Você está na página 1de 15

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO

CURSO

BRUNO DA MATA SANTOS


FABIO RODRIGO SARAIVA SANTANA
RENAN SARAIVA SANTANA

PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR


“O CASO DA PACTUAL”

Jacaraci - Bahia
2019
BRUNO DA MATA SANTOS
FABIO RODRIGO SARAIVA SANTANA
RENAN SARAIVA SANTANA

PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR


“O CASO DA PACTUAL”

Produção Textual Interdisciplinar em Grupo apresentada


ao Curso de Administração da UNOPAR – Universidade
Norte do Paraná, para as disciplinas de Raciocínio
Lógico Matemático, Contabilidade, Matemática
Financeira, Metodologia Científica, Capital de Giro e
Análise Financeira, e Seminário Interdisciplinar II.


Prof. Mariany Layne de Souza, André Juliano Machado,
Marcelo Silva de Jesus, Regina Celia Adamuz,
Alessandra Petrechi de Oliveira e Eric Ferreira dos
Santos.

Jacaraci - Bahia
2019
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ..................................................................................................... 3
2. ANÁLISE CONTÁBIL E FINANCEIRA DA PACTUAL ......................................... 4
2.1 Análise de crédito........................................................................................4
2.2 Situação patrimonial da empresa................................................................5
2.3 Capital próprio e de terceiros......................................................................5
2.4 Valores lógicos..........................................................................................10

3 RESULTADOS ................................................................................................... 12
REFERÊNCIAS ......................................................................................................... 13
3

1 INTRODUÇÃO

A PACTUAL é uma rede de lojas de varejo que nasceu no estado de São


Paulo e atualmente possui mais de 24 lojas no interior de São Paulo, Paraná e
Santa Catarina. No ano de 2019, o proprietário tem o desafio de levar a PACTUAL
para o Nordeste inaugurando quatro lojas, uma em Vitória da Conquista/BA, uma em
Juazeiro do Norte/CE, outra em Crateús/CE e a quarta em Olinda/PE. Para esta
ampliação, a empresa vai precisar de R$ 2.000.000,00 a serem investidos nas
quatro novas lojas.
Com o advento da tecnologia e a internacionalização econômica intensificou-
se a necessidade de reorganização dos modos de gestão empresarial a fim de
compatibilizar padrões internacionais de qualidade e produtividade entre as
organizações, tal preceito é reafirmado por Porter (1999). A competição se
intensificou de forma drástica ao longo das duas últimas décadas e poucos são os
setores remanescentes em que a competição ainda não interferiu na estabilidade e
dominação dos mercados.
Devido a esse fato, as organizações adotam novas estratégias e ferramentas
para o gerenciamento de suas atividades e sobrevivência em um mercado altamente
competitivo. Entre essas estratégias e ferramentas encontra-se a utilização de
sistemas de análise de viabilidade econômica e financeira, a fim de verificar a
consistência e a rentabilidade do projeto a ser implementado.
Neste trabalho, caracterizado como teórico e exploratório, no qual se assume
uma perspectiva crítica de análise sobre o tema proposto, tratar-se-á sobre a
relevância da análise de viabilidade do projeto. Ressalta-se a importância do tema
proposto, uma vez que enfatiza conceitos ainda recentes no contexto organizacional
e acadêmico, no que se refere ao estudo de viabilidade econômica de
empreendimentos despertando um interesse em conhecer e aprofundar novas
estratégias organizacionais.
4

2. ANÁLISE CONTÁBIL E FINANCEIRA DA PACTUAL

2.1. Análise de crédito


Conforme as orientações desta atividade, a empresa PACTUAL precisa
levantar o capital de R$ 2.000.000,00 e para isso realizou pesquisa em dois bancos:
o Banco Bom Negócio e o Banco CrédFácil, apresentando as seguintes condições
de financiamento:

Buscando auxiliar os gestores na decisão, realizou-se o cáculo do valor futuro


de ambas propostas, tendo-se o seguinte:

Banco Bom Negócio

F = P.(1 + i)n
Onde
F = valor futuro
P = valor presente
n = número de períodos
i = taxa de juros

F = 2.000.000,00 (1+0,015)12
F = 2.000.000,00 . 1,1956
F = 2.391.236,3430

Banco CredFácil
F = P.(1 + i)n
F = 2.000.000,00 (1+0,02)10
F = 2.437.988,8399
5

Considerando apenas a análise dos valores futuros, a melhor opção para a


empresa é do Banco Bom Negócio, pois a empresa pagará R$ 391.236,34 de juros,
enquanto na proposta do Banco CredFácil os juros somam R$ 437.988,84.

