Você está na página 1de 16

Análise Matemática I Folha de Exercı́cios Ano Lectivo 2010/11

1. Considere as funções dadas por:


1
f (x) = e x + 2, g(x) = 2 − 3ex−1 , h(x) = 1 − ln(x + e),

ln(x + 1)
i(x) = ln(4 − x2 ), j(x) = .
ln x + 1

(a) Determine o domı́nio de cada uma delas.


−1 −1 −1
(b) Caracterize f ,g eh .
(c) Calcule os zeros de i e de j.
(d) Determine as coordenadas do(s) ponto(s) de intersecção do gráfico
de j com a recta de equação y = 1.

2. Em R, as funções f e g são dadas por f (x) = x + 4 e g(x) = x2 − 2x − 3.
Caracterize f ◦ g.

3. Caracterize a função inversa da restrição principal da função f , sendo


π
f (x) = 12 sin x + .
2
4. Determine o domı́nio, o contradomı́nio e os zeros das funções dadas por:

(a) f (x) = π − arccos(2x + 1)


π
(b) g(x) = − + arccot (−3x)
3
1
(c) h(x) = arctan x+1
x2
 
(d) m(x) = arcsin x −
2

5. Seja f a função dada por f (x) = arcsin(x2 − 1).

(a) Determine o domı́nio e o contradomı́nio de f .


(b) Indique as coordenadas dos pontos de intersecção do gráfico de f
com os eixos coordenados.
1
6. Considere a função g tal que g(x) = arccos .
x
Indique o domı́nio, o contradomı́nio e os zeros de g.

7. (a) Seja f uma função real de variável real. Observe que f = g + h, onde
1 1
g(x) = [f (x) + f (−x)] e h(x) = [f (x) − f (−x)].
2 2
Mostre que g é uma função par e que h é ı́mpar.
(b) Expresse cada uma das funções seguintes como soma de uma função
par e outra ı́mpar: f1 (x) = 3 − 2x + x4 − 5x7 ,
f2 (x) = (x + 2) sin x − x3 sin(5x), f3 (x) = sin(x + π/3).

1
Análise Matemática I Folha de Exercı́cios Ano Lectivo 2010/11

(c) Demonstre que a soma de duas funções pares é uma função par e
que a soma de duas funções ı́mpares é uma função ı́mpar.
(d) O que pode afirmar acerca do produto de duas funções pares? E de
duas ı́mpares? E de uma par e outra ı́mpar?

8. Resolva cada uma das seguintes equações:

(a) cos(2x) = 12 , com x ∈ [−2π, 2π].


x2 cot x
(b) = 0.
sin x
(c) sin x = tan x.
(x2 − 1) sin(2x)
(d) = 0.
x
3 + 2x2
9. Determine o domı́nio da função definida por f (x) = .
cot x − 1
10. Considere a função dada por f (x) = arcsin x+3
x−2 . Determine:

(a) o domı́nio de f ;
(b) os valores de x tais que f (x) ≥ 0.

11. Determine o domı́nio e os zeros da função dada por

arccos(x2 ) se x < 0

g(x) = .
e−x+1 se x ≥ 0

12. Seja A =] − ∞, 1] ∪ {3}∪]10, 35]. Determine:

(a) o interior de A,
(b) o complementar de A,
(c) o exterior de A,
(d) a fronteira de A,
(e) a aderência de A.

13. Determine, em R, o interior, a aderência e o derivado de cada um dos


seguintes conjuntos:

(a) {1, sin 1, sin 2}


(b) [0, 1]∪]2, 3] ∪ {6, 10}
(c) {x ∈ R : x2 < 9}
(d) {x ∈ R : x3 > x}
(e) (R\] − 1, +∞[) ∩ Q
(f) { n1 : n ∈ N}
(g) { n1 + 1
m : n, m ∈ N}

2
Análise Matemática I Folha de Exercı́cios Ano Lectivo 2010/11

14. Seja Vδ (p) uma vizinhança com centro em p e raio δ. Mostre que para
cada ponto q ∈ Vδ (p) existe uma vizinhança V de centro em q que está
contida em Vδ (p).

