Você está na página 1de 10

Razão e Liberdade

AULA 4 Mudanças no campo das ideias e na organização social exigem novas formas
de pensamento. As questões centrais do início da Filosofia contemporânea re-
fletem as problemáticas da Revolução Francesa e Revolução Industrial. As no-
vas ideologias fundamentam-se na razão e na liberdade.

Ideologia
Cazuza

Meu partido Frequenta agora


É um coração partido As festas do “Grand Monde”...
E as ilusões Meus heróis
Estão todas perdidas Morreram de overdose
Os meus sonhos Meus inimigos
Foram todos vendidos Estão no poder
Tão barato Ideologia!
Que eu nem acredito Eu quero uma pra viver
Ah! eu nem acredito...
Que aquele garoto Fonte: http://letras.mus.br/cazuza/43860/
Que ia mudar o mundo Trecho da música de Cazuza (1958-1990).
Acesso em 17.01.2013.
Mudar o mundo

Ideologia. Um conceito com inúmeras definições. Compare!


• Segundo o Dicionário Houaiss. “Conjunto de convicções filosóficas, sociais, políticas etc.
de um indivíduo ou grupo de indivíduos.”
(HOUAISS, Antônio. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009)

• Segundo Marilena Chaui, filósofa brasileira. “Conjunto lógico, sistemático e coerente de


representações (ideias e valores) e de normas ou regras (de conduta) que prescrevem aos membros
da sociedade o que devem pensar e como devem pensar, o que devem valorizar e como devem va-
lorizar, o que devem sentir e como devem sentir, o que devem fazer e como devem fazer.”
CHAUI, Marilena. O que é Ideologia? São Paulo: Brasiliense, 2001

Filosofia 1 - Aula 4 35 Instituto Universal Brasileiro


Filosofia Contemporânea
Linha do tempo através dos séculos

XVIII XIX XX XXI

Revolução Industrial (Século XIX) Era Digital (Século XX)

Tempos Modernos Os grandes avanços da Revolução In-


dustrial no campo da ciência, tecnologia, me-
A Filosofia contemporânea tem início no dicina e outras áreas, aliados à deterioração
final do século XVIII e se estende até nos- da tradição, da ética e da moral, entre outros
sos dias. O objeto de reflexão filosófica deste tópicos, levam a um constante questionamen-
período são as problemáticas decorrentes da to por parte dos filósofos e toda sociedade.
Revolução Francesa e da Revolução Indus- Como lidar com tantas incertezas, com a
trial. desumanização gerada pela evolução tecno-
O Iluminismo norteou a Revolução lógica, com a falta de segurança no futuro ma-
Francesa, acontecimento que mudou o cená- nifestada pela população, com as promessas
rio político e social da França, com grandes feitas e distorcidas da realidade efetiva?
filósofos como Voltaire, Jean-Jacques Rous- Este será o impasse da Filosofia con-
seau e Denis Diderot. temporânea: a crise de sentido diante de um
A Revolução Francesa é considerada mundo em crise.
o marco inicial da Idade Contemporânea.
A frase “Liberdade, Igualdade e Fraternida-
de”, atribuída a Rousseau, resume os prin-
cípios universais da democratização que
marca o desenvolvimento do capitalismo
ocidental, que ficam estampados na ban- Conceito é elaborado em 1823
deira francesa.
Ideologia. Ciência proposta pelo filó-
sofo francês Destutt de Tracy (1754-1836)
que atribui a origem das ideias humanas às
percepções sensoriais do mundo externo. A
ideologia seria, portanto, o conjunto de ideias
fundamentais que caracterizam um pensa-
Liberdade Igualdade Fraternidade dor, um grupo ou uma época. Também pode
referir-se à doutrina filosófica que estuda a
origem das ideias. A tendência da ideologia
é interferir no sistema social, econômico ou
cultural já existente, com propostas para
conservar ou transformar a situação atual.

