Você está na página 1de 18

SIMULADO GEOGRAFIA E HISTÓRIA DE GOIÁS

ELABORAÇÃO: PROF. RAFAEL ARANTES


1- A historiografia goiana considera que na década de 1970 houve uma modernização das atividades agrícolas
em Goiás. Como decorrência dessa modernização, constata-se uma crescente mecanização e utilização de
insumos agrícolas, significando a expansão e consolidação do capitalismo no meio rural. É CORRETO
identificar como consequência desse processo:

a) o aumento da repressão autoritária por parte do Estado aos movimentos sociais que lutavam por terra.
b) modificações na estrutura fundiária de Goiás, com a consolidação da pequena propriedade rural, no estado.
c) a implantação de um programa de reforma agrária, como a Colônia Agrícola de Ceres, para atender aos
trabalhadores imigrantes.
d) o desenvolvimento do populismo nos anos 70 como forma de conciliação de interesses contraditórios no
quadro político e econômico de Goiás.
e) Todas as afirmativas estão certas

2- A produção agroindustrial goiana exige um sistema de redes de transporte e comunicação para integrar as
diversas regiões produtoras aos mercados consumidores. Dentre os eixos de transporte mais importantes do
estado de Goiás, é CORRETO citar:

a) A Hidrovia Paranaíba-Tietê-Paraná, por onde é escoada parte significativa da produção de grãos do sudoeste
do estado.
b) A BR-153, que corta o estado no sentido Leste-Oeste, por onde é escoada a produção de minérios.
c) A ferrovia Norte-Sul, responsável pelo transporte da produção agrícola da região norte do estado até o porto
de Paranaguá, no Paraná.
d) A BR-070, por onde é transportada a produção de grãos da região sudoeste de Goiás.
e) Todas as afirmativas estão certas.

3- A integração de Goiás à economia nacional é um processo relativamente recente. A superação do relativo


isolamento regional característico do século XIX tem como marco o avanço dos trilhos pelo território goiano,
fazendo que, gradualmente, o trem de ferro substituísse os tradicionais carros de boi. Acerca desse processo e
de suas especificidades, é CORRETO afirmar:

a) A presença dos trilhos no território goiano representou a substituição da atividade pecuarista pela produção
de grãos, uma vez que as ferrovias facilitaram o escoamento da produção agrícola, o que permitiu que esses
produtos alcançassem uma margem de lucro muito superior ao gado, devido a questões técnicas que
impossibilitaram o transporte do gado em pé nos trens que cruzavam a região.
b) As ferrovias eram a expressão de uma dinâmica inter-regional que aproximou Goiás de São Paulo. Com a
crise da cafeicultura, os capitais paulistas alcançaram o sudoeste goiano, o que permitiu o aumento da
produção de grãos nessa região.
c) A construção de Goiânia foi uma proposta do governo Vargas que, interessado na expansão econômica para
o Oeste, pressionou as elites locais para que assumissem a transferência da capital como projeto político do
Estado.
d) A integração econômica de Goiás é o resultado do comércio inter-regional, que se iniciou no final do século
XIX com a formação de um importante mercado consumidor no norte goiano. Os rios transformaram-se em
estradas, que permitiram a integração entre o transporte fluvial e o ferroviário, abrindo novas perspectivas para
o norte e o nordeste goianos.
e) Todas as afirmativas estão erradas.

4- “No quadro de dificuldades econômicas, característico do século XIX em Goiás, a pecuária destacou-se como
única atividade de caráter eminentemente comercial, sendo a lavoura voltada para a subsistência dos próprios
plantadores, sendo o pouco excedente comercializado nos arraiais locais.” (ASSIS, Wilson Rocha. Estudos de
História de Goiás. Goiânia: Editora Vieira, 2005, p. 67).

O caráter comercial da pecuária, explicitado na citação, no contexto da economia goiana da primeira metade do
século XIX, deveu-se fundamentalmente à

a) industrialização do charque que disputou mercados com a produção sulista.


b) excelente qualidade do gado zebu, que substituiu o improdutivo gado curraleiro.
c) exportação de queijo por meio de tropeiros para Rio de Janeiro e São Paulo.
d) possibilidade de o gado se autotransportar, alcançando, assim, lugares distantes.

