Você está na página 1de 16

Reprodução

AULA 6 A natureza traz em si os mistérios da vida, da reprodução e da interação


entre seus elementos. A abundância de espécies de seres vivos é extraordi-
nária, e o princípio fundamental permanece o mesmo: a vida se reproduz de
geração para geração, de maneira instintiva e natural.

Multiplicação das espécies

Reprodução: o segredo é a mistura


A relação sexual? Isso é só um detalhe. O importante é juntar moléculas de DNA.
Sexo não é só o que você está pensando. Para a Biologia, esse é o assunto mais natural do
mundo. Sexo acontece sempre que dois indivíduos de uma determinada espécie trocam informa-
ções genéticas entre si, formando um novo ser. A maioria dos animais, plantas, protozoários e até
as bactérias fazem sexo, por mais estranho que isso possa parecer. Não precisa nem contato físico.
As águas-vivas (figura acima), por exemplo, lançam suas células sexuais na água e lá o embrião co-
meça a se desenvolver. Os gametas masculinos das plantas, embutidos nos grãos de pólen, podem
viajar quilômetros no vento antes de encontrar uma flor e fecundá-la.
A palavra-chave para entender a reprodução sexuada é recombinação. Nela, o pai e a mãe da
nova criatura devem, obrigatoriamente, misturar o seu DNA – ácido desoxirribonucleico – a molécula
que armazena todas as informações necessárias para a construção de um ser vivo.
É um processo complicado e cheio de riscos. Basta lembrar que o conjunto do DNA humano, o geno-
ma, tem mais de 100.000 genes. Durante a recombinação, esses genes são embaralhados como cartas e,
na bagunça, podem sofrer alterações – as mutações. Algumas delas são tão ruins que matam o embrião.
Outras, ao contrário, criam seres com maiores chances de sobreviver a mudanças no ambiente do que os
pais. “O sexo possibilita o surgimento de tipos únicos, sem similar no passado nem no futuro e muito menos
no presente”, diz o geneticista Crodowaldo Pavan (1919-2009), da Universidade de São Paulo.

Superinteressante. Setembro de 1999. Texto adaptado.

Biologia 1 - Aula 6 53 Instituto Universal Brasileiro


Tipos de reprodução
Uma das características mais importan- Cissiparidade ou bipartição
tes dos seres vivos é a sua capacidade de Ocorre nos seres unicelulares e con-
reprodução, ou seja, a capacidade de dar ori- siste na simples divisão da célula (mitose),
gem a outros seres semelhantes a si mesmos, originando duas células iguais. Na natureza,
com a finalidade de perpetuar a espécie. Os bactérias, protozoários e fungos se repro-
seres se reproduzem por diferentes proces- duzem dessa forma. Produzem clones de si
sos caracterizados como reprodução assexu- mesmos, com o mesmo código genético. Clo-
ada ou sexuada. nes são cópias idênticas de um indivíduo,
usando apenas uma célula genitora.
Reprodução Assexuada 1 2 3 4

Também conhecida como agâmica ou


vegetativa, realiza-se com a participação
de um único indivíduo. Há três tipos de
5 6
reprodução assexuada: cissiparidade ou
bipartição, gemiparidade ou brotamento e
esporulação.

Clone de mamífero? Como pode? A história da Dolly

Em 1996, na Escócia, cientistas conseguiram, depois de muitas tentativas, “fazer” a cópia de


uma ovelha, a famosa Dolly. Acompanhe o passo a passo da clonagem:
1 - De uma ovelha “cara preta” foi retirado um óvulo e extraído o seu núcleo.
2 - De uma ovelha “cara branca” foi usada uma célula da glândula mamária, da qual extraíram
o núcleo e o implantaram no lugar do núcleo do óvulo.
3 - Após estímulo elétrico, o óvulo entrou em divisão e formou um embrião.
4 - O embrião foi implantado no útero de outra ovelha “cara preta”.
5 - Dessa gestação, nasceu a Dolly, clone da ovelha “cara branca”, que doou o núcleo da célula
mamária.

Ovelha “cara preta”

Dolly
Núcleo

Óvulo
Embrião

Células mamárias

Ovelha “cara branca”

Biologia 1 - Aula 6 54 Instituto Universal Brasileiro


Gemiparidade ou brotamento Reprodução Sexuada
Consiste na formação de um ou mais Esse processo é realizado pela união
brotos que se desenvolvem até o tamanho do de duas células especiais, chamadas células
ser original, podendo destacar-se ou continu- reprodutoras ou gametas. Ocorre na maioria
ar ligados ao ser que lhes deu origem, consti- dos animais e plantas. A união dos gametas
tuindo colônias. Animais simples como as es- (masculino e feminino) constitui a fecunda-
ponjas e celenterados (corais e águas-vivas) ção. Usa-se os símbolos para masculino e
reproduzem-se dessa forma. para feminino.
► Nos animais, a produção de gametas
é realizada nas glândulas sexuais ou gôna-
das. As gônadas masculinas são os testícu-
los e as femininas são os ovários.
► Nos vegetais, os gametas são produzi-
dos nos órgãos masculinos e femininos da flor.

Esporulação Reprodução humana


Nesse tipo de reprodução ocorrem su- O conhecimento da reprodução huma-
cessivas divisões do núcleo, com fragmenta- na é importante para que as pessoas tenham
ção do citoplasma em partes que envolvem os condições de controlar sua própria reprodu-
novos núcleos. Formam-se então novas célu- ção e desenvolver uma conscientização sobre
las, chamadas esporos, muito resistentes, crescimento populacional humano, possibili-
sendo capazes de vida latente, germinando tando um melhor exercício de cidadania, num
em condições favoráveis. A esporulação ocor- mundo com tantos problemas de sobrevivên-
re em bactérias e fungos, por exemplo. Os es- cia. As imagens abaixo representam a anato-
poros são células reprodutoras assexuadas, mia dos sistemas genitais feminino e masculi-
capazes de originar um novo organismo. no no ser humano.

