Você está na página 1de 10

Os ácidos nucleicos - DNA e RNA

AULA 4 O teste de DNA é uma das formas mais comuns de identificar a paternidade.
É impressionante que em cada uma das células do próprio corpo (cerca de
10 trilhões de diferentes tipos) há um conjunto virtualmente idêntico de 6
bilhões de letras químicas com características que podem identificar pai e
filho.

Mas afinal, o que são os ácidos nucleicos?


DNA. A sigla é uma abreviação, em língua inglesa, da substância ácido desoxirribonucleico
(desoxyribonucleic acid). Trata-se de uma molécula com estrutura em forma de escada de pintor
torcida, conhecida como “dupla hélice”, que se tornou um ícone popular que representa a “essência”
ou a autenticidade de uma pessoa ou de um produto. As fitas de DNA estão localizadas no núcleo
das células e contêm os códigos para determinar todas as características genéticas dos indivíduos
como cor dos olhos, dos cabelos, da pele etc. RNA é a sigla do ácido ribonucleico, responsável pelo
transporte e tradução dos códigos genéticos na síntese de proteínas.

A descoberta do DNA

A estrutura molecular do DNA foi descoberta por James Watson e Francis Crick, entre outros,
que a apresentaram numa publicação da revista Nature, em 25/04/1953 e foram merecedores do
prêmio Nobel de Ciência.
A partir daí, as pesquisas atingiram um grande nível de desenvolvimento, possibilitando o co-
nhecimento dos genes e o esclarecimento de muitas doenças. Surgiram novas áreas de estudo,
destacando-se a Engenharia Genética ou Biotecnologia. Algumas empresas já aplicam a genética
para criar novos alimentos industrializados e avançar no mercado.

O Estado de S.Paulo. 22/01/2012.


Texto adaptado.

Biologia 1 - Aula 4 33 Instituto Universal Brasileiro


Estrutura do DNA
O DNA está presente e define
todos os seres vivos As fitas são constituídas pela sequência
de moléculas de fosfato e açúcar (uma pen-
É importante que você conheça inicial- tose, a desoxirribose), ligadas de modo inter-
mente a estrutura do DNA para compreender o calado: fosfato-açúcar-fosfato-açúcar..., sem
seu papel na hereditariedade e na síntese das haver modificação.
moléculas essenciais à vida: as proteínas.
Fosfato: íon ou radical formado por
Onde o DNA está presente? um átomo de fósforo (P) e quatro átomos
de oxigênio (O), sendo representado pela
O DNA é encontrado:
fórmula -PO4. Os fosfatos pertencem ao
grupo dos sais.
• Dentro do núcleo das células animais
e vegetais, formando os cromossomos.
Pentose: açúcar cuja molécula é for-
• Imerso no citoplasma das células de
mada por 5 (penta) átomos de carbono.
microrganismos.
• Dentro da cápsula dos vírus, constituin-
do o único material genético dessas partículas. A cada molécula de açúcar liga-se uma base
nitrogenada, formando o “degrau” da escada.
Do ponto de vista químico, o DNA é uma
molécula longa, e sua estrutura pode ser com- A T
parada a duas fitas entrelaçadas ou a uma es-
cada torcida e feita de cordas. C G

Conheça a estrutura do DNA T A

Açúcar
desoxirribose Grupo
fosfato

C G

T A

G C

O DNA é formado por dupla fita e as bases


se ligam por pontes de hidrogênio. Nas fitas, a
sequência é sempre igual. O que varia é a se-
quência das bases, diversificando os degraus.

São 4 as bases nitrogenadas, desig-


nadas por letras:

