Você está na página 1de 10

IF/UFRJ Introdução às Ciências Físicas

o
1 Semestre de 2012 AP3 de ICF2-ICF2Q

PROVA AP31 DE ICF2


Essa prova contém três questões. As questões devem ser resolvidas a partir dos conceitos
definidos, das leis do Eletromagnetismo. A prova tem que ser feita TODA a caneta (INCLUSIVE OS
DESENHOS). O ALUNO QUE FIZER A PROVA A LÁPIS NÃO TERÁ DIREITO À REVISÃO DE
PROVA. Você pode utilizar a máquina de calcular.
q3
ˆj
Questão 1 (3,5 pontos) +
Um sistema é formado pelas cargas elétricas q1 = −q, q2 = −q

e q3 = q (q>0). As cargas elétricas estão nos vértices de um F î
d 0,5
triângulo isósceles. Considere a constante B
1 o
k= conhecida.
30 o   30
4πεo q1 E1 E2 d q2
   d
− −
a) Desenhe na Figura 1 os campo elétricos E 1 , E 2 e E 3 
Figura 1 E3 
criados pelas cargas elétricas q1 , q 2 e q 3 no ponto B da E
figura 1. O ponto B está a uma distância d de todos os vértices do triângulo.
  
b) Calcule os campos elétricos E 1 , E 2 e E 3 . Represente estes campos elétricos em termos

dos vetores unitários î e ˆj representados na Figura-1.


q
E1 = E2 = E3 = k
d2
3"
E1x = −E1 cos(30 o ) = −E1 $
2 $# ⇒ E = − 3kq iˆ − kq ĵ
1
o −E1 $ 2 d2 2 d2
E1y = −E1sen(30 ) =
2 $% 2,1(0,1 cada módulo,0,2
cada componente,0,1 cada
3" vetor projetado)
E2 x = E2 cos(30 o ) = −E1 $
2 $# E = 3kq iˆ − kq ĵ
2
o −E1 $ 2 d2 2 d2
E1y = −E2 sen(30 ) = $%
2
 kq
E3x = 0; E3y = −E1 ⇒ E3 = − 2 ĵ
d
c) Desenhe o campo elétrico resultante no ponto B da Figura 1.Calcule o campo resultante no

ponto B. Represente este campo elétrico em termos dos vetores unitários î e ˆj representados
na Figura 1.

Coordenadora:Maria Antonieta T. de Almeida 1


IF/UFRJ Introdução às Ciências Físicas
o
1 Semestre de 2012 AP3 de ICF2-ICF2Q

   
E = E1 + E2 + E3
3 3
E x = E1x + E2 x + E3x = −E1 + E1 +0 = 0 0,5(0,2 cada
2 2 componente,0,1 vetor )
E E 2kq
E y = E1y + E2 y + E3y = − 1 − 1 − E1 = −2E1 = − 2
2 2 d
 2kq
E = − 2 ĵ.
d
d) Desenhe na Figura-1 a força resultante que atua em um carga elétrica -2q colocada no

ponto B da Figura-1. Calcule esta força elétrica em termos dos vetores unitários î e ˆj
representados na Figura-1.
  4kq 2
F = −2qE = 2 ĵ. 0,4
d

Coordenadora:Maria Antonieta T. de Almeida 2


IF/UFRJ Introdução às Ciências Físicas
o
1 Semestre de 2012 AP3 de ICF2-ICF2Q

Questão 2 (3,0 pontos)


Um resistor com resistência R é ligado à duas fontes i
reais como mostra a Figura-2. As fontes têm forças
eletromotrizes ε 1 e ε 2 e resistências internas r1 e r2 .
Considere ε1 = 2V , ε 2 = 4V , r1 = r2 = 1,0Ω e
R = 98 Ω . Figura 2
I

a) Indique na Figura-2 a corrente elétrica i que


atravessa o resistor com resistência R. Calcule a corrente elétrica. O sentido que você escolheu
está correto? Justifique a sua resposta.
A aplicação da Lei das Malhas ao circuito fornece:
−RI − r2 I + ε 2 − ε1 − r1I = 0 0,6(0,3 Lei das malhas e 0,3
corrente)
ε −ε 4−2 2
I= 2 1 = A= A = 0, 02A.
R + r1 + r2 1+1+ 98 100
Como a corrente elétrica deu positiva, o sentido escolhido está correto.
b)
Calcule as diferenças de potenciais Vc −Va e Va −Vb nos terminais das fontes.

