Você está na página 1de 560

Dicionário de religiões,

crenças e ocultismo

George A. Mather e
Larry A. Nichols

Alvin J. Schmidt
editor consultor

Paixão pela Palavra


Originally published in the U.S.A. under the title Dictionary of Cults, Sects,
Religion and the Occult. Copyright ©1993, by George A. Mather and
Larry A. Nichols. Grand Rapids, Michigan.
©2000, 2009, Editora Vida
Editora Vida
Rua Júlio de Castilhos, 280 Belenzinho Todos os direitos desta publicação
CEP 03059-000 São Paulo, sp reservados por Editora Vida.
Tel.: 0 xx 11 2618 7000
Fax: 0 xx 11 2618 7044 Proibida a reprodução por quaisquer meios,
www.editoravida.com.br salvo em breves citações, com indicação da fonte.
www.vidaacademica.net
As citações bíblicas foram extraídas da Nova Versão Internacional (NVI),
Editor responsável: Sônia Freire Lula Almeida 2001, publicada por Editora Vida,
Editor-assistente: Gisele Romão da Cruz Santiago salvo indicação em contrário.
Preparação: Aldo Menezes, Mardônio Nogueira
Revisão de conteúdo, adaptação e ampliação: Aldo Todas as citações bíblicas e de terceiros foram adaptadas
Menezes, Paulo Romeiro e Rogério Portella segundo o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa,
Assistente editorial: Alexandra Resende assinado em 1990, em vigor desde janeiro de 2009.
Diagramação: Aldo Menezes Todos os grifos são do autor.
Capa: Neriel Lopez

1. edição: 2000
2. edição rev.: 2010

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)


(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)

Mather, George A.
Dicionário de religiões, crenças e ocultismo / George A. Mather & Larry
A. Nichols ; Alvin J. Schmidt, consultor editorial ; Aldo Menezes, Paulo Romeiro
e Rogério Portella, colaboradores; tradução Josué Ribeiro. — 2. ed. rev. — São
Paulo : Editora Vida, 2010.

Título original: Dictionary of cults, sects, religions and the occult


Bibliografia.

ISBN 978-85-7367-841-0

1. Cultos - Dicionários 2. Ocultismo - Dicionários 3. Religiões - Dicioná-


rios 4. Seitas - Dicionários I. Nichols, Larry A. II. Schmidt, Alvin J. III. Título.

09-07853 CDD-200.3

Índice para catálogo sistemático:


1. Religiões : Dicionários 200.3
SUMÁRIO

Dedicatória...................................................................................................................5
Agradecimentos...........................................................................................................7
Prefácio........................................................................................................................9
Prefácio à edição brasileira........................................................................................ 11
Introdução.................................................................................................................. 13
Artigos....................................................................................................................... 17
Apêndice 1................................................................................................................ 495
Apêndice 2................................................................................................................ 497
Apêndice 3................................................................................................................ 501
Bibliografia............................................................................................................... 505
DEDICATÓRIA

G eorge Mather dedica este livro à memória do dr. Walter Martin, o avô da pesquisa sobre
crenças e evangelismo. Ele significou muito para a família Mather, por muitos anos, mas
nunca tanto quanto na época em que começou a trabalhar neste dicionário. Foi nesse tempo
que George apreciou sua obra Here I Stand [Eis-me Aqui], uma perspectiva da verdade, que se
tornou sua inspiração para seguir adiante. Sem o amor e o apoio do dr. Martin, provavelmente
este projeto nunca seria concebido. Apesar de sua morte prematura, uma péssima notícia para
todos nós, foram boas-novas para ele. Como o apóstolo Paulo, o dr. Martin havia “combatido
o bom combate [...] e guardado a fé”.
Larry Nichols dedica este volume a “senhora eleita”, a Igreja, e aos santos e mártires de
todas as épocas.
AGRADECIMENTOS

O s autores agradecem às seguintes pessoas pelo apoio e pela contribuição que deram a
este projeto.
Agradecemos, em primeiro lugar, a Janet Susan Baker. Suas horas incontáveis de trabalho
no computador, sua total devoção na preparação do manuscrito e seu desejo de, conforme
ela declarou, “ser útil ao Senhor e à Igreja”, tornou este projeto uma obra literária. Obrigado,
Jan, pelo seu trabalho bem feito. Apreciamos profundamente. Também expressamos nossa
gratidão a Leroy Leach e Johnny Montalvo, por dedicarem parte do seu tempo na preparação
de alguns termos do dicionário e nos verbetes bibliográficos. A gratidão também se estende
ao dr. Parsram Thakur, por sua revisão crítica do hinduísmo; Robert Pardon, por seus
comentários úteis sobre o bahaísmo; Paul Hamburg, do Centro Simon Wiesenthal da B’nai
Berith, por suas contribuições para nossa bibliografia sobre os Movimentos da Identidade e
da Supremacia Branca; Brian Lemee, por sua revisão do swedenborgianismo; Maralyn Mazur,
da HarperCollins, por seu parecer jurídico e editorial; Sharon Mather, por sua dedicação à
pesquisa; Ronald Enroth, por suas palavras de encorajamento e por seu eloquente prefácio
a este volume; dr. Alvin Schmidt, por concordar em ser nosso consultor editorial; aos
membros da St. Peter’s Lutheran Church, em Norwalk, Connecticut, incluindo o rev. John
Fiene, por graciosamente permitir a Jan o tempo no escritório e o uso do computador; Lisa
Karl, por ter ajudado Jan ocasionalmente; Sandra Nichols, por ter ajudado a datilografar a
bibliografia; Peter Horn, por sua genialidade em computação; Jack Roper, do Ministério
Caris, em Milwaukee; e Brooks Alexander, do Spiritual Conterfeits Project, em Berkeley, por
terem suprido muitas das fotos apresentadas nesta obra; e aos nossos amigos da Zondervan,
que apoiaram este projeto desde o princípio.
Cada autor também gostaria de fazer os seguintes agradecimentos:
George Mather estende um agradecimento pessoal a Kenneth e Jan Jewell pelas constantes
orações e apoio nos últimos anos, sem os quais este projeto não seria realizado. George agra-
dece profundamente aos seus pais, George e Inez, que sempre o encorajaram a prosseguir e
foram uma fonte constante de amor e apoio durante sua vida e seu ministério.
Larry Nichols agradece a algumas pessoas que não esperavam que seus nomes apareces-
sem neste espaço. Primeiro, ao saudoso Theodore P. Letis (1951-2005), por sua amizade e
proeza acadêmica, as quais sempre me mantiveram dentro do foco desde o tempo em que
nos conhecemos na universidade; ao dr. John Stroup, que me ensinou História da Igreja na
8 AGRADECIMENTOS

Universidade de Yale e a quem dou os créditos por ter me ensinado a escrever e pensar de
maneira crítica. Walt e Lauretta Sawallich, Richard e Janet Addy, pela amizade e pelo apoio
por meio do seminário; aos membros da igreja Zion Lutheran, em Connecticut; e à minha
atual família na igreja Our Redeemer em Greenville, Rhode Island. Quero agradecer profun-
damente aos meus pais, Larry e Joyce, que me encorajaram a buscar a excelência acadêmica.
Obrigado! Também reconheço, com profunda gratidão, meu sogro e minha sogra, Freddie
e Zélia Medeiros, que me encorajaram e ajudaram a sustentar minha família durante meus
anos de estudo. Também quero lembrar minha querida avó Sadie Spendolini e meu avô Willis
Nichols, cujas vidas piedosas me influenciaram grandemente no cristianismo.
Por último, queremos juntos reservar nossa mais profunda gratidão às nossas esposas
e aos nossos filhos; sem dúvida, eles foram os que mais se sacrificaram. Incluímos a devota
e amorosa companheira de George, Sharon; a filha Jennifer e os filhos Christian, Joshua e
Andrew; a esposa de Larry, Zélia (por seu constante amor, sua paciência e seu apoio desde
o início), e as filhas Melissa, Charissa e Alicia, cada uma das quais sacrificou muitas horas,
pois não tiveram a companhia do pai para que ele se entregasse totalmente à obra.
PREFÁCIO

H ouve uma época em que era possível descrever as instituições religiosas da América
do Norte em termos daquela rede sagrada à qual frequentemente nos referimos como
tradição judaico-cristã. Com poucas exceções, eram evangélicos unidos com uma cosmovi-
são comum e que, a despeito das diferenças denominacionais, percebiam que concordavam
numa enorme gama de valores e convicções. Recentemente, nos anos 50, o sociólogo Will
Herberg, em seu livro Protestant-Catholic­Jew [Protestantes-Católicos-Judeus] argumentou
que essas três categorias mais amplas de religião proporcionavam uma identificação e um
senso de localização social para a maioria dos americanos, quer fossem “praticantes” da fé
quer apenas identificassem-se passivamente com ela.
Hoje, tudo isso mudou drasticamente. Numa sociedade de pluralismo crescente, não é
raro que indivíduos se filiem a seitas e religiões, as quais têm muito pouco a ver diretamente
com o protestantismo, catolicismo ou judaísmo. Junto com as igrejas e sinagogas, encon-
tramos mesquitas, templos, salões do reino, centros de meditação e sociedades de todos os
tipos. A diversidade que constitui a paisagem norte-americana nos anos de 1990, e que é
representada neste volume, é menos tradicional e familiar até mesmo para o cidadão médio,
o qual tem uma boa orientação religiosa.
Em resumo, os três principais segmentos religiosos perderam o monopólio. O que anti-
gamente era a “religião-padrão”, agora precisa competir com grupos, os quais antes eram
considerados “marginais” ou de periferia. Cada vez mais, os americanos preferem cultuar
o que o professor Robert Ellwood chama de “altares alternativos”.
Nosso compromisso para com a liberdade religiosa permite, e de fato encoraja, esse
pluralismo religioso, o qual implica na existência de competição entre várias estruturas de
referência. O misticismo oriental importado, os gurus da Nova Era e os grupos psicoespirituais
de autoajuda introduziram um novo vocabulário e uma nova cosmovisão para um público
sem discernimento. Os adeptos de Eckankar falam do deus Sugmad, os praticantes da ioga
liberam a kundalini e os cientologistas falam sobre engramas e o “estar limpo”.
Um dos desafios impostos pelo pluralismo religioso é que a comunidade cristã precisa
estabelecer uma ênfase mais forte no desenvolvimento do discernimento. Este processo, junto
com outros elementos, exige a aquisição de informações básicas a respeito dos grupos em
questão. Este volume apresenta uma riqueza de dados concernentes às organizações religiosas
não convencionais, tanto antigas como modernas, bem como uma análise comparativa com
10 PREFÁCIO

os ensinamentos e as práticas do cristianismo. Embora este livro sirva para uma variedade de
propósitos, seu objetivo mais preeminente é equipar os cristãos com o material que precisarão
na luta contínua contra “os principados e potestades” e na batalha com as alegações que
entram em conflito com a verdade.
É confortante lembrar que o apóstolo Paulo também encontrou uma cultura pluralista,
exemplificada em seu discurso para os homens e mulheres reunidos na Colina de Marte, em
Atenas (Atos 17). Sua abordagem para com os atenienses daquela época serve de modelo para
nós sobre a metodologia que devemos utilizar. Armados com as informações disponíveis
neste volume, somos chamados para combater, embora de forma respeitosa, confrontar com
cortesia e estarmos abertos para o diálogo; porém, firmes em nossas convicções. Quando
Paulo dirigiu-se aos atenienses, deixou claro que os estudara e estava disposto a ouvi-los
também. Afirmou a busca espiritual deles, sem apoiar o rumo para onde tal propósito os
conduzia. O exemplo do apóstolo deve nos motivar, a fim de que nos preparemos para
compartilhar o Evangelho, as boas-novas, aos que buscam um sentido para a vida e ainda
procuram pelo “deus desconhecido” em um mundo confuso e complexo.

Ronald Enroth
Professor de sociologia
Westmont College
PREFÁCIO À EDIÇÃO BRASILEIRA

O segmento cristão que busca informações confiáveis sobre os mais diversos movimentos
religiosos pode contar agora com uma obra inédita e indispensável. Este dicionário é
uma importante ferramenta de estudo e pesquisa sobre diversas crenças e religiões para a
comunidade cristã e interessados em geral, e vai se tornar um vade-mécum, sem dúvida.
Por ter sido produzido nos Estados Unidos, a sua publicação no Brasil demandou
contextualização, tanto do vernáculo quanto dos termos da realidade religiosa brasileira.
Assim, a convite da Editora Vida, a então equipe da Agência de Informações Religiosas
(Agir) — trabalhou na revisão do texto e da terminologia usada pelos mais diversos grupos
religiosos, sabendo que os leitores estariam adquirindo uma obra de referência feita com
seriedade, fruto de pesquisa cuidadosa e atual. Vários novos verbetes foram acrescentados
a esta edição, já que muitos grupos que atuam em nosso país estão ausentes da realidade
norte-americana. Há informações sobre a Cultura Racional, o Vale do Amanhecer, a Legião
da Boa Vontade (LBV), o santo-daime, o kardecismo e muito mais.
Um dos autores, George Mather, tem sido um grande amigo desde 1985. Com certeza,
ele foi uma pessoa-chave que Deus usou para levar-me ao Gordon-Conwell Theological
Seminary, em Boston, EUA. Sempre admirei o seu amor pelas pessoas e principalmente o
amor que ele tem pela verdade da Palavra de Deus. Louvo ao Senhor pela chance de tocar
agora em sua obra-prima.
Estou certo de que este dicionário vai ajudar muitos filhos de Deus a responder, com equi-
líbrio e amor, aos desafios que surgem para o cristianismo no mundo de hoje, encorajando-os,
ao mesmo tempo, a defender a fé que de uma vez por todas foi entregue aos santos (Judas 3).
Esse é o nosso desejo e a nossa oração.

Paulo Romeiro
Doutor em Ciência da Religião
Diretor-presidente da Agir
Pastor da Igreja Cristã da Trindade
INTRODUÇÃO

A religião é tão antiga quanto a humanidade. A narrativa histórica de todas as civiliza-


ções com certeza inclui um relato sobre sua religião (ou religiões), juntamente com
uma descrição de seu deus (ou deuses), seus rituais, suas cerimônias, seus mitos e símbolos.
Este dicionário surgiu do nosso desejo de relacionar uma pequena porção da história das
religiões que ocupam o interesse e a devoção dos seres humanos, particularmente nos Estados
Unidos, o “paraíso” das religiões do Velho Mundo, que encontraram em nosso meio uma nova
expressão. Neste volume, tentamos captar uma pequena parte, mas extremamente importante,
do drama (da vida religiosa) vivido no cenário norte-americano.
Sem dúvida, você perguntará por que as grandes religiões do mundo estão ao lado dos
tantos grupos e seitas menores. A razão é bem simples: muitos desses rituais receberam o
impulso original das religiões progenitoras do Velho Mundo. O cristianismo, o judaísmo, o
budismo, o hinduísmo, o islamismo, o taoísmo etc. têm gerado descendentes. Portanto, é ne-
cessário incluí-las como a parte vital da história de um todo. Além disso, todas as expressões
clássicas dessas religiões estão presentes no solo americano.
Existem milhares de grupos religiosos e de seitas hoje nos Estados Unidos, dos quais
selecionamos apenas uma pequena quantidade para a inclusão neste volume. Vários fatores
nos guiaram nesta seleção. Primeiro, escolhemos aqueles grupos que achamos serem mais
acessíveis em termos de disponibilidade de dados. Segundo, embora reconheçamos que existe
certo nível de subjetidade na tarefa de escolher alguns grupos em detrimento de outros, cremos
que os que foram incluídos aqui estão entre os mais interessantes, populares e influentes na
experiência religiosa americana. Por último, qualquer tentativa de fazer uma obra exaustiva
ultrapassaria muito o escopo deste projeto, necessitando de um grande número de volumes.
Mesmo assim, muitos grupos religiosos não seriam relacionados, simplesmente porque não
possuem publicações ou são por demais desconhecidos.
Este dicionário contém ensaios enciclopédicos longos e curtos sobre cada um dos grupos
religiosos selecionados. A maioria desses ensaios divide-se em três seções: “história” (a parte
introdutória do texto), “ensinos” e “conclusão”. A seção “história” tenta descrever as infor-
mações essenciais concernentes a origem do grupo, seus fundadores, suas influências e os
efeitos que causam sobre a vida religiosa americana. A seção “ensinos” trata especificamente
das convicções e práticas do grupo. A seção “conclusão” apresenta um sumário e concede ao
leitor as informações atualizadas sobre o referido tópico.
14 INTRODUÇÃO

As definições dos termos e conceitos usados pelos grupos incluídos nesta obra estão
relacionadas em ordem alfabética por todo o volume. Quando esses termos e conceitos apa-
recem nos ensaios, são indicados em versalete (na primeira ocorrência da palavra no artigo).
Também utilizamos versalete para outras formas de uma palavra definida em outro local no
volume. Por exemplo, se um artigo contém o vocábulo “monoteísta”, e não “monoteísmo”,
colocamos o termo derivado em versalete para dirigir o leitor à sua definição. Quanto aos
verbetes mais curtos, quando um termo é definido na lista separada, a religião à qual ele
está associado será indicada entre parênteses (às vezes, de forma abreviada), seguida de sua
definição. Por exemplo:

CORPO DENSO (teosofia). Ensino de que a matéria é a mais densa de todas as emanações
que partem da esfera espiritual. Ter densidade significa ser removido da esfera do espírito puro.

Também serão encontrados nessa relação, em ordem alfabética, os nomes dos líderes e
fundadores de vários grupos religiosos. Junto com cada nome estão as datas do nascimento
e da morte (quando disponível), a comunidade com a qual aquela pessoa está associada e
um resumo da sua contribuição para aquele grupo. Geralmente, nos ensaios sobre o referido
grupo religioso, há explicações mais detalhadas sobre cada pessoa.
É necessário também observar que a maioria dos ensaios contém comparação/contraste
entre as diversas religiões e o cristianismo. Nós, os autores, somos cristãos; portanto, es-
crevemos o livro sob a ótica cristã. Imparcialidade total, embora seja um objetivo nobre, é
impossível. Cremos que é mais interessante e útil para você não somente informar-se, mas
também engajar-se no desafio de entrar nos níveis mais elevados do diálogo.
Você notará também que em todo o volume fizemos frequentes referências aos credos
ecumênicos do cristianismo (Apostólico, Niceno, Atanasiano e a Fórmula de Calcedônia — v.
Apêndice 1). A razão para isso parece óbvia. Cada denominação cristã — oriental, católica
romana e protestante — que subscreve a fé ortodoxa tradicional prontamente submete-se
a esses antigos símbolos da ortodoxia e da ortopraxia. Essa metodologia, embora não seja
totalmente segura, evita o “exame de texto”, um tipo de bairrismo característico das aborda-
gens denominacionais tão comumente encontradas nos tratados sobre seitas e religiões. Em
resumo, este dicionário foi escrito para prestar um serviço à Igreja universal, bem como para
os que se encontram fora dos parâmetros da fé cristã e estão interessados em saber como
vemos suas respectivas religiões.
Cada um dos autores contribuiu para esta obra da seguinte maneira: George Mather foi o
responsável por dados, fontes, fotos e compilação da bibliografia. Larry Nichols peneirou os
dados, providenciou pesquisas adicionais, finalizou a bibliografia e escreveu o manuscrito. O dr.
Alvin Schmidt leu o manuscrito e acrescentou muitos comentários úteis ao longo do caminho.
INTRODUÇÃO 15

Reconhecedores de que a tentativa de ser enciclopédico com relação a religiões somente


será bem-sucedida caso se trate de um projeto constante, esperamos que o Dicionário de
religiões, crenças e ocultismo seja o primeiro de futuros volumes e/ou edições nessa tarefa
interminável de contar a história das religiões na perspectiva daquele que é “o Alfa e o Ômega,
o princípio e o fim, [...] que é, e que era, e que há de vir, o Todo-poderoso” (Apocalipse 1.8).

Larry Nichols e George Mather


Junho, 1992
A
A.A. (ocultismo). Abreviatura de Argentium chamado famba. Velas, plantas, taças e outros
As­trum, ordem formada por aleister crowley utensílios adornam seus altares. A influência
em 1904. cristã é evidenciada pela presença de crucifixos
e quadros do menino Jesus e da virgem Maria.
ABAKUA. História. Também chamada de A música é muito importante nas cerimô-
Naniguis­mo, é a quintessência do sincretismo nias Abakua. Os tambores, com vários nomes
religio­so, que reúne elementos da África Oci- (v. erikunde, ekon, maracas, ifon), são tocados
dental, de Cuba e do cristianismo. O comércio em ritmos exclusivamente africanos. A dança,
de escravos dos séculos XVII e XVIII fazia que a música e os sacrifícios, tudo gira em torno do
os africanos fossem transportados para as Índias objetivo de invocar um espírito sobrenatural
Ocidentais. Eles levavam sua cultura e religião. A conhecido popularmente como diablito. O nome
despeito dos ambiciosos esforços por parte dos usado pelos membros do culto para esse espírito é
missionários católicos romanos portu­gueses e ireme. Há o ritual de sacudir as maracas, a fim de
espanhóis para fazer proselitismo, esses africa- que Ireme apareça. Na mão esquerda, ele segura
nos ocidentais e os indígenas nativos das regiões um ifan; na direita, o iton. A presença de Ireme é
das Índias Ocidentais e América do Sul insistiam anun­ciada pelo som de sinos metálicos, conheci­
em não permitir que o cristianismo ocupasse um dos como enkanika. Ireme chega adornado com
lugar exclusivo em seu considerável panteão uma máscara decorativa e sua presença afasta os
de divindades. Todos os esforços por parte da maus espíritos. Todo o conceito do diablito vem
Igreja católica, de erradicar as religiões pagãs da África Ocidental. Não existe sincretismo com as
desses povos, encontraram severa resistência. práticas religiosas dos indígenas nativos de Cuba.
No Brasil, o candomblé conseguiu reter a maior Muito do ritual Abakua deriva-se das ceri-
parte dessa herança africana. Em Cuba, o Abakua mônias religiosas do iorubá. As práticas de adi-
é considerado o mais africano de todos os rituais. vinhação são feitas paralelamente. Os iniciantes
Abakua começou como sociedade secreta são submetidos a ritos nos quais são batizados
em 1834, na vila de La Regla, em Cuba. O grupo com um líquido de uma taça feita com um crâ-
recebeu o nome do seu líder, Abakua, cuja estra- nio humano. O método alternativo de iniciação,
tégia era formar uma quantidade de sociedades usado pelo grupo Efi, consiste em derramar água
independentes, para impedir que os segredos sobre o iniciante e cobri-lo, ou aspergir sobre
do culto fossem revelados ou descobertos. ele albahaca. O novo membro torna-se servo de
Origi­nalmente, pessoas brancas ou mulatas não um orixá específico e passa a ser chamado de
tinham acesso, a fim de que o culto mantivesse omo-orixá. Frequentemente o novo membro vem
a influência estritamente africana. Atualmente, para o grupo com um nome cristão. Depois da
o culto Abakua consiste em dois grandes grupos: iniciação, ele ou ela recebe um cognome africano,
o EFO, que ainda exclui os brancos; e o EFI, que que deve ser mantido em segredo para sempre.
se tornou pouco mais complacente e permite Torna-se evidente por que os missionários
que pessoas de outras raças se tornem membros. cristãos ficaram tão desapontados em suas tenta­
Ensinos e práticas. Os sacerdotes do grupo tivas de evangelizar esse povo. O sincretismo tem
Abakua, chamados okobio, são todos homens, uma longa história, pois data do tempo de Israel,
com exceção de uma sacerdotisa, chamada ca- no Antigo Testamento. Os juízes, os profetas e os
sican. O culto centraliza-se em torno do templo, reis justos de Israel e de Judá muitas vezes eram
18 ABATÁ

apresentados por Javé, a fim de extirpar os ídolos Conclusão. De acordo com os princípios de seu
e os falsos deuses (Êxodo 20.1-6). Essa tradição fundador, Abakua, a seita compõe-se de nume-
continuou no Novo Testamento, quando a igreja rosos grupos; por isso, é impossível determinar
primitiva ensinava que o centro da fé está na pes- o seu número exato. Entretanto, é certo que ele
soa e na obra de Jesus Cristo, conforme descrito floresce juntamente com muitas outras seitas
nos credos ecumênicos (v. Apêndice 1). Nosso nessa parte do mundo. Incursões aos Estados
credo não pode ser chamado adequadamente Unidos são feitas por muitos dos grupos da Amé-
de cristianismo se for absorvido e redefinido rica do Sul e caribenhos, principalmente através
dentro do contexto das religiões alternativas. das migrações nas maiores áreas metropolitanas
Talvez parte da culpa esteja na própria Igreja. do país, particularmente Miami e a cidade de
Mais de uma vez, houve críticas de que os mis- Nova York. (Para observações mais específicas
sionários passam muito mais tempo na tentativa das afinidades entre os cultos da América do Sul
de ocidentalizar os povos nativos que esperam e caribenhos, veja santeria e vodu).
alcançar, e não gastam o tempo suficiente para
evangelizá-los. (Para mais uma avaliação do cris- ABATÁ (Vale do Amanhecer). Trabalho realiza-
tianismo como um fenômeno religioso em seu do por médiuns que rondam em fila determinado
encontro com esses rituais da África Ocidental, local à procura de espíritos atrasados e inferiores
veja cultos da américa do sul, américa central e do que tentam prejudicar o ser humano. O objetivo
caribe e cultos afro-brasileiros). é capturar e desintegrar o espírito obsessor em
uma encruzilhada (ponto de encontro dos espí-
ritos), enviando-o para outra dimensão por meio
de orações e mentalização. (AM)

ABDUL KHAALIS, HAMAAS (s.d.). Fundador


do Hanafi Madh-hab Center em 1968.

ABEL (Igreja da Unificação). Inspirando-se no


Antigo Testamento, a igreja da unificação ensina
que Abel, filho de Adão e Eva, representa os mo-
onies e os simpatizantes do movimento; também
representa o Bem, a democracia. (AM)

ABIÃ (cultos afro-brasileiros). Uma das designa-


ções para quem pleiteia a admissão no candomblé.
Após o período de reclusão (que varia nas diver-
sas correntes dessa religião) e de determinadas
tarefas, o candidato poderá se tornar um cavalo,
servindo aos orixás como filho(a)-de-santo. (AM)

ABRACADABRA (misticismo; ocultismo). Um


encantamento medieval usado para curar doen-
ças ou afastar problemas iminentes. Acreditava-
se que a palavra era especialmente eficaz quando
inscrita num amuleto.

Um nganga (com uma cabeça de bode, um gambá morto e um ABRAHADABRA (ocultismo). Termo similar à
machete) usado no ritual Abakua. Cortesia de Jim Dibble. palavra usada no ocultismo, abracadabra. Aleister
ADEPTO 19

Crowley utilizou-a como uma designação mágica em 4 de novembro de 1977, e agora trabalha na
para o Éon de Hórus. esfera espiritual. Seus seguidores e 11 discípulos,
apontados por ele pouco antes de partir, veem-no
ABU BAKR (islamismo). Quando Maomé mor- como a encarnação do deus Krishna.
reu em 632 d.C., em Meca, a capital espiritual do
islamismo, Abu Bakr tornou-se o primeiro califa AÇOKA (hinduísmo; budismo). Rei hindu
de Medina. Ele, que fora um líder e influente (272-232 a.C.) considerado um dos maiores mo-
homem de negócios, tornou-se um dos primeiros narcas, não somente porque conquistou a maior
convertidos ao islamismo. Quando Maomé fugiu, parte da Península Indiana, mas também porque
Bakr decidiu acompanhá-lo. Os dois estavam transformou o budismo de um conglomerado de
muito ligados pelo fato de Alisha, irmã de Bakr, pequenas seitas em uma das principais religiões
ser a esposa favorita de Maomé. Quando este não da Índia. O movimento budista só floresceu e
estava presente, era substituído pelo cunhado. tornou-se unificado depois que Açoka enviou
Portanto, Bark tornou-se o sucessor natural missionários por todo o Império.
quando Maomé morreu. ele ocupou essa posição
por apenas dois anos. Morreu em 634 d.C., sendo ACÓLITO (ocultismo; satanismo). Um ini-
sucedido pelo grande Omar I. ciante.

ACARYA (ISKCON, Hare Krishna; hinduísmo). ACON (vodu; ocultismo). Tambor cerimonial
Um mestre ou líder espiritual que ensina por sagrado usado no vodu.
meio do exemplo. A palavra também significa o
ato da autopurificação. ACUPUNTURA. Prática medicinal originada
na China e de conotações religiosas. É uma téc-
A. C. BHAKTIVEDANTA SWAMI PRA- nica que consiste em inserir agulhas em áreas
BHUPADA (ISKCON; Hare Krishna). Nasceu específicas do corpo ao longo de meridianos
como Abhay Charan De, em 1º de setembro de ou áreas de energia. Segundo a medicina tra-
1896, em Calcutá, na Índia. Seus primeiros anos dicional chinesa, essas áreas se divididem em
de vida foram relativamente insignificantes. dois grupos: yin-yang. A força da vida, chi, flui
Matriculado na Universidade de Calcutá, estu- ao longo desses meridianos. No Brasil, é uma
dou inglês, economia e filosofia, embora nunca especia­lidade médica reconhecida pelo Conselho
tenha se formado. Durante seus dias de univer- Federal de Medicina desde 1995, pela Associação
sitário, entretanto, conheceu Bhaktisiddhanta Médica Brasileira e pela Comissão Nacional de
Saraswanti, que se tornou seu mestre espiritual Residência Médica. (AM)
(v. acarya). Em 1933, este guru ordenou ao seu
promissor aluno que proclamasse a consciência ADEPTO (teosofia). Pessoa que se submeteu ao
de krishna. Em 1947, a sociedade denominada processo de iniciação e está adiantada, próxima
vaishnavites reconheceu formalmente Abhay de receber um corpo astral. Os adeptos são os
Charan De como “Bhaktivedanta”. Em 1959, membros da Grande Loja Branca. Existem quatro
ele abandonou a esposa e a família para estudar níveis de adeptos descritos na ordem hermética
sob a liderança de outro acarya, o guru gosvami. do Alvorecer Dourado, sociedade fundada na
Em 1965, o mesmo ano em que o papa Paulo VI Inglaterra, em 1888, e que propagou muitas das
visitou Nova York, Bhaktivedanta esteve nos crenças revividas na teosofia. Os quatro graus
Estados Unidos, enviado por Gosvami, para de um adepto são: Zelator Adeptus Minor, The-
proclamar a mensagem de Krishna. Em 1966, oricus Adeptus Minor, Adeptus Maior e Adeptus
ele fundou a ISKCON (Sociedade Internacional Exemptus, o mais elevado. Em sentido geral,
para a Consciência de Krishna). De acordo com a palavra refere-se ao partidário de qualquer
essa sociedade, Bhaktivedanta partiu fisicamente religião, seita etc.
20 ADET

ADET (islamismo). Costumes muçulmanos indi- AHAD (islamismo). Nome islâmico para Alá, e
viduais que podem ter prioridade sobre os mais significa “único”, a fim de exemplificar mais o
comuns (v. suna), quando o segundo permanece monoteísmo estrito que caracteriza a fé muçulmana.
em silêncio. Em grau de importância, o alcorão é
a autoridade principal; a suna, ou tradições sagra- AIATOLÁ (islamismo). Líder espiritual irania­
das, vem em segundo lugar; o adet entra em ação no da facção xiita.
quando os dois primeiros não estão em vigor.
AIÉ (cultos afro-brasileiros). Um dos dois planos
ADIVINHAÇÃO (ocultismo). Tentativa de pre- nos quais o universo está dividido (o outro é o
dizer e explorar o futuro. Os meios mais comuns orum). Trata-se do mundo material, palpável e
de adivinhação são astrologia, cartas de tarô, limitado, habitando pelos seres humanos, ou ara
bolas de cristal, numerologia, quiromancia e vários aié (moradores de aié), que precisam manter a
outros augúrios. harmonia com o orum, a fim de evitar danos e ca-
tástrofes, tanto ao nível individual como coletivo.
ADJURAÇÃO (exorcismo). A ordem que um Caso aconteça alguma desarmonia, recomenda-se
exorcista dirige a um espírito mau. logo o oferecimento de um ebó, a fim de restabe-
lecer o axé, a energia sagrada de cada orixá e que
AEON (vodu). Uma cuia (cabaça) ou um cho- mantém o dinamismo da vida. (AM)
calho cerimonial usado pelos sacerdotes nas
cerimônias de vodu. AIWAZ (ocultismo; satanismo). Também
pronunciado “Aiwass”; nome do espírito que
aleister crowley diz ter-lhe dado as palavras
para a sua obra Livro da Lei (1906), escrito por
Aiwaz através da esposa de Crowley, enquanto
ele estava no Cairo, em 1904.

AKIYA, EINOSUKE (1930-). Tornou-se líder


da organização soka gakkai em 1981.

ALA (mormonismo). Subdivisão regional de


cada estaca da igreja mórmon. Existem aproxi-
madamente seis alas em cada estaca, o que leva
a um total de cerca de 2.800, abaixo dos quais
estão os ramos independentes e as igrejas locais.
O número de membros de cada ala varia, e pode
ir de 600 até 1.100 ou 1.200 pessoas.

ALAMO, SUSAN (1926-1982). Seu nome


verdadeiro era edith opal horn. Criou a fundação
cristã alamo (fca).

ALAMO, TONY (s.d.). Líder da fundação cristã


alamo (fca) com a ajuda de sua esposa Susan Ala-
mo. Seu verdadeiro nome é bernard lazar hoffman.
Utilizada para adivinhação, essa boneca representa a deusa
escandinava Hel, considerada a rainha da morte. Cortesia de ALBAHACA (Abakua; ocultismo). Plantas espar-
Jack M. Roper/Caris. gidas sobre pessoas nos rituais de iniciação abakua.
ALQUIMIA 21

ALBIGENSES (cristianismo). Seita herética que Nova Era alterará ou transformará a composição
surgiu na cidade de Albi, na França. Os albigenses, interior de uma substância, não o mundo exte-
como eram chamados, reviveram parte do antigo rior. Nos organismos vivos, isso é realizado por
maniqueísmo. Ensinavam que o corpo era mau; meio da genética, microbiologia etc.
o sexo, um instrumento perverso do diabo; e a
morte de Jesus na cruz, uma ilusão (v. docetismo). AL-HASSAN (643-728). Natural de Basra,
A heresia albigense espalhou-se por todo o sul apoiou fortemente a Ordem Sufi, ou sufismo,
da França, até que uma cruzada resultou em sua um grupo preocupado com a purificação do
total aniquilação algum tempo depois de 1330. islamismo, para receber maior conhecimento
espiritual de Alá.
ALCORÃO (islamismo). Livro sagrado do
islamismo. Os muçulmanos acreditam que foi a ALI (600-661). Genro de maomé, tornou-se o
revelação de Alá para maomé. O texto é composto quarto califa, depois da morte de otmã. Tornou-
por 114 capítulos, ou suratas/suras (palavra se o mais famoso, por ser o primeiro a organizar
árabe que significa “o que abre ou inicia”), uma a cronologia do alcorão.
mistura de literatura bíblica com cultura árabe.
O Alcorão foi compilado apenas depois da morte ALI, MIRZA HUSAYN (1817-1892). Também
de Maomé, durante o reinado do terceiro califa. conhecido como Bahá-u’llah, considerado o
Esse livro resume as obrigações sagradas dos grande profeta de Alá pela seita baha’i.
fiéis seguidores de Maomé e caracteriza-se por
um estrito mon­ ot­ eísmo. Traduções do Alcorão ALMA DIVINA (teosofia). A divindade ou ma-
foram proibidas por muito tempo, de forma que nifestação do divino que reside dentro da alma.
muitos muçulmanos recitam linhas e frases em Conhecida em diferentes religiões do mundo
árabe sem saber realmente o que elas significam. como, por exemplo, o “Cristo interior” ou “ter
Ultimamente, no entanto, muitas traduções Cristo no coração”, no cristianismo, ou o “buda
excelentes foram publicadas. A tradução The interior”, na nomenclatura budista.
Koran Interpreted [O Alcorão interpretado], de
A. J. Arberry (1955), é geralmente reconhecida ALPERT, RICHARD (1931-). Mudou seu nome
como a mais confiável em língua inglesa; mas, para baba ram dass, enquanto estudava na Índia
para os muçulmanos, todas as traduções são com o guru maharaj ji. Ele iniciou a fundação
apenas paráfrases do original. hanuman, junto com o templo do mesmo nome.

ALEXANDRINO (bruxaria). Forma de bruxaria ALQUIMIA (rosacrucianismo; ocultismo). An-


contemporânea, derivada de alexander sanders. tiga ciência que se originou no Egito, de acordo
com alguns. Acreditava-se que os metais tinham
ALGENIA (Nova Era). Termo da Nova Era para poderes mágicos, quando em forma de liga. Os
a mudança do maior paradigma da tecnologia alquimistas tentavam fazer ouro a partir de
industrial do Velho Mundo para a ênfase da nova metais não preciosos; um segundo objetivo era
ordem na biotecnologia. Esse termo foi usado descobrir o “elixir” ou a mítica “fonte da vida”,
pela primeira vez pelo dr. Joshua Lederberg, cujo líquido, se ingerido, daria a imortalidade.
ganhador do Prêmio Nobel, da Universidade Ro- O termo alquimia também é usado como me-
ckefeller. Algenia significa mudança ou alteração táfora para descrever a perfeição espiritual que
da essência de uma substância material por meio uma pessoa alcança quando expurga as várias
da transformação. Na tecnologia do Velho Mun- enfermidades que mantêm a alma nas trevas.
do, isso era feito por meio da pirotecnologia, ou Da mesma forma é empregado como metáfora
a utilização do fogo (por exemplo, a indústria), pelo movimento nova era para descrever a ordem
para alterar ou manipular o meio ambiente. A do velho mundo, a qual manipulava o meio
22 ALTA CRÍTICA

ambiente através do fogo. A Nova Era é aquela ALTAR DOS HOLOCAUSTOS (judaísmo).
em que ocorre o maior paradigma, a mudança da Altar portátil, quadrado, com 1,5 m de altura
pirotecnia para a biotecnologia. Alguns descre- por 2,5 m de comprimento e de largura. Era feito
vem esse novo paradigma como um movimento de madeira de acácia e coberto com bronze; era
de alquimia para algenia. usado para as ofertas queimadas (Êxodo 27.1-8;
38.1-7). Assim como a altar de incenso, tinha
ALTA CRÍTICA (cristianismo). Estudo dos mé- quatro chifres. Nos lados, estavam presas quatro
todos e das fontes literários empregados pelos argolas de bronze, através das quais passavam
autores bíblicos. A Alta Crítica distingue-se da as varas de madeira para o transporte. A vítima
Baixa Crítica, a disciplina e o estudo do real signi- usada no sacrifício era amarrada e presa nos
ficado dos textos do Antigo e do Novo Testamento, quatro chifres. O altar encontrava-se na entrada
conforme foram escritos originalmente pelos do tabernáculo (Êxodo 40.29). No templo de
profetas e apóstolos. Salomão, construiu-se um novo altar para as
ofertas queimadas, feito totalmente de bronze.
ALTAR (ocultismo; satanismo; bruxaria). Mesa Levítico 6.12,13 afirma que uma chama queima-
em torno da qual os satanistas celebram a missa ria permanentemente sobre esse altar.
negra. É feito de vários materiais. Entre alguns
satanistas uma mulher nua é usada como se fosse ALTAR DE INCENSO (judaísmo). Também
um altar. Na feitiçaria, é no altar que se concentra mencionado na bíblia como o altar de ouro, a fim
o foco da vida. Uma mulher é colocada sobre ele, de diferenciá-lo do de bronze ou o dos hocolaus-
ou comumente ela é o altar sobre o qual o Grande tos. Como a arca da aliança, também era feito de
Rito é realizado. madeira de acácia e coberto de ouro. Era usado
para a queima das essências aromáticas diante
do véu (Êxodo 30.1-10; 40.5); media aproxima-
damente 30 cm de comprimento e de largura
e 1 m de altura. Semelhantemente ao altar dos
holocaustos de ofertas queimadas, tinha quatro
chifres nos cantos; o sumo sacerdote fazia sobre
ele expiação com sangue uma vez por ano (v.
Levítico 16).

AMOR (ISKCON; Hare Krishna). O amor tem


dois significados básicos. Um é chamado kama, ou
seja, o erótico, sexual. O outro, prema, é o espiritual,
divino, que o devoto exerce em relação a krishna.

AMORC. Antiga e Mística Ordem Rosae Crucis.


Veja rosacrucianismo.

AMRITDHARI (Sikh Darma). Nome dos mem-


bros batizados na organização saudável, feliz e
divina.

AMULETO (ocultismo). Objeto usado para


Altar satanista preparado para a gravação de um vídeo de
afastar ou expulsar espíritos maus. O tradicional
treinamento da polícia em Northbrook, Ill. Cortesia de Jack M. pé de coelho é um amuleto popular. Os egípcios
Roper/Caris. usavam de vários tipos.
ANIMISMO 23

AMURT. Veja sociedade de ioga ananda marga. sexos; hermafrodita; nos círculos do ocultismo e
do misticismo, o andrógino simboliza a completa
ANABATISTAS. Veja cristianismo. unicidade e unidade, como oposto da dualidade.

ANAMI LOK (Eckankar). O céu supremo ou o ANGLO-ISRAELISMO (Armstronguismo).


plano astral mais elevado. sugmad habita nesse Crença segundo a qual os povos anglo-saxões da
lugar celestial. Grã-Bretanha são os descendentes das dez tribos
perdidas de Israel. Alguns grupos religiosos nos
ANANDA (hinduísmo). O prazer e a alegria Estados Unidos acreditam que são originários
interiores; a grande alegria divina do espírito; desses filhos de Jacó, devido à migração dos
alegria transcendental. ingleses para os Estados Unidos. A teoria foi
proposta pela primeira vez por John Sadler, em
ANANDA MARGA. Veja sociedade de ioga ananda 1649, e posteriormente foi desenvolvida por Ri-
marga. chard Brothers (1757-1824). Variadas formas do
anglo-israelismo são defendidas por diferentes
ANANDA MURTI, SHRII SHRII. Veja prabhat grupos, como os mestres ascensos “eu sou”, igreja
ranjan sankar. mundial de Deus, movimentos de identidade etc.

ANATTA (budismo). Doutrina segundo a qual ANGOLA (cultos afro-brasileiros). De origem


o processo de reencarnação envolve experiências banto, essa nação adotou alguns orixás do modelo
e eventos específicos a cada alma individual; não iorubá, nigeriano, designando-os como inquicês.
existe uma alma permanente que sobreviva à Já o Deus Supremo recebe o nome de Zambi,
morte para experimentar outra reencarnação. como na umbanda, e não de Olorum, como no
candomblé. Além disso, diferencia-se também
ANCIÃO (Testemunhas de Jeová). Com o objeti- pelas cores, pelos rituais, atabaques, ritmos etc.
vo de assegurar o cuidado pelo salão do reino local empregados nos cultos aos orixás. Incorpora
(congregação), os homens que serão indicados caboclos, diferente do rito da nação iorubá. Isso
pela organização para serem os superintendentes faz com que os praticantes do candomblé de
(anciãos) precisam satisfazer os requisitos exigi- angola sejam discriminados pelos que almejam
dos pela Bíblia em 1Timóteo 3.1-7, incluindo aí a a pureza nagô, ou seja, a tendência de se manter
habilidade para ensinar. Isso distingue entre os fiel às tradições africanas, conforme vivenciadas
anciãos (superintendentes) e os servos ministeriais. pela tradição iorubá. (AM)
Geralmente, os anciãos são os membros mais
velhos (ou os mais experientes e bem treinados) ANIMA (hinduísmo). Habilidade que um pra-
que pastoreiam a congregação. O termo ancião ticante de ioga possui de modificar a massa e a
vem do grego do Novo Testamento presbyteros. densidade da matéria.

ANDON (Urântia). Nome dos primeiros pais da ANIMISMO (ocultismo). Ideia de que todas as
raça humana (v. fonta). coisas no Universo são investidas de uma força
de vida, alma ou mente. Também é comumente
ANDRAE, JOHANN VALENTIN (1586-1654). mencionado como pampsiquismo ou hilozoísmo.
Teó­logo luterano. Algumas pessoas o acusam fal- Filosoficamente, o animismo é o aposto do ma-
samente de ser o autor da Fama Fraternitatis Ben- terialismo. Um animista filosófico argumentaria,
dicti Ordinis Rosae-Crucis (v. rosacrucianismo). por exemplo, que uma pedra ou uma árvore não
é meramente um aglomerado de átomos e molé-
ANDRÓGINO (ocultismo). Geralmente é a culas (materialismo), mas, pelo contrário, possui
característica de possuir os traços de ambos os uma “conscientização” das forças ou dos outros
24 ANIQUILACIONISMO

corpos ao redor. Embora seja encontrado mais que já ocupa o cargo. Esse fenômeno foi acentua-
frequentemente nos círculos filosóficos, o animis- do no século XIV, durante o grande cisma.
mo é um importante elemento da vida religio­sa
dos povos primitivos. É comum aparecer também ANTITEOCRÁTICO (Testemunhas de Jeová).
nos círculos do ocultistas e espiritualistas. Basicamente, esse termo é utilizado para clas-
sificar os testemunhas de Jeova que não estão
ANIQUILACIONISMO. Doutrina segundo a dentro dos padrões estritos das regras e diretrizes
qual a alma do ímpio, após a morte, não será da organização. Esse vocábulo também é usado
punida eternamente num inferno literal, mas, para designar objetos, além de roupas e pessoas.
em vez disso, simplesmente deixará de existir.
O aniquilacio­nismo constitui um meio-termo ANTROPOSOFIA (teosofia). Dissidência da te-
entre o universalismo indiscriminado e a dou- osofia, fundada por Rudolf Steiner (1861-1925),
trina cristã tradicional da condenação eterna. O em 1913, que manteve os princípios básicos
aniquilacionismo é defendido por testemunhas da antiga religião esotérica. A razão que levou
de jeová, adventistas do sétimo dia, igreja mundial Steiner a romper com a teosofia foi o fato de
de deus e por muitos outros grupos religiosos em discordar de Anny besant, sucessora de blavatsky,
atividade atualmente. que quis apresentar ao mundo o jovem indiano
krishnamurti como o novo mestre cósmico, o
ANJOS (kardecismo). Espíritos que atingiram o novo Cristo. (AM)
mais alto grau na escala de evolução, tornando-se
puros ou perfeitos. (AM) APANA (hinduísmo). Uma das cinco formas
de prana. Diz-se que apana controla as funções
ANKH (ocultismo; bruxaria). Antigo símbolo excretoras do corpo humano.
egípcio formado de uma cruz com um arco que
substitui a parte de cima. As divindades egípcias APARIÇÃO (espiritualismo; ocultismo). Termo
frequentemente eram retratadas segurando uma usado frequentemente como sinônimo de fan-
ankh, ainda utilizada em muitos círculos ocultistas. tasma. Uma aparição é um espírito que, embora
A ankh simboliza a vida. Também é chamada de invisível, aparece ou se manifesta a fim de ser
crux ansata. No simbolismo cristão, o tau, ou a visto. Há muitos relatos de pessoas que tiveram
cruz em forma de “T”, é a que mostra com mais visões, sem nenhuma causa física ou lógica que
precisão o formato do poste sobre o qual Moisés justifique seus efeitos.
levantou a serpente de bronze no deserto, como
um sinal de doação de vida para os que olhassem APOCALIPSE. Significa “descobrir” ou “reve-
para ela. É provável que haja conexão entre a ankh lar” eventos futuros. Como gênero literário, a
e a cruz tau, pois os israelitas eram familiarizados literatura apocalíptica é vasta. O último livro da
com a ankh devido ao tempo que passaram cativos bíblia é chamado de Apocalipse (ou Revelação)
no Egito. Grupos cristãos como os coptas usam a de João. Outras obras classificadas dessa maneira
cruz ankh sem nenhuma relação com o ocultismo. incluem o Apocalipse de Adão, o primeiro e o
segundo Apocalipse de Tiago, o Apocalipse de
ANTASKARANA (ocultismo; teosofia). Palavra Pedro etc. Uma das características da literatura
composta em sânscrito que significa, literalmen- apocalíptica é o profundo simbolismo que faz
te, “o órgão sensório interior”. Na teosofia, a an- alusão à iminente condenação do ímpio e a
taskarana é a intercomunicação entre a dimensão recompensa dos justos. Só os justos são capazes
espiritual e a pessoal da vida. de interpretar os símbolos, enquanto os signifi-
cados permanecem ocultos dos ímpios. A maior
ANTIPAPA (cristianismo). Indivíduo levantado parte da literatura apocalíptica foi escrita entre
e colocado na posição de “papa” em oposição ao os anos 200 a.C. e 200 d.C.; muitas das obras do
ARCA DA ALIANÇA 25

gnosticismo, descobertas em Nag Hammadi, são doutrina diferente das que confessam e ensinam
apocalípticas. deve ser considerado um apóstata.

APÓCRIFO. Palavra composta, derivada do APÓSTOLO (cristianismo). Termo derivado


grego, que significa “esconder de”. Os escritos do grego apostolos, que significa “mensageiro”,
apócrifos são considerados de natureza esoté- usado na Bíblia para designar os principais dis-
rica. Catorze livros, chamados apócrifos, estão cípulos escolhidos por Jesus Cristo em Mateus
incluídos na versão do Antigo Testamento da 10.2-4; Marcos 1.16-20; Lucas 22.14; e Atos 1.2.
Vulgata latina (v. bíblia — Antigo Testamento). O critério reconhecido pela igreja primitiva para
a função apostólica era o daqueles homens que
APOLINARISMO (cristianismo). cristologia foram escolhidos por Cristo e eram testemunhas
defendida por Apolinário (310-390 d.C.), que se oculares do ministério de Jesus, do batismo até
opunha vigorosamente ao arianismo. Ele ensinava a ascensão (Atos 1.22). Posteriormente, a autoria
que Cristo era divino e não havia natureza huma- apostólica tornou-se um critério crucial para o
na nele. Acreditava que, se Jesus tivesse natureza reconhecimento da autenticidade do cânon do
humana, teria de, como homem, submeter-se ao Novo Testamento.
sofrimento, ao desenvolvimento moral etc. Para
Apolinário, isso era inconcebível. No lugar da APOTEOSE. Veja deificação.
natureza humana de Cristo, estava o logos divino.
O apolinarismo foi condenado pelo Concílio de AQUÁRIO (astrologia). É o 11º signo do zo-
Constantinopla em 381 d.C., com base na ale- díaco. Cobre o período entre 21 de janeiro e 18
gação de que essa cristologia não reconhecia a de fevereiro. As figuras populares descrevem
natureza humana de Cristo, sobre a qual a bíblia Aquário jogando a água de um jarro dentro de
fala tão claramente. Rejeitar a natureza humana uma fonte. Essa tradição provavelmente emergiu
de Jesus é desconsiderar a própria encarnação, da associação desse período do ano com a época
ou seja, que o Verbo se fez carne, para redimir das chuvas no Oriente Médio. Uma pessoa que
o homem. nasce sob esse signo é considerada tímida, quieta,
introspectiva, cautelosa e persistente.
APOSTASIA. Significa “renunciar”, “abando-
nar” ou “afastar-se de”. Toda religião exclu- AQUINO, MICHAEL (1946-). Ex-satanista e
sivista, ou seja, aquela que acredita que seus líder do grupo Lilith Grotto, em Spotswood, Nova
artigos de fé são a verdade, com a exclusão de Jersey. Aquino abandonou a Igreja de Satanás e
todos os outros, inevitavelmente conclui que as formou o Templo de Set em 1975 (v. satanismo).
pessoas que adotam doutrina, credo ou convic-
ção diferente da sua são apóstatas. O conceito de ÁRABES (islamismo). Descendentes de Ismael
apostasia recebe mais atenção em alguns grupos e Quetura, de acordo com a história dos hebreus
que em outros. (Gênesis 16.11s). No islamismo, pelo fato de eles
O mormonismo alega que imediatamente após terem sido o primeiro povo a abraçar a mensagem
a era apostólica do cristianismo houve uma grande de maomé, eles constituem a elite da fé islâmica.
“apostasia”, quando o Evangelho foi corrompido
e perdido. Somente dezoito séculos mais tarde a ARCA DA ALIANÇA (judaísmo). O termo hebrai-
“verdade” foi restaurada, quando foi revelada a co para “arca” também designa “armário” (Gênesis
joseph smith. Desde então, a igreja mórmon tem 50.26) ou “cofre” (2Reis 12.9,10). Deus instruiu
mantido a “verdade”, com a exclusão de todas os israelitas a construí-la (Êxodo 25.10-22). A
as outras. arca original, construída por Bezaleel, tinha em
De maneira similar, os testemunhas de Jeova torno de 70 cm de altura e de largura e 1 m de
alegam que qualquer membro que defenda uma comprimento. Era feita de madeira de acácia
26 ARCEBISPO

recoberta de ouro. Nunca era colocada dentro ARCO-ÍRIS (movimento Nova Era). O arco-
do próprio tabernáculo, quando os israelitas íris, ou o espectro das cores que sofrem refração
acampavam, mas era depositada numa tenda através de um prisma ou cristal, demonstra a pro-
separada, feita exclusivamente para esse fim. gressão evolucionária da vida através dos períodos
Havia duas argolas de cada lado da arca históricos. Também tem um significado simbólico
para seu transporte. Sua tampa era chamada de para cada indivíduo e seu progresso pessoal.
propiciatório ou “lugar da misericórdia”. Ela era
transportada pelos levitas da família dos “coati- ARCON. Divindade que governa o mundo,
tas” (Números 7.9; 10.21). Quando o povo estava criado por um deus subordinado (demiurgo),
em trânsito, era embalada no véu do tabernáculo que também estabeleceu os mundos para os
após ser desmontado (Números 4.5,20). Ela mu- quais os arcons eram designados. Devido ao fato
dou de lugar com certa frequência, especialmente de a matéria ser considerada má na cosmologia
no período antes do reinado de Davi. Por fim, foi gnóstica, os arcons também eram vistos como
colocada em definitivo no templo construído maus. As almas dos que morriam ascendiam
por Salomão. para a esfera da luz, mas, antes de chegar lá, pre-
Existem várias teorias plausíveis sobre o que cisavam passar pelos arcons, que não permitiam
aconteceu com a arca após ser colocada no tem- a continuação da viagem até que encantamentos
plo. Uma delas afirma que foi capturada e destruí- mágicos e senhas fossem apresentados. Os que
da por Nabucodonosor (2Esdras 10.22). Durante dominavam o conhecimento secreto, enquanto
a reconstrução do templo (Esdras 3—6), não há estavam vivos, seriam capazes de passar pelos
menção que ela foi encontrada ou restaurada. arcons e subir diretamente para o reino da luz.
Alguns especialistas e arqueólogos modernos Veja também gnosticismo.
especulam que a arca esteja enterrada no túmulo
de Salomão, na parte velha de Jerusalém. ARHAT (budismo). Quem alcançou o nirvana.

ARCEBISPO (Igreja Internacional da Sabedoria ARIANISMO (cristianismo). Ensino que o


Eterna). Clérigo que assiste o arcebispo primaz. cristianismo considerou herético. Chamado assim
por causa de Ário (250-336 d.C.), seu fundador. O
ARCEBISPO PRIMAZ (Igreja Internacional da arianismo é, em essência, a negação da eternida-
Sabedoria Eterna). Posição mais elevada na IISE. de de Jesus. O cristianimo ensina que o Filho de
O nome para esse cargo foi emprestado da Igreja Deus é coeterno com o Pai. Ário sustentava que
Espiritualista Universal. beth hand, fundadora da Cristo era “unigênito”, ou seja, criado a partir do
seita, foi sua primeira arcebispa primaz. nada. Atanásio (296-373) opôs-se veementemen-
te ao arianismo, condenado no Concílio de Niceia
ARCO ASCENDENTE (ocultismo; teosofia). (325 d.C.), que utilizou o termo homoousios para
Prega o progresso em direção da melhoria descrever a consubstanciabilidade do Filho com
espiritual e da existência mística. Na teosofia, o Pai. Ário foi banido, mas seus ensinos sobrevi-
esse movimento é conhecido como “corrente da veram. Eusébio, o primeiro historiador da Igreja,
vida”. O oposto é o arco descendente. era ariano. Essa doutrina também se tornou
predominante nas tribos teutônicas do norte
ARCO DESCENDENTE (teosofia). Esquema do Império Romano, evangelizadas por Ulfilas
ontológico dentro da cosmovisão teosófica que (311-383). O arianismo sobrevive atualmente
apresenta os seres espirituais que gradualmente como uma cristologia, com representação em
perdem sua composição à medida que se apro- numerosos grupos.
ximam do mundo físico. Por outro lado, quanto
mais distante da esfera física, mais espiritual em ARICA (Instituto Arica). História. Mistura
essência (v. arco ascendente). curio­sa de religiões orientais com psicoterapia.
ARICA 27

Arica foi inventada e desenvolvida por oscar quís­simos elementos que lembrem o cristianismo
ichazo e tem esse nome derivado da cidade do no Instituto Arica. Como um dos muitos grupos
mesmo nome, no Chile. de terapia de autoajuda que constituem a Nova
Em 1971, Ichazo chegou aos Estados Unidos e Era, a suposição básica dessa doutrina é que a
fundou o Instituto Arica, na cidade de Nova York. divindade reside dentro de cada indivíduo. O
Desde então, o instituto cresce assustadoramen- desafio do especialista treinado é “despertar”
te, com centros em São Francisco e Los Angeles. essa deidade. Isso é feito por uma taxa (995
Ensinos. O estudante do Instituto Arica dólares, em 1981) e o treinamento dura mais ou
aprende a focalizar a mente e, por meio de menos três meses nos estágios iniciais, seguidos
treinamento, é capaz de “despertá-la”. Ichazo dos seminários “caminho aberto”.
argumenta que somente o subconsciente possui Ichazo argumenta que o Instituto Arica
o conhecimento da salvação. A pessoa precisa não é uma religião e ele próprio não é um guru.
extrair esse vasto tesouro que está lá no fundo “Quando você é maduro”, diz ele, “não precisa
para chegar à “essência”, pois esta e o ego estão de um papa, mas de um amigo, que o aconse-
em polos diametralmente opostos na psique lhará de boa vontade. Você pode seguir ou não
humana. No início, o conflito que as pessoas o conselho” (“O mesmo velho yen para o zen”,
encontraram no mundo levou a um afastamento Newsweek, 9/11/1981, p. 20). Um dos objetivos
da essência pura. Como resultado, as pessoas básicos da terapia é liberar o indivíduo da culpa e
cairam no ego. de outras moléstias. Os métodos usados para esse
Cada indivíduo nasce da essência pura, mas propósito lembram muito os aspectos da religião
logo experimenta uma dissonância nas deman- oriental. “O nome místico do ser radiante”, laten-
das sociais para a conformidade. Isso começa te dentro de cada pessoa, é Toham Kum Rah. O
entre os quatro e seis anos de idade. O conflito aluno aprende técnicas de respiração, mantras e
que as pessoas experimentam resulta no surgi- encantamentos, tudo com o objetivo de alcançar
mento do aspecto ego da mente, que é o problema o 24 Permanente, o estado de total consciência e
fundamental de um “ser” que vive num mundo iluminação pessoal.
habitado por milhões de outros egos. Não há algum conceito no Instituto Arica
No Instituto Arica, o aluno é ensinado a pen- da moléstia humana ter alguma relação com o
sar com todas as partes do corpo. Os diferentes pecado e a rebelião deliberada contra Deus, como
órgãos corporais são designados para diversos acontece no cristianismo. Portanto, não existe
planos, chamados “mentalizações”, num total também algum conceito de expiação de pecado.
de doze. Em adição, três centros muito especia- No entanto, a Bíblia ensina que “todos pecaram e
lizados formam o indivíduo: path, oth e kath. O destituídos estão da glória de Deus, e são justifica-
último é o mais importante, pois está no controle, dos gratuitamente pela sua graça, pela redenção
ou pelo menos a pessoa deve aprender a colocá-lo que há em Cristo Jesus” (Romanos 3.23,24).
nessa condição. A ideia é aprender a transferir No Instituto Arica não há nenhum conceito
energias mentais e consciência da mente (Path) de igreja, sacramentos, credos ou qualquer outro
para o centro do corpo (Kath). aspecto do cristianismo. Ichazo argumenta que
Assim como o objetivo da dianética é clarear a pessoa pode abraçar os princípios de qualquer
o indivíduo de todos os conflitos subconscien­tes, religião e ainda utilizar suas técnicas. Isso, porém,
o alvo do Instituto Arica é expor e destruir o ego não parece possível. O cristianismo apresenta uma
e levar a pessoa a um estado que Ichazo chama visão do mundo, da vida, de Deus e da humani-
de 24 permanente. dade diametralmente oposta à do Instituto Arica,
Esse ensino é considerado uma filosofia que pressupõe uma filosofia existencial na qual o
com­posta por um potpourri de várias práticas e indivíduo vê a si mesmo como o centro da exis-
religiões orientais, como ioga, zen, budismo, artes tência, enquanto o cristão considera Deus o centro
marciais, confuncionismo e i ching. Existem pou­ da vida, tanto no presente como na eternidade.
28 ÁRIES

A perspectiva do cristão é aquela onde a vida dogmas do calvinismo. Seus seguidores foram
presente é um prelúdio do céu. O 24 Permanente, chamados de remonstrantes; atualmente são
o equivalente do Instituto Arica ao céu, é um esta- muito numerosos. O arminianismo invadiu a
do de existência que ninguém alcança nessa vida, Igreja inglesa e foi adotado por John Wesley e
ou pelo menos ninguém conseguiu até agora. O pelo metodismo. A teologia arminiana tornou-se
24 Permanente não é um estado muito diferente amplamente aceita por muitos grupos funda-
do nirvana, no pensamento oriental. mentalistas e Holiness e esteve relacionada aos
reavivamentos nos Estados Unidos (v. grande
ÁRIES (astrologia). Vocábulo latino para “car- despertamento — o segundo).
neiro”. Primeiro signo do zodíaco, que abrange o
período de 21 de março a 20 de abril. De acordo ARMSTRONG, GARNER TED (1930- ). Filho
com a mitologia grega, Frixus sacrificou o carnei- de herbert armstrong. Ted estabeleceu a Igreja
ro do velocino de ouro a Zeus, o principal deus de Deus Internacional depois de ter sido exco-
grego, que colocou o animal sacrificado no céu, mungado por seu pai devido a uma divergência
onde se tornou uma constelação. A pessoa desse doutrinária.
signo é descrita como agressiva, egocêntrica,
incisiva, intratável, leal, ambiciosa e atuante. ARMSTRONG, HERBERT W. (1892-1986).
Fundador da igreja mundial de deus. Armstrong foi
ARIJJA (budismo). Ignorância; falta de conhe- ordenado em junho de 1931, depois de muita luta
cimento. Para o budismo, a causa fundamental do com as Escrituras e sua consciência. Ele concluiu,
mal é essa privação de conhecimento. sob influências das convicções de sua esposa,
que “a obediência às leis espirituais de Deus,
ARISTHA (hinduísmo). Sinais que o praticante resumidas nos Dez Mandamentos, é necessária
de ioga usa para marcar o tempo da própria para a salvação”. Armstrong fundou também
morte. a Universidade Embaixador e transmitia um
programa de televisão muito popular chamado
ARJUNA (hinduísmo). Filho de Pandu, Arjuna “O Mundo Amanhã”.
aparece junto com krishna para batalhar contra
seus oponentes. Ele vê muitos de seus familiares ARMSTRONGUISMO. Também conhecido
entre as hostes inimigas e recusa-se a batalhar. como igreja mundial de deus. História. haile
Então entra em diálogo com Krishna, que no selassie nasceu em 1892. Um dia ele foi saudado
final o convence de que deve realmente lutar. como o poderoso imperador da África negra, por
A conversa entre ambos é registrada no que os Marcus Garvey e os rastafáris. Esse ano marcou
hindus consideram como um de seus clássicos também o nascimento de outro importante líder
mais valiosos, o bhagavad gita (Canção Sagrada). religioso, herbert w. armstrong (1892-1986), em
Des Moines, Iowa, procedente de uma família
ARMAGEDOM (Testemunhas de Jeová). A de quacres.
futura guerra travada por todos os inimigos de Armstrong, quando jovem, foi agente publi-
Jeová na terra contra seus exércitos celestiais in- citário e escreveu artigos para um jornal de Des
visíveis. Como resultado, haverá a destruição de Moines durante três anos. Em 1920 seu negócio
todos os seres humanos, exceto dos fiéis de Jeová. faliu, e em 1924 ele se mudou para o estado do
Oregon, onde mais dois empreendimentos seus
ARMINIANISMO (cristianismo). Doutrina também faliram.
formulada pelo teólogo holandês Jacó Armínio O treinamento religioso que Armstrong rece-
(1560-1609) para se opor à doutrina calvinista beu em seus anos de formação não lhe ensinou
da predestinação e da eleição. Armínio também a religião como uma forma de vida, mas apenas
negava a “graça irresistível” e vários outros um sistema de crenças, como ele lembrou mais
ARMSTRONGUISMO 29

tarde. Em 1927, na cidade de Salem, no Oregon, escrito sobre as doutrinas do armstronguismo.


ele se converteu a um novo conjunto de crenças Também são oferecidas muitas literaturas gratui-
e convicções, adquiridos através da influência tas para os interessados. Muitas vezes, a revista A
de sua esposa. Ela insistia que para ser salvo o Pura Verdade é encontrada nas vitrines de lojas,
indivíduo devia obedecer às leis de Deus da ma- restaurantes e de outros estabelecimentos, o que
neira que se encontram nos Dez Mandamentos e é permitido devido à natureza não religiosa e
no restante da bíblia. Na época, Armstrong tinha sectária da maioria dos artigos apresentados em
35 anos de idade e submeteu-se ao batismo nas suas páginas.
águas, na cidade de Salem. Esse fato foi o início O filho de Armstrong, garner ted armstrong
para ele e para a Igreja Mundial de Deus (IMD), (1930-), assumiu em 1957 a responsabilidade
com crescimento e influência notáveis. pelos programas de rádio do pai. Desde então, os
Em 1934, Armstrong iniciou a transmissão eventos se sucederam rapidamente. Em 1960, foi
de um programa de rádio chamado “A Igreja de aberto o segundo Ambassador College em Bricket
Deus do Rádio”, na cidade de Eugene, Oregon. Wood, Inglaterra, e, em 1964, um terceiro foi
Naquele mesmo ano, começou a circular a revista fundado em Big Sandy, no Texas. Entretanto, o
Plain Truth [A pura verdade], com uma modesta campus de Bricket Wood fechou em 1976.
tiragem de 106 exemplares [o Brasil recebia essa O ano de 1972 marcou um momento crucial
revista em espanhol, com o nome La Pura Ver- para o armstronguismo. Foi o fim de um segundo
dad]. O alcance do programa de rádio The World ciclo de dezenove anos (o primeiro terminou
Tomorrow [O mundo amanhã] e da revista não em 1953, quando o armstronguismo começou a
era superado por qualquer outro grupo religioso transmitir programas de rádio para todo o mun-
nos Estados Unidos. do). Herbert Armstrong profetizara que aquele
Em 1947, foi fundado o Ambassador College, seria o ano em que a única igreja verdadeira,
na cidade de Pasadena, na Califórnia. O auditório ou seja, o armstronguismo, seria arrebatada e
construído custou 11 milhões de dólares. Fotos removida para Petra. Isso não ocorreu. O que
do campus sempre ilustram as páginas da revista aconteceu, entretanto, foi a remoção de Garner
Plain Truth e da segunda revista publicada pelo Ted da transmissão dos programas de rádio por
movimento The World Tomorrow [O mundo quatro meses. Sem revelar a natureza exata de seu
amanhã]. erro, o armstronguismo declarou que ele estava
Outro passo gigante foi dado em 1953, “nas garras de Satanás”. No ano seguinte, porém,
quando Armstrong começou a transmitir um a verdade surgiu. Garner Ted foi acusado de en-
programa de rádio na Europa, através da Rádio volvimento num escândalo sexual, testemunhado
Luxemburgo, que tornou o armstronguismo e por seis ministros do movimento. O resultado
seus fundadores populares em todo o mundo. foi um afastamento em massa de mais de cinco
Frequentemente, Armstrong era mostrado em mil membros nos anos seguintes. Em seguida,
fotos nas revistas em conferências com chefes Garner Ted foi excomungado pelo pai. É interes-
de Estado de vários países. sante notar que a ação não foi tomada devido às
O que há em Armstrong ou no armstronguis- acusações sexuais, mas pelo que Herbert chamou
mo que ofereça um apelo tão forte, em tão grande de tendências “liberais” e “modernistas” do filho.
escala? O segredo era, e ainda existe, os elevados Garner Ted reagiu e abriu a Igreja Internacional de
padrões estabelecidos pelas revistas e pelos pro- Deus (IID), na cidade de Tyler, no Texas, naquele
gramas de rádio, onde ambos frequentemente mesmo ano. A IID cresceu rapidamente, enquanto
funcionam como veículos de relações públicas. mais pessoas abandonaram o armstronguismo.
Artigos nas revistas muitas vezes são dedicados Até mesmo líderes do alto escalão pediram de-
para a melhoria da cultura, da sociedade e do missão de seus cargos.
meio ambiente, e para a elevação dos padrões Em 1977, com 85 anos, Herbert Armstrong
básicos da ética e da moralidade. Pouco é dito ou casou-se pela segunda vez com a divorciada
30 ARMSTRONGUISMO

Ramona Martin, de 39 anos. Ele voltou a apre- diminuíram. A distribuição de literatura do


sentar os programas de rádio. Suas frequentes armstronguismo cresceu de forma surpreen-
aparições na TV eram dedicadas ao ensino das dente. Cerca de 8,2 milhões de cópias da revista
doutrinas do armstronguismo. A Pura Verdade foram distribuídas em 1985.
Em 1979, o estado da Califórnia abriu pro- Os programas de rádio foram reduzidos; os de
cesso e acusou Herbert e Stanley Rader, seu televisão foram transmitidos para o mundo todo
conselheiro financeiro. Foi feita uma investiga- e aumentaram de forma significativa. A despeito
ção dedicada para averiguar se os dois líderes dos problemas, bem visíveis para qualquer um
desviaram milhões de dólares de fundos da que acompanhasse a vida cotidiana do arms-
seita para uso pessoal. O movimento cresceu em tronguismo, Herbert sempre aparecia, tanto no
número, mas as entradas financeiras caíram. A rádio como na televisão, até sua morte, em 1986.1
Igreja Internacional de Deus, liderada por Garner Desde a morte de Armstrong, foram feitas
Ted, expandiu-se rapidamente e aproximou da mudanças importantes no armstronguismo.
marca de um milhão de dólares de arrecadação Seu sucessor na liderança, Joseph W. Tkach,
anual. Enquanto o tempo do programa de rádio iniciou rapidamente uma série de modificações
de Herbert diminuía, o de Garner aumentava de natureza doutrinária, aproximando mais o
significativamente. O armstronguismo tinha armstronguismo do cristianismo ortodoxo. (V. a
133 programações mensais em 1979 (em 1972 seção “Conclusão”).
eram 457), enquanto Garner Ted já estava em Numerosos panfletos que contêm as prin-
40 estações de rádio e televisão. cipais posições doutrinárias do movimento são
A investigação terminou no ano seguinte. publicados pela editora do Ambassador College.
Em 1981, Stanley Rader recebeu 750 mil dólares, Além disso, a revista é a principal voz da igreja,
dos quais dois terços foram usados para pagar distribuída gratuitamente sob encomenda.
impostos, e depois foi afastado do cargo. Desde Apresentamos a seguir os ensinos do
então, houve um declínio constante e uma se- armstron­guismo e das principais doutrinas
quência de eventos sórdidos para Herbert, que defendidas durante a era Armstrong. Algumas
completou 89 anos em 31 de julho de 1981. considerações serão feitas na conclusão sobre a
Rader e a esposa de Armstrong, Ramona, nova era Tkach.
su­pos­tamente conspiraram para afastá-lo, ao Ensinos. A primeira esposa de Armstrong
declará-lo mentalmente incapaz. Ele, por sua era membro da igreja adventista do sétimo dia e
vez, anunciou seus planos para se divorciar. Além também de um grupo dissidente, que se formou
disso, o advogado Jack Kessler, ex-membro do como ramificação do Adventismo do Sétimo Dia
armstronguismo, declarou publicamente que — a Igreja de Deus (Sétimo Dia). Muito da teolo-
Herbert era corrupto financeiramente e des- gia e das práticas do armstronguismo deriva-se
qualificado moralmente, pois mantivera uma do pensamento adventista, que desempenhou
relação incestuosa com a própria filha por mais um importante papel nos primeiros anos de
de dez anos. formação de Herbert Armstrong.
Devido a estratégias de marketing, entretanto, As doutrinas da Igreja Mundial de Deus estão
a situação começou a mudar entre pai e filho. Em relacionadas a seguir:
1982, o número de membros do armstronguismo Deus. Armstrong ensinava uma doutrina
começou a crescer novamente, e chegou a bem de Deus muito próxima da teologia mórmon.
mais de 70 mil pessoas. As entradas financeiras Ele rejeitava a doutrina cristã da trindade, com
aumentaram substancialmente, a despeito das base na afirmação de que o Espírito Santo não
várias denúncias feitas pela mídia nos dois anos é uma terceira pessoa. Deus não pode ser limi-
anteriores. Por outro lado, a igreja de Garner Ted tado em número. Deus não é um, dois, três, ou
começou a perder membros. Ao mesmo tempo, qualquer quantia em particular. “ [...] Deus, na
seus programas de rádio e televisão também realidade, está recriando sua própria espécie —
ARMSTRONGUISMO 31

reproduzindo-se conforme sua própria espécie para os nossos dias, Herbert W. Armstrong:
[...]”.2 Como isso ocorre? Mediante um processo “[...] nenhum outro trabalho na Terra proclama
dentro da raça humana entre todos os crentes. esse verdadeiro evangelho de Cristo ao mundo
Quando alguém se dedica à oração, estudo as como Jesus predisse em Mateus 24.14 e Marcos
Escrituras e obedece às leis de Deus, chega mais 13.10! Essa é a atividade mais importante sobre
perto do Criador. “Você realmente entende isso? a humanidade hoje!” 4
O propósito de alguém estar vivo é que finalmente Jesus Cristo. O armstronguismo ensina
nasce no reino de Deus, o qual é a FAMÍLIA que Jesus realmente nasceu de uma virgem.
divina de Deus”. 3 Em última análise, Armstrong Entretanto, quando foi crucificado, o corpo que
realmente não fazia distinção entre Deus e a hu- morreu na cruz e foi sepultado transformou-se
manidade. A busca do crente é a transformação em outro na ressurreição. Somente Cristo al-
na divindade (v. adiante mais informações sobre cançou a salvação. Sua missão era demonstrar
a humanidade). que a lei podia ser obedecida. Somente ele fez
O cristianismo sempre sustentou uma distin- isso de forma perfeita, a fim de mostrar, assim,
ção entre Deus e o ser humano, entre o Criador e o que podia ser feito. Ao morrer na cruz, Jesus
a criatura. O crente torna-se filho de Deus quando reconciliou a raça humana com um Deus santo
exerce a fé. A “comunhão dos santos” (credo e justo. O Espírito Santo (v. adiante) desce sobre
apostólico, Apêndice 1) é uma comunidade na o crente e implanta o caráter e a vida de Cristo
qual participam todos os crentes sobre a Terra; dentro do coração humano. Assim, o indivíduo
quando ocorre a morte, o crente é levado à pre- torna-se capaz de obedecer às leis de Deus, a fim
sença do Senhor, não como Deus, mas como um de chegar mais perto da divindade.
dos filhos de Deus (João 1.12). Armstrong fazia distinção entre o termo
O armstronguismo nega a doutrina cristã “revivido” e a expressão “tornado vivo”, quando
tradicional da Trindade. Como acontece no falava sobre a ressurreição de Cristo.
cristadelfianismo, nas testemunhas de jeová e em Foi o próprio Cristo que morreu. Ele reviveu.
tantos outros grupos, a negação da Trindade Em nenhum lugar a Bíblia diz que ele estava
torna-se parte vital do ensino do armstronguis- vivo e ativo, ou que Deus o restituiu a um corpo
mo. Entretanto, diferentemente de outros grupos humano, que morrera e depois ressuscitara [...]
que negam a Trindade, porque acreditam que Jesus estava morto — mas reviveu! 5
Deus seja um em essência e em pessoa, o arms- A cristologia de Armstrong não era completa-
tronguismo nega a Trindade pela razão oposta mente diferente da do monofisismo, que ensinava
— “O cristianismo limita Deus a ‘três pessoas’”. que Jesus tinha apenas uma natureza — a divi-
A Igreja cristã crê, confessa e ensina a dou- na. Ele argumentava que depois de sua morte,
trina da Trindade como se encontra no credo Cristo não reassumiu sua natureza humana,
atanasiano: “A fé católica é esta, que adoramos pois ele era completa e exclusivamente espiritual.
um Deus em três pessoas e três pessoas em um Essa crença entra em conflito com o cristianis-
Deus [...]” (Apêndice 1). mo, que, no Concílio de Calcedônia (451 d.C.),
Armstrong afirmava que a doutrina da Trin- sustentou, de acordo com as Escrituras, que Jesus
dade era pagã. Em sua hostilidade contra a or- possuía duas naturezas unidas em uma pessoa,
todoxia cristã, acreditava que somente ele estava de tal maneira que eram “inconfundíveis, imu-
certo, por ser o verdadeiro profeta de Deus. Como táveis, inseparáveis e indivisíveis”. Em outras
joseph smith, charles taze russell e vários outros palavras, jamais houve um momento em que as
líderes, ele acreditava estar na vanguarda da duas naturezas de Cristo, a divina e a humana,
nova revelação de Deus. Tudo o que viera antes não estivessem unidas. Esse fenômeno chama-se
era falso e corrompido. Estar alinhado com Deus de união hipostática ou communicatio idiomati-
era encontrar-se de acordo com a Igreja Mundial cum (a comunicação dos atributos), e significa
de Deus e o seu fundador e apóstolo escolhido que as duas naturezas de Jesus, em virtude da
32 ARMSTRONGUISMO

encarnação , compartilham as propriedades humanidade, criada à sua própria imagem. A


uma da outra. Portanto, quando Cristo, em João busca do homem, portanto, é superar sua aliena-
2.19-21, falou sobre o templo, para se referir a si ção de Deus, causada pelo pecado, e entrar num
mesmo por meio de uma metáfora, referia-se a processo que levará o indivíduo, no momento
seu corpo físico, que ressuscitaria, em comunhão da morte, ao reino de Deus. Nesse ponto, então,
com sua natureza divina. Em João 20.27, quando o crente nasce de novo. “Ao nascer de novo, a
Jesus permitiu que Tomé tocasse nas marcas dos humanidade não está simplesmente restaurada
pregos em suas mãos, ele mostrou as feridas em à perfeição de Adão. Pelo contrário, o nascido de
um corpo ressurreto e físico, embora incorrup- novo será infinitamente superior a Adão, antes
tível e imortal. de ele ter pecado”. 8
Espírito Santo. Se o ensino de Armstrong Novo nascimento. No entendimento cristão,
sobre a doutrina de Deus lembra muito o mor­ de acordo com João 3.3, esse conceito é um ato
monismo, sua teologia do Espírito Santo tem imputado, em que a justiça de Cristo é dada ao
seme­lhanças com o ensinamento dos testemu- crente. No momento do arrependimento, da
nhas de Jeova. “O Espírito Santo funciona como fé, do batismo ou da graça (a Bíblia utiliza uma
uma força divina”. Insistir, como fazem “os fal- variedade de termos para descrever a conversão),
sos teólogos e a Alta Crítica”, que o Espírito Santo o crente torna-se “nascido de novo”. Armstrong,
é uma pessoa, é limitar Deus, ou seja, é negar porém, acreditava, ensinava e escreveu que o in-
todo o processo da salvação. “Esta heresia nega divíduo somente nasce de novo na ressurreição.
a verdadeira experiência do novo nascimento!” 6 Daí, ninguém pode ser salvo durante esta vida
Novamente, a teologia do armstronguismo terrena. O homem precisa esperar o céu para
contrasta com a cristandade histórica. O credo alcançar a salvação. O crente não pode nascer
niceno, numa tentativa de reconhecer a posição de novo na terra — e isso de fato não ocorre.
bíblica sobre a questão, afirma: “Creio no Espírito A experiência terrena do crente consiste em ser
Santo, o Senhor e doador da vida, que procede impregnado pelo Espírito Santo num processo
do Pai e do Filho, que, juntamente com o Pai e o conhecido como “geração”. Na ressurreição, o
Filho, é adorado e glorificado [...]”. crente é levantado dentre os mortos e, naquele
O afastamento de Armstrong da ortodoxia, momento, nasce de novo.
com relação ao Espírito Santo, parece ser um Essa ideia é única. Trata-se de um ensina-
sintoma de sua oposição à Trindade. mento que nunca foi adotado pela Igreja. Ar-
Humanidade. “Formou o Senhor Deus o mstrong explora muito o termo grego gennao,
homem do pó da terra, e soprou-lhe nas nari- traduzido na Bíblia por “gerar”, particularmente
nas o fôlego da vida, e o homem tornou-se alma nas versões clássicas. Ele argumenta que gennao
vivente” (Gênesis 2.7). Armstrong declara: “O é a única palavra usada no Novo Testamento e
homem não possui simplesmente uma alma; significa “gerar” e não “conceber”, ou nascer.
ele é uma alma. Por causa do pecado (Romanos Existem, porém, outros vocábulos que, no grego,
6.23), a pessoa morre. Portanto, a alma não é são sinônimos de gennao. Apokueo, anagennao e
imortal. Quando uma pessoa morre, deixa de tikto são usados intercaladamente com gennao e
existir. Os verdadeiros filhos de Deus, no entanto, são traduzidos variadamente como “conceber”,
ressuscitarão. Os ímpios permanecerão mortos. “brotar”, “liberar” etc. Armstrong não era espe-
Ressuscitar e possuir uma alma imortal não cialista em grego, mas deveria ter sido para fazer
quer dizer a mesma coisa”.7 Armstrong argu- uma afirmação tão ousada.
menta que o conceito de uma alma imortal está Salvação. Como já observamos, para Arms-
historicamente arraigado em filosofias pagãs, trong, a salvação era um processo. O armstron-
principalmente de Platão. guismo ensina que foi Cristo quem morreu pelos
Como já foi mencionado (v. Deus), Deus está pecados do mundo, mas crer apenas em Jesus
sempre se “recriando”. Ele faz isso através da não é suficiente para capacitar alguém a tornar-
ARMSTRONGUISMO 33

se parte do processo. A pessoa deve também seja, quando o ímpio morre permanece morto
obedecer aos mandamentos e às ordenanças da eternamente. O ensinamento de que o inferno
lei. Portanto, os cristãos precisam ter o mesmo é um lugar onde o pecador é atormentado para
compromisso com a lei que os judeus possuíam. sempre é um mito que surgiu de várias ideias
Jesus guardou toda a lei para mostrar à huma­ pagãs e superstições. O justo ressuscita para
nidade que ela também podia preservá-la. Isso a vida eterna, enquanto o ímpio destina-se à
inclui a guarda do sábado, as leis alimentares, as morte eterna. A doutrina concernente ao inferno
festas, a lua nova e os dias sagrados. Somente os é desenvolvida em um pequeno panfleto bem
que obedecem às leis da vontade de Deus alcan- elaborado, intitulado Is There a Real Hell Fire?
çarão a salvação. [Existe realmente um inferno de fogo?].9
O cristianismo aparta-se do armstronguismo O aniquilacionismo nunca foi ensinado
com relação à doutrina da salvação por vários pela Igreja em nenhuma época ou em qualquer
motivos. Todos os credos cristãos, principalmen- denominação cristã. “Creio [...] na ressurreição
te o Apostólico e o Niceno, afirmam os principais do corpo e na vida eterna” (credo apostólico). Por
artigos da fé de maneira simples e enfática. O meio dessa afirmação, o cristianismo entende
segundo artigo de ambos trata de Jesus Cristo, o que a Bíblia ensina sobre a humanidade, que
seu nascimento, sua concepção, vida, morte, ressuscitará para enfrentar o Juízo Final. Ou
ressurreição e segunda vinda. Esse artigo é a como afirma o credo atanasiano: “Os que fizeram
essência da Igreja e representa a pressuposição o bem, irão para a vida eterna; e os que fizeram
para a existência dela. O terceiro artigo sim- o mal, para o fogo eterno”.
plesmente afirma: “Creio [...] no perdão dos Armstrong argumenta que o ímpio cessa de
pecados” (Apostólico) e “Reconheço o batismo existir assim que for lançado no lago de fogo,
para a remissão dos pecados” (Niceno). O perdão enquanto o cristianismo ensina que o tormento
resultante do arrependimento é concedido ao do ímpio nunca terá fim.
crente nesta vida e não no final de um “proces- Anglo-israelismo. A crença de que os anglo-
so”. Quando um indivíduo é batizado, a salvação saxões são descendentes diretos das dez tribos
torna-se tanto uma realidade no presente como supostamente perdidas de Israel não é original
um objetivo futuro alcançado, quando o crente de Armstrong. John Sadler foi o pioneiro nesse
morre e é levado à presença de Deus no céu. Em conceito em 1649. Posteriormente, esse pensa-
outras palavras, a salvação culmina nas moradas mento foi desenvolvido por Richard Brothers
celestiais, mas é alcançada aqui na terra. (1757-1824). Armstrong aderiu a essa doutrina
O armstronguismo afasta-se do cristianismo e levou-a a extremos muito além do que seus
quando afirma que a fé em Cristo não é suficiente fundadores imaginaram ou tencionaram. A no-
para a salvação. A Lei (que para o armstronguis- ção em si foi totalmente refutada por renomados
mo quer dizer a Torá e a lei cerimonial do Antigo teólogos. Mesmo assim, por meio de uma série
Testamento) deve ser obedecida apropriadamen- de exercícios semânticos, Armstrong insistia que
te, para que a salvação se efetue. Novamente, o o anglo-israelismo era verdadeiro.
contraste entre o armstronguismo e a cristandade Ele argumentava que, em virtude de Israel
torna-se bem aparente. Como foi mencionado, a ser o povo escolhido de Deus, com quem fize-
pressuposição para a existência da Igreja é Cristo. ra sua aliança, o termo hebraico para aliança
O segundo artigo dos credos Apostólico e Niceno (berith) torna-se significativo na língua inglesa,
tratam de Jesus, sua pessoa e obra. Nenhuma quando combinado com o vocábulo hebraico
menção é feita às leis e ordenanças que devem para homem (iysh ou ish). Desde que as vogais
ser guardadas em adição à fé em Cristo. não aparecem na grafia original das palavras
Inferno. De acordo com o pensamento do hebraicas, o “e” é tirado do termo berith, a fim
armstronguismo, não existe inferno. O movi- de que surja o vocábulo brith. Além disso, os
mento ensina a doutrina do aniquilacionismo, ou israelitas não pronunciavam o “h”, de forma que
34 ARMSTRONGUISMO

o brith original torna-se brit. Combinada com centralidade da fé são considerados heréticos e
ish, devido à aliança de Deus com o homem, a cismáticos; portanto, não fazem parte da verda-
expressão hebraica berith–ish torna-se o termo deira Igreja. Devido à sua negação das doutrinas
inglês brit–ish, ou british (britânico). Armstrong mencionadas, o armstronguismo não faz parte
foi igualmente criativo na etimologia da palavra do cristianismo, nem deseja conscientemente
saxão, do termo anglo-saxão. Deus prometeu ser. Quando insiste em que somente ela é a igreja
abençoar a semente de “Isaque” (Gênesis 21.12). verdadeira, o armstronguismo rompe com todas
Assim, quando tiramos o “I”, surge o termo as outras denominações cristãs, desprezando-as
saque. Forma-se, então, em inglês, Saac’s sons como se fossem apóstatas.
(filhos de Isaque), ou seja, os saxões, com quem Final dos tempos. Armstrong predisse que
Deus estabeleceu sua aliança. a batalha do Armagedom ocorreria em 1975, e o
Além disso, Armstrong insistia em que o armstronguismo seria arrebatado e levado para
trono inglês representa a extensão moderna do de Petra, uma cidade murada no sul da Jordânia.
Davi, e argumenta que a Pedra de Scone, sobre a Ele também declarou que isso aconteceria em
qual a rainha Elizabeth II foi coroada, foi a mesma várias datas — 1936, 1943, 1972 e 1975. Como o
que Jacó usou como travesseiro. Posteriormente, arrebatamento não ocorreu em 1975, Armstrong
ela foi transportada pelo profeta Jeremias para as abandonou essa doutrina, ou pelo menos tornou-
ilhas britânicas. Geólogos, porém, investigaram a se reticente em tentar estabelecer uma nova data
pedra e concluíram que é calcária, do tipo aver- no futuro. Ele também afirmava que havia três
melhada, muito comum na Escócia. ressurreições dos mortos: 1) A verdadeira igreja
Embora sejam interessantes para a imagi- e os seus santos, já falecidos, voltarão com H. W.
nação, essas ideias não estão de acordo com os Armstrong ao “Mundo Amanhã”. Isso ocorrerá no
especialistas. Semelhantemente, uma variedade futuro milênio. 2) A “ressurreição dos ignorantes”
de anglo-israelismos têm sido adotadas pelo ocontecerá depois do milênio. Nesse tempo, os
mormonismo e os movimentos de identidade. santos iluminados ensinarão aos ignorantes
Igreja. “Existe uma única igreja verdadeira. os caminhos de Deus. Se eles recusarem essa
Todas as outras são falsificações produzidas segunda chance, o que alguns realmente farão,
por Satanás, principalmente a católica romana, então haverá a 3) “ressurreição dos pecadores”
a Grande Meretriz da Babilônia”. A verdadeira para o Juízo Final, depois do qual serão lançados
deve ter o nome “Igreja de Deus”. Evidentemen- no lago de fogo. Ali, eles perecerão e a memória
te, essa é o armstronguismo. Armstrong era o deles será apagada.
único profeta de Deus, para quem a revelação e A cristandade não conhecia tal sistema nos
a verdade foram dadas continuamente. primeiros séculos, embora seja verdade que na
O cristianismo insiste em que existe somente época dos apóstolos a Igreja tinha esperanças no
“uma santa Igreja católica e apostólica” (credo milênio. Apesar de viver na expectativa e aguardar
niceno ). Entretanto, algumas denominações o retorno de Cristo à terra a qualquer momento,
distinguem entre a visível e a invisível. A pri- não havia conceito algum de um plano escatológi-
meira é uma assembleia local de fiéis, reunidos co tão elaborado ou uma sequência de eventos que
para cultuar em um lugar e tempo específicos. aconteceriam antes, durante e depois da segunda
Nela, pode haver a presença dos que não são vinda de Cristo. Algumas comunidades primiti-
convertidos. A segunda é composta por todos vas, ao julgar que Jesus não retornaria tão breve
os cristãos, de todas as épocas, independen- como era esperado, tornaram-se mais aculturadas
temente da denominação. Somente os creram e abandonaram aquele espírito de iminência esca-
verdadeiramente fazem parte dela. O que torna tológica. Por volta do século IV, a Igreja, ainda no
uma denominação “ortodoxa” é a adoção ou não aguardo da volta de Jesus, era capaz de confessar:
dos dogmas dos muitos credos cristãos. Grupos “Ele voltará novamente com glória, para julgar os
que negam a Trindade, a divindade de Cristo e a vivos e os mortos” (credo niceno).
ARMSTRONGUISMO 35

