Você está na página 1de 16

Correção da Ficha de Trabalho N.

º 1 I 2019/2020
BIOLOGIA E GEOLOGIA - 11.º ano de escolaridade

Grupo I - Absorção de glucose no intestino


A matéria obtida pelos organismos
heterotróficos é essencialmente
composta por moléculas de grandes
dimensões e elevada complexidade.
Durante a digestão ocorre simplificação
molecular, quebrando parte das
ligações químicas. As moléculas
resultantes deste mecanismo são
depois conduzidas às células por um
eficaz sistema de transporte.
O transporte de nutrientes do lúmen
do intestino humano para a corrente
sanguínea implica uma série de
transportadores transmembranares
específicos, localizados na membrana
das células do epitélio intestinal.

1. A figura representa uma seção de um organismo que apresenta um sistema digestivo _______, e de um sistema circulatório
duplo _______.
(A) completo (…) aberto. (B) incompleto (…) fechado. (C) completo (…) fechado. (D) incompleto (…) aberto.

2. As microvilosidades têm uma forma semelhante a projeções de dedos, cuja principal função é…
(A) … aumentar a capacidade de absorção de proteínas do sangue para o lúmen intestinal.
(B) … diminuir o número de transportadores membranares envolvidos na absorção de glucose.
(C) … permitir o transporte de glucose para a corrente sanguínea, contra o seu gradiente de concentração.
(D) … aumentar a superfície de absorção do epitélio intestinal do lúmen para a corrente sanguínea.

3. As enzimas no intestino catalisam os estádios finais da digestão das proteínas e dos polissacarídeos a, respetivamente,…
(A) … péptidos e monossacarídeos. (B) … ácidos gordos e monossacarídeos.
(C) … ácidos gordos e peptídios. (D) … aminoácidos e ácidos gordos.

4. Faça corresponder a cada uma das afirmações identificadas pelas letras de A a H um dos números romanos da chave que as
permite avaliar.

Afirmações:
A. O transporte de glucose na membrana apical é facilitado, usando a energia que se encontra “armazenada” no gradiente de concentração
de sódio. I
B. O transportador GLUT2 transporta a glucose para o sistema sanguíneo de forma passiva. I
C. A bomba de sódio e potássio bombeia o sódio para o espaço extracelular, mantendo o teor de sódio no citoplasma reduzido. I
D. A existência de um sistema linfático permite o transporte de alguns compostos de forma direta para o fígado. III
E. O transporte de glucose na membrana basal implica a atividade da bomba de sódio e potássio. II
F. Na membrana apical, verifica-se a entrada de uma molécula de glucose contra o gradiente de concentração, ao mesmo tempo que entram
dois iões sódio a favor do gradiente de concentração. I
G. A bomba sódio-potássio existente nestas células encontra-se exclusivamente na secção apical da membrana plasmática. II
H. O transporte de glucose do intestino para as células está dependente da energia resultante da hidrólise de ATP pela bomba sódio-potássio.
I
Chave:
I. Afirmação apoiada pelos dados
II. Afirmação contrariada pelos dados
III. Afirmação sem relação com os dados

5. Mencione o tipo de transporte que ocorre na passagem do sódio do lúmen intestinal para o citoplasma.
Difusão facilitada (bombas iónicas)
6. Explique a importância dos transportadores membranares tendo em conta as propriedades da membrana plasmática.
A membrana apresenta apenas permeabilidade a moléculas apolares de baixo peso molecular, devido à zona hidrofóbica da
bicamada fosfolipídica;
Os transportadores membranares são proteínas que transportam especificamente certos substratos, a favor ou contra o
gradiente de concentração, tornando a membrana permeável a grandes moléculas e a iões.
7. O epitélio intestinal é considerado um tecido formado por células polarizadas, com significativas diferenças estruturais ao
nível das suas extremidades. Relacione este aspeto com a função destas células do epitélio intestinal.
A membrana apical (em contacto com o lúmen intestinal) apresenta vilosidades para aumentar a área al assegura a mediação
no transporte de nutrientes da célula para os fluidos circulantes, nomeadamente para o sangue, não apresentando vilosidades
na sua membrana basal.
As células do epitélio intestinal apresentam polaridade, uma vez que os transportadores existentes na membrana apical
diferem no funcionamento e no tipo, dos transportadores existentes na membrana basal, de forma a garantir uma maior
absorção de nutrientes.
Grupo II - Glicólise nos crocodilos
A maioria dos vertebrados são seres aeróbios, dependendo do oxigénio para obter o máximo da energia que
necessitam a partir da oxidação da glucose.
Em situações pontuais, os vertebrados podem oxidar o piruvato, um composto intermediário da via de degradação da
glucose, a lactato. A produção deste composto ocorre quando o fornecimento de oxigénio aos tecidos não é suficiente para
permitir a degradação da glucose. Nestas situações, os vertebrados usam a glucose armazenada nos tecidos, degradando-a
para obter energia através da fermentação láctica.
O lactato que se acumula nos tecidos musculares passa para o sistema sanguíneo e, durante o período de repouso, é
convertido no fígado novamente a glucose, com consumo de energia. Esta via bioquímica foi caracterizada nas décadas de 30
e 40 do século passado por Carl e Gerty Cori, sendo conhecida por ciclo de Cori.
O sistema circulatório da maioria dos pequenos vertebrados consegue transportar oxigénio de forma eficiente,
reduzindo ao máximo a necessidade de recorrer à fermentação láctica e ao ciclo de Cori. Por exemplo, as aves conseguem voar
longas distâncias e períodos sem necessitarem de descanso.
Os vertebrados maiores, nos quais se inclui o Homem, têm maior dificuldade em fornecer eficazmente oxigénio às
células nos períodos de intensa atividade física. Estes organismos tendem a deslocar-se mais lentamente, com picos curtos de
maior atividade. Os crocodilos levaram este processo ao extremo: passam longos períodos sem se mexerem, mas são capazes
de realizar movimentos rápidos e curtos, aos quais se segue um longo período de repouso. A produção de energia nos tecidos
musculares dos crocodilos depende essencialmente da fermentação láctica.

