Você está na página 1de 291

Centro de formação profissional do Porto

Dermocosmética
Estética
Cláudia Mascarenhas
objectivo

• Identificar o estado e as doenças da pele


conteúdos

• Anatomia e Fisiologia da pele

• Estados da pele

• Noção de pH; pH cutâneo


• A barreira cutânea.
• Os diferentes estados da pele
• O exame da pessoa como um todo
• Dados importantes a recolher
• Os estados da pele
conteúdos

• Os ultravioletas e a pele

• Os ultravioletas (UVA, UVB e UVC)


• Os ultravioletas e a pele
• O envelhecimento cutâneo
• Causas e meios de luta contra o envelhecimento

• Discromias
conteúdos

• Anexos cutâneos
• Os cabelos
• Anatomia e fisiologia
• Doenças que afectam os cabelos
• Doenças do cabelo e do couro cabeludo
• As unhas
• Anatomia e fisiologia
• Alterações das unhas

• Hipertricose e hirsutismo
Conteúdos

• Doenças da pele

• A acne
• Os eczemas / Dermatites
• Tumores cutâneos benignos e malignos
• Doenças da pele causadas por fungos
• Psoríase e Dermatite seborreica
• Doenças venéreas
conteúdos

• Cirurgia estética
•Electrocoagulação
•Criocirurgia
•Os implantes de colagénio e outros
•Transplantação de cabelo
•Correcção de cicatrizes
•Ritidectomias – o lifting
•Mamoplastias e abdominoplastias
•Cirurgia de contorno corporal. Lipossucção
•Dermoabrazão e “peeling” químico

•Os limites da cirurgia


2 – anatomia da pele
Pele

• A Pele (Cútis/Tez) é um órgão complexo, e


o maior órgão do corpo humano,
constituído por vários tecidos, tipos
celulares e estruturas especializadas.
Constitui a interface entre o corpo humano
e o meio externo.
Curiosidades sobre a pele
1 cm2 de pele contém:

• 16% do peso corporal • 1 m de vasos


sanguíneos
• 6 mil milhões de células
• 2 mil melanócitos • 5 m de nervos

• 15 gl. Sebáceas • 12 pontos criossensíveis

• 100 gl. Sudoríparas • 2 pontos


termossensíveis
• 5 folículos pilosos
Funções da pele

1. Barreira química 6. Protecção


2. Barreira imunológica
microbiana 7. Percepção
3. Barreira térmica sensorial
4. Barreira contra 8. Atracção sexual
radiação solar 9. Regulação
5. Barreira eléctrica hemodinâmica
Superfície da pele

• Linhas Blaschko –
são linhas
específicas
presentes no corpo,
parecem
corresponder ao
trajecto das células
embrionárias.
Algumas doenças
(nevo epidérmico)
ocorrem ao longo
destas linhas.
Superfície da pele

• As linhas Blaschko são um


padrão invisível
incorporado no DNA,.
Muitas doenças hereditárias
da pele e mucosas
manifestam-se de acordo
com esses padrões. Variam
de pessoa para pessoa,
mas geralmente possuem
um “V” sobre a coluna e
um “S” sobre o peito.
Nevo epidérmico (neoplasia benigna)
Anatomia da pele

• Camadas da Pele
• Epiderme
• Derme
• Hipoderme

• Anexos Cutâneos
• Unhas
• Pêlos
• Glândulas sebáceas
• Glândulas sudoríparas

• Unidades funcionais
• Protecção
• Termorregulação
• Comunicação
Anatomia da pele

• Epiderme
• Camada córnea
• Camada lúcida
• Camada granulosa
• Camada espinhosa
• Camada basal ou
germinativa
• Derme
• Camada papilar
• Camada reticular
• Hipoderme
Epiderme
Epitélio de revestimento, estratificado pavimentoso,
queratinizado.
• Camadas
• Córnea
• Lúcida
• Granulosa
• Espinhosa
• Basal ou germinativa
• Tipos celulares
• Queratinócitos
• Melanócitos
• Células de Langerhans
• Células de Merkel
Renovação da
pele
Estrutura da Epiderme
Epiderme

• Espessura variável de acordo com a região


corporal.

• Estrato lúcido – palmas e plantas – maior espessura.

• Não tem vasos sanguíneos.

• Os nutrientes e o oxigénio atingem a epiderme por


difusão a partir dos vasos sanguíneos da derme.
Camada basal germinativa

• Queratinócitos possuem forma cilíndrica ou cúbica;

• Esta fileira de células assenta sobre a lâmina basal;

• É nutrida pelos vasos sanguíneos da derme;

• Produz todas as células da epiderme: queratinócitos, células


de langerhans, células de Merkel, melanócitos;

• Ao dividir-se um queratinócito origina 2 células: uma migra


para a superfície (levando vários dias a atingir a última
camada ou seja a descamar) e a outra mantém-se na
camada basal para se poder dividir novamente;

• É caracterizada por uma intensa actividade mitótica.


Camada espinhosa

• Os queratinócitos têm a forma poligonal;

• Produz mais fibras de queratina;

• Normalmente as células estão separadas umas das


outras, excepto nos locais onde estão ligadas por
desmossomas, daí o seu aspecto espinhoso;

• Podem ocorrer divisões celulares;

• É a camada mais espessa.


Camada granulosa

• Queratinócitos de forma plana;

• Presença de grânulos de querato-hialina, o que lhe


confere o aspecto granuloso;

• Os núcleos e os restantes organitos degeneram, as


células morrem.
Camada córnea

• Os queratinócitos encontram-se completamente


preenchidos por queratina – corneócitos.

• A membrana celular encontra-se reforçada por um


invólucro proteico.

• As células superficiais são chamadas descamantes,


pois já não se encontram ligadas entre si por
desmossomas.
Camada lúcida

• Constituída por células anucleadas;

• É apenas encontrada nas zonas de pele glabra


(sem pêlos), tais como a palma das mãos e a
planta dos pés.
queratinização

•Degeneração gradual das células epidérmicas, ao


longo das várias camadas, obtendo-se no final do
processo células mortas (corneócitos) ricas em
queratina.

•Camada espinhosa – desidratação das células

•Camada granulosa – degeneração do citoplasma

•Camada córnea – células completamente


queratinizadas
queratina

• Proteína produzida pelos queratinócitos, constituinte da


camada córnea, do cabelo e das unhas, e insolúvel em água.

• Principais aas que a constituem: cistina e cisteína,


hidroxiprolina, lisina, serina, glicina, etc.

• Dois tipos de queratina:

• Queratina mole: existente na epiderme


• Queratina dura: cabelos/pêlos e unhas

• A taxa de queratina vai aumentando ao longo dos anos o


que provoca um endurecimento das unhas e cabelos.
Filme hidrolipídico

• Película situada na camada córnea que contacta


directamente com o meio exterior.

• Emulsão natural
• Fase aquosa – suor
• Fase oleosa – sebo

• Para ajudar a função do filme hidrolipídico existe a flora


cutânea – manutenção da acidez da pele.

• O pH vai sofrer influencia de:

• Agentes internos – saúde, alimentação


• Agentes externos – sol, meio ambiente
Filme hidrolipídico

• Constituição:
• NMF (Factores de hidratação natural) – ureia, ácido láctico,
ácido pirrolidona carboxílico (PCA), aminoácidos, glícidos,
cloro, sódio, potássio. Encontram-se no interior dos
corneócitos.

• Fracção hidrossolúvel – (proveniente sobretudo do suor) –


cloreto de sódio, de potássio, de magnésio e de cálcio,
ureia, amoníaco, vitaminas e glicose.

• Fracção lipossolúvel – (de origem sebácea e epidérmica) -


colesterol, ceras, triglicéridos e ácidos gordos.
Funções do filme hidrolipídico

• Hidratação da camada córnea, graças à presença de NMF’s;

• Acidez cutânea, evitando o desenvolvimento de


microrganismos ;

• Evitar variações bruscas de pH, para evitar os danos


causados por substâncias demasiado ácidas ou alcalinas;

• Protecção contra os raios solares;

• Odor corporal;

• Determina o aspecto exterior da pele, pois o manto assegura


uma boa tez da camada córnea.
O Filme hidrolipídico

• Quando o FHL é destrtuído a pele segrega


aceleradamente substâncias hidrolipídicas que
permitam restituir o manto hidrolipídico.

• Pode implicar:

• Excesso de sebo na pele


• Má qualidade do sebo – seca a pele
• Gordura não consegue exercer a sua função de barreira –
perda de água

• Implica também alteração do pH e diminuição das


defesas contra os microrganismos.
Queratinócitos
•Representam 80-90% das células da
epiderme.
•Aspectos morfológicos diferentes ao
longo das várias camadas:

• Basal – camada única de células


colunares, perpendiculares à
membrana basal, núcleo grande e oval.
• Espinhosa – 5 camadas de células
poligonais, núcleo central, contorno
espiculado devido à presença de
desmossomas.
• Granulosa – 1 a 3 camadas de células
losângicas, núcleo central, grânulos de
querato-hialina.
• Córnea – 1 a 5 camadas de células
achatadas, sem núcleo.
Queratinócitos - renovação

Renovação epidérmica: 59 – 75 dias

•Células basais: divisão a


cada 19 dias

•Migração até C.
Granulosa: 26-42 dias

•Trânsito na camada
córnea: 14 dias
melanócitos

• Células dendríticas, constituem 5% das células epidérmicas.


