Você está na página 1de 26

UNIVERSIDADE ESTACIO DE SÁ

Prática de Ensino e Estágio Supervisionado em Docência dos Anos


Iniciais do Ensino Fundamental

ELIZABETH DOS SANTOS OLIVEIRA

RIO DE JANEIRO
2015
UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ

Prática de Ensino e Estágio Supervisionado em Docência dos Anos Iniciais do Ensino


Fundamental

Relatório exigido como parte dos requisitos para


conclusão da disciplina de Prática de Ensino e Estágio
Supervisionado em Docência dos Anos Iniciais do
Ensino Fundamental sob a orientação da professora
Angela Maria Paiva Gama.

Curso: Pedagogia

RIO DE JANEIRO
2015
“Ninguém caminha sem aprender a caminhar, sem aprender a fazer o caminho caminhando,
refazendo e retocando o sonho pelo qual se pôs a caminhar.”

Paulo Freire
SUMÁRIO

1. Introdução..........................................................................................................................5

2. Capítulo I - Caracterização da escola e da turma observada............................................. 6

2.1. Caracterização da escola..............................................................................................6

2.2. Caracterização da turma e do trabalho do professor....................................................8

3. Capítulo II - Desenvolvimento e análise das atividades observadas e realizadas..............10

3.1. Cotidiano Escolar........................................................................................................12

3.2. Desenvolvimento e análise das atividades realizadas................................................ 15

4. Capítulo III – Considerações finais....................................................................................18

5. Referências.........................................................................................................................20

6. Anexos................................................................................................................................21

6.1. Anexo 1 – Hino da Escola...........................................................................................21

6.2. Anexo 2 – Foto da Escola............................................................................................22

6.3. Anexo 3 – Organograma..............................................................................................23

6.4. Anexo 4 – Caderno de Atividades...............................................................................24

6.5. Anexo 5 – Plano de Aula.............................................................................................25

6.6. Anexo 6 – Cartelas utilizadas na aula.........................................................................26


1. INTRODUÇÃO

O presente relatório irá descrever uma experiência de estágio nos Anos Iniciais do
Ensino Fundamental realizado na Escola Municipal Aspirante Carlos Alfredo, situada à Rua
Ibiá, n° 105, no bairro de Turiaçú, Rio de Janeiro, no período de 66 horas. Nele constam as
observações e atividades realizadas durante o período de estágio obrigatório, correspondente à
disciplina Prática de Ensino e Estágio Supervisionado em Docência dos Anos Iniciais do
Ensino Fundamental, a qual está atrelada na prática, ministrada pela Professora Angela Maria
Paiva Gama.
Tal estágio tem por objetivo a observação e a participação, dentro do contexto escolar,
diante das atividades realizadas dentro de sala de aula, ou fora dela quando necessário, e
também as relações entre a direção e as demais pessoas que fazem parte da comunidade
escolar. Esta ação contribui para a minha formação como estagiária, porque tenho a
oportunidade de atuar sobre uma realidade concreta e próxima
No primeiro capítulo serão descritos o funcionamento e estrutura da instituição,
tentando fazer uma descrição geral do local, observando sua estrutura física, o histórico da
fundação e o levantamento do quadro de profissionais da instituição, e a caracterização da
turma observada e o trabalho da professora.
No segundo capítulo falarei do desenvolvimento e análise das atividades observadas e
realizadas em sala de aula, por mim e pela professora responsável pela turma, descrevendo as
práticas pedagógicas a partir do que observei e vivenciei.
O terceiro capítulo apresentará as considerações finais, concluindo todo trabalho
observado e realizado, através das atividades propostas.
Esta experiência está sendo muito importante para aumentar o meu conhecimento na
área da educação, sendo o estágio a atividade pedagógica que visa o contato com a prática
funcional para o exercício do trabalho, minha expectativa é a vivência de experiências
enriquecedoras para o desenvolvimento do trabalho como educadora.