Conclusão. Embora alguns grupos cristãos, a morte de seu fundador e as enormes dificulda-
como o armstronguismo, desde o século XIX até des financeiras, o armstronguismo continuou a
os nossos dias, insistam em elaborar mapas e pre- crescer em número, e, em 1989, já ultrapassava
ver a data do retorno de Cristo, isso nunca ocorreu a quantidade de 87 mil membros.
dentro da cristandade estabelecida. Juntamente Como foi dito, a nova era Tkach introduziu
com o credo niceno, o Apostólico confessa: “De outra aborbagem na liderança. Ele próprio afir-
onde ele voltará para julgar os vivos e os mortos”. mou que a teologia de Armstrong estava errada
Em 1988, Edgar Whisenant publicou um fo- em muitos aspectos. Novas declarações foram
lheto intitulado 88 Reasons Why the Rapture Will escritas e ainda são elaboradas, a fim de articular
Be in 1988 [88 Razões por que o arrebatamento as mudanças e revisões teológicas no armstron-
será em 1988]. Ele predisse que a batalha do guismo. De acordo com um dos porta-vozes da
Armagedom ocorreria em setembro ou outubro seita, Michael Snyder, a revisão doutrinária era
de 1988. A profecia fracassada colocou-o numa um projeto de curto prazo, no qual os principais
longa lista de falsos profetas. (Veja testemunhas de dogmas teológicos há muito abraçados pelo
jeová para obter um relato das profecias fracassa- grupo passariam por um profundo estudo. Uma
das de Charles Taze Russell; esse artigo também das mudanças é que a doutrina de Armstrong,
comenta sobre as falhas de William Miller de segundo a qual os homens um dia se tornarão
predizer o final dos tempos em 1843-1844). Deus (v. Deus) “foi oficialmente declarada ob-
Outro falso profeta, Martin C. Filipello, soleta”.12 Snyder também disse que a salvação é
também indicou o ano de 1988. Ele, como ex- somente através da fé em Cristo, em vez de ser
membro do armstronguismo, iniciou outra por intermédio das obras, muito ensinada pelo
seita, chamada Igreja de Deus da Era Filadélfia. armstronguismo.13
Ao acusar a liderança do armstronguismo de
corrupção e de estar presa a erros doutrinários,
Filipello declarou-se o “Elias enviado para pu-
rificar a Igreja de Deus”. Acreditava que ele e
H. W. Armstrong eram as “duas testemunhas”
mencionadas em Apocalipse 11 e Zacarias 4. Para
que essa profecia se cumprisse, ele anunciou
que em janeiro de 1988 Armstrong ressuscitaria
dentre os mortos.10 Até hoje, porém, os ossos do
fundador do armstronguismo permanecem no
descanso de seu túmulo. Alguns de seus segui-
dores mais leais ainda alimentam a esperança de
que Armstrong de fato ressuscitará.
A partir de 1991, o armstronguismo não mais
conseguiu suportar financeiramente a enorme
distribuição de literatura da época de Armstrong.
A circulação da revista A Pura Verdade baixou de
8,2 milhões de exemplares distribuídos no mun-
do todo em 1985, para 2,2 milhões. O número de
estações de rádio que transmitem o programa
The World Tomorrow foi reduzido de 350 para
113. Novas transmissões do programa e a publi-
cação da revista Good News foram suspensas.11
A despeito das profecias fracassadas, dos Herbert W. Armstrong, segurando um exemplar de sua revista.
problemas legais enfrentados na década de 1980, Cortesia de George Mather.
36 AROMATERAPIA

Em maio de 1990, os formandos do Am­ 13


Ibid.
bassador College, de Pasadena, terminaram o 14
Ibid., p. 6.
quarto e último ano de estudos; o armstronguis- 15
Informações extraídas do site www.graceci.org.
mo foi obrigado a colocar o campus à venda. Ou-
tro colégio, em Big Sandy, Texas, ainda funciona, AROMATERAPIA (medicina alternativa). Técni-
apesar das muitas dificuldades.14 ca que se utiliza da essência da planta, por meio de
A década de 1990 foi decisiva para o arms- óleos essenciais, com fins terapêuticos. Acredita-
tronguismo. As mudanças doutrinárias prome­ se que essa essência contém a energia vital da
tidas foram cumpridas sob a liderança de Joseph planta, que atua diretamente sobre a harmonia
Tkach. Uma nova era se instaurou na IMD. O das três esferas do corpo humano: mental, física e
recuo das doutrinas heterodoxas contribuiu para emocional (v. também veja florais de bach). (AM)
a igreja ser aceita na National Association of Evan-
gelicals [Associação Nacional de Evangélicos]. Por ARTE MAHIKARI. História. A palavra mahi-
último, em abril de 2009, o nome da denominação kari significa “luz divina” ou “luz verdadeira”.
foi mudado para Grace Communion Internatio- É um grupo de índole religioso-apocalíptico,
nal (Comunhão Internacional da Graça), que fundado no Japão em 1959, com o nome de Sukyo
conta com 42.000 membros espalhados em 900 Mahikari, por Yoshikazu Okada (1901-1974),
congregações. A denominação também publica conhecido pelo título de Oshienushi-sama. A
outra revista gratuita: Christian Odyssey [Odisséia AM se autointitula um movimento de renovação
Cristã].15 espiritual, fundamentado em revelações divinas
inéditas, que o Deus Su dera ao fundador entre
Notas 1959 e 1967. Essas revelações pretendem esclare-
1
A informação estatística foi reunida por Joseph M. cer os textos sagrados de todas as grandes religi-
Hopkins, professor de religião, Westminster College, ões existentes. Por exemplo, Okada afirmou que
New Wilmington (s.d.). a bíblia predisse a sua vinda, quando Jesus disse
2
Armstrong, Herbert W. Why Were You Born? Pasa- que enviaria ao mundo “o Espírito da Verdade”,
dena, CA: Ambassador College Press, s.d., p. 21-22. o “Consolador”, que conduziria seus discípulos
3
Ibid. a toda a verdade (João 16.13 — veja kardecismo,
4
Carta pessoal para Robert Summer, de 27 de novem- para uma consideração sobre o Consolador pro-
bro de 1958, apud Martin, Walter. The Kingdom of metido por Jesus). Apesar disso, a AM afirma que
the Cults. Minneapolis: Bethany House, 1985, p. 317. não é um movimento de cunho religioso.
5
Plain Truth, April, 1963. Não há dados acerca do número de adeptos
6
Cf. Armstrong, Herbert W. Just What Do You Mean ligados à AM, nem no Brasil nem no mundo. Sua
— Born Again? Pasadena, CA: Ambassador College sede mundial fica no Japão. No Brasil, localiza-
Press, 1962. se na cidade de São Paulo. O grupo é dirigido
7
Armstrong, Garner Ted. Do You Have an Immortal atualmente pela filha do fundador, Keiju Okada
Soul? Pasadena, CA: Ambassador College Press, (s.d.), a nova Oshienushi-sama.
1957, p. 8. Ensinos. O corpo de ensinos da AM tem a
8
Herbert W. Armstrong, Why Were You Born?, p. 23. ver com as revelações atribuídas ao fundador.
9
Cf. Hill, David Jon. Is There A Real Hell Fire? Destacam-se:
Pasadena, CA: Ambassador College Press, 1953. Deus. É difícil determinar qual o conceito de
10
Hopkins, Joseph M. Will Herbert W. Armstrong Rise Deus na AM. Ele é único, mas ao mesmo tempo
Again? Christianity Today, January 15, 1988, p. 48. existem vários outros deuses que protegem a
11
Alnor, William. Unprecedented Changes Affect humanidade. Todos seriam frações do Deus Su-
Worldwide Church of God, Christian Research premo Su (também chamado Miroku). O homem
Journal, Spring 1991, p. 6. também seria uma centelha desse Deus, noção
12
Ibid., p. 5. um tanto panteísta.
ARTINA 37

Humanidade. O homem é um ser compos- tida. Pela aplicação frequente de okiyome, a AM


to de espírito e mais três corpos: o material, o acredita que paulatinamente o nível espiritual de
espiritual e o astral. Estes sofrem a influência de alguém se elevará, obtendo com isso uma vida de
espíritos cheios de rancor, ódio, inveja e outros saúde, harmonia e prosperidade, exorcizando os
sentimentos negativos, que podem penetrar no espíritos perturbadores e opressores. A prática
corpo material ou permanecer nas proximidades, de Okiyome não se limita aos seres humanos;
controlando a vontade humana, trazendo graves pode ser aplicada em alimentos, ambientes de
consequências para o corpo. Isso explicaria a trabalho, plantas etc. Nesse aspecto, é bem se-
causa da maioria das doenças. melhante à prática do johrei, da igreja messiânica
Vida após a morte. A AM advoga a crença mundial. (AM)
na reencarnação. Quando o corpo físico morre, o
espírito e os corpos espiritual e astral vão para o ARTES MARCIAIS. Vários esportes de luta,
mundo astral, dividido em sete dimensões, sendo como karatê, kung fu, tai chi chuan, judô, jiu
a sétima o mundo do Deus Su. O espírito desen- jitsu e aikidô, cujo início data de quase 3.000 a.C.
carnado habitará naquele que corresponde ao seu A variedade de estilos é unificada por um centro
grau de purificação. No mundo astral o espírito espiritual com raízes no taoísmo e no budismo.
e seus corpos serão submetidos a provas, que os Acredita-se que o monge budista Bodhidharma
farão se esquecer de tudo o que cause apego ao foi o inventor das artes marciais. O significado
mundo material. O tempo da prova varia de 200 religioso dessas lutas está na harmonização das
a 300 anos. Somente depois disso é que poderá forças da vida (yin-yang) e a habilidade de captar
reencarnar. Dependendo do acúmulo de pecados e utilizar o chi (v. taoísmo). Os mestres das artes
cometidos nas encarnações anteriores, poderá vir marciais são capazes de realizar tremendas pro-
num corpo humano ou animal. ezas físicas. A habilidade de socar ou chutar com
Cataclismo mundial. O Deus Su teria for- grande força física ou de quebrar uma pilha de
necido informações inéditas sobre uma Nova tijolos com um único golpe é atribuída ao chi.
Era que se aproxima. Antes da instalação dessa Muitas pessoas que praticam artes marciais
Nova Era, porém, haverá um grande cataclismo fazem-no sem consciência da natureza religiosa
mundial, que começou com a Era do batismo de de tais esportes, mas apenas com interesse em
Fogo, em 1962. Desde então tem havido grandes adquirir um bom preparo físico e capacidade de
catástrofes, como terríveis abalos sísmicos, autodefesa.
maremotos, tufões, desequilíbrio climático,
contaminação em massa etc. Somente pessoas ARTES NEGRAS (ocultismo). Nome alterna-
espiritualmente purificadas poderão sobreviver, tivo para mágica, bruxaria e práticas geralmente
a fim de compor a Nova Civilização do século associadas ao ocultismo.
XXI. Entra em cena a AM como a solução mais
rápida de Deus para purificar espiritualmente ARTINA (Perfect Liberty). Designa um missas-
as pessoas, pondo fim ao seu carma, bem como saguê, praticado por um peelista, que consiste
as imunizando para o escape dessa catástrofe e numa atividade proselistista, ou seja, o adepto
preparando-as para a entrada na Nova Era. Isso deverá o mais rápido possível transmitir os en-
seria feito por meio do Okiyome. sinamentos da PL ao maior número de pessoas.
Okiyome. O processo de depuração da hu- A intenção do peelista é receber o seguinte shikiri
manidade é denominado okiyome (purificação). de oshieoyá-samá: “Aquele que, apresentando
Consiste na imposição de mãos, por meio da qual três pessoas, cuidar delas, até se salvarem, será
é transmitida a mahikari, ou seja, a “Luz Divina”, salvo por toda a vida”, ou seja, terá a verdadeira
vinda diretamente da sétima dimensão. Esse é o felicidade. (Instruções para a vida religiosa PL. 4ª
ponto nevrálgico da AM. Quem impõe as mãos é edição. São Paulo: Editora Vida Artística, 1988,
apenas um canal pelo qual a mahikari é transmi- p. 190). (AM)
38 ÃRVORE

ÁRVORE (O Caminho Internacional). o ca- seu esforço para escapar dos males mundanos,
minho internacional utiliza o símbolo de uma tornou-se um símbolo que atraiu multidões de
árvore para descrever sua estrutura. O padrão peregrinos por vários anos.
é o seguinte: O ascetismo é praticado dentro das fileiras de
praticamente todas as religiões. É uma motivação
1. Raiz — Sede internacional, localizada em dominante em muitas seitas e religiões orientais.
New Knoxville, Ohio, ocupada por victor
paul wierwille, presidente e fundador, um ASHMOLE, ELIAS (1617-1692). Acredita-se
vice-presidente e um secretário-tesoureiro. que seja o responsável pela introdução das cren-
2. Tronco — as diferentes regiões pelas ças do rosacrucianismo na maçonaria.
quais a organização se espallha, quando
consideradas juntas. ASHRAM (hinduísmo). Monastério ou eremité-
3. Ramos — as divisões estaduais. rio. Também significa uma casa para os devotos
4. Galhos — unidades das cidades. de um guru. Ela funciona como um centro para a
5. Galhos finos — grupos individuais que solidificação e o compromisso dos adeptos para
se reúnem para estudo bíblico nos lares; a transmisssão da mensagem do mestre. (RP)
6. Folhas — os próprios indivíduos.
ASHRAMA (hinduísmo). Os estágios da vida
ASCETISMO. Autonegação; visão de que a devocional no hinduísmo incluem: 1) brahma-
matéria e o espírito estão em oposição um ao charin , o do aprendizado; 2) grhastha , o do
outro. O corpo físico, com suas necessidades e casamento; 3) vanaprastha (“a vida na floresta”),
seus desejos inerentes, é incompatível com o o que começa quando alguém se torna avô; 4)
espírito e sua natureza divina. O ascetismo de- sannyasin, o do vagar ascético (opcional).
fende a ideia de que uma pessoa só alcança uma
condição espiritual mais elevada se renunciar à ASPECTO (ocultismo; astrologia). Relação an-
carne e ao mundo. gular entre a Terra e dois outros corpos celestes
O ascetismo foi amplamente aceito nas (estrelas, planetas). Na astrologia, os vários
religiões antigas e ainda hoje é uma filosofia ângulos entre tais seres são medidos para deter-
proeminente. Platão idealizou-o. As seitas judai- minar posições positivas e negativas, as quais,
cas, como os essênios, praticavam-no fervorosa- acredita-se, estabelecem os resultados bons ou
mente, e o cristianismo institucionalizou-o com ruins dos eventos diários ou futuros.
o desenvolvimento de várias ordens monásticas.
Muito cedo na história da Igreja, surgiu um ASQUENAZE (judaísmo). Nome dado aos ju-
sistema de pensamento conhecido como gnos- deus que viviam na França ou na região do Reno
ticismo, que defendia claramente a doutrina do antes de migrarem para outras áreas, particular-
ascetismo. A sua cosmovisão era essencialmente mente as terras eslavas, depois das cruzadas. O
dualista. A matéria era considerada inferior ao termo refere-se a todos os judeus que adotaram
espírito e o corpo físico era um obstáculo para o “rito alemão” nas sinagogas, com a ênfase
uma vida santa. O pensamento gnóstico sofreu a voltada ao ascetismo, ao misticismo e à recitação
oposição dos primeiros apologistas cristãos, mas litúrgica na língua ídiche. Os asquenazes são
sua influência na Igreja não pode ser ignorada. diferentes dos sefarditas. Eles compõem mais de
A história da Igreja registra alguns casos inacre- 80% da população judaica em todo o mundo; a
ditáveis de ascetismo. Simeão Estilita (390-459 maioria vive nos Estados Unidos, Israel e nos pa-
d.C.), por exemplo, passou a maior parte de sua íses da Comunidade dos Estados Independentes.
vida (quase 30 anos) no topo de uma pilastra.
Sua comida era entregue a ele dentro de uma ASSENTO (cultos afro-brasileiros). Moradia de
cesta por alguns de seus fiéis seguidores. Em um orixá, egum ou exu. (AM)
ASSOCIAÇÃO DE PESQUISA E ILUMINAÇÃO 39

ASSOCIAÇÃO DAS FAMÍLIAS PARA A “Suas orações foram ouvidas. O que gostaria de
UNIFICAÇÃO E PAZ MUNDIAL. Veja igreja me pedir que eu possa fazer por você?” O garoto
da unificação. não ficou surpreso. Naquela época, já lhe parecia
natural ter visões. “Apenas quero ser útil para as
ASSOCIAÇÃO DE PESQUISA E ILUMINA- outras pessoas”, replicou, “especialmente para
ÇÃO. “Se entre vós há profeta, eu, o Senhor, as crianças doentes, e que eu possa amar meus
em visão a ele me farei conhecer, ou em sonhos semelhantes”.2
falarei com ele” (Números 12.6). Essas pala- A visão afetou a vida de Edgar Cayce quase
vras do Antigo Testamento foram citadas pelo imediatamente. Por não ser um bom estudante,
evangelista Dwight L. Moody ao fundador da tentou fazer com que essa aparição melhorasse
Associação de Pesquisa e Iluminação, edgar cayce seu desempenho. Cayce lembra o que aconte-
(1877-1945). Em sua biografia, Existe um rio, ceu logo depois disso: “À noite, tive a mesma
ele menciona que quando o famoso evangelista dificuldade para fazer minha lição de casa. Eu a
chegou à sua cidade, contou-lhe que tivera visões estudava e todas as vezes sentia que sabia; mas
e ouvira vozes. Moody replicou que tal fenômeno quando dava o livro ao meu pai e ele me dava
devia ser uma influência demoníaca. Entretanto, uma palavra para soletrar, eu não conseguia.
disse-lhe também que provavelmente fosse um Depois de lutar com isso por uma, duas ou três
escolhido de Deus para ser um profeta. Cayce horas, e receber muitas reprimendas pela minha
optou pela segunda alternativa, como a mais ‘burrice’, alguma coisa dentro de mim parecia
convincente, conforme era evidenciado pelo dizer: ‘Descanse na promessa’. Pedi ao meu pai
fato de que lia a bíblia e permanecia na Igreja que me deixasse dormir sobre a lição por apenas
Presbiteriana.1 cinco minutos. Ele finalmente consentiu. Fechei
Cayce nasceu em 1877, numa fazenda perto o livro e, apoiado no encosto da cadeira, ador-
de Hopkinsville, Kentucky. Seu pai era juiz de meci. No final de cinco minutos, entreguei-lhe
paz. Seu avô mostrara sinais de que possuía novamente o livro. Eu não somente sabia a lição,
habilidades psíquicas, pois, supostamente, usava como respondia qualquer questão; não somente
duas forquilhas de hamamélis para localizar água soletrava as palavras, mas dizia em que página
(v. radioestesia). e em que linha o texto se encontrava. Daquele
Quando criança, Cayce demonstrava muito dia em diante, tive pouquíssimos problemas
interesse pela Bíblia e gostava de ir à igreja re- na escola, pois lia a lição, dormia sobre ela por
gularmente. Vários eventos marcantes em sua alguns minutos e depois repetia cada palavra”.3
infância serviram para determinar a direção que Esse método estabeleceu a maneira como
sua vida tomaria. Quando era bebê, diziam que Cayce receberia suas leituras pelo resto da vida.
ele chorou incessantemente durante um mês. Por isso, ficou conhecido como “o profeta do
Uma velha senhora negra, conhecida da família, sono”.
sugeriu que prendessem os mamilos dele com Menciona-se que nos anos de 1900/1901,
um prendedor de roupas. Supostamente, saiu lei- Cayce sofreu de dores de cabeça muito fortes;
te e terminou a maratona de choro. Com seis ou depois de uma crise, perdeu a voz. Após vários
sete anos, ele estava sozinho, num lugar do lado médicos falharem em diagnosticar o problema,
de fora da casa, num cantinho recluso, onde lia a um especialista conseguiu fazer com que vol-
Bíblia sobre a visão de Manoá, pois gostava muito tasse a falar por meio da hipnose (mas somente
da história de Sansão. Subitamente, houve um quando estava sob o efeito dela). Posteriormente,
zumbido e uma luz brilhante iluminou o local, sua voz voltou e sua garganta recuperou-se.
onde ele geralmente se escondia para ler as his- O especialista A. C. Layne sugeriu que Cayce
tórias maravilhosas. Enquanto observava, surgiu diagnosticasse as condições de outras pessoas.
uma figura vestida toda de branco, brilhante Num transe hipnótico autoinduzido, Cayce
como a luz do sol ao meio-dia, e ouviu uma voz: diagnosticou corretamente a condição física de
40 ASSOCIAÇÃO DE PESQUISA E ILUMINAÇÃO

Layne, ao usar uma terminologia médica que doutrina da reencarnação. Em 1923, em Dayton,
desconhecia totalmente.4 O médico contratou-o ao conhecer Lammers, ele disse que despertara de
como sócio em suas práticas. Pelos próximos um transe “e fora informado que havia afirmado
quarenta anos, Cayce compôs mais de 16 mil a realidade da reencarnação: que o homem nasce
redações. Supostamente, ele predizia o sexo dos em muitos corpos diferentes”.7 Embora resistisse
bebês antes de nascerem; diagnosticava e pres- à natureza anticristã da reencarnação, ao admitir
crevia com sucesso curas para epilepsia, diabetes, que tal doutrina não era bíblica, Cayce finalmente
câncer, problemas nervosos, piorreia, tubercu- “aderiu a ela, ao incorporá-la à sua doutrina cris-
lose, hemorroidas, apendicites, hérnias, febres, tã”.8 Eis algumas de suas posições doutrinárias:
artrite, resfriados comuns etc. Em abril de 1929, Deus. ele é espírito, está em toda parte e
ele predisse que naquele ano haveria uma quebra permeia todas as coisas. O Todo-poderoso é a
na bolsa de valores, o final da Depressão em 1933 Energia Criativa, o criador de tudo o que existe
e a futura valorização das terras em Cape Henry no universo. Quando o homem cria algo, é a força
e Norfolk. Fotógrafo profissional, com apenas o de Deus dentro dele que elabora o pensamento,
ensino básico, seu vocabulário médico (quando o plano e a execução. O Senhor é a mente, a força
estava em transe) deixava as autoridades de e a própria vida. Deus não é uma pessoa, mas é
Boston perplexas. Cayce falava fluentemente muito pessoal a nós, quando o manifestamos em
numerosas línguas estrangeiras, um feito que nossa vida. É necessário entrar nessa atividade,
não era capaz de repetir no dia a dia.5 pois o Senhor, nosso Deus, está vivo e ativo.
O ano de 1923 também se tornou marcante Portanto, ele é pessoal para nós somente quando
para a vida de Cayce. Ele conheceu Arthur Lam- nos tornamos semelhantes a ele em palavras,
mers, um tipógrafo de Dayton, Ohio, estudante pensamentos e obras.9 Nesse aspecto, a doutrina
de teosofia e ocultismo. Este o ensinou a aplicar de Deus de Cayce é panteísta (v. panteísmo). A
suas habilidades de clarividência, além de sim- base da essência divina é relegada à manifestação
plesmente curar enfermidades, para conduzir humana do deus interior.
“leituras de vida” que o transportariam a esferas O cristianismo que Cayce abraçou, quando
espirituais e teosóficas. Cayce então começou a criança, é contrário a esse conceito hindu.10 Essa
combinar ecleticamente filosofia oriental com visão tinha implicações que afetavam seu ponto
cristianismo, particularmente as ideias do hindu- de vista sobre muitos outros temas teológicos.
ísmo sobre a reencarnação e o carma. Inicialmente, Jesus Cristo. Ele era o resultado de uma longa
lutou com esse choque de cosmovisões, e logo as cadeia de reencarnações. Em uma de suas “leitu-
assimilou com aparente satisfação. Por um pe- ras”, Cayce declarou especificamente o que cria
ríodo de mais de quarenta anos, recebeu 14.256 sobre a pessoa de Jesus:
leituras, tanto de natureza espiritual como física.
Em 1931, foi formada a Associação de Pes- P.: Quando Jesus tomou conhecimento que
quisa e Iluminação (API). O propósito da orga- seria o Salvador do mundo?
nização, de acordo com Cayce, era “desenvolver R.: Quando ele caiu no Éden (2067).
pesquisas psíquicas”.6 Os grupos de estudo API P.: Isso quer dizer que Jesus era Adão?
reuniam-se em diversos países para estudar as R.: Estude o livro que fala sobre ele, Jesus, nas-
“leituras” de Edgar Cayce. A cidade de Virginia cido da virgem Maria; (então) saiba que aquela é
Beach, EUA, foi escolhida como o local da sede, a entidade espiritual (Jeshua), o qual argumentou
porque, segundo Cayce, era o lugar mais seguro com os que retornaram do cativeiro naqueles dias,
da terra à vista das futuras catástrofes geológicas quando Neemias, Esdras, Zorobabel tentavam
que ele predissera. restabelecer o culto a Deus; e como Jeshua, o escri-
Ensinos. Como já foi mencionado, Cayce ba, traduziu o resto dos livros que foram escritos
combinava elementos do cristianismo com ideias naquela época. Então veja (também) que se trata
orientais. A base de seu pensamento estava na da mesma entidade que, como Josué, foi o porta-
ASSOCIAÇÃO DE PESQUISA E ILUMINAÇÃO 41

voz de Moisés, o qual deu a lei; e foi a mesma usado para sua própria glória. Assim, ele se
pessoa que nasceu em Belém. A mesma entidade tornou o padrão para os que, semelhantemente,
espiritual que, nos períodos de força e também conheceriam o caminho [...] Jesus, o Cristo, a
de fraqueza de Jacó, em seu amor por Raquel, foi perfeita manifestação de Deus na carne, mos-
o primogênito deles, José. Assim como zend (pai trou ao mundo, por meio do serviço e do amor
de Zoroastro) — esta era a mesma pessoa. E ela abnegado, o que Deus esperava de seus filhos,
foi a que se manifestou [...] como Melquisedeque se eles fossem um com ele. Jesus fez o sacrifício
[...] Enoque [...] ou o filho unigênito do Pai, que definitivo, uma vez por todas, para que, os que
veio como AMILIUS, em Atlântida, e enveredou- forem como ele, possam encontrar facilmente
se pelos caminhos do egoísmo. E este era também o caminho por meio dele. Da mesma maneira,
a entidade ADÃO — o Espírito de Luz.11 devemos oferecer a nós mesmos como sacrifício
vivo aos nossos semelhantes [...] Deus conhece
Cayce, assim como o rosacrucianismo, os nossas necessidades pessoais, da mesma forma
grupos teosóficos e várias religiões orientais, que a vida se manifesta em um grão de trigo. Até
ensinava que Jesus foi um dos maiores avatares que nos tornemos um deus, um salvador para
da humanidade. Para ele, Cristo existe em todas nossos semelhantes em propósito e atividades,
as eras, enquanto Jesus viveu em apenas uma. O não alcançamos aquela personalidade.12
espírito de Cristo acompanha as grandes figuras Humanidade. Os ensinos de Cayce a respei-
religiosas de todas as épocas. Quando, porém, ele to de Deus são coerentes com sua visão sobre a
se uniu a Jesus, a combinação resultou numa per- humanidade. O homem não foi criado numa con-
feição, força e maturidade incomparáveis, sem tinuidade de espaço-tempo, como a cosmologia
igual em qualquer outra época ou composição. bíblica declara em Gênesis 1.1ss. Pelo contrário,
Esse era um sério afastamento do cristia- todas as almas preexistiam desde o princípio. Na
nismo que Cayce aprendeu na infância. A Bíblia época da Queda, a unidade com Deus foi perdida.
ensina que Cristo era o Filho eterno de Deus e a A desobediência, segundo Richard Drummond,
segunda pessoa da trindade (credos Apostólico e “não denota um fenômeno ontológico — como
Niceno, Artigo 2, Apêndice 1). Para Cayce, Jesus se o fato da consciência distinta ou a criação
somente se tornou o Filho na Trindade, como em si constituísse o mal — mas um fenômeno
resultado de um processo de desenvolvimento primariamente ético”.13
moral e espiritual. Tudo isso ocorreu antes da própria criação.
Por que Jesus veio ao mundo? Para a Igreja, Ainda não existia a matéria. Cayce simplesmente
a fim de se encarnar (João 1.1ss) e redimir a acreditava que não havia razão para tal priori-
humanidade do pecado. Cayce não compartilha dade na Queda. Gênesis, para ele, representa “a
esse entendimento da expiação de Cristo (Roma- segunda criação”: “Então [depois da primeira
nos 3.21-26). Ele declara de forma bem sucinta Queda] houve a necessidade de um despertar do
o seguinte: Deus enviou seu Filho para que, em ser para fora da esfera da cegueira. [...] Tornar-se
sua vida e sacrifício, pudéssemos alcançar uma consciente num mundo material é — ou era
manifestação de luz, por meio do amor. Ele, em — o único modo ou caminho por meio do qual
seu serviço aos seus semelhantes, manisfestou o forças espirituais se tornariam conscientes da
Senhor para nós; e também apresentou os atri- sua separação dos arredores espirituais, ou seja,
butos divinos. Para entendermos nosso relacio- o Criador”.14
namento com o Pai, precisamos nos familiarizar E mais: “Portanto, quando passamos por
com os atributos de sua perfeita manifestação, nossas várias experiências, assim como ele, o
ou seja, Jesus, o Cristo. Ele escolheu o caminho primeiro Adão, nossa alma torna-se consciente
mais árduo da vida. Amou seus inimigos. Re- da separação de seu idealizador. Enquanto a
sistiu às tentações e suportou as perseguições. natureza do nosso relacionamento com o nosso
Conhecia as leis de Deus, embora nunca as tenha criador torna-se cada vez mais clara, começamos a
42 ASSOCIAÇÃO DE PESQUISA E ILUMINAÇÃO

andar mais e mais na Luz das nossas experiências vivo, ele empregou seus poderes para apoiar
físicas.Viemos aqui com esse propósito. Por meio uma mistura de religiosidade oriental (carma e
da experiência e do sofrimento, chegamos ao co- reencarnação) e ensinos bíblicos fora do contex-
nhecimento do dia e da noite, da luz e das trevas, to, e agora essa teosofia eclética é promovida por
do bem e do mal e até mesmo do Filho, o Adão. sua ‘Associação de Pesquisa e Iluminação’. Aqui
‘Embora sendo Filho, aprendeu a obediência por temos um caso clássico de um ‘vidente’ que, na
meio daquilo que sofreu’. Finalmente, reconhe- realidade, era cego: o cego guiando outro cego”.16
cemos que estamos no caminho de volta à fonte. Em 3 de janeiro de 1945, Edgar Cayce, “o pro-
Somente isso traz satisfação à nossa alma”.15 feta do sono”, adormeceu pela última vez, com a
Portanto, a raça humana alienou-se de Deus, idade de 67 anos. Sua popularidade, entretanto,
mediante duas quedas: uma, na época em que a não morreu — milhões de pessoas, que sofrem
humanidade era alma; e outra, quando receberam de enfermidades físicas, emocionais e espiri­tuais,
corpos durante a criação física do Éden (Gênesis buscam ajuda na API. O filho de Edgar, hugh l.
1 e 2). O cristianismo sustenta que o corpo e a cayce, tornou-se seu sucessor na liderança da
alma foram criados por Deus como uma unidade. Associação. Muitas livrarias, até mesmo espe-
Antes da criação, o segundo elemento não existia. cializadas em obras sobre alimentação saudável,
Depois da morte, o corpo e a alma separam-se; vendem livros escritos por Cayce ou sobre ele e a
a alma vai para seu destino eterno (Filipenses Associação. Entre suas obras mais famosas está
3.21; João 5.29), e o corpo vai para a sepultura Existe um rio, sua biografia oficial. Também há
(Jó 19.26). O cristianismo também ensina que o publicações mensais e trimestrais, respectiva-
corpo um dia se unirá à alma para viverem eter- mente, API Notícias e o Jornal API.
namente com Deus (Jó 19.26; 1Coríntios 15.51,52;
credo apostólico e Niceno — veja Apêndice 1).
Salvação. A reencarnação, conforme foi
mencionado, torna-se a chave da soteriologia de
Cayce. Assim como Jesus era o resultado de uma
série de reencarnações, o mesmo ocorre com
a raça humana. A existência física é parte do
melodrama divino de uma alma na busca de se
tornar novamente uma unidade com Deus. Isso se
torna possível através do despojamento de velhas
vidas e do carma. O inferno não é lugar de punição
eterna, como na descrição bíblica (Mateus 10.28),
mas o estado de imperfeição, que deixa de existir
quando a imperfeição é eliminada.
Conclusão. Cayce falou sobre outros assun-
tos, indo além da Bíblia e do cristianismo. Ele
acreditava, por exemplo, na civilização perdida
de Atlântida, que, em sua opinião, existiu há 10
milhões de anos. Embora tenha tentado durante
toda sua vida manter uma relação amigável com
o cristianismo, este, por sua vez, não o aceitou,
particularmente por meio dos grupos chamados
ortodoxos e cristãos evangélicos. John Warwick
Montgomery escreveu: “Com relação a Cayce, há
pouquíssima dúvida de que o machado negativo Uma variedade de cutelos apresentados em uma exposição sobre
deve atingir a raiz da árvore: enquanto estava o Ocultismo. Cortesia de Jack M. Roper/CARIS
ASSOCIAÇÃO UNIVERSALISTA UNITARIANA 43

Notas entre alguns dos sobrenaturalistas racionais e


1
Stearn, Jess. Edgar Cayce: The Sleeping Prophet. deístas na Inglaterra e na Europa. Perto do final do
New York: Doubleday, 1967, p. 26-27. XVIII, o unitarismo cresceu rapidamente nos Es-
2
Ibid. tados Unidos, principalmente na Nova Inglaterra.
3
Furst, Jeffrey. Edgar Cayce’s Story of Jesus. New Seus principais proponentes foram james freeman
York: Coward-McCann, 1969, p. 336. clarke, william ellery channing e ralph waldo
4
Larson, Bob. Larson’s Book of Cults. Wheaton: emerson. A Capela do Rei (Igreja Episcopal), em
Tyndale House, 1986, p. 244. Boston, tornou-se o solo fértil para o pensamento
5
Bjornstad, James. Twentieth Century Prophecy unitarista em 1785. As palestras de Emerson e
— Jeane Dixon; Edgar. Minneapolis: Bethany os sermões de Channing, principalmente o de
Fellowship, 1969, p. 79-80. 1819, “O cristianismo unitarista”, serviram como
6
Furst, Jeffrey. Op. cit., p. 350. catalisador para esse importante movimento
7
Wilson, Colin. The Occult: A History. New York: intelectual nos Estados Unidos. O unitarismo
Random House, 1971, p. 168. floresceu em sua maior parte em Boston. Consistia
8
Ibid. principalmente numa reação ao calvinismo absoluto
9
Bjornstad, James. Op. cit., p. 79-80. da Nova Inglaterra puritana. Posteriormente, se
10
Cf. hinduísmo. tornaria a teologia reavivalista do Segundo Grande
11
Furst, Jeffrey. Op. cit., p. 23. Despertamento, contra o qual o unitarismo reagiu.
12
Association for Research and Enlightenment, A O universalismo, assim como o unitarismo,
Search for God, livro 3. Virgínia Beach: API Press, é bem antigo na história das ideias. Sua origem
1950, p. 14-15. provavelmente está relacionada ao zoroastrismo e
13
Christ, Christianity and the Edgar Cayce Rea- às religiões orientais. Através dos séculos houve
dings. Virginia Beach: API Press, 1978, p. 197. vários e diferentes proponentes do universalis-
14
Association for Research and Enlightenment, Op. mo. Como o unitarismo, o universalismo tornou-
cit., book 2. Virginia Beach: API, 1950, p. 13-14. se extremamente popular na Nova Inglaterra, no
15
Ibid. final do século XVIII. Novamente, o calvinismo
16
Montgomery, John Warwick. Principalities and frequentemente é visto, através do sistema de
Powers. Minneapolis: Bethany House 1973, p. 126. reação, como o causador de seu desenvolvimen-
to. Entretanto, enquanto o unitarismo apelava
ASSOCIAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO PARA para a comunidade intelectual “aristocrata” de
UNIFICAÇÃO DO CRISTIANISMO MUN- Boston, o universalismo cresceu mais entre as
DIAL. Veja igreja da unificação. populações rurais e menos urbanas. Foi uma re-
ação principalmente contra as ideias calvinistas
ASSOCIAÇÃO UNIVERSALISTA UNITA- da predestinação, da depravação total e da con-
RIANA (AUU). Em 1959, o unitarismo e o univer- denação eterna. Numa terra onde se pode exercer
salismo fundiram-se em um único movimento. o espírito yankee do “individualismo grosseiro” e
Embora suas principais ideias sejam similares, experimentar o sucesso sem a ajuda de ninguém,
cada um se desenvolve um tanto independente apenas mediante o duro trabalho, um espírito
do outro e cada um tem sua própria história. oportunista e otimista chocava-se violentamente
Como teologia, o unitarismo tem raízes nas contra a austeridade severa do calvinismo puri-
controvérsias antitrinitarianas dos primeiros tano. Esse choque recebeu seu maior ímpeto de
quatro séculos da Igreja. Já teve vários nomes — john murray, em Oxford, Massachusetts, onde o
monarquianismo, sabelianismo e patrip­ assion
­ ismo. No universalismo tornou-se denominação em 1785.
século XVI, foi chamado de socianismo, devido Ambos os movimentos eram restritos princi-
ao nome de seu principal proponente, f. p. socino palmente à Nova Inglaterra. Pejorativamente, os
(1539-1604). Com o desenvolvimento do Iluminis- críticos resumiam o unitarismo como componente
mo no século XVIII, o unitarismo atraiu a atenção “da paternidade de Deus, a irmandade dos homens
44 ASSOCIAÇÃO UNIVERSALISTA UNITARIANA

e a vizinhança de Boston”. Em grande parte, em unitarismo. Diz o seguinte: “A base da comunhão


termos geográficos, isso era verdade. Com relação nessa Convenção será um propósito comum de
à teologia, entretanto, era apenas parcialmente fazer a vontade de Deus como Jesus a revelou, e
verdadeiro. O unitarismo passou por três fases cooperar para o estabelecimento do reino para o
distintas em seu desenvolvimento histórico. De qual ele viveu e morreu. Para isso, confessamos
1800-1835, os principais pensadores ainda abra- nossa fé em Deus como o amor Eterno e que tudo
çavam a crença nos elementos sobrenaturais da conquista, na liderança espiritual de Jesus, na su-
religião cristã. andrews norton, considerado o prema dignidade de toda personalidade humana,
“papa do unitarismo”, defendeu veementemente na autoridade da verdade conhecida ou que ainda
o cristianismo contra os ataques de seus críticos, será conhecida, e no poder dos homens de boa
principalmente na área de estudos bíblicos. vontade e no espírito sacrificial para vencer todo
O segundo período, de 1835 a 1885, foi carac- o mal e progressivamente estabelecer o reino de
terizado por um espírito bem menos conserva- Deus. Nem esta declaração e nenhuma outra serão
dor. A filosofia idealista alemã teve uma grande impostas como um credo, providenciado para que
influência sobre as instituições acadêmicas do a fé assim indicada seja professada”.1
Leste dos EUA, principalmente Harvard. Ralph Num resumo final, a Igreja Universalista na
Waldo Emerson, em seu famoso livro Divinity América declarou que seu expresso desejo era
School Address (1838), expôs as ideias do uni- “promover a harmonia entre os adeptos de todas
tarismo tão prevalecentes durante essa segunda as crenças religiosas, sejam cristãs ou não”.
fase de desenvolvimento, ou seja, a liberdade da Em 1961, os dois movimentos uniram-se
alma humana, particularmente a americana, e o para formar a Associação Unitariana Univer-
predomínio da razão e a sua íntima relação com salista (AUU), que declarou seu propósito da
a sobrealma da natureza. seguinte maneira:
hosea ballou (1771-1852) é considerado o
“pai do universalismo americano”. Diferia de Os membros da Associação Unitariana Uni-
Murray em seu afastamento completo dos pontos versalista, dedicados aos princípios de uma fé
do calvinismo. Foi ele quem fez mais, de forma livre, unem-se para buscar:
preliminar, para estabelecer o fundamento sobre
o qual o unitarismo e o universalismo finalmente 1. Fortalecer uns aos outros numa busca livre e
se uniriam. O terceiro período (1885 até o pre- disciplinada da verdade como fundamento
sente) é marcado por um completo secularismo da nossa comunhão religiosa.
dentro dos dois movimentos, e foi nessa fase final 2. Alimentar e difundir a verdade universal
que os dois se mesclaram. ensinada pelos grandes profetas e mestres
Ensinos. Em 1825, foi formada a Associação da humanidade em todas as eras e tradi-
Unitarista Americana. Sua ênfase na liberdade ções, resumidas de forma imemorial em sua
naturalmente tornou-se contrária a qualquer essência como amor a Deus e ao próximo.
formulação de credo. O mesmo era verdade com 3. Afirmar, defender e promover a suprema
o universalismo, embora tenham feito quatro digni­dade de toda personalidade humana, a
declarações de fé, como sumários dos princípios dignidade do homem e o uso do método de-
básicos do movimento. Em 1790, na Filadélfia, foi mocrático nos relacionamentos humanos.
redigida a primeira declaração que continha basi- 4. Melhorar nossa visão do mundo, através da
camente a maior parte da ortodoxia calvinista. A luta por uma comunidade mundial fundada
Confissão de Winchester, de 1803, declarava que o sobre os ideais de irmandade, justiça e paz.
Espírito Santo “finalmente restaurará toda a famí- 5. Suprir as necessidades dos membros das
lia da humanidade à santidade e felicidade”. Outra igrejas e comunidades, organizar novas
declaração feita em 1935 representa a última igrejas, a fim de estender e fortalecer a
fase de desenvolvimento anterior à união com o religião liberal.
ASSOCIAÇÃO UNIVERSALISTA UNITARIANA 45

6. Encorajar a cooperação com homens de • Objetivo da comunidade mundial com paz,


boa vontade de todas as crenças em todas liberdade e justiça para todos.
as terras.2 • Respeito pela rede interdependente de toda
a existência, da qual fazemos parte.3
Em 1985, a Associação revisou sua declaração
de propósito, e resumiu seus ideais na expressão A divergência mais aguda entre o unitarismo-­
mais liberal e aberta já citada. -universalismo e o cristianismo está na reação do
primeiro contra a doutrina da trindade. Conside-
A tradição viva que compartilhamos vem de rados “liberais” e “de mente aberta”, os ministros
muitas fontes: unitaristas demonstram intolerância para com os
credos trinitarianos (v. Apêndice 1).
• Experiência direta daquele mistério trans- A atitude unitarista com relação a Jesus Cristo
cendente e maravilhoso, afirmado em foi expressa de forma definitiva pelo reverendo Carl
todas as culturas, o qual nos move para a M. Chorowsky, pastor da Primeira Igreja Unitarista
renovação do espírito e uma abertura para de Fairfield, Connecticut, numa entrevista dada à
as forças que criam e sustentam a vida. revista Look, em 1955:“Em geral, o unitarista é uma
• Palavras e obras proféticas de homens e pessoa religiosa cuja ética deriva primariamente
mulheres que nos desafiam a confrontar os de Jesus, o qual cria em um único Deus e não na
poderes e as estruturas do mal com justiça, Trindade [...] Os unitaristas afirmam que o mundo
compaixão e o poder transformador do amor. cristão ortodoxo abandonou o Jesus real e humano
• Sabedoria das religiões mundiais, que nos do Evangelho, e substituiu-o por um Cristo de
inspira em nossa vida ética e espiritual. dogmatismos, metafísica e filosofia pagã [...] Os
• Ensinamentos judaicos e cristãos que nos unitarianos repudiam a doutrina e o dogma do
chamam para responder ao amor de Deus, nascimento virginal [...] Os unitaristas não creem
a fim de amarmos nosso próximo como a que Jesus é o Messias, seja da esperança judaica ou
nós mesmos. da fantasia cristã. Não creem que Jesus é o ‘Deus
• Ensinos humanistas que nos aconselham a encarnado’ ou a segunda pessoa da Trindade, como
dar ouvidos à direção da razão e aos resulta- o último árbitro no final dos tempos, que virá para
dos da ciência e que nos alertam contra as julgar os vivos e os mortos.
idolatrias da mente e do espírito. O unitarismo conscientemente não se con-
sidera cristão. Contra a polêmica unitarista, os
Nós, membros das congregações da Associa- teólogos argumentam que os credos ecumênicos,
ção Unitariana Universalista, fazemos um pacto longe de serem “filosofia pagã” ou “metafísicos”,
para afirmar e promover são fundamentados na Bíblia. (V. teosofia para
uma análise sobre o segundo artigo dos credos
• A dignidade e o valor inerentes de cada Apostólico e Niceno com relação à base bíblica
pessoa. para cada um dos artigos contidos nos credos.
• Justiça, igualdade e compaixão nas relações Veja também o Apêndice 1). O fato de que Deus
humanas. é, ao mesmo tempo, uno e trino tem uma forte
• Aceitação mútua e encorajamento para o base em referências bíblicas citadas dentro da
crescimento espiritual em nossas congre- tradição cristã (Gênesis 1.26; Deuteronômio 6.4;
gações. Mateus 3.13-17; 28.19; 2Coríntios 13.14). Isso,
• Uma busca livre e responsável pela verdade porém, é pouco para satisfazer o unitarismo
e seu significado. moderno, que não considera a Bíblia uma fonte
• Direito da consciência e o uso do processo definitiva de autoridade. A razão tem precedência
democrático dentro de nossas congregações sobre a Bíblia, os credos ou sobre qualquer tipo
e na sociedade em geral. de formulação dogmática.
46 ASSOCIAÇÃO UNIVERSALISTA UNITARIANA

A soteriologia é uma questão do cultivar Universalist Service Committee [Comitê de Serviço


o caráter e alimentar o espírito humano (v. a Unitariano Universalista] é uma extensão do depar-
declaração de 1961 acima) e não uma questão tamento de programas sociais da AUU.
de resgate do pecado e de redenção através do Ambos, o unitarismo e o universalismo,
sangue de Jesus, como o cristianismo declara constituem partes importantes da vida intelectual
firmemente. A expressão tradicional “Deus aju- americana. Seus líderes estão entre os mais bem
da aqueles que ajudam a si mesmos” combina instruídos de todos os grupos denominacionais.
bem com o pensamento universalista- unitaria-
no. (Dentro de alguns círculos universalistas, a Notas
salvação é de fato uma questão de justificação 1
“The Bond of Fellowship of the Universalist Church”,
bíblica. A obra de Jesus de justificação e reden- adotado em Washington, D.C., em 1935, conforme
ção é aplicada a toda a humanidade, de maneira apresentado por Miller, Russell E. The Larger Hope.
similar à qual o pecado de Adão foi universal Boston: Unitarian-Universalist Association, vol. 2,
em seus efeitos sobre a comunidade humana 1978, p. 114.
— Romanos 5.12s). 2
Artigo 2, seção 2 da Constituição da Associação Uni-
Conclusão. Na época da fusão dos dois mo- tariana Universalista.
vimentos, em 1959, a AUU possuía perto de 70 3
Artigo 2, seção C2.1 do Estatuto da Associação Uni-
mil membros e 334 igrejas. Devido a um apelo tariana Universalista.
mais amplo e liberal, esses números mais que 4
Chorowsky, Carl M. What is a Unitarian? Look, March
dobraram em 1983, com aproximadamente 175 8, 1955, apud Martin,Walter. The Kingdom of Cults.
mil membros e 1.005 congregações. Minneapolis: Bethany House, 1985, p. 503.
O envolvimento em várias causas sociais,
feminismo e liderança leiga caracterizam as
atividades de linha de frente da AUU. Em 1987, na
Convenção realizada em Little Rock, Arkansas, o
apoio a portadores de AIDS foi um grande tema
de debate. Outras questões incluíram também
eutanásia e direitos humanos como “abrigo,
dignidade e autodeterminação”. Em junho de
1989, a Convenção foi realizada na Universidade
Yale e mais de 3.200 membros participaram.
William Schulz foi reeleito presidente para outro
mandato de quatro anos e houve relatos de que
258 alunos preparavam-se para o ministério,
48% dos quais eram mulheres. A preocupação
com o meio ambiente e com a perseguição dos
húngaros na Romênia foram temas importantes
na agenda desse encontro. Em 1991, a Convenção
realizada em Hollywood, Flórida, enfatizou a
preocupação com o meio ambiente, mediante o
seguinte tema: “Fale com a terra e ela irá ensiná-
lo”. Os delegados discutiram questões como a
proibição do porte de armas, cuidados com a
saúde e pobreza.
A AUU mantém uma grande editora, Beacon
Press, localizada em Boston, e um jornal mensal, Essa igreja unitarista em São Francisco foi organizada em 1850.
o UU World [Mundo UU]. Também o Unitarian-­ Cortesia de Verlyn D. Verbrugge.
ASSOCIAÇÃO URÂNTIA 47

ASSOCIAÇÃO URÂNTIA. Em 1934, o livro de espirituais são descritos no livro. A Ilha do Para-
urântia foi entregue a bill sadler por “sete seres íso é onde a trindade das trindades habita.
espirituais” de outro mundo. O texto é uma expo- A maior parte do Livro de Urântia dedica-se a
sição das “revelações divinas mais importantes, uma reação à literatura bíblica. Um considerável
desde o advento de Cristo ao nosso planeta”, de espaço, por exemplo, destina-se a explicar o que
acordo com as afirmações da Associação Urântia Jesus fez durante os assim chamados anos de
(AU). O livro, que só foi publicado em 1955, é silêncio (entre os doze e os trinta anos de idade),
uma revelação exaustiva (2.097 páginas) do cos- sobre os quais os evangelhos nada dizem. Outras
mos, da perspectiva de seres espaciais altamente reações ao cristianismo são elucidadas no Livro de
inteligentes e comunicadas aos habitantes de Urântia, como segue:
Urântia (a Terra). Deus. Existem três trindades no pensamento
Entre 1934 e 1956, um grupo de devotos da Urântia. Há a trindade do paraíso, a trindade su-
Urântia começou a se reunir de forma regular, prema e a trindade absoluta. Dentro da Trindade
para estudar os manuscritos. Conhecido como o do Paraíso está o Pai Universal.
fórum, que consiste de 36 membros, o movimen- O cristianismo confessa uma Trindade
to oficializou-se em 1950 como Fundação Urân- singular. Deus, que se manifesta em três pesso-
tia. O grupo inscreveu-se como uma sociedade as — Pai, Filho e Espírito Santo — conforme
educacional isenta de impostos, no Condado de atestado na bíblia e mais tarde reconhecido
Cook, em Illinois. O propósito único da organi- pelos diversos credos (v. Apêndice 1). A maior
zação é disseminar os ensinamentos do Livro de parte da atividade apologética da Igreja, através
Urântia, publicado em 1955. dos séculos, tem girado em torno da defesa da
Os membros do Forum, juntos com outros doutrina da Trindade contra a acusação de que
crentes, em 1955, organizaram a Irmandade os cristãos adoram três deuses, ao invés de um
Urântia, para estudar e propagar os ensinamen- só.1 A Urântia apresenta uma única alternativa.
tos da Urântia, estruturada em torno de várias Ao invés de apenas uma Trindade, existem três.
sociedades. Quando se juntam dez ou mais pesso- Jesus Cristo. É um dos muitos filhos de
as, uma sociedade é formada e oficializada pela Deus. Ele se tornou uma divindade perfeita na
Irmandade Urântia. Um concílio geral, composto culminação de sete encarnações. A morte de
por 36 membros, supervisiona a organização. Cristo por crucificação não era necessária, para se
Existe também uma junta de diretores composta fazer expiação pelo pecado, como o cristianismo
por cinco membros. São nomeados para admi- ensina, mas foi um acidente lamentável causado
nistrar a sociedade e o cargo é vitalício. Também pela humanidade. Jesus assumiu o título de “Fi-
é nomeado um presidente como chefe executivo. lho do Homem”, quando tinha quinze anos de
O atual presidente é john hales, sucessor de Me- idade, depois de ler o livro de Enoque. Durante
redith Sprunger. Ambos foram ordenados pela os anos de silêncio, ele peregrinou pelo Império
Igreja Unida de Cristo. Romano, com dois companheiros do Extremo
Ensinos. Uma ideia básica no ensino da Oriente (indianos). A sétima encarnação de Jesus
Sociedade é a rejeição das doutrinas de outras resultou em sua manifestação como “Miguel de
religiões “ultrapassadas”. Paradoxalmente, en- Nebadom”. Foi então que ele nos revelou que a
tretanto, um indivíduo pode se tornar membro divindade não está fora de nós, mas que, pelo
da referida seita e ainda manter sua filiação em contrário, habita ricamente em nosso interior.
sua respectiva denominação, como acontece na Para a Igreja, tais afirmações são meras espe-
cientologia e na escola da unidade do cristianismo. culações. Embora Jesus seja o Filho de Deus, de
Os pais da raça humana, de acordo com o acordo com o credo niceno, ele é também “Filho
Livro de Urântia, chamavam-se andon e fonta, os unigênito de Deus”; portanto, “Deus de Deus,
quais foram genitores do primeiro ser humano Luz de Luz, Deus verdadeiro”. O mesmo Credo
nascido na Terra, cujo nome era sontad. Locais diz que Jesus “[...] encarnou, pelo Espírito Santo,
48 ASSOCIAÇÃO URÂNTIA

na Virgem Maria”. Foi uma única encarnação e Espírito é “Senhor e doador da vida, o qual proce-
não uma série de sete. de do Pai e do Filho, e que, juntamente com o Pai
Com relação à morte de Jesus, considerada e o Filho é adorado e glorificado” (credo niceno).
acidental, a igreja da unificação também ensina Humanidade. Os homens são seres reen-
desta maneira. Esta insinuação também foi feita carnados que emergem através dos estágios da
aos apóstolos, os quais responderam que de fato vida. Elevaram-se a partir do reino animal, e
Cristo foi crucificado, para que se cumprisse a alcançaram o nível humano; finalmente, subirão
vontade e o propósito de Deus. A ausência da mais adiante para o mundo espiritual dos anjos,
crucificação significaria que não haveria expiação onde se tornarão deuses.
pelo pecado (Atos 3.11—4.12; 5.21-31).2 Esta ideia é, ao mesmo tempo, antiga e moder-
Existe muita especulação sobre o que Jesus na. De acordo com a Bíblia, satanás comparou-se
fez durante os anos de silêncio. Em Nag Hamma- com Deus e teve sucesso em convencer o pri-
di descobriu-se que é bem antigo o interesse da li- meiro homem e a primeira mulher, Adão e Eva,
teratura gnóstica nas atividades de Jesus entre os que eles também podiam ser iguais ao Criador
12 e os 30 anos. A AU une-se aos especuladores. (Gênesis 3.1ss.). O conceito da divindade dentro
Na tradição cristã, em geral, acredita-se que Jesus da humanidade é um princípio fundamental
trabalhou como “carpinteiro” junto com seu pai do hinduísmo e encontra expressão em muitas
adotivo José e gastou a maior parte daqueles anos religiões modernas.3
de formação em Nazaré, na Galileia. Salvação. O objetivo de toda existência é che-
O maior afastamento da cristologia tradi- gar à Ilha do Paraíso espiritual. Esse alvo deve ser
cional, por parte da Urântia, está na crença de alcançado através do esforço pessoal. Os adeptos
que a divindade de Jesus não é objetivamente precisam confiar nos estudos, no treinamento e
verdadeira, mas se torna uma realidade dentro do na orientação divina e, por sua vez, devotar suas
indivíduo. De acordo com a fé cristã, Jesus é Deus vidas ao serviço divino, a fim de efetuar a salvação.
e homem. Ele não chegou a esta condição, porque A ideia cristã de salvação é discutida no Livro de
os seus seguidores creram no seu Evangelho, Urântia. A noção da expiação pelo sangue é con-
mas, pelo contrário, já possuía este status antes siderada primitiva. A ira divina contra o pecado e
que os homens cressem ou tivessem fé. De fato, o derramamento de sangue inocente em favor do
é esta condição que cria a fé. Em nenhum lugar, pecador são considerados fictícios. O âmago das
por exemplo, no segundo artigo, tanto do credo declarações da Urântia, concernentes ao cristia-
apostólico como do Niceno, há qualquer menção nismo, resume-se numa única sentença:“As idéias
sobre a pessoa e a obra de Jesus como dependen- religiosas cardinais — encantamento, inspiração,
tes do ser humano ou da fé. A confissão “Creio revelação, propiciação, arrependimento, expiação,
[...]” somente é possível, devido ao que segue intercessão, sacrifício, prece, confissão, adoração,
após a declaração, ou seja “em Jesus Cristo, seu sobrevivência pós-morte, sacramento, ritual,
único Filho, nosso Senhor” (v. credo apostólico). resgate, salvação, redenção, aliança, impureza, pu-
Espírito Santo. A Urântia diferencia Espírito rificação, profecia, pecado original — remontam
Santo e Espírito Infinito. O primeiro é descrito todas aos tempos iniciais do temor primordial dos
como uma “influência” ou uma “supermente” fantasmas”.4 Outras citações notáveis do Livro de
que reside no homem como uma energia ativa. Urântia dizem o seguinte:
O segundo é parte da Trindade das Trindades.
Com o propósito de introduzir duas trindades Há dezenove séculos, alguns galileus pouco
adicionais à Trindade única da Igreja, a Urântia instruídos observaram Jesus dando a sua vida,
acrescenta também um segundo Espírito. O cris- como uma contribuição espiritual para a experiên­
tianismo sempre confessou um único Espírito cia interior do homem, e então eles saíram da
Santo, o qual é uma personalidade distinta na Galileia e viraram todo o império romano de cabeça
divindade e não meramente uma energia ativa. O para baixo.5
ASTROLOGIA 49

Para a ciência, Deus é a Primeira Causa; para perdão só se torna disponível, à vossa experiên-
a religião, o Pai universal pleno de amor; para a cia religiosa pessoal, no momento em que vós
filosofia, o único Ser que existe por Si próprio, não perdoardes os vossos semelhantes. O perdão de
dependendo de nenhum outro ser para existir; Deus não está de fato condicionado ao perdão que
e, magnanimamente, Ele confere realidade de dais aos vossos semelhantes, mas é condicionado
existência a todas as coisas e a todos os outros precisamente assim na experiência.10
seres. Contudo, torna-se necessária a revelação,
para mostrar que a Primeira Causa da ciência e a Conclusão. Embora a Urântia apresente al­gumas
Unidade autoexis­tente da filosofia são o mesmo ideias originais e seja o resultado da genialidade de
Deus da religião, pleno de misericórdia e bondade, Bill Sadler, é evidente que muitas de suas doutri-
e comprometido em efetivar a sobrevivência eterna nas surgem de uma reação à Bíblia e às tradições
dos Seus filhos da Terra.6 cristãs. A AU assume seu lugar como parte de uma
rede da nova era e de grupos de espiritismo,cuja agenda
Vós não ireis descrever o vosso Mestre como básica é harmonizar a humanidade com o cosmos.
um homem de pesares. As gerações futuras conhe- A home page da AU é: www.urântia.org.
cerão também o resplendor do nosso júbilo, a ale-
gria da nossa boa vontade e a inspiração do nosso Notas
bom humor. Nós proclamamos uma mensagem 1
Para uma análise mais detalhada sobre a doutrina
de boas-novas, que é contagiante, pelo seu poder cristã da Trindade, veja testemunhas de jeová e cris-
de transformação. A nossa religião está pulsando, tadelfianismo.
com nova vida e novos significados. Aqueles que 2
Veja igreja da unificação.
aceitam esse ensinamento ficam repletos de júbilo 3
Veja hinduísmo e mormonismo.
e, nos seus corações, são levados a rejubilarem-se 4
O Livro de Urântia, p. 1005. Disponível em www.
ainda mais. Uma felicidade crescente é a experiên- urantia.com.br.
cia contínua para todos aqueles que estão seguros 5
Ibid., 2077.
a respeito de Deus.7 6
Ibid., 59.
7
Ibid., 1766.
Uma revelação nova e mais plena da religião 8
Ibid., 2082.
de Jesus está destinada a vencer num império de 9
Ibid., 1002.
secularismo materialista e a derrotar uma corrente 10
Ibid., 1638.
mundial de naturalismo mecanicista. Urântia está
agora agitada e à beira de uma das suas épocas ASSOMBRAÇÃO (ocultismo). Ocorrência de
mais assombrosas e encantadoras de reajustamen- visitas sobrenaturais; fontes de assombrações
to social, de estimulação moral e de iluminação geralmente são fantasmas, aparições e outras
espiritual.8 manifestações de espíritos de pessoas mortas que
retornam. A natureza de uma assombração nem
A prece real certamente alcança a realidade.Até sempre é maligna; embora, na maioria das vezes,
mesmo quando as correntes de ar estão ascenden- seja muito má. Com tais fenômenos ocorrem ruí-
tes, pássaro algum pode planar, a não ser de asas dos, luzes, objetos que se movem ou são transpor-
bem abertas. A prece eleva o homem porque é uma tados por forças invisíveis, quedas de temperatura
técnica para se progredir, por meio da utilização das e odores extremamente desagradáveis.
correntes espirituais ascendentes do universo. [...]
As palavras da oração são irrelevantes [...] Deus ASSOTO (vodu; ocultismo). Tambor sagrado,
responde à atitude da alma, não às palavras.9 usado nas cerimônias de vodu.

O Pai no céu já vos perdoou antes mesmo de ASTROLOGIA (ocultismo). Crença popular de
terdes pensado em pedir o perdão a Ele, mas esse que as estrelas e outros corpos celestes espalhados
50 ATABAQUES

pelos céus são instrumentos nos arranjos e nas ritualística que os atabaques — que, em alguns
influências da vida dos seres humanos sobre a correntes, só podem ser tocados por pessoas
terra. Um astrólogo acredita que a posição dos as- do sexo masculino — assumem outro papel
tros, dos planetas e das constelações, no momento importante: tornam-se a voz dos orixás, que
do nascimento de um indivíduo, determina certo convocam e exigem o corpo de seus iaôs, a fim de
padrão em sua vida. O horóscopo relaciona os que possam manifestar-se, incorporar-se. (AM)
doze signos do zodíaco e caracteriza a pessoa de
acordo com o signo sob o qual ela nasceu: áries, ATHAME (bruxaria). Espada ou faca ritual
touro, gêmeos, câncer, leão, virgem, libra, escorpião, usada nas cerimônias. A que possui o cabo preto
sigitário, capricórnio, aquário e peixes. não é usada para outro propósito (cortar etc.),
Provavelmente, a astrologia originou-se na exceto para as cerimônias rituais nas convenções.
antiga Mesopotâmia. Os babilônios eram famo-
sos no mundo antigo pelo conhecimento que ATLÂNTIDA (ocultismo). O lendário continente
tinham dos céus. Conforme a tradição, os reis perdido. Acredita-se que tenha se afundado no
magos mencionados em Mateus 2.1-12 eram Atlântico devido a um desastre natural. Platão e
astrólogos e seguiam a estrela que descobriram Plínio mencionam a Atlântida em seus escritos.
no Oriente, a fim de encontrar o menino Jesus. Menções sobre a civilização perdida aparecem em
A astrologia foi considerada uma ciência até o vários escritos do ocultismo. rudolf steiner, por
século XVI, quando a Revolução de Copérnico de- exemplo, escreveu o que acreditava ser um relato
safiou a visão geocêntrica popularmente susten- preciso dessa história. Alguns especulam que essa
tada por toda a Idade Média. Ela, entretanto, ainda cultura perdida nada mais é do que a visita de
atrai muita atenção nos círculos ocultistas, bem seres celestiais de outros mundos. Os arqueólogos
como nas publicações populares, almanaques e e historiadores levantam a hipótese de que as
jornais, e influencia a vida de milhões de leitores. lendas sobre a Atlântida possivelmente surgiram
depois da destruição da ilha de Thera, situada ao
ATABAQUES (cultos afro-brasileiros). Instru- norte de Creta, no mar Mediterrâneo, por uma
mentos musicais sagrados, usados para convocar erupção vulcâncica ocorrida em 1475 a.C.
os orixás. Segundo pierre verger, em sua obra
Notas sobre o culto aos orixás e voduns na Bahia ATMA (hinduísmo). O ser (também chamado
de Todos os Santos, no Brasil, e na Antiga Costa atmã ou atman). O termo atma refere-se ao
dos Escravos, na África (p. 25), os atabaques são corpo, à alma, aos sentidos, a todo o ser e à
considerados seres dotados de alma e de per- constituição do indivíduo.
sonalidade. São batizados e, de vez em quando,
é necessário infundir-lhes uma nova força por ATMAN. Veja atma.
meio de oferendas e sacrifícios. Isso também
explica o porquê, durante uma cerimônia, caso ATRAIR A LUA (bruxaria; ocultismo). Cerimô-
algum atabaque caia no chão, por algum aci- nia na bruxaria em que o sumo sacerdote invoca
dente, esta é suspensa momentaneamente, até o aspecto de deusa sobre a sacerdotisa-mór. Isso
que um ajudante chamado alabê possa pegá-lo, é feito pela sacerdotisa de uma convenção, por
pois não é qualquer pessoa que pode pôr a mão meio de determinada cerimônia. Veja também
neles, apenas alguém designado para essa tarefa. atrair o sol.
Os atabaques são em número de três: rum,
rumpi e lé. Os adeptos proeminentes, no momen- ATRAIR O SOL (bruxaria; ocultismo). Ceri-
to da cerimônia, são saudados pelos atabaques, mônia na bruxaria que invoca o aspecto de deus
e em seguida, prostram-se diante deles, antes sobre o sumo sacerdote. Isso é feito pela sacerdo-
mesmo da saudação ao pai ou à mãe-de-santo. tisa de uma convenção, por meio de determinada
Mas é durante certo momento da celebração cerimônia. Veja também atrair a lua.
AZETOS 51

AUDITOR (cientologia). Pessoa treinada para o mundo ameaçado por um perigo iminente.
administrar o tratamento aos pacientes/estudan- Existem pelo menos dez avatares ou encarnações
tes da cientologia. O objetivo do auditor é elimi- na literatura hindu.
nar os engramas da mente reativa, a fim de que a
mente analítica funcione sem obstáculos. Quando AVIDYA (hinduísmo). Ignorância, a principal
esse estágio é alcançado, o auditor capacitou o razão pela qual os seres humanos não recebem
indivíduo a se tornar limpo. Ele usa um aparelho a consciência de Deus.
chamado medidor-e no processo da terapia.
AXÉ (cultos afro-brasileiros). Junto com o iwá
AUGÚRIO. Sinal no ocultismo relacionado com e o abá, o axé é um dos três elementos vitais que
a antecipação ou a expectativa por um evento compõem o universo. São forças sagradas sob
futuro. Os augúrios são detectados através da o controle de Olorum, o Ser Supremo. Este, por
adivinhação e considerados bons ou ruins. sua vez, como não tem uma atuação direta tan-
to no mundo físico (aié) quanto no espiritual
AUMBANDÃ (umbanda). Segundo os adeptos (orum), delega aos seus subordinados, os orixás,
da umbanda esotérica, essa seria a primitiva e essas energias, a fim de que mantenham o
verdadeira pronúncia da religião natural, que hoje equilíbrio entre os dois mundos paralelos. Sem
se conhece erroneamente como “umbanda”. Sig- o axé o universo seria um amontoado de coisas
nificando “conjunto das leis de Deus”, aumbandã estáticas, sem dinamismo. Nas cerimônias
seria o fundamento das leis que regem o universo, religiosas do candomblé, de influência iorubá,
e teria surgido com a criação de todas as coisas. busca-se receber essa energia por intermédio
De acordo com seus defensores, seria a síntese de dos orixás. (AM)
todas as religiões, voltada para a fé e a caridade,
que conduzirão finalmente a humanidade à AXEXÊ (cultos afro-brasileiros). Nome dado
evolução e ao religamento com o Criador. (AM) aos rituais fúnebres de alguém importante em
determinada comunidade. O axexê tem a fina-
AUN WEOR, SAMUEL (1917-1977). Pseudô- lidade de libertar a alma do corpo e enviá-la ao
nimo do colombiano esotérico Victor Manoel seu lugar de origem: o mundo espiritual. (AM)
Gómez, fundador do movimento gnóstico cristão
universal (MGCU). (AM) AXIOMA HERMÉTICO (ocultismo). Famosa
tese de hermes trismegisto : “Assim como é em
AURA (esoterismo; Nova Era). Espécie de halo de cima — assim é embaixo”, uma tentativa de
luz ou energia que circunda os seres vivos. (AM) descrever a relação entre as esferas celestial e
terrena. O axioma é baseado na noção platônica
AVATAR (hinduísmo; Nova Era; teosofia). En- de que os objetos terrenos têm uma realidade
carnação da divindade; o que nunca passa pelo correspondente na esfera espiritual das formas.
ciclo da reencarnação. Na Nova Era, acredita-se
que um avatar é um mestre espiritual designado AZAZEL. Veja adventistas do sétimo dia, sob o
para uma determinada era. tópico “bode emissário”.