TIMINA T A ADENINA

GUANINA G C CITOSINA

Biologia 1 - Aula 4 34 Instituto Universal Brasileiro


Determinação de paternidade
ou maternidade

Muita gente conhecida no mundo


As fitas são complementares e obe- esportivo e artístico reconhece a pater-
decem sempre a ordem: se numa fita a nidade de um filho que não conhecia.
base é a adenina, na outra, a base é a timi- Os testes são feitos pela análise do DNA
na (a adenina se liga à timina). Se de um encontrado nas amostras de sangue
lado é citosina, do outro a base é a gua- dos supostos pai e filho. Mas a análise
nina (citosina sempre se liga à guanina). também pode ser feita por meio de ou-
A combinação de bases é sempre igual: tros tipos de materiais biológicos como
A – T e C – G; ou: T – A e G – C. saliva ou fio de cabelo. O teste baseia-
-se na comparação entre os genes que
compõem o DNA (a imagem é como um
Nucleotídeo código de barras que vem impresso em
De um lado ou de outro da molécula de todos os produtos de supermercado). O
DNA pode haver um número muito grande de grau de coincidência deve ser total. Se
sequências diferentes. São essas sequências todos os genes coincidirem, pode-se
que diferenciam os genes. Cada trecho da afirmar que o suposto pai é verdadeiro,
fita formado por um fosfato, um açúcar e uma com 99,99% de certeza.
base constitui um nucleotídeo.
Para conhecer o próprio DNA,
NUCLEOTÍDEO tudo que a pessoa precisa fazer é
Fosfato Pentose Base nitrogenada cuspir dentro de um tubo e esperar
dois meses.

Revista Exame- 4/6/2008

Veja como é feita a leitura do código


A molécula de DNA é longa, formada por
genético no laboratório
muitos nucleotídeos, por isso é uma cadeia
de polinucleotídeos. Cada 3 nucleotídeos (3
bases) constituem um códon (código), que é
o gene. GGGC C TGC AGGA T T GC C T
G

A
Crick escreveu para seu filho Michael: “É
como um código. Se for dado a você um con-
junto de letras, você poderá escrever as outras.
Agora acreditamos que o DNA é um código. O DNA define cada espécie de ser vivo
Isto é, a ordem das bases (as letras) torna um
gene diferente de outro gene (assim como uma Cada espécie de ser vivo tem uma de-
página impressa é diferente de outra)”. terminada sequência de bases nitrogenadas,
que caracterizam todos os indivíduos da espé-
LEITE, Marcelo. O DNA. Folha Explica.
São Paulo: Publifolha, 2003. cie. A sequência de, no mínimo, três bases
. constitui um gene, e o conjunto de genes é
Biologia 1 - Aula 4 35 Instituto Universal Brasileiro
que determina a formação das proteínas (en- Propriedades do DNA
zimas) específicas.
Compreenda como aproveitamos as O DNA apresenta duas propriedades:
proteínas na nossa alimentação. As proteínas
são alimentos indispensáveis à manutenção 1 - Autoduplicação (ou replicação) - o
do organismo. Os seres humanos consomem DNA faz a cópia da própria molécula. Ocorre
proteínas de origem animal e vegetal na ali- toda vez que uma célula se divide.
mentação: carnes, peixes, feijões, soja etc. 2 - Transcrição - é a síntese do RNA,
Cada espécie desses animais e vegetais tem processo em que o DNA transcreve, copia a
o seu DNA, que produz as suas próprias pro- mensagem, criando uma molécula de RNA
teínas. O nosso DNA é diferente, nossos ge- que funciona como mensageiro (RNAm), le-
nes são outros. vando para o citoplasma da célula o código
Para aproveitar as proteínas que in- genético (sequência das bases) para que os
gerimos (que são diferentes das nossas), aminoácidos sejam reconhecidos e colocados
é necessário que aquelas moléculas sejam na ordem para formar as nossas proteínas.
quebradas e reduzidas a moléculas meno-
res, os aminoácidos. Isso ocorre durante 1 - Autoduplicação
a digestão. No intestino, os aminoácidos
passam para o sangue e são distribuídos Inicialmente, as duas metades da molé-
a todas as células. O nosso DNA envia a cula do DNA separam-se, como se fosse um
mensagem composta pela sequência dos zíper se abrindo. Nesse processo, ocorre a
nossos genes, e os aminoácidos se ligam quebra das ligações químicas entre as bases
na ordem das proteínas (enzimas) dos se- (ligações por pontes de hidrogênio), pela ação
res humanos e não do feijão ou da carne de uma enzima, a DNA polimerase. Entenda
de boi. melhor, observando a figura abaixo:

Segmento da molécula de DNA

Proteínas são grandes moléculas



formadas por unidades menores, os ami-
noácidos. Na natureza existem 20 ami-
noácidos, que compõem as proteínas de ►
todos os seres vivos. O que diferencia as
s
diversas proteínas é a ordem dos amino- s
p
A s
T
ácidos na molécula, e essa ordem é de- s
p
T
G
C s
p

terminada pelo DNA de cada um. s


p C A p
G G s
T
C p
p A A s
s
p T p

Nucleotídeos do DNA, soltos na célula,


Somente os vegetais produzem
ligam-se aos nucleotídeos das duas metades
suas próprias proteínas. Os animais
separadas. Esta ligação ocorre entre bases
transformam as proteínas ingeridas e
complementares: A com T e C com G. Vão
sintetizam as suas, por ordem de seu
se formando “fitas” novas a partir das “fitas”
DNA.
antigas da molécula do DNA.
Biologia 1 - Aula 4 36 Instituto Universal Brasileiro
• O açúcar presente é a ribose.
Lembre-se de que cada nucleotídeo é • As bases presentes são as mesmas
formado por um fosfato, um açúcar e uma do DNA, exceto a timina. No lugar da timina,
base nitrogenada. Cada três nucleotídeos existe a uracila. As ligações ficam então: ade-
(no mínimo) constituem um gene. nina com uracila e citosina com guanina.

Entenda como ocorre a transcrição

Inicialmente, as duas “fitas” da molécu-


la do DNA separam-se, do mesmo modo que
acontece para a duplicação. A transcrição só
ocorre com a participação da enzima RNA po-
limerase. Nucleotídeos de RNA soltos na célu-
la ligam-se somente a uma das fitas do DNA.

A ligação acontece entre bases com-


Fita antiga ► ► Fita nova plementares:
Fita nova ► ► Fita antiga • A guanina do DNA liga-se à citosina
do RNA.
• A adenina do DNA liga-se à uracila do
RNA.
Observação: A
pequena seta no de-
senho ao lado indica
um nucleotídeo livre,
aproximando-se para
ligar-se.

s
p s p
s
A
G s p

p T
s T p s C s
p T p
s C s A s
p G s
s G p C G p s
p C p p
T s G
A p s C p
s U s
A T p
T A s s
p
s p
p s p s p
s
A T s
p p
s p
s
p
s p

U s p

Bases
2 - Transcrição (ou síntese de RNA)
complementares
Através da transcrição, o DNA orienta a DNA RNA
produção ou síntese de RNAm.
A Uracila U

RNA G C
O RNA (ácido ribonucleico) é o respon-
T Timina A
sável pela síntese de proteínas e apresenta
as seguintes diferenças em relação ao DNA: C G
• Sua molécula é formada por uma úni-
ca fita de nucleotídeos.
Biologia 1 - Aula 4 37 Instituto Universal Brasileiro
O RNA formado sai do núcleo e vai para Na natureza existem 20 tipos diferen-
o citoplasma levando o código, a ordem do tes de aminoácidos para formar as proteí-
DNA para a produção das proteínas. Este nas de todos os seres vivos. Cada espécie
RNA é chamado de RNA mensageiro, cuja de ser vivo tem as suas combinações entre
abreviação é RNAm. Veja um exemplo: as bases, formando seus códigos (genes).
Para entender melhor a necessidade
Um pedaço de um DNA tem a seguinte
de um código, podemos comparar a men-
sequência de bases:
sagem química do DNA com uma mensa-
AAT GCA TAG gem escrita na Língua Portuguesa. Nosso
alfabeto tem 26 letras, que são os símbolos
Na transcrição, a sequência no RNA for- usados numa mensagem. Fazendo várias
mado será: combinações entre as letras, formamos as
palavras, cada uma delas com um sentido.
UUA CGU AUC As palavras se juntam, formando frases e
assim por diante.
Essa será a mensagem levada pelo No código genético, usando 3 bases
RNAm. No citoplasma, outro tipo de RNA, o RNA e mudando a ordem em que aparecem, ob-
transportador, vai “traduzir” a mensagem e en-
têm-se 64 combinações possíveis, que são
caminhá-la a estruturas chamadas ribossomos,
responsáveis pela leitura do código genético.
mais do que suficientes para indicar os 20
Cada grupo de três bases no RNAm é aa (aminoácidos) existentes.
chamado de códon. Cada códon corresponde Acompanhe na Tabela como são obti-
a um aminoácido específico, presente no cito- das as 64 combinações, a partir de somen-
plasma da célula, proveniente das diferentes te 3 bases. Conforme a combinação, a cada
proteínas ingeridas na alimentação. trio de bases corresponde um tipo de amino-
ácido (nome dentro dos parênteses).
Tipos de RNA
1ª base
2ª base
• Mensageiro (RNAm) – leva a mensa- 3ª base
gem (código) do DNA para o citoplasma. A AAA (Fenilalanina)
• Transportador (RNAt) – traduz a men- T AAT (Leucina)
A
sagem (sequência de bases). G AAG (Fenilalanina)
• Ribossômico (RNAr) – forma a molé- C AAC (Leucina)
cula da proteína, colocando na ordem os ami-
noácidos específicos. A ATA (Tirosina)
T ATT (sem significado)
Todos participam das duas etapas da T
G ATG (Tirosina)
síntese de proteínas: a transcrição, que ocor- C ATC (sem significado)
re no núcleo, e a tradução, que acontece no
A
citoplasma da célula.
A AGA (Serina)
O código genético é o mesmo em T AGT (Serina)
G
todos os seres vivos. Por isso, ele é dito G AGG (Serina)
universal. Isto quer dizer que em todos os C AGC (Serina)
seres vivos o código funciona com as mes-
mas bases, formam os mesmos códons,
A ACA (Cisteína)
correspondentes aos respectivos aminoá-
T ACT (sem significado)
cidos. O que varia entre as espécies de se- C
G ACG (Cisteína)
res vivos é a sequência dos códons que,
C ACC (Triptofano)
sendo diferente, controla a produção de
diferentes proteínas.