15. Verifique se a união de dois subconjuntos abertos de R ainda é um con-


junto aberto.

16. Seja A ⊂ R. Mostre que A é o menor subconjunto fechado de R que


contém A.

17. Seja A ⊂ R. Verifique que p ∈ A se e só se toda a vizinhança de p


intersecta A.

18. Mostre que A ∪ B = A ∪ B, para quaisquer A, B ⊂ R. O que se pode


dizer sobre uma correspondente igualdade para o caso da intersecção em
lugar da reunião?

19. Averigue, justificando, quais são os pontos isolados e os pontos de acu-


mulação do subconjunto X = {0} ∪ { n1 : n ∈ N} de R.

20. Seja A um conjunto de subconjuntos abertos de R. Mostre que


[
C= S
S∈A

é um aberto em R.

21. Sejam A e B conjuntos abertos de R. Mostre que A ∩ B é aberto em R.

22. Seja A ⊂ R. Mostre que


[
int(A) = {B ⊂ R : B é aberto, B ⊂ A}.

23. Seja A um conjunto não vazio de números reais e −A := {−x : x ∈ A}.


Verifique que:

(a) b é majorante de A ⇔ -b é minorante de −A


(b) b é supremo de A ⇔ -b é ı́nfimo de −A
(c) b é máximo de A ⇔ -b é mı́nimo de −A

24. Determine, caso seja possı́vel, o ı́nfimo, o mı́nimo, o supremo e o máximo


de cada um dos seguintes conjuntos:

(a) {x ∈ R : 1 < |1 − x| ≤ 2}
(b) {x ∈ R : x2 < 2}
(c) {x ∈ Q : x2 < 2}
1−n
(d) {x ∈ R : ∃n ∈ N, x = n }
(e) Q∩] − 1, 2]
(f) { 2kn , k ∈ Z, n ∈ N} ∩ [1, 3[

3
Análise Matemática I Folha de Exercı́cios Ano Lectivo 2010/11

25. Indique se são majorados, minorados ou limitados os seguintes subcon-


juntos de R:
x
< xx }
−1
A = {x ∈ R : |x − 3| = 2|x|}, B = {x ∈ R : x−1

26. Sejam A = {−3, −2}∪ (Q ∩ [0, 1]) e B =]− 4, 2]∪ ([0, 1]∩ (R \Q)). Indique,
caso existam, os supremos e os ı́nfimos dos conjuntos A, B, A∪ B e A∩ B.

27. Suponha que A e B são conjuntos de R não vazios e limitados. Seja

A + B := {x + y : x ∈ A, y ∈ B}

Prove que:

(a) A + B é limitado
(b) sup(A + B) = sup A + sup B
(c) inf(A + B) = inf A + inf B
(−1)n +n
28. Seja (un )n∈N uma sucessão cujo termo geral é un = n+1 .

(a) Determine os cinco primeiros termos da sucessão.


(b) Indique, justificando, o valor lógico das proposições:
i. ∃n ∈ N : un = 14
15
ii. 0 ≤ un ≤ 1, ∀n ∈ N
n+1
29. Considere a sucessão (xn )n∈N , com xn = n+2 − 1, ∀n ∈ N.

(a) Verifique que a sucessão é monótona e que ∀n ∈ N, − 13 ≤ xn < 0.


(b) A sucessão é convergente?

30. Calcule os limites das seguintes sucessões:


(−1)n + n
 
(b) en + e−n

(a) n∈N
n+1 n∈N
 3 2
  
3n + n + 1 n+5 πn
(c) (d) sin
2n3 − n − 2 n∈N 1+n 2 2 n∈N

31. Calcule, caso existam, o limite das seguintes sucessões:


r !
n 1
(a)
n3
n∈N
 nπ 
(b) cos
4 n∈N
(c) cos(nπ) + (−1)n+1 n∈N


(−1)n (−1)n n
 
(d) 1 + +
n 2n + 1 n∈N

4
Análise Matemática I Folha de Exercı́cios Ano Lectivo 2010/11

32. Quando possı́vel, dê exemplos de sucessões (xn )n∈N , (yn )n∈N , (zn )n∈N tais
que xn −→ + ∞ , yn −→ − ∞ e zn −→ 0 e que verifiquem:
n→∞ n→∞ n→∞

(a) xn + yn −→ 1
n→∞
(b) xn + yn −→ − ∞
n→∞
(c) xn + zn −→ 1
n→∞
(d) xn zn −→ 0
n→∞
xn
(e) −→ 1
zn n→∞

33. Mostre que a simples existência de limite das sucessões (x2n )n∈N , (x2n+1 )n∈N
e (x3n )n∈N obriga a que (xn )n∈N seja convergente.

