos vegetais pteridófitas, gimnospermas e angiospermas,
corresponde à ocorrência de tecidos condutores.
15 - [D]
8 - [E] A sequência de plantas correspondentes à descrição dos itens [I],
[II], [III] e [IV] está corretamente relacionada na alternativa [D].
A reprodução sexuada em angiospermas envolve uma dupla
fecundação com a formação de um zigoto 2N que originará o
embrião e um zigoto 3N que produzirá a reserva nutritiva para
o embrião, denominada endospermas secundário ou albumen.

www.biologiatotal.com.br 25
16 - [C] 22 - a) O clima ideal para a sobrevivência de cicadáceas e
Os dois núcleos polares presentes no saco embrionário presente gimnospermas é frio ou temperado. A queda na reprodução das
no óvulo apresentam constituição genética AB, porque foram samambaias relaciona-se ao aumento de temperatura, pois se
originados por mitose, tal qual a oosfera. Dessa forma, o núcleo reproduzem melhor em ambientes úmidos e sombreados.
espermático que se uniu aos núcleos polares para formar o b) O grupo dotado de flores são as Angiospermas. As flores
endosperma triploide AAaBBb tinha constituição genética ab. são um grande sucesso evolutivo das Angiospermas, pois são
estruturas responsáveis por sua reprodução, permitindo a
formação de sementes e frutos, juntamente com a atração para
17 - [B] a polinização.
Os itens [I], [II] e [III] caracterizam, respectivamente, as
plantas pertencentes aos grupos das briófitas, pteridófitas e
gimnospermas. 23 - 04.
[01] Falso. As células parenquimáticas apresentam a parede
celular celulósica delgada e não impermeabilizada.
18 - [B] [02] Falso. O endoderma não pertence ao córtex da raiz.
As araucárias (pinheiros-do-paraná) são plantas traqueófitas,
porque possuem tecidos condutores (xilema e floema), são [08] Falso. O esclerênquima é um tecido de sustentação formado
espermatófitas, pois formam sementes e embriófitas, porque por células mortas cujas paredes são impregnadas por celulose
desenvolvem embriões. e lignina.
[16] Falso. Os elementos de vaso e traqueídes que constituem
os vasos lenhosos do xilema são formados por células mortas.
19 - [A]
[II] Falsa: O óvulo é formado por células diploides.
24 - 01 + 04 + 16 = 21
[III] Falsa: O endosperma de gimnosperma é chamado primário e
é haploide (N). Em angiospermas o endosperma é denominado O endosperma da semente tem a função de fornecer
secundário e é triploide (3N). nutrientes para o embrião em germinação, somente depois
de formar as primeiras folhas o processo fotossintético pode
ser realizado. Entre as angiospermas podemos classifica-las
como monocotiledônea quando o embrião apresentar somente
20 - [D] um cotilédone ou dicotiledônea se houver dois cotilédones.
A sequência numérica, de cima para baixo, na relação conceitual: Cotilédone é a primeira folha do embrião cuja função é absorver
3, 1, 2, 5 e 4. os nutrientes do endosperma.

21 - [D] 25 - 02 + 04 + 08 = 14.
BOTÂNICA

Os grupos de organismos clorofilados que apresentam as fases [01] Incorreto: A semente resulta do desenvolvimento do óvulo
haploide e diploide com igual duração são as algas, as quais fecundado.
não apresentam rizoides, cauloide e filoides. Essas estruturas são [16] Incorreto: A fertilização consiste na união do 1º núcleo
observadas em briófitas, como, por exemplo, os musgos. espermático do tubo polínico com a oosfera contida no óvulo.

ANOTAÇÕES

26
HISTOLOGIA VEGETAL
Conforme os vegetais foram evoluindo, surgiram células da planta; sua parede é delgada, o
estruturas diferenciadas que lhes possibilitaram núcleo ocupa posição central e o citoplasma
adaptar-se ao meio ambiente. apresenta diversos vacúolos pequenos. Essas
características identificam uma célula como
Essas estruturas formam os órgãos das plantas, sendo indiferenciada ou embrionária.
como: raiz, caule, folha, flor, fruto e semente.
São formados por células diferenciadas que Vacúolos Vacúolo
compõem os diferentes tecidos encontrados no Parede Parede
Fina espessa
organismo vegetal.
Núcleo Núcleo

Tecidos, portanto, são conjuntos de células vivas


ou mortas, diferenciadas morfologicamente e célulaMeristemática
Célula meristemática célula adulta
Célula Adulto

adaptadas para realizar funções especializadas. Células oriundas do meristema, situadas a


Todos os tecidos vegetais têm origem no uma pequena distância do ápice, começam
embrião. Num vegetal completo, distinguimos a apresentar modificações na estrutura e
dois tipos básicos de tecidos: meristemáticos na função, caracterizando o processo de
ou embrionários e permanentes ou adultos. diferenciação celular. A primeira etapa da
diferenciação consiste na entrada de água;
os pequenos vacúolos fundem-se, formando
TECIDOS MERISTEMÁTICOS OU um grande vacúolo central. A célula sofre

BOTÂNICA
MERISTEMAS distensão, tendo um significativo aumento de
volume; isso contribui para o maior aumento
Também chamados de tecidos jovens ou de tamanho na planta. Posteriormente, há
embrionários, são formados por células deposição de materiais na face interna da
indiferenciadas responsáveis pelo crescimento parede, que se torna mais espessa.
do vegetal. Todos os tecidos diferenciados
ou permanentes têm origem a partir dos
meristemas. Os meristemas são divididos em
dois grupos: meristemas primários e secundários.

Meristemas Primários (crescimento em


altura)
São tecidos formados por células
indiferenciadas, a partir da multiplicação
das células do embrião, que promovem o
crescimento longitudinal ou em altura de
um vegetal. Na raiz esse meristema localiza-
se na zona lisa e no caule na região das
gemas ou brotos (ápice).
Quando se observa uma célula meristemática
ao microscópio, nota-se que ela tem
O início da diferenciação. Em A, grupo de células meristemáticas;
tamanho reduzido em relação a outras B representa células pouco diferenciadas que sofreram distensão.

www.biologiatotal.com.br 63
Os principais meristemas primários estão
mostrados no quadro a seguir:
Formará a epiderme (tecido
Dermatogênio
de revestimento das partes
ou protoderme
tenras).
Formará os tecidos da
Periblema ou casca ou córtex do vegetal
meristema (camada grossa mais
fundamental superficial da estrutura de
caules e raízes).
Formará o cilindro central
ou estelo. Dentro do
Pleroma ou
cilindro central estão os
procâmbio
tecidos de condução: Diferenciação do câmbio, formando a estrutura secundária

xilema e floema.

Caliptrogênio
É exclusivo da raiz;
formará a coifa ou caliptra, TECIDOS PERMANENTES
(células que protegem a
ponta a raiz).
TECIDOS DE REVESTIMENTO
Meristemas Secundários (crescimento em
espessura)
Também chamados de tecidos tegumentários,
São formados pela desdiferenciação de são aqueles que revestem as partes externas de
BOTÂNICA

células adultas. Promovem o crescimento uma planta.


em espessura de caules e raízes. São dois os
meristemas secundários: Caracterizam-se por apresentarem pouca
permeabilidade ao ar e à água, são maus
Ocorre no córtex, originando condutores de calor e protegem a planta contra
Felogênio o súber para fora e a variações bruscas de temperatura. Os tecidos de
feloderme para dentro. revestimento apresentam três funções principais:
Ocorre no cilindro central,
Câmbio originando o floema para proteção contra agressões, desidratação e
fora e o xilema para dentro. variação de temperatura;
trocas gasosas efetuadas com o meio em
OBSERVAÇÃO: Chamamos de Periderme ao
conjunto do: felogênio, feloderme e súber que que se encontram;
forma a casca secundária do vegetal.
absorção de água e nutrientes do solo.
Há dois tipos principais de tecidos de
Xilema revestimento, a epiderme e o súber ou cortiça.
Floema
Câmbio

EPIDERME
Súber
Felogênio
A epiderme, bastante delgada, recobre folhas
e partes jovens do caule e da raiz. A epiderme
A disposição dos principais tecidos num tronco de árvore.

64
de uma folha é fina, porque normalmente estômato: diferenciações de células
apresenta uma única camada de células, ou epidérmicas das folhas relacionadas com as
seja, é uniestratificada. Além disso, as células trocas gasosas da respiração e fotossíntese,
epidérmicas em geral são aclorofiladas. além da transpiração.
Isso é vantajoso, pois permite a entrada de Célula-guarda
luz empregada na fotossíntese, que ocorre
Ostíolo
no parênquima. Por outro lado, a pequena
espessura da epiderme tem como desvantagem Água
Cloroplasto
a facilidade de perda de água para a atmosfera.
Isso é contornado pela presença de uma Célula anexa
ou subsidiária
cobertura impermeável, a cutícula, constituída Estômato (vista frontal)
por cutina ou cera.
papilas: pequenas saliências das células da
A epiderme das plantas é dotada de vários epiderme, preferencialmente da epiderme
anexos, como por exemplo: superior das pétalas, conferindo-lhes aspecto
de veludo. Sua função é atração de agentes
cutícula: presente principalmente em órgãos polinizadores.
aéreos, contribui na redução da transpiração.
hidatódios: também chamados de estômatos
É a camada impermeabilizante.
aquíferos, relacionam-se com a gutação ou
sudação. Localizam-se nos bordos de certas
folhas.

Célula da
Epiderme

BOTÂNICA
Cutícula
Cutícula em células epidérmicas

acúleos: são estruturas pontiagudas da


epiderme de caules, empregadas como
Estrutura de um hidatódio
defesa; aparecem, por exemplo nas roseiras.
Acúleo
SÚBER

Já o súber é bastante espesso, envolvendo


Caule partes mais velhas do caule e da raiz, onde
Acúleos: anexos epidérmicos com função de defesa.
ocorre crescimento em espessura. Na realidade,
quando a raiz ou o caule crescem em espessura,
pelos: formações com funções variadas sua epiderme é rompida, sendo substituída pelo
(absorventes, urticantes, disseminadores, súber. Trata-se de um tecido constituído por várias
etc.). A função principal dos pelos é aumentar camadas de células mortas (pluriestratificado),
a superfície da célula. geradas a partir da atividade do felogênio.

As células do felogênio dividem-se para dentro


e para fora. Internamente diferenciam-se num
tipo de parênquima denominado feloderme.
Já as células formadas para fora diferenciam-
se em súber; neste processo a parede tem
À esquerda, pelos de tomateiro. À direita, pelos absorventes na raiz.
grande deposição de suberina, uma substância

www.biologiatotal.com.br 65
impermeável, provocando a morte das células.
Lenticela
Todo o seu interior fica cheio de ar, que atua
Súber
como um isolante térmico.

Súber, felogênio e feloderme constituem a


Falogênio
periderme da planta.

A periderme do caule ou da raiz acaba, então,


substituindo a antiga epiderme que recobria o
órgão. Nos locais da epiderme onde existiam
estômatos, o súber passa a apresentar pequenas Lenticelas no súber
fendas denominadas lenticelas, que chegam
a ter alguns milímetros de comprimento. Sua
função também é de realizar trocas gasosas,
porém não são capazes de regular a abertura
ou fechamento, como ocorre com os estômatos.
Muitas árvores, como o eucalipto, quando
crescem em espessura, descartam parte de
seu súber e outros tecidos. As placas de cascas
descartadas constituem o chamado ritidoma.
Ritidoma em caule de goiabeira

TECIDOS DE SUSTENTAÇÃO
As células desses tecidos possuem paredes
BOTÂNICA

resistentes. São responsáveis pela sustentação


espessadas devido ao depósito de substâncias em vários órgãos da planta.
como lignina ou celulose, por isso são mais

TECIDO CARACTERÍSTICA FUNÇÕES LOCALIZAÇÃO

Células vivas, com ou Resistência e Caules novos, pecíolos


Colênquima
sem clorofila flexibilidade e pedúnculos.

Parte velha das plantas. Está ligado


Células mortas,
Sustentação aos tecidos condutores e nervuras;
Esclerênquima impregnadas de lignina
e proteção aparece em caroços de frutos, na
(esclerídios e fibras)
polpa e na casca do coco.

COLÊNQUIMA

O colênquima é encontrado no pecíolo das entre células vizinhas. É comum a deposição


folhas e partes jovens de caules. Trata-se de de celulose na parede interna das células. A
um tecido vivo, com células muitas vezes tendo celulose garante a sustentação, preservando a
contorno hexagonal, o que permite um encaixe flexibilidade do órgão.

66
Reforço de grande rigidez. Há dois tipos principais de células
Celulose
do esclerênquima: fibras e escleritos. As fibras
são células longas e delgadas, os escleritos têm
aspecto mais irregular. Essas células aparecem
acompanhando os tecidos de condução; em
cascas de sementes e frutos e ainda nas polpas
de frutos.

Células do colênquima (corte transversal)

Fibras Esclereideos
As células do esclerênquima
Células do colênquima (corte longitudinal)

OBSERVAÇÃO:
ESCLERÊNQUIMA Em certas plantas como o sisal e a juta, os feixes
de fibras esclerenquimáticas permitem seu uso
comercial na indústria têxtil e no artesanato. No
O esclerênquima é um tecido morto, com células pêssego, na azeitona, no coco e em outros frutos,
os escleritos são os principais responsáveis pela
apresentando grande deposição de lignina acentuada dureza do endocarpo popularmente
em sua parede. A lignina é uma substância de chamado “caroço”.

BOTÂNICA
TECIDOS PARENQUIMÁTICOS (PREENCHIMENTO)
São encontrados em praticamente todas as responsáveis pelo preenchimento de espaços,
partes da planta. Suas células são vivas, com pela produção e armazenamento de substâncias
grande vacúolo e dotadas de plasmodesmos. São e pela fotossíntese. São eles:

PARÊNQUIMAS TIPOS LOCALIZAÇÃO FUNÇÃO


cortical córtex
preenchimento ocupar espaços entre estruturas
medular medula
abaixo da epiderme
clorofiliano ou paliçádico
superior realizar a fotossíntese
assimilador
lacunoso acima da epiderme inferior
caules e raízes de plantas
aquífero armazena água
de regiões secas
reserva raízes e caules de permite a flutuação
aerífero
plantas aquáticas pelo acúmulo de ar
amilífero órgãos de reserva armazena amido

www.biologiatotal.com.br 67
PARÊNQUIMA CLOROFILIANO OU PARÊNQUIMA DE PREENCHIMENTO
ASSIMILADOR Todos os parênquimas apresentam a função de
preenchimento independentemente de outra
Suas células apresentam muitos cloroplastos e função que venham a desenvolver, ocupam os
ocupam o interior de caules jovens e de folhas. espaços deixados pelos demais tecidos. Em caules
No interior das folhas, esse parênquima costuma podemos encontrar dois tipos de parênquima:
se apresentar com duas disposições diferentes: cortical (mais externo) e medular (mais interna).
parênquima clorofiliano paliçádico:
possui células alongadas e muito próximas,
justapostas, quase sem espaços entre elas; TECIDOS DE CONDUÇÃO
parênquima clorofiliano lacunoso ou
esponjoso: formado por células com aspecto OU TRANSPORTE
mais irregular, de menor tamanho e com
menos cloroplastos; apresenta espaços por
São tecidos que têm como função a condução
onde circulam gases e vapor de água.
de seiva e por isso são também chamados de
Epiderme superior tecidos vasculares.
com cutícula
Nervura

Parênquima XILEMA OU LENHO


Paliçádico

Parênquima
É um tecido morto que conduz seiva bruta ou
Lacunoso
inorgânica (água e sais minerais) desde a raiz
até as folhas, para que possam ser utilizadas na
BOTÂNICA

Epiderme inferior
com cutícula fotossíntese.
Parênquima assimilador ou clorofiliano
Constituído por células alongadas e cilíndricas
PARÊNQUIMA DE RESERVA OU dotadas de paredes reforçadas que morreram
ARMAZENAMENTO durante a diferenciação e ficaram ocas, formam
um sistema contínuo ascendente onde se
Pode armazenar diversos tipos de materiais. O observam os seguintes elementos:
parênquima amilífero armazena amido, sendo
Elementos de vaso: suas células caracterizam-
encontrado, por exemplo, na semente de arroz e
se por apresentar reforços de lignina. Nas
na raiz de mandioca. Já o parênquima aquífero
gimnospermas e pteridófitas encontramos
apresenta grande quantidade de água, sendo
apenas as traqueídes. Nas angiospermas
comum nas cactáceas. Por outro lado, o
encontramos traqueídes e os elementos de
parênquima aerífero ou aerênquima é bem
vaso (estruturas mais especializadas).
desenvolvido em plantas flutuantes, tais como a
vitória-régia e o aguapé. Parênquima lenhoso: formado de células
vivas responsáveis pelo transporte e
armazenamento de substâncias energéticas.
} Pericarpo
Forma as tilas, cuja função é obstruir parcial
Núcleo Grãos de ou totalmente os vasos lenhosos. Essas tilas
Aleurona
são formações irreversíveis.
Grãos de
Amido
Fibras de esclerênquima: são células
lignificadas, mortas situadas junto aos vasos
para sustentá-los.
Parênquima amilífero (de reserva)

68
Vasos Lenhosos (formados por traqueias)

Vaso liberiano mostrando as células companheiras e placas crivadas

FLOEMA OU LÍBER
É um tecido vivo que conduz a seiva elaborada TECIDOS DE SECREÇÃO
ou orgânica (água e glicose) desde as folhas até
as raízes. Apresenta na sua formação, células OU GLANDULARES
cilíndricas e vivas. No sistema

liberiano, encontramos os seguintes elementos: São tecidos ligados a eliminação de restos do


metabolismo celular, substâncias que evitam o
Elementos de tubos crivados: são células apodrecimento, ou ainda secretam substâncias
vivas que sofrem diferenciação, sem contudo com objetivo de atrair ou afastar animais. As
morrerem por isso. Os tubos crivados são secreções são produzidas no citoplasma das
formados pela sobreposição dessas células, células, as quais geralmente se localizam entre
que apresentam nas paredes transversais, os parênquimas ou como diferenciações da

BOTÂNICA
grande número de poros, que lhes confere epiderme. Os mais importantes são:
um aspecto de crivo daí receberem o nome
de placas crivadas.
Células anexas ou companheiras: estão CÉLULAS SECRETORAS
ligadas diretamente aos tubos crivados
através de plasmodesmos. São células vivas São células isoladas encontradas no meio dos
responsáveis pelas funções metabólicas tecidos de preenchimento e secretam restos do
para os tubos crivados, que perdem algumas metabolismo da célula. Um importante exemplo
de suas organelas e o núcleo durante a de secreção de algumas plantas é o cálcio, que
diferenciação. forma cristais de cálcio.

