Você está na página 1de 19

Preparos para dentes extremamente danificados

 Restauração de dentes com Próteses:

• Reforço • proteção

 Dentes muito danificados

• É necessário substituir o volume coronário, e às vezes obter retenção intra-


radicular.

* Localização da área destruída indicará o tipo de prótese:

1)Destruição periférica: coroa total

2)Destruição central:

A- núcleo de amálgama ou resina ou ionômero+coroa total B-onlay

3) Destruição combinada: - núcleo com retenção intra- radicular + coroa

* Indicações para reabilitar dentes muito danificados:

1. Retentor intra-radicular fundido


2. Núcleo de preenchimento:
- sem o auxílio de pinos - com auxílio de pinos intra-dentinários
- com o auxílio de pinos intra-radiculares pré-fabricados
Retentores intra-radiculares(RIR) metálicos fundidos
• Partes componentes:

1- núcleo: parte do retentor que substitui a porção coronária do dente


2- pino: parte do retentor que fica alojada dentro do canal radicular
3- espelho ou flange: intersecção do pino com o núcleo
4-estojo: porção do retentor que circunda a raiz. Pode não existir

• Vantagens: • Desvantagens:

- Resistência - maior número de sessões clínicas


- Versatilidade - necessidade de procedimentos
laboratoriais
- Melhor adaptação no canal radicular - Custo mais elevado
- Remoção maior de estrutura dental
• Tipos:

- Simples - Bipartido - estojado

• Preparo do dente para receber RIR metálico fundido:

(Preparo do remanescente dentário)

1. redução para o preparo da coroa


2. retiram-se as partes do dente que estejam sem sustentação
(Preparo intra radicular - dentes unirradiculares)
3. biselamento das faces vestibular e lingual (efeito férula)
4. Preparo da câmara pulpar deixando as paredes expulsivas
5. realizar odontometria do canal na radiografia
6. Desobturar 2/3 do conduto com instrumental aquecido (preservar 4mm de obturação
apical)
7. Alargar o conduto com broca de Largo, dando formato ovalóide (usar um stop no
comprimento pré- determinado do conduto)
8.Largura final: 1/3 do diâmetro da raiz na região cervical 1 mm de espessura em torno do
pino na metade da raiz e além dela
9. Fazer um sulco com a broca tronco-cônica na entrada do canal na área mais volumosa
(função anti-rotacional)
(Preparo intra- radicular - dentes multi-radiculares):
1. Selecionar o conduto de maior diâmetro e repetir os procedimentos anteriores.
2. Selecionar outro conduto e desobturar 2mm de profundidade Neste caso o segundo
conduto desempenha a função anti- rotacional.
* Preechimento de condutos

• Classificação quanto à técnica de moldagem:

- Técnica indireta -Técnica direta

Técnica de moldagem indireta:


-Usa-se fio ortodôntico com godiva (dar retenção) ou pinjet
-Com os suportes intracanais em posição, sera realizada inicialmente uma moldagem com
o material pesado.
-é feito um alivio com ajuda de um bisturi
-Após a obtenção do molde preliminar, sera preparada agora uma certa quantidade de
material leve para concluir a moldagem. A maior parte deste material é colocada sobre o
molde preliminar com o material pesado e os suportes intracanais. A parte menor é
introduzida com o auxilio da broca lentulo no interior dos canais preparados,
preenchendo-os por completo.
-Imediatamente sera reassentado o molde preliminar preenchido com material leve, sobre
os , preparos.
-encaminhar para o vazamento em gesso

Vantagens:
- quando bem utilizado apresenta bons resultados
- boa forma do núcleo

Técnica direta:
- Confecciona-se um padrão de resina diretamente sobre o dente preparado na boca do
paciente. Onde essa será incrementada aos poucos no pinjet, sendo feita com a mesma
técnica a coroa do rir. Este padrão será fundido e obtém-se o RIR
-pode-se fazer a técnica direta com pinos pré-fabricados

Vantagens:
- praticidade - menor risco de distorções - menor custo
Núcleos de Preenchimento
-Sem auxílio de pinos
-Com auxílio de pinos intra- dentinários
-Com auxilio de pinos intra- radiculares

Vantagens: Desvantagens:
- preservação de maior estrutura dental sadia - não adesão da resina aos pinos
- Economia de tempo metálicos (núcleo)
- Baixo custo - Fadiga da resina
- Boa resistência *
- Melhor estética (resina)