1. Os organismos _____ convertem a glucose a piruvato através da glicólise e usam o oxigénio para a oxidação do piruvato a
______.
(A) aeróbios (…) CO2 (B) anaeróbios (…) CO2 (C) aeróbios (…) CO2 e H2O (D) anaeróbios (…) CO2 e H2O

2. Em vertebrados como o ser humano, a fermentação láctica permite obter o máximo de energia em condições de ____
eficácia no fornecimento de oxigénio aos tecidos, como por exemplo durante exercício físico muito intenso, degradando a
glucose que estava acumulada sob a forma de ____.
(A) grande (…) glicogénio (B) reduzida (…) amido (C) grande (…) amido (D) reduzida (…) glicogénio

3. A regeneração do ATP a partir do ADP + Pi está associada a vias metabólicas _____ que estão ativas nas mitocôndrias, que
implicam a ______ da glucose.
(A) anabólicas (…) degradação (B) catabólicas (…) degradação (C) catabólicas (…) produção (D) anabólicas (…) produção
4. O sistema circulatório do crocodilo distingue-se do sistema circulatório das aves e do Homem por ser…
(A) … simples e incompleto. (B) … simples e completo. (C) … duplo e completo. (D) … duplo e incompleto.
5. Ordene as letras de A a E de modo a reconstituir a sequência cronológica de acontecimentos que dizem respeito à
degradação de glucose durante a respiração celular.
A. Ao longo do Ciclo de Krebs ocorre redução das moléculas de NAD+ e FAD.
B. Formação de piruvato e regeneração de duas moléculas de ATP.
C. Consumo de duas moléculas de ATP na degradação da glucose a gliceraldeído-3-fosfato.
D. Oxidação do piruvato e conversão em acetil-CoA.
E. O composto que corresponde ao produto final da glicólise é transportado para a mitocôndria.
C, B, E, D, A
6. Explique qual a importância, em períodos de repouso, da conversão do lactato a glucose ao nível do fígado, enquadrada no
ciclo de Cori.
Durante os períodos de repouso há uma menor necessidade de produção de energia, não ocorrendo a fermentação láctica;
Nos períodos de repouso, a conversão de lactato a glucose no fígado permite ao organismo produzir glucose, evitando
desperdícios energéticos, pois a glucose fica disponível para ser novamente usada em momentos de maior atividade.

7. As explorações do fundo marinho permitiram descobrir espécies de peixes que habitam a grandes profundidades (por vezes
a mais de 4000 m) e que dependem exclusivamente dos processos anaeróbios. Apresente uma explicação para este facto,
tendo em conta os fatores abióticos a que estes organismos estão sujeitos.
A grande profundidade nos fundos oceânicos existe uma baixa concentração de oxigénio dissolvido na água;
Com baixos níveis de oxigénio, os peixes recorrem a processos anaeróbios para síntese de ATP.

Grupo III - Transportes nas plantas


O transporte de água e de solutos no interior da planta, através de vasos condutores, foi uma condição essencial para a
colonização do meio terrestre.
O esquema da figura ilustra uma secção de um corte transversal da raiz de uma planta, evidenciando os potenciais
eletroquímicos em diferentes regiões da raiz, para os iões cloro (Cl–) e potássio (K+), determinados por Dunlop e Bowling (1971).
Quanto maior o potencial eletroquímico, maior a concentração do respetivo ião.

1. Na figura, a deslocação dos iões cloro e potássio do solo para o interior da raiz ocorre ____ gradiente químico, ____ gasto
de energia metabólica nesse processo.
(A) contra o (…) havendo (B) a favor do (…) havendo (C) contra o (…) não havendo (D) a favor do (…) não havendo

2. De acordo com os resultados de Dunlop e Bowling, a entrada de iões cloro e potássio para o interior dos vasos xilémicos a
partir das células adjacentes deverá ocorrer por transporte _____. O movimento de água para o xilema, em consequência da
acumulação de iões nos elementos de vaso, origina uma _____, responsável em parte pela ascensão da seiva bruta.
(A) passivo (…) tensão (B) ativo (…) tensão (C) passivo (…) pressão radicular (D) ativo (…) pressão radicular

3. Na figura, ao nível da epiderme existem pelos radiculares que…


(A) … aumentam a superfície de absorção de sais minerais e água para o floema.
(B) … são estruturas formadas por várias células.
(C) … aumentam a superfície de absorção de sais minerais e água para o xilema.
(D) … aumentam a pressão radicular, favorecendo a translocação xilémica.
4. A existência de espessamentos de lenhina na endoderme força a passagem da água e de iões através ____, facto que ____
o livre-trânsito de algumas substâncias entre o córtex e o cilindro central.
(A) do interior das células (…) impede (C) das paredes celulares e dos espaços intercelulares (…) favorece
(B) do interior das células (…) favorece (D) das paredes celulares e dos espaços intercelulares (…) impede

5. As plantas, através da fotossíntese, produzem açúcares que são transportados para todos os tecidos do organismo.
Classifique como verdadeira (V) ou falsa (F) cada uma das afirmações seguintes, relativas à fotossíntese.
A. A fase fotoquímica ocorre nos tilacoides dos cloroplastos.
B. A radiação luminosa é absorvida pelas clorofilas que se encontram nas membranas dos tilacoides.
C. O oxigénio libertado durante a fotossíntese tem origem no CO2 que é absorvido.
D. O ciclo de Calvin antecede a formação de compostos energéticos como o ATP e o NADPH.
E. A formação de hidratos de carbono durante o ciclo de Calvin ocorre no estroma dos cloroplastos.
F. Os hidratos de carbono sintetizados são armazenados sob a forma de glicogénio.
G. A fixação do CO2 atmosférico ocorre durante a fase fotoquímica.
H. Como produtos finais da fotossíntese formam-se polímeros como a glicose e a frutose.
Verdadeiras: A, B e E; Falsas: C, D, F, G e H

6. Ordene as letras de A a E, de modo a reconstituir a sequência cronológica dos acontecimentos associados à translocação da
seiva no floema.
A – A água desloca-se por osmose para as células com elevado potencial de soluto.
B – As células dos tubos crivosos tornam-se hipertónicas.
C – A seiva é forçada a deslocar-se ao longo dos vasos floémicos.
D – Entrada da sacarose no floema por transporte ativo.
E – Aumenta a pressão de turgescência no interior dos tubos crivosos.
D, B, A, E, C

7. Refira, com base nos dados apresentados, a importância da presença de oxigénio no solo para a manutenção da pressão
radicular.
Na presença de oxigénio no solo, as células da planta realizam respiração aeróbia, produzindo energia necessária para
assegurar o transporte de iões para o interior da raiz.
Em consequência, a água entrará por osmose, mantendo-se a pressão radicular.
Sem oxigénio, a absorção de sais minerais e água é significativamente reduzida.