2.2. Situação patrimonial da empresa


Para a determinação de uma melhor linha de crédito para a Empresa foram
realizados os lançamentos contábeis e elaborado o novo balanço patrimonial para
análise da equipe, devendo-se, ao final da análise, determinar a situação patrimonial
da empresa.
Os fatos contábeis, como entradas de mercadorias, pagamento de
fornecedores, recebimentos de clientes e outros provocam oscilações no patrimônio
da empresa, podendo gerar situações positivas, negativas, ou neutras, como mostra
o Quadro 1.

Quadro 1 – Situação Patrimonial

Ocorre quando os bens e direitos


SITUAÇÃO LÍQUIDA
ATIVO > PASSIVO (Ativo) excedem o valor das
POSITIVA
obrigações com terceiros (Passivo)

Ocorre quando os bens e direitos


SITUAÇÃO LÍQUIDA
ATIVO < PASSIVO (Ativo) forem menores que as
NEGATIVA
obrigações com terceiros (Passivo)

Ocorre quando os bens e direitos


(Ativo) forem iguais às obrigações
SITUAÇÃO LÍQUIDA
ATIVO = PASSIVO com terceiros (Passivo), nessa
NEUTRA
hipótese o patrimônio líquido será
nulo

Fonte: Polizel, Villalva e Santos (2015),

Após os lançamentos terem sido efetuadas, o balanço patrimonial da empresa


PACTUAL apresentou um total de ativos de R$ 9.397.499,00 e total de Passivos de
R$ 7.295.612 (4.269.099,67 + 3.026.512,33). Portanto, o ativo continua a ser maior
do que o passivo, caracterizando uma situação positiva.

2.3. Capital próprio e de terceiros


Ainda atendendo ás questões propostas nesta atividade, analisa-se no
balanço o capital próprio e capital de terceiros. O Capital Próprio tem a ver com o
6

patrimônio líquido (PL), ou seja, como o nome sugere, sua origem está na própria
atividade econômica e pode ser avaliado pelos lucros, por exemplo. Em outras
palavras: são os recursos que provém dos proprietários (ou de sócios e acionistas).
A maioria das empresas, e isso incluem companhias renomadas como
Google, Microsoft e Apple, começaram com capital próprio. Nesta modalidade, o
fluxo de caixa é residual e é representado pelo pagamento de dividendos.
Já o Capital de Terceiros está relacionado com o passivo real ou passivo
exigível (obrigações da empresa com terceiros) e representa também como o nome
implica todos os investimentos feitos por meio de recursos de entidades externas.
Um dos exemplos mais comuns nesse caso são os financiamentos e empréstimos,
sejam de curto, médio ou longo prazo.

Figura 1: Capital próprio e Capital de Terceiros

Fonte: https://lume-re-demonstracao.ufrgs.br/analista-contabil/indicadores_estrutura.php

O total do passivo da empresa PACTUAL ao final do ano de 2019 foi de R$


9.397.499,00, dos quais R$ 7.295.612 (4.269.099,67 PC + 3.026.512,33 PNC)
referem-se ao passivo (capital de terceiros) e R$ 2.101.887 referente ao Patrimônio
Líquido (Capital Próprio).
Com base nas demonstrações apresentadas e atualizadas pelos lançamentos
contábeis realizados, foi possível a elaboração das análises vertical e horizontal
dessas demonstrações. Como pode ser visualizado nas tabelas a seguir, a maior
variação ocorreu na conta empréstimos e financiamentos que aumentou 501,5%
entre 2018 e 2019. A conta imobilizados também apresentou um crescimento
expressivo: 264,51% entre os anos de 2018 e 2019. Este crescimento também pode
7

ser visto na análise vertical, pois em 2018 a conta empréstimos e financiamentos


representava 5,91% do total de passivos, passando a representar 27,98% do total
de passivos em 2019. A conta imobilizados, que representava 7,67% em 2018
passou a representar 22% do total de ativos em 2019.
7