Sistema reprodutor feminino


Esporulação no bolor do pão
Tubas uterinas
Ovários
Útero

Cérvix

Vagina

BOLOR NEGRO DO PÃO


Hifas do bolor em
desenvolvimento
Sistema reprodutor masculino

Bexiga
Germinação
dos esporos Vesicula seminal

Canal deferente Reto


Uretra
Esporos Pênis Próstata
liberados
Esporângio Epidídimo
Ânus
Bolsa escrotal Testículo

Biologia 1 - Aula 6 55 Instituto Universal Brasileiro


Espermatozoide e óvulo

Espermatozoide Óvulo
Acrossomo
Coroa
Núcleo
Cabeça O óvulo é a mais volumosa das célu-
Zona pelúcida
Pescoço
las do organismo, medindo uns 200 micrô-
Mitocôndria
Peça
intermediária
metros (0,2 milímetro), em virtude do acú-
mulo de substâncias nutritivas chamadas
de vitelo. A membrana que envolve o óvulo
Cauda concentra esse vitelo, por isso é chamada
de membrana vitelínica ou zona pelúcida,
que nutre o ovócito durante todo o seu de-
senvolvimento. Essa camada também tem a
função de proteger o óvulo contra choques e
de controlar a entrada de apenas um esper-
Citoplasma com vitelo Ovócito primário matozoide. Isso é explicado pelo seguinte:
abaixo da membrana do óvulo há pequenas
bolsas com enzimas digestivas que alteram
Os espermatozoides são produzidos
as proteínas, destruindo sua capacidade de
nos testículos (canais seminíferos) e ficam
se ligar a espermatozoides. Com isso, ne-
estocados no epidídimo até terminarem o
nhum outro espermatozoide tem condições
crescimento.Na ejaculação, sobem pelo canal
de atravessar a zona pelúcida.
espermático, recebendo secreções das vesí-
culas seminais e da próstata.Esse líquido, que
contém e alimenta os espermatozoides, cons- Processo de formação de
titui o esperma. Cada ejaculação possui de 3 gametas ou gametogênese
a 5 mililitros de esperma, contendo de 200 a
500 milhões de espermatozoides. Formação de gametas pelas gônadas
Os óvulos são produzidos nos folículos
dos ovários, que permanecem pequenos até É o processo de formação de gametas (cé-
a puberdade. A partir daí, adquirem a forma lulas reprodutoras). Essas células são haploides
de amêndoas de 2 a 4 centímetros de compri- e se formam por meiose das células das gôna-
mento, um de cada lado do corpo. O tamanho das. São as únicas células do corpo que possuem
reduz-se após a menopausa, e na mulher ido- metade do número de cromossomos da espécie.
sa ficam pequeníssimos. O gameta feminino é o óvulo (nos animais e plan-
Como o óvulo não é móvel, ele tem que tas) e o gameta masculino é o espermatozoide
ser transportado para algum lugar onde seja nos animais. A forma do espermatozoide varia
fecundado. Essa é a função das duas trom- muito entre os animais. A gametogênese mascu-
pas de Falópio (tubas uterinas), cada uma lina chama-se espermatogênese e a gametogê-
com cerca de 10 centímetros de comprimento nese feminina é a ovulogênese.
e alguns milímetros de diâmetro. Uma das ex-
tremidades abre para o útero e a outra, fran-
jada, fica perto do ovário. Quando o folículo
está quase maduro, a trompa move-se na sua
direção e apanha o óvulo que sai. A fecunda-
Lembre-se de que meiose é a divisão ce-
ção ocorre no terço superior da trompa. A divi-
lular que reduz à metade o número de cromos-
são celular começa logo, e o óvulo fecundado somos da espécie. A meiose somente ocorre
segue em direção ao útero, até fixar-se em para a formação de células reprodutoras: uma
sua parede (nidação) e dar continuidade ao célula 2n origina 4 células n.
desenvolvimento durante a gestação.
Biologia 1 - Aula 6 56 Instituto Universal Brasileiro
Entenda os três períodos em que divisão II da meiose e originam duas células
se divide a gametogênese de mesmo tamanho, as espermátides. As
quatro espermátides passam por algumas
1. Período de multiplicação modificações e se transformam em quatro
espermatozoides.
No interior dos testículos e ovários exis- ► Nas fêmeas, após a divisão I, o
tem as células germinativas, diploides, que ovócito I origina duas células, sendo uma
dão início (por mitose) à linhagem de células delas muito maior que a outra, pois na di-
que irão originar os gametas. As primeiras visão recebe quase todo o citoplasma. A
células formadas são as espermatogônias célula maior recebe o nome de ovócito II
nos testículos e ovogônias nos ovários, todas e a menor, que permanece grudada nela,
diploides. chama-se 1° glóbulo polar. Após outra divi-
são, formam-se três glóbulos polares, que
2. Período de crescimento se atrofiam e degeneram. Na realidade, o
que se liberta do ovário é o ovócito II, que
As espermatogônias deixam de se di- chamamos de óvulo. Somente se houver
vidir e crescem um pouco, sendo chamadas fecundação, após a penetração do esper-
espermatócitos primários. Dentro do ová- matozoide é que se finaliza o processo da
rio, as ovogônias crescem bastante, pois acu- meiose.
mulam grande quantidade de vitelo. Transfor- ► Forma-se então o zigoto ou célula-
mam-se em ovócitos primários ou ovócitos -ovo, diploide, que é a primeira célula do novo
I. O vitelo é uma reserva de material nutritivo ser. Portanto, em consequência do processo
rico em proteínas e lipídios, que ocupa o ci- meiótico sofrido pelo ovócito I, resultam no fi-
toplasma e serve para nutrir o embrião nos nal um óvulo e três corpúsculos polares (que
primeiros estágios do seu desenvolvimento. degeneram e morrem).