Filosofia 1 - Aula 4 36 Instituto Universal Brasileiro


O cenário é de grandes mudanças e invenções

No final do século XVIII, com a Re-


volução Francesa, os grupos de burgueses
que tiveram ascensão econômica come-
çam a participar na construção de um novo
modelo de sociedade. Na nova organiza-
ção social, evidenciam-se também as aspi-
rações dos trabalhadores urbanos e rurais.
A partir da Revolução Industrial no
século XIX, as pequenas oficinas de manu-
fatura dos artesãos são substituídas pelas
fábricas; surgem novas fontes de energia
como o carvão, a eletricidade e o petróleo;
proliferam novas invenções tecnológicas
como a locomotiva elétrica, o automóvel, o
telégrafo, o telefone, o rádio.

O papel da Filosofia no mundo contemporâneo


Com todas as mudanças ocorridas em
consequência das grandes revoluções e in-
venções, uma das características da Filosofia
contemporânea é a multiplicidade de corren-
tes de pensamento, diferente da uniformida- O lema da bandeira brasileira
de que marca o desenvolvimento da Filosofia tem inspiração nas ideias de Comte.
moderna.
A Filosofia contemporânea apresenta
diferentes escolas que refletem a crise dos
sistemas políticos e sociais e o desenvolvi-
mento das ciências tecnológicas e humanas.
Os filósofos alemães Friedrich Hegel (1770–
1831) e Karl Marx (1818–1883) apresentam
propostas mais avançadas que pretendem
repensar o papel da Filosofia, de não ape-
nas interpretar o mundo, mas transformá-lo. As ideias de Comte tiveram grande influ-
Há também adeptos do pensamento mais ência na formação da república no Brasil. Tanto
conservador que defendem a sistematiza- que a frase da bandeira brasileira é uma ex-
ção do conhecimento, idealizado pelo filóso- pressão simplificada do lema político do pen-
fo francês Auguste Comte (1798–1857), na samento positivista desenvolvido por Auguste
teoria denominada positivismo. Comte: “O Amor por princípio e a Ordem por
Um dos aspectos que caracteriza a filo- base; o Progresso por meta”. Para Comte, o
sofia e que ganha expressão no mundo con- positivismo é uma doutrina filosófica, socioló-
temporâneo é a argumentação. E o papel da gica e política, que defende a ideia de que o
conhecimento científico é a única forma de co-
filosofia no mundo contemporâneo tem sido
nhecimento verdadeiro. Para os positivistas, o
dar espaço para a arte de argumentar, seja
progresso da humanidade depende exclusiva-
para propor ideias transformadoras, seja mente dos avanços científicos.
para defender posturas conservadoras.
Filosofia 1 - Aula 4 37 Instituto Universal Brasileiro
Tendências filosóficas contemporâneas
Os Idealistas Alemães Principais pensadores da Filosofia
contemporânea
Diferente dos iluministas franceses e
empiristas ingleses surge, na Alemanha, a Friedrich Hegel
Escola dos Idealistas que concentraram na (1770 - 1831)
mente, nos pensamentos e nas ideias o ca-
minho para o conhecimento. O idealismo ale- Filósofo ale-
mão começa no século XVIII com Kant, que mão idealista, He-
é considerado um dos mais influentes pensa- gel considerava a
dores da era contemporânea. O desenvolvi- realidade como um
mento do pensamento idealista prolonga-se produto da mente
até o século XIX com vários filósofos, dentre cósmica e dizia que
eles destaca-se Hegel. o universo, e tudo
dentro dele, está in-
O Pensamento Existencialista terligado.
Diferente da
O século XX marcou o surgimento do visão tradicional da história que resulta das mu-
pensamento existencialista em que a liberda- danças nas circunstâncias radicais, Hegel afir-
de humana é valorizada. Os filósofos segui- ma que estas só poderiam ser entendidas como
dores desta escola acreditam que não há ob- um enorme quebra-cabeça, em que cada peça
jetivos certos ou errados, que os indivíduos corresponderia a uma parte da história. Tam-
são livres para suas escolhas e responsáveis bém dizia que as mudanças materiais eram os
por suas ações. O dinamarquês Kierkegaard efeitos de um processo. Desenvolveu um sis-
(1813–1855) e o francês Jean-Paul Sartre tema filosófico para explicar a realidade, que
(1905–1980) são seguidores desta escola de chamou de dialética.
pensamento. A contribuição mais importante Segundo Hegel, tal processo dialético tam-
do pensamento existencialista é a ênfase so- bém explica a história do pensamento que, a cada
bre a responsabilidade do homem sobre seu era, desenvolve e acumula conhecimentos mais
destino e seu livre-arbítrio. avançados. O pensamento alcança uma síntese
que é igual ao ponto de partida, com uma dife-
A Escola de Frankfurt rença: o que estava sem explicações, no ponto
inicial, tornou-se claro no momento da discussão.
Também neste século surgiu uma es-
cola preocupada com questões referentes à
estética, às funções da linguagem e a uma
teoria crítica sobre a cultura denominada Es-
cola de Frankfurt. Herbert Marcuse (1898–
1979), Walter Benjamin (1892–1940), The- Dialética. Deriva do grego dialektike (te-
odor Adorno (1903–1969) e outros filósofos chne) significando discussão. É a arte de ra-
pertenceram a esse grupo. A principal linha ciocinar, lógica. Dialética refere-se, na Grécia
de pensamento desenvolvida por este grupo Antiga, à arte do diálogo, da contraposição e
é a teoria crítica, que, ao contrário da teoria contradição de ideias que leva a outras ideias.
tradicional, pretende desenvolver ideias liga- Aos poucos, passou a ser a arte de demons-
das aos problemas sociais, não só do ponto trar uma tese por meio de uma argumentação
capaz de definir e distinguir claramente os
de vista sociológico, mas também filosófico,
conceitos envolvidos na discussão.
com pretensões de transformar a sociedade.
Filosofia 1 - Aula 4 38 Instituto Universal Brasileiro
Dialética hegeliana: processo circular do pensamento