AVATARA (hinduísmo). Na doutrina avatara, AZETOS (ocultismo; vodu). Nome dado aos
vixnu toma uma forma terrena para resgatar vampiros no Haiti.
B
BABALAÔ (cultos afro-brasileiros). Na tradição u’llah, convenceu-se de que era o próprio profeta
iorubá, designava originalmente um sacerdote de sobre o qual Mirza falara. Entretanto, somente
ifá. Atualmente o termo pode designar qualquer em 1863 ele anunciou que era o madhi há muito
pai-de-santo ou babalorixá. (AM) esperado, ou aquele a quem Deus se manifestaria.
Imediatamente, organizou os ensinos do novo
BABALORIXÁ. Veja pai-de-santo. movimento, que liderou até sua morte, em 1892.
Muitos dos ensinamentos e das crenças do
BABALOSSÂIM (cultos afro-brasileiros). Sa- bahaísmo encontram-se nas mais de cem contri-
cerdote de Ossaim, cuja principal tarefa é colher buições literárias de Bahá-u’llah, incluindo títu-
ervas sagradas. (AM) los como Al-Kitab al-Aqdas [O livro santíssimo],
que contém as leis que governam o bahaísmo;
BABA, MEHER (1894-1969). Fundador da seita Ketab-e Iqan [O livro da certeza]; As palavras
oriental Meher Baba. Seu nome de nascimento escondidas e Os sete vales. Por fim, os devotos do
era Merwan Sheriar Irani. bahaísmo elevaram os escritos de Bahá-u’llah à
condição de textos sagrados inspirados.
BABAOJÊ (cultos afro-brasileiros). Sacerdote O filho de Bahá-u’llah, chamado abdu’l-bahá
do culto dos eguns. (AM) (1844-1921), assumiu a liderança do grupo após
a morte do pai. Foi durante o reinado de Abdu’l,
BABISTAS (Bahaísmo). Nome dos seguidores em 1893, que o bahaísmo chegou aos Estados Uni-
de mirza ali muhammad. dos, no ano da famosa Feira Mundial de Chicago.
Abdu’l provou ser um excelente intérprete dos
BAHA, ABDUL (1844-1921). Filho de Bahá- ensinamentos do pai, e o movimento estabeleceu-
u’llah (Mirza Husayn Ali) e líder do bahaísmo até se e solidificou-se sob sua liderança. Um templo
1921. Durante o reinado de Abdu’l, o bahaísmo no valor de 2,5 milhões de dólares foi construído
foi levado para os Estados Unidos. por ele no subúrbio de Wilmette, Chicago, Illinois,
onde fica a sede do movimento nos Estados Unidos.
BAHA’I. O movimento conhecido atualmente Depois da morte de Abdu’l-Bahá em 1921,
como bahaísmo nasceu no século XIX. O islamis- shoghi effendi (m. 1953), neto de Abdu’l, tornou-
mo precisava de uma reforma e os muçulmanos se o novo líder. Ele apontou o grupo Mãos da
havia muito tempo esperavam a chegada de um Causa de Deus como uma instituição que acon-
profeta que Alá levantaria para representá-lo. selha e guia o movimento.
Em 1844, mirza ali muhammed (1819-1850) rei- O governante supremo do bahaísmo é a Casa
vindicou para si o título de Bab, ou seja, o que Universal de Justiça, que age como governo
anuncia­ria a chegada do profeta. Ele conquistou legislativo e executivo, na busca da promoção e
um grupo considerável de seguidores, chamados aplicação das leis de Bahá-u’llah.
babistas. Sua missão de arauto, entretanto, aca- O bahaísmo utiliza um calendário único
bou subitamente em 1850, quando foi executado que gira em torno das datas marcantes na vida
por fanáticos religiosos, chamados mujtahids, de Mirza Ali Muhammed e de Bahá-u’llah. O
que não aceitaram a sua saída do islamismo. ano começa no dia 21 de março, considerado
Um de seus seguidores, mirza husayn ali santo. Outros dias santificados são: 21 e 29 de
(1817-1892), conhecido também como Bahá- abril e 2 de maio, dia do chamado e da missão
BAHA’I 53

de Bahá-u’llah; 23 de maio, chamado de Bab; 12 repetido com frequência, que captura a essência
de novembro, nascimento de Bahá-u’llah; 20 de de sua busca pelo universalismo.
outubro, nascimento de Bab; 29 de maio, morte Esse ideal é contrário ao cristianismo tradicio­
de Bahá-u’llah; 9 de julho, martírio de Bab, que nal e, ironicamente, ao pai do bahaísmo, o isla-
estabeleceu um caléndário de 19 meses de 19 dias mismo. A Bíblia, por exemplo, ensina que o único
cada, com a inclusão de quatro dias intercalados meio para a unidade e a paz no mundo está na
(de cinco em cinco anos). fé no Senhor Jesus Cristo: “Eu sou o caminho, a
Para tornar-se membro do bahaísmo, o in- verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, senão por
divíduo deve professar a fé nos ensinamentos de mim” (João 14.6). Coerentes com essas palavras,
Bahá-u’llah. Não existem sacramentos ou rituais os credos da cristandade sempre confessam que
e também não há um clero profissional. Seus a única fé verdadeira, com a exclusão de todas as
adeptos oram diariamente; jejuam 19 dias por outras, é o cristianismo: “Todo aquele que quiser
ano, guardam os dias santos e fazem pelo menos ser salvo deve, acima de tudo o mais, abraçar a
uma viagem de peregrinação durante o período fé católica” (credo atanasiano, Apêndice 1). É
de vida a Haifa, em Israel, local da sede mundial esse exclusivismo que proporciona ao cristia-
do movimento; devem também se abster do nismo sua motivação missionária. Isso também
álcool e evitar o abuso de qualquer substância. é verdade com relação ao islamismo, o pai do
O templo em Wilmette tem o número nove bahaísmo (“Não há outro Deus além de Alá e
como principal motivo arquitetônico. Esse Maomé é o seu profeta”). Os muçulmanos geral-
número é o símbolo da unidade do bahaísmo, e mente consideram o bahaísmo como uma seita
representa as nove manifestações levantadas por herética, principalmente porque colocaram um
Deus através dos séculos: Moisés, buda, zoroas- novo profeta (Bahá-u’llah) no lugar de Maomé,
tro, confúncio, Jesus Cristo, maomé, krishna, Bab da mesma maneira que o cristianismo rejeita o
e Bahá-u’llah. A construção tem nove lados, nove mormonismo como um movimento herético,
colunas, nove arcos, nove portões e nove fontes. porque seu fundador e profeta, joseph smith,
Grupos locais, chamados de “assembleias alegou ter recebido as revelações sobrenaturais
espirituais”, reúnem-se nas maiores cidades do em adição à Palavra de Deus revelada na bíblia.
mundo. Eles são governados por uma Assem- Portanto, o nobre objetivo de buscar a unificação
bleia Espiritual Nacional, composta por nove de todas as religiões do mundo fracassa logo de
membros. Atualmente, existem em torno de 25 início. Por definição, é impossível. O cristia-
mil assembleias internacionais, com cerca de 150 nismo deixará de ser autêntico se aceitar como
nos Estados Unidos. Os membros pertencem a legítimo qualquer meio de salvação fora da obra
todas as classes sociais e a diferentes nacionali- expiatória de Jesus Cristo. O principal dogma do
dades e raças. Hoje, existem mais de 7 milhões bahaísmo, a unificação entre todas as crenças, é
de membros da fé baha’i em quase 200 países. um objetivo utópico que nunca será realizado.
Os templos baha’i espalham-se pelas cidades (Veja hinduísmo, para a maior expressão desse
de todo o mundo. Os escritos de Bahá-u’llah já princípio central do bahaísmo).
foram traduzidos em centenas de línguas. Um segundo contraste agudo com o cristia­
Ensinos. “Vocês são os frutos de uma árvo- nis­mo é a crença do bahaísmo de que os grandes
re e as folhas de um ramo”. Assim declarava o mestres religiosos na história eram “manifesta-
fundador do bahaísmo. Para manter esse dogma ções” do Criador. Para o cristianismo, Jesus é a
básico, o movimento ensina que todas as religi- encarnação de Deus. Essa manifestação em carne
ões têm um grau de verdade; e isso justifica o do Todo-poderoso na pessoa de Jesus Cristo é re-
incentivo para uni-las numa religião mundial, jeitada pelos defensores da fé baha’i; eles alegam
composta por todos os princípios universais. que Deus simplesmente não pode ser identificado
“A terra é apenas um país e os seres humanos com a figura humana de Jesus nem de qualquer
são os cidadãos”, é outro slogan do movimento, outro grande líder religioso.
54 BAHAÍSMO

Conclusão. Outros princípios do bahaísmo BARRACÃO (cultos afro-brasileiros). O cômo-


incluem a defesa da igualdade entre os sexos, do principal de uma casa-de-santo, onde são re-
uma língua universal (alguns bahaístas creem alizadas as cerimônias públicas em homenagem
ser o esperanto), uma confederação mundial aos orixás. (AM)
de nações, o estabelecimento da paz mundial
e a completa e total liberdade para o estudo e a BATEÇÃO (santo-daime). Técnica que consiste
investigação independente do mundo. em macerar com marretas os pedaços do cipó
As atividades religiosas centralizam-se em ayahuasca, usado para preparar a bebida do
torno do calendário bahá’i e iniciam e terminam santo-daime. Durante esse processo, são entoa­
cada dia com o nascer e o pôr do sol. Os escritos dos hinos ao ritmo da bateção. Acredita-se que
diretivos do bahaísmo são os cânones sagrados quanto mais o batedor macerar o cipó, maior
de Bahá-u’llah e Shoghi Effendi. benefício terá, uma vez que a maceração purifica
o indivíduo de seus pecados. (AM)
BAHAÍSMO. Veja baha’i.
BATISMO PELOS MORTOS (mormonismo).
BAKAS (vodu; ocultismo). Nome dos espíritos Prática mórmon que consiste no batismo por
maus que tomam a forma de animais ou seres procuração, ou seja, um membro da igreja batiza-
humanos. se no lugar de um morto. Tal prática permite
que o falecido alcance a salvação, pois, de outra
BAKR, ABU (573-634). O primeiro dos quatro forma, estaria perdido. A prática foi introduzida
califas muçulmanos sucessores de Maomé. Bakr quando joseph smith disse: “A maior responsabi-
era o amigo e aliado mais chegado ao profeta. lidade que Deus tem colocado sobre nós neste
mundo é a de nos preocuparmos com os nossos
BALLARD, EDNA (1886-1971). Co-fundadora mortos” (Journal of Discourses, vol. 6, p. 7). Smith
do movimento mestres ascensos “eu sou”, junto e os mórmons em geral baseiam essa prática
com o marido guy ballard. nos palavras do apóstolo Paulo em 1Coríntios
15.29: “[...] de outra maneira, que farão os que se
BALLARD, GUY (1878-1939). Fundador do batizam pelos mortos?”. Esse texto tem causado
movimento mestres ascensos “eu sou”, junto com extrema dificuldade aos teólogos e acadêmicos
sua esposa Edna. O maior e mais significativo através da história da Igreja, e várias interpreta-
grupo derivado desse movimento é a igreja uni- ções foram sugeridas. Um ponto de vista sustenta
versal e triunfante. que, desde que os cristãos estariam mortos em
breve, Paulo se referia aos fiéis que, quando
BALLOU, HOSEA (1771-1852). O “pai do uni- são batizados, morrem para o “eu” (Romanos
versalismo”, responsável pelo estabelecimento 6.1 ss) e contemplam a morte iminente. Outro
do alicerce que posteriormente unificou o unita- parecer sustenta que, como os cristãos morriam
rismo e o universalismo (v. Associação Unitariana por meio do martírio ou da velhice, outros eram
Universalista). batizados para substituir os que faleciam. Várias
outras interpretações são sugeridas, incluindo a
BANTO (cultos afro-brasileiros). Um dos grupos prática do mormonismo. Mas como o assunto é
étnicos, que inclui, entre outros países, Angola, mencionado em apenas um texto da Bíblia, não
Congo e Moçambique. Desse grupo veio a maior há uma maneira de determinar com precisão a
leva de escravos para o Brasil no início do século que exatamente Paulo se referia.
XVI. Muito voltada para o culto de ancestrais, essa
parcela étnica revela sua influência no candomblé BATUQUE (cultos afro-brasileiros). Um dos
de angola, que cultua os caboclos, que por sua vez nomes pelos quais a tradição religiosa iorubá é
influenciou a umbanda. (AM) conhecida. (AM)
BHAGWAN SHREE RAJNEESH; MOVIMENTO RAJNEESH 55

BEBÊ CRISTÃO (Meninos de Deus; A Família). estrangeiras. Os lares de Betel são as sedes admi-
Ou simplesmente “bebê”. Nome alternativo dado nistrativas da organização e onde são impressas
aos novos convertidos. Os bebês são os membros as revistas e os livros distribuídos pela seita.
mais simples da família real. O recém-chegado
estuda a bíblia juntamente com os ensinos de BHAGAVAD GITA (hinduísmo).“O canto sagra­
moisés davi, fundador e ex-líder dos Meninos de do”. Talvez seja a jóia mais preciosa da literatura
Deus (atualmente A Família). hindu e indiana; contém os elementos mais
importantes do pensamento hindu. O Bhagavad
BELO (Igreja Messiânica Mundial). É a parte da Gita, com certas ramificações, representa para o
trilogia Verdade-Bem-Belo, que corresponde à pu- hinduísmo o que a Bíblia é para o cristianismo.
reza em tudo, o espírito alegre e harmonioso. (AM)
BHAGAVAD GITA COMO ELE É (ISKCON).
BELTANE (bruxaria; ocultismo). Também Comentário autorizado sobre o Gita, escrito por
chamado de “véspera de maio”, Beltane é um Abhay Charan De, também conhecido como A.
dos oito festivais das estações ou sabás celebra- C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada, que enca-
dos pelas bruxas e outros grupos do ocultismo, beçou o movimento conhecido como Sociedade
no dia 30 de abril. Recebeu esse nome devido à Internacional para a Consciência de Khrisha
divindade celta Bel. Trata-se de um festival de (ISKCON, sigla em inglês). A obra Baghavad Gita
fertilidade no meio do verão, que, no paganismo como ele é tornou-se um comentário ampliado
celta, envolvia sacrifícios humanos e a colheita de Prabhupada sobre o baghavad gita. A fim de
do visco (erva daninha). exaltar a sabedoria como a virtude mais elevada,
Prabhupada retrata o verdadeiro sábio como o
BELZEBU (ocultismo; satanismo). Na bíblia, que permanece indiferente e insensível diante
especificamente no Novo Testamento, Belzebu das calamidades do mundo. Por quê? Porque
é identificado com satanás. No satanismo clássico não é sábio lamentar-se por qualquer que seja a
ele é também um dos demônios mais elevados na condição mundial.
escala de importância, e, às vezes, é chamado de
“senhor das moscas”. BHAGWAN SHREE RAJNEESH; MOVI-
MENTO RAJNEESH (1931-1990). Bhagwan
BEM (Igreja Messiânica Mundial). É a parte Shree Rajneesh (nome grosseiramente traduzido
da trilogia Verdade-Bem-Belo que consiste na como “Deus Senhor” ou “Senhor Deus”) foi
abolição do egoísmo, visando ao bem comum registrado Rajneesh Chandra Mohan em 1931,
de toda a humanidade. (AM) em Kuchwara, uma pequena vila na Índia. Era o
mais velho de doze filhos: ele, cinco irmãs e seis
BERG, DAVID BRANDT (1919-1995 [?]). Mu- irmãos. Seus pais Swami Devateerth Bharti e Ma
dou seu nome para Moisés Davi e estabeleceu o Amrit Saraswati criaram os filhos no jainismo
grupo chamado meninos de deus. Posteriormente, (religião derivada do hinduísmo que enfatiza o
essa comunidade se tornou a família do amor, hoje ascetismo e a reverência a todos os seres vivos).
conhecida como a família. Rajneesh não entendeu que sua missão na
vida era a de ser um guru, até que foi para a uni-
BESANT, ANNIE (1847-1933). Seguiu henry versidade. Antes disso, era descrito como “um
steel olcott como líder do movimento teosofia crítico radical de sua própria cultura”.1 Mesmo
internacional. quando ainda era criança, já manifestava um
grande interesse pela religião. O falecimento de
BETEL (Testemunhas de Jeová). Nome alter- seu avô, a quem era muito chegado, resultou
nativo da sede dos testemunhas de Jeova em numa grande preocupação com a morte. Rajne-
Brooklyn, Nova York, e das congêneres em terras esh frequentou a Universidade Jabalrur, onde
56 BHAGWAN SHREE RAJNEESH; MOVIMENTO RAJNEESH

se destacou em filosofia. Depois de terminar o publicou que, no tribunal, Rajneesh “foi pro-
mestrado, ensinou por vários anos na Universi- cessado e considerado culpado da violação de
dade do Estado de Madhya. Em 1966, entretanto, duas leis americanas de imigração: ter mentido
após receber a iluminação, abandonou o cargo de no formulário para solicitação de visto, quatro
professor para se tornar guru. anos antes, e ter conspirado para arranjar falsos
Rajneesh viajou por toda sua terra natal, a fim casamentos que permitiram seus seguidores
de proclamar seus ensinamentos. Nunca conquis- indianos alcançar seus estabelecimentos nos
tou um número razoável de seguidores na Índia, Estados Unidos”.7
como conseguiu nos Estados Unidos e em outros O juiz distrital Edward Leavy impôs uma
países. Entretanto, alcançou a reputação de ser o sentença suspensiva de dez anos de prisão e uma
“guru do sexo” da Índia. De 1969 a 1974, ensinou multa de 400 mil dólares, com a única condição
do monte Abu, no Rajastã. Em 1974, abriu a Bha- de que Rajneesh abandonasse os Estados Unidos.
gwan Shree Rajneesh, ashram (templo) com seus Ele aceitou e embarcou para Nova Délhi, onde foi
jardins exuberantes, na calma cidade de Poona,2 recebido por quinhentos de seus seguidores. No
que funcionou sete anos nessa localidade, visitado dia 20 de outubro de 1986, a última comunidade
por 50 mil americanos durante esse período. Uma de Rajneesh nos Estados Unidos foi fechada, em
pessoa famosa que se converteu ao rajneeshismo Laguna Beach.8
foi Shannon Jo Ryan, filha do congressista Leo Rajneesh não estabeleceu formalmente um
Ryan, morto em 1978, enquanto investigava o ashram depois de sua volta à Índia. Muitas fontes
templo do povo, em Jonestown.3 acreditam que ele permaneceu em sua terra natal
Em 1981, Rajneesh fugiu repentinamente de pelo resto de sua vida. O final chegou em janeiro
Poona, acusado de sonegar o imposto de renda.4 de 1990, quando Rajneesh morreu em Poona.
Em 10 de julho de 1981, comprou um rancho Ensinos. Rajneesh defendia o sexo livre e a li-
de quase 65 mil acres no Oregon, por 6 milhões berdade total das inibições. Essa permissividade
de dólares. O novo local foi chamado de Rajne- dos anos 1960 e 1970 trouxe muitos sanyasi para
eshpuram (expressão inventada por Rajneesh).
Os problemas começaram quase imediatamente,
quando os moradores do Oregon entraram com
uma petição para expulsar Rajneesh do estado.
Pressões por parte do promotor geral finalmente
obrigaram o grupo a abandonar a ashram. Sur-
giram novas complicações, quando Ma Anand
Sheela, auxiliar do alto escalão de Rajneesh, foi
presa sob acusação de assassinato e assalto. Ela
e “dois outros antigos correligionários eram sus-
peitos de tentar envenenar o médico pessoal de
Bhagwan e tinham uma lista com o nome de nove
inimigos de Rajneesh que seriam assassinados”.5
Rajneesh subsequentemente foi para Charlotte,
Carolina do Norte, onde buscou um santuário, na
tentativa de evitar ser preso por “permanência
no país sem visto e por arranjar casamentos de
conveniência para que seguidores selecionados
pudessem residir permanentemente nos Estados
Unidos”.6 Rajneesh foi capturado por agentes
federais quando embarcava num avião com
destino às Ilhas Bermudas. A revista Newsweek Bhagwan Shree Rajneesh. Cortesia de George Mather
BHAGWAN SHREE RAJNEESH; MOVIMENTO RAJNEESH 57

os pés do guru de Poona. Nos Estados Unidos, em essência. A busca no ciclo das reencarnações
seus seguidores ficaram conhecidos como neo- é para se alcançar a iluminação, obtida através
sanyasi, pois Rajneesh, ao adaptar o resultado do do amor/sexo e meditação. A morte resulta em
pragmatismo orientado do Ocidente, em geral, e alguém ser mandado de volta ao universo, para
do americano, em particular, mudou o conceito emergir novamente em algum outro ponto ao
de sanyasi (no qual um discípulo medita durante longo do círculo.
anos antes de alcançar a iluminação), para a Deus. Rajneesh não era um pensador sis-
possibilidade da iluminação imediata. Rajneesh temático. Seus pensamentos sobre qualquer
declarava suas razões de forma sucinta: “Os questão religiosa estão espalhados por todos os
ocidentais querem as coisas com rapidez; por seus volumosos escritos e fitas gravadas. Como
isso, nós lhes damos”.9 era de esperar, Rajneesh ensinava sobre Deus
Além do sexo livre, o ensino mais radical de e o universo essencialmente baseado na ótica
Rajneesh era que a unidade da família deveria hindu: “Deus não é uma pessoa esperando por
ser completamente desmantelada. O lar era visto você em algum lugar. Deus é você”.12 Ele também
como a “maior ameaça ao progresso humano”. declarou: “Deus é a síntese suprema; o átomo, a
Enquanto muitos escritores cristãos viam nisso análise suprema. A ciência alcança o átomo: ana-
uma das principais características de uma seita, lisa, divide, até atingir a partícula minúscula que
Rajneesh voltou às acusações ao denunciar o não pode ser separada. Aquela partícula é tudo.
papa e madre Teresa de Calcutá e acusar o pró- Nada mais existe além dela. A ciência é atômica;
prio cristianismo de ser uma seita. a religião é ‘holística’. Usa ambos”.13
“Eu nada professo”, dizia Rajneesh.10 Embora Porque Deus é tudo, todas as coisas são
seja verdade que ele jamais defendeu um sistema deuses, incluindo os seres humanos. O panteísmo
de pensamento, alguns elementos básicos resu- é diametralmente oposto ao conceito cristão de
mem seus conceitos religiosos: “Ser livre para Deus. O cristianismo distingue radicalmente
contradizer é um grande fenômeno, pois não me entre o Criador e a criação (Romanos 1.18ss),
preocupo de forma alguma com o que digo. Não enquanto na ótica de Rajneesh, assim como
guardo registro algum, não me preocupo com em todo o pensamento hindu, essa distinção
o que disse ontem. Não me contradigo: esta é a descamba para o monismo.14
grande liberdade”.11 Jesus Cristo. Para Rajneesh, Jesus “tornou-se
O pensamento de Rajneesh basicamente o Cristo na cruz, quando disse: “Seja feita a tua
derivava-se do hinduísmo. Como filósofo, era vontade e não a minha”.15 Ser Cristo é o estado
monista (v. monismo). Toda a realidade é uma da iluminação, nirvana, ou mocsa, conforme é

O rancho da Rajneeshpuram, Oregon. Cortesia do Spiritual Counterfeits Project.


58 BHAGWAN SHREE RAJNEESH; MOVIMENTO RAJNEESH

chamado. Qualquer um que busque a iluminação pecado é uma realidade (Romanos 3.23; 6.23) e
pode se tornar Cristo. Jesus, o homem, não nas- somente o que crê em Jesus Cristo escapará de
ceu de uma virgem como o cristianismo sustenta; suas consequências (João 3.18; credo apostólico,
mas era humano no mesmo sentido que todos Artigos 2 e 3, Apêndice 1).
os homens. Quando Jesus falou sobre cumprir Salvação. Conforme já foi mencionado, a
as Escrituras (Mateus 26.54; Marcos 14.49), salvação só ocorre quando uma pessoa se torna
Rajneesh cria que se referia às escrituras hindus Cristo ou iluminada. O cristianismo ensina que
e não ao Antigo Testamento. Ele também acre- a pessoa alcança a salvação por meio da fé em
ditava que Jesus sobreviveu após a crucificação Cristo.
e morreu com 112 anos de idade, em Caxemira, Final dos tempos. No pensamento hindu, a
na Índia. história é cíclica. Porque tudo é um, tudo perma-
Humanidade. O conceito do “novo homem” nece num plano contínuo. Rajneesh acreditava
ou “Zorba, o Buda” era central na filosofia de que foi João Batista no passado, e que reencarnou
Rajneesh. O novo homem é espiritual, materia- para exercer a função de Cristo.
lista, hedonista e preocupado com o presente. Um dos aspectos mais controvertidos do
Experiências, amor, sexo e meditação são as ensino da Rajneesh é seu antissemitismo. Em
preocupações combinadas do sanyasi: A diferença sua obra A semente de mostarda, ele declara: “Os
em Zorba e o velho homem é que o segundo é judeus estão sempre em busca de seus Hitleres,
dominado por sua riqueza, enquanto o primeiro alguém que os mate — pois não se submetem”.18
é senhor de todas as coisas, como os deuses são Um dos convertidos mais notáveis de Raj-
aptos para ser. neesh foi Richard Price, um dos gurus do mo-
O cristianismo ensina que experiência, amor vimento do potencial humano e co-fundador e
e sexo certamente são aspectos importantes diretor do Instituto Esalen. Muitas pessoas que
da vida. O amor cristão, entretanto, é altruísta participaram dos seminários forum ou se consi-
para com Deus e o próximo, conforme Cristo deravam simpatizantes do movimento nova era
demonstrou em sua própria pessoa e obra. O encontraram abrigo aos pés do “guru do sexo”
sexo é estritamente proibido fora do casamento de Poona. A revista Time descreve o processo de
(Gênesis 2.23,24; 4.1; 1Coríntios 6.16-20). O iniciação pelo qual o novo con­vertido precisava
matrimônio é consumado em toda a sua riqueza passar: “[...] precisam passar por uma cerimônia
e beleza entre o marido e a mulher (1Coríntios complexa liderada pelo próprio Rajneesh. Eles
7.2,3). O hedonismo e o mundanismo são proi- compram robes cor de laranja na butique do
bidos para o cristão. O principal objetivo é a vida ashram e depois se lavam totalmente. Ninguém
eterna (Colossenses 3.1), onde, imediatamente pode se aproximar do guru com asma ou qual-
após a morte, o fiel é levado à presença de Deus quer vestígio de poeira, perfume ou creme nos
e não para o ciclo da reencarnação. cabelos. Duas virgens loiras e altas postadas no
Pecado. Para Rajneesh, o pecado é essencial­ portão cheiram cuidadosamente todos os que
mente ser ou possuir a qualidade da inconsciên- querem entrar. Uma simples tosse durante o
cia. “Seu estado de pecador não é um resultado ritual pode causar a expulsão de uma pessoa”.
dos pecados cometidos. Seu estado de pecador Depois, Lawrence Malkin, o chefe do escri-
é um período de inconsciência”.16 O sexo, mes- tório da revista Time em Nova Délhi, relata: “Os
mo fora do casamento, não é pecado, porque iniciantes separados são colocados sentados
ajuda a levar a pessoa aos níveis mais elevados na posição de lótus, no duro piso da varanda.
da consciência. “A moralidade é um jogo; ela Rajneesh entra, vestido de um robe branco que
muda. De uma sociedade para outra, de uma chega até o chão. Um por um, os candidatos a
época para outra, de um período para outro, sanyas instantaneamente prostram-se dian­te dele
sempre muda. É relativa, pois nada existe em e recebem um colar de 108 contas com a foto plas-
definitivo quanto a ela”.17 Para o cristianismo, o tificada do guru pendurada como um medalhão
BÍBLIA 59

e uma palavra personalizada de sabedoria, dos 9


“God Sir” at Esalen East, Time, Jan. 16, 1978, p. 59.
lábios do guru [...] cada apóstolo também recebe 10
Ibid.
um novo nome”.19 11
Rajneesh, Bhagwan Shree. Words Like Fire. San
Conclusão. Rajneesh não existe mais. Mes- Francisco: Harper and Row, 1976, p. 37.
mo assim, sua influência sobrevive, principal- 12
Id. The Mustard Seed. San Francisco: Harper and
mente nos pensamentos da Nova Era. Muitos Row, 1975, p. 110.
outros membros olham para os seus escritos, 13
Rajneesh, Words Like Fire, p. 202.
e muitos seguidores passaram para a Nova Era 14
Cf. hinduísmo e sociedade de ioga ananda marga para
depois de sua morte. Em seus melhores dias, uma discussão complementar sobre a distinção
Rajneesh atraiu mais de 200 mil seguidores “Criador” e “criação” feita no cristianismo.
em bem mais de 500 centros espalhados pelo 15
Rajneesh, Words Like Fire, p. 271.
mundo. James S. Gordon, em seu livro O guru 16
Ibid., p. 191.
dourado, fez algumas declarações que provaram 17
Ibid., p. 176.
ser proféticas, embora feitas dois anos antes da 18
Id. The Mustard Seed, p. 32,
morte do guru: “No final, Rajneesh tornou-se o 19
“God Sir” at Esalen East, Time, Jan. 16, 1978, p. 59.
tipo de homem e de líder religioso que sempre 20
Gordon, James S. The Golden Guru. Lexington,
evitou. Se, de fato, seu ego dissolveu-se e diluiu- Mass.: Stephen Green Press, 1987, p. 245.
se como uma gota d’água no oceano, parecia que,
com o passar dos anos, ele se renovava e crescia. BHAJAN, YOGI (1929-2004). Fundou a orga-
Em seu isolamento, cresceu sua luta por poder, nização saudável, feliz e divina (também conhe-
luxo e posição. Tornou-se cada vez mais faminto cida como 3HO, em inglês “Happy, Healthy and
pela fama e mais enganador que qualquer um Holy Organization”), a ala educacional da shikh
dos políticos a quem atacava, mais ‘papa’ que dharma.
‘o Polaco’ e mais ‘santarrão’ que os santos que
procurava evitar. Em seu rancho, cercado de BHAKTA (hinduísmo). Possessão de um pro-
guardas armados, ricamente vestido e dopado, fundo amor pelo divino (bhakti); pessoa devota-
imperioso e imperial, lembrava muito mais Jim da a Deus; um seguidor fiel de krishna.
Jones do que Buda, Krishna ou Jesus. Não tinha
disposição para aprender ou mudar, ou mesmo BHAKTI (hinduísmo). Um dos quatro passos
admitir que houvesse algo errado e precisava do hinduísmo. A própria palavra bhakti significa
modificar”.20 “devoção”. Bhakti ioga, portanto, quer dizer
uma atitude dedicada ao “caminho da devoção”.
Notas Consiste em meditação, recitação de mantras e a
1
Asiatic Religions in Europe, Update (períodico obediência estrita aos ensinamentos de um guru.
trimestral sobre novos movimentos religiosos) 7, O bhakti é a forma mais popular de hinduísmo.
2 June 1983, p. 5.
2
“God Sir” at Esalen East, Time, Jan. 16, 1978, p. 59. BHASTRIKA KHUMBAKA (hinduísmo). Co-
3
Cf. artigo sobre Shannon Ryan na revista People, locar em prática as técnicas da ioga; treinamento
Feb. 16, 1981, p. 36-38. de uma pessoa nesse tipo de meditação.
4
Sins of Bhagwan, India Today, June 15, 1982, p.
135. BÍBLIA (cristianismo). Livro sagrado do cristia-
5
Busting the Bhagwan, Newsweek, Nov. 11, 1985, nismo, que inclui o Antigo Testamento e o Novo
p. 32. Testamento; o termo também se aplica aos escri-
6
Ibid., p. 26. tos sagrados do judaísmo (o Antigo Testamento
7
Goodbye, Guru, Newsweek, Nov. 25, 1985, p. 50. dos cristãos). Também chamada de Escrituras
8
Last Rajneesh Commune Close, Blade Tribune, Sagradas, Escritura e Palavra de Deus. A Bíblia
Oct. 20, 1986, p. 8. tem uma longa história em seu desenvolvimento.
60 BÍBLIA

Antigo Testamento. Os judeus ortodoxos di- 1—2Macabeus


vidiam suas Escrituras em Lei (ou Torá), Profetas Sabedoria de Salomão
e Escritos. O cânon hebraico ou judaico é com- Eclesiástico
posto por 24 livros, divididos da seguinte forma: Baruque

A Lei (Torá) O cânon católico organizou os livros do Antigo


Gênesis Testamento de maneira diferente: Lei, História,
Êxodo Poesia e Sabedoria, Escritos Proféticos e Profetas
Levítico Menores. A ordem é a seguinte:
Números
Deuteronômio Lei
Gênesis
Os Profetas (Neviim) Êxodo
Profetas Anteriores Levítico
Josué Números
Juízes Deuteronômio
1—2Samuel
1—2Reis História
Josué
Profetas Posteriores Juízes
Isaías Rute
Jeremias 1—2Samuel
Ezequiel 1—2Reis
Os Doze (Oséias a Malaquias) 1—2Crônicas
Esdras
Os Escritos (Ketuvim) Neemias
Salmos Ester

Provérbios Poesia e Sabedoria
Daniel Jó
Esdras-Neemias Salmos
1—2Crônicas Provérbios
Rute Eclesiastes
Cântico dos Cânticos Cântico dos Cânticos
Eclesiastes
Lamentações de Jeremias Escritos Proféticos
Ester Isaías
Jeremias
Essa divisão era familiar aos judeus que vive- Lamentações
ram nos dias de Jesus, com certa disputa sobre Ezequiel
vários textos escritos. Sete livros adicionais, Daniel
chamados “apócrifos” ou “deuterocanônicos”,
foram incluídos mais tarde no cânon católico, Profetas Menores
mas não no judaico. São os seguintes: Os Doze (de Oseias a Malaquias).

Tobias Durante a Reforma, os protestantes adotaram


Judite o cânon hebraico e o arranjo católico dos livros,
BÍBLIA 61

totalizando 39 (os 46 do cânon católico menos Durante toda a história da Igreja, muitas
os 7 apócrifos). técnicas de hermenêutica foram usadas para
Antes da era do Novo Testamento, as Escri- interpretar a Bíblia. O método alegórico foi em-
turas hebraicas foram traduzidas para a língua pregado com frequência durante a Idade Média.
grega. Acredita-se que essa versão foi feita por 72 A hermenêutica moderna, desde os tempos da
tradutores, e por isso chamada de septuaginta. A Reforma, inclui uma abordagem mais literária
igreja primitiva usava-a frequentemente em vez e científica, tanto por parte dos católicos como
de a Bíblia hebraica até o período de Jerônimo, dos protestantes. No século XIX surgiu um novo
que a considerava inspirada (v. cristianismo). método de estudo bíblico, conhecido como “Alta
Novo Testamento. A Igreja bem cedo reco- Crítica”. A crítica da forma, da fonte e da redação
nheceu que certos escritos dos apóstolos eram tornaram-se as ferramentas e as técnicas em-
inspirados. A ideia de um Novo Testamento ou pregadas para o estudo da Bíblia. Todos esses
uma nova aliança em oposição à antiga foi um métodos são classificados sob a disciplina da alta
conceito adotado a partir do tempo de Tertulia­no crítica. Outra metodologia, conhecida como “Bai-
(v. cristianismo). Como o Antigo Testamento, os xa Crítica”, ou crítica textual, preocupa-se com o
livros do Novo são classificados de acordo com estudo do atual texto da Bíblia e sua transmissão.
o gênero literário, como se segue: O século XX caracterizou-se em uma nova
era pós-crítica, na qual as questões de história
Evangelhos e de fonte foram colocadas num cabedal de
(Relatos da vida e do ministério de Jesus) abordagens que veem o cânon como um todo
e que se concentra na possibilidade de ele ser
Mateus usado e aplicado pelas comunidades cristãs. crí-
Marcos Sinóticos tica de narrativa e cânonica são duas abordagem
Lucas amplamente aceitas. O Movimento Feminista
João (v. bruxaria) introduziu uma abordagem radical
no campo da hermenêutica. Outras escolas pós-
História críticas rejeitam a Bíblia, pois alegam que ela
Atos dos Apóstolos não é relevante para século atual. Para alguns, o
programa radical do desconstrucionismo cons-
Epístolas titui a única iniciativa significativa em que um
Paulinas acadêmico crítico pode se engajar.
Católicas (ou Gerais) As traduções dos textos hebraico, aramaico e
grego foram feitas bem cedo. Essas eram os Tar-
Apocalipse gumim (paráfrases em aramaico das Escrituras
Apocalipse (Revelação) hebraicas) e as versões siríaca, egípcia, etíope,
árabe, armênia, gótica, copta e latina (a Vulgata de
O corpo inteiro dos escritos do Novo Testa­ Jerônimo). Elas possuem um histórico interessan-
mento foi reunido na última parte do século te. A Bíblia em inglês, entretanto, será o foco aqui.
IV. Entretanto, alguns livros, como Hebreus e Versões em inglês. Porções da Bíblia foram
Apocalipse, ainda tinham sua canonicidade traduzidas para a língua inglesa no início da Idade
discutida no século IX. lutero levantou a ques- Média, mas todo o texto nunca fora impresso em
tão novamente no século XVI; ele duvidava da inglês. Acredita-se que a versão de John Wycliffe
canonicidade dos livros de Tiago, Apocalipse, seja a primeira, embora não se tenha certeza.
Hebreus e Judas. Apesar dos desafios de várias
partes, a Bíblia (Antigo e Novo Testamento, com 1. Wycliffe. Será a primeira se aceitarmos
66 livros) é considerada a revelação que Deus fez seu Novo Testamento como o primeiro; foi
de si mesmo para a Igreja. traduzida da Vulgata latina e publicada no
62 BILOCAÇÃO

século XIV. Ele foi ajudado no trabalho de 23. The American Standard Version (1971).
tradução do Antigo Testamento por um de 24. Good News Bible (1976).
seus alunos, Nicholas de Hereford (m. 1420). 25. New International Version (1978).
Alistamos a seguir o catálogo das versões 26. New King James Version (1982).
que seguiram a de Wycliffe: 27. New Revised Standard Version (1989).
2. Purvey. Substituiu a Bíblia de Wycliffe e foi
usada até a publicação da versão de Tyn­dale. Notas
3. Tyndale. Primeira versão a usar o grego. 1
Existe uma legião de fontes secundárias da história
Tyndale também foi auxiliado pela versão bíblica em inglês. Cf. F. H. A. Scrivener, The Au-
de Lutero. Publicou o Pentateuco em 1530 thorized Edition of the English Bible [A edição
e o livro de Jonas em 1531. autorizada da Bíblia em inglês] (1611 e 1884); H. W.
4. Coverdale Bible. Primeira Bíblia completa Robinson, The Bible in its Ancient and English
em inglês (1535). Versions [A Bíblia no passado e versões inglesas]
5. Matthew’s Bible. Compilada a partir das (1940); C. C. Butterworth, The Literary Lineage
versões Coverdale e Tyndale (1537). of the King James Bible [A linhagem literária
6. Great Bible. Obra de Coverdale; também da Bíblia do rei James] (1340,1611,1941); H. Pope,
chamada Bíblia de Cranmer (prefácio de English Versions of the Bible [Versões inglesas
Thomas Cranmer) (1539). da Bíblia, 1952); The Cambridge History of the
7. Taverner (1539). Bible [A história da Bíblia de Cambridge, 1963); F.
8. Geneva Bible (1560). Usada por Shakespeare. F. Bruce, History of the Bible in English [História
9. Bishops’ Bible (1568). da Bíblia em ingles] (1961).
10. King James Version (ou Tiago) (1611). 2
A história da Bíblia em inglês muda de direção no
Também chamada de Authorized Version relato da Crítica Textual, com a publicação da Revised
[Versão Autorizada], obra de 54 tradutores; Version [Versão Revisada] em 1881. O anglicano J.
feita a pedido do rei Jaime, para que fosse W. Burgon questionou a validade da metodologia de
produzido um texto que satisfizesse as fac- Westcott e Hort em sua obra The Revision Revised
ções dos puritanos e anglicanos, na Igreja [A revisão revisada] (1883). O constante debate
da Inglaterra. Por vários séculos, foi a Bíblia entre os críticos textuais mais proeminentes de hoje
mais lida no mundo de fala inglesa. é centralizado não tanto nas versões em inglês, mas
11. Revised Version (1881). Obra de Westcott em torno da questão sobre qual texto é o melhor para
e Hort, baseada em novas descobertas dos ser usado numa tradução. É um debate a respeito da
ma­nuscritos.2 metodologia, o papel da crítica científica e da teologia.
12. The American Standard Version (1901). A literatura é muito abundante para ser mencionada
13. Weymouth (Novo Testamento - 1902). aqui. Para uma boa bibliografia e introdução à ques-
14. Moffatt (Novo Testamento, 1913; Antigo tão, veja Wilbur Pickering, The Identity of the New
Testamento, 1924). Testament Text [A identidade do texto do Novo
15. E. J. Goodspeed/Dowers Smith (1935). Testamento]. Nashville: Thomas Nelson, 1977. Veja
16. Revised Standard Version (Antigo Testamen- também The Majority Text: Essays and Reviews
to, 1946; Novo Testamento, 1952); versão in the Continuing Debate [O Texto Majoritário:
católica romana da RSV (1966). ensaios e retrospectos no debate continuado], Theo-
17. J. B. Phillips (1958). dore P. Letis (Ed.). Fort Wayne: Institute for Biblical
18. New English Bible (Novo Testamento, 1961; Textual Studies, 1987.
Antigo Testamento, 1970).
19. Beck’s Translation (1963). BILOCAÇÃO (ocultismo; Eckankar). Um dos
20. Anchor Bible (iniciada em 1964). vários métodos através dos quais um devoto do
21. Jerusalem Bible (1966, católica romana). eckankar encontra sugmad. A bilocação é um pou-
22. The Living Bible (1971). co mais do que a projeção astral (v. projeciologia).
BOLA DE CRISTAL 63

BISPADO (mormonismo). Geralmente com- BOGOMILISMO (cristianismo). Seita herética


posto por três membros, o bispado tem a res- que se desenvolveu no século XI na região dos
ponsabilidade de assegurar que todas as tarefas Bálcãs e espalhou-se até a França. Os bogomilos,
específicas do sacerdócio aarônico estejam em como os albigenses, ensinavam o maniqueísmo —
plena atividade. o corpo é mau e o casamento devia ser evitado,
juntamente com todas as possessões materiais
BISPO (mormonismo). Líder do mormonismo cuja e mundanas. Somente um seleto grupo de bo-
principal função é a de supervisionar o trabalho gomilos, chamado perfeito, era capaz de manter
dos sacerdotes dentro das várias alas e estacas. Os esses padrões elevados. Os outros seriam salvos
bispos são escolhidos entre os sacerdotes. através da obediência às suas ordens. Os bogo-
milos rejeitavam os sacramentos, os sacerdotes e
BLAVATSKY, MADAME HELENA PETROVNA a Igreja; ensinavam que Cristo não era humano,
(1831-1891). Anteriormente chamada de Helen mas apenas parecia tal (v. docetismo).
Hahn, co-fundadora da teosofia.
BOKOR (vodu; ocultismo). Indivíduo que pratica
BLIGHTON, PADRE EARL PAUL (1900-1974). a feitiçaria e a magia de um médico bruxo.
Fundador da ordem sagrada de mans (atualmente
chamada de Irmandade Cristo Salvador). BOLA DE CRISTAL (ocultismo). Objeto em
forma de bola, feito de vidro ou cristal, usado
BODE (ocultismo; bruxaria; satanismo). Forma por cristalomantes, clarividentes e adivinhos (v.
assumida pelo diabo quando preside o sabá das adivinhação), na técnica conhecida como skrying.
bruxas. No cristianismo, Jesus é o Cordeiro de Ao olhar dentro do vidro, o clarividente entra
Deus que se ofereceu como sacrifício para expiar num tipo de transe e é capaz de visualizar eventos
os pecados do mundo. Os seguidores de Cristo, futuros. Essa técnica também é conhecida como
portanto, são considerados ovelhas. No final dos “visão do cristal” e a prática de utilizar uma bola
tempos, a bíblia fala sobre o Dia do Julgamento, de cristal é chamada de cristalomancia.
quando as ovelhas (os fiéis) serão separadas dos
bodes (os filhos do Diabo).

BODHA (budismo). Iluminação; inteligência.

BODHI (zen budismo). O momento em que um


indivíduo entra em completa harmonia com o
absoluto ao perceber que o “tudo” é apenas “um”.

BODHI-DHARMA (m. 534 d.C.). Popularmente


reconhecido como fundador do zen (v. tao-sheng).

BODISATVA (budismo). Indivíduo que alcançou


o nível onde o nirvana é acessível e onde ele está
pronto para tornar-se buda. Apesar disso, os bo-
disatvas privam-se de cruzar e entrar no nirvana,
na esperança de que, através do trabalho diligente,
possam alcançar o estado de deificação nesta vida.
Uma bola de cristal, geralmente usada na cartomancia. Esta foi
BOGEYMAN (vodu; ocultismo). Um espírito fotografada na Feira de Renascimento/Ocultismo, em Bristol,
do mal. Wisconsin. Cortesia de Jack M. Roper/CARIS
64 BOTÂNICA

BOTÂNICA (santeria; vodu; ocultismo). Arma- BRAHMIN (hinduísmo). Outra forma de se


zém de ervas que vende os itens necessários para pronunciar a palavra brama.
a preparação dos rituais realizados na santeria
e no culto vodu. As botânicas estão localizadas BRAMA (hinduísmo). Princípio criativo de toda
nos Estados Unidos, especialmente nas áreas a vida no universo (também chamado brahman).
urbanas habitadas por hispano-americanos. Representa o Absoluto panteísta de toda a exis-
tência; a Unidade. Também é o termo hindu para
BOUCAN (vodu). Incêndio provocado pelos a casta sacerdotal (brâmane).
devotos do vodu, ao ar livre, para restaurar os
poderes do sol. Esse ritual é realizado antes do BRÂMANE (hinduísmo). Sacerdote do hinduís­mo.
início de cada ano. Veja brama.

BRACELETE DE CAVALO (ocultismo). São BRAMANISMO (hinduísmo). Veja brama.


amuletos que se prendem nos arreios de um
cavalo e é utilizado para afastar maus espíritos. BRAMANISTA (hinduísmo).Adepto dos brâmanes.

BRAHMACHARIN (hinduísmo; ISKCON). BRANHAM, WILLIAM MARION (1909-


Estudante celibatário que devota sua vida a 1965). Branham recebeu sua primeira visão em
um guru. Ele pratica o celibato externamente 1916, aos 7 anos. Sua mais importante revelação
e disciplina seus pensamentos interiores para veio em 7 de maio de 1946, quando um anjo lhe
ter o mesmo efeito. Ao fazer isso, o estudante apareceu, relatou-lhe sobre seu passado e deu-lhe
submete-se a um estudo rigoroso e muita disci- uma visão do futuro. O ser angelical lhe disse que
plina. Quando está preparado, entra no segundo ele se tornaria um evangelista com dom de cura.
estágio, conhecido como grihastha. O anjo declarou-se o mesmo de Apocalipse 3.14
e 10.7. Ele fundou o branhamismo.
BRAHMAJNAN (hinduísmo). Sabedoria cuja
fonte flui do brama. BRANHANISMO (Tabernáculo da Fé).

BRAHMA-SUTRA-BHASHYA (hinduísmo). O Profeta


Comentário corrente sobre os escritos de ve- William Marion Branham
danta.
Um dia, ouvi sobre um profeta cuja mensa-
BRAHMAN. Veja brama. gem dirigida a nós vinha diretamente da Bíblia,
com a palavra: “Assim diz o Senhor!”
Eu pensava que aqueles dias tinham termi-
nado e que todos os profetas de Deus estavam
mortos. O Senhor, entretanto, fez sua vindicação:
uma coluna de fogo sobre sua cabeça!
ele pregou a predestinação e o batismo no
nome de Jesus; a cura divina, a semente da ser-
pente e que Deus é o mesmo para sempre!
Os enfermos, os cegos e os aleijados, os en-
demoninhados, os surdos e os perdidos vinham
aos milhares para vê-lo, enquanto ele pregava a
palavra a qualquer custo!
Botânica encontrada em Miami, Flórida. Cortesia de Jack M Malaquias 4 disse-nos que ele se aproximava e
Roper/CARIS a palavra de Deus nunca falha; quando nos deixou,
BRANHANISMO 65

ele nos deu uma promessa: uma vez mais andarei o Dictionary of Pentecostal and Charismatic
por este caminho! Movements [Dicionário de movimentos caris-
Não sabemos o que acontecerá, pois não máticos e pentecostais], publicado em 1988 pela
podemos entender os caminhos de Deus; mas Zondervan (p. 96).
permaneceremos firmes em sua Palavra, até que Branham afirma que Deus falou com ele a
ele nos chame, como uma noiva, para aquela primeira vez aos sete anos de idade. Enquanto
terra celestial! carregava água para a destilaria ilegal do pai,
Nosso profeta viu numa visão uma tenda e parou para descansar debaixo de uma árvore. No
uma completa transformação; embora ele tenha vento que assobiava entre as folhas do arbusto,
partido, isso se completará, pois é uma promessa ouviu uma voz que dizia: “Nunca beba, fume
e se cumprirá! ou profane seu corpo por qualquer meio, pois
Assim disse o Senhor! eu tenho uma obra para você realizar quando
estiver mais velho”.2 O pai de Branham muitas
Essas palavras poéticas estão inscritas no vezes o chamava de efeminado, porque se recu-
túmulo em forma de pirâmide do reverendo sava a ingerir bebida alcoólica. Num momento
william marion branham (1909-1965), na cidade de de fraqueza, o jovem William decidiu provar aos
Jeffersonville, Indiana (EUA); ele foi morto aos familiares que podia consumir álcool como todos
56 anos de idade por um motorista embriagado. os outros membros da família Branham (os seus
Embora esteja morto há várias décadas, sua quatro irmãos bebiam junto com o pai). Ao levar
memória é preservada pelos seus seguidores, os a garrafa aos lábios, subitamente ouviu a mesma
quais estão convictos de que ele era um profeta voz que falara no passado e começou a chorar,
investido com o poder e o espírito do profeta pelo que seu pai prontamente disse: “Vejam, eu
Elias, levantado por Deus para ministrar à Igreja disse que ele era um maricas”.3 A voz repetiu a
na era moderna. Os branhamitas referem-se a mesma mensagem em várias ocasiões na vida de
essa época como “a era de Laodiceia”, baseados Branham, antes de sua conversão.
na interpretação dispensacional das sete igrejas A conversão de Branham ao cristianismo
mencionadas em Apocalipse 2 e 3. aconteceu através da pregação de um pastor
William Branham nasceu em Kentucky em batista. Logo depois, ele sentiu a chamada para
6 de abril de 1909. Seu pai era falsificador e sua pregar e começou a fazer planos para dirigir seu
mãe não frequentava nenhuma Igreja cristã. En- primeiro culto na igreja. Em 1933, sob uma tenda
tretanto, quando William nasceu, eles e a parteira em Jeffersonville, Indiana, Branham pregou para
alegaram ter visto uma auréola sobre a cabeça aproximadamente três mil pessoas.
do bebê. Ficaram assustados e sem saber como A morte de sua esposa, Hope Brumback e
interpretar tal fenômeno. Os seguidores acredi- de sua filha ainda bebê, ambas em 1937, foram
tam que foi um sinal de que Deus tinha sua mão interpretadas por Branham como juízo de Deus,
sobre o jovem William desde seu nascimento. por não ter dado atenção ao chamado para mi-
A auréola supostamente apareceu novamente nistrar aos pentecostais unicistas, o qual conheceu
em Houston, Texas, em 1950, quando Branham durante um avivamento perto do rio Mishawaka,
pregava numa campanha. Uma foto do fenômeno em Indiana.
foi enviada para George Lacy, especialista em Em 1946, Branham alegou ter conversado com
examinar documentos questionáveis; depois de um anjo numa caverna secreta, onde recebeu o
examiná-la, fez a seguinte declaração para Bra- poder de discernir qual era a enfermidade das
nham, seus seguidores e a imprensa: “Reverendo pessoas. Dali para frente, os cultos de cura e
Branham, você morrerá como todos os outros reavivamento dirigidos pelo pregador místico de
mortais; mas, enquanto existir uma civilização Indiana eram frequentados por milhares de pes-
cristã, sua foto permanecerá viva”.1 A famosa soas, em auditórios e estádios por todo o mundo.
foto encontra-se em muitas publicações, como De outubro a dezembro de 1951, Branham viajou
66 BRANHANISMO

pela África do Sul e dirigiu o que foi chamado de Concílio de Niceia, os ensinamentos dos apósto-
“a maior de todas as reu­niões religiosas”. Todos os los foram trocados por uma doutrina mais nova e
tipos de milagres e curas foram praticados nessas mais aceita chamada de Trindade”.6 Sua teologia
reuniões, nas quais participaram centenas de é resumida da seguinte maneira:
milhares de pessoas. Os cultos foram realizados Deus. A teologia unicista ensina que Deus
na Cidade do Cabo, Johannesburg e Durban. Julius é uma pessoa ou uma essência. A Igreja antiga
Stadsklev documenta os vários milagres de cura encontrou essa ideia no monarquianismo modalista
em seu livro William Branham — A Prophet Visits ou sabelianismo, que recebeu esse nome por causa
South Africa [William Branham: um profeta visita de um de seus mais proeminentes defensores,
a África do Sul] (1952). Walter Hollenwegger, que Sabélio; ele ensinava que Deus se manifestava
em determinada ocasião serviu de intérprete para de “modos” diversos em momentos diferentes.
Branham em Zurique, Suíça, escreveu que “não Na criação, Deus era o Pai eterno. Quando Jesus
tinha conhecimento de algum caso no qual ele nasceu, foi o próprio Deus (que anteriormente
[Branham] estivesse equivocado nas declarações era o Pai) que assumiu a forma humana como
sempre detalhadas que fazia”.4 o Filho redentor. Depois da ascensão de Cristo,
As razões para a imensa popularidade e Deus então se manifestou como o Espírito Santo,
do sucesso de Branham são resumidas por D. forma na qual atualmente ele se move na Igreja
J. Wilson: “Em contraste com a caricatura do e por meio dela. O modalismo originalmente
evangelista preocupado com a imagem, ele vi- era a tentativa bem-intencionada de preservar
via modestamente, vestia-se com moderação e a unidade da pessoa de Deus. Ao fazer isso, en-
orgulhava-se da pobreza em que vivera na juven- tretanto, a subsistência independente do Pai, do
tude. Isso o tornava querido entre as multidões Filho e do Espírito Santo, à qual a Bíblia se refere
que o idealizaram. Ele tinha consciência de sua em várias ocasiões, foi perdida. O modalismo
falta de educação; mas a simplicidade de suas recebeu oposição dos principais teólogos na
mensagens tinha um apelo mundial. Ao enfatizar igreja primitiva, como Dionísio de Alexandria. A
a cura, a prosperidade e negligenciar sua teologia teologia trinitariana, que emergiu do Concílio de
unicista, Branham era capaz de pregar também Niceia (325 d.C.), foi um testemunho do fato de
nos círculos pentecostais trinitarianos”.5 que a Igreja reconhecia a subsistência distintiva
Branham foi morto em 1965. Alguns de seus do Pai, do Filho e do Espírito Santo, como era
seguidores esperavam sua ressurreição, enquanto claramente atestado nos escritos apostólicos
outros edificaram um santuário (uma pirâmide) do Novo Testamento. (Veja cristadelfianismo e
em sua memória, no seu túmulo em Jeffersonville. o caminho internacional para mais argumentos
Além do poema biográfico inscrito no monu- sobre a Trindade.)
mento (v. no início deste ensaio), no segundo Batismo. Branham argumentava que, pelo
lado do santuário foram inscritos os nomes de fato de Deus ser uma única pessoa, a doutrina
seis grandes líderes cristãos de toda a história da Trindade “é do Diabo”. Portanto, qualquer
da Igreja, dos quais Branham é o sétimo: Paulo, um que foi batizado no nome do Deus Trino deve
Irineu, Martinho, Columba, lutero, Wesley e Bra- novamente descer às águas “somente no nome de
nham. Cada um é visto como o profeta que Deus Jesus”. Branham entendia que a fórmula batismal
levantou em cada uma das sete épocas da Igreja dada por Jesus em Mateus 28.18-20 era um resu-
em Apocalipse. O terceiro lado do monumento mo da ideia modalística mencio­nada acima: “Por
traz a lista das sete igrejas da Ásia: Éfeso, Esmirna, que você não examina seu batismo em nome do
Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodiceia; a Pai, do Filho e do Espírito Santo e a falsa “Trin-
última era a que Branham estava engajado. dade”, assim chamada, que não é outra coisa no
Ensinos. Essencialmente, a teologia de Bra- mundo senão três funções ou títulos do Deus
nham é unicista em caráter, que nega a teologia único? Não existe o nome Pai. Não existe tal coisa
cristã tradicional da trindade. Ele declara: “No como nome “Pai, Filho e Espírito Santo” [...].7
BRANHANISMO 67

Humanidade. Branham ensinava uma na Igreja praticamente desde o princípio. Paulo


doutrina que chamava de “semente da serpente”, e Barnabé tiveram uma séria divergência entre
segundo a qual Eva tivera relações sexuais com o eles, devido ao problema criado por João Marcos
Diabo no jardim do Éden. Portanto, alguns seres na primeira viagem missionária (Atos 15.36-41).
humanos estão predestinados ao inferno, que, Paulo deparou-se com as disputas na igreja em
entretanto, não é um lugar de tormento eterno, Corinto (1Coríntios 1.10-12), embora a plurali-
como o cristianismo sustenta. Esse lugar será dade e a diversidade encontradas na cristandade
lançado fora por Deus. Por outro lado, existem os sejam compensadas pela unidade que todos os
nascidos da “semente de Deus”, que não foram cristãos experimentam no amor e no perdão que
corrompidos pela união infiel da mulher, os quais todos alcançam em Jesus Cristo (João 3.16). O
serão os herdeiros da vida eterna. Branham acre- que crê em Cristo compõe a “Igreja, una, santa,
ditava que os que seguiam seus ensinamentos católica e apostólica” (credo niceno, Apêndice 1).
eram da semente justa. O credo apostólico menciona todos os verdadeiros
Pelo menos uma ramificação da teologia cristãos que receberam o “perdão dos pecados”
cristã, o calvinismo, ensina a doutrina da dupla como membros da “comunhão dos santos”.
predestinação. Entretanto, Calvino, nem outro Sectarismos estreitos sempre foram vistos dentro
movimento dentro da cristandade ortodoxa, da Igreja e sempre serão denunciados (Mateus
jamais alegou que Eva manteve relações se­xuais 10.40; Lucas 9.49,50).
com o diabo e que a descendência resultante de Alguns dos seguidores de Branham acre-
tal prática eram as almas predestinadas para ditavam que ele era nascido de uma virgem. O
a condenação. Essa é uma ideia defendida por cristianismo considera essa ideia uma grande
alguns grupos de ocultismo e satanismo. Agosti- heresia. Nenhum outro, além do fundador da
nho cria que o “pecado original” é herdado pela cristandade, pode alegar que entrou no mundo
raça humana por meio da luxúria sexual ou da dessa maneira.
“concupiscência”; mas, novamente, foi Adão Final dos tempos. Branham acreditava ser o
quem pecou e teve relações sexuais com a Eva Elias prometido de Malaquias 4.5, enviado como
pecadora. Juntos, eles produziram uma descen- o arauto para proclamar a chegada do fim. A
dência que herdou tal corrupção. A doutrina da exegese que o cristianismo faz dessa passagem
serpente, de Branham, está claramente fora dos conclui que João Batista foi o arauto mencionado
limites da ortodoxia. ali (João 1.6-9). Apesar de ter negado (1.21), ele
Igreja. De acordo com Branham, todas as preencheu perfeitamente o papel do arauto de
denominações dentro da cristandade são após- Isaías 40.3. Curiosamente, o judaísmo ortodoxo
tatas e pertencem ao Diabo. Pessoas de diferentes sustenta que o advento do Elias ainda está para
grupos denominacionais podem ser salvas; mas acontecer. Por essa razão, é costume dos judeus,
terão de suportar os sofrimentos no período na cerimônia da Páscoa (Seder), deixar um lugar
futuro conhecido como “grande tribulação”. Os vazio na mesa, como símbolo da vinda de Elias.
verdadeiros cristãos serão rebatizados “somente Entretanto, nenhum judeu ortodoxo jamais
no nome de Jesus” e seguirão as doutrinas ensi- convidou Branham para sentar-se à mesa na
nadas pelo apóstolo de Deus da sétima e última cerimônia da Páscoa.
era da história da Igreja: William Branham. Fazer Conclusão. Existem muitos outros aspectos
parte de qualquer igreja denominacional é ter a questionáveis da teologia de Branham, mas
marca da besta (Apocalipse 13.6-18). foram omitidos aqui porque são bem caracte-
Para a ortodoxia tradicional, as denomina- rísticos de muitos grupos tradicionais que estão
ções são meramente o infeliz testemunho do fato dentro dos limites da cristandade tradicional.
de que seres humanos pecadores, embora sejam Embora Branham tenha falecido em 1965,
cristãos, simplesmente não podem concordar em o número de seus seguidores aumenta cons-
todos os aspectos doutrinários. Houve divisão tantemente, os quais creem fervorosamente
68 BROOKS, NONA

na verdade de sua causa. Os mais extremistas regrinações à Índia e até mesmo estudou num
acreditam que ele ressuscitará para vindicar seminário luterano, onde teve uma “experiência
sua missão. Outros ainda acreditam que ele era de morte temporária”.
o próprio Deus em figura humana. A maioria Bubba Free John alega sem constrangimen-
dos seus admiradores, entretanto, simplesmente to algum ser brama. Na sociedade vedanta, de
crê e segue o que consideram um profeta dos Hollywood, experimentou novamente a ilumi-
tempos modernos. Branham está no mesmo nação de sua juventude, procurada havia muito
nível de muitos homens que o precederam — e tempo. Desta vez ela durou e ele entrou no que
muitos que ainda virão — que se consideravam descreveu como a iluminação total. Ele afirmou:
escolhidos de Deus, separados por meio de uma “Eu sou a Realidade, o Ser, a Natureza e o Sus-
voz audível ou de uma visão. tentáculo de todas as coisas e de todos os seres.
Eu sou o Ser Único conhecido como Deus, brama,
Notas atma, a Mente Única, o Ser (The Knee of Listening.
1
Stadsklev, Julius. William Branham — A Prophet Los Angeles: Dawn Horse Press, 1972, p. 135).
Visits South Africa. Minneapolis: Julius Stadsklev, Os ensinamentos de Bubba Free John são
1952, p. 35. baseados essencialmente no pensamento hin-
2
Ibid., p. 3. du, particularmente nas doutrinas de Advaita
3
Ibid., p. 6. vedanta. O universo material é uma ilusão. O
4
Hollenwegger, Walter J. The Pentecostals. Minnea- Ser Divino, Deus, é a única realidade genuína. A
polis: Augsburg, 1972, p. 354. hu­manidade, para alcançar a salvação, precisa
5
Wilson, D. J. William Marion Branham. In: Burgess deixar para trás o mundo material e devotar-se
Stanley M.; McGee Gary B. (Ed.) Dictionary of totalmente a Deus. Isso ocorre por meio da total
Pentecostal and Charismatics Movements. Grand devoção ao guru, ou seja, Bubba Free John.
Rapids: Zondervan, 1988, p. 95.
6
Branham, William. Thus Saith the Lord 2, n. 5, p. 4-7, BRUXA (bruxaria). Praticante de bruxaria que
apud Beisner, Carl (Ed.).William Branham. Christian geralmente está ligada a uma convenção.
Research Institute Fact Sheet. San Juan Capistrano,
Calif.: Christian Research Institute, 1979, p. 2. BRUXARIA. Observações gerais e história. O
7
Id., The Lord God Hath Spoken, compêndio de men- termo bruxaria é definido de diversas maneiras.
sagens gravadas em fitas k-7 com pronunciamentos No passado, referia-se com mais frequência a
de Branham sobre vários assuntos. pessoas que manipulavam poderes sobrenaturais
com o propósito malevolente de praticar a magia
BROOKS, NONA (1861-1945). Estabeleceu o negra. Por essa razão, “bruxaria”, “feitiçaria” e
grupo chamado ciência divina. “magia” são termos quase sinônimos.
A bruxaria é falsamente identificada com o
BUBBA FREE JOHN (hinduísmo). Nascido satanismo. É verdade que na Idade Média as “bru-
em novembro de 1939, Franklin Jones mudou xas” foram caçadas e executadas como inimigas
seu nome para Bubba Free John e tornou-se o da Igreja, assim como os satanistas. Entretanto,
primeiro siddha nascido nos Estados Unidos. essa convergência ocorrida no tempo medieval
Logo cedo, teve uma experiência descrita por ele coincidiu com uma história muito mais ampla.
mesmo como “uma alegre autoconscientização”. A antropóloga e bruxa confessa margaret
Entretanto, essa iluminação não durou muito e ele murray (1863-1963) argumentava que a bru-
entrou em seus anos de universidade em busca de xaria era mais antiga do que o cristianismo. Ela
uma nova experiência de êxtase. Experimentou acreditava que as bruxas existiam nas antigas
LSD e praticou meditação. Entre seus mestres culturas pagãs muito anteriores à bíblia. Embora
encontram-se swami muktananda e rudranand seja verdade que os povos antigos praticavam
(Albert Rudolph). Além disso, também fez pe- vários rituais, que os classificavam como bruxos,
BRUXARIA 69

é extremamente difícil basear a tese de Marga- estabeleceu para o cristianismo [...] Para os mu-
ret nos fragmentos da história das sociedades çulmanos, a mulher é inferior, embora destinada
pré-industriais. É difícil demais reunir tantos por Alá a ser doadora e receptora do prazer. Para
pedaços ecléticos de várias crenças e práticas o cristianismo paulino, a mulher não somente
comuns em culturas sem nenhuma relação umas é inferior, mas também uma tentação para o
com as outras. Também não se pode determinar pecado, moralmente fraca, se não ímpia (uma
o desenvolvimento de uma única organização visão da qual a Igreja nunca se livrou totalmente
matriarcal ou religião sobre a bruxaria. Mesmo — embora não se encontre base para isso nas
assim, é muito importante destacar que as bru- palavras e obras de Jesus)”.1
xas modernas repudiam qualquer relação com Antes, nesse mesmo volume intitulado A
o cristianismo. Existem várias razões para essa Witches Bible Compleat, os Ferrar observam
atitude. É verdade que os antigos pagãos prati- que “alguém pode destacar também que [...]
cavam feitiçaria e magia que facilmente eram católicos, judeus, muçulmanos e protestantes
atribuídas às “artes” de uma bruxa. Os sacerdotes ainda se agarram teimosamente ao monopólio
druidas, babilônicos, egípcios, gregos e romanos masculino do sacerdócio como se fosse ‘divi-
usavam a magia para vários propósitos, como namente ordenado’; as sacerdotisas ainda são
curar, controlar os poderes da natureza, buscar banidas, e isto causa grande empobrecimento
vitórias militares, alcançar prestígio político etc. espiritual à humanidade”.2
A cerimônia realizada com “boas” intenções era Isso evidentemente implica que a bruxaria
chamada de magia branca enquanto a magia negra é uma religião apenas de mulheres. Também
era usada para causar danos a outras pessoas. não é verdade. As bruxas retratadas popular-
De fato existem evidências de que a segunda mente como velhas feias, com chapéus pretos
modalidade era praticada pelos povos antigos pontudos, que voam em vassouras e lançam
da Mesopotâmia. A menção feita na Bíblia sobre encantamentos feitos em caldeirões; isso é parte
a feiticeira de En-Dor (1Samuel 28.7), a quem do folclore e do mito, assim como a figura do
Saul procurou para receber direção espiritual, diabo como uma criatura que usa uma roupa
é uma evidência do fato de que a feitiçaria era vermelha, com chifres e segura um tridente. A
uma instituição estabelecida contemporânea, bruxaria é uma religião que enfatiza a adoração
ou possivelmente até mesmo anterior, à chegada da natureza e os rituais da fertilidade. Por essa
dos israelitas na Palestina. Portanto, mediante a razão, o seu aspecto feminino desempenha um
pista de Margaret Murray, as bruxas consideram papel proeminente. Tradicionalmente, existiam
essa história uma prova de que a bruxaria era tantos, ou até mesmo mais, bruxos/feiticeiros
uma instituição antiga e bem estabelecida através em alguns círculos pagãos do passado (como os
dos séculos e não uma ramificação híbrida do druidas, por exemplo). Mesmo assim, a bruxaria/
cristianismo. feitiçaria é dominada pelas mulheres. Douglas
Muitas bruxas modernas distanciam-se do Hill e Pat Williams falam sobre a razão disto:
cristianismo devido ao que afirmam ser uma “As mulheres sempre predominaram na história
proliferação de uma religião patriarcal domi- da bruxaria e podemos citar numerosas razões,
nada por homens e que historicamente ignorou mais ou menos satisfatórias para esse fato. Por
o papel da mulher na igreja e na sociedade. Por exemplo, os escritores do século XVI sentiam que
exemplo, Janet e Stewart Ferrar, quando fazem elas eram mais crédulas e impressionáveis que os
uma comparação entre islamismo e cristianismo, homens; portanto, mais facilmente tentadas por
dizem o seguinte: “O céu islâmico é muito mais satanás. Outros achavam que o Diabo, uma perso-
interessante, somente porque maomé era sexual- nificação masculina do mal, preferia a assistência
mente saudável e deixou aos seus seguidores um das mulheres. Autoridades posteriores, como o
legado que não incluía as inibições e neuroses patologista do século XIX, J. M. Chariot, viam que
que Paulo de Tarso, que odiava as mulheres, a possessão demoníaca era de fato uma forma de
70 BRUXARIA

histeria (palavra derivada do grego hysteria, que Paul Jewett, ao comentar sobre o manuscrito
significa útero), e a consideravam uma desordem de Sprenger e Kraemer, observa: “De todas as
sexual primariamente feminina. Os antropólogos, partes do Martelo das feiticeiras, nenhuma é
a fim de lembrar os xamãs femininos em muitas tão infame como a vil estimativa dos autores
tribos primitivas, sugeriam que as tendências sobre a mulher. O próprio título da obra, Malleus
supostamente “irracionais” das fêmeas deixavam Maleficarum, está no feminino, porque, como
uma abertura para o ocultismo e as crenças quase os autores informam para os leitores, a maioria
religiosas. Provavelmente, a verdadeira explicação esmagadora dos que estão envolvidos nessa
(se existe alguma) de alguma forma estará rela- conspiração diabólica é composta por mulheres
cionada com o fato de que as mulheres por muito [...] Helena, Jezabel e Cleópatra são citadas como
tempo foram encaradas como seres inferiores, exemplos desse agente pernicioso que tem busca-
consideradas mais susceptíveis ao pecado e à do a destruição de todos os reinos”.5 Portanto, na
insensatez; também eram menos capazes de se Idade Média, muitos acreditavam que as bruxas
defender contra as acusações lançadas contra elas eram instrumentos do Diabo. Muitas mulheres,
pela Inquisição e a Igreja, oficialmente celibatária acusadas da prática de bruxaria, foram presas e
e inteiramente dominada pelo sexo masculino”.3 executadas durante a Inquisição. Os protestantes
Esse último ponto certamente é verdadeiro. também eram veementes no zelo para erradicar
Como já destacamos, as bruxas, desde Margaret os demônios e as bruxas. Nos Estados Unidos,
Murray, consideram-se herdeiras das tradições essa atitude chegou ao clímax no famoso julga-
mais antigas do que o cristianismo. Apesar disso, mento das bruxas de Salém, em 1692.
a Igreja medieval viu diabos e bruxas como prati- O mito popular afirma que a bruxaria era
camente idênticos e, por essa razão, lançou uma abundante na antiga América colonial. Isso,
ampla cruzada para erradicar a ambos. Uma im-
portante obra sobre bruxaria na época medieval,
intitulada Malleus Maleficarum [O martelo das
feiticeiras], foi encomendada pelo papa Inocêncio
VIII e escrita por dois freis dominicanos, Heinrich
Kraemer e Johann Sprenger, em 1486. Esse livro
trata de numerosos casos em que mulheres foram
acusadas da prática de bruxaria. A especialista
feminista Mary Daly observa: “Um exemplo
impressionante da destruição total seletiva de
um grande número de mulheres foi a tortura e a
queima delas, condenadas pela Igreja como bru-
xas. A obra medieval mais importante sobre esse
assunto, Malleus Maleficarum, escrita por dois
sacerdotes dominicanos (Sprenger e Kraemer)
no século XV, proclama que “as mulheres são as
principais viciadas em superstições malignas”.
Isso, afinal, era de esperar, pois “toda a bruxaria
deriva-se das paixões carnais, as quais são insaci-
áveis nas mulheres”. De acordo com os autores,
os homens estavam protegidos de tais crimes,
porque Jesus era do sexo masculino. Diferente-
mente da Eva mitológica, as bruxas eram pessoas Laurie Cabot recebeu o título de “Bruxa Oficial de Salém” (con-
vivas reais, condenadas pela hierarquia da Igreja, cedido pelo ex-governador de Massachusetts, Dukakis). Cortesia
que se sentia ameaçada pelo poder delas”.4 de Jack M. Roper/CARIS
BRUXARIA 71

porém, não tem base nos fatos. Embora seja ver- bruxaria moderna começou com outro persona-
dade que milhares de pessoas acusadas de bruxa- gem, gerald gardner (1884-1964). Ele acumulou
ria foram julgadas e condenadas na Europa, no uma grande experiência em ocultismo. Como
século XVII, somente doze foram executadas na arqueólogo, passou um tempo considerável de
Colônia da Baía de Massachusetts, antes de 1692. seus anos de formação no Sudeste da Ásia, onde
Entretanto, os problemas irromperam em aprendeu os segredos da faca mágica, da Malá-
Salém quando um grupo de meninas, incluindo sia, e tornou-se maçom (no Ceilão) e nudista.
a filha do pastor Samuel Parris, foram acusa­ Em 1939, Gardner retornou à Inglaterra como
das de praticar adivinhação. Tituba, uma garota um ávido ocultista. Imediatamente, tornou-se
escrava de Parris, natural das Índias Ocidentais, membro da comunidade rosa-cruz de Corona.
supostamente ajudara as garotas a prever o futuro. Mediante tais associações, ele conheceu Doro-
Mediante uma série de convulsões, as meninas thy Clutterbuck, a quem chamava de “a Velha
revelaram que foram enfeitiçadas por Tituba, Dorothy” em seus livros. Acredita-se que foi ela
juntamente com outras “bruxas”. As garotas quem iniciou Gardner na bruxaria. Sob o nome
prosseguiram com as acusações. Em maio de de “Scire”, ele escreveu o livro High Magic’s Aid
1692, começaram as execuções dos acusados. [Ajuda para a alta magia] (1949) e publicou outra
No mês de julho, as prisões estavam cheias de obra intitulada Witchcraft Today [Bruxaria hoje]
pessoas suspeitas de bruxaria. Muitas (cerca de (1954). J. Gordon Melton declara sobre essa
50 pessoas) arrependeram-se e foram soltas; última monografia: “Witchcraft Today afirmava
entretanto, até o mês de setembro, 22 “bruxas” que a bruxaria era uma religião agonizante e que
foram enforcadas. O clero continuamente pe- Gardner queria registrar o que as bruxas faziam
dira clemência para muitas pessoas que foram para a posteridade”.6 Para confirmar a tese de
acusadas. Aconteceu, porém, que em 1697 o Margaret Murray, Melton continua: “As pes-
sentimento geral mudou drasticamente, quando quisas sugerem que Gardner não descobriu um
começou a se perceber que muito sangue inocente grupo de bruxaria preexistente. Um documen-
era derramado. Proclamou-se, então, um dia de tário escrito por ele, apresentado no programa
jejum por toda a colônia de Massachusetts e os de Ripley, Believe It Or Not! [Acredite se quiser],
magistrados pediram desculpas publicamente. mostrou que Gardner tomou os recursos mágicos
Isso acionou uma raiva incipiente que redefiniria que adquiriu na Ásia e uma seleção de textos
a atitude dos habitantes da Nova Inglaterra pelas mágicos ocidentais e criou uma nova religião
décadas e séculos vindouros, causadora de uma centralizada no adoração da deusa-mãe”.7
espiritualidade peculiar a toda a região nordeste Essa última informação é crucial, pois é exa-
dos Estados Unidos. A bruxaria, porém, se dissi- tamente a adoração da deusa-mãe que se tornou
paria ao final do século XVII para ressurgir no XX. o principal foco da bruxaria moderna. Gardner
Bruxaria moderna. A história da bruxaria simplesmente reafirmou a tese de Margaret de que
moderna não é outro capítulo na obra sobre a uma religião preexistente da deusa-mãe devolvera-
bruxaria tradicional. A apresentada anterior- se ao longo de muitos séculos antes da chegada do
mente é uma história completamente diferente, e cristianismo. O livro Witchcraft Today era também
precisa de seu próprio livro, com muitos capítu- um conjunto de ideias reunidas de várias fontes de
los. Já falamos sobre a contribuição de Margaret ocultismo.Além de Margaret Murray, as influências
Murray para a causa moderna. Seu artigo na de aleister crowley, da teosofia, maçonaria, magia
edição de 1922 da Encyclopedia Britannica e seus com rituais de sexo etc., tudo isso se misturava
livros The Witchcult in Western Europe [O culto nos escritos de Gerald Gardner. De dentro do cal-
das bruxas na Europa Ocidental] (1921) e The deirão de sua mente emergiu a bruxaria moderna
God of the Witches [O deus das bruxas] (1933) ou wicca, como é chamada mais popularmente. A
foram responsáveis por manter tanto a memória partir daí, surgiu também uma nova geração de
como o interesse vivos. O início decisivo da era da defensores de uma nova espiritualidade feminista.
72 BRUXARIA

Entre esses está alexander sanders (1926-1988), A sacerdotisa dá-lhe o Beijo Quíntuplo, como
sybil leek (1917-1982), Raymond e Rosemary segue:
Buckland (os primeiros bruxos americanos), Sta- “Bendito sejam teus pés, que o trouxeram
rhawk, Margot Adler, Jim Alan, Jessie Wicker Bell, por esses caminhos” — e beija seu pé direito e
Gavin e Yvonne Frost, Doreen Valiente, Zsuzanna em seguida o esquerdo.
Budapest, Donna Cole, Ed Fitch, Janet e Stewart “Benditos sejam teus joelhos, que se ajoelha-
Ferrar e muitos outros. rão diante do altar sagrado” — e beija seu joelho
Ensinos e práticas. O grande número de direito e depois o esquerdo.
bruxas modernas sugere uma enorme variedade “Bendito seja teu falo (pênis), sem o qual não
de crenças e práticas. Entretanto, a despeito do existiríamos” — e beija-o logo acima dos pelos
pluralismo e da diversidade, os princípios distin- pubianos.
tos, derivados da wicca gardneriana, são comuns O sumo sacerdote estica os braços para a Po-
à maioria das bruxas modernas. sição Abençoada, com o Athame na mão direita,
Primeiramente, e o mais importante de tudo, agora com a ponta virada para cima.
é a crença na deusa-mãe. Ao longo de toda a A sacerdotisa continua:
história, ela se manifestou de várias formas: “Bendito seja teu peito, formado em força” —
Artemis, Astarote, Afrodite, Diana, Kore, Hecate e beija-o em seu lado direito e depois o esquerdo.
etc. O consorte Pã (o deus com chifres) é a prin- “Benditos sejam teus lábios, que pronun-
cipal divindade masculina da wicca. Ele também ciarão os nomes sagrados” — eles se abraçam,
possui uma nomenclatura variada, que inclui encostam-se totalmente um no outro e beijam-se
nomes como Adonis, Apolo, Bafomet, Cernunos, na boca.
Dionísio, Lúcifer, Osíris, Thor etc. O simbolismo A sacerdotisa então dá um passo para trás e
é rico. A deusa-mãe é representada pela Lua e ajoe­lha-se. Ela faz a invocação:
o deus com chifres pelo Sol. Todos os anos, Pã “Profundo chamado das alturas, a deusa
morre e é trazido de volta à vida numa cerimônia chama o deus,
chamada atrair o sol. O ritual relacionado com a Aquele que é a chama que a desperta;
deusa-mãe chama-se atrair a lua. Cada conven- Que ele e ela possam segurar as rédeas
ção varia nos detalhes da cerimônia. A seguir, E cavalgar como um só na carruagem de dois
damos as particularidades do ritual para atrair cavalos.
o Sol, usado por Janet e Stewart Ferrar: Que o martelo acerte a bigorna,
Que o relâmpago toque a terra,
A preparação Que a lança enlace o graal,
Nenhuma preparação particular é necessá- Que a magia venha a nascer”.
ria para este ritual — exceto o fato de que se a
convenção possui uma coroa de sumo sacerdote, Ela toca, com seu polegar, a garganta dele, o
ele a deve usar. quadril esquerdo e o direito, o peito esquerdo e
o direito, e novamente a garganta (para formar
O ritual assim o pentagrama da Invocação do Fogo). De-
No final do Trazer a Lua, depois que a sacer- pois, estica os braços, com as palmas para frente.
dotisa profere as palavras “Aqui eu coloco você, Enquanto isso, continua com a invocação:
neste sinal”, a sacerdotisa e o sumo sacerdote
trocam de lugar, de maneira que ele fique com as “No nome dela eu te invoco,
costas voltadas para o altar e ela esteja de frente Pai poderoso de todos nós —
para ele, do centro do círculo. Lugh, Pã, Belin, Herne, Cernunnos —
O sumo sacerdote pega seu athame de cima Venha em resposta ao meu chamado!
do altar e o segura na mão direita sobre o lado es- Desça, eu invoco a ti, em teu servo e sacer-
querdo do peito, com a ponta virada para baixo. dote”.
BRUXARIA 73

A sacerdotisa levanta-se e dá um passo para Melton, elas acreditam que “os efeitos da magia
trás. O sumo sacerdote faz o pentagrama da Invo- retornarão triplicados sobre a pessoa que se
cação do Fogo, na direção dela com seu athame [...]8 utiliza dela, uma crença que limita severamente
o pronunciamento de maldições”.10
Segundo, os wiccanianos praticam certos Quinto, a religião é geralmente vista como
rituais que acreditam estar em harmonia com o sinônimo da prática da magia, que é capaz de
ritmo da natureza. O calendário das bruxas inclui desenvolver e alimentar os planos interiores
dias de festivais que estabelecem algumas frases da mente, o “inconsciente coletivo”, o espírito
no progresso das estações da mãe Terra. Existem do mundo etc. O termo inconsciência coletiva
oito festivais sazonais, conhecidos como sabás. Em foi empregado pelo psicólogo Carl Jung, que
ordem cronológica, eles são os seguintes: ensinava que o indivíduo tira elementos de um
profundo poço de memórias do passado. Esse
1. imbolg — 2 de fevereiro reservatório guarda experiências comuns a toda
2. equinócio da primavera — 21 de março a raça humana em geral. As bruxas modernas, de
3. beltane — 30 de abril acordo com uma teoria, acreditam que deuses
4. solstício de meio de verão — 22 de junho e deusas são simplesmente esses arquétipos
5. lugnasad — 31 de julho junguianos que simbolizam as capacidades e po-
6. equinócio de outono — 21 de setembro tencialidades, que são parte de todo ser humano.
7. samhain — 31 de outubro (halloween) A visão mais comum, sustentada entre as bruxas
8. solstício de inverno — 22 de dezembro e os pagãos, entretanto, é que os deuses e deusas
(yule)9 são “personificações da força da vida, monista,
sem gênero, universal e eterna — a energia ou
Imbolg, Beltane, Lugnasad e Samhain são o princípio divino primordial”.11 Existem outras
chamados de sabás superiores, enquanto os visões comuns, que não se encontram aqui.
outros quatro são os inferiores. Tempos adicio­ Sexto, a própria crença em deuses (plural) e
nais de reuniões das convenções são chamados deusas (plural), simbólicos ou não, demonstra
de esbats, que variam em cada convenção. que os grupos wiccanianos adotam um conceito
Terceiro, bruxas e pagãos praticam formas politeísta do universo. Para as bruxas modernas,
variadas de magia, que incluem clarividência, isso não significa que acreditem num panteão
adivinhação, projeção astral, encantamentos etc. Os de divindades masculinas e femininas, mas que
métodos mais elevados de magia incluem a prá- a própria realidade é compreendida de diversas
tica da arte de curar. As bruxas são atraídas pelo maneiras.A verdade não é uma questão de corres-
princípio de que a cura é um processo natural da pondência entre linguagem, o mundo ou qualquer
mãe Terra. A natureza providencia os remédios modelo conceitual. Em outras palavras, não existe
na forma de ervas. O conhecimento sobre quais uma expressão singular da verdade. As contra-
raízes devem ser aplicadas nos diferentes males dições podem ser abraçadas simultaneamente.
do corpo é uma área de experiência na qual Sétimo, em muitas convenções, as bruxas
muitas bruxas se especializam. Os encantamentos passam por três estágios distintos ou “graus”
também são utilizados para efetuar curas. de iniciação. Depois de ultrapassar o primeiro
Quarto, as bruxas seguem um princípio de grau, o neófito torna-se membro da convenção.
ética conhecido como rede wicca: “Se não causa Somente as bruxas podem iniciar as noviças. Ao
dano a alguém, faça o que quiser”. Implícita nes- mesmo tempo, porém, algumas já são bruxas
se princípio está a noção de que ser uma bruxa desde o nascimento, devido à reencarnação de
significa efetuar a harmonia com o mundo, a uma vida passada. A iniciação numa convenção
natureza e os outros seres humanos. Esse prin- pode ser conduzida por um sumo sacerdote ou
cípio descarta a ideia de que as bruxas encaram sacerdotisa. Como membro de uma convenção,
seu trabalho como fazer o mal. De acordo com o novo sacerdote/sacerdotisa começa a trabalhar
74 BRUXARIA

com o intuito de passar pelo segundo grau. A runa, sigil, tarô, wand, caldeirão, altar, escada
bruxa que realiza o treinamento e a subsequente de bruxa etc. — todos esses elementos têm um
iniciação de outra no segundo grau faz isso com papel na Wicca.13
cautela. Janet e Stewart Ferrar observam: “A Contrastes com o cristianismo. Desde o
iniciação pode ter profunda repercussão psíquica princípio, fica evidente que a religião proposta
no carma; se for feita de forma irresponsável, pela bruxaria contrasta profundamente com o
o resultado pode tornar-se parte do carma do cristianismo. Adivinhação, espiritismo, magia,
próprio instrutor. Os líderes das convenções feitiçaria, bruxaria e o ocultismo de modo geral
devem se lembrar disso, quando decidem se uma são condenados pela Bíblia (Êxodo 22.18; Leví-
pessoa está preparada para passar pelo segundo tico 19.26, 31; 20.6; Deuteronômio 18.10-12; 2
grau e perguntar a si mesmos se o candidato é Reis 17.10-20; 21.1-6; 23.4-7, 24,25; 2Crônicas
suficientemente maduro para receber o encargo 33.6; Atos 13.6-12; 16.16-18; Gálatas 5.19,20).
de iniciar outros; senão, se cometerem um erro, O politeísmo da bruxaria também contradiz
eles podem bem refletir em seu próprio carma”.12 ruidosamente o monoteísmo estrito da herança
O terceiro grau da iniciação é o objetivo mais judaico-cristã. Como todas as outras religiões
elevado. Nesse estágio, a bruxa torna-se sacerdoti- não cristãs do mundo, a bruxaria oblitera a dis-
sa, capaz de iniciar e governar uma nova conven- tinção entre o Criador e a criação. Os wiccanianos
ção e exercer completa autoridade sobre as bruxas deificam a natureza de tal maneira que ela e Deus
inferiores na hierarquia. Entretanto, enquanto as são identificados como sinônimos. Além disso,
do terceiro grau permanecem em sua convenção desde que a divindade reside na natureza e no
original, deve se submeter à autoridade do sumo cosmos, habita também dentro de cada pessoa.
sacerdote/sacerdotisa daquela agremiação. Aqui, pode-se observar que o pensamento wic-
Para alcançar o terceiro grau, a candidata caniano faz um paralelo muito próximo com o
deve participar do grande ritual, que envolve uma hinduísmo e outros paradigmas orientais.
cerimônia em que a iniciante participa “simboli- O pensamento cristão tradicional afirma que
camente”, ou de fato, de uma relação sexual com a bruxaria, como muitas outras religiões con-
o sumo sacerdote/sacerdotisa (do sexo oposto). trastantes, tem sua origem em Satanás, “o deus
As práticas variam bastante em cada convenção. deste século” (2Coríntios 4.4). Ensinar que Deus
Nas tradições gardneriana e alexandrina, muitas reside fora da revelação de si mesmo na história
convenções só realizam essa parte do grande ritual, e na Bíblia é negar o princípio mais fundamen-
depois que todas as outras bruxas saem do local. tal sobre o qual a fé cristã está alicerçada. Deus
Em algumas, o “ritual de fato” somente é realizado criou o mundo e revelou-se a ele na pessoa de
quando envolve marido e mulher. Se o grande ritual seu Filho, Jesus. O propósito de Cristo ao vir ao
é realizado de forma simbólica, o athame (para os mundo foi proporcionar a salvação para a raça
homens) e o cálice (para as mulheres) são coloca- humana, quando se ofereceu como expiação pe-
dos juntos. Num ponto da cerimônia, o athame é los pecados (Romanos 3.21-26). Para os grupos
mergulhado no cálice ou num copo de vinho. wiccanianos, o conceito de transgressão e a sub-
Completamente despido é a forma mais sequente necessidade de salvação são, na melhor
adequada para conduzir um sabá, esbat ou qual- das hipóteses, noções arcaicas. Se o pecado for
quer outra cerimônia. Isso se chama skyclad e o alguma coisa, é a alienação do indivíduo do seu
ambiente mais conveniente é ao ar livre, onde a próprio potencial divino.
cerimônia está mais próxima da natureza. O pensamento wiccaniano oferece uma varie-
Por último, muitos símbolos acompanham dade de visões concernentes à existência do mal.
a tradição Wicca. A maior parte deles está pro- A mais comum é entender a maldade não como
fundamente relacionada com toda a história uma realidade separada do bem, como fazem o
do ocultismo. amuletos, talismãs, ankh, athame, maniqueísmo, os satanistas e outros grupos, mas
círculo, pentagrama, copo ou cálice, pentáculo, como um aspecto necessário da bondade. En-
BRUXARIA 75

tretanto, embora qualquer bruxa em particular ignorantes. (Para informações mais específicas
entenda a relação do mal com o bem, ainda fica sobre “sensacionalismo”, veja satanismo.)
com um enorme problema, deixado sem explicação Existem cinco principais grupos de bruxaria
pela cosmovisão wiccaniana: O mal, que os seres nos Estados Unidos, e que estão listados a a
humanos encontram no mundo e na história, é seguir, na seguinte ordem: nome, fundador(es),
um aspecto aceitável e saudável da realidade, que, localização e publicações:
de acordo com o pensamento, não tem problema
em ser iniciado? Como tal visão do mal pode ser Circle Sanctuary
conciliada com o lema da Wicca: “Se não causa Selena Fox, Jim Alan
dano a alguém, faça o que quiser”? O mal não Mount Horeb, Wisconsin
causa danos? Para as vítimas de assassinato e seus Circle Network News, Circle Guide to
familiares, certamente traz prejuízos. A pergunta Wicca and Pagan Resources
que permanece sem resposta é: Se não existe
algum padrão absoluto ou conjunto de verdades Covenant of the Goddess
exclusivos e separados de toda a falsidade, como até Nenhuma pessoa em particular
mesmo o movimento Wicca pode ser considerado Berkeley, Califórnia
verdadeiro? Dizer que a Wicca é autêntica significa Covenant of the Goddess Newsletter
concordar que existe pelo menos uma verdade ab-
soluta. Muitas bruxas estão dispostas a viver com Feminist Wicca
essa grande contradição devido à ingenuidade, Numerosas personalidades
desonestidade intelectual ou conveniência. Nationwide
Para o cristianismo, Deus é a fonte de toda a The Wise Woman
verdade, e a Bíblia é a revelação divina de tal ver-
dade, extremamente necessária para o mundo. Gardnerian Wicca
Existem muitos outros pontos discutíveis Gerald Gardner; Rosemary e Raymond
sobre o contraste entre o cristianismo e a Wicca. Buckland
Entretanto, não haveria muito propósito em Long Island, Nova York
elucidar cada um deles aqui, porque os dois The Hidden Wicca Path
sistemas de pensamento diferem praticamente
em todos os pontos. Saxon Witchcraft
Conclusão. De acordo com J. Gordon Mel- Raymond Bucklin
ton, existem cerca de 30 mil bruxas e neopagãos Charlottesville, Virgínia
na América do Norte (em 1986).14 Muitos per- The Tree (1974) (livro)
tencem a uma convenção local, cujo tamanho
médio é de treze membros. Existem centenas de
convenções nos Estados Unidos.
Como foi o caso do satanismo, o leitor deve ser
alertado sobre o sensacionalismo tão prevalecente
na mídia, sempre disposta a alimentar a curiosi-
dade do público. Muitas pessoas simplesmente
nada sabem sobre ocultismo e infelizmente estão
dispostas a acreditar em tudo o que ouvem e leem.
Também se deve ter cuidado com os “especialis-
tas” cristãos, que geralmente são ex-membros
convertidos ao cristianismo e que, imediatamen-
te, acham-se preparados para realizar palestras Coleção de velas cerimoniais, usadas em magias. Cortesia de
e seminários, a fim de “informar” e “educar” os Jack M. Roper/Caris
76 BRUXO

Algumas convenções unem-se a essas prin­ 4


Daly, Mary. Beyond God the Father Toward a
cipais organizações e tornam-se parte de sua Philosophy of Women”s Liberation. Boston:
infraestrutura. A maioria das convenções de Beacon Press, 1973, p. 63.
bruxas, como acontece no satanismo, opera 5
Jewett, Paul K. Man as Male and Female. Grand
de forma independente. Várias delas lutaram Rapids: Eerdmans, 1975, p. 157-158.
e conseguiram alcançar a condição de religiões 6
Melton, J. Gordon. Encyclopedic Handbook of
legítimas, protegidas pela Primeira Emenda Cults in America. New York: Garkand, 1986, p.
da Constituição americana; portanto, estão 212.
isentas de impostos. Por exemplo, a Convenção 7
Ibid.
Rosegate, localizada na cidade de Providence, 8
Ferrar, Janet; Ferrar, Stewart. Op. cit., p. 8.
Rhode Island, conseguiu isenção dos impostos 9
Veja os verbetes correspondentes neste volume,
em 1989.15 Outras agremiações por todo o país para um tratamento mais detalhado de cada um
também buscam essa condição. dos oito sabás.
10
Melton, J. Gordon. Op. cit., p. 213.
Notas 11
Hawkins, Craig S. The Modern World of Witchcraft.
1
Ferrar, Janet; Ferrar, Stewart. A Witches Bible Christian Research Journal, Winnter/Spring
Compleat, 2 vols. New York: Magickal Childe, 1984, 1990, p. 13.
vol. 2, p. 111-112. 12
Ferrar, Janet; Ferrar, Stewart. Op. cit., p. 22.
2
Ibid. 13
Para uma excelente abordagem sobre os símbolos
3
Hill, Douglas; Williams, Pat. The Supernatural. empregados na bruxaria e na Wicca feminista, cf.
New York: Hawthorn Books Publishers, 1965, p. 174. Walker, Barbara G. The Women”s Dictionary
of Symbols and Sacred Objects. San Francisco:
Harper and Row, 1988.
14
Melton, J. Gordon. Op. cit., p. 214.
15
Cf. Johnson, Mario Mira. Witches in Search of
Respect. Providence Journal Bulletin, August
10, 1989, p. 1-2.