Processos da espermatogênese
e ovulogênese
Todas as informações necessárias para
Quando co- o desenvolvimento de um novo ser humano
memos a gema estão computadas nas células sexuais. Esse
dos ovos de aves, par de células, óvulo e espermatozoide, é
estamos nos ali- que determinam as características do novo
mentando de um indivíduo.
ovócito, uma cé- ► Na ovulogênese, a fase de multipli-
lula grande por- cação se dá ainda no período embrionário,
que contém muito vitelo (reserva de substân- indo até os dois anos, quando se formam cer-
cias nutritivas). ca de 400.000 ovogônias, das quais, poten-
cialmente, são aproveitadas na mulher cerca
de 400 durante toda a sua vida fértil (enquan-
3. Período de maturação (meiose) to se dá a menstruação).
► Na espermatogênese, a fase de
Nos espermatócitos I e nos ovócitos I multiplicação só vai ser iniciada por volta
inicia-se o processo da meiose. Devemos dos 6 anos e é contínua, podendo ocorrer
lembrar que na meiose ocorrem duas divisões praticamente até o fim da vida do homem.
celulares (meiose I e meiose II). Além disso, essa multiplicação é mais inten-
► Nos machos, após a divisão I, ori- sa que na ovulogênese, por isso são elimi-
ginam-se dois espermatócitos secundá- nados milhões de espermatozoides em cada
rios, haploides. Cada um deles passa pela ejaculação.
Biologia 1 - Aula 6 57 Instituto Universal Brasileiro
Esquemas da espermatogênese e da ovulogênese
Espermatogênese Ovulogênese

Espermatócito Ovócito
primário primário

1º glóbulo
polar

1ª divisão
meiótica
Espermatócitos
Ovócito Divisão do 1º
secundários
secundário glóbulo polar

10ª divisão
meiótica
Espermátides

Óvulo maduro 2º glóbulo


polar
Espermatozoides

Fecundidade sangue, durando cerca de dez dias desse pe-


ríodo de preparação. Se o óvulo não for fecun-
O período menstrual feminino dado, a preparação do útero torna-se inútil;
então, o corpo amarelo cessa a produção de
hormônios, e os vasos capilares se rompem,
eliminando o sangue. Este é o fenômeno da
menstruação, que se repete, normalmente,
num período de 28 dias, desde a puberdade
até a menopausa, quando cessa o poder de
procriação da mulher. Menstruação nada mais
é que a eliminação de óvulos não fecundados.

A célula reprodutora masculina


Cabeça Acrossomo

Peça
Núcleo
intermediária
Pescoço

Na mulher, um óvulo chega à maturidade Mitocôndria


de 28 em 28 dias, quando é lançado pelo ová-
rio, por rompimento do folículo. Este se trans-
forma em corpo lúteo (ou corpo amarelo), que
elabora três hormônios: foliculina, luteína e Cauda ou flagelo
progesterona, que preparam a mucosa do
útero para receber o óvulo fecundado (ovo). O gameta masculino é uma célula mó-
Os vasos sanguíneos tornam-se túrgidos de vel, sem nenhuma reserva nutritiva, medindo
Biologia 1 - Aula 6 58 Instituto Universal Brasileiro
de 60 a 70 micrômetros (0,006 a 0,007 milíme- permatozoides é que se movem em direção ao
tro). No espermatozoide podem-se distinguir óvulo. Alguns cientistas admitem que uma subs-
três partes principais: a cabeça, a peça inter- tância química produzida pelo óvulo atrairia o
mediária ou colo e a cauda (flagelo). A forma espermatozoide. Penetram no óvulo em geral
do espermatozoide varia muito entre as espé- somente a cabeça e a peça intermediária. Em
cies animais. Na cabeça acha-se o núcleo e, seguida, dá-se a união dos núcleos, formando-
na parte anterior, o acrossomo, responsável -se uma única célula, a célula-ovo ou zigoto.
pela liberação de uma enzima que dissolve a Apenas um espermatozoide, dos 350
proteção do óvulo e facilita a penetração. milhões lançados na ejaculação, irá fecundar
o óvulo, aquele que “vencer a corrida”. Mas
que mecanismo garante isso? Dezenas de
espermatozoides cercam o óvulo, mas o pri-
meiro a tocar a membrana libera uma enzima
através do seu acrossomo. Essa enzima pro-
Não confunda! Espermatozoide é o voca uma alteração de cargas elétricas na su-
nome da célula reprodutora (gameta mas- perfície da membrana plasmática ovular, que
culino). Esperma (ou sêmen) é o líquido impede que outros espermatozoides se unam
nutritivo que contém os espermatozoides. a ela. Após a fertilização, iniciam-se as divi-
Esse líquido é produzido pelas glândulas sões da célula-ovo e o período de gravidez
seminais, localizadas atrás da bexiga uri- ou gestação.
nária e pela secreção da próstata. 2 células 4 células
Zigoto

Fusão dos
MITOSE
núcleos
(óvulo +
espermatozoide)

► Na espécie humana, os espermato-


zoides podem permanecer vivos dentro do
útero ou das trompas, de quatro a cinco dias.
► Nas abelhas, o espermatozoide Fecundação

vive de quatro a cinco anos armazenado


pela rainha numa bolsa especial e é libera-
do aos poucos, servindo à fecundação dos Óvulo

seus óvulos durante toda a sua vida.