8. Com o objetivo de estudar os fatores que interferem na translocação da seiva, submeteu-se uma secção de um tronco de
uma árvore a uma temperatura de 100 °C. Ao fim de algum tempo verificou-se que, relativamente à translocação da seiva
xilémica, não houve alterações, tendo-se verificado, contudo, que a translocação da seiva floémica foi interrompida.
Apresente uma explicação para os resultados obtidos tendo em conta as características das células do floema e do xilema.
O floema é um tecido constituído por células vivas que, quando sujeitas a temperaturas de 100 °C, sofrem alterações no seu
metabolismo podendo até morrer, deixando de haver translocação de seiva floémica;
O xilema é formado por células mortas, pelo que o aumento da temperatura para os 100 °C não teve qualquer influência,
mantendo-se inalterado o transporte xilémico.
Grupo IV
As trocas gasosas entre a folha e o seu meio ocorrem em estruturas especializadas, os estomas. A figura I representa o esquema
geral de um estoma, e as figuras II e III um estoma aberto (II) e um fechado (III), bem como os movimentos da água e do ião
K+.
1. Estabeleça a correspondência entre os números das estruturas da figura I e as letras associadas aos termos seguintes, de
modo a fazeres a legenda da mesma.
A- Núcleo 2 B- Ostíolo 5 C- Parede celular 3 D- Vacúolo 1 E- Cloroplastos 4

2- Os estomas são estruturas: (transcreva a(s) letra(s) correspondente(s) à(s) opção(ões) correta(s))
A- nas quais ocorrem as trocas de CO2 e O2 essenciais à realização da fotossíntese.
B- nas quais se verifica a maior parte da perda de água por transpiração.
C- nas quais é gerada a pressão radicular que força a água a subir no xilema.
D- que se encontram em grande quantidade na raiz.
E- nas quais se acumulam os produtos da fotossíntese.
F- que se encontram nos órgãos aéreos das plantas, em especial nas folhas.

3- Complete as frases seguintes, estabelecendo a correspondência entre as letras e os números dos termos de baixo, de modo
a explicar de que forma o movimento dos iões K+, através da membrana citoplasmática das células guarda, conduz à abertura
e ao fecho dos estomas (figuras II e III).

Quando o ião K+ _entra_ para as células guarda por _transporte ativo_ , a pressão osmótica no interior das células guarda
aumenta e a água _entra_ por _osmose_ , ficando as células _túrgidas_ . Como a parede celular na região oposta ao ostíolo é
mais _elástica_ do que na região do ostíolo, sofre uma maior _distensão_ , levando à _abertura_ do estoma. Quando o ião K+
sai das células guarda por _difusão_, a pressão osmótica diminui e a água segue-o por _osmose_. As células guarda ficam
_plasmolisadas_, cessa a _distensão_ das paredes, e o estoma _fecha_.
1- osmose 3- transporte activo 5- fecha 7- túrgidas 9- abertura
2- entra 4- plasmolisadas 6- fina 8- difusão 10- distensão

Grupo V
A figura representa esquematicamente diferentes tipos de superfícies respiratórias (A, B, C e D) em animais.

1- Estabeleça a correspondência entre as letras dos esquemas (A, B, C e D) e os números associados às seguintes superfícies
respiratórias.
1- Tegumento D 2- Brânquias C 3- Pulmões B 4- Traqueias A

2- Estabeleça a correspondência entre as letras (A, B, C e D) das superfícies respiratórias da figura e os números das seguintes
afirmações:
1- Evaginação da superfície corporal, densamente vascularizada. C
2- Invaginação da superfície corporal onde ocorre a difusão direta de gases. A
3- Difusão direta de gases pela superfície húmida do corpo. D
4- O mecanismo de contracorrente aumenta a eficácia das trocas gasosas. C
5- Difusão indireta de gases em superfícies invaginadas e muito vascularizadas. B
6- A sua eficiência aumenta se existir um sistema circulatório localizado superficialmente. D
7- Permitem maior independência em relação ao meio pois mantêm-se constantemente húmidas independentemente das
condições deste. B
8- Característica dos organismos unicelulares e dos multicelulares mais simples.
9- A comunicação com o exterior é feita através de espiráculos.

3- São características comuns a todas as superfícies respiratórias (transcreva a letra correspondente à opção incorreta):
A- Densa vascularização. C- Grande superfície de contacto com o meio externo.
B- Paredes finas D- Superfície húmida.

4- Complete as frases seguintes, estabelecendo a correspondência entre as letras e os números dos termos de baixo, de modo
a explicares as vantagens do mecanismo de contracorrente.

A contracorrente é um mecanismo pelo qual a _água_ e o _ sangue_ circulam em sentido _contrário_ nas _lamelas branquiais_
branquiais. Assim, à medida que o _sangue_ se torna mais _rico_ em oxigénio contacta com _água_ também cada vez mais
_rica_ em oxigénio. Mantém-se, assim, um gradiente _constante_ de pressão de _oxigénio_ entre o _sangue_ e a _água_. Isto
leva a que ocorra _difusão_ ao longo de todo o percurso, uma vez que as pressões de _oxigénio_ no _sangue_ e na _água_
nunca chegam a _igualar-se_, otimizando as trocas gasosas.

1- rico(a) 3- sangue 5- contrário 7- gradiente 9- difusão


2- oxigénio 4- água 6- lamelas 8- constante 10- igualar-se

A corrigir posteriormente – 5, 6 e 7
5- Compare as superfícies respiratórias da hidra e da minhoca, referindo em que são semelhantes e em que são diferentes.

6- Refira uma vantagem e uma desvantagem das trocas gasosas em meio aquático.