5
2. CAPÍTULO I - CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA E DA TURMA
OBSERVADA

A Escola Municipal Aspirante Carlos Alfredo pertence à rede municipal de ensino, fica
localizada à Rua Ibiá, n°105, no bairro de Turiaçú, Rio de Janeiro, CEP: 21540-070. Faz parte
da 5ª Coordenadoria Regional de Educação e seu email é emalfredo@rioeduca.net.
A escola é situada na zona norte da cidade, próximo a comunidades com pessoas carentes. Sua
clientela é de pessoas com nível social médio e baixo. Encontra-se próxima ao comércio do bairro, em
uma rua que transitam algumas linhas de transporte coletivo. Além disso, conta com transporte
alternativo (vans e Kombi). Fica próximo a Indústria de Produtos Alimentícios Piraquê, a uma
praça, Campo de futebol do bairro, escolas pública e privada, Associação de Moradores e o
comércio é farto (2 farmácias, Supermercado, açougue, 2 padarias, Lan house, igrejas católica
e evangélica, 2 sacolãos, loja de móveis e carros, armazém, barraquinhas).
Os alunos são da própria comunidade, e muitos que estudam lá os pais foram alunos
da mesma escola, e alguns da mesma professora.
A escola mantém aspectos e hábitos tradicionais, como por exemplo, formar filas no pátio,
separadas por turma, logo na chegada dos alunos e cantar o Hino Nacional e o Hino da Escola (em
anexo), antes de seguirem para as salas de aula. Todos os dias eles cantam formados em fila no pátio,
mas somente as segundas feiras que cantam os Hinos (Nacional e Escola).

2.1. CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA

A instituição de ensino foi inaugurada em 6 de outubro de 1962, no governo de Carlos


Lacerda. Seu nome foi escolhido em homenagem ao seu Patrono, Aspirante Carlos Alfredo
Morim Fernandes, Herói do glorioso Exército Brasileiro. Em 9 de agosto de 1957, o 17°
Batalhão deveria comemorar seu 38° aniversário, por início das atividades festivas um
acidente inesperado levou o Aspirante à morte, muitos dos que assistiam a festividade
testemunharam que o Aspirante Carlos Alfredo deu sua vida, cobrindo o petardo com seu
próprio corpo, para impedir que a vida de seus auxiliares se perdesse.
A escola foi reformada, enquanto estavam em obra, períodos de um ano e meio, os
alunos, professores e direção ficaram instalados na Igreja Presbiteriana situada em um prédio
em frente à escola. Sendo reinaugurada no dia 18 de fevereiro de 2013, com a honra da
presença da Senhora Secretária de Educação Claudia Costin, para alegria de seus alunos e
6
comunidade que acompanhou toda mudança.
A escola não oferece nenhum outro serviço à comunidade, além de serviços
educacionais. Possui abastecimento de água, luz, esgoto, acesso à internet e coleta de lixo.
O aspecto físico da escola é apresentado por um prédio de 3 andares cercado por
grade, o que facilita a visão de toda fachada da escola. No térreo encontra-se a secretaria, com
1 banheiro, sala de professores e demais salas da coordenação, o refeitório, pátio para
brincadeiras e 2 banheiros (feminino e masculino). Na área externa tem o parquinho,
estacionamento, quadra esportiva, 2 banheiros (feminino e masculino), uma horta onde os
alunos da classe especial fazem suas plantações, e um jardim com área ampla e bancos de
concreto. No segundo andar possuem 6 salas de aula e 2 banheiros (feminino e masculino). E
enfim o terceiro andar, onde se encontra 2 salas de aula, sala de leitura, sala de informática,
sala de artes e auditório. A escola tem um elevador, que é utilizado somente pelos alunos com
necessidades especiais que fazem uso de cadeira de rodas. Todos os banheiros possuem
espaço e adaptação para o uso de pessoas com necessidades especiais, sempre limpos e
organizados.
A qualidade das instalações é ótima, todas as salas de aula são amplas, iluminadas,
com ar condicionado, DVD, TV, data show, som e mobiliário em bom estado de uso e
conservação, com quantidade suficiente para os alunos e professores.
A escola funciona em dois turnos, atendendo 455 alunos, distribuídos em 15 turmas, 8
pela manhã e 7 à tarde, nas etapas de ensino: Educação Infantil, 1° ao 6° ano e Classe
Especial.
A composição do quadro de funcionários é a seguinte: Diretora e Diretora adjunta,
Coordenadora pedagógica, Supervisora escolar, Agente administrativo, Auxiliar de Agente
administrativo, Responsável pela sala de leitura, Secretário escolar, Agente educador, 4
merendeiras, 1 servente, 3 funcionários da Comlurb responsáveis pela limpeza e 16
Professores, sendo 10 docentes, 3 de Educação física, 2 de Inglês e 1 de Artes. A escola
também conta com apoio de 2 voluntários, 1 merendeira e 2 professoras readaptadas
(Organograma em anexo).
A escola também oferece alguns projetos, para a participação dos alunos da escola que
tenham interesse pela atividade, como aulas de Tricô, Xadrez e Futsal.
A escola possui Projeto Político Pedagógico (PPP) e é atualizado e revisado sempre
que necessário. Dentre as propostas citadas estão destacadas a missão de oferecer um ensino
que preze pela qualidade dando acesso ao saber e compreensão da realidade física e social; o
desenvolvimento de atividades interdisciplinares e contextuais com base na dialética
7
buscando a transformação do aluno como sujeito ativo na produção de conhecimento e no
campo de trabalho; o resgate de valores e elevação da qualidade de vida e auto-estima em
toda comunidade escolar. O Projeto é elaborado pela Coordenadora Pedagógica com a
colaboração e participação dos professores. Existe coerência entre a proposta pedagógica e a
prática, sendo compatível com o que é descrito no PPP.
A escola mantém um blog desde 2012, onde registra as atividades desenvolvidas e
partilha informações com a comunidade, e pode ser encontrado no endereço eletrônico
emaspirantecarlosalfredo. blogspot.com. br.