Fecundação Tipos de fecundação


Os seres vivos podem ser caracteri-
zados como unissexuais ou dioicos (di =
dois; oikos = casa), que são aqueles com
sexos separados: macho e fêmea. Cada
sexo numa “casa”. Há seres que possuem,
num mesmo indivíduo, ambos os sistemas:
masculino e feminino. São chamados her-
mafroditas ou monoicos (mono = um; oikos
A fecundação consiste na penetração do = casa). Em vista disso, podem ocorrer dois
gameta masculino (espermatozoide) no gameta tipos de fecundação: fecundação cruzada
feminino (óvulo). No caso dos animais, os es- e autofecundação.
Biologia 1 - Aula 6 59 Instituto Universal Brasileiro
Fecundação cruzada Desenvolvimento da célula original

O gameta masculino vai ao encontro Após a fecundação, inicia-se o desen-


do gameta feminino e são produzidos em volvimento do novo ser, através de sucessivas
organismos separados. divisões da célula-ovo. Os animais, quanto ao
► Externa. Se a união se faz no meio desenvolvimento, podem ser:
ambiente, fora do organismo da fêmea,
como ocorre entre a maioria dos invertebra- 1 - Ovíparos
dos aquáticos, os peixes e os anfíbios.
► Interna. Se a união se faz dentro do O desenvol-
organismo da fêmea. Ocorre em todos os vimento se dá fora
vertebrados terrestres. do corpo materno,
O sistema sexual dos seres vivos se a fêmea elimina os
torna mais complexo à medida que ele ovos para o exte-
evolui na escala animal ou vegetal. Em rior. São os inver-
alguns animais os gametas se encontram tebrados aquáticos, insetos, anfíbios, peixes,
dispersos em seu corpo, enquanto outros répteis e todas as aves.
já apresentam órgãos especializados, as
gônadas. Nos vegetais inferiores, como em 2 - Ovovivíparos
diversas algas, os gametas masculino e fe-
minino podem ou não se formar em órgãos O desenvol-
especializados. vimento ocorre ini-
cialmente dentro do
Autofecundação organismo materno
e termina no meio externo. Neste caso es-
Na autofecundação, o ser se repro- tão alguns insetos, lagartos, certas cobras
duz sem a participação de outro ser. Esse e tubarões.
processo ocorre principalmente entre os ve-
getais e na maioria dos animais hermafrodi- 3 - Vivíparos
tas. Na fecundação cruzada, os indivíduos
de sexos opostos se cruzam, indo o gameta São os ani-
masculino ao encontro do feminino. mais cujo desen-
volvimento ocorre
totalmente dentro
do corpo materno.
São todos os ma-
míferos placentários como os seres humanos.
A fecundação é interna quando a
penetração dos espermatozoides ocor-
re no interior do organismo produtor
de gametas femininos. A fecundação
externa é característica de animais
aquáticos (exceto mamíferos), em que
a união dos gametas ocorre na água, Dentre os mamíferos, há exceções:
portanto, fora do corpo. Os anfíbios, os marsupiais (cangurus e gambás)
como os sapos, reproduzem-se na terminam o desenvolvimento dentro de
água e após um período de transfor- uma bolsa abdominal denominada mar-
mações (metamorfose) passam à vida supium. E os monotremos (ornitorrin-
terrestre. co) são ovíparos.

Biologia 1 - Aula 6 60 Instituto Universal Brasileiro


Conceitos referentes a diversos Neotenia
processos de reprodução
É o processo que ocorre quando o indi-
Partenogênese (parthenos = virgem víduo amadurece sexualmente embora ainda
e genesis = geração, origem) esteja na fase larval. Um exemplo é o da sala-
mandra mexicana.
Nesse processo o óvulo se desenvolve
sem que haja união com o gameta masculino. Poliembrionia
Ocorre em animais (certos anelídeos, insetos,
crustáceos, moluscos) e em alguns vegetais, É a formação de dois ou mais indivíduos a
como é o caso da banana, em que o ovário da partir de um mesmo ovo. Entre os animais, um
flor se desenvolve sem fecundação, originan- exemplo é o tatu, que origina quatro embriões
do o fruto. idênticos, de uma única célula-ovo. No ser hu-
mano, os gêmeos idênticos ou univitelinos
formam-se a partir das divisões de uma célula-
-ovo (ou zigoto) que se originou de um óvulo fe-
cundado por um só espermatozoide Por isso,
têm o mesmo sexo e são muito semelhantes.
Esse processo ocorre por um desvio no plano de
Na sociedade das abelhas ocorre divisão, podendo originar não só gêmeos idên-
partenogênese. A abelha-rainha e as ticos, como trigêmeos ou mais, todos idênticos.
operárias originam-se de um óvulo fer-
tilizado por um espermatozoide. É a di-
ferença de alimentação que provoca a
atrofia do ovário das operárias e o de-
senvolvimento rápido da rainha, pois,
enquanto as operárias são alimentadas Os gêmeos fraternos ou bivitelinos origi-
com pólen e néctar, a rainha é alimen- nam-se de dois ou mais óvulos fecundados, cada um
tada somente com geleia real. Uma úni- por um espermatozoide diferente, ao mesmo tempo.
ca vez na vida a rainha sai da colmeia Como provêm de ovos diferentes, podem não ser
e voa bem alto para ser fecundada (voo do mesmo sexo e nem apresentar semelhanças na
aparência. É como se fossem irmãos nascidos em
nupcial). O zangão que a fertiliza mor-
datas diferentes. Nesse caso, formam-se duas pla-
re em seguida e o seu líquido seminal
centas, cada uma alimentando um embrião.
fica armazenado no aparelho genital da
abelha durante toda a sua vida. Quase
todos os óvulos que a rainha põe es-
tão fertilizados e se desenvolvem em
fêmeas; e os óvulos não fertilizados
desenvolvem-se por partenogênese
em machos.