BRUXO. Praticante masculino de bruxaria.

Durante o inverno de 1978, o público foi convidado a assistir um


Os rituais de Bruxaria são encontrados no livro A Witches Bible Wiccaning, ou cerimônia de batismo de um bebê na bruxaria, em
Compleat [Bíblia Completa de Bruxas]. Cortesia de Jack M. Ann Arbor. A estátua alta sobre a mesa representa Atena, a deusa
Roper/CARIS da sabedoria. Cortesia de Jack M. Roper/Caris
BUDISMO 77

BUDA (hinduísmo). Veja buda, gautama. uma crença numa entidade divina ou sobrena-
tural; ou se oração, sacrifícios e conceitos de
BUDA, GAUTAMA (563-483 a.C.). Filósofo uma vida futura constituem componentes vitais.
que vagueava em busca da verdade (v. a grande Gautama não negava a existência das divindades,
renúncia); fundador do budismo, depois de uma mas as considerava inúteis para a vida cotidiana.
iluminação bastante esperada e de intensa medi- O budismo, portanto, é chamado de religião do
tação (v. budismo). ateísmo prático. Nancy Wilson Ross, entretanto,
destaca corretamente que não é certo classificar
BUDISMO. História. O budismo foi fundado o budismo como ateísta, no sentido mais pro-
por Gautama (563-483 a.C.). Relatos sobre sua fundo do termo: “O ensino budista em relação à
vida estão repletos de fatos e fantasias. Com verdadeira natureza da alma, ou do ser, provavel-
29 anos, renunciou o direito legítimo do poder mente justifica em parte a alegação de que é uma
político. Deixou sua esposa e filho para trás, forma de ateísmo. De fato, o budismo não é mais
tornou-se um mendigo e vagueou de um lugar ateísta do que teísta ou panteísta. A acusação de
para outro em busca da verdade (v. a grande ateísmo dificilmente seria bem colocada na porta
renúncia). Experimentou por algum tempo o de um mestre que era capaz de declarar sobre o
bramanismo, mas ficou totalmente desiludido. universo, ou cosmos, em sua totalidade: ‘Existe
Logo depois, dedicou-se a um período de intensa um não nascido, não originado, não feito, não
meditação e recebeu a tão esperada iluminação, composto. Onde não há, ó mendigos, não haveria
que lhe valeu o título de buda. Gautama passou escape do mundo dos nascidos, originados, feitos
o resto de sua vida viajando, ensinando sobre e compostos’”.1
a religião, ou melhor, a filosofia que lhe daria O budismo causou um grande efeito nos
multidões de seguidores nos séculos vindouros. Estados Unidos, particularmente na Costa Oeste.
Em 245 a.C., um concílio de 500 monges O primeiro templo budista nos Estados Unidos
budistas reuniu as tradições orais de mais de foi construído em 1898, em São Francisco. Em
três séculos e organizou-as em forma escrita, 1942, suas comunidades nos Estados Unidos
na língua Pali. Esses textos foram chamados de foram incorporadas, com 100 mil membros. Há
tripitaka. uma estimativa de que existiam 270 mil budistas
O budismo cresceu e espalhou-se rapida- em 1990. Um movimento separado, conhecido
mente sob a liderança de açoka (274-236 a.C.), como nichiren shoshu da América, foi formado,
que enviou missionários à Síria, ao Egito, à Ma- e mostrou-se atraente para muitos americanos
cedônia, à Burma e ao Ceilão, no extremo oriente. não asiáticos. Outra modificação do budismo,
Naquela época, o budismo era um movimento que teve uma considerável influência nos Estados
unificado. Entretanto, como acontece frequente- Unidos e possui o Nichiren Shoshu como uma
mente quando um poderoso líder militar morre, denominação separada, é o zen budismo. Existem
seus seguidores, anteriormente unidos sob sua ramificações de cada um desses movimentos nas
liderança, separam-se em várias facções. O maiores cidades e por todos os Estados Unidos.
império de Açoka não foi exceção. Uma divisão Ensinos. Como os brâmanes, Gautama abraça-
geográfica e filosófica ocorreu logo depois de sua va a ideia da reencarnação: a salvação é o supremo
morte. Como resultado, surgiram dois sistemas escape do ciclo de renascimentos. Outros concei-
de pensamento: teravada, no Sul, que preservou a tos hindus, entretanto, como o sistema de castas e
língua pali; e o budismo maaiana, no Norte, onde a validade dos escritos dos vedas eram rejeitados
a linguagem e a literatura foi o sânscrito. Esses por Gautama.
dois partidos principais dividiram-se em seitas Uma ideia central no pensamento oriental
múltiplas, que atualmente constituem o budismo. é a noção de que a avidya (ignorância) é a raiz
Num sentido bem estrito, o budismo não é de todo o mal. O budismo adota esse conceito.
realmente uma religião, se esta for definida como Gautama desenvolveu uma maneira de acabar
78 BUDISMO

com a ignorância de uma forma diferente de assassinato; 2) roubo; 3) fornicação; 4) mentira;


todas as abordagens formuladas em sua época. 5) ingestão de bebidas alcoólicas; 6) comer du-
Ao considerar o rigor do ascetismo de um lado e rante a abstinência; 7) dançar; cantar e todas as
o hedonismo descontrolado do outro, como meios formas de diversão mundana; 8) usar perfumes
funcionais de adquirir autodisciplina e controle, e outros ornamentos; 9) dormir em camas que
rejeitou ambos como um fracasso, pois destruí- não estejam armadas no chão; e 10) aceitar ouro
am o que era fundamental na natureza humana, e prata como esmola.
ou seja, a paixão e o desejo. Sua filosofia está Os dados a seguir apresentam uma compara-
agregada nas quatro nobres verdades: ção entre o budismo e o cristianismo com relação
a Deus, pecado, salvação, futuro e moralidade.
1. O sofrimento é universal. Deus. Num agudo contraste com o cristianis-
2. O sofrimento é causado pelo desejo. mo, o budismo não adota a noção de um Deus
3. Eliminar o sofrimento é descartar o desejo. pessoal, imanente e transcendente. Ao invés de
4. Um caminho deve ser seguido a fim de se um Ser composto por uma personalidade tripla
alcançar isso (o renascimento final). (Trindade), a noção budista de Deus é mais um
processo de transformação. Tradicionalmente,
O Caminho proposto por Gautama é com- os budistas são classificados como ateístas pela
posto por oito passos conhecidos popularmente Igreja (v. acima). Nos tempos modernos, a apo-
como os oito nobres caminhos: logética do cristianismo clássico é temperada por
uma atitude mais tolerante e liberal. A mistura
1. Crença correta. do cristianismo, influenciado pelo existencialis-
2. Sentimentos corretos. mo e idealismo especulativo, resultou no maior
3. Fala correta. paradigma dos últimos 170 anos. Uma cosmo-
4. Conduta correta. logia científica mais moderna levou os teólogos,
5. Maneira de viver correta. tanto católicos como protestantes, a repensar
6. Esforço correto. toda a doutrina da existência de Deus. Como
7. Memória correta. resultado disso, temos uma atitude de tolerân-
8. Meditação e concentração corretas. cia e abertura. Hans Küng articula claramente
esta posição: “Hoje, a visão cristã do budismo
Se um indivíduo segue esses princípios, vai enfatiza mais a informação e não a denúncia;
se tornar um arhat. Com a eliminação da igno- a complementação, em vez do antagonismo; o
rância, o budista então fica livre para entrar no diálogo e não o proselitismo; ‘falar de Cristo a
nirvana. O carma é “explodido” e termina o ciclo pessoas de diferentes crenças’, em vez de “ganhar
dos renascimentos. descrentes para Cristo”.2
O budismo faz distinção entre cinco modos Embora os cristãos mais conservadores rejei-
de vida: 1) os “budas” ou os indivíduos que se tem os paradigmas modernistas, mesmo assim
tornaram budas; 2) bodisatvas (futuros budas); eles também desejam estar em um diálogo ativo
3) pratyeka budas — ou seja, os que buscaram com os budistas e os membros de outras crenças.
a iluminação pessoalmente, mas ainda precisam Entretanto, para as igrejas que adotam as antigas
passar muito conhecimento aos outros; 4) aryas Confissões de Fé, a questão da existência de Deus
(os que já estão na estrada para o nirvana); e 5) simplesmente não é um problema.
prithagjanas — a maioria dos discípulos, os Pecado. Para o budista, o pecado é um con-
quais não aspiram os elevados ideais do arhat. ceito conhecido como tanha. Esse termo muitas
Além de cumprir os requisitos dos Oito vezes é traduzido como “luxúria” e significa toda
Nobres Caminhos, o monge budista, que aspira a concupiscência ou desejos lascivos que crescem
ser um seguidor leal e genuíno de Gautama, na vida de um indivíduo. O cristianismo não
obedece a dez mandamentos que proíbem: 1) ensina que todos os desejos sejam pecaminosos;
BUDISMO 79

somente os que descambam para a autogratifica- Igreja católica, na comunhão dos santos, na
ção violam as leis morais de Deus. O cristianismo remissão dos pecados, na ressurreição da carne
sustenta que o pecado é “original” e “real”, ou e na vida eterna. Amém”. Efésios 2.8-9 declara:
seja, está ligado à natureza do indivíduo e tam- “Pois é pela graça que sois salvos, por meio da
bém às suas ações. A raça humana foi concebida fé — e isso não vem de vós, é dom de Deus — não
no pecado e na rebelião ativa contra o Deus vivo. das obras, para que ninguém se glorie”. Então,
Existe uma similaridade marcante entre a Igreja compreende a “comunhão dos santos”
quatro dos dez princípios do pensamento budista — isto é, os que se tornaram crentes e tiveram
e quatro dos dez mandamentos do judaísmo e do seus pecados perdoados por meio da fé e foram
cristianismo. Ambos proíbem o roubo, o assassi- batizados. No final do mundo, haverá a “ressur-
nato, o adultério e a mentira. Entretanto, quebrar reição dos mortos”. O corpo será levantado do
jejuns compulsórios, dançar ou dormir numa túmulo, revestido da incorruptibilidade.
cama acima do solo não consistem violações da Essa noção é danosa, em vários aspectos, para
lei moral de Deus, na Bíblia; portanto, não são a doutrina budista da salvação. Primeiro, como
pecados. Para os budistas, todo e qualquer desejo observamos anteriormente, para o cristianismo
resulta em pecado. No pensamento cristão, é a salvação reside na pessoa e na obra de Jesus
pecado não desejar o que é correto (amar a Deus, Cristo. Para os budistas, o indivíduo obtém a
ao próximo etc.). salvação por meio do esforço pessoal e da busca
Salvação. Para o budismo, a salvação é fun- diligente pelos oito nobres caminhos. Segundo,
damentada em duas áreas de ênfase. Primeira, a para o cristão a morte é o prelúdio da trasladação
libertação do ciclo de renascimentos, ou o “cessar imediata para a presença de Deus. Não é assim no
de existir”: “Pela destruição da sede (tanha), a pensamento budista, onde a morte é uma parte
atração é destruída; com a destruição da atra-
ção, a existência é destruída” (Vinaya Pitaka).
Segunda, a salvação também é considerada o
cultivo do caráter e da estatura ética na vida
presente pelo cumprimento da lei e a obediência
diligente ao Caminho dos Oito Nobres Cami-
nhos. A salvação deve ser obtida pelo próprio
budista sem nenhuma ajuda de fontes externas.
“O indivíduo faz o mal por si mesmo; sofre por
si mesmo; por si mesmo deixa de fazer o mal; é
purificado por si mesmo. Nenhum homem pode
purificar o outro”.3
Aqui, o contraste entre budismo e cristia-
nismo é claramente visível. Em oposição à
ideia budista da auto-obtenção da salvação, o
cristia­nismo ensina que Deus enviou seu Filho
Unigênito, Jesus Cristo, ao mundo, para viver
uma vida sem pecado, morrer na cruz e ressus-
citar dentre os mortos, a fim de completar a obra
expiatória e proclamar a vitória sobre a morte.
O cristão não olha para dentro de si mesmo em
busca da salvação; mas, pelo contrário, olha
para fora, pela fé, para Cristo. O terceiro artigo Estátuas de Buda podem ser vistas em vários lugares nos Estados
do credo apostólico resume a doutrina cristã da Unidos, assim como esta que se encontra no Havaí. Cortesia de
salvação de forma sucinta: “Creio [...] na santa Verliin D. Verbrugge.
80 BUDISMO

num ciclo ou série de mortes e renascimentos. tamento foram revogadas em Cristo (Colossenses
Terceiro, a ideia de uma ressurreição corpórea, 2.20-23). Para o cristianismo, Cristo torna-se o
que integra a doutrina cristã, não faz parte do pressuposto sobre o qual toda a moralidade é
sistema budista. O corpo é visto como um vaso edificada; quando os mandamentos são violados
que simplesmente contém o que é permanente, e um pecado é cometido, o cristão tem o recurso
enquanto o indivíduo cresce e aproxima-se do do arrependimento e pode receber a absolvição,
final do “ciclo de renascimentos”. mediante Cristo, que fez a expiação pelos pecados
Os budistas das escolas maaiana e teravada (1João 1.9). Não existe recurso algum desse tipo
divergem nas ideias da salvação e da vida após a para o budista.
morte. O primeiro grupo acredita que um buda Os budistas maaiana, conforme já foi declara-
chamado bodisatva está presentemente vivo do, acreditam na existência de bodisatva celestial,
numa esfera celestial e ainda se encarnará em a quem as orações são dirigidas, mas não existe
forma humana. Essa pessoa é objeto das orações um conceito de expiação com sangue pelos pe-
e da devoção. É interessante notar que nesse cados. Para o budista que falha em obedecer à
ponto o budismo encontra muitos paralelos lei moral e cerimonial existem duas alternativas.
com o cristianismo. Acredita-se que o bodisatva Primeira, o desejo de guardar as leis e seguir os
acumulou um tesouro de méritos, que é usado Oito Nobres Caminhos. Isso se torna uma contra-
pelos que dirigem sua fé a ele. Similarmente, é dição, porque o desejo em si é proibido; segunda,
o mérito e a justiça de Cristo que justificam o o que lhe resta é entregar-se à indiferença ética, o
pecador, que se volta para ele pela fé. O bodisa- que para ele é muito menos nobre.
tva vem a terra encarnado como Jesus. Por fim, Conclusão. Existem muitas variantes no
a crença em uma esfera celestial na religião do budismo, assim como há muitas denominações
assim chamado ateísmo prático soa um tanto dentro da cristandade. Os dois maiores grupos,
paradoxal; porém, é um ponto para o qual ambos, maaiana e teravada, estão divididos geografica-
budismo e cristianismo, convergem.4 mente entre o Norte e o Sul da Ásia. O budismo, di-
Moralidade. A moralidade budista desen- ferentemente do cristianismo, não é uma religião
volveu-se a partir de uma reação contra o hindu- missionária, o que significa que os esforços em
ísmo. Ao protestar contra o sistema de castas e a prol do proselitismo são mínimos. Mesmo assim,
classificação que ele faz da sociedade em classes está classificado como a quarta maior religião do
superiores e inferiores, o budismo propôs uma mundo, atrás do cristianismo, do islamismo e do
ética de igualitarismo. Ele não se preocupa tanto hinduísmo, pois afirma ter mais de 315 milhões
com os rituais e as cerimônias externos, mas de adeptos.
com uma ênfase no estado interior das questões O budismo experimentou uma grande po-
da alma. Como no cristianismo, o amor torna- pularidade nos últimos anos. Por exemplo, em
se o princípio supremo da ética e da conduta 1989 o governo do Camboja tornou o budismo
moral para o budista. O que esse perde de vista, a religião oficial do Estado. Simultaneamente,
entretanto, é a ética de amor voltada para Deus. O budistas teravada e nichiren shoshu espalharam
amor é o meio de vencer o ódio e todas as outras ativamente seus ensinos em Cingapura. Em ou-
formas do mal. tros países, contudo, os monges budistas não são
Outro contraste agudo entre o budismo e bem recebidos. No Sri Lanka houve perseguições
o cristianismo é a mescla que o primeiro faz contra monges budistas por causa de suas ma-
das leis morais com observâncias cerimoniais. nifestações contra o governo. A China persegue
O ensino de que é errado cometer assassinato intensamente o budismo, a fim de fazer proliferar
ou roubar está lado a lado com o mandamento a Revolução Cultural.5
de evitar dormir numa cama acima do chão ou A falência da União Soviética e o subse-
jejuar durante períodos determinados de tempo. quente relaxamento nas perseguições religiosas
Para o cristão, as leis cerimoniais do Antigo Tes- favoreceram o crescimento do budismo e do
BUDISMO MAAIANA 81

cristianismo. Templos budistas voltaram a ser mais elevadas e acham egoístas os que buscam
construídos em Moscou, São Petersburgo e ou- a salvação e a iluminação em termos exclusiva-
tras cidades da antiga URSS. Em julho de 1991, os mente pessoais. (Veja budismo e escola teravada
budistas celebraram 250 anos como uma religião para uma maior avaliação e um entendimento
reconhecida na Rússia. melhor.)
Em novembro de 1990, uma estátua de Buda, Vários temas maaianas proporcionam notá-
de dez metros de altura, foi inaugurada em Bal- veis comparações e contrastes com o cristianismo.
timore, Maryland (EUA), como um sinal de boa Amor e compaixão são virtudes importantes para
vontade por parte dos diplomatas e homens de o cristão, assim como no pensamento budista
negócios japoneses, para melhorar as relações dessa escola. O amor de Deus foi derramado
entre os dois países. Em outubro de 1990, foi sobre a humanidade quando Jesus morreu na
realizada a 17ª Conferência Geral da Comunhão cruz. O sacrifício de Cristo foi o ato supremo de
Mundial Budista em Seul, na Coreia do Sul. amor, porque foi feito para expiar os pecados do
mundo. Para o cristianismo, entretanto, a morte
Notas de Jesus foi necessária para levar a humanidade
1
Ross, Nancy Wilson. Buddhism: A Way of Life and a um relacionamento correto com Deus. Para os
Thought. New York: Knopf, 1980, p. 29-30. budistas, a salvação não é uma questão de perdão
2
Küng, Hans; Ess, Joseph van; Stietencron, Heinrich de pecados; porém, muito mais a libertação do
von; Bechert, Heinz. Christianity and the World sofrimento dentro do ciclo dos renascimentos.
Religions: Paths to Dialogue with Islam, Hin- Assim como os méritos de Jesus Cristo são trans-
duism and Buddhism. Trans. Peter Heinegg. feridos para o pecador penitente, os de bodhisa-
Garden City, NY: Doubleday, 1986, p. 309. tiva são conferidos aos que buscam o nirvana.
3
Byrom. Thomas (Ed.) Dhammapada, The Sayings A orientação mais mundana da escola maaia­
of the Buddha. New York: Knopf, 1976, p. 365. na lembra de perto os ideais do evangelho social
4
Veja mais contrastes e comparações entre cristia- dentro das fileiras do protestantismo liberal. Para
nismo e budismo, em budismo maaiana e teravada. estes, os teólogos da era romântica (Schleierma-
5
Britannica Book of the Year. Chicago: Encyclope- cher, Ritschl, Harnack) e os mais recentemente
dia Bratannica, 1990, p. 315. (Fosdick, Niebuhr e Rauschenbusch) enfatiza-
vam as preocupações éticas, morais e sociais
BUDISMO MAAIANA. Uma das duas princi- da humanidade, em contraste com a ênfase no
pais escolas de budismo, que surgiu em 185 a.C., sobrenatural supramundano do cristianismo,
depois da morte do grande “general-missionário” conforme articulado nos credos históricos
açoka. Maaiana é conhecida também como “escola (Apêndice 1).
maior”, “veículo maior” ou “O caminho de mui-
tos”, em contraste com a teravada, a outra grande
escola do pensamento budista. A maaia­na é a
mais liberal das duas, e, em termos geográficos,
é praticada nos países budistas do Norte da Ásia:
Coreia, Japão, China, Tibete, Nepal, Indonésia e
Vietnã.A teravada, mais conservadora, concentra-
se no Sul da Ásia.
Ensinos. Para a escola maaiana, gautama é
considerado divino, porque, em vez de se tornar
arhat e entrar no nirvana, escolheu ficar para trás,
para ajudar os que continuavam no caminho do
sofrimento. Os budistas maaianas, portanto, Templo budista construído em área da baía da Califórnia. Cortesia
consideram a compaixão e o amor as virtudes de Jack M. Roper/Caris.
82 BUDISMO NICHIREN SHOSHU; NICHIREN SHOSHU DA AMÉRICA; NSA

A ênfase da escola maaiana na natureza divi- BUDISMO NICHIREN SHOSHU; NICHIREN


na de Buda levou à necessidade de se expressar os SHOSHU DA AMÉRICA; NSA. História. O
modos nos quais ela se manifesta: a trikaya, ou budismo, antes do século XIII, interpretara mal
a doutrina dos “três corpos”, ou seja, o “físico”, os ensinos de gautama. Essa era a convicção do
o “mental” e o corpo não manifesto da “lei”. monge japonês nichiren daishonin (1222-1282).
Semelhantemente, para o cristianismo, Jesus Somente ele, através dos ensinamentos da sutra
“nasceu da virgem Maria” (credo apostólico). do lótus, descobrira a natureza do verdadeiro
A cristologia calcedoniana confessa que Cristo budismo. Juntamente com a denúncia das reli-
é divino; portanto, a encarnação é o “corpo giões existentes, Nichiren criticou severamente
físico” do Filho divino de Deus. Jesus também o governo do Japão, que disseminara tais erros.
é o cumprimento da “lei” (Lucas 24.44). Devido A história japonesa, no tempo de Nichiren, era
ao fato de a doutrina trikaya ser mais universal, caracterizada pelas mudanças sociais e o des-
serviu para reunir as várias seitas dentro da contentamento.
escola maaiana. Dois grupos cresceram a partir dos ensinos
Conclusão. A escola maaiana é o maior de Nichiren, depois de sua morte em 1282 d.C.
dos dois movimentos. Esse fato é atribuído à O primeiro, chamado Nichiren, predominou
sua rejeição do ascetismo rigoroso e sua ênfase por mais de seis séculos, até meados do século
na compaixão e na orientação concernente às XX, quando foi superada em tamanho e em
questões do dia a dia. A escola maaiana também importância pela Nichiren Shoshu (NS). Essa
demonstra a habilidade de adaptar-se aos deuses segunda seita experimentou um crescimento
nativos dos países nos quais se estabelece, em vez rápido sob a liderança de uma organização de
de conduzir uma campanha de exclusividade. leigos chamada soka gakkai (Sociedade Valor
Somente esses fatores já explicam seu rápido da Criação), fundada por tsunesaburo makiguchi
crescimento. em 1930. Atualmente, o budismo NS compõe o
maior grupo de budistas, com números acima
de 17 milhões, entre os quais 10 milhões vivem
no Japão. Esse crescimento deve-se à liderança
do terceiro presidente da Soka Gakkai, daisaku
ikeda, eleito em 1960. Ele insiste em que o poder
é a chave para a realização dos objetivos. Con-
sequentemente, um partido político, chamado
komei, foi formado. Do ponto de vista político, o
sucesso e o crescimento da seita Nichiren foram
fenomenais.
O NS experimentou um rápido crescimento
também nos Estados Unidos. O movimento
americano é chamado de Nichiren Shoshu da
América e é uma denominação reconhecida.
Existem estimativas de que haja no mínimo 500
mil pessoas associadas com o movimento nos
Estados Unidos.
Ensinos. O sucesso e o crescimento da seita
são atribuídos às suas doutrinas. Um método de
conversão chamado shakubuku, que significa “in-
Uma das maiores celebridades contemporâneas do Budismo,
hoje, é o Dalai Lama, nascido no Tibete. Seus seguidores crêem timidação”, provou ser extremamente eficiente.
que ele seja o próprio Deus encarnado. Cortesia de Jack M. O NS atribui ao seu fundador, Santo Nichiren,
Roper/CARIS uma posição mais elevada do que a do próprio
BUDISMO NICHIREN SHOSHU; NICHIREN SHOSHU DA AMÉRICA; NSA 83

buda. O monge japonês referia-se a si mesmo O sucesso do budismo Nichiren, em termos


como o bodisatva, ou o que se levantaria para de popularidade, é resultado da ênfase da seita
ensinar a verdade numa era de total escuridão. nos aspectos práticos da vida. A sugestão de que
Tal mensagem centralizava-se em torno de três podem ser feitas mudanças no mundo, através
princípios básicos ou leis. O primeiro trata do do envolvimento político, acionou um apelo
gohonzon, o principal objeto da vida devocional. positivo às massas. O tremendo crescimento
É um rolo sagrado que contém um esboço da também é atribuído ao ambicioso programa de
Sutra do Lótus e vários nomes divinos. Ele é recrutamento realizado na sociedade, como já
guardado numa caixa preta chamada butsudan, foi mencionado.
guardada no templo original, Nichiren Shoshu, O NS e o cristianismo são similares no fato
o daisekiji, localizado na base do monte Fuji. de que constituem religiões missionárias, dedi­
Atualmente, milhões de peregrinos viajam anu- cadas ao estabelecimento do reino de Deus,
almente a esse templo para adorar. O segundo é embora tenham diferentes deuses. A distinção
o daimoku, em que o indivíduo repete as palavras mais importante, porém, é que o cristianismo
namu-myoho-renge-kyo, que significam “Glória à não defende a necessidade da tomada do poder
sutra do lótus”, às vezes, por muitas horas se- político para a realização de tal objetivo. Isso é
guidas. O terceiro é o kaidan, ou o local sagrado conseguido através da proclamação do evan­
de peregrinação. O objetivo das peregrinações e gelho de Jesus e efetuado pelo poder do Espírito
da repetição do daimoku é unir o adorador com Santo. A cidade de Deus, clássico de Agostinho,
o próprio Buda. A repetição do mantra leva à des­creve a natureza do reino de Cristo como
iluminação e à harmonia com o universo. A teoria “comple­tamente distinta” no mundo, embora
é que se grandes multidões forem levadas a tal “efetiva”. (Para uma comparação, ou contraste,
iluminação, o mundo se tornará um lugar muito mais detalhada entre o NS e o cristia­nismo,
melhor de viver. consulte o artigo budismo.)

Dois livros sobre Nichiren Shoshu, publicados pela Editora Seiko, em Tóquio. A maior parte da literatura encontra-se em língua
japonesa. Cortesia Jack M. Rper/CARIS
84 BUDISMO TERAVADA

O budismo Nichiren, como seu progenitor, A despeito desses e de outros problemas


o budismo, tem uma orientação voltada para políticos, o NS da América continua em plena
este mundo. Entretanto, Gautama enfatizava atividade. Em 1987, construiu um edifício para
a importância de buscar o caminho do meio. No sua sede, em São Francisco, no valor de 14,5
pensamento budista, o materialismo, de um milhões de dólares. Para unir-se ao NS da Amé-
lado, e a austeridade de outro, ambos falham em rica a pessoa não precisa preencher qualquer
eliminar os desejos, de maneira que o sofrimento requerimento, basta somente pagar uma taxa de
humano permanece. Gautama certamente não 12 dólares por uma cópia do gohonzon.5
defenderia um envolvimento político ambicioso. O braço editorial do NS é o Seiko Times. Exis-
Tais esforços estão carregados de sofrimento. tem centros espalhados por todos os continentes,
O cristianismo ensina uma mensagem que, mas a sede mundial continua estabelecida no
em sua soteriologia e cosmovisão, é do outro Japão, no mesmo local do templo.
mundo (Colossenses 3.1). Mesmo assim, sempre
houve uma rica variedade de tradições dentro da Notas
Igreja concernentes ao grau em que pode haver 1
Bonafonte, Jordan. Those Mainline Blues, Time, May
envolvimento nas questões sociais, políticas e 22, 1989, p. 94-96.
econômicas. A voz política é um forte legado 2
Nichiren Shoshu. Encyclopedia Britannica, 15th
na Igreja católica romana. Há algum tempo, as ed., s.v.
principais igrejas protestantes da América do 3
Hickey, Shannon. Chanting for Clout, California,
Norte têm se envolvido profundamente nas ques- Feb. 1990, p. 14.
tões políticas. Diferentemente do NS, entretanto, 4
Cf. Alnor, William. Infighting, Division, and Scandal
alguns acreditam que isso é a causa da ruína Afflicting Nichiren Shoshu Buddhists, Christian
dessas denominações nas últimas décadas.1 Os Research Journal, Winter 1992, p. 5-6.
evangélicos conservadores também desempenha- 5
Hickey, Shannon, op. cit., p. 14.
ram um importante papel na política americana,
particularmente nos anos 1980. BUDISMO TERAVADA. História. Uma das
Conclusão. O crescimento do budismo NS duas grandes divisões ou sistemas do pensa-
continua rápido. Em 1980, mais de 30 milhões de mento budista. O budismo teravada prevalece
pessoas afirmavam ser membros de suas várias nas regiões do Sul da Ásia, principalmente em
seitas.2 O alvo da conversão do mundo é avida- países como Sri Lanka, Burma, Tailândia, Laos
mente procurado. Devido aos esforços do NS da e Camboja. Mais conservador do que o budismo
América de se alinhar com sua contraparte japone- maaiana, sua contraparte do Norte, o teravada
sa na busca de um “governo limpo”, a organização preservou o antigo cânon Pali. No século III a.C.,
americana não se isentou de vários problemas, esse movimento, depois do reinado de açoka (v.
particularmente na década de 1980. No período budismo), espalhou-se até o Sri Lanka (antigo
de 1984-1986, o NS da América quebrou a Lei de Ceilão), onde se dividiu em subgrupos.
Impostos dos Estados Unidos ao contribuir com Ensinos. As doutrinas do teravada são extre-
13.700 dólares para a campanha de Tom Bradley mamente complexas, e a linguagem usada bem
para governador da Califórnia. Quando o assunto técnica e envolvente. A filosofia básica é que o
tornou-se público, Bradley devolveu o dinheiro.3 arhat alcança a iluminação mediante seu esforço
Em novembro de 1991, surgiram várias ten- pessoal em direção a esse fim. O indiví­duo deve
sões quando o sumo sacerdote NS, Nikken Abe, tornar-se um monge para alcançar a ilumina-
abriu um processo para dissolver a Soka Gakkai. ção, diferentemente da doutrina maaia­na, mais
O presidente einosuke akiya de pronto re­cusou flexível, onde os leigos conseguem a iluminação
se comprometer. Essas notícias confirmam que nesta vida. Os adeptos do teravada prestam ho-
existe crescente tensão entre o movimento e sua menagem apenas a Buda, enquanto os budistas
grande e poderosa organização de leigos.4 maaiana adoram uma pluralidade de bodisatvas.
BUTSUDAN 85

Nascer como ser humano é considerado um nascimento das igrejas da reforma protestante,
dom, porque o próprio Buda nasceu como ho- que nos Estados Unidos resultou na formação
mem. A liberdade de escolha determina o carma de centenas de denominações e seitas. Isso não
bom ou ruim. Buscar o bem, consequentemente, quer dizer que não existe um conceito de uma
leva o indivíduo ao estado do Buda. Igreja cristã unificada. Os credos ecumênicos
Quatro estágios são delineados pelo budismo da cristandade unem todos os cristãos em um
teravada: 1) o início do processo, quando o devoto entendimento tradicional sobre o que é a Igreja
imediatamente defronta-se com a busca de um e o que é o cristianismo. Dentro da cosmovisão
dos dois caminhos — devoção ou disciplina cristã, há um conceito de unidade e diversidade.
intelectual; o renascimento torna-se menos pro- A essência do budismo não está perdida em
vável, uma vez que esse primeiro passo é dado; 2) suas muitas escolas e centenas de seitas. As esco-
renascer somente mais uma vez; 3) liberdade dos las teravada e maaiana reverenciam imen­samente
renascimentos; 4) tornar-se um arhat e alcançar o Buda e buscam seguir seus ensinamentos.
a iluminação total. A primeira, entretanto, interpreta e entende a
Os movimentos religiosos por toda a história questão de forma mais conservadora.
sempre sofreram fragmentação com o tempo. O Conclusão. Os textos oficiais do budismo
que é verdade no budismo com relação às es- teravada são o tripitaka, e são numerosos os
colas teravada e maaiana também é nas outras comentários sobre ele. Escritores independentes
grandes religiões. O cristianismo apresenta um desenvolveram-se com um valor inestimável na
modelo óbvio. Logo depois da ressurreição de contribuição para a filosofia e a literatura india-
Jesus, quando a primeira comunidade começou nas. (Veja budismo e budismo maaiana).
a crescer, a Igreja compunha-se principalmente
de crentes judeus. A missão de Paulo aos gentios BUTSUDAN (budismo; Nichiren Shoshu; Soka
mudou muito esse aspecto. No ano 70 d.C., o Gakkai). É um oratório, com o formato de uma
cristianismo tornara-se um movimento gentio. caixa preta que abriga o gohonzon. O butsudan
Posteriormente, a Igreja se dividiu em Oriental é mantido no altar sagrado do templo original
e Ocidental (1045 d.C.); o século XVI veria o nichiren shoshu, próximo do monte Fuji, no Japão.
C
CABALA (judaísmo). Tradição mística e judaica, espanhóis que as transportaram do Oeste e Sul da
que surgiu no século XII d.C., que tentou inter- África, para trabalhar como escravas na lavoura
pretar a torá de acordo com um conhecimento em Cuba. O culto cabilda é bem diferente do
secreto e oculto.As raízes mais antigas da tradição da santeria, pois seus adeptos são, na maioria,
cabalística datam do século I, na Palestina, onde africanos de origem banto, enquanto a santeria
judeus místicos contemplavam o trono divino ou é composta largamente por pessoas de origem da
a “carruagem” mencionada em Ezequiel 1. A raiz tribo iorubá. Entretanto, fica bem claro que cada
hebraica qbl (que dá origem à palavra “cabala”) tradição tribal exerce uma grande influência so-
originalmente significava “tradição oral”. Os se- bre a outra. Por exemplo, as divindades adoradas
gredos não escritos da Torá eram interpretados e por cada grupo coincidem em muitos aspectos.
transmitidos dos mestres para os alunos. Apesar de haver centenas de orixás, nomes como
O maior texto da cabala, que contém a maior elegba e xangô são comuns em ambos os grupos.
parte da tradição, é o Sefer Ha-Zohar (“O livro (Para mais informações sobre o panteão de
do esplendor”). O fato de ter sido escrito por divindades comuns às cabildas e a outros cultos
volta de 1280 d.C. é significativo e demonstra a caribenhos, veja santeria e vodu).
longevidade da tradição oral.
O cerne da cabala está em desvendar os
segredos da maravilha e da majestade de Deus e
sua criação divina. A tradição também considera
as reflexões sobre o mal, a alma, a salvação e o
futuro. Aspectos da natureza divina de Deus
são revelados numa série de dez emanações. Ao
mover-se de Deus para baixo, por meio de sua
criação, as dez emanações são: Coroa, Sabedoria,
Entendimento, Misericórdia, Poder, Beleza, Vi-
tória, Esplendor, Fundamento e Reino. A cabala
floresceu no período entre os séculos XVI e XVIII
e teve um grande impacto sobre o ocultismo (v.
hermética) e sobre o hassidismo. Cabalistas dig-
nos de nota incluem Moses de Leon, Isaac ben
Solomon, Ashkenazi Luria (1534-1572) e Hayim
(Chaim) Vital (1543-1620).

CABEÇA DE BODE (ocultismo; satanismo). A


ca­­beça de bode é o principal símbolo de satanás;
também é chamada de “bafomet”.
Jay Solomon (Yaj Nomolos), líder da “Embaixada de Satanás”
CABILDA. As cabildas foram trazidas para
(grupo dissidente da Igreja de Satanás, de Anton LaVey; veja
Cuba, levadas principalmente da região do Con- satanismo), segura uma cabeça de bode, a qual está à venda em
go, na África, no auge do comércio de escravos seu Empório de Ocultismo numa cidade da Pensilvânia. Cortesia
nas Índias Ocidentais. Originalmente, foram os de George Mather
CALENDÁRIO JUDAICO 87

Considerada originalmente uma sociedade espirituais altamente qualificados preservaram


secreta, a cabilda era formada por agremiações e transmitiram os ensinamentos esotéricos às
de pessoas que se reuniam para celebrar a rica pessoas qualificadas para recebê-los; estas, por
e profunda herança cultural de seus antepassa- sua vez, transmitem os ensinamentos à próxima
dos. Os elementos principais dos rituais são as geração.
procissões e as danças. Esse festival é conhecido
como wemilere. A cerimônia começa no centro CAIM (Igreja da Unificação). O primeiro filho de
da cidade ou da vila, com o toque do agogô. Adão e Eva simboliza todos aqueles que se opõem
Como na santeria, a cerimônia prossegue com ao “reverendo” moon; também representa o mal,
a batida dos tambores, em padrões de ritmos o comunismo, a ditadura. (AM)
específicos. São utilizados tambores de vários
tamanhos. A dança é dedicada aos orixás e CALDEIRÃO (ocultismo; bruxaria; vodu).
sempre termina com uma oferenda a Xangô. Símbolo mágico que significa mudança e nasci-
Devido ao fato de o culto não praticar mais seus mento. Também era o recipiente onde as bruxas
rituais secretamente, em grande parte tornou- medievais preparavam e misturavam suas po-
se sincretizado e assimilado pela vida cotidiana ções mágicas.
da cultura cubana.
As tradições cabildas são um elo vital para a CALENDÁRIO DAS BRUXAS (bruxaria).
identidade e a cultura de seus membros. A Igreja Anual­mente, existem quatro feriados sazonais,
católica tem encontrado extrema dificuldade também chamados de sabás.
para ultrapassar essas barreiras culturais e cau-
sar algum impacto relevante. Frequentemente, o 1. Equinócio da primavera (21 de março)
cristianismo exerce um papel de influência, mas 2. Solstício de verão (22 de junho)
certamente não é uma exclusividade. 3. Equinócio de outono (21 de setembro)
4. Solstício de inverno — Yule (22 de de-
CABOCLO (cultos afro-brasileiros). Espírito de zembro)
ancestral indígena brasileiro. É incorporado na
umbanda e nas nações de candomblé de angola. En-
Além desses, quatro outros sabás relaciona-
tre as oferendas, recebem sacrifícios de animais, dos à agricultura e à criação de gado são incluídos
frutas e bebidas. (AM) no calendário anual:
CACIQUE COBRA CORAL (ocultismo; espi-
1. Candlemas (2 de fevereiro)
ritismo). Nome de uma entidade incorporada
pela médium Adelaide Scritori (1954-). Esse es- 2. Beltane (30 de abril)
pírito, que teria sido Galileu Galilei e Abraham 3. Equinócio de inverno (31 de julho)
Lincoln, supostamente teria o poder de contro- 4. Halloween (31 de outubro)
lar e alterar fenômenos naturais. A entidade
também dá nome à Fundação Cacique Cobra A maioria dos grupos wiccanianos também
Coral, fundada por Ângelo Scritori (1898-2002), se reúne semanalmente ou de duas em duas se-
pai de Adelaide, que incorporava o espírito de manas na lua cheia ou lua nova. Essas reu­niões
padre Cícero (1844-1934). Entre seus clientes regulares são chamadas de esbats.
estão políticos, ministérios, agroindústrias,
construtoras, multinacionais etc., no Brasil e CALENDÁRIO JUDAICO (judaísmo). Os
no exterior. (AM) judeus possuem um ano claramente litúrgico
ou religio­so, baseado principalmente nas festas
CADEIA HERMÉTICA (ocultismo; teosofia). religiosas mencionadas no Antigo Testamento.
Na teosofia, existe a ideia de que os indivíduos A tabela a seguir mostra esse calendário:
88 CALENDÁRIO LUNAR MUÇULMANO

Calendário judaico CALVINISMO (cristianismo). Junto com o lute-


ranismo e o zuinglianismo, o calvinismo constitui
1. Rosh Hashaná (Ano novo) uma das três maiores ramificações da reforma
2. Yom Kippur (Dia do perdão) protestante . Seu fundador foi joão calvino
3. Sukkot (Festa dos tabernáculos) (1509-1564). Embora em muitos aspectos seja
4. Simchat Torá (Festa da alegria) similar ao luteranismo, o calvinismo também
5. Chanuká (Festa da rededicação do templo) contém algumas diferenças importantes. Como
6. Purim (Festa da sorte) um movimento, é mais bem notado por seus
7. Pesach (Festa dos pães asmos) famosos “cinco pontos”: 1) depravação total, 2)
8. Shavuot (Festa das semanas/Pentecostes) eleição incondicional, 3) expiação limitada, 4)
9. Tisha b’Av (Jejum de Av) graça irresistível e 5) perseverança dos santos.
O calvinismo também é conhecido por sua dou-
Eis a correspondência com as datas do nosso trina da “dupla predestinação”. Calvino concluiu
calendário ocidental: que Deus, por meio do decreto divino, ao eleger
alguns para a salvação elegeu ao mesmo tempo
Calendário ocidental/gregoriano outros para a condenação.
Calvino achava que a Igreja era espiritu-
1. Setembro almente independente do Estado; mas este
2. Setembro precisava ter seus negócios administrados por
3. Setembro autoridades civis que fossem cristãs. Ele fez a
4. Setembro experiência com essa idéia em Genebra, na Suíça.
5. Novembro-Dezembro Calvino era rigorosamente sistemático, o
6. Fevereiro-Março que se evidencia em As institutas da religião
7. Março- Abril cristã. Contra o romanismo, ensinou, junto com
8. Maio- Junho lutero, que alguém é salvo somente pela graça,
9. Julho- Agosto unicamente pela fé e chega a essa salvação só pela
bíblia. Diferente de Lutero, entretanto, rejeitava
CALENDÁRIO LUNAR MUÇULMANO a idéia da presença física do Senhor na santa
(islamismo). Calendário adotado nas nações ceia e removeu muito mais elementos da prática
islâmicas. Registra onze dias de atraso em re- litúrgica da Igreja romana do que Lutero.
lação ao calendário gregoriano. Os dias santos O calvinismo espalhou-se rapidamente pela
muçulmanos não são estabelecidos em datas França, Holanda, Inglaterra e pelos Estados
fixas, mas variam de um ano para outro (veja Unidos. Teve profunda influência sobre a te-
dias santos muçulmanos). ologia das reformas religiosas na Inglaterra e
na Escócia. Os puritanos, que migraram para
CALIFA (islamismo). Vice-rei; representante ou Massachusetts (EUA), no início do século XVII,
sucessor do rei em outro país. Depois da partida eram calvinistas.
de Maomé, o califa tornou-se o representante
de alá, seu porta-voz e líder do povo. Os quatro CALVINO, JOÃO (1509-1564). Reformador
primeiros — abu bakr, omar, otmã e ali — são protestante, nascido em Picardy, na França.
designados “califas guiados corretamente”, Originariamente, Calvino estudou para ser pa-
porque não há objeção concernente às respec- dre, mas logo depois mudou de ideia e estudou
tivas alegações que fizeram de ser os sucessores direito. É interessante notar que isso foi o inverso
de Maomé. do que aconteceu no início da carreira de lutero:
ele primeiro aspirou ao direito, mas mudou de
CALUNGA (cultos afro-brasileiros). Entidade ideia e aderiu ao monasticismo e, por último, ao
da morte e também do oceano. (AM) sacerdócio. Como Lutero, Calvino cresceu sob a
CAMINHO INTERNACIONAL, O 89

influência do humanismo renascentista, movi- que era necessário o surgimento de um terceiro


mento caracterizado pela renovação do estudo caminho, ou seja, o intermediário (v. os oito
dos clássicos, especialmente os escri­tos e ensinos nobres caminhos; budismo).
gregos. Calvino foi também bastante influenciado
pelos escritos de Lutero. Sua maior contribuição CAMINHO INTERNACIONAL, O. Em me-
literária para a Igreja foi a monumental obra ados da década de 1970, milhares de famílias
As institutas da religião cristã, publicada pela e estudantes universitários adquiriram o curso
primeira vez em 1536. Sua maior ênfase teo- “Poder para uma vida abundante”. Para os de
lógica estava na soberania de Deus. A reforma fora, a frase soa como um dos numerosos títulos
protestante foi profundamente influenciada pelo típicos de material de autoajuda, vendidos em
calvinismo. Ele e Lutero nunca se encontraram qualquer livraria. Entretanto, não é assim! O cur-
pessoalmente, mas trocaram correspondências. so consiste numa série de ensinamentos de uma
(Veja também cristianismo). seita conhecida como O Caminho Internacional.
O fundador e a figura principal do movimento foi
CAMINHAR SOBRE O FOGO (ocultismo). victor paul wierwille (1916-1985).
Habilidade inexplicável de andar sobre o fogo Wierwille nasceu em 1916, em New Knoxvil-
sem se queimar nem sofrer algum dano. É muito le, estado de Ohio. Foi criado na Igreja Evangélica
disseminada nos círculos do ocultismo. e Reformada (absorvida pela Igreja Unida de
Cristo, em 1963). Ele se lembra do desejo que
CAMINHO DA MÃO DIREITA (ocultismo). tinha de entrar para o ministério quando tinha
Termo usado nos círculos ocultistas para de- apenas oito anos de idade. Depois de terminar o
signar “bem”, “luz”, “iluminação espiritual”, segundo grau, frequentou o seminário e colégio
“positivismo” etc. Na bíblia, as ovelhas (os justos) Mission House, em Plymouth, Wisconsin, no
são separadas dos bodes (os ímpios), os quais qual recebeu o grau de bacharel em teologia,
serão colocados do lado esquerdo, enquanto os em 1940. De lá, entrou para a Universidade de
justos irão para o lado direito (v. caminho da mão Chicago, onde fez vários cursos de verão entre
esquerda). 1938 e 1940. Em 1941, frequentou e graduou-se
no Seminário Teológico Princeton. Em 1948, su-
CAMINHO DA MÃO ESQUERDA (ocultis- postamente recebeu o grau de doutor em teologia
mo). Termo utilizado nos círculos do ocultismo (Th.D.) do Seminário Bíblico de Pike’s Peak, em
como sinônimo de mal. Na bíblia, os bodes (os Manitou Springs, Colorado. Entretanto, essa cre-
ímpios) serão colocados à esquerda de Deus, se- dencial acadêmica de Wierwille foi questionada
parados para o julgamento, enquanto as ovelhas num artigo intitulado “A Degree from Pike’s Peak
(os justos) serão colocadas à direita, para serem [Uma graduação de Pike’s Peak], publicado na
salvas (v. caminho da mão direita). revista Christianity Today [Cristianismo Hoje]:
“Em uma carta da Comissão de Educação Supe-
CAMINHO DO MEIO (budismo; Soka Gakkai; rior do Colorado, um funcionário do governo diz
Nichiren Shoshu). Famosa conciliação formulada que o seminário Pike’s Peak não tinha instrução
por gautama buda. O “meio termo” entre a indul- residente, não publicava sequer uma lista de
gência excessiva no materialismo, por um lado, alunos matriculados, não possuía qualquer
e a austeridade da total abnegação e negação, do autorização nem era supervisionado por alguma
outro. Ele percebeu que esses extremos falhavam agência do governo. A instituição oferecia seus
em eliminar o sofrimento simplesmente porque programas de graduação por meio de métodos
não conseguiam anular o desejo. Pelo contrário, “extracurriculares”, cujos livros e apostilas eram
serviam apenas para aumentar a vontade, a enviados pelo correio. Os diplomas, segundo o
fim de intensificar dessa maneira o potencial funcionário, não tinham valor algum, exceto para
humano para o sofrimento. Ele argumentava a entidade que os concedia”.1
90 CAMINHO INTERNACIONAL, O

A educação adicional que Wierwille afirmava certificar-lhe sobre os danos que ele causava em
possuir incluía “tudo o que pude aprender tam- seu campo de trabalho. A denominação exigiu
bém no Instituto Bíblico Moody, por meio dos sua demissão em 1957 e ele concordou.
cursos por correspondência”. Surgem suspeitas, Como pastor independente, começou a
porém, porque não existem registros no Instituto desenvolver suas ideias, e, em 1958, formou o
que confirmem essa afirmação. movimento conhecido como O Caminho Inter-
Em 1941, Wierwille foi ordenado pela Igreja nacional. O nome foi inspirado no livro de Atos
Evangélica e Reformada. Sua primeira nomeação dos Apóstolos, onde os primeiros cristãos eram
como pastor foi para uma congregação na cidade mencionados como seguidores do “caminho”
de Payne, Ohio. Nessa época, ele se desentendeu (Atos 9.2). Um centro de pesquisa bíblica foi
com suas próprias crenças e duvidou da teologia construído no local da sede, numa fazenda em
do cristianismo ortodoxo. Como tantos líderes de New Knoxville, Ohio.
seitas, Victor Paul afirmou que Deus falara dire- O sucesso e o crescimento ocorreram no
tamente com ele: “ [...] ele dialogou comigo de despertamento do movimento contracultural
forma audível, assim como converso com vocês “Jesus”, no final dos anos 1960. Em 1967, o cur-
agora. Disse que me ensinaria a Palavra como so Poder para a vida abundante, de Wierwille,
nunca foi conhecida, desde o primeiro século, tornou-se uma série de filmes bem desenvolvidos
se eu a ensinasse a outros”.2 e usados para atrair milhares de pessoas na nova
Para estabelecer a exclusividade do enten­­d­­ década.
i­mento privilegiado de novas doutrinas, muitos Duas escolas foram compradas pelo Cami-
dos líderes de seitas não somente afirmam que nho: The Way College of Emporia, localizado na
ouviram vozes divinas, de maneira audível, cidade de Emporia, Kansas; The Way College
mas também insistem em que a revelação of Biblical Research, em Rome City, Indiana.
particular que receberam é única e que todos O braço editorial do movimento chama-se
os outros líderes são apóstatas. Wierwille não American Christian Press, localizada em New
é exceção a essa regra. Afirmava que todas as Knoxville, Ohio.
outras denominações, tanto católicas como Os membros são matriculados no curso
protestantes, estavam erradas. Somente ele se “Poder para a vida abundante” mediante o ofe-
encontrava qualificado para trazer a verdade recimento de um “donativo”. Na verdade, não
de Deus ao mundo. Wierwille já havia reunido se trata de oferta, pois somente os que “doam”
uma biblioteca pessoal considerável. Convicto têm permissão para fazer o curso. No início, a
de que todos aqueles escritos estavam cheios de taxa era de 20 dólares. Depois, subiu para 85,
erros e de coisas sem valor, jogou fora mais de 100 e hoje é 200 dólares. Também são oferecidos
três mil volumes. cursos avançados, como um degrau para o curso
Em 1953, Wierwille transmitiu a primeira fundamental.
série de estudos do “Power for Abundant Living” Não é dito aos membros em nenhum dos cur-
[Poder para a vida abundante]. Nesses ensina- sos nem é explicado desde o início que O Caminho
mentos, bem como em seus primeiros escritos, é uma seita de controle da mente. De acordo com
ficava bem claro que ele rompera totalmente Steven Hassan, essa organização é uma das mui-
com suas raízes ortodoxas. O curso era uma tas “seitas destrutivas que combinam caracterís-
versão antiga do que se tornaria um programa de ticas de pequenas seitas bíblicas fundamentalistas,
poderoso e eficiente evangelismo nos anos 1970. com técnicas sofisticadas de treinamento de
Durante seu ministério, Wierwille fez uma grupos, como o fórum e os elementos radicais de
viagem não autorizada à Índia, em 1955, como grupos puramente políticos”.3 Hassan registrou
missionário. O evento causou grande preocupa- o testemunho de Wendy Ford, ex-participante do
ção e embaraço na Igreja Evangélica e Reforma- Caminho, que relatou como funciona o cotidiano
da. Seus diretores enviaram-lhe cartas, a fim de do grupo e suas técnicas do “parar de pensar”:
CAMINHO INTERNACIONAL, O 91

“No meu grupo, éramos ensinados sobre como existem muitos panfletos, folhetos e outros
falar em línguas, o que supostamente era uma mate­riais disponíveis.6 Wierwille morreu em
manifestação do Espírito Santo. Devíamos fazer 1985, vítima de câncer. A organização está sob a
isso sempre que começávamos a pensar por nós direção de uma junta de diretores.
mesmos ou a questionar o que quer que fosse”.4 Ensinos. As doutrinas básicas do Caminho
Wendy prossegue e revela que os membros apren- Internacional são esboçadas a seguir:
dem que a falta de concordância ou pensamentos Deus. Ele não é um ser trino. Jesus não é
críticos eram sinais de possessão do diabo ou de Deus Filho, e o Espírito Santo, consequente-
tentação para a incredulidade. Assim, o medo mente, não é Deus. Portanto, Deus é um. Numa
se tornava uma ferramenta útil para Wierwille discus­são sobre os atributos de Deus, Wierwille
manter o controle sobre seus discípulos. O livro argumenta que “a habilidade de Deus sempre se
de Ronald Enroth Youth, Brainwashing, and the iguala à disposição de Deus”. Juntamente com
Extremist Cults [Juventude, lavagem cerebral e as essa afirmação, vem a conclusão: “O que Deus é
seitas extremitas] (Zondervan, 1977) dedica um capaz de fazer, está disposto a fazer; e o que ele
importante capítulo sobre as técnicas de controle está disposto a fazer, ele é capaz de fazer”.7
empregadas pela seita. O argumento básico de Wierwille é que nunca
O Caminho é organizado ao redor do sím- houve um conceito teológico de Deus como uma
bolo de uma árvore. Cada parte dela representa trindade, no contexto do Antigo ou do Novo Tes-
um elemento da estrutura na organização. A tamento. Pelo contrário, ele considera a ideia da
subdivisão é a seguinte: a “raiz” — Victor Paul triunidade de Deus um conceito de origem pagã.
Wierwille; o “tronco” — várias organizações Como o islamismo, o judaísmo e a Associação Uni-
nacionais; os “galhos” — várias unidades tariana Universalista, além de muitas religiões
estaduais; os “ramos” — as várias unidades modernas, Wierwille acusa o cristianismo de
municipais. Cada ramo é dividido em grupos de ensinar uma pluralidade de deuses.
estudo bíblico individuais.5 Contra essa polêmica, o cristianismo respon-
Até 1993, havia mais de 100 mil membros de e reafirma a crença em um único Deus. O credo
em 60 países. O periódico bimestral do movi- atanasiano resume toda a doutrina cristã nessa
mento chama-se The Way Magazine [Revista O questão: “E a fé cristã consiste em venerar um só
Caminho]. O grupo possui também uma empresa Deus na Trindade e Trindade na unidade, sem
fonográfica intitulada W. O. W. (Word Over the confundir as pessoas e sem dividir a substância”
World) [Palavra para o Mundo]. É realizada (Apêndice 1).8 Essa fórmula não é o resultado do
uma convenção anual, cujo nome é “The Rock pensamento pagão. Atanásio e os pais da Igreja
of Ages” [Rocha Eterna]; milhares de pessoas chegaram a essa conclusão contra o arianismo
se reúnem anualmente para participar dos negó- ao tomar como base as passagens bíblicas de
cios, da adoração e dos ensinamentos de Victor Mateus 28.19; Lucas 3.21,22; 2Coríntios 13.14
Paul Wierwille. etc. O cerne da oposição de Wierwille à Trindade
Os vários livros escritos pelo líder do movi- está em sua negação da divindade de Cristo (v.
mento incluem títulos como Power for Abundant a seguir). Evidentemente, este é o mesmo ponto
Living [Poder para a vida abundante], Receiving no qual Atanásio opôs-se a Ário no século IV, e
the Holy Spirit Today [Recebendo o Espírito esse cenário repetiu-se em várias ocasiões nos
Santo hoje], The Bible Tells me So [A Bíblia as- anos seguintes.
sim me diz], The New Dinamic Church [A nova Jesus Cristo. Wierwille argumenta que Jesus
igreja dinâmica], The Word’s Way [O caminho Cristo é o Filho de Deus, mas não o Deus Filho.
da Palavra], God’s Magnified Word [A palavra Ele escreveu: “Notamos que Jesus Cristo é referi-
magnificada de Deus], Jesus Christ is not God do diretamente como o ‘Filho de Deus’ em mais
[Jesus Cristo não é Deus] e Are the Dead Alive de 50 versículos do Novo Testamento; é chamado
Now? [Os mortos estão vivos agora?]. Também de ‘Deus’ em quatro. (Ele nunca é chamado de
92 CAMINHO INTERNACIONAL, O

‘Deus Filho’). Somente pelo peso dessa única impessoal”, um atributo direto de Deus Pai.
evidência, 50 a 4, a verdade deve ser clara”.9 Wierwille concluiu isso a partir do argumento
Jesus nasceu de Maria e José; portanto, não de que se Deus é espírito e é santo, ele deve ser
era Deus. Estava isento de pecar, porque Deus o Espírito Santo.
criou um esperma imaculado, atribuído de alma- Existe uma segunda referência ao Espírito
vida. Portanto, Jesus nasceu sem pecado. Então, Santo. Quando lemos os escritos de Wierwille,
o relacionamento essencial entre Deus e Jesus devemos diferenciar “Espírito Santo”, escrito
é de pai para filho, porque Deus proporcionou com letras maiúsculas, e “espírito santo”, com
a José o esperma necessário para que Maria minúsculas. No primeiro caso, como já vimos, a
concebesse uma criança sem pecado. Portanto, referência é ao Pai. Na segunda utilização, “espí-
Jesus certamente não era coeterno com o Pai. O rito santo” é usado para falar de um dom único
Filho só passou a existir depois que nasceu da da graça que Deus concede à humanidade — um
virgem. Antes disso, Jesus existia somente na poder ou um dom colocado no interior do crente.
presciência de Deus. Deus não habita dentro do cristão, mas esse
Com relação à crucificação, Jesus não podia “poder inerente”, ou o “espírito santo”, reside. O
ser Deus e ao mesmo tempo capaz de fazer ex- livro de Wierwille, Receiving the Holy Spirit Today
piação pelos pecados do mundo. Pelo contrário, [Recebendo o Espírito Santo hoje], descreve tam-
Cristo era apenas um ser humano. Somente os bém como o indivíduo recebe o espírito santo. Ele
homens falecem. Deus jamais morre. argumenta que o som de “um vento impetuoso”,
O entendimento do Caminho sobre Cristo é de Atos 2, na realidade era o da respiração dos
mais heterodoxo do que o arianismo, no sentido apóstolos no cenáculo. Aquele que busca o espírito
de que este, embora rejeitasse a coeternidade santo é orientado a respirar de uma determinada
de Jesus com o Pai, jamais negou que Cristo maneira, como meio de receber o dom.
existisse antes de seu nascimento humano. Ário Contra essas ideias, o cristianismo defende
nunca rejeitou o nascimento virginal de Cristo, firmemente a doutrina do Espírito Santo como
como Wierwille. a terceira pessoa da Trindade. Em nenhum lugar
Ao afirmar que era impossível Jesus ser Deus, da Bíblia, ou na tradição cristã, o Espírito Santo
porque Deus não pode morrer, Wierwille ignora é retratado como duas entidades separadas.
ou falha em compreender a cristologia calce- Muitas passagens bíblicas distinguem claramente
doniana, que defendia a união pessoal entre as o Espírito Santo e o Pai (Mateus 28.19; Lucas
naturezas humana e divina de Cristo (Romanos 3.21,22; João 7.39; 14.16,17; 15.26; 16.13; Atos
1.3,4). A humanidade de Jesus e sua divindade es- 2.17; 2Coríntios 13.14 etc.). Por essa razão, os
tão unidas de tal maneira que são “inseparáveis”, credos Niceno e Apostólico reservam o terceiro
“inconfundíveis”,“imutáveis” e “indivisíveis”. Na artigo (Apêndice 1) para a doutrina do Espírito
tradição cristã, portanto, quando a Bíblia trata Santo, a fim de reconhecer que o Espírito Santo
das qualidades humanas de Jesus, capazes de é a terceira pessoa da Trindade e o Santificador,
salvar, “o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica Mestre e Consolador dos crentes. Segundo, é
de todo pecado” (1João 1.7), deve se entender inútil buscar nas Escrituras a existência de um
que o sangue salva desde que seja o de Jesus. As tipo inferior de espírito que substitua o espírito
qualidades humanas de Cristo estão ligadas de caído da humanidade. Por exemplo, Romanos
forma inseparável às divinas. Por isso, quando 8.16 diferencia de forma clara o Espírito Santo do
a Igreja argumenta que Deus de fato morreu espírito humano (às vezes chamado de alma). O
na cruz, é em virtude da união pessoal entre a Espírito Santo vem e habita no interior do crente.
humanidade e a di­vinda­de de Cristo que se pode O espírito humano nunca é arrancado e substitu-
dizer que Deus morreu. ído por um espírito sobrenatural.
Espírito Santo. Ele não é a terceira pessoa Humanidade. Antes da Queda, os seres
da Trindade. Pelo contrário, é uma “força humanos possuíam corpo, alma e espírito.
CAMINHO INTERNACIONAL, O 93

Como resultado da desobediência, Wierwille evidenciar a salvação. Também, não há base


ensinava que o espírito, ou aquele aspecto da bíblica para a necessidade da presença de outras
natureza humana capaz de conhecer a Deus, línguas a fim de provar a salvação do indivíduo.
corrompeu-se. Como os animais, o ser humano Muitas conversões citadas no Novo Testamento
é um corpo físico com uma alma, ou “fôlego”. ocorreram sem a menção de línguas (Atos 16.15,
A raça humana foi destituída do espírito até o 30-32; 18.24-28; 28.24 etc.).
tempo determinado em que Deus o mandou de A salvação é o resultado direto da “justifica-
volta, no dia de Pentecoste, em Atos 2, quando ção pela fé” (Romanos 3.28), em que nenhuma
os crentes estavam reunidos no cenáculo (v. obra humana é incluída no processo (Efésios
Espírito Santo). Naquele momento, o espírito 2.8,9). Além disso, a Igreja primitiva evidenciava
santo foi concedido novamente aos desprovidos um claro entendimento da salvação como o resul-
de espírito. Isso, evidentemente, tem implicações tado direto da pessoa e obra de Cristo, conforme
importantes no entendimento do Caminho sobre se encontra no segundo artigo dos credos Niceno
a salvação (v. adiante). e Apostólico. (Apêndice 1 e em muitas passagens
Pecado. Wierwille estabelece uma dicotomia da Bíblia.)
entre “espírito” e a carne/alma. Define pecado Igreja. A única igreja verdadeira é O Cami-
como a quebra das leis de Deus e conclui que os nho Internacional. Deus falou com Victor Paul
crentes pecam por toda a vida no corpo/alma; Wierwille e chamou-o como seu único instru-
entretanto, no “espírito”, jamais erram. mento, para estabelecer sua verdadeira Igreja
Novamente, essa dicotomia opõe-se à Bíblia na terra. Se os membros do Caminho levam a
e à tradição cristã. Embora diferentes tradições sério a defesa dessa posição, devem perceber
cristãs tenham defendido que uma pessoa seja ou que uma multidão de outros líderes religiosos
tricotômica (corpo, alma e espírito) ou dicotô- fazem afirmações similares a essas de Wierwille.10
mica (corpo, alma/espírito), nunca se defendeu O cristianismo ensina que a única e verdadei-
que o “corpo” e a “alma” humana permaneçam ra Igreja é santa e católica (universal), composta
pecaminosos, enquanto o “espírito” jamais peca. pela “comunhão dos santos” (credo apostólico).
A visão bíblica do ser humano é que o homem é É a Igreja como noiva de Cristo que existe desde
um todo (corpo, alma e/ou espírito). A separação o dia de Pentecoste (Atos 2) e marcha triunfante
entre “alma e corpo”, ou “carne e espírito” surgiu através da história. Por isso, ela sobrevive às per­
a partir do dualismo grego, contra o qual Paulo seguições e aos falsos ensinos de cada geração.
argumentou, quando levou o cristianismo ao O Caminho representa uma forma moderna do
mundo helênico. O pecado é o que separa a raça falso ensino, que entra em conflito com o cris-
humana de Deus (Romanos 3.23). A transgresão tianismo histórico.
não faz parte da substância da humanidade, mas Conclusão. Alguns outros aspectos dos
é um elemento estranho, introduzido pela Queda ensinamentos de Wierwille incluem a surpreen-
(Romanos 7.17). dente afirmação, contrária ao consenso entre os
Salvação. A busca pela salvação consiste estudiosos, de que o Novo Testamento foi escrito
em reconquistar o aspecto perdido da nature- originalmente em aramaico; Cristo ressuscitou
za humana, ou seja, o “espírito”. Ela deve ser dentre os mortos no sábado, e não no domingo;
acompanhada por uma confissão de fé verbal. e que o batismo nas águas deve ser substituído
A evidência de que o indivíduo foi salvo é “falar pelo do espírito santo.
em outras línguas”. Depois da morte, o crente O lema muitas vezes repetido entre os mem-
permanece na sepultura até a ressurreição final. bros do Caminho é: “A Palavra significa o que diz
Em termos de soteriologia, não há conver- e diz o que significa”. Muitos ensinamentos do
gência entre o Caminho e o cristianismo. Em Caminho, porém, negam esse slogan.
nenhum lugar a Bíblia exige uma confissão verbal O sucesso do Caminho está no evangelismo
como elemento absolutamente necessário para fervoroso que utiliza, principalmente através
94 CANALIZAÇÃO

do curso “Poder para uma Vida Abundante”. falecido, para comunicar uma mensagem espe-
Afirmamos, porém, que muitos de seus membros cífica, geralmente de natureza pessoal. Na Nova
foram e ainda são ganhos devido ao desaponta- Era, o espírito invocado é um ser espiritual não
mento com as experiências religiosas ou a falta relacionado a alguém, que comunica mensagens
delas nas igrejas cristãs tradicionais. É esse des- ou ensinamentos de orientação, conhecimento
contentamento que muitas vezes tem ajudado lí- ou direção para os membros do movimento.
deres carismáticos a encontrar seguidores. Victor
Paul Wierwille não foi exceção desse fenômeno; CÂNCER (astrologia). É o quarto signo do zodía-
com sua morte, em 1985, o intenso apelo que co, na astrologia, e abrange o período entre 22 de
o grupo exercia nos anos 1970 diminuiu, mas junho e 23 de julho. Segundo a mitologia grega,
certamente não morreu. 11 o caranguejo mordeu Hércules e foi esmagado,
enquanto este lutava com a Hidra de Lerna. Como
Notas recompensa, Hera, inimiga de Hércules, colocou o
1
Diamond, Herbert. A Degree From Pike’s Peak, caranguejo no céu. Pessoas nascidas sob o signo
Christia­nity Today, November 21, 1975. de câncer são caracterizadas como sensíveis,
2
Whiteside, Elena S. The Way — Living in Love. 2th maternais, impressionáveis e sem princípios.
ed. New Knoxville, Ohio: American Christian Press,
1972, p. 178. CANDLEMAS (bruxaria). Veja calendário das
3
Hassan, Steven. Combatting Cult Mind Control. bruxas.
Rochester, Vt.: Park Street Press, 1990, p. 91.
4
Ibid., p. 91-92. CANDOMBLÉ (cultos afro-brasileiros). Histó-
5
Martin, Walter. The New Cults. Ventura, CA: Regal, ria. O candomblé foi originalmente introduzido
1980, p. 43. na Bahia pelos negros africanos, feitos escravos,
6
Cf. “Bibliografia”, para leituras recomendadas que trouxeram de sua cultura religiosa seus
adicionais. deuses, rituais, costumes, suas crenças, tradições,
7
Wierwille, Victor Paul. Power For Abundant Li- lendas e danças. Todo esse conjunto cerimonial
ving. New Knoxville, OH: American Christian Press, foi chamado na Bahia de candomblé.1 A nomen-
1971, p. 21-22. clatura variava de acordo com a região onde eram
8
Para mais observações sobre a doutrina da Trindade, estabelecidos. Por exemplo, no Rio de Janeiro, foi
cf. também o verbete cristadelfianismo, denominado de macumba; em Pernambuco e Ala-
9
Wierwille, Victor Paul. Jesus Christ Is Not God goas, de xangô; no Maranhão, de tambor-de-mina;
(1975), apud Martin, Walter. Op. cit., p. 55. em Minas Gerais, de canjerê2; no Rio Grande do
10
Cf. joseph smith, moisés davi, herbert w. armstrong, Sul, de batuque3 etc. Fora do Brasil é conhecido
charles taze russell, john robert stevens, bubba free como santeria, em Cuba, e como vodu, no Haiti.
john, apenas para citar alguns. O candomblé está dividido em diversos ritu-
11
Algumas das estatísticas de crescimento foram ais. Desses, o que melhor conservou a tradição
fornecidas pelo Institute for World Religions, P.O. africana, segundo o etnólogo pierre verger,4 foi
Box CC, Irvine, CA 92716-6003. o nagô, também conhecido como iorubá. Em
seguida, vem o jeje. Estes seriam os autênticos
CANALIZAÇÃO (esoterismo; ocultismo; As- representantes da religião dos orixás, que te­riam
sociação de Pesquisa e Iluminação; movimento influenciado grandemente as outras nações (v. na-
Nova Era). Prática semelhante à realizada no ção). Além desses, destacam-se também o angola
espiritismo, onde um médium invoca o espírito de e o queto, entre outros. Apesar da diversidade, há
uma pessoa falecida, a fim de manter comunica- pontos comuns entre eles, como, por exemplo, os
ção. Existe uma grande diferença entre a prática orixás; mas há divergências quanto aos nomes
da nova era da canalização e a do médium no dos próprios orixás, de suas cores, vestimentas,
espiritismo, que invoca o espírito do parente comidas e seus dias consagrados.
CANDOMBLÉ 95

Ensinos. Apesar das divergências, há elemen- fundamentais para que essa condição seja perpe-
tos que representam o essencial nas correntes do tuada. Ser salvo é estar bem consigo mesmo, com
candomblé de linha iorubá/nagô, e que influen- seu semelhante e com os orixás, obedecendo-os
ciou outras correntes afro-brasileiras: sempre, para não incorrer em sua ira.
Deus. Há um Deus Supremo, Olorum (talvez No cristianismo, contudo, a salvação está
“Senhor de orum”), também chamado de Olodu- relacionada com o perdão de pecados, median­te
maré, a causa de todas as coisas; porém, ele não o sangue de Jesus Cristo, pois o pecado é uma bar-
criou tudo diretamente, mas delegou a criação a reira objetiva que separa a humanidade caída de
seu filho xangô ou Obatalá. Olorum não interfere Deus. Para solucionar o problema, Jesus, o Verbo
no aié (mundo material) e no orum (mundo espi- Eterno, encarnou-se, nascendo homem da virgem
ritual). A transcendência de Olorum não admite Maria, e veio a este mundo a fim de morrer na
o conceito cristão da imanência. Ele é um ser cruz e, por meio de seu sangue derramado, remir
inacessível. Por isso, não há culto diretamente a aqueles a quem Deus, em sua infinita misericór-
ele; os fieis não podem se relacionar com seu Deus dia, decidiu salvar (João 3.16,36).
Supremo, a não ser por intermédio dos orixás, Vida após a morte. A preocupação do can-
deuses intermediários entre o Ser Supremo e os domblé está em manter a harmonia entre o aié e o
homens. orum. Se essa harmonia for abalada, mas não res-
Embora partilhe com o cristianismo da tabelecida, então, ao morrer, a pessoa poderá ter
transcendência de Deus, supervalorizando-a, um destino não muito bom, de acordo com os atos
o candomblé nega sua imanência, ou seja, sua que praticou na vida terrena. O bom andamento
atuação direta e concreta no mundo, lidando di- da vida presente é uma preocupação do devoto.
retamente com este. Os orixás tornam-se, de fato, Por isso, a morte é encarada de forma natural, a
os verdadeiros objetos de culto nessa religião. A mudança de uma vida para outra, uma nova exis-
bíblia, assim como os credos cristãos ecumênicos tência eme um dos nove espaços que compõem
(v. Apêndice 1), ao contrário, prega a existência o orum. Se o adepto foi boa pessoa, cumpridora
de um único Deus, todo-poderoso, subsistindo de seus deveres, irá para um bom lugar, o Orum
nas pessoas do Pai, Filho e Espírito Santo, que Rere ou o Orum Alaafia, um ambiente de paz e
criou diretamente todas as coisas e as mantém tranquilidade. Há também um lugar destinado
por seu próprio poder (Gênesis 1.1; Isaías 45.12; para o pai de família que se mostrou digno: o
João 1.1-3; Colossenses 1.16-18; Hebreus 1.1, 2; Orum Babá Eni (moradia dos eguns). Existe até
Jó 33.4, Salmos 104.30). Ele é o único digno de mesmo um local de reparação, o Orum Afefé,
receber toda a adoração e louvor, sem os partilhar destinado a pessoas que não se aperfeiçoaram, e
(Isaías 42.8; Apocalipse 4.11). que terão outra oportunidade para isso, por meio
Mundos paralelos. O universo está divi- da reencarnação, retornando para sua família
dido em dois planos paralelos e interligados: o de origem. Mas, quem for incorrigível, irá para
material, chamado aié, e o espiritual, conhecido o Orum Apaadi, a habitação daqueles que nem
como orum. O alvo do adepto é a manutenção mesmo a reencarnação poderia ajudar a se recu-
da harmonia entre esses dois mundos, o que se perar. Porém, ainda existe um lugar pior, o Orum
obtém por meio dos cultos prestados aos orixás, Burukú, descrito como o mau espaço, quente
detentores do axé. como pimenta, destinado às pessoas más, que
Salvação. A visão de mundos paralelos estariam irremediavelmente perdidas.5
determina todo o seu comportamento diante do Contudo, não se deve pensar que a lei do re-
mundo e sua preparação para a vida pós-morte. torno é somente para o além, pois no candomblé
Assim, tem-se em primeiro lugar um sentido de a retribuição também pode ocorrer no período de
se estar “salvo”, isto é, estar em perfeito equilíbrio vida da pessoa (“aqui se faz, aqui se paga”). Para
com o orum, mediante a renovação constante do isso existem as cerimônias religio­sas, nas quais
axé. Para isso, os rituais efetuados no terreiro são os orixás, detentores do axé, são invocados. Essa
96 CANJERÊ

invocação tem seu preço. Os habitantes do aié sil, e na Antiga Costa dos Escravos, na África.
precisam cumprir sua parte, ou seja, se querem São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo,
receber axé, devem aprender a dar, o que incluiu 1999, p. 24.
observar os preceitos de seu orixá, agradando- 2
Bastos, Abguar. Os cultos mágico-religiosos no
lhe por meio de sacrifícios de animais e outras Brasil. São Paulo: Ed. Hucitec, 1979, p. 29-30.
oferendas (v. ebó). E é essa relação de troca entre 3
Caccioatore, Olga Gudolle. Dicionário de cul-
os habitantes do aié e do orum que faz com que tos afro--brasileiros. 2. ed. Rio de Janeiro:
a existência seja bem vivida, com a expectativa Forense Universitária, s/d, p. 65. Cf. também
de uma boa recompensa no orum. Schwarcz, Liliz Moritz; Souza Reis, Letícia Vidor
A soteriologia do cristianismo não admite a de (Orgs.). Negras imagens: ensaios sobre
crença na reencarnação, que, em última análise, cultura e escravidão no Brasil. São Paulo:
é uma forma de fazer do ser humano o seu pró- Editora da Universidade de São Paulo, 1996.
prio salvador. A Bíblia, ao contrário, mostra que 4
Verger, Pierre. Op. cit., p. 23.
todos nascem em pecado e destituídos da glória 5
Beniste, José. Òrun, Àiyé: o encontro de dois
de Deus (Romanos 3.23). Nessa condição, todos mundos: o sistema de relacionamento nagô-
merecem a morte, ou seja, a separação eterna de yorubá entre o céu e a Terra. Rio de Janeiro:
Deus, o que constitui o castigo eterno (inferno). Bertrand Brasil, 1997, p. 201.
Somente os méritos sacrificiais do sangue de
Jesus Cristo, vertido na cruz, é que podem fazer CANJERÊ (cultos afro-brasileiros). Termo uti-
com que o indivíduo escape da separação de lizado em Minas Gerais para indicar o candomblé
Deus, ou seja, a condenação eterna. De nada da Bahia. Usa-se também para indicar a prática
adiantaria o derramamento contínuo de sangue de feitiçaria (magia negra). Equivale ao termo
animal (Hebreus 9.12). O sacrifício de Cristo, macumba, do Rio de Janeiro. (AM)
efetuado uma única vez e sem necessidade de
repetição, foi suficiente para outorgar a vida CANTRIP (ocultismo; bruxaria). encantamento
eterna (Hebreus 10.14). Assim, todo e qualquer usado pelas bruxas.
esforço humano nesse sentido, segundo a bíblia,
é inútil (Efésios 2.8-10). Ela também enfatiza CAPLATA (vodu; ocultismo). Indivíduo prati-
a unicidade da vida humana, ou seja, não há cante da magia.
como retornar. É a atitude diante de Deus, aqui
mesmo, que selará o destino eterno da pessoa CAPRICÓRNIO (astrologia). O décimo signo do
(Hebreus 10.27). zodíaco. Abrange o período entre 22 de dezembro
Conclusão. O candomblé, à semelhança da e 19 de janeiro. Capricórnio é ilustrado como um
umbanda, tem atraído pessoas de todas as classes carneiro com cauda de peixe. Pessoas nascidas
e camadas sociais; porém, a umbanda mostra-se sob esse signo, de acordo com os astrólogos, são
mais acessível, sobretudo por sua característica confiantes e determinadas, e mantêm elevados
sincrética marcante. O candomblé, ao contrá- padrões de personalidade.
rio, lembra mais uma comunidade monástica,
que com suas regras e entrega incondicional ao CARISMÁTICO; MOVIMENTO CARISMÁ-
orixá, que inclui severos rituais de iniciação, faz TICO (cristianismo). Derivado do grego charis-
com que muitos sejam apenas frequentadores ma, que significa “dom da graça”, os dons do
esporádicos ou membros itinerantes, sem se Espírito Santo são concedidos a todos os crentes
comprometerem com a religião. (AM) para a edificação da Igreja. Estão relacionados em
1Coríntios 12.8-11 e cada cristão deve possuir
Notas pelo menos um deles. A expressão movimento
1
Verger, Pierre. Notas sobre o culto aos Orixás e carismático descreve aqueles grupos que não
voduns na Bahia de Todos os Santos, no Bra- pertencem às denominações pentecostais, mas
CARTOMANCIA 97

que acreditam na contemporaneidade dos dons duísmo). Lado prático do treinamento da ioga.
pentecostais. O movimento teria originado em O Carma Ioga é a ioga em ação, ou a aplicação
Van Nuys, na Califórnia, no ano 1959, quando dos princípios teóricos; a realização das tarefas
Dennis Bennett, ministro da Igreja Episcopal, por cumprir.
declarou à sua congregação que havia recebido
“o batismo no Espírito Santo”. Em seguida, CARTAS DO TARÔ (ocultismo). Prática ocultis-
o movimento foi divulgado amplamente pela ta que utiliza cartas de baralho para adivinhação.
fraternidade pentecostal Full Gospel Business O tarô consiste num pacote de 22 cartas com
Men’s Fellowship Internacional [Comunhão in- símbolos que variam em cada embalagem.
ternacional de empresários do evangelho pleno]. Entretanto, todos os tarôs contêm quatro nai-
Como resultado, o movimento carismático foi pes principais chamados “varas de condão”,
aceito por diversas denominações tradicionais copas, pentáculos e espadas, que simbolizam
e pela Igreja católica romana. Na atualidade, o os vários elementos. As cartas da corte incluem
movimento carismático está presente em todo o rei, a rainha, o valete e o pagem, os quais re-
o mundo. presentam o espírito, a alma, a vitalidade e o
corpo, respectivamente. Uma das cartas tem a
CARMA (hinduísmo). Lei da justiça retaliativa. figura de uma caveira, que simboliza a morte.
O carma de um indivíduo determina seu lugar
nos estágios sucessivos dos ciclos da reencarna- CARTOMANCIA (ocultismo). Uma das três
ção. Também representa a lei moral do universo, ramificações do ocultismo; a cartomancia envolve
pela qual todos os homens serão julgados. adivinhação e assume formas como leitura das
cartas do tarô, bola de cristal, numerologia etc.
CARMA IOGA, CARMA MARGA (Instituto As duas outras ramificações do ocultismo são a
de Ioga Integral Satchidananda Ashram; hin- magia e o espiritismo.