2.2.CARACTERIZAÇÃO DA TURMA E DO TRABALHO DO PROFESSOR

As atividades observadas foram realizadas em uma turma de 1° ano, alfabetização,


segundo turno, no horário de 13h00min as 17h00min, de segunda à sexta feira, regida pela
professora Aline Estevão. A referida turma possui 32 alunos, divididos em 14 meninas e 18
meninos, com idades variando entre 6 e 7 anos.
A professora tem seu plano de aula pronto e disponível para consulta. Planeja suas
atividades com base nas metas traçadas para o PPP e nas Orientações Curriculares, além dos
Descritores para o bimestre estabelecido pela SME. Os objetivos no plano de aula consistem no
desenvolvimento da escrita, na leitura, conhecimento do alfabeto e suas junções. Durante as
aulas, além de cadernos de aula e casa também são utilizados Cadernos de Apoio Pedagógico
elaborados pela SME e de uso obrigatório. Dentre as estratégias utilizadas estão os jogos,
brincadeiras, e atividades em sala.
A avaliação é feita no dia a dia de aula, bem como avaliações escritas, ou seja, testes
de conhecimento. Os que apresentam dificuldade na aprendizagem recebem atendimento
individualizado, com atividades de reforço dentro ou fora do turno, conforme a necessidade.
Os casos mais complexos, quando há necessidade, são levados à apreciação do Conselho de
Classe, antes das notas e conceitos ser lançados no Sistema Acadêmico.
A professora possui domínio de turma, os alunos observados são comportados, com
exceção de alguns, onde é necessário que peça que se sentem o tempo todo, e tem muitos
alunos desinteressados que mal copiam o conteúdo oferecido em aula ao quadro, folhas de
atividades e trabalhos de casa, mas nada que impeça que haja controle de turma, onde faz com
que a professora em alguns momentos tenha uma atitude autoritária, gritando de vez enquanto
8
e falando em tom ameaçador para manter a ordem na sala. Apesar de agitados, os alunos
mantêm uma relação de respeito e a convivência é tranqüila, quando necessário uns ajudam
aos outros.
A professora procura relacionar o tema de estudo ao cotidiano dos alunos, e também
tenta associá-los aos conhecimentos e experiências prévias dos alunos. Incentiva essa
interação, sempre afirmando que acredita no potencial de cada um, durante as aulas e as
atividades. Quando faz lançamento de letras do vocabulário, inicia contando uma história, e
diante desta história retira palavras que deseja que sejam trabalhadas em aula. Desta forma
chama a atenção dos alunos para o assunto dado na aula e faz com que todos participem e
interajam entre si.
A sala de aula é espaçosa, arejada, iluminada, limpa e organizada. O mobiliário é
adequado, suficiente para todos os alunos e se encontra em ótimo estado, os alunos ajudam a
manter a conservação. Possui armários para guardar materiais, TV, DVD, Data Show e ar
condicionado. Existe um alfabetário, murais, calendário e espaço para registro das atividades
realizadas pelos alunos.