Parênquima liberiano: constituído por Esses cristais podem apresentar formas


células vivas que envolvem os vasos estreladas, chamados então de drusas, comum
liberianos. Sua função é de reserva. em tomates, ou ainda formarem agulhas de
Fibras esclerenquimáticas: com a função cristais, sendo chamados de ráfides, como
de sustentar e proteger; as fibras de ocorre por exemplo em células de repolho.
esclerênquima são células mortas, alongadas Existem ainda os cistólitos, em forma de
dispostas junto aos vasos. carbonato de cálcio, presos por um filamento de
celulose proveniente da parede celular, comum
OBS.: nos tubos crivados antigos ou não funcionais em seringueiras.
por tempo limitado, os crivos são obstruídos por
calose (depósitos de carboidrato) que pode ser
removida quando as condições forem favoráveis
ao funcionamento desses tubos. Esse acúmulo de
calose nos vasos de floema é chamado callus.

www.biologiatotal.com.br 69
VASOS RESINÍFEROS
Esses vasos são comuns em gimnospermas e são
estruturas formadas entre células, portanto são
cistólito intercelulares. Da mesma forma que o látex, a
resina funciona como substância antisséptica,
cicatrizante e evita o apodrecimento vegetal. Em
contato com o ar, se solidifica transformando-
se em um desinfetante. É bastante usado na
indústria de incenso e mirra.
ráfides drusa

BOLSAS SECRETORAS
É o conjunto de várias células secretoras que
definem um espaço, onde as substâncias são
armazenadas. Alguns alcaloides podem ser
encontrados nessas bolsas, como o café da
cafeína, a morfina da papoula, a estricnina da
noz-moscada, a nicotina do tabaco, entre outros.
Atuam na proteção contra predadores.

Resina em Pinus sp

VASOS LACTÍFEROS
PELOS GLANDULARES
BOTÂNICA

São canais que secretam o látex, uma


substância leitosa antisséptica, cicatrizante São anexos da epiderme, uni ou pluricelulares.
e evita o apodrecimento do vegetal. Esses Eliminam substâncias aromáticas das folhas,
canais são formados pela união de diversas flores e caules, que atraem animais para a
células (sincício), as quais perdem a parede de polinização. Outras eliminam substâncias
separação, por isso são estruturas intracelulares. tóxicas, como é o caso da urtiga e do caule do
É característico de angiospermas. O látex é tomate, secretando substâncias alergênicas.
bastante usado na indústria da borracha.

Urtiga

NECTÁRIOS
Produzem o néctar, uma substância rica em
Látex açúcares que atrai os animais polinizadores. Os

70
nectários são encontrados principalmente em utilizam essa digestão como complemento
flores. alimentar, pois realizam o processo fotossintético
normalmente.

Abelha sugando néctar

GLÂNDULAS DIGESTIVAS Planta carnívora – Drosera sp (observe a secreção de enzimas)

Estão presentes em folhas de plantas insetívoras HIDATÓDIOS


(“carnívoras”). Produzem enzimas digestivas
destinadas a atrair e digerir o corpo de pequenos Também chamados de estômatos aquíferos,
animais. Desses animais, a planta retira pois eliminam água (seiva bruta) em forma
principalmente o nitrogênio, um importante líquida. Realizam a gutação ou sudação. Essas
elemento para compor os aminoácidos e estruturas encontram-se na epiderme de folhas.
posteriormente suas proteínas. Esses vegetais

ANOTAÇÕES

BOTÂNICA

www.biologiatotal.com.br 71
EXERCÍCIOS
c estômatos e os tricomas.
d tricomas e os hidatódios.

4 (UERN 2015) Muitas plantas de clima quente


apresentam estruturas especializadas contra a
perda de água por excesso de transpiração, sendo
abundantes em suas células epidérmicas. Porém,
podem ser, no entanto, secretoras, como em plantas
carnívoras, produzindo secreção digestiva. Essa
1 (UPE 2017) Para combater determinadas doenças estrutura especializada é conhecida por
em plantas, os agricultores recorrem aos herbicidas, a pelos.
uma vez que determinadas doenças virais só são b acúleos.
possíveis de serem eliminadas, se o produto penetrar c tricomas.
nos tecidos e nas células vegetais. Assim, focam seus d estômatos.
estudos em substâncias que possam ser transportadas
a longa distância, tanto pela associação com o floema
como pelo intercâmbio entre domínios simplásticos. TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
Quando a planta se encontra sob estresse, e as taxas A biotecnologia envolve várias técnicas que
de transporte via xilema e floema são mais reduzidas, utilizam seres vivos visando desenvolver produtos
os(as) __________ podem ser mais efetivos(as) no ou processos para melhoria da qualidade de vida.
transporte das moléculas de herbicidas sistêmicos, a Essas técnicas podem ser usadas para obtenção de
longa distância. alimentos, drogas, sistemas de produção, entre outros.
Assinale a alternativa cujo termo preenche Um exemplo é a cultura de células in vitro, técnica
CORRETAMENTE a lacuna. biotecnológica que pode utilizar tanto células animais
a vacúolos quanto vegetais. Para a cultura in vitro há necessidade
EXERCÍCIOS

b plasmodesmos de usar meio de cultura que contém nutrientes (água,


c estômatos minerais, vitaminas e açúcares) necessários para
d lamelas médias sobrevivência, crescimento e proliferação celular.
e tonoplastos
Pequenas alterações nesse meio podem acarretar
modificações fisiológicas e metabólicas.
Disponível em: <www.laben.ufscar.br/documentos/arquivos/
2 (UNISC 2017) Analisando-se a organização cultura-celular.pdf>. Acesso em: 2 abr. 2014. (Adaptado)0.
anatômica do corpo vegetal, é possível afirmar que
a epiderme, o esclerênquima e o xilema são
considerados, respectivamente, como tecidos de 5 UFG 2014) Para a utilização da técnica biotecnológica
referida no texto, o material vegetal precisa
a sustentação, preenchimento e condução.
b revestimento, sustentação e condução. apresentar totipotência, que é a capacidade celular
c sustentação, condução e revestimento. de reconstituir um organismo inteiro. Assim, um
d condução, revestimento e sustentação. tecido com essa capacidade e uma habilidade celular
e preenchimento, condução e sustentação. deste tecido são, respectivamente,
a esclerênquima e alongamento.
b parênquima e divisão.
3 (UECE 2015) As plantas são organismos cobertos por c xilema e diferenciação.
um tecido superficial denominado epiderme vegetal. d súber e alongamento.
Esse tecido pode ser formado por uma ou mais e floema e divisão.

camadas de células e possui estruturas especializadas


nas trocas gasosas e na prevenção da perda de água
nesses organismos que, de acordo com as alternativas 6 (UFSM 2012) Segundo alguns autores, o “Abaporu”,
de Tarsila do Amaral, homenageia o povo sofrido dos
abaixo, compreendem respectivamente os
a estômatos e os lenticelas. trabalhadores da época; o sol inclemente e o cacto
b hidatódios e os tricomas. representam, ali, sua dura rotina. Essa planta se

72
adapta bem ao meio ambiente. Em geral, dispensa no sul do país, principalmente na região de Alentejo.
as folhas para a fotossíntese e armazena água para Qual tecido da planta fornece matéria-prima para
sobreviver. Que tecido vegetal está envolvido nesses produzir rolhas de cortiça?
dois processos fisiológicos? a Lenho
b Esclerênquima paliçádico
a Parênquima.
c Colênquima
b Xilema.
d Feloderme
c Meristema.
d e Súber
Periderme.
e Esclerênquima.

10 (UFLA 2010) Qual das estruturas a seguir pode secretar


óleos essências , taninos, compostos fenólicos ou
7 (UFRGS 2011) A planta denominada erva-de-
passarinho é uma hemiparasita. Nesse caso, o tecido outras substâncias utilizadas para a defesa da planta?
vegetal da árvore hospedeira, onde os elementos a Acúleos
b Papilas
nutritivos são absorvidos, é o
c Espinhos
a colênquima,
d Tricomas
b floema.
c esclerênquima.
d parênquima.
e xilema.

8 (CFTCE 2008) É um tecido vegetal com função de


reserva, com células ricas em grãos de amido. Trata-
se do parênquima 11 (UPE 2017) Normalmente, quando ganhamos ou
a aerífero compramos flores, costumamos colocá-las dentro
b aquífero de um jarro com água, para que permaneçam

EXERCÍCIOS
c amilífero
bonitas por mais tempo. Porém, muitas vezes, elas
d clorofiliano
acabam murchando e perdendo suas pétalas. Para
e medular
se evitar isso, é aconselhável que se faça um novo
corte, preferencialmente dentro d’água ou com uma
mínima exposição ao ar, até submergi-la novamente
9 (UPE 2015) no recipiente. Tal conduta permite que
a as células estomáticas voltem à turgidez para que
os estômatos possam permanecer abertos e assim
restabelecer o fluxo de água do jarro para as partes
superiores do vegetal.
b o ar presente no floema seja empurrado por capilaridade
e expulso pelo estômato.
c a água presente no xilema entre em contato com a água
do jarro, restabelecendo a coesão entre as moléculas e
formando uma nova coluna de água.
d se eliminem fungos e bactérias que colonizaram as
células mortas, restabelecendo o metabolismo celular.
A cortiça é um tecido vegetal impermeável e flexível e se restabeleça a pressão positiva e o transporte de sais
ativos para o interior do xilema.
ao mesmo tempo, com estrutura que pode ser
comprimida até a metade do seu volume, sem perder
sua elasticidade. É amplamente utilizada para a
produção de rolhas na vedação do vinho engarrafado. 12 (FMP 2016) Há mais de 300 anos, o cientista italiano
Marcello Malpighi realizou um experimento no qual
A cortiça só pode ser retirada de árvores com idade
ele retirou um anel de casca do tronco de uma árvore.
entre 25 e 30 anos e, após essa primeira extração,
Com o passar do tempo, a casca intumesceu na
apenas a cada 9 anos, será possível sua retirada
região acima do corte.
novamente. O principal país produtor da cortiça é
Portugal, pois a árvore, que a origina, é muito comum

www.biologiatotal.com.br 73
15 (UPF 2015) Analise as figuras abaixo.

Assinale a alternativa que associa corretamente o


O intumescimento observado foi causado pelo número da seta ao respectivo nome da estrutura e
acúmulo de cita o tecido vegetal no qual essas estruturas são
a solutos orgânicos que não puderam ser transportados encontradas.
pelo floema rompido. a 1 – acúleo / 2 – estômato / 3 – espinho/tecido
b solutos inorgânicos nos vasos lenhosos acima do anel epidérmico.
removido. b 1 – pelo / 2 – plasmodesmo /3 – espinho/tecido
c seiva bruta nos vasos condutores removidos junto com peridérmico.
o anel de casca. c 1 – papila / 2 – hidatódio/ 3 – acúleo/tecido
d produtos da fotossíntese no xilema que foi partido com parenquimático.
o corte na casca. d 1 – espinho / 2 – estômato /3 – tricoma/tecido
e substâncias que não puderam ser usadas no processo meristemático.
fotossintético. e 1 – tricoma / 2 – estômato /3 – acúleo/tecido epidérmico.

13 (UNISC 2015) Os meristemas primários: procâmbio, 16 (CP2 2014) Para que possa realizar fotossíntese, todo
meristema fundamental e protoderme originam, vegetal precisa de água. Absorvida pelas raízes, ela
respectivamente, os seguintes tecidos vegetais: percorre o caule através de seus vasos condutores,
a parênquima, colênquima e esclerênquima, periderme, até chegar às folhas mais extremas.
epiderme.
b xilema e floema primários, epiderme, parênquima, O que permite à água vencer esse trajeto é o princípio
colênquima e esclerênquima.
c periderme, xilema e floema secundários, parênquima, da:
EXERCÍCIOS

colênquima e esclerênquima. a tensão superficial, associado à adesão entre as


xilema e floema primários, parênquima, colênquima e moléculas da água e à coesão destas com as paredes
d
esclerênquima, epiderme. dos vasos condutores.
e felogênio, xilema e floema secundários, parênquima, b capilaridade, associado à coesão entre as moléculas
colênquima e esclerênquima. da água e à adesão destas com as paredes dos vasos
condutores.
c
pressão hidráulica, associado à coesão entre as
moléculas da água e à adesão destas com as paredes
dos vasos condutores.
14 (FGV 2015) Alimentos como a mandioca, a batata e
d solubilidade, associado à adesão entre as moléculas
o arroz armazenam grande quantidade de amido no da água e à coesão destas com as paredes dos vasos
parênquima amilífero. Já o parênquima clorofiliano é condutores.
responsável pela síntese de glicose.
Tendo em vista que as porções amilíferas e clorofilianas
dos vegetais estão situadas em órgãos diferentes nos 17 (PUCMG 2009) O esquema mostra a retirada de um
anel completo da casca, que pode ser executada
vegetais, o acúmulo do amido depende
tanto no caule principal como em apenas um galho
a do transporte de minerais pelo xilema, seguido da
síntese de monossacarídeos e polimerização nos de uma árvore frutífera.
próprios órgãos armazenadores.
b da polimerização de monossacarídeos nos órgãos
produtores, seguida do transporte pelo floema até os
órgãos armazenadores.
c da síntese e polimerização de monossacarídeos nos
órgãos produtores, seguidas do transporte pelo xilema
até os órgãos armazenadores.
d da síntese de monossacarídeos pelos órgãos produtores,
seguida do transporte pelo floema para polimerização
nos órgãos armazenadores.
e do transporte de monossacarídeos pelo floema,
seguido do transporte de minerais pelo xilema, para
polimerização nos tecidos produtores. É INCORRETO afirmar que, com a remoção do anel
de Malpighi

74
a no caule principal, as células radiculares utilizarão suas
reservas nutricionais, pois haverá interrupção do fluxo 20 (UEL 2007) Leia o texto a seguir e assinale a
de açúcares em direção às raízes. alternativa correta.
b no caule principal, não se impede a absorção de água O crescimento em espessura da raiz e do caule de
e nutrientes minerais, que devem continuar por certo
tempo, até a morte das células radiculares. vegetais dicotiledôneos e gimnospermas, denominado
c apenas num galho, poderá ocorrer nele, acima do corte, crescimento secundário, se deve fundamentalmente:
produção de frutos maiores e mais doces.
a À hipertrofia das células do parênquima cortical.
d apenas em dois galhos laterais, haverá neles redução
fotossintética e diminuição da floração nessas duas b À hipertrofia das células do parênquima medular.
regiões. c À divisão celular verificada no câmbio e no felogênio.
d À divisão celular verificada no periblema e no pleroma.
e À atividade condutora do xilema e do floema.

18 (UEL 2009) A história da evolução das plantas está


relacionada com a ocupação progressiva do ambiente
terrestre e o aumento de sua independência da água
para a reprodução. O aparecimento do floema e
do xilema solucionou o problema do transporte de
água e dos alimentos nas plantas que crescem em
ambientes terrestres.
Com base no texto e nos conhecimentos sobre o
tema, assinale a alternativa CORRETA. 21 (UERN 2015) Em relação às funções dos parênquimas
vegetais, relacione adequadamente as colunas.
a As principais células de condução do xilema são
os elementos crivados e as células companheiras, 1. Cortical. ( ) Reserva de água.
e as principais células de condução do floema são
os elementos traqueais e os elementos de vasos 2. Aquífero. ( ) Flutuação e, às vezes, respiração.
xilemáticos.
O xilema, principal tecido condutor de água, também
3. Aerífero. ( ) Reserva de alimento.
b
está envolvido na condução das substâncias orgânicas, 4. Amilífero. ( ) Preenchimento de espaço.
na sustentação e no armazenamento de substâncias.
c O floema, além de açucares, transporta aminoácidos, A sequência está correta em

EXERCÍCIOS
lipídios, micronutrientes, hormônios, estímulos florais,
numerosas proteínas e RNA. a 3, 2, 1, 4.
As plantas vasculares, briófitas, gimnospermas e b 2, 3, 1, 4.
d
angiospermas possuem xilema e floema. Como c 4, 2, 1, 3.
exemplos, podem-se citar musgos, carvalhos e d 2, 3, 4, 1.
pinheiros, respectivamente.
e O floema é responsável pelo transporte da seiva bruta,
das raízes até as folhas, e o xilema é responsável pelo
transporte da seiva elaborada, das folhas até as raízes.
22 (UFU 2015) Considere o quadro a seguir em que os
algarismos romanos de I a IV representam os principais
tecidos vegetais, e os algarismos arábicos de 1 a 4
19 (UFSCAR 2007) Nas angiospermas, a condução da indicam algumas características, a constituição e as
seiva bruta (água e sais minerais) ocorre das raízes funções desses tecidos.
até as folhas, as quais podem estar situadas dezenas
de metros acima do nível do solo. Nesse transporte Tecidos Características, constituição e funções

estão envolvidos I. Colênquima 1. Formado por células vivas, cuja função geral
é o preenchimento de espaços internos da
a elementos do xilema, no interior dos quais as moléculas planta.
de água se mantêm unidas por forças de coesão. II. Esclerênquima 2. Constituído por células com grande
b elementos do floema, no interior dos quais as moléculas capacidade de divisão e que descendem
de água se mantêm unidas por pressão osmótica. diretamente de células embrionárias.
c elementos do parênquima, dentro dos quais as III. Parênquima 3. É um tecido de sustentação constituído por
moléculas de água se mantêm unidas por pressão células vivas, dotadas de paredes com reforços
osmótica e forças de coesão. extras de celulose.
d elementos do parênquima e floema, dentro dos quais as IV. Maristema 4. Constituído por células mortas, tem paredes
moléculas de água se mantêm unidas por forças de coesão. primário impregnadas de lignina e sua função é a
sustentação esquelética do corpo da planta.
e elementos do xilema e do floema, dentro dos quais
as moléculas de água se mantêm unidas por pressão
osmótica. Assinale a alternativa que associa, corretamente, esses
tecidos vegetais, com suas respectivas características,
constituição e funções.

