Você está na página 1de 74

Introdução a

Anatomia Humana
Origem dos Termos

 Ana Em Partes

 Tomein Cortar
Divisão

Corpo
Humano

Cabeça Pescoço Tronco Membros

Tórax Abdome Superiores Inferiores

Raiz Parte Livre Raiz Parte Livre

Ombro Braço Antebraço Mão Quadril Coxa Perna Pé


Posições
 Posição padrão para evitar termos diferentes nas descrições anatômicas

 Posição bípede (em pé)

 Corpo ereto

 Face voltada para frente

 Membros superiores
estendidos ao longo do corpo,
com as palmas das mãos
voltadas para frente

 Membros inferiores unidos,


com as pontas dos pés
voltadas para frente
Planos de Secção
Planos de Secção
Eixos

 Plano Sagital Eixo mediolateral ou laterolateral

 Plano Transversal Eixo longitudinal

 Plano Frontal Eixo anteroposterior


Plano Sagital
Plano Frontal
Plano Transversal
Planos de Delimitação
 Plano Anterior

 Plano Posterior

 Plano Superior

 Plano Inferior

 Plano Lateral Direito

 Plano Lateral Esquerdo


Termos de Posição e
Direção
 Lateral: Mais próximo ao plano lateral
 Medial: Mais próximo ao plano mediano
 Intermédio: Entre lateral e medial
 Mediano: No meio
 Proximal: Mais próximo ao plano superior
 Distal: Mais próximo ao plano inferior
 Médio: Entre proximal e distal
 Anterior: Mais próximo ao plano anterior
 Posterior: Mais próximo ao plano posterior
Osteologia
Definição

 Osteologia é a parte da Anatomia Humana que


estuda os ossos, que são estruturas rígidas,
esbranquiçadas e resistentes, que apresentam,
em um adulto, a quantidade de
aproximadamente 206 ossos. Em conjunto, os
ossos formam o esqueleto.
Apresentações

 Podemos apresentar o esqueleto de várias formas, de acordo com


o critério estabelecido:
 A – esqueleto articulado – as peças ósseas estão unidas.

 B – esqueleto desarticulado – as peças ósseas estão isoladas umas das


outras.

 C – exoesqueleto – esqueleto externo, apresentado em alguns animais


(p. ex.: tartaruga).

 D – endoesqueleto – esqueleto interno, apresentado em animais mais


avançados na escala evolutiva e no próprio homem.
Divisões

 Podemos dividir o esqueleto em duas grandes porções:

 Esqueleto axial: forma o eixo do corpo, e é composto pelos ossos da


cabeça, pescoço e tronco (tórax e abdome)
 Ossos do crânio, vértebras, costelas e esterno

 Esqueleto apendicular: forma os membros, está apensa ao esqueleto


axial
 Superior: úmero, ulna, rádio, ossos do carpo, metacarpos e falanges
 Inferior: fêmur, patela, tíbia, fíbula, ossos do tarso, metatarsos e falanges

 A união entre as duas é feita por cinturas: escapular, composta por


escápula e clavícula, e pélvica, composta pelos ossos do quadril.
Esqueleto

Cintura Cintura
Axial Apendicular
Escapular Pélvica

Superior Inferior

Alguns autores incluem as cinturas


escapular e pélvica como partes
integrantes dos esqueletos apendiculares
superior e inferior, respectivamente.
Funções

 Sustentação - o esqueleto axial e o esqueleto


apendicular inferior são responsáveis pela
sustentação do peso corporal

 Hematopoiese - a medula óssea é responsável


pela produção de células sanguíneas

 Locomoção - os ossos servem como local de


inserção muscular para a formação de
alavancas
Funções

 Armazenamento - o sistema ósseo armazena


Ca++, o qual pode ser liberado para o sangue
quando necessário

 Proteção - o sistema ósseo serve de proteção


para diversas estruturas, como por exemplo as
vértebras servem de proteção para a medula
espinhal
Tecido Ósseo

