Você está na página 1de 2

Documentário: O dia que durou 21 anos

Dirigido por Camilo Galli Tavares


Ano: 2012
País: Brasil
Aluna: Elisama Silva de Almeida.

O documentário mostra como e por que os Estados Unidos da América decidiu interferir na
política interna do Brasil, com o pretexto do avanço comunista, vitorioso em Cuba, criando
condições para golpe militar de março de 1964, assim os Estados Unidos tiveram um papel
fundamental na deposição do governo João Goulart.
Os EUA não queriam perder o domínio sobre o Brasil, pois era um pais imenso, com uma
superpotência regional e com vasto potencial econômico, se tinha a idéia de que os EUA eram
o dono dos países da América Latina, e esses ao elegessem seus próprios representantes,
haveria uma ameaça à perda da hegemonia americana sobre esses países.
Lincoln Gordon era embaixador dos EUA no Brasil se tornou um personagem na história
política brasileira, pois foi um grande ator na arquitetura do golpe de 64, uma vez que sua
missão era impedir que o governo brasileiro guinasse para a esquerda bloqueando todas as
ações de João Goulart, pois se acreditava que ele era controlado pela esquerda.
João Goulart lutou pela reforma agrária, e isso era visto pelo EUA como uma forma que ele
tinha de ganhar espaço, uma vez que as tensões sociais mais graves eram no campo e a massa
rural aparecia com disputa no campo, ocupação de terra e marchas. Para Lincoln Gordon,
promover a reforma agrária, permitindo a desapropriação de terra, levaria o país ao
comunismo, como Fidel Castro fez em Cuba. Esse foi o argumento que ele usou para
convencer o departamento de Estado americano que o presidente João Goulart era esquerdista
e implantaria no Brasil uma república sindicalista e assim perderia o controle para os
comunistas. Por isso a CIA começou a desenvolver atividades clandestinas no Brasil, com
ordem do presidente americano John Kennedy.
Além do problema agrário, havia as concessões estrangeiras que estavam vencendo e tinham
problemas de execuções por não cumpriam os acordos obrigando o Brizola a desapropria-las
devido à falta de pagamento, pois deviam ao estado brasileiro.
Assim devido a importância do Brasil na América Latina, os EUA jamais permitiria que se
instalasse no país um governo comunista como em Cuba ou China, mesmo que fosse preciso
usar a força. E assim quanto mais Goulart resistia a pressão americana mais se concluía que
ele deveria ser deposto, pois representava uma ameaça a democracia.
Dessa forma, com o objetivo de reduzir o poder de Goulart, Gordon recebeu autorização do
presidente Kennedy para organizar a conspiração ou apoiar os militares conspiradores na
deposição de Goulart. O presidente Kennedy queria enfraquecer o governo Goulart e por isso
enviava dinheiro para os governadores e opositores que eram contra o governo pra financiar
uma campanha de desestabilização e assim evitar que Goulart se perpetuasse no poder. O
IPES (Instituto de Pesquisa e Estudos sociais) tinha a função de criar propagandas políticas
para que a população aceitasse o golpe de 64, e assim havia apoio ao golpe através de
propagandas em jornais, sindicatos... Queria-se esconder ação do EUA para derrubar o
governo de João Goulart através do IBAD que financiava deputados e emissoras para ser
contra a reforma agraria, o Brizola, a desapropriação de concessionárias ou ser contra o
presidente João Goulart. Logo, a mudança de regime no Brasil foi patrocinada pelo EUA.
Quando Goulart aceitou o apoio dos partidos comunistas e de grupos radicais como CGT e
num comício a qual recebeu apoio do povo, se concluiu, com certeza, que ele havia virado
comunista. E por isso se tomou medidas para aumentar a resistência à Goulart através de
passeatas, nas forças armadas, na impressa e nos grupos católicos (como a marcha da família)
com ações anticomunistas. A marcha com Deus pela família e pela liberdade estalou um novo
vigor nos conspiradores militares e Castelo Branco aceitou liderança das forças armadas,
determinadas agir contra ação comunista. Gordon pediu uma esquadra naval para estacionar
na costa brasileira e assim ajudar no golpe de forma que todos soubessem, e assim haveria
uma ameaça psicológica Goulart e seus aliados.
Havia certeza de que João Goulart resistiria militarmente e dizimaria com os soldados de
Morão filho, tendo em vista a força militar que o presidente poderia mobilizar, mas não o fez
e declarou vaga a presidência da república, e assim foi um golpe “fácil”, pois não houve
resistência. Para Lincoln Gordon esse fato foi uma grande vitória ao mundo livre.
Castelo Branco seria a escolha ideal dos EUA para presidir o Brasil e garantir seus interesses,
e para isso os EUA estava disposto a contribuir para o sucesso político e econômico do
governo militar brasileiro. O presidente Castelo Branco fez medidas e modificações na
constituição para continuar no poder extinguindo partidos políticos e cancelando a eleição
presidencial de 1965.
Os militares queriam se perpetuar no poder, cortando a liberdade da imprensa, das discussões,
e das reuniões; havia torturas que eram legitimadas, logo não havia democracia. Mesmo assim
o EUA continuou apoiando financeiramente o Brasil a manter o regime militar. Assim com a
ajuda américa, o governo militar ficou no poder por 21 anos, uma das mais longas ditaduras
da história da américa latina.

Você também pode gostar