• Relação de 1 melanócito para 10 queratinócitos.
• Células produtoras de um pigmento – Melanina – nos melanossomas,
a partir da tirosina por acção da tirosinase.
• Unidade melano-epidérmica: 1 melanócito para 30-40 queratinócitos.
melanócitos

• O nº de melanócitos varia nas diferentes áreas


corporais.
• As variações individuais da cor da pele resultam de:
• Diferenças na actividade dos melanócitos;
• Distribuição dos melanossomas nos queratinócitos.
• O número de melanócitos é aproximadamente
igual em todos os indivíduos independentemente
da cor.
• Fototipos:
Células de langerhans

• Células que fazem


parte do sistema
imunológico,
destroem agentes
estranhos; são
afectadas pela luz
UV.
Células de Merkel

• Células receptoras
de estímulos de
toque, transmitindo-
os ao sistema
nervoso.
derme
• Constituída por tecido conjuntivo, gel de
mucopolissacarídeos, contendo proteínas da matriz
(colagénio, elastina).

• Camadas:
• Papilar
• Reticular

• Tipos celulares:
• Fibroblastos – síntese de Colagénio, elastina e ácido hialurónico.

• Células de defesa (Linfócitos, macrófagos, ….)


Derme
Derme
derme
• Rica em órgãos sensoriais:

• Corpúsculos de Vater-Pacini (pressão e vibração)


• Corpúsculos de Meissner (tacto)
• Corpúsculos de Krause (frio)
• Corpúsculos de Ruffini (calor)
• Discos de Merkel (tacto e pressão)

• Rica em terminações nervosas

• Livres (dor e temperatura)


• Associadas a folículos
pilossebáceos
hipoderme
• É formada por tecido conjuntivo laxo e adiposo,
une a derme aos órgãos subjacentes.

• É a camada responsável pelo deslizamento da


pele sobre as estruturas na qual se apoia.

• Onde se encontra a gordura subcutânea ou


panículo adiposo.

• Pode ter uma camada variável de tecido adiposo,


dependendo da região e do grau de nutrição, que
constitui o panículo adiposo (isolante térmico).
hipoderme

• Funções:

• Termorregulação
• Reserva de nutrientes
• Protecção contra o
trauma mecânico.
Anexos da pele
• Unhas
• Pêlos
• Glândulas sebáceas
• Glândulas sudoríparas
Absorção através da Pele
Principais portas de entrada na superfície cutânea:

• Folículo piloso
• Glândulas sebáceas
• Glândulas Sudoríparas

• Passagem transfolicular
• Passagem transepidérmica
Absorção através da Pele

• 1 – Infundíbulo piloso –
ponto de menor resistência
da superfície cutânea.
• 2 – Conduto de excrecção
do sebo.
• 3 – Colo da glândula
sebácea.
• 4 – Glândula sebácea.
• 5 – Passagem transfolicular
(2-3-4).
• 6 – Passagem
transepidérmica (em regra
a penetração é menor do
que em 2).
A penetração cutânea depende

• Veículo ou excipiente utilizado para o princípio


activo:
• Excipientes de origem animal (banha, lanolina, etc.) têm
maior poder de penetração do que os de origem vegetal
(azeite, óleos diversos, etc.) e estes mais do que os minerais
(vaselina, parafina, etc.)
• Fórmula medicamentosa;
• Zona corpórea de aplicação:
• Camada córnea da face é menos espessa do que a das
palmas das mãos e dos pés
• Número de glândulas sebáceas e sudoríparas
• Fricções e massagens
pH

• pH é o grau de acidez de uma solução. O símbolo


(p) representa “power”, isto é, a intensidade da
concentração de iões hidrogénio H+. A escala de
pH varia entre 1 e 14.

• Uma solução neutra (água pura) em que a


[H+]=[OH-], tem um pH neutro.

• Uma solução ácida em que [H+]>[OH-] tem um pH


ácido.
• Uma solução básica em que [H+]<[OH-] tem um pH
básico.
pH da pele

1. Couro cabeludo: 4,0

2. Rosto: 4,7

3. Axilas: 6,5

4. Pregas interdigitais: 7,0

5. Tronco: 4,7

6. Prega mamária: 6,0

7. Perna, tornozelo: 7,0


3 – estados da pele
O exame da pessoa como um todo

• Os profissionais de estética devem, na primeira


visita do cliente, proceder do seguinte modo:

•Fazer a Anamnese

•Documentar por fotografia a aparência do cliente (antes,


durante e depois do tratamento).
Objectivos da anamnese

• Estabelecer o contacto inicial com o cliente,


conquistar a sua confiança;

• Recolher as informações necessárias para elaborar


hipóteses diagnósticas;

• Definir objectivos terapêuticos


1 - Anamnese

A. IDENTIFICAÇÃO: Nome – Sexo – Idade – Raça –


Estado Civil – Profissão – Naturalidade e
Nacionalidade – Endereço – Contacto.

B. QUEIXA PRINCIPAL: motivo ou problema que fez


o paciente procurar o atendimento.

C. HISTÓRIA DA DISFUNÇÃO ESTÉTICA: relato em


ordem cronológica dos problemas que levaram o
paciente a recorrer ao ser auxílio.
Anamnese

D. HISTÓRIA DA DISFUNÇÃO ESTÉTICA ACTUAL: modo como os


problemas do paciente começaram, como se
desenvolveram, os sintomas que apareceram e os
tratamentos feitos.

E. HISTÓRIA COMPORTAMENTAL: Hábitos – Tabagismo – Álcool


– Drogas – Actividade física – Alimentação.

F. HISTÓRIA FAMILIAR: pesquisar na família aspectos


relacionados com a disfunção estética: alterações
vasculares, diabetes, hipertensão, hipercolesterolemia,
seborreia, acne, hipercromias, envelhecimento precoce, …
Anamnese

G. HISTÓRIA DE QUEIXAS DE OUTROS SISTEMAS:


realização de perguntas sobre sintomas
específicos ligados aos vários aparelhos, sistemas
e regiões do corpo.

H. HISTÓRIA PSICOSSOCIAL: factores sugestivos de


distúrbios, tais como: condição da moradia, a
vida diária, estado de espírito, perspectiva do
cliente quanto ao tratamento, vícios (Tabagismo?
Quantos cigarros por dia? Bebida? Com que
frequência?, número e tipo de alimentação,
prática de actividade física (o quê? Quantas
vezes por semana? Duração? Intensidade?
2 – diagnóstico da pele

ANÁLISE DA PELE
•Cor • Lesões
•Textura • Pústulas/Comedões/
•Aspereza Bolhas
•Descamação • Cicatrizes
•Manchas • Linhas e rugas
•Flacidez • Biótipo cutâneo

Material: Lupa, analisador de pele


Lupa de Estética
Lupa de pala
(podologia)

Lupa de mão

Lupa de mesa
Pele cosmeticamente sã

• Pele que se apresenta em condições anatómicas,


histológicas e funcionais normais, que não padece
de alterações nem sequelas estéticas nem
cosméticas, estando os seus parâmetros
dermocosméticos dentro dos valores fisiológicos
considerados normais.
Parâmetros dermatocosméticos

• Sebo
• pH
• Hidratação

• O equilíbrio entre os 3 está geneticamente


determinado, mas pode ser alterado por
factores como: clima, envelhecimento,
hormonas, alimentação, sol, stress,
alterações digestivas, uso indevido de
cosméticos
Valores normais de referência dos parâmetros
dermatocosméticos
• Sebo: 90-100 microgramas/cm2

• Valores acima indicam pele oleosa ou seborreica


• Valores abaixo indicam pele hipolipídica ou seca

• pH: ácido

• Homem: 5
• Mulher: 5,5

• São valores com um máximo de inércia e mínimo de


reactividade, possibilita maior penetração de cosméticos.
Equipamentos de medição dos parâmetros
dermatocosméticos
• Corneometer: mede o conteúdo aquoso do estrato córneo.

• pHmeter: mede o pH (acidez) da pele.

• Mexameter: avalia a cor da pele.

• Tewameter: avalia a perda transepidérmica de água.

• Cutometer: avalia a viscoelasticidade da pele.

