Você está na página 1de 8

Qual deve ser aproximadamente distância entre duas cargas puntiformes q1 = 26 µC e q2= −47

µC para que o modulo da força ´ eletrostática entre elas seja de 5.7 N? Considere k = (8.99 ×

109 N.m/c2)

F= 5,7
K= 8,99*10^9
q1=26*10^-6
q2= 47*10-6
d=?

F=k*|q1|*|q2|/d²

5,7= 8,99*10^9 x (26*10^-6 x 47*10^-6)/d²

d= √10,98578/5,7

d≈1,4m

Na descarga de retorno de um relâmpago típico,uma corrente de 2,5×10^4 A é mantida por

20us. qual é o valor da carga transferida ?

(2,5x10^4x20x10^-6) = 0,5C

Uma partícula com carga de + 3,00 x 10^-6 está a 12 cm de distancia de um segunda partícula

com uma carga de - 1,50 x 10^-6 calcule o módulo da força eletrostática entre as partícula

Fe = ⇒ Fe =

Fe = 2,8N

Duas partículas de cargas iguais e afastadas de 3,2x10^-3 são largadas a partir do repouso. A
aceleração da primeira partícula é medida como sendo de 7,0 m/s2 e a da segunda como
sendo de 9,0m/s2. Sendo a massa da primeira partícula de 6,3x10^-7 kg, qual a massa da
segunda

f=m´.a´

6,3. .7=m´.9

m´=4,9. kg
Na figura a seguir, as cargas das partículas são q1 = -q2 = 100 nC e q3 = -q4 = 200 nC. O lado

do quadrado é a = 5,0 cm. Determine:

a) a componente x e a componente y da força eletrostática a que está submetida a partícula 3;

Q1 = 100 nC, Q2 = -100nC, Q3 = 200nC, Q4 = -200nC.

A força elétrica entre duas partículas é dada pela fórmula:

F12 =

Onde E é epsilon zero, a constante de permissividade do ar.

Q1 e Q2 são os valores das cargas das particulas.

E r é a distância entre elas.

F12 é a força que a partícula 2 exerce na partícula 1.

Sabemos que a distância entre as partículas Q1 e Q3 é a mesma distância que Q3 e Q4 e valem


5cm. A distância entre Q2 e Q3 será dada pela diagonal do quadrado que pode ser facilmente
calculado através do teorema de Pitágoras:

d² = 5² + 5²

d² = 50

d=

d=

d=

Assim, temos:

r13 = 5cm = 5*10^-2m

r23 = 5 cm = 10^-2m

r34 = 5cm. = 5*10^-2m

Vamos calcular a força elétrica em cada caso:

F31 = (9*10^9 * 100*10^-9 * 200*10^-9)/25*10^-4 = 0,072N(Repulsão)

F34 = (9*10^9 * 200*10^-9 * -200*10^-9)/25*10^-4 = -0,144N(Atração)

F32 = (9*10^9 * -100*10^-9 * 200*10^-9)/50*10^-4 = -0,036N(Atração)

Observe que a força F32 ela não está apenas em uma direção e teremos que decompor para
acharmos o valor em cada componente e a resultante total.

Pelo triangulo da figura, observamos que :

F32X = F32 * sen u,

F32Y = F32 * cos u,


Onde u é o angulo do triangulo. E como a hipotenusa é a diagonal do quadrado, o valor do
ângulo será 45. Assim,

F32X = F32 * = -0,025N(Atração)

F32Y = F32 * = -0,025N(Atração)

Agora somamos as forças em cada componentes,

No eixo X temos F31 e F32X = 0,072 +(-0,025) = 0,047(na direção x)

No eixo Y temos F34 e F32Y = -0,144 +(-0,025) = -0,169(na direção y)

Agora respondendo as perguntas:

a) As componentes da força resultante são: (0,047;-0,169)

b) A força resultante total é dada pela formula

FR =

FR = 0,175N

Duas pequenas gotas de água esféricas, com cargas iguais e de −1,00 × 10-16 c, estão

separadas por 1,00 cm de distância entre os centros. (a) qual o módulo da força eletrostática

entre as gotas? (b) quantos elétrons em excesso têm cada uma delas

A) De acordo com a fórmula F = (k0 . Q1 . Q2) / d²

onde,

F = módulo da força

k0 = constante (9.10^9)

Q1 = -1 x 10^-16

Q2 = -1 x 10^-16

d = distancia em metros

F = (9 . 10^9 . -1 . 10^-16 . -1 . 10^-16) / 0,01²

F = 9 . 10^-23 / 0,0001

F = 9 . 10^-23 / 1 . 10^-4
F = 9.10^-19

R:O modulo da força eletrostatica entre as gotas é 9.10^-19.

