Você está na página 1de 27

TRANSFERÊNCIA DE CALOR

Professor SAID MOUNSIF

http://smounsif.wix.com/professor-said

24/01/2013 Prof. SAID MOUNSIF - FENAV/ITEC/UFPA


CONTEÚDO DA DISCIPLINA DE TRANSFERÊNCIA DE CALOR

CAPÍTULO 1 - INTRODUÇÃO À TRANSFERÊNCIA DE CALOR


Taxa de Transferência de Calor - Modos de transferência de calor

CAPÍTULO 2 - TRANSFERÊNCIA DE CALOR POR CONDUÇÃO


A equação da condução do calor - Condutividade térmica - Analogia elétrica
Paredes compostas - Sistemas radiais

CAPÍTULO 2-BIS – CONDUÇÃO MULTIDIRECIONAL - EQUAÇÃO DE DIFUSÃO DE CALOR

CAPÍTULO 3 - TRANSFERÊNCIA DE CALOR POR CONVECÇÃO


A transmissão de calor por convecção - O coeficiente de transferência de calor por convecção
A resistência térmica de convecção

CAPÍTULO 4 – TRANSFERÊNCIA DE CALOR GLOBAL


Coeficiente global de transferência de calor - Superfícies aletadas

CAPÍTULO 5 -TROCADORES DE CALOR


Tipo de trocadores - Média Algorítmica das diferenças de temperaturas
Balanço térmico em trocador de calor - Coeficiente Global de transferência de calor
Fator de Fuligem - Fluxo de Calor para trocadores de calor com mais de um passe

CAPÍTULO 6 - PRINCÍPIOS DA RADIAÇÃO TÉRMICA


Corpo negro e corpo cinzento – Lei de Stefan-Boltzmann – Fator de Forma
Efeitos combinados de condução – convecção – radiação

24/01/2013 Prof. SAID MOUNSIF - FENAV/ITEC/UFPA


SUPERFÍCIES ALETADAS

Uso de aletas para aumentar a transferência de calor de


uma superfície plana

(a) superfície plana (b) superfície aletada


24/01/2013 Prof. SAID MOUNSIF - FENAV/ITEC/UFPA
SUPERFÍCIES ALETADAS

• A taxa de transferência de calor pode ser


aumentada, aumentando-se a área da superfície
através da qual a convecção ocorre.

• Isto pode ser feito, empregando-se aletas que


estendem-se a partir da parede, adentrando o fluido
adjacente.

• O material da aleta deve ter uma alta condutividade


térmica, para minimizar variações de temperatura
desde a sua base até a ponta, e proporcionando o
maior aumento possível na transferência de calor.

24/01/2013 Prof. SAID MOUNSIF - FENAV/ITEC/UFPA


SUPERFÍCIES ALETADAS

As aletas são de uso muito comum na tecnologia.


Considere por exemplo os blocos e cabeçotes de
motores de motocicletas e cortadores de grama, e o
corpo de motores elétricos.

Considere também os tubos aletados utilizados para


promover a troca de calor entre o ar e o fluido
refrigerante em um condicionador de ar.

O condensador típico de geladeiras e bebedouros, com


arames soldados transversalmente sobre o tubo,
também é uma aplicação típica, com os arames servindo
como aletas.

24/01/2013 Prof. SAID MOUNSIF - FENAV/ITEC/UFPA


SUPERFÍCIES ALETADAS

24/01/2013 Prof. SAID MOUNSIF - FENAV/ITEC/UFPA


SUPERFÍCIES ALETADAS

Trocadores de calor com tubos aletados

24/01/2013 Prof. SAID MOUNSIF - FENAV/ITEC/UFPA


SUPERFÍCIES ALETADAS

Condensadores do tipo arame-sobre-tubo

24/01/2013 Prof. SAID MOUNSIF - FENAV/ITEC/UFPA


SUPERFÍCIES ALETADAS

A seleção de um tipo particular de aleta depende de


considerações acerca do:

• Espaço físico;
• Peso;
• Fabricação;
• Custo.

Além do que, na mesma proporção que aumentam a


área de troca de calor, a presença das aletas pode
reduzir o valor do coeficiente de convecção para a
superfície, bem como aumentar a perda de carga
associada ao escoamento sobre as aletas, ao
diminuir a área da seção transversal do escoamento.
24/01/2013 Prof. SAID MOUNSIF - FENAV/ITEC/UFPA
SUPERFÍCIES ALETADAS

24/01/2013 Prof. SAID MOUNSIF - FENAV/ITEC/UFPA


SUPERFÍCIES ALETADAS

24/01/2013 Prof. SAID MOUNSIF - FENAV/ITEC/UFPA


Análise Geral de Condução em Superfícies Estendidas

Equação de conservação de energia para superfícies estendidas

24/01/2013 Prof. SAID MOUNSIF - FENAV/ITEC/UFPA


Análise Geral de Condução em Superfícies Estendidas

Aletas de seção reta constante

Então a equação de energia fica:

24/01/2013 Prof. SAID MOUNSIF - FENAV/ITEC/UFPA


Análise Geral de Condução em Superfícies Estendidas

Aletas de seção reta constante

Condições de Contorno:

• Na Extremidade em contato com a base: Em x=0 T=Tb

• Na Extremidade livre: 4 Casos 4 Condições de Contorno

1º Caso Em x=L fluxo de calor por convecção

2º Caso Em x=L fluxo de calor por convecção nulo


3º Caso Em x=L Temperatura prescrita

4º Caso L=∞ ; Aleta infinitamente longa

24/01/2013 Prof. SAID MOUNSIF - FENAV/ITEC/UFPA


Análise Geral de Condução em Superfícies Estendidas
1º Caso: Em x=L fluxo de calor por convecção