Pedogênese

É a partenogênese realizada por um ani-


mal que ainda se encontra na fase larval. An-
tes de atingir a fase adulta, o animal produz
gametas que originam novas larvas, sem que
ocorra fecundação. Esse processo ocorre em
parasitas, como o verme Fasciola hepatica e
certos grupos de insetos.
Biologia 1 - Aula 6 61 Instituto Universal Brasileiro
Metagênese (ou alternância de gerações) se formam já no início do desenvolvimento
embrionário.
É a alternância de reprodução sexuada
e assexuada, em que o ser apresenta o corpo Caracteres sexuais secundários
com células haploides numa fase da vida e cé-
lulas diploides em outra fase. Esses seres são São exclusivamente somáticos (do
chamados haplodiplobiontes. A metagênese corpo) e permitem distinguir o macho da
ocorre em vegetais (briófitas – musgos e pte- fêmea. Na espécie humana aparecem na
ridófitas – avencas e samambaias). Acompa- puberdade por ação dos hormônios testos-
nhe o ciclo de vida de uma samambaia: terona no homem e progesterona, foliculina
e luteína na mulher. Caracteres sexuais se-
R! cundários no homem: barba, voz grossa,
Indivíduo
diploide
Meiose
pelos no corpo; na mulher: mamas, quadril
(2n)
Esporos largo, voz fina.
(n) Em certos animais como os crustáceos,
Desenvolvimento
os machos possuem patas maxilares trans-
Gametas formadas para apreenderem a fêmea. Em
Zigoto
Indivíduo Germinação muitos insetos e nos anfíbios há o desenvol-
haploide
(2n)
Fecundação
(n) vimento do aparelho de estridulação nos ma-
chos, que emite sons para atrair a fêmea.
Quando os caracteres sexuais secundá-
Entre os animais, os cnidários ou ce- rios permitem distinguir o macho da fêmea,
lenterados (água-viva, anêmona) reprodu- numa determinada espécie, diz-se que há di-
zem-se por metagênese. Os seres que não morfismo sexual.
se reproduzem por metagênese cuja fase
mais duradoura da vida é haploide, chamam-
Anomalias sexuais ou desvios
-se haplobiontes. Aqueles cuja fase mais
da sexualidade
importante é diploide, chamam-se diplo-
biontes. A maioria dos vegetais e animais é A maioria dos animais apresenta di-
diplobionte. morfismo sexual. São unissexuais, isto é, de
sexos separados. Porém, podem apresentar
anomalias representadas por três estados
Caracteres sexuais
sexuais mistos ou intermediários: herma-
froditismo, ginandromorfismo e interse-
xualidade.

1. Hermafroditismo

É a presença dos dois sexos num


mesmo organismo. Ocorre em vegetais e
animais. A tênia e a minhoca são exemplos
de hermafroditas. A tênia ou solitária é her-
Em grande parte dos animais há di- mafrodita que se reproduz por autofecunda-
ferenças que permitem distinguir machos ção, não necessitando de parceiro. Minhocas
de fêmeas. e caramujos são espécies hermafroditas, e
cada animal necessita de um parceiro para a
troca de espermatozoides. Nesse caso, a fe-
Caracteres sexuais primários
cundação é cruzada, pois os corpos se unem
São as diferenças nos órgãos do apare- e há troca de espermatozoides, saindo am-
lho genital, representado pelas gônadas, que bas fecundadas.
Biologia 1 - Aula 6 62 Instituto Universal Brasileiro
► Na intersexualidade macho o orga-
nismo tem a fórmula cromossômica de macho
e começa a se desenvolver com caracteres
sexuais masculinos. Em certo momento, pas-
Certos animais sa a adquirir caracteres sexuais de fêmea até
podem trocar de o final do desenvolvimento.
sexo durante a vida, ► Na intersexualidade fêmea, ocor-
dependendo das re o oposto: as células do corpo têm fórmula
condições ambien- cromossômica de fêmea, apresentando de-
tais. São hermafro- senvolvimento normal até o momento em que
ditas sequenciais. adquire caracteres sexuais masculinos e se
Um exemplo é o peixe-palhaço, do desenho
transforma em macho.
animado Procurando Nemo (2003). Todo pei-
xe-palhaço nasce macho e só o maior trans-
forma-se em fêmea quando adulto. Métodos Anticoncepcionais
ou Contraceptivos
2. Ginandromorfismo
São métodos preventivos, com a fi-
É a presença, no corpo de um animal, nalidade de impedir a gravidez.
de zonas com características dos dois sexos.
Não significa que a espécie seja hermafrodi-
Camisinha
ta (presença de gônadas masculinas e femi-
ninas no mesmo corpo). O ginandromorfismo Apresentada em duas versões: masculi-
aparece em algumas aranhas e aves (certos na e feminina, constitui uma barreira mecânica,
galináceos e pássaros). que evita o encontro dos gametas porque retém
o esperma ejaculado, evitando que ele seja de-
positado na vagina. É o método mais difundido
porque, além de preservativo, também é eficien-
te na prevenção da AIDS e de outras Doenças
Sexualmente Transmissíveis (DSTs).
Drosophila melanogaster, aquela
mosquinha que aparece na banana madu-
ra, apresenta metade do corpo com carac- Pílula anticoncepcional
terística de macho e a outra metade, com Um dos métodos mais utilizados no
característica de fêmea. mundo baseia-se numa mistura de hormô-
nios sintéticos, o estrógeno e a progesterona.
A mulher deve ingerir diariamente, a partir do
3. Intersexualidade 5º dia após a menstruação. Os dois hormô-
nios presentes na pílula inibem a secreção de
Consiste na inversão do sexo durante o FSH e LH pela hipófise, assim não ocorre a
desenvolvimento do indivíduo. O conceito de ovulação. Mas os níveis altos de estrógeno e
intersexualidade deve-se a Richard Goldsch- progesterona no sangue induzem ao cresci-
midt (1878 - 1958), geneticista americano que mento da mucosa uterina, que descama no in-
realizou estudos em borboletas. O organismo se tervalo em que a pílula deixa de ser ingerida,
desenvolve normalmente até certo tempo, de- e os níveis de hormônios caem. A ingestão de
pois passa para o sexo oposto, apresentando hormônios muitas vezes pode causar proble-
características dos dois sexos. São, portanto, mas à saúde, como alterações na coagulação
intermediários entre machos e fêmeas. Há duas sanguínea, arterioesclerose e infartos. É im-
formas de intersexualidade: a intersexualidade portante que o uso de anticoncepcionais seja
macho e a intersexualidade fêmea. rigorosamente acompanhado pelo médico.
Biologia 1 - Aula 6 63 Instituto Universal Brasileiro
Método da tabelinha
Baseia-se no ritmo ovulatório, sendo, portanto, o único método natural. A mulher abstém-se de
relações sexuais apenas durante o período fértil do ciclo menstrual. A cada 28 dias a mulher produz,
normalmente, um único óvulo, que sobrevive no máximo até dois dias no oviduto, até degenerar e
ser eliminado. O problema é determinar com segurança o período fértil e o período seguro (de menor
risco de gravidez). Na maioria das mulheres, a temperatura do corpo aumenta cerca de 0,5 °C logo
após a ovulação. Se houver um acompanhamento diário, pode-se determinar o período seguro, que
ocorre do 19º ao 28º dias após o início da menstruação. Veja o gráfico abaixo:

Dias do ciclo
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 1 2 3 4 5 6 7
Temperatura em graus centígrados

37,0

36,8

36,6

36,4

36,2
}

}
}
Menstruação Ovulação Período seguro Menstruação

Implante subcutâneo
Gravidez na adolescência
É colocado pelo médico, sob a pele, na
Segundo a OMS (Organização Mun-
região do braço. Esse método impede a gra-
dial da Saúde), 22% dos adolescentes fazem
videz durante três anos. Nesse período, ele sexo pela primeira vez aos 15 anos de idade.
vai liberando diariamente, na corrente san- A falta de informação pode gerar uma gravi-
guínea, as doses necessárias de hormônio dez inesperada ou a contaminação por DSTs.
para impedir a ovulação, evitando assim a Com o aumento de informações e orienta-
gravidez. ção nas escolas, o número de adolescentes
grávidas vem diminuindo. De 2007 a 2009 o
número de partos caiu 22,4%, registrados na
Métodos de esterilização (cirúrgicos)
faixa de 10 a 19 anos:
► No homem: vasectomia
Consiste no seccionamento dos ductos ► Em 2007 - 594.205 partos
deferentes, de modo que os espermatozoi- ► Em 2008 - 487.173 partos
► Em 2009 - 408.400 partos.
des não cheguem à uretra. Esse procedi-
mento não afeta a produção de testostero-
Segundo a OMS, a incidência de re-
na, nem a atividade sexual. cém-nascidos com baixo peso, gerados por
mães adolescentes, é duas vezes maior que
► Na mulher: laqueadura tubária o de mães adultas. A taxa de morte do re-
As tubas ou trompas são secciona- cém-nascido é três vezes maior. Além desses
das, impedindo que os óvulos cheguem problemas, há outro, muito grave: as meninas
ao útero e que os espermatozoides che- grávidas acabam deixando de estudar para
guem até eles. A produção de hormônios cuidar do bebê e, na maioria das vezes, dei-
não é afetada, ocorrendo a menstruação xam definitivamente a escola.
normalmente. Geralmente, essa cirurgia
Portal da Saúde. Disponível em: www.saude.gov.br.
é feita por mulheres que não desejam ter Acesso em: 22.06.2012. Texto adaptado.
mais filhos.
Biologia 1 - Aula 6 64 Instituto Universal Brasileiro
também transmite o vírus para o bebê através
do útero e do leite. Não há cura, mas atualmente
é controlada pela aplicação de “coquetéis antivi-
rais”, que prolongam a vida dos pacientes.
Reprodução assistida – Fertilização Revista Planeta, Novembro de 2011, pág. 34
In vitro – FIV – o que é?
É o mais complexo dos procedimentos para
que um casal estéril possa gerar um filho. Consis-
te na manipulação dos gametas em laboratório,
isto é, in vitro. Daí o nome “bebê de proveta”. Em
1978, depois de muitas tentativas, nasceu na In- Há infecções oportunistas graves que
glaterra o primeiro bebê de proveta. Essa técnica podem ocorrer em organismos sem defesa:
só é indicada nos casos de infertilidade ou algu- pneumonia causada por Pneumocystis carinii
ma doença, por envolver muito risco. (protozoário); tuberculose; diarreias crônicas; her-
pes cutâneo; manifestações psíquicas anormais,
Como é feita? provocadas pelo ataque de outro protozoário, o
Toxoplasma gondii, ao sistema nervoso; candi-
Após a captação dos óvulos diretamente do díase (“sapinho”), infecção bucal causada pelo
ovário, eles são fertilizados pelos espermatozoi- fungo Candida albicans; sarcoma de Kaposi, que
des colhidos do marido/parceiro, em laboratório. provoca manchas azuladas ou castanhas na pele
Os embriões selecionados são implantados no e lesões em órgãos internos. Também podem
útero após 48 a 72 horas depois da captação dos surgir tumores nos gânglios linfáticos (linfomas).
óvulos. Se a fixação do embrião for bem sucedida,
inicia-se a gestação, que pode transcorrer normal-
mente, sempre acompanhada pelo médico.