b) De acordo com a fórmula Q = n . e

onde,

Q = carga

n = quantidade de elétrons

e = constante do elétron (1,6.10^-19)

-1 . 10^-16 = n . -1,6 . 10^-19

-1 . 10^-16 / -1,6 . 10^-19 = n

0,625 . 10³ = n

6,25 . 10² = n

R: A quantidade de eletrons é 6,25 . 10²

7 Qual a intensidade da força eletrostática entre um íon de sódio monovalente (Na+, com carga +e) é um

íon de cloro monovalente (Cl-, com carga - e) adjacente em um cristal de sal, se a separação entre eles é

de 2,82 . 10-10

A intensidade da força será dada pela lei de coulomb. Sabendo que a carga do elétron é dada
por e = 1.6 * 10^-19 C, e a lei de Coulomb é:

F = k |q1 . q2|/d²

Sendo d = 2.82 . 10^-10 m, temos que a força será, considerando q1 = + e = 1.6 * 10^-19 C e
que q2 = - e = - 1.6 * 10^-19 C. Temos:

F = k |(+1.6)*(10^-19)*(-1.6)*10^-19| / (2.82*10^-10)²

Como k = 9. 10^9 temos:


F = 9*10^9 |(+1.6)*(10^-19)*(-1.6)*10^-19| / (2.82*10^-10)²

F = 9*10^9 * 2.56 * 10^-38 / (7.95 *10^-20)

F = 2.89 * 10^-9 N

Logo, a intensidade da força eletrostática do sal é de 2.89 * 10^-9 N.

8 A atmosfera da Terra é constantemente bombardeada por raios cósmicos provenientes do

espaço sideral, constituídos principalmente por prótons. Se a Terra não tivesse atmosfera,

cada metro quadrado da superfície terrestre receberia, em média, 1500 prótons por segundo.

Qual seria a corrente elétrica recebida pela superfície do planeta?

Para responder essa questão temos a seguinte fórmula:

= o número de prótons por segundo e por metro quadrado.

Considerando que a superfície da terra é uma esfera perfeita vamos ter que:

Onde esse raio será aproximadamente 6.370 km (raio médio da terra).

Montando a equação vamos ter:

Nisso, substituindo os valores na equação vamos ter que:

9 não tem
10 não resolvida

11 No decaimento radioativo, um núcleo de 238U se transforma em 234Th e 4He, que é

ejetado. (Trata-se de núcleos e não de átomos; isso significa que não há elétrons envolvidos)

Para uma distância entre os núcleos de 234Th e 4He de 9x10^-15 m, determine (a) a força

eletrostática entre os núcleos e (b) a aceleração do núcleo de 4He.


Para resolver essa questão, basta que tenhamos em mente o seguinte pensamento:

--> sabemos que trata-se de núcleos e não de átomos completos;

--> por conta disso, conseguimos compreender que não há elétrons envolvidos nos cálculos;

Sendo assim, teremos que:

Z(234 Th) = 90 :

Z(4 He) = 2 ;

A=4

(a)

F = k.Q1.Q2/d²

F = 8,99E9*180*1,602E-19^2/9E-15^2

F= 513 N

(b)

a = F/m

a= F.Na/M

a= F*6.022E23/4E-3

a= 7,72×10^28 m/s²

12
13
14
15
16

18. No experimento de Millikan, uma gota de raio 1,64x10-6m e massa específica igual a 0,851

g/cm3é equilibrada quando aplicado um campo elétrico de 1,92x105N/C. Determine a carga da

gota em termos de e.

Calculo do volume:
Calculo da massa:

Agora aplicando a igualdade da força elétrica e o peso da gota:

Sendo a carga elementar igual a:

Um elétron é solto a partir do repouso, num campo elétrico uniforme de módulo 2,0x10-4 N/C.

Calcule a sua aceleração.

Sabemos que:

F = E.q

Portanto, F = ma
ma = E.q

Ou seja,

a = E.q/m

Seja, E = 2 × 10^(-4)N/C

q = 1,6×10^(-19)

m(elétro) ~ 9,1 × 10^(-31)kg

Logo,

a = 2×10^(-4)×1,6×10^(-19)/m

a = 3,2×10^(-23)/m

a = 3,2×10^(-23)/9,1×10^(-31)

a = 0,3516 × 10^(-23+31)

a = 0,3516 × 10^(8)

a = 3,5 ×10^(9) m/s^2

Você também pode gostar