BALANÇO PATRIMONIAL DA PACTUAL


ATIVO 31/01/2019 AV% 31/12/2018 AV% PASSIVO 31/01/2019 AV% 31/12/2018 AV%
CIRCULANTE CIRCULANTE
Caixa e equivalente 379.926,00 4,04% 379.926,00 5,14% Fornecedores 2.898.025,00 30,84% 2.898.025,00 39,18%
Aplicações financeiras 1.259.553,00 13,40% 1.259.553,00 17,03% Salários, férias e encargos 231.820,00 2,47% 231.820,00 3,13%
Duplicatas a receber 1.333.968,00 14,19% 1.333.968,00 18,03% Tributos a recolher 81.196,00 0,86% 81.196,00 1,10%
Estoques 2.453.963,00 26,11% 1.953.963,00 26,41% Outras obrigações 457.098,00 4,86% 457.098,00 6,18%
Empréstimos e
Outros ativos 274.648,00 2,92% 274.648,00 3,71% financiamentos 633.560,67 6,74% 434.294,00 5,87%
( - ) Encargos Financeiros a
Transcorrer -32.600,00 -0,35% 0 0,00%
Total do ativo
circulante 5.702.058,00 60,68% 5.202.058,00 70,32% Total do passivo circulante 4.269.099,67 45,43% 4.102.433,00 55,46%

ATIVO NÃO PASSIVO NÃO


CIRCULANTE CIRCULANTE

Contas a receber 4.741,00 0,05% 4.741,00 0,06% Empréstimos e financiamento 2.629.137,33 27,98% 437.204,00 5,91%
( - ) Encargos Financeiros a
Tributos a recuperar 166.033,00 1,77% 166.033,00 2,24% Transcorrer -358.600,00 -3,82% 0 0,00%
Provisão para riscos
Impostos diferidos 219.321,00 2,33% 219.321,00 2,96% tributários 287.138,00 3,06% 287.138,00 3,88%
Depósitos judiciais 310.899,00 3,31% 310.899,00 4,20% Receita diferida 468.837,00 4,99% 468.837,00 6,34%
Total do passivo não
Outros ativos 42.464,00 0,45% 42.464,00 0,57% circulante 3.026.512,33 32,21% 1.193.179,00 16,13%
Investimentos
controladas 311.347,00 3,31% 311.347,00 4,21%
Investimentos 78.530,00 0,84% 78.530,00 1,06% PATRIMONIO LÍQUIDO
Imobilizado 2.067.085,00 22,00% 567.085,00 7,67% Capital social 1.719.886,00 18,30% 1.719.886,00 23,25%
Intangível 495.021,00 5,27% 495.021,00 6,69% Reserva de capital 37.094,00 0,39% 37.094,00 0,50%
Reserva legal 53.877,00 0,57% 53.877,00 0,73%
Total do ativo não
circulante 3.695.441,00 39,32% 2.195.441,00 29,68% Reservas de lucro 288.371,00 3,07% 288.371,00 3,90%
Ajuste de avaliação
patrimonial 2.659,00 0,03% 2.659,00 0,04%
TOTAL DO ATIVO 9.397.499,00 100% 7.397.499,00 100% TOTAL DO PASSIVO 9.397.499,00 100% 7.397.499,00 100%
8

BALANÇO PATRIMONIAL DA PACTUAL


ATIVO 31/01/2019 AH% 31/12/2018 AH% PASSIVO 31/01/2019 AH% 31/12/2018 AH%
CIRCULANTE CIRCULANTE
Caixa e equivalente 379.926,00 0,00% 379.926,00 100,00% Fornecedores 2.898.025,00 0,00% 2.898.025,00 100,00%
Aplicações financeiras 1.259.553,00 0,00% 1.259.553,00 100,00% Salários, férias e encargos 231.820,00 0,00% 231.820,00 100,00%
Duplicatas a receber 1.333.968,00 0,00% 1.333.968,00 100,00% Tributos a recolher 81.196,00 0,00% 81.196,00 100,00%
Estoques 2.453.963,00 25,59% 1.953.963,00 100,00% Outras obrigações 457.098,00 0,00% 457.098,00 100,00%
Empréstimos e
Outros ativos 274.648,00 0,00% 274.648,00 100,00% financiamentos 633.560,67 45,88% 434.294,00 100,00%
( - ) Encargos Financeiros
a Transcorrer -32.600,00 0 100,00%
Total do ativo Total do passivo
circulante 5.702.058,00 9,61% 5.202.058,00 100,00% circulante 4.269.099,67 4,06% 4.102.433,00 100,00%