• Sebumeter: avalia a oleosidade da pele


Equipamentos de medição (Ckelectronic)

Mexameter Tewameter
Corneometer Avalia a perda transepidérmica de
Conteudo aquoso da C. Córnea Avalia a cor da pele água

pHmeter Cutometer (elasticidade) Sebumeter


Equipamento sofisticado com várias funções

• Hidratação
• Sebo/Oleosidade
• Pigmentação/rubor
• Elasticidade e idade biológica
• pH
• Microcirculação (temperatura da
pele)
• Qualidade da barreira da pele
• Cor da pele/ cabelo
• Brilho da pele/cabelo
• Descamação
• Actividade das gl. Sebáceas
• Actividade das bactérias da acne
• Fotografia da face com diferentes
análises (poros, rugas, cor)
Equipamento de fotografia

VisioFacelite
Skin Analyser digital / Dermoscan
Dermoscan
Lâmpada de Wood
Lâmpada de Wood
Tipos e Estados da pele
FotoTipos de Pele
Classificação de Fitzpatrick

• A escala de Fitzpatrick, criada em 1976 pelo


Dermatologista e director do departamento de
Dermatologia da escola de Medicina de Harvard,
Thomas B. Fitzpatrick, é a mais famosa classificação
de fototipos.

• Baseia-se na capacidade da pessoa em ficar


bronzeada sob exposição solar e na sensibilidade
e tendência a ficar vermelha sob os raios solares.
Fototipos - Classificação de Fitzpatrick
Fototip Cor Queimadura Bronzeamento Sensibilidade
o ao Sol
I Branca Sempre queima Nunca bronzeia Muito sensível
FPS 30

II Branca Sempre queima Bronzeia pouco Sensível


FPS 30

III Morena Queima Bronzeia Sensibilidade


FPS 15 clara (moderadamente) (moderadamente) normal
+
IV Morena Queima (pouco) Sempre bronzeia Sensibilidade
FPS 15+ moderada normal

V Morena Queima Sempre bronzeia Pouco


FPS 15+ escura (raramente) sensível

VI Negra Nunca queima Totalmente Insensível


FPS 15+ pigmentada
Exame da pele

• Inspecção visual: feita a olho nú pela profissional


ou através de lente;

• Palpação: através da sensibilidade táctil nos dedos;

• Reconhecimento: conhecimentos teóricos da


profissional, analisando as características da pele e
fazendo um histórico da mesma.
Classificação dos estados da pele
Helena Rubinstein
4 tipos
• Classificação tradicional, realizada pela
cosmétologa Helena Rubinstein, segundo a
hidratação e a sensibilidade:

• Normal
• Seca (alipídica)
• Oleosa (gorda, lipídica)
• Mista
• (Sensível)
• (Envelhecida)
Pele normal

• A menos frequente de todos os tipos, tem textura


saudável e aveludada.

• Possui elasticidade ideal e produz gordura natural


em quantidade adequada.

• Apresenta aspecto rosado, com poros pequenos e


pouco visíveis, é pouco propensa ao
desenvolvimento de espinhas e manchas.
Pele seca

• Caracterizada por:
• perda de água em excesso,
• poros pouco visíveis,
• pouca luminosidade propensa a descamação e
vermelhidão.

• Apresenta maior tendência ao aparecimento de


rugas e fissuras.

• Causas: factores genéticos, hormonais e condições


ambientais.
Pele oleosa

• Caracterizada por:
• aspecto brilhante, húmido e espesso, devido a produção
de sebo anormal,
• poros dilatados
• Maior tendência para a formação de acne e espinhas.

• Causas: factores genéticos, hormonais e


ambientais (sol, stress, dieta rica em alimentos com
alto teor de gordura)
Pele mista

• Caracterizada por:
• aspecto oleoso
• poros dilatados na “zona T” (testa, nariz e queixo)
• seca nas bochechas e extremidades.

• A pele mista tem espessura mais fina, com


tendência à descamação e ao surgimento de
rugas finas e precoces .
Classificação dos estados da Pele
Sistema Baumann
16 tipos
•O sistema Baumann foi criado pela Dra. Leslie S.
Baumann do departamento de Dermatologia da
Universidade de Miami.
•O sistema Baumann baseia-se em 4 parâmetros de
avaliação da pele:
•OLEOSA vs SECA,
•SENSÍVEL vs RESISTENTE,
•PIGMENTADA vs NÃO PIGMENTADA
• ENRUGADA vs FIRME (não enrugada);

•produzindo 16 potenciais tipos de pele.


1- Oleosa, sensível, não pigmentada e
propensa a rugas

•Características: queima em lugar de bronzear,


avermelhada, com poros abertos e rugas precoces.

•O que evitar: produtos à base de álcool, cremes


anti-idade e vitamina C.
•O que usar:
• Séruns com antioxidantes para hidratação;
• Produtos com anti-inflamatórios, como camomila e azuleno,
para a acne e vermelhidão;
• Cremes com corticóides para dermatites
2 – oleosa, sensível, não pigmentada e firme

• Características: ruboriza facilmente, veias


aparentes no rosto, manchas vermelhas que
descascam (sobretudo no nariz), rugas só depois
dos 40 anos.

• O que evitar: cremes anti-idade ou à base de


ácidos de frutas e DMAE.

• O que usar: produtos anti-inflamatórios, com


camomila e aloé vera, protector solar.
3 – oleosa, sensível, pigmentada e propensa a
rugas
• Características: bronzeia facilmente, depois surgem
manchas acastanhadas ou esbranquiçadas, muita
acne e dermatites. Primeiras rugas por volta dos 20
anos.

• O que evitar: DMAE, ácido lipóico e ácido


hialurónico, filtro solar com benzofenona.

• O que usar:
• Contra rugas: cremes com ácido salicílico o retinol;
• Filtros solares com óxido de zinco (não irrita a pele e evita
oleosidade).
4 – oleosa, sensível, pigmentada e firme

• Características
• Alta incidência de acne, geralmente
acompanhada de inflamações. Propensão a
alergias e, nas pessoas claras, sardas e manchas
de sol
• O que evitar
• Esfoliantes e cremes antiidade
• O que usar
• Produtos com camomila, aloe vera e ácido
salicílico, que aliviam as inflamações
• Cremes com retinol para acne e rugas
• Loções com ácido kójico para manchas de sol
5 – oleosa, resistente, pigmentada e propensa
a rugas
• • Aparência lustrosa, com poros largos, acne rara
• O que evitar
• A maioria dos cremes e loções não consegue
penetrar na pele. Para hidratar a pele e prevenir
rugas, a melhor opção são produtos manipulados,
sob indicação médica
• O que usar
• Os esfoliantes para reduzir oleosidade
• Cremes com coenzima Q10, ginseng, chá verde
e vitamina C para rugas
• Retinol, DMAE e ácido glicólico em alta
concentração para amenizar rugas
6 – oleosa, resistente, pigmentada e firme

• Características
• A face brilha, principalmente em fotografias,
poucas rugas e acne. Mais comum em negros. Em
pele clara, maior incidência de sardas e manchas
• O que evitar
• Na pele clara, produtos com soja, que provocam
o aumento das manchas. Na pele escura,
tratamentos a laser
• O que usar
• Vitamina C, retinol, ácido kójico e ácido glicólico
são eficazes para remover manchas e prevenir
rugas
7 – oleosa, resistente, não pigmentada e
propensa a rugas

• Características
• Brilho moderado na face, pouca acne, rugas
precoces
• O que evitar
• Hidratantes durante o dia são desnecessários.
• O que usar
• Produtos com antioxidantes para prevenir o
envelhecimento
• O retinol controla a oleosidade e previne rugas
• Tratamentos como laser, dermo-abrasão,
peelings profundos e Botox
8 – oleosa, resistente, não pigmentada e firme

• Características
• Manchas, vermelhidão ou ressecamento são
raros. Dificilmente pega um bronzeado
• O que evitar
• Hidratantes gordurosos. Se necessário, usar
aqueles feitos à base de gel ou loções sem óleo
• O que usar
• Para limpeza, as loções à base de ácido salicílico
• Esfoliantes diariamente
9 – seca, sensível, pigmentada e propensa a
rugas
• Características
• Uma das peles mais problemáticas. Muito fina e
seca, apresenta irritações, vermelhidão e descama
com freqüência. Arranhões e cortes resultam em
cicatrizes
• O que evitar
• Adstringentes, que irritam a pele, e esfoliantes,
que a tornam ainda mais sensível
• O que usar
• Águas termais em spray antes de aplicar cremes,
para aumentar a hidratação
• • Hidratante pela manhã, à tarde e à noite
• Botox, preenchimentos e peelings químicos
10 – seca, sensível, pigmentada e firme

• Características
• Sujeita a eczemas, dermatites e descamações.
Manchas ásperas e grossas no rosto e no pescoço,
ressecamento nas mãos e pálpebras escuras
• O que evitar
• Adstringentes e esfoliantes, cosméticos com soja
que contenham estrógeno
• O que usar
• Hidratantes com filtro solar e ingredientes simples
como óleo de oliva ou manteiga de cacau
• Antiinflamatórios para eczemas e dermatites, sob
orientação médica
11 – seca, sensível, não pigmentada e
propensa a rugas
• Características
• Ressecada, avermelhada, áspera e sem brilho.
Acne moderada, vasos aparentes na face e rugas
precoces
• O que evitar
• Vitamina C, retinol e cremes anti-idade. Para
quem tem acne, produtos com manteiga de
cacau e óleo de coco
• O que usar
• Hidratantes pelo menos três vezes ao dia
• Produtos com coenzima Q10, chá verde, extracto
de grãos de uva e cafeína para prevenir rugas
• Anti-inflamatórios, sob prescrição médica.
12 – seca, sensível, não pigmentada e firme