9
3. CAPÍTULO II – DESENVOLVIMENTO E ANÁLISE DAS ATIVIDADES
OBSERVADAS E REALIZADAS

Durante o período de estágio pude observar, acompanhar e participar do desempenho


de uma turma de 1°ano, fase de alfabetização, orientadas pela professora Aline Estevão.
Formada em Pedagogia e no Curso de Formação de Professores, lecionando há 16 anos, sendo
13 anos pela Prefeitura do Rio de Janeiro. Seu relacionamento com os alunos e direção, é
baseado no respeito e na educação, impondo limites para um bom relacionamento. Demonstra
preocupação em proporcionar aos alunos um ambiente físico agradável na sala de aula.
Em suas aulas, procura sempre dialogar com seus alunos, demonstrando segurança e
empregando adequadamente o vocabulário ao nível dos alunos. Oferece oportunidade de troca
de experiências e aceita sugestões dos alunos. Solicita participação ativa da turma,
estimulando-os a fazer perguntas, tira as dúvidas que ocorrem, sempre estimulando a
independência e iniciativa das crianças, pois assim contribui para o desenvolvimento da
autonomia das mesmas. Costuma circular pela sala para atender as necessidades e
dificuldades dos alunos, falando suavemente e utilizando expressões gentis como: “por
favor”, “com licença”, “obrigado”. Desta maneira estimula que os alunos tenham a mesma
gentileza. Quando acontece de uma criança agredir a outra, ela costuma chamar todos os
envolvidos, conversar e pedir que se desculpem, pois são amigos de turma e não há
necessidade de tal atitude.
Em relação aos alunos, pode-se dizer que são interessados, participativos, curiosos e
possuem o desejo de aprender, apesar de serem bem agitados, em exceção de dois alunos que
são desinteressados e conversam o tempo todo, mas a professora com seu domínio de classe
consegue contornar esta situação fazendo-os participar mesmo sem estarem interessados.
Existem aqueles que estão um pouco atrasados em relação à maioria da turma, mas nada que
os impeça de seguir adiante. Possuem um bom relacionamento e tratam a professora com
respeito. O único momento que demonstram um pouco de rivalidade é na hora do recreio,
onde demonstram sua vontade e às vezes costumam se agredir, nada grave apenas briga de
criança que no mesmo instante acabam esquecendo.
As aulas são bem desenvolvidas, coerente ao objetivo proposto e a estratégia utilizada.
O assunto é bem trabalhado e sempre há participação dos alunos. A aprendizagem deve ser
casual, organizada, espontânea e com finalidade definida, da forma como deve ser o processo
de ensino, caracterizando as capacidades intelectuais dos alunos em direção ao domínio dos
conhecimentos e habilidades e a sua aplicação.
10
As crianças fazem uso de um “Caderno de Atividades”, fornecido e exigido a
utilização pela Secretaria Municipal de Educação (em anexo), que é utilizado na maioria das
vezes como tarefas para casa, poucas são as atividades que são feitas em aula, pois a
professora utiliza como caderno de reforço. As crianças demonstram um pouco de dificuldade
nas atividades, necessitando sempre de ajuda e orientação. Os conteúdos escolares precisam
fazer sentido para todos, por esse motivo os professores devem refletir sobre como os alunos
devem aprender, da mesma forma como a escola pode contribuir para produzir belas
experiências sociais.
Observei que a professora, quando lança um novo conteúdo, tem o hábito de contar
uma história ou cantar uma música, e diante do que foi apresentado é retirado o conteúdo que
será trabalhado no dia. Em uma das aulas, utilizou o trecho da música de Alceu Valença “A
foca” para trabalhar a letra “F” e seus vocábulos. Com isso as crianças participaram de forma
ativa e estimuladora. A professora desenvolve um procedimento em que os conteúdos
trabalhados sejam de forma interdisciplinar, contextualizando com a realidade sócio-cultural
da turma, são realizadas atividades em que essa aprendizagem seja significativa para os
alunos. O processo de aprendizagem das aulas deve sempre levar em consideração a realidade
dos alunos, a finalidade dos conteúdos e o plano de ação.
Dentre as atividades diárias, uma vez por semana, os alunos participam de aulas de
inglês e leitura. As aulas de inglês são na mesma sala, e as aulas de leitura ocorrem em uma
sala específica, preparada especialmente para esse tipo de atendimento, equipada com livros
com histórias antigas, como os contos de fadas, e atualizadas. A professora de inglês utiliza na
maioria das aulas o data show, para apresentar os vídeos trazidos por ela, e também faz uso de
uma cartilha, onde os alunos colorem, fazem corte e colagem após a apresentação do
assunto trabalhado. Na sala de leitura, a professora também faz uso de data show para
apresentar algumas histórias, e têm dias que fazem leitura livre, cada um escolhe o livro de
preferência para ser lido.
Angela Cristina Munhoz Maluf acredita que todo educador tem ampla
responsabilidade na renovação das práticas educativas, pois ele, na medida do possível, faz
surgir novas práticas educativas propondo novas intenções educativas no desenvolvimento, só
alcançáveis por meio dele mesmo. (MALUF, 2012, p.41).
Segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais:
A intervenção do professor precisa, então, garantir que o aluno conheça o objetivo
da atividade, situe-se em relação à tarefa, reconheça os problemas que a situação
apresenta, e seria capaz de resolvê-los. Para tal, é necessário que o professor

