Você está na página 1de 45

SOCIOLOGIA

ALEMÃ:
MAX WEBER
MAX WEBER (1864-1920)
Max Weber
-Marca fundamental da modernidade: emergência de
uma forma específica de racionalismo: o racionalismo
da dominação do mundo.
-Para ele, a cultura ocidental que se encarna em
instituições como o mercado capitalista, a burocracia
estatal, o direito e a ciência, é resultado de um amplo
processo de racionalização que, por um lado,
aumenta a eficiência e produtividade, mas, ao mesmo
tempo, carrega a possibilidade de perda de liberdade
e do sentido da vida.
Max Weber

1. VIDA E OBRAS
Max Weber
-Nasceu em Erfurt, em 21 de abril de 1864.
-Doutorou-se em Direito em 1891.
-Dedicou-se à docência universitária. Foi professor de direito em
Berlim (1891-1893) e de economia política em Freiburg (1895) e
Heidelberg (1896).
-1897-1902: crise pessoal.
-1904: viagem para os Estados Unidos. Publica A ética
protestante e o “espírito” do capitalismo.
-Sua case era um centro frequentado por intelectuais de
renome, como Georg Lukács (1885-1971) e Georg Simmel
(1858-1918).
Max Weber
-1917: publica Ciência como vocação.
-1918: aceita uma cátedra na Universidade de Viena,
transferindo-se para Munique no ano seguinte.
1919: publica Política como vocação.
-Participa da redação da Constituição de Weimar.
-Morre, em Munique, no ano de 1920.
-1922: publicação póstuma de Economia e sociedade.
Max Weber
-Correntes teóricas que influenciaram seu pensamento:
◦Pensamento filosófico
◦ Immanuel Kant (1724-1804) e Friedrich Nietzsche (1844-1900)
◦Pensamento econômico
◦Pensamento social
◦ Fundou a “Associação Alemã de Sociologia”
◦Teologia
◦Direito
◦História
◦Ciência da religião
Max Weber

2. TEORIA SOCIOLÓGICA
TEORIA SOCIOLÓGICA
-O indivíduo é o elemento fundante na explicação da
realidade social.
-Novo caminho de interpretação da realidade social: a
sociologia compreensiva.
Max Weber

2. TEORIA SOCIOLÓGICA
2.1 Epistemologia
TEORIA SOCIOLÓGICA
A) A especificidade das ciências sociais
-A objetividade do conhecimento nas ciência sociais (1904):
◦ Diferença de princípio entre as ciências da natureza e as ciências
sociais: crítica ao positivismo;
◦ Nas ciências da natureza o objeto de estudo é algo exterior ao
homem, nas ciências sociais o homem é o sujeito e o objeto ao
mesmo tempo.
◦ Ciências naturais: explicação. Ciências sociais: compreensão.
TEORIA SOCIOLÓGICA
B) Tipos ideais
-Instrumento de pesquisa privilegiado do saber sociológico.
-Construção mental elaborada pelo pesquisador, que
seleciona de acordo com seus interesses e os problemas
que deseja aprofundar.
-Não reproduzem ou refletem a realidade tal como ela é em
si mesma. Por isso que os “tipos” (ou seja, os conceitos) são
“ideais”, quer dizer, uma utopia, uma idealização, uma
normatização da realidade e não sua tradução objetiva ou
mesmo uma cópia da essência dos fenômenos.
TEORIA SOCIOLÓGICA
B) Tipos ideais
-Os tipos ideais nos ajudam a dar uma forma lógica à
realidade, que está sempre para além da compreensão de
todo intelecto humano.
-Isto não quer dizer, contudo, que os tipos ideais são uma
construção arbitrária, totalmente subjetiva e pessoal.
-Possuem um componente explicativo ou generalizante.
Sua finalidade é compreender a realidade.
-Exemplos de Weber: “espírito do capitalismo”, “ética
protestante”, “feudalismo”, “burocracia”, “Estado”.
Max Weber