Vc + r1I + ε1 = Va ⇒ Vc −Va = −ε1 − r1I = − ( 2 + 0, 02 ) V = −2, 02V 1,0(0,5 cada diferença


Va − ε 2 + r2 I = Vb ⇒ Va −Vb = ε 2 − r2 I = (4 − 0, 02)V = 3, 98V. de potencial)

c) Qual das pilhas está sendo carregada? Justifique a sua resposta.


Pca = (Vc −Va ) I = (−2, 02).0, 02 = −0, 04W
0,4
Pab = (Va −Vb ) I = 3, 98.0, 02 = 0, 08W
Como a potência que a corrente elétrica fornece à pilha 1 é negativa , ela está consumindo
energia da corrente elétrica. Logo ela está sendo carregada.

d) Em um segundo, qual o módulo da energia elétrica que está sendo dissipada na pilha que
está sendo carregada?
Ur1 = r1I 2 = 0, 0004J. 0,5
e) Em um segundo , qual o módulo da energia elétrica que está sendo
transformada em energia química na pilha que está sendo carregada?
Uε1 = ε1I = 2.0, 02J = 0, 04J.
0,5

Coordenadora:Maria Antonieta T. de Almeida 3


IF/UFRJ Introdução às Ciências Físicas
o
1 Semestre de 2012 AP3 de ICF2-ICF2Q

Questão 3 (3,5 pontos)


R I
Um aluno de ICF2 montou o circuito da Figura 3 com a finalidade de
obter informações sobre o resistor que ele colocou entre os pontos A e
C . Ele mediu as diferenças de potencial elétrico nos terminais do
resistor( VA −VC )e as correntes elétricas que atravessaram o resistor
e colocou na Tabela 1.
a) Construa um gráfico (VA −VC ) )xI com os pontos da Tabela 1.
b) Utilize do gráfico para estimar o valor da resistência R.
c) O resistor é ôhmico? Justifique a sua reposta. Figura 3

Tabela 1
I δI (V A − VC ) δ ( VA − VC )
[A] [A] [V] [V]
-3 -3
1,0.10 0,1.10 1,0 0,1
-3 -3
4,0.10 0,1.10 4,0 0,1
-3 -3
7,0.10 0,1.10 7.0 0,1
-3 -3
10,0.10 0,1.10 10,0 0,1
-3 -3
13,0.10 0,1.10 13,0 0,1
-3 -3
16,0.10 0,1.10 16,0 0,1

Construindo a escala do eixo da corrente elétrica:


δΔTbloco
Vou escolher uma escala onde no eixo horizontal duas unidades do gráfico valem 1mA.
Construindo a escala do eixo da diferença de potencial:
13V → 50" 13
#⇒ y= ≅ 0, 26..
y →1 $ 50
Vou escolher uma escala vertical onde com uma unidade do gráfico valem 0,4V.
A barra da incerteza da corrente elétrica é muito pequena e não ai ser colocada no gráfico.
A resistência é o coeficiente angular da reta:
26 × 0, 4V
R≅ ≅ 990Ω .
21× 0, 5mA
Como o gráfico é uma reta o resistor é ôhmico.

2,4(0,3 cada ponto:0,3,0,1 cada barra de incerteza)


Escala vertical:0,2
Escala horizontal:0,2
Resistência:0,5
Classificação da resistência:0,2

Coordenadora:Maria Antonieta T. de Almeida 4


IF/UFRJ Introdução às Ciências Físicas
o
1 Semestre de 2012 AP3 de ICF2-ICF2Q

(VC −VA ) (V ) Curva característica do resistor.


