Você está na página 1de 9

Ética e Etiqueta Nas Artes Marciais

Maneiras Importantes
Na era da informação, estamos constantemente presenteado com mais escolhas e decisões difíceis do
que nunca. Ao mesmo tempo, a nossa sociedade fornece menos fontes de orientação moral positivo. As
artes marciais podem ser uma excelente oportunidade para o desenvolvimento de caráter e
comportamento ético. Aprender kung fu exige auto-disciplina. Isso inclui assumir a responsabilidade
por nossas próprias decisões e ações. Aqueles que atingir essa meta não é mais controlado por
emoções negativas (ou seja, raiva, inveja, medo, desejo e desespero). Eles tornam-se livres para lidar
com as demandas da vida diária de uma forma saudável e positiva. O Kung Fu promove o auto-
conhecimento e auto-desenvolvimento. Através da formação holística, podemos realizar os nossos
próprios pontos fortes e fracos, e usar essas informações para continuar a melhorar a nós mesmos e
refinar o nosso caráter. A auto-aceitação leva à paz e à consciência do nosso valor interior. Quando uma
pessoa aprende a respeitar e valorizar a si mesmos, eles vão ser capazes de mostrar respeito e valor em
relação aos outros. A maioria das pessoas têm uma compreensão básica do certo e do errado. No
entanto, a nossa voz interior é muitas vezes abafada, guiado pelas opiniões dos que nos rodeiam. No
caminho para o desenvolvimento moral, devemos aprender a tomar nossas próprias decisões, em vez
de sucumbir à pressão dos colegas e as tendências predominantes da sociedade. Diz-se que o
verdadeiro artista marcial incorpora não só a habilidade física, mas também um alto nível de
refinamento intelectual e moral. A ética do artista marcial questiona suas próprias ações e motivações, a
fim de entender melhor o seu próprio personagem. Estamos constantemente desafiados a crescer e
evoluir, encontrar o nosso próprio equilíbrio na jornada da vida.

Significado e Uso da Saldação

Os artistas marciais têm um código especial de ética e etiqueta. Curvar-se é um gesto importante, com
significado especial. Primeiro, ele mostra respeito para com outra pessoa ou princípio. Isso inclui a
tradição marcial na qual aprendemos, a nossa escola e seus fundadores, nosso professor e colegas de
classe. É também um gesto de humildade. Auto-respeito e humildade definir as bases para as virtudes
marciais. Em segundo lugar, curvando representa os ideais do verdadeiro artista marcial. No cultivo
dessas virtudes, podemos promover o nosso desenvolvimento intelectual e espiritual.

Onde e Quando

A saudação é sempre feito no início e no final do treinamento. O instrutor chama a classe para se
alinhar. Todos os alunos prontamente regressam ao seu lugar em linhas retas, de pé na postura de
sentido, de frente para o instrutor. O Sifu ou instrutor dará uma sugestão verbal. Neste momento, o
todos os alunos realizam a saudação. Curvando-se representa tanto respeito e humildade para o
Instrutor de uma escola e colegas, como reforça o conceito da estrutura familiar do kung fu, é uma
atitude saudável em relação à aprendizagem. A saudação é realizada cada vez que entrar e sair da área
de treinamento. Curvando-se, neste momento mostra respeito para a escola, as suas tradições e o
esforço que é colocada por todos que estuda kung fu, assim como um de compromisso pessoal com o
artista. Além disso, ele forma a intenção do praticante, ou atitude em uma que seja produtiva e
concentrada no esforço para a auto-aperfeiçoamento. Depois de cruzar o limiar para a sala de
treinamento, o ego deve ser deixado para trás, problemas pessoais e dificuldades devem ser
retiradas. A mente deve estar totalmente concentrado no treinamento. A saudação também é realizada
quando se faz uma forma ou manifestação tanto no início e no final do desempenho. Isto é semelhante
ao entrar e sair da área de treinamento. Em público, isto representa os princípios ilustrados no
provérbio:

"Antes de aprender qualquer arte, você deve primeiro aprender a civilidade e boas maneiras.
Antes de aprender a arte marcial, você deve primeiro aprender as virtudes ".