• Características
• Seca, com descamações, vermelhidão e
coceiras. Muito alérgica e com espinhas ocasionais
• O que evitar
• Produtos com álcool, adstringentes e sabonetes
agressivos, que tiram a gordura natural da pele.
Produtos com retinol
• O que usar
• Hidratantes fortes, de preferência com filtro solar
13 – seca, resistente, pigmentada e propensa a
rugas

• • Produtos com álcool, sabonetes e loções


adstringentes
• O que usar
• Para prevenir ou atenuar rugas, retinol ou ácido
retinóico receitado por dermatologistas
• Cremes para o rosto e a área dos olhos com
antioxidantes em doses altas
• Agentes clareadores, como vitamina C, que
aumenta a produção de colágeno e ajuda a
diminuir manchas
• Esfoliantes quatro vezes por semana
14 – seca, resistente, pigmentada e firme

• Características
• Seca, com descamações no rosto e no pescoço.
Áspera nos joelhos e cotovelos. Sardas ou manchas
de sol
• O que evitar
• Peelings químicos e tratamentos a laser, que
acentuam as manchas escuras. Produtos com soja
e estrógeno
• O que usar
• Hidratantes com filtro solar, para evitar manchas
e sardas
• Produtos com retinol e vitamina K para
hidratação
15 – seca, resistente, não pigmentada e
propensa a rugas
• Características
• Pele bem clara, típica do norte da Europa,
delicada e sem sardas ou manchas
• O que evitar
• Sabonetes e xampus com detergentes, produtos
com álcool e adstringentes
• O que usar
• Até os 30 anos, a hidratação com produtos ricos
em antioxidantes como vitamina C e E, chá verde
e coenzima Q10. A partir dessa idade, produtos à
base de retinol, com prescrição médica
• Para prevenir rugas, cremes com ácido
hialurônico, colágeno e elastina
16 – seca, resistente, não pigmentada e firme

• Características
• Pele típica de loiros ou morenos claros. Não
bronzeia
• O que evitar
• Produtos à base de álcool e adstringentes
• O que usar
• Hidratantes tradicionais, à base de glicerina e
água de rosas, são baratos e eficientes para esse
tipo de pele
Exame da pele

• Inspecção visual: feita a olho nú pela profissional


ou através de lente;

• Palpação: através da sensibilidade táctil nos dedos;

• Reconhecimento: conhecimentos teóricos da


profissional, analisando as características da pele e
fazendo um histórico da mesma.
4 – os ultravioletas
O sol e as radiações solares

• A soma total de energia transferida pelo sol representa cerca de:


• 7% radiação UV (290 a 400nm)
• 54% radiação IV (760 a 4000nm)

• Informações
• Raios UV: ultravioleta
• Raios IV: infravermelho
Fotodano Cutâneo
Factores predisponentes ao fotodano

• Radiação Ultravioleta
• Factores Genéticos
• Tipo de Pele
• Período de Exposição
• Tempo de Exposição
Meios de luta contra o envelhecimento

• Hidratação
• Nutrição Cutânea
• Peeling
• Fotoproteção
• Antioxidantes
• Revitalização
• Procedimentos
Capilares
O envelhecimento cutâneo
O envelhecimento cutâneo

• Conjunto de modificações que se sucedem no


organismo desde o nascimento, como
consequência do passar do tempo.

• Processo fisiológico geneticamente programado


• Factores internos e externos
• Modificações na derme, epiderme, entre outras…
• Pode ser acelerado por factores como: clima, stress,
alimentação, doenças.
Classificação de Glogau

CARACTERÍSTICAS
TIPO CLASSIFICAÇÃO IDADE DESCRIÇÃO
CUTÂNEAS

Ligeiras alterações de
I LEVE 20-30 Sem rugas pigmentação, sem
queratose.

Rugas Lentigos senis iniciais,


II MODERADO 30-45 queratose palpável mas
dinâmicas não visível.

Rugas Melanoses,
III AVANÇADO 45-60 telangiectasias,
estáticas queratoses visíveis.
Rugas
Pele actínica, ptose
IV SEVERO 60-75 profundas e tecidular e muscular.
pregas
causas

• Baixa actividade metabólica celular

• Diminuição da microcirculação sanguínea

• Redução do aporte de substâncias essenciais à


síntese celular
causas

• O processo de
envelhecimento
pode ser dividido
em:

• Envelhecimento
intrínseco
• Envelhecimento
extrínseco
Tipos de envelhecimento

• Envelhecimento intrínseco
• É aquele previsível, progressivo com o passar do tempo,
que ocorre de forma mais lenta e gradual. É comum aos
órgãos e inerente ao próprio organismo ( a pele fica mais
fina, sem elasticidade, flácida e com rugas)
Tipos de envelhecimento

• Envelhecimento extrínseco
•É aquele provocado e influenciado pelos factores externos,
entre eles a radiação ultravioletas (exposição solar) ocorre
de forma mais intensa nas regiões do corpo
constantemente expostas como o rosto, pescoço, braços e
mãos
Sinais de envelhecimento

• Rosto e mãos apresentam os sinais de


envelhecimento precoce, que são:

• Adelgaçamento da espessura cutânea com diminuição da


actividade dos fibroblastos;

• Menor capacidade de fixar a hidratação e de estimular a


nutrição;

• Aumento substancial da camada córnea.


Sinais de envelhecimento

• Testa: processo acentua pelos 40 anos, acto de


franzir o sobrolho, evidenciando mais os vincos.

• Olhos: canto interno com afundamento (perda de


fibras de sustentação), canto externo com sulcos
(vulgo “pés de galinha”). As bolsas de gordura
alteram a sua concentração e ficam mais
evidentes.
Sinais de envelhecimento

• Maçãs do rosto: o panículo adiposo diminui,


fazendo com que derme e epiderme percam
sustentação e dando a impressão de “caídas”.

• Lábios: perdem volume devido à diminuição de


fibras de sustentação, e à perda de massa óssea e
ao desgaste dos dentes.

• Pescoço: aumenta a flacidez da pele e músculos


(mais evidente em quem passou a vida a
emagrecer e a engordar)
Tratamento Estético
Procedimento Profissional

• Pré-tratamento
• Higienização / Limpeza
• Esfoliação (Cosmética ou Electroterapia)

• Per-tratamento
• Cosmética e/ou Electroterapia com acções de combate à
patologia avaliada.

• Pós-tratamento
• Finalizador (máscaras, creme, massagem)
• Protector solar
Tratamento Estético
Procedimento Home Care

• Pré-tratamento
• Higienização / Limpeza
• Esfoliação

• Per-tratamento
• Cosmética adequada de combate à patologia avaliada

• Pós-tratamento
• Protector solar
• Nutracêuticos
Envelhecimento Facial
OBJECTIVO DO TRATAMENTO
• ACÇÕES (Profissional e/ou Home Care)

• RENOVAR (epiderme)

• HIDRATAR E NUTRIR (manto hidrolipídico, hidratação,


nutrientes)

• ESTIMULAR / REGENERAR (produção de fibras, gag's)

• INIBIR / ESTIMULAR ACETILCOLINA (rugas, flacidez)

• PROTEGER (sistema imunitário, radicais livres, protecção


solar)
Envelhecimento Facial
ACÇÃO: RENOVAR

• Electroterapia
• Peeling Ultra-Sónico
• Peeling a jacto de soro fisiológico
• Microdermoabrasão (Ponteira de diamante, Cristais de
alumínio)
• IPL /Laser / RF

• Cosmética
• Peeling Químico (Ácidos orgânicos)
• Peeling Biológico (Enzimas)
• Peeling Físico (Esfoliantes abrasivos / gommage)
Envelhecimento Facial
ACÇÃO: HIDRATAR / NUTRIR

• COSMÉTICA
• Hidratantes (TEWL, NMF, biofilme, humectação, transporte
de água, osmorregulação)
• Nutritivos (óleos nutritivos, vitaminas, aminoácido,
condicionadores)

• NUTRACÊUTICOS
• Hidratantes
• Regeneradores
• Nutrientes
Envelhecimento Facial
ACÇÃO: ESTIMULAR
• Cosmética
• Estimuladores de fibras elásticas e GAG's
• Estimuladores da actividade / energia celular
• Estimuladores dos factores de crescimento

• Nutracêuticos
• Reposição de nutrientes em falta
• Estimuladores celulares
Envelhecimento Facial
ACÇÃO: ESTIMULAR
• Electroterapia
• Estimulação dérmica - RF
• Fotoestimulação - PDT, IPL
• Oxigenação
• Actividade celular - MC
• Estimulação de factores de crescimento
Envelhecimento Facial
ACÇÃO: ACETILCOLINA

• Cosmética
• Inibidores
• Hexapeptídeo (argireline, SNAP 7)
• Octapeptídeo (SNAP 8)

• Percursores
• DMAE
Envelhecimento Facial
ACÇÃO: PROTEGER

• Cosmética
• Protectores solares e celulares
• Antioxidantes e dermoprotectores

• Nutracêuticos
• Antioxidantes
• Dermoprotectores
• Anti-inflamatórios
Envelhecimento Facial
PROTOCOLO / SESSÕES

• 1 a 2 sessões / semana
• 8 a 12 sessões + sessões de manutenção
Papel da esteticista/Massagista

• Atenua as rugas;
• Melhora a aparência estética;
• Aconselha para cirurgia estética.