Um cartomante trabalha na Feira do Renascimento, realizada em Modelos de cartas de Tarô usadas para adivinhar o futuro. Cortesia
Bristol, Wisconsin. Cortesia de Jack M Roper/CARIS de Jack M. Roper/CARIS
98 CASA COMUNITÁRIA

CASA COMUNITÁRIA (Igreja do Entendi- CASICAN (Abakua). Termo usado para sacer-
mento Bíblico). Local usado pela Família Eterna, dotisa.
para as reuniões da ieb.
CÁTARO (cristianismo). Derivado do grego
CASA-DE-SANTO (candomblé). Também catharos, que significa “puro”, os cátaros eram
chamado de terreiro, é o local/templo onde vive uma seita herética que surgiu na França, no sé-
a família-de-santo. (AM) culo XI. Estavam intimamente associados com os
albigenses e compartilhavam a mesma doutrina.
CASAMENTO CELESTIAL (mormonismo). Os cátaros foram muito perseguidos e depois de
Uma das principais doutrinas do mormonismo. 1300 d.C., sua influência na Europa Ocidental
De acordo com o apologista mórmon Bruce Mc- diminuiu, até tornar-se insignificante.
Conkie: “A coisa mais importante que qualquer
membro da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos CATIMBÓ (cultos afro-brasileiros). Praticado
Últimos Dias pode fazer individualmente neste sobretudo nas regiões Norte e Nordeste, o catim-
mundo é casar-se com a pessoa certa, pela auto- bó, de influência banto, especialmente Angola e
ridade certa, no lugar certo” (Mormon Doctrine. Congo, é uma mescla de pajelança, magia negra,
Salt Lake City: Bookcraft, 1958, p. 111). cultos afro-brasileiros, espiritismo e catolicismo
Os mórmons diferenciam o casamento celes- romano. Por meio da invocação de entidades,
tial (eterno) e o terreno (temporal). O casamento objetiva oferecer aos consulentes a solução para
temporal é definido como o não foi realizado os mais variados problemas — financeiros, emo-
num templo. Esse não é arranjo muito desejável cionais ou espirituais —, recorrendo, se preciso
para um mórmon, já que tal casamento se dis- for, às forças do mal. (AM)
solve com a morte. Por outro lado, o celestial,
realizado num templo, é selado para sempre, CATIVEIRO BABILÔNICO (cristianismo).
pois nunca será dissolvido. Um casamento num Época da história da Igreja em que o papado
templo também é feito em obediência à aliança transferiu-se de Roma para Avignon, na França.
de Deus com a humanidade, “na santa e perfeita O período recebeu esse nome porque durou cerca
ordem do matrimônio”, que assegura ao casal de setenta anos (1309-1377 a.C.), assim como o
obediente uma herança de exaltação no reino cativeiro de Israel, relatado no Antigo Testamen-
celestial (McConkie, Mormon Doctrine, p. 118). to. O Cativeiro Babilônico precedeu e preparou o
Os mórmons que não se casarem num templo cenário para o Grande Cisma (1378-1417 d.C.).
serão solteiros na eternidade e não serão capazes
de manter a condição de divindade. Pelo contrá- CATÓLICO (cristianismo). O significado origi-
rio, serão transformados em anjos e servirão os nal do termo “católico” é “universal”, no sentido
crentes mais dignos e casados. oposto a local ou regional. Inácio (v. cristian­ ismo)
foi o primeiro pai da Igreja a usar esse termo;
CASAMENTO PLURAL (mormonismo). Expres- ele escreveu: “Onde Cristo está, ali se encontra
são considerada sinônimo de casamento celestial, a Igreja católica”. Num sentido mais restrito, o
antes de 1890, quando a poligamia foi desencora- termo é aplicado a diferentes grupos eclesiásticos
jada. Para seguir a ordem da criação, os homens da cristandade. O mais popular é a Igreja católica
julgavam uma grande bênção casar-se com mais romana. Anglo-católico é um termo usado por
de uma mulher, de maneira que poderiam “crescer uma ala da Comunhão Anglicana. Os irvinitas
e multiplicar”. Entretanto, desde que os casamentos usaram o título “católico apostólico”. O credo
plurais foram considerados ilegais desde 1890, os niceno (v. Apêndice 1), confessado em todas as
mórmons aboliram oficialmente essa prática (v. igrejas litúrgicas, menciona “uma santa Igreja
manifesto). Durante o milênio, entretanto, os casa- católica e apostólica”. Alguns luteranos atual-
mentos plurais voltarão a ser praticados. mente utilizam o termo “católico-evangélico”,
CENTRO SRI CHINMOY 99

num esforço para descrever o luteranismo como CEIA DA PÁSCOA (judaísmo). Também
um empreendimento teológico não limitado chamada de Sêder (em hebraico), esta refeição
ao século XVI, mas um movimento dentro da comemora a maneira como Deus “passou por
Igreja católica. cima” dos lares dos primogênitos israelitas no
Egito, e os primogênitos dos egípcios foram
CAVALO (cultos afro-brasileiros). Indivíduo mortos. A própria comemoração da Páscoa era
que incorpora entidades espirituais. O termo uma das três maiores festas de Israel, celebrada
indica que o corpo do incorporado está à dispo- no mês de Nisã (v. judaísmo; calendário judaico).
sição da entidade. (AM)
CENTRO ESPÍRITA (espiritismo; kardecismo).
CAVEIRA E OSSOS CRUZADOS (ocultismo). Local de reunião dos kardecistas. (AM)
Símbolo colocado sobre pessoas ou objetos, para
significar morte, fim, ou o que foi marcado para CENTRO HANAFI MADH-HAB (islamismo).
morrer. Veja comunidade mundial do islã ali no ocidente.

CAYCE, EDGAR (1877-1945). Nascido em Kentu- CENTRO SRI CHINMOY. Sri Chinmoy nasceu
cky, em 1877, Cayce exibiu tremenda habilidade em 1931 em Bengala, na Índia. Seu pai, inspetor
de clarividência desde os 7 anos. De forma notá- de ferrovia, não viu o filho seguir seus passos.
vel, cresceu num lar cristão, tornou-se professor Motivado pelos ensinamentos hindus, com os
de escola dominical, e afirmava que lia a Bíblia quais fora criado, Chinmoy atingiu o estado
inteira todos os anos desde a juventude até a mais elevado de samadhi com 12 ou 13 anos. Logo
morte, em 1945. Aos 13 anos, uma mulher apa- depois dessa grande realização espiritual, ingres-
receu e lhe disse que atenderia qualquer pedido sou em um ashram, onde começou um período
que fizesse. Sua resposta foi que desejava ter a de vinte anos de contemplação e meditação. Ao
habilidade de curar pessoas. Assim que fez esse obedecer ao que afirmou ser uma voz interior, em
pedido, aquele ser estranho desapareceu. 1964, foi para os Estados Unidos. Logo Chinmoy
Cayce pregava a reencarnação e afirmava que, reuniu várias centenas de seguidores e rapida-
em vidas passadas, fora o sobrinho de Lucas, o mente foram estabelecidos centros nas maiores
autor do terceiro evangelho. cidades americanas, no Canadá e na Europa. Ele
Conhecido como o “profeta do sono”, Cayce teve o privilégio de uma audiência com o papa,
alegava possuir a habilidade de passar energias bem como com outros líderes proeminentes.
terapêuticas para pacientes em necessidade. Em Também ministrou palestras nas principais
1931, fundou a associação de pesquisa e iluminação, universidades e faculdades, e supervisionou
para preservar, estudar e aplicar suas leituras. reuniões bimestrais de meditação nas Nações
Outros de seus ensinos básicos incluem: Jesus Unidas.
Cristo era a reencarnação de quatro figuras Ensinos. Chinmoy contava com menos de
proeminentes, três das quais são mencionadas mil seguidores na época em que esta pesquisa foi
na Bíblia — Adão, Melquisedeque e Josué. A feita. Há uma grande razão para isso. Ele enfatiza
quarta era zen — líder do zoroastrismo. Deus a qualidade do desenvolvimento dos devotos e
compõe os elementos masculino e feminino, e não a sua quantidade. A importância do relacio-
não é onisciente. A reencarnação, se entendida namento do discípulo com o guru é central em
corretamente, é capaz de explicar a maioria dos seu ensino. Ao aprender sobre a mente do mestre
eventos e a vida das pessoas ilustres da história. (Chinmoy), a iluminação se torna possível. Essa
ideia é tão importante e fundamental que os
CAYCE, HUGH LYNN (1907-1982). Filho de seguidores constroem um altar em seus lares e
edgar cayce. Foi o sucessor do pai na liderança colocam uma foto de Chinmoy sobre ele, diante
da associação de pesquisa e iluminação. da qual meditam diariamente.
100 CENTRO SRI CHINMOY

O cristianismo também estabelece uma ênfase A unicidade de Sri Chinmoy, como a de


especial sobre uma figura central: Jesus Cristo. qualquer outro guru ou líder religioso, depende
Ele é o centro da fé cristã, como afirma clara- necessariamente do unicismo de sua conduta e
mente o segundo artigo dos credos apostólico e originalidade. O elemento distintivo de Chinmoy
niceno (Apêndice 1). está em sua ênfase sobre a devoção individual
O bhagavad gita e os upanixades constituem de cada aluno ao guru. Entretanto, isto não é
os escritos sagrados para Chinmoy. Entretanto, absolutamente essencial. É apenas um meio mais
ele fez adaptações nos textos, para adaptá-los à rápido para alcançar a salvação ou a iluminação,
cultura, ao pensamento e ao estilo de vida oci- o que não ocorre se o indivíduo não seguir as
dental. Isso quer dizer que ele é mais pragmático pisadas do mestre. O processo de se submeter
que os outros gurus. Por exemplo, o indivíduo totalmente a vida a um mestre é conhecido
não alcança a iluminação por meio da meditação como siksha.
em uma caverna longínqua. Isso deve ocorrer em Outro ensinamento exclusivo de Chinmoy
meio às realidades da vida, numa base diária. é que os discípulos podem obter benefícios
Deus não é conhecido exclusivamente por meio espirituais por meio de atividades físicas. Seus
do cultivo da mente. É mediante o coração que o seguidores cometem extravagâncias para aplicar
indivíduo alcança a luz interior, a fonte de toda a esse princípio. Ashrita Furman foi citado no
verdade. Essa claridade é alcançada por intermédio Livro Guiness por ter andado mais de 20 km com
da devoção e submissão à vontade divina, que se uma garrafa de leite na cabeça; bater as mãos à
torna conhecida por meio da mediação do guru, velocidade de 140 batidas por minuto, durante
que foi na frente e já provou ele próprio o fruto 50 horas e 17 minutos; dar saltos mortais por
divino. Isso pode exigir do estudante um longo mais de 10 km ao redor do Central Park, em
período, talvez anos, para alcançar a iluminação. Nova York; uma tentativa fracassada de saltar no
Dentro da maioria, ou até mesmo de todos pico do monte Fuji e correr no sentido inverso na
os movimentos religiosos, ocorre um padrão histórica corrida de 12 milhas de Paul Revere.2
familiar. Com o tempo, uma expressão religiosa O próprio Chinmoy combina talentos artísti-
tende a se tornar intelectualizada e sistematiza- cos e literários, ao redigir grande quantidade de
da. Inevitavelmente, esse processo resulta numa obras. De acordo com uma fonte, ele afirma ter
dialética em que a ênfase se torna a dimensão elaborado mais de 16 mil pinturas em um único
experimental ou sentimental. Assim, temos, por dia, embora isso signifique fazer duas pinturas
exemplo, o sufismo que surge como uma expressão por segundo.3
mística do islamismo. Dentro do cristianismo, essa Conclusão. Muitos panfletos, poemas e
dialética é um cenário repetido muitas vezes na livros já fluíram da caneta de Chinmoy. Dois
história da Igreja. As várias ordens monásticas periódicos publicados pelo centro Sri Chinmoy
surgiram em reação à falta de espiritualidade são Aum e Chinmoy Family.
das instituições anteriores. O pietismo surgiu no Como já mencionado, Chinmoy nunca teve
século XVII como reação à ortodoxia fria e sem um bom número de seguidores, mas sua in-
fervor do sistema luterano. fluência estende-se muito além de seus alunos
Tudo isso não significa que Chinmoy se imediatos. Embora os carismáticos cultos da
rebelou conscientemente contra qualquer outra personalidade tenham perdido seu apelo depois
expressão religiosa dentro de sua própria tradição da tragédia de jonestown (1978), Chinmoy conti-
hindu. O hinduísmo é tão abrangente que prati- nuou a escrever, ensinar e exercer sua influência
camente todos os dogmas são compatíveis com nos anos 1980 e 1990, onde o movimento nova era,
a essência de seu pensamento — ou seja, a busca principalmente o fascínio pelo monismo oriental,
da iluminação total — a fim de vencer o carma e cresce em popularidade no Ocidente.
assim escapar do ciclo de reencarnações. Chinmoy O Centro Sri Chinmoy tem sede na Jamaica
propõe um dos muitos passos em direção ao fim.1 e no bairro de Queens, em Nova York. Existem
CIBELE 101

também outros locais nos Estados Unidos, Ca- CHAITANYANA (hinduísmo). O mesque que
nadá, Austrália e Europa. conscientização.

Notas CHANNING, WILLIAM ELLERY (1780-


1
Para uma avaliação complementar e uma compara- 1842). Foi uma importante voz do unitarianismo
ção dos ensinos de Sri Chinmoy com o cristianismo, no século XVIII.
cf. hinduísmo.
2
To Revere His Guru, Ashrita Furman Goes on a Roll, CHARME (ocultismo). Objeto ou encantamen-
People Weekly, May 19, 1986, p. 65. to no mundo do ocultismo, como um talismã;
3
Larson, Bob. Larson’s Book of Cults. Wheaton: acredita-se que tem poderes sobrenaturais.
Tyndale, 1986, p. 240.
CHARVAKA (hinduísmo). Indivíduo que ainda
CENTÚRIAS (ocultismo). Coletânea das pro- não alcançou a iluminação, pois está preso às
fecias escritas em quadras poéticas por Nostra- ilusões do mundo material.
damus. (AM)
CHAVES (mormonismo). Poder dado aos mais
CEU (Legião da Boa Vontade). Abreviatura elevados oficiais da Igreja dos Santos dos Últimos
de Centro Espiritual Universalista, que visa à Dias para ligar na terra o que é ligado por Deus
unificação das quatro revelações de Deus à hu- no céu.
manidade: o judaísmo, o cristianismo, o espiritismo
e a religião de deus (a lbv). (AM) CHELA (Eckankar). Designação para aluno, na
religião de twitchell.
CHACRAS (hinduísmo; Nova Era; esoterismo).
Derivada do sânscrito, essa palavra significa CHI (taoísmo). Conceito taoísta do “sopro da
“círculo”, “roda”. Os chacras são definidos como vida”. O chi é a força vital que flui através dos
centros nervosos do corpo humano. Quando des- canais no corpo, conhecidos como meridianos.
pertados, desencadearão forças inimagináveis à Qualquer desequilíbrio no chi leva ao negati-
mente humana. A intenção é escapar do samsara vismo, que geralmente se manifesta por meio
(o ciclo de reencarnações) e alcançar a mocsa (a de enfermidades, dores e finalmente a morte.
união com Brama, o Absoluto). Acredita-se haver Acredita-se que a acupuntura ajuda a restabelecer
seis chacras, localizados na seguinte ordem (de e retificar o equilíbrio do chi.
baixo para cima): na base da espinha, onde se
localiza a kundalini (serpente lendária que simbo- CHIDAKASA (hinduísmo). Obtenção da
liza a energia latente nesse chacra), na genitália, verdadeira iluminação por meio da busca do
no umbigo, no coração, na garganta e entre as conhecimento.
sobrancelhas (o último e mais poderoso dos CHINMOY, SRI (1931-2007). Nascido em
chacras). Há quem acrescente mais um chacra, Bengala, na Índia, Sri foi para os Estados Unidos
totalizando sete (por ser um número cabalístico), e instituiu o centro sri chinmoy. No Brasil, há
localizado na parte superior da cabeça. (AM) centros espalhandos nas cidades de Curitiba, São
Paulo, Rio de Janeiro e Niterói.
CHAHADA. Grafia alternativa de shahadah.
Veja islamismo. CHUANG TZU (taoísmo). Escritos que levam
o mesmo nome de seu autor e contêm os ensi-
CHAITANYA, GURU (1485-1533). Guru que namentos e experiências de lao tse.
ensinou que krishna é o Senhor supremo sobre
todas as outras divindades, inclusive vixnu. Chai- CIBELE. Padroeira da antiga Frígia, Cibele é
tanya foi o criador da consciência de Krishna. tradicionalmente apresentada como a ocupante
102 CIÊNCIA CRISTÃ

de carruagem puxada por leões e frequentemente morava em Portland, Maine. Mary submeteu-se
simboliza a maternidade e a fertilidade. O culto aos seus cuidados e ele a conduziu a um trata-
a Cibele espalhou-se pela Grécia e, posterior- mento, a fim de libertá-la de uma “inflamação
mente, foi transportado para Roma, durante na espinha”. Logo depois, ela afirmou que estava
a invasão da Itália por Aníbal, em 204 a.C. Na completamente curada. Anteriormente, Quimby
época do Império, o culto a Cibele tornou-se fora um estudioso do mesmerismo e magnetismo
um dos mais importantes do mundo antigo. Um animal e defendia a teoria da cura mental, a qual
lamento solene sobre a morte de seu amado Atis ele chamava de “a ciência do homem”. Muitos
era combinado com um frenesi de orgia e festa estudiosos e historiadores acreditam que a obra
por sua ressurreição espiritual. Por causa de tais de Quimby serviu de base para muito do mate-
exageros, o culto de Cibele nunca cresceu de for- rial que posteriormente Mary Eddy reuniu em
ma significativa na Europa. Entretanto, continua sua obra Science and Health [Ciência e saúde].
popular até os nossos dias em alguns países da Algumas fontes declaram até mesmo que ela
Ásia. Os sacerdotes de Cibele eram conhecidos realmente plagiou porções consideráveis da obra
como “coribantes” e lideravam os devotos na de seu mentor.1
adoração. Ela não era apenas uma deusa da Um terceiro e último casamento ocorreu
fertilidade, mas considerada a grande mãe de em 1877, quando Mary Baker Glover Patterson
todos os deuses. A maternidade sobrepõe-se conheceu e casou-se com Asa G. Eddy, de quem
às metáforas da reprodução associadas com a adotou definitivamente o sobrenome. Ele morreu
fertilidade. logo depois, de trombose coronária.
Em 1866, depois da morte de Quimby, Mary
CIÊNCIA CRISTÃ. História. Em grande parte, aposentou-se e passou quase dez anos dedicada
a história da Ciência Cristã é a de mary baker eddy a sua obra Science and Health with Key to the
(1821-1910), sua fundadora. Ela cresceu numa Scriptures [Ciência e saúde com a chave das Escri-
igreja congregacional, na cidade de Bow, em turas], publicada em 1875. Quatro anos mais tar-
New Hampshire. Em 1838, aos 17 anos, uniu-se de, em 1879, fundou a Igreja de Cristo, Cientista,
a outra igreja de sua denominação em Tilton, em Boston. Em 1892, depois de um programa de
New Hampshire, mas nunca pareceu satisfeita reestruturação, a denominação ficou conhecida
com sua doutrina. como a igreja-mãe, ou seja, a Primeira Igreja de
Durante toda sua vida, Mary sempre esteve Cristo, Cientista. Desde então, esta passou a ser
muito enferma, inclusive na infância. Em 1843, a sede mundial da Ciência Cristã. Eddy perma-
ela se casou com George Glover. O casamento foi neceu na liderança da igreja até sua morte, em 3
feliz, embora durasse pouco, pois terminou um de dezembro de 1910. Durante os últimos vinte
ano e meio depois, com a morte de seu esposo, anos de sua vida, ela permaneceu totalmente
em Charleston, Carolina do Sul; ela estava grávida reclusa. Não apareceu em público, nem na festa
e seu filho nasceu em setembro de 1844. Com seu de inauguração da igreja mãe, em 1895. Desde
estado de saúde cada vez pior, Mary tornou-se sua morte, o controle da denominação passou
profundamente interessada pelo estudo da para uma junta de diretores.
medicina. Um historiador afirmou que “a Ciência Cristã
Mary casou-se pela segunda vez em 1853, é um dos pelo menos cinco grandes movimentos
com um dentista chamado Daniel Patterson. Esse religiosos, que podem ser facilmente diferen-
matrimônio não foi tão feliz como o primeiro. ciados e que trazem o selo ‘made in America’
Aparentemente, seu novo marido envolvia-se [fabricado nos Estados Unidos]. Os outros são
com muitas mulheres; em 1866, separaram-se mormonismo, adventismo, Testemunhas de
e, em 1873, finalmente divorciaram-se. Jeová e o pentecostalismo”.2 O crescimento foi
O interesse pela medicina levou-a, em 1862, rápido durante a década de 1880. O número de
ao dr. phineas parkhurst quimby (1802-1866), que membros aumentou até 1930, quando começou
CIÊNCIA CRISTÃ 103

a se estabilizar. Desde 1960 até hoje, a Ciência Quimby estava convencido de que a doença
Cristã tem perdido grande número de adeptos. é o resultado de crenças mal formadas. Aparen-
Esse movimento deseja atrair os que buscam temente, Eddy também aderiu a essa ideia. Ela
uma alternativa intelectual para as respostas também acreditava que a doença era causada
cristãs aos problemas do sofrimento e da dor. pelo magnetismo animal, mau ou vicioso —
Ensinos. De acordo com o Church Manual outro aspecto do pensamento de Quimby.
[Manual da Igreja], da Ciência Cristã, toda a Toda matéria está em oposição ao espírito
base para a existência da igreja é “restabelecer o e/ou à mente — a substância de Deus. Toda a
cristianismo primitivo e seu elemento de cura, percepção sensorial é enganadora. Acreditar que
que se havia perdido”. O conceito dualista grego, a matéria tem ou possui realidade é prejudicial e
de que a matéria é má, é básico no pensamento enganoso. Naturalmente, isso leva às convicções
de Eddy (de Quimby). O mundo material é ilu- de Eddy sobre enfermidades e males físicos: “A
sório. A mente é a única realidade: “Não há vida, causa de toda suposta moléstia é mental, um
verdade, inteligência nem mesmo substância medo mortal, uma crença errada ou convicção
na matéria. Tudo é a mente infinita e sua mani- de haver necessidade de má saúde e de esta
festação infinita, pois Deus é Tudo-em-tudo. O ter poder; é também um medo de que a Mente
espírito é a verdade imortal; a matéria é o erro seja incapaz de defender a vida do homem e
mortal. O espírito é real e eterno; a matéria é incompetente para governá-la”.4 Uma vez que o
irreal e temporal”.3 indivíduo perceba que a doença não existe, pois a
própria matéria é inexistente, então ele perceberá
também que não está, nem jamais esteve, doente.
A própria morte é ilusória, porque pertence ao
corpo físico — o qual não é real. “A morte nada
mais é senão outra fase do sonho de que a exis-
tência possa ser material”.5 É a crença equivocada
que faz a irrealidade da doença, das enfermidades
e da morte, ou qualquer experiência sensória da
matéria, parecerem reais.
Fundamentalmente, a diferença entre os
dois grupos, Ciência Cristã e cristianismo, está na
insistência do primeiro no dualismo entre carne e
espírito. O segundo encontrou essa filosofia bem
cedo em sua expansão no mundo grego, próximo
da região oriental do Mediterrâneo. Os gnósticos
(v. gnosticismo) insistiam em que a matéria,
inclusive o corpo humano, era uma substância
má, que atrapalhava o indivíduo na busca mais
elevada para alcançar uma existência exclusi-
vamente “espiritual”. Os gnósticos, portanto,
rejeitavam um dogma fundamental da fé cristã,
ou seja, a encarnação de Cristo. Argumentavam
que Jesus apenas parecia ser humano. Os docetis-
tas (v. docetismo) também adotavam esse ponto
de vista, contra o qual a Igreja reagiu bem cedo
na pessoa de Inácio. Em suas cartas, ele atacou
Sede mundial do Movimento Ciência Cristã, em Boston. Cortesia veementemente essa ideia, ao afirmar que uma
de George Mather visão docética de Jesus negava a necessidade de
104 CIÊNCIA CRISTÃ

um Cristo sofredor, ou um Messias encarnado. 1. Deus é Tudo-em-tudo.


Alguns veem isso como um tipo de dualismo. 2. Deus é o bem. O bem é a Mente.
Durante o Iluminismo (1700), esse dualismo 3. Deus, o Espírito, sendo tudo, a matéria
daria uma nova virada na filosofia de Descartes. nada é.
Ele insistia que a mente e o corpo eram substân- 4. A Vida, Deus, o bem onipotente, nega a
cias totalmente separadas. Esse dualismo carte- morte, o mal, o pecado, a doença. — A
siano causou um profundo impacto na história doença, o pecado, o mal, a morte negam
intelectual. Em vez de ver o corpo e a mente com o bem, o Deus onipotente, a Vida.6
um todo, a vida agora era vista como constituída
de duas esferas. Pensadores posteriores foram Jesus Cristo. Era uma figura histórica, que
adiante ao enfatizar ou o significado da matéria viveu há mais de 1900 anos. Entretanto, como
e a negação do espírito, ou a realidade do espírito homem, era a mera matéria, que não existe.
e a negação da matéria. Quimby e Eddy foram in- A missão de Jesus na terra era a de ensinar a
fluenciados por essa visão posterior, e de maneira humanidade que toda e qualquer enfermidade
bem radical. Os sofrimentos, as enfermidades, os é ilusória. Cristo não era Deus encarnado num
males ou qualquer aspecto da existência física corpo humano — uma doutrina ensinada pelo
eram descartados como ilusórios. cristianismo —, embora tenha nascido de uma
O cristianismo, nos dias apostólicos, não virgem. Mary Eddy acreditava que Jesus era
reconhece tal dualismo. Paulo argumentou que apenas uma ideia.7 A Ciência Cristã faz uma dis-
a batalha espiritual que se travava em sua própria tinção bem elaborada entre o “homem” Jesus e o
pessoa era uma guerra entre a carne e o espírito, Cristo que engloba a “ideia divina”: “O Cristo é a
ou entre o velho e o novo Adão (Romanos 7). Verdade ideal, que vem curar a doença e o pecado
Em nenhum lugar, entretanto, ele conclui que o mediante a Ciência Cristã e que atribui todo po-
Espírito Santo combate uma carne má, que não é der a Deus. Jesus é o nome do homem que, mais
tão ruim, mas sim “o pecado que habita em mim” do que todos os outros homens, apresentou o
(Romanos 7.17). Posteriormente, Agostinho se Cristo, a verdadeira ideia de Deus. [...] Jesus é o
laveu da visão que Paulo tinha de si mesmo e a homem humano, e o Cristo é a ideia divina; daí
desenvolveu, ao insistir em que o pecado é uma a dualidade de Jesus, o Cristo”.8
substância estranha que invadiu a raça humana Espírito Santo. Definido como “A Ciência
na Queda. Tudo o que Deus criou era bom. Tanto divina”. Também referido como “o desenvolvi-
o corpo como a alma eram perfeitos. Foi o peca- mento da Vida, da Verdade e do Amor eterno”.9
do que corrompeu a humanidade. Adão e Eva “
Jesus [...] provou que o Cristo é a ideia divina
passaram essa corrupção adiante, por meio da de Deus — o Espírito Santo, ou Consolador, que
concupiscência, que, de acordo com Agostinho, revela o Princípio divino, o Amor, e que conduz
era o ato sexual humano. a toda a verdade”.10
A Ciência Cristã, portanto, tem pouca seme- Humanidade. “O que é o homem? O homem
lhança com o cristianismo. Ambos são constru- não é matéria; não é constituído de cérebro,
ídos sobre fundamentos totalmente diferentes: sangue, ossos e outros elementos materiais. As
o primeiro sobre os pilares do dualismo grego e Escrituras nos informam que o homem é feito
cartesiano; o segundo, sobre uma cosmovisão à imagem e semelhança de Deus. A matéria
judaica e o monoteísmo bíblico. não é essa semelhança. [...] O homem é ideia,
As doutrinas básicas da Ciência Cristã são a imagem do Amor; não é físico. Ele é a ideia
resumidas da seguinte maneira: composta que expressa Deus e inclui todas as
Deus. “Deus” é sinônimo de outros con- ideias corretas [...]”.11
ceitos como mente, espírito, bondade, saúde e Pecado. É parte do mundo material ilusório.
bem-estar. Para a Ciência Cristã, existem quatro Simplesmente não existe. “O homem é incapaz
pontos fundamentais: de pecar, ficar enfermo e morrer”.12
CIÊNCIA CRISTÃ 105

Inferno. Definido como “Crença mortal; anteriormente. Todos os seus conceitos e dogmas
erro; luxúria; remorso; ódio; vingança; pecado; são influenciados por essa filosofia. Essa crença
doença; morte; sofrimentos e autodestruição; difere drasticamente da posição cristã, como se
agonia que a pessoa impõe a si mesma; efeitos do encontra no segundo artigo do credo apostólico,
pecado; aquilo que ‘pratica abominação e menti- o qual declara que Jesus Cristo, a Palavra de Deus
ra’”.13 O inferno, portanto, é um estado da mente encarnada, foi concebido, nasceu, sofreu, mor-
ou da consciência fustigado pela ilusão ou culpa. reu, foi sepultado e ressuscitou dentre os mortos.
Salvação. É a “Vida, a Verdade e o Amor Para o cristianismo, esse é o ponto principal de
compreendidos e demonstrados como supre- toda a história humana. Para a Ciência Cristã,
mos sobre todas as coisas; o pecado, a doença entretanto, a própria história é uma ficção, desde
e a morte destruídos”.14 Quando o indivíduo, que se compõe do melodrama de uma humani-
por um lado, liberta-se da ilusão de acreditar dade sofredora, que acredita ser apenas ilusão.
na matéria e, por outro, acredita na ausência do Conclusão. As principais obras e publicações
pecado, alcançou a salvação. da Ciência Cristã são: Science and Health with Key
Igreja. É uma estrutura onde a verdade e to the Scriptures [Ciência e saúde com a chave das
o amor habitam sobre a terra. Onde quer que Escrituras], publicada pela primeira vez em 1875
essa se encontre, ali está uma igreja. E mais: “A (seguida de outras edições); Christian Science
Igreja é aquela instituição que dá provas de sua Journal [Revista da Ciência Cristã], 1833; Chris-
utilidade e que vem elevando a raça, despertando tian Healing and Other Writings [Cura cristã e ou-
de suas crenças materiais a compreensão ador- tros escritos], 1866; Christian Science Sentinel [O
mecida, para que perceba as ideias espirituais e Arauto da Ciência Cristã], 1898; Christian Science
demonstre a Ciência divina, expulsando assim Monitor [O Monitor da Ciência Cristã], 1908.
os demônios, ou o erro, e curando os doentes”.15 A última publicação, Christian Science Mo-
Sacramento. Para alguns círculos cristãos nitor, foi determinada por Mary Eddy, em 1908,
ortodoxos, os sacramentos significam uma trans- a fim de oferecer uma alternativa jornalística
missão da graça por meios físicos. No batismo, para as notícias preconceituosas e sensaciona-
por exemplo, há o elemento presente da água. Na listas que frequentemente apareciam nos jornais
ceia, o ritual é acompanhado pelo pão e vinho. convencionais. Atualmente, o Monitor tornou-se
Isso é inadmissível para a Ciência Cristã! Não muito mais bem-sucedido do que a organização
pode haver meio físico ou material pelo qual a que começou a publicá-lo. É um jornal altamente
graça possa ser transmitida. A matéria simples- respeitado nos círculos acadêmicos, políticos e
mente não existe. econômicos, por seu jornalismo de alta qualida-
Os sacramentos, entretanto, são celebrados de. É lido amplamente, e traz edições regionais
duas vezes por ano. Nenhum elemento, como nas maiores áreas metropolitanas. Um programa
pão, vinho ou água, no caso do batismo, está pre- de televisão a cabo, chamado World Monitor
sente. O que se busca é o significado espiritual. O [Monitor Mundial], foi lançado em 1988. Dez
batismo é a “submersão no Espírito”.16 meses depois, o Monitor Channel [Canal Mo-
Final dos tempos. Devido ao fato de o Uni- nitor] foi colocado à venda, devido a pressões
verso ser composto apenas por Deus, ou pelo financeiras. Na edição da revista Time, 27 de
espírito, não há significado algum ou direção abril de 1992, foi publicado que um prejuízo de
na história humana, nem qualquer antecipação 235 milhões de dólares forçou a suspensão e, por
de que, no futuro, haverá uma transformação. fim, a falência do Monitor Channel.
O céu é definido como a “Harmonia; o reino do Em 1991, a Ciência Cristã entrou em outra
Espírito; governo pelo Princípio divino; espiri- polêmica, por ter concordado em publicar a
tualidade; felicidade; a atmosfera da Alma”.17 obra de Bliss Knapp, The Destiny of the Mother
Vê-se claramente que o cerne da Ciência Church [O destino da Igreja Mãe], manuscrito
Cristã está fundamentado no dualismo descrito condenado em 1947, porque deificava Mary Eddy.
106 CIÊNCIA DA INTELIGÊNCIA CRIATIVA

O Encyclopedia Britannica 1992 Yearbook relata: ser totalmente bem-sucedida, pois o número de
“Subsequentemente, os Knapps deixaram cerca membros começou a aumentar rapidamente
de 90 milhões de dólares para a igreja, sob a con- dentro do movimento, principalmente através
dição de que o livro fosse publicado e exibido com da matrícula nos seminários.
destaque nas salas de leitura da Ciência Cristã.
Os oponentes da publicação acusaram a igreja CIÊNCIA DA MENTE (Ciência Religiosa). Ter-
de heresia, a fim de financiar a controvertida mo utilizado para a classificação geral dos grupos
expansão de seus empreendimentos de mídia”.18 religiosos que relegam as verdades religiosas
A Ciência Cristã não publica dados estatísti- (amor, dignidade etc.) a aspectos da mente ou
cos sobre seus filiados. É incerto o número exato em direção da divindade latente que reside em
de membros alistados. cada indivíduo. Os grupos da Ciência da Mente
receberam o impulso inicial das religiões “da
Notas harmonia” e do novo pensamento (v. ciência cristã,
1
New York Times, July 10, 1904. unidade). As ideias prevalecentes na religião do
2
Ahlstrom, Sydney. A religious history of the Novo Pensamento inspiraram profundamente
American People, 2 vols. Garden City, NY: Image ernest holmes, considerado o pai das Ciências
Books, 1975, vol. 2, p. 530. da Mente.
3
Eddy, Mary Baker. Miscellaneous Writings (1896), Em geral, as Ciências da Mente são religiões
p. 21. que enfatizam o uso da ciência metafísica, para
4
Id., Science and Health with Key to the Scriptu- prescrever a terapia necessária, a fim de ajudar
res. Boston: Trustees Under the Will of Mary Baker um indivíduo. Falando de um modo geral, os
G. Eddy, 1875, p. 377. [Ciência e saúde com a chave praticantes da Ciência da Mente consideram Deus
das Escrituras. Boston, Massachusetts: The First um conceito que descreve a unidade da substân-
Church of Christ, 1973.] cia da qual o Universo se compõe (v. monismo) e
5
Ibid., p. 427. o mal meramente um estado mental que pode
6
Ibid., p. 113. ser mudado.
7
Ibid., p. 332.
8
Ibid., p. 473. CIÊNCIA DIVINA. História. A Ciência Divina
9
Ibid., p. 558. é uma ramificação da ciência cristã e é classifica-
10
Ibid., 332. da, juntamente com o novo pensamento, a unidade
11
Ibid., p. 475. e ciência religiosa, como uma das ciências da men-
12
Ibid.. te. A Ciência Divina foi fundada por nona brooks,
13
Ibid., p. 588. em 1889, em Denver, Colorado, EUA, por meio
14
Ibid., p. 593. de uma série de relacionamentos.1
15
Ibid., p. 583. Emma curtis hopkins foi aluna de mary baker
16
Ibid., p. 581. eddy. Também trabalhou como editora geral da
17
Ibid., p. 587. Christian Science Journal [Revista da Ciência
18
Religion. Encyclopedia Britannica World Data. Cristã], mantida por Mary Eddy. Surgiram atritos
Chicago: Encyclopedia Britannica, 1992, p. 262. entre ambas; elas se separaram quando Eddy a
dispensou, por considerá-la uma “farçante”.
CIÊNCIA DA INTELIGÊNCIA CRIATIVA Em 1887, Hopkins foi adiante e fundou o
(Meditação Transcendental). Numa tentativa de Christian Science Theological Seminary, em
alterar a imagem negativa que a meditação trans- Chicago. Essa escola logo se tornaria um centro
cendental adquiriu no Ocidente, principalmente de atividade do Novo Pensamento.
nos Estados Unidos, maharishi mahesh yogi aban- Brooks conheceu os ensinos de Hopkins
donou a nomenclatura religiosa e substituiu-a por meio de uma terceira mulher, a esposa de
por conceitos psicológicos. Sua estratégia provou Frank Bingham, a quem Hopkins ministrara a
CIÊNCIA DIVINA 107

cura. Brooks assistiu às aulas de Bingham, em cristianismo.2O “Filho”, ou “Cristo”, é também


Pueblo, no Colorado. A própria Nona Brooks foi um princípio interior, que todas as pessoas têm
curada de um problema na garganta, e depois o potencial de perceber. Cristo representa o
disso tratou outras pessoas. Suas duas irmãs, “homem universal”. O Espírito Santo é aquela
Fanny Brooks e Aletha Brooks Small, passaram força que transmite a iluminação divina da esfera
a estudar e a ensinar o que logo se tornaria a celestial ou da autorrealização.
Ciência Divina. O objetivo de toda a vida é almejar a união
Enquanto isso, em Denver, outra mulher, me- com o divino. Quando esse alvo é alcançado,
linda cramer, também ensinava ideias similares todo o mal desaparece e todas as ilusões dentro
às de Hopkins e Bingham. Nona Brooks então se da esfera física se desvanecem. O ser humano
mudou para Denver; ao ouvir Cramer, descobriu não é pecaminoso no sentido cristão do pecado,
que havia várias similaridades entre o que ambas como transgressão contra a vontade de Deus.
pensavam. Juntas, em 1898, Nona Brooks e Melin- Pelo contrário, o homem tem a capacidade de
da Cramer formaram a faculdade Divine Science. alcançar a perfeição. Somente porque o indivíduo
Em 1899, foi fundada a primeira igreja Ciência não é consciente da própria perfeição, a ilusão do
Divina, com serviços religiosos aos domingos. mal parece uma realidade.
Depois da morte de Cramer, em 1907, o mo- Conclusão. Muito do que a Ciência Divina
vimento cresceu sob a direção das irmãs Brooks. ensina foi influênciado por outras ciências da
A igreja, porém, nunca se expandiu o almejado, mente e, em diversos casos, são semelhantes.
como aconteceu com a escola da unidade do cris- Nona Brooks escreveu vários livros, que são lidos
tianismo. Por volta de 1957, várias sociedades pelos membros do movimento. Os principais
locais foram organizadas na Federação Interna- são Mysteries, Short Lessons in Divine Science
cional da Ciência Divina. [Mistérios, breves lições na Ciência Divina] e
Ensinos. O dogma central da Ciência Divina Why I Am a Divine Scientist [Por Que sou um
é um princípio que poderia muito bem se referir cientista divino]. Outras obras importantes são
ao ensino central de todas as ciências da mente. The Divine Science Practitioner [O praticante
A ideia de que Deus é a “mente perfeita” e a sua da Ciência Divina], de L. Frederick; The Divine
presença no Universo é a única presença real e Science Way [O Caminho da Ciência Divina] e
autêntica; e mais, porque o espírito é a “substân- Divine Science; Its Principles and Faith: The Car-
cia de todas as formas”, a realidade do pecado, da dinal Points of the Teaching Programo f Divine
enfermidade e todos os males tangíveis é ilusória Science [Ciência Divina; seus princípios e fé:
e uma contradição. O mal que existe no mundo e os pontos cardeais do programa de ensino da
na vida das pessoas é atribuído à falta de conhe- Ciência Divina], publicados pela Divine Science
cimento da bondade de Deus. De fato, a própria Fedaration International. O principal periódico
onipotência, onipresença e a unidade de Deus publicado pelo movimento é o Aspire to Better
provam que o mal não é real em essência. Ele é Living [Aspire por uma vida melhor]. A sede do
assim relegado a um estado de não-existência. grupo é em Denver. Em 1974, o número de igrejas
A chave da salvação é reconhecer que o es- da Ciência Divina era de aproximadamente vinte,
pírito é a realidade. A expiação é a aceitação da com 26 praticantes.
unidade. A cura física é possível, quando a mente
é curada de todos os falsos conceitos sobre o mal Notas
e sua realidade. Portanto, o único pecado real que 1
A escola de cristianismo unidade também foi fundada
existe é a ignorância. em 1889. Brooks, assim como charles e myrtle fill-
A trindade assume um novo significado na more, também foi aluna de Emma Curtis Hopkins.
Ciência Divina. O “Pai” é a “fonte” e a “causa” 2
Para análise e comparação do cristianismo e algumas
de toda bondade. Entretanto, não é necessa- das principais ciências da mente, cf. ciência cristã e
riamente externa para o ser humano, como no escola de cristianismo unidade.
108 CIÊNCIA RELIGIOSA; IGREJA UNIDA DA CIÊNCIA RELIGIOSA

CIÊNCIA RELIGIOSA; IGREJA UNIDA DA si. Essa argumentação obviamente é um tema


CIÊNCIA RELIGIOSA. História. O movimento recorrente dentro das ciências da mente, mas
conhecido como Ciência Religiosa começou com é também uma premissa básica das religiões
ernest holmes (1887-1960). emma curtis hopkins orientais, principalmente do hinduísmo.
teve uma grande influência sobre Ernest e seu O cristianismo milita contra essa ideia e es-
irmão, Fenwicke, e atraiu-os para um estudo tabelece a antítese. O bem não emana da huma-
mais intenso do poder da mente, em prol da cura nidade, mas somente de Deus, a fonte de toda a
e da felicidade na vida. Em 1917, os dois irmãos bondade. A natureza humana é má e ímpia desde
fundaram o Instituto Metafísico em Los Angeles a concepção (Salmos 51.5). É a misericórdia de
e começaram a publicação de um jornal chamado Deus, procedente de uma fonte externa, que
Uplift [Elevação].1 Em 1919, Holmes lançou seu torna o bem possível. Correntes diversas dentro
primeiro livro, Creative Mind [Mente criativa]. da ampla estrutura da cristandade oferecem uma
Mudou-se para Los Angeles, onde editou sua variedade de interpretações para esse conceito. A
obra-prima, em 1926, intitulada The Science of ortodoxia oriental fala da “deificação” da huma-
Mind [A ciência da mente], que continha muitas nidade; o catolicismo romano refere-se à ideia da
ideias e ensinamentos paralelos com os de hopkins, “graça cooperativa”; a tradição mística apresenta
emanuel swedengorg , mary baker eddy , phineas a centelha ou a “faísca divina” interior; a Reforma
parkhurst quimby e helena blavatsky. Em 1927, mostra a “total depravação”. Todas as tradições,
fundou o Instituto da Ciência Religiosa, em Los entretanto, concordam que Deus é a fonte de todo
Angeles, no qual os alunos estudavam princípios o bem. A distinção entre Deus e a humanidade
que ele e Fenwicke ensinavam e relacionavam em é firmemente defendida, enquanto na Ciência
seus vários escritos e palestras. Os que se forma- Religiosa e nas outras religiões já mencionadas,
vam no Instituto saíam para estabelecer igrejas tal distinção é obliterada.
próprias; em 1949, foi formada a Associação O “pensamento positivo” desempenha um
Internacional das Igrejas da Ciência Religiosa. importante papel na Ciência Religiosa. A oração
Atualmente, existem duas principais ramifi- afirmativa, isto é, a ênfase sobre os aspectos
cações, ou igrejas, que se desenvolveram a partir positivos da união da mente com o infinito,
do Movimento da Ciência Religiosa original. A é praticada. Qualquer petição desse tipo, que
Igreja Unida da Ciência Religiosa é a maior das leva à cura do corpo ou da alma, refere-se a um
duas. A organização menor é chamada Ciência tratamento espiritual da mente. O resultado de
Religiosa Internacional, composta pelas igrejas tal oração é chamado de demonstração. Outros
da Associação Internacional que não quiseram se aspectos sistemáticos do ensino da Ciência Re-
filiar à Igreja Unida. As doutrinas e os ensinamen- ligiosa incluem:
tos das duas são bem similares, embora a menor Deus. ele abrange tudo e é universal, uma
não tenha um corpo de governo centralizado. mente impessoal. Para a ortodoxia tradicional,
Ensinos. A Ciência Religiosa essencialmente Deus abrange todas as coisas e é universal,
segue o monismo. Deus é impessoal e se perso- ainda que, ao mesmo tempo, seja pessoal. Ele é
naliza na humanidade. As mentes individuais tanto transcendente como imanente, e revelou-se
são como rios que fluem a partir de uma fonte à nação de Israel através da voz dos profetas do
central, isto é, Deus. Portanto, a humanidade e Antigo Testamento e por meio de Jesus Cristo e
a natureza estão identificadas uma com a outra. dos apóstolos, no Novo Testamento.
Como a ciência cristã e a ciência divina, a Jesus Cristo. Ele era muito avançado em seus
Ciência Religiosa ensina que o mal é o resul­tado conhecimentos das técnicas da Ciência da Mente.
direto da ignorância; quando esta é eliminada, Existe uma distinção entre “Jesus” e “Cristo”.2 O
desfaz o mal, cuja ausência inevitavelmente primeiro era um homem. Entretanto, era Cristo
resultará na onipresença do bem. As pessoas, em sua “filiação divina universal”. Isso quer di-
por natureza, têm essa virtude latente dentro de zer que Jesus tinha um entendimento incomum
CIÊNCIA RELIGIOSA; IGREJA UNIDA DA CIÊNCIA RELIGIOSA 109

do infinito e das leis do Universo. Portanto, era Muitos dos ministros e praticantes do movi-
capaz de realizar milagres e curas. Essa percepção mento também eram autodidatas até o início da
do Cristo está disponível a todos os que seguem década de 1970, quando muitos de seus líderes
o exemplo de Jesus. Quando um indivíduo chega foram educados em universidades e no Instituto
ao entendimento de sua unidade com o divino, da Ciência da Mente.3
torna-se Cristo. Holmes era um escritor prolífico. A Ciência
Espírito Santo. É a força interior da humani- Religiosa encara a coleção de suas obras como
dade; é o poder da conscientização do próprio ser a fonte de autoridade do movimento. Seus livros
humano ou a sua capacidade para compreender incluem: The Science of Mind [A Ciência da
o infinito. Mente]; What Religious Science Teaches [O que a
Humanidade. A humanidade é a “imagem ciência religiosa ensina]; Practical Applications of
e a semelhança do Pai Universal”. Semelhante Science of Mind [Aplicações práticas da Ciência
ao teólogo alemão Ludwig Feuerbach, do século da Mente]; The Basic Ideas of Science of Mind [As
XIX, Holmes ensinava que a humanidade era ideias básicas da Ciência da Mente]; The Spiritual
deus e que este é o que a humanidade é. Monis- Universe and You [O universo espiritual e você];
ticamente, o ser humano é um microcosmo de Know Yourself [Conheça a si mesmo]; Keys to
deus. Este é o ultimato para que a humanidade Wisdom [Chaves para a sabedoria] e The Voice
conheça como se libertar da pobreza, da fraqueza Celestial [A voz celestial], apenas para nomear
e do medo. alguns.
Pecado. A ignorância é o pecado pleno. Conclusão. A Ciência Religiosa, como as
Salvação. Não existe separação de Deus, de outras relacionadas às Ciências da Mente, apela
maneira que não é necessária qualquer salvação, para as pessoas que buscam a cura das doenças
no sentido tradicional. A única brecha entre Deus e a solução dos sofrimentos que a medicina
e a humanidade é que esta falha em perceber sua convencional ou o cristianismo tradicional não
unidade infinita com o Criador e o Universo. podem oferecer. Isso inclui os que têm uma pre-
Inferno. Como o pecado, o inferno nada é disposição filosófica, bem como os que sofrem
senão um ato de ignorância. Não existe inferno com doenças. Alguns importantes seguidores
num universo totalmente habitado por Deus. incluem Robert Young (Father Knows Best); Nor-
Trindade. Espírito, Alma e Corpo formam a man Cousins (Saturday Review) e Robert Stack.4
trindade. O Espírito é a força latente que capacita No meio da década de 1970, havia mais de 100
a pessoa a perceber Deus em seu interior. A Alma igrejas nos Estados Unidos. Em 1988, existiam
obedece à vontade do Espírito e o Corpo é a forma 125 já oficializadas. A Igreja Unida da Ciência
que o Espírito assume em cada indivíduo. Religiosa ainda publica Science of Mind [Ciência
A doutrina da Trindade talvez seja o mais da Mente], em sua sede em Los Angeles; os líde-
agudo contraste entre a Ciência Religiosa e o res do movimento ocupam importantes posições
pensamento cristão tradicional. Para a ortodoxia, na Aliança Internacional do Novo Pensamento,
a Trindade é uma clara referência a Deus; tanto desde a morte de Holmes, em 1960.
em si mesmo como na economia divina, Deus
revela-se à humanidade por meio de Israel, da Notas
Igreja e das Escrituras. Para a Ciência Religiosa, 1
Melton, J. Gordon. The Encyclopedia of American
a Trindade representa uma redução de Deus aos Religions, 2 vols. Wilmington, NC: McGrath, 1978,
diferentes aspectos do ser tricotomizado. vol. 2, p. 61.
Igreja. Os serviços religiosos são realizados 2
Cf. ciência cristã.
regularmente e são muito semelhantes aos das 3
Melton, J. Gordon. Op. cit., vol. 2, p. 61.
principais igrejas protestantes, com ênfase na 4
Manske, Charles L. World Religions: Major World
bondade inerente da humanidade. Holmes era Religions in Comparative Outline Form. Irvine,
autodidata nas doutrinas da Ciência Religiosa. CA: The Institute for World Religions, 1988, 7:31.02.
110 CIENTOLOGIA

CIENTOLOGIA. História. “É ridículo escrever com base na cláusula sobre a liberdade de religião
para ganhar um centavo por palavra. Se alguém da Constituição dos Estados Unidos.
realmente quer receber um milhão de dólares, Na segunda parte da década de 1970, Hub-
deve iniciar sua própria religião”. Estas palavras, bard desapareceu da vista do público e da própria
citadas na revista Time, de 10 de fevereiro de família e passou a viver em reclusão. Algumas
1986, foram proferidas por l. (lafayette) ron fontes sugerem que se encontrava na Califórnia.
hubbard (1911-1986). Na verdade, ele fez essa Em 1982, seu filho Ronald DeWolf entrou com
afirmação em 1949 e não em 1986. Em 1950, uma petição num tribunal da Califórnia para
publicou seu best-seller intitulado Dianetics: The ser nomeado procurador dos bens do pai, ao
Modern Science of Mental Health [Dianética: A alegar que ele morrera. O tribunal descobriu,
ciência moderna da saúde mental], que se tornou porém, que Hubbard ainda estava vivo. DeWolf
o livro-texto para uma religião inventada por ele era um dos cinco filhos e mudara seu sobre-
em 1955, conhecida popularmente como Ciento- nome para denunciar o pai, ao afirmar que ele
logia. De fato, Hubbard descobriu uma maneira era “um dos maiores trapaceiros do século”. L.
de ganhar um milhão de dólares; de fato, muitos Ron Hubbard morreu em 1986. Durante seus
milhões deles. últimos anos de vida, numa maneira não muito
Nascido em Tilden, Nebraska (EUA), Hub- diferente de Howard Hughes, ele se tornara um
bard passou a maior parte da infância em Hele- verdadeiro eremita. Entretanto, deixou para trás
na, Montana. Estudou na Universidade George um movimento que em 1985 orgulhava-se de ter
Washington e, de acordo com suas publicações, aproximadamente três milhões de membros.
graduou-se com mérito em engenharia civil. Atualmente, a seita é liderada pelo reverendo
Entretanto, os registros da universidade indicam Heber Jentzsch.
que ele frequentou a escola somente por dois Como a igreja da unificação e a meditação transcen-
anos e que, no segundo, foi reprovado em física dental, a Cientologia reorganizou-se e reagrupou-
e submetido ao conselho acadêmico. se, a fim de propagar com sucesso suas propo-
Hubbard teve sucesso como escritor de ficção sições religiosas e filosóficas com um formato
científica, na década de 1930, antes da publicação secular. Além da educação, a organização envolve-
de Dianética. Aos 29 anos de idade, organizou a se também com saúde, negócios, entretenimento
Associação Internacional de Cientologistas Hub- e publicação de livros.
bard. Dez anos mais tarde, em 1950, ficou famoso Ensinos. A ambição de Hubbard só era supe-
com a publicação da Dianética, quando vendeu rada por sua imaginação. Combinou elementos da
milhões de cópias nas três décadas seguintes. psicanálise de Freud com o pensamento oriental
Em 1955, Hubbard estabeleceu a Fundação e as ideias dos livros de ficção científica escritos
Igreja da Cientologia em Washington, D.C., e por ele, e produziu uma religião com forte apelo
Nova York. Originalmente, a sede internacional da para os que buscavam melhorar a saúde mental.
Cientologia localizava-se em Saint Hill, Inglaterra, Para a Cientologia, um conceito fundamental
mas atualmente encontra-se em Los Angeles, é que a mente é dividida em duas partes básicas:
Califórnia. De 1965 a 1975, Hubbard dividia seu a analítica e a reativa. A primeira percebe, lembra
tempo e residência entre Sussex, Inglaterra, e um e conduz os processos do raciocínio. A segunda
navio de 300 pés chamado Apollo, juntamente registra engramas. A mente é vulnerável aos
com um iate, às vezes chamado de Sea Org. engramas durante os momentos traumáticos,
Problemas legais surgiram em 1963, quando principalmente nos estágios pré-natais e no
o Departamento de Alimentação e Drogas visitou nascimento. Essas experiências, muitas vezes
a referida igreja em Washington, D.C., com base extremamente dolorosas, não são lembradas pela
no fato de que o E-metro (medidor de engramas), mente analítica; portanto, não estão aparentes
artefato utilizado por Hubbard, devia ser elimi- no nível da consciência. A chave para alcançar
nado. A igreja ganhou a apelação feita em 1971 a saúde mental é submeter-se ao exame e ao
CIENTOLOGIA 111

tratamento de um auditor. O objetivo é expor os O cristianismo, por outro lado, é estritamente


engramas escondidos pela mente reativa dentro monoteísta (Êxodo 20.3; Deuteronômio 6.4; Isaías
do sujeito pré-limpo. Os auditores usam um ar- 44.6). A Igreja sempre confessou “um Deus, o
tefato chamado E-metro, que mede a resposta e Pai Todo-poderoso” (credo niceno, Apêndice 1),
a resistência do corpo aos engramas. o qual se manifesta em três pessoas — Pai, Filho
O texto acima descreve a orientação psico- e Espírito Santo.
lógica da Cientologia. O fundamento religioso Jesus Cristo. “Nem o Senhor Buda nem Je-
sobre o qual ela é edificada baseia-se na noção sus Cristo eram OT (Operadores Tetãs do nível
de que os seres humanos anteriores eram tetãs, mais elevado), de acordo com as evidências.
os quais renunciaram aos seus poderes divinos Eram apenas uma sombra limpa acima”.1 Nesse
para entrarem no mest (matéria, energia, espaço, ponto a Cientologia enquadra-se num padrão
tempo), ou seja, a Terra, onde ocorreu um pro- previsível junto com outros grupos orientais
cesso de evolução, e o homem, que não conseguiu que demonstram alta consideração por Jesus
mais se lembrar do estado preexistente de tetã, como um avatar, mas negam seu lugar exclusivo
emergiu nos estágios da história. Como o mor- como Rei dos reis, Senhor dos senhores, como
monismo, as religiões orientais e o movimento nova “próprio Deus, unigênito, não criado, tendo a
era, a Cientologia ensina que dentro de cada ser mesma substância que o Pai, por quem todas as
humano existe um estado latente de divindade coisas foram feitas” (credo niceno). Numerosas
preexistente que pode ser invocado. passagens das Escrituras refletem a cristologia
Uma técnica de recrutamento usada com fre- da Igreja, como João 1.1-18; Colossenses 1.15-17;
quência na Cientologia consiste em perguntar às 1Timóteo 3.16 e Hebreus 1.13.
pessoas nas ruas se gostaria de fazer um teste de A Cientologia relega a cruz como um símbolo
personalidade grátis. As respostas são colocadas antigo introduzido por “preclaros um milhão
num gráfico e os resultados são mostrados ao de anos atrás”.2 Apesar disso, ela é um símbolo
voluntário. Na maioria das vezes, os testes mos- fundamental para a Igreja, que não pode ser
tram a presença de engramas dentro da mente desprezada na tradição bíblica (Atos 2.14-36;
reativa das pessoas. Entretanto, tal comprovante 3.11-26; 1Coríntios 2.2).3
de personalidade é a única parte gratuita do Humanidade. Como já foi mencionado, a
processo. De acordo com as últimas pesquisas, Cientologia encara a humanidade como proce-
o custo para se passar por um processo de lim- dente dos tetãs caídos. O homem tem o potencial
peza não é menos de 2,5 mil dólares. Depois de para ser orientado (auditado), a fim de chegar
alcançar o estado de limpeza, o iniciante precisa a uma conscientização de sua divindade pré-
participar de cursos com nomes do tipo “Certeza MEST.
de Limpeza”. Este, com cinco horas de duração, Como muitos outros grupos religiosos
custa 2,8 mil dólares. Nesse estágio, o limpo é orientais, a Cientologia não faz distinção entre
capaz de passar para cursos mais avançados, o Criador e a criação.4 Inevitavelmente, isso leva
para tornar-se um OT (Operador Tetã). Existem a importantes considerações. O cristianismo
nove estágios de OT. O custo para quem deseja sustenta firmemente a distinção entre Deus e a
realizá-los é de mais de 80 mil dólares. criação. Os seres humanos são criados à imagem
paul twitchell uniu-se à Igreja da Cientologia do Todo-poderoso, não à de um tetã. O homem
antes de fundar a eckankar. Afirma-se que ele foi está num estado de queda e rebelião ativa con-
um dos primeiros a alcançar a condição de limpo. tra Deus (Gênesis 3). A mensagem essencial da
A seguir, mostramos as doutrinas básicas da Igreja é que Deus, através da pessoa e obra de
Cientologia, juntamente com algumas compara- Jesus Cristo, tornou possível motivar as pessoas
ções com o cristianismo: a colocar um fim no pecado e na rebelião, por
Deus. O Universo contém muitos deuses intermédio de sua promessa de vida eterna
e existem divindades até mesmo acima deles. (João 3.16).
112 CINCO K, OS

Pecado. Não existe nada como pecado ou mal. na Califórnia, Organização Avançada de Los An-
Inferno. É uma invenção e um mito; uma geles. O livro Dianética: a ciência moderna para
fraude cruel, perpetuada pelos miseráveis, para a saúde mental tornou-se uma obra popular. Nos
que os outros sejam tão miseráveis quanto eles. anos que se seguiram desde a morte de Hubbard,
Para o cristianismo, o inferno, ou o estado a Cientologia tem conduzido uma campanha
de tormento eterno, não é um mito. Jesus falou maciça de publicidade. Num esforço de aumentar
claramente sobre o assunto (Mateus 25.41-46). as vendas e o número de membros, muitos astros
João refere-se ao “lago de fogo” (Apocalipse dos esportes e do cinema têm feito anúncio da
20.15), no qual os ímpios serão lançados no Juízo Dianética na mídia. O cristianismo nada tem
Final. Reconhecemos que seja real a crença num em comum com um movimento que se tornou
inferno literal, mesmo nas expressões liberais bem-sucedido através da “virtude por associa-
do pensamento cristão, pois o cristianismo, com ção”. Quando isso falhou, a “imagem” de igreja foi
suas várias denominações, tem mantido com trabalhada para se restabelecer na arena religiosa.
firmeza que o lago de fogo sobre o qual a Bíblia A mídia ainda não foi totalmente convencida.
fala certamente será uma realidade na vida dos No início de 1992, David Miscavige apareceu
impenitentes. no programa ABC’s Nightline de televisão, numa
Salvação. Liberdade do ciclo de renascimen- entrevista exclusiva com Ted Koppel. Seu obje-
tos; neste ponto pode-se ver claramente como a tivo principal em conceder tal entrevista era o
Cientologia adota os conceitos do hinduísmo sobre de restaurar a imagem da igreja. A Cientologia
a reencarnação. Todas as crenças religiosas são abriu um processo exigindo uma indenização
caminhos que conduzem à salvação. de 416 milhões de dólares contra a revista Time,
Céu. Não há céu no sentido definido pela Time Warner e o repórter Richard Behar, por
bíblia. Entretanto, ele existe na forma de incorpo- causa do artigo que escreveu para a história da
ração de um estado deificado ao qual a humani- capa da revista de 6 de maio de 1991, chamada
dade pode retornar. Nesse ponto, Hubbard nada “The Thriving Cult of Greed and Power” [O prós-
propõe que não seja endêmico numa conceitua- pero culto da cobiça e do poder]. Várias fontes
ção oriental de soteriologia. Sem uma doutrina citadas por Behar também foram processadas.
de pecado original ou de condenação eterna, Os porta-vozes da Time, entretanto, insistiram
juntamente com uma visão panteísta da vida e na veracidade do artigo. Em 2001, entretanto, a
de Deus, a Cientologia faz com que o indivíduo Cientologia perdeu definitivamente o caso.
busque uma salvação que está latente no interior
da alma humana, fundamentada no passado e Notas
nas vidas anteriores no ciclo de reencarnações. 1
Hubbard, L. Ron. Certainty Magazine 5, n. 10 (s.d.),
O cristianismo, por outro lado, fundamenta a 73, apud Martin, Kingdom of the Cults, p. 348.
salvação não numa habilidade latente, residente 2
Id., Professional Auditor’s Bulletin, n. 31, apud
dentro do ser humano, mas sim na pessoa e obra Martin, op. cit., p. 348.
de Jesus Cristo. O cientologista busca as respostas 3
Cf. igreja da unificação. Sun Myung Moon ensina
para a vida nas profundezas da psicologia do que a cruz foi uma circunstância lamentável na vida
passado do indivíduo e em suas vidas anteriores. de Jesus. Moon, entretanto, não nega a veracidade
O cristianismo também depende do passado, mas histórica da crucificação.
o que ocorreu historicamente na crucificação 4
Cf. hinduísmo, comunidade internacional de cristo, nova
e ressurreição de Jesus Cristo, não um passado era e muitos outros grupos orientais mencionados
baseado em especulações psicológicas. neste volume, para uma referência complementar
Conclusão. As principais publicações da sobre a distinção entre Criador/criação.
Cientologia incluem Source, publicado pela Flag
Organization Service da Cientologia; The Auditor CINCO K, OS (siquismo). Cinco princípios man-
[O auditor], publicado pela Igreja da Cientologia tidos pelos siques ortodoxos: cabelo longo (kesa);
COLIH 113

pente (kangha); calças curtas (kacha); bracelete coisas que estão além da realidade física; a
de metal (kachu); e espada (kirpan). transcendência da esfera empírica no sobrena-
tural. O termo também é usado para descrever
CINCO PILARES, OS (islamismo). As cinco a habilidade psíquica de ver e descrever eventos
práticas básicas exigidas de cada seguidor do futuros. edgar cayce foi um “clarividente”.
islamismo. São as seguintes: 1) recitação diária
da shahada; 2) o salat, ou oração proferida cinco CLARKE, JAMES FREEMAN (1810-1888). Foi
vezes por dia com o rosto voltado para meca; 3) um dos principais proponentes do pensamento
dar esmolas (zakat); 4) período de jejum (siyam) universalista unitariano, no fim do século XVIII.
durante o mês de ramadã; 5) hajj, ou peregrinação
a Meca; espera-se que todo muçulmano faça pelo COELHO, PAULO (n. 1947). Após trabalhar
menos uma vez durante sua vida. como diretor e ator teatral, PC decidiu dedicar-
se à música e ao jornalismo. Em 1972, editou a
CINCO VIOLAÇÕES (budismo). Crimes que, revista 2001, que expunha o modo de vida e o
quando cometidos, desqualificam o indivíduo a pensamento reinante na década de 1970. Esse
alcançar a iluminação. São eles: parricídio, matri- foi o ano decisivo para PC, pois se empenhou
cídio, assassinato de um arhant, causar distúrbio em estudar magia e ocultismo. A partir daí, seu
numa comunidade de monges budistas e golpear envolvimento com o esoterismo foi se intensifi-
um buda e derramar sangue. cando, a ponto de ingressar em diversas socieda-
des místicas. Tornou-se bruxo, mais conhecido
CIRCUITO (Testemunhas de Jeová). Um grupo como mago. Mas foi em 1986, quando percorreu
de congregações entre os testemunhas de Jeová. o caminho medieval de Santiago de Compostella,
Juntos, todos os circuitos dentro de uma deter- na Espanha, que PC encontrou sua fonte de
minada área formam um distrito. inspiração, que o levaria a produzir a obra que
o tornou conhecido em todo o mundo: O diário
CÍRCULO (ocultismo). Antigo símbolo do in- de um mago. Lançou em seguida, em 1987, O
finito, da continuidade, plenitude e eternidade. alquimista. Em seguida veio Brida (1990), que
Na bruxaria, o círculo é um símbolo do princípio foi transformada em novela, mas não foi até o
feminino da natureza. O círculo mágico é usado fim; As valkírias (1992), Na margem do rio Piedra
por feiticeiros, mágicos, satanistas (v. satanismo) eu sentei e chorei (1994), O monte cinco (1996),
e bruxos. Em torno de um círculo mágico apare- Veronika decide morrer (1998), O demônio e
cem os nomes dos deuses e outros símbolos do a srta. Prym (2000), O Zahir (2005), A bruxa
ocultismo. Dentro do círculo, frequentemente de Portobello (2007), entre outros. Coelho tem
há o desenho de um pentagrama. A permanência sido um dos grandes promotores da nova era no
dentro do círculo mágico proporciona bênçãos e Brasil, onde já vendeu milhões de exemplares.
proteção contra as forças do mal. Fora do Brasil também é campeão de vendagem.
Seus livros já foram traduzidos para cerca de 70
CÍRCULO MÁGICO (ocultismo; bruxaria). A idiomas e distribuídos em 150 países, atingindo
área de culto utilizada em bruxaria e satanismo. a cifra de mais de 100 milhões de exemplares. O
Consiste numa circunferência desenhada no chão site oficial de PC é: www.paulocoelho.com. (AM)
dentro da qual são realizados vários rituais. O
círculo mágico é feito em qualquer lugar onde a COLIH (Testemunhas de Jeová). Sigla para a
privacidade esteja assegurada. Comissão de Ligação com Hospitais, criada pela
liderança mundial dos testemunhas de Jeová em
CLARIVIDÊNCIA (ocultismo; Associação de 1980 com o propósito de manter um relaciona-
Pesquisa e Iluminação). Termo utilizado para mento com médicos e hospitais, a fim de evitar
designar a misteriosa habilidade de perceber que transfusões de sangue sejam ministradas aos
114 COMPLETAMENTE FELIZ

adeptos do grupo. Busca-se recrutar médicos que à restauração da verdade para a Igreja, eram
estejam dispostos a cooperar com aqueles que inspiradas por Deus, que o enviara.
não quiserem fazer uso da hemoterapia. (AM) Em 1962, Jamil morreu, com três anos de
idade. Savoy então afirmou que esse fato estava
COMPLETAMENTE FELIZ (Missão Luz Di- de acordo com o previsto e que a criança real-
vina). Frase usada pelos devotos da Missão Luz mente não morrera, mas fora transladada para
Divina para descrever o profundo senso do Infi- o “Mundo da Luz”.
nito, obtido depois de um excruciante exercício Savoy então decidiu que era o tempo de
de respiração rítmica. propagar seus ensinamentos de forma mais
organizada. Em 1972, fundou o grupo dos Jami-
COMUNICANTES (Os Mestres Ascensos “Eu lianos e estabeleceu sua sede em Reno, no estado
Sou”; Igreja Universal e Triunfante). Os mem- de Nevada. Três anos mais tarde, a comunidade
bros mais zelosos e comprometidos da igreja publicava suas doutrinas.
universal e triunfante. Ensinos. A teologia dos jamilianos centrali-
za-se na revelação dos ensinamentos misteriosos
COMUNIDADE INTERNACIONAL DE de Jesus. Savoy argumentava que a humanidade
CRISTO (CIC); OS JAMILIANOS. História. na realidade é uma raça de “seres de luz”. Os
A CIC/Jamilianos (posteriormente chamada antigos adoradores do Sol, no Egito e no Peru,
apenas de jamilianos) foi fundada por eugene descobriram isso há muito tempo. A obra de
douglas savoy (n. 1927). Ele nasceu e foi criado Cristo não foi essencialmente para redimir a
em Bellingham, Washington, neto de um pastor humanidade do pecado, mas, sim, transmitir
batista. Provou ser uma criança extremamente essa e outras verdades.
precoce. Aos seis anos de idade, alegou ter a O Universo deve seu sustento ao Sol, a fonte
misteriosa habilidade de receber revelações, de toda energia. Os seguidores do jamilianis-
visões espirituais e manifestar experiências mo são ensinados que podem experimentar o
pampsíquicas. Posteriormente, desenvolveu um poder redentor do Sol. Aprendem como devem
grande interesse em estudar as religiões mun- absorver adequadamente a energia solar, para
diais. Isso o levou a uma investigação do judaísmo, aumentar a expectativa de vida em mais de 20%.
principalmente nas doutrinas das comunidades O poder de Jesus para operar milagres vinha
dos essênios, em Qumram. Enquanto prosseguia do Sol. Um dia, Cristo retornará à terra, não
com o estudo desta e de outras religiões, Savoy como um Salvador triunfante, mas um novo e
convenceu-se de que Jesus era “inspirado por radiante Sol, “diferente de qualquer outro sol
Deus”. O Novo Testamento contém alguns dos que já brilhou”.
ensinamentos de Cristo; porém, os mais impor- O cristianismo ensina doutrinas totalmente
tantes permaneceram velados para um mundo diferentes do que essas defendidas pelos jami-
em expectativa. Savoy concluiu que chegara o lianos. Vários pontos de divergência incluem,
tempo de revelar as verdades preciosas que rece- em primeiro lugar, que Savoy deu maior ênfase
bera através do estudo cuidadoso dos evangelhos às visões e revelações do que à bíblia ou aos câno-
e outras literaturas dos essênios. nes apostólicos. Na tradição cristã, as Escrituras
Savoy alegava que seus ensinamentos eram fazem clara distinção entre Deus e sua criação. O
fundamentados no fato de que seu único filho hinduísmo e outras religiões panteístas, por outro
Jamil Sean Savoy (1959-1962?) era o Cristo reen- lado, rejeitam o conceito da transcendência de
carnado, com base na passagem das Escrituras, Deus, ou sua separação do Universo, cujo resul-
“um menino pequeno os guiará” (Isaías 11.6). tado é a falta de distinção entre ambos. Savoy
De acordo com o pai, o filho era o cumprimento introduz uma interessante mistura dessas duas
daquela profecia. Savoy alegava que as mensa- posições clássicas. Ao sustentar que Jesus recebia
gens proferidas pelo garoto Jamil, concernentes seu poder sobrenatural da “energia solar”, isto é,
COMUNIDADE INTERNACIONAL DE CRISTO (CIC); OS JAMILIANOS 115

do Sol, ele, na verdade, chega ao inverso da distin- COMUNIDADE MUNDIAL DO ISLÃ ALI NO
ção do cristianismo entre Criador/criação. Em vez OCIDENTE (islamismo). História e ensinos.
de Deus sustentar a criação, como a Igreja ensina, Essencialmente, o Movimento Islâmico Negro
e em vez de Deus e a criação se fundirem num (MIN) começou nos Estados Unidos como um
monismo indistinto, como acredita o hinduísmo, levante nacionalista entre os negros, que estavam
os jamilianos chegam a uma terceira posição: a descontentes com os problemas socioeconômi-
criação (o Sol) proporciona sustento a Deus (Je- cos que enfrentavam nos guetos urbanos. Dois
sus como a divindade encarnada). Na realidade, líderes proeminentes surgiram em primeiro
entretanto, a única divergência genuína é com o plano, no início do século XX. Em 1913, Timothy
cristianismo. Um panteísta não faria objeção a Drew fundou o Templo da Ciência Moura da
esse ponto sobre quem governa quem (criação América. Ele acreditava e ensinava que os negros
ou Criador), pois no final ambos não conseguem americanos eram de origem moura; portanto,
fazer distinção um do outro. havia entre eles profunda conexão cultural e
Segundo, para os jamilianos, Cristo é essencial- religiosa com a fé islâmica. Esse grupo foi o prin-
mente o que mostra o caminho, ou o mensageiro cipal precursor do Movimento Ativista Islâmico
que revela o Sol eterno. A Igreja ensina que Jesus Negro, que surgiu posteriormente. Em 1914,
era de fato o mensageiro, enviado para proclamar marcus garvey (1887-1940) iniciou a Associação
o Reino de Deus. Cristo, porém, tornou possível à Universal de Apoio ao Negro, outro movimento
humanidade caída entrar no Reino por meio de sua que contribuiu para a formação do MIN.1
morte e ressurreição. Portanto, a pessoa e a obra O MIN foi iniciado por wallace fard (1877-
de Cristo constituem a base crucial da fé cristã. 1934). Ele nasceu em Meca e foi criado dentro
Os credos da Igreja (v. Apêndice 1) reconhecem da fé islâmica. Migrou para os Estados Unidos
os ensinos das Escrituras concernentes a Cristo, e em 1930 e fundou o Templo do Islã, em Detroit,
relatam cuidadosamente os detalhes de seu nasci- em 1931. Imediatamente, Fard propagou os en-
mento, sua morte, descida ao inferno, ressurreição, sinamentos do islamismo com algumas variações.
ascensão e a promessa do futuro retorno. Segundo seus ensinos, os negros finalmente
Terceiro, Savoy distancia-se bastante do cris- enfrentariam os brancos numa guerra racial
tianismo com sua ousada asseveração de que seu que culminaria na restauração da raça negra
filho Jamil era Cristo reencarnado. A Igreja espera ao domínio e à supremacia. O cristianismo era
pelo retorno de Jesus Cristo para o julgamento e o uma religião usada pelos brancos para oprimir
reinado supremo. Em nenhum lugar da Bíblia há os negros. Ele dava aos seus seguidores nomes
qualquer indício de que ele retornará como uma árabes para substituir os dos “brancos” que
criança. Isaías 11.6 refere-se profeticamente à suas famílias adotaram anteriormente durante
primeira vinda de Cristo. a escravidão. Fard desapareceu em 1934 e nunca
Conclusão. Entre os escritos do movimento mais se ouviu falar nele. Acredita-se que ele era
estão os livros The Decoded New Testament a encarnação de alá; os membros do MIN come-
[O Novo Testamento decodificado], The Essae moram seu nascimento (26 de fevereiro) como
Document [O documento essênio], The Lost o “Dia do Salvador”.
Gospel of Jesus [O evangelho perdido de Jesus] O sucessor de Fard foi elijah pool (1897-1975),
e The Jamilians [Os jamilianos]. As pessoas que cujo nome foi mudado para Elijah Muhammad;
desejam se unir à comunidade e aprender as ele estabeleceu o segundo templo em Chicago.
verdades secretas de Jesus são convidadas para se Com o crescimento do movimento, nas décadas
alistarem na Academy and Sacred College, onde é seguintes, foram construídas mesquitas e centros
administrado um teste de aptidão da consciência em todas as grandes cidades onde havia grandes
espiritual. Muitas doutrinas espiritualistas e concentrações de negros.
ocultistas são praticadas pelos jamilianos. Não Muhammad, discípulo de Fard, também
se sabe o número total de seus membros. pregou que os negros pertenciam a uma raça
116 COMUNIDADE MUNDIAL DO ISLÃ ALI NO OCIDENTE

superior e os brancos eram demônios, cuja futura Outro movimento significativo que cresceu
derrota era certa. a partir da Nação Islâmica foi o Centro Hanafi
O porta-voz mais exaltado do grupo foi Madh-Hab, fundado em 1968 por hamaas abdul
malcolm x (1925-1965), um dos seguidores mais khaalis. Ele chegou à secretaria nacional da Na-
devotados de Elijah Muhammad. Ele contribuiu ção Islâmica em 1956, mas um estudo sobre as
muito, com seu carisma, para instigar o fervor da doutrinas muçulmanas deixaram-no convencido
juventude negra. Devido a um espírito faccioso, de que o islamismo ortodoxo era a expressão do
ele se separou do principal grupo e formou o mo- alcorão e Maomé era o verdadeiro profeta de Alá
vimento Mesquita Muçulmana. A divergência en- e não Elijah Muhammad.
tre os dois grupos tornou-se violenta, e Malcolm Em 1972, Khaalis mudou a sede da cidade de
resolveu fazer uma viagem sabática. O conheci- Nova York para Washington, D.C., a fim de ocupar
mento de uma cultura totalmente diferente, onde uma propriedade cedida pelo astro do basquete,
brancos e negros viviam em relativa harmonia, Kareem Abdu’l-Jabbar.3 Um ano mais tarde ocorreu
resultou numa mudança completa de atitude uma tragédia, quando sete membros do Hanafi fo-
nesse impetuoso líder. Depois que retornou aos ram mortos. A Nação Islâmica foi acusada dos cri-
Estados Unidos, passou a defender uma teologia mes e cinco de seus membros foram condenados.
mais pacifista. Isso serviu apenas para exacerbar Mais problemas ocorreram em 1977, quando
a fúria de seus antigos seguidores. Malcolm X Khaalis e mais onze membros do grupo assumi-
foi assassinado por um pistoleiro, em 1965. Um ram o controle de três edifícios na capital, e man-
dos mais recentes filmes de Spike Lee, Malcolm tiveram um grupo de reféns por quase quarenta
X, serviu para renovar a consciência da presente horas. Abdu’l Musikir, um dos muçulmanos
geração de que a tensão racial ainda existe. do Hanafi, matou o repórter Maurice Williams.
O próximo na sucessão de líderes foi o filho de Os doze foram presos. Khaalis advertiu de que
Elijah Muhammad, Wallace Deen Muhammad. irromperia mais violência se fosse exibido o filme
Em sua gestão, o grupo sofreu suas mudanças Maomé, o Mensageiro de Deus. Ele foi condenado
mais radicais, mais alinhadas com a direção pelos crimes e sentenciado a uma pena de 41 a
que Malcolm X apontava, depois de seu retorno 123 anos de prisão. Musikir foi condenado a 77
aos Estados Unidos. Wallace baniu o racismo anos de prisão pela morte de Williams.
do movimento e rejeitou a tendência de adorar O grupo dos Muçulmanos Hanafi diminuiu
Fard como a encarnação de Alá. Foi introduzido sensivelmente, depois de 1977. Isto é atribuído
o islamismo da maneira que era praticado pelos ao aumento da rejeição popular e aos contínuos
seguidores ortodoxos de maomé e o movimento conflitos com os Muçulmanos Negros.
recebeu o novo nome de Missão Muçulmana Conclusão. A teologia básica do MIN é islâmi-
Americana, adotado em 1985, de maneira que ca. Mudanças e/ou contribuições para a religião
o grupo pudesse ultrapassar mais facilmente de Maomé foram introduzidas por cada uma
as barreiras do racismo e do provincialismo das personalidades carismáticas que estiveram
que tanto o caracterizaram nos primeiros anos à frente do movimento. A distinção óbvia foi a
de formação e tornar-se mais alinhado com a preocupação racial que deu ao MIN seu impulso
tradicional ortodoxia islâmica. inicial. Historicamente, esse fenômeno só pode
Um grupo, localizado na cidade de Nova ser compreendido dentro do contexto socio-
York, sob a liderança de Louis Farrakhan, pro- cultural dos negros nos Estados Unidos, antes
curou manter o nome e as doutrinas originais da década de 1960. Foi precisamente dentro
do movimento. O grupo atraiu a atenção de desse contexto, e não da religião cristã, que o
toda a nação quando Farrakhan proclamou movimento se caracterizou por um sentimento
seu forte apoio ao reverendo Jesse Jackson em de intenso antagonismo contra os brancos. A
sua campanha para a presidência dos Estados própria religião cristã contém uma mensagem
Unidos, em 1984. e um evangelho que seu fundador tencionava
CONTRARREFORMA 117

que se destinasse a todas as pessoas, de todas CONCÍLIO ESOTÉRICO (Ordem Sagrada de


as raças e culturas. Certamente, existem os que Mans). Nome dado aos sacerdotes que estão
introduzem elementos estranhos ao evangelho diretamente sob as ordens do diretor geral na
de Cristo e transformam-no numa religião racial Ordem de Mans.
com um rótulo de cristã. Foi o que aconteceu
com o sistema do apartheid, da África do Sul, CONFERÊNCIA (mormonismo). Encontro dos
onde a doutrina calvinista da eleição eterna era Santos dos Últimos Dias, que se reúnem periodi-
interpretada dentro de um contexto sociopolítico camente para ouvir a exposição da “revelação”
em que os negros, vistos como não eleitos, foram de Deus por meio de seus líderes.
considerados inferiores racial e politicamente.
Esse também era o pensamento dos cristãos que CONFÚCIO (551-479 a.C.). Filósofo chinês mais
defendiam a escravidão nos Estados Unidos; eles conhecido por seus ensinamentos éticos durante
viviam numa era em que a inferioridade biológica a dinastia Chou, uma época caracterizada pela
dos negros era o tema comum nos meios intelec- falta de padrões morais.
tuais, bem como a opinião popular.4 Também é
o caso entre as religiões racistas que defendem CONSELHEIRO (Método Silva de Controle
a supremacia branca, muito ativas e crescentes Mental). Ser espiritual, conhecido ou não, às
atualmente nos Estados Unidos.5 O cristianismo vezes chamado de “técnico de laboratório”, que
repudia toda a associação com o ódio e o racismo. é conjurado para providenciar assistência divina
O Senhor Jesus e nenhum dos credos da cristan- nas situações do dia a dia.
dade jamais advogaram tal posição.6
CONSELHO DE DIRETORES (Ciência Cris-
Notas tã). Grupo de membros cuja tarefa é nomear os
1
Cf. rastafári. líderes e oficiais da igreja-mãe, no movimento da
2
Melton, J. G. The Encyclopedia of American ciência cristã.
Religions, 2 vols. Wilmington, NC: McGrath, 1978,
vol. 2, p. 342. CONTRARREFORMA (cristianismo). Movi-
3
Ibid. mento reformador dentro da Igreja católica ro-
4
Isso era parte integral da história americana no mana, que, na verdade, começou antes da reforma,
século XX. Por exemplo, o livro de Ulrich B. Phillips, mas que somente chegou à sua plenitude depois
American Negro Slavery (1918), foi escrito a partir que os protestantes do século XVI apresentaram
do ponto de vista do darwinismo social, que era suas mudanças. Movimentos de reforma dentro
ensinado, não no extremo sul, mas na Universidade da Igreja católica romana sempre ocorreram
Columbia, em Nova York, onde Phillips estudou. durante os últimos seis séculos: por exemplo,
5
Cf. movimentos de identidade, onde há uma análise mudanças nas várias ordens, a fundação dos
ampla do racismo e da intolerância, juntamente com jesuítas, as transformações que houve na Espanha,
a resposta cristã. sob a liderança do cardeal Jimenez (1457-1517),
6
Para uma visão complementar da dimensão islâmica as reformas do papa Paulo III, em 1537-1578, e
do MIN, veja islamismo. a forte influência dos Irmãos da Vida Comum
(que produziram grandes reformadores católicos
CONCÍLIO DE IMÃS (islamismo). Sábios romanos, como Desidério Erasmo e Nicola de
religiosos considerados os mais sacrossantos e Cusa). O Santo Ofício da Inquisição, iniciado por
autorizados porta-vozes da teologia islâmica e Paulo III, em 1542, foi um meio de responder pela
do cânon das leis. Esse concílio sagrado tem a força ao ímpeto protestante. O primeiro Índice de
responsabilidade de pregar, liderar as orações, livros proibidos foi uma forma de reprimir a lei-
oficiar nas conversões e nos casamentos, oferecer tura de obras e panfletos de autores protestantes.
conselho e outras atividades similares. A atividade mais importante da contrarreforma
118 CONTROLE

foi o Concílio de Trento, que se reuniu em três elementar na bruxaria. A convenção pode ser
assembleias, de 1545 a 1563. Esse foi o primeiro composta de cinco a cinquenta membros. O nor-
esforço específico por parte do catolicismo ro- mal, porém, é de doze a quinze. Ela se realiza sob
mano para elaborar uma teologia distintamente a liderança de um sumo sacerdote ou sacerdotisa.
para a Igreja católica, com referência e contra o Muitas convenções estão unidas em fraternida-
protestantismo, particularmente o luteranismo e des, mas outras permanecem autônomas.
o calvinismo.
CONVINCE. Culto afro-jamaicano composto
CONTROLE (ocultismo; movimento Nova Era). por membros conhecidos como homens bongo.
Espírito desencarnado que se manifesta por meio Como o myal e o vodu, o convince advoga a ado-
de um médium, durante uma sessão. ração de uma grande variedade de divindades
dos cultos obeah. (Cf. também abakua, cabildo,
CONTROVÉRSIA ICONOCLASTA (cristia- candomblé, myal, caribenhos e vodu).
nismo). O termo iconoclasta, derivado do grego Uma importante variação, que distingue
iconoclastes, significa “destruidor de imagem”. os homens bongo dos outros cultos da américa
Nos séculos VII e VIII irrompeu uma controvér- do sul, da américa central e do caribe, é a crença
sia no Oriente sobre a veneração de “ícones” ou de que o devoto pode ser habitado ou possuído
imagens. O conflito teve início com o monofisismo, por mais de um espírito de uma só vez. Como
que defendia uma visão que diminuía a natureza outros cultos da mesma família, os membros do
humana de Jesus, e o maniqueísmo, o qual susten- convince praticam rituais de dança, para atrair
tava que a matéria era má. O imperador Leão III a atenção das divindades. Entretanto, diferente-
(717-741) achou que os ícones eram excessiva- mente de muitos outros, o convince não se reúne
mente venerados e constituíam um obstáculo regularmente. As reuniões e cerimônias são
para a conversão de judeus e muçulmanos. Seu realizadas durante um ritual passageiro, como
édito de 726 d.C. contra os ícones fez com que um memorial pelos mortos, a celebração de uma
surgisse uma severa controvérsia. Começaram ocasião em particular ou para consumar um ato
perseguições e muitos monges que apoiavam a de vingança ou alguma outra ação de natureza
utilização dos ícones foram mortos. O Segun- mais perversa.
do Concílio de Niceia reuniu-se em 787 d.C. e A doutrina sobre a possessão de demônios foi
decidiu em favor dos ícones, mas definiu uma tratada várias vezes na história da Igreja. (Cf.
maneira estrita na qual deveriam ser usados. O santeria, para alusões adicionais sobre possessão
uso de imagens, a despeito da ordem do primeiro e sincretismo religioso, bem como as influências
mandamento da lei contra elas (Êxodo 20.4), foi atuais nos Estados Unidos.) A Bíblia registra
o resultado do reconhecimento das profundas muitas situações nas quais indivíduos estavam
implicações teológicas da encarnação e das duas possuídos de demônios (Marcos 1.21-28; 9.14-
naturezas de Cristo, como foi expresso no Concílio 29) e pelo menos uma ocasião em que um ho-
de Calcedônia (451 d.C.). Enquanto o próprio mem estava possesso de uma legião de espíritos
Deus não pode ser descrito em arte ou imagens, imundos (Lucas 8.26-39). Referir-se a esses seres
ele enviou seu Filho Jesus ao mundo, que assumiu espirituais como “demônios” é uma ideia cristã/
uma forma de carne e sangue. Portanto, não seria bíblica não compartilhada pelo convince e outros
considerado impróprio “retratar” Jesus em obras grupos do culto Obeah. Como mencionamos,
de arte ou em ícones. Essa tradição foi mantida, entretanto, o conceito de divindades maliciosas
principalmente no Oriente, mas também nas é abraçado por esses grupos.
igrejas católica romana e luterana. Parte do cristianismo, fortemente influen-
ciada pelo racionalismo do Iluminismo, tem a
CONVENÇÃO (bruxaria; ocultismo). Assem- tendência de tratar a possessão demoníaca com
bleia de bruxas. Constitui a organização mais ceticismo. Muitas manifestações, que no passado
CRISTADELFIANISMO 119

eram consideradas demoníacas e tratadas teo- universal, parte vital do corpo, que se separa dele
logicamente, na atualidade são diagnosticadas e sobrevive depois da morte. Teosofistas e ocul-
clínica e psicologicamente. Nos círculos ortodo- tistas acreditam que o corpo astral é o primeiro
xos tradicionais, porém, a crença na existência a elevar-se para o plano astral, imediatamente
do diabo e dos demônios não foi comprometida após a morte. Veja perispírito.
teologicamente. Por outro lado, na crença po-
pular, a etiologia demoníaca é menosprezada na CORPO DENSO (teosofia). Ensino de que a
cultura ocidental. matéria é a mais densa de todas as emanações
Os missionários cristãos tentam constante- da esfera espiritual. Ter densidade significa ser
mente disseminar o evangelho entre os cultos removido da esfera do espírito puro.
afro-jamaicanos, como fizeram entre os pra-
ticantes de outras seitas na América do Sul e CORPO DE SONHO (teosofia). Sinônimo de
no Caribe. A constituição da Jamaica apoia corpo astral.
a liberdade de culto e muitas denominações
cristãs estão representadas naquela ilha tropi- CORPO ESPIRITUAL (ocultismo). Veja corpo
cal. Diferentemente de outros locais do Caribe, etéreo.
fortemente influenciados pela Igreja católica
romana, a maior denominação cristã é a Igreja CORPO ETÉREO (espiritismo; ocultismo).
Anglicana. Os esforços missionários têm obtido Também chamado de corpo espiritual; ideia acei-
sucesso na “cristianização” dessa cultura de fala ta entre os espiritualistas de que a pessoa possui
inglesa, mais ainda existem muitas seitas, como dois corpos: o físico, o qual é visível e morre; e o
a pocomania e cumina, as quais, juntamente com etéreo, que não é material e vive depois da morte.
o convince, impedem que seus praticantes sejam Veja perispírito.
alcançados pelo evangelho. Quando o cristianis-
mo é abraçado por esses grupos, às vezes ocorre o CORPO FLUÍDICO (ocultismo; teosofia).
sincretismo religioso, quando alguns elementos Sinônimo de corpo astral.
da liturgia cristã são adaptados ou incorporados
aos seus rituais. COWDERY, OLIVER (1806-1850). Ex-profes-
Os membros do convince diminuem cons- sor, tornou-se o segundo élder da Igreja de Jesus
tantemente de número, mas a seita não mostra Cristo dos Santos dos Últimos Dias. joseph smith
sinais de extinção. era o primeiro (v. mormonismo).