7- Indique o que permite aos anfíbios efetuar trocas gasosas com eficácia, apesar de possuírem pulmões pouco desenvolvidos
e com menor área superficial do que os dos restantes vertebrados terrestres.

A corrigir posteriormente Grupo VI - A Doença de Alzheimer é uma doença neurodegenerativa.


Desde a época das primeiras descrições dos casos de Doença de Alzheimer (DA), sabe-se que as primeiras alterações
microscópicas associadas à doença são os depósitos amilóides chamados - placas neuríticas, juntamente com anormalidades
denominadas emaranhados neurofibrilares. As placas neuríticas são alterações extracelulares com acumulação da proteína –
beta amilóide A4. Os emaranhados neurofibrilares desenvolvem-se dentro das células cerebrais.
Determinar a natureza desses achados anormais trouxe opiniões importantes sobre as possíveis causas da doença de
Alzheimer.
 A proteína beta amilóide, que é a proteína específica de amilóide na doença de Alzheimer, deriva de uma proteína
maior, denominada proteína precursora do amilóide (PPA). Muitos pesquisadores concluíram que o depósito de
proteína amilóide no cérebro é o evento-chave que leva ao desenvolvimento da doença de Alzheimer.
 Emaranhado neurofibrilar é uma expressão que descreve o aparecimento dentro dos neurónios de uma proteína
citoesquelética densa.
Estes dois mecanismos determinam a morte neuronal.
A análise bioquímica demonstra que a proteína-beta amilóide A4 das placas neuríticas são derivadas do precursor da
proteína amilóide (PPA). A PPA é uma proteína trans-membranar encontrada preferencialmente nas terminações nervosas. A
sua degradação anormal produz fragmentos peptídeos que se agregam formando a proteína insolúvel beta-amilóide A4.
Cientistas isolaram enzimas chamadas “secretases” que são fundamentais na génese da proteína beta-amilóde. Secretases são
formas de proteases.
A história familiar de doença de Alzheimer aumenta geralmente a probabilidade de a pessoa desenvolver a doença.

1. A formação da proteína beta-amilóide A4, resulta …


A. formação de ligações peptídicas numa proteína normal e tem diferente probabilidade de ocorrer em qualquer
indivíduo.
B. quebra de ligações peptídicas numa proteína normal e tem igual probabilidade de ocorrer em qualquer indivíduo.
C. formação de ligações peptídicas numa proteína normal e tem igual probabilidade de ocorrer em qualquer indivíduo.
D. quebra de ligações peptídicas numa proteína normal e tem diferente probabilidade de ocorrer em qualquer indivíduo.

2. A Doença de Alzheimer inicia-se por alterações _____ das células nervosas, que determinam uma _____ velocidade
na transmissão do influxo nervoso.
A. numéricas (…) maior
B. estruturais (…) maior
C. estruturais (…) menor
D. numéricas (…) menor

3. As placas neuríticas formadas _____ nervosas dos doentes de Alzheimer, afetam a transmissão _____ do influxo
nervoso.
A. nas sinapses (...) elétrica
B. no citoplasma das terminações (...) elétrica
C. nas sinapses (...) química
D. no citoplasma das terminações (...) química

4. Nos neurónios saudáveis a rápida transmissão elétrica do influxo nervoso ocorre por _____ em fibras _____.
A. despolarização (...) mielinizadas
B. repolarização (...) desmielinizadas
C. despolarização (...) desmielinizadas
D. repolarização (...) mielinizadas

5. Na membrana das células nervosas dos doentes de Alzheimer, a _____ PPA, sofre por ação das secretases _____,
formando fragmentos de menor peso molecular.
A. proteína extrínseca (...) quebra das ligações peptídicas
B. proteína extrínseca (...) quebra das ligações glicosídicas
C. proteína intrínseca (...) quebra das ligações peptídicas
D. proteína intrínseca (...) quebra das ligações glicosídicas

6. As doenças neurodegenerativas como a Doença de Alzheimer, tornam as pessoas confusas, afectam a memória e a
capacidade de elaborar raciocínios causando a condição conhecida por demência. Nem naturalmente nem por terapia é
possível a regeneração do tecido cerebral lesado. Explique porque razão as doenças neurodegenerativas que afetam os
indivíduos não são curáveis.

7. As afirmações seguintes são relativas à transmissão eléctrica do influxo nervoso. Ordene os acontecimentos de modo
a reconstituir a sequência correta do processo de transmissão do influxo nervoso, ao ser estimulado o neurónio, começando
pela letra A.
A. As membranas neuronais apresentam uma diferença de potencial de -70 mV.
B. As membranas despolarizadas apresentam um potencial de -35 mV.
C. Abertura dos canais iónicos do K+ e fecho dos canais de Na+.
D. Difusão de K+ para o meio extracelular.
E. Movimento dos iões Na+ a favor do gradiente de concentração.
F. Fosforilação da bomba de Na/K.
G. Libertação de três iões Na+ no meio extracelular.

8. A esclerose múltipla ou esclerose disseminada é uma doença neurológica crónica. A causa direta da esclerose múltipla
é a degeneração da camada isoladora lipídica de mielina que envolve os axónios neurais.
Esta doença causa, entre outros sintomas, fraqueza muscular e descoordenação motora. O doente sente dificuldade para
realizar vários movimentos com os braços e pernas, perde o equilíbrio quando fica em pé e sente dificuldade para andar.
Explique de que forma a degeneração da camada de mielina que envolve os axónios neurais pode conduzir à dificuldade para
realizar movimentos.

Grupo VII
Na maioria das plantas, o transporte de substâncias entre os vários órgãos faz-se através dos tecidos vasculares. Estes conduzem
até às células substâncias fundamentais, quer para a realização da fotossíntese, quer para o restante metabolismo celular. Das
substâncias em circulação, a água desempenha um papel preponderante no processo de distribuição, em consequência dos
movimentos que ocorrem por variação dos gradientes. Na realidade, 99% da água que circula é perdida por transpiração. Apenas
1% é utilizada pelas plantas na síntese de compostos orgânicos.
No sentido de testar o efeito de alguns fatores ambientais sobre a taxa de transpiração nas plantas, foi realizada uma experiência
laboratorial utilizando exemplares de uma espécie com o mesmo grau de desenvolvimento. As condições experimentais nos
diferentes ensaios são idênticas para todos os fatores, exceto para a humidade do ar, que varia entre valores muito baixos
(próximos da secura) e valores muito altos (próximos da saturação).