5- “Ao mesmo tempo, a ferrovia tornou-se um dos agentes modernizadores e integradores da economia à
divisão regional do trabalho, redefinia segundo os interesses da expansão capitalista. (...) os grilhões que
prendiam a economia agrária regional a uma situação de quase estagnação, foram quebrados ao ritmo da
expansão dos trilhos.” (BORGES, O despertar dos dormentes, 1990, p. 87).
Além de contribuir para a modernização do território goiano, a implantação da Estrada de Ferro Goiás também
ocasionou:

a) aumento populacional na área de implantação e influência.


b) resolução das desigualdades econômicas no estado.
c) disputas territoriais ao longo de sua implantação.
d) substituição da atividade agropastoril pela extração de minérios.

6- “Goiânia é a 101ª cidade do mundo e a 5ª do Brasil que mais deve crescer até 2020, segundo estudo do City
Mayors, centro de estudos internacionais dedicado a temas urbanos”. (O Popular, janeiro de 2015).

Desde sua construção, Goiânia passou por um intenso ritmo de crescimento, ocasionado, sobretudo:

a) por políticas de incentivo a ocupação de áreas periféricas da cidade.


b) por fluxos migratórios no estado de Goiás.
c) pelo descontrole nos índices de natalidade e fecundidade.
d) pela modernização dos serviços de saúde básica.
7- “marcado pelo rigor geométrico e predominância de linhas verticais, havendo a tendência de tornar, através
da percepção, o edifício mais alto. Os volumes arquitetônicos são também marcados pelo escalonamento, pela
transposição da ideia do zigurate, aproximação de formas aerodinâmicas.”

Teatro Goiânia

O texto e a imagem referem-se a um estilo arquitetônico incorporado na construção da cidade de Goiânia:

a) art déco.
b) modernismo.
c) cubismo.
d) barroco.
8-

Vinde ver a cidade pungente


Que plantaram em pleno sertão
Vinde ver este trono gigante

Construída com esforços de heróis,


É um hino ao trabalho e à cultura
E seu brilho qual luz de mil sóis
Se projeta na vida futura.

(Trecho do Hino de Goiânia).

“A mudança da capital passava ao seu significado mais global: um símbolo de ascensão ao poder, uma
representação do progresso, do moderno, um divisor de águas entre o velho e o novo Goiás.” (CHAUL, 2009, p.
103).

A transferência da capital do estado de Goiás e construção da cidade de Goiânia foram motivadas


principalmente por:

a) interesse econômico, devido à necessidade de construir uma capital voltada para a produção industrial.
b) interesses políticos, devido ao forte incentivo das oligarquias do estado.
c) interesses políticos e econômicos, devido às articulações promovidas na Revolução de 30.
d) interesse social, devido à necessidade de romper com miséria herdada pela decadência da mineração.

9- “A história do processo de ocupação e povoamento de Goiás nos revela um crescimento populacional


induzido, acompanhado pelas políticas territoriais, juntamente com os projetos de colonização.” (CHAVEIRO, E.
F. A Dinâmica Demográfica em Goiás. Goiânia: Editora Ellos, 2009. p. 18).

Segundo o conceito de “crescimento populacional induzido” apontado pelo autor, são exemplos de políticas
territoriais adotadas em Goiás:

a) a criação da lei da Reforma Agrária, pelos governos militares, cujo objetivo principal era assegurar o direito
de posse da terra e a consequente fixação do trabalhador no campo.
b) a implementação do Plano de Metas dos governos militares que previa a industrialização do oeste do Brasil
para interiorizar a população.
c) a modernização da agricultura através da mecanização do campo, constituindo uma fonte permanente de
recursos e atraindo a população para o interior do país.
d) a implantação da Marcha para o Oeste, visando à ocupação do interior, que resultou na construção de
Brasília e da BR-153.