Quando mostramos a nossa arte para o público, é um privilégio para os outros testemunhar, uma honra
para nós para compartilhar. Outro significado corresponde à filosofia que, quando um artista marcial
começa alguma coisa, ele sempre termina. Ele não desiste no meio do caminho quando as coisas ficam
difíceis. Ele adere ao que é certo e segue completamente. Eles fazem um compromisso comsigo mesmo
e para os outros e o seu dever nunca é esquecido. Este é um princípio básico aplicado às artes
marciais, a educação, a um relacionamento ou família. Reconhecemos que temos uma responsabilidade
e estamos totalmente comprometidos. A mensagem que nós compartilhamos não é apenas o
refinamento físico, mas também o entendimento ético. O simbolismo de continuidade e conclusão é
refletido como parte do artista. A saudação também é feito ao santuário e aos professores da escola.
Isso é feito em um gesto de respeito as realizações e contribuições para o legado do kung fu, assim
como de reconhecer respeitosamente contribuições atuais de uma pessoa ou de esforços para a
formação da arte e seus ideais passados. Ao cumprimentar outros artistas marciais também é feito
curvando-se. Isto inclui o Sifu e alunos de outras escolas, os juízes em torneios, adversários de luta, e
assim por diante. Este é um gesto de boas maneiras, respeito e humildade mútua. O contato físico no
mundo marcial é visto, em certas circunstâncias, como um sinal de agressão. E assim, uma das razões
para não apertar as mãos é que ele permite que ambas as partes a permanecer em uma posição segura,
não ameaçadora, enquanto trocando uma saudação. Esta tradição persiste devido a um profundo
simbolismo associado com a curvatura. Quando nos curvamos, vamos mostrar respeito para o mundo
marcial e seus praticantes. Nós respeitamos o que fazemos. Todos os verdadeiros artistas marciais têm
o mesmo objetivo, e assim, usando este gesto não é limitada a nossa própria família kung fu. Por outro
lado, não importa se os outros não têm o mesmo padrão ou moral. Este é um padrão de etiqueta que
devemos defender. Independentemente do que os outros fazem, é preciso continuar a lutar para a auto-
perfeição. Como artistas marciais, nós temos nossos próprios padrões morais e nosso próprio código
de ética. Há vários gestos de protocolo e etiqueta usada no kung fu tradicional onde os quais todos que
usamos têm um significado único. Dos estilos inumeráveis e escolas de artes marciais de kung fu vem a
história mais longa, com a variação mais ampla na alfândega. Apesar desta grande diversidade, devido
às raízes comuns e desenvolvimento socio-cultural, há várias semelhanças de etiqueta e maneiras em
que artistas marciais reconhecem e expressam relação um ao outro em todo o mundo kung fu. Uma
dessas expressões é conseguido através da saudação marcial.

Simbolismo das Mãos e Saudação Com Arco

A saudação tradicional do Kung Fu que é em Mandarim o Quan Li (敬禮), ou em cantonês o Kin Lai
(敬禮) e deve ser executada com ambas as mãos. Existem 2 formas de execuar esse cumprimento, a
versão Marcial e a Não Marcial. Quando feito corretamente, este tipo de saudação é da mais alta classe,
e representa a maior dignidade e refinamento. Essa saudação é feita para indicar respeito e
agradecimento. Ao trocar um arco com uma outra pessoa, é de boas maneiras para iniciar o gesto, não
muito diferente de ser o primeiro a estender a mão em um aperto de mão.

Kin Lai (敬禮)