 Composição

 Matriz extracelular
 Colágeno, proteoglicanas e glicoproteínas de adesão
 Cálcio, fósforo, bicarbonato, magnésio, sódio e potássio

 Células
 Osteoblastos: sintetiza colágeno
 Osteoclastos: degrada matriz calcificada
 Osteócitos: matriz óssea madura, estrutural
Membranas Ósseas

 Periósteo: confere sensibilidade a parte externa


do osso

 Endósteo: confere sensibilidade a parte interna


do osso
Tipos de Substância Óssea

 Compacta ou cortical

 Esponjosa ou trabecular
Classificação dos Ossos

 Longo

 Curto

 Irregular

 Plano

 Sesamóide

 Pneumático
Osso Longo

 Apresenta o comprimento consideravelmente


maios que a largura e a espessura

 Exemplos: Úmero, Rádio


Osso Curto

 Possui as três dimensões equivalentes

 O osso curto é cortical na periferia


e esponjoso internamente

 Exemplos: Ossos do carpo e do tarso


Osso Irregular

 Apresenta morfologia complexa e sem


correspondência em formas geométricas
conhecidas

 Exemplos: Temporal, Vértebras


Osso Plano

 Possui o comprimento e a largura


equivalentes, predominando sobre
a espessura

 Exemplo: Parietal, Osso do Quadril, Escápula


Osso Sesamóide

 Desenvolvem-se na substância de certos


tendões (intratendíneos) ou na cápsula
fibrosa de certas articulações (peri-articulares)

 Tem a função de aumentar o


ângulo de inserção muscular

 Exemplo: Patela
Osso Pneumático

 Apresenta uma ou mais cavidades,


de volume variável, revestidas de
mucosa e contendo ar

 Exemplos: Frontal, Maxila,


Etmóide, Esfenóide
Sindesmologia
Tipos de Articulação

 As uniões funcionais entre os diferentes ossos do esqueleto humano


são denominadas articulações ou junturas. Estas são divididas, de
acordo com sua estrutura e mobilidade, em três grupos:

 Articulações fibrosas (sinartroses) ou imóveis

 Articulações cartilaginosas (anfiartroses) ou com movimentos limitados

 Articulações sinoviais (diartroses) ou articulações de movimentos amplos


Articulações

Fibrosas Cartilaginosas Sinoviais

Suturas Sindesmoses Gonfoses Sincondroses Sínfises Monoaxiais Biaxiais Triaxiais

Gínglimo Trocóide Condilar Selar Esferoide Plana


Articulações Fibrosas
(Sinartroses)
 As articulações fibrosas incluem todas as articulações onde as
superfícies dos ossos estão quase em contato direto, como nas
articulações entre os ossos do crânio (exceto a ATM). Há três tipos
principais de articulações fibrosas:

 Suturas

 Sidesmoses

 Gonfoses
Suturas

 Nas suturas as extremidades dos ossos têm interdigitações ou sulcos,


que os mantêm íntima e firmemente unidos.

 Consequentemente, as fibras de conexão são muito curtas


preenchendo uma pequena fenda entre os ossos.
Suturas

 Este tipo de articulação é encontrado somente entre os ossos planos


do crânio.

 Na maturidade, as fibras da sutura começam a ser substituídas


completamente, os de ambos os lados da sutura tornam-se
firmemente unidos/fundidos. Esta condição é chamada de sinostose.
Tipos de Suturas

 Planas - união linear retilínea.


 Exemplo: sutura entre os ossos nasais

 Escamosas - união em bisel.


 Exemplo: sutura entre o osso parietal e o osso temporal

 Serradas - união em linha denteada.


 Exemplo: sutura entre os osso parietais
Suturas
Sindesmoses

 Nestas suturas o tecido interposto é também o conjuntivo fibroso,


mas não ocorre nos ossos do crânio.