10- De acordo com Arantes (2015) devido à modernização da produção agrícola em Goiás nas últimas décadas,
com o uso intenso de máquinas e recursos tecnológicos no campo e as políticas públicas de incentivo a
expansão da fronteira agrícola, agravaram-se os problemas ambientais no Cerrado.
Entre as principais consequências dos problemas ambientais no bioma Cerrado para o estado de Goiás e para
o país, destacam-se:

a) aumento das taxas de doenças respiratórias nos centros urbanos.


b) disputas territoriais nas áreas desmatadas, conflitos por terras entre comunidades ribeirinhas.
c) desequilíbrio do ciclo hídrico e comprometimento no abastecimento de água.
d) diminuição de recursos nas regiões produtoras de alimentos.

11- Um policial militar que estiver de serviço nas ruas da capital ao ser abordado por um turista interessado em
conhecer cidades goianas que possam mostrar os aspectos históricos e culturais de Goiás, deverá orientá-lo
para conhecer as cidades de:

a) Caldas Novas e Luziânia


b) Anápolis e Itumbiara
c) Catalão e Aragarças
d) Goianésia e Cavalcante
e) Pirenópolis e Goiás Velho

12- A formação do estado de Goiás está associada a duas atividades econômicas que atraíram portugueses e
brasileiros de vários pontos para o interior. Por volta do final do século XVIII, essas atividades, destacadas em
uma das opções abaixo, eram a base da economia da antiga Vila Boa, mais tarde Goiás. Estamos fazendo
referência:
a) mineração e pecuária.
b) drogas do sertão e pau-brasil
c) café e borracha
d cana-de-açúcar e cacau
e) algodão e pimenta do reino.

13- A formação territorial de Goiás faz parte de um processo de expansão iniciado por aqueles que invadiram os
domínios espanhóis delimitados pelo Tratado de Tordesilhas, caminhando por rios e atravessando florestas
superando obstáculos. A iniciativa paulista tinha como objetivo:

a) expandir seus domínios agrícolas.


b) cativar índios e buscar ouro.
c) fugir da dominação portuguesa
d) expandir as fronteiras da colônia
e) explorar o extrativismo vegetal.

14- Um dos maiores desafios das cidades hoje é a mobilidade: a redução do IPI para os veículos populares,
aliado à péssima qualidade de transporte público e a falta de planejamento urbano travou o trânsito. Goiânia
está em processo de elaboração deste plano, que tem até 2015 para ser entregue sob pena de não recursos
federais destinados à mobilidade urbana. De acordo com a lei, no plano o município deve garantir a
universalização e a acessibilidade do serviço, priorizar o transporte não motorizado (o pedestre e o uso da
bicicleta) e, em seguida, o coletivo, podendo adotar medidas para restringir o uso de veículos individuais, como
forma de desestimular seu uso habitual. (John Mivaldo da Silveira, Mobilidade Urbana é desafio de Goiânia,
Conselho de Arquitetura e Urbanista de Goiás (CAU/GO) julho de 2014).

Com o crescimento acelerado e desordenado da cidade de Goiânia, o trânsito e o transporte coletivo enfrentam
historicamente sérios problemas estruturais. Tratando-se desta temática em Goiânia, aponte as principais
intervenções realizadas no âmbito do Plano de Mobilidade Urbana na atualidade:

a) construção de viadutos, duplicação de vias expressas, efetivação de linhas de integração.


b) implantação de corredores exclusivos do transporte coletivo, ciclovias, ciclofaixas e a construção do BRT.
c) construção de linha de metrô nos eixos norte-sul, implantação de corredores exclusivos do transporte
coletivo.
d) ampliação do serviço de transporte coletivo com a construção de corredores exclusivos.

15- Sobre a população negra no processo de colonização de Goiás, é CORRETO afirmar que:

a) remanescentes de quilombos em Goiás, como o dos Kalungas, significaram a resistência do negro à


escravidão.
b) o trabalho escravo não foi utilizado na mineração, porque os proprietários temiam o roubo do ouro garimpado.
c) a única manifestação cultural genuinamente negra em Goiás é o espetáculo das cavalhadas em Pirenópolis.
d) em Goiás, a escravidão negra não teve grande importância, uma vez que o índio adaptava-se melhor ao
trabalho.