20

16

12

0 5 10 I(mA)
15

Coordenadora:Maria Antonieta T. de Almeida 5


IF/UFRJ Introdução às Ciências Físicas
o
1 Semestre de 2012 AP3 de ICF2-ICF2Q

PROVA AP32 DE ICF2


Essa prova contém três questões. As questões devem ser resolvidas a partir dos conceitos
definidos e das leis da Termodinâmica. PARA VOCÊ TER DIREITO A VISTA DE PROVAS ELA
TEM QUE SER FEITA A CANETA. Você pode utilizar a máquina de calcular.

Questão 1 (3,0 pontos)


Uma mistura de gases contém 0,8 moles de nitrogênio (N2) e 0,2 moles de oxigênio (O2). A
pressâo da mistura vale 1,0.105 N / m 2 e a temperatura é igual a 300K. O átomo-grama do
oxigênio vale 16g e átomo-grama do nitrogênio vale 14g. O constante dos gases ideais vale
R = 8, 31J / (molK ) . O número de Avogrado é igual a N o = 6,02.10 23 moléculas / mol . Dê as
repostas com três algarismos significativos.
a) Calcule o volume ocupado pela mistura de gases.

pV = nRT ! RT (8, 31J / (molK )).(300K ) 0,6


"⇒V = = = 0, 025m 3.
n = 0,8 + 0, 2 = 1# p 1, 0.10 ( N / m )
5 2

b) Calcule as massas das moléculas de oxigênio e nitrogênio.


0,6
molO2 −26
mO2 = = 5, 32.10 kg
No
molN2
mN2 = = 4, 65.10 −26 kg 0,6
No
c) Calcule as velocidades quadráticas médias das moléculas do nitrogênio e do oxigênio.

mmolécula v 2qm 3kT 3RT 3RT 3RT


= = ⇒ vqm = =
2 2 2N o mmolécula N o Molmolécula
0,6
3.(8, 31( J / ( molK )) (300K )
vqm O2 = = 483m / s
(32.10 −3
kg)

3.(8, 31( J / ( molK )) (300K ) 0,6


vqm O2 = = 517m / s
(28.10 −3
kg)

Coordenadora:Maria Antonieta T. de Almeida 6


IF/UFRJ Introdução às Ciências Físicas
o
1 Semestre de 2012 AP3 de ICF2-ICF2Q

Questão 2 ( 3,5 pontos)


Um aluno de ICF2 utilizou o método das misturas para calcular o calor específico de um bloco.
Com esta finalidade, fez as seguintes operações:
1. Pesou o calorímetro vazio e anotou a sua massa mcal com a sua incerteza. Pesou o
calorímetro com água e anotou a sua massa mcal+água com a sua incerteza. A seguir calculou
a massa da água com a sua incerteza e colocou na Tabela 1.
2. Pesou a massa do bloco com a sua incerteza e colocou na Tabela 1.
3. Colocou o bloco em água com gelo e esperou ele entrar em equilíbrio térmico com a água
e o gelo. Para obter a temperatura do bloco (Tbloco) após ele entrar em equilíbrio térmico
com a mistura de água e gelo, mediu a temperatura da mistura da água e gelo com a sua
incerteza e colocou na Tabela 1.
4. Mediu a temperatura da água(Tágua) do calorímetro com a sua incerteza e colocou na
Tabela 1.
5. Transferiu rapidamente o bloco que estava na mistura da água com gelo para o
calorímetro. Tapou o calorímetro. Colocou o termômetro na água do calorímetro e esperou
a temperatura da água estabilizar. Mediu a temperatura de equilíbrio da mistura água com
o bloco (Te) com a sua incerteza e colocou na Tabela 1.