34. Calcule, caso existam, os seguintes limites:



x−a 1 + x + x2 − 1
(a) lim (b) lim
x→a |x − a| x→0 x
1 2
(c) lim cot (d) lim arctan(1 − x)
x→+∞ x x x→+∞

2 x
 
1
(e) lim arccos (f) lim 1+
x→−∞ x x→+∞ x

35. Dê um exemplo de duas funções f, g : R → R tal que


 
lim f (g(x)) 6= f lim g(x) .
x→a x→a

36. Calcule os seguintes limites:

x2/3 − 3x1/2
(a) lim
x→8 16
4−
x
2x − x2 − 2x + 1
3
(b) lim
x→−1 2x2 + x − 1
x2 − 8x3
(c) lim
x→−∞ 2 − 3x3

37. Determine k por forma a que a função f seja contı́nua no seu domı́nio.
x sin x12 + 1 se x 6= 0
 5
(a) f (x) =
k se x = 0
 1−cos2 x
x2
+ 2 se x 6= 0
(b) f (x) =
k se x = 0
arccos x2 , se x ≥ 2

(c) f (x) =
2kex−2 se x < 2

5
Análise Matemática I Folha de Exercı́cios Ano Lectivo 2010/11

38. Mostre que a equação x3 + 4x2 + 2x + 5 = 0 tem pelo menos uma solução
em R.

39. Para cada uma das seguintes séries numéricas, determine a sucessão das
somas parciais associada, calcule alguns dos primeiros termos dessa sucessão
e, se possı́vel, determine a soma da série:
∞ ∞
X 1 X 3n
(a) (b)
10n 2n
n=1 n=1
∞ ∞
X 1 X 2n+1
(c) (d)
n=1
9n n=0
5n
∞ ∞
X 1 X 2n + 1
(e) (f)
en 3n
n=1 n=0
∞ ∞ 
cos2 (nπ)

X X 1 1
(g) (h) +
n=0
3n n=1
2n 3n

40. Estude a natureza das seguintes séries de termos não negativos:


∞ ∞
X n2 X n2 + 7
(a) (b)
n=1
n3 + 1 n=1
2n4 − n + 3
∞ ∞
X X 1
(c) n2 2−n (d) p
n=1 n=1 n(n + 1)
∞ ∞
X cos2 n X 1
(e) (f) sin
2n n2
n=1 n=1
∞  1   10 ∞
X n 2 n 9 X 1
(g) 1− (h) √
n+1 n+1 3
n2 +5
n=1 n=1
∞ ∞
X 2
X n2 − 3
(i) e−n (j) √
3
n=0 n=2
n9 + n2 + 1
∞ ∞
X 3n X (n + 1) e−n
(k) (l)
1 + 4n 2n + 3
n=0 n=0
∞ ∞
Xcos2 n + n2 X 1
(m) (n) √
n=1
n4 n=1
3
n n2 + 3
∞   ∞
X 1 X n!
(o) sin √ (p)
n 3 n2 + 3 nn
n=1 n=1

∞   2 ∞
X n+1 n X 1
(q) (r)
n (ln n)n
n=1 n=2
∞ ∞
X X 1
(s) 2−n+ln n (t)
n=1 n=2 (ln n)ln n

6
Análise Matemática I Folha de Exercı́cios Ano Lectivo 2010/11


41. Prove que: (a) se an > 0 e limn→∞ an+1
X
an < 1, então an converge;
n=1

an+1 X
(b) se limn→∞ > 1, então an diverge (este critério é conhecido
an n=1
por critério de D’Alembert).