1. Para que ocorra a absorção de água numa planta, as células da zona cortical da raiz…
(A) mantêm a pressão osmótica mais baixa do que a da solução do solo.
(B) promovem a entrada de água na planta por difusão facilitada.
(C) promovem o transporte de água do meio hipertónico para o meio hipotónico.
(D) mantêm o gradiente de solutos gerado por transporte ativo.

2. Na experiência descrita, é de esperar que, nas plantas colocadas na atmosfera saturada de vapor de água, ocorra…
(A) a diminuição da turgescência das células da folha.
(B) o aumento da absorção de água ao nível da raiz.
(C) a diminuição da perda de água por transpiração.
(D) o aumento da velocidade de ascensão de água no xilema.

3. Selecione a única alternativa que contém os termos que preenchem, sequencialmente, os espaços seguintes, de modo a obter
uma afirmação correta.
Nos ensaios realizados, é previsível que se registe um aumento da _______ ao nível do xilema com _______ da humidade do ar,
provocando uma subida da coluna de água neste tecido.
(A) tensão ... o aumento (B) tensão ... a diminuição
(C) coesão ... a diminuição (D) coesão ... o aumento

4. As células vegetais são resistentes à lise, porque possuem uma _______ celular constituída, essencialmente, por um
polissacarídeo _______.
(A) parede ... estrutural. (B) membrana ... estrutural.
(C) parede ... de reserva. (D) membrana ... de reserva.

Grupo VIII - Laboratório de membranas


A fluidez das membranas – condição essencial à sua funcionalidade – é afetada pela temperatura e pela respetiva composição
química. Face a alterações do meio, as células regulam a composição lipídica da membrana plasmática, de forma que esta
mantenha uma fluidez constante.
Com vista a determinar a influência de fatores externos na fluidez da membrana, comparou-se esta propriedade na membrana
das plaquetas de sete pacientes dependentes de álcool com um grupo de controlo composto pelo mesmo número de indivíduos.
A fluidez das membranas foi determinada, recorrendo-se à anisotropia fluorescente: quanto mais altos forem os seus valores,
menos fluida é a membrana. Para cada grupo, foram efetuadas duas determinações da fluidez, no 1.º e no 14.º dias do estudo.
A seguir à 1.ª determinação, os pacientes dependentes de álcool foram privados do seu consumo. Os resultados obtidos
encontram-se registados no gráfico da figura. Durante a discussão dos resultados, o autor deste estudo colocou várias reservas
relativamente à possibilidade de generalizar as conclusões.
Variação da fluidez das membranas das plaquetas ao longo da experiência

1.Na seleção dos indivíduos do grupo que serviu de controlo, procurou-se que estes...
(A) ... apresentassem diferentes graus de dependência do álcool.
(B) ... constituíssem uma amostra aleatória da população.
(C) ... apresentassem a mesma distribuição de idade e de sexo que o grupo de pacientes.
(D) ... fossem medicados com substâncias que afetam a fluidez da membrana.

2. De acordo com os dados do gráfico, ocorreu um aumento da fluidez da membrana _____. Em consequência, no fim do estudo,
as membranas das plaquetas do grupo que serviu de controlo encontravam-se _____ fluidas que as dos pacientes dependentes
de álcool.
(A) no grupo que serviu de controlo […] menos (B) nos pacientes dependentes de álcool […] mais
(C) no grupo que serviu de controlo […] mais (D) nos pacientes dependentes de álcool […] menos

3. Colocaram-se reservas relativamente à possibilidade de generalizar as conclusões deste estudo dado que...
(A) ... se aplicou a mesma técnica de medição da fluidez da membrana nos dois grupos.
(B) ... se selecionou um reduzido número de indivíduos para qualquer dos grupos.
(C) ... se determinou a fluidez da membrana, nos dois grupos, nos mesmos dias.
(D) ... se privou do consumo de álcool, no mesmo dia, todos os pacientes dependentes de álcool.

4. Faça corresponder a cada uma das letras (de A a E), que identificam afirmações relativas ao movimento de materiais através
de membranas, o número (de I a VIII) da chave que assinala o tipo de transporte respetivo.

Afirmações
A – O movimento de solutos através de proteínas membranares efetua-se a favor do seu gradiente de concentração. II
B – Consiste no movimento da água de um meio hipotónico para um meio hipertónico. VIII
C – A velocidade do movimento de solutos é diretamente proporcional ao gradiente de concentrações, independentemente do
seu valor. III
D – O movimento de materiais através de proteínas transportadoras efetua-se à custa de energia metabólica. V
E – É o processo pelo qual material intracelular, envolvido numa membrana, é libertado para o meio externo. VII

Chave
I – Fagocitose
II – Difusão facilitada
III – Difusão simples
IV – Endocitose
V – Transporte ativo
VI – Pinocitose
VII – Exocitose
VIII – Osmose

5. As integrinas são proteínas recetoras que integram a membrana plasmática. A presença de integrinas na membrana dos
leucócitos humanos permite-lhes alterarem a sua forma e atravessarem os poros dos capilares sanguíneos.
Explique de que modo a ocorrência de uma mutação num dos genes que contém a informação para a síntese de uma integrina
pode conduzir a um aumento da taxa de proliferação de microrganismos patogénicos no organismo.
A alteração da sequência de nucleótidos num dos genes codificadores da integrina pode ter como consequência a síntese de
uma proteína não funcional;
Os leucócitos cujas membranas apresentam integrinas não funcionais não podem atuar ao nível dos tecidos infetados.
Grupo IX
Analise com atenção os seguintes documentos.

1 As afirmações seguintes dizem respeito ao fabrico do vinho.


1. As leveduras são seres capazes de realizar a fermentação alcoólica.
2. As uvas devem ser bem lavadas antes de se fabricar o vinho.
3. As leveduras utilizam a glucose das uvas para obter a sua energia.

(A) 1 e 3 são verdadeiras; 2 é falsa.


(B) 3 é verdadeira; 1 e 2 são falsas.
(C) 2 é verdadeira; 1 e 3 são falsas.
(D) 1 e 2 são verdadeiras; 3 é falsa.