Pinos intra dentinários:


• Indicação:
- dentes vitalizados
- presença de dentina sólida

• Cuidados:
- invadir a polpa
- atingir o ligamento periodontal

Pinos intra-radiculares pré- fabricados:

• Indicação:
- dentes tratados endodônticamente com remanescente coronário grande
- somente para próteses unitárias

• Funções:
- propiciar retenção para o material de preenchimento que irá substituir a estrutura dental
sadia
- aumentar a resistência do dente contra fraturas, distrib. de forças pela raiz *

• Classificação quanto à forma anatômica:


- Cilíndricos - Cônicos

• Classificação quanto à configuração superficial:


- Lisos - Serrilhados - Rosqueáveis

• Classificação quanto ao material de confecção:


Metálicos:
- titânio - aço inoxidável

Não metálicos:
- Não estéticos: - fibras de carbono
-Estéticos: - fibras de vidro - fibras de quartzo - fibras de carbono com quartzo - dióxido
de zircônio
COROAS PROVISÓRIAS

Definição:
▪ São próteses temporárias, confeccionadas em resina acrílica, para serem utilizadas
entre a fase de preparo do dente e a confecção da prótese definitiva.

REQUISITOS:
▪Boa adaptação marginal no limite cervical do
preparo
▪Bom ajuste oclusal
▪Restabelecer ponto de contato com dentes
vizinhos
▪Facilidade de limpeza
▪Resistência e retenção
▪Estética: anatomia, forma, contorno e cor.

OBJETIVOS:

▪Quanto à estética:
- Integração psicológica ao tratamento
- Manter o paciente socialmente ativo

▪Fonética

▪Quanto à oclusão:
- Impedir movimentos dos dentes, mantendo a oclusão com o antagonista.
- Avaliar paralelismo dos pilares e a quantidade de desgaste
-Avaliar a dimensão vertical
-Avaliar dentes com prognóstico duvidoso
-Auxiliar da avaliação do esquema oclusão

▪ Quanto ao periodonto:
-Impedir invasão dos tecidos periodontais sobre o preparo
-Orientar o limite do preparo após cirurgia periodontal
-Restauração do ponto de contato impedindo impacção alimentar
-Manter a integridade da gengiva marginal (adaptação e contorno)

▪ Quanto ao complexo dentino-pulpar:


-Manter agentes terapêuticos em contato com a dentina
-Constituir barreira contra agentes físicos, químicos e bacterianos

MATERIAIS UTILIZADOS:
▪Resina acrílica quimicamente ativada
▪Resina acrílica termicamente ativada
▪Resina composta bisacrílica
▪Resina acrílica fotopolimerizáve
TÉCNICAS DE CONFECÇÃO:
▪Técnica da moldagem prévia
▪Técnica da resina direta sobre o preparo(“bolinha”)
▪Técnica utilizando-se dentes de estoque
▪Técnica utilizando-se Matrizes pré -fabricadas
▪Enceramento e prensagem com resina termicamente ativada

Cimentação
▪Cimentos temporários:
Temp-Bond
Temp-Bond NE
Dycal
Temp Cem
Provy
Rely X Temp NE
Provisory
MOLDAGEM EM PRÓTESE PARCIAL FIXA

PROPRIEDADES PRINCIPAIS (ADA):


▪Não sofrer alteração dimensional
▪Ter plasticidade
▪Tempo de trabalho suficiente
▪Não ter toxicidade
▪Ser resistente

Classificação dos materiais:


▪Rígidos: gesso Paris, pasta zincoenólica
▪Termoplásticos: godiva, ceras e resinas
▪Elásticos:
hidrocolóides reversíveis (agar-agar)
hidrocolóides irreversíveis (alginato)
elastômeros: siliconas de adição
siliconas de condensação
mercaptanas
poliéteres

HIDROCOLÓDE REVERSÍVEL

VANTAGENS DESVANTAGENS:
▪Precisão e riqueza em detalhes ▪Necessita equipamento adequado
▪Hidrofílico ▪Vazamento imediato após
▪Boa fluidez, fácil limpeza moldagem,pois sofre contração
▪Não cheira mal nem mancha os tecidos ▪Desinfecção difícil

HIDROCOLÓIDE IRREVERSÍVEL(ALGINATO):