CORDEIROS (Igreja do Entendimento Bíblico; CRAMER, MELINDA (1844-1907). Juntamente


Família Eterna; IEB). Designação dos novos com nona brooks, formou a Universidade da
convertidos ou recrutas da IEB. ciência divina.

CORES (ocultismo; satanismo). As cores de- CRISTADELFIANISMO. História. Movimen-


sempenham um papel importante na simbologia to fundado por john thomas (1805-1871), em 1848,
do satanismo: preto (o diabo; mal; trevas), azul depois que ele se desligou do grupo Discípulos de
(desespero; sexualidade), verde (vida; vegetação; Cristo. Thomas cresceu em Londres, Inglaterra,
paz), laranja (beleza), rosa (sucesso), vermelho onde estudou medicina. Em 1832, após formar-
(sangue; vida; energia física), branco (bondade; se médico, mudou-se para os Estados Unidos.
pureza), amarelo (sucesso; poder; riqueza). O grupo Discípulos de Cristo foi fundado por
Thomas Campbell (1763-1854) e seu filho, Ale-
CORPO ASTRAL (ocultismo; teosofia; movi- xander Campbell (1788-1866). John Thomas logo
mento Nova Era). A força de onde emana a vida começou a discordar dos Campbell e afastou-se
no corpo humano. Composta de uma substância dos Discípulos de Cristo em 1844.
120 CRISTADELFIANISMO

Os “thomasistas” — como os cristadelfos Trindade, o segundo desprezava esse vocábulo e


foram originalmente chamados — protestaram também o seu conceito. (Cf. testemunhas de jeová
contra alguns dos ensinos básicos do cristia- e associação unitariana universalista, pois ambas
nismo, principalmente a doutrina da trindade rejeitam o termo trindade e o conceito que lhe é
(v. abaixo). Thomas também argumentava que atribuído).
todas as denominações existentes apostataram Os Discípulos de Cristo entendem que Deus é
da verdade como era ensinada na simplicidade um em essência, pois existe em e por meio de si
e pureza da igreja primitiva, com suas práticas e mesmo. Esse ponto é enfatizado para demonstrar
seus ensinamentos. bem a aversão que eles têm pela doutrina cristã
Durante a Guerra Civil Americana (1864), da Trindade, como declarado, por exemplo, no
Thomas adotou o novo nome cristadelfianis- credo atanasiano: “[...] adoramos um Deus em
mo, que quer dizer “Irmãos de Cristo”. Como três pessoas e três pessoas em um Deus, não
pacifistas, desejosos de permanecer isentos das confundindo as pessoas e nem dividindo a subs-
obrigações militares, foram obrigados a adotar tância [...]” (Apêndice 1). O cristadelfianismo,
um nome oficial. portanto, é unitariano em sua doutrina de Deus e
Depois da morte de Thomas, em 1871, ocor- em sua cristologia. Além disso, a posição dos Dis-
reram mudanças no movimento. A polêmica cípulos de Cristo é semelhante aos ensinamentos
irrompeu depois de 1890, quando dois líderes do arianismo e do monarquianismo dinâmico, pois
— Robert Roberts e J. J. Andrew — se separa- ambos ensinavam que Deus não compartilha sua
ram devido a uma questão chamada “respon- divindade com outra substância ou outra essên-
sabilidade na ressurreição”. O cisma produziu cia. Essa também é a posição do islamismo com
dois grupos: o da “emenda”, o qual insistia que relação a alá e outros grupos unitarianos, como
somente os que estão “em Cristo” ressuscitarão o testemunhas de jeová e o caminho internacional.
para a vida eterna; e o “sem emenda”, o qual dizia O monarquianismo foi a posição teológica contra
que todos, justos e ímpios, ressuscitarão no Juízo a qual a Igreja reagiu nos séculos III e IV, o que
Final. As duas facções convivem lado a lado até o culminou com a confissão de que Deus é três
presente. Nos anos de 1970, fez-se uma tentativa pessoas, mas uma só essência.
de reunificação, quando então se descobriu que Jesus Cristo. É o “Filho de Deus” e do ho-
os dois grupos concordavam muito mais do que mem, que nasceu de uma virgem pela operação
discordavam. Tinham a mesma visão sobre as do Espírito Santo. Dizem que o Pai se revelou
doutrinas do batismo, da “comunhão”, da na- por meio de Cristo.
tureza da humanidade e da inspiração da bíblia. A obra de Cristo consistiu na morte para ex-
O único ponto que impediu a reunificação foi a piar o pecado e depois na ressurreição dentre os
questão da “responsabilidade na ressurreição”. mortos, para tornar o perdão possível e completo.
Ensinos. Os seguintes itens representam Aqui não há o que contrastar com a interpretação
um resumo das doutrinas básicas do cristadel- cristã tradicional do assunto. O afastamento da
fianismo, em comparação e em contraste com o ortodoxia surge na doutrina cristadelfa da pes-
cristianismo, do qual recebeu seu impulso inicial soa de Cristo. Coerentemente com a rejeição da
e depois se separou. doutrina bíblica, eles não reconhecem Jesus como
Deus. Um dos objetivos dos Discípulos de o Deus encarnado, o qual possui uma natureza
Cristo era expurgar o cristianismo de toda ter- coeterna com o Pai, no céu, como é tradicional-
minologia não bíblica e de qualquer palavra mente entendido com base em passagens como
considerada teologicamente abstrata. Portanto, João 1.1ss.; 8.58; 1Timóteo 3.16; Hebreus 13.8, e
não é de surpreender que o termo trindade tam- conforme foi confessado pela igreja primitiva, por
bém se tornou o centro das objeções de Thomas. meio de seus símbolos históricos.
A diferença mais notável entre ele e os Campbells “Rejeitamos a doutrina de que a natureza de
era que enquanto o primeiro rejeitava o termo Cristo era imaculada” (Doutrinas rejeitadas, nº
CRISTADELFIANISMO 121

5). Implícita no pensamento cristadelfo está a lacionismo). A controvérsia sobre quem ressusci-
ideia de que a obra de Jesus para a expiação do tará no Juízo Final divide os grupos “emendado”
pecado incluía a necessidade de ser feita uma e o “não emendado” (v. acima).
expiação por seus próprios pecados, bem como Imortalidade. No cristadelfianismo, a ideia
pelos do mundo. Embora Cristo tivesse uma da imortalidade da alma não é bíblica, mas
natureza divina, em virtude de sua concepção pagã. Esse acontecimento está reservado para o
por obra do Espírito Santo, também possuía uma futuro e ocorrerá somente para os santos. Será
natureza humana, pois nasceu da virgem Maria. um presente para os que obedecem ao que Deus
Essa expiação se aplicava à natureza humana ordena em sua lei. Portanto, a vida termina com
de Cristo. O Concílio de Calcedônia (451 d.C.) a morte e só será restaurada no momento da
reconheceu que, de acordo com a bíblia, Cristo re- ressurreição para o Juízo Final. Os que receberem
almente possui duas naturezas, que não existem a imortalidade viverão eternamente com Deus,
separadas ou independentemente uma da outra enquanto os incrédulos permanecerão mortos
(nestorianismo). Essas duas naturezas existem eternamente (v. aniquilacionismo).
“sem confusão, sem mudança, sem divisão e A Igreja cristã sempre ensinou que haverá um
sem separação”. Além disso, embora Jesus as julgamento final, e tanto os vivos como os mor-
tivesse, não eram duas pessoas separadas, mas tos enfrentarão o momento do acerto de contas
apenas uma. Essa cristologia calcedoniana é a ex- com Deus, tradicionalmente chamado de Juízo
pressão doutrinária da Igreja ortodoxa grega, da Final. Ao mesmo tempo, porém, o cristianismo
Igreja católica romana e das igrejas protestantes também sustenta que a alma é imortal; senão,
reformadas. O cristadelfianismo permanece fora Cristo não teria “descido ao Hades” a fim de
dos limites da fé católica histórica em sua cristo- pregar a libertação aos cativos e/ou aos espíritos
logia, conforme sua própria literatura deixa bem em prisão (1Pedro 3.19; 4.6); ou Paulo não teria
claro. ( A cristologia cristadelfa tem um paralelo dito: “tenho desejo de partir e estar com Cristo”
próximo a quase todos os grupos não cristãos (Filipenses 1.23). Com a morte, o corpo retorna a
que possuem uma doutrina sobre Jesus Cristo). terra e torna-se pó; e a alma separa-se do corpo.
Espírito Santo. É o “poder de Deus”, e Ambos se reunirão no momento da ressurreição.
não exercita um desejo pessoal, mas serve de Na época do julgamento, tanto os crentes como
executor da vontade do Pai. De fato, o Espírito os incrédulos estarão num estado de existência
Santo não é uma pessoa separada do Pai. Como imortal. “Aqueles que tiverem praticado o bem
o “poder de Deus”, ele não se distingue da pessoa irão para a vida eterna; aqueles que tiverem
do Pai. A negação do lugar do Espírito Santo na praticado o mal irão para o fogo eterno” (credo
Trindade novamente coloca o cristadelfianismo atanasiano). Aqui surge mais um contraste entre
em oposição à ortodoxia, a qual historicamente a ortodoxia cristã e a cristadelfianismo.
reconhece que, embora o Espírito Santo de fato Diabo. Não é uma criatura ou um ser real;
atue como um agente que realiza a vontade do mas, pelo contrário, um princípio maligno pro-
Pai, adicionalmente “procede do Pai e do Filho, fundamente arraigado na natureza humana e
o qual juntamente com o Pai e o Filho é adorado que predispõe os homens ao pecado e à rebelião
e glorificado” (credo niceno). ativa contra Deus
Humanidade. O ser humano existe como Embora os credos ecumênicos da cristandade
um crente “responsável”, por um lado, ou um não façam alusão explícita à pessoa de Satanás,
incrédulo do outro. A humanidade foi formada sua existência dentro do cristianismo sempre
do pó da terra e, devido ao pecado, está conde- foi mantida nos círculos ortodoxos e sustentada
nada o morrer e voltar ao pó. Depois da futura pelas referências bíblicas. Em nossa era moder-
ressurreição dentre os mortos e do juízo final, na, há várias interpretações sobre quem e/ou o
aos responsáveis será concedida a imortalidade, que é Satanás. Entre os teólogos mais liberais,
enquanto os ímpios serão aniquilados (v. aniqui- particularmente os influenciados por Friedrich
122 CRISTAIS

Schleiermacher e, mais recentemente, Rudolf da segunda vinda de Cristo, já aconteceram ou


Bultmann e Paul Tillich, a noção de um diabo estão em pleno desenvolvimento.
literal foi substituída pela de um princípio ma- A escatologia cristã mais tradicional não é tão
ligno que existe no mundo e dentro do coração elaborada quanto o dispensacionalismo. O credo
do pecador, uma ideia não totalmente diferente apostólico satisfaz-se em confessar a simples for-
da defendida pelo cristadelfianismo. mulação: “subiu aos céus; está sentado à destra
Inferno. O cristadelfianismo ensina que o de Deus, o Pai onipotente, donde há de vir para
vocábulo inferno, na Bíblia, refere-se estrita- julgar os vivos e os mortos”.
mente à sepultura. Esse ensino é mantido por Autoridade. Os cristadelfos acreditam na
numerosos grupos religiosos, como a igreja Bíblia como a autoridade final nas questões de
adventista do sétimo dia, as testemunhas de jeová, fé e prática.
o caminho internacional etc. Devido ao fato de o Comunhão. Os cristadelfos são extrema-
cristadelfianismo ensinar que não existe alma mente dogmáticos na orientação doutrinária.
imortal após a morte física, não há necessidade Geralmente, seus seguidores não têm comunhão
da existência de um lugar de tormento eterno com os que defendem doutrinas consideradas
para que a alma habite. apóstatas e contrárias ao movimento. Também
Salvação. Os “salvos” são os que creem no são proibidos de tomar parte em negócios civis
evangelho e são obedientes ao mandamento de ou de se candidatar a cargos públicos.
Cristo quanto ao batismo, feito exclusivamente Conclusão. A congregação local é chamada
por imersão, um ensinamento similar ao de de eclésia. Devido à sua política congregacional
certas denominações cristãs e algumas seitas. O bem independente, é muito difícil fazer uma
ritual do batismo é realizado em nome apenas de estimativa do número total de seus membros. Já
Cristo e não do Pai, do Filho e do Espírito Santo. foi dito que em 1964, na Inglaterra e nos Estados
Final dos tempos. O lugar onde os justos Unidos, havia 20 e 50 mil seguidores, respecti-
habitarão para sempre será a própria Terra. Esse vamente. Depois do século XIX, seu crescimento
ensino é similar à doutrina da sociedade torre foi mais lento.
de vigia, a qual também sustenta a ideia de que Não existem universidades ou seminários
nosso planeta será o paraíso dos testemunhas mantidos por eles. Há várias escolas bíblicas que
de Jeová, com exceção dos 144 mil, que reinarão realizam cursos de verão. Não existe distinção
eternamente com Deus, no céu. funcional ou hierárquica entre o clero e os leigos.
O cristadelfianismo é fortemente milenarista Os que servem na liderança são voluntários e não
em sua e. Os fiéis reinarão com Cristo por mil recebem salário.As reuniões nas eclésias geralmen-
anos e serão servidos pelos mortais de todas te são realizadas em salões alugados, ou nas casas
as nações. Israel será restaurado à sua antiga dos membros. Embora não haja uma organização
glória. Quando a própria morte for destruída no central que governe as eclésias, o movimento
final do milênio, a Terra será povoada pelos que mantém uma reunião anual de confraternização.
receberam o dom da vida eterna. A literatura cristadelfa pode ser solicitada por
Muitos grupos cristãos defendem uma meio de carta para as eclésias locais. Um endereço
escatologia semelhante, particularmente os particular onde se pode obter informações é a
influenciados pelo dispensacionalismo. Existem Livraria Eclesial Cristadelfa em Detroi: 14676
interpretações variantes entre esses grupos. Berwick, Livonia, MI 48154. O Christadelphian
Vários elementos, entretanto, parecem comuns Advocate [Defensor Cristadelfo] é publicado
a todos eles. Israel desempenha um importante pela assembleia “sem emenda”, em Richmond,
papel durante os últimos tempos; haverá um Virgínia, EUA.
período de mil anos (milênio) que culminará no
Juízo Final; o retorno de Jesus está próximo, pois CRISTAIS (ocultismo; movimento Nova Era).
todos os eventos profetizados, como precedentes Objetos sólidos (pedras), translúcidos, que
CRISTIANISMO 123

podem ser claros ou coloridos. Acredita-se que de Jesus Cristo, fora do qual não há salvação (v.
o cristal é capaz de captar e transmitir energia credos apostólico e niceno, Apêndice 1). Ele fala da
cósmica (da mesma maneira que ocorre quando universalidade no sentido de que Deus revelou-se
são usados em rádios) e que regulariam no corpo plenamente a toda a humanidade, através da obra
humano seu fluxo energético. Os adeptos da particular de Cristo. Todas as demais religiões, de
Nova Era usam cristais por razões variadas: uma acordo com esse princípio da universalidade, são
mulher que pretende ficar grávida; alguém que sumariamente classificadas como “marginais”.
deseja a cura de uma enfermidade; ou aquele que Portanto, por definição, o cristianismo afirma ser
busca a direção para um evento futuro. a única fé verdadeira para toda a humanidade.
Embora as outras crenças também possu-
CRISTALOMANCIA (ocultismo). Prática que am respeitáveis pontos de vista, o cristianismo
consiste na adivinhação através do uso de vários afirma ser o único e exclusivo meio de alcançar
materiais transparentes e que fazem reflexo, a vida eterna, ou seja, a existência com Deus só
como bolas de cristal, água, espelhos, cristais etc. é alcançada através da fé em Cristo. Entretanto,
devido ao fato de não ser universalmente abra-
CRISTIANISMO. Alguém certamente espera çado, como está evidenciado pela competição de
que um ensaio sobre cristianismo seja o tratado tantos outros grupos religiosos, a própria noção
mais longo num livro desta natureza. Os autores de uma religião exclusiva parece escandalosa.
são cristãos e o cristianismo por si é a maior Mesmo assim, este “escândalo da particularidade”
religião do mundo e desempenhou um papel mantém-se firme dentro dos círculos ortodoxos
fundamental na civilização durante os dois úl- tradicionais, com base no fato de que, se for para
timos milênios. Entretanto, comparado com o o cristianismo perder sua exclusividade e, por
tratamento dispensado a outras grandes religiões isso, sua universalidade, por definição, deixa de
do mundo, a história cristã será bem resumida. ser autêntico.
Por todo este volume, as doutrinas centrais O cristianismo referido aqui e por todo este
do cristianismo são apresentadas. A intenção volume é “tradicional” e/ou ortodoxo. Isso signifi-
expressa dos autores é oferecer um sistema de ca simplesmente que adere aos credos ecumênicos
contraste/comparação entre o cristianismo e os (Apêndice 1) e a todas as doutrinas relacionadas.
grupos ocultistas, seitas e religiões. Com exceção Isso inclui a Igreja ortodoxa oriental, o catolicismo
do desenvolvimento doutrinário dos primeiros romano e muitas denominações protestantes
quatro séculos, particularmente concernente à nascidas a partir da Reforma. As formas de
cristologia, a extensa história da Igreja não será cristianismo não referidas sob o guarda-chuva
repetida aqui. Após a discussão desse período, ortodoxo são as que se afastaram dos credos
apresentaremos um relato abreviado das prin- ecumênicos, incluíram doutrinas alternativas,
cipais épocas e divisões da cristandade, cujo antagônicas (v., por exemplo, o pentecostalismo
propósito será o de demonstrar os pontos de unicista) ou adaptadas, para entrar em confor-
continuidade/descontinuidade e de fragmenta- midade com os paradigmas da modernidade e
ção/universalização. Mencionaremos de forma das pressuposições filosóficas da “Era da Razão”
breve a ortodoxia oriental no século XI, embora (v. mais adiante). Nessas formas posteriores de
o foco principal esteja na igreja ocidental. cristianismo, as noções de particularidade e uni-
O cristianismo, semelhantemente ao seu versalidade não são mais viáveis, nem é possível
progenitor, o judaísmo, contém dois princípios estabelecer qualquer “essência” à fé cristã.
fundamentais, que, superficialmente, sempre Raízes. O cristianismo cresceu a partir de
pareceram mutuamente exclusivos: a particulari- seu progenitor, o judaísmo, e nasceu no Antigo
dade por um lado e a universalidade por outro. O Testamento. Os primeiros seguidores de Jesus
cristianismo é particular em sua afirmação de ser de Nazaré eram seus compatriotas. De fato, a
a única fé plenamente revelada na pessoa e obra primeira geração cristã era quase exclusivamente
124 CRISTIANISMO

composta por judeus. A “conversão” ao cristia- não para “destruir a Lei e os profetas, mas para
nismo deu-se porque os seguidores de Jesus cumpri-los” (Mateus 5.17). O verdadeiro proble-
entendiam-no como alguém que cumpria uma ma surgiu quando o cristianismo foi bem rece-
função histórica vital dentro do contexto do bido pelos gentios. Como se lhes aplicaria a Lei?
judaísmo. Esse papel era o tão esperado Messias Essa questão foi defendida pelo apóstolo
(literalmente, “o Ungido”), prometido por todo Paulo, que se converteu, ao deixar de ser um
o Antigo Testamento. Portanto, quando Pedro zeloso perseguidor da Igreja, para tornar-se seu
pregou o primeiro sermão, no dia de Pentecoste apologista mais qualificado e missionário entre
(Atos 2.14-36), a cifra de convertidos, quase três os gentios (Atos 9; 13—28). Quando os apóstolos
mil (Atos 2.41), compunha-se de judeus e eles em Jerusalém souberam que ele não insistia em
receberam as palavras desse apóstolo com base que os gentios se circuncidassem ou se subme-
na maneira como ele relacionou a vida de Jesus tessem à Torá, chamaram-no para se justificar
com a própria história judaica. diante do Concílio de Jerusalém (Atos 15). O
Pedro disse que a visitação miraculosa do assunto já havia surgido anteriormente, quando
Espírito Santo (Atos 2.1-13) era o cumprimento Paulo confrontou Pedro sobre a questão dos ju-
da profecia de Joel, que escreveu acerca tais mi- deus comerem junto com gentios incircuncisos
lagres que o Messias iniciaria. O apóstolo disse à (Gálatas 2.9-15). Este não vira problema algum
multidão que Jesus de Nazaré era o Cristo e que em alimentar-se na companhia dos gentios na
sua prisão, crucificação, morte e ressurreição não ausência dos membros de Jerusalém. Quando,
foram acidentais, mas faziam parte do propósito porém, chegaram os judeus até onde Pedro esta-
predeterminado de Deus (Atos 2.22-24). Nova- va, ele se afastou dos gentios. Paulo interpretou
mente ele associa a vida de Jesus ao contexto do tal atitude como hipocrisia e confrontou-o por
Antigo Testamento, quando introduz o rei Davi causa disso. É interessante notar que, no Concílio
como o que prefigurou o advento do Messias (Atos de Jerusalém, Pedro defendeu a ideia de que não
2.25-35). Lucas, ao registrar essa mensagem de havia necessidade de sobrecarregar os gentios
Pedro, afirma com clareza que Jesus de Nazaré com a circuncisão ou a obediência rígida à Lei de
não é um novo fenômeno religioso, mas uma Moisés (Atos 15.7-11). Deus derramara seu amor
extensão necessária e uma conclusão para a pró- tanto sobre os judeus como gentios e estendia a
pria história do judaísmo. Portanto, o “escândalo ambos sua graça (v.11). A decisão por parte de
da particularidade” (Israel como o povo eleito de Tiago e os demais apóstolos em Jerusalém, para
Deus) e a noção de universalidade (por meio da permitir que o ministério de Paulo aos gentios
semente de Abraão, todas as nações serão aben- prosseguisse sem a necessidade da circuncisão e
çoadas; veja Gênesis 17) estende-se à Igreja no da Lei, estabeleceu a direção que a Igreja tomaria,
dia de Pentecoste, quando os cristãos começam para o futuro da cristandade.
a pregar a mensagem de Jesus Cristo (particula- Depois do ano 70 d.C., quando o general ro-
ridade) para todas as nações (universalidade). mano Tito marchou contra Jerusalém e destruiu
Isso resume a atividade da comunidade cristã o templo, o cristianismo judaico começou a desa-
primitiva, enquanto se espalhava rapidamente a parecer, especialmente quando os cristãos gentios
partir de Jerusalém. Entretanto, a séria questão ou helenizados abandonaram por completo o
que surgiu quase imediatamente era sobre que judaísmo. O livro de Atos avança em direção de
papel a Lei (Torá) teria na vida dos gentios uma missão totalmente voltada aos gentios. Ele
que se convertiam e que agora faziam parte da começa em Jerusalém e termina em Roma. Inicia
promessa feita a Abraão. A Lei, ou Torá, era um com um relato do cristianismo judaico e conclui
dos pilares do judaísmo. Enquanto a mensagem com um ministério exclusivamente voltado aos
cristã era uma palavra exclusivamente para os gentios. O principal apóstolo dos judeus, Pedro,
judeus, a Torá permaneceu com parte vital na ocupa aquela primeira parte do livro de Atos, mas
vida religiosa dos novos convertidos. Jesus veio, logo é substituído por Paulo, o maior missionário
CRISTIANISMO 125

dos gentios. Jerusalém, judeus e Pedro dão lugar seguir) ficou em seu lugar. Suas obras incluem
a Roma, gentios e Paulo. Exortação aos pagãos, O instrutor e Estromata,
O que se segue é um resumo da era patrística com o propósito de demonstrar que Jesus Cris-
(100-170 d.C.), o período antes de Niceia (170- to é o ponto principal de todo o conhecimento
325 d.C.) e depois de Niceia (325-590). Como (gnose). Veja gnosticismo.
já foi declarado, esses três períodos receberão Orígenes (185-254). Pai da Igreja, de Ale-
tratamento maior. A Idade Média, a Reforma e xandria, era professor e instrutor de catecúme-
a era moderna apresentam rapidamente as mu- nos; viajou muito e foi ordenado na Palestina
danças que fluíram a partir da igreja primitiva. em 230. Entretanto, sua consagração não foi
A era patrística (100-170 d.C.). Esse é o perí- aceita em Alexandria. Exilado, foi professor em
odo em que os pais da Igreja, isto é, os sucessores Cesareia, na Palestina, onde experimentou a
imediatos dos apóstolos, viveram e ensinaram. perseguição sob o governo do imperador Décio.
Assim como o cristianismo em todas as épocas Orígenes foi um pensador profundo e original.
teve defensores e inimigos, alguns dos grandes Suas contribuições literárias foram volumosas.
apologistas da era patrística, junto com seus A mais famosa foi a obra Contra Celso. Sua ideias
opositores, foram os seguintes: capacitaram a igreja primitiva a avançar muito
Policarpo (69-156). Bispo da igreja em Es- em seu entendimento da pessoa de Cristo.
mirna, discípulo do apóstolo João, foi martirizado. Quando a igreja primitiva deparou-se com
Seu escrito mais famoso foi Carta aos filipenses. o gnosticismo e enfrentou seus desafios, por
Irineu (m. 202). Provavelmente, foi dis- meio dos hábeis defensores da fé (mencionados
cípulo de Policarpo em Esmirna e tornou-se anteriormente) nas eras patrística e antenicena,
bispo de Lyon, na Gália (atual França), em 177. o que surgiu disso foi um credo, termo latino que
A sua grande contribuição para a Igreja foi sua significa “eu creio”, o qual se tornou a ferramenta
oposição ao gnosticismo, suas ideias a respeito da primária para a catequese cristã e a apologia con-
sucessão apostólica e sua teoria da recapitulação, tra os gnósticos.1 O cânon, ou “lista” de livros, que
na qual acreditava que o Logos de Deus suportou posteriormente constituiriam o Novo Testamento,
o sofrimento humano para redimir a humanida- foi selecionado naquela época. Os escritos consi-
de. Suas obras incluem Denúncia e refutação da derados canônicos eram os reconhecidos como
falsa gnose (também conhecida como Contra as possuidores de autoridade dentro da comunidade
heresias) e a mensagem doutrinária Demonstra- cristã, a fim de combater os muitos outros livros
ção da pregação apostólica. Martirizado em 202. da época, cujos autores eram cristãos, gnósticos,
Tertuliano (155/160-220/230). Nasceu em hereges e outros.
Cartago, filho de um centurião romano; estudou A questão da autoridade também surgiu ra-
direito e exerceu a função em Roma. Depois de pidamente depois da era apostólica em assuntos
converter-se ao cristianismo (190/195), voltou concernentes à doutrina, fé e prática na Igreja.
para sua cidade, onde se tornou presbítero. Sua Tanto os gnósticos como os defensores da Igreja
inteligência, combinada com sua habilidade de afirmavam ter o apoio do Antigo Testamento e
comunicação e redação, capacitavam-no a expor dos escritos apostólicos. Assim, surgiu a ques-
as doutrinas do cristianismo com clareza. Como tão sobre o que constituiria a autoridade final
um apologista capaz, escreveu veementemente em assuntos de fé. A solução foi que a própria
contra o gnosticismo, especialmente contra o Igreja estabeleceria a autoridade final, através
herético Marcião. Suas obras incluem Apologias, dos bispos. Na era apostólica, o termo “bispo”
Sobre o batismo e Contra Marcião. (no grego, episkopos, isto é, supervisor) era sinô-
Clemente de Alexandria (150-215). Fun- nimo de ancião (presbyteros) e pastor (poimen;
dador da grande escola teológica de Alexandria. cf. Atos 20.17,28; Tito 1.5, 7). O que emergiu,
Depois de fugir para a Palestina, a fim de escapar entretanto, na primeira parte do século II foi uma
da perseguição, seu discípulo Orígenes (v. a forma de liderança mais hierárquica, conhecida
126 CRISTIANISMO

como episcopado monárquico, na qual o bispo profético contra o poder temporal. Depois de
assumia uma posição de autoridade sobre os 313, entretanto, o Estado e a Igreja passaram a
pastores das igrejas, a fim de julgar as questões cooperar mutuamente. A fim de conceder-lhe a
de doutrina e fé. liberdade para conduzir seus assuntos sem per-
Era antenicena. Por uns trezentos anos, seguições, Constantino insistiu em ter voz ativa
a Igreja experimentou perseguição, não de nos negócios da religião. O pacto da Igreja com
maneira organizada ou prolongada, mas em o Estado agora ocuparia o cristianismo, de 313
formas mais ou menos intensas — de acordo até nossos dias, período em que vários pensado-
com o imperador e a província (ou províncias) res (e denominações diversas) desenvolveriam
do Império Romano em questão.2 Constantino posturas teológicas diferentes, concernentes à
(280-337) tornou-se imperador em 312 d.C., maneira como a Igreja deveria se relacionar com
quando derrotou Maxêncio, na Ponte Mílvio, fora a sociedade secular e o Estado.
dos limites de Roma. Ele afirma que viu o sinal Os concílios ecumênicos. A necessidade de
da cruz no céu, acompanhado das palavras de mais organização e consolidação tornou-se pre-
exortação: En touto nika — “Com este vencerás”. mente, quando a Igreja começou a crescer e es-
Ele entendeu, então, que as batalhas e vitórias tender seus voos sobre os campos missionários.
seriam em nome de Cristo, o “Filho”.3 Também, outras heresias passaram a desafiar
Entretanto, independentemente da maneira as doutrinas cristãs. Lembremo-nos de que o
que interpretemos esse evento, o ponto impor- primeiro concílio foi o de Jerusalém (Atos 15).
tante é que imediatamente Constantino assinou Nos períodos ante e pós-niceno, a Igreja crescera
o édito de Milão, em 313 d.C., a fim de conceder tanto, que surgiu a necessidade de realizar outros
liberdade e tolerância a todas as religiões no concílios ecumênicos, os quais reunissem todas
Império. Essencialmente, essa medida acabou as igrejas locais com o objetivo de buscar a uni-
com as perseguições contra os cristãos. Embora dade doutrinária e a consolidação. Os grandes
tenham irrompido ainda algumas perseguições concílios ecumênicos que mencionaremos são
sob Licínio, Constantino o derrotou em 324 e quatro: Niceia (325), Constantinopla (381), Éfeso
tornou-se o único imperador. Esse se tornou (431) e Calcedônia (451).
um triste evento para a história da Igreja, pois Concílio de Niceia. A questão que os
o cristianismo constituiu-se na religião oficial primeiros opositores do cristianismo, ou seja,
do Império Romano. O que começara com um os escribas e fariseus levantaram, era que Jesus
pequeno grupo de apóstolos e alguns poucos não somente afirmava ser o Messias escolhido,
convertidos, contados entre os mais pobres e mas também declarava ser Deus (João 10.33).
ignorantes, depois de trezentos anos de lutas, A polêmica, que se estendeu pelos próximos
emergiu “vitorioso” sobre o paganismo reinante. trezentos anos sobre essa questão, culminou no
O édito de Milão provou ser uma bênção surgimento de dois notáveis personagens: Ário
mista. Embora a era das perseguições houvesse (250-336) e Atanásio (296-373). O primeiro,
terminado, a Igreja entrou num período em destacado por suas grandes pregações, não ad-
que as influências da cultura, das religiões e mitia que Jesus fosse Deus, pois isso implicaria
filosofias do paganismo começaram a pres- na existência de dois deuses. Ário acreditava que
sionar o cristianismo. Os cristãos passaram a isso levaria a consequências drásticas, especial-
usar a força para obrigar outros a se converter, mente pelo fato de o cristianismo se distanciar
uma ideia totalmente estranha ao Fundador do do paganismo, que crê na existência de muitos
cristianismo. Outra questão que surgiu como deuses. Portanto, sua conclusão era que Cristo
resultado do édito de Milão foi a relação entre estava mais próximo de Deus do que qualquer
Igreja e Estado. Anteriormente, ela existia e outra criatura; mas tivera um início, enquanto
promovia-se, a despeito das hostilidades do Im- Deus é eterno. Conforme seu pensamento,
pério, e muitas vezes tornou-se um testemunho houve um tempo em que Jesus não existia, mas
CRISTIANISMO 127

nunca houve tempo em que Deus não existisse. o arianismo usou para tirar sua considerável
Essa ideia era a essência do que ficou conhecido vantagem. Durante os reinados de Constantino,
como arianismo. Constâncio II e Juliano, Atanásio foi condenado
O maior oponente de Ário foi o bem mais ao exílio quatro vezes.5 Com a morte deste último
jovem Atanásio. Para este, toda a questão da divin- imperador (363), o incansável bispo voltou para
dade de Cristo não era um debate específico sobre Alexandria, onde apoiou até a morte a causa
a pessoa de Jesus; pelo contrário, tratava-se da ortodoxa do Concílio de Niceia.
questão da divindade do Messias; e isso estava na Concílio de Constantinopla. Quando
base da própria salvação. O pecado deixou a hu- Atanásio morreu em 373 d.C., a liderança da
manidade numa condição desesperadora, na qual causa ortodoxa caiu nas mãos de três teólogos
jamais conseguiria salvar a si mesma. Somente bem preparados intelectualmente, conhecidos
Deus seria capaz de realizar essa obra. Se Cristo como os pais capadócios: Basílio, o Grande (330-
não fosse o Deus encarnado, em forma humana, 379), bispo de Cesareia, na Capadócia; Gregório
então se tornaria impossível ele ser o Salvador. (329-389), bispo de Constantinopla; e Gregório
Ambos os lados entraram numa disputa acirrada. (330-395), bispo de Nissa. Como Atanásio, eles
A polêmica só chegou a uma conclusão quando se mantiveram na defesa da causa ortodoxa. En-
o imperador Constantino interveio ao convocar tretanto, somente quando o imperador Teodósio
uma assembleia geral, realizada em 325 d.C., em I convocou o Concílio de Constantinopla, em 381
Niceia (atual Iznik), com a presença de mais de d.C., a ortodoxia foi firmemente estabelecida e
trezentos bispos. Nesse primeiro concílio, a Igreja o arianismo rejeitado pela maioria das igrejas.
condenou o arianismo e declarou, com Atanásio, Várias questões foram discutidas nesse
que Cristo é o próprio Deus. A declaração de fé concílio. Embora a divindade de Cristo já fosse
que emergiu desse encontro foi o credo niceno, reconhecida, até aquele momento nada fôra acor-
a primeira confissão escrita do cristianismo dado com relação à divindade do Espírito Santo.
(Apêndice 1). Nele, a Igreja afirmou ousadamente O resultado foi o surgimento de uma declaração,
que Cristo era “consubstancial ao Pai”. O vocábulo a qual afirmava que o Espírito Santo também era
substância, ousia, no grego, era um termo contro- verdadeiramente Deus. Os teólogos presentes em
vertido (evidentemente não aceito pelos arianos), Constantinopla foram obrigados a ajustar contas
providenciado para conter as afirmações de Ário com outro oponente de Ário, Apolinário, bispo
de que Cristo não era coeterno com Deus. de Laodiceia (310-390). Amigo de Atanásio, ele
Ário, entretanto, junto com vários outros ensinava que, embora Cristo tivesse a plena di-
bispos, recusou-se assinar o credo niceno. Ele vindade, não possuía uma alma verdadeiramente
conseguiu um número considerável de segui- humana. Em seu lugar, ele teria o logos divino.
dores, que fizeram com que Atanásio gastasse Embora Cristo possuísse a plenitude da divinda-
o resto de sua vida para defender a ortodoxia de, em oposição a Ário, Apolinário não mantinha
estabelecida em Niceia. Henry Chadwick faz esta a natureza de Cristo intacta, contrariamente à
observação muito apropriada: “Foi um infortú- confissão de Niceia de que Jesus era tanto divino
nio para a Igreja do século IV envolver-se em como humano. O apolinarismo sofreu oposição por
uma controvérsia teológica no momento em que parte dos pais capadócios e, por fim, foi rejeitado
estabelecia sua organização institucional. As di- pelo Concílio de Constantinopla. O arianismo e
vergências doutrinárias rapidamente tornaram- apolinarismo passaram para o segundo plano,
se inexoravelmente associadas a questões de enquanto a Igreja entrava no século V, com o
ordem, disciplina e autoridade. Acima de tudo, objetivo de enfrentar novos desafios.
relacionaram-se com a tensão crescente entre Duas escolas de teologia. Mentes férteis den-
a Igreja Grega Oriental e a Latina Ocidental”.4 tro da Igreja lutaram com as profundas questões
Foi esse conflito político, eclesiástico e doutrinárias. Duas escolas desenvolveram-se,
cultural crescente entre Oriente e Ocidente que cada uma centralizada em uma região geográfica
128 CRISTIANISMO

do Oriente, a saber, Antioquia e Alexandria. A foi aberto, o nestorianismo foi condenado e o pró-
primeira formou os seguintes teólogos: Paulo de prio Nestório excomungado. O termo theotokos
Samosata, Luciano de Antioquia, João Crisósto- (mãe de Deus) e a implicação lógica de que Deus
mo, Teodoro de Mopsuéstia e o famoso Nestório. nascera, sofrera, morrera e ressuscitara, foram as
As características dessa escola incluíam a rejei- resoluções sustentadas pelo Concílio. Na realida-
ção da interpretação alegórica da Bíblia e o desejo de, entretanto, essa assembleia em Éfeso foi muito
de descobrir a intenção dos escritores bíblicos mais do que uma guerra pessoal entre Nestório e
para chegar ao significado de um determinado Cirilo, mas também um confronto entre as duas
texto. O aspecto mais notável dessa escola era escolas rivais de Antioquia e Alexandria.
sua cristologia. A tradição de Antioquia enfati- Outra decisão importante do Concílio de
zava a humanidade de Cristo e estabelecia uma Éfeso foi a condenação do pelagianismo (discutido
conexão mais flexível entre as duas naturezas: adiante). A questão cristológica em si, entretanto,
divina e humana. ainda não estava definida. Ainda viriam outros
Se a escola de Antioquia era mais aristotélica desafios para a ortodoxia que surgiriam dentro
e “racionalista”, a outra, a Alexandrina, inclina- das fileiras da Igreja e exigiriam que as mentes
va-se mais em direção do misticismo platônico. teológicas mais aguçadas examinassem as Escri-
Essa última apresentava teólogos como Clemente turas ainda mais, para se chegar a uma conclusão
de Alexandria, Orígenes, Atanásio e Cirilo de sobre como as duas naturezas de Cristo estavam
Alexandria. Sua tendência maior era uma inter- relacionadas.
pretação mais alegórica da Bíblia e enfatizava Concílio de Calcedônia. Um quarto concí-
mais a divindade de Cristo, juntamente com uma lio ecumênico foi convocado em 451 pelo impe-
visão mais unificada de suas duas naturezas. rador Marciano, para tratar de outra cristologia
Devido ao fato de a humanidade de Jesus ser questionável, defendida por Êutiques (m. 454).
menos distinta de sua divindade nessa escola do Semelhantemente a Apolinário, ele ensinava que
que na de Antioquia, a noção de “Deus sofrendo a divindade de Cristo era de importância única.
na cruz” era mais aceita entre os alexandrinos. Ele abraçou o monofisismo (v. acima). Esse
Na escola de Antioquia, Nestório defendia pensamento era contrário à doutrina ortodoxa já
o ponto de vista de que a humanidade de Jesus estabelecida de que Jesus tinha duas naturezas:
destacava-se de sua divindade ao ponto de a humana e a divina.
rejeitar-se totalmente a noção de que Deus sofrera
ou morrera na cruz. Portanto, foi o Jesus humano
quem havia padecido. A escola Alexandrina rejei- “adjetivos protetores
tou o nestorianismo por meio de uma cristologia de calcedônia”
rival e extremista conhecida como monofisismo, asynkutos
que enfatizava a divindade de Cristo (Cristo tem Inconfundível
somente uma [mono] natureza [phisis]) e esta era
totalmente divina. As duas tradições teológicas
adiatreptos
Imutável
atreptos

confrontaram-se e obrigaram a convocação de


Indivisa

um terceiro concílio.6
Concílio de Éfeso. O imperador Teodósio
II (401-450) convocou o Concílio de Éfeso em
431. O principal propósito dessa assembleia foi Inseparável
o de definir a questão do nestorianismo. Cirilo
de Alexandria, o maior oponente de Nestório, akrostikos
iniciou o Concílio com quinze dias de atraso, por
determinação de vários bispos. Ao se recusar a Gráfico que descreve os quatro adjetivos qualificativos da Cristo-
demorar mais, no mesmo dia em que o Concílio logia Ortodoxa definidos no Concílio de Calcedônia.
CRISTIANISMO 129

Reuniram-se seiscentos bispos no Concílio como Emília-Ligúria. Vivia em Milão. Um bispo


de Calcedônia. Ao debater com o eutiquianismo, o ariano, Auxêncio, manteve-se no bispado mila-
Concílio chegou a uma Confissão de Fé que reafir- nês até morrer, em 374. Os católicos ortodoxos
mava a declaração da Igreja sobre a divindade e a lutaram vigorosamente para que um bispo não-
humanidade de Cristo. O aspecto mais importante ariano ocupasse o cargo. Ambrósio foi escolhido,
do Concílio de Calcedônia foi sua formulação cris- apesar de ainda nem ser batizado, pois era um
tológica totalmente abrangente. Os famosos “qua- catecúmeno. Ele aceitou o cargo, submeteu-se
tro adjetivos qualificativos” estabelecidos contra o ao batismo e tornou-se um dos mais influentes
eutiquianismo declaram que as duas naturezas de defensores da ortodoxia cristã; foi o instrumento
Cristo são “inconfundíveis”,“imutáveis”; e, contra para a conversão de Agostinho. Ambrósio era
o nestorianismo, “indivisas”, “inseparáveis”. um forte defensor da independência da Igreja
A cristologia de Calcedônia foi adotada pela dos poderes político e civil; ele escreveu e pregou
cristandade ortodoxa do século V até a atuali- muito sobre as questões morais e éticas.
dade. A união pessoal de ambas as naturezas de Jerônimo (342-420). Nasceu na Dalmácia
Cristo foram entendidas como inter-relacionadas e foi educado em Roma. Tornou-se um monge
uma com a outra hipostaticamente (v. união que viajava muito e era conhecido por suas con-
hipostática). A natureza divina está tão ligada tribuições como um erudito da Bíblia. Passou os
à humana que cada uma delas compartilha as últimos anos de sua vida em Belém, onde viveu
qualidades da outra. Dizer que Deus morreu é tão por 34 anos numa caverna, próximo da gruta
verdadeiro quanto dizer que o sangue humano de onde supostamente Jesus nasceu. A maior de to-
Jesus salva. Deus (Divindade) participa na quali- das as suas contribuições foi que, como membro
dade humana da morte. O sangue (humanidade) da Igreja Ocidental, traduziu a Bíblia toda para
participa na oferta divina da salvação. o latim. Sua tradução ficou conhecida como
O Concílio de Calcedônia, como já foi afir- Vulgata. Jerônimo aprendera hebraico nos anos
mado, estabeleceu a cristologia que nunca foi em que viveu na Palestina e foi capaz de fazer a
alterada na ortodoxia cristã. Mesmo o grande tradução do Antigo Testamento, não a partir da
cisma de 1054 entre o Oriente e o Ocidente e a septuaginta em grego, mas diretamente dos textos
Reforma protestante, que abalou a unidade da hebraicos. A Vulgata tornou-se a Bíblia oficial da
Igreja Ocidental até nossos dias, não rejeitaram a Igreja Ocidental durante toda a Idade Média, até
cristologia daqueles primeiros credos (Apêndice que Erasmo reintroduziu os textos em hebraico
1). Esses símbolos cristológicos permanecem e grego, no século XVI.
como um claro testemunho da verdadeira ca- Agostinho (354-430). O maior de todos os
tolicidade da Igreja com relação à sua principal pais latinos. Nasceu em Tagaste, no norte da
doutrina, ou seja, a concernente ao seu Noivo, África. Seu pai era pagão, enquanto sua mãe,
o Senhor Jesus Cristo. Esses quatro símbolos Mônica, era cristã. Seus genitores rapidamente
antigos unem as igrejas orientais ortodoxas, reconheceram seus dons literários. Aos 16 anos
católica romana e a maioria das igrejas oriundas de idade, Agostinho foi enviado para uma escola
da Reforma protestante, a despeito de muitas em Cartago, onde estudou retórica, com intenção
outras divergências. de, posteriormente, cursar direito. Essa cidade,
Os pais latinos. A história cristã não pode além de ser um grande centro acadêmico, era
ser contada sem uma referência a três dos também voltada para a impiedade e o paganis-
maiores teólogos da Igreja Ocidental: Ambrósio, mo. Ao sucumbir a essas influências, Agostinho
Jerônimo e Agostinho. logo se afastou do cristianismo de sua mãe, e até
Ambrósio (340-397). Nasceu na Alemanha, mesmo teve uma amante. Mesmo assim, Mônica
filho de um estadista romano. Ele próprio foi orava continuamente pela conversão do filho.
nomeado para o cargo de governador de uma Naquele tempo, longe de aceitar o cristianis-
parte considerável do norte da Itália, conhecida mo, Agostinho desenvolveu um novo interesse
130 CRISTIANISMO

pela filosofia; em 373, abraçou o maniqueísmo. En- tado da privação do bem. Tudo isso aconteceu
tretanto, quando o filósofo Fustas não conseguiu sob a vontade permissiva de Deus.
responder suas perguntas, Agostinho tornou-se A controvérsia donatista, embora origi-
profundamente desiludido com esse pensamento nariamente fosse uma disputa local ocorrida
filosófico e afastou-se dele. Seu próximo passo na própria região de Agostinho, na África, um
foi migrar para Roma, contra as esperanças e as século antes de seu nascimento, tornou-se muito
orações de sua mãe. Mônica foi confortada pelas abrangente em suas implicações. No cerne da
palavras de uma amiga, que lhe disse: “Um filho controvérsia encontrava-se a questão de que
de tantas orações não pode se perder”. os cristãos que negaram a fé durante a perse-
As viagens de Agostinho levaram-no a Milão, guição do imperador Décio (249) deveriam ser
onde foi nomeado professor de retórica. Nessa readmitidos na Igreja. Um grande número deles
época, o bispo milanês era Ambrósio (v. acima). afastara-se da fé; mas, quando terminaram as
Agostinho ouvia frequentemente suas pregações. perseguições, com o édito de Constantino (v. aci-
A princípio, interessava-se apenas pelas habilida- ma), muitos demonstraram desejo de retornar ao
des de retórica exibidas pelo famoso bispo e não seio da Igreja. Os que permaneceram fiéis duran-
pelo conteúdo do que era dito. Mônica uniu-se ao te a perseguição receberam os outros sob termos
seu filho em Milão; gradativamente, ele mudava relativamente brandos. Cipriano (m. 258), bispo
seus pontos de vista. Agostinho então começou de Cartago, que também viveu um século antes
a interessar-se pela filosofia neoplatônica e pelos do nascimento de Agostinho, opôs-se fortemente
sermões de Ambrósio. Ao ler sobre a vida de An- a essa prática, ao argumentar que era necessário
tão e algumas porções da Bíblia, converteu-se em um período de observação e de arrependimento
386 e foi batizado na véspera da Páscoa de 387. antes que fosse permitida a reintegração dos
As coisas aconteceram rapidamente. Em 388, covardes na Igreja. Bispos que entregaram cópias
Agostinho voltou à África e fundou um peque- das Escrituras Sagradas às autoridades durante
no mosteiro em Tagaste. Tornou-se sacerdote a perseguição jamais teriam a permissão para
em 391 e, em 396, bispo de Hipona, cargo que ministrar os sacramentos novamente ou ordenar
ocupou até sua morte em 430. A importância outros sacerdotes.
de Agostinho está em sua profunda percepção Durante os períodos de paz no Império,
do cristianismo. Sua oposição ao maniqueísmo, a controvérsia donatista inflamou-se. Seus
ao pelagianismo e sua posição na controvérsia seguidores afastaram-se da ortodoxia cristã e
donatista — todas questões de importância formaram sua própria religião. Pela primeira
vital para a Igreja naqueles dias — não apenas vez, no tempo relativamente curto da história
aprimoraram sua própria teologia como foram da Igreja, surgiu o conceito de pluralidade. Ela
instrumentos na formulação da teologia, parti- não era mais universal ou católica, mas donatista
cularmente a Ocidental, da época. e católica romana. Com isso, surgiram sérias
Como vimos, Agostinho fora adepto do questões como: O que é Igreja? Como os cristãos
maniqueísmo; este afirmava um dualismo em donatistas e católicos estão relacionados? Qual é
que o mal e o bem são forças iguais que lutam a relação da Igreja com a sociedade? Respostas
constantemente pela supremacia. Agostinho fa- a essas perguntas cruciais foram deixadas para
cilmente demonstrou que esse sistema filosófico o competente bispo de Hipona, cujas respostas
demandava mais perguntas do que respostas. Em talvez fizeram mais para dar forma à subsequente
seu lugar, introduziu a noção neoplatônica de direção da Igreja Ocidental do que as de qualquer
que o bem é a realidade primária do Universo e outro teólogo na história.
o mal é a privação do bem. Teologicamente, essa Agostinho insistia em que a Igreja era aquela
noção traduzia o claro testemunho bíblico de que verdadeiramente católica. “Eu não teria crido no
somente Deus é a fonte de toda a bondade e os Evangelho de outra maneira, exceto movido pela
poderes das trevas e o mal surgiram como resul- autoridade da Igreja católica”. A Igreja é santa e
CRISTIANISMO 131

divina, não porque seus membros são santos, e ensinamentos do teólogo holandês Jacobus
mas devido à sua instituição divina, por Cristo, Arminius [Jacó Armínio] (1560-1609). Veja
para a disseminação do Evangelho. Agostinho arminianismo.
também insistia em que ela era composta por Em resposta a Pelágio, Agostinho afirmou
pessoas boas e más. Quanto ao papel do Estado, que o pecado de Adão afetara a humanidade
ele acreditava que a coerção era justificada, de tal maneira que a transgressão não era
para trazer os cismáticos de volta à fé católica. simplesmente uma ação ou “hábito” (Pelágio),
Entretanto, ele se opunha ao uso extremo da mas componente da natureza humana. O livre-
força para cumprir esse propósito. A justiça arbítrio perdeu-se na Queda de Adão, no Jardim
deve ser a única motivação do Estado. Ninguém do Éden. A única liberdade que a natureza hu-
seria condenado à morte por divisão ou heresia, mana pecaminosa tem é a de escolher continu-
uma visão que, às vezes, foi ignorada pela Igreja amente o pecado. Somente por meio de um ato
nos séculos seguintes. Agostinho acreditava que da graça de Deus, um indivíduo pode ser liberto
todos os que eram batizados na fé cristã, se ainda da transgressão. Assim, Agostinho concluiu, os
não fossem membros da Igreja, deviam fazê-lo salvos são aqueles sobre quem Deus derramou
antes da morte. sua graça divina.
O donatismo foi condenado em 411. Apesar A influência de Agostinho na Igreja católica é
da pressão e do banimento ainda persistiu; só foi muito profunda. Sua teologia e seu pensamento
destruído quando as forças islâmicas varreram o em geral desenvolveram os detalhes de uma
norte da África nos séculos VII e VIII. filosofia da história cristã que não encontrou
Uma terceira controvérsia, que ocupou a igual até nossos dias. Sua teologia estabeleceu o
última parte da vida de Agostinho, foi a que fundamento para o pensamento cristão, através
teve o maior impacto sobre a Igreja Ocidental da Idade Média e mesmo durante a Reforma
por séculos — a controvérsia pelagiana. Em sua protestante.7
celebrada obra Confissões (10,29.40), Agostinho Os cinco patriarcas. Nos primeiros cinco
afirmou: “Minha total esperança está em tua séculos do cristianismo, ocorreu um importante
grande misericórdia. Dá-nos o que ordenaste e desenvolvimento no seio da Igreja. Cinco grandes
ordena o que tu queres”. Em 410, ele soube que cidades tornaram-se centros das atividades cris-
Pelágio discordara veementemente dessa afir- tãs: Jerusalém, Antioquia, Alexandria, Constan-
mação, ao declarar que a humanidade era livre tinopla e Roma. Cada uma delas tinha um bispo
para tomar a iniciativa e exercitar o livre-arbítrio, nomeado. Os das maiores igrejas gradualmente
a fim de aceitar ou rejeitar a Deus. foram reconhecidos como superiores aos das
Surgiu uma grande controvérsia, quando comunidades cristãs menores. Os bispos das
Agostinho começou a pregar e a escrever con- igrejas nos cinco grandes centros metropolitanos
tra as ideias inovadoras de Pelágio. Sem nos foram reconhecidos como os mais importantes.
aprofundarmos na discussão em todos os seus Foram chamados de patriarcas. Note que quatro
detalhes, ela forçou Agostinho a explicar deta- das cinco cidades estavam localizadas na parte
lhadamente seus pensamentos sobre a Queda oriental do império; Roma era o único centro
e seus efeitos, o pecado original e, por último, patriarcal do Ocidente.
a doutrina da predestinação. Séculos mais tarde,
na Reforma, especialmente lutero e calvino 1. A Igreja em Jerusalém foi reconhecida
concentraram-se nesses temas e os desenvol- como a mãe de todas (pelo menos no
veram mais, até as mais profundas implicações século IV).
teológicas. Os pontos de vista de Pelágio foram 2. Gradualmente, entretanto, Jerusalém
condenados pelo Segundo Concílio de Orange, foi suplantada por Antioquia, onde os
em 529. O pelagianismo também foi reavivado discípulos de Jesus foram chamados de
logo depois da Reforma e retornou nas doutrinas cristãos pela primeira vez (Atos 11.26).
132 CRISTIANISMO

Desta cidade, o cristianismo estendeu-se Leão I (440-461) foi o primeiro a afirmar


para todo o mundo gentio; muitos bispos que Roma tinha a plena primazia sobre toda a
foram ordenados ali. cristandade. Ele baseou sua alegação no fato de
3. A importância de Alexandria está em que, que Pedro foi o “príncipe dos apóstolos”, o qual
apesar de não poder mostrar sua origem “governa legitimamente sobre todos os que são
apostólica, Marcos desenvolvera o traba- governados em primeira instância por Cristo”.8
lho missionário ali. Segundo, essa cidade Essa alegação estabeleceu o início de uma nova
orgulhava-se de ser o maior centro cultural fase na Igreja. O título “papa”, a partir dali, foi
do Oriente e era notável por seus grandes aplicado a cada sucessor ao cargo de bispo de
teólogos Orígenes e Atanásio. Roma. Tal alegação, entretanto, nunca sofreu
4. Constantinopla era o mais novo dos cen- objeção durante toda a história da Igreja. Al-
tros patriarcais. Era uma cidade importan- gumas igrejas do norte da África e do Oriente
te, porque o imperador Constantino vivia opuseram-se desde o início.
ali. A cidade, anteriormente chamada Bi- Muitos historiadores argumentam que,
zâncio, foi renomeada em sua homenagem. quando a Igreja passou do estágio de um mo-
5. Evidentemente, Roma era o centro do vimento milenarista, consciente da realidade
Império. Do ponto de vista religioso, cada escatológica da iminente parúsia de Jesus Cristo,
vez mais a atividade cristã era direcionada para tornar-se uma religião totalmente “ab-
para lá. O livro de Atos termina com o após- sorvida” e aculturada pelo Império Romano,
tolo Paulo preso nessa cidade. A tradição deixou de representar o verdadeiro caráter
diz que Pedro fundou a igreja em Roma, do cristianismo. Argumentam ainda que esse
cujos bispos eram continuamente procu- desenvolvimento levou a Igreja à deterioração.
rados para liderar. Irineu já escrevera que Assim como Israel corrompeu-se pela influência
a capital do Império estabelecia o padrão das religiões pagãs, o mesmo aconteceu com a
de liderança para a Igreja. Noiva do Cordeiro. Entraram as práticas pagãs,
a adoração às relíquias “cristãs”, a veneração
Gradualmente, depois que os bárbaros invadi- aos mártires e aos santos e todas as formas de
ram a cidade no século V e destruíram a institui- superstição. Em vez de ser uma instituição que se
ção política que governara o império por séculos, levantava como um testemunho profético contra
foi criado um vácuo político. A única instituição o mundanismo, a Igreja tornou-se uma entidade
remanescente, capaz de preencher tal espaço, foi a do mundo, disposta e capaz de adaptar-se às
Igreja. O cabeça em Roma, evidentemente, era seu formas do politeísmo e paganismo prevalecentes
bispo, que assumiu responsabilidades políticas no Império Romano que entrava em colapso.9
cada vez maiores; esse processo culminou com Monasticismo. O monasticismo foi uma re-
o estabelecimento do Santo Império Romano. ação à aculturação da Igreja ao mundo. Acredita-
Cada vez mais os bispos ocidentais reconhe- se que Antão de Tebas (251-286) foi o primeiro
ciam a supremacia do bispo de Roma. A palavra monge ou eremita, que se afastou para os desertos
latina papa, que significa “pai”, foi aplicada do Egito, em 270, onde viveu numa caverna, a fim
pela primeira vez a Sirício, bispo de Roma em de escapar das poluições mundanas e buscar uma
384-399. Embora Ambrósio tivesse escrito que o vida santa. Atraiu um grande número de discí-
bispo de Roma possuía a “primazia da confissão e pulos. Ocasionalmente saía de seu esconderijo,
não do cargo; a primazia da fé e não da posição”, quando então apoiava abertamente Atanásio na
mesmo assim a noção da primazia da posição controvérsia ariana.
do bispo de Roma como cabeça da Igreja estava O monasticismo logo se desenvolveu em
pronta para emergir. Isso aconteceu como resul- várias regiões, ao ramificar-se do Egito. Alguns
tado de um poderoso conflito entre as igrejas do monges chegavam a grandes extremos para
Oriente e do Ocidente. expressar a distância que tinham do mundo. O
CRISTIANISMO 133

exemplo mais famoso foi o de Simeão Estilita, pelos godos, liderados por Alarico. Esse evento
que passou trinta anos de sua vida em cima de chocou o mundo. Os cristãos foram acusados
pilares (styles) erigidos por ele mesmo. Outros de trazer maldição sobre o poderoso império.
“santos” seguiram seu exemplo na Síria, nos Nesse contexto, Agostinho escreveu sua obra A
séculos seguintes. cidade de Deus.
Então surgiram ordens monásticas especí- A Igreja adiantou-se para preencher o vácuo
ficas. Bento (480-550) introduziu sua “regra”, do poder que surgiu por causa da invasão bár-
que seria usada por ele e muitas outras ordens bara. Isso, por sua vez, abriu as portas para ela
monásticas em toda a Idade Média. De acordo sair dos limites do império e levar sua mensagem
com Bento, os monges deviam viver como em aos povos que vieram para conquistá-lo. Embora
uma família, cujo cabeça era o abade. Cada um muitos fossem mortos pelas mãos dos bárbaros,
dividia seu tempo entre o trabalho doméstico diversas pessoas ilustres se salvaram. Esse grupo
(geralmente na agricultura) e na observância do incluía os monges, que estavam entre os mais
ato central da comunidade, o opus dei (ou Ofício eruditos e bem educados da sociedade. Conse-
Divino), estruturado em torno de sete horas quentemente, esse elenco exclusivo foi capaz de
canônicas. O horário era (e ainda é) dividido da proporcionar missionários bem treinados para
seguinte maneira: levar o Evangelho aos pagãos.
A conversão dos francos, liderados pelo rei
1. 2h Vigília Clóvis, foi significativa para a história da Igreja.
2. 4h30 Laudes ele estendeu suas conquistas por toda a Gália. A
3. 6h Primeira partir dessa época, esta província passou a ser
4. 9h Terceira chamada de França. Clóvis foi batizado em 496,
5. 12h Hora Média e por sua influência todo o seu povo tornou-se
cristão.
6. 16h30 Vésperas
O cristianismo chegou à Inglaterra através
7. 18h Completas dos soldados cristãos pertencentes ao Império
Romano. Patrício (390-460) levou o Evangelho
Bento fundou sua ordem em Monte Cassino, à Irlanda. Columba (521-597), monge irlandês,
Itália. Uma forma mais severa de monasticismo fundou o famoso mosteiro na ilha de Iona. O
foi introduzida por Columbano (543-615) na Gá- resultado de seu trabalho foi que o Evangelho
lia (França). Seus monges tinham menos espírito espalhou-se até a Escócia, de onde os missio-
comunitário do que os beneditinos e reuniam-se nários dirigiram-se novamente ao Continente,
diariamente para jejuar, trabalhar e orar.10 especialmente à Alemanha.
Muitas outras ordens monásticas foram Quando os anglo-saxões invadiram a In-
fundadas durante a Idade Média, cada uma delas glaterra, o cristianismo foi desestruturado. Um
governada por regras, princípios e prioridades século mais tarde, entretanto, o papa Gregório, o
diferentes entre si. Algumas foram estabelecidas Grande, enviou Agostinho de Cantuária (m. 604
como movimentos de “reforma” contra as cor- ou 605) para a Inglaterra, a fim de reconquistar
rupções da própria Igreja ou de outras ordens o país para a cristandade. O sucesso de Agos-
monásticas que se deterioraram moralmente. tinho foi multiplicado, porque, da Inglaterra,
Estas também são consideradas famosas: car- muitos missionários foram treinados e enviados
melitas (1154), franciscanos (1209), dominicanos para todo o mundo. Um dos maiores deles foi
(1215), agostinianos (1256) e jesuítas (1540). Bonifácio (680-754), chamado “Apóstolo da
Missões. A invasão dos bárbaros (germa- Alemanha”. Willibrord (658-739) estabeleceu o
nos, godos, hunos, vândalos e visigodos) ao cristianismo em Utrecht, Holanda.
poderoso Império Romano foi, em retrospecto, Em torno do ano 1000, o cristianismo espa-
uma bênção mista. Em 410, Roma foi saqueada lhara-se como um incêndio por toda a Europa, até
134 CRISTIANISMO

mesmo na Rússia. Quando chegou à América, a Durante a Idade Média, surgiu a controvér-
obra missionária foi conduzida na mesma direção sia iconoclasta, de 752-842. Nasceu o islamismo,
geográfica como na Europa. O catolicismo roma- que estabeleceu um grande desafio e ameaça
no espalhou-se pelas regiões sul e sudoeste da à Igreja. Foram organizadas as cruzadas, para
América do Norte e por quase todo o hemisfério enfrentar e rechaçar o ataque islâmico. Houve
sul. O protestantismo ocupou a maior parte do outra grande divisão (lembre-se do donatismo
futuro Estados Unidos, de onde sairiam os mais e do arianismo), quando, em 1054, a Igreja do
ambiciosos esforços missionários da Igreja.11 Ocidente separou-se da do Oriente. Surgiram
A Idade Média. Gregório, o Grande (540- grupos independentes, como valdenses, albigen-
604), foi o primeiro monge a tornar-se papa. É ses, cátaros e bogomilos.
conhecido como o “pai do papado medieval” e, A última parte da Idade Média também
em essência, foi o elo entre o período antigo e a presenciou o surgimento de grande avivamento
assim chamada Idade Média, uma época mar- na literatura clássica, e as universidades da
cada pela associação entre a Igreja e o Estado, França, Itália, Alemanha e Inglaterra tornaram-
por meio da ascensão dos papas às esferas mais se o centro da nova escola teológica conhecida
elevadas do poder político e pelo estabelecimento como escolasticismo. Os grandes acadêmicos
do Sacro Império Romano. Não foi um período Anselmo (1033-1109), Abelardo (1079-1142),
de grande desenvolvimento doutrinário, compa- Pedro Lombardo (1100-1160), Alberto Magno
rado com os três primeiros séculos, mas grandes (1200-1280), Duns Scotus (1265-1308) e Tomás
pensadores contribuíram para a teologia cristã. de Aquino (1225-1274) viveram nesse período.
O escolasticismo distinguia entre fé e razão e
ao mesmo tempo mostrava como ambas eram
compatíveis. Bernardo de Claraval (1091-1153)
e Francisco de Assis (1181/2-1226) também
viveram no auge da Idade Média. Os escritos
devocionais de Francisco ainda são amplamente
lidos em nossos dias.
Pouco antes da Reforma, a Igreja católica ex-
perimentou um declínio, que culminou no Gran-
de Cisma e no cativeiro babilônico. John Wycliffe
(1325-1384), da Inglaterra, traduziu a Vulgata,
de Jerônimo, para o inglês e advogou severas re-
formas na Igreja. John Huss (1372-1415) ensinou
muitas das medidas reformadoras de Wycliffe
na Boêmia e foi acusado de heresia, quando foi
queimado vivo. Girolamo Savanarola (1452-
1498) pregou contra a riqueza e o luxo do clero;
foi martirizado em 1498. Na Holanda, Gerhard
Groote (1340-1384) fundou o grupo dos Irmãos
da Vida Comum. Desidério Erasmo (1496-1536),
um humanista (“homem de letras”) e erudito, foi
fortemente influenciado pelos Irmãos. Uma das
obras devocionais mais lidas, Imitação de Cristo,
surgiu da pena de outro discípulo dos Irmãos,
Um dos resultados do casamento entre Igreja e Estado foi a
construção de grandes e opulentas catedrais em toda a Europa Thomas à Kempis (1380-1471). Martinho Lutero
durante a Idade Média, como a de Colônia, na Alemanha. Cortesia e Inácio de Loyola tinham alta consideração pela
de Verlyn D. Verbrugge. obra Imitação de Cristo.12
CRISTIANISMO 135

A Reforma. O próximo grande período de totalmente desnecessárias. A convicção de Lu-


atividade teológica no Ocidente foi na época em tero nessas doutrinas era tão forte que, na Dieta
que o clamor por uma reforma na Igreja chegava de Worms, em 1521, na presença do imperador
ao seu ápice. A pena de Erasmo satirizava e criti- Carlos V e de vários líderes da Igreja romana,
cava severamente a vida dos monges e clérigos. quando questionado se era capaz de renunciar
Entretanto, foi um monge que atacou o próprio aos seus ensinamentos, Lutero replicou: “A não
cerne da Igreja medieval, ou seja, sua doutrina. ser que seja convencido pelo testemunho da
Ele se chamava Martinho Lutero (1483-1546). Escritura ou por argumentos evidentes [...] — a
Neste espaço limitado não é possível conceder- minha convicção vem das Escrituras a que me
lhe o que lhe é devido. Afirma-se que foram reporto, e minha consciência está cativa à palavra
escritos mais livros sobre a vida de Lutero do que de Deus — nada consigo nem quero retratar,
a respeito de qualquer outro pessoa na história porque é difícil, maléfico e perigoso agir contra
da cristandade, exceto o próprio Jesus Cristo. a consciência. Deus que me ajude. Amém”. Ele
Isto provavelmente é verdadeiro.13 Ele desafiou também traduziu a Bíblia para o alemão, como
a Igreja em 1517 ao escrever e publicar suas 95 Wycliffe fizera para o inglês, com uma diferença.
teses, declarações que atacavam as indulgências e Lutero usou o texto grego de Erasmo, publicado
a autoridade papal. Esse documento deu origem em 1516, enquanto Wycliffe fez sua tradução
ao movimento das massas, conhecido como baseado na Vulgata, de Jerônimo.
Reforma protestante. Outro grande reformador do século XVI foi
Lutero, um monge agostiniano, ensinava que o líder da reforma suíça, Ulrico Zuínglio (1484-
a salvação era “somente pela graça”, “somente 1531); o reformador na França foi João Calvino
pela fé” e que a única autoridade nas questões de (1509-1564); e na Escócia, John Knox (1505-
fé é “somente a Bíblia”. Ao comprar indulgências, 1572). A reforma inglesa surgiu como resultado
para obter o perdão dos pecados, o indivíduo de uma combinação de influências, inclusive os
perde a salvação. Mas, ao confiar “somente em ensinamentos de Lutero e de Thomas Cranmer
Cristo”, as indulgências seriam consideradas (1489-1556), bem como as intrigas políticas do
rei Henrique VIII (1491-1547).14
O procedimento do luteranismo é um tanto
diferente do calvinismo. Enquanto o centro teo-
lógico de Lutero era a encarnação de Cristo e a
“teologia da cruz”, o foco principal de Calvino
estava na glória e na soberania de Deus. Enquanto
o primeiro enfatizava que a Igreja devia operar
independente do Estado, o segundo, pelo menos
no princípio, argumentava que, embora achasse
que a Igreja precisava ser separada, os assuntos
dela podiam ser tratados pelas autoridades civis,
as quais deviam ser cristãs. Enquanto Lutero
argumentava, bem à moda paulina/agostiniana
que a vontade humana está presa pelo pecado
e que Deus elegeu sua Igreja pela graça, Calvino
A divisão que houve em 1054 entre a Igreja Ortodoxa Oriental e a (embora concordasse com Lutero) ia além em seus
Ocidental (Católica Romana) resultou primariamente de diferen- argumentos, pois afirmava que Deus não somente
ças políticas e culturais. As orientais, como esta Igreja Ortodoxa
predestinou os que são chamados para a salvação,
Grega em Grand Rapids, Michigan, agora são encontradas em
todo o mundo e convivem lado a lado em plena cooperação com mas também designou outros para a perdição.
as igrejas protestantes e católicas romanas. Cortesia de Verlyn Ambos os reformadores advogavam a neces-
D. Verbrugge sidade da educação e o ensino da doutrina do
136 CRISTIANISMO

“sacerdócio de todos os crentes”. Essas ênfases Um terceiro grupo anabatista foi fundado
resultaram na consequência muito mais ampla por Menno Simons (1492-1559), que introduziu
de se conceder dignidade e honra a todos os cris- uma forma mais leve de anabatismo na Holanda.
tãos. Durante a Idade Média, o clero e os monges O quarto grupo foi o dos amish, composto pelos
alcançaram uma posição muito mais elevada seguidores de um severo disciplinador chamado
do que as pessoas comuns. A Reforma defendia Jacob Amman (1644-1730); ele surgiu dos esca-
a ideia de que todas as vocações são dignas de lões do movimento dos menonitas suíços. Muitos
honra no Reino de Deus, e o clero diferia não em desses grupos finalmente estabeleceram-se nos
posição, mas no chamado. Estados Unidos. Posteriormente, os separatistas
Outro grupo, conhecido como anabatistas, na Inglaterra e na Holanda e os batistas ame-
surgiu durante a Reforma. Eram protestantes, os ricanos foram catalogados como anabatistas;
quais acreditavam que as reformas realizadas por mas, devido à conotação pejorativa do título,
Lutero eram boas, mas não foram suficientemente repudiaram tal classificação.
longe. Achavam que o ex-monge continuava com O período da Reforma, como na era patrísti-
uma visão demasiadamente católica, pois ainda ca, foi um tempo de grande atividade nos credos
aceitava o batismo de bebês e tinha uma visão da Igreja. Foram produzidas as seguintes con-
muito elevada dos sacramentos. Conrad Grebel fissões (consideradas as mais importantes): Os
(1498-1526), um ardente discípulo de Zuínglio, Sessenta e Sete Artigos (por Zuínglio, em 1523);
logo se afastou das doutrinas do mestre e batizou a Confissão de Augsburgo (pelos luteranos, em
novamente (daí o nome anabatismo) os cristãos 1530); a Confissão Helvética (pelos suíços, em
adultos batizados quando crianças. O batismo de 1536); os Trinta e Nove Artigos da Religião Cristã,
bebês era acusado por muitos como a causa do do anglicanismo (por Cranmer, com a revisão
mundanismo e da imoralidade na Igreja. final feita em 1571, fortemente influenciada
Um segundo grupo anabatista tentou edi- pelo luteranismo); o Catecismo de Heidelberg
ficar o “Reino de Deus” na cidade de Münster, (pelos calvinistas, em 1562), e a Confissão de
liderado por Melchior Hoffman (1500-1543), Jan Westminster (pelos presbiterianos, em 1647).
Mathys (m. 1534) e Jan de Leyden. Os anabatis- A Igreja católica romana respondeu à Re-
tas foram massacrados em 1535, depois de um forma com sua própria confissão e seu concílio,
prolongado cerco feito pelos exércitos católicos realizado em Trento (também chamado de
e protestantes. Movimento de contrarreforma), reunido em