www.biologiatotal.com.br 75
a I-3, II-1, III-4 e IV-2. 3. Meristema
b I-1, II-2, III-3 e IV-4.
c I-3, II-4, III-1 e IV-2 4. Esclerênquima
d I-4, II-3, III-1 e IV-2. 5. Xilema
( ) Formado por células de natureza ainda
indiferenciada que se destinam a formar todos os
23 (UPE 2013) As florestas de mangue são compostas
demais tecidos das plantas.
por espécies arbóreas típicas, tolerantes ao sal
presente na água do mar. Através de glândulas de ( ) Tecido de sustentação formado por células
sal, pequenas estruturas presentes nas folhas de com formato de fibra, porém curtas e ainda vivas.
algumas espécies, como o mangue-preto, a árvore Os feixes desse tecido são superficiais, fornecendo
pode excretar sal, evitando, assim, a concentração do pequena rigidez que não impede a flexibilidade de
soluto no tecido das folhas. caules finos.
( ) Transporte de água das raízes para os caules e
as folhas.
( ) As células deste tecido fornecem suporte rígido
após morrerem.
( ) Transloca carboidratos e outros nutrientes.
A sequência correta de preenchimento dos
parênteses, de cima para baixo, é:
a 3 – 4 – 1 – 2 – 5.
b 4 – 3 – 1 – 2 – 5.
c 3 – 2 – 5 – 4 – 1.
d 1 – 2 – 3 – 4 – 5.
Como mostrado no corte transversal de uma folha
e 5 – 4 – 3 – 2 – 1.
dessa espécie, observe a ilustração e indique onde
EXERCÍCIOS

está localizada a estrutura responsável por essa


função.
25 (UDESC 2012) Existem diferenças entre a organização
I. Entre 1 e 2, que correspondem à cutícula e epiderme das estruturas dos vegetais. Em relação ao enunciado,
axial. relacione as colunas.
II. Entre 2 e 3, que correspondem a parênquima 1. Epiderme e súber
paliçádico e epiderme abaxial.
2. Colênquima e esclerênquima
III. Entre 3 e 4, que correspondem à epiderme adaxial
3. Vasos lenhosos e liberianos
e parênquima paliçádico.
4. Parênquima amilífero e parênquima clorofiliano
IV. Entre 1 e 3, que correspondem à epiderme e
( ) são tecidos de assimilação e reserva dos vegetais.
hipoderme.
( ) são tecidos de condução de seiva dos vegetais.
Está CORRETO o que se afirma em
a I e II. ( ) são tecidos de revestimento e proteção dos
b II e III. vegetais.
c I.
d III. ( ) são tecidos de sustentação dos vegetais.
e IV. Assinale a alternativa que contém a sequência
correta, de cima para baixo.
a 4–3–1–2
24 (UNISC 2012) Relacione os tecidos vegetais com sua b 3–4–2–1
respectiva função. c 4–2–1–3
d 2–3–1–4
1. Floema e 1–3–4–2
2. Colênquima

76
26 (UDESC 2011) Os tecidos vegetais fundamentais são 4) Epiderme e súber
aqueles encarregados de uma série de funções, como
5) Parênquimas
preenchimento e sustentação. A respeito destes
tecidos, analise cada proposição e assinale (V) para A associação correta entre o Problema e a Solução
verdadeira ou (F) para falsa. encontrada pelas plantas é:
a I-1; II-3; III-5; IV-4; V-2.
( ) O parênquima de reserva está presente em b I-2; II-4; III-3; IV-1; V-5.
sementes, frutos, raízes e rizomas e tem como função c I-3; II-5; III-2; IV-l; V-4.
o armazenamento de substâncias nutritivas. d I-4; II-1; III-5; IV-3; V-2.
e I-5; II-2; III-4; IV-3; V-l.
( ) O parênquima clorofiliano é o principal tecido
de preenchimento de folhas, tendo por função a
realização da fotossíntese.
28 (UFSM 2008) Os portugueses promoveram o
( ) O colênquima é formado por células vivas e é aumento da biodiversidade das terras brasileiras;
responsável pela sustentação de folhas, frutos e assim, introduziram-se plantas de cana-de-açúcar,
caules. inhame e feijão. Observe a representação de alguns
( ) O parênquima aquífero está presente em plantas aspectos dessas três espécies.
aquáticas, auxiliando na flutuabilidade desses
vegetais.
( ) O esclerênquima é formado por células mortas,
impregnadas de lignina, e é responsável pela
sustentação de caules em crescimento.
Assinale a alternativa que contém a sequência
correta, de cima para baixo. O que o colmo da cana, o tubérculo do inhame e a
a V–F–F–V–V semente do feijoeiro têm em comum?
b V–V–V–F–F

EXERCÍCIOS
c V–V–F–F–V I - São locais de acúmulo de substâncias de reserva.
d F–F–V–V–F
II - São órgãos que servem à multiplicação vegetativa.
e F–F–V–F–V
III - São locais de síntese de carboidratos
(fotossinteticamente ativos).

27 (UFJF 2010) Para a sua sobrevivência, as plantas Está(ão) correta(s)


vasculares precisam superar condições ambientais a I apenas.
adversas. Alguns problemas encontrados pelas b II apenas.
plantas e as soluções utilizadas por elas para superar c III apenas.
tais limitações são apresentados a seguir. d I e II apenas.
e I e III apenas.
Problema:
I. Proteção contra agentes lesivos e contra a perda
de água 29 (UECE 2008) Com relação às células e tecidos das
plantas vasculares, são feitas as seguintes afirmações,
II. Sustentação
numeradas de 1 a 6.
III. Preenchimento de espaços
1. Na periderme das plantas vasculares podem ser
IV. Transporte de materiais encontrados estômatos e tricomas.
V. Execução de movimentos orientados 2. O xilema é responsável pelo transporte de
Solução: alimentos dissolvidos.

1) Esclerênquima e colênquima 3. O floema encontra-se relacionado à condução de


água e solutos, sendo responsável pelo movimento
2) Fitormônios
ascendente.
3) Xilema e floema

www.biologiatotal.com.br 77
4. Os nectários florais e extra-florais são exemplos de A respeito das células e dos tecidos envolvidos no
estruturas secretoras. deslocamento da água, é correto afirmar:
5. As células do esclerênquima apresentam paredes a em 1, são encontradas células jovens, cujas paredes
suberificadas favorecem a absorção por osmose da
celulares espessas e, geralmente, lignificadas. água do solo.
b em 2, são encontradas células de condução, cuja
6. O conjunto xilema-floema forma um sistema presença de parede celular secundária e ausência de
vascular contínuo que percorre a planta inteira. protoplasto favorecem o transporte da água.
c em 3, são encontrados os estômatos, cuja principal
Assinale o correto. função para a planta é a perda de água na forma de
vapor.
a Apenas as afirmações 1, 4, 5 e 6 são verdadeiras.
d em 4, são encontradas células embrionárias,
b Apenas as afirmações 3, 4 e 5 são verdadeiras. mitoticamente ativas, cujo intenso consumo hídrico
c Apenas as afirmações 2, 3 e 6 são verdadeiras. irá determinar o deslocamento vertical da água na
d Apenas as afirmações 4, 5 e 6 são verdadeiras. planta.

30 (UEG 2012) Na maioria das plantas terrestres, a água


é absorvida pelas raízes, deslocando-se pelo corpo do
vegetal como ilustrado na figura a seguir.
ANOTAÇÕES
EXERCÍCIOS

78
GABARITO DJOW
HISTOLOGIA VEGETAL
1 - [B] 11 - [C]
Os plasmodesmos são canais que conectam os citoplasmas O corte do ramo com flor no interior da água evita a entrada de
de células vizinhas, proporcionando a troca de substâncias ar nos vasos xilemáticos e, consequentemente, a interrupção do
entre elas. Assim, quando a planta sofre estresse e diminui o fluxo da seiva bruta.
transporte por xilema e floema, os plasmodesmos atuam com
maior efetividade em transportes longos.
12 - [A
2 - [B] A remoção do anel da casca em uma planta angiosperma
dicotiledônea provoca o acúmulo de compostos orgânicos em
A epiderme é um tecido de revestimento, o esclerênquima um sua parte superior, porque foi rompido o floema, tecido condutor
tecido de sustentação e o xilema um tecido condutor, presentes que transporta a seiva orgânica das folhas até as raízes do
nos vegetais. vegetal.

3 - [C] 13- [D]


Os estômatos regulam as trocas gasosas e a transpiração O procâmbio origina os tecidos condutores primários: xilema
vegetal, ocorrendo, principalmente, nas folhas das plantas. Os e floema. O meristema fundamental forma o parênquima
tricomas (ou pelos) previnem a perda de água na superfície de preenchimento e os tecidos de sustentação mecânica, o
das folhas expostas diretamente ao sol, quando são estruturas colênquima e o esclerênquima. A protoderme originará a
mortas. epiderme.

4 - [C] 14 - [D]
Os tricomas são expansões epidérmicas presentes em folhas O acúmulo de amido depende diretamente da síntese de
de plantas que habitam regiões quentes, diminuindo a perda monossacarídeos pelos órgãos produtores, seguida pelo
de água por transpiração. Em plantas carnívoras, os tricomas transporte pelo floema (líber) e polimerização nos órgãos
apresentam o ápice capaz de secretar enzimas digestórias. armazenadores, tais como, raízes, caules e sementes.

BOTÂNICA
5 - [B] 15 - [E]
As células vegetais parenquimáticas são vivas, se dividem por A correlação exata entre as imagens e a sua denominação/
mitose e podem se desdiferenciar adquirindo totipotência e, localização está na alternativa [E].
consequentemente, originar um vegetal completo.

16 - [B]
6 - [A]
A subida da seiva mineral através dos vasos lenhosos do xilema
Em cactos, as folhas são transformadas em espinhos. A ocorre devido à sucção da copa provocada pela transpiração
fotossíntese é realizada pelo parênquima clorofiliano localizado foliar, capilaridade, coesão entre as moléculas de água e a
no caule. adesão desta com os vasos condutores.

7 - [E] 17 - [D]
A erva-de-passarinho é uma planta parasita porque forma raízes
sugadoras denominadas haustórios. Essas estruturas atingem o
xilema da planta hospedeira, de onde retiram a seiva bruta. 18 - [C]

8 - [C] 19 - [A]

9 - [E] 20 - [C]
O tecido vegetal que fornece a matéria-prima para a produção
de rolhas de cortiça é o súber.
21 - [D]
A coluna fica corretamente preenchida, de cima para baixo, com
10 - [D] a sequência [2], [3], [4] e [1].
Os tricomas são estruturas filamentosas que formam pelos que
secretam diversas substâncias que procuram afugentar animais
herbívoros e alguns parasitas, como bactérias e fungos.

www.biologiatotal.com.br 79
22- [C] 27 - [D]
A correlação entre os tecidos vegetais apresentados e suas A correlação exata entre os problemas enfrentados pelos vegetais
funções acha-se na alternativa [C]. para superar as condições ambientais adversas e as soluções
adaptativas estão relacionadas corretamente na alternativa [D].

23 - [C]
28 - [A]
As glândulas excretoras de sal estão localizadas entre a cutícula
(1) e a epiderme axial (2) situada na face superior ventral das
folhas.
29 - [D]

24 - [C]
30 - [B]
A correlação entre as colunas, de cima para baixo, está correta
na alternativa [C]. Os vasos condutores do xilema são os responsáveis pelo
transporte da seiva bruta (mineral) desde as raízes até as folhas
de uma planta.
25 - [A]
A sequência que correlaciona corretamente as colunas, de cima
para baixo, é 4 – 3 – 1 – 2.

26 - [B]
O parênquima aquífero está relacionado com o armazenamento
de água e ocorre em plantas suculentas de ambientes xerofíticos.
O esclerênquima é responsável pela sustentação de caules
adultos.

ANOTAÇÕES
BOTÂNICA

80
HORMÔNIOS VEGETAIS
Nos organismos vegetais, também são 3)ÁCIDO ABSCÍSICO
produzidas substâncias que, em quantidades
adequadas regulam o metabolismo da planta. O ácido abscísico ou ABA é considerado
Elas são segregadas, mantidas na estrutura dos um hormônio inibidor de crescimento e
tecidos e atuam intensamente nos fenômenos desenvolvimento. Seus principais efeitos são:
de crescimento, desenvolvimento e movimentos indução da dormência de gemas e de sementes,
dos vegetais. indução da abscisão de folhas e frutos e indução
da senescência de folhas e frutos.
Essas substâncias são designadas como
fitormônios ou hormônios vegetais e têm como
principais exemplos as auxinas, as giberelinas, as
citocininas, o ácido abscísico e o etileno.

1) AS GIBERELINAS
As giberelinas ou ácido giberélico têm ação no
alongamento das células de caules e folhas,
Camada de abscisão formada por ação do ácido abscísico
indução de floração, indução de partenocarpia,
quebra de dormência de sementes, germinação 4) ETILENO
de sementes e reversão de nanismo em plantas.

BOTÂNICA
O etileno é um hormônio gasoso também
denominado quimicamente eteno. É produzido
nas plantas superiores a partir do aminoácido
metionina. Atua nos processos de abscisão
foliar, senescência e, principalmente, no
amadurecimento dos frutos.

5) AUXINAS
Estiolamento provocado por ação do ácido giberélico
São fitormônios que atuam mais diretamente no
crescimento de caules e raízes. A auxina natural
2) CITOCININAS
é o ácido indolacético (AIA). A partir do AIA,
As citocininas recebem este nome pela sua outras auxinas foram sendo sintetizadas, como
ação sobre a citocinese ou divisão celular. As por exemplo o ANA (ácido naftalenoacético) e
principais citocininas são a cinetina e zeatina. o 2,4-D (ácido 2,4 – diclorofenoxiacético) e o
Além de acelerar ácido indolbutírico. A auxina é produzida
a divisão celular, pelas células meristemáticas das extremidades
atuam também dos caules e das raízes, em embriões de
no retardo da sementes e nas folhas jovens. O deslocamento
senescência. dessa substância ocorre do local de produção
para outras partes, ou seja, do ápice para a base.
Ação da citocinina sobre uvas

www.biologiatotal.com.br 97
AÇÃO DAS AUXINAS: folhas: é o AIA quem controla a permanência
ou a queda (abscisão) das folhas no caule.
nas células: geralmente o AIA aumenta a Esse fenômeno está relacionado com a
capacidade de distensão da célula, pois age quantidade relativa de auxinas entre a folha
na plasticidade da parede celular. e o caule. Então podemos deduzir o seguinte:
no caule: o AIA tanto age como estimulador • Se o teor de auxina na folha for maior
quanto como inibidor do crescimento. Tudo do que no caule, a folha permanece ligada
depende da sua concentração. Observe o a ele;
gráfico abaixo.
• Se o teor de auxina na folha for
na raiz: aqui também ele pode inibir menor do que no caule, ela se destaca
ou estimular o crescimento, conforme a e cai (abscisão). Neste caso, na base do
concentração. Observe o gráfico abaixo. pecíolo forma-se uma camada de células
de paredes delgadas que entram em
desintegração, sendo responsáveis pela
separação das folhas do caule.
frutos: a auxina estimula o desenvolvimento
da parede do ovário para a formação do fruto.
Esse hormônio é produzido pelas células do
tubo polínico e pelo embrião da semente.
Efeitos da auxina sobre o crescimento vegetal Portanto é necessário ocorrer a polinização
para que ocorra o desenvolvimento do fruto.
Ainda provocam a curvatura dos vegetais em
Quando se aplica auxina em ovários não
direção à luz, devido a distribuição desigual
fecundados, têm-se a formação de frutos
BOTÂNICA

de hormônios. Há a maior concentração de


partenocárpicos. A banana é um caso natural
auxina no lado menos iluminado, pois o
de partenocarpia, visto que o ovário nessa
lado iluminado inativa o funcionamento do
planta produz AIA suficiente para induzir a
hormônio.
formação do fruto, mesmo sem fecundação.
gemas laterais: o AIA produzido na região
apical, desloca-se de forma polarizada, para a
base. Chegando às gemas laterais o harmônio
inibe o desenvolvimento destas provocando
o que chamamos de dormência das gemas
laterais. Esse fenômeno é conhecido como
dominância apical. Quando se faz a poda
da planta, retirando as gemas apicais, cessa
o efeito inibidor e as gemas laterais se
desenvolvem rapidamente.

A retirada da gema apical provoca a quebra da dominância apical Efeito da auxina sobre o ovário, originando um fruto partenocárpico

98
câmbio: o AIA estimula a atividade das
Curiosidade: as auxinas podem ser
células do câmbio, portanto contribuindo
utilizadas como herbicidas quando
para a formação dos tecidos de condução
aplicadas em grandes doses, pois sabe-
se que a ação destas é inibida nestas
doses, provocando a morte dos vegetais
de folhas largas.

