Você está na página 1de 9

PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO E DA

APRENDIZAGEM

Prática como Componente Curricular (PCC)

REVISITANDO A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO E PROJETANDO


PERSPECTIVAS FUTURAS

Tutor/ Professor: Roseli Catagalo Couto

Discente: Rafael Gomes Zero

Curso: Letras Língua Portuguesa

Miraí/ MG

2019
PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO E DA APRENDIZAGEM

Atividade acadêmica apresentada ao Curso EAD de

Licenciatura em Letras da Faculdade Estácio de Sá

para requisito de prática como componente

curricular, na disciplina de Psicologia do

Desenvolvimento e da Aprendizagem, sob a

orientação da Proª Roseli Cantagalo Couto.

MIRAÍ/MG

2019
OBJETIVOS

 Reconhecer nos sujeitos os aspectos do desenvolvimento cognitivo,


psicomotor, emocional e social;

 Construir uma análise crítica das observações realizadas à luz das


diferentes teorias do desenvolvimento e da aprendizagem.
INTRODUÇÃO

Será apresentada aqui um relatório de observação de uma criança em


idade pré-escolar, em seu convívio familiar.

As diversas teorias do desenvolvimento consideram que o comportamento


é fruto tanto de características hereditárias quanto de outras aprendidas no meio em
que vivemos. Entretanto, algumas dessas teorias divergem quanto à parcela de
influência de cada uma destas fontes. Este estudo tem por objetivo refletir sobre
diferentes posições teóricas na vertente interacionista, de modo a compreender como
cada uma delas encara o papel social, enquanto condição que facilita e determina a
apropriação e superação do conhecimento socialmente disponível.
RELATÓRIO DE OBSERVAÇÃO

Sujeito da Observação: Kamila Idade : 12 meses

Data: 15, 16 e 17 de novembro de 2019

Início: 14:0 h.

Término: 17:00 h.

Local da Observação: residência dos pais.

Primeiro dia de observação:

Já nos primeiros contatos pude constatar a proximidade da criança Kamila


com sua mãe, Mayara, demonstrando um relacionamento de extrema dependência e
confiança.

Em relação ao pai, Kevin, existe claramente uma relação de amor mútuo, não
obstante ser muito mais aparente essa realção com a mãe.

Durante o dia a mãe costuma ligar a TV em programas próprios para a idade


de Kamila, tais como Galinha Pintadinha, Patati e Patatá. É visível a atenção da criança
e a empolgação com que ela acompanha e tenta reproduzir as músicas, ainda com a
dicção muito insipiente. Balbucios, pra ser exato.

A mãe acompanha e encoraja a criança a reconhecer e nomear objetos com


frases e gestos simples: “Olha o gato! Como chama o bichinho ali?”. Kamila tenta
responder falando ainda de forma embolada, mas diante dos reforçoes positivos da
mãe, ela se empolga e tenta reproduzir vários outras sons.
Segundo dia de observação:

Hoje acompanhei Kamila e sua mãe nas brincadeiras. A criança, incentivada


pela mãe brinca de pegar e arremessar objetos, tenta ainda encaixá-los uns nos outros,
como se buscasse uma relação entre eles. Ela consegue engatinhar por tada a casa e
já ameaça os primeiros passos, apoiando-se no sofá.

Na hora do lanche da tarde Mayara oferece a Kamila biscoitos de maisena, os


quais a menina já consegue pegar e comer com os dedos, utiizando o polegar e
indicador como uma pinça.

Observa-se também que Kamila já pronuncia algumas palavras simples, como


“papa”, quando seu pai chega em casa, manifestando grande alegria quando isso
acontece.

Terceiro dia de observação:

No último dia de observação verifiquei novamente como Kamila briinca com


seus briquedos de borracha e se dá conta de quando eles caem debaixo de algum
móvel. Quando isso acontece ela tenta buscá-lo e, sendo frustrada no seu intento,
chora. Ela já sente falta de seus brinquedos favoritos.

Com relação ao desenvolvimento psicossocial, Kamila é um pouco reticente e


não interagiu comigo em nenhum momento, referindo esconder seu roto quando me via.
Foi necessário que eu me afastasse do local onde ela brincava para continuar a
observação.

Notei também que este comportamento arredio era atenuado sobremaneira


na presença da mãe, quando então Kamila ficava mais à vontade mesmo com minha
presença no recinto. A única exceção que constatei foi na despedida, quando apesar de
toda inibição para comigo, Kamila esboçou um movimento de “tchau” com a mão
quando eu estava saindo pela porta.
Desenvolvimento físico motor:

Kamila é uma criança saudável medindo 68 cm e pesando 9,2 kg. Percebe-se


uma capacidade motora aprimorada com os dedos indicador e polegar no manusio de
objetos e na alimentação.

A criança engatinha muito bem usando as mãos e joelhos e consegue ficar


de pé por alguns segundos, appoiando-se em móveis. Algumas vezes solta as mãos,
tentando equilibrar-se sozinha, mas geralmente não consegue ficar mais que três
segundos dessa forma.