Biologia 1 - Aula 4 38 Instituto Universal Brasileiro


A TAA (Isoleucina) A CAA (Valina)
T TAT (Isoleucina) T CAT (Valina)
A A
G TAG (Isoleucina) G CAG (Valina)
C TAC (Metionina) C CAC (Valina)

A TTA (Aspargina) A CTA (Aspargina)


T TTT (Lisina) T CTT (Glutamina)
T T
G TTG (Aspargina) G CTG (Aspargina)
C TTC (Lisina) C CTC (Glutamina)
T C
A TGA (Treonina) A CGA (Alanina)
T TGT (Treonina) T CGT (Alanina)
G G
G TGG (Treonina) G CGG (Alanina)
C TGC (Treonina) C CGC (Alanina)

A TCA (Serina) A CCA (Glicina)


T TCT (Arginina) T CCT (Glicina)
C C
G TCG (Serina) G CCG (Glicina)
C TCC (Arginina) C CCC (Glicina)

Acompanhe, por exemplo, seguindo a


tabela, que a sequência de bases AAA codi-
fica o aminoácido fenilalanina. As sequências
A GAA (Leucina) AGA, AGT, AGG e AGC codificam um só ami-
T GAT (Leucina) noácido: serina.
A
G GAG (Leucina) Nos ribossomos, o RNAt que traduziu
C GAC (Leucina) a mensagem e codificou os aminoácidos, vai
posicionando cada um na sequência definida,
A GTA (Histidina)
e a molécula da proteína é formada.
T GTT (Glutamina)
T
G GTG (Histidina) Mutações
C GTC (Glutamina)
G São modificações naturais nos ge-
nes ou nos cromossomos, provocando
A GGA (Prolina)
o aparecimento de novas características
T GGT (Prolina)
G hereditárias.
G GGG (Prolina)
C GGC (Prolina)
Mutação gênica
A GCA (Arginina)
T GCT (Arginina) Ocorre na estrutura dos genes. No
C
G GCG (Arginina) momento em que o DNA se autoduplica,
C GCC (Arginina) pode haver um problema no pareamento
das bases, e a fita duplicada fica com uma
pequena diferença em relação à molécu-
Biologia 1 - Aula 4 39 Instituto Universal Brasileiro
la de DNA que a originou. Esta pequena
alteração já é suficiente para a produção Propriedades do DNA
de uma proteína diferente. Se essa proteí- Apresenta duas propriedades: auto-
na for importante para uma função vital no duplicação (ou replicação) e transcrição.
organismo, a mutação terá graves conse-
quências. • Autoduplicação: cada fita do DNA
tira uma cópia dela própria, resultando numa
Mutação cromossômica outra molécula de DNA. A autoduplicação
ocorre cada vez que a célula se divide.
Ocorre na estrutura ou no número de
cromossomos (a mais ou a menos), ocasio- • Transcrição: é o processo em que
nando um conjunto de sintomas anormais o DNA transfere a mensagem (sequência
(síndromes). Como exemplos de um cromos- de bases) para uma molécula de RNA. É o
somo a mais, temos na espécie humana a processo de síntese de RNA.
síndrome de Down e a síndrome de Klinefel- Mutação - é a alteração que pode
ter, que serão estudadas em Genética. ocorrer na estrutura dos genes (mutação
gênica) ou na estrutura ou número de cro-
mossomos (mutação cromossômica).