• Aconselha cosméticos hidratantes e nutritivos


• Aconselha a proteger a pele nas exposições solares
• Aconselha a fazer uma alimentação saudável
• Aconselha a praticar actividade física.
Exercícios

• Outros exercícios faciais são indicados para


prevenir o envelhecimento. Faça, no mínimo, três
séries de 10 repetições de cada exercício, sempre
com um intervalo entre elas. A duração de cada
exercício pode ser de 5 segundos.

• Adotar esse hábito três vezes na semana, durante


15 minutos diários, já é suficiente.
Exercícios para a testa

• Eleve as sobrancelhas com a ajuda dos dedos e


volte ao normal.

• Depois puxe as sobrancelhas uma de encontro a


outra, como se estivesse fazendo cara de mau,
conte até 10, volte ao normal e relaxe.
Exercícios para as pálpebras

• Arregale bem os olhos e volte ao normal,


relaxando.

• Depois olhe para a ponta do nariz, conte até 10 e


relaxe.
Exercícios para os lábios

• Abra bem a boca e feche devagar, relaxando.

• Faça um bico por alguns segundos e relaxe.

• Faça um bico e movimente em círculos de um lado para o


outro, sentido horário e anti-horário. Faça uma série de 10
repetições para cada lado.

• Esfregue os lábios um no outro como se estivesse espalhando


o batom, se preferir use um gloss ou hidratante labial, e
relaxe.
Papel da esteticista

• Como medidas preventivas e de modo a obter


melhores resultados aconselha tratamentos diários
em casa:

• Manter a pele limpa e protegida das agressões


• Aconselhar cosméticos hidratantes e nutritivos
• Proteger a pele nas exposições solares
• Fazer uma alimentação saudável
• Praticar actividade física.
Tratamento diário de manutenção anti-rugas

• Limpar a pele, 2x/dia, com leite e tónico


adequado ao tipo de pele;
• Aplicar um sérum ou uma ampola hidratante
• Creme regenerador ,nutritivo e hidratante,
conforme a necessidade da pele.

• Peles finas e desidratadas: máscara hidratante,


2x/semana.
• Peles com manchas ou muito enrugadas: peeling,
2x/mês + tratamento em cabine (2/3x/semana)
discromias
discromias

•Discromias
• são perturbações na pigmentação da pele devidas a
alterações na produção de melanina, apresentam-se de
forma localizada, difusa, regional ou circunscrita ao corpo.

•As discromias podem ser de 3 tipos:

• Hipercromias
• Hipocromias
• Acromias
Hipercromias

• Hipercromias
•São manchas escuras que aparecem na pele e são
causadas pelo excesso de melanina.

Tipos de Hipercromias:
•Efélides (sardas)
•Lentigem (sardas)
•Cloasma (mancha gravídica)
•(Mancha senil)
•(Hipercromias por fotossensibilização)
Hipocromias

• Hipocromias
•Caracteriza-se por manchas com um tom mais claro do que
a pele do indivíduo, causadas pela diminuição da melanina.

• Causas:
•Ausência de melanócitos
•Problemas na formação e transferência dos melanossomas
para os queratinócitos
•Falta de vitamina B
•Tipos :
•Albinismo
•Leucodermia solar
acromias

• Acromias (acromasia, acromatose)

• Caracteriza-se pelo aparecimento de manchas brancas


de diferentes formatos originadas pela total ausência de
melanina

• Tipos de acromias
• Vitiligo
• Albinismo (oculocutâneo)
Acromias

Hipercromias Hipocromias
• Crioterapia
• Laser
• Peelings
• Luz pulsada
• Laser
• Substâncias clareadoras
• Medicação
para a noite
• Hidroquinona
• Ácido retinóico • Tratamento do vitiligo:
• Ácido kójico • Terapia de luz ou laser
• Filtro solar (de dia) • Medicação (Prednisona)
• Enxerto de pele
• Enxerto de bolha
• Micropigmentação
TRATAMENTO
HIPERPIGMENTAÇÃO
Tratamento Estético
Procedimento Profissional

• Pré-tratamento
• Higienização / Limpeza
• Esfoliação (Cosmética ou Electroterapia)

• Per-tratamento
• Cosmética e/ou Electroterapia com acções de combate à
patologia avaliada.

• Pós-tratamento
• Finalizador (máscaras, creme, massagem)
• Protector solar
Tratamento Estético
Procedimento Home Care

• Pré-tratamento
• Higienização / Limpeza
• Esfoliação

• Per-tratamento
• Cosmética adequada de combate à patologia avaliada

• Pós-tratamento
• Protector solar
• Nutracêuticos
Hiperpigmentação
OBJECTIVO DO TRATAMENTO
• ACÇÕES (Profissional e/ou Home Care)

• RENOVAR (epiderme / junção dermo-epidérmica)

• REGENERAR (FCE, suavização, hidratação, manto hidrolipídico)

• DESPIGMENTAR (inibir tirosinase, med. hormonais e melanina já


depositada)

• ANTI-INFLAMATÓRIA (prevenir pigmentação pós-inflamatória).

• ANTI-OXIDAR (inibir radicais livres).

• PROTEGER (protecção solar e celular)


Hiperpigmentação
ACÇÃO: RENOVAR

• Electroterapia
• Peeling Ultra-Sónico
• Peeling a jacto de soro fisiológico
• Microdermoabrasão (Ponteira de diamante, Cristais de
alumínio)
• IPL /Laser

• Cosmética
• Peeling Químico (Ácidos orgânicos)
• Peeling Biológico (Enzimas)
• Peeling Físico (Esfoliantes abrasivos / gommage)
Hiperpigmentação
ACÇÃO: REGENERAR

• COSMÉTICA
• Hidratantes (TEWL, NMF, biofilme, humectação, transporte
de água, osmorregulação)
• Regeneradores (FCE)

• NUTRACÊUTICOS
• Hidratantes
• Regeneradores
Hiperpigmentação
ACÇÃO: DESPIGMENTAR

• Electroterapia
• IPL /Laser /PDT
Hiperpigmentação
ACÇÃO: DESPIGMENTAR

• Electroterapia

• EFÉLIDES / LENTIGOS
• IPL mais indicado
• Laser CO2 (lentigos mais rebeldes)

• HIPERPIGMENTAÇÃO PÓS-INFLAMATÓRIA
• Laser CO2 (despigmentante 15 dias antes)

• MELASMA
• sem indicação.
Hiperpigmentação
ACÇÃO: ANTI-INFLAMATÓRIA

• COSMÉTICA
• Inibidores tirosinase
• Inibidoreas mediadores hormonais
• Melanina já formada

• NUTRACÊUTICOS
• Inibidores tirosinase
• Inibidores processos oxidativos
Hiperpigmentação

• ACÇÃO: ANTI-OXIDAR • ACÇÃO: PROTEGER

• COSMÉTICA • COSMÉTICA
• Antioxidantes • Protecção solar
• Protecção celular

• NUTRACÊUTICOS • NUTRACÊUTICOS
• Antioxidantes • Dermoprotector - R/UV
Hiperpigmentação
Princípios activos

• Renovar • Regenerar

• Vitamina A • EGF
• TCA • Hygroplex
• Ácido mandélico • Pantenol
• Ácido glicólico
• Ácido láctico
• Ácido salicílico
Hiperpigmentação
Princípios activos

• Despigmentar • Despigmentar

• Emblica • Bélides
• Idebedona • Vitamina C
• Morus alba • Vitamina B3
• Arbutina • N-acetil glucosamina
• Áido kójico • Sepiwhite
• Ácido fítico
• Chromabright
5 - faneras
cabelos
curiosidades

• - No couro cabeludo, existem cerca de 100.000 a


150.000 fios de cabelo.

• - A velocidade de crescimento do cabelo é, em


média, 1 cm por mês ou 0,03 a 0,045 mm por dia.

• - Um couro cabeludo normal pode perder cerca
de 50 a 100 fios por dia.
Cabelo/Pêlo

Pêlos
• Medula
• Cortex
• Cutícula
• Baínha interna
• Baínha externa
• Matriz
• Papila
Cabelo/Pêlo

ANEXOS CUTÂNEOS
Pêlos
• 3 tipos
• Lanugo – in utero
• Vellus – a maioria
• Terminais – cabelos / sobrancelhas / pestanas/
barba / axilas / genitais
Cabelo/pêlo

CRESCIMENTO PILOSO
• É variável em função da localização
• Cabelos 0.4 mm / 24 h
• Sem sincronia
• Cada pêlo é uma unidade funcional
independente
Crescimento Pêlo

• Os pêlos que emergem à superfície são em menor


número do que os folículos pilosos que existem.