42. Estude as seguintes séries quanto à sua natureza:


∞   2 ∞
X 1 10 n X ln n
(a) (b)
n! 9 n
n=1 n=2
∞ ∞
2 2n
 
X ln n X
(c) (d) n sin
n2 n
n=2 n=0

∞  n ∞  n n
2 2 1
X X
(e) n (f) en
3 2
n=0 n=1
∞  2n ∞
X k X n + 1 −n
(g) n sin , |k| =
6 1 (h) e
n=2
n n=1
n

43. Estude a natureza das seguintes séries numéricas alternadas:


∞ √ ∞ ∞
X n X 1 X n
(a) (−1)n (b) (−1)n √ (c) (−1)n
n=1
n + 100 n=1
n
n n=2
ln n

44. Verifique se as seguintes séries numéricas são absolutamente convergentes:


∞ ∞
X 1 X 1
(a) (−1)n+1 (b) (−1)n+1 √
n=0
ln(n + 2) n=1
n
∞ ∞
X n X 1
(c) (−1)n+1 (d) (−1)n+1
n2 + 1 5
n +n
2
n=1 n=1
∞ ∞
X 1 + cos πn X (−1)n + cos 3n
(e) (f)
n! n2 + n
n=0 n=1

7
Análise Matemática I Folha de Exercı́cios Ano Lectivo 2010/11

45. Estude a natureza das seguintes séries numéricas. No caso de haver con-
vergência, indique se ela é simples ou absoluta:
∞ ∞ 
n3 + 4 n+1 n
X X 
(a) (b)
n=1
(−2)n n=1
3n
∞ ∞
X n! 2n X 10n
(c) (d) (−1)n
nn n!
n=2 n=0
∞ ∞
X n−1 X (−2)n
(e) (−1)n−1 (f)
n=1
n2 + 1 n=1
n3
∞ ∞
X 1 X n+2
(g) (−1)n+1 sin (h)
n2 2n + 1
n=1 n=1

+∞
X
46. Mostre que, se an > 0, para todo n ∈ N e a série an converge, então
n=1
+∞
X
(an )2 também converge.
n=1

+∞
X +∞
X
47. Mostre que se an e bn são séries convergentes de termos positivos,
n=1 n=1
+∞ p
X
então a série an bn converge.
n=1
Sugestão: Comece por mostrar que
√ x+y
∀x, y ≥ 0 xy ≤ .
2

48. Calcule usando a definição, se possı́vel, as derivadas das seguintes funções


nos pontos indicados:

(a) f (x) = ln x, x = a ∈ Df
(b) f (x) = x1 , x = 2
(c) f (x) = x2 − 3x, x = 3

49. Determine f ′ , em cada um dos casos seguintes:

(a) f (x) = ecos x + x sin x


1−x
(b) f (x) = x3 +2
+ 2x
(c) f (x) = (x + 5)4

50. Defina as derivadas das funções trigonométricas inversas.

8
Análise Matemática I Folha de Exercı́cios Ano Lectivo 2010/11

51. Discuta a diferenciabilidade de cada uma das funções, dadas por:

(a) f (x) = ex
(b) f (x) = e−|x|
 2
x , x 6= 0
(c) f (x) =
0 , x=0

x sin x1 se x 6= 0

52. Considere a função f (x) = .
0 se x = 0
Mostre que f é contı́nua em x = 0 mas, no entanto, não é diferenciável
nesse ponto.

53. Escreva a equação da recta tangente ao gráfico de f (x) = x no ponto
de abcissa 4.

54. Sendo f : R −→ R dada por f (x) = x4 e−x e g : R −→ R uma função


diferenciável, defina (g ◦ f )′ .

55. Considere a função dada por f (x) = 3x − 3 + sin(x − 1).

(a) Calcule f (1).


(b) Prove que f tem um único zero em R.

56. Seja f : R → R uma função diferenciável com derivada f ′ .


Determine a derivada de

f (−x) , f (ex ) , f (ln(x2 + 1)) , f (f (x)).