Doenças Sexualmente
A Organização Mundial da
Transmissíveis (DSTs) Saúde instituiu o dia 1º de dezem-
bro como o Dia Mundial da Aids, e
Agentes infecciosos como vírus, bactérias,
a fita vermelha tornou-se o símbolo
fungos e protozoários podem ser transmitidos do combate à doença.
de uma pessoa a outra pelo contato sexual. A
maioria das doenças sexualmente transmissíveis
pode ser prevenida pelo uso da camisinha duran-
te a relação sexual. Conheça as principais DSTs. Gonorreia ou blenorragia
Causada por bactéria do tipo gonococo,
AIDS (Síndrome da transmitida exclusivamente por contato sexu-
Imunodeficiência Adquirida) al. Nas mulheres, pode haver dor ao urinar,
aumento de corrimento, sangramento fora da
Causada pelo vírus HIV (Vírus da Imuno- época da menstruação, dor durante a relação
deficiência Humana), que ataca os linfócitos T, sexual. Nos homens, normalmente, há sensa-
tipo de glóbulos brancos do sistema imunológi- ção de ardor ao urinar, podendo causar corri-
co humano. O organismo, sem defesa, perde a mento, além de dor nos testículos.
capacidade de reagir a infecções mais comuns,
como diarreias e gripes, por exemplo. Exames Sífilis
de sangue podem detectar a presença do vírus e Causada pela bactéria Treponema palli-
nesse caso diz-se que o indivíduo é soropositivo.
dum, transmitida exclusivamente por via se-
Outras formas de transmissão: compartilhamento
xual. Em estágio mais avançado causa pro-
de seringas no uso de drogas injetáveis e trans-
fusões de sangue contaminado. A mãe portadora blemas mentais e de coordenação, chegando
até à cegueira. Tratamento com antibióticos.
Biologia 1 - Aula 6 65 Instituto Universal Brasileiro
Tricomoníase ► Esporulação – formação de esporos,
Causada por um protozoário, Trichomo- células muito resistentes capazes de germinar
nas vaginalis. Na mulher, produz corrimento em condições favoráveis, dando origem a um
vaginal e ardor ao urinar e no homem também novo ser. Bactérias e fungos.
podem aparecer os mesmos sintomas. Reprodução sexuada. Ocorre com a
união de células reprodutoras especiais, os ga-
Herpes genital metas masculino e feminino. Nos animais, os ga-
Causada pelo herpes-vírus tipo 2 (HSV-2). metas são produzidos em glândulas reprodutoras
Surgem lesões que se iniciam por bolhas nos ór- chamadas gônadas. As gônadas masculinas são
gãos genitais e se transformam em feridas. Ainda os testículos e as femininas são os ovários.
não há cura para o herpes genital, e um dos riscos é
Processo de formação de gametas
a contaminação dos bebês no período de gestação. ou gametogênese
Condiloma acuminado (ou crista-de-galo) É o processo de produção de gametas
É uma DST causada pelo vírus HPV ou nos animais. Espermatogênese é a formação de
Papiloma vírus humano. Caracteriza-se pelo espermatozoides e ovulogênese, a formação de
óvulos. Nos animais vertebrados, a espermato-
aparecimento de verrugas nos órgãos genitais
gênese ocorre dentro das gônadas masculinas,
do homem e da mulher, podendo originar cân- que são os testículos. Os óvulos se formam den-
cer de vagina e de colo do útero, um dos tipos tro dos ovários, que são as gônadas femininas, e
de câncer mais perigosos na mulher. o processo se chama ovulogênese.

Tipos de fecundação
Fecundação é a união dos gametas.
Nos animais unissexuais (de sexos separados)
Na presença de qualquer sinal ou sinto- a fecundação é dita cruzada: o gameta mascu-
ma de uma DST, recomenda-se a procura de lino vai ao encontro do gameta feminino. Exter-
um profissional de saúde, para o diagnóstico na, se a união se faz fora do corpo da fêmea.
correto e a indicação do tratamento adequado. Interna, se a união ocorre dentro do corpo da
fêmea. Na autofecundação, o ser se reproduz
Fonte: Ministério da Saúde - Departamento de sem a participação de outro ser.
DST, AIDS e Hepatites virais.
► Hermafroditas ou monoicos são os
animais que possuem as gônadas masculina e
feminina num só corpo. Nesses animais, a fe-
cundação pode ser cruzada, como na minhoca,
ou por autofecundação, como na tênia.
► Dimorfismo sexual (di = 2 e morfo =
Reprodução forma) – quando os corpos apresentam caracte-
É o processo utilizado por todos os seres rísticas sexuais diferentes: o macho e a fêmea.
vivos para perpetuar a espécie.
Métodos Anticoncepcionais
Tipos de reprodução ou Contraceptivos
Reprodução assexuada. Ocorre sem a Método da tabelinha ou natural, camisi-
participação de células especiais. Pode ser: nha, pílula anticoncepcional, implante subcutâ-
► Cissiparidade ou Bipartição – divisão ao neo, vasectomia e laqueadura.
meio de um ser unicelular. Bactérias,protozoários
e algas unicelulares. Doenças Sexualmente
Transmissíveis (DSTs)
► Gemiparidade ou Brotamento – forma-
ção de brotos que podem se destacar, forman- AIDS, gonorreia, sífilis, tricomoníase, her-
do colônias. Esponjas e celenterados. pes genital, condiloma acuminado (vírus HPV).

Biologia 1 - Aula 6 66 Instituto Universal Brasileiro


a) ( ) dois óvulos foram fecundados por
um único espermatozoide.
b) ( ) um óvulo, fecundado por um es-
permatozoide, originou um zigoto, que se di-
vidiu em dois, formando dois embriões.
1. Metagênese é o mesmo que: c) ( ) um óvulo foi fecundado por dois
espermatozoides, constituindo dois embriões.
a) ( ) reprodução sexuada. d) ( ) dois óvulos, isoladamente, foram
b) ( ) reprodução assexuada. fecundados, cada um por um espermatozoi-
c) ( ) poliembrionia. de, originando dois embriões.
d) ( ) alternância de reprodução sexua-
da e assexuada. 6. Animais que apresentam características
externas que diferem macho de fêmea apresentam:
2. Assinale com (x) a única alternativa
correta. a) ( ) hermafroditismo.
b) ( ) dimorfismo sexual.
a) ( ) O zigoto é o resultado de diversas c) ( ) poliembrionia.
divisões sofridas pelo óvulo. d) ( ) intersexualidade.
b) ( ) O zigoto é haploide porque resulta
da união de duas células haploides. 7. HIV e HPV são vírus responsáveis por
c) ( ) O zigoto é diploide porque pode duas das principais doenças sexualmente trans-
entrar mais de um espermatozoide no óvulo. missíveis. Essas doenças são, respectivamente:
d) ( ) O zigoto é diploide porque resulta
da união de duas células haploides: o óvulo e a) ( ) gonorreia e sífilis.
o espermatozoide. b) ( ) sífilis e aids.
c) ( ) aids e condiloma.
3. Hermafrodita é um ser que: d) ( ) tricomoníase e herpes.

a) ( ) possui só um tipo de gônada. 8. A função das trompas de Falópio é:


b) ( ) possui a gônada masculina e a fe-
minina. a) ( ) produzir óvulos.
c) ( ) possui inicialmente uma gônada fe- b) ( ) captar o óvulo do ovário e conduzi-
minina, que depois se transforma em masculina. -lo até o útero.
d) ( ) não precisa de gônadas para pro- c) ( ) impedir a fecundação.
duzir gametas. d) ( ) produzir hormônios.