Tabela 1

mágua δ mágua mbloco δ mbloco Tbloco δTbloco Tágua δTágua Te δTe


o
[ C] o o o o o
[g] [g] [g] [g] [ C] [ C] [ C] [ C] [ C]
162,3 0,3 100,8 0,2 1,0 0,2 21,0 0,2 18,4 0,2

a) Preencha a Tabela 2 com as variações de temperatura do bloco e da água. Calcule as


incertezas destas grandezas.
Tabela 2
1,6 (0,4 por valor ,perde 0,1 por cada algarismos significativo errado)

ΔTágua = Te − Tágua δΔTágua ΔTbloco = Te − Tbloco δΔTbloco


o o o o
[ C] [ C] [ C] [ C]
-2,6 0,3 17,4 0,3

2 2
A incerteza de uma função f (x, y) = x − y é dada por: δ f = (δ x ) + (δ y)
2 2
δΔTágua = (δTe ) + (δTágua ) ( )
= 0, 2. 2 oC = 0, 282.. oC ≅ 0, 3 oC
2 2
δΔTbloco = (δTe ) + (δTbloco ) = ( 0, 2. 2 ) C = 0, 282.. C ≅ 0, 3 C
o o o

o
ΔTágua = (18, 4 − 21) C = −2, 6 o C
o
ΔTbloco = (18, 4 −1) C = 17, 4 o C

Coordenadora:Maria Antonieta T. de Almeida 7


IF/UFRJ Introdução às Ciências Físicas
o
1 Semestre de 2012 AP3 de ICF2-ICF2Q

a) Escreva a equação de troca e calor entre a água e o bloco. Obtenha a partir desta
expressão o calor específico do bloco em função das medidas realizadas. Despreze a
capacidade calorífica do calorímetro. O calor específico da água é igual a
cágua = (1, 00 ± 0, 00 ) cal / ( o Cg).

Qágua + Qbloco = 0 ⇒ mbloco cbloco (Te − Tbloco ) + mágua cágua (Te − Tágua ) = 0 0,4
mágua cágua (Te − Tágua ) m c ΔT
cbloco = − = − água água água 0,4
mbloco (Te − Tbloco ) mbloco ΔTbloco
b) Calcule o calor específico cE do bloco e coloque na Tabela 3.

mágua cágua ΔTágua (162, 3g) (1, 00cal / (g oC ) (−2, 6 oC )


cbloco = − = cbloco = − o
= 0, 240..cal / (g oC)
mbloco ΔTbloco (100,8g)(17, 4 C)
cbloco = 0, 24.cal / (g oC).

0,6-perde 0,1 por significativo errado) Tabela 3

cE δ cE cAl
(tabelado)
δ cAl (tabelado)
o o
[cal/(g C)] [cal/(g C)] o
[cal/(g C)]
o
[cal/(g C)]
0,24 0,03 0,215 0,001

c) O aluno concluiu que o bloco é de alumínio. Você concorda com ele? Justifique a sua
resposta.
A faixa de valores da capacidade calorífica do bloco obtida experimentalmente é

I1 = [0, 21, 0, 27]cal / ( g oC ) .

A faixa de valores da calor específico do bloco tabelada é


0,5
I 2 = [0, 214, 0, 216]cal / ( g oC ) .

Como existe interseção entre a faixa de valores do calor específico obtido


experimentalmente e o tabelado a conclusão do aluno está correta.

I1 ∩ I 2 = [0, 21, 0, 216]cal / ( g oC )

Coordenadora:Maria Antonieta T. de Almeida 8


IF/UFRJ Introdução às Ciências Físicas
o
1 Semestre de 2012 AP3 de ICF2-ICF2Q

Questão 3 (3,5 pontos)


V2 ,T2a
Um mol gás ideal monoatômico que estava incialmente
com um volume de V1 e temperatura absoluta igual a V2 ,T1 0,4
T1 é comprimido em um processo reversível até o
estado termodinâmico com volume V2 = V1 / 2 .
Considere conhecida a constante dos gases ideais R . V1,T1
Dados: R , V1 e T1
1) Calcule a pressão do estado 1, a pressão do
estado 2 e as temperaturas dos estados 2
para o caso em que o processo é adiabático e
para o caso em que o processo é isotérmico. Figura 3
Preencha a Tabela 4 .  