2. TEORIA SOCIOLÓGICA
2.2 Metodologia
TEORIA SOCIOLÓGICA
A) Individualismo metodológico
-O ponto de partida da explicação sociológica reside no
indivíduo.
◦ “A sociologia interpretativa considera o indivíduo e seu ato como a
unidade básica, como seu “átomo” (...) Em geral, para a sociologia,
conceitos como “Estado”, “associação”, “feudalismo” e outros
semelhantes designam certas categorias de interação humana. Daí ser
tarefa da sociologia reduzir esses conceitos à ação compreensível, isto é,
sem exceção, aos atos dos indivíduos participantes” (WEBER, Ensaios de
Sociologia)
TEORIA SOCIOLÓGICA
B) Sociologia: objeto de estudo e método de análise
-“Sociologia significa uma ciência que pretende
compreender interpretativamente a ação social e assim
explicá-la em seu curso e em seus efeitos” (Weber,
Economia e Sociedade)
-Ação social: é a ação dos indivíduos, quando orientada em
relação a outros indivíduos. A tarefa da pesquisa sociológica
consiste em determinar qual o “sentido” ou “significado” da
ação – bem como suas relações com os demais indivíduos.
-Método “compreensivo-explicativo”
TEORIA SOCIOLÓGICA
-Teoria dos tipos de ação: escala formam de racionalidade e
irracionalidade
◦ 1) Ação social referente a fins: a ação é determinada por expectativas
quanto ao comportamento de objetos do mundo exterior e de outras
pessoas. Neste tipo de ação, o indivíduo determina racionalmente os
objetivos da ação, calcula os meios mais adequados para persegui-los e
pondera os efeitos de suas escolhas.
◦ 2) Ação social referente a valores: a ação é determinada pela crença
consciente no valor –ético, estético, religioso ou qualquer que seja sua
interpretação- absoluto e inerente a determinado comportamento como
tal, independente do resultado. O motivo da ação não é um interesse,
mas um valor, indiferente aos resultados positivos ou negativos que ela
possa ter. o indivíduo formula os objetivos da ação com base em suas
convicções e escolhe os meios para realizar seus valores, sem considerar
os efeitos e consequências que eles possam ter.
TEORIA SOCIOLÓGICA
-Teoria dos tipos de ação: escala formam de racionalidade
e irracionalidade
◦3) Ação social afetiva: a ação é determinada de moda afetivo,
especialmente emocional: por afetos ou estados emocionais
atuais. Envolve sempre a satisfação imediata de um impulso,
como a vingança, gratificação sensual, dedicação a uma
pessoa ou ideal, etc.
◦4) Ação social tradicional: a ação é determinada pelo costume
arraigado. Trata-se da maior parte de nossas ações cotidianas
habituais, de nossos deveres, executadas quase sempre de
modo irrefletido.
TEORIA SOCIOLÓGICA
-Quando diversos agentes sociais organizam a sua ação com
base na expectativa que fazem quanto ao sentido das ações
de outros temos o que Weber chama de relação social. Ex.:
amizade, luta, troca no mercado, cumprimento ou violação
de acordos.
-Ordens ou estruturas sociais são concebidas por Weber
como máximas que orientam a ação, seja como
“obrigações”, seja como “modelos de comportamento”.
Ex.: ordem econômica, política, religiosa, científica, etc.
-Esboço de uma “sociologia das organizações”
TEORIA SOCIOLÓGICA
-Sociologias especiais:
◦ Sociologia econômica
◦ Especificidade da ação social econômica
◦ Sociologia da estratificação social
◦ Busca compreender as diferentes posições do indivíduo na sociedade não a partir de
um único critério, mas a partir de uma inserção em várias esferas da realidade.
◦ Status é a esfera da honra e do prestígio social
◦ Sociologia da religião
◦ Os feiticeiros (praticantes da magia), os sacerdotes (responsáveis pela organização dos
cultos) e os profetas (que enfatizam o comportamento ético da religião)
◦ Sociologia do direito
◦ Descrição do processo de racionalização do direito
◦ Sociologia urbana
Max Weber

3. TEORIA DA
MODERNIDADE
TEORIA DA MORDERNIDADE
-É no conjunto de estudos históricos-comparativos das
religiões mundiais que Weber traça o quadro de nascimento
e desenvolvimento da modernidade.
-A modernidade é fruto de um longo e peculiar processo
histórico-social de racionalização.
-O racionalismo da dominação do mundo.
Max Weber