• A espessura e comprimento dos pêlos estão


associados com a profundidade de penetração
dos folículos na pele:

• Cabelos - 3,5 a 4 mm
• vellus - 0,5 mm
PELE – FISIOLOGIA

CICLO PILAR
3 fases
• Anagénese (crescimento)
• Catagénese (repouso)
• Telogénese (queda)

mmapetato
Cabelo - Fisiologia

• Até à formação de um novo cabelo:

• 80% dos cabelos está na fase de crescimento (Anágena)

• 20% na fase de queda (Telógena)

• Poucos cabelos na fase de repouso (Catágena)


Pêlo -FISIOLOGIA
CICLO PILAR
Anagénese - Crescimento
• Cabelo 3-7a; sobrancelhas 4m
• 80-90% cabelos

Catagénese - repouso
• Cabelo 3-4s;
• 10-20 % cabelos

Telogénese - queda
• Cabelo 5-6 semanas; 50-100/dia
• 1% cabelos
Pêlo
Anagénese Catagénese

Cabelo 2-7 anos 1mês


Face 1 ano 2 meses
Lábio superior 12 semanas 6 semanas
Pestanas 4-5 semanas 15-16 semanas
Mãos 10 semanas 7 semanas
Braços 3 meses 10-12 meses
Pernas 3-4 meses 10-12 meses
Púbis 5-6 meses 10-12 meses
Composição química do cabelo

• Carbono – 45% • As fibras do cabelo


• Hidrogénio – 7% encontram-se
• Oxigénio – 28% conectadas entre si
• Azoto – 15%
através do aa
• Enxofre – 5%
Cistina, que impede
• Ferro, cobre, zinco,
iodo que o cabelo se
• 20 tipos de aas dissolva na água
• Proteínas
• Lípidos
• água
Embranquecimento do cabelo

• A pigmentação capilar deriva da síntese de


melanina pelos melanócitos do folículo capilar,
conferindo cor ao cabelo;
• No envelhecimento , os folículos passam a ter
menos melanócitos;

• Diminuição dos melanócitos influenciada por dano


oxidativo. Os melanócitos produzem peróxido de
hidrogénio (H2O2) que é degradado pela enzima
catalase. Com a idade a concentração da enzima
diminui e o H2O2 eleva-se no folículo e na haste
capilar.
Embranquecimento

• No folículo o acúmulo de H2O2 leva à apoptose e


ao dano no DNA do melanócito, na haste , a
oxidação do H2O2 leva à decomposição dos
grânulos de melanina.
Embranquecimento súbito

• O embranquecimento súbito não existe, parece


sim corresponder a casos de alopécia areata
autoimune nos quais os fios pigmentados de
cabelo são o alvo preferencial do processo
autoimune que pouparia os fios sem pigmento.
Doenças que afectam os cabelos

• Alopécias
• Stress
• Eflúvio telogénico
• Infecção fungica
• Doenças da tiróide
• Lúpus
• Problemas alimentares
• Problemas no couro cabeludo
Alopécia androgenética

• A herança genética vem de ambos os lados


( materno e paterno ).

• O processo da calvície androgenética inicia-se


logo após o final da adolescência, sendo mais
comum a partir dos 18 anos.

• É contínua e irregular e após a quinta década de


vida, há uma tendência de estabilização da perda
capilar.
Alopécia Androgenética
Classificação de Hamiltom-Norwood
• A diidrotestosterona
(DHT) provoca
encurtamento da
fase anágena,
fazendo diminuir o
comprimento e
espessura do
cabelo,
determinando a
perda massa
capilar.
Alopécia androgenética
Classificação de Lodwig

• As mulheres
também produzem
androgénios, mas
neste caso o
mecanismo não é
bem conhecido.
Eflúvio Telogénico

• Queda generalizada do cabelo devido à entrada


em repouso prematuro de um grande número de
folículos pilosos.

• Causas:
• Evento traumático
• Doença crónica (reumatismo, diabetes, doença de Crohn) e
doença aguda
• Alterações hormonais
• Cirurgia
• Anestesia
• Grandes mudanças na vida
• Medicamentos

• Esta condição não é permanente, o cabelo volta a


crescer.
Infecção fúngica – Tinea Captis

• Infecção que provoca queda do cabelo nas


crianças.

• Sintomas:
• Flocos escamosos brancos na cabeça
• Bolha grande que cobre o couro cabeludo

• Tratada nos estádios iniciais o cabelo volta ao normal.


Lúpus

• Doença auto-imune que causa a inflamação dos


tecidos.

• Provoca a perda de cabelo em até 50% dos


portadores e pode ser permanente ou temporária.
Problemas alimentares

• Problemas nutricionais como a anemia, diabetes,


desnutrição, anorexia e bulimia também podem
causar a perda de cabelo.

• Normalmente pode ser devido a:

• Ingestão excessiva de vitamina A


• Deficiência em ferro, zinco, proteína, vitamina B7/8
Unhas
unha

• placa dura de
queratina
compactada
• crescimento médio
0.1mm/24h unhas
mãos; metade unhas
pés
Constituição da unha

• Cutícula
• Rodeia a unha de 3 lados
• Evita que unha endureça, crie fendas ou espigas e previne
infecções
• Matriz
• Parte mais interna;
• Renovação celular, contribui para o crescimento.
• Lúnula
• Meia –lua, coloração branca de forma semicircular:
• Sem vasos capilares, é a linha de divisão entre os tecidos e
a unha
Constituição da unha

• Lâmina
• Unha propriamente dita, semi-convexa e constituida por
substância dura – queratina.

• Leito ungueal
• Superfície epidérmica sobre a qual repousa a lâmina

• Parte livre
• Extremidade da unha que ultrapassa o dedo.
Crescimento da unha

• Varia de pessoa para pessoa, mas é contínuo.

• Unhas dos pés com crescimento mais lento do que


as das mãos.

• Crescimento determinado por:

• Idade
• Hereditariedade
• Meio ambiente
• Condições de saúde
• Regime alimentar
Alterações das unhas

• Má formação congénita (desde o nascimento)

• Má formação adquirida /adquirida ao longo da


vida
Má formação congénita das unhas

• Anoniquia: falta ou ausência de unhas.

• Coiloniquia: unha em forma de colher.


• Platoniquia: unha com curvatura maior e
longitudinal. (muito raro)
• Microniquia: unha demasiado pequena.
Má formação adquirida

• Onicofagia: vício de roer as unhas.


• Hapaloniquia: alteração na consistência (falta
elasticidade).
• Infecções: originadas por bactérias e fungos.
• Onicomicose: infecção originada por fungos.
• Paroniquia: Panarício ou unheiro – infecção
provocada por bactéria.
Outras alterações

• Alterações provocadas por agentes químicos,


físicos ou fisiológicos.
• Nigroniquia: mancha negra/castanha causada por
traumatismo, hematoma, tumores.
• Mancha de óleo: mancha amarela escura ou
rosada causada por psoríase.
• Uniquia: Placa ungueal com defeitos pontiformes
(psoríase, eczemas).
• Onicogripose: hipertrofia da lâmina ungueal que
fica opaca e aumenta de espessura , forma de
garra.
Outras alterações

• Leuconiquia ponteada ou estriada: manchas ou


estrias brancas. Falta de queratina.
• Leuconiquia total: lâmina toda branca causada
por cirrose.
• Onicomodesia: desprendimento da lâmina, devido
a traumas.
• Sulcos transversais: estrias transversais (alterações
psíquicas ou febres).

• Onicolisia: separação da lâmina ungueal do leito,


por hiperhidrose.
Outras alterações

• Onicorrexia: formação de estrias longitudinais,


provocada por substâncias químicas que atacam
a queratina.

• Oniquicia: placa ungueal que se desprende em


lâminas pelo bordo livre, provocada pelo contacto
com água quente, ambiente húmido ou seco.
Hipertricose / Hirsutismo
hipertricose

• Crescimento excessivo do pêlo, em termos de


quantidade e espessura, em qualquer parte do
corpo. (
• Pode manifestar-se de forma geral ou localizada.

• Causas
• Problemas alimentares
• Drogas
• Traumatismos
• Alterações genéticas
Tipos de hipertricose

• Hipertricose congénita – cabelo é relativamente


fino e pode chegar aos 25 cm de comprimento.