Kamila é bastante ativa e engatinha pela casa toda, mexe em todos os


obejtos que estão ao seu alcance e os leva até a boca. É uma criança muito tagarela,
ainda que produza palavras emboladas e muitos gritinhos.

Cognição e Aprendizagem:

Kamila tem muita facilidade de associar palavras e gestos, principalmente


quando a mãe ensina e descreve objetos e ações que ela está fazendo.

Durante as brincadeiras dá pra perceber que a criança aparentemente já


começa a descobrir pra que servem determinados objetos e também começa a
compreender algumas palavras que a mãe diz, durante as conversas com a filha.

4- Desenvolvimento Emocional:

Kamila é uma criança muito carinhosa com os pais e demonstra extrema


dependência da mãe. Com desconhecidos ela externaliza certa apatia, esconde o rosto
eou pede colo para a mãe, como se tentasse se defender do “estranho”.

Quando está brincando mostra sua frustração quando algo não lhe satisfaz,
emitindo sons estridentes ou chorando quando não encontra seus brinquedos favoritos.

Análise das situações observadas com base nas teorias do desenvolvimento :

P IAGET

As questões sobre a natureza da aprendizagem de Piaget são dadas calcadas na


epistemologia genética, na qual o conhecimento se constrói pouco a pouco, à medida
em que as estruturas mentais e cognitivas se organizam, de acordo com os
estágios de desenvolvimento. A inteligência é antes de tudo adaptação.

Esta característica se refere ao equilíbrio entre o organismo e o meio ambiente, que


resulta de uma interação entre assimilação e acomodação. A assimilação e a
acomodação são, pois, os motores da aprendizagem. A adaptação intelectual ocorre
quando há o equilíbrio de ambas.

De acordo com a teoria piagetiana, Kamila encontra-se no estágio sensório-motor,


momento em que não há uma representação mental do objeto e portanto não há um
senso de permanência do objeto, embora algumas pesquisas mais recentes tenham
colocado em dúvida essa interpretação.

Observando Kamila esta noção é ainda mais dubitável, visto que aparentemente
Kamila sente falta de seus brinquedos e chora quando eles caem em algum lugar
inacessível para ela.

FREUD

Conforme a Teoria do Desenvolvimento Psicosexual de Freud, Kamila encontra-se


na Fase Oral, momento em que a região do corpo que porporciona mais prazer é a
boca. É pela boca que entrsa em contato com o mundo e por este motivo ela tende a
levar todos os objetos que encontra à boca.

WALLON

Embora este autor nunca tenha especificado idades em suas teorias de


desenvolvimento, através de uma leitura cuidadosa, podemos depreender que Kamila
estaria situada parte no estágio impulsivo-emocional e parte no estágio sensório-motor
e projetivo.

No estágio impulsivo-emocional a criança ainda não possui uma coordenação


motora muito bem desenvolvida e os movimentos são desorientados. A friança está
imersa no mundo e não consegue se distinguir dele.

O estágio sensório-motor e projetivo fala sobre a inteligência prática, obtida pela


interação com os objetos e a inteligência discursiva que inicia seu desenvolvimento
através da imitação dos sons como forma de apropriação da linguagem.

A gênese da inteligência para Wallon é genética e organicamente social, ou seja,


" o ser humano é organicamente social e sua estrutura orgânica supõe a intervenção da
cul tura para se atualizar" (Dantas, 1992). Nesse sentido, a teoria do desenvolvimento
cogni tivo de Wallon é centrada na psicogênese da pessoa completa. o estudo de
Wallon é centrado na criança contextualizada, onde o ritmo no qual
se sucedem as etapas do des envolvimento é descontínuo, marcado por
rupturas, retrocessos e reviravoltas, pr ovocando em cada etapa
profundas mudanças nas anteriores. Nesse sentido, a pas sagem dos
estágios de desenvolvimento não se dá linearmente, por ampliação, mas
por reformulação, instalando-se no momento da passagem de uma etapa a outra, crises
qu e afetam a conduta da criança. Conflitos se instalam nesse processo e são de
origem ex ógena quando resultantes dos desencontros entre as
ações da criança e o ambiente ext erior, estruturado pelos adultos e
pela cultura e endógenos e quando gerados pelos ef eitos da maturação
nervosa (Galvão,1995).

CONCLUSÃO

Nesta pesquisa foi possível verificar que o desenvolvimento é um processo


contínuo no ser humano e depende do contexto e do meio, que podem ser favoráveis.
Diversos aspectos são comuns a muitas pessoas, o que posibilita trabalhos focais,
emvolvendo-os. Outros são específicos, fruto de condições da própria pessoa ou de
questões sociais ou culturais.

REFERÊNCIAS

Livro didático Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem Patrícia Rossi


Carraro edição SESES, Rio de Janeiro, 2015

Evolução Psicológica da Criança- Wallon, Henri Paul Hyacinthe -Andes, Rio de Janeiro