Prof. SAID MOUNSIF - FENAV/ITEC/UFPA


Análise Geral de Condução em Superfícies Estendidas
2º Caso: Em x=L fluxo de calor por convecção nulo

Prof. SAID MOUNSIF - FENAV/ITEC/UFPA


Análise Geral de Condução em Superfícies Estendidas
4º Caso: L=∞ ; Aleta infinitamente longa

Prof. SAID MOUNSIF - FENAV/ITEC/UFPA


SUPERFÍCIES ALETADAS

Aleta = Barra longa exposta ao ar ambiente

1. Determine a distribuição de temperatura na barra e as perdas de calor pela


barra, considerando 2 materiais: aço (k=14W/mK) e cobre (k=398 W/mK).

2. Estime o comprimento que a barra deve ter para que a hipótese de barra
infinita seja satisfatória.

24/01/2013 Prof. SAID MOUNSIF - FENAV/ITEC/UFPA


SUPERFÍCIES ALETADAS

Aleta = Barra longa exposta ao ar ambiente

Prof. SAID MOUNSIF - FENAV/ITEC/UFPA


SUPERFÍCIES ALETADAS

Desempenho das aletas

As aletas aumentam a troca de calor


aumentando a área superficial de troca.

Porém, a aleta é também uma resistência


adicional a troca de calor original.

Efetividade da aleta

24/01/2013 Prof. SAID MOUNSIF - FENAV/ITEC/UFPA


SUPERFÍCIES ALETADAS

Desempenho das aletas

Efetividade da aleta

4º Caso: L=∞ ; Aleta infinitamente longa

24/01/2013 Prof. SAID MOUNSIF - FENAV/ITEC/UFPA


SUPERFÍCIES ALETADAS

Desempenho das aletas

24/01/2013 Prof. SAID MOUNSIF - FENAV/ITEC/UFPA


SUPERFÍCIES ALETADAS

Desempenho das aletas

24/01/2013 Prof. SAID MOUNSIF - FENAV/ITEC/UFPA


Exercícios de Aplicação
Ex1. A distribuição de temperaturas numa aleta muito longa de seção
retangular (altura igual a 2cm, largura igual a 50cm e comprimento
igual a 1m), em contato com o ambiente é dada por:

Determine a eficiência desta aleta, considerando que a condutividade


térmica é igual a 320 W/mK. Resp. εf=0,20

Ex2. Uma aleta cilíndrica deve ser utilizada para aumentar em 20% a
troca de calor entre uma parede e o ambiente. A parede tem a
temperatura mantida a 200 ºC, e está exposta ao ar ambiente a 25 ºC. O
coeficiente de troca de calor por convecção entre a aleta e o ambiente
vale 10 W/m2K. A aleta deve ser construída com um material de
condutividade térmica igual a 100 W/mK. Considerando condução uni-
dimensional e que o comprimento da aleta tende a infinito (i.e.,
T(L)→T∞), determine o raio da aleta e a expressão para a variação da
temperatura ao longo da aleta.
24/01/2013 Prof. SAID MOUNSIF - FENAV/ITEC/UFPA
Exercícios de Aplicação
Ex3. Uma placa plana de alumínio ( k =
175 Kcal/h.m.ºC ) de resistência térmica
desprezível tem aletas retangulares de
1,5 mm de espessura e 12 mm de altura,
espaçadas entre si de 12 mm, ocupando
toda a largura da placa. O lado com
aletas está em contato com ar a 40 °C e
coeficiente de película 25 Kcal/h.m2.°C.
No lado sem aletas escoa óleo a 150 ºC
e coeficiente de película 225
Kcal/h.m2.°C. Calcule por unidade de
área da placa :
a) Fluxo de calor pela placa aletada
desprezando a resistência da película de
óleo;
b) Idem item anterior levando em conta a
resistência a convecção na película de
óleo.
Exercícios de Aplicação
Ex4. Determine a porcentagem de
aumento da transferência de calor
associada com a colocação de aletas
retangulares de alumínio ( k=200 W/m.K )
em uma placa plana de 1m de largura.

As aletas tem 50 mm de altura e 0,5 mm


de espessura e a densidade de
colocação é 250 aletas por unidade de
comprimento da placa (as aletas são
igualmente espaçadas e ocupam toda a
largura da placa). O coeficiente de
película do ar sobre a placa sem aletas é
40 W/m2.K, enquanto que o coeficiente
de película resultante da colocação de
aletas é 30 W/m2.K. (Obs: desprezar as
áreas laterais das aletas).
Resp.
Exercícios de Aplicação
Ex6. A parte aletada do motor de uma
motocicleta é construída de uma liga
de alumínio ( k=186 W/m.K ) e tem
formato que pode ser aproximado
como um cilindro de 15 cm de altura e
50 mm de diâmetro externo. Existem 5
aletas transversais circulares
igualmente espaçadas com espessura
de 6 mm e altura de 20 mm.
Sob as condições normais de operação
a temperatura da superfície externa do
cilindro é 500 K e está exposta ao
ambiente a 300 K, com coeficiente de
película de 50 W/m2.K quando a moto
está em movimento. Quando a moto
está parada o coeficiente cai para 15
W/m2.K. Qual é a elevação percentual
da transferência de calor quando a
moto está em movimento.
( Obs. desprezar as áreas laterais)
Resp.

Você também pode gostar