2 Na produção de iogurte o facto de o pH da mistura se tornar ácido revela …


(A) … a produção de álcool na fermentação láctica.
(B) … que existem microrganismos no leite.
(C) … a formação de ácido láctico na fermentação láctica.
(D) … a produção de duas moléculas de ATP na fermentação láctica.

3 Relativamente ao processo de obtenção de energia pelas células é correto afirmar que …


(A) … a degradação de glúcidos para obtenção de energia é um processo exclusivo das células procarióticas.
(B) … os seres anaeróbios facultativos não realizam a respiração aeróbia.
(C) … a fermentação alcoólica é mais rendível, em termos energéticos, do que a láctica.
(D) … um dos produtos da respiração aeróbia é o dióxido de carbono.

4 O isolamento das cubas em relação ao ar é uma condição necessária para a produção de etanol a partir de sumo de uva
usando leveduras.
Explique de que modo um teor anormalmente elevado de dióxido de carbono no interior de uma cuba pode indiciar um mau
isolamento da mesma em relação ao ar atmosférico.
As leveduras são seres anaeróbios facultativos, i.e., realizam a respiração aeróbio na presença de O 2 e a fermentação na
ausência;
Na fermentação alcoólica, a descaboxilação da glicose é parcial, enquanto na resp. aeróbia é completa;
Um teor anormalmente elevado de dióxido de carbono no interior de uma cuba indica a ocorrência de resp. aeróbia, logo a
presença de O2 por mau isolamento da cuba.

Grupo X - Recifes de Coral e «Branqueamento


Os recifes de coral, em todo o mundo, têm vindo a constituir-se como laboratórios naturais no estudo da dinâmica dos
ecossistemas quando sujeitos a alterações.
Uma associação extremamente importante para os recifes é a simbiose que ocorre entre as espécies de corais e as algas
unicelulares conhecidas como zooxantelas, o que acontece em condições ambientais estáveis. Estas algas vivem no interior
dos tecidos dos corais construtores dos recifes, libertando para os corais compostos orgânicos nutritivos e oxigénio (O2).
Também estão envolvidas na secreção do cálcio que os corais captam ativamente da água, contribuindo para a calcificação dos
exoesqueletos carbonatados das espécies de corais construtoras de recifes. Por sua vez, as zooxantelas sobrevivem e crescem
utilizando os produtos formados no metabolismo do coral, como dióxido de carbono (CO2), compostos azotados e fósforo.
Nos últimos trinta anos, tem-se verificado um branqueamento dos corais, resultante da redução acentuada de zooxantelas ou
da redução da concentração dos pigmentos fotossintéticos nos cloroplastos das mesmas, ficando exposta a coloração branca
dos exoesqueletos carbonatados dos corais. Várias hipóteses, todas baseadas no aumento da temperatura da água do mar,
têm sido
avançadas para explicar o processo celular de branqueamento. Temperaturas elevadas da água do mar parecem afetar os
processos celulares que conferem às zooxantelas proteção contra a toxicidade do oxigénio. Por outro lado, a fotossíntese
aumenta a temperaturas da água superiores a 30 ºC.
Em 2000 e em 2002, os recifes das ilhas Fiji suportaram fortes aumentos da temperatura da água, o que provocou um
branqueamento generalizado, embora tenham sido encontradas diferenças de local para local. Verificou-se que algumas
espécies de corais são mais resistentes do que outras, já que suportam, sem sofrer branqueamento, temperaturas elevadas
da água do mar durante mais tempo. Como consequência do branqueamento, os corais tornam-se quebradiços e acabam por
morrer, o que conduz à desestruturação dos recifes.

1. As zooxantelas pertencem, segundo a classificação de Whittaker modificada, ao Reino


(A) Plantae. (B) Fungi. (C) Monera. (D) Protista.

2. Num recife de coral, a associação entre corais e algas estabelece-se porque


(A) os corais sofrem mutações genéticas. (B) as condições de sobrevivência e de reprodução melhoram.
(C) os corais e as algas são filogeneticamente próximos. (D) as condições ambientais a que estão sujeitos são pouco estáveis.

3. Os corais, quanto à fonte de carbono, e as zooxantelas, quanto ao modo de obtenção de energia, classificam-se,
respetivamente, como seres
(A) autotróficos e quimiossintéticos. (B) heterotróficos e fotossintéticos.
(C) quimiossintéticos e autotróficos. (D) fotossintéticos e heterotróficos.

4. A exposição dos corais a uma temperatura de água superior a 30 ºC provoca um branqueamento generalizado e uma alta
mortalidade, porque
(A) as algas aumentam a taxa respiratória, o que diminui a disponibilidade de O2 para os corais.
(B) os corais aumentam a taxa metabólica, produzindo grandes quantidades de CO2.
(C) as algas sofrem com o efeito tóxico resultante do incremento da taxa fotossintética.
(D) os corais expulsam as algas consumidoras de grandes quantidades de CO2.

5. Os corais obtêm energia através da


(A) oxidação de compostos orgânicos nas mitocôndrias.
(B) oxidação de compostos orgânicos nos ribossomas.
(C) redução de compostos orgânicos nas mitocôndrias.
(D) redução de compostos orgânicos nos ribossomas.

6. No processo de produção de compostos orgânicos pela alga, a fixação do CO2 ocorre


(A) no cloroplasto, na fase dependente diretamente da luz.
(B) no cloroplasto, na fase não dependente diretamente da luz.
(C) na mitocôndria, na fase dependente diretamente da luz.
(D) na mitocôndria, na fase não dependente diretamente da luz.