57. Utilize o Teorema de Rolle para provar que:

(a) O polinómio x102 + ax + b, com a, b ∈ R, tem no máximo duas raı́zes


reais.
(b) O polinómio x101 + ax + b, com a, b ∈ R, tem no máximo três raı́zes
reais.

58. Considere a função

f : R −→ R 
sin x , x<0
x 7−→ f (x) = x
ln(e + 1) , x ≥ 0

(a) Mostre que a recta de equação y = x é uma assı́mptota ao gráfico de


f.
(b) Caracterize f ′ .
(c) Existe um intervalo fechado contido em [0, +∞[ no qual seja possı́vel
aplicar o teorema de Rolle? Justifique.

9
Análise Matemática I Folha de Exercı́cios Ano Lectivo 2010/11

arctan x1

, x>0
59. Considere a função g : x 7−→ y = π . Justifique as
2 , x≤0
seguintes afirmações:

(a) f não verifica as condições do teorema de Lagrange em nenhum in-


tervalo de que zero seja ponto interior.
(b) f verifica
q as condições do teorema de Lagrange no intervalo [0, 1],
sendo 4−π π o valor médio do referido teorema.

60. Calcule os seguintes limites:


x sin x
(a) lim
x→0 1 − cos x
x4 − 2x3 + 2x − 1
(b) lim
x→1 x3 − 3x + 2
1
(c) lim (1 + x) x
x→0
(d) lim xx
x→0+
(e) lim (x arccot x)
x→+∞

61. A Figura 1 contém a representação gráfica da função h : R → R definida


por
2t
h(t) = 2 .
t +3
(a) Estude h quanto à continuidade.
(b) Verifique que h(−t) = −h(t) para todo o t ∈ R.
(c) Determine, caso existam, assı́mptotas horizontais e verticais da função.

0.6

0.4

0.2
h(t)

0.0

-0.2

-0.4

-0.6

-20 -15 -10 -5 0 5 10 15 20


t

Figura 1: Gráfico de h(t) para t ∈ [−20, 20].

62. Considere as seguinte funções:

x e−1/x , x2 − 2x + 1

x<0
f (x) = −x e g(x) = , x > −1.
(1 − x)e , x ≥ 0 x+1

10
Análise Matemática I Folha de Exercı́cios Ano Lectivo 2010/11

Estude-as quanto à continuidade e averigue acerca das suas assı́mptotas.

63. Estude quanto à existência de assı́mptotas a função f em cada um dos


seguintes casos:

(a) f (x) = x3 − x + 1;
(b) f (x) = (x2 − 1)−1 ;
x3
(c) f (x) = x2 +1 ;
(d) f (x) = x ln(x);
(e) f (x) = sin x + cos x, x ∈ [0, 2π].

64. Na Figura 2 representa-se graficamente as funções f e g definidas por:

x−1 x2 + 1
f (x) = ; g(x) = .
x−2 x
Determine o domı́nio de cada uma destas funções e identifique eventuais
assı́mptotas horizontais, verticais e oblı́quas.

10

8 g(x)
6

2 f(x) f(x)

-2

-4

-6
g(x)
-8

-10 -8 -6 -4 -2 0 2 4 6 8 10
x

Figura 2: Gráfico de f (x) e g(x) para x ∈ [−10, 10].

65. Para cada uma das seguintes funções estude: o domı́nio; os zeros; as
assı́mptotas; a primeira derivada; os extremos; os intervalos de monotonia;
a segunda derivada; os pontos de inflexão; o sentido da concavidade.

(a) f (x) = x3 − 3x2 ;


x2 −4
(b) f (x) = x ;
(c) f (x) = ln(x2 − 1);

x
√ln x , x>0
(d) f (x) = .
1−x , x≤ 0

11
Análise Matemática I Folha de Exercı́cios Ano Lectivo 2010/11

66. Calcule:

Z  
1
Z
5x3 + 2 cos x dx 3

(i) (j) 8t − 6 t + 3 dt
t
(x2 − 1)2 1
Z Z
(k) dx (l) dx
x2 cos x cot x
Z √ 
1 2x
Z
(m) 3 sin x + dx (n) dx
2x 1 + x2
Z √
(ln x)3
Z
(o) sin x cos x dx (p) dx
x
1
Z Z
x2
(q) 2xe dx (r) √ dx
2 x(1 + x)
Z
(s) cos3 x dx