TESE
Proposição

Pensamento
DIALÉTICO
ANTÍTESE SÍNTESE
Oposição Conclusão

A dialética de Hegel pressupõe um argumento ou tese inicial, para então surgir outro argumento contrário,
denominado antítese; e, após a discussão, a conclusão, denominada síntese, que se tornaria uma nova “tese”.

Karl Marx Em seu livro, O manifesto comunista


(1818 - 1883) apresenta o capitalismo como um sistema
que escraviza, e aqueles que trabalham
Intelectual e filósofo alemão, fundador da pelo salário são chamados de “escravos
doutrina comunista, Karl Marx foi muito influen- do salário”, produzindo bens que jamais
ciado por Hegel, ape- usarão.
sar de discordar sobre Um dos pontos filosóficos propostos
a significação de histó- por Marx no Manifesto é que a consciência
ria como um resultado pode transformar explorados em sujeitos
do desenvolvimento de de suas próprias vidas.
ideias. Marx acredita- Marx e o economista alemão Friedri-
va que a história é um ch Engels elaboram a teoria marxista e
processo material, as- reformulam o conceito de dialética apre-
sim, dizia que eram as sentado por Hegel, a partir do contexto da
mudanças na maneira luta de classes que gera contradições, for-
de viver das pessoas mulando a dialética materialista que une
no âmbito real que as levavam às novas ideias, pensamento e realidade. A realidade é que
e não ao contrário. se apresenta como dialética.

Dialética marxista tem ótica materialista

Realidade
DIALÉTICA

Contradições no mundo material

Promovem a evolução e o desenvolvimento da matéria e do pensamento

A dialética marxista fundamenta-se na dialética hegeliana, mas promove uma inversão de pon-
to de vista. Enquanto para Hegel o pensamento é dialético, para Marx e Engels a realidade é dialéti-
ca. O marxismo transformou a dialética idealista hegeliana em dialética materialista. Marx diferencia
seu método do de Hegel em sua obra O capital, esclarecendo que a dialética materialista visa à
realidade concreta.