16 - Sobre a atual regionalização estabelecida pelo IBGE, para o estado de Goiás, é CORRETO afirmar:

a) baseia-se na área de abrangência dos elementos (naturais, econômicos, demográficos) utilizados como
referência para seu estabelecimento, desconsiderando, portanto, os limites das unidades administrativas.
b) corresponde a recortes espaciais definidos a partir de critérios (naturais, econômicos, sociais, entre outros)
que permitem agrupar, numa região, locais com características semelhantes, separando-os dos demais.
c) representa as particularidades do estado de Goiás em relação ao contexto nacional, uma vez que utiliza
critérios diferentes daqueles utilizados em outras regiões brasileiras.
d) apresenta especificidade quanto à organização do espaço, uniformidade de atributos, auto-suficiência e
unicidade em relação umas às outras.

17- A cidade de Goiânia é fruto da política de intervenções da Era Vargas. O interventor nomeado por Vargas,
Pedro Ludovico Teixeira, começou a construir a cidade em 1933. A transferência da capital, da cidade de Goiás,
para Goiânia, ocorreu em 1937, no início do Estado Novo. A criação da nova capital tinha, eminentemente, a
função de:
a) conservar o poder político das oligarquias locais, como a dos Caiados.
b) estabelecer domínios sobre terras que pertenciam ao Estado de São Paulo naquela época.
c) retirar o poder político das oligarquias locais.
d) introduzir em Goiás a cultura da cana-de-açúcar e o sistema de engenhos e usinas açucareiras.

18 - Dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) dão conta de que Goiânia possui mais de 4,6 milhões de
pessoas cadastradas no Sistema Único de Saúde (SUS) como moradores da capital. Contudo, o último censo
do IBGE aponta que a capital de Goiás tem 1,3 milhão de habitantes. Isto é, o número de pessoas cadastradas
corresponde a três Goiânias e meia, ou a 76,6% da população de todo o Estado. (Jornal Opção, Agosto de
2013).

O número de pacientes cadastrados na cidade de Goiânia é reflexo de da ocorrência do seguinte fenômeno:

a) investimentos constantes na estrutura e adequação de hospitais da capital.


b) elevado índice de migrações de pacientes oriundos de outras localidades.
c) incentivo e parceria do sistema de atendimento público de saúde.
d) cadastro indevido de pacientes não residentes na capital.

19 - O processo de ocupação e desbravamento do interior brasileiro talvez seja uma das etapas mais
interessantes da formação social do Brasil no período colonial. As entradas e bandeiras que desbravaram o
sertão estão na origem da formação dos primeiros núcleos urbanos no interior do país, como no caso da região
de Goiás. Sobre o processo de ocupação e povoamento de Goiás, é CORRETO afirmar:
a) Até o início do século XVIII, a região do atual Estado de Goiás era desabitada e considerada território
desconhecido tanto por portugueses quanto por indígenas, que ocupavam preferencialmente o litoral brasileiro.
b) A bandeira de Bartolomeu Bueno da Silva foi a primeira expedição de exploração do atual território goiano,
que lançou as bases para outros descobertos, como o das minas de Cuiabá.
c) Por causa da grande distância a ser percorrida entre a região das minas dos Goyases e o Estado de São
Paulo, foi pequena a utilização da mão-de-obra africana na região, ficando a extração aurífera sob o
encargo de indígenas escravizados.
d) O curto período de exploração aurífera em Goiás deve-se ao rápido esgotamento dos veios auríferos
localizados nos leitos dos rios e à técnica rudimentar utilizada na extração do ouro.