Este momumento em Genebra, Suíça, homenageia quatro das maiores figuras da Reforma Protestante: Farel, Calvino, Beza e Knox.
Cortesia de Veryn D. Verbrugge
CRISTIANISMO 137

1545-1563. Muitos dos abusos que causaram América. Rhode Island é um lugar significativo
a Reforma foram corrigidos, aprovou-se o ca- para o cristianismo no mundo moderno, pois a
tecismo e o clero passou a receber muito mais constituição que Roger Williams elaborou para
educação. essa colônia foi o primeiro documento oficial
Os cem anos, de 1545-1648, foram turbu- escrito em toda a história da Igreja, em que um
lentos, durante os quais guerras religiosas entre Estado soberano concedia total tolerância religio-
católicos e protestantes foram travadas de forma sa. O princípio da liberdade religiosa tornou-se o
violenta. Roma lançou a Inquisição espanhola pilar da futura Constituição dos Estados Unidos.
e o Concílio de Trento produziu uma lista de Devido ao clima de tolerância, a América logo
livros que seriam banidos, os jesuítas tentaram se tornou a anfitriã de todas as denominações da
suplantar os protestantes através do ensino e da cristandade, onde cada uma delas se estabeleceu
pregação, e Carlos V declarou uma guerra “para numa área geográfica. É impossível relatar aqui
desarraigar a heresia”. No dia 24 de agosto de a história de todas elas. O leitor deve consultar a
1572 (dia de São Bartolomeu), o rei da França obra A Religious History of the American People
ordenou o massacre dos calvinistas (chamados [Uma história religiosa do povo americano], de
huguenotes). Mais de 18 mil foram massacrados Sydney Ahlstrom, para uma excelente pesquisa
na Holanda, pela Inquisição espanhola. William, sobre cada grupo e as contribuições de Jonathan
o Silencioso, levantou-se para defender a causa Edwards (1703-1758), o grande despertamento, o
protestante nos Países Baixos. Em 1618, a Paz de transcendentalismo etc.
Augsburgo foi quebrada e a luta armada irrom- As profundas mudanças causadas na teolo-
peu novamente. O rei sueco Gustavo Adolfo II gia, como resultado do Iluminismo, são dignas de
(1594-1632) adiantou-se e salvou a Alemanha e nota no período moderno. Os filósofos franceses,
o protestantismo. Finalmente, em 1648, a Guerra os deístas ingleses e os idealistas alemães fizeram
dos Trinta Anos chegou ao fim, com a assinatura muito para mudar a compleição do cristianismo.
da Paz de Vestfália. O novo tratado restaurou a O século XIX viu o crescimento do darwinismo,
harmonia na Alemanha, estendida também aos o qual introduziu uma explicação nova e “cien-
calvinistas. De acordo com seus termos, a reli- tífica” para a origem da humanidade, a fim de
gião de cada província seria determinada pelo reprovar o relato bíblico. Karl Marx (1818-1883)
principal governante de cada uma. levou o darwinismo à esfera econômica, ao
A Era Moderna. Depois da Reforma, o explicar a alienação humana como resultado da
cristianismo achou-se dividido não somente em luta entre as classes. Argumentava que a religião
Igreja Grega Oriental e Católica Ocidental, pois era o “ópio” que mantinha as massas concen-
surgiram os grupos intitulados luteranismo, tradas numa utopia do outro mundo, a fim de
calvinismo, anglicanismo, anabatismo, pietismo, escapar da realidade dos sofrimentos causados
e uma série de outras denominações e seitas pela alienação nesta vida. Marx acreditava que
que surgiriam quando o cristianismo se dirigiu a ansiedade por uma religião desapareceria
à América. quando a alienação e a consciência das clas-
Os separatistas deixaram a Inglaterra em ses desaparecessem. Suas ideias, entretanto,
1620, e estabeleceram sua autonomia na colô- provaram estar erradas, como o colapso do
nia de Plymouth. Uma década mais tarde, os marxismo-comunismo demonstrou nos anos de
puritanos (isto é, os que permaneceram dentro 1990. Os cristãos, que viviam na União Soviética,
da Igreja da Inglaterra, mas queriam vê-la “pu- sofreram grandemente durante a maior parte do
rificada”) estabeleceram-se na colônia da Baía século XX. Milhares foram martirizados por todo
de Massachusetts. Em 1635, Roger Williams o mundo, sob os governos marxistas.
(1603-1683) foi banido de lá e fundou uma nova Sigmund Freud (1856-1939) também con-
colônia chamada Providence (Providência); tribuiu para a corrente intelectual da increduli-
ali, ele estabeleceu a primeira Igreja Batista da dade do século XIX. Se o darwinismo explicava
138 CRISTIANISMO

a origem humana e o marxismo mostrava a julgamentos”. Por exemplo, a divindade de Jesus


alienação humana, o método psicanalítico de não deve ser considerada um fato histórico, pois
Freud tentava provar que Deus e o pecado eram possuía “valor revelacional” para a comunidade
uma neurose mental. Para o referido psicanalista, cristã (a Igreja). A escola ritschliana enfatizava,
o conceito de Deus era “uma extensão fictícia do assim como Baur, a natureza ética do cristianis-
pai humano ideal como um refúgio para o medo”. mo. Um dos discípulos de Ritschl, Adolf von Har-
A mesma Alemanha que deu Martinho Lute- nack (1851-1930), foi um brilhante historiador e
ro à Igreja, também produziu alguns dos críticos teólogo. Ele acreditava que a ênfase da Igreja nos
mais destrutivos da Bíblia durante os séculos XIX dogmas era resultado da influência grega sobre
e XX. David Strauss (1808-1874) escreveu Das os primeiros cristãos. Acreditava também que
Leben Jesu [A vida de Jesus] em 1835, quando isso era necessário, para que as formas anteriores
fez uma separação entre o Jesus histórico e o passassem, a fim de que o cristianismo perma-
Jesus da Bíblia. F. C. Baur (1792-1860) fundou necesse intacto. Para Harnack, o âmago eram os
a escola Tübingen, na Alemanha, e argumentou ensinamentos de Jesus, não sobre si próprio, mas
que a verdadeira essência do cristianismo é o seu a respeito do reino de Deus, a paternidade divina
conteúdo ético. Ele estava entre os primeiros crí- e o valor infinito da alma humana.
ticos alemães a ensinar que somente Romanos, Karl Barth (1886-1968) foi aluno de Harnack.
1—2Coríntios e Gálatas eram epístolas genuina- No final do século XIX, a teologia liberal estava no
mente paulinas, enquanto todas as outras tradi- auge. Ele se rebelou contra seus professores e, em
cionalmente atribuídas a Paulo eram espúrias. seu comentário sobre o livro de Romanos, escrito
Friedrich Schleiermacher (1768-1834) negou a em 1919, recebeu uma ampla aceitação para
revelação divina, ao insistir que o ápice da reli- uma “nova” ortodoxia. A principal contribuição
gião é um aspecto de consciência interior e que estava no seu desejo de trazer a teologia de volta
o verdadeiro cristianismo é um “sentimento de para a Bíblia e os princípios da Reforma. Barth
absoluta dependência”. Ele foi influenciado pela enfatizou novamente a transcendência de Deus
tradição pietista de Halle, e sua teologia é descrita e a realidade do pecado. Repudiou a ênfase de
na obra monumental Der Christliche Glaube [A fé Schleiermacher sobre o sentimento e a experiên­
cristã]. Schleiermacher foi sem dúvida o teólogo cia, ao insistir em que Deus se revelou por meio
mais notável do século XIX. da pessoa de Cristo. A neo-ortodoxia barthiana
Søren Kierkegaard (1813-1855) criticou recebeu sua mais ampla aclamação no período de
severamente a Igreja luterana dinamarquesa 1930 a 1950, em muitos seminários americanos.
por sua corrupção e seu caráter mundano. Seus Os conservadores, entretanto, passaram a ver o
escritos articulavam uma teologia posteriormen- barthianismo como ainda muito compatível com
te classificada como existencialismo cristão. Ele o liberalismo ritschliano.15
acreditava que a vida cristã genuína é uma luta A Igreja católica romana também reagiu a es-
solitária e desesperada pela verdadeira fé, que sas tendências liberais do século XIX. Nos anos de
repousa não nas declarações proposicionais da 1869-1870, foi convocado o Concílio Ecumênico
verdade ou dos credos, mas no envolvimento e Vaticano I, no qual foi afirmada a infalibilidade
no encontro pessoal do indivíduo com Deus. Os do papa. Numa época em que a autoridade da
pensamentos de Kierkegaard, um século mais Bíblia era sistematicamente solapada, fazia-se
tarde, tiveram uma profunda influência no necessário que a autoridade eclesial e papal fosse
evangelicalismo dos Estados Unidos. reavaliada e reafirmada. Em 1833, na Inglaterra,
Albrecht Ritschl (1822-1889), influenciado começou o movimento de oxford , que tentou
por Baur, Kant, Hegel e Schleiermacher, fundou escapar das tendências liberal-racionalistas da
sua própria escola. Ele argumentava que a reli- época, por meio de um retrocesso “romântico” a
gião é entendida através da fé e não pela razão, uma era pré-Iluminismo (século XVII), quan-
e que a verdade cristã baseia-se no “valor dos do a Igreja inglesa teve a autoridade que jamais
CRISTIANISMO 139

experimentara. Muitos dos líderes do movimento No século XIX surgiu em Princeton uma voz
retornaram para a Igreja católica romana, inclu- conservadora que respondeu ao darwinismo.
sive John H. Newman (1801-1890). Enquanto o Romanticismo estava no auge em
Paralelamente ao Movimento de Oxford Harvard e na Nova Inglaterra, esta pequena cida-
(em grande parte intelectual) cresceram várias de tornou-se o lugar da antiga ortodoxia. Charles
tradições não-conformistas que seriam abraçadas Hodge (1797-1878) atuou como um apologista
entusiasticamente pela Igreja inglesa. O primeiro competente e notável contra o liberalismo; B.
desses movimentos começou quando um pastor B. Warfield (1851-1921) defendia a inerrância
presbiteriano, Edward Irving (1792-1834), fun- verbal da Bíblia.16
dou a Igreja católica apostólica (v. irvinismo). Ele O século XX começou com muitas correntes
ensinava que os dons que os apóstolos possuíam teológicas diferentes nas igrejas e universidades.
— o falar em línguas, curar, profetizar e todos os Como resultado direto do Iluminismo, as acade-
outros dons do Espírito Santo — eram também mias e as denominações evangélicas foram des-
para nós nos dias atuais. vinculadas. Os pastores ocupavam os púlpitos,
Outro grupo não-conformista, conhecido enquanto os professores atuavam nos pódios de
como os Irmãos de Plymouth, reagiu contra a várias universidades e seminários. Esse era um
Igreja da Inglaterra. John Nelson Darby (1800- fenômeno totalmente diferente do das épocas
1882), sacerdote anglicano, uniu-se ao movimen- anteriores da história da Igreja, quando os líderes
to em 1828. Ele ensinava que, em virtude de todos (padres, monges e pastores) eram também os
os crentes serem sacerdotes, não era preciso teólogos. Esse fato abriu a possibilidade de se
que a Igreja mantivesse um clero formado por distinguir entre dogma da Igreja e ensino acadê-
líderes ordenados. Os “darbistas” (como também mico, que achou necessário ajustar a teologia à
eram chamados) repudiavam todas as formas filosofia e às culturas populares da época.
de “religião exterior”, inclusive a submissão a A linha de separação entre o liberalismo e a
credos e denominações. A unidade de todos os ortodoxia conservadora foi estabelecida no prin-
crentes era enfatizada, juntamente com o partir cípio do século XX, com o advento do fundamen-
do pão e a oração. Darby também popularizou a talismo,17 usado originariamente para articular
tradição teológica conhecida atualmente como cinco pontos básicos de doutrina em que o indi-
dispensacionalismo. Tanto os irvinitas como os víduo deveria crer para tornar-se cristão. Logo,
plymouthistas influenciaram profundamente as porém, o termo tornou-se um “xibolete” para as
tradições pentecostais do século XX (v. adiante). igrejas conservadoras e denominações que rejei-
Enquanto a tradição não-conformista crescia tavam o liberalismo e adotavam somente a Bíblia.
na Inglaterra durante o século XIX e logo teria um Devido ao fato do termo fundamentalismo ter-se
importante papel nos Estados Unidos, no século tornado uma designação tão pejorativa, um novo
XX, o idealismo alemão e o método da Alta Crítica vocábulo foi adotado pelos conservadores, que
também causaram efeitos profundos nos Estados continua em uso atualmente: evangélico.
Unidos — particularmente na Nova Inglaterra, Paralelamente ao surgimento do fundamen-
que se tornou o berço do transcendentalismo e do talismo, nasceu e espalhou-se também o Movi-
universalismo unitarista. Harvard, havia muito mento Holiness. John Wesley (1701-1793), pai do
tempo, lançara as raízes puritanas/calvinistas metodismo, estabelecera os fundamentos para a
para o novo romanticismo. Candidatos minis- teologia holiness no século XVIII, quando ensi-
teriais educados nessa universidade eram mais nava que a santidade (em inglês, holiness) é uma
bem sintonizados com a filosofia do que com a experiência subsequente à justificação e necessá-
teologia, e a Nova Inglaterra tornou-se o ponto ria na vida do crente. Para Wesley, a evidência
de partida do que se tornaria principalmente o de tal “santidade” é a perfeição ou santificação
liberalismo protestante, que atingiu seu zênite que seria alcançada pelo cristão antes da morte.
no século XX. Durante o século XX, o Movimento Holiness foi
140 CRISTIANISMO

influenciado pelo metodismo, fundamentalismo, a várias denominações fundamentalistas, dos


premilenismo e dispensacionalismo. Muitas igrejas movimentos holiness e pentecostal; esses são os
pentecostais e o Movimento Holiness cresceram elementos principais do evangelicalismo, que
no século XX; a Assembleia de Deus se destaca cresce assustadoramente e tem uma poderosa
como a maior delas. influência na vida religiosa dos Estados Uni-
O pentecostalismo, como o metodismo, dos. Os evangélicos tentaram cooperar para a
ensina a necessidade de que o novo nascimento formação da Evangelical Alliance, em 1846. Sua
seja seguido pela vida santificada. Para os pen- influência foi efetiva até a virada do século. Em
tecostais, o crente recebe o poder para uma vida 1942 foram organizados a National Association
santa através do “batismo no Espírito Santo, com of Evangelicals (NAE) e o American Council of
a evidência do falar em línguas” (v. glossolalia).18 Christian Churches, ambos com o intuito de unir
Nos anos 1950 nasceu um novo movimento, os evangélicos e tentar fazer oposição ao libera-
chamado carismático. Como o fundamentalismo, lismo. A NAE continua em operação.
esse também era de caráter interdenominacional. As alianças continuam aparecendo entre as
Os carismáticos creem na glossolalia; todavia, várias denominações. A Federação Luterana
enfatizam a rica variedade dos dons espirituais Mundial (formada em 1947), a Igreja Unida de
que o crente deve possuir e utilizar. Cristo (1957), a Igreja Metodista nos Estados
A Alta Crítica alemã causou impacto sobre o Unidos (1939) e a Aliança Mundial de Igrejas
cristianismo americano. Rudolf Bultmann (1884- Reformadas são alguns exemplos.
1976) argumentava que, pelo fato de a Bíblia As principais denominações também bus-
deparar-se com a era pré-científica, precisava caram alianças. O Concílio Mundial de Igrejas
passar por um processo de reinterpretação, a foi formado em 1948 e cresceu a partir de três
fim de ser ouvida no atual mundo científico. Os alianças anteriores: o Concílio Missionário In-
milagres de Jesus Cristo na verdade eram mitos. ternacional, a Conferência Mundial sobre Vida
Bultmann introduziu um programa destinado e Trabalho e a Conferência Mundial sobre Fé e
a “demitologizar” radicalmente a Bíblia, ao Ordem. Em 1948, o Concílio Mundial reuniu-se
interpretar doutrinas como a encarnação e a em Amsterdã e estabeleceu um encontro a cada
ressurreição do ponto de vista existencial. Para seis anos. Essa aliança é composta de muitas
ele, o significado da ressurreição de Cristo não denominações protestantes e igrejas ortodoxas
estava em sua autenticidade histórica, mas em orientais. A Igreja católica romana não fazia
seu valor para ressuscitar a consciência em prol parte dessa aliança e, antes do Concílio Ecumê-
de uma existência autêntica. Paul Tillich (1886- nico Vaticano II (1962-1965), afastava-se do
1965), como Bultmann, tentou fazer um elo diálogo da unificação. Nesse conclave, porém,
entre a fé e a modernismo. Propôs um método os protestantes não foram mais considerados
de correlação onde o conteúdo da revelação é heréticos, e o termo “herege” foi atenuado para
determinado por questões que são levantadas “irmão separado”. Líderes evangélicos foram
por uma cultura específica.19 convidados para participar do ecumenismo e o
As principais denominações produziram diálogo entre protestantes e católicos tem sido
pastores influenciados por Barth, Bultmann, frequente desde o fim da década de 1960.21 Igrejas
Tillich e vários outros teólogos que defendiam conservadoras e fundamentalistas não aceitam
agendas sociais e políticas como principal ênfase. participar do CMI, pois temem comprometer a
Depois dos anos de 1960, quando se deflagrou Bíblia em favor da unidade cristã.
a explosão das seitas, as igrejas liberais experi- Já experimentamos quase dois mil anos de
mentaram um êxodo em massa.20 Muitos mem- história da Igreja. Reinos, impérios e governos
bros envolveram-se com várias seitas descritas levantaram-se e caíram, enquanto ela segue
neste volume. Outros, cansados dos sermões triunfante. A despeito das perseguições, da las-
que enfatizavam questões sociais, uniram-se sidão moral, das heresias internas e externas, a
CRISTO CÓSMICO 141

Igreja de Cristo prevalece, em cumprimento das the Reformation: The Shape of Late Medieval
palavras de Jesus: “As portas do inferno não Thought. Philadelphia: Fortress, 1966.
prevalecerão contra ela” (Mateus 16.18). A Igreja 13
São numerosos os livros sobre a vida e a teologia de
tem experimentado momentos tene­brosos, mas, Lutero. Duas excelentes pesquisas sobre sua vida são:
assim como as trevas da sexta-feira da Paixão Bainton, Roland. Here I Stand: A Life of Luther.
deram passagem ao brilho e ao esplendor do Nashville: Abingdon, 1950; Kittelson, James. Luther
Domingo da Ressurreição — do túmulo vazio — the Reformer: The Story of the Man and His
também a Igreja desfruta de uma história glorio- Career. Minneapolis: Augsburg, 1986. Um excelente
sa com um futuro que será ainda mais radiante, tratado sobre sua teologia é Althaus, Paul. The The-
quando Jesus e a Igreja — ou seja, o Noivo e a ology of Martin Luther, trad. de Robert C. Schultz.
Noiva — estiverem unidos para sempre. Philadelphia: Fortress, 1966.
14
Cf. Ozment, Steven. The Age of Reform 1250-1550.
Notas New Haven and London: Yale Univ. Press, 1980.
1
Cf. Kelley, J. N. D. Early Christian Creeds. Long- 15
Veja Til, Cornelius Van. Christianity and Barthia-
man, 1960. nism. Nutley, NJ: Presbyterian and Reformed, 1977.
2
Um bom resumo dessa época é Chadwich, Henry. 16
Theodore P. Letis proporciona uma obra inovadora
The Early Church. New York: Penguin Books, 1967. sobre a introdução de Warfield da palavra “iner-
3
Um excelente e erudito relato, embora resumido, da rância” e o que ele queria dizer com o termo. Cf. seu
vida de Constantino é Eadie, John (Ed.). The Con- artigo B. B. Warfield: Common Sense Philosophy
version of Constantine. Huntington, NY: Robert E ans Biblical Criticism, American Presbiterians
Krieger Publishing, 1977. 69, Fall 1991.
4
Chadwick, Henry. The Early Church, p. 133. 17
Cf. Packer, J. I. Fundamentalism and the Word
5
Constantino não era ariano; mas, por causa de Eusé- of God. Grand Rapids: Eerdmans, 1977. Para uma
bio, seguidor dessa doutrina, que acusou Atanásio de pesquisa mais crítica, cf. Barr, James. Fundamen-
convocar uma greve nas docas de Alexandria, a fim talism. Philadelphia: Westminster, 1977.
de interromper o suprimento de grãos, foi provocado 18
Existem numerosas e boas pesquisas sobre o
à ira (Chadwick, Henry, op. cit., p. 135). movimento pentecostal/carismático. A obra mais
6
Cf. Apêndice 2. completa em apenas um volume é Burges, Stanley M.;
7
Cf. Brown, Peter. Augustine of Hippo. Berkeley and McGee, Gary B. (Eds.) Dictionary of Pentecostal
Los Angeles: University of California Press, 1967. and Charismatic Movements. Grand Rapids:
8
Uma excelente pesquisa da história do papado é Zondervan, 1988.
Barraclough, Geoffrey. The Medieval Papacy. New 19
Cf. Livingstone, James C. Modern Christian Thou-
York: W. W. Norton and Co., 1968. ght: From the Enlightenment to Vatican II. New
9
Fox, Robin Lane. Pagans and Christians. New York: York: Macmillan, 1971.
Alfred A Knopf, 1987. 20
Cf. Ostling, Richard N. Those Mainline Blues. Time,
10
Cf. Deansley, Margaret. A History of the Medieval May 22, 1989, p. 94-96.
Church. London: Methuen, 1925; repr. 1978. 21
Neuhaus, John Richard. The Catholic Movement.
11
Uma história clássica sobre missões é Latourette, San Francisco: Harper and Row, 1987.
Kenneth Scott. A History of the Expansion of
Christianity, 7 vols. New York: Harper Brothers, CRISTIFICADO (Ordem Sagrada de Mans).
1937-1945. Alguém que, através do treinamento, da disci-
12
Uma excelente pesquisa sobre a Idade Média é Can- plina e direção de um mestre de classe, recebe
tor, Norman F. Medieval History: The Life and a “consciência do Cristo”, que lhe promete um
Death of a Civilization, 2th ed. London and New futuro reino com o Cristo cósmico.
York: Macmillan, 1969. Cf. também Oberman, Heiko.
The Harvest of Late Medieval Theology. Durham, CRISTO CÓSMICO (ocultismo; movimento
NC: The Labyrinth Press, 1983; e Forerunners of Nova Era). Entidade ou ser espiritual que os
142 CRISTOLOGIA

adeptos do movimento acreditam que habitou em CROWLEY, ALEISTER (1875-1947). O mais


Jesus desde o seu batismo até a sua crucificação. famoso ocultista do século XX, por sua profun-
Os seguidores da Nova Era frequentemente falam da influência sobre o satanismo moderno e seus
de Cristo como um ser “divino”, mas se referem ao estudos e práticas da magia.
Cristo Cósmico, e não a Jesus de Nazaré.
CRUZADAS (cristianismo). Uma série de
CRISTOLOGIA (cristianismo). Aspecto da guerras e campanhas militares iniciadas em 1095
dou­­trina cristã que trata da pessoa e obra de d.C. Foram tentativas da Igreja de reconquistar
Cristo, particularmente sobre como a natureza a Terra Santa, dominada por forças islâmicas.
humana e a divina de Jesus se relacionam entre Muitas pessoas participavam, motivadas pelas
si. A Igreja tem enfrentado várias controvérsias promessas de concessão de indulgências e a
cristológicas por meio de sua história (v. Apên- elevação à condição de mártir para todos os que
dice 2 e cristianismo). morressem em batalha. As Cruzadas duraram
aproximadamente duzentos anos (1095-1291),
CRÍTICA CANÔNICA (cristianismo). Método e totalizaram oito campanhas, além da mais
recente de abordagem dos livros da bíblia; exa- trágica de todas, conhecida como a Cruzada das
mina como, depois de sua redação final e seu Crianças.
estabelecimento no cânon, eles foram usados
pelas comunidades cristãs. CRUZ FYLFOT (ocultismo). Cruz em forma
de suástica, utilizada nos círculos do ocultismo.
CRÍTICA DA FORMA (cristianismo). Método Muitas cruzes fylfot são divididas em quatro
da Alta Crítica que consiste no estudo da história partes, com o desenho dos doze signos do zodíaco
bíblica, mediante a análise das formas estruturais e o sol no centro.
originais nas quais um determinado texto (ou
textos) foi escrito. CULTOS AFRO-BRASILEIROS. História.
Não se pode falar em cultos afro-brasileiros, sem
CRÍTICA LITERÁRIA (cristianismo). Estudos deixar de mencionar primeiramente a África
dos métodos literários utilizados pelos autores do e seus filhos trazidos à força para o trabalho
Antigo e do Novo Testamento (v. alta crítica). escravo, substituindo a mão-de-obra indígena.
Essa prática perdurou por quase três séculos.
CRÍTICA NARRATIVA (cristianismo). Forma Os primeiros africanos foram trazidos ao Brasil
mais nova de estudar a Bíblia com ênfase na na primeira metade do século XVI. Dentre os
resposta do leitor a uma passagem ou narrativa vários grupos étnicos que vieram para o Brasil,
em particular. Dessa maneira, o interessado destacaram-se numericamente os bantos e os
desempenha um papel crucial, pois determina sudaneses. Os primeiros são subdivididos em
o significado do texto, de acordo com a reação angolas, cassanges, bengalas, entre outros. São
que tem quando o lê. oriundos de regiões localizadas nos atuais países
Angola, Moçambique e Congo. Foram estes que
CRÍTICA REDACIONAL (cristianismo). Mé- mais influenciaram a cultura brasileira em diver-
todo crítico de estudar os livros da bíblia, a fim sas áreas: língua, música, culinária etc. Foram
de discernir o que os autores bíblicos, como “re- espalhados por quase todo o litoral e pelo inte-
datores” ou editores, fizeram com os materiais rior, sobretudo em Minas e Goiás.1 Os sudaneses
anteriores que tinham à disposição. vieram sobretudo em meados do século XVII
até metade do século XIX. São procedentes da
CROMOTERAPIA (medicina alternativa). Téc- costa ocidental africana, das regiões atualmente
nica que utiliza as cores com fins terapêuticos, conhecidas como Nigéria, Benin (antiga Daomé),
partindo da crença na existência da aura. (AM) Togo, Gana, Costa do Marfim, Libéria, São Tomé
CULTOS AFRO-BRASILEIROS 143

e Príncipe e arquipélago do Cabo Verde.2 São os afro-brasileiro.4 Todavia, não se pode falar em
iorubás (ou nagôs), subdividos em queto, ijexá, desaparecimento do culto africano, pois alguns
egbá etc., e os jejes (ou fon), entre outros. Havia elementos essenciais não foram perdidos; houve,
também grupos islâmicos, como os peuls, man- sim, uma transformação gradual de crenças,
dingas e haussás (que desapareceram). Foram le- no que diz respeito aos aspectos secundários
vados principalmente para Bahia e Pernambuco. da fé.5 Tudo isso explica a grande variedade de
Na África há uma grande diversidade e nú- formas e ritos dos cultos afro-brasileiros. Não
mero de crenças que advogam conceitos como há, portanto, nomenclatura, práticas e costu-
o politeísmo, animismo, fetichismo, totemismo etc. mes cultuais padronizados desses cultos. Seu
Toda essa diversidade torna-se mais complexa à sistema de crenças também varia de grupo para
medida que cada povo ou tribo defende seus con- grupo. Não raro, isso causa confusão na mente
ceitos particulares sobre a divindade, o homem e de quem desconhece todo esse processo. Por
seu destino. Cada etnia, cada grupo social, com isso, é comum chamar de macumba ou até mes-
sua própria língua, possuía seu próprio panteão mo de espiritismo a toda forma de religiosidade
de deuses, suas próprias crenças (embora seja afro-brasileira. Há quem pense que candomblé e
possível encontrar pontos em comum entre os umbanda sejam uma coisa só.
vários grupos). Assim, quando o inescrupuloso O Brasil não dispõe de estatísticas precisas
mercado de escravos invadiu a África e trouxe acerca do número total de seguidores das religi-
à força seus habitantes para cá, era de esperar ões afro-brasileiras. Os dados são conflitantes.
que estes carregassem consigo toda essa herança O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
africana acerca da divindade e do homem, que (IBGE) forneceu em 1991 apenas o número
fazia parte de sua formação humana e cultural. do candomblé e da umbanda, que girava em
Contudo, na condição de escravos, perderam torno de 700 mil (a umbanda é o maior grupo).
também a liberdade de cultuar publicamente Três anos antes, em 1988, o Instituto Gallup de
seus deuses. Mas, apesar disso, os africanos Opinião Pública havia fornecido o número de
tentaram manter a continuidade da religiosidade aproximadamente 2,2 milhões. Já a Federação
de cada etnia. Contudo, perderam muito de sua Nacional da Tradição e Cultura Afro-Brasileira
hegemonia étnica. Para alguns estudiosos da (Fenatrab) apresentou, em 1995, o número de 70
religião, “é praticamente impossível reconstituir, milhões de adeptos, diretos ou indiretos.6
hoje, o que teriam sido, originalmente, as tradi- A discrepância talvez se resolva porque os
ções religiosas desses grupos étnicos”.3 Várias dados oficiais fornecidos pelo IBGE indicariam
razões poderiam explicar essa dificuldade. Por o número de candomblecistas e umbandistas que
exemplo, onde os africanos chegavam, adap- são comprometidos diretamente com a religião
tavam seus rituais e crenças a fim de poderem (membros fixos); os “milhões” da Fenatrab po-
expressar sua religiosidade sem impedimentos. dem ser explicados pelo fato de que esses cultos
O sincretismo religioso era, portanto, inevitável dão atendimento ao público em geral (mesmo
e ao mesmo tempo corrompedor para a cultura adeptos de outras religiões que vão em busca
africana. O sincretismo dava-se entre os vários de favores e conselhos). Seja como for, essa alta
grupos étnicos, pois, ao chegarem ao Brasil, as rotatividade em seus terreiros, contudo, não é
várias etnias subjugadas foram misturadas a fim indício de quão numerosos são os cultos afro-
de não se formarem alianças contra a política brasileiros, mas revelam sua forte e marcante
escravagista. Além disso, houve a mescla com influência em todo o território nacional. Mas es-
a religiosidade indígena e a cristã, representa- ses cultos não têm limitado sua atuação somente
da pelo catolicismo romano, a religião oficial no Brasil. Segundo certo jornal, o Brasil exporta
naquela época. Com o tempo, já não havia mais esses grupos para o Mercosul.7 Outros foram
“culto africano”, em sua forma primitiva, mas mais longe. O pai-de-santo Zezinho de Ossãe foi o
o que se denominou genericamente de culto primeiro a inaugurar um terreiro de candomblé
144 CULTOS DA AMÉRICA DO SUL, DA AMÉRICA CENTRAL E DO CARIBE

nos Estados Unidos, e popularizou-se também 3


Schwarcz, Lilia Moritz; Souza Reis, Letícia Vidor de.
por ter iniciado o cantor jamaicano Jimmy Cliff.8 Op. cit., p. 198.
Ensinos. O caráter heterogêneo dos cultos 4
Em 1983, surgiu um movimento contra o sincretis-
afro-brasileiros impossibilita estabelecer um mo nas religiões afro-brasileiras, influenciado pela
sistema doutrinário único. Seus seguidores II Conferência Mundial da Tradição dos Orixás e
seguem antigas tradições orais transmitidas Cultura, realizada em Salvador, BA.
pelos africanos escravizados e trazidos para cá. 5
Em sua extensa pesquisa sobre a cultura africana,
Tais ensinamentos são passados pelos pais e pierre verger coletou aproximadamente 1500
mães-de-santo em seus respectivos terreiros, orikis (alusões, louvações, epítetos e atribuições
onde possuem total autonomia. Alguns desses dos orixás) entre os diversos seguidores do culto
ensinamentos são acessíveis a poucos, apenas a aos orixás e vodus na Nigéria e em Benin (antigo
um grupo de iniciados na religião. Nem sempre Daomé). Muitos desses orikis foram preservados,
há concordância entre seus mestres, pois, como sobretudo na Bahia e em Pernambuco.
foi dito, as crenças variam muito de grupo para 6
Campolin, Silvia. Candomblé. Superinteressante,
grupo. É claro que há certas semelhanças devidas jan. 1995, p. 19.
à origem comum de todas elas, como a crença 7
Folha de S. Paulo, 24 out. 1997. Brasil 1.
num Ser Supremo, caracterizado de diversas for- 8
Rivieri, Dagmar; Garroux, Saulo. Planeta. 2. ed.,
mas; no candomblé, por exemplo, ele é chamado nov. 1996. São Paulo: Editora Três, p. 41.
de Olórum, e na umbanda, de Zambi. Acredita-se
na vida após a morte, mas há sérias divergências CULTOS DA AMÉRICA DO SUL, DA AMÉ-
quanto ao que isso realmente significa. Alguns, RICA CENTRAL E DO CARIBE. Organizados
por outro lado, preocupam-se mais com o pre- em ordem alfabética neste volume, estão alguns
sente. Comum também é a crença num mundo dos mais proeminentes cultos da América Lati-
espiritual, habitado por diversos seres ou forças na, principalmente no Brasil, América Central e
(orixás, vodus etc.), que atuam como interme- Caribe, inclusive Cuba, Jamaica e Haiti. Existem
diários entre o Ser Supremo e os mortais. Con- muitos fatores que diferenciam esses grupos
tudo, há pontos de vista distintos quanto à sua uns dos outros, mas há também componentes
origem, seu campo de atuação etc. Por exemplo, básicos que os tornam muito similares.
no candomblé, diferente dos demais cultos afro- Um elemento básico em praticamente todos
brasileiros, não se incorpora “eguns” (espíritos os cultos significativos nessas regiões é a influ-
de antepassados falecidos, principalmente os que ência da religião da África Ocidental. Durante os
são pertubadores, obsessores) nem “exus”, em- dias do tráfico de escravos, milhares de nativos
bora possam ser cultuados. Portanto, cada grupo das tribos banto e iorubá foram transportados
tem suas peculiaridades. Assim, para conhecer os para as Índias Ocidentais e o Brasil, a fim de
ensinos desses cultos, convém analisar um grupo trabalharem nas plantações e fazendas. Esses
de cada vez. Procure neste dicionário os seguintes nativos levavam junto suas culturas e religi-
verbetes: candomblé, macumba e umbanda. Esses ões. Quando se mesclaram com os habitantes
verbetes principais remeterão o leitor para outros do novo mundo, sincretizaram suas práticas
verbetes afins. (AM) religiosas com as indígenas de várias partes do
novo continente.
Notas A maioria dos cultos dessas regiões ensina
1
Schwarcz, Lilia Moritz; Souza Reis, Letícia Vidor de. que existe um ser superior ou supremo. Isso
Negras imagens. São Paulo: Editora da Universi- não significa necessariamente que tais seitas
dade de São Paulo: Estação Ciência, 1996, p. 197. sejam monoteístas. Um problema que surgiu e
2
Berkenbrock, Volney J. A experiência dos orixás: ainda existe, da perspectiva dos missionários
um estudo sobre a experiência religiosa no cristãos, é o sincretismo do monoteísmo religio-
candomblé. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997, p. 78. so com as diversas divindades inferiores que
CULTURA RACIONAL 145

tais cultos adotam. Esses deuses aparecem na Quando se considera todos esses fatores, não
forma de espíritos ancestrais que controlam o é de surpreender que o cristianismo, a despeito de
cosmos. Os cultos também seguem o princípio sua afirmação básica de ser a religião verdadeira,
do animismo. ainda não teve o impacto que os missionários
Uma multidão de deuses é compartilhada esperavam. Existem relatórios de conversões
pelos vários cultos. As divindades iorubás: exu, ao cristianismo; mas geralmente este não é o
ifá, elegbá e xangô são apenas alguns exemplos; caso. Um dos problemas reside nos próprios
e, embora os nomes variem, muitos rituais e prá- missionários. Em vez de propagar um evangelho
ticas são comuns a todos os cultos. Por exemplo, transcultural, frequentemente estão mais inte-
os sacerdotes nos cultos iorubá, no Brasil, são ressados em espalhar um estilo de vida, cultura
chamados de babalaô. No Haiti, de paploi. Mesmo e linguagem europeus ou norte-americanos.
assim, suas tarefas são bem similares. Embora muitos países do Caribe, América
Finalmente, outro fenômeno comum a todos Central e América do Sul sejam identificados
os cultos da América do Sul é a crença de que como católicos, a realidade é que, como já foi
os devotos também são possuídos pelos orixás. destacado, existem centenas de seitas obscuras e
Alguns grupos acreditam que um indivíduo cultos florescentes nessas regiões. Nosso propó-
é incorporado por um único espírito. Outros sito aqui é fazer algumas observações gerais dos
afirmam que qualquer número de entidades princípios comuns a todos esses grupos. Alguns
pode habitar no corpo de um devoto disposto dos mais influentes e significativos, tratados
a recebê-los. neste volume, incluem abakua, convince, myal,
vodu , candomblé , cabildo , santeria , umbamda ,
quimbanda etc.

CULTURA RACIONAL (umbanda; espiritis-


mo; sincretismo). Fundada por Manoel Jacintho
Coelho (1903-1991), no Estado do Rio de Janeiro,
em 1935, na Tenda Espírito Francisco de Assis.
A CR é grupo religioso (embora negue isso) que
pretende solucionar para a humanidade, de
forma definitiva, as seguintes questões: de onde
viemos, para onde vamos, como viemos, como
vamos e quem somos. As respostas estão dadas
em 21 volumes da obra Universo em desencanto,
tida como autoria de um ser chamado Racional
Superior, habitante do Mundo Racional, que a
canalizou por intermédio de Jacintho Coelho. A
obra gira em torno das seguintes ideias: 1) Há
dois tipos de mundos. O primeiro é formado
pelo fluído elétrico e o magnético, também co-
nhecido como antimundo ou mundo inferior, e
o segundo é a Planície Racional, habitado pelo
Racional Superior e outros habitantes do Astral
Superior, também conhecido como Supermundo
ou Mundo Superior. 2) A humanidade é pree-
xistente, isto é, vivia na Planície Racional, mas
Parafernália utilizada na magia cerimonial nos Cultos afro- deformou-a; por isso foi rebaixada à categoria
caribenhos. Cortesia de Jim Dibble de animal racional, passando a habitar o mundo
146 CÚSPIDE

elétrico e o magnético. 3) O objetivo é retornar profeta, escondera placas de ouro contendo o


ao Mundo Racional. relato dos povos nefita e jaredita (v. o livro de
Em síntese, o objetivo da CR é ligar o ser mórmon). Neste mesmo monte, joseph smith re-
humano ao que considera ser o seu mundo de cebeu de Morôni as placas de ouro e as traduziu
origem, o Mundo Racional. Isso será possível para o inglês. (AM)
pelo desenvolvimento racional, que só poderá
ser obtido exclusivamente pela leitura e releitu- CURANDEIRO (vodu; ocultismo). O principal
ra dos 21 volumes de Universo em desencanto. praticante de magia nas tribos primitivas. No
Acredita-se que a leitura do livro trará perfeito vodu, o curandeiro afasta os espíritos maus por
equilíbrio físico, moral e financeiro. O ápice será meio de feitiços e encantamentos. Ele também
a “vidência racional”, por meio da qual o leitor lança feitiços ou invoca maldição sobre um
poderá manter contato com os habitantes do indivíduo.
Mundo Racional. (AM)
CÚSPIDE (ocultismo; astrologia). Linha imagi-
CUMORA (mormonismo). Colina no oeste do nária que serve para distinguir os vários signos
Estado de Nova York onde morôni, um antigo do zodíaco.
D
DAEMON (ocultismo; satanismo). Ser demo- DANSE DE REJUISSANCE (vodu). Dança de
níaco maligno. Esse termo também se associa à celebração realizada no fim de um ritual vodu.
inteligência de um gênio, porque, ontologicamen-
te, no pensamento gnóstico, os daemons eram DAOMÉ (cultos afro-brasileiros). Povo originário
seres intermediários — mais elevados do que da África Ocidental, conhecida atualmente como
a humanidade, mas um tanto inferiores a Deus. Benin. O Daomé tornou-se um reino poderoso
Veja também gnosticismo. no início do século XIX. Escravos foram vendidos
para os europeus, frequentemente em troca de ar-
DAFNOMANCIA (ocultismo). adivinhação feita mas e alimentos. Eles foram levados para as Índias
através dos ramos de louro. Um galho do loureiro Ocidentais e América do Sul, onde foram usados
é jogado no fogo. Se ele estala e forma grandes para trabalhar nas plantações e nas fazendas.
labaredas, o sinal é favorável. Se não faz barulho,
mas apenas queima silenciosamente, o futuro é DASS, BABA RAM (1931-). Veja richard alpert.
obscuro.
DASYA (hinduísmo). O estado de completa disci-
DAGOBA (budismo). Local sagrado budista, plina e devoção a Deus.
ou nicho, onde as várias relíquias de buda são
preservadas. As dagobas estão espalhadas por DAVIS, ANDREW JACKSON (1826-1910). Sa-
todas as terras budistas. pateiro de Nova York que alegava ter a habilidade
de comunicar-se com o mundo espiritual, como
DAIMOKU (budismo; Nichiren Shoshu; Soka médium.
Gakkai). As palavras cantadas e repetidas di-
versas vezes namu-myoho-rengue-kyo, que quer DEASIL (ocultismo; bruxaria). Movimento oposto
dizer “Glória ao sutra do lótus”. Os adoradores ao widdershins. Ritual no qual as bruxas se movem
recitam esse mantra diante do altar no qual se dentro de um círculo no sentido horário, a fim de
senta o butsudan. O daimoku é o segundo grande produzir um efeito negativo.
princípio do nichiren shoshu (v. gohonzon e kaidan).
DEBILIDADE (ocultismo; astrologia). Conceito
DAISEKIJI (budismo; Nichiren Shoshu; Soka astrológico no qual a posição de um planeta no
Gakkai). Nome do templo original e também horóscopo afeta negativamente a vida e suas con-
principal do budismo nichiren shoshu, localizado no dições existenciais (v. astrologia).
sopé do monte Fuji, no Japão. O Daisekiji contém
o butsudan, que, por sua vez, possui o gohonzon DEGGIAL (islamismo).Anticristo, ou o que um dia
sagrado. subirá ao poder com um exército de 70 mil judeus,
para declarar guerra contra as nações islâmicas.
DAISHONIN, NICHIREN (1222-1282). Alega-
se que foi o único a entender a natureza do budismo DEIFICAÇÃO (cristianismo). Também chama­
e o fundador do nichiren shoshu. da de theósis, é doutrina da Igreja ortodoxa orien­
tal, segundo a qual a humanidade é deificada, no
DAKINI (ocultismo; bruxaria). Termo tibetano sentido de compartilhar e participar da glória
para bruxa ou ser demoníaco. divina e da eternidade de Deus. A humanidade
148 DEMÔNIO

torna-se “pela graça o que Deus é por natureza”. o despertar de um estado de indiferença para
Atanásio resumiu a doutrina da deificação dizen- uma experiência mística de unidade com Deus.
do:“Deus se tornou homem, para que nós sejamos
feitos como Deus é” (Sobre a encarnação, 54). Não DESASSOCIAÇÃO (Testemunhas de Jeová). Ato
é apropriado, entretanto, interpretar tais ideias da no pelo qual um testemunha de Jeová é excluído
mesma maneira que fazem algumas seitas moder- do grupo por alguma falta doutrinária ou moral,
nas, o hinduísmo, o mormonismo e adeptos da nova e que se recusa a se arrepender. Os demais mem-
era. Para esses grupos, a humanidade é deificada bros não podem falar com o desassociado, nem
por possuir a divindade latente em si mesma. lhe dirigir um simples “oi”. (AM)

DEMÔNIO (ocultismo; satanismo). Espírito DESASSOCIADO. Veja desassociação.


maligno ou, como muitas vezes é traduzido, um
diabo. Em alguns círculos, os demônios são consi- DESENCARNAÇÃO (kardecismo). A morte, a
derados benfeitores, pois guiam os humanos nas separação do espírito e do corpo. (AM)
decisões que precisam tomar. Na tradição cristã,
são considerados agentes de satanás. DESMATERIALIZAÇÃO (ocultismo; parapsi-
cologia). É o desaparecimento literal de objetos
DEMÔNIOS (kardecismo). Espíritos que se en- materiais. Casos são relatados como aconteci-
contram num grau de progresso inferior, sendo, mentos sobrenaturais durante as sessões, nas
portanto, impuros e imperfeitos. (AM) quais partes do corpo humano, principalmente
do médium, sumiram por breve período, junto
DEMONOLOGIA (ocultismo; satanismo). Dis- com vários outros objetos que estavam por perto.
ciplina bíblica que estuda os demônios, a possessão
demoníaca e os vários ritos que acompanham DESPACHO. Veja ebó.
esses assuntos.
DESPERTAI! (Testemunhas de Jeová). Revista
DEMONSTRAÇÃO (Ciência Religiosa). O al- quinzenal (em português e mais 82 línguas) com
cance da cura do corpo, da mente, ou de ambos, a tiragem média de quase 37 milhões de exem-
através poder do pensamento positivo. plares. Essa revista trata de temas atuais, com
linguagem simples e direta. Não se trata de uma
DERMATOGRAFIA (ocultismo). Estudo das publicação exclusivamente de caráter teológico,
partes internas da pele. Os defensores da qui- como é o caso da revista A Sentinela. (AM)
romancia frequentemente apelam para a ciência
dermatografia, a fim de dar substância às suas DESPROGRAMAÇÃO. Método utilizado por
práticas nada científicas. psicólogos e outras pessoas treinadas, para desen-
corajar e/ou dissolver o relacionamento que um
DERMOGRAFIA (ocultismo). A súbita apari- indivíduo tem com um grupo ou seita. Consiste
ção de escritos na superfície da pele. Os médiuns na tentativa de criar uma dissonância cognitiva
alegam que usam a dermografia como meio de no devoto. Vários métodos são usados e muitas
comunicação. vezes dependem do critério do desprogramador.
Geralmente, é usada uma abordagem baseada
DERVIXES (islamismo; sufismo). Indivíduos em perguntas/respostas. O objetivo final na des-
que praticam uma dança ritual especial, que programação é capacitar o paciente a alcançar
inclui o movimento corporal do rodopiar várias a “repersonalização”, ou seja, ser levado a uma
vezes seguidas por uma hora ou mais, mediante posição na qual seja capaz de fazer julgamentos
a recitação do nome Alá em oração. Isso leva a racionais. A desprogramação muitas vezes é usa-
um transe inconsciente e extático, que simboliza da como último recurso, utilizada sobretudo em
DIABO 149

adeptos de seitas que mostram comportamento DHARANA (hinduísmo). A concentração da


psicótico, bizarro ou suicida. mente em um único pensamento.

DEUS COM CHIFRES (bruxaria). Sexualidade DHARANA IOGA (hinduísmo). Aspectos da


masculina na bruxaria. O nome do deus que ioga relacionados à dharana.
possui chifres geralmente é designado como pã,
a divindade grega da natureza e dos pastores de DHARMA (hinduísmo). As leis naturais in-
ovelha. Entre alguns satanistas, ele é uma espécie corporadas na alma, as quais funcionam como
de baphomet. diretrizes para o comportamento ético.

DEUSA-MÃE (mormonismo). “Mãe no céu”; DHARSANA (hinduísmo). Pertencente às seis


ideia de que todas as pessoas nasceram espiri- escolas do pensamento e da religião hindu.
tualmente da esposa de Deus. Todos são gerados
pela Eterna Deusa-Mãe. DHIMMI (islamismo). Povos conquistados no
período da expansão muçulmana. Quer fossem
DEV (ocultismo). Nome de satanás na língua cristãos quer judeus, tinham permissão para
persa. praticar suas respectivas religiões; entretanto,
pesadas taxas eram colocadas sobre eles. A des-
DEV, GURU (m. 1953). Também conhecido peito do fato dos dhimmis serem tolerados, eram e
como Swami Brahmananda Saraswati, Jagad- ainda são considerados inferiores aos verdadeiros
gury, Bhagovan Shankaracharya. O guru Dev foi adoradores de Alá.
o professor de iogue maharishi mahesh, fundador
da meditação transcendental. Acredita-se que, de- DIABLITO (Abakua; ocultismo). O espírito invo-
pois de sua morte, ele transmitiu a Maharashi os cado pelos membros da abakua. Ele é o centro de
conhecimentos que se tornaram os fundamentos toda a adoração; tudo gira em torno da invocação
da Meditação Transcendental. dos diablitos. Veja também ireme.

DEVACHAN (teosofia). Estágio de transição DIABO (ocultismo). Termo derivado do grego


nas emanações graduais da alma em direção à diabolos, traduzido como “acusador” ou “calu-
esfera espiritual. niador”. Na bíblia, o diabo é a personificação do
mal e inimigo de Deus. Seu nome é lúcifer (“filho
DEVI (hinduísmo). Título apropriado de uma da manhã”) ou satanás. A Bíblia descreve-o como
deusa. (Veja também kundalini). o “tentador” (Mateus 4.3), o grande “mentiroso”
(João 8.44) ou “o deus deste século” (2Coríntios
DEVOTO. Adepto de qualquer religião. (AM) 4.4). No satanismo, o diabo é o mestre absoluto do
reino do mal. É objeto de adoração, a quem são
DEZ GURUS (siquismo). Dez homens que vi- oferecidos os sacrifícios. Ele é a personificação
veram aproximadamente entre 1500 a 1700 d.C., do mal, a quem é jurada lealdade e o serviço é
considerados os fundadores do siquismo. prestado. Na bruxaria, especialmente na magia ne-
gra, o diabo é o princípio do mal. Alguns bruxos,
DHAMMAPADA (budismo). O livro mais popu- tanto do passado como atuais, fazem pactos com
lar e mais lido da literatura budista. Seu estilo lite- o diabo e consideram-se seus servos, dedicados
rário é no sistema de versos e contém 26 capítulos, a realizar seus propósitos malignos. As bruxas
num total de 423 estrofes. O Dhammapada é uma recém-iniciadas são consagradas ao diabo du-
antologia dos mais preciosos ensinamentos de rante um sabá. No cristianismo, ele tem permissão
gautama. Contém alusões às quatro nobres verdades, para reinar até o Juízo Final (Apocalipse 20.7s),
os oito nobres caminhos e outros grandes escritos. quando então será lançado no lago de fogo.
150 DIÁCONO

DIÁCONO (mormonismo). O diácono, de acordo queria dizer que Deus determinou certas épocas
com o mormonismo, é o assistente dos profes- ou “dispensações” para atividades específicas, que
sores nas congregações. Os mórmons também podem ser diferentes das ocorridas antes e depois;
seguem a descrição bíblica da função diaconal ao todo, a história pode ser dividida em sete épo-
(Filipenses 1.1; 1Timóteo 3.8-13). cas ou dispensações: 1) a da inocência, anterior à
Queda; 2) a da consciência, anterior ao Dilúvio;
DIANÉTICA (cientologia). Título de um livro 3) a do governo civil, que culmina com o colapso
e também o nome de um método criado por moral e a destruição de Sodoma e Gomorra; 4) a
l. ron hubbard empregado na cientologia para patriarcal, que termina na destruição dos egípcios
descobrir o passado de uma pessoa. A dianética no mar Vermelho; 5) a da Lei, desde a aliança
descreve quatro estágios ou “dinâmicas” da vida: mosaica até a morte de Cristo; 6) a da graça, desde
1) a ânsia pela individualidade; 2) pela sobrevi- a ressurreição de Jesus até os nossos dias; 7) a do
vência sexual e dentro da unidade familiar; 3) milênio, que virá após a grande tribulação.
pela sobrevivência em grupo fora da família; 4) O dispensacionalismo foi popularizado no
pela sobrevivência universal como raça humana. século XIX e adotado por muitas denominações
fundamentalistas e pentecostais. Em alguns grupos,
DIÁSPORA (judaísmo). Termo usado para des- há um esquema bem elaborado, concernente a fu-
crever todos os judeus que vivem fora de Israel turos eventos. Seus principais proponentes foram
da época do exílio babilônico até os nossos dias. John N. Darby e Cyrus I. Scofield. Seu aspecto mais
popular é a visão escatológica pré-milenismo,
DIGNIDADE (ocultismo; astrologia). Conceito as- que começa com a segunda volta visível de Jesus
trológico em que a posição de um planeta influen- Cristo, trazendo o fim da grande tribulação, e
cia o horóscopo de forma positiva (v. debilidade). introduzindo o reino de Cristo de mil anos de paz.

DINÂMICAS DA MENTE (Fonte da Vida; Fo- DISSOCIAÇÃO (Testemunhas de Jeová). Ato


rum/EST). Organização extinta, que ensinava que pelo qual um membro testemunhas de jeová se
a mente é a fonte das possibilidades infinitas. Ao separa e/ou abandona a organização, repudiando
recorrer a esses poderes latentes, o indivíduo ex- a crença anterior. Tal indivíduo é tratado pelos
perimenta plenamente a transformação pessoal, membros fiéis à sociedade da mesma maneira que
a saúde e a riqueza. O movimento Dinâmicas da se faz com a pessoa que foi desassociada.
Mente foi extinto em 1975, mas muitos de seus
membros, inclusive john hanley e werner erhard, DISTRITO (Testemunhas de Jeová). Cada país
fundadores da fonte da vida e do forum (antigo é dividido em distritos (áreas geograficamente
EST) respectivamente, mantiveram seus princí- grandes). Por sua vez, cada distrito é subdividido
pios em suas próprias organizações. em circuitos (áreas menores).

DIRETOR GERAL (Ordem Sagrada de Mans). DIXON, JEAN (1904-1997). Parapsicólogo


O líder mais elevado da organização de Mans. O americano que usava bola de cristal, astrologia e
padre earl paul blighton serviu como o primeiro numerologia como métodos de adivinhação.
diretor geral.
DÍZIMO (mormonismo). Espera-se que os
DISPENSACIONALISMO (cristianismo). Uma mórmons deem o dízimo. Não é algo opcional.
dispensação é definida na Bíblia de referência de “[...] Na verdade este é um dia de sacrifício, e um
Scofield como “um período de tempo durante o dia para o dízimo do Meu povo; pois aquele que
qual o homem é testado com relação à obediência paga o seu dízimo não será queimado na ocasião
a alguma revelação específica da vontade de Deus”. da Sua vinda” (doutrina e convênios: 64:23, veja
Por esse termo, Cyrus I. Scofield (1843-1921) também 119:120).
DOUTRINA E CONVÊNIOS 151

DJIM (islamismo). Classe de seres superiores nosso Pai Adão entrou ao jardim do Éden, ele veio
que antecederam Adão e Eva. De acordo com o com um corpo celestial, e trouxe Eva, uma de suas
alcorão, tais criaturas estavam num estado de esposas, consigo. Ele ajudou a criar e a organizar
existência entre os anjos e os seres humanos e este mundo. Ele é Miguel, o Arcanjo, o Ancião
foram até mesmo empregados por Salomão na de Dias, a respeito de quem homens santos têm
construção de seu magnífico templo. É também escrito e falado — ele é nosso Pai e nosso Deus,
o nome de um espírito demoníaco que, segundo o único Deus a quem temos que prestar contas”.
as tribos beduínas nômades, tem a habilidade de (Journal of Discourses 1:50).
assumir formas variadas. Os mórmons têm um grande grau de di-
ficuldade em lidar com essa doutrina, a qual
DOCETISMO. Termo derivado do grego dokeo, certamente implica que Adão e Deus Pai são
“pensar” ou “parecer”. O docetismo foi uma antiga idênticos. Ainda mais por ela afetar a doutrina da
heresia cristológica, que ensinava que Cristo não encarnação de Jesus. Antigamente a igreja mór-
era homem, pois jamais assumiu a forma humana. mon ensinava que ele não havia sido concebido
Jesus simplesmente “parecia” ser o que não era. pelo Espírito Santo, mas por Adão. Dessa maneira,
Sua aparência na carne era um “fantasma”. Ten- Maria teria se relacionado sexualmente com o seu
dências docetistas ocasionalmente se levantaram próprio pai, implicando ser Jesus filho de uma
dentro da Igreja através dos séculos. Sua base é a relação incestuosa. Todavia, na atualidade, essa
noção grega do dualismo.Veja também gnosticismo. doutrina é negada pelos mórmons. joseph fielding
smith, sobrinho de joseph smith, tentou contornar a
DOGUEN (1225). Fundador do Soto, uma seita confusão e o “mal-entendido”, ao insistir em que
com raízes no zen. Seus ensinos propagaram-se brigham young somente queria dizer que Adão,
durante a Idade Média. em seu espírito preexistente era conhecido como
Miguel, o qual se tornou o pai de todos os corpos
DONATISMO (cristianismo). Os donatistas eram físicos (de carne). Somente dentro desse contexto
um grupo cismático no norte da África no início é que Young declarara que Adão seria “o único
do século IV, que se separou da Igreja Católica. Eles Deus a quem temos de prestar contas”.
se recusaram a aceitar Cecílio como bispo legítimo Entretanto, os mórmons têm tido muita
de Cartago, por ter ele sido consagrado por Félix de dificuldade, desde o enunciado da doutrina do
Aptunga, considerado um traditur durante a perse- Adão-Deus. Brigham Young declarou que havia
guição ordenada pelo imperador Diocleciano. Um incredulidade na mente dos Santos dos Últimos
traditur [traidor] era alguém que abandonara a fé Dias, apesar de Deus ter revelado que Adão era
ou entregara cópias das Escrituras às autoridades “nosso Pai e nosso Deus” (Present News, 18 de
durante as perseguições, geralmente sob a ameaça junho de 1873, p. 308).
de morte. Rigorosos, os donatistas criam que a
Igreja era composta somente pelos santos que DOUTRINA E CONVÊNIOS (mormonismo).
permaneceram fiéis até o fim. Para eles, os sacra- Um dos textos sagrados dos mórmons, publicado
mentos ministrados pelos traidores eram inválidos. pela primeira vez em 1835. Em 1870 foi editado
Agostinho opôs-se ao donatismo, ao ensinar que em sua forma atual, com 138 seções, cada uma
a validade dos sacramentos não era baseada delas divididas em vários versos. Todas elas
na dignidade ou santidade do ministro, mas na contêm revelações dadas a joseph smith, exceto
dignidade de Cristo, o verdadeiro Ministrador. a 136, concedida a brigham young. Os escritos
abordam vários temas de teologia sistemática,
DOUTRINA DO ADÃO-DEUS (mormonismo). como a doutrina de Deus, a igreja, a humanida-
Esse ensino da igreja mórmon foi articulado de, a doutrina da salvação etc. Juntamente com
primeiramente por Brigham Young, nas seguin- o livro de mórmon, a pérola de grande valor, a
tes passagens citadas com frequência: “Quando bíblia e as constantes revelações diretas, o livro
152 DRESSER, HORATIO

doutrina e convênios permanece como uma das abraçam o dualismo em uma ou outra forma. O
obras-padrão, que ditam as normas fé e a prática cristianismo rejeita tal ideia como herética, pois o
da igreja mórmon. corpo e toda a criação material são vistos como
maus, enquanto o espírito é bom. O cristianismo
DRESSER, HORATIO (1866-1954). Filho de crê que toda a criação de Deus seja boa, justa-
Julius Dresser e ex-líder do novo pensamento. mente por ter sido criada por ele (Gênesis 1.1s).
O Novo Testamento declara que o pecado é “mau”
DRESSER, JULIUS (1838-1893). Antigo líder (Romanos 7.17), não o corpo ou a carne.
do novo pensamento.
DUENDE (ocultismo). Criatura mitológica que,
DRUIDA. Na língua celta, esse termo significava supostamente, cometeria travessuras dentro das
“encontrar ou conhecer o carvalho”. Os druidas casas. Hoje, é uma figura muito explorada comer-
formavam a casta dos sacerdotes cultos entre cialmente pelos grupos da nova era.
os antigos celtas na Inglaterra e Gália (França)
pré-cristãs. Júlio César, a principal fonte de infor- DUNGEONS & DRAGONS (ocultismo). Esse
mações sobre eles, relatou que pertencia a uma jogo, cuja tradução é Calabouços e Dragões, é
das duas classes mais respeitadas na sociedade. um RPG (Role Playing Game), implica no envol-
A outra era a dos nobres. vimento dos participantes. O jogador adota um
Os druidas realizavam rituais de sacrifícios de uma série de pseudônimos de personagens
nas florestas e adoravam o Sol. Também eram — ladrão, monstro, demônio, bruxa, guerreiro
considerados os líderes intelectuais na comuni- etc. O mestre desenha mapas, determina tarefas,
dade celta, pois estudavam astronomia, medicina posições e tesouros que devem ser encontrados.
e filosofia. As personagens são copiados da mitologia e do
Suas crenças religiosas incluem a imortalida- ocultismo. Por ser um jogo complexo e envolvente,
de da alma e a reencarnação. O carvalho, do qual se e toma muito tempo. Alguns psicólogos acre-
deriva o nome dos druidas, era considerado uma ditam que os RPG têm o potencial de distorcer
árvore sagrada, juntamente com o visco. a habilidade do indivíduo de distinguir entre a
Com a conquista da Inglaterra e da França pe- fantasia e a realidade. Advertências quanto aos
los exércitos de César, no século I depois de Cristo, danos atribuídos a esse tipo de jogo, e até mes-
a religião celta desapareceu. A casta sacerdotal mo casos de morte, apareceram nos jornais dos
perdeu suas funções religiosas, mas manteve a Estados Unidos.
posição de líderes e eruditos.

DUALISMO. Termo usado para descrever a


bifurcação neoplatônica e gnóstica (v. gnosticis-
mo) entre o espírito e a matéria. Em vez de ver o
corpo, ou a carne e o espírito, ou a alma como um
conjunto harmonioso, os dualistas veem a carne
e o espírito em guerra um contra o outro. Além
disso, a carne é vista como má, pois atrapalha o
desenvolvimento da alma. Os maniqueístas eram
distintamente reconhecidos como dualistas. As
tradições ascéticas dentro da Igreja eram influen- Materiais do jogo Dungeons & Dragons, incluindo a revista oficial
ciadas pelas tendências dualistas e gnósticas. Dragon. A sede mundial do RPG é em Lake Geneva, Wisconsin.
Muitas seitas e movimentos religiosos atuais Cortesia de Jack M. Roper/CARIS
E
EBIONITAS (judaísmo). Derivado da palavra data de nascimento, que está entre 1908 e 1922.
hebraica para “pobre”, o termo foi aplicado pela Há uma versão apócrifa da vida de Twitchell
primeira vez a todos os crentes, e logo depois a numa monografia intitulada In My Soul I Am Free
um grupo específico de judeus cristãos. No se- [Sou livre na minha alma] (s.d.), escrita por Brad
gundo caso, o termo descreve um grupo judaico Steiger. De acordo com esse autor (amigo pessoal
extremista do século II que praticava um ascetis- de Twitchell), ele foi criado por uma madrasta,
mo rigoroso. Os ebionitas reconheciam que Jesus que era mestiça da tribo Chickasaw, numa pe-
era o messias prometido, mas rejeitavam a ideia quena cidade chamada China Point; mais tarde,
de sua divindade ou que ele nascera da virgem ele descobriu que nascera de uma mãe solteira
Maria. Eles estavam entre os que rejeitaram a num navio no rio Mississipi.1 Várias questões,
divindade de Cristo nas primeiras controvérsias porém, são levantadas sobre se as alegações de
cristológicas. Steiger estão de acordo com os fatos. Surge, en-
tretanto, o primeiro problema: os nomes e locais
EBÓ (cultos afro-brasileiros). Oferenda ou sa- que aparecem no relato são na maioria fictícios;
crifício feito aos orixás. Antes de tudo, porém, segundo, a principal fonte de dados de Steiger
é preciso oferendar e sacrificar a exu, a fim de foi o próprio Twitchell.
rogá-lo que interceda junto aos orixás, e também A dificuldade de estabelecer a data do nasci-
para que ele possa permitir que a cerimônia seja mento dele é devido a esses registros conflitantes.
realizada sem sua interferência. Também conheci- A biblioteca do Congresso Nacional dos Estados
do como padê, no candomblé. Podem ser postos em Unidos registra que Twitchell nasceu na cidade
encruzilhadas. É mais popularmente conhecido de Paducah, no Kentucky, em 1908. Sua certidão
como “despacho”. No candomblé, os ebós são nor- de casamento registra como data de nascimento
malmente classificados de dois modos: ordinários 1912. Uma terceira fonte, a certidão de óbito de
e extraordinários. Os primeiros são feitos regu- Twitchell, mostra 1922.
larmente, pois fazem parte da rotina do terreiro, Outras alegações importantes são contra-
tendo em vista a recepção e a manutenção do axé. ditórias na “biografia” de Steiger. Seu primeiro
O segundo tipo é emergencial e reparador, pois instrutor espiritual foi Kay-Dee (o verdadeiro
visa ao restabelecimento do axé. (AM) nome era Katherine), que aprendera sobre proje-
ção astral com o pai. Ela se transferiu para Paris,
ECLÉSIA (cristadelfianismo). Termo usado para a fim de estudar arte, e mais tarde encontrou com
designar a assembleia local dos cristadelfos. A Twitchell. Na capital francesa, de acordo com
palavra deriva-se do termo grego ekklesia, usado Steiger, Kay-Dee e Paul conheceram o mestre
comumente no Novo Testamento para designar Eck, Sudar Singh. Juntos, seguiram o guru para
“assembleia”, “congregação” ou “igreja”. a Índia, onde estudaram por um ano no ashram
de Singh. Mais tarde, supostamente Twitchell
ECKANKAR. Uma mistura eclética de religiões conheceu um segundo mestre Eck, Rebazar Tarzs,
orientais com um pouco de hinduísmo, cristianis- nas montanhas do Himalaia. Este “comissionou”
mo, espiritualismo, misticismo, ocultismo e pampsi- Twitchell a levar os ensinamentos do Eckankar
quismo. O movimento foi fundado em 1965, por para o Ocidente.
paul twitchell (m. 1971), um jornalista e ex-líder Uma pesquisa independente, chamada “The
da igreja da cientologia. Não se sabe ao certo sua Making of a Spiritual Movement: The Untold
154 ECKANKAR

Story of Paul Twitchell and Eckankar” [A for- próprio, chamado Ruhani Satsang, ou seja, a
mação de um movimento espiritual: a história “Ciência Divina da Alma”. O conhecimento desse
não revelada de Paul Twitchell e do Eckankar] pano de fundo é crucial para entender a história
(1978), elaborada por David Christopher Lane, do Eckankar. [...] os seus ensinamentos e as suas
da California State University, fez muito para práticas são pouco mais do que um plágio da
proporcionar um relato preciso e confiável so- Surat Shabd Yoga (a ioga do som audível atual),
bre o Eckankar e seu fundador. O pesquisador sistematizada por Sawan Singh, copiada por
argumenta que a maior parte dos elementos no Kyrpal Singh e popularizada nos Estados Unidos
relato de Steiger não é verdadeira. pelo dr. Julian Johnson”.2
Twitchell provavelmente nasceu em Padu- Em 1955, Kirpal Singh iniciou Twitchell
cah, no Kentucky, em 1908, e não em China na Ruhani Satsang. Durante dois anos, Paul
Point entre 1912 e 1922. Seus pais eram Jacob frequentou as satsangs do guru; mas também se
e Effie Twitchell. No relato de Lane, ele nunca submeteu aos ensinamentos de outras religiões
visitou Paris ou Índia. Pelo contrário, frequentou orientais. Em 1958, entrou em contato com
o Teacher’s College dos Estados do Oeste, per- L. Ron hubbard, fundador da cientologia, e fez
tencente à Kentucky University, escrevia poesia parte da liderança do movimento, ao alegar ser
como hobby e depois se alistou na Marinha dos um limpo.
Estados Unidos. Sudar Singh possivelmente é O relato de Steiger, sobre os anos de 1955 a
um nome fictício de alguma pessoa que teve 1960, não está em harmonia com as descobertas
certa influência sobre Twitchell, em algum mo- de Lane. Não há menção de Kirpal Singh ou L.
mento de sua vida. Em agosto de 1942, ainda na Ron Hubbard. Pelo contrário, temos Twitchell
Marinha, casou-se na cidade de Providence, em retratado como um aventureiro romântico, que
Rhode Island. Abandonou a carreira militar e gira o mundo em busca de fortuna, enquanto
mudou-se para Nova York, onde se empregou servia como free-lance de histórias curtas, artigos
como redator, editor e, posteriormente, corres- para revistas etc.
pondente da revista Our Navy [Nossa Marinha], Em 1964, rompeu todos os laços com seus
em Washington, D.C. Foi na capital americana mentores espirituais. Em um de seus primeiros
que ele e sua esposa, Camille Ballou, uniram-se livros, The Tiger’s Fang [As presas do tigre]
à Self Realization Church of Absolute Monism (v. (1967), chegou o ponto de mudar o nome de
self realization fellowship). Twitchell tornou-se Kirpal Singh para Rebazar Tarzs, o qual seria
o editor de The Mystic Cross [A cruz mística], a mencionado com frequência em seus escritos,
publicação do movimento. como o seu conselheiro pessoal nas fases em que
O ano de 1955 foi marcante na vida de estava “fora do corpo”, e de quem, no dia 22 de
Twitchell, quando foi convidado a afastar-se da outubro de 1965, recebeu o título de mestre Eck.3
igreja self realization, excomunhão aplicada por Depois dessa introdução geral nas enigmá-
má conduta, conforme alegação da liderança. ticas idiossincrasias de seu fundador, o leitor
Um segundo infortúnio veio quando ele e sua agora terá mais condições de entender os en-
esposa separaram-se. Entretanto, a mudança sinos básicos do Eckankar. Também faremos
mais significativa ocorreu quando o guru Kirpal uma comparação/contraste entre esta seita e o
Singh chegou aos Estados Unidos. De acordo cristianismo.
com Woodrow Nichols e David Alexander, “O Ensinos. Três princípios básicos formam a
ensino de Kirpal Singh derivava-se de outra tra- essência do Eckankar. Primeiro, a alma é uma
dição oriental amalgamada — da Radha Soami substância eterna sem começo nem fim. Ela vive
Beas, liderada pelo mestre Sawan Singh. Quando independentemente dos aspectos materiais do
este morreu, foi substituído pelo discípulo Jagat corpo. Segundo, o devoto do Eckankar final-
Singh. Nesse momento, Kirpal Singh deixou o mente habitará no plano espiritual. Terceiro, a
movimento Radha Soami [...] e formou o seu alma será aliviada, pois está presa à matéria nesta
ECKANKAR 155

vida. A projeção astral, portanto, é o meio pelo e faz a jornada em seu tuza, ou alma. O plano
qual ela é capaz de estabelecer sua independência mais elevado, a região onde Sugmad habita, é
do corpo. chamado de anami lok.
Como é o caso de muitas seitas religiosas, os A maior aspiração do chela é tornar-se um
membros do Eckankar acreditam que somente dos silenciosos, os quais servem a Sugmad, que
eles possuem o verdadeiro caminho para Deus. “governa os universos e faz cumprir seus e regu-
Outras religiões refletem apenas alguns fragmen- lamentos e leis”.5 Portanto, o objetivo do devoto
tos da verdade divina, mas a plena se expressa não é se transformar em deus, mas tornar-se um
claramente no Eckankar. “cooperador” de Deus. Esse é o sentido básico do
O cerne da teologia do Eckankar é que a termo Eckankar.
alma sobe para os planos astrais (os mundos das Muitas técnicas são ensinadas e empregadas
entidades Eck), em busca do reino do céu onde para capacitar o chela a empreender a jornada da
Deus (sugmad) habita. O chela (aluno) ascende alma. Meditação, recitação de mantras, hipnose,
por meio de uma série de onze planos. Os cinco transe e estados alterados da consciência são
primeiros são considerados as esferas físicas métodos pelos quais o objetivo é alcançado. As
inferiores. O aluno deve incorporar-se em vários dificuldades que a maioria enfrenta na busca
corpos, chamados sheaths, a fim de viajar por do deus-realização são os empecilhos do corpo
meio dessas esferas. O viajante recebe instrução físico. A mente é uma desvantagem, porque está
para buscar um guia que o leve através dos planos engajada nas “cinco paixões” — luxúria, ira,
espirituais. Esses orientadores são conhecidos cobiça, apego demasiado ao mundo material e
como os mestres Eck. Por exemplo, Rebazar Tarzs vaidade. A indulgência a essas paixões cria um
era, de acordo com Twitchell, seu guia. “mau carma”, um débito que depois deve ser
É nesses planos físicos que o chela é capaz de pago por meio de uma série de reencarnações. As
experimentar a bilocação, ou a projeção astral. encarnações anteriores possivelmente foram um
De acordo com Twitchell, muitos dos grandes mau carma, do qual não conseguiram “se liber-
líderes religiosos eram mestres Eck. Frequente- tar”. Portanto, o viajante espiritual confronta-se
mente, ele se refere a Cristo e a outros persona- com a possibilidade de entrar num ciclo inter-
gens bíblicos como os que já experimentaram minável de renascimentos, antes de alcançar a
a viagem da alma. Em seu livro, Eckankar, The deus-realização.
Key to Secret Worlds [Eckankar, a chave para os Os genuínos viajantes espirituais são “super-
mundos secretos] (1969), Twitchell escreveu: -homens”. Os que rejeitam, ou não se aplicam à
“De acordo com os evangelhos, Jesus disse: ‘Vem viagem da alma, são considerados animais que
e segue-me’. Porém, poucas pessoas entenderam lutam contra Deus. As pessoas anormais, ou que
o que ele falava. Na realidade, desejava que elas apresentam deformidades físicas, não podem ser
fossem com ele para os mundos do além. Aquelas viajantes espirituais, de acordo com Twitchell.
pessoas não estavam preparadas para tal jornada, Apresentamos um resumo do ensino siste-
de maneira que Jesus separou-se delas, e deixou mático de Twitchell sobre os conceitos cristãos
uma mensagem eterna: ‘Vou preparar-vos lugar de Deus, pecado e salvação.
[...]’”.4 Deus. O Eckankar recebe uma considerável
Outros santos, incluídos na lista de Twitchell influência do hinduísmo, que é panteísta, com
como grandes guias espirituais, são buda, krish- relação aos seus conceitos sobre Deus, que está
na, Homero, Dante, Shakespeare e maomé. Ele em todas as coisas, mas ninguém pode conhecê-
alegava que foi nomeado por Tarzs como o 971º lo. O conhecimento de Deus não é tão importante
mestre Eck. quanto o fato de Deus, que simplesmente é. Deus
Os seis planos restantes no esquema de é um “ISTO” impessoal, destacado dos interesses
Twitchell são espirituais. Antes de entrar no dos indivíduos. A perpetuação da “vida” é o
primeiro deles, o chela dispensa seu corpo físico interesse dominante do “ISTO”.
156 ECKANKAR

Para o cristianismo, Deus não é um monismo precisa ser purificado pela aparição de um mes-
impessoal, mas um Ser que tem transcendência e sias que morre pelos pecados da humanidade é
imanência em seu relacionamento com a criação. uma crença kalística”.7
A personalidade de Deus existe na relação trina de kal nirajan é um ser cruel que existe na esfera
Pai-Criador, Filho-Redentor e Espírito Santo-San- física inferior. Se a analogia é possível para os
tificador/Consolador. Para o Eckankar, não existe devotos, ele desempenha um papel similar ao de
tal conceito.6 Sua divindade chama-se Sugmad e Satanás para os cristãos. Ele impede que os seres
habita num plano astral mais elevado. Os seres humanos se arrependam e tenham fé em Cristo.
humanos podem conhecer a Deus, porque Jesus Faz isso por meio de mentiras, enganos, falsos
Cristo levou-os de volta a uma comunhão com ensinos e tentações. Kal Nirajan mantém a alma
ele, por meio de sua morte na cruz e subsequente na ignorância para, desta maneira, impedi-la de
ressurreição. No entanto, para Twitchell, Deus sair da esfera física.
não está interessado no bem-estar de nenhum Salvação. Essencialmente, a salvação é a
indivíduo e a ideia de Cristo ser o Filho de Deus percepção de Deus (Sugmad), por intermédio
encarnado soa como um absurdo irracional. Jesus da ascensão aos planos astrais onde o “ISTO”
foi apenas um dos mestres Eck do passado, não o reside. O mau carma pode ser punido através
Deus crucificado e ressurreto que “se manifestou do retorno do indivíduo à esfera física em forma
no corpo” (1Timóteo 3.16), e é o Rei dos Reis e de um ser inferior, como uma planta, pedra ou
Senhor dos Senhores. Twitchell rejeitava essas um minério. O mau carma deve ser tratado, para
ideias às gargalhadas. que o indivíduo experimente a ascensão para um
Pecado. No Eckankar, o pecado basicamente ser mais significante (humano) na esfera física e
consiste no conceito hindu do mau carma, que depois em direção à espiritual.
impede que o indivíduo ascenda aos planos O cristianismo encontrou uma forma desse
astrais mais elevados. Twitchell criticava o pensamento em sua história, na cosmologia neo-
cristianismo sobre a questão do pecado: “Toda platônica de Plotino. Esse ensino desenvolveu-se
a doutrina do homem nascido no pecado, que no gnosticismo, que a Igreja considerou herético,
especialmente em suas formas supostamente
cristãs defendidas por Valentim (136-165 d.C.)
e Marcião (m. 160 d.C.). Os filósofos gregos,
gnósticos e neoplatônicos, muito tempo antes de
Twitchell, construíram um esquema ontológico
no qual todo o Universo está dividido em vários
níveis, onde o mundo físico material é o mais
baixo e inferior; e o mais elevado, o superior, é o
espiritual. O deus do demiurgo é o deus criador.
O deus supremo era o Ser Divino, localizado na
região etérea e desconhecida, além do Cosmo.
Tertuliano, Irineu e Hipólito, pais da Igreja, es-
creveram veementemente contra o gnosticismo,
denunciando-o como completamente herético.
A terminologia empregada por Twitchell
era diferente da nomenclatura enigmática dos
antigos gnósticos, mas os conceitos são muito
semelhantes. A designação de Twitchell para
a salvação suprema era escapar da “Roda 84”.
Sri Darwin Gross, que por dez anos foi o mahanta do Eckankar. O Eckankar é realmente uma religião eclética.
Cortesia do Spiritual Counterfeits Project. Assimilou aspectos do pensamento gnóstico,
EGÍPCIO REFORMADO 157

hindu, do ocultismo e de numerosas outras 4


Twitchell, Paul. Eckankar, The Key to Secret Worl-
fontes. ds. San Diego: Illuminated Way Press, 1969, p. 12.
Conclusão. Em 17 de setembro de 1971, 5
Idid., p. 112.
Twitchell morreu, vítima de um ataque cardíaco 6
Cf. o conceito do hinduísmo sobre Deus, comparado
em um hotel em Cincinnati, Ohio. O manto da com o cristianismo.
liderança passou para o 972º mestre Eck, darwin 7
Twitchell, Paul. The Shariyat-Ki-Sugmad. San
gross. O falecimento do líder é relatado pelos Diego: Iluminated Way Press, 1970-1971, vol. 1, p. 72.
membros do movimento como sua transladação
da “Roda 84”. Gross liderou o Eckankar por dez ECLESIOLOGIA (cristianismo). Doutrina cristã
anos, ao retirar-se em 1981. Nesse mesmo ano, da Igreja; vocábulo derivado do termo grego
Harold Klemp tornou-se o mais novo mestre Eck. ekklesia, que significa “assembleia” ou “reunião”.
Atualmente, não há um mahanta.
O Eckankar orgulha-se de ter aproximada- ECLETISMO. Veja sincretismo.
mente 50 mil membros. O público é recrutado
por meio de uma variedade de técnicas que in- ECTOPLASMA (ocultismo; espiritismo). Os
cluem aulas, folhetos, propagandas em revistas e espíritas acreditam que o ectoplasma seja a
livros colocados em bibliotecas e livrarias. Apesar substância que causa a materialização da parte
das tentativas para atrair pessoas ao movimento, invisível do corpo. Embora não seja visto, é capaz
o grupo alega não ser uma religião proselitista. de assumir os três estados, ou seja, sólido, líquido
As publicações mais importantes de Twitchell e gasoso (vapor). Alega-se que ele emerge primei-
incluem The Precepts of Eckankar R [Os preceitos ramente de vários orifícios (inclusive os poros)
do Eckankar R] (s.d.); The Shariyat-Ki-Sugmad do corpo. Levemente luminoso, pode ser visto
(San Diego: Illuminated Way Press, 1970-71); no escuro e tem o efeito de produzir calafrios,
Soul Travel: Illuminated Way [Viagem da alma: especialmente através do contato direto. Além
o caminho iluminado] (Las vegas: Eckankar disso, o ectoplasma produz também um odor
ASOST, 1967); The Tiger’s Fang [A presa do tigre] característico. Veja perispírito.
(Las Vegas: Eckankar ASOST, 1967); Eckankar,
The Key to Secret Worlds [Eckankar, a chave para ECUMENISMO IRRESTRITO (Legião da Boa
os mundos secretos] (San Diego: Illuminated Vontade). A união não apenas das religiões da
Way Press, 1969); The Far Country [O país dis- terra, mas também do plano espiritual, ou seja,
tante] (Menlo Park, CA: Illuminated Way Press, dos espíritos dos que morreram. (AM)
1971); além de muitos outros (v. Bibliografia).
Uma boa e detalhada análise do Eckankar EDDY, MARY BAKER (1821-1910). Fundado-
encontra-se no SCP Journal, vol. 3, nº 1, 1979. Os ra da ciência cristã.
editores reuniram uma história extremamente
difícil, com uma variedade de ensaios e uma EFFENDI, SHOGHI (m. 1953). Neto de baha
excelente bibliografia. Baha e líder do bahaísmo até 1921. Durante o rei-
nado de Abdu’l, esse movimento foi introduzido
Notas nos Estados Unidos.
1
Steiger, Brad. In My Soul I Am Free. San Diego:
Illuminated Way Press (s.d.), p. 33-34. EGÍPCIO REFORMADO (mormonismo). Lin-
2
Nichols, Woodrow; Alexander, David. Paul Twitchell guagem na qual joseph smith alegava que as placas
and the Evaolution of Eckankar, SCP Journal 3, n. 1, de ouro estavam escritas. Elas foram encontradas
September1979, p. 8. por ele perto de Palmyra, Nova York, em 1827.
3
Enroth, Ronald. A Guide to Cults and New Reli- A linguagem foi usada pela primeira vez por
gions. Downers Grove, Ill.: InterVarsity Press, 1983, Néfi, um judeu que viveu por volta do ano 600
p. 61. a.C. Entretanto, a linguagem falada pelos judeus
158 EGUM

nesse período era o hebraico. Enquanto a saga no termo eclesiástico cristão presbítero. Os élde-
continua, Néfi chegou à América e descobriu que res são portadores do sacerdócio de melquisedeque.
era capaz de escrever numa nova linguagem, ou Também os missionários mórmons são denomi-
seja, o egípcio reformado. Ele providenciou o nados assim. O título é igualmente aplicável a um
registro da história da migração para a América, apóstolo, a um membro do quórum dos doze e dos
ao gravar sua mensagem nas placas de ouro. Elas setenta. As principais atribuições de um élder
foram enterradas no Estado de Nova York, numa são: batizar, ordenar diáconos e outros élderes,
colina chamada Cumora. Em 1823, Joseph Smith administrar a comunhão, impor as mãos, ensinar
dirigiu-se até o local em que as placas estavam nas reuniões e dirigi-las. Também compete ao
escondidas e, depois de quatro anos, foi autori- élder a supervisão em questões espirituais. Ele
zado a desenterrá-las, abrir a caixa onde estavam lidera estritamente a igreja local.
guardadas e olhar para elas. Com a ajuda do urim
e tumim (duas pedras presas a um peitoral), que ELEGBÁ (cultos afro-brasileiros). Veja exu.
acompanhavam as placas, Smith afirmou que tra-
duziu o texto do egípcio reformado para o inglês. O ELEGBARÁ (cultos afro-brasileiros). Seme-
resultado foi o livro de mórmon, a saga da migração lhante a cariapemba, uma divindade do mal,
dos israelitas para o continente americano. entre o povo banto, que posteriormente foi in-
corporada ao panteão de divindades dos cultos
EGUM (cultos afro-brasileiros). Também cha- afro-brasileiros. (AM)
mados de egunguns, são espíritos de antepas-
sados falecidos, de acordo com certa tradição ELEMENTÁRIO (ocultismo; satanismo; teoso-
iorubá. Haveria os bons e maus eguns. Os primei- fia). A alma desencarnada de um ímpio. Enquanto
ros, que alcançaram a condição de baba (pai), a dos justos progride em direção a uma nova fase
seriam eguns de luz. A outra espécie, conhecida de desenvolvimento, os elementares permanecem
como apaaraká, seria formada de entidades mais próximos do plano terreno. Em algumas
obsessoras, perturbadoras, promotores de morte formas de satanismo, eles são “seres espirituais”.
e destruição, pertencentes às trevas. A maioria
dos grupos de candomblé não cultua egum que ELLEN GOULD WHITE (1827-1915). Principal
não seja da espécie de luz, como os caboclos e figura da igreja adventista do sétimo dia, a sra.
os boiaderos. Caso, porém, necessite de seus ser- White nasceu em Gorham, Maine, EUA, em 26
viços, abre-se uma exceção para o culto, desde de novembro de 1827. Aos 12 anos de idade, foi
que seja feito fora da casa do orixá. Entretanto, batizada na Igreja metodista, da qual se desligou
há candomblecistas em Itaparica, na Bahia, que dois anos depois, em 1842, após aceitar as dou-
cultuam especialmente todos os eguns. (AM) trinas do movimento millerista. Em dezembro de
1844 teve sua primeira visão, na qual presenciou
EIDOLISMO (ocultismo; espiritismo). Crença a viagem dos adventistas à cidade de Deus (Jeru-
na existência de fantasmas, aparições e espíritos salém Celestial). Casou-se com Tiago White em
desencarnados. 1846. Nessa mesma época, ambos, influenciados
pelo folheto O descanso do sétimo dia, escrito por
EINOSUKE, AKIYA (1930-). Líder da organi- José Bates, aceitaram que a guarda do sábado era
zação soka-gakkai de 1981 a 2005. imprescindível para agradar a Deus. Em 7 de abril
de 1847, Ellen White teve uma visão na qual viu a
EISAI (1191). Fundador do Rinzai, uma seita Lei de Deus (os Dez Mandamentos); particular-
que se espalhou a partir do zen, na Idade Média. mente, viu uma auréola de luz que resplandecia
sobre o quarto mandamento: a guarda do sábado.
ÉLDER (mormonismo). Palavra de origem in- Estima-se que, no total, tenha tido cerca de dois
glesa cuja tradução “ancião” tem seu equivalente mil sonhos e visões. Por tudo isso, ela é chamada
EQUINÓCIO 159

de “a serva do Senhor”, “a profetisa do povo de ENCARNAÇÃO (kardecismo). É o momento


Deus”, “a profetisa da Igreja Adventista”, “a em que o espírito assume um corpo, quer seja
pena inspirada” etc. Os adventistas creem que para expiar erros, evoluir na escala espiritual ou
era a única possuidora do espírito de profecia nos numa missão. (AM)
tempos modernos. Escreveu aproximadamente
45 livros, destacando-se: O caminho a Cristo, O ENCARNAÇÃO EM MASSA (movimento
grande conflito ou O conflito dos séculos (edição Nova Era). Os devotos da nova era acreditam
resumida), O desejado de todas as nações, Patriar- que o princípio de divindade, que incorporou
cas e profetas, Ciência do mom viver, Testemunhos o Cristo cósmico na pessoa de Jesus há dois mil
para a igreja etc. Segundo os adventistas, seus anos, agora se move de forma coletiva sobre toda
escritos constituem a “luz menor”, que foram a humanidade.
dados por Deus para guiá-los à “luz maior”, a
Bíblia. Morreu aos 87 anos de idade, em 16 de ENGRAMAS (cientologia). Eventos negativos
julho de 1915, após um acidente que a manteve que ocorrem na vida de um indivíduo são regis­
na cama por cinco meses. (AM) trados na mente reativa em forma de engramas.
Essas forças negativas não estão disponíveis
ELONGAÇÃO (ocultismo; espiritismo).A expan- à mente analítica, mas a afetam por meio de
são ou elongação do corpo feito por um médium. imagens mentais que emergem ocasionalmente.