67. Calcule:
Z Z
(a) x sec2 x dx (b) ex sin x dx
Z Z
(c) ln x dx (d) arctan x dx
Z Z
(e) sec3 x dx (f) sin (5x) cos (3x) dx

68. Calcule:

x x e3x
Z Z Z
(a) √ dx (b) √ dx (c) dx
1+ x 1+ 3x e2x + 1
Z r √
ln4 x ln(2x) 1− x
Z Z
(d) dx (e) dx (f) dx
x(ln2 x + 1) x ln(4x) x

69. A corrente i num circuito RCL é dada por


 2 
α
i = EC + ω e−αt sin(ωt).
ω
São constantes a força electromotriz E, ligada no instante t = 0, a
capacidade C (em farads), a resistência R (em ohms), a indutância L (em
henrys), r
R 1 4L
α= ; ω= .
2L 2L C − R2
A carga Q (em coulombs) é dada por
dQ
= i,
dt
com Q(0) = 0. Determine a expressão de Q(t).

12
Análise Matemática I Folha de Exercı́cios Ano Lectivo 2010/11

70. Calcule:
ex
Z p Z
(a) 9 − x2 dx (b) √ dx
4 − e2x
2x + 5 1
Z Z
(c) √ dx (d) dx
9x2 + 6x + 2 x(3 + ln x)3
1 sin3 x
Z Z
(e) √ dx (f) √ dx
8 + 2x − x2 cos x
1 1
Z Z
(g) √ dx (h) √ dx
x2 5 − x2 x x2 + 2

Z p Z
(i) 4 + 5x2 dx (j) x2 1 − x dx

71. Calcule:
x4 + 2x + 1 x2 + 1
Z Z
(a) dx (b) dx
x3 − x2 − 2x (x − 1)3
x2 + x + 1 x
Z Z
(c) dx (d) dx
(2x + 1)(x2 + 1) x2 + 2x + 15
Z 4
x + 4x3 + 12x2 + 14x + 10 5x3 − 3x2 + 7x − 3
Z
(e) dx (f) dx
(x2 + 2x + 3)2 (x + 1) (x2 + 1)2

72. Estude quanto à integrabilidade, nos respectivos domı́nios, as seguintes


funções:

sin x
 

 , x ∈ [−1, 2] \ {0} 1, 0 ≤ x < 1
f (x) = x g(x) =
3, 1 ≤ x ≤ 3
 
1, x=0


ln |x|, 0 < x ≤ 1

 tan x, x ∈ [0, π2 [


h(x) = 

0, x=0
i(x) = 2, x = π2



sin x + cos(2x), x ∈] π2 , π]



x
e , x ∈ [1, 5] \ Z
j(x) =
 3
x + ln x, x ∈ [1, 5] ∩ Z

x, x 6= 1
73. Seja g(x) =
2, x=1

Z 2
A função g é integrável em [0, 2]? Em caso afirmativo calcule g(x) dx.
0

13
Análise Matemática I Folha de Exercı́cios Ano Lectivo 2010/11

74. Considere a função



 1, x ∈ [0, 1[
f (x) = 2, x ∈ [1, 2[
3, x ∈ [2, 3]


Z x x,
 x ∈ [0, 1[
a) Mostre que F (x) = f (t)dt = 2x − 1, x ∈ [1, 2[
0 
3x − 3, x ∈ [2, 3]

b) Verifique que F é contı́nua em [0, 3].

75. Determine a derivada da função Fj (j = 1, . . . , 9) dada por:


Z x Z x2 Z x2
2
p
F1 (x) = ln t dt F2 (x) = 1 + t4 dt F3 (x) = e−t dt
1 ln x x


Z x Z sin x Z x
2
2 3
F4 (x) = cos(t ) dt F5 (x) = t cos t dt F6 (x) = x e−s ds
1
x x2 +1 1

Z x Z x Z x3
2 2
sin(s2 ) + e−s ln(s2 + 1) ds

F7 (x) = (x − s)e−s ds F8 (x) = ds F9 (x) =
0 1 cos x
Z sin x
76. Seja F (x) = (x + 1)2 arcsin t dt uma função definida em [0, π2 ].
0
Calcule F ′ (x).

