Você está na página 1de 4

Órgãos homólogos

✓ Os órgãos homólogos são aqueles que podem ou não


realizar a mesma função, porém apresentam uma
estrutura básica igual e mesmo desenvolvimento
embrionário.
✓ Os indivíduos que apresentam esses órgãos possuem
ancestralidade compartilhada.
✓ Como exemplo de homologia, podemos citar os membros
dos tetrápodes (são animais vertebrados terrestres, que
possuem quatro membros.). Analisando os membros de
anfíbios, répteis, aves e mamíferos, percebemos que o
número e a disposição dos ossos são bastante
semelhantes, o que nos mostra a relação de parentesco ali
presente.

✓ Nesse caso, temos uma estrutura semelhante, porém


com funções distintas, as quais refletem os diferentes
estilos de vida.
✓ Como as homologias são semelhanças resultantes de um
ancestral em comum, a análise delas fornece informações
importantes sobre a relação existente entre as espécies.
Sendo assim, consideramos as homologias uma das
evidências da evolução biológica.
Fósseis
✓ Os fósseis são restos ou vestígios preservados de
animais, plantas ou outros seres vivos em rochas, como
moldes do corpo ou partes deste, rastros e pegadas.
✓ São considerados fósseis os restos que apresentem mais
de 11 mil anos.

✓ Os fósseis mais antigos encontrados no planeta Terra são


datados por aproximadamente 3,8 bilhões de anos.

Formação dos Fósseis

✓ Os fósseis podem ser ossos, conchas, dentes, pegadas e


geralmente são encontrados nas pedras e rochas muito
antigas.
✓ As partes duras dos seres apresentam maior
probabilidade de se fossilizar em relação as partes moles.
✓ A formação dos fósseis está intimamente relacionada com
as condições climáticas do planeta e as características
morfológicas dos seres envolvidos, que conservaram, de
alguma maneira, os restos ou vestígios durante muitos
anos.
✓ Para saber o período em que o fóssil esteve vivo no
planeta Terra, os cientistas medem a quantidade de
compostos químicos presentes, por exemplo, o carbono,
chumbo e urânio.
✓ Esse método moderno de datação dos fósseis é
denominado de "radioatividade" e determina quantos
milhões ou bilhões de anos, o organismo esteve presente.

Processos de Fossilização
A fossilização representa o processo de conservação dos
fósseis, que podem ocorrer de diversas maneiras.
• Marcas: impressões deixadas por atividades dos seres vivos,
por exemplo, as pegadas.
• Restos: incluem todos os tipos de vestígios rígidos, por
exemplo, as conchas.
• Moldes: fósseis moldados pela região em que ocorre o
processo de fossilização, do qual permanecem as partes
rígidas dos seres, por exemplo, os ossos.
• Mineralização: ocorre por meio da transformação da matéria
orgânica em minérios, por exemplo, a sílica.
• Mumificação: também chamado de “conservação”, é processo
em que permanecem as partes rígidas e moles dos seres, por
exemplo aqueles que fossilizaram no gelo.

Tipos de Fósseis
De acordo com o estudo dos fósseis, há dois tipos:
• Somatofóssil: são os fósseis de organismos do passado
(restos somáticos), por exemplo, ossos, carapaças, folhas,
troncos, dentre outros.
• Icnofóssil: são fósseis que identificam a atividade animal, seja
por meio de pegadas, rastros, túneis, excrementos, marcas de
dentadas, dentre outros.

A Importância dos Fósseis


✓ É através dos estudos sobre os fósseis que podemos
conhecer melhor a história do planeta em tempos
remotos, identificada pelos vestígios que marcaram
determinada época.
✓ Um exemplo notório é os fósseis encontrados dos
dinossauros, visto que se não fossem estudados nunca
saberíamos que esses répteis gigantescos viveram no
planeta muito antes da raça humana habitá-lo.
✓ Assim, os fósseis são as provas mais concretas da
existência de vida no planeta, sendo uma importante
ferramenta de estudos entre os biólogos, arqueólogos,
paleontólogos e geólogos. Eles revelam as
transformações que ocorreram nos seres vivos e no
próprio planeta durante anos.