MOVIMENTOS VEGETAIS
Os vegetais apresentam movimentos próprios FOTOTROPISMO: o agente excitante é a luz.
como tropismos, tactismos e nastismos. Em Os caules aproximam-se da fonte luminosa e,
alguns desses movimentos os agentes e os portanto, têm fototropismo positivo. Já as raízes
mecanismos são bem conhecidos; outros, porém, curvam-se em direção oposta à fonte luminosa
permanecem objetos de investigação científica. apresentando fototropismo negativo. Quando
se ilumina um caule de maneira unilateral, na
1) TROPISMOS face iluminada ocorre fotodestruição de parte
do AIA ali existente, o que inibe o crescimento
Movimentos de curvatura orientados em naquela região. Com isso, o lado que permanece
relação a um excitante externo, os tropismos no escuro cresce mais determinando a curvatura
podem ser negativos ou positivos. do caule em direção à fonte luminosa. Nas

BOTÂNICA
raízes, ao contrário, a inativação de parte do
Positivos: quando a curvatura ocorre na
AIA presente na face iluminada favorece seu
direção do agente excitante;
crescimento: daí a curvatura desses órgãos em
Negativos: quando a curvatura afasta a direção oposta à fonte de luz.
planta do agente excitante.
Como os tropismos se acham na dependência
da ação das auxinas, torna-se necessário um
comentário preliminar. As raízes geralmente
apresentam uma concentração de auxinas acima
da concentração ótima: por isso, aumentos na
concentração normal inibem o crescimento; em
contrapartida, ligeiras diminuições aproximam
a concentração do ponto ótimo, favorecendo
o crescimento. Os caules, geralmente exibem
concentrações de auxinas abaixo do ponto ótimo:
por isso, ligeiros aumentos na concentração
normal favorecem o crescimento e qualquer
diminuição reduz o crescimento.

Os principais tipos de tropismos são: Fototropismo positivo do caule e negativo da raiz.

www.biologiatotal.com.br 99
Pesquisas com auxinas marcadas com carbono
radioativo mostraram que em certas plantas
iluminadas unilateralmente ocorre migração
dessas substâncias da face iluminada para
a face escura. Seja por migração ou por
fotoinativação das auxinas, o fato é que o nível
desses hormônios se reduz na face iluminada,
explicando o crescimento diferenciado que se A inter-relação auxinas x geotropismo.
observa nos fototropismos.
Colocando-se uma planta em posição horizontal,
verifica-se que parte do AIA existente na face
superior migra para a face inferior, tanto no
caule como na raiz. Nos caules, o aumento
da concentração de auxinas na face inferior
provoca aí uma aceleração do crescimento.
Então, crescendo mais pela face inferior, o caule
curva- se para cima em direção contrária à
gravidade; essa experiência mostra que o caule
tem geotropismo negativo. As raízes na mesma
Fototropismo positivo do caule.
posição horizontal, têm o crescimento inibido na
face inferior e, crescendo mais pela face superior,
Na face iluminada da ponta do caule há a
curvam-se para baixo na mesma direção da
fotodestruição das auxinas. As células dessa
gravidade; portanto, seu geotropismo é positivo.
região ficarão prejudicadas nas suas mitoses e
BOTÂNICA

no seu processo de elongação. Na face escura


onde isso não ocorre, o desenvolvimento será
normal e, portanto, mais notável. O crescimento
maior da face escura leva ao encurvamento do
caule na direção da luz.

GEOTROPISMO:
Tropismo provocado
pela ação da gravidade.
Os caules desenvolvem-
se na direção oposta
ao centro da Terra:
apresentam, portanto,
geotropismo negativo.
Geotropismo negativo do caule.
As raízes têm seu
desenvolvimento em Um caule em posição horizontal girando
direção ao centro da lentamente em torno de si mesmo, não exibirá
Terra: apresentando curvatura geotrópica. A explicação disso está no
geotropismo positivo. fato de que o giro determina uma redistribuição
uniforme de auxinas ao longo do caule. Logo,
Geotropismo negativo do caule e
geotropismo positivo da raiz. não há acúmulo de AIA na face inferior e o caule
cresce reto.

100
FOTONASTISMO: nastismo verificado em flores,
como a dama-da-noite, cujas pétalas voltam-
se para cima durante o dia com a corola
fechada e para baixo durante a noite, posição
que promove a abertura da corola.

Experimento mostrando a ausência de curvatura


geotrópica quando a planta é girada constantemente.
TIGMONASTISMO: movimento característico
das folhas de Dionaea sp devido ao contato de
TIGMOTROPISMO: é o tropismo típico das um inseto.
gavinhas que se enrolam em torno de um
suporte, respondendo a um estímulo mecânico. A Dionaea sp é uma planta insetívora, cujo
As gavinhas são folhas ou ramos modificados limbo carnoso é dotado de um líquido pegajoso.
que promovem a fixação da planta num suporte Quando um inseto pousa sobre o limbo, as folhas
qualquer. se fecham, liberando enzimas digestivas que,
em contato com o corpo do animal, provocam a
morte e digestão do animal.

Tigmotropismo das gavinhas

QUIMIOTROPISMO: Ocorre quando o estímulo

BOTÂNICA
é de origem química. É o caso do crescimento do
tubo polínico em direção ao óvulo.
Folha insetívora de Dionaea sp em tigmonastismo.

SEISMONASTISMO: movimento particular das


mimosas também conhecidas como sensitivas
e dormideiras. Quando a planta é tocada
seus folíolos perdem rapidamente a água do
lado superior - que se desloca para os ramos - e
dobram-se para cima.

Quimiotropismo do tubo polínico.

2) NASTISMOS
Movimentos não-orientados, os nastismos
independem da direção ou da origem do
estímulo. Esses movimentos desenvolvem-se de
acordo com a simetria do órgão reagente.
Ramo de mimosa com folíolo em seismonatismo.

www.biologiatotal.com.br 101
3) TACTISMOS escuridão, que seja interrompido por uma
lâmpada incandescente por 1 minuto, elas
São movimentos de deslocamento orientados florescerão, pois a noite longa foi separada em
em relação a um excitante externo. Podem ser duas noites curtas.
positivos ou negativos.
Exemplos de PDL: alface, espinafre, beterraba,
FOTOTACTISMO POSITIVO: compreende o nabo, entre outras.
deslocamento do organismo em direção a Plantas de Dias Curtos (PDC): florescem
uma fonte de luz como acontece com certas se a duração das horas iluminadas do dia
algas unicelulares (euglenas, por exemplo). não ultrapassar um período máximo de
aproximadamente 8 a 10 horas (período crítico).
QUIMIOTACTISMO POSITIVO: é o caso, por E o período de escuridão deve ser maior que o
exemplo, do deslocamento de anterozoides exigido pelas plantas de dias longos.
em direção à oosfera como ocorre nas briófitas
e pteridófitos. Exemplos de PDC: fumo, orquídea,
morango, feijão, entre outras.
AEROTACTISMO POSITIVO: compreende o Plantas Indiferentes: a floração não é
deslocamento influenciada pelo período de iluminação, nem
pelo período de escuridão. Exemplos: milho,
Esquema de resposta das plantas ao
arroz, entre outras.
fotoperiodismo.

Quanto a influência exercida pela luz, as


plantas diferenciam-se em:
BOTÂNICA

Plantas de Dias Longos (PDL): só florescem


quando a duração do dia (iluminado)
ultrapassa um período mínimo, denominado
período crítico. Portanto, essas plantas
necessitam de um período curto de escuridão.
É interessante notar que se essas plantas
forem mantidas em um longo período de
Esquema de resposta das plantas ao fotoperiodismo

ANOTAÇÕES

102
EXERCÍCIOS
CAIU NA UNESP - 2017
Uma gimnosperma conhecida como cedrinho (Cupressus lusitanica) é uma opção de cerca-viva para quem
deseja delimitar o espaço de uma propriedade. Para isso, mudas dessa espécie são plantadas a intervalos
regulares. Podas periódicas garantem que o espaço entre as mudas seja preenchido, resultando em uma
cerca como a ilustrada na imagem.
Para se obter uma cerca-viva de altura controlada, que crie uma barreira física e visual, deve-se:

a estimular a produção de auxinas pelas gemas laterais


das plantas, podando periodicamente a gema apical.
b estimular a produção de auxinas pela gema apical das
plantas, podando periodicamente as gemas laterais.
c inibir a produção de auxinas pela gema apical e pelas
gemas laterais das plantas, podando periodicamente
as gemas laterais e a gema apical.
d inibir a produção de auxinas pela gema apical das
plantas, podando periodicamente as gemas laterais.
e inibir a produção de auxinas pelas gemas laterais das
plantas, podando periodicamente a gema apical.

EXERCÍCIOS
1 (UEMG 2017) O procedimento cotidiano adequado de respostas de plantas ao etileno, como a interação
para se retardar o amadurecimento de um mamão é com outros fitormônios. Essas interações indicam
a embalar o fruto em jornal. a existência de complexas redes de sinalização na
b gerar cicatrizes em sua superfície. ação do etileno nas plantas”. Entre esses outros
c fornecer calor de forma moderada. hormônios, o pesquisador mencionou a citocinina, a
d manter o mamão em local ventilado. auxina e a giberelina.
“Identificamos que os fatores de transcrição
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: conhecidos como EIN3 e EIL1 representam uma
integração fundamental nas ações entre o etileno e
Leia o texto para responder à(s) questão(ões) a seguir.
outros fitormônios”, disse Guo.
Hormônio do crescimento de plantas é alvo de
http://tinyurl.com/jrz82hw> Acesso em: 24.08.2016. Adaptado.
pesquisa chinesa
Um grupo de pesquisadores tem como principal
objetivo desvendar o funcionamento dos hormônios 2 (FATEC 2017) Na caatinga brasileira, plantas como
nas plantas. os mulungus (Erythrina spp.) são classificadas como
caducifólias porque apresentam a perda sazonal das
“Um desses fitormônios é o etileno, molécula de gás
folhas.
que regula uma ampla gama de processos, incluindo
o amadurecimento de frutos, o envelhecimento de O hormônio e a adaptação diretamente relacionados
folhas e de flores, a tolerância ao estresse e a defesa a esse mecanismo fisiológico são, respectivamente,
contra patógenos”, explicou o pesquisador Hongwei a ácido abcísico e aumento da transpiração.
Guo, professor da Escola de Ciências da Vida da b auxina e diminuição da fotossíntese.
c citocinina e aumento da transpiração.
Universidade de Pequim.
d etileno e diminuição da transpiração.
“Temos estudado fatores que medeiam a regulação e giberelina e aumento da fotossíntese.

www.biologiatotal.com.br 103
3 (UECE 2016) Indignada, uma consumidora voltou
ao supermercado para devolver uma penca de
bananas, pois elas estavam todas soltando do cacho.
O gerente do supermercado perguntou à cliente se
ela havia deixado as bananas no saco fechado por
muito tempo. Dessa forma, ele quis demonstrar que Movimentos dos vegetais
o acondicionamento prolongado do alimento havia - Tigmotropismo é o encurvamento do órgão vegetal
estimulado a produção de: em resposta ao estímulo mecânico.
a auxina.
b giberelina.
- Gravitropismo é também chamado de geotropismo
c citocinina. por muitos. O fator que estimula o crescimento do
d etileno. vegetal é a força da gravidade da terra, podendo ser
negativo e positivo.
- Hidrotropismo é o movimento orientado para a
4 (UDESC 2016) A luminosidade é um fator de
água, enquanto que o quimiotropismo é o movimento
grande influência no crescimento dos caules pois,
orientado para determinadas substâncias.
normalmente, eles têm um crescimento em direção à
luz, o chamado fototropismo positivo. - Fototropismo é a resposta do vegetal quando
o estímulo é a luz. Os caules tendem a crescer em
Assinale a alternativa que contém o nome do principal
direção à luz, assim apresentando fototropismo
hormônio vegetal envolvido no fototropismo positivo
positivo.
dos caules.
Fonte: SANTOS, F. S. dos; AGUILAR. J. B. V.; OLIVEIRA, M. M. A.
a noradrenalina de. Ser protagonista, Biologia Ensino Médio, 2º ano. São Paulo:
b citosina Edições SM, 2010. (adaptado)

c giberilinas Os movimentos que ocorrem nas plantas 1 e 2 são,


d auxina
respectivamente,
e etileno
a hidrotropismo e fototropismo.
EXERCÍCIOS

b fototropismo e hidrotropismo.
c fototropismo e gravitropismo.
5 (UERN 2015) Pode-se observar na figura o d tigmotropismo e gravitropismo.
aprisionamento de um inseto, pelas folhas articuladas e gravitropismo e hidrotropismo.
da espécie de planta carnívora do gênero Dionaea.
Esse movimento, em resposta do toque feito pelo
animal, é um exemplo de 7 (CEFET 2015) Em uma situação específica, uma
prática comum consiste em envolver frutos em folhas
de jornal durante alguns dias com o objetivo de
a evitar a eliminação de odores desagradáveis.
b impedir a postura de ovos por moscas da fruta.
c prevenir a contaminação por micro-organismos.
d favorecer o acúmulo do hormônio gasoso etileno.
e bloquear a ação tóxica do leite eliminado pelo fruto.
a tropismo.
b nastismo.
c geotropismo.
d tigmotropismo. 8 (IMED 2015) Todo ano, na primavera, diversas
espécies vegetais florescem e exibem diferentes
formas e cores de flores. Isso ocorre devido ao:
a Fototropismo, típico de angiospermas.
b Estiolamento, que independe da presença de luz.
6 (UEMA 2015) Sabendo-se que os movimentos dos c Nastismo, regulado pelo turgor das células vegetais.
vegetais respondem à ação de hormônios, de fatores
d Fotoperiodismo, que determina o florescimento
ambientais, de substâncias químicas e de choques simultâneo em diferentes espécies.
mecânicos, observe as informações abaixo sobre e Metabolismo do tipo CAM da maioria das
angiospermas.
esses movimentos relacionando-os às plantas 1 e 2.

104
9 (CEFET 2014) Na figura a seguir, as porções aéreas consolidado pelos trabalhos feitos com fototropismo
das plantas 1, 2 e 3 foram completamente iluminadas, na época da descoberta das auxinas. O botânico
enquanto 4, 5 e 6 tiveram apenas algumas partes alemão Julius Von Sachs (1897) já havia postulado
com luz, conforme indicado pelos retângulos brancos. que as plantas produziam determinadas substâncias
responsáveis pela formação de órgãos, tais como
raízes e flores. Tal conceito foi recentemente
desenvolvido pelo grupo do professor Leubner
Metzger da Albert Ludwigs University, na Alemanha.
O conceito atual inclui a função dos hormônios como
mensageiros químicos na comunicação entre células,
tecidos e órgãos das plantas superiores.
(Os Hormônios Vegetais, Lourdes Isabel Velho do Amaral, 2010).

No que diz respeito aos hormônios das plantas,


assinale a afirmação INCORRETA.
a As auxinas apresentam uma gama enorme de efeitos
Todas essas plantas foram submetidas ao mesmo fisiológicos, mas sua marca típica é o envolvimento no
alongamento celular e sua interação sinergética com
tempo de iluminação, sendo que a planta 2 não histonas na regulação do processo de divisão celular.
floresceu. Dessa forma, conclui-se que a floração b As giberelinas (GAs) regulam a mobilização de reservas
em grãos de cereais e transformam anões genéticos de
depende da incidência de luz sobre as (os) milho, ervilha e arroz em plantas de altura normal.
a nós. c O ácido abscísico (ABA) está envolvido na regulação
b brotos. do fechamento estomático, na adaptação a vários
estresses e na indução de estruturas dormentes, como
c pecíolos.
gemas de inverno de árvores decíduas da região
d entrenós. temperada. A embriogênese e a maturação da semente,
e lâminas foliares. inclusive a síntese de proteínas de reserva, também são
mecanismos regulados por ABA.
d O etileno foi descoberto por seu efeito no crescimento
de plântulas e no amadurecimento de frutos. Esse

EXERCÍCIOS
10 (ENEM 2014) O Brasil tem investido em inovações hormônio regula várias respostas nos vegetais, tais
como germinação, expansão celular, diferenciação
tecnológicas para a produção e comercialização celular, florescimento, senescência e abscisão, embora
sua ação dependa do estágio de maturação.
de maçãs. Um exemplo é a aplicação do composto
volátil 1-metilciclopropeno, que compete pelos sítios
de ligação do hormônio vegetal etileno nas células
desse fruto. 12 (UFPR 2016) Produtores de frutas utilizam
permanganato de potássio para desencadear a
Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br.
Acesso em: 16 ago 2012 (adaptado). reação representada pela seguinte equação:
Com base nos conhecimentos sobre o efeito desse Permanganato de potássio + Etileno Óxido de
hormônio, o 1-metilciclopropeno age retardando o(a) manganês + Gás carbônico + Hidróxido de potássio
a
formação do fruto.
b O objetivo de colocar as frutas em contato com o
crescimento do fruto.
c
amadurecimento do fruto.
permanganato de potássio é:
d germinação das sementes. a acelerar seu crescimento.
e b retardar seu amadurecimento.
formação de sementes no fruto.
c alterar seu sabor.
d modificar sua cor.
e reduzir a quantidade de sementes.

13 (UNISC 2016) Em relação ao fitormônio auxina,


pode-se afirmar que:
a inibe o crescimento da planta e causa a dormência de
sementes, impedindo sua germinação prematura.
(UECE 2016) Quando Fitting, em 1909, usou o termo
11 para descrever o fenômeno de senescência induzida pela
b é abundante onde há muita proliferação de células,
como sementes em germinação, frutos e folhas em
fertilização da flor em orquídeas, o conceito de hormônio desenvolvimento e pontas de raízes.
surgiu no contexto das plantas. O uso desse termo foi

www.biologiatotal.com.br 105
c é produzida pelo meristema apical do caule e b A auxina e o etileno são hormônios relacionados à
responsável pela dominância apical. abscisão de folhas, flores e frutos nos vegetais.
d é uma substância gasosa produzida em diversas partes c As citocianinas aceleram o envelhecimento das
da planta e capaz de induzir o amadurecimento dos plantas, por meio do estímulo da divisão celular e do
frutos. desenvolvimento das gemas laterais.
e estimula o alongamento do caule e a germinação de d As giberelinas têm efeitos drásticos no encurtamento
sementes. de caules, pois atuam na diminuição do crescimento
das plantas, sendo, por isso, utilizadas artificialmente
para diminuir a altura de plantas ornamentais.