4. A função da pílula anticoncepcional 9. Nos vegetais superiores, a flor é o órgão


(método hormonal) é: de reprodução. Dentro do ovário, encontram-se os
óvulos que, após serem fecundados, originam as
a) ( ) induzir a menstruação. sementes, e o ovário cresce, transformando-se em
b) ( ) impedir a formação do endométrio. fruto. A banana é um caso de fruto sem sementes,
c) ( ) provocar o aborto. que cresceu por partenogênese. Isso significa que:
d) ( ) impedir a ovulação.
a) ( ) todos os óvulos da flor foram fe-
5. (UNESP) Uma senhora deu à luz cundados.
dois gêmeos de sexos diferentes. O marido b) ( ) apenas um óvulo foi fecundado.
deseja obter algumas informações sobre o c) ( ) o fruto se desenvolveu sem que
desenvolvimento de seus filhos, a partir da houvesse fecundação.
fecundação. O médico respondeu-lhe, corre- d) ( ) apenas os óvulos maiores foram
tamente, que: fecundados.
Biologia 1 - Aula 6 67 Instituto Universal Brasileiro
5. d ( x ) dois óvulos, isoladamente, fo-
ram fecundados, cada um por um espermato-
zoide, originando dois embriões.
Comentário. A fecundação consiste sempre
na união de um óvulo com apenas um espermato-
1. d ( x ) alternância de geração sexuada zoide. No caso de gêmeos idênticos, a célula-ovo ou
e assexuada. zigoto divide-se em dobro, resultando dois indivíduos
Comentário. A metagênese ou alternância muito semelhantes e sempre do mesmo sexo. Pode
de gerações ocorre nas samambaias e musgos e ocorrer que dois óvulos sejam eliminados cada um
em certos animais inferiores, como a água-viva. Es- de um ovário e fecundados ao mesmo tempo. Nesse
ses seres apresentam um ciclo de vida diplobion- caso, os embriões desenvolvem-se em placentas se-
te, isto é, numa geração os indivíduos são haploi- paradas, e os gêmeos são chamados fraternos ou di-
des (n) e na outra geração, são diploides (2n). A zigóticos (dois zigotos), podendo ser parecidos ou não,
planta da samambaia é diploide, isto é, desenvolve- do mesmo sexo ou não, como se fossem gerados em
-se a partir da união dos gametas masculino e femi- períodos diferentes.
nino. A certa altura, as células da face inferior das
folhas dividem-se por meiose, formando esporos, 6. b ( x ) dimorfismo sexual.
que são haploides (n). Os esporos ficam agrupados Comentário. Quando os caracteres sexuais
em “bolinhas” de cor marrom, bem visíveis, chama- secundários permitem distinguir dois indivíduos da
das esporângios. Cada esporo que cai na terra ger- mesma espécie, como sendo de sexos diferentes,
mina, formando uma plantinha minúscula, também estamos diante do dimorfismo sexual. As diferenças
haploide (prótalo), que dará origem aos gametas: podem estar na forma, no tamanho, nas proporções
masculino e feminino. Em condições favoráveis de das diversas partes do corpo etc. Nos insetos e nos
umidade, ocorre a fecundação e cresce uma planta peixes, por exemplo, a fêmea é maior que o macho.
diploide (2n) grande, com folhagens vistosas e mui- Já nos mamíferos e aves, os machos são maiores
to decorativas. que as fêmeas.

2. d ( x ) o zigoto é diploide porque resul- 7. c ( x ) aids e condiloma.


ta da união de duas células haploides: o óvulo Comentário. O HIV (Vírus da Imunodeficiên-
e o espermatozoide. cia Humana) e o HPV (Vírus do Papiloma Humano)
Comentário. As células reprodutoras ou são os causadores das mais graves doenças transmi-
gametas são chamadas células haploides porque tidas pelo sexo. Ainda sem cura, porém com tratamen-
têm a metade do número de cromossomos da es- tos eficazes para a manutenção da vida, essas doen-
pécie (haplo = metade). Esse número é represen- ças podem ser prevenidas com o uso da camisinha. O
tado por n. Na fecundação, as duas células haploi- condiloma, se não tratado em tempo, pode se desen-
des se unem, formando uma célula diploide (2n), volver em câncer de colo de útero, levando à morte por
chamada zigoto. atingir outros órgãos, como fígado e intestinos.

3. b ( x ) possui a gônada masculina e a 8. b ( x ) captar o óvulo do ovário e con-


feminina. duzi-lo até o útero.
Comentário. Os seres hermafroditas têm os Comentário. Quando o folículo ovariano se
dois sexos, mas, em geral, precisam de parceiros rompe, o óvulo é capturado pelas franjas da extremi-
para se reproduzir. Nesse caso, os animais trocam dade da trompa, chamada de oviduto. O interior da
espermatozoides, como as minhocas e também os trompa é revestido por células dotadas de cílios, que
caramujos, por exemplo. Em alguns pode ocorrer “empurram” o óvulo na direção do útero.
autofecundação, como é o caso da tênia. É impor-
tante não confundir hermafroditismo com reprodu- 9. c ( x ) o fruto se desenvolveu sem que
ção assexuada. houvesse fecundação.
Comentário. Na flor da banana, o ovário cres-
4. d ( x ) impedir a ovulação. ce, por ação de hormônios, antes que os óvulos sejam
Comentário. As pílulas anticoncepcionais são fecundados. Esse fenômeno é chamado partenogê-
constituídas de hormônios sintéticos (progesterona e nese, que também ocorre entre as abelhas, quando
estrógeno). Esses dois hormônios inibem a secreção de os óvulos não fecundados da rainha se desenvolvem
FSH e LH pela hipófise, impedindo a ovulação. originando machos.

Biologia 1 - Aula 6 68 Instituto Universal Brasileiro