7. Nos recifes de corais, a maior parte do CO2 disponível na água encontra-se sob a forma de iões bicarbonato (HCO3–).
Ordene as letras de A a E, de modo a reconstituir a sequência cronológica dos acontecimentos responsáveis pela formação do
exoesqueleto dos corais construtores de recifes.
Escreva, na folha de respostas, apenas a sequência de letras.
A. Os corais que possuem algas simbiontes captam ativamente iões cálcio (Ca2+) da água.
B. Forma-se o hidrogenocarbonato de cálcio (Ca (HCO3)2).
C. O carbonato de cálcio (CaCO3) é incorporado no exoesqueleto dos corais.
D. Os iões cálcio (Ca2+) reagem com os iões bicarbonato (HCO3–).
E. Precipita-se o carbonato de cálcio (CaCO3) e forma-se ácido carbónico (H2CO3).
A, D, B, E, C

8. Explique de que forma o aquecimento global pode afetar o desenvolvimento de corais.


• referência à variabilidade na população ancestral de corais;
• relação da variabilidade com as mutações e com a recombinação genética;
• relação entre as alterações ambientais / aquecimento das águas e a seleção natural / seleção diferencial / reprodução
diferencial de corais portadores de genes que conferem resistência ao branqueamento.
OU
• referência à variabilidade de algas existentes na população ancestral de corais;
• relação da variabilidade com as mutações e com a recombinação genética;
• relação entre as alterações ambientais / aquecimento das águas e a seleção natural / seleção diferencial / reprodução
diferencial de corais associados a algas portadoras de genes que conferem resistência ao branqueamento.

Grupo XI - Guppies do Rio Aripo


Durante muitos anos, David Reznick e John Endler, cientistas da Universidade da Califórnia, estudaram as diferenças entre duas
populações de peixes guppies, Poecilia reticulata, que vivem no rio Aripo, em Trindade e Tobago, em dois pequenos lagos
separados um do outro por uma cascata que impede a migração dos peixes.
As diferenças encontradas entre as duas populações são essencialmente a idade média e o tamanho com que os peixes atingem
a maturidade sexual e iniciam a reprodução.
Os principais predadores destes peixes são o killifish (predador K), que consome predominantemente guppies de tamanho
pequeno e juvenis, e o pike-cichlid (predador P), que consome principalmente guppies de tamanho grande e adultos.
Os guppies que vivem em lagos onde existem predadores P tendem a ser mais pequenos, a atingir o estado adulto mais cedo
e a produzir mais ovos de cada vez, ou seja, a reproduzirem-se de modo a que não atinjam o tamanho com que são
preferencialmente consumidos, uma vez que os machos param de crescer quando atingem a maturidade sexual.
Contrariamente, os guppies que vivem em lagos onde existem predadores K têm tendência para atingir rapidamente um
tamanho que ultrapasse o que é preferido pelos predadores.
Os cientistas colocaram duas hipóteses para explicar as diferenças entre as duas populações de guppies:

Hipótese 1: As variações existentes entre as duas populações são devidas a diferenças no ambiente físico.

Hipótese 2: As variações existentes entre as duas populações são devidas à existência de predadores com preferências
alimentares diferentes.

Para testarem as suas hipóteses, os cientistas efetuaram duas experiências, que se encontram registadas nos quadros
seguintes:
1. A análise dos resultados da experiência 1 e da experiência 2 permite concluir que as diferenças existentes entre os guppies
das duas lagoas, no seu ambiente natural, resultam de uma adaptação
(A) individual às condições físico-químicas do ambiente. (B) da população ao tipo de predador.
(C) individual ao tipo de predador. (D) da população às condições físico-químicas do ambiente.

2. Na experiência 2, nas populações transferidas para locais com predadores K, os guppies com maior vantagem evolutiva são
os que apresentam
(A) maturação sexual mais tardia. (B) menor peso na maturidade sexual.
(C) maior produção de ovos. (D) fêmeas de menor tamanho.

3. Na experiência 2, o grupo de controlo é constituído por populações de


(A) predadores K que se encontram em contacto com guppies de tamanho menor.
(B) predadores P que se encontram em contacto com guppies de tamanho menor.
(C) guppies de tamanho mais pequeno, em contacto com predadores K.
(D) guppies de tamanho mais pequeno, em contacto com predadores P.

4. Quanto ao sistema circulatório, os guppies apresentam circulação


(A) simples, circulando sangue arterial no coração.
(B) simples, circulando sangue venoso no coração.
(C) dupla, com mistura parcial de sangue venoso e de sangue arterial no coração.
(D) dupla, sem mistura de sangue venoso e de sangue arterial no coração.

5. As trocas gasosas entre o organismo dos guppies e o meio ocorrem por


(A) difusão directa, através de superfícies humedecidas. (B) difusão indirecta, através da superfície corporal.
(C) difusão directa, através de superfícies não vascularizadas. (D) difusão indirecta, através de superfícies muito
vascularizadas.

6. No processo de osmorregulação, ao nível das brânquias e dos rins, respetivamente, os guppies


(A) absorvem água por osmose e produzem urina concentrada. (C) absorvem água por osmose e produzem urina diluída.
(B) eliminam água por osmose e produzem urina concentrada. (D) eliminam água por osmose e produzem urina diluída.

8. Explique de que modo os resultados obtidos na experiência 1 rejeitam ou apoiam a hipótese 1.


• referência às condições ambientais em que os grupos/as populações de guppies experimentais foram colocados(as);
• relação entre os resultados obtidos e a rejeição da hipótese 1.

Grupo XII - Produção Industrial de Citrato


O citrato ou ácido cítrico é usado pela indústria farmacêutica e pela indústria de alimentos e de bebidas. Desta forma, há um
crescente interesse pela procura de soluções para a sua produção em larga escala, a partir de microrganismos.
Para que a extração de citrato seja comercialmente viável, foram estudadas as condições ideais de vários fatores que devem
ser levados em consideração neste processo, como, por exemplo, os constituintes do meio de cultura, o pH, a temperatura e
o microrganismo utilizado. Foi também tido em consideração o facto de, em condições favoráveis, o fungo utilizado se
reproduzir, predominantemente, por esporulação.
O citrato é um composto intermédio do ciclo de Krebs, sintetizado na mitocôndria. Quando a produção de energia nas células
é elevada, o fungo Aspergillus niger é capaz de acumular o citrato, possibilitando a sua extração.
Com o objetivo de otimizar a produção de citrato em Aspergillus niger, foi estudada a influência da fonte de carbono nessa
produção, nomeadamente, o tipo e a concentração dos glícidos. Para o efeito foi realizado o seguinte estudo experimental:
Adicionaram-se ao meio de cultura (polpa de citrinos seca – PC) glícidos comerciais como fonte de carbono: glucose (60, 120 e
240 g/L) e sacarose (54, 108 e 216 g/L). A mobilização dos substratos pelo Aspergillus niger decorreu durante 4 dias a 30 ºC,
pH 5,5 e humidade inicial de 65%, com adição de solução salina e de metanol a 4%.
O fungo possui a capacidade de hidrolisar a sacarose em moléculas de glucose e de frutose, por ação da enzima invertase
extracelular (sacarase).
A Tabela 1 traduz a variação da produção de citrato pelo Aspergillus niger, em meio de cultura, com adição de diferentes fontes
de carbono comerciais.