14 (FAC.ALBERT EINSTEIN - MEDICINA 2016) Um


pesquisador aplicou uma solução de auxina em
pistilos de uma planta e, em seguida, as flores dessa 17 (UECE 2015) As frutas se mantêm vivas enquanto
estiverem respirando. Quando estão na árvore utilizam
planta foram protegidas para evitar a ação de agentes a matéria orgânica que está na seiva elaborada e
polinizadores. Depois de certo tempo, obtiveram-se quando são arrancadas continuam respirando às
frutos simples, quanto à origem carpelar, porém sem custas de seus próprios tecidos.
sementes.
Sobre o processo de respiração das frutas, assinale a
A planta em questão: afirmação FALSA.
a é uma angiosperma, e o processo observado é a a A respiração das frutas é uma combustão lenta que
partenocarpia artificial, no qual a auxina promoveu o consome oxigênio e produz gás carbônico.
crescimento do ovário.
b Quando colhidas e vão para um ambiente de menos
b é uma angiosperma, e o processo observado é o da oxigênio, as frutas respiram com menor velocidade e
formação de pseudofrutos, no qual a auxina promoveu duram mais.
o crescimento de outras partes da flor, além do pistilo.
c A velocidade de respiração é menor quando as frutas
c pode ser uma gimnosperma ou uma angiosperma, e o estão mais maduras.
processo observado é a partenocarpia artificial, no qual
a auxina promoveu o desenvolvimento do ovário. d Quando são resfriadas, a velocidade de respiração
diminui e as frutas se degradam menos.
d pode ser uma gimnosperma ou uma angiosperma, e o
processo observado é o da formação de pseudofrutos,
no qual a auxina promoveu o crescimento de outras
partes da flor, além do pistilo.
18 (UECE 2014) A biosfera recebe a radiação solar em
EXERCÍCIOS

comprimentos de onda que variam de 0,3 µm a


15 (IFCE 2016) Através de observações do crescimento aproximadamente 3,0 µm Em média, 45% da
em gramíneas, constatou-se um movimento do ápice radiação proveniente do Sol encontra-se dentro de
dos coleóptilos em direção à luz. Sendo assim, o uma faixa espectral de 0,18 µm a 0,71 µm que é
crescimento nos vegetais é orientado pelo(a) utilizada para a fotossíntese das plantas (radiação
a presença da luz (fototropismo), mediado pelo hormônio fotossinteticamente ativa, RFA).
cinetina.
Em função da luz solar, pode-se afirmar corretamente
b presença da luz (fototropismo), mediado pelo hormônio
giberelina. que
c ausência de luz (fototropismo), mediado pelo hormônio a as plantas que crescem sob a sombra, desenvolvem
giberilina. estrutura e aparência semelhantes às daquelas que
d tipo de solo utilizado (geotropismo), mediado pelo crescem sob a luz.
hormônio auxina. b a parte aérea das plantas recebe somente a radiação
e presença da luz (fototropismo), mediado pelo hormônio unidirecional.
auxina. c fotoperiodismo é a resposta da planta ao comprimento
relativo do dia e da noite e às mudanças neste
relacionamento ao longo do ano.
d respostas sazonais em plantas não são possíveis porque
16 (UECE 2015) O aparecimento de novas estruturas nas os organismos vegetais são incapazes de “perceber” o
período do ano em que se encontram.
plantas, como a raiz, o caule, folhas, flores, sementes
e frutos, que desempenham funções específicas, é
relacionado à produção de diferentes hormônios.
19 (UECE 2014) As auxinas são fitormônios fundamentais
Assinale a afirmação que contém apenas informações ao desenvolvimento das plantas. Esses hormônios,
corretas sobre os fitormônios. além de serem encontrados nos vegetais, também
a Quando em altas concentrações no ápice das plantas, podem ser encontrados em fungos, bactérias e algas.
a auxina, estimula o crescimento das gemas laterais e,
dessa forma, a retirada das gemas apicais, por meio da
poda, estimula o surgimento de novos ramos, flores e
frutos.

106
Sobre as auxinas, pode-se afirmar corretamente que planta, ou parte dela, em resposta a um estímulo
a estão relacionadas exclusivamente com o crescimento externo e dependem da posição do estímulo.
do caule, das folhas, e das raízes, o que já representa
enorme importância para o desenvolvimento dos ( ) Nastismos ocorrem em resposta a um estímulo
vegetais.
externo, mas o movimento independe da posição do
b regulam apenas a abscisão foliar, a dominância apical
e a partenocarpia. fator estimulante.
c sua aplicação em plantas frutíferas é utilizada para
a produção em larga escala, pois quando inoculadas ( ) As gavinhas das plantas que se enrolam em
no ovário das flores, ocorre a produção de frutos diversos tipos de suporte apresentam um tipo de
partenocárpicos.
d
tropismo denominado gravitropismo.
quando existentes em baixas concentrações no ápice
das plantas, inibem o crescimento das gemas laterais,
em um fenômeno chamado de dominância apical. ( ) Como exemplo de nastismo, pode-se citar as
folhas de Mimosa pudica (sensitiva ou dorme-dorme),
que se fecham quando são tocadas.
20 (UFSJ 2012) Os fenômenos biológicos são muitas ( ) O crescimento diferencial de uma planta
vezes regulados pelo fotoperíodo, que é a variação observado durante o fototropismo positivo resulta da
periódica entre a duração dos dias e das noites. ação do fitormônio giberelina sobre o alongamento
Dentre os fenômenos regulados pelo fotoperíodo, celular.
pode-se citar a floração das plantas, que, de acordo
A sequência correta de preenchimento dos parênteses,
com a resposta, são divididas como plantas de dias
de cima para baixo, é:
longos, que florescem quando o fotoperíodo aumenta,
a V – V – F – F – V.
e plantas de dias curtos, que florescem com a redução
b V – V – F – V – F.
do fotoperíodo, além das neutras, que não são c F – F – V – F – V.
reguladas pelo fotoperíodo. Observe o esquema dos d V – V – F – F – F.
experimentos abaixo, em que as plantas hipotéticas e F – F – V – V – F.
A e B, respectivamente plantas de dias longos e dias
curtos, foram submetidas a diferentes fotoperíodos.
22 (PUCCAMP 2016) Muitos experimentos demonstram

EXERCÍCIOS
o efeito que a luz exerce sobre certos processos
realizados pelas plantas. Um deles é apresentado a
seguir.

A partir da análise conjunta dos três experimentos, é Três lotes de coleóptiles foram submetidos à
CORRETO afirmar que iluminação unilateral e preparados da seguinte
a o fotoperíodo influencia somente a planta A. maneira:
b a duração do dia é um fator mais determinante na
I. inteiros, com os ápices descobertos;
floração que a duração da noite.
c a duração da noite é um fator mais determinante na II. inteiros, com os ápices cobertos por papel opaco;
floração que a duração do dia.
d o fotoperíodo influencia somente a planta B. III. sem os ápices.
Espera-se que ocorra fototropismo
a positivo em I.
b negativo em I.
c positivo em II.
d negativo em II.
e negativo em III.

21 (UPF 2016) As plantas são capazes de reagir a


estímulos ambientais, produzindo movimentos. Entre
os tipos de movimento, destacam-se os tropismos e os 23 (ULBRA 2016) Considere as seguintes afirmações:
nastismos ou nastias. Considere as afirmativas abaixo I. O amadurecimento e a queda de frutos são
sobre esses tipos de movimento vegetal, assinalando controlados, principalmente, pelo hormônio etileno.
com V as verdadeiras e com F as falsas. II. As raízes têm geotropismo negativo, que ocorre
( ) Tropismos resultam do crescimento de uma por ação de auxinas.

www.biologiatotal.com.br 107
III. Na fase escura da fotossíntese, ocorre a liberação b VFFV
de O2 e a fixação do CO2 c FFVV
d VVFF
IV. As plantas possuem cloroplastos, portanto, podem e FVFV
sobreviver sem mitocôndrias.
V. A fixação do nitrogênio atmosférico é realizada,
principalmente, nos nódulos das raízes de leguminosas 25 (UFTM 2011) O gráfico mostra a liberação de açúcar
por bactérias do gênero Rhizobium. a partir do endosperma da semente de cevada em
germinação, quando tratada com GA3, um tipo de
Estão corretas:
hormônio vegetal.
a I e II.
b I e V.
c III e IV.
d I, II e V.
e II, III e IV.

24 (UESC 2011) Em 1938, os pesquisadores Hanner


e Bonner realizaram uma série de experimentos,
hoje considerados clássicos, para o estudo do
fotoperiodismo das plantas. O esquema a seguir
demonstra os resultados desse experimento. O aleurona é um tecido que ocorre nas sementes e
produz amilases. Sobre a germinação das sementes
de cevada, foram feitas as seguintes afirmações:
I. A giberelina é importante por induzir a camada
de aleurona a produzir enzimas hidrolíticas,
corroborando o crescimento do embrião.
EXERCÍCIOS

II. O uso da giberelina pela indústria de cerveja pode


redundar em significativos aumentos da produção,
mesmo com endosperma sem aleurona.
Com base nos resultados e nas conclusões obtidas
III. O amido contido no endosperma é a forma
a partir desse experimento, identifique com V as
molecular direta que supre as necessidades do
afirmativas verdadeiras e com F, as falsas.
embrião.
( ) As plantas de dia curto florescem quando
IV. O endosperma, por ser triploide, tem sua
submetidas a um período de escuro igual ou menor
capacidade de armazenamento de açúcar ampliada.
que o período de claro.
É correto apenas o que se afirma em:
( ) A interrupção da noite com um flash de luz
a I.
não produziu qualquer efeito visível no resultado do b II.
experimento. c I e II.
d I e III.
( ) As plantas de dia longo florescem quando
e II e IV.
submetidas a períodos claros superiores aos períodos
escuros.
( ) As plantas possuem um fotoperíodo crítico, 26 (UEL 2011) Considere o experimento sobre o efeito
relacionado com a duração do período de escuro, inibidor de hormônio vegetal no desenvolvimento das
e não com o período do dia na determinação da gemas laterais, apresentado na figura a seguir.
floração.
A alternativa que contém a sequência correta, de
cima para baixo, é a:
a FVVF

108
Assinale a alternativa que contém a sequência
correta, de cima para baixo.
a 4–3–5–1–2
b 5–3–2–1–4
c 5–4–3–2–1
d 4–5–3–1–2
e 3–5–4–2–1

28 (UFJF 2016) Hormônios vegetais atuam em


concentrações muito reduzidas sobre grupos de
células específicas. Sobre os hormônios vegetais são
Com base na figura e nos conhecimentos sobre
feitas as seguintes afirmativas:
fisiologia vegetal, considere as afirmativas a seguir.
I. Auxina é importante na dominância apical e no
I. A ausência de hormônio produzido pelo meristema
desenvolvimento de frutos
apical do caule exerce inibição sobre as gemas
laterais, mantendo-as em estado de dormência. II. Giberelinas estimulam o alongamento do caule

II. As gemas laterais da planta-controle estão inibidas III. Citocininas estimulam divisões celulares e o
devido ao efeito do hormônio produzido pela gema desenvolvimento de gemas
apical. IV. Ácido abscísico promove a dormência de gemas e
III. O hormônio aplicado na planta decapitada inibe o fechamento de estômatos
as gemas laterais e, consequentemente, a formação V. Etileno estimula o amadurecimento de frutos
de ramos laterais.
São CORRETAS:
IV. A técnica de poda das gemas apicais tem como a I, II e V.
objetivo estimular a formação de novos ramos b I, IV e V.

EXERCÍCIOS
laterais. c I, III e IV.
d II, III, IV e V.
Assinale a alternativa correta. e I, II, III, IV e V.
a Somente as afirmativas I e II são corretas.
b Somente as afirmativas I e III são corretas.
c Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d Somente as afirmativas I, II e IV são corretas. 29 (UEPA 2015) Leia o texto para responder à questão.
e Somente as afirmativas II, III e IV são corretas. Há séculos, os chineses aprenderam que os frutos
amadureciam mais rapidamente quando colocados
em câmaras onde queimavam incenso. Isso também
27 (UDESC 2010) Os hormônios vegetais são substâncias foi observado, por exemplo, em laranjas que
que estimulam, inibem ou modificam os processos produzem um gás o qual promove o amadurecimento
fisiológicos da planta. Eles podem agir à distância do de bananas. Tais observações levaram os botânicos a
seu local de síntese e são específicos. suspeitarem da existência de uma substância gasosa
Associe a primeira coluna de acordo com a segunda. liberada em processos de combustão e também pelas
plantas. Tal substância e produzida por todos os
( 1 ) Auxina ( ) Envelhecimento vegetal, queda
das folhas amadurecimento de órgãos do vegetal, com exceção das sementes.
frutos.
(Adaptado de: Favaretto e Mercadante, BIOLOGIA, Volume único, 2005.)
( 2 ) Giberelina ( ) Divisão celular e
desenvolvimento de gemas laterais. Sobre o assunto tratado no texto, analise as
( 3 ) Ácido ( ) Inibição da germinação de afirmativas abaixo.
abscísico sementes e das gemas durante
condições desfavoráveis. I. O órgão vegetal que não produz o referido gás se
( 4 ) Etileno ( ) Alongamento de caule e origina do óvulo fecundado.
estímulo à formação de raízes.
( 5 ) Citocinina ( ) Estímulo à germinação de II. O gás é a giberelina que estimula o crescimento da
sementes. raíz da planta.

www.biologiatotal.com.br 109
III. O referido gás é o etileno que atua no desempenham. Associe adequadamente a coluna
amadurecimento de frutos. direita com a esquerda.
IV. Os órgãos vegetais em destaque no texto estão 1. Giberelina ( ) promove a quebra da
presentes em representantes tanto de angiospermas dormência da semente
como de gimnospermas. 2. Auxina ( ) regula a queda das
A alternativa que contém todas as afirmativas folhas no outono
corretas é: ( ) inibe o crescimento
a I e II das gemas laterais
b I e III
c II e III
A sequência correta de preenchimento dos parênteses,
d II, III e IV de cima para baixo, é
e I, II, III e IV a 1 - 2 - 2.
b 2 - 1 - 2.
c 1 - 2 - 1.
d 2 - 1 - 1.
30 (UFRGS 2015) A coluna à esquerda, abaixo, lista dois e 2 - 2 - 1.
hormônios vegetais; a coluna à direita, funções que

ANOTAÇÕES
EXERCÍCIOS

110
GABARITO DJOW
CAIU NA UNESP - 2017
[A]
A poda periódica das extremidades das plantas elimina as gemas apicais determinando a quebra da dominância apical.
Consequentemente, haverá produção de auxinas pelas gemas laterais e a germinação dos ramos colaterais do vegetal.

HORMÔNIOS E MOVIMENTO VEGETAL

1- [D] 10- [C]


O amadurecimento de um fruto é retardado mantendo-o em O composto volátil 1-metilciclopropeno, ao competir pelos sítios
local ventilado para provocar a dissipação do hormônio gasoso de ligação do hormônio vegetal etileno nas células das maçãs,
etileno. O etileno acelera o amadurecimento dos frutos das age retardando o amadurecimento dos frutos.
angiospermas.

11- [A]
2- [D]
As auxinas não estão envolvidas sinergicamente com as
A queda das folhas de plantas da caatinga nordestina está proteínas histônicas dos cromossomos das células vegetais.
relacionada à ação do hormônio gasoso etileno e é uma
adaptação para reduzir a perda de água pela transpiração
durante a estação quente e seca. 12- [B]
O permanganato de potássio causa a degradação do gás etileno
3- [D] e, consequentemente, retarda o amadurecimento dos frutos.
O hormônio gasoso etileno acelera o amadurecimento dos frutos.
O acondicionamento prolongado de frutos em sacos fechados 13- [C]
aumenta a concentração de etileno e, consequentemente, os
frutos amadurecem mais rápido. A auxina é um fitormônio produzido no ápice do caule, no
meristema apical, apresentando dominância no eixo central
(dominância apical). As diferentes partes da planta respondem a

EXERCÍCIOS
4- [D] diferentes concentrações de auxina. O crescimento de raízes, por
exemplo, é estimulado por menores concentrações de auxina.
A auxina conhecida como ácido indol-acético é o principal Essas diferenças estão relacionadas a fatores como gravidade,
hormônio envolvido nos movimentos fototrópicos de caules e luz e dominância apical.
raízes dos vegetais.

14- [A]
5- [B]
As auxinas aplicadas em pistilos de flores promovem o
O fechamento dos folíolos da Dionaea é um movimento nástico, desenvolvimento do ovário sem que haja fecundação. O ovário
porque não depende da direção do agente excitante, e sim da desenvolvido origina o fruto partenocárpico sem sementes
quantidade de pelos (tricomas) tocados pelo inseto enquanto a artificial. As únicas plantas que apresentas flores e frutos são
armadilha está aberta. as angiospermas.

6- [C] 15- [E]


O movimento de crescimento e curvatura do caule em direção As auxinas são hormônios encontrados nos vegetais que
à luz denomina-se fototropismo positivo. O crescimento e controlam os movimentos de crescimento em resposta à luz, o
curvatura dos caules contra a ação da gravidade é chamado de fototropismo.
geotropismo negativo.

16- [B]
7- [D]
A auxina (AIA) e o etileno, hormônio gasoso estão relacionados
O hormônio gasoso etileno é responsável pelo amadurecimento à abscisão (queda) de folhas, flores e frutos nos vegetais,
dos frutos das plantas angiospermas. dependendo da época do ano e de suas concentrações relativas
entre essas estrutura e às quais estão fixadas, como caule e
ramos.
8- [D]
A floração simultânea de diversas espécies de plantas na 17- [C]
primavera ocorre devido ao fotoperiodismo desses vegetais.
A velocidade da respiração é maior quando os frutos estão mais
maduros.
9- [E]
O experimento revela que a floração depende da incidência de
luz sobre as folhas.

www.biologiatotal.com.br 111
18- [C] responsáveis pela fotossíntese, absorvendo luz através de seus
pigmentos, enquanto que as mitocôndrias são responsáveis
O fotoperiodismo é a resposta das plantas a mudanças sazonais pela respiração celular. Poucos microrganismos conseguem fixar
como o comprimento do dia e da noite, provocando mudanças nitrogênio, entre eles, a bactéria do gênero Rhizobium, que
como a queda de folhas no outono e o início da floração em vivem nas raízes de leguminosas.
plantas fotoperiódicas.