Filosofia 1 - Aula 4 39 Instituto Universal Brasileiro


Conceito de Ideologia segundo Existencialismo. Corrente filosófica
o Marxismo com pontos-chave ancorados na ideologia
do filósofo dinamarquês Kierkegaard. Para
Totalidade das formas de consciência esta vertente, a existência tem prioridade.
social, o que abrange o sistema de ideias que O existencialismo tem uma grande diversi-
legitima o poder econômico da classe domi- dade de escolas. Heidegger é considerado
nante (ideologia burguesa) e que expressa os o líder do existencialismo ateu. A vertente
interesses revolucionários da classe domina- existencialista alcança sua expressão má-
da (ideologia proletária ou socialista). xima com os trabalhos de Jean-Paul Sartre
que destaca a responsabilidade do homem
(HOUAISS, Antônio. Idem.) sobre seu destino e seu livre-arbítrio. Con-
fira a síntese do pensamento do autor neste
pequeno trecho:
Jean-Paul Sartre
(1905 - 1980) Porém, se realmente a existência pre-
cede a essência, o homem é responsável
Filósofo fran- pelo que é. Desse modo, o primeiro passo
cês existencialista, do existencialismo é pôr todo homem na
afirmava que “o posse do que ele é, de submetê-lo à res-
Homem faz a si ponsabilidade total de sua existência.
mesmo”, referin-
SARTRE, JP. O existencialismo é
do-se à ideia de um humanismo. São Paulo: Nova Cultural, 1987.
que o homem é
criativo e livre
para ir além de
sua condição, e
criar a própria
vida. Rejeitou a ideia da existência de uma
autoridade externa, Deus ou razão cósmica, Um casal de filósofos frente a frente
que regesse a vida das pessoas, pois dizia
que essa ilusão servia para confortar as pes- Jean-Paul Sartre conheceu Simone de
Beauvoir quando cursava a universidade. Os
soas e as mentes desesperadas.
dois estabelecem um vínculo amoroso que es-
Sartre sofreu forte influência de outros fi-
candaliza a França dos anos de 1930: um rela-
lósofos existencialistas, sobretudo do alemão cionamento aberto. Sartre propõe um pacto de
Martin Heidegger (1889-1976) que apesar de amor permanente essencial um ao outro, ape-
ter inúmeros escritos, não publicou o segundo sar de nunca se casarem e viverem com total
volume de sua obra principal O ser e o tempo. liberdade. Simone de Beauvoir também estu-
Heidegger destaca a questão do “ser” como dou Filosofia, mas se tornou uma figura de des-
essência, já Sartre foca a “existência” do ser. taque do movimento feminista, defendendo a
Jean-Paul Sartre, em seu famoso livro O ser igualdade entre os sexos. Sartre foi consagrado
e o nada (1943), explora dois modos de exis- como um grande filósofo contemporâneo. Mes-
tência: o existir por “estar” apenas em um mo quando separados por outros casos amoro-
sos, mantinham-se unidos e se comunicavam
lugar, como uma pedra, em oposição à cons-
por meio de cartas, reveladas em parte no li-
ciência de existir, que se traduz no envol-
vro Tête-à-Tête, uma biografia do casal escrito
vimento com o mundo. Afirmava que muitos pela escritora australiana, de origem britânica,
vivem como pedras na praia, incapazes de Hazel Rowley.
mudar a si ou o mundo ao se redor.
Filosofia 1 - Aula 4 40 Instituto Universal Brasileiro
Atuação dos Filósofos
Quando pensamos em que área a Filo- O desenvolvimento do pensamento
sofia atua, percebemos que em todo campo filosófico e crítico
de estudo há a atuação dos filósofos, que
estão preparados para pensar mais clara-
mente sobre os problemas, ensinando os jo-
vens, ou cientistas, a pensar e argumentar.
Deste modo, para exemplificar as áreas de
atuação da Filosofia como a história, a arte
e a política, citamos que enquanto pesqui-
sadores produzem ciência em diferentes
campos, os filósofos questionam o fato de
que nem toda produção é favorável à huma-
nidade.