• Hipertricose de Ambas – um subtipo a hipertricose


congénita, o cabelo é mais grosso e cresce
durante toda a vida
Hipertricose
Tratamento da Hipertricose

• Remoção dos pêlos por laser


Hirsutismo

• Condição em que as mulheres apresentam desenvolvimento


excessivo de pêlos em áreas em que esse crescimento é
considerado normal para o homem:

• Zonas androgenodependentes:

• Lábio superior,
• Queixo
• Área préa-auricular
• Costas
• Área centro-torácica
• Zona inferior do abdómen
• Parte superior dos braços
Tratamento do Hirsutismo

• Terapêutica anti-androgénica
• Acetato de ciproterona
• Flutamida
• Finasteride
• Contraceptivos orais
• Estrogénios em baixas doses com prosgestagénio não
androgénico
• Evitar associações que contenham norgestrel ou
levonorgestrel
• Remoção dos pêlos
• Glucocorticóides (em casos de hirsutismo causado
por excesso de androgénios por alteração da
supra-renal
Epilação / Depilação
Epilação

• Na Epilação os pêlos são removidos inteiros desde


a raiz, incluindo o bulbo piloso, onde é gerado o
pêlo.

• Remoção dos pêlos por:

• Cera quente ou fria


• Pinça
• Máquina depilatória
• Laser
• Luz pulsada
• Outro tipo de tecnologia que actua através da luz
Depilação

• Na Depilação os pêlos são removidos apenas à


superfície.

• Remoção dos pêlos por:

• Lâmina
Cremes e espumas depilatórias
descoloração
6 – Doenças da Pele
Lesões elementares da pele
Classificação das lesões elementares da pele

• Lesão

• Alteração na estrutura ou no funcionamento do órgão.

• Classificação:

• Lesões primárias – sem alteração objectiva ou subjectiva


preexistente

• Lesões secundárias – com alteração prévia do órgão


Lesões primárias

• Mancha
• Pápula
• Nódulo
• Tumor
• Vesícula
• Bolha
• pústula
Lesões secundárias

• Escama • Cicatriz
• Crosta • Ceratose
• Erosão • Esclerose
• Escoriação • Comedão
• Ulceração • Liquenificação
• Afta • Telangiectasias
• Fenda • Necrose
• Atrofia
Alterações da cor

• Manchas vasculo-sanguíneas

• Eritema (avermelhada, rubor)


• Cianose
• Enantema (manchas vermelhas na mucosa)
• Exantema (erupção cutânea avermelhada
• Eritrodermia (mancha vermelha que se torna descamativa)
• Lividez (muito pálido)
• Mancha angiomatosa (mancha vermelha e plana que não
desaparece por pressão)
• Mancha anémica
• Telangiectasia (vénulas aumentadas que causam
manchas)
Cianose
Coloração azul-arroxeada
Eritema
Manchas vermelhas cutâneas provocadas por vasodilatação
Exantema Enantema
Erupções vermelhas cutâneas Manchas vermelhas nas mucosas
Acne
Acne

• Conceito: afecção benigna dos folículos


pilossebáceo e resulta no bloqueio da secrecção
sebácea com ou sem inflamação.

• Caracterizada por: comedões, pápulas


inflamatórias, pústulas e também por abcessos e
cicatrizes.
Acne

• Fisiopatologia:

• Aumento da produção de sebo devido a factores


hormonais;
• Formação de queratose óstio-folicular (“rolha de
queratina”) que ocorre por alteração das células
epidérmicas e por factores comedogénicos do sebo;
• Proliferação de bactérias lipofílicas (Propionibacterium
acnes, Staphillococus epidermis, Pitirosporum sp))
• Factores individuais ligados a resposta imunológica com
resposta inflamatória.
Acne

• Causas / Influências:

• Hormonais:
• Androgénios (Testosterona)
• Estimula características masculinas; precursor dos estrogénios.
• Estrogénios
• Estimula características femininas. Em altas doses diminui o tamanho
da glândula sebácea e aumenta a produção do sebo.
• Progesterona
• Transforma-se em Androstenediona, a qual se transforma em
Testosterona.
Acne

Causas não Hormonais:


• Temperatura • Comportamento
• Radiação UV • Stress, ansiedade,
insegurança
• Alimentação
• Alterações
• Factores genéticos
metabólicas
• Idade
• Falta de higiene e
• Medicamentos assepsia
• Esteróides, antiepiléticos,
• Cosméticos errados
antidepressivos,
tetraciclinas, • Excesso de óleo
anabolizantes, hormonas • Acção detergente muito
tiroideas. agressiva
• Falta de hidratação
Acne

Pele Normal Pele Acneica

Queratinização
anormal

Hiperactividade
da glândula
sebácea

Inflamação
Acne

• SEBO

• Constituído por Ácidos gordos, Triglicerídeos, Esqualeno e


Ceras;
• Controla a TEWL;
• Veículo para odores;
• Lubrificação do pêlo;
• Fungistático e bacteriostático;
• Protecção contra a agressão cutânea
• ácida.
Acne
Comedão fechado
• Grau I ou
Comedogénico

• Pele oleosa;
• Alguns comedões;
• Poucas pápulas e Comedão aberto
raras pústulas;
• Ausência de
inflamação.
Acne

• Grau II ou Pápulo
Pustulosa

• Pele oleosa;
• Muitos comedões;
• Pápulas eritematosas
em quantidade
significativa;
• Algumas pústulas;
• Pequeno grau de
inflamação.
Acne

• Grau III ou Nódulo


quística

• Poucos comedões;
• Muitas pápulas e
pústulas;
• Alguns nódulos e quistos;
• Processo inflamatório
importante;
• Acompanhado de
tratamento médico
tópico/sistémico
Acne

• Grau IV ou
Conglobata

• Muito severo;
• Poucos comedões;
• Pápulas e pústulas
gigantes;
• Nódulos, quistos,
abcessos, fístulas;
• Cicatrizes e quelóides;
• Processo inflamatório
muito grave.
Acne

• Grau V ou
Fulminans

• Grau infeccioso, com


presença de vírus
e/ou bactérias;

• Não tratável em
estética.
Acne
Tratamento da acne

• Acne leve
• Gel de limpeza anti-seborreico
• Peróxido de benzoílo (bactericida, comedolítico e
seborregulador) – aplicação tópica
• Antibióticos: clindamicina, eritromicina
• Retinóides (tretinoína, isotretinoína, adapaleno)- aplicação
tópica
• Acne moderada
• Antibióticos orais (tetraciclinas, doxicilina, minoclina)
• Anti-androgénios (acetato de ciproterona, estrogénios)
• Acne grave (pápulo-pustulosa, nódulo-quística)
• Retinóides orais
Tratamento Estético
Procedimento Profissional

• Pré-tratamento
• Higienização / Limpeza
• Esfoliação (Cosmética ou Electroterapia)

• Per-tratamento
• Cosmética e/ou Electroterapia com acções de combate à
patologia avaliada.

• Pós-tratamento
• Finalizador (máscaras, creme, massagem)
• Protector solar
Tratamento Estético
Procedimento Home Care

• Pré-tratamento
• Higienização / Limpeza
• Esfoliação

• Per-tratamento
• Cosmética adequada de combate à patologia avaliada

• Pós-tratamento
• Protector solar
• Nutracêuticos
Tratamento Médico

• Sistémico ou tópico

• Bactericidas
• Secativos
• Anti-inflamatórios
• Anti-androgénicos
• Antibiótico
Acne
OBJECTIVO DO TRATAMENTO
• ACÇÕES (Profissional e/ou Home Care)

• HIGIENIZAR / TONIFICAR (limpeza resíduos, adstringência)

• RENOVAR(efeito queratolítico, comedolítico)

• HIDRATAR (manto hidrolipídico, regulação de água, oil free)

• BACTERICIDA / ANTI-INFLAMATÓRIA (controlar p. acnes, eritema).

• SEBO-REGULADOR /ANTI-OXIDAR (regular glândula sebácea).

• PROTEGER (protecção solar e celular)


Recursos Electroterápicos
ALTA FREQUÊNCIA

• Descarga eléctrica que


produz efeito térmico
(cauterizador) e ozono
(bactericida, fungicida e
cicatrizante)
Recursos Electroterápicos
DESINCRUSTE

• Corrente contínua para


absorção do excesso de
sebo.

• Uso de solução com Na+ e


pH alto para obter
saponificação;

• Polaridade negativa, fluxo


iónico que traz para a
superfície o sódio agregado
a sebo e sujidade.
Recursos Electroterápicos
IPL - LUZ INTENSA PULSADA

• Tecnologia que emite


luz com diferentes
comprimentos de
onda.

• O feixe de luz emitida


destrói as bactérias
acelerando o processo
de cicatrização.
Recursos Electroterápicos
PEELING ULTRA-SÓNICO

• Esfoliação simples e
suave da epiderme.

• Espátula metálica que


tem efeito por
vibração.
Eczemas e dermatites
eczema

• Eczema = Dermatite

• Conceito:

• Erupção inflamatória da epiderme, aguda ou crónica,


caracterizada por vesículas (estádio agudo), eritema,
exsudação, formação de crostas, descamação, prurido.

• Tratamento
• Corticóides tópicos ou orais
• Antibióticos contra a infecção
Dermatite atópica

• Conceito: dermatite recorrente e hereditária, que


apresenta prurido e associada s manifestações de
asma ou rinite vasomotora.

• Sensibilidade a: penas, pêlos, lãs, pós, peixe,


crustáceos, leite, café, ….