24- [C]
19- [C]
As plantas de dia curto florescem quando recebem iluminação
A aplicação artificial de auxinas sintéticas em plantações produz igual ou menor do que o período noturno. Para essas plantas é
resultados favoráveis porque esses hormônios podem induzir necessário um período contínuo de escuro para florescerem. A
o desenvolvimento de frutos em ovários não fecundados, interrupção desse período impede o florescimento.
produzindo os frutos partenocárpicos sem sementes.

25- [A]
20- [C]
O gráfico mostra que sementes desprovidas de aleurona não são
A duração da noite é o fator mais determinante na floração das capazes de digerir os carboidratos presentes no endosperma.
plantas fotoperiódicas. As plantas de dia longo mantêm seu
fitocromo ativo e sintetizam o florígeno quando a noite é curta.
As plantas de dia curto somente sintetizam o hormônio florígeno
quando seu fitocromo é inativado por um longo período de 26- [E]
escuro. O hormônio produzido pelo meristema apical do caule exerce
influência inibidora sobre as gemas laterais. Permanecendo no
estado de dormência, as gemas não formam novos ramos no
21- [B] caule.
O enrolamento de gavinhas em um suporte caracteriza o
movimento denominado tigmotropismo.
27- [D]
O crescimento diferencial de uma planta durante o fototropismo
positivo resulta do fitormônio ácido indol-acético (AIA) sobre o O etileno promove o envelhecimento vegetal, a queda das folhas
alongamento celular. e o amadurecimento de frutos; a citocinina estimula a divisão
celular e o desenvolvimento de gemas laterais; o ácido abscísico
inibe a germinação de sementes e das gemas em condições
desfavoráveis; a giberelina promove o alongamento de caule e
22- [A] estimula a formação de raízes; a auxina estimula a germinação
A reação de crescimento e curvatura do coleóptile em direção de sementes.
à luz, denominado fototropismo positivo, somente ocorrerá no
lote [I]. O fenômeno é desencadeado pela distribuição desigual
do hormônio duxina (AIA) produzido no ápice do coleóptile 28- [E]
EXERCÍCIOS

intacto e iluminado unilateralmente.


Todos os itens estão corretos e relacionados com a atividade dos
hormônios vegetais.
23- [B]
O etileno é o hormônio gasoso responsável pelo amadurecimento 29- [B]
e queda de frutos. O geotropismo é o movimento em resposta à
gravidade e, no caso das raízes, este geotropismo é positivo, pois [II] Falsa. O gás referido no texto é o etileno.
segue em direção à gravidade. A auxina é um hormônio ligado ao [IV] Falsa. Frutos são estruturas exclusivas de angiospermas.
crescimento de vegetais. A fase escura da fotossíntese é a etapa
química, onde ocorre o ciclo de Calvin, uma série de reações
químicas, e a fixação do CO2 formando glicose. No entanto, o 30- [A]
O2 é liberado na fase clara. Os cloroplastos e as mitocôndrias
apresentam DNA próprio, RNA e ribossomos que sintetizam A sequência de preenchimento, de cima para baixo, está
uma parte de suas proteínas, mas apesar destas semelhanças, relacionada na alternativa [A].
apresentam funções diferentes. Os cloroplastos são organelas

ANOTAÇÕES

112
RAIZ, CAULE E FOLHA
Organologia Vegetal é a parte da Botânica AS REGIÕES DA RAIZ
que estuda os órgãos de uma planta. Órgãos
são estruturas formadas por conjuntos de A. COIFA OU CALIPTRA - originada do
tecidos que desempenham funções específicas caliptrogênio (meristema primário), é uma
num organismo. Os órgãos vegetais são: raiz, estrutura que protege a ponta da raiz à medida
caule e folha. A flor é na verdade um conjunto que ela cresce e se aprofunda, evitando um
de órgãos (folhas modificadas) e o fruto por sua desgaste devido ao atrito com o solo. A coifa
vez é resultado da fecundação da flor. é tipicamente encontrada em raízes terrestres,
porém em plantas aquáticas, quando presente,
A raiz é um órgão vegetativo, geralmente é muito desenvolvida.
subterrâneo e aclorofilado com geotropismo e
hidrotropismo positivo e, fototropismo negativo. B. ZONA LISA OU DE CRESCIMENTO –
Origina-se a partir da radícula do embrião e tem localiza-se acima (posição subterminal) da coifa
funções de absorção de água e sais minerais, e é subdividida em três partes: meristemática
fixação, condução de seivas, além de também por onde ocorre as divisões celulares;
armazenar reservas nutritivas em alguns alongamento onde as células aumentam de
vegetais. As raízes são classificadas de acordo volume e maturação onde as células iniciam-se
com o ambiente em que se encontram. São a diferenciação em tecidos adultos.
aéreas, subterrâneas e aquáticas.
C. ZONA PILÍFERA OU DE ABSORÇÃO –
BOTÂNICA

Numa raiz, podemos distinguir as seguintes é a região responsável em absorver água e


partes: sais minerais do solo. Possui inúmeros pelos
absorventes de origem epidérmica que, em
conjunto, multiplicam mais de cem vezes a área
de absorção da raiz.

D. ZONA SUBEROSA OU DE RAMIFICAÇÃO – é


a parte mais espessa e antiga da raiz. Caracteriza-
se pela presença de suberina em suas células,
dessa região partem as ramificações da raiz, ou
seja, as raízes secundárias, as quais têm uma
origem endógena, de uma camada chamada
periciclo. Também auxiliam a fixação do vegetal
e aumentam a capacidade de absorção. Em cada
raiz secundária existem as mesmas regiões já
descritas.

E. COLO OU COLETO – corresponde à região de


transição entre a raiz e o caule. Tem pequenas
dimensões e apresenta tecidos de ambos os
Raiz – morfologia externa
órgãos.

44
CLASSIFICAÇÃO DAS RAÍZES 1. Suportes ou Escoras: partem
do caule e auxiliam a sustentação
RAÍZES SUBTERRÂNEAS do vegetal não tanto pelo porte,
mas pelo tipo de terreno em que
São aquelas que se desenvolvem abaixo da estão instaladas.
superfície do solo. Podem ser:
Ex.: plantas de mangue, milho,
1. Axial ou Pivotante: cana-de-açúcar.
são raízes que possuem 2. Cintura: são raízes que
um eixo principal maior, se desenvolvem geralmente
perpendicular ao solo, do sobre árvores ou pedras,
qual partem ramificações sem serem parasitas. São
de menor porte (radicelas). características das epífitas.
Encontrada em dicotiledôneas e gimnospermas. Ex.: bromélia, orquídea.
Ex.: pinheiro, feijão, couve-flor, café. 3. Estrangulantes: raízes não
parasitas que vivem sobre outro
2. Fasciculada ou
vegetal apenas envolvendo-o.
Cabeleira: são sistemas
Devido ao crescimento
radiculares onde não
em espessura, as raízes
existe diferenciação
estrangulantes vão comprimindo
entre a raiz principal e
o tronco suporte e acaba por estrangulá-lo.
as raízes secundárias. Elas surgem de pontos
muito próximos, não se aprofundam muito e Ex: cipó-mata-pau.
geralmente pertencem a plantas de estrutura 4. Respiratórias ou
ou porte menor. São características de plantas

BOTÂNICA
pneumatóforas: são
monocotiledôneas. raízes que apresentam
Ex.: arroz, trigo, mamona, grama, etc. geotropismo negativo
e desempenham
3. Tuberosa: são raízes que função de arejamento.
além de desempenharem Ocorrem em plantas
as funções básicas de raiz, de terreno alagadiço como pântanos, onde o
acumulam substâncias de solo se apresenta com baixo teor de oxigênio.
reserva, principalmente o Desenvolvem-se a partir de raízes subterrâneas
secundárias e apresentam orifícios característicos
amido. São raízes que se
denominados pneumatódios. Ex.: avicenia
desenvolvem além do normal e podem ser
pivotantes ou fasciculadas. 5. Sugadoras ou Haustórios:
são características de plantas
Ex.: cenoura, mandioca, beterraba, rabanete, etc. parasitas. Penetram até o
sistema vascular da planta
RAÍZES AÉREAS hospedeira da qual retira
os nutrientes. Podem ser
São aquelas que crescem acima do nível do solo. hemiparasitas (parasita
Podem ou não se apoiar na superfície. Grande parcial), quando retiram apenas a seiva bruta,
parte das raízes aéreas são classificadas como como por exemplo a erva-de-passarinho ou
adventícias, ou seja, emergem diretamente de holoparasitas (parasita total), quando retiram a
caules e não da radícula do embrião. Podem ser: seiva elaborada, como o cipó-chumbo.

www.biologiatotal.com.br 45
6. Tabulares: são raízes que RAÍZES AQUÁTICAS
crescem a partir do caule
de árvores de grande porte. São características de plantas aquáticas,
Aumentam a estabilidade e podendo ficar ou não submersas. Possuem
auxiliam as trocas gasosas, parênquima aerífero bem desenvolvido para
permitindo a respiração em auxiliar na flutuação e aeração da planta.
solos pobres em oxigênio Ex.: aguapé, vitória-régia.
devido à presença de grande quantidade de
matéria orgânica em decomposição.
Ex.: flamboyant, figueira.
7. Grampiformes: têm função de fixação de
plantas trepadeiras. São pequenas com aspecto
de grampos que brotam da face sombreada
de alguns caules. Produzem uma substância
cimentante que acaba por fixar a planta no
substrato. Ex.: hera.

ANATOMIA INTERNA DAS RAÍZES


Podemos estudar a anatomia de uma raiz em monocotiledôneas, as células da endoderme
dois momentos: estrutura primária e estrutura recebem um reforço de lignina, que em corte
secundária. transversal lembram células em “U”. Em
algumas células da endoderme não existe
BOTÂNICA

o reforço de lignina, formando as células de


ESTRUTURA PRIMÁRIA passagem, através das quais a água e demais
nutrientes alcançam o cilindro central.
Para observarmos a anatomia primária da
raiz, deve-se fazer um corte na região pilífera.
Nitidamente distingue-se duas regiões: casca
e cilindro central.
A casca é composta pela epiderme,
parênquima cortical e endoderme. A
epiderme é aclorofilada, uni estratificada,
sem estômatos e sem cutícula. O parênquima
cortical ocupa a maior área da casca primária,
suas células são geralmente aclorofiladas e
armazenam substâncias, apresentando ainda
a função de aeração da raiz. A endoderme Corte transversal da raiz, mostrando a estrutura primária
é um tecido une estratificado, e compreende
a parte mais interna da casca da raiz. A O cilindro central é formado pelo periciclo,
endoderme se caracteriza pela presença localizado logo após a endoderme da casca,
de uma camada de suberina, formando as pelos feixes condutores e pelo parênquima
estrias de Caspary, impermeáveis. Estas medular. O periciclo é responsável em
controlam a quantidade de água que chega originar as raízes laterais ou secundárias.
ao cilindro central. Nas plantas que não Os feixes condutores estão dispostos
possuem crescimento secundário, como nas alternadamente separados por células de
A dupla-fecundação em uma Angiosperma

46
parênquimas, formando os feixes chamados
radiais. O parênquima medular ou medula
são células de preenchimento na região
mais central da raiz.

ESTRUTURA SECUNDÁRIA
(dicotiledôneas e gimnospermas)
A estrutura secundária da raiz é observada Corte transversal da raiz, mostrando a estrutura secundária
fazendo um corte na região suberosa.
No cilindro central inicia-se a formação Observação:
do câmbio, que primeiramente coloca-
se entre os feixes radiais, para depois em monocotiledôneas geralmente não
assumir a posição circular, produzindo ocorre o espessamento da raiz, devido à
xilema para dentro e floema para fora. A falta de meristemas secundários e também
casca acompanha o crescimento do cilindro pelo pouco tempo de vida que possuem. Os
central, através da formação do felogênio, tecidos de condução se originam diretamente
que origina para dentro a feloderme e o súber do meristema primário pleroma e situam-se
para fora, constituindo a casca secundária aleatoriamente na raiz.
ou periderme da raiz.

CAULE

BOTÂNICA
O caule é um órgão vegetativo geralmente c) nó: região onde brotam as folhas. Também
aéreo com função de sustentar ramos, folhas apresenta tecido meristemático.
e frutos, além de elevar as folhas em direção
à luz e distribuir seiva pelo organismo vegetal. d) entrenó: região situada entre dois nós
Apresenta geotropismo e hidrotropismo negativo consecutivos
e fototropismo positivo. Apresentam dois tipos de
ramificações: monopodial, com caule principal,
de onde partem ramos laterais de crescimento
indeterminado devido à presença de meristema
primário em suas gemas ou brotos, e simpodial,
sem eixo principal, onde cada ramo tem
crescimento limitado e ao parar de crescer origina
outro ramo. Da mesma forma que as raízes, os
caules são classificados de acordo com o ambiente
em: aéreos, aquáticos e subterrâneos.
As partes de um caule são:
a) gema apical: responsável pelo crescimento
em extensão, devido à presença do meristema
primário. Situa-se na ponta superior do caule.
b) gemas laterais: distribuídas pelas laterais do
caule, são responsáveis pelo desenvolvimento dos
ramos, botões florais e até raízes. Caule – anatomia externa

www.biologiatotal.com.br 47
CLASSIFICAÇÃO DOS CAULES 2) Volúveis: quando
simplesmente se enrolam
CAULES AÉREOS ERETOS no suporte através do caule
principal, como na madressilva,
1) Tronco: caule lenhoso lúpulo e feijão.
com ramificações desde
a base e bastante CAULES AÉREOS RASTEJANTES
resistente. É característico
de plantas frondosas do
grupo das angiospermas São aqueles que se desenvolvem rente ao solo,
dicotiledôneas e das não conseguem manter-se eretos e também
gimnospermas. não se apoiam em nenhuma superfície. O tipo
mais conhecido é o
Ex.: mangueira, pessegueiro, etc. estolho ou estolão,
2) Estipe ou Estípite: de cujos nós partem
caule cilíndrico, alongado e raízes adventícias.
resistente com ramificações
Ex.: morangueiro,
apenas no ápice nas regiões
aboboreira, grama.
de inflorescências.
Ex.: coqueiro, palmeira. CAULES SUBTERRÂNEOS

3) Colmo: caule 1) Rizoma: cresce horizontalmente


cilíndrico com divisão em relação ao solo, emitindo de
em nós e entrenós bem espaços em espaços, brotos aéreos
BOTÂNICA

nítida, formando gomos. folhosos e floríferos. Apresentam


Típico de algumas raízes adventícias.
monocotiledôneas. Pode
Ex: bananeira, samambaia.
ser oco, como no bambu
ou então, como na cana- 2) Tubérculo: é a porção
de-açúcar ser suculento. terminal de certos caules
subterrâneos que são
4) Haste: caule pouco desenvolvido, flexível e intumescidos pelo acúmulo
geralmente clorofilado. Típico de ervas, como de substâncias nutritivas.
couve, salsinha, etc. Apresentam gemas das
quais saem ramificações
e não apresentam raízes.
CAULES AÉREOS TREPADORES
Ex.: cará. Inhame, batata-
inglesa, cará.
São aqueles que se apoiam num suporte. Podem
ser de dois tipos: 3) Bulbo: consiste,
geralmente, de um
1) Sarmentosos: eixo caulinar curto
quando apresentam achatado (prato ou
elementos de fixação disco), envolvido por
como as gavinhas do folhas modificadas que
chuchu. são os catáfilos. Podem ser tunicados (cebola),
escamosos (alho) ou sólidos (palma).

48
CAULES AQUÁTICOS Espinhos: Estas estruturas
geralmente se apresentam
São pouco desenvolvidos, quase sempre pontiagudos e rígidos.
clorofilados, com aerênquimas facilitando Protegem a planta de
retenção a de gases (para a respiração e predadores, como exemplo,
fotossíntese) e a flutuação do vegetal. o limão, a laranja, etc.

Ex.: vitória-régia. Caule alado: caule


achatado em forma de
folha.
Ex: carqueja.

Cladódios / Suculentos:
comuns em algumas
CAULES MODIFICADOS espécies de cactos, sendo
achatados, clorofilados e
com reserva de água.
São caules que apresentam adaptações
estruturais que lhes permite uma melhor
adaptação ao ambiente. Os principais são: Xilopódios: caules subterrâneos, resistentes e
Gavinhas: típicas de que armazenam substâncias de reserva. Típicos
plantas trepadeiras. Tem de plantas de cerrado.
o aspecto de uma mola
e atua na fixação dessas
plantas.

BOTÂNICA
Ex.: Gavinha em videira

LEITURA COMPLEMENTAR
ANATOMIA DOS CAULES parenquimáticas onde eventualmente existem
cloroplastos e por células de colênquima para
As angiospermas possuem dois tipos de sustentação e a endoderme, parte mais
estruturas caulinares: eustélica e astélica central da casca, a qual contêm amido como
(atactostélica). substância de reserva.
ESTRUTURA EUSTÉLICA No cilindro central encontra-se o periciclo,
de difícil visualização, dele podem sair raízes,
Estrutura Eustélica Primária chamadas adventícias, os feixes vasculares
separados pelo câmbio e a medula, formada
Ocorre em dicotiledôneas e gimnospermas.
por parênquima central.
Assim como nas raízes distinguimos a casca
e o cilindro central.
Na casca encontra-se a epiderme, Estrutura Eustélica Secundária
geralmente cutinizado, com estomatos e sem A partir do segundo ano de vida de uma
pelos absorventes. O parênquima cortical gimnosperma ou de uma dicotiledônea,
ou córtex, que é composto por células inicia-se o crescimento secundário do caule.

www.biologiatotal.com.br 49
Na casca o felogênio origina o súber para parênquimas (tilas) constituindo o xilema
fora e a feloderme para dentro e no cilindro não funcional, ideal para os trabalhos de
central, o câmbio origina da mesma forma marcenaria. Ainda o cerne contribui na
que nas raízes, o xilema para dentro e o sustentação do vegetal.
floema para fora. O xilema apresenta-se
dividido em duas regiões: alburno e cerne.