11
proponha situações didáticas com objetivos e determinações claros, para que os
alunos possam tomar decisões pensadas sobre o encaminhamento de seu trabalho,
além de selecionar e tratar ajustadamente os conteúdos.

No décimo dia de estágio, tive a oportunidade de dar a minha aula, onde apresentei um
jogo chamado “Bingo de Palavras”, com o objetivo de fixar as palavras aprendidas e
trabalhadas em aula. Consegui atingir meu objetivo, pois os alunos ficaram interessados e
participativos, e disseram que adoram quando as aulas são apresentadas com jogos ou
brincadeiras. Para que os alunos adquiram competências em sua formação é necessário propor
tarefas complexas e desafiadoras, de forma que incitem a mobilização de conhecimentos.
Plano de Aula em anexo.

3.1.COTIDIANO ESCOLAR
1° ano – Professora Aline Estevão - Alunos de 6 e 7 anos de idade

Dia 30/03/2015 – Foi o primeiro dia de estágio. Conheci a escola, suas dependências e
a turma observada. Somente observei o desenvolvimento da aula e as atividades aplicadas e
como os alunos se organizam dentro de sala. Fizeram atividades que copiaram do quadro,
com a letra “D” e seus vocábulos. Quando terminaram as atividades foram à mesa da
professora para serem corrigidas.
Dia 01/04/2015 – A professora iniciou a aula com atividades em folha de ofício, onde
trabalharam palavras iniciadas com a letra “D”, onde comparavam desenho e palavra, após
pintaram. Eu as levei ao recreio. Na volta à professora pediu que eu distribuísse uma folha de
ofício com o desenho de um coelho, fizeram pintura, depois coloquei os desenhos no mural da
Páscoa.
Dia 02/04/2015 – Houve um lanche coletivo em comemoração ao dia da Páscoa, cada
aluno levou um pratinho (doce ou salgado) e suco. A professora contou a história da Páscoa, e
o verdadeiro sentido da data. Após colocou música, ficou um ambiente animado e as crianças
lancharam e conversaram.
Dia 06/04/2015 – Iniciaram copiando do quadro, a data e seus nomes no caderno de
aula. Após fizeram em folha de ofício atividades de soma, conforme iam acabando traziam a
mim para serem coladas as folhas em seus cadernos. Foram à educação física, e na volta os
levei ao recreio.
12
Dia 08/04/2015 – Tiveram aula de inglês, ajudei a professora na orientação das
atividades. Colei recados para os responsáveis no caderno de casa, após os acompanhei ao
recreio.
Dia 09/04/2015 – Foram à sala de leitura, os acompanhei. Fizeram leitura livre, cada
um escolheu o livro que desejava, e a professora lia um pouco da história escolhida por cada
um. Após os acompanhei até ao recreio.
Dia 13/04/2015 – As atividades feitas em aula foram de fixação dos numerais de 1 a
30, em folha de ofício, deveriam copiar seguindo a ordem da numeração. Após pintaram o
desenho que se encontrava na folha da atividade. Os acompanhei ao recreio.
Dia 15/04/2015 – Tiveram aula de inglês, fizeram corte e colagem, no caderno de
atividades, de acordo com a as orientações da professora, ajudei orientando-os na hora de
colar. Os levei ao recreio.
Dia 16/04/2015 – Dia de prova de português. No decorrer da prova, os alunos
demonstraram dificuldades em algumas questões, a professora pediu que eu me
disponibilizasse a ajudar a quem precisasse de ajuda. Tirei dúvidas dos que chamaram.
Corrigi as cartilhas com os trabalhos de casa. Levei-os ao recreio.
Dia 20/04/2015 – Prova de matemática. Poucos alunos apresentaram duvidas e
dificuldades em relação ao conteúdo da prova. Tiveram aula de educação física. Apliquei
minha aula, apresentando a turma um jogo chamado “Bingo das Palavras”. Os alunos tiveram
boa participação e entenderam o objetivo do jogo.
Dia 27/04/2015 – Lançamento da consoante “F” e seus vocábulos, através de
atividades no quadro e em folha de ofício. Ensaiaram a música, que irão fazer homenagem as
Mães. Separei, organizei e grampeei as provas. Tiveram aula de educação física.
Dia 29/04/2015 – Aula de inglês. Ajudei a professora orientando os alunos nas
atividades apresentadas. Levei-os ao recreio e na volta foram para a sala de leitura. A
professora apresentou um vídeo infantil, que fala sobre o ato de ler. No final ela promoveu um
debate, para saber quem entendeu o vídeo e quem tinha hábitos de leitura.
Dia 04/05/2015 – Exercitaram através de cópia do quadro, numerais de 1 a 30. Corrigi
as cartilhas com as atividades de casa. Ensaiaram a música para a homenagem das mães. A
professora utilizou o trecho da música de Alceu Valença, “A foca”, para trabalhar a letra “F”
e as palavras iniciadas com ela. Fez ditado com as palavras trabalhadas. Eles foram à
educação física e eu fiquei na sala com a professora, corrigindo os ditados enquanto ela
arrumava o mural.