ATIVO NÃO PASSIVO NÃO


CIRCULANTE CIRCULANTE
Empréstimos e
Contas a receber 4.741,00 0,00% 4.741,00 100,00% financiamento 2.629.137,33 501,35% 437.204,00 100,00%
( - ) Encargos Financeiros
Tributos a recuperar 166.033,00 0,00% 166.033,00 100,00% a Transcorrer -358.600,00 0 100,00%
Provisão para riscos
Impostos diferidos 219.321,00 0,00% 219.321,00 100,00% tributários 287.138,00 0,00% 287.138,00 100,00%
Depósitos judiciais 310.899,00 0,00% 310.899,00 100,00% Receita diferida 468.837,00 0,00% 468.837,00 100,00%
Total do passivo não
Outros ativos 42.464,00 0,00% 42.464,00 100,00% circulante 3.026.512,33 153,65% 1.193.179,00 100,00%
Investimentos
controladas 311.347,00 0,00% 311.347,00 100,00%
Investimentos 78.530,00 0,00% 78.530,00 100,00% PATRIMONIO LÍQUIDO
Imobilizado 2.067.085,00 264,51% 567.085,00 100,00% Capital social 1.719.886,00 0,00% 1.719.886,00 100,00%
Intangível 495.021,00 0,00% 495.021,00 100,00% Reserva de capital 37.094,00 0,00% 37.094,00 100,00%
Reserva legal 53.877,00 0,00% 53.877,00 100,00%
Total do ativo não
circulante 3.695.441,00 68,32% 2.195.441,00 100,00% Reservas de lucro 288.371,00 0,00% 288.371,00 100,00%
Ajuste de avaliação
patrimonial 2.659,00 0,00% 2.659,00 100,00%
TOTAL DO ATIVO 9.397.499,00 27,04% 7.397.499,00 100% TOTAL DO PASSIVO 9.397.499,00 27,04% 7.397.499,00 100%
* Quando o valor do item correspondente ao ano-base é zero, o número índice não pode ser calculado, pois os números não são divisíveis por zero.
9

Os índices de liquidez avaliam a capacidade de pagamento da empresa frente


a suas obrigações, sendo de grande importância para a administração da
continuidade da empresa, as variações destes índices devem ser objeto de estudos
para os gestores.
As informações para o cálculo destes índices são retiradas unicamente do
Balanço patrimonial, demonstração contábil que evidência a posição patrimonial da
entidade, devendo ser atualizadas constantemente para uma correta análise.

a) Liquidez Geral
Liquidez Geral = AC + ARLP / PC + PELP
Liquidez Geral = 5.702.058,00 + 3.695.441,00 / 4.269.099,67 + 3.026.512,33
Liquidez Geral = 9.397.499 / 7.295.612
Liquidez Geral = 1,28

Este índice relaciona as capacidades de curto prazo e Longo Prazo (LP) da


empresa.
As rubricas de Longo Prazo de um balanço patrimonial contêm itens de
prazos superiores aos 12 meses. Portanto, ao apresentar um índice abaixo de 1, a
empresa, em teoria, não teria condições de arcar com suas obrigações, levando-se
em consideração ambos os prazos, curto e longo.
Entretanto, sabemos que com uma boa gestão e previsão do capital de giro, a
empresa vai liquidando suas obrigações de curto prazo e, possivelmente, e se
necessário, renegociando os pagamentos de longo prazo que não vai conseguir
cumprir.

b) Liquidez Corrente
Liquidez Corrente = AC / PC
Liquidez Corrente = 5.702.058,00 / 4.269.099,67
Liquidez Corrente = 1,33

Este é um dos índices de liquidez que nos dá uma ideia de como está liquidez
de curto prazo da empresa, já que as rubricas de Circulante do Balanço Patrimonial
contabilizam ativos/passivos com prazo de até 12 meses. É uma capacidade 5
vezes maior de pagamento do que a de adquirir dívidas de curto prazo.
10

c) Liquidez Seca
Liquidez Seca = AC – Estoques / PC
Liquidez Seca = 5.702.058,00 – 2.453.963,00 / 4.269.099,67
Liquidez Seca = 0,76

Este indicador tem uma função bastante similar ao de liquidez corrente, com a
diferença de que o estoque não é computado no cálculo do ativo circulante. Isso
ocorre devido ao fato de o estoque representar um ativo que, às vezes, pode não
estar atrelado diretamente ao patrimônio.
Ou seja, a liquidez seca vai informar ao gestor o valor real da liquidez do ativo
circulante, mesmo que nada no estoque seja vendido ou utilizado. Normalmente, o
valor desse indicador fica bem próximo ao da liquidez corrente (menor ou igual).
Seu cálculo é feito utilizando a formula conhecida da liquidez corrente. Neste
caso, no entanto, retiramos o estoque do ativo circulante e completamos o cálculo
dividindo o valor resultante pelo passivo circulante descrito no balanço patrimonial
da organização.