77. Determine k ∈ R de modo que F ′ (1) = 0, sendo F a função dada por


Z k ln x
2
F (x) = e−t dt.
x2

Z x Z t 
−u2
78. Seja F a função dada por F (x) = e du dt. Calcule F ′′ (x).
0 0

79. Seja f uma função real de variável real contı́nua e positiva em R.


Mostre que a função F dada por
Z 6x−x2
F (x) = f (t)dt
0

admite um só extremo no ponto de abcissa x = 3. Classifique esse ex-


tremo.

80. A probabilidade P de que um frequencı́metro digital manufacturado por


uma companhia electrónica dure entre 2 e 3 anos, com um uso normal, é
dada aproximadamente por
Z 3
P = 12t−3 dt.
2

14
Análise Matemática I Folha de Exercı́cios Ano Lectivo 2010/11

(a) Calcule a probabilidade P .


(b) Calcule x tal que Z x
12t−3 dt = 1.
2

81. Considere a função f dada por


Z x3
f (x) = h(t) dt,
x

onde h é uma função par. Mostre que f é uma função ı́mpar.

82. Calcule:
Z π 1
x
Z
2 2
(a) sin x + cos x dx (b) dx
0 0 1 + x4
1 4
1
Z Z
(c) x sin(3x2 ) dx (d) √ dx
0 0 1+ x
4 √ −2
1+ y 1
Z Z
(e) dy (f) dx
1 y2 −3 x2 − 1

2 π
dx
Z Z
2 2
(g) √ (h) sin3 x dx
0 1 − x2 0
e2 e
dx sin(ln x)
Z Z
(i) (j) dx
e x ln x 1 x
1 π
ex
Z Z
4
(k) dx (l) cos2 x dx
0 1 + e2x 0
7
1
dx x5
Z Z
2
(m) √ (n) dx
2 5 + 4x − x2 −1 x+2
1 π
x cos x
Z Z
2
(o) 2
dx (p) p dx
0 x + 3x + 2 0 1 + sin2 x
e e
ln x ln x
Z Z
(q) dx (r) √ dx
1 x ln(3x) 1 x
e 3
x
Z Z
(s) x ln x dx (t) √ dx
1 0 x+1

83. Determine a área da região do primeiro quadrante limitada pela parábola


de equação y = x2 − 2x + 2 e pela recta que lhe é tangente no ponto (2, 2).

84. Determine a área da região limitada pelos gráficos das funções dadas por
1 + cos2 x cos2 x
f (x) = e g(x) = , em [ln 2, ln 5].
1 + e2x 1 + e2x

15
Análise Matemática I Folha de Exercı́cios Ano Lectivo 2010/11

85. Determine a área da região do plano delimitada pelos gráficos das funções
f (x) = sin x e g(x) = cos x e pelas rectas x = −π e x = π.

86. Seja A = (x, y) ∈ R2 : y ≥ (x − 3)2 ∧ y ≥ x − 1 ∧ y ≤ 4




(a) Represente geometricamente a região A .


(b) Calcule a área da região A .

Determine a área da região de R2 delimitada pelos gráficos de f (x) =


87. √
4 + x2 e g(x) = x e pelas rectas de equações x = −2 e x = 2.

88. Considere a função F dada por


1
x
1 1
Z Z
x
F (x) = dt + dt
0 1 + t2 0 1 + t2
π
para x ∈ [1, +∞[. Mostre que F (x) = 2 no seu domı́nio.

89. Verifique se os seguintes integrais impróprios convergem e, em caso de


convergência, indique o seu valor numérico.
Z +∞ Z +∞ Z +∞
1 1 1
(a) 2
dx (b) 2
dx (c) dx
1 x −∞ 1 + x 1 x
Z 1 Z 1 Z 1
1 1 1
(d) √ dx (e) 2
dx (f) dx
0 1−x 0 x 0 x

16