 Na verdade, a Nomenclatura Anatômica só registra dois exemplos:


sindesmose tíbio-fibular e sindesmose radio-ulnar.
Sindesmoses
Gonfoses

 Também chamada de articulação em cavilha, é uma articulação


fibrosa especializada à fixação dos dentes nas cavidades alveolares
na mandíbula e maxilas.

 O colágeno do periodonto une o cimento dentário com o osso


alveolar.
Articulações Cartilaginosas
(anfiartroses)
 Nas articulações cartilaginosas, os ossos são
unidos por cartilagem pelo fato de pequenos
movimentos serem possíveis nestas articulações,
elas também são chamadas de anfiartroses.
Existem dois tipos de articulações cartilaginosas:

 Sincondroses

 Sínfises
Sincondroses

 Os ossos de uma articulação do tipo sincondrose estão unidos por


uma cartilagem hialina.

 Muitas sincondroses são articulações temporárias, com a cartilagem


sendo substituída por osso com o passar do tempo (isso ocorre em
ossos longos e entre alguns ossos do crânio).

 As articulações entre as dez primeiras costelas e as cartilagens


costais são sincondroses permanentes.
Sínfises

 As superfícies articulares dos ossos unidos por sínfises estão cobertas


por uma camada de cartilagem hialina.

 Entre os ossos da articulação, há um disco fibrocartilaginoso, sendo


essa a característica distintiva da sínfise.

 Esses discos por serem compressíveis permitem que a sínfise absorva


impactos.
Sínfises

 A articulação entre os ossos púbicos e a articulação entre os corpos


vertebrais são exemplos de sínfises.

 Durante o desenvolvimento as duas metades da mandíbula estão


unidas por uma sínfise mediana, mas essa articulação torna-se
completamente ossificada na idade adulta.
Articulações Sinoviais
(diartroses)
 As articulações sinoviais incluem a maioria das articulações do
corpo.

 As superfícies ósseas são recobertas por cartilagem articular e unidas


por ligamentos revestidos por membrana sinovial.

 A articulação pode ser dividida completamente ou


incompletamente por um disco ou menisco articular cuja periferia se
continua com a cápsula fibrosa, enquanto que suas faces livres são
recobertas por membrana sinovial.
Classificação Funcional

 O movimento das articulações depende, essencialmente da forma


das superfícies que entram em contato e dos meios de união que
podem limita-lo. Na dependência destes fatores as articulações
podem realizar movimentos de um, dois ou três eixos. Este é o critério
adotado para classifica-las funcionalmente em:

 Monoaxial

 Biaxial

 Triaxial
Monoaxiais

 Quando uma articulação realiza movimentos apenas em torno de


um eixo (1 grau de liberdade). As articulações que só permitem a
flexão e extensão, como a do cotovelo, são monoaxiais. Há duas
variedades nas quais o movimento é uniaxial:

 Gínglimo ou articulação em dobradiça

 Trocóide ou articulação em pivô


Gínglimo ou Articulação
em Dobradiça
 As superfícies articulares permitem movimento em
um só plano.

 As articulações são mantidas por fortes


ligamentos colaterais.

 Exemplos: Articulações interfalangeanas e


articulação úmero-ulnar.
Trocóide ou Articulação
em Pivô
 Quando o movimento é exclusivamente de
rotação.

 A articulação é formada por um processo em


forma de pivô rodando dentro de um anel ou um
anel sobre um pivô.

 Exemplos: Articulação rádio-ulnar proximal e


atlanto-axial.
Biaxiais

 Quando uma articulação realiza movimentos em torno de dois eixos


(2 graus de liberdade). As articulações que realizam extensão, flexão,
adução e abdução, como a rádio-cárpica (articulação do punho)
são biaxiais. Há duas variedades de articulaçõees biaxiais:

 Articulação condilar

 Articulação selar
Condilar

 Nesse tipo de articulação, uma superfície articular ovóide ou condilar


é recebida em uma cavidade elíptica de modo a permitir os
movimentos de flexão e extensão, adução e abdução e
circundução, ou seja, todos os movimentos articulares, menos
rotação axial.

