Você está na página 1de 24

Pronto Socorro Cardiológico de Pernambuco Profº

Luis Tavares da Silva – PROCAPE


Programa de Especialização em Cardiologia
Modalidade Residência

RAIO X DE TÓRAX

Fisioterapeuta R1: Juliane Morais

Julho, 2016
Objetivos
• Apresentar o exame de raio X e as suas etapas;

• Demonstrar as incidências da radiografia de


tórax;

• Abordar imagens patológicas no Raio x.


Introdução
• É um dos exames mais utilizados na prática
médica, além de ser de baixo custo, rápida
disponibilidade e fácil realização.

• Quando associado a Anamnese e ao exame físico


facilita na elaboração do diagnóstico.

Santos, et al, 2013.


Interpretação
1. Verificar a Incidência do raio x
2. A qualidade técnica
3. Raio x fora do tórax
4. Região óssea
5. Diafragma
6. Padrão circulatório Pulmonar
7. O coração.
Incidências utilizadas
• 1. Posteroanterior- Também chamado de PA,
antes chamada de frontal.

• 2. Perfil- antes chamada de lateral

• 3.Anteroposterior- Também conhecida como AP,


antes chamada de oblíqua.
Santos, 2013
Radiografia em PA

Fonte: Google imagem


Radiografia de Perfil

Fonte: Google imagem


Radiografia em AP

Incidências radiológicas em AP e PA

Fonte : Google imagem


Interpretação
1. Verificar a Incidência do raio x
2. A qualidade técnica
3. Raio x fora do tórax
4. Região óssea
5. Diafragma
6. Padrão circulatório Pulmonar
7. O coração.
Aspectos técnicos da Radiografia de
Tórax
• Qualidade técnica.
Projeção

Grau de
Orientação
Inspiração

Gambaroto, 2006.
Penetração Rotação
Orientação

Fonte: Google imagem


Rotação

Fonte: Google imagem


Penetração

Raio x de tórax em PA pouco penetrada Raio X de tórax em PA muito


penetrada
Fonte: Google imagem
Radiografia simples
Partes Moles Mamas, região cervical, tecido subcutâneo,
Abdômen superior.
Arcabouço ósseo Coluna, clavículas, costelas, ombros, esterno.

Diafragma Altura, morfologia, estudo comparativo.

Seios costofrênicos Verificar se estão livres

Pleura Espessamentos, Pneumatórax, derrame pleural,


calcificação.
Parênquima pulmonar Nódulos,cavidades, infiltrados.

Hilos Comparar a morfologia e dimensões

Mediastino Alagamentos, pneumomediastino, massas.

Coração Avaliar a silhueta cardíaca, morfologia, posição.


Dimensões.
Aorta Abaulamentos, dilatações, aneurismas,
calcificações.
SANTOS, 2013
Diafragma
Levemente
convexo para
o pulmão e
forma o
limite
inferior do
tórax.

Seio
costofrênico

Fonte: Google imagem

Seio cardiofrênico
O coração

Raio X em PA
Raio x em perfil
Fonte: Google imagem
Incidência: PA
Orientação: Direita e esquerda
Rotação:extremidade das clavículas e sem um processo
espinhoso
Penetração: Muito penetrada
Diafragma: Seio Costofrênico
Coração : área Cardíaca aumentada e duplo contorno
cardíaco.

Fonte: Google imagem


Sinal de
congestão
Botão aór

Derrame
Pleural

Fonte : Google imagem


Pneumotórax

Tamanho do Fonte: Google


Chassi ( Imagem

cortado)
Orientação

Congestão
Pulmonar

Fonte: Google imagem


Raio X Em
AP.

Fonte: Google imagem


Referências
• GAMBAROTO, G. Fisioterapia Respiratória em unidade de terapia
intensiva. São Paulo: Atheneu Rio,2006.

• SANTOS, ECL; FIGUINHA, FRC; LIMA, AGS. Manual de


cardiologia cardiopapers. São Paulo:Editora atheneu,2013.

• PRYOR, JA; WEBBER, BA. Fisioterapia para problemas


respiratórios e cardíacos.Rio de janeiro; guanabara koogan, 2010.