Você está na página 1de 5

Caderno

Alè Onijá
Lista

2 Alguidar n° 5 pintados de vermelho com 1 furo


no meio nos 2 alguidares
1 Garatéia ferro queimado com 40cm
1 tronco de bananeira medindo 50cm
1 Casa de joao de barro
Azougue
Efum,osum e waji
Aridã fava e ralada, bejerekun fava e ralada
1 garrafa de cachaça de vidro escuro fechada
misturada com garapa
Argila
21 buzios pequeninos
Azeite dendê
1 garrafa de cachaça de vidro branco enrolada
num murim preto, vermelho e branco
1 moringa com fitas vermelhas amarradas em seu
gargalo
4 mudas de peregun com pelo menos 1 mt
07 Espinhos de Peba
04 Patas de Peba
07 favas olho de Exu
07 Garras de Exú
1 Akukó vermelho
02 Obis vermelhos de 4 gomos
Pipocas estouradas no dendê
Pade de dendê, cachaça e mel
Acaçá, ovo caipira
Ervas colhidas após meio dia: Canela de velho,
comigo ninguém pode, cansanção, urtiga, dedo do
diabo
Arrumando Alè Onijá
Vela acesa, num horário de pouca luz já na
madrugada, misturar numa bacia de agate ou
alguidar a argila, as favas raladas, efun, osum e
waji, cachaça, dendê, azougue, as ervas piladas,
ovo, confeccionar uma bola do tamanho de uma
laranja, e fazer os pés com as patas do peba e
castroar a bola toda com búzios onde houver
espaço.
Faça uma base com garras de Exu.
Espalhar pouco de doburú estourado no dende no
fundo do alguidar do cuscuzeiro, acomodar então
a bola e as favas inteiras e regar com dende.

Então fecha-se o cuscuzeiro com a tampa de


barro de 1 furo e encaixe a garatéia de 7 pontas
no orificio acima do alguidar, arrume acaçá em
cima e 7 aberéns, e prosseguir com o sacrificio.
Esse santo come Peba, Galos vermelhos, Lagarto,
Pato, Pombo vermelho ou marrom.