• Tratamento:
• Soluções adstringentes (para secar lesões)
• Corticóide tópico
• Imunomoduladores
• Anti-histamínicos
• Antibióticos
Dermatite alérgica de contacto

• Conceito: reacção inflamatória causada por


resposta imunológica de hipersensibilidade
quando existe contacto com substância
sensibilizante (níquel, metais, cosméticos, perfumes,
medicamentos).

• Tratamento

• Evitar exposição aos agentes sensibilizantes


• Corticóide tópico
Dermatite de contacto irritativa
•Reacção cutânea produzida pelo contacto
repetido com substância irritante.

•A reacção desaparece com a eliminação da


causa e reaparece num novo contacto.

•Causas: ácido, material alcalino, detergente,


sabonetes, dissolventes, cremes e outros químicos.
Dermatite seborreica
Dermatite seborreica

• Conceito: dermatose crónica, muito comum. Normalmente


considerada como uma forma de transição entre o eczema
e a psoríase.

• Agente
• Pityrosporum ovale (fungo comum na pele)
• (stress)

• Localização
• Couro cabeludo, sobrancelhas principalmente;
• Sulco nasolabial, nariz, zona interescapular e pré-esternal
• Pálpebras (blefarite), zona retro-auricular, canal auditivo externo
Dermatite seborreica

• Tratamento

• (processo crónico)

• Vaselina (couro cabeludo), nistatina (imidazol), corticóides


– no lactante
• Betametasona / ácido salicílico (couro cabeludo),
champô de cetoconazol – couro cabeludo
• Creme de cetoconazol ou clotrimazol, hidrocortisona
psoríase

• Conceito: presença de placas eritematosas, bem


delimitadas, cobertas por uma escama
esbranquiçada, que afecta sobretudo cotovelos,
joelhos, couro cabeludo, região retroauricular,
região lombar e umbigo.

• Causas:
• Predisposição genética
• Factores ambientais: traumatismo físico, queimadura solar,
stress, infecções.
psoríase

• Tratamento

• Fototerapia (UVB)
• Tratamento tópico (ác. Salicílico, corticosteróides, antralina,
alcatrão, calcipotriol, tacalcitol)
• Tratamento sistémico (retinóides orais, metotrezato,
coclosporina)
• Agentes biológicos (etanercept, efalizumab, alefacept,
infliximab)
Tumores cutâneos
Tumores da pele

• Neoplasia = Tumor

• Forma de proliferação celular não


controlada pelo organismo.

• Benigna - Ex: queratose seborreica

• Maligna - Cancro - Ex: Carcinomas,


Melanoma
Tumores da pele

• O cancro da pele é um tumor formado por células


da pele que sofreram uma transformação, que se
multiplicam de maneira desordenada ou anormal.
Dependendo da parte afectada da pele,
podemos ter:
• Carcinoma – desenvolve-se em células epiteliais da pele,
nas camadas basal ou espinhosa. São de crescimento mais
lento e previsível, com menor risco de causar metástases
• Melanoma – desenvolvem-se em células primitivas de
origem embrionária, melanócitos, que têm um
comportamento mais agressivo e imprevisível, alta
incidência de metástases.
Carcinoma basocelular

• Conceito:

• É um tumor primário da pele, localmente


destrutivo, maligno, mas que não provoca
metástases. De crescimento lento. Afecta
queratinócitos basais.

• Outros nomes: Epitelioma basocelular,


Basalioma
Carcinoma basocelular

• Localização
electiva:

• Região frontal
• Dorso do nariz
• Região geniana
• Pavilhão auricular
Carcinoma basocelular

Basalioma no dorso do Basalioma na Basalioma na região


nariz pálpebra inferior frontal

Basalioma no
pavilhão
auricular
Carcinoma Basocelular

• Tipos

• Epitelioma basocelular nodular


• Epitelioma basocelular ulcerativo
• Epitelioma basocelular esclerodermiforme
• Epitelioma basocelular pigmentado
• Epitelioma basocelular superficial
Carcinoma espinocelular

•Conceito:

•É um verdadeiro tumor maligno, produz metástases. De


aparecimento rápido e em qualquer zona da pele ou
mucosas. É sempre precedido por uma lesão pré-cancerosa.

•Sinais: pápulas pequenas, verrugosas, duras, indolores, com


crescimento rápido e ulceração.

•Outros nomes:

•Epitelioma espinocelular
•Carcinoma epidermóide
Carcinoma espinocelular

• Localizações frequentes:

• Carcinoma espinocelular do lábio (fumadores)


• Carcinoma espinocelular da língua (próteses dentárias)
• Carcinoma espinocelular do pénis e vulva
• Carcinoma espinocelular anal
• Carcinoma espinocelular sobre radiodermite (em
radiologistas)
• Carcinoma espinocelular sobre lúpus
Carcinoma Espinocelular
Melanoma maligno

• Conceito: neoplasia de elevada malignidade,


poder metástico precoce por via linfática e
sanguínea. Originado a partir dos melanócitos.

• Causas:

• Evidente susceptibilidade genética


• Tipos de pele mais clara e exposição solar
• Exposições intensas e intermitentes, com queimaduras
desde a infância e ao longo da vida.
melanoma

• Diagnóstico:

• Características da lesão, como mancha inicial pigmentada,


de crescimento assimétrico, bordos imprecisos e coloração
variada, com áreas negras e áreas menos pigmentadas e
azuladas.

• Critérios clínicos resumidos na sigla ABCDE

• Tratamento

• Remoção cirúrgica
• Quimioterapia (dacarbazina, nitrosureias)
Melanoma
melanoma
Queratose seborreica

• Tumor cutâneo benigno, que ocorre com muita


frequência e a maioria desenvolverá um destes
tumores ao longo da vida.

• Frequentes no tronco, face, dorso das mãos e


braços.

• Tratamento: não é necessário excepto se sofrerem


irritação. Crioterapia, electrocoagulação,
laserterapia, excisão.
micoses
micoses

• Conceito: doença da pele causada por fungos.

• Classificação:

• Superficiais – superfície da pele, anexos e mucosas


• Tinhas ou dermatofitias
• Ptiriase versicolor
• Candiadíase
• Subcutâneas – hipoderme
• Esporotricose, micetomas, cromomicose
• Sistémicas – órgãos profundos (elevada mortalidade)
• Aspergilose, blastomicose
micoses

• Tratamento

• Pomada de ác. Salicílico

• Limpeza cirúrgica e aplicação de fármacos antifúngicos


(itraconazol)

• Anfotericina, voriconazol, caspofungina


Micoses
Tinha Pitiríase Candidíase

Esporotricose

Micetoma Cromomicose
Herpes

• Doença causada pelo vírus Herpes hominis, que provoca lesões


herpéticas (vesículas) acompanhadas por prurido. Transmissão
por contacto directo. Doenças cutâneas mais frequentes

• Herpes Labial
• Causado pelo Vírus Herpes Simplex tipo 1 (VHS 1)
• Localização: todo o corpo e raramente região púbica.

• Herpes genital
• Causada pelo Vírus Herpes Simplex tipo 2 (VHS 2) - 90%, e
pelo VHS 1
• Localização: área genital e anal (principalmente)
Herpes labial

• Conceito
• Doença causada pelo vírus Herpes hominis, que provoca
lesões herpéticas acompanhadas por prurido. Transmissão
por contacto directo.

• São as doenças cutâneas mais frequentes.

• Etiologia
• Vírus Herpes Simplex tipo 1 (VHS 1)

• Locais afectados:
• Todo o corpo e raramente região púbica.
Herpes labial
Herpes labial

• Tratamento
• Aciclovir
• Valaciclovir
• Farmciclovir
• Analgésicos
• Aciclovir creme
• Secantes (éter,
álcool)
Herpes genital
(doença venérea)

• Conceito:
• Doença causada pelo vírus Herpes hominis, que se
manifesta pelo aparecimento de lesões herpéticas
acompanhadas de prurido local
• Etiopatogenia:
• VHS 2 (90%)
• VHS 1

• Locais afectados: área genital e anal


(principalmente)
Herpes genital

• Tratamento
• Aciclovir (sistémico)
• Valaciclovir
(sistémico)
• Farmciclovir
(sistémico)
• Aciclovir creme
(tópico)
Molusco Contagioso

• Doença provocada
por um Poxvírus,
parente do vírus da
varíola.

• Transmissão:
contacto físico,
sexual, partilha de
toalhas.
Molusco contagioso

• Tratamento:
• laser,
• azoto líquido,
• sabonete de
calêndula, iodeto e
ácido salicílico;
• óleo essencial de
tea tree.
• normalmente não
necessita de
tratamento;
Sarna ou escabiose
•Doença cutânea parasitária infecto-contagiosa,
caracterizada por prurido, com aparecimento de
pápulas e nódulos.

•Forma pequenas crostas nas áreas mais quentes do


corpo: entre dedos, atrás dos joelhos, cotovelos,
nádegas, virilhas, umbigo e mamas.

•Agente: ácaro Sarcoptes scabiei

•Tratamento: permetrina em creme, anti-histaminicos.


Pediculose