Ex: Jeltrate, Avagel, Hidrogum

VANTAGENS: DESVANTAGENS:
▪Fácil manipulação ▪Vazamento imediato,devido a
▪Econômico sinérese, evaporação e embebição
▪Hidrofílico ▪Rasga fácil
▪Fácil limpeza ▪Desinfecção difícil
▪Tempo de presa pode ser
acelerado ou retardado com
mudança de temperatura da
água

SILICONAS DE CONDENSAÇÃO:

Ex: Optosil / Xantropen -


hidrófobo
3M – hidrófobo
Speedex – hidrofílico
Zetaplus - hidrófobo
VANTAGENS: DESVANTAGENS:
▪Odor e aparência agradáveis ▪Vazamento imediato
▪Resistência à fratura e rasgo ▪Alto custo
▪Flexível ▪A maioria hidrófobos
▪Tempo de presa pode ser
alterado com a quantidade de
catalisador
▪Permite metalização de
troquéis

SILICONAS DE ADIÇÃO:

VANTAGENS: DESVANTAGENS:
▪Excelente precisão, mínima contração ▪Alto custo
▪Flexíveis ▪Luvas de látex podem alterar a
▪Hidrofílico polimerização
▪Fácil manipulação
▪Vazamento pode ser adiado por até uma
semana

POLIÉTERES:

Ex: Impregum F

VANTAGENS: DESVANTAGENS:
▪Estáveis dentro das 15 primeiras horas ▪Necessita moldeira individual
▪Hidrofílico ▪Devido a rigidez não é indicado
▪Manipulação difícil devido a viscosidade para preparos com pouca estrutura
▪Alta fidelidade, elasticidade e boa dental (risco de fratura)
resistência ao rasgo

MERCAPTANAS:

Ex: Coe- Flex ; Permlastic

VANTAGENS: DESVANTAGENS:
▪Estabilidade ▪Hidrofóbicos
▪Boa precisão ▪Mancham roupa e pele
▪Resistentes a ruptura ▪Odor desagradável(enxofre)
▪Mínima contração
▪Passível de desinfecção
Tipos de moldeiras:
- moldeira tipo vernes
- moldeira individual
- moldeira triple-tray
- moldeira parcial

Classificação das moldagens:

-Quanto à arcada:
* Total
* Parcial
- moldagem inicial ou de estudo
- moldagem final ou de trabalho

MOLDAGEM INICIAL OU DE ESTUDO:


▪Auxiliar no diagnóstico e planejamento
▪simulações dos preparos
▪ prótese finalizada através da confecção de coroas provisórias ou enceramento
diagnóstico.

 Técnica:
-moldagem com alginato
-seleção da moldeira
-individualização da moldeira ultizando cera
-desinfecção do molde com Spray de hipoclorito de sódio 1%
-vazamento do gesso
*Deve ser realizada imediatamente após a moldagem, permitindo-se um atraso de
10 min, Para evitar os fenômenos: Evaporação; Sinérese; Embebição.

* *Quanto > a relação A/P:


-Maior Tempo de presa
-Maior porosidade
-Menor resistência
** Quanto < a relação A/P
-Maior expansão de presa normal e expansão higroscópica

MOLDAGEM FINAL OU DE TRABALHO


▪ Feita após a realização dos preparos na boca
▪A boa adaptação da prótese sobre o preparo depende diretamente desta etapa, sendo
importante realizar o afastamento gengival

 AFASTAMENTO GENGIVAL:

Métodos: Mecânico;
Mecânico- químico;
Eletrocirúrgico;
Laser;
Curetagem rotatória
Método mecânico
▪Utilização de anéis de cobre recortados seguindo o contorno gengival
▪Guta- percha
▪Coroas provisórias
▪Casquetes individuais de acrílico

Vantagem: Desvantagem:
-menos traumático -não controla sangramento e exudato
-menor retração

▪MOLDAGEM COM CASQUETE

fios – atuam de forma mecânica


+
substâncias- atuam de forma adstringente ou vaso-constritoras

Método mecânico-químico

Vantagens Desvantagens:
-boa hemostasia -reações sistêmicas
-controle de exudato
-efetividade
-bom tempo de trabalho

 Substâncias associadas aos fios:


-Cloreto de zinco
-Cloridrato de epinefrina
-Epinefrina racêmica a 8%
-Sulfato de alumíneo
-Cloreto de alumíneo
-Ácido tricloroacético a 10%

 Contra-indicações para uso da epinefrina:


- Hipertireoidismo
- Hipertensão
- cardiopatias

Método eletrocirúrgico

Vantagens Desvantagens:
boa hemostasia potencial de agressão
Efetividade requer habilidade e aparelhagem
controle do exudato recessão potencial odor desagradável
curto tempo de trabalho
TÉCNICAS DE MOLDAGEM COM ELASTÔMEROS:

▪Casquete
▪Moldeira individual
▪Moldagem de fase única
▪Moldagem em duas fases

TIPOS DE FALHAS E CAUSAS:

▪Superfície do molde áspera ou irregular:


- polimerização incompleta ( remoção prematura, espatulação inadequada,
proporção incorreta, óleo ou outro material sobre o dente)
- polimerização excessivamente rápida (temperatura ou umidade elevadas)

▪Bolhas:
- polimerização rápida impedindo escoamento
- incorporação de ar durante a mistura

▪Espaços vazios de forma irregular:


- Umidade ou restos sobre a superfície dos dentes

▪Modelo de gesso rugoso ou poroso:


- limpeza inadequada do molde
- Excesso de água sobre a superfície do molde
- remoção prematura do molde
- manipulação incorreta do gesso

▪Distorção:
- ausência de aderência do material à moldeira
- moldeiras sem rigidez
- não vazamento imediato do molde
- remoção prematura do molde da boca
- remoção incorreta do molde da boca
Registro da relação maxilo-mandibular

Objetivos:
-Estudo da oclusão: diagnóstico das patologias e planejamento do caso
-Confecção das próteses

Registro da guia incisal


Quanto maior A guia incisal Maior a altura Das cúspides Dos dentes posteriores

Posição de trabalho no ASA:


-RC (relação central)
-MIH (máxima intercuspidação habitual)
-DVR e DVO (dimensão vertical de repouso e dimensão vertical de oclusão)

Técnicas de registro para modelos de estudo em ASA

Modelo superior
-Tomada do arco facial

Modelo inferior
-Registro da RC
Lateralidade (direita e esquerda) Guia condilar

Ângulo de bennet Protrusão

Guia incisal

Montagem dos modelos de trabalho

- Prótese unitária
- Prótese fixa unilateral
- Próteses fixas bilaterais Posição de montagem: MIH
- Próteses fixas superior e inferior
do mesmo quadrante

- Reabilitação oral Posição de montagem: RC ; avaliar DV


PROVA E CIMENTAÇÃO EM PRÓTESE PARCIAL FIXA

ANÁLISE DA PRÓTESE:

• Adaptação

• Retenção
• Estabilidade
• Estética: forma, anatomia, contorno, cor
• Oclusão: ajustes

SELEÇÃO DA COR

 Ambiente:
- cores neutras (gelo,bege,cinza,azul,verde claro)
- paciente recoberto com campo com cores neutras
- paciente sem maquiagem

 Objeto:
- A seleção deve preceder o preparo
- Fazer profilaxia prévia
- Umedecer a superfície dos dentes
- Utilizar dentes vizinhos como referência
- caninos

 Fonte de luz
- Luz natural: 10:00 às 15:00hs
- Com refletor desligado
- Luz artificial que copiam “luz do dia”

 Escala de cores
- Iniciar a determinação da cor pela saturação (croma) intermediário (3)
- Na dúvida , escolher um croma menor
- Entre uma determinação e outra descansar os olhos em um fundo azul claro
- Em caso de dúvidas, pedir a opinião do paciente , da auxiliar ou do protético
Prova final da prótese

- Remoção de resíduos de porcelana - Ajuste do contato proximal


no interior da prótese

- Ajuste do pôntico - Ajuste oclusal

CIMENTAÇÃO DAS PPFS

LIMPEZA DOS PREPAROS:


• AGENTES NÃO DESMINERALIZANTES:
- H2O2 – 3%
- Hipoclorito de sódio- Dakin (0,5%) ou Milton(1%)
- Solução com flúor (Vitashield)
- Soluções a base de clorexidine (Cavclean)
- Detergentes aniônicos (Tergensol)
- Soluções a base de CaOH2

• AGENTES DESMINERALIZANTES:
- Quando for usar cimentos resinosos:
- Ácido fosfórico 32-38% - 15s
- Quando for usar cimentos ionoméricos:
- Ácido poliacrílico 12-25% - 15s

LIMPEZA DA PRÓTESE
CIMENTAÇÃO TEMPORÁRIA:
• Próteses provisórias:
-restabelecer função, estética, fonética e proteger o complexo dentino- pulpar.