História Arte Ética


Como você pode perceber, não podemos
separar a história da Filosofia da história do
mundo. Afinal, o filósofo vive os problemas de
seu tempo e tenta explicá-los através de um
Filosofia questionamento em que soma seus conheci-
mentos, sua cultura e sua vivência desenvol-
vendo, com isso, o pensamento filosófico.
O pensamento filosófico requer treino,
como tudo na vida. Um jogador de futebol,
para se tornar um craque, deve treinar diaria-
Política Estética mente; um filósofo treina o pensamento, as di-
ferentes maneiras de pensar, questionando e
Na área da política, a Filosofia ques- refletindo sobre as diferentes ideologias.
tiona sobre a justiça, qual seria a melhor Estudar Filosofia pode ajudar o homem
forma de governo, as relações de convi- comum a desenvolver o pensamento crítico
vência etc. No campo da ética é onde a Fi- por meio do questionamento. Este é um exer-
losofia consegue extrapolar sua atuação, cício importante para o crescimento como ser
pois os questionamentos envolvem os humano e cidadão: não aceitar verdades ou
costumes e hábitos dos seres humanos, ideologias, sem antes questionar. Aplique seus
e as mudanças comportamentais de uma estudos de Filosofia com perguntas reflexivas
época para outra geram muitos questio- sobre ideias e sobre o mundo real: “Quem fa-
namentos. Se abordarmos a área da es- lou? Por que disse isso? É útil para a humani-
tética, para muitos uma discussão mais dade como um todo ou apenas para mim?”.
atual, veremos que, assim como conceito Exercícios de pensamento são funda-
filosófico, o critério de beleza também foi mentais para aprender a refletir, a ser mais
debatido e transformado. crítico e a não aceitar o discurso de outros
A dialética, tanto idealista como ma- ou situações do mundo real, sem pensar a
terialista, passa por inúmeras leituras em respeito, a fim de definir uma posição, tomar
que as contradições permitem a evolução uma atitude consciente ou validar diferentes
do pensamento e da realidade material. conhecimentos ou ideologias.
Filosofia 1 - Aula 4 41 Instituto Universal Brasileiro
Principais pensadores

► Friedrich Hegel. Filósofo idealista


desenvolveu um sistema para explicar a re-
Filosofia contemporânea – Final alidade, que chamou de dialética. Trata-se
do século XVIII até a atualidade de um processo circular com uma proposi-
ção inicial ou tese, que na discussão é nega-
Filosofia contemporânea da pela antítese, para se chegar à síntese.
A Filosofia contemporânea tem início no A dialética de Hegel pressupõe um argu-
final do século XVIII e se estende até nossos mento ou tese inicial, para então surgir outro
dias. O objeto de reflexão filosófica deste perí- argumento contrário, denominado antítese; e,
após a discussão, a conclusão, denominada
odo são as problemáticas decorrentes da Re-
síntese, que se tornaria uma nova “tese”.
volução Francesa e da Revolução Industrial.

Período de grandes mudanças e in- ► Karl Marx. Intelectual e filósofo ale-


venções mão, fundador da doutrina comunista, Karl Marx
Com a Revolução Francesa os bur- foi muito influenciado por Hegel, apesar de dis-
gueses, e mais tarde os trabalhadores ur- cordar e reformular o conceito de dialética he-
banos e rurais, passam a ter participação geliana, a partir do contexto da luta de classes
na vida social. Com a Revolução Industrial que gera contradições, formulando a dialética
a manufatura dá lugar às fábricas, e proli- materialista que une pensamento e realidade.
A dialética marxista fundamenta-se na
feram-se as novas invenções tecnológicas.
dialética hegeliana, mas promove uma inver-
são de ponto de vista. Enquanto para Hegel o
Papel da Filosofia e tendências filo- pensamento é dialético, para Marx e Engels a
sóficas no mundo contemporâneo realidade é dialética. O marxismo transformou
A Filosofia Contemporânea apresenta a dialética idealista hegeliana em dialética ma-
diferentes escolas que refletem a crise dos terialista. Marx diferencia seu método do de He-
sistemas políticos e sociais e o desenvolvi- gel em sua obra O capital, esclarecendo que a
mento das ciências tecnológicas e humanas. dialética materialista visa à realidade concreta.
Os filósofos alemães Friedrich Hegel e
Karl Marx apresentam propostas mais avança- ► Jean-Paul Sartre. Filósofo francês
das que pretendem repensar o papel da Filo- existencialista, afirmava que “o homem faz a si
sofia, de não apenas interpretar o mundo, mas mesmo”, referindo-se à existência do homem
transformá-lo. que é criativo e livre para ir além de sua condi-
Há também adeptos do pensamento ção e criar a própria vida, assumindo a respon-
mais conservador que defendem a siste- sabilidade sobre seu destino e seu livre-arbítrio.
matização do conhecimento, como o po-
sitivismo idealizado pelo filósofo francês A atuação de filósofos e pensado-
Auguste Comte. As principais tendências res se estende a muitos campos: política,
representativas são: os idealistas alemães; ética, estética, arte, história. A dialética,
o pensamento existencialista; a Escola de tanto idealista como materialista, passam
Frankfurt. por inúmeras leituras em que as contradi-
A principal linha de pensamento de- ções permitem a evolução do pensamen-
senvolvida por este grupo é a teoria críti- to e da realidade material. O pensamento
ca, que, ao contrário da teoria tradicional, filosófico e crítico pode ser desenvolvido
pretende desenvolver ideias ligadas aos por meio do questionamento de ideolo-
problemas sociais, não só do ponto de vis- gias e situações da vida em sociedade,
ta sociológico, mas também filosófico, com contribuindo para a formação de indiví-
pretensões de transformar a sociedade. duos conscientes e atuantes.