13
Dia 11/05/2015 – Lançamento da consoante “D” e seus vocábulos. Fizeram atividades
em folha de ofício. Foram à educação física. Eu fiquei na sala corrigindo os cadernos de casa
e a folha das atividades. Levei-os ao recreio.
Dia 13/05/2015 – Aula de inglês. Ajudei a professora na orientação das atividades
dadas, que foram de corte e colagem. Pintaram desenho, em folha de ofício, que será a capa
das avaliações, que serão entregues na reunião de responsáveis.
Dia 14/05/2015 – Fizeram atividades copiadas do quadro com palavras iniciadas com
as consoantes “L” e “M”. Fizeram atividades de caça-palavras com palavras iniciadas com a
letra M.
Dia 18/05/2015 – Trabalharam a letra “C” e seus vocábulos. Copiaram atividades do
quadro, com as palavras iniciadas com a letra trabalhada. Corrigi cadernos de casa. Orientei
um aluno que possui dificuldade de aprendizagem, nas atividades dadas. Tomei leitura de
alguns alunos. Foram à educação física.
Dia 21/05/2015 – Fizeram atividades, copiadas do quadro, de sílabas variadas, já
trabalhadas em aulas anteriores para fixação. Colei as folhas com trabalho de aula nos
cadernos. Orientei alguns alunos, que estavam com dificuldades, na atividade de corte e
colagem, onde tinha que colar o desenho à palavra correspondente.
Dia 27/05/2015 – Foram à aula de educação física, e eu os acompanhei, pude observar
que o professor promove atividades físicas e de interação. Na volta foram para a sala de
leitura, onde ficaram livres para escolher o livro de suas preferências, algumas leituras
fizeram com a professora.

O nascimento do pensamento é igual ao nascimento de uma criança: tudo começa


com um ato de amor. Uma semente há de ser depositada no ventre vazio. E a
semente do pensamento é o sonho. Por isso os educadores, antes de serem
especialistas em ferramentas do saber, deveriam ser especialistas em amor:
intérpretes de sonhos (Rubem Alves).

3.2.DESEVOLVIMENTO E ANÁLISE DAS ATIVIDADES REALIZADAS

As semanas que passei na turma de 1° ano, me fez analisar o quanto é importante esta
fase de ensino. A fase da alfabetização, um processo de construção da língua escrita. Pude
observar o desenvolvimento e aprendizagem dos alunos, alguns com facilidade para aprender,
outros com menos habilidades e dois alunos com dificuldades de aprendizagem, mas todos
dispostos e interessados a adquirir os novos conhecimentos que estão entrando em suas vidas.