EMERSON, RALPH WALDO (1803-1882). ENKANIKA (Abakua; ocultismo). Sinos afro-­


Principal personagem na propagação do unita- ‑cuba­nos (geralmente feitos de metal) usados
rianismo, no século XVIII. nos rituais do culto abakua.

E-METRO (cientologia). Artefato usado por um ENSINAMENTOS HERMÉTICOS (ocultis-


auditor ou praticante da cientologia, para medir mo). Doutrinas contidas na hermética.
os impulsos elétricos que emanam de um corpo.
Os cientologistas alegam que o e-metro ajuda a ENTIDADES ESPIRITUAIS (umbanda). As
diagnosticar e remover as forças negativas na entidades espirituais formam a hierarquia espi-
vida de um paciente, a fim de preparar o caminho ritual, composta por seres que atingiram o plano
para que ele se torne limpo. superior de evolução, que incluiu os orixás, anjos
e santos; nessa condição chefiam falanges. (AM)
ENCANTAMENTO (ocultismo; satanismo;
bruxaria). “Lançar um determinado feitiço” por ÉON (gnosticismo). Cada um dos seres eternos
meio do mau-olhado. As bruxas geralmente utili- que emanam da divindade e a compõem. Os
zam o encantamento para propósitos malignos. éons são intermediários entre o Ser Supremo e
os homens. (AM)
ENCARNAÇÃO (cristianismo). Ensino cristão
de que a segunda pessoa da trindade nasceu EÔN (Abakua; cultos da América do Sul; ocul-
de uma virgem e assumiu a forma humana. A tismo). Instrumento rítmico afro-cubano ou
encarnação engloba a plenitude da humanida- chocalho usado nos rituais abakua.
de e da divindade de Jesus numa única pessoa
teantrópica. Os limites da encarnação foram EQUEDE (candomblé). Ajudante que nos
estabelecidos no Concílio de Calcedônia, em momentos de possessão do iaô pelo orixá, cuida
451 d.C. (v. Apêndice 1). Praticamente, todos os deste e de seus objetos. (AM)
grupos que não são trinitarianos, derivados do
cristianismo, opõem-se a essa doutrina, da forma EQUINÓCIO (ocultismo). Veja calendário das
como é apresentada. bruxas.
160 EQUINÓCIO DO OUTONO

EQUINÓCIO DO OUTONO (ocultismo; bru- disciplina” sobre o Estado. Erasto sustentava


xaria). Um dos oito sabás celebrados na bruxaria que cada governante tem autoridade para julgar
e outros grupos de ocultismo. Trata-se de um todas as questões, tanto eclesiásticas como civis,
dos sabás inferiores baixos e ocorre no dia 21 de e mesmo as excomunhões da Igreja deveriam
setembro. Como o equinócio da primavera, é um ser submetidas à aprovação do governo. Um
tempo de balanceamento. A duração, tanto do exemplo moderno do erastianismo é a maneira
dia como da noite é igual, devido ao fato de o Sol como o parlamento inglês rejeitou, em 1928,
cruzar o equador. É um tempo de equilíbrio e es- o Livro de oração comum que seria usado pela
tabilidade, de descanso do trabalho, depois que a Igreja Anglicana.
colheita foi armazenada (v. calendário das bruxas).
ERDMANN, PAUL (s.d.). Também chamado
EQUINÓCIO DA PRIMAVERA (ocultismo; Love Israel, fundador da Church Armageddon
bruxaria; satanismo). Um dos oito festivais das [igreja do armagedom], ou Love Family [Família
estações do ano celebrados pelas bruxas e outros do Amor]. Notável pelo uso de drogas nas ceri-
grupos de ocultismo. O equinócio da primavera mônias religiosas.
ocorre no dia 21 de março, quando a duração
do dia e da noite torna-se igual, ocasião em que ERÊ (cultos afro-brasileiros; umbanda). Na
o Sol cruza o equador (v. calendário das bruxas). umbanda significa um “espírito” de criança. (AM)

ERA DE AQUÁRIO (ocultismo; movimento ERHARD, WERNER HANS (movimento Nova


Nova Era; astrologia). De acordo com a crença da Era; Forum). Fundador do forum/est (Seminários
astrologia, a Terra passa pelos signos do zodíaco, de Treinamento Erhard). Ele foi registrado como
no curso dos seus milhares de anos de história. John Paul Rosemburg, em 1935. Em 1960, mudou
Permanece em cada um deles aproximadamen- o nome para Werner Hans Erhard, depois de
te dois mil anos. A Era de aquário era para ter abandonar a esposa e os cinco filhos. Trabalhou
começado no século XIX. Alguns membros da como vendedor em várias áreas, inclusive de
Nova Era veem o século XX como o “alvorecer automóveis, revistas e enciclopédias. Frequen-
da Era de Aquário”; por isso, anunciam o começo temente se envolvia com diferentes grupos reli-
de uma nova visão mundial cósmica. O período giosos, como cientologia, zen budismo e tornou-se
anterior foi a Era de Peixes e representou a Era instrutor do grupo dinâmicas da mente.
Cristã (Jesus visto como o “pescador de ho- As habilidades de Erhard como vendedor e
mens”). O movimento Nova Era engloba uma administrador e seu inexplicável talento para
espiritualidade que tenta conciliar com a ciência reunir vários fragmentos de religiões que experi-
e a tecnologia modernas. Tal espiritualidade mentara foram combinados para formular a base
deixa para trás o esquema conceitual da herança do Forum/EST. O grupo foi formado em 1971. Oito
judaico-cristã, característica dos últimos dois anos depois, mais de 160 mil pessoas estavam
mil anos da história. Em seu lugar, vem a Era de arroladas em seus cursos, com mais de trezentos
Aquário (v. algenia). que recebiam o treinamento ocasionalmente.

ERASTIANISMO (cristianismo). Visão da ERIKUNDE (Abakua; cultos da América do Sul).


relação Igreja/Estado em que o segundo tem Tambor cubano ou maraca; o erikunde é também
jurisdição sobre o primeiro nas questões ecle- um tipo de sino adornado com palha.
siásticas; nome derivado de Thomas Erasto
(1524-1583), que reagiu contra o calvinismo, o ESBAT (ocultismo; satanismo; bruxaria). Termo
qual defendia o ponto de vista da relação Igreja- que designa o sábado das bruxas (pronunciado
Estado como o oposto da ideia de Erasto, ou seja, como sabá), que ocorre em cada noite de lua cheia.
que a Igreja deve ser capaz de exercer uma “santa No satanismo, esbats são reuniões semanais.
ESCOLA DA UNIDADE DO CRISTIANISMO 161

ESCADA DE BRUXAS (ocultismo). Uma mais exerceu influência sobre o casal Fillmore.
trança de quarenta contas, ou uma corda com Posteriormente, porém, a Unidade assumiria
quarenta nós, usadas para a adoração cerimonial. uma identidade muito mais próxima do novo
pensamento do que da Ciência Cristã. A diferença
ESCATOLOGIA (cristianismo). Estudo da básica era que a segunda tratava o pecado, as
doutrina das últimas coisas e dos últimos acon- doenças etc., como males ilusórios da mente. No
tecimentos na história da humanidade. Novo Pensamento, o mundo material, o pecado
e as enfermidades são considerados fatos reais.
ESCOLA BÍBLICA DE GILEADE DA TORRE O primeiro periódico da Unidade, chamado
DE VIGIA (Testemunhas de Jeová). Escola bí- Modern Thought [Pensamento moderno], come-
blica aberta em 1943 por Nathan Homer Knorr, çou a ser publicado em 1887 pelos Fillmore. Um
terceiro presidente da sociedade, com o propósito ano depois seu nome foi mudado para Christian
expresso de educar e treinar ministros. Loca- Science Thought [Pensamento da ciência cristã].
lizada originalmente no Estado de Nova York, Eddy protestou contra a mudança do nome, e
posteriormente, em 1960, transferiu-se para acusou os Fillmore de capitalizar o sucesso e a
Columbia Heights, no Brooklyn, juntamente com popularidade de seu movimento. O casal cedeu
a sede da Sociedade. O período de treinamento diante das pressões e mudou novamente o nome
geralmente dura seis meses. Em 1999, a Escola da revista para Thought [Pensamento].
Bíblica de Gileade foi transferida para Patterson, O crescimento da Unidade (chamada assim
Nova York, EUA, compondo o Centro Educacio- em 1891) foi fenomenal. Em 1922 já superara
nal da Torre de Vigia. seus rivais Novo Pensamento e Ciência Cristã em
número de membros. Depois da Primeira Guerra
ESCOLA DA UNIDADE DO CRISTIANIS- Mundial, os Fillmore construíram a sede conhe-
MO. O movimento conhecido como Escola da cida hoje como Vila da Unidade, nos arredores
Unidade do cristianismo foi fundado em 1889 de Kansas City. Em 1950, todo o movimento
por charles fillmore (1854-1948) e sua esposa encontrava-se na Vila da Unidade. Sua editora
myrtle (1845-1931). Agente imobiliário falido, ele lançou uma variedade de publicações: Daily
também era manco. Ela sofria de tuberculose. Em Word [Palavra Diária], Wee Wisdom [Sabedoria
1884, Myrtle mudou-se da Nova Inglaterra para Wee] (para crianças), Unity [Unidade], Progress
Kansas City, Missouri, e logo depois se converteu Weekly Unity [Progresso semanal Unidade] e
à ciência cristã. Convencida de que todas as en- Good Business [Bons negócios].
fermidades eram uma ilusão, afirmou que estava Os membros ficaram conhecidos como Uni-
curada de seu problema pulmonar. A crença dade Silenciosa. Esse grupo foi originalmente
que sua doença era uma ilusão, provavelmente chamado de Sociedade da Ajuda Silenciosa, e
derivou de suas palavras “Eu sou filha de Deus; foi o principal fator do rápido crescimento do
portanto, não herdei alguma doença”. movimento. A ideia era oferecer um ministério
Charles, por outro lado, interessava-se por de 24 horas, o qual ainda é desenvolvido por
ocultismo e espiritismo. As religiões orientais, meio de um grande grupo de operadores na Vila
principalmente o hinduísmo, com seus conceitos da Unidade. Oração, aconselhamento e ajuda
sobre reencarnação, exerceram grande influência por correspondência podem ser obtidos por
sobre ele. Quando se converteu à Ciência Cristã, intermédio da Unidade Silenciosa. O volume de
por meio de sua esposa, a mistura de suas dife- cartas recebidas e enviadas é tão grande que o
rentes ideias finalmente resultou numa forma governo designou uma agência postal só para
peculiar de harmonia religiosa, conhecida como o movimento, em Lees Summit, Missouri. A
Unidade. Unidade recebe uma média de 15 mil chamadas
emma curtis hopkins , uma das principais telefônicas por semana e mais de 2 milhões de
alunas de mary baker eddy , talvez foi a que cartas por ano, sem contar os emails. Outras
162 ESCOLA DA UNIDADE DO CRISTIANISMO

áreas de envolvimento com o público incluem pessoal. Embora o pecado e as enfermidades


uma ampla utilização de programas de rádio e sejam reais — contrastando com a Ciência Cris-
televisão e o ministério de multimídia. tã, a qual acredita que não sejam —, a doença
Embora a Unidade não se considere uma é um estado não natural de existência. Os meios
religião, tornou-se sua própria denominação. Já espirituais de cura são buscados diligentemente.
em 1903, os Fillmore estabeleceram uma política A ajuda disponível na medicina também é utili-
de ordenação. Os membros não são obrigados a zada, ou pelo menos não é desencorajada.
abandonar suas filiações denominacionais. Os A verdade encontra-se em todos os aspectos
Fillmore acreditavam que foram bem-sucedidos da vida, inclusive em todas as religiões. Deve-se
em produzir uma seita que extraíra os melhores ensinar ao indivíduo a alcançar um entendimen-
elementos de cada uma das religiões existentes. to da verdade por qualquer meio que descubra
Portanto, o indivíduo pode manter seu sistema ser prático e funcional. Os devotos buscam
particular de crenças ou sua filiação denomina- exercitar, desenvolver e controlar o poder da
cional, e ainda fazer parte da Unidade. mente como um meio de suprir as múltiplas
A Unidade não possui declarações de fé necessidades humanas, tanto físicas como es-
estritas, mas em 1921 foi formulada uma decla- pirituais. Portanto, emoções perigosas como ira
ração de fé da Unidade. Os dogmas básicos são ou ódio são desencorajadas, e grande parte das
descritos abaixo. A igreja em si não realiza con- literaturas destina-se ao desenvolvimento do
ferências anuais, mas seus ministros pertencem bem-estar emocional e espiritual.
à Associação de Ministros da Unidade, a qual se A influência da Unidade vai muito além de
reúne anualmente. Os ministros, ou candidatos sua membresia. Dirige-se a um amplo círculo
que buscam uma posição dentro da seita, devem de pessoas. Seu vocabulário adapta-se bem a
completar um determinado curso, depois do outras religiões, principalmente ao cristianismo.
que é analisado pela igreja e posteriormente Entretanto, devido à sua ampla aceitação de
aprovado ou rejeitado. Se for aceito, o candidato elementos de religiões orientais, ocultismo e
é ordenado. doutrinas metafísicas, o cristianismo não ex-
Myrtle Fillmore morreu em 1931. Charles pressa um reconhecimento mútuo. Devido ao
continuou sozinho na liderança da organização. fato de que o vocabulário da Unidade deriva-se
Posteriormente, casou-se com sua secretária, principalmente da bíblia, é particularmente útil
Cora Derick, e ambos administraram o movi- para determinar as doutrinas da organização
mento até o fim da vida. Charles morreu em 1948 e compará-las com os ensinamentos cristãos
e seus filhos assumiram o controle. A família tradicionais.
Fillmore continua na liderança da organização. Deus. Ele é “Princípio, Lei, Ser, Mente,
Ensinos. Em vez de se apresentar como uma Espírito, Todo o bem, Onipotente, Onisciente,
religião ou um sistema de crenças, a Unidade Imutável, Criador, Pai, Causa e Fonte de tudo
tenta se mostrar como um sistema educacional o que existe”.1 Como um princípio, a Unidade
aberto ao público. Entretanto, a definição mais ensina que Deus não é único nem separado do
liberal de religião deve incluir a Unidade. O mi- ser. Portanto, Deus é uma emanação da alma do
nistério de aconselhamento e oração oferecido indivíduo autoconsciente.
pela Unidade Silenciosa, as publicações, a orde- Esse tema repete-se frequentemente na histó-
nação de ministros e as doutrinas básicas, todos ria das religiões. Basicamente é oriental, e deriva-
esses elementos combinam-se para classificar a se do hinduísmo, onde Deus essencialmente
Unidade como uma seita religiosa. não se diferencia do cosmos exterior nem da
A Unidade é filosoficamente monista, pois alma interior. O pensamento cristão tradicional
ensina que tudo o que existe emana de uma única sempre estabeleceu clara distinção entre Deus e
fonte — Deus. Os principais enfoques do grupo a criação. O Criador, embora imanente, intrinse-
são a cura espiritual, a saúde e a prosperidade camente envolvido com a criação — “Creio em
ESCOLA DA UNIDADE DO CRISTIANISMO 163

Deus, o Pai onipotente, criador dos céus e da ter- pelos profetas” (credo niceno). De acordo com a
ra” (credo apostólico, Apêndice 1) — é também Unidade, não pode haver uma separação distinta
distintamente transcendente acima e além do entre Deus e a criação (v. acima). Portanto, o
Universo e do mundo. Entretanto, o vocabulário Espírito Santo também não pode ser diferencia-
utilizado para descrever os atributos de Deus do da ordem criada e não seria coerente pensar
no Metaphysical Bible Dictionary [Dicionário de de outra forma. O cristianismo faz isso, devido
metafísica da Bíblia] (v. nota 1) é concomitante à distinção fundamental que estabelece entre
com os atributos de Deus, conforme descritos na Criador/criação.
Bíblia. A diferença é unicamente de referência. Humanidade. Não há distinção qualitativa
Jesus Cristo. O Filho é o segundo membro entre Deus e a humanidade. Como no caso de
da trindade e o “Princípio revelado no plano Jesus, existe um “Cristo” inerente dentro de cada
criativo”. Como outros grupos, a Unidade cria indivíduo. O objetivo é passar da consciência
uma barreira entre o nome “Jesus” e o título pessoal para a mente de Cristo, ou da “consciên-
“Cristo”. Jesus era o nome de uma pessoa em cia natural para a espiritual”.4 Novamente, esta
particular. Cristo era seu aspecto espiritual. Foi é uma conclusão lógica do que já foi declarado
o espírito que capacitou Jesus a ser o Cristo. Foi sobre Deus, Jesus e o Espírito Santo (v. acima). Se
o título Cristo que capacitou Jesus a ser um filho Deus é um com a humanidade, então certamente
de Deus. Não existe diferença qualitativa entre a humanidade também é uma com Deus.
Jesus e outros seres humanos. “Jesus era poten- Salvação. A Unidade ensina que, por meio de
cialmente perfeito e expressou essa perfeição; uma série de reencarnações, a salvação é aquele
nós somos potencialmente perfeitos e não temos estado alcançado quando o corpo humano físico
expressado isso”.2 é substituído pelo verdadeiro corpo espiritual.
Essa ideia representa um grande afasta- Cada estágio pelo qual o indivíduo passa é mais
mento da cristologia cristã tradicional.3 Para a elevado do que o anterior. Por último, todas as
fé cristã, Jesus Cristo é “Deus de Deus, Luz de pessoas se tornam Cristo.
Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro [...] Essa ideia, obviamente, é muito semelhan-
consubstancial ao Pai” (credo niceno, Apêndice te à Ciência Cristã, ao hinduísmo e ao antigo
1). Em virtude da união pessoal entre as duas gnosticismo, e está em agudo contraste com a
naturezas, humana e divina, não há meio de soteriologia cristã. Para o cristianismo, a salvação
separar os “aspectos espirituais” de Jesus dos é efetuada através da graça de Deus em Jesus
aspectos humanos. Ambos estão unidos de forma Cristo, cuja obra essencialmente oferece o perdão
inseparável. A separação entre as duas nature- dos pecados para a raça humana, em virtude de
zas de Cristo foi ensinada pela primeira vez por seu sangue derramado na cruz e sua ressurreição.
Nestório (v. nestorianismo) e foi condenada como O cristão, depois da morte, é levado para o céu,
herética em 430 d.C. enquanto o ímpio vai para a condenação eterna.
Espírito Santo. É o terceiro membro da Trin- Nem o santo nem o ímpio são submetidos ao pro-
dade. É o “poder executivo tanto do Pai como do cesso da reencarnação. O cristão nunca se torna
Filho, para realizar seus planos”. O Espírito Santo “Cristo”, mas se assemelhará a Cristo (1João 3.2).
é aquele desejo dentro da alma de cada indivíduo Pecado. Existe um grau de ambiguidade
que faz com que a mente busque a santidade e a na teologia da Unidade sobre o pecado. Por um
unidade com a Mente divina. lado, assim como toda enfermidade, dor, pobreza
Para o cristianismo, o Espírito Santo, assim e morte, o pecado não é real. Essa convicção é
como o Pai e o Filho, é um membro distinto afirmada através da negação. Mesmo assim, em
da Trindade, considerado uma personalidade contraste com a Ciência Cristã, a qual ensina que
essencial dentro da divindade. O Espírito Santo pecado e enfermidade são ilusões, a Unidade
“Senhor e vivificador, o qual procede do Pai e do insiste que são reais. A ambiguidade é resolvida
Filho; que [...] é adorado e glorificado; que falou de acordo com a perspectiva pela qual tais coisas
164 ESCOLA DA UNIDADE DO CRISTIANISMO

são encaradas. Ontologicamente são reais, mas, grupo de membros. Mais de seis milhões de
ao considerar que sua realidade não é natural pessoas já foram alcançadas, a maioria das quais
dentro da mente, não são reais para a pessoa que não faz parte do rol de membros. Embora derive
nega sua existência.5 da Ciência Cristã, a Unidade faz muito mais
Igreja. A Unidade é a mais viável de todas sucesso. Isso se deve à sua ênfase nas questões
as alternativas espirituais. É uma coletânea dos práticas da vida (reconhece as enfermidades etc.
elementos de todas as religiões existentes. A como fatores reais), enquanto a Ciência Cristã,
verdade está em todas as religiões e igrejas. O mais esotérica, atrai as pessoas mais intelectuais
indivíduo pode fazer parte de uma igreja e da e ligadas à filosofia. Em 1980 estimava-se que o
Unidade simultaneamente. número de membros era de aproximadamente
Para a cristandade, a Igreja é composta pela um milhão de pessoas. De acordo com Frank
“comunhão dos santos”, os quais confiaram e S. Mead, “A Unidade não realiza conferências
creram na obra redentora efetuada em Jesus anuais, nem existe uma declaração de fé [...] Uma
Cristo. Enquanto a Unidade inclui todos os grande equipe de obreiros está sempre disponível
adeptos das diferentes convicções religiosas, o para consultas, noite e dia, a fim de atender aos
cristianismo, por definição, é exclusivo de todas telefonemas, telegramas e cartas — numa média
as outras convicções. Jesus disse ser o “caminho, de 15 mil chamadas por semana e 2,5 milhões de
a verdade e a vida” (João 14.6). Para o cristão, cartas por ano [...] Todas as correspondências
não existe outro acesso a Deus além de Cristo. são lidas e todas as solicitações, atendidas. Esses
Através da figura das bodas, Jesus é o Noivo, e a serviços são gratuitos, embora sejam aceitas
Igreja, a Noiva do Cordeiro. ofertas de amor. A Unidade responde a 750 mil
Autoridade. Não existem credos ou dogmas chamadas por ano, a maioria das quais por parte
na Unidade. Os membros são encorajados a ler de membros de várias igrejas cristãs [...] Cerca
a literatura publicada pela Vila da Unidade. A de 200 milhões de livros, panfletos, folhetos e
Bíblia é citada com frequência, mas não constitui revistas são publicados e, sem dúvida, utilizados
uma autoridade exclusiva na organização. por muitas pessoas que nunca entraram em
Conclusão. A Escola da Unidade do cristia- contato com a sede [...] cerca de 50 novos títulos
nismo tem uma ampla penetração na sociedade de fita cassete são produzidos por ano e mais
americana. É difícil mencionar alguma estatísti- de mil estações de rádio e televisão transmitem
ca, porque sua influência ultrapassa o seu próprio duzentos programas da Unidade toda semana”.6

Notas
1
Metaphysical Bible Dictionary. Lees Summit,
Mo: Unity School of Christianity, 1962.
2
What Unity Teaches. Lees Summit, Mo: Unity
School of Christianity, 1952, p. 3.
3
Cf. cristadelfianismo sobre Jesus Cristo.
4
Fillmore, Charles. Christian Healing. Lees Summit,
Mo: [s.l.], 1942, p. 68.
5
Essa ambiguidade é uma explicação parcial para
a convicção de Myrtle Fillmore de que a doença
era ilusória (v. acima). Veja também ciência cristã,
para uma apreciação do contexto do qual surgiu a
Unidade.
6
Mead, Frank S. Handbook of Denominations
Por décadas, a Escola da Unidade do Cristianismo promove ampla in the United States, rev. Samuel S. Hill, 8th ed.
distribuição de material impresso. Cortesia de Verlyn D. Verbrugge Nashville: Abingdon, 1951, 8th ed, 1985, p. 257.
ESPIRITUALISMO; IGREJA UNIVERSAL DO MESTRE 165

ESCOLA DO MINISTÉRIO TEOCRÁTICO Universal do Mestre foi fundada em 1908 em Los


(Testemunhas de Jeová). Reunião semanal reali- Angeles. O espiritualismo1 do qual ela deriva sua es-
zada num salão do reino, quando os testemunhas- sência vem dos antigos séculos. Um novo interesse
de-jeová participam de treinamento (em várias em espiritualismo começou em 1843 quando um
áreas) para o serviço de campo (pregação de casa sapateiro de Nova York chamado Andrew Jackson
em casa). Davis afirmou que ele possuía a habilidade para
se comunicar como um médium com o mundo
ESCORPIÃO (astrologia). Oitavo signo do zo- espiritual. Ele foi autor de muitos livros em seus
díaco, abrange o período de 24 de outubro a 21 estudos e experiências, tal como Principles of
de novembro. De acordo com a mitologia grega, Nature [Princípios da natureza] (1847).
Escorpião era a serpente que picou Órion e Cinco anos depois, em 1848, kate fox e suas
levou-o à morte. Pessoas nascidas sob esse signo, irmãs Margaret e Leah afirmaram ter ouvido ba-
segundo os astrólogos, são cautelosas e têm uma rulhos de batida em sua casa em Hydesville, Nova
grande força de caráter e determinação interior, York. A casa em que elas moravam era reputada
mas os romances e amores apaixonados que se como mal-assombrada. Os barulhos variavam
deterioram podem “picar” como um escorpião. de batidas a som de móveis sendo arrastados.
Ciências, diplomacia e medicina são carreiras As irmãs Fox logo descobriram que elas podiam
frequentemente associadas ao signo de Escorpião. se comunicar com a presença invisível. Elas
afirmaram que o espírito se identificava como
ESOTÉRICO (gnosticismo; movimento Nova sr. Splitfoot e que ele havia sido assassinado na
Era; ocultismo). Termo que permanece pratica- residência delas. Posteriormente um esqueleto
mente inalterado em sua definição tradicional foi desenterrado no porão.
nos dicionários. A ideia básica desse vocábulo é Um desenrolar interessante aconteceu em
a da possessão de conhecimento ou verdades que 1855 quando ambas, Kate e Margaret Fox, ad-
permanecem ocultos ou velados para os que não mitiram publicamente que elas próprias haviam
foram designados a recebê-los (o contrário de “exo- produzido os barulhos de batidas. Posteriormen-
térico” = conhecimento público). O conhecimento te, elas removeram essa confissão, afirmando
esotérico é muito comum entre os adeptos de seitas. terem sido subornadas para dar tal depoimento
originalmente.
ESPERANTO (bahaísmo; espiritismo; LBV). O conto das irmãs Fox estimulou interesse
Língua artificial criada pelo médico polonês (de imediato, e o renascimento do espiritualismo
origem judaica) Lazar Ludwig Zamenhof, e apre- estava a caminho. Em 1852, quatro anos após o
sentada ao mundo em 1887. Por ser de extrema relato das batidas, uma assembleia foi realizada
facilidade para o aprendizado e utilíssimo na em Cleveland para todos aqueles que se consi-
comunicação, a língua de Zamenhof foi adotada, derassem espiritualista. Com o apoio de Horace
no Brasil, por organizações que propagam o es- Greeley, o editor do jornal New York Tribune,
piritismo, como a Federação Espírita Brasileira e o movimento recebeu um impulso adicional e
a legião da boa vontade. Também alguns adeptos começou a florescer. Importado dos Estados Uni-
do bahaísmo veem no esperanto o cumprimento dos, o espiritualismo logo conquistou muitos ávi-
da profecia de Bahá-u’llah. Além disso, existem dos praticantes por toda Europa. Os escritos de
associações esperantistas que propagam o mor- Allan Kardec na França, e muitos outros, refletem
monismo, o adventismo e o ecumenismo. (RP) o interesse e a fascinação que o espiritualismo
manteve durante a era do Romantismo. O mais
ESPIRITISMO. Veja kardecismo. famoso de todos os médiuns foi Daniel Douglas
Home e Eusapia Palladino. Home alegou ter vi-
ESPIRITUALISMO; IGREJA UNIVERSAL DO venciado levitação próxima a tetos, flutuado fora
MESTRE (espiritualismo). História. A Igreja das janelas, e esticado seu corpo doze polegadas
166 ESPIRITUALISMO; IGREJA UNIVERSAL DO MESTRE

a mais que o normal. Eusapia Palladino era uma tude curiosamente ambivalente: sempre ansioso
jovem garota de extração camponesa, conhecida para estabelecer que comunicação com espírito
por ter sido capaz de fazer objetos moverem com era de fato possível, cada exposição com êxito
um mero relance ou piscar de olhos. No final parecia entristecê-lo. Sua amizade próxima com
do século, muitos movimentos espiritualistas e Sir Arthur Conan Doyle foi cortada quando Dama
igrejas organizadas começaram a surgir. A mais Conan Doyle (uma psicógrafa) elaborou uma
antiga dessas foi a Igreja Universal do Mestre, mensagem da mãe falecida de Houdini. Apesar
formada em 1908 e oficializada em 1918. Ela logo de inicialmente ter se emocionado com a men-
espalhou sua influência da Califórnia, para todos sagem, Houdini posteriormente a rejeitou como
os Estados Unidos. Atualmente, o movimento falsa, alegando que foi o tipo de mensagem que
continua próspero. nenhuma mãe poderia ter enviado e que possuía
Douglas Hill e Pat Williams, em seu trabalho um domínio da língua inglesa que superava o
informativo The Supernatural [O subrenatural], que a sua mãe havia possuída. [...] Houdini tam-
afirmam que certamente existem mais céticos do bém apareceu em uma investigação conduzida
que defensores do espiritualismo. Citando D. J. pela revista Scientific American, que em 1923,
West, Hill e Williams resumem essa prevalência ofereceu 5 mil dólares a qualquer médium que
do ceticismo: “O espiritualismo viceja em almas pudesse convencer um comitê de cientistas de
simples. Nos pequenos centros, os cultos espi- que ele era genuíno. Houdini era um membro do
ritualistas têm são tão rudimentares como as comitê que avaliou diversos médiuns. Alguém,
reuniões de qualquer seita fundamentalista. A au- afirmando produzir o fenômeno de ‘voz indepen-
diência é composta majoritariamente de mulhe- dente’, foi revelado por um galvanômetro (um
res na faixa de 50 anos. Após cantar um número instrumento que detecta qualquer movimento
predeterminado de hinos, elas se acalmam para não visto) como tendo estado caminhando ao
ouvir o discurso de clarividência proferido pelo redor da sala produzindo ele próprio as mani-
médium visitante, que com grande verbosidade festações. Outro se livrou de algemas e produziu
fala sobre vibrações e harmonia, corpos astrais, um fenômeno com suas mãos livres — exceto
interação com a deidade ou quaisquer coisas quando Houdini levou 45 minutos para amarrá-
sejam na moda naquele momento. A médium lo. Então nada aconteceu”.4
implora as suas ouvintes que se fizessem recep- Em resumo, muitos dos que afirmavam ser
tivos para as pessoas amadas do outro lado, que médiuns legítimos haviam sido pegos em fraude.
esperam para se comunicar [...] Nada poderia Mas aparentemente nem todos. Algumas mani-
ser mais patético ou enfadonho”.2 festações espiritualistas permaneceram como
Por outro lado, o reformador social Robert um quebra-cabeça e ainda continuam a dividir
Dale Owen (1801-1877) se tornou um ardente a comunidade científica.
espiritualista. Seu livro Footfalls on the Boundary Muitos exemplos poderiam ser citados de
of Another World [O cair do pé na fronteira de médiuns e fenômenos espiritualistas que foram
outro mundo] o concedeu fama e popularidade tidos como realmente autênticos. Um desses
como um porta-voz do movimento. Owen foi médiuns foi a sra. Leonora E. Piper. A esposa de
convidado à Casa Branca para ler um ensaio um comerciante de Boston, Piper começou sua
em suas convicções espiritualistas. Ao ouvir a carreira como médium em 1885, e por quarenta
dissertação, o presidente Lincoln fez o famoso, anos, a comunidade científica nunca teve êxito
contudo cético, comentário: “Bem, para aqueles em refutar suas afirmações ou seus feitos.
que gostam desse tipo de coisa, julgo que é justa- Segundo uma fonte,“A senhora Piper ofereceu
mente isso o tipo de coisa que eles gostariam”.3 cerca de noventa sessões, por exemplo, observada
Um dos críticos mais francos do espiritua- cuidadosamente todo o tempo por membros da
lismo foi o famoso mágico Harry Houdini. Hill Sociedade Britânica de Pesquisas Psíquicas. O
e William relataram: “Houdini possuía uma ati- professor Oliver Lodge, posteriormente Sir Oliver
ESPIRITUALISMO; IGREJA UNIVERSAL DO MESTRE 167

Lodge, um dos cientistas mais inteligentes da In- acordo com esses escritos, os princípios gerais
glaterra e um cuidadoso investigador da Psíquica, da IUM apresentados como sendo uma versão
elaborou uma lista de 41 episódios específicos em expandida de The Seven Principles [Os sete
que sra. Piper citou fatos e informações gerais so- princípios], são os seguintes: “1. ‘Nós’ cremos na
bre as pessoas que frequentavam as suas sessões paternidade de Deus e na irmandade do homem.
de séances; esses fatos eram desconhecidos às 2. ‘Nós’ cremos que todos os fenômenos que
pessoas presentes na sessão! Isso já foi cuidado- ocorrem dentro das esferas da natureza, tanto
samente verificado e não pode ser refutado [...] físicos como espirituais, são manifestações de
A senhora Piper convenceu Sir Oliver Lodge, Sir uma inteligência infinita. 3. ‘Nós’ cremos que a
William Crooks, dr. William James, dr. Hodgson verdadeira religião é descoberta pelo entendi-
e dr. Hyslop [...] de que ela realmente possuía mento das leis da natureza e de Deus, e por se
capacidades sobrenatural”.5 viver em harmonia com elas. 4. ‘Nós’ cremos
Uma contínua voz de oposição ao espiritua- que a existência individual, a identidade pessoal
lismo tem sido a Igreja cristã. Baseada em muitas e a memória continuam depois do período de
passagens da bíblia (Êxodo 22.18; Levítico 19.31; transição chamado morte. 5. ‘Nós’ cremos que
1Samuel 28.7-19; Atos 13.1-11 etc.), a Igreja é a comunicação com os que estão no mundo in-
advertida por Deus a não interessar-se por coisas visível ou etéreo é um fato científico, plenamente
ocultas. A Igreja, longe de negar a realidade do comprovado por testes, através do fenômeno da
fenômeno do mundo dos espíritos, tem concluído pesquisa psíquica. 6. ‘Nós’ cremos que a Regra
que embora a fraude seja mais comum do que as Áurea: ‘Tudo o que você quer que os outros lhe
manifestações autênticas dos espíritos, os fenô- façam, realize também para os outros’ é a es-
menos autênticos são atribuídos aos demônios e o sência da moralidade. 7. ‘Nós’ cremos que todo
próprio diabo (João 8.44; 2Coríntios 4.4). Esse en- indivíduo tem uma responsabilidade pessoal. A
saio agora volta sua atenção aos ensinamentos do felicidade emana da obediência das leis da na-
espiritualismo em geral e a IUM em particular. tureza e de Deus e que a infelicidade e a miséria
Ensinos. Os ensinamentos básicos do es- seguem a desobediência. 8. ‘Nós’ cremos que a
piritualismo, traçados em The Seven Principles melhoria e a reforma da alma humana é sempre
of Spiritualism [Os sete princípios do espiritu- possível neste mundo e no outro. 9. ‘Nós’ cremos
alismo], publicado pela Associação Nacional de que a profecia existe em nossos dias, assim como
Espiritualistas, são os seguintes: havia nos tempos bíblicos. 10. ‘Nós’ cremos que
o Universo, como um sistema espiritual que
1. A paternidade de Deus. expressa a sabedoria divina, torna possível o
2. A fraternidade do homem. progresso eterno das almas que amam a verdade
3. A continuidade da existência. e a bondade.6
4. Comunhão dos espíritos e ministério dos Além da proibição do envolvimento com
anjos. coisas ocultas e secretas (Deuteronômio 29.29),
5. Responsabilidade pessoal. o espiritualismo também tropeça na negação
6. Compensação e retribuição daqui por da divindade de Jesus. Vários espiritualistas
diante das boas e más ações na terra. consideram a encarnação, a divindade e a obra
7. Um caminho de progresso sem fim. expiatória de Cristo na cruz “injustas”, “imorais”
e “irracionais”.7
Textos revestidos de autoridade para o espi- Juntamente com a negação da divindade de
ritualismo e a IUM incluem The Aquarian Gospel Cristo, espiritualistas proeminentes também ne-
of Jesus Christ [O evangelho aquariano de Jesus gam a trindade, e alinham-se com o ensinamento
Cristo], A New Text of Spiritual Philosophy and comum de muitas seitas religiosas mencionadas
Religion [Um novo texto de filosofia espiritualista neste volume, para afirmar a divindade da hu-
e religião], e outras literaturas religiosas. De manidade.
168 ESPIRITUALISMO; IGREJA UNIVERSAL DO MESTRE

A Igreja afirma que Deus se revelou na his- da Universidade de Chicago, 42 por cento dos
tória, através da voz dos profetas e apóstolos, e americanos adultos acreditam que eles já tiveram
de maneira completa por meio de Jesus Cristo algum tipo de contato direto com uma pessoa
(Gálatas 4.4; Hebreus 1.1,2). A regra de fé apos- que morreu”.10 A nomenclatura da Nova Era
tólica, a tradição da Igreja e o cânon sagrado das para contato com o mundo espiritual oculto é
Escrituras são os únicos recipientes da revelação. chamado channeling [canalização].11
A Igreja sempre proibiu seus membros de buscar O espiritualismo abrange uma larga gama
revelação adicional em qualquer outra fonte de ideias que fazem parte da esfera dos pen-
de autoridade estranha. Fazer isso é invocar os samentos metafísicos. Ele possui seu próprio
poderes invisíveis das trevas (Efésios 6.12). Os vocabulário único. Termos como clarividência,
espiritualistas negam a existência do diabo e dos médium, clariaudiência, telepatia, controle,
demônios.8 Entendem que a comunicação com o sessão, e muitos outros, têm surgido do espiri-
mundo espiritual conduz à iluminação, à consci- tualismo. No nível popular, o espiritualismo tem
ência mais elevada e o contato com a “inteligência sido promovido pelo tabuleiro ouija, produzido
criativa” do Universo (Princípio 2, acima). Etica- e vendido pelos Irmãos Parker.12
mente, a Regra Áurea (Princípio 6) apresenta o O espiritualismo em geral é mais popular em
ideal mais elevado do pensamento espiritualista. países como Brasil, França e Inglaterra do que
Conclusão. Na atualidade, existem aproxima- nos Estados Unidos. A Associação Espiritualista
damente 300 congregações IUM nos Estados Uni- Nacional, fundada em 1893, está baseada em
dos, com mais de 1,3 mil ministros e 10 mil mem- Washington, D.C.
bros. Ela é governada por uma junta de diretores O espiritualismo está tão abrangente e eclético
que exercem pleno e total controle administrativo. que muitos movimentos religiosos têm sido in-
Eleições são realizadas anualmente. A junta, por fluenciados por seus ensinamentos. Por sua vez, o
sua vez, elege o presidente, o qual nomeia os vários espiritualismo em si tem suas raízes no misticismo e
membros do conselho da organização. nas religiões do Extremo Oriente, particularmente
Os ministros são formados pela organização e o hinduísmo. Embora muito do que constitui o
divididos em três grupos: 1) Os licenciados, os que espiritualismo tenha sido descoberto como frau-
estão em treinamento; 2) Os praticantes, os que dulento, existem muitos casos, como aquele da
exercem o ministério da cura; 3) Os ordenados, os sra. Piper (veja acima), que tem permanecido, e
médiuns plenamente formados. Para ser ordena- talvez continuará a permanecer, sem explicação.
do, o indivíduo precisa ser um ministro licenciado O movimento continua a exercer uma influ-
ou praticante por um ano.9 Eles são formados pelo ência naqueles que estão procurando formas
Instituto Morris Pratt, em Whitewater, Wisconsin. alternativas de “espiritualidade” fora das esferas
A maioria das reuniões tem como ponto prin- ortodoxas.13 Frequentemente, aqueles mais atraí-
cipal o contato com os espíritos de entes queridos dos pela IUM e pelo espiritualismo estão sofrendo
falecidos. O médium torna-se a figura central pela morte de um entes queridos e estão na
dos cultos; membros de qualquer organização esperança de manter contato com eles. O espiritu-
religiosa são bem-vindos. alismo continua a apresentar um grande desafio
O espiritualismo, como um fenômeno do ocul- ao cristianismo tradicional ao passo que continua,
tismo, é tão velho como qualquer uma das outras através dos paradigmas da Nova Era, a apresentar
religiões antigas, embora ainda desperte o inte- uma alternativa espiritual para a igreja.14
resse dos que são fascinados pelas artes secretas.
A mais nova onda de espiritualismo tem sido Notas
manifestada no movimento nova era. Conforme 1
Espiritualismo é o termo britânico. Espiritismo é a
uma pesquisa de opinião realizada no meio palavra comumente utilizada nos EUA e no Brasil.
dos anos 1980, dirigida por “Andrew Greeley 2
Hill, Douglas; Williams, Pat. The Supernatural. New
e o Conselho de Pesquisa de Opinião Nacional York: Hawthorne, 1965, p. 115-116.
ESPIRITUALIDADE 169

3
Ahlstrom, Sydney E. A Religious History of the dos escritores do Novo Testamento, ellen gould
American People, 2 vols. New York: Image Books, white foi a última a possuí-lo. (AM)
1975, vol. 2, p. 592.
4
Hill, Douglas; Williams, Pat., op. cit., p. 128. ESPÍRITO DE VIDA (Igreja da Unificação). São
5
Martin, Walter. The Kingdom of the Cults. Minne- os que viveram de Jesus até a vinda do segundo
apolis: Bethany House, 1985, p. 231-232. Messias (sun myung moon); seriam salvas por pra-
6
Religious Requirements and Practices of Cer- ticarem os ensinamentos contidos no Novo Testa-
tain Select Groups, A Handbook Supplement for mento; vão para uma região no mundo espiritual
Chaplains. U. S. Dept. of Defense, s.d., p. 3-4. denominado “paraíso”; sua meta será tornar-se
7
Biederwolf, William Edward. Spiritualism. Grand espírito divino. Jesus foi para o “paraíso”. (AM)
Rapids: Eerdmans, 1952, p. 241.
8
Cf. satanismo. ESPÍRITO DIVINO (Igreja da Unificação).
9
Religious Requirements and Practices, p. 2. O estágio final, o reino dos céus, habitado pri-
10
Miller, Elliot. A Crash Course on the New Age meiramente por aqueles que participaram da
Movement. Grand Rapids: Baker, 1977, p. 141. “primeira ressurreição”, ou seja, acreditaram
11
Cf. movimento da nova era para uma análise mais em sun myung moon como o “messias” e “senhor
detalhada do conceito de canalização. do segundo advento”, e o serviram até a morte,
12
O artigo sobre satanismo fornece uma análise mais sendo por isso libertos da morte espiritual (res-
detalhada do fenômeno do tabuleiro ouija. surreição); depois vêm aqueles que viveram no
13
Cf. também associação de pesquisa e iluminação, vodu, estágio de espírito de forma e espírito de vida, mas
santeria, teosofia, igreja da nova jerusalém (swende- que conseguiram finalmente alcançar a condição
borgianismo) hinduísmo, urântia etc. para perspectivas de “espírito divino”. Para se tornarem “espíritos
adicionais sobre grupos influenciados pelas ideias divinos”, os dos outros estágios deveriam vir à
espiritualistas. Terra e ajudar outras pessoas a servirem Moon;
14
Além da Igreja Universal do Mestre, outros importan- somente assim alcançariam a “ressurreição”,
tes movimentos espiritualistas incluem Assembleia ou seja, a libertação do poder de Satanás. (AM)
Geral Internacional Espiritualista (1936), com 164
mil membros em 209 igrejas; Aliança Espiritual ESPÍRITO GUARDIÃO (Igreja Messiânica
Nacional dos EUA (1913), com mais de 3 mil mem- Mundial). Espécie de “anjo da guarda”, que é
bros em 34 igrejas; Associação Nacional de Igrejas escolhido entre os ancestrais da pessoa, após seu
Espiritualistas (1893), com mais de 5 mil membros nascimento, para protegê-la. (AM)
em 164 igrejas; e a Igreja Espiritualista Progressiva
(1907), com 11 mil membros em 21 igrejas. Esta- ESPÍRITO PRIMORDIAL (Igreja Messiânica
tísticas fornecidas por Mead, Frank S. Handbook Mundial). A alma do homem que se aloja na
of Denominations in the United States, 8th ed. concepção; sua partícula divina; sua consciência;
Nashville: Abingdon, 1988, p. 235-236. seu elemento central; o Bem. (AM)

ESPÍRITO DE FORMA (Igreja da Unificação). ESPÍRITO PURO (kardecismo). Os que não


São aqueles que viveram de Abraão até Jesus, e precisam mais reencarnar. (AM)
que foram justificados pelas obras que pratica-
ram, mediante a obediência da lei mosaica; seu ESPÍRITO SECUNDÁRIO (Igreja Messiânica
próximo estágio de progresso será o de espírito Mundial). A parte má e animal do homem, que
de vida e depois o de espírito divino. (AM) se aloja aos dois ou três anos de idade; odeia a
Deus e ama o mundanismo. (AM)
ESPÍRITO DE PROFECIA (Igreja Adventista
do Sétimo Dia). Capacidade de receber e trans- ESPIRITUALIDADE (hinduísmo). No pen-
mitir infalivelmente a vontade de Deus; depois samento hindu, a espiritualidade, por um lado,
170 ESSÊNIOS

é cerimonial e externa e, por outro, mística e ESTAR LIMPO (cientologia). Conceito técnico
subjetiva. O fiel exibe confiança, amor, lealdade em cientologia, referente à pessoa que transcen-
e um profundo senso de reverência pelo divino, deu os níveis da liberação. Tal indivíduo passou
para canalizar tais virtudes através dos rituais e por um curso de purificação numa “organização
das cerimônias. avançada”. A ideia é que o subconsciente é como
uma lousa cheia de fatos, dados, equações etc.,
ESSÊNIOS (judaísmo). Importante seita judaica todos equivocados (chamados engramas). Cada
que viveu em comunidade, na praia ocidental fase do treinamento é semelhante a um apagador,
do mar Morto. Provavelmente, eles se reuniram que elimina erros, até que o indivíduo chegue ao
pela primeira vez em torno do século II a.C. ponto de sua lousa, ou mente, tenha sido “limpa”
e permaneceram até o final do século II d.C., de todos os pensamentos errôneos, ou padrões
embora não sejam mencionados no Novo Tes- nocivos e dolorosos adquiridos no passado.
tamento. Josefo, Filo de Alexandria e Plínio, o
Ancião, fornecem relatos de suas atividades. A ESTIGMA (cristianismo). Do grego stigma, que
despeito dos diferentes registros, sabemos que significa “picada dolorosa”.1 Trata-se de feridas
eram rigorosos ascetas e obedeciam estritamente que se manifestam em várias partes determina-
à torá. Observavam rigorosamente o shabat como das do corpo: cabeça, mãos, pés, ombros, joelhos
o dia de orações e jejum. Os prosélitos eram e partes laterais do corpo (as mesmas regiões nas
submetidos a três anos de treinamento antes de quais Jesus fora ferido). Portanto, ser estigmati-
serem incorporados à comunidade e poderem zado é receber no próprio corpo as chagas ou os
participar das refeições comuns. Alguns eruditos ferimentos de Jesus Cristo, literalmente. Alguns
acham que João Batista e Jesus eram essênios; acreditam que essas feridas são concedidas pela
mas tal suposição não é comprovada por evi- graça de Deus, como um privilégio de partici-
dências. Através da descoberta dos rolos do Mar pação extraordinária na Paixão de Cristo. Essa
Morto, no final dos anos 1940, nas proximidades íntima união com o Crucificado levaria o estig-
de Qumram, desenvolveu-se um consenso entre matizado a um processo de santificação e de certa
os especialistas que aquela antiga comunidade contribuição para a salvação do mundo. Entre os
era de essênios. famosos estigmatizados estiveram a alemã There-
se Neumann (1898-1962) e o italiano Francesco
EST. Veja forum. Forgione (1887-1968), mais conhecido como frei
Pio de Pietralcina. A Igreja católica reconheceu o
ESTACA (mormonismo). Quantidade de igrejas segundo caso como genuíno. Outros casos aceitos
mórmons, agrupadas geograficamente. Há apro- como legítimos: Francisco de Assis (1181-1226),
ximadamente, no Brasil, 190 estacas, cada uma Catarina de Sena (1347-1380), Verônica Giuliana
delas divididas em alas, igrejas locais e ramos (1660-1727) e Gema Galgani (1878-1903).2 (AM)
independentes. Embora o número possa variar,
cada estaca possui em média 2,5 mil membros. Notas
1
Estêvão Bettencourt. Os Estigmas. Que são? Por que
ESTADOS ALTERADOS (ocultismo). Estado são?. Pergunte e responderemos. Rio de Janeiro:
da conscientização que transcende a atitude Edições Lumen Christi, 426, nov. 1997, p. 499.
normal da consciência. Os estados alterados 2
Ibid., p. 502-505.
são induzidos de várias maneiras. Técnicas de
meditação, drogas psicodélicas e outras influ- ÉTER (ocultismo). O fluido da vida que permeia
ências produzem estados alterados com sucesso. toda matéria.
projeciologia, hipnotismo, sonhos e estados de
transe são algumas formas comuns dos estados EUBIOSE (esoterismo). Fundador da Sociedade
alterados. Mental e Espiritualista Dhâranâ (1924), conhecida
EXU 171

mais tarde por Sociedade Teosófica Brasileira. EXALTAÇÃO (mormonismo). Sinônimo de


Movimento religioso fundado por Henrique José “vida eterna”, a exaltação é o nível mais elevado
de Souza (1883-1963), que tenciona transmitir de felicidade e glória no reino celestial. Os que
conhecimentos das leis naturais, por intermédio chegam a esse estado, que foram obedientes
da revelação cíclica, conduzindo o discípulo a às “leis e ordenanças do evangelho” tornam-se
desenvolver-se internamente, visando atingir como Deus é, ou seja, um deus. (AM)
os níveis mais altos da consciência. Após sua
morte, o nome da organização foi mudado para EXISTENCIALISMO. Filosofia do século XX
Sociedade Brasileira de Eubiose. (AM) que busca afastar a atenção do mundo exterior
impessoal e racionalista para o ser interior ou
EUTIQUIANISMO (cristianismo). Veja mo- “existência” com todos os seus acompanhamen-
nofisismo. tos, suas paixões, crises, seus processos, movi-
mentos, suas conscientizações, empatias etc.
EVANGELHO DE BARNABÉ (islamismo).
Escrito apócrifo considerado pelo islamismo como EXORCISMO (ocultismo). Prática de expulsar
parte do alcorão no que diz respeito à doutrina um espírito maligno através da ajuda do poder
e à fé. divino. A Igreja católica pratica o exorcismo com
menor intensidade do que no passado, mas,
EVANGELHOS SINÓTICOS. Assim são cha- mesmo assim, ainda há ocorrências ocasionais
mados os três primeiros evangelhos: Mateus, (v. também a seção sobre exorcismo, no final
Marcos e Lucas. Deve-se a utilização desse ter- do artigo sobre satanismo). Entretanto, é prática
mo a uma obra chamada Sinopsis, que significa extremamente comum no pentecostalismo. De
“visão simultânea”, publicada no fim do século maneira mais ampla, o exorcismo é considerado
XVIII, dispondo os evangelhos em três colunas um fenômeno relacionado ao ocultismo.
paralelas, de modo que, ao serem vistos simul-
taneamente, facilitaria um estudo comparativo EXU (cultos afro-brasileiros). Embora seja
entre os três. (AM) uma personagem controvertida nos cultos afro-
brasileiros e havendo muitas divergências em
EVANGELICALISMO (cristianismo). Veja torno dele, uma coisa é unânime: em nenhum
evangélico. desses cultos uma cerimônia é iniciada sem que
primeiramente Exu seja saudado e lhe sejam
EVANGÉLICO (cristianismo). Nos Estados dadas oferendas, conhecidas vulgarmente como
Unidos, o termo é genérico e usado amplamente “despachos” (v. ebó). Possui diversos nomes,
para significar todas as formas de cristianismo dependo da nação que o cultua: Exu elegbará
favoráveis à pregação do Evangelho: luteranismo,
pietismo, presbiterianismo ou fundamentalismo. Num
sentido restrito, o termo evangélico é aplicado aos
cristãos conservadores, que procuram se afastar
das conotações negativas do fundamentalismo.
Os evangélicos lutam para obter uma atitude
menos negativa em relação às ciências e tendem
a ser menos literais na hermenêutica. Já no Brasil,
o termo é usado indiscriminadamente por igrejas
protestantes e suas descendentes.

Este ritual de dança para o exorcismo envolve mágica cerimonial,


EVANS, WARREN FELT (1817-1889). Um dos e é chamado de thovil, originário do Sri Lanka. Cortesia de Jack
líderes fundadores do novo pensamento. M Roper/CARIS
172 EXU

(iorubá), Legbá (jeje ou fon), Alaqueto (queto), mento para o mal, desde que sejam convocados
Lalu (ijexá), Pomboguera (angola) etc. para isso; sua missão é cumprir ordens, sem fazer
Na tradição iorubá, Exu é o mensageiro e o juízo de valor.
instrumento de retribuição dos orixás (cada um No sincretismo afro-católico, Exu foi iden-
tem o seu Exu). Assim, quando um “filho” de tificado com o Diabo. Embora haja diversas
um orixá lhe obedece, Exu torna-se instrumento semelhanças, sobretudo na quimbanda, essa
de proteção; entretanto, caso o desobedeça, este associação é imperfeita em muitos sentidos,
pode aplicar-lhe severos castigos. No candomblé, sobretudo porque nos cultos de influência iorubá
Exu não pode ser incorporado, apenas cultuado; não existe a noção do bem e do mal, como na
não se trata de um orixá, mas de um serviçal tradição judaico-cristã; não há uma figura cen-
deles. Segundo um itã ifá iorubá, Exu havia sido tral como arqui-inimigo do Deus Supremo. Na
um orixá, mas perdera sua patente, tornando-se demonologia cristã, o soberano dos demônios é
apenas um intermediário. Ao contrário do can- Satanás, mas os exus não têm um soberano do
domblé, na umbanda os exus são incorporados, mal; ao contrário, são apenas agentes dos orixás,
sendo vistos como espíritos em estado de evo- podendo prestar-se tanto para o bem, quanto
lução (por influência do espiritismo), habitando para o mau. Já na umbanda, Exu é um espírito em
o sexto plano da hierarquia espiritual. Nesse evolução, o que está muito longe da concepção
estado, os exus não têm vontade própria; tanto cristã, que ensina o sofrimento eterno como pu-
auxiliam um orixá, quanto se tornam um instru- nição para Satã e suas hostes demoníacas. (AM)
F
FALANGE (umbanda). O mesmo que conjun- então está pronto para emergir na unidade com o
to, grupo, legião. A umbanda esotérica divide divino. O conceito de fana encontra grande apelo
o mundo dos espíritos ou o universo em sete na expressão sufista da fé muçulmana.
linhas, cada qual chefiada por um orixá, aos quais
estão subordinadas as falanges das entidades FANTASMA (ocultismo). Uma aparição ; a
espirituais em sintonia com eles. (AM) manifestação ou aparência de uma entidade
espiritual, geralmente de uma pessoa já falecida.
FAMBA (Abakua; cultos da América do Sul;
ocultismo).Templo afro-cubano, usado no culto FAQUIR (islamismo). Asceta muçulmano, cujo
abakua. nome deriva-se da palavra árabe que significa
“pessoa pobre”. Os faquires associavam-se aos
FAMÍLIA-DE-SANTO (candomblé). Designa dervixes e frequentemente pediam esmolas.
o pai ou a mãe-de-santo, juntamente com seus
filhos e filhas-de-santo, que dividem os cômodos FARD, WALLACE (1877-1949). Nascido em
na casa-de-santo. (AM) meca, foi o fundador do Movimento Islâmico
Negro (v. comunidade mundial do islã no ocidente).
FAMÍLIA DO AMOR, A. Veja meninos de deus.
FARISEUS (judaísmo). “Fariseu” significa
FAMÍLIA REAL (A Família; Meninos de Deus). “separado”. O farisaísmo é uma das principais
Todos os fiéis seguidores de moisés davi. instituições religiosas do antigo judaísmo, que teve
um importante papel na história dos judeus. Esse
FAMILIAR (ocultismo; satanismo; bruxaria). grupo surgiu entre os dois Testamentos como um
Nas antigas formas de bruxaria, familiar era o movimento religioso de protesto contra a heleni-
demônio que agia como companheiro e atendente zação do judaísmo. Os fariseus consideravam-se
dos bruxos. Esses espíritos imundos geralmente os intérpretes da lei ou da torá. No desejo de
assumiam a forma de animais, embora às vezes proteger a lei, formularam uma “lei oral” (v.
se apresentassem também em forma humana. mishnah), que complementava a “lei mosaica”.
As bruxas frequentemente consultavam seus Eles acreditavam na vida após a morte e na res-
familiares para vários propósitos, como proferir surreição dos mortos.
encantamentos e feitiços. Na literatura, os fami- Jesus dirigiu duras críticas a essa seita por
liares eram chamados pelo nome, como Frin, vários motivos (Mateus 5.20; 16.6, 11,12; 23.5,
Josophat, Grimoald (nome do familiar de Oliver 13-15, 23 etc.). Primeiro, os fariseus colocavam
Cromwell), Zewviel etc. mais ênfase e atribuíam mais autoridade à lei
oral do que a de Moisés, reconhecida por Jesus
FANA (islamismo; sufismo). “Consumido com como procedente de Deus. Segundo, eles não
Deus”. O místico Abu Hamid Ghazali escreveu: tinham disposição para cumprir o que exigiam
“Quando o adorador não pensa mais em sua dos outros. Terceiro, eles pareciam, como grupo
adoração ou em si mesmo, mas está totalmente religioso, estar muito mais preocupados com a
entregue àquele a quem adora, seu estado é aparência exterior que com questões interiores
chamado de fana”. Depois que o devoto busca da fé. Por último, eles olhavam com desprezo
o perdão de Alá, ele/ela é absorvido por maomé e para os gentios e as pessoas comuns de sua nação.
174 FEITIÇARIA

FEITIÇARIA (ocultismo). Termo usado univer- mente, ou seja, um produto da mente, uma ilusão;
salmente no mundo do ocultismo, para descrever assim, segundo a SNI, a doença é uma ilusão; para
a habilidade de manipular ou controlar os espí- eliminá-la será preciso redescobrir a verdadeira
ritos, através da magia negra. condição de filho de deus. (AM)

FEITICEIRO (ocultismo). Praticante de feiti- FERIADOS E DIAS SANTOS ISLÂMICOS.


çaria; ele é chamado por vários nomes, como O calendário muçulmano data da época da emi-
mago, xamã etc. gração de maomé, de meca para medina, em 622
d.C. Existem dois dias festivos no islamismo.
FEITIÇO (ocultismo). Palavra proferida, ou O id al-fitr celebra o final do ramadã. O id al-
encantamento, que contém poderes mágicos (v. adha, uma festa de “sacrifício”, feita no final da
magia). Os feitiços são dirigidos a outras pessoas peregrinação anual. O calendário muçulmano
ou usados a fim de invocar poderes para uso baseia-se no ano lunar, onde cada mês conta com
pessoal, por parte de um feiticeiro. 29 e 30 dias, alternadamente. O ano começa no
muharram (16 de julho). O nono mês, ramadã,
FEITIO (santo-daime). Designa o processo de inicia o tempo sagrado do jejum.
preparação do santo-daime, uma bebida aluci-
nógena. Um dos pontos altos é a bateção. (AM) FERRADURA DA SORTE (ocultismo). Peça
de ferro em formato de lua crescente, pregada
FENG SHUI (taoísmo). Significa “vento e água”. na porta da casa de indivíduos supersticiosos,
É uma prática religiosa chinesa que visa desviar para afastar os maus espíritos. O ferro da peça
a energia negativa de lares e locais de trabalho, emana poderes contra a bruxaria.
atraindo a boa sorte. Isso só é possível pela cor-
reta utilização da energia de vida denominada FESTA DO SACRIFÍCIO (islamismo). Oferta e
chi, que transforma locais portadores de energia sacrifício de uma ovelha. Metade da carne é dada
nociva em ambientes que produzem prosperida- aos pobres, de acordo com o costume muçulmano.
de, felicidade e harmonia. (AM)
FETICHE (ocultismo; santeria; cultos da Améri-
FENÔMENO (Seicho-no-Ie). Sombra projetada ca do Sul). Crença mantida particularmente nas
daquilo que sentimos e reconhecemos mental- religiões da África Ocidental, de que os espíritos
são capazes de possuir objetos. Existe também a
crença de que certos objetos ou talismãs podem
afastar os espíritos maus.

FILHO DE DEUS (mormonismo). Todos os


seres humanos são filhos de Deus, ou seja, todos
experimentaram uma existência como espíritos,
gerados por Deus, antes de obterem corpos
terrenos (isto é, virem à Terra). Portanto, ser
filho de Deus de maneira alguma determinará a
recompensa final que cada um receberá.

FILHO DE DEUS (Seicho-no-Ie). A verdadeira


condição do homem, pois o filho de Deus não
Kit de feitiço comprado numa loja de presentes num hotel em Las
tem pecado, imperfeição etc.; ele é, por natu-
Vegas, que também oferece serviços de cartomancia. Cortesia reza, perfeito em todos os aspectos; só precisa
de Jack M. Roper/Caris descobrir isso. (AM)
FONTE DA VIDA (lIFE SPRING) 175

FILHO-DE-SANTO (cultos afro-brasileiros). sentimentos negativos, equilibrando os três


Aprendiz de pai ou mãe-de-santo; médium que serve níveis do ser humano: mental, físico e emocio-
de apoio para a incorporação de um orixá. (AM) nal, facilitando o fluxo de energias superiores
através da personalidade. Esse tratamento foi
FILLMORE, CHARLES (1854-1948). Funda- desenvolvido pelo dr. Edward Bach (1886-1936),
dor, junto com sua esposa, myrtle fillmore, da médico inglês, que atuou como bacteriologista
Unity School of Christianity [v. escola da unidade num hospital de Londres. Decepcionado com a
do cristiansimo]. medicina tradicional, ele decidiu morar numa
floresta de Gales, na Grã-Bretanha. Sua estada na
FILLMORE, MYRTLE (1845-1931). Funda- floresta fez com que descobrisse uma sensibili-
dora, junto com seu marido charles fillmore, da dade até então desconhecida, a saber, sentir com
Unity School of Christianity [v. escola da unidade um simples toque as energias transmitidas pelas
do cristiansimo]. flores. Outra maneira era colocar na boca as gotas
que o orvalho deixava sobre elas. Seus estudos
FLAGAE (ocultismo; bruxaria). Espíritos fami- levaram-no a constatar que algumas flores tam-
liares que aparecem a uma bruxa ou a um médium bém produziam sentimentos negativos, e outras
num espelho. tinham o poder de anulá-los (entre 1930 e 1934,
ele identificou 38 flores silvestres que teriam essa
FLORAIS DE BACH (medicina alternativa). propriedade). A partir daí, o dr. Bach lançou os
Medicamentos produzidos com a essência de fundamentos da nova medicina. Na Inglaterra,
plantas que teriam a propriedade de anular o The Dr. Edward Bach Centre fornece consultas
e tratamentos à base dessa terapia floral. (AM)

FLUIDO CÓSMICO (kardecismo). A matéria-


prima de onde se origina tudo o que existe no
universo. (AM)

FO (budismo). Termo que designa o buda que


atingiu o ponto para alcançar o nirvana.

FONTA (Urântia). Nome de um dos pais da raça


humana (v. andon).

FONTE DA VIDA (LIFE SPRING). História.


Fundada em 1974 por John Hanley, que anterior-
mente pertenceu ao movimento Mind Dynamics
[dinâmicas da mente], assim como werner erhard,
fundador do Forum (antigo Erhard Seminars
Training — EST). Os ensinamentos da Fonte
da Vida têm um notável paralelo com o Forum/
EST, principalmente na ênfase posta sobre uma
visão introspectiva da realidade. Os dois movi-
mentos diferem no fato de que a Fonte da Vida
não pratica a humilhação nem ataca verbalmente
Este anel pentagrama foi muito usado por uma ex-bruxa como um
seus membros, como faz o Forum/EST. Ambos os
fetiche ou talismã para protegê-la dos maus espíritos. Cortesia grupos usam a abordagem dos seminários para
de Jack M. Roper/Caris propagar seus princípios.
176 FONTE DA VIDA (lIFE SPRING)

Hanley desenvolveu suas ideias com a ajuda problemas físicos, são sintomáticos e têm sua
de John Enright, do Gestalt Institute, e vários fonte num mal espiritual muito mais profundo,
outros empreendedores do movimento do po- isto é, a separação de Deus por causa do pecado
tencial humano. (Gênesis 3). Para o Forum/EST e a Fonte da
Desde 1974, a Fonte da Vida tem mostrado Vida, o conceito de pecado é o resultado de uma
um crescimento estatístico impressionante. Em filosofia de vida doentia e duvidosa.
1977, mais de 20 mil pessoas estavam arroladas Devido ao fato de a verdade, o amor e a
nos seminários de treinamento. Em 1980, o auto­identidade ter sua fonte na humanidade, a
número já ultrapassava os 100 mil. No final da conclusão lógica da questão é que o homem é seu
década de 1980, os líderes afirmavam que mais próprio deus. É esse conceito que coloca a Fonte
de 300 mil pessoas estavam inscritas nos semi- da Vida dentro dos fundamentos filosóficos da
nários Fonte da Vida. O movimento rapidamente religião oriental e no bojo da complexa rede de
tornou-se um empreendimento de milhões de organizações que constituem o movimento nova
dólares; o próprio Hanley passou a receber um era. O ocultismo também tem uma parte impor-
salário de 200 mil dólares. O preço para partici- tante na Fonte da Vida, pois seus adeptos acredi-
par de um seminário originalmente era de 200 tam que poderes “psíquicos” estão na origem das
dólares, preço que em 1980 subiu para 350 e em potências humanas, as quais são desenvolvidas
1984 para 450 dólares. Uma boa parte dos par- e fortalecidas mediante exercício e treinamento.
ticipantes é do campo empresarial, em busca do A Fonte da Vida diferencia-se do cristia-
melhor desempenho nos negócios. nismo em outro importante aspecto. O cristão
Ensinos. A Fonte da Vida enfatiza a ideia de estabelece sua atenção num Deus transcendente
que a verdade é um projeto subjetivo, cuja fonte (v. transcendência) que vive fora e apartado da
está no “âmago” da alma humana. Nesse escon- criação. Nosso culto é um movimento para fora
derijo estão a verdade, o amor e a identidade. O e para dentro. A orientação existencialista da
objetivo é atingir esse âmago, ou seja, descobrir Fonte da Vida opõe-se a essa noção. Devido ao
e utilizar o potencial que existe no interior do fato de a divindade latente habitar dentro de cada
ser. Parte do treinamento consiste em dividir indivíduo, o culto de adoração é dirigido para
os participantes em pares, chamados díades, dentro, em direção do próprio ego.
com o propósito de compartilhar e confrontar Conclusão. O iniciante, depois do paga-
um ao outro.1 Eles tentam descobrir o “espaço” mento das taxas, submete-se a cinquenta horas
dentro da mente do outro, para, dessa maneira, de treinamento, por um período de cinco dias.
descobrir o potencial latente no interior de cada No final, o indivíduo tem o direito de escolher,
um. A utilização do potencial, então, torna-se além desse treinamento básico, o curso avançado
possível com mais treinamento. chamado “Experiência Interpessoal”. Na época
Todos os problemas e todas as dificuldades em que esta pesquisa foi feita, a taxa adicional era
na vida surgem dos erros fundamentais no pro- de 750 dólares. Cerca de 50% dos alunos seguem
cesso de pensamento do indivíduo. A solução, adiante e fazem o curso avançado, que consiste
portanto, é submeter-se a uma mudança radical de cinco dias de treinamento intensivo. O curso
na maneira de pensar ou de conceituar a reali- sênior, chamado Programa de Treinamento Co-
dade. Até mesmo as doenças e todas as formas ordenador, inclui mais 70 dias de treinamento.
de males fisiológicos são atribuídos a problemas Nesse estágio, os alunos estão prontos a servir
existentes na mente humana.2 na Fonte da Vida de várias maneiras, como
O cristianismo discorda radicalmente da Fonte instrutores, recrutadores etc.
da Vida. Enfermidades, problemas e dificuldades O movimento Fonte da Vida não ficou
não são resultado de um modo de pensar errado. despercebido na mídia; portanto, não escapou
Pelo contrário, o próprio pensamento contra- do escrutínio dos olhos da opinião pública. O
ditório, bem como as enfermidades e outros programa de TV 20/20 fez uma cobertura sobre o
FORUM 177

movimento em 30 de outubro a 6 de novembro de faz com que objetos se movam sem a ação de
1980. Foram tiradas várias conclusões. Primeira, meios físicos.
os professores e instrutores da Fonte da Vida
ministravam psicologia como amadores, sem FORREST, NATHAN (1821-1877). O primeiro
o devido credenciamento. Segunda, as técnicas grande mago da Ku Klux Klan (v. movimentos de
utilizadas nos treinamentos eram extremamente identidade).
manipuladoras em termos psicológicos. Muitos
estudantes têm procurado ajuda de profissionais, FORTIFICADO (astrologia; ocultismo). Um
como resultado dos “danos” sofridos, por terem signo do horóscopo com bom aspecto (v. aspecto).
se submetido ao treinamento da Fonte da Vida.
Há inclusive rumores de suicídios e mortes de FÓRUM (Urântia). Os membros fundadores
alunos, devido às influências recebidas durante da associação urântia. O fórum é formado por 36
tais sessões de treinamento. devotos, dedicados ao estudo do livro de urântia.
A Fonte da Vida submeteu-se a vários pro-
cessos legais no final da década de 1980. As FORUM (antigo EST). História. EST é acrônimo
acusações apresentadas são que o grupo pratica de Erhard Seminars Training [Seminários de
psicologia sem autorização e, em vez de educar, Treinamento Erhard], iniciados em 1971 por
utiliza seus métodos de “reforma do pensamento” John Paul Rosemberg, aliás werner erhard (n.
para assegurar lucros financeiros — sem con- 1935). A mudança de nome ocorreu em 1960,
siderar os efeitos sobre os clientes. Ao praticar depois que ele abandonou a esposa e os filhos.
psicologia sem a devida autorização, a Fonte da Erhard trabalhou como vendedor em diver-
Vida tem propensão para causar muitos danos sas áreas, inclusive na venda de automóveis,
aos clientes: “A liderança da Fonte da Vida não revistas e enciclopédias. Juntamente com esses
possui treinamento profissional para praticar empregos, ele também se envolveu em vários
psicologia [...]”.3 grupos religiosos como zen budismo, cientologia,
A Fonte da Vida atinge classes sociais dinâmicas da mente e outros. Erhard combinou
bem diversificadas. Programas especiais são seus talentos de vendedor e administrador com
desenvolvidos para presidiários, adolescentes, os fragmentos das muitas religiões que experi-
crianças, famílias, estudantes, empresários etc. mentou. O resultado dessa mistura foi os EST/
Muitos de seus programas são transmitidos por Forum. O movimento é chamado de Forum
meio de uma rede de rádio, por todo o país, a desde 1987.
fim de enfatizar temas da Nova Era, como saúde, Ensinos. Em 1971, Erhard alegou ter recebi-
prosperidade pessoal, vitória sobre o medo, auto- do o que chamou de “iluminação permanente”,
conhecimento, sexualidade etc., os quais refletem uma experiência descrita por ele como a percep-
os objetivos e os ensinamentos do movimento. As ção de que “o que é, é — e o que não é, não é”.
aulas e sessões de treinamento são direcionadas Essa afirmação forma uma das pressuposições
às necessidades do grupo particular que está em fundamentais do EST/Forum, ou seja, a maneira
evidência. como as pessoas racionais veem o mundo está
em exata oposição à forma como o mundo é na
Notas realidade. O ser racional é ilusório. O significado
1
Horizon (s.d.). não é imposto sobre o indivíduo a partir de fon-
2
Cf. ciência cristã. tes exteriores. O pensamento racional deve ser
3
Evans, James. Shrinking Without a Licence, Cali- interrompido e em seu lugar colocado o conceito
fornia, Mar. 1989, p. 15. do “agora sempre-presente”. Erhard sustenta
uma cosmovisão monística/solipsística na qual a
FORÇA ECTÊNICA (espiritualismo). Expres- mente de cada indivíduo determina e forma a re-
são usada para designar a força peculiar, a qual alidade. Portanto, não existe um critério objetivo
178 FORUM

para determinar a verdade absoluta (uma ilusão perdem todo o senso de resistência e tornam-se
em sua teologia). “A verdade acreditada é uma mais flexíveis e fáceis de serem manipulados.
mentira. Se você sai por aí dizendo a verdade, Então são informados de que estão livres para
está mentindo”. “criar seu próprio espaço”. Ou seja, os candida-
Para atingir o ponto em que o indivíduo aceita tos tornam-se introspectivos e dão livre vazão
essa cosmovisão altamente irracional e subjetiva, aos seus sentimentos e às suas emoções. Nesse
são oferecidas seis horas de treinamento intensivo ponto do treinamento, irrompe uma histeria em
no seminário. A pessoa paga cerca de 300 dólares massa. Choro, risadas, gritos — tudo acontece
(na época em que a pesquisa foi feita) por um ao mesmo tempo.
final de semana de treinamento, cujo objetivo é Os candidatos então ficam prontos para
capacitar os iniciantes a “alcançar aquilo”. O que aceitar o fato de que são perfeitos como estão. Se
exatamente é esse “aquilo” nunca ficou esclarecido uma pessoa percebe isso, então, ao falar descri-
em alguma pesquisa do grupo e Erhard jamais tivamente, “alcança aquilo”. Atingir algo fora do
definiu isso precisamente. O processo de treina- próprio ser e agarrar-se a absolutos e significados
mento, entretanto, pode ser descrito. que transcendem a experiência pessoal é falhar
Quando começa o seminário, 250 ou 300 na busca por “alcançar aquilo”.
pessoas são reunidas numa grande sala, geral- Os candidatos ouvem que o mundo é como
mente num auditório ou hotel. Imediatamente um grande jogo. Nós, humanos, na verdade
são estabelecidas as regras, as quais todos são somos deuses, porque sabemos que tudo é uma
obrigados a observar durante toda a seção de ilusão, enquanto os que não se graduaram no
treinamento: não falar, a menos que o treinador Forum/EST ainda acreditam que as ilusões são
dê permissão; não usar substâncias como álcool reais. O texto abaixo é o registro de uma conver-
ou cigarros etc.; não comer coisa alguma; não sação no livro de Walter Martin, The News Cults
sair para ir ao banheiro; não escrever ou fazer [As novas seitas], entre uma candidata e um
qualquer tipo de anotação. treinador, o qual tentava convencê-la de que a
De acordo com uma fonte, qualquer sistema única realidade no Universo é a que reside den-
de crenças que o candidato já tenha é alvo de tro do nosso ser. Ele insistia com ela para que se
intensa ridicularização.1 O objetivo é subjugar e alegrasse, porque seu apartamento fora roubado.
destruir todos os tipos de fé, pois eles atrapalham
o caminho do objetivo supremo — “alcançar Treinador: Você assume a responsabilidade de
aquilo”. Um autor descreve uma cena em não ter feito amigos que pudessem ficar em seu
particular: “Mark Brewer relata que um líder apartamento durante todo o tempo?
falava para um grupo de candidatos que eles Candidata: Pode ser, mas...
‘não tinham esperança. Não entendiam o que Treinador: De quem foi a ideia de que você foi
faziam; não sabiam como experimentar a vida, roubada, só porque chegou ao seu apartamento
pois lutavam, desesperados e confusos. Eram e percebeu que faltava algo?
uns IMBECIS!’ De fato, constantemente os can- Candidata: Minha!
didatos eram chamados de imbecis durante todo Treinador: Exatamente!
o treinamento [...] Outra grande ‘revelação’ do Candidata: Dane-se! (Bárbara exclama irritada).
EST é que a nossa mente é como uma máquina. Exatamente o quê?
Um líder declarou: ‘Você é uma máquina [...] Treinador: Exatamente que você criou a ideia de
uma máquina!’ Assim, por 300 dólares você que foi roubada.
não só é chamado de imbecil, mas de “imbecil Candidata: Mas eu não causei o roubo.
mecânico”.2 Treinador: Não há algum roubo, a menos que
Depois de uma intensa e repetitiva arenga, você crie isso. Se o seu rádio desapareceu, você
gritos, negações, tudo isso acompanhado de é a única culpada.
privações físicas, lentamente os participantes Candidata: Você está fora de si!
FORUM 179

Treinador: Esse é o objetivo principal do EST único nele. Através da reencarnação, cada indi-
[...] saia de sua mente, Bárbara! Você pensa em víduo é eterno. O próprio Erhard disse certa vez:
clichês e permite que outras pessoas determinem a “Como posso saber que não sou a reencarnação
realidade, quando na verdade você própria a cria.3 de Jesus Cristo?”.
Humanidade. Os conceitos de Deus e a
Existem pouquíssimas afinidades entre o humanidade estão inter-relacionados. O indiví-
cristianismo e essa miscelânea de ideias que duo, ou o ser, torna-se o árbitro final de toda a
constituem o Forum/EST. A Igreja ensina que verdade, moralidade, do certo e do errado. Para
o ser humano é concebido e nasce no pecado a humanidade, não existe verdade objetiva fora
(Salmos 51.5); portanto, pecaminoso por natu- dos parâmetros do ser (v. Deus).
reza (Romanos 7); e o seu intelecto e sua razão Salvação. Não existe conceito transcendente
estão caídos (1Coríntios 2.14); o cristianismo de salvação no Forum/EST. A pessoa percebe a
não ensina que o mundo seja uma ilusão, nem salvação quando se torna divina (v. Deus). Sal-
defende a noção de que tudo é sem sentido. Para vação é “alcançar aquilo”. Como já declaramos,
o cristão, Deus revestiu a vida com um signifi- esse “aquilo” nunca foi definido, mas pode ser
cado e um propósito. Ao negar a realidade da alcançado agora, no presente, se for buscado.
verdade objetiva e insistir em que cada indivíduo Conclusão. O Forum/EST é uma religião
determina sua própria realidade, o Foru