Filosofia 1 - Aula 4 42 Instituto Universal Brasileiro


a) ( ) A história é um processo com
base no pensamento dialético.
b) ( ) As contradições do mundo real não
têm ligação com a evolução do pensamento.
c) ( ) O marxismo adotou o pensamen-
1. A respeito da Filosofia contemporânea to dialético de Hegel.
seria incorreto afirmar que: d) ( ) A dialética materialista considera
as contradições que surgem no mundo real.
a) ( ) tem como característica a unifor-
midade do pensamento filosófico. 5. A corrente filosófica denominada exis-
b) ( ) surgem muitos debates sobre a tencialismo tem como expressão máxima a
desumanização provocada pela tecnologia. concepção de que “a existência precede a es-
c) ( ) tem como marca a multiplicidade sência”, atribuída ao filósofo:
de escolas e correntes de pensamento.
d) ( ) chega-se a repensar o papel da a) ( ) francês Jean-Paul Sartre.
Filosofia. b) ( ) dinamarquês Kierkegaard.
c) ( ) alemão Friedrich Engels.
2. A Revolução Industrial transformou d) ( ) alemão Heidegger.
a vida da sociedade europeia, com grande
progresso humano e social. Neste contexto, 6. (Exame Supletivo 2012 SEED/SP) A
emerge o positivismo, ressaltando que o de- ideologia tem como função assegurar uma de-
senvolvimento da humanidade depende ex- terminada relação dos homens entre si e com
clusivamente dos avanços científicos. O prin- suas condições de existência, adaptando os
cipal representante do positivismo é o filósofo indivíduos às tarefas prefixadas pela socieda-
francês: de. Portanto, a ideologia assegura a coesão
e a aceitação sem críticas das tarefas mais
a) ( ) Immanuel Kant. penosas e pouco compensadoras, em nome
b) ( ) Auguste Comte. da “vontade de Deus” ou do “dever moral” ou
c) ( ) Walter Benjamin. simplesmente como decorrente da “ordem na-
d) ( ) Theodor Adorno. tural das coisas”.
(ARANHA, M. L. A; MARTINS, M. H. P.
3. Identifique as afirmativas que caracte- Filosofando. São Paulo: Moderna, 2007)
rizam o pensamento de Hegel e, em seguida, De acordo com o texto, a ideologia:
escolha a alternativa correta.
a) ( ) representa a realidade de manei-
I – Desenvolveu um sistema filosófico ra neutra, científica e objetiva.
idealista para explicar a realidade, que cha- b) ( ) mascara as desigualdades sociais
mou de dialética. em nome de valores morais e religiosos.
c) ( ) é a expressão fiel da moral correta
II – A dialética hegeliana apresenta uma e da vontade de Deus na terra.
tese, que é discutida por uma antítese para se d) ( ) é um conjunto de ideias que mani-
chegar a uma síntese. festa a verdade filosófica.