14
Fui bem recepcionada pela professora da turma e pelos alunos. Tive participação nas
orientações das atividades dadas, corrigi provas e cadernos, levei os alunos ao recreio e
atividades extras, observei o desenvolvimento das aulas e a forma de aplicação de cada
conteúdo oferecido.
Em minha aula prática tive a participação ativa dos alunos, o que me deixou muito
feliz, pois atingi o meu objetivo quando planejei a aula.
A aula dada foi para identificação e fixação dos conteúdos aplicados nas aulas, como
sílabas e palavras do vocabulário, pois estava próximo das provas e seria uma maneira
recreativa, porém educativa, onde ajudaria nos estudos.
O jogo aplicado chama-se, “Bingo de Palavras”, onde utilizei as palavras utilizadas nas
aulas para confecção das cartelas do mesmo. Distribui uma cartela, para cada aluno, e
sentados em seus lugares ouviram as regras do jogo. Após iniciei a sortear as palavras que se
encontravam em um saco, conforme cada palavra sorteada eles foram marcando em suas
cartelas as palavras que cada um tinha. Deveriam marcar toda cartela, que possuía nove
palavras cada uma. Houve dois alunos que ganharam. No final, escrevi todas as palavras no
quadro e li junto com a turma. Colei as cartelas nos cadernos, para que utilizassem para
estudar para a prova.
Segundo Dhome:
O desenvolvimento pessoal funda-se em um processo de auto descoberta, onde cada
qual tende a tomar consciência do que sabe fazer e do que tem dificuldade, como
pode potencializar aquilo que faz bem e conviver, ou diminuir, com afeitos daquilo
que tem menos habilidades. O processo de comparação pode ser doloroso, porém é
eficaz e, às vezes, inevitável. Porém, atividade lúdica pode compor este processo de
comparação de forma agradável, divertida e em um clima de camaradagem. Quando
a criança joga, ela percebe suas possibilidades e a dos companheiros (DHOME,
2003, p.124-125).

O jogo educativo é uma estratégia que faz a criança aprender brincando, adquirindo
informação e aprendizagem. Este jogo busca pôr em prática, de forma divertida, a análise de
palavras, sons e sílabas. Por meio dele, as crianças são estimuladas a observar propriedades do
sistema alfabético (como meio dele, as crianças são estimuladas a observar propriedades do
sistema alfabético (como ordem, estabilidade e repetição de sons/letras nas palavras) e
semelhanças sonoras (sílabas iguais, rimas, etc.). Assim, brincam com as palavras de maneira
criativa e criadora.

15
4. CAPÍTULO III – CONSIDERAÇÕES FINAIS

O estágio exigido pela disciplina Prática de Ensino e Estágio Supervisionado em


Docência dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, me fez analisar que foi muito bom
16
conhecer a realidade de uma instituição escolar, seu funcionamento, a relação entre os
funcionários, e ter observado a interação entre professores e alunos no dia a dia de uma sala
de aula.
O estágio realizado em uma turma de 1° ano foi uma experiência muito significante,
onde foi possível notar a grande diferença entre a teoria e a prática, e interessante perceber
como ambas são combinadas para aprender e ensinar em diversas situações diante da sala de
aula, dos alunos, e dos professores.
No período em que estagiei, procurei observar as atividades e atitudes dos alunos,
ajudei a professora, os alunos e a direção sempre que necessário, corrigi cadernos e
atividades, organizei pastas e trabalhos dos alunos, levei as crianças ao recreio e a atividades
extras, como sala de leitura e Educação Física. Procurei ser útil em todas as atividades que
poderia ajudar e ser útil nos momentos onde houve necessidade.
Cabe destacar a importância da autoridade, de conhecer o conteúdo que será ensinado
aos alunos, independentemente da disciplina, ou do método de ensino que será usado para se
obter o objetivo principal que é a aprendizagem do aluno.
Somente a partir da observação, participação e regência podem-se perceber as ações e
produções de escrita das crianças percebendo o movimento do conhecimento e da
aprendizagem, como elas vêem as letras, como confundem, como desejam saber e às vezes
não sabem, não conseguem, ou se sentem incapazes de aprender a ler, ou a aprender um
determinado conteúdo.
Umas das vantagens proporcionadas pelo estágio envolvem o relacionamento com os
colegas e professores, a afetividade entre o professor e os alunos, a maneira como se
expressam diante deste, ou como deveriam se expressar.
Esse estágio foi com certeza uma experiência única e que me possibilitou crescimento
como acadêmico, encaminhando-me e transformando-me para ser uma professora que é o
objetivo que desejo alcançar ao terminar a graduação.
Mas não basta ser apenas um professor, e sim um ótimo professor que acredita na
educação, que está disposto a lutar a cada dia de aula superando as dificuldades, a falta de
apoio, de recursos pedagógicos e principalmente a ter confiança e contribuir para a formação
de cidadãos críticos e reflexivos que se iniciam seu desenvolvimento através da escola e do
ensino.
A experiência desse estágio ficará para toda vida e o desenvolvimento das minhas
atividades como profissional da área pedagógica.