Saudação Kung fu

Embora presente em todos os estilos da milenar arte marcial chinesa, são poucos os que, ao
executarem, conhecem os significados tradicionais e históricos que envolvem essa saudação. Kin (敬)
significa saudar ou reverenciar, enquanto Lai (禮) significa cerimônia ou cortesia, ou seja, podemos
entender esse termo como “saudação de cortesia do Kung Fu” (功夫敬禮). O gesto de pousar a palma
da mão esquerda sobre o punho direito cerrado tem a princípio, a interpretação de que a “mão educada”
cobre a “mão agressiva”. Por essa razão, essa saudação é também compreendida como um gesto de
respeito e humildade. Na tradição do sul (Kwang Tung, Foshan, principalmente), a mão esquerda
representa o “Dragão Verde” (綠龍) que simboliza a energia yang, a energia masculina, a primavera, a
direção leste, e claro, o seu significado milenar de coragem e perseverança. A mão direita representa o
“Tigre Branco” (白虎) que simboliza a energia ying, a energia feminina, o outono, a direção oeste, bem
como o seu milenar atributo de força e proteção. Um antigo conto chinês narra o encontro de Lu Long
(Dragão Verde) e Pai Hu (Tigre Branco), de cujo acasalamento gerou-se muito poder, prosperidade e
uma abundante energia que foi emanada por todo o universo tornando-os por isso, inseparáveis. Outra
variação histórica se refere ao fato da mão esquerda aberta simbolizar a lua (月), ao passo que a mão
direita fechada simboliza o sol (日), e ao se unirem as duas simbolizam a clareza (明) no universo do
aprendizado. Na realidade, essa interpretação se originou na época das “sociedades secretas”, que
tinham como objetivo lutar pela restauração da Dinastia Ming (明朝), esta, que tinha sido derrubada
pela Dinastia Ching (清朝). Os membros dessas sociedades executavam essa saudação sendo que a
união das duas geravam a mesma interpretação Ming (明), mas nesse caso referindo-se à dinastia pela
qual lutavam para restaurar, cujo o lema era fan Ching fu Ming (翻清復明), algo que podemos traduzir
como “Derrubar Ching e restaurar Ming”. Mais tarde, uma contra-senha derivada desta saudação
chamada Wu Pai Xiang (五拜香), “os 5 incensos”, foi criada para proteger a integridade e manter o
anonimato dos membros destas sociedades secretas. Hoje, o Kin Lai, seguindo as tradições sulistas
chinesas, é executado ao adentrar no Mo-Kwoon (武 館), para o Sifu, para os membros da família, assim
como para aqueles que tomam parte da comunidade marcial. Executá-lo antes de iniciar e ao encerrar
os treinamentos técnicos demonstra respeito e gratidão, da mesma forma quando trocada entre
parceiros de treino. Claro que muitos praticantes continuaram executando essa saudação, digamos que
no “automático”, porém ele só será verdadeiramente Kin Lai se estiver imbuído de cortesia, respeito ou
gratidão.

Saudação Com Arco: Este arco é sempre feito sem qualquer objeto na mão. Idealmente, não deve haver
também nenhum alimento na boca e a boca deve ser fechada. A postura é ereta, pernas, costas e
pescoço são retas, com os pés juntos. Os braços devem subir a partir dos lados do corpo para nível
médio-peito, viajando em um arco suave em direção à linha central na altura do peito. Dependendo da
situação Usa-se a postura das mãos em Saudação Marcial ou a Saudação Não Marcial e o corpo se
inclina ligeiramente para a frente a partir da cintura e os braços empurrando ligeiramente para fora. A
cabeça é mantida com os olhos voltados respeitosamente sobre a pessoa ou para a área em que estão
se curvando. A posição curvada é realizada por 1 ou 2 segundos, em seguida, o corpo volta para a
posição vertical e os braços voltar para os lados do corpo.

Saudação Marcial: A mão direita fechada em um punho atende ao ar livre com a palma da mão
esquerda vertical no centro. Os dedos da mão esquerda são mantidos vertical e juntos, com o polegar
dobrado para dentro. O punho direito horizontal é centrado na palma esquerda aberta. O punho direito
permanece colocado na palma da mão esquerda aberta. Representa Respeito e gratidão. A Saudação
Marcial, é um modo mais utilizado entre os praticantes de Artes Marciais.

Saudação Não Marcial: A mão direita fechada em um punho atende ao ar livre com a palma da mão
esquerda cobrindo o punho Direito fechado. Os dedos da mão esquerda são mantidos juntos cobrindo
todo o punho fechado. Também Representa sinceridade, boas intenções e da busca permanente de
auto-aperfeiçoamento. O artista marcial vai para a frente com honestidade franca, verdade e justiça,
nunca impulsionada por ego ou desejo pelo poder. A Saudação Não Marcial, não faz parte do meio
marcial, ou seja, qualquer um que não seja praticante de Artes Marciais a usa.
Esse comprimento geralmente é a mão esquerda cobrindo a direita, mas se for o contrário isso é o sinal
de uma luta até a morte.