Estrutura Astélica.

Estrutura Astélica ou Atactostélica


Estrutura Eustélica Secundária
Típica de monocotiledôneas, pois não
O alburno constitui o xilema funcional, ou possui os meristemas secundários, não
seja, nele ocorre o transporte da seiva bruta. apresentando, portanto, o crescimento
Enquanto que no cerne, esta condução não secundário (espessura). Os feixes de condução
acontece mais. Pois as células de xilema ficam dispostos aleatoriamente no caule, não
mais central foram entupidas por células de obedecendo padrão definido.

FOLHA
BOTÂNICA

É um órgão vegetativo geralmente laminar,


verde, com crescimento limitado (com exceção:
samambaias). Sua principal função é realizar
a fotossíntese, mas também é na folha que
ocorrem as trocas gasosas da respiração, a
transpiração e a gutação.
Uma folha completa apresenta as seguintes
partes:
a) limbo: região onde se encontra o parênquima Partes da folha (folha completa)
clorofiliano, geralmente laminar. É no limbo que
se realizam as funções da folha. Quando uma folha não apresenta todas as partes
descritas, é dita incompleta e sua denominação
b) pecíolo: haste que prende a folha ao caule. depende da parte que está ausente.
c) bainha: região alargada do pecíolo, junto ao Folhas pecioladas: Não possuem bainha.
tronco, com função de proteção e fixação. Ex.: abóbora.
d) estípulas: projeções do pecíolo geralmente Folhas invaginantes:
com função protetora, podendo em alguns casos a bainha abraça o
se transformar em espinhos. caule, portanto não
e) nervuras: correspondem ao sistema de vasos possui pecíolo. Ex.:
condutores de seiva bruta e elaborada. milho, grama.

50
Folhas sésseis: Não apresentam pecíolo e Peninérveas ou Reticuladas: Com nervura
bainha. Ex.: fumo. principal e desta partem as laterais.
Exemplo: Dicotiledôneas como a laranjeira.

As folhas podem ser divididas em dois grupos


básicos: folhas simples (quando o limbo se
apresenta em uma única lâmina) e compostas
(quando o limbo está dividido em porções A b c d
laminares denominadas folíolos) A. paralelinérvea; B. peninérvea; C. palminérvea; D. curvinérvea; E. uninérvea

3) Quanto ao bordo (alguns exemplos)


CLASSIFICAÇÃO DAS FOLHAS SIMPLES Liso
Denteado
1) Quanto à forma do limbo
Serrilhado
(alguns exemplos)
Lobado
Elíptica (A) Oval (B)
Cordiforme (C) Sagitiforme (D)
CLASSIFICAÇÃO DAS FOLHAS COMPOSTAS
Acicular (E) Lanceolada (F)
Reniforme (G) Oblonga (H) 1) Quanto ao aspecto do limbo

BOTÂNICA
Paripenadas: os folíolos terminam em
número par (A);
Imparipenadas: os folíolos terminam em
número ímpar (B);

A b c d

A b

Palmadas ou digitadas:
os folíolos saem de um
mesmo ponto (vértice);

e f g h
Geminadas – possuem apenas dois ou três
folíolos.
2) Quanto à disposição das nervuras
Uninérveas: nervura central. Exemplo:
Cravo.
Paralelinérveas: As nervuras dispõem-se
paralelamente no limbo.
Exemplo: Monocotiledôneas como o milho.

www.biologiatotal.com.br 51
A QUEDA DAS FOLHAS insetívoras: folhas de plantas carnívoras;
digerem os insetos capturados. Ex: Dionaea
Na região de contato da folha com o caule, sp
formam-se duas camadas: camada de abscisão
e a camada de proteção ou cicatrização. A coletoras: organizam-se como um vaso para
camada de abscisão consiste em células pequenas, coletar água de chuva, como reserva durante
de paredes celulares mais fracas e a camada períodos de escassez. Ex: bromélia
protetora é rica em suberina, conferindo maior cotilédones: folhas presentes na semente;
resistência ao local onde a folha vai se desprender. armazenam reservas nutritivas.
As plantas que permanecem com suas folhas por
um tempo longo são chamadas de perenifólias e
as plantas que perdem suas folhas a cada outono
são chamadas de caducifólias.

VARIAÇÕES
Espinho em cactos Gavinha em chuchu

Heterofilia: fenômeno que a planta apresenta


dois ou mais tipos de folhas devido ao ambiente
em que se encontram. Um exemplo é uma planta
aquática do gênero Sagitaria, que possui folhas
em forma de ponta de flecha na parte aérea,
folhas arredondadas na superfície da água e
folhas alongadas na parte submersa em água. Brácteas em Bougainvillea sp Catáfilos em cebola

Anisofilia: são folhas diferentes no mesmo


BOTÂNICA

ramo, porém a planta vive em um único ambiente.


Geralmente é uma aberração genética.

CLASSIFICAÇÃO DAS FOLHAS QUANTO À


FUNÇÃO Esporófilo em samambaia Folha insetívora em Dionaea sp

Algumas plantas apresentam folhas modificadas


ou não, que exercem funções especiais além das
já mencionadas. São elas:
espinhos – protegem e evitam perda de
água. Ex: cactus Cotilédones em feijão
Folha coletora em bromélia
gavinhas – pequenas folhas de plantas
trepadoras. Ex: chuchu.
brácteas – protegem flores e atraem agentes ANATOMIA DA FOLHA
polinizadores. Ex: copo-de-leite
A anatomia da folha é estudada principalmente
escamas ou catáfilos – protegem caules
de acordo com a disposição do parênquima no
subterrâneos (bulbos). Ex: cebola
mesófilo (meio da folha). Pode se apresentar de
esporófilos – produzem esporos para três tipos:
reprodução assexuada. Ex: samambaia

52
1) Mesófilo assimétrico 2) Mesófilo simétrico
Típico de dicotiledôneas, onde o mesófilo é Típico de monocotiledôneas, onde o mesófilo
formado por uma camada de parênquima é formado por duas camadas de parênquima
paliçádico e uma logo abaixo de parênquima paliçádico, sendo que entre estas duas camadas,
lacunoso. Neste tipo de anatomia, os estômatos situa-se uma camada de parênquima lacunoso.
se encontram na epiderme de baixo, sendo por Os estômatos, nesta anatomia, se encontram nas
isso chamadas de folhas hipoestomáticas. duas epidermes, por isso, as folhas são chamadas
de anfiestomáticas.

3) Mesófilo indiferenciado
Neste tipo de mesófilo, não existe diferença
de parênquimas, pois as células são todas
do mesmo tamanho. É comum em algumas
Mesófilo assimétrico. I – estômato, II – parênquima paliçádico. monocotiledôneas e algumas plantas aquáticas.

ANOTAÇÕES

BOTÂNICA

www.biologiatotal.com.br 53
EXERCÍCIOS
CAIU NA UFRGS - 2017

Em relação às raízes de Angiospermas, é correto afirmar que:

a são as responsáveis pela nutrição orgânica das plantas.


b absorvem macronutrientes como o manganês (Mn).
c têm o câmbio fascicular como o responsável pelo crescimento em altura.
d apresentam epiderme e mesofilo altamente diferenciado.
e têm pelos absorventes como os principais responsáveis pela absorção de água e sais minerais.

a 1.
b 2.
c 3.
d 4.
e 5.

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:


Com base na ilustração abaixo, que apresenta uma
enorme variedade de estruturas que viabilizam a 3 (UPE 2016) O coqueiro, Cocus nucifera, é uma das
realização da fotossíntese, responda à(s) questão(ões). espécies de palmeira com maior distribuição na
zona tropical, por causa de sua pouca exigência
nutricional e de sua facilidade em se dispersar pelos
mares e ter um sistema de sustentação resistente
EXERCÍCIOS

aos fortes ventos e ao solo arenoso do litoral. O seu


caule apresenta nós e entrenós bem visíveis, mas
com folhas apenas no ápice, que, por sua vez, é
classificado como:
a haste.
1 (UEFS 2016) Observando-se a folha em destaque, é
b bulbo.
correto afirmar:
c colmo.
a É típica de um vegetal do grupo das eudicotiledôneas.
d estipe.
b Nesse órgão, não há a necessidade de vasos de
condução. e tubérculo.

c É desprovida de tecido de revestimento e de


diferenciações.
d Tem a capacidade de absorver todos os comprimentos
de onda com a mesma intensidade.
e Os estômatos viabilizam as trocas gasosas, 4 (UECE 2017) As raízes das angiospermas podem
proporcionando a liberação de gás carbônico e a apresentar especializações que permitem classificá-las
absorção de oxigênio para a fotossíntese.
em diversos tipos. É correto afirmar que as raízes:
a escoras apresentam um revestimento chamado velame,
uma epiderme multiestratificada.
2 (CEFETMG 2015) Observe as estruturas vegetais b respiratórias ou pneumatóforos são adaptadas
indicadas a seguir. à realização de trocas gasosas que ocorrem nos
pneumatódios.
c tuberosas possuem o apreensório para se fixarem
ao hospedeiro e de onde partem finas projeções, os
haustórios.
d sugadora armazenam reservas nutritivas,
principalmente o amido, e por isso apresentam grande
diâmetro.
A estrutura que NÃO se relaciona diretamente nem com
a reprodução sexuada, nem com a assexuada é a de
número

54
5 (UERN 2015) A maniçoba, espécie nativa na caatinga a Fruto, semente, botão floral, rizoma, tronco.
e da qual se extrai látex, é um exemplo de planta que b Fruto, tronco, botão floral, semente, rizoma.
apresenta um caule tuberoso e subterrâneo. Esse tipo c Rizoma, semente, tronco, botão floral, fruto.
d Semente, rizoma, fruto, botão floral, tronco.
de caule armazena água e substâncias de reserva
e Semente, tronco, botão floral, fruto, rizoma.
para que a planta possa adaptar bem ao ambiente
com restrição de água. Essa modificação especial do
caule é conhecida por:
a rizóforo. 9 (PUCRS2014) Caules e folhas podem sofrer modificações
b cladódio. para a realização de diferentes funções na
c filocládio. planta. Considerando a videira (Vitis sp.), as
d xilopódio. estruturas utilizadas como suporte são _________
modificadas(os) em _________.
a folhas - gavinhas
b caules - gavinhas
c folhas - cladófilos
6 (UPF2015) Observe os caules abaixo, indicados pelas
d caules - cladófilos
setas, nas figuras A, B, C e D.
e caules - estolões

10 (UFSM 2013) Vindas da água, as plantas também


enfrentaram muitas dificuldades na colonização
Esses caules são denominados, respectivamente: do ambiente terrestre. Para reduzir a transpiração
a estolão / colmo / bulbo / volúvel. de folhas e caules, a qual poderia ser fatal, elas
b haste / rastejante / tubérculo / escapo.
desenvolveram:
c estipe / rizoma / bulbo / haste.
a tecidos condutores.
d colmo / rizoma / tubérculo / volúvel.
b estômatos.

EXERCÍCIOS
e colmo / haste / tubérculo / estipe.
c parede celular.
d tecidos mecânicos.
e cutícula.

7 (PUCPR 2015) Em algumas plantas de interior,


como a famosa “comigo-ninguém-pode”, após
uma rega intensa, podemos observar que suas
folhas “choram”, ou seja, começam a gotejar, o que
comumente é uma explicação de “mau-olhado”.
Um bom observador, entretanto, saberia que esse
fenômeno está relacionado a uma estrutura da folha
11 (CFTMG 2015) As plantas carnívoras, diferentemente
que elimina o excesso de água que a planta absorveu. de outras, são capazes de atrair, capturar e digerir
Essa estrutura é o(a): pequenos animais, principalmente os insetos.
a estômato.
b lenticela.
Essa adaptação favorece sua sobrevivência porque
c hidatódio. elas
d plasmodesma. a são incapazes de realizar fotossíntese.
e catafilo. b vivem em solos pobres em alguns nutrientes.
c reduzem as populações de seus próprios predadores.
d sintetizam estruturas protetoras com a quitina digerida.

8 (UEL 2014) Assinale a alternativa que apresenta,


correta e respectivamente, o órgão da planta utilizado 12 (ENEM 2013) A Caatinga é o único bioma
como especiarias: pimenta, canela, cravo-da-índia, exclusivamente brasileiro, ocupando cerca de 7%
noz-moscada e gengibre. a 10% do território nacional. Nesse ambiente seco,

www.biologiatotal.com.br 55
mesmo quando chove, não há acúmulo de água, pois para adaptação à nova condição ambiental. Nesse
o solo é raso e pedregoso. Assim, as plantas desse aspecto, as brácteas coloridas e os espinhos são
bioma possuem modificações em suas raízes, caules adaptações foliares que visam, respectivamente,
e folhas, que permitem melhor adaptação a esse a nutrir a planta e realizar a fotossíntese.
ambiente, contra a perda de água e de nutrientes. b atrair polinizadores e fornecer proteção.
Geralmente, seus caules são suculentos e suas folhas c dispersar as sementes e nutrir a planta.
d economizar água e realizar fotossíntese.
possuem forma de espinhos e cutículas altamente
e proteger contra insolação e realizar transpiração.
impermeáveis, que apresentam queda na estação
seca.
Disponível em: www.ambientebrasil.com.br. Acesso em: 21 maio
2010 (adaptado).

Considerando as adaptações nos órgãos vegetativos, 15 (UFJF 2012) As plantas vasculares apresentam uma
a principal característica das raízes dessas plantas, grande diversidade de adaptações morfológicas que
que atribui sua maior adaptação à Caatinga, é o(a): permitem a ocupação dos mais diferentes tipos de
ambientes. Com relação aos sistemas radiculares e
a armazenamento de nutrientes por um sistema radicular
aéreo. caulinares, é CORRETO afirmar que:
b fixação do vegetal ao solo por um sistema radicular do
tipo tuberoso. a O rizoma da bananeira é um tipo de raiz pivotante
armazenadora de amido.
c fixação do vegetal ao substrato por um sistema
b Na cebola, o sistema caulinar é do tipo colmo, formado
radicular do tipo sugador. por camadas de folhas carnosas armazenadoras.
d absorção de água por um sistema radicular desenvolvido c As plantas parasitas, como a erva-de-passarinho,
e profundo. desenvolveram raízes aéreas sugadoras ou haustórios.
e armazenamento de água do solo por um sistema d Em regiões com estresse hídrico, muitas espécies de
radicular do tipo respiratório. plantas xerófitas, como os cactos, desenvolvem raízes
do tipo pneumatóforos.
e Os cladódios são sistemas radiculares especializados
no armazenamento de nutrientes.
13 (ENEM 2013) O manguezal é um dos mais
ricos ambientes do planeta, possui uma grande
EXERCÍCIOS

concentração de vida, sustentada por nutrientes


trazidos dos rios e das folhas que caem das árvores. 16 (UFRN 2012) O palmito juçara é extraído do topo
Por causa da quantidade de sedimentos — restos de da palmeira Euterpe edulis Martius (parente do açaí),
plantas e outros organismos — misturados à água outrora abundante em toda a Mata Atlântica. Para
salgada, o solo dos manguezais tem aparência de essa extração é realizado um corte que produz um
lama, mas dele resulta uma floresta exuberante capaz único rolo de palmito e é responsável pela parada
de sobreviver naquele solo lodoso e salgado. de crescimento e morte da árvore. Uma alternativa
NASCIMENTO, M. S. V. Disponível em: para a produção comercial de palmito é a pupunha
http://chc.cienciahoje.uol.com.br. (Bactris gasipaes, Kunth), que, além de ser mais fácil
Acesso em: 3 ago. 2011.
de cultivar, diferente da juçara, é capaz de sobreviver
Para viverem em ambiente tão peculiar, as plantas à mutilação, fazendo brotar novos ramos. Essa
dos manguezais apresentam adaptações, tais como: limitação de sobrevivência da palmeira juçara ao
a folhas substituídas por espinhos, a fim de reduzir a corte se explica porque:
perda de água para o ambiente.
a na retirada do palmito do interior do caule, há
b folhas grossas, que caem em períodos frios, a fim de comprometimento da condução da seiva.
reduzir a atividade metabólica.
b nessa planta, inexiste tecido de expansão celular além
c caules modificados, que armazenam água, a fim de daquele encontrado no ápice do caule.
suprir as plantas em períodos de seca.
d raízes desenvolvidas, que penetram profundamente no c em todas as palmeiras, não há folhas além daquelas
solo, em busca de água. localizadas no topo da planta.
e raízes respiratórias ou pneumatóforos, que afloram do d nessa espécie, a ausência de gemas laterais não
solo e absorvem o oxigênio diretamente do ar. permite a formação de novos ramos.

14 (UFG 2013) A conquista de diferentes ambientes 17 (UERN 2013) A figura mostra o corte transversal de
pelos seres vivos depende de processos evolutivos um tronco, apresentando os anéis de crescimento,
que, muitas vezes, resultam na modificação de órgãos que são estruturas formadas através do tempo, sendo

56
conhecidos por anéis anuais, os quais facilitam a TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
identificação do tempo de vida das árvores. O berimbau é um instrumento musical de origem
africana, muito tocado no Brasil em rodas de
capoeira. Em sua obra Viagem pitoresca e histórica
ao Brasil Jean-Baptiste Debret descreveu o berimbau
como segue: “Este instrumento musical se compõe
da metade de uma cabaça presa a um arco curvo de
bambu, com um fio de latão, sobre o qual se bate
ligeiramente. Pode-se conhecer o instinto musical do
tocador, que apoia a mão sobre a frente descoberta
Assinale a afirmativa INCORRETA. da cabaça a fim de obter, pela vibração, um som
a Surge através do câmbio da casca ou felogênio; e a
grave e harmonioso”.
parte externa da planta conhecida por periderme. Disponível em: <http://www.redetec.org.br/inventabrasil/

b Durante o crescimento da planta, o xilema, formado


basicamente pelo lenho, fica inativo e é conhecido
como cerne.
c Nem todo o lenho deixa de ser funcional. O alburno,
conhecido como parte externa próxima ao câmbio,
permanece em funcionamento.
d O câmbio interfascicular, que surge por desdiferenciacao
de células adultas, forma sozinho um anel completo de
tecido meristemático, observando cortes transversais
do caule.