RNA
Ácido ribonucleico, onde o açúcar é
Ácidos nucleicos - DNA e RNA a ribose. A molécula tem uma única fita,
• DNA é uma longa molécula, respon- formada por açúcar e fosfato. O RNA está
sável pelo processo fundamental para a vida: presente no núcleo e no citoplasma.
a síntese de cada uma das proteínas que ca- As bases do RNA são: adenina,
racterizam o organismo de uma espécie. uracila, citosina e guanina.

• RNA é o ácido ribonucleico, que Tipos de RNA


leva a mensagem do DNA do núcleo para
• Mensageiro (RNAm): leva a men-
o citoplasma.
sagem para o citoplasma.
Estrutura do DNA • Transportador (RNAt): traduz a
mensagem, que é a sequência de bases,
• A molécula é formada por duas fi- e identifica os aminoácidos corresponden-
tas de nucleotídeos, ligadas por pontes de tes, conduzindo-os ao RNA ribossômico.
hidrogênio e torcidas como uma hélice (co-
nhecida por dupla-hélice). As fitas são cons- • Ribossômico (RNAr): está pre-
tituídas pela sequência de moléculas de sente nos ribossomos espalhados no ci-
fosfato e açúcar (uma pentose, a desoxirri- toplasma e sintetiza a proteína, colocando
bose), ligadas de modo intercalado: fosfato- em ordem os aminoácidos.
-açúcar- fosfato-açúcar..., sem modificação.
Tradução
Bases nitrogenadas do DNA
A tradução é o processo de síntese de
adenina (A), timina (T), citosina (C) e proteínas, que ocorre no citoplasma. O RNAt
guanina (G). interpreta a mensagem (código) e busca os
Na fita dupla, A sempre se liga a T e aminoácidos, encaixando-os uns aos outros,
C sempre se liga a G. até que se tenha uma proteína completa.

Biologia 1 - Aula 4 40 Instituto Universal Brasileiro


6. Uma proteína é formada por várias
moléculas de:

a) ( ) nucleotídeos.
b) ( ) fosfatos.
1. As bases orgânicas nitrogenadas pre- c) ( ) açúcares.
sentes tanto no DNA como no RNA são: d) ( ) aminoácidos.

a) ( ) adenina, citosina, guanina e timina. 7. (ENEM-2009 Adaptada) A figura a


b) ( ) timina, guanina, citosina e uracila. seguir representa um modelo de transmis-
c) ( ) adenina, citosina e guanina. são da informação genética nos sistemas
d) ( ) timina, uracila e guanina. biológicos. No fim do processo, que inclui
a replicação, a transcrição e a tradução, há
2. A única base que não está presente três formas proteicas diferentes, denomina-
no RNA é a: das a, b e c.

a) ( ) denina. replicação tradução


proteína “a”
b) ( ) timina.
c) ( ) uracila. DNA RNA proteína “b”
d) ( ) guanina. transcrição
proteína “c”

3. Uma das fitas de um certo DNA tem a Depreende-se do modelo que:


seguinte sequência de bases:
a) ( ) a única molécula que participa da
ACA GCT AAA AGC TTT
produção de proteínas é o DNA.
Na fita complementar deste mesmo b) ( ) as fontes de informação ativas du-
DNA, a sequência é: rante o processo de transcrição são as proteínas.
c) ( ) é possível obter diferentes varian-
a) ( ) ACA GCT AAA AGC TTT. tes proteicas a partir de um mesmo produto de
b) ( ) UGU CGU UUU UCG UUU. transcrição.
c) ( ) TGT CGA TTT TCG AAA. d) ( ) a molécula de DNA possui forma
d) ( ) ACA GCU TTT UGC UUU. circular, e as demais moléculas possuem for-
ma de fita simples linearizada
4. O processo no qual uma das fitas de
DNA serve de modelo para a formação de 8. O código genético é o mesmo para
uma fita de RNA mensageiro é chamado de: todos os seres vivos, isto é, todos possuem
as mesmas bases, formando os códons que
a) ( ) autoduplicação. especificam os aminoácidos nas proteínas de
b) ( ) tradução. cada espécie. Assim, o que diferencia as pro-
c) ( ) síntese de proteínas. teínas de um tomateiro, das proteínas de uma
d) ( ) transcrição. aranha, por exemplo, é:

5. (FUVEST) Qual das sequências abai- a) ( ) o número de cromossomos da es-


xo corresponde ao produto de transcrição do pécie.
segmento AAT CAC GAT de uma fita de DNA? b) ( ) a sequência de aminoácidos na
molécula da proteína.
a) ( ) TTA CTC GTA. c) ( ) o tipo de bases nitrogenadas no
b) ( ) TTA GTG CTA. DNA.
c) ( ) UUA GUG CUA. d) ( ) o tipo de bases nitrogenadas no
d) ( ) AAU CAC GAU. RNA.
Biologia 1 - Aula 4 41 Instituto Universal Brasileiro
menores ligadas umas às outras, chamadas
aminoácidos. As proteínas são indispen-
sáveis a todos os seres vivos. Têm papel
construtor, fazendo parte da estrutura das
células, agem como enzimas, participando
1. c) ( x ) adenina, citosina e guanina. das reações químicas e ainda formam os
anticorpos que agem na defesa do organis-
Comentário. O DNA tem a base timina mo. É o código genético de cada DNA que
e o RNA, no lugar da timina tem uracila. Por- determina a ordem dos aminoácidos na mo-
tanto, as bases comuns ao DNA e ao RNA são lécula da proteína.
a adenina, a citosina e a guanina.
7. c) ( x ) é possível obter diferentes
2. b) ( x ) timina. variantes proteicas a partir de um mesmo
produto de transcrição.
Comentário. A timina só faz parte da
molécula do DNA. Comentário. Às vezes, uma fita de
RNA mensageiro pode produzir mais de uma
3. c) ( x ) TGT CGA TTT TCG AAA. proteína, dependendo do código genético e
do número de aminoácidos que formam de-
Comentário. Nas fitas complementa- terminada proteína. Algumas proteínas são
res do DNA a adenina se liga à timina e a ci- formadas por centenas de aminoácidos. A
tosina se liga à guanina. Acompanhando cada alternativa a está errada porque na produ-
base numa fita, vai-se montando o trecho cor- ção de proteínas participam o DNA e os três
respondente da outra fita. tipos de RNA. A alternativa b está errada
porque a fonte de informação é o DNA. A d
4. d) ( x ) transcrição. não é correta porque o DNA é uma molécula
linear de fita dupla nos eucariontes (seres
Comentário. O processo de formação com células nucleadas).
de uma molécula de RNA dentro do núcleo da
célula chama-se transcrição. Nesse processo, o 8. b) ( x ) a sequência de aminoáci-
DNA transcreve seu código (sequência das ba- dos na molécula da proteína.
ses), criando uma outra molécula, o RNA men-
sageiro, que leva a informação até o citoplasma, Comentário. Todos os seres vivos
a fim de que as proteínas sejam sintetizadas. têm as mesmas bases nitrogenadas que
constituem os genes. A sequência das ba-
5. c) ( x ) UUA GUG CUA. ses é que vai determinar quais aminoáci-
dos e qual a posição deles nas moléculas
Comentário. O enunciado nos dá a de proteína. É essa sequência que dife-
sequência das bases num trecho do DNA rencia as proteínas de cada espécie de
e pede o produto da transcrição, ou seja, o ser vivo. As proteínas sintetizadas são as
trecho correspondente no RNAm. É preciso enzimas necessárias às reações químicas
atenção porque onde há adenina, a base no da célula. Essas substâncias têm molé-
RNA é a uracila. Onde há timina, a base no culas muito grandes, com sequências de
RNA é a adenina. Lembre-se de que o RNA aminoácidos. Compara-se a um colar de
só não tem timina. pérolas, que pode variar de tamanho, de
acordo com a quantidade de aminoácidos,
6. d) ( x ) aminoácidos. que no caso seriam as pérolas. É incalcu-
lável o número de combinações diferentes
Comentário. As proteínas são molé- com os 20 aminoácidos existentes na na-
culas muito grandes, formadas por unidades tureza.
Biologia 1 - Aula 4 42 Instituto Universal Brasileiro