3. TEORIA DA
MODERNIDADE
3.1 Racionalização social: a ética
protestante e o “espírito” do
capitalismo
TEORIA DA MODERNIDADE
-Investigação sobre as “origens” culturais do capitalismo
moderno.
-O capitalismo racional como grande marca da civilização
ocidental.
-Investiga qual a relação entre determinada religião e a
conduta de vida adequada ao moderno sistema econômico
capitalista-industrial.
-A ética protestante “tinha que ser, no fim das contas, a
alavanca mais poderosa que se pode imaginar da expansão
dessa concepção de vida que aqui temos chamado de
‘espírito’ do capitalismo”.
TEORIA DA MODERNIDADE
-“Espírito” do capitalismo: vida disciplinada, ou ascética,
motivada pelo sentido do dever, pela honestidade, e pela
dedicação ao trabalho. É uma ascese do trabalho, ao qual ele se
dedica com rigor e disciplina.
-O conceito de ‘vocação’ desenvolvido por Martinho Lutero.
-O calvinismo
◦Predestinação
◦Necessidade de que a salvação seja “comprovada” através de uma
conduta regulada e sistemática.
◦A ascese intramundana “teve o efeito psicológico de liberar o
enriquecimento dos entraves éticos da ética tradicionalista, rompeu
as cadeias que cerceavam a ambição de lucro, não só ao legalizá-lo,
mas também ao encará-lo como diretamente querido por Deus”
TEORIA DA MODERNIDADE
-Mesmo com o processo de enfraquecimento da religião na vida
individual e social, a ética do trabalho se expandiu e se
consolidou no Ocidente.
-Com o tempo, a motivação da busca da riqueza se desligou da
religião e ganhou vida própria.
-Outro importante processo: o processo histórico de
racionalização. Do ponto de vista de visão religiosa do mundo, o
protestantismo ascético representa o ponto final de um processo
de desencantamento religioso do mundo, pois retira do crente a
possibilidade de influenciar magicamente o divino.
-Uma religião completamente desprovida de elementos mágicos
e uma vida metódica dedicada ao trabalho, de forma disciplinada
e ordenada.
Max Weber

3. TEORIA DA
MODERNIDADE
3.2 Racionalização cultural: as
religiões mundiais
TEORIA DA MODERNIDADE
-Ensaios reunidos de Sociologia da religião
◦Índia
◦ Visão imanente do divino + misticismo extramundano = “racionalismo de
fuga do mundo”
◦China
◦ Visão imanente do divino + misticismo intramundano: “racionalismo de
adaptação ao mundo”
◦Judaísmo
◦ Precursor do racionalismo prático do Ocidente.
◦ Visão teocêntrica do divino + ênfase na conduta moral = “racionalismo
de aceitação do mundo”
TEORIA DA MODERNIDADE
-Ensaios reunidos de Sociologia da religião
◦Protestantismo pós-luterano
◦ Visão teocêntrica e transcendente do divino + ascetismo intramundano =
“racionalismo de dominação do mundo”
◦ Fenômenos como o capitalismo moderno, o Estado burocrático, a
ciência e a técnica, o direito formal, a contabilidade, as empresas e
outros são a expressão do tipo de racionalidade predominante no
mundo ocidental.
Max Weber

3. TEORIA DA
MODERNIDADE
3.3 O diagnóstico weberiano da
modernidade
TEORIA DA MODERNIDADE
-Racionalização é o cerne da sociologia weberiana
◦Caracterizado especialmente pela eliminação da magia como
meio de salvação, ou seja, pelo desencantamento do mundo
(religiosa, depois científica)
-Secularização é um dos resultados deste processo. Uma
ordem social secularizada é aquela na qual a esfera religiosa
deixa de ser a força cultural determinante e a crença passa a
ser uma escolha individual.
◦A religião não é mais o fundamento da ordem social.
TEORIA DA MODERNIDADE
-Perda de sentido
◦A ciência como vocação
◦A religião era uma cosmovisão que conferia sentido à realidade. A
ciência não poderia ocupar esse papel.
◦“o destino de nosso tempo, que se caracteriza pela racionalização,
pela intelectualização, pelo ‘desencantamento do mundo’ levou os
homens a banirem da vida pública os valores supremos e mais
sublimes”
◦Duas alternativas possíveis
◦ Retorno à religião com o sacrifício do intelecto
◦ Aceitar a absoluta falta de sentido da modernidade racionalizada pela ciência
e, desta forma, pautar-se com coerência em torno dos valores escolhidos.
◦ Diante dos dilemas culturais do mundo moderno, Weber defende uma posição
ética, pautada pelo senso de dever e responsabilidade.
-
TEORIA DA MODERNIDADE
-Perda de liberdade
◦ A politica como vocação
◦ Futuro dominado pela racionalização burocrática
◦ “Juntamente com a máquina inanimada, a inteligência concretizada
ocupa-se em construir a concha de servidão que os homens serão
talvez forçados a habitar algum dia”
◦ O conceito da “jaula de ferro”: embora tenha se libertado das forças
divinas e naturais, o homem tornou-se escravo de sua própria
criação.
◦ O trabalho transformou-se num fim em si mesmo e escravizou o
homem.
Max Weber