17
5. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BERGER, K. S. O Desenvolvimento da Pessoa: da infância à adolescência. Rio de Janeiro:


LTC, 2003.

18
BRASIL, Ministério da Educação. Portaria Federal nº 3.284/2003. Brasília: MEC, 2003.
Disponível em:< http://portal.mec.gov.br/Educação>.Acesso em: 10 abril. 2015.

DHOME, Vânia. Atividade lúdica na educação: o caminho de tijolos amarelos do


aprendizado. Rio de Janeiro: Vozes, 2003.

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL. Parâmetros Curriculares Nacionais:


Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEF, 1997.

PILETTI, Claudino. Didática Geral. 7. ed. São Paulo: Ática, 1986.

6. ANEXOS

6.1. ANEXO 1 – Hino da Escola

19
Letra e Música: Virgílio Tenório Filho

SALVE O NOSSO QUERIDO PATRONO


SALVE O BRAVO HERÓI, NOSSO IRMÃO
SUA GLÓRIA POSSUI O SEU NOME
BEM GUARDADO EM NOSSO CORAÇÃO

ESTRIBILHO

FOI SEU ATO BRAVURA SEM PAR


CUJO EXEMPLO, NOS TROUXE TÃO CEDO
QUE NOS FAZ NESTE INSTANTE CANTAR
SALVE O HERÓI ASPIRANTE CARLOS ALFREDO

II

HOMENAGEM QUEREMOS PRESTAR


COMO PREITO DE GLÓRIA E LOUVOR
A QUEM SOUBE SEU NOME DEIXAR
REFULGINDO DE AMOR O NOSSO AMOR

ESTRIBILHO

FOI SEU ATO BRAVURA SEM PAR


CUJO EXEMPLO, NOS TROUXE TÃO CEDO
QUE NOS FAZ NESTE INSTANTE CANTAR
SALVE O HERÓI ASPIRANTE CARLOS ALFREDO

6.2.ANEXO 2 – Foto da Escola

20
6.3. ANEXO 3 – Organograma da Escola

21
Diretora

Diretora Coodenadora
Adjunta Pedagógica
Servente
Agente
Merendeiras Educador
4
Professores
Funcionários da limpeza
(comlurb) 16
3
Alunos
455

Agente Secretário
Supervisora Administrativo

voluntários Aux. Agente


2 Administrativo

Readaptados
3

6.4. ANEXO 4 – Caderno de Atividades

22
6.5. ANEXO 5

23
Plano de Aula

 Objetivo:
- Identificar e fixar sílabas e palavras.
 Habilidades:
- Através do jogo orientar os alunos para o aprendizado;
- Reconhecer e internalizar sílabas e palavras;
- Revisar e fixar palavras para a prova;
- Estimular a percepção auditiva.
 Conteúdo:
- Palavras do vocabulário que foram trabalhadas em aula.
 Estratégia de Ensino:
- Bingo de Palavras.
 Recursos utilizados:
- Computador: Cartelas em folha de ofício personalizadas para o Bingo, com nove palavras
em cada uma;
- Um saco e palavras móveis a serem sorteadas.
 Desenvolvimento:
- Os alunos serão orientados sobre as regras do jogo;
- Cada aluno receberá uma cartela;
- As palavras móveis que estão no saco serão sorteadas, eles deverão identificar aquela
palavra sorteada que tiver na cartela deverá ser marcada com um X;
- O vencedor será quem completar corretamente a cartela e também não fazer comentários em
voz alta que dê dica sobre o preenchimento das cartelas.
 Avaliação:
- Observar durante o jogo, se os alunos relacionam e identificam as palavras sorteadas com as
encontradas nas cartelas.

6.6. ANEXO 6 – Cartelas utilizadas para a aula

24
BINGO DE PALAVRAS

BOLA CASA DADO

FADA GATO SAPO

DIA BOLO PIPA

BINGO DE PALAVRAS

LUA TAPETE APITO

PAPAGAIO COPO
PIPA

BULE LOBO BABO

BINGO DE PALAVRAS

PAPAGAIO PETECA BAÚ

CABIDE COCO MEIA

BODE BOLA TOMATE

25
BAÚ BOLA PAPAGAIO MEIA

CABO FADA LOBO OITO

PIPOCA DIA APITO BOBO

CABIDE CASA COPO MACACO

PIPA GATO BABO BALA

LUA DADO BODE PATO

TOMATE BULE PETECA GALO

BOLO TAPETE COCO TATU

BOCA MALA DEDO TOCA

FACA FOCA

26