 Exemplo: Articulação do punho (rádio-cárpica)


Condilar
Selar

 Nestas articulações as faces ósseas são


reciprocamente côncavo-convexas.

 Permitem os mesmos movimentos das


articulações condilares.

 Exemplo: Carpometacárpicas do polegar.


Selar
Triaxiais

 Quando uma articulação realiza movimentos em torno de três eixos


(3 graus de liberdade). As articulações que além de flexão, extensão,
abdução e adução, permitem também a rotação, são ditas triaxiais,
cujos exemplos típicos são as articulações do ombro e do quadril. Há
uma variedade onde o movimento é poliaxial, chamada articulação
esferóide ou enartrose

 Articulação esferoide

 Articulação plana
Esferóide

 É uma forma de articulação na qual o osso distal


é capaz de movimentar-se em torno de vários
eixos, que tem um centro comum.

 Exemplos: Articulações do quadril e ombro


Plana

 Permite apenas movimentos deslizantes. Exemplos: Articulação entre


o sacro e o ílio e em algumas articulações do carpo e do tarso.
Outras estruturas
das articulações
móveis
Ligamentos

 Os ligamentos são constituídos por fibras colágenas dispostas


paralelamente ou intimamente entrelaçadas umas as outras.

 São maleáveis e flexíveis para permitir perfeita liberdade de


movimento, porém são muito fortes, resistentes e inelásticos (para
não ceder facilmente à ação de forças).
Cápsula Articular

 É uma membrana conjuntiva que envolve as articulações sinoviais


como um manguito.

 Apresenta-se com duas camadas: a membrana fibrosa (externa) e a


membrana sinovial (interna).
Membrana Fibrosa

 A membrana fibrosa (cápsula fibrosa) é mais resistente e pode estar


reforçada, em alguns pontos por feixes também fibrosos, que constituem
os ligamentos capsulares, destinados a aumentar sua resistência.

 Em muitas articulações sinoviais existem ligamentos independentes da


cápsula articular denominados extra-capsulares ou acessórios e em
algumas, como na articulação do joelho, aparecem também
ligamentos intra-articulares.

 Ligamentos e cápsula articular tem por finalidade manter a união entre


os ossos, mas além disso, impedem o movimento em planos indesejáveis
e limitam a amplitude dos movimentos considerados normais
Membrana Sinovial

 É a mais interna das camadas da cápsula articular e forma um saco


fechado denominado cavidade sinovial.

 É abundantemente vascularizada e inervada sendo encarregada da


produção de líquido sinovial.

 Discute-se que a sinóvia é uma verdadeira secreção ou um ultra-


filtrado do sangue, mas é certo que contém ácido hialurônico que
lhe confere a viscosidade necessária a sua função lubrificadora.
Discos e Meniscos

 Em várias articulações sinoviais, interpostas as superfícies articulares,


encontram-se formações fibrocartilagíneas, os discos e meniscos intra-
articulares

 Sua função é discutida. Segundo alguns estas estruturas serviriam a


melhor adaptação das superfícies que se articulam (tornando-as
congruentes) ou seriam estruturas destinados a receber violentas
pressões, agindo como amortecedores.

 Meniscos, com sua característica em forma de meia lua, são


encontrados na articulação do joelho.

 Exemplo de disco intra-articular encontramos nas articulações


esternoclavicular e ATM.
Discos e Meniscos
Bolsas Sinoviais

 São fendas no tecido conjuntivo entre os


músculos, tendões, ligamentos e ossos.

 São constituídas por sacos fechados de


revestimento sinovial.

 Facilitam o deslizamento de músculos ou de


tendões sobre proeminências ósseas ou
ligamentosas.
Coxins Adiposos

Você também pode gostar