20 (UFG2012) As estruturas vegetais obtidas da


cabaceira, Cucurbita sp., e do bambu, Bambusea
sp., utilizadas para fabricar o instrumento musical
18 (UCS 2012) O corpo de uma planta apresenta
basicamente três partes: a raiz, as folhas e o caule. descrito são, respectivamente:
a pseudofruto e estipe.

EXERCÍCIOS
Em relação à morfofisiologia vegetal, assinale a
b fruto composto e haste.
alternativa correta.
c fruto verdadeiro e colmo.
a
O procâmbio origina o sistema avascular primário, que
d infrutescência e tubérculo.
compreende o súber e a epiderme.
e fruto partenocárpico e tronco.
b A seiva bruta é transportada pelo floema, que também
é responsável pela sustentação da planta.
c Na epiderme das folhas, estão presentes estruturas
como os hidatódios, muito importantes no processo de
troca gasosa.
d A coifa protege o meristema apical da raiz contra
eventuais danos, durante a penetração no solo.
e Os tricomas, presentes apenas nas folhas, ajudam na
manutenção do equilíbrio hídrico.

21 (UDESC 2016) Fornecer suporte às folhas e transporte


das seivas bruta e elaborada são as principais funções
19 (FEEVALE 2012) Marque a alternativa que completa dos caules. Analise as proposições em relação à
corretamente a frase que segue. informação.

As folhas das árvores parecem-nos verde porque a luz I. O caule do tipo volúvel é um caule aéreo, ereto e
solar que incide sobre elas: lenhoso, a exemplo, uva, chuchu e feijão.
a é verde e as folhas refletem-na. II. O caule do tipo colmo é um tipo de caule lenhoso
b contém a cor verde e esta é absorvida pelas folhas.
e rastejante no qual são nitidamente observadas
c contém a cor verde e esta é refletida pelas folhas.
as regiões de nó e interno, a exemplo, palmito e
d não contém a cor verde e as plantas emitem-na.
e contém as cores vermelha e azul e a cor verde emitida
coqueiro.
pelas folhas é uma mistura destas duas.
III. O caule do tipo rizoma é um caule subterrâneo
com desenvolvimento perpendicular à superfície, a
exemplo, batata inglesa, cenoura e aipim.

www.biologiatotal.com.br 57
IV. O caule do tipo bulbo é um caule subterrâneo, de estrutura secundária desse órgão.
tamanho reduzido e envolvido por folhas modificadas, d A é raiz de eudicotiledônea, pois apresenta floema
e xilema alternados e região central preenchida com
a exemplo, cebola e alho. xilema; B é caule de eudicotiledônea em crescimento
primário, pois tem feixes vasculares colaterais separados
V. O caule do tipo estipe é um caule com muitos entre si, formando um cilindro com parênquima no
centro.
galhos e lenhoso, a exemplo, laranjeira e coqueiro.
e A e B são caules de monocotiledôneas, no entanto,
Assinale a alternativa correta. A representa a estrutura primária, e B a estrutura
secundária desse órgão.
a Na afirmativa IV a descrição do caule está correta,
assim como os exemplos deste tipo de caule.
b Na afirmativa I a descrição do caule está correta, assim
como os exemplos deste tipo de caule.
c Na afirmativa II a descrição do caule está correta, TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
porém os exemplos são de outro tipo de caule.
d Na afirmativa III a descrição do caule está correta,
assim como os exemplos deste tipo de caule.
e Na afirmativa V a descrição do caule está correta,
porém os exemplos não são deste tipo de caule.

22 (PUCRJ 2015) Considere as afirmações relativas às


funções das raízes das plantas.
I. Absorção de água e sais minerais.
II. Condução de matéria orgânica até o caule. 24 (UEL 2012) A obra A flor do mangue faz alusão
às plantas de hábito arbóreo típicas do mangue.
III. Local de armazenamento de reservas de nutrientes.
Com base nos conhecimentos sobre essas plantas,
IV. Reprodução sexuada. considere as afirmativas a seguir.
EXERCÍCIOS

Estão corretas: I. Possuem raízes escoras como adaptação ao solo


a Apenas I, II, IV instável para a sustentação do vegetal.
b Apenas I, II, III.
c Apenas II, III, IV. II. Suas raízes realizam trocas gasosas diretamente
d Apenas I e III. com o ambiente aéreo como adaptação a um solo
e Todas as afirmações. pobre em oxigênio.
III. Possuem raízes com baixo potencial osmótico de
sucção celular, gastando energia para absorver água
23 (UPF 2014) As figuras A e B abaixo representam do solo salgado.
cortes transversais feitos em órgãos vegetais.
IV. Suas raízes possuem orifícios, denominados
pneumatódios para realizar a absorção e excreção de
sais.
Assinale a alternativa correta.
a Somente as afirmativas I e II são corretas.
b Somente as afirmativas I e III são corretas.
Com base na análise das figuras, é correto afirmar c Somente as afirmativas III e IV são corretas.
que: d Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.
a A é raiz de eudicotiledônea, pois apresenta floema e Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.
e xilema alternados e região central preenchida com
xilema; B é raiz de monocotiledônea, pois tem feixes
vasculares separados entre si, formando um cilindro.
b A é caule de eudicotiledônea, pois apresenta floema
e xilema alternados; B é raiz de eudicotiledônea em
crescimento primário, pois tem feixes vasculares 25 (UEL 2011) A figura a seguir é uma fotomicrografia
colaterais separados entre si, formando um cilindro ao microscópio óptico de estômato de Tradescantia,
com parênquima no centro. em vista frontal:
c A e B são raízes de eudicotiledôneas, no entanto,
B representa a estrutura primária, e A representa a

58
esquerdo há representação de hifas de um organismo
estabelecendo uma associação mutualista com as
raízes da planta.
Sobre essas estruturas podemos afirmar que:
a a associação estabelecida é com um fungo
endomicorrízico e a sequência numérica é representada
através de pelo radicular, epiderme, córtex, endoderme,
floema e xilema, respectivamente.
b a associação estabelecida é com um fungo
ectomicorrízico e a sequência numérica é representada
através de pelo radicular, epiderme, córtex, endoderme,
floema e xilema, respectivamente.
Os estômatos são responsáveis pela regulação das
c a associação estabelecida é com um fungo
trocas gasosas e pela transpiração nos vegetais. A endomicorrízico e bactérias fixadoras de nitrogênio,
concentração de CO2 e a temperatura atmosférica são e a sequência numérica é representada através de
pelo radicular, epiderme, córtex, endoderme, floema e
fatores ambientais que influenciam no controle do xilema, respectivamente.
mecanismo de abertura e fechamento dos estômatos. d a associação estabelecida é com um fungo
ectomicorrízico e bactérias fixadoras de nitrogênio, e
Com base na figura, no texto e nos conhecimentos a sequência numérica é representada através de pelo
sobre o processo de abertura e fechamento de radicular, epiderme, córtex, endoderme, floema e
xilema, respectivamente.
estômatos, assinale a alternativa que explica e a associação estabelecida é com um fungo
corretamente as razões fisiológicas pelas quais a luz endomicorrízico e a sequência numérica é representada
através de pelo radicular, epiderme, córtex, endoderme,
influencia neste processo. xilema e floema, respectivamente.
+
a Na ausência de luz, as células-guarda recebem íons Na ,
perdem água para o ambiente por osmose, tornam-se
murchas e, como consequência, o ostíolo se fecha.
b Na presença de luz, as células-guarda eliminam íons K+,
perdem água para o ambiente por osmose, tornam-se 27 (UNESP 2015) Dona Patrícia comprou um frasco com
flácidas e, como consequência, o ostíolo se fecha. 100 gramas de alho triturado desidratado, sem sal ou
c Na ausência de luz, as células-guarda eliminam íons
Na+, absorvem água por osmose, tornam-se túrgidas e, qualquer conservante. A embalagem informava que o

EXERCÍCIOS
como consequência, o ostíolo se abre. produto correspondia a 1 quilograma de alho fresco.
d Na presença de luz, as células-guarda recebem íons
K+, absorvem água por osmose, tornam-se túrgidas e,
como consequência, o ostíolo se abre.
e Na presença de luz, as células-guarda recebem íons Na+,
perdem água para o ambiente por osmose, tornam-se
flácidas e, como consequência, o ostíolo se abre.

26 (UEPB 2013) É correto afirmar que, em um quilograma de alho


fresco, 100 gramas correspondem, principalmente:
a aos nutrientes minerais obtidos do solo pelas raízes e
900 gramas correspondem à água retida pela planta.
b à matéria orgânica sintetizada nas folhas e 900 gramas
correspondem à água obtida do solo através das raízes.
c à água obtida do solo pelas raízes e 900 gramas
correspondem ao carbono retirado do ar atmosférico e
aos nutrientes minerais retirados do solo.
d à matéria orgânica da parte comestível da planta e 900
gramas correspondem à matéria orgânica das folhas e
raízes.
e aos nutrientes minerais obtidos do solo pelas raízes e
900 gramas correspondem à água retirada do solo e ao
carbono retirado do ar atmosférico.

A figura acima representa o corte microscópico


esquemático de uma raiz de angiosperma. No
lado direto da figura, há representação sequencial
28 (PUCMG 2008) Os caules apresentam características
dos tecidos vegetais que formam a raiz, e no lado específicas de cada grupo de plantas.

www.biologiatotal.com.br 59
a O Brasil consome mais vegetais classificados como
fanerógamas, angiospermas e dicotiledôneas.
b A Região Sudeste consome mais angiospermas,
monocotiledôneas com frutos deiscentes.
c A Região Centro-Oeste consome menos fanerógamas,
dicotiledôneas com fruto tipo cariopse.
d A Região Norte, em relação às demais regiões, consome
menos angiospermas com frutos deiscentes.
e A Região Sul consome mais dicotiledôneas que
produzem caules subterrâneos.

Sobre as figuras apresentadas, é correto afirmar,


EXCETO:
a 3 é caule de monocotiledônea, que não apresenta
câmbio com crescimento secundário em espessura e 30 (IFSP 2011) As Angiospermas são vegetais que
nem delimitação clara entre córtex e cilindro central. podem apresentar diferentes tipos de raízes que
b 4 é caule de dicotiledônea apresentando feixes se relacionam, entre outras funções, às diferentes
vasculares líbero-lenhosos e há, nesse grupo de plantas,
crescimento secundário em espessura. condições ecológicas, conforme as apresentadas na
c Em 2 encontra-se semente com cotilédones triploides e tabela a seguir.
endosperma bem desenvolvido.
d A semente representada em 1 apresenta reservas
nutritivas no endosperma bem desenvolvido e
cotilédone reduzido.

29 (UEL 2008) Observe a tabela:

Considerando-se que um manguezal é um ecossistema


típico de região litorânea, com alta concentração de
matéria orgânica, baixa concentração de oxigênio,
alta umidade e salinidade, espera-se que a vegetação
EXERCÍCIOS

local apresente adaptações de raízes do tipo:


a tabular.
b estrangulante.
c tuberosa.
(Adaptado de: IBGE, Diretoria de pesquisas, coordenação de
índices de preços. Pesquisa de orçamentos familiares 2002-2003. d pneumatófora.
Disponível em: www.ibge.gov.br. Acesso em: 22 jul. 2007.) e pivotante.

Com relação aos dados da tabela e nos conhecimentos


sobre morfologia vegetal, é correto afirmar:

ANOTAÇÕES

60
GABARITO DJOW
CAIU NA UFRGS - 2017
[E]
Os pelos absorventes epidérmicos presentes nas raízes de angiospermas são os principais responsáveis pela absorção de
água e sais minerais que compõem a seiva bruta (ou inorgânica).

RAÍZ, CAULE E FOLHA


1-[A] 10- [E]
A folha observada no esquema é típica de um vegetal do grupo A cutícula, constituída por substâncias gaxas, impermeabiliza
das eudicotiledôneas, porque apresenta inervação reticulinérvea. a superfície de partes aéreas das plantas, evitando a perda
excessiva de água para o meio ambiente.

2-[A]
As raízes das plantas estão envolvidas, principalmente, na
11- [B]
absorção de água e íons minerais do solo. As plantas carnívoras digerem suas presas e absorvem os
nutrientes que não conseguem obter do solo onde vivem, como
por exemplo, o nitrogênio.
3- [D]
O caule típico das palmeiras com nós e entrenós nítidos e folhas 12- [D]
apenas no ápice é classificado como estirpe.
As plantas presentes no bioma Caatinga apresentam diversas
adaptações para a sobrevivência em ambiente quente e árido;
4- [B] dentre as quais, um sistema radicular bem desenvolvido e
profundo capaz de absorver água e íons que percolam o solo
As raízes respiratórias, ou pneumatóforos, são adaptadas à raso e pedregoso desse ambiente.
realização das trocas gasosas, as quais ocorrem através de poros
denominados pneumatódios.
13- [E]

BOTÂNICA
5- [D] As plantas dos manguezais apresentam adaptações para
sobreviver em solo encharcado de água salobra e pobre em
O xilopódio é um caule tuberoso, subterrâneo e capaz de oxigênio, tais como raízes respiratórias (pneumotóforos), as
armazenar água e substâncias de reserva. O xilopódio aparece quais afloram do solo e absorvem o oxigênio diretamente do ar.
tipicamente em plantas que habitam as regiões áridas e quentes
como a caatinga nordestina.
14- [B]
6- [D] Brácteas são folhas modificadas cuja função é atrair agentes
polinizadores que levarão o pólen de uma flor para outra
Os tipos de caules mostrados nas imagens, são, respectivamente, garantindo a fecundação. E os espinhos também são folhas
colmo, rizoma, tubérculo e volúvel. alteradas com o passar do tempo e sua finalidade é proteção
contra outros organismos.

7- [C]
A gutação ou sudação é a perda de água no estado líquido
15- [C]
pelos poros sempre abertos situados nos bordos das folhas de As plantas parasitas desenvolvem raízes aéreas sugadoras
determinadas plantas. Esses poros são denominados hidatódios (haustórios) para retirar parte da seiva das plantas hospedeiras.
ou estômatos epitemais.

16- [D]
8- [B] A planta que produz o palmito juçara não possui gemas laterais
A pimenta é um fruto que se desenvolveu a partir do ovário da que produzam ramos que substituem os que sofrem abscisão.
flor da pimenteira. A canela é a casca do caule, que é classificado A retirada do ápice do caule, onde novos ramos são formados,
como tronco. O cravo da índia utilizado como especiaria acaba por provocar a morte do vegetal.
corresponde ao botão floral seco. A noz- moscada é a semente
encontrada dentro do fruto da moscadeira. A porção do gengibre
utilizado como especiaria corresponde o caule subterrâneo, 17- [D]
conhecido como rizoma.
O câmbio interfascicular surge da desdiferenciação de células
adultas, sendo denominado meristema secundário, porém este
9- [B] não forma sozinho um anel completo como observado no corte
transversal do caule, ele se intercala com o câmbio intrafascicular
As estruturas utilizadas como suporte pelas videiras são que é um tecido meristemático primário.
prolongamentos de caules modificados, denominados gavinhas.

www.biologiatotal.com.br 61
18- [D] 24- [A]
A coifa é um tecido de proteção que reveste externamente a As plantas de mangue possuem raízes com alto potencial
extremidade da raiz, local em que se encontra o meristema osmótico porque estão emersas em águas salobras. Os orifícios
subapical, responsável pelo crescimento longitudinal desse presentes nas raízes e caules desses vegetais, denominados
órgão. pneumatóforos, são adaptações para a absorção de oxigênio do
ar. A concentração desse gás na água é baixa devido à intensa
decomposição aeróbica nesses ecossistemas costeiros.
19- [C]
As folhas dos vegetais são verdes aos nossos olhos porque a 25- [D]
luz que incide sobre elas contém o comprimento de onda
equivalente ao verde que é refletido pela superfície foliar. Na presença de luz, as células guarda recebem íons K+,
tornando-se hipertônicas em relação às células vizinhas.
Consequentemente, elas ganham água por osmose, tornam-se
20- [C] túrgidas e o ostíolo abre.

A metade da cabaça a qual o enunciado se refere é metade


do fruto verdadeiro da cabaceira, também conhecida como
aboboreira. E o arco é um caule do tipo colmo presente no
bambu. 26- [A]
O desenho representa a associação da raiz com um fungo
endomicorrizico, porque ele penetra nas estruturas internas à
21- [A] raiz. A sequência numérica de 1 e 6 representa, na ordem, pelo
[I] O caule do tipo volúvel é aéreo, delgado e cresce em torno radicular, epiderme, córtex, endoderme, floema e xilema.
de um suporte.
[II] O colmo é um caule com nós e entrenós nítidos, como ocorre 27- [B]
no bambu e na cana-de-açúcar.
Em um quilograma de alho fresco, 100 g correspondem à matéria
[III] O rizoma é um caule subterrâneo com desenvolvimento orgânica sintetizada nas folhas durante a fotossíntese e 900 g
paralelo à superfície, a exemplo, samambaia, bananeira. correspondem à água absorvida do solo pelas raízes.
[V] O estirpe é um caule sem galhos, com folhas no ápice, como
se verifica em coqueiros e palmeiras.
28- [C]
22- [B]
As raízes das plantas não estão relacionadas ao processo 29- [E]
de reprodução sexuada. Em plantas descíduas o floema das
BOTÂNICA

raízes transportam a seiva orgânica em direção aos ramos que


perderam as folhas.
30- [D]
A vegetação típica do mangue possui raízes aéreas do tipo
23- [D] pneumatófora, pois a água salobra onde se desenvolvem é
pobre em oxigênio devido à intensa decomposição aeróbica que
A figura A mostra um corte transversal de raiz de eudicotiledônea se processa nesses ecossistemas.
por apresentar xilema e floema alternados na região central. A
figura B representa um corte de caule de eudicotiledônea por
apresentar os feixes líbero-lenhosos ordenados em círculo.

ANOTAÇÕES

62