4. TEORIA POLÍTICA
TEORIA POLÍTICA
-A abordagem empírica dos fatos políticos: a realpolitik.
-A política como espaço de luta e conquista pelo poder
Max Weber

4. TEORIA POLÍTICA
4.1 Neutralidade axiológica
TEORIA POLÍTICA
-O sentido da neutralidade axiológica nas ciências sociais e
econômicas
-A distinção entre “juízos de fato” e “juízos de valor”
-A tarefa da ciência é compreender a realidade, enquanto a
tarefa da política (e da moral) é agir sobre o mundo.
Max Weber

4. TEORIA POLÍTICA
4.2 Debate político
TEORIA POLÍTICA
-Alemanha: acelerado processo de industrialização
direcionado pelo Estado. Esse processo provocou um
crescimento do tamanho e da importância da burocracia
executiva na sociedade e no estado alemão.
-Política como vocação (1919)
-Origem e a condição do político profissional
- “Ética da convicção” e “ética da responsabilidade”
Max Weber

4. TEORIA POLÍTICA
4.2 Sociologia política
TEORIA POLÍTICA
-Política como vocação
◦“Por política entenderemos, consequentemente, o conjunto
dos esforços feitos com vistas a participar do poder ou
influenciar a divisão do poder, seja entre Estados, seja no
interior do próprio Estado”
◦O poder é a capacidade de impor a própria vontade dentro de
uma relação social.
◦Dominação é a probabilidade de encontrar obediência a um
determinado mandato.
TEORIA POLÍTICA
-Política como vocação
◦“Em nossa época, entretanto, devemos conceber o Estado
contemporâneo como uma comunidade humana que, dentro
dos limites de um determinado território –a noção de território
corresponde a um dos elementos essenciais do Estado-
reivindica o monopólio legítimo da violência física”
◦O Estado nasceu de um lento processo pelo qual o rei
conseguiu centralizar em suas mãos o exército, a
administração financeira e o poder jurídico, unificando o
território e limitando o poder dos senhores feudais.
◦Deste processo surgem os principais atores da política
moderna: os políticos profissionais e a burocracia estatal.
TEORIA POLÍTICA
-Sociologia da dominação
◦ Dominação legal
◦ “Baseada na crença na legitimidade das ordens estabelecidas e do direito de
mando daqueles que, em virtude dessas ordens, estão nomeados para exercer a
dominação”
◦ “O tipo mais puro que se exerce por meio de um quadro administrativo
burocrático”
TEORIA POLÍTICA
-Sociologia da dominação
◦ Dominação legal
◦ “Baseada na crença na legitimidade das ordens estabelecidas e do direito de
mando daqueles que, em virtude dessas ordens, estão nomeados para exercer a
dominação”
◦ “O tipo mais puro que se exerce por meio de um quadro administrativo
burocrático”
◦ Dominação tradicional
◦ Existe “uma dominação tradicional quando sua legitimidade repousa ne crença
da santidade de ordens e poderes senhoriais tradicionais (existentes desde
sempre)”
◦ Pode ser uma gerontocracia (o poder de mando cabe aos mais velhos) ou um
patriarcalismo (quando a dominação é exercida por um líder político escolhido
pela associação política)
TEORIA POLÍTICA
-Sociologia da dominação
◦ Dominação carismática
◦ Mágicos, profetas, guerreiros, demagogos, chefes de partido, etc.
◦ “Baseada na veneração extraordinária da santidade, do poder heroico ou de
caráter exemplar de uma pessoa e das ordens por esta reveladas ou criadas”
◦ O carisma é a grande força revolucionária da história, mas o seu caráter
irracional e extracotidiano traz o problema da rotinização do carisma, ou seja,
sua transformação em um poder permanente.