•Próteses definitivas: 14 a 21 dias


- verificação de imperfeições e possíveis correções
- Aguardar resposta tecidual
- Comprovação estética e funcional
- sedação de hipersensibilidade
- Remoção da prótese para inspeção
- Aceitação psicológica do paciente
- Reavaliação do tratamento endodôntico ou periodontal
- Alteração do desenho da prótese ou correção de sobreextensão do pôntico
- Observação do comportamento do sistema Estomatognático

 ESCOLHA DO MATERIAL:
- A base de Óxido de Zn com eugenol: Provy,Temporary, Temp Bond, Zoe
- A base de Óxido de Zn sem eugenol: Nogenol-Coe; Procem- Espe; Temp Bond NE –
Kerr; Tempo Cem- Zenith (auto-mistura)
- Cimento de hidroxido de Ca: Lyfe; Dycal; Renew; Reolit
- Cimentos resinosos temporários: Ex: Provilink- Ivoclair , TempBond Clear- Kerr

CIMENTAÇÃO DEFINITIVA:

1. AVALIAÇÃO: após a cimentação provisória verificar todos os detalhes de adaptação


2. REQUISITOS DO CIMENTO:
- Compatibilidade biológica
- Solubilidade mínima
- Coeficiente de expansão térmica
- Capacidade de vedamento: brunidura marginal do retentor

 TIPOS DE CIMENTO

FOSFATO DE Zn: (1892)

ex: SS White, CimentoLS, Shofu

VANTAGENS: DESVANTAGENS:
-Pequena espessura da película, bom - Necessita bom isolamento
escoamento - Não adere ao esmalte e dentina
-Isolante térmico - Pode causar irritação pulpar e
-Solubilidade 0 – 0,2% sensibilidade pós- operatória
* Técnica de cimentação com fosfato de Zn

(ultrassom)

Cimentação do RIR
Prova e adaptação:

IONÔMERO DE VIDRO TIPO I:

Ex: Fuji I , Ketac-cem, Glassionomer, KetacCem; Maxicap

VANTAGENS: DESVANTAGENS:
- Adesividade estruturas dentais e - Baixa resistência a tração diametral
metálicas - Alta solubilidade no período de presa
- Liberação de flúor inicial
- Biocompatibilidade pulpar - Controle da umidade após a cimentação
- Boa resistência a compressão proteger as margens com verniz- 5min
CIMENTO RESINOSO:

Ex: Dual Cement- Ivoclair; Enforce – Dentsply ;Meta Bond; Panavia; RelyX ARC – 3M
Super Bond Total Bond Variolink II

VANTAGENS: DESVANTAGENS

- Adesão à estruturas metálicas, - Alto custo


resinosas e porcelana - Técnica de manipulação crítica
- Insolubilidade - Necessidade de isolamento
- Grande resistência a tensões absoluto durante a cimentação
- Seleção de cor - Dificuldade de remover excessos
- Ativado quimicamente , fotoativado principalmente nas áreas proximais
ou dual

* Preparo do dente:
- isolamento absoluto
- Técnica ataque ácido fosfórico 37% - 15s dentina e 30s esmalte
- Sistema adesivo: 60s secagem e polimerização

* Preparo da prótese:

- Limpar a parte interna da prótese com álcool a 70%


- Acido fluorídrico a 5% - 60s lavar e secar. Passar silano 60s e secagem
- Preparo da resina e aplicação na coroa
- Cimentação, remoção dos excessos e polimerização final.
- Ajuste oclusal
 Orientações aos pacientes
- Uso
- Higienização e manutenção
- Restrições alimentares
- Retornos periódicos para avaliação

 Erro na cimentação: Utilização de “saca-prótese”

 CONTROLE E MANUTENÇÃO:
- Observar o ajuste oclusal
- Visitas periódicas distanciando as sessões – controle semestral
- Verificação clínica do estado da prótese e saúde bucal
- Controle de placa bacteriana, realçando a higiene

Você também pode gostar