2.4. Valores lógicos


Partindo para o último desafio proposto nesta atividade, analisou-se qual(is)
valor(es) lógico(s) (verdadeiro ou falso) a segunda proposição deve assumir para
que a seguinte afirmação seja verdadeira: “Se na análise horizontal do balanço da
PACTUAL houve um crescimento com os gastos com os fornecedores, então nos
próximos anos haverá um crescimento continuo com esses gastos.”
Segundo Martinez (2018) o tema de maior interesse para a lógica tradicional
são os argumentos e a forma de raciocínio construída nestes argumentos. As
tabelas-verdades são um dos instrumentos que podem ser utilizados para
demonstrar a validade de qualquer argumento, sua dificuldade está no fato de ser
limitada a uma pequena quantidade de proposições.
Após a construção desta tabela é preciso verificar se o argumento é válido,
observando-se pelas linhas em que todas as premissas possuem valor lógico
verdadeiro. Se e alguma destas linhas o valor da conclusão for falso (inválido), então
o argumento será inválido, mas se em todas as linhas em que as premissas
possuem valor lógico verdadeiro e a conclusão também for verdadeira, então o
11

argumento é válido.
O procedimento de validação consiste em identificar linhas em que os valores
lógicos das premissas P1,P2,..., Pn são todos verdadeiros. Nessas linhas, o valor
lógico da conclusão Q deve ser também V para que o argumento dado seja valido.
Se, em, pelo menos, uma dessas linhas o valor lógico da conclusão Q for F, então o
argumento dado e não valido, ou seja, e um sofisma (falácia).

A B a^b
V V V
V F F
F V F
F F F

Analisando a conjunção a^b, verificou-se que apenas a primeira função seria


verdadeira, pois assumiu características positivas para ambas proposições.
12

3 RESULTADOS

O trabalho de análise de crédito da Empresa PACTUAL, que pretende ampliar


sua rede, demonstrou que este é um procedimento que requer alto nível de
sensibilidade por parte de seus analistas, sendo que, no caso da empresa em
questão, evidenciou-se a sua viabilidade, pois a empresa buscou diferentes linhas
de crédito a fim de levantar recursos financeiros para tal, e com isso, verificou-se um
valor futuro menor, com maior prazo para pagamento.
Através da elaboração dos lançamentos contábeis do financiamento, foram
realizados os lançamentos contábeis e elaborado o novo balanço patrimonial,
verificou-se uma situação positiva.
Realizou-se ainda a análise vertical e horizontal do balanço patrimonial, assim
como o cálculo dos índices de liquidez geral, liquidez seca e liquidez corrente, onde
apenas a liquidez seca apresentou resultados preocupantes, mostrando que a
empresa pode ter dificuldades em liquidar seus passivos se houver demora na
venda de seus estoques.
Em tempo, a relevância deste trabalho consiste na demonstração, ao leitor,
da importância de que se busque melhorias para a sua empresa a partir de uma
análise cuidadosa que permita enxergar os verdadeiros problemas existentes dentro
da sua organização e ao passo em que conscientize os gestores a implementar um
Sistema de Gestão para a melhoria contínua de sua organização. Na área
acadêmica, almejou-se contribuir para a fundamentação teórica das gestões
instigando a necessidade de continuidade de trabalhos nesta temática para o
enriquecimento do aporte teórico necessário à gestão de empresas.
13

REFERÊNCIAS

MARTINEZ, Angel Antônio Gonzales. Lógica. São Paulo: Editora Sol. 2018.

MARTINS, Eliseu; MIRANDA, Gilberto José; DINIZ, Josedilton Alves. Análise


didática das demonstrações contábeis. 2. Ed. São Paulo: Atlas, 2019.

POLIZEL, Gisele Zanardi; VILLALVA, Wagner Luiz; SANTOS, Willian Ferreira dos.
Contabilidade. Londrina: Editora e Distribuidora Educacional S.A. 2015.

SILVA, José Pereira da. Análise financeira das empresas. 5. ed. São Paulo: Atlas,
2001.

SILVA, Luiz Fernando Soares da; TARIFA, Marcelo. Análise Contábil. São Paulo:
Pearson Education do Brasil, 2009.