a) ( ) Somente I está correta. 7. O desenvolvimento do pensamento filo-


b) ( ) Somente II está correta. sófico pressupõe duas posturas básicas que são:
c) ( ) I e II estão corretas.
d) ( ) I e II estão incorretas. a) ( ) a lógica e a ideologia.
b) ( ) a aceitação e a objetividade.
4. Marque a alternativa que traduz uma c) ( ) a interiorização e a exteriorização.
das ideias de Marx. d) ( ) a reflexão e a crítica.
Filosofia 1 - Aula 4 43 Instituto Universal Brasileiro
a história era um processo material e que
as mudanças no modo de viver levavam as
pessoas às novas ideias e não a um pro-
cesso com base no pensamento dialético.
Marx sofre influências de Hegel, mas faz
1. a) ( x ) tem como característica a uma releitura da proposta hegeliana, inter-
uniformidade do pensamento filosófico. pretando que a dialética está na realidade
Comentário. A única afirmativa incor- e não no pensamento. Segundo Marx, são
reta sobre a Filosofia contemporânea cor- as contradições do mundo real que levam à
responde à alternativa a. Sua característica evolução do pensamento.
não é a uniformidade de pensamento e sim
a multiplicidade de correntes filosóficas, que 5. a) ( x ) francês Jean-Paul Sartre.
refletem os problemas advindos da evolução Comentário. A concepção existen-
da tecnologia e industrialização, suscitando o cialista de que “a existência precede a
debate sobre a desumanização. Alguns filó- essência” é atribuída ao filósofo francês
sofos chegam a repensar o papel da filosofia Jean-Paul Sartre. Se considerarmos as
neste novo cenário, de não apenas interpretar alternativas b e d é correto afirmar que o
o mundo, mas transformá-lo. existencialismo é uma corrente filosófica
que tem uma relação de ancoragem com
2. b) ( x ) Auguste Comte. a ideologia do dinamarquês Kierkegaard; e
Comentário. O positivismo é uma dou- que Heidegger exerceu forte influência nas
trina filosófica, sociológica e política, corren- concepções de Sartre. Mas a alternativa c
te desenvolvida pelo filósofo francês Auguste apresenta o economista alemão Friedrich
Comte, que defende a ideia de que o conhe- Engels que, junto com Marx, elaborou a te-
cimento científico é a única forma de conhe- oria marxista.
cimento verdadeiro. Para os positivistas, o
progresso da humanidade depende exclusiva- 6. b) ( x ) mascara as desigualdades
mente dos avanços científicos, portanto uma sociais em nome de valores morais e reli-
concepção perfeitamente sincronizada com giosos.
os avanços da Revolução Industrial. Comentário. Esta questão caiu no Exa-
me Supletivo 2012 da SEED/SP. Segundo
3. c) ( x ) I e II estão corretas o texto, a ideologia pode ser uma forma de
Comentário. O nome do sistema filosó- mascarar as desigualdades sociais quando
fico criado por Hegel é denominado dialéti- assegura a aceitação sem críticas das tarefas
ca e tem caráter idealista: trata-se de pen- mais penosas e pouco compensadoras, por
samento dialético. Consiste em um processo convicções religiosas ou morais. Portanto, a
circular que se inicia com uma tese, que é resposta correta, de acordo com o texto é a
discutida por uma antítese, para se chegar alternativa b.
a uma síntese. Por definição, a tese seria a
proposição inicial; a antítese, a ideia oposta 7. d) ( x ) a reflexão e a crítica.
que permite o confronto; e a síntese, a con- Comentário. As duas posturas básicas
clusão que resume a ideia apresentada e a para o desenvolvimento do pensamento filosó-
discussão. fico são a reflexão e a crítica. Podemos dizer
que a reflexão filosófica é o pensamento inter-
4. d) ( x ) A dialética materialista con- rogando a si mesmo: O quê? Por quê? Para
sidera as contradições que surgem no quê? A postura crítica faz parte do processo.
mundo real. O questionamento a respeito de ideologias e
Comentário. As afirmações das alter- situações da vida em sociedade contribui para
nativas a, b e c não traduzem a ideologia a formação de indivíduos conscientes e atu-
marxista. O filósofo alemão acreditava que antes.
Filosofia 1 - Aula 4 44 Instituto Universal Brasileiro