20 - Na segunda metade do século XIX, surgiram no Brasil as ferrovias no processo de modernização


dos meios de transportes com o apoio de capitais estrangeiros, em sua maioria ingleses. Assim, construíram-
se troncos ferroviários na região Sudeste para atender aos interesses dos produtores de café no escoamento da
produção para os portos do Rio de Janeiro e Santos. Já no início do século XX, implantou- se a Companhia
de Estradas de Ferro de Goiás com investimentos de capitais franceses. Sobre a construção das ferrovias,
julgue os itens abaixo:

1. Para a instalação da rede ferroviária na região Sudeste foi necessário reunir um capital considerável, pois a
concessão de privilégios (garantia de juros baixos entre outros) por parte do governo não era suficiente.
Assim, os capitais ingleses, na forma de empréstimos e de investimentos, foram aplicados na construção de
vários troncos.
2. A construção da estrada de ferro em Goiás visava à inserção da economia do estado nos mercados
capitalistas das regiões Norte e Nordeste, muito interessados na compra do milho e das carnes bovina e suína.
3. A Estrada de Ferro de Goiás e a implantação das charqueadas nas cidades ao longo dos trilhos
possibilitaram um crescimento substancial da pecuária, pois a carne, em parte industrializada e em parte
como gado gordo para o abate, era exportada para os mercados paulistas com custos mais baixos.
4. A implantação pioneira do transporte ferroviário em Goiás explica-se pela dinamicidade das relações
comerciais inter-regionais e internacionais e pelo fato de a ferrovia ter-se tornado a principal via de comunicação
com a região Sul.

a) F - V - V - F
b) V- V- V- V
c) F- F- V- F
d) V - F - V - F

21 - A cidade que já comemora a Festa do Divino se mobiliza uma semana antes das encenações para que
tudo ocorra como dita a tradição. As tropas percorrem de casa em casa em cortejo com Banda convidando os
cavaleiros para os ensaios. Tudo regado a muita música, comidas típicas, danças e muitas orações.

O texto se refere a uma tradicional manifestação artístico-cultural do estado de Goiás:


a) Procissão do Fogaréu na cidade de Goiás.
b) Congadas em Catalão.
c) Cavalhadas em Pirenópolis.
d) Romaria em Trindade.

22- O cerrado contém extensas áreas em condições geoambientais favoráveis à agricultura intensiva e à
pecuária, sendo esta historicamente extensiva e dominante espacialmente. Nos anos 60 e 70 do século
passado, por essa e outras razões de natureza geopolítica, o cerrado foi alvo de expansão da nova fronteira
agrícola, baseada na modernização da agricultura (...) (GOMES, H. e TEIXEIRA NETO, A. Geografia Goiás-
Tocantins. Goiânia: UFG, 1993.)

Entre as condições geoambientais do cerrado que favoreceram a expansão da fronteira agrícola, destaca-se:

a) a presença do solo de terra roxa, cuja baixa aptidão agrícola foi superada pelo uso de corretivos, que
viabilizaram o plantio de grãos;
b) o clima tropical estacional quente e semiárido que predomina na região, no qual a baixa precipitação favorece
o cultivo de cana;
c) a extensa presença de solos hidromórficos que, ao facilitarem o manejo e a mecanização, favoreceram a
expansão da agricultura moderna;
d) a predominância de latossolos que, apesar da baixa fertilidade, com a aplicação de corretivos e fertilizantes,
apresentam boa capacidade de produção.
23- “Nas últimas décadas do século XVIII e princípio do século XIX, a situação econômica da capitania era
crítica. A palavra decadência é a que mais se encontra entre os vários apelos e lamentos daqueles que a
habitam, sejam provenientes das autoridades governamentais, sejam de elementos do povo”. FUNES, E. A.
Goiás 1800 – 1850: um período de transição da mineração à agropecuária. Goiânia: Editora da UFG, 1986. p.
32.

O texto citado aborda a crise da produção aurífera em Goiás. A consequência dessa crise foi o

a) incremento da arrecadação tributária como consequência de o controle do contrabando ser mais eficaz na
atividade agropecuária.
b) aumento da ruralização pelo fato de parte da população abandonar as vilas e arraiais e mudar-se para o
campo.
c) crescimento da importação de escravos para viabilizar a exploração de minas auríferas de maior
profundidade.
d) acréscimo da atividade comercial em virtude do aproveitamento de capitais antes empregados na mineração.
GABARITO DAS QUESTÕES

1- A 13- B
2- A 14- B
3- C 15- A
4- D 16- B
5- A 17- C
6- B 18- B
7- A 19- D
8- C 20- D
9- D 21- C
10- C 22- D
11- E 23- B
12- A

Você também pode gostar