Tabela 4
Estados V p T
3
[m ] [Pa] [K]
Inicial (1) V1 RT1 T1
V1
2 da isoterma V1 / 2 2RT1 T1
V1
2 da adiabática V1 / 2 RT 1, 6T1
3, 2 1
V1

A pressão inicial do gás é


RT1
p1 =
V1 0,1
RT2 2RT1
No processo isotérmico temos que p2 = = . 0,2
V2 V1
cp 3R
No processo adiabático temos que: pV γ = p1V 1γ, onde γ = , onde cV = .
cv 2
Logo temos que
3R 5R
cp = +R=
2 2
! 5R $ ! 3R $ 5
γ =# &/# &=
" 2 % " 2 % 3
5/3
!V $ RT 5/3 RT 0,2
p2a = p1 # 1 & = 1 ( 2 ) ≅ 3, 2 1
" V2 % V1 V1
p V
T2a = 2a 2 ≅ 1, 6T1 . 0,2
V1

Coordenadora:Maria Antonieta T. de Almeida 9


IF/UFRJ Introdução às Ciências Físicas
o
1 Semestre de 2012 AP3 de ICF2-ICF2Q

2)Calcule para os processos adiabático e isotérmico a variação de energia interna do gás,


o trabalho que o gás fornece ao exterior e o calor que o exterior fornece ao gás.
Preencha a Tabela 5 com estes valores.
Tabela 5
Processos ΔU12 Wsis12 Qex12
[J] [J] [J]
Isotérmico 0 -0,7RT1 -0,7RT1
Adiabático 0,9RT1 -0,9RT1 0

No processo isotérmico temos que:


ΔUiso 1→2 = cV (T2i − T1 ) = 0 0,2
$V ' $1'
Wiso 1→2 = RT1n & 2 ) = RT1n & ) ≅ −0, 7RT1 0,4
% V1 ( %2(
ΔUiso 1→2 = Qiso 1→2 − Wiso 1→2 = 0 ⇒ Qiso 1→2 = Wiso 1→2 = −0, 7RT1 0,4
No processo adiabático temos que:
ΔU a 1→2 = cV (T2a − T1 ) = 0, 9RT1 0,4
Qa 1→2 = 0 0,2
ΔU a 1→2 = Qa 1→2 − Wa 1→2 = 0 ⇒ Wiso 1→2 = −ΔU a 1→2 = −0, 9RT1
0,4
3) Em qual dos processos a temperatura final é maior? Explique qualitativamente a
diferença entre as temperaturas finais dos dois processos utilizando o Princípio da
Conservação da Energia e a relação entre energia cinética média dos gases ideais e a
temperatura absoluta.
A temperatura final é maior no processo adiabático. Na compressão isotérmica o exterior
fornece energia para o gás realizando trabalho sobre ele, mas o gás devolve a energia
recebida para o exterior na forma de calor para manter a temperatura constante.
N compressão adiabática a energia fornecida pelo trabalho do exterior não pode ser
jogada para o exterior porque o sistema está isolado termicamente, por isto a energia
interna do gás aumenta acarretando um aumento de temperatura.
0,4
4) Desenhe na figura 3 os dois processos.

Energia cinética média mmolécula v 2qm 3kT 3RT


= =
2 2 2N o
Equação da adiabática c 3R
pV γ = cons tan te, onde γ = p , c p = cV + R e cV =
cv 2
Trabalho no processo "V %
isotérmico Wsis i→ f = nRTn $ f '
# Vi &
Primeira Lei da ΔU = Qex − Wsis
Termodinâmica
Variação da energia interna ΔU = ncV ΔT
de um gás ideal.
5 2
2 ≅ 3, 2
3
2 ≅ 1, 6
3

Coordenadora:Maria Antonieta T. de Almeida 10