1. O citrato é produzido pelo fungo Aspergillus niger, através de uma via de reações
(A) anabólicas, que ocorrem, sequencialmente, no citoplasma e na mitocôndria.
(B) catabólicas, que ocorrem, sequencialmente, no citoplasma e na mitocôndria.
(C) anabólicas, que ocorrem, sequencialmente, nos ribossomas e na mitocôndria.
(D) catabólicas, que ocorrem, sequencialmente, nos ribossomas e na mitocôndria.

2. Uma das variáveis em estudo, na situação experimental descrita, é


(A) a temperatura. (B) o pH.
(C) a concentração de glícidos. (D) a adição de metanol a 4%.

3. No ensaio 7, que serviu de controlo ao estudo experimental, utilizou-se meio de cultura


(A) com adição de glucose e com adição de sacarose. (B) com adição de glucose e sem adição de sacarose.
(C) sem adição de glucose e com adição de sacarose. (D) sem adição de glucose e sem adição de sacarose.

4. De acordo com os resultados obtidos, a produção de citrato


(A) diminui quando se utiliza glucose a partir de determinada concentração.
(B) é maior quando se utilizam concentrações de glucose superiores às de sacarose.
(C) aumenta acima de 50% sempre que se duplica a concentração de sacarose.
(D) é diretamente proporcional ao aumento de concentração de glucose.

5. Os fungos alimentam-se por


(A) ingestão, sendo a digestão intracelular. (B) absorção, sendo a digestão intracorporal.
(C) ingestão, sendo a digestão extracelular. (D) absorção, sendo a digestão extracorporal.

6. Na década de 50 do século XX, foi possível conhecer a biossíntese do citrato a partir da glucose.
Ordene as letras de A a E, de modo a reconstituir a sequência cronológica dos acontecimentos que permitem a obtenção de
citrato produzido por Aspergillus niger. Escreva, na folha de respostas, apenas a sequência de letras.
A. Produção de citrato na mitocôndria. B. Oxidação da glucose originando piruvato.
C. Hidrólise da sacarose pela invertase extracelular. D. Extração de citrato. E. Acumulação do citrato no ciclo de Krebs.
C, B, A, E, D
7. Explique os resultados obtidos na experiência tendo em conta o procedimento realizado.
• relação entre a indução de mutações no DNA dos esporos pela exposição à radiação UV e a eventual maior capacidade de
produção de citrato pelos fungos;
• relação entre a reprodução assexuada do fungo e a manutenção, ao longo das gerações, da característica adquirida.
OU
• relação entre a reprodução assexuada do fungo e a obtenção rápida de elevado número de descendentes.

Grupo XIII
Os corais são animais cujo corpo é constituído por uma parte mole (o pólipo) e por uma parte dura (o exosqueleto). Nas células
periféricas do pólipo vivem associadas algas unicelulares (xantelas).
No sentido de compreender as relações metabólicas entre as algas e o pólipo, foi desenvolvida a investigação seguinte.
Ensaio 1: Colocaram-se algas com metabolismo semelhante ao das xantelas num meio de cultura, em condições controladas
de temperatura, alternadamente na obscuridade e à luz. Inicialmente, o meio de cultura esteve desprovido de CO2. Ao fim de
alguns minutos, adicionou-se ao meio de cultura uma gota de uma solução enriquecida com CO2.
A variação da concentração de O2 ao longo do tempo encontra-se registada no Gráfico 1.
Ensaio 2: Prepararam-se as seguintes culturas:
Cultura 1 – algas isoladas em água do mar filtrada e enriquecida com CO2 radioativo;
Cultura 2 – pólipos associados às algas em água do mar filtrada e enriquecida com CO2 radioativo;
Cultura 3 – pólipos desprovidos de algas em água do mar filtrada e enriquecida com CO2 radioativo.
Registou-se a emissão de radioatividade em moléculas orgânicas, nas algas e nas células dos pólipos, ao longo do tempo, em
condições de obscuridade e de luminosidade. Os resultados encontram-se expressos na Tabela 1.

1. No ensaio 1, as variações registadas dependem


(A) exclusivamente do O2. (B) exclusivamente do CO2. (C) da luminosidade e do CO2. (D) da luminosidade e do O2.

2. De acordo com os dados do Gráfico 1, a velocidade da fotossíntese é superior à velocidade da respiração


no período compreendido entre
(A) C e D. (B) D e E. (C) A e B. (D) B e C.

3. Indique as culturas utilizadas como controlo no ensaio 2.


Cultura 1 e Cultura 3

4. Quando a luz incide nos tecidos clorofilinos, ocorre a _______ da água e a imediata _______.
(A) redução … fixação de CO2 (B) redução … libertação de O2 (C) oxidação … fixação de CO2 (D) oxidação … libertação de
O2

5. Quando algas unicelulares de água salgada são colocadas em meio hipotónico, a _______ de água leva
a _______ da pressão de turgescência.
(A) entrada … um aumento (B) entrada … uma diminuição (C) saída … um aumento (D) saída … uma diminuição

6. Explique, tendo em conta o fator tempo, os resultados obtidos no que respeita à deteção de radioatividade nas algas da
cultura 1 e nos pólipos da cultura 2.
•  referência ao facto de nas algas do meio 1, a radioatividade ser detetada mais cedo do quenos pólipos da cultura 2;
•  referência à produção de compostos orgânicos radioativos pelas algas, durante a fotossíntese (ou resultante da fixação de
CO2 radioativo);
•  relação entre a transferência da matéria orgânica produzida pelas algas para os pólipos (ou o consumo da matéria orgânica
pelos pólipos) e o aparecimento da radioatividade nos pólipos.
FIM