Mãos Reunidas: O verdadeiro artista marcial cultiva tanto as suas capacidades intelectuais e físicas,
que combina tanto para a auto-compreensão e requinte. Usar a inteligência (mão esquerda em palma) é
mais eficiente do que usar o punho (mão direita fechada). O encontro das 2 mãos representa a
combinação ideal dos 2 princípios, e a combinação destes, que substitui seu valor individual ou
conquista. O punho direito e palma esquerda simboliza os esforços no sentido da fusão dos ideais de
Wen e Wu, ou equilíbrio físico e intelectual total e harmonia. Deste modo, as capacidades marcial nunca
são empregues sem o equilíbrio de virtude marcial. Quando os personagens para o sol e a lua são
colocados juntos, a palavra Ming (明), que significa "Clareza” ou “esclarecimento", é formado. Antes de
se aprende kung fu, o caminho em direção a um conhecimento profundo e de auto-entendimento é
escuro e incerto. Através de diligente, esforço perseverante, tudo se torna claro. Uma avança, precedido
por ideais de Wen e Wu, com a luz da inteligência e da sabedoria adquirida através de kung fu para
iluminar o caminho.

Palma da Mão Esquerda Aberta: A mão direita aberta mescla 4 princípios básicos e humildade (polegar
abaixado como uma pessoa se curvando) A forma da palma da mão esquerda aberta representa a lua, e
os aspectos Yin relativos à teoria do Yin e Yang, como a passividade, produzindo, descanso e
reflexão. A palma da mão aberta esquerda representa Wen, os princípios literários, acadêmicos e
intelectuais, bem como o desenvolvimento de si mesmo através de seus ideais. A palma da mão
esquerda também representa Wu Te, virtude marcial, e o dever do artista marcial para manter e aderir à
ética.

Palma da Mão Esquerda Cobrindo a Direita: Este reflete que os princípios das artes marciais estão
enraizadas na teoria, filosofia e da virtude. A teoria (mão esquerda) cobre e governa o aspecto de luta
(punho direito). As técnicas de combate são portanto, ditada pelos princípios de civilidade, paz e
etiqueta.

4 Dedos Juntos: Os 4 dedos juntos representam todos no mundo marcial como sendo iguais. Entre os 4
mares, todos são honestos e abertos com o outro, surgindo com unidade e respeito mútuo para
promover a arte.

Polegar Dobrado: O polegar representa a si mesmo. Ele é dobrado para significar sua humildade, você
não se considere ser superior aos outros. O polegar dobrado é muito importante para dar uma
mensagem adequada quando se curvar.

Punho Direito Fechado: A mão fechada signifoca força, porque força sem os princípios não é nada. A
forma do punho direito representa o sol, e Yang, aspectos relativos à teoria do Yin e Yang, como força e
determinação, movimento e ação. O punho fechado da direita representa Wu, as tradições marciais,
artes marciais formação e o desenvolvimento de si mesmo através de seus ideais.

Ética nas Artes Marciais


Antes de aprender qualquer arte, você deve primeiro aprender a civilidade e boas maneiras.
Antes de praticar artes marciais, você deve entender a ética marcial.

Este provérbio realça a importância de assumir a responsabilidade por suas ações. Quando adquirir
habilidades privilegiados, temos a obrigação de nós mesmos e da sociedade para empregá-los com
justiça. Civilidade se refere às boas maneiras, cortesia, respeito e consideração pelos outros. A ética é
codificar o espírito das artes marciais. Os artistas marciais contam com esse código moral para cultivar
o seu corpo e sua mente e para orientar suas ações cotidianas. Tradicionalmente, o estudo das artes
marciais consiste em práticar as habilidades e aderência à ética. A prática de habilidades aguça nossos
corpos físicos, aguça os reflexos e fortalece a determinação. A adesão à ética confirma a nossa
obrigação moral para a sociedade. A ética é um indivisível do estudo da arte marcial e definem as
diretrizes morais para artistas marciais. Nos tempos antigos, as 3 qualidades de sabedoria, coragem e
compaixão são conhecidas como as 3 virtudes. Foi dito que, "O sábio não se deixa enganar, o bravo
não teme, e a compaixão não têm inimigo". A coragem que se fala aqui é um tipo mais elevado de
coragem. É a coragem de auto-sacrifício, de levantar-se para a verdade, independentemente do que as
chances são ou o que o custo pode ser. Não é a bravura mesquinha de provar sua auto-estima por se
envolver em rivalidade sem sentido, acrobacias loucas ou a intimidação de outros. Por isso ser corajoso
é fazer o que é certo. O objetivo, na prática de artes marciais é cultivar a mente eo corpo de uma
pessoa; não usá-lo como um meio para desabafar sua raiva, frustração ou problemas emocionais. O uso
da força é tolerada apenas em defesa própria ou em defesa daqueles que são indefesos. Ele não tolera
rivalidade sem sentido, acrobacias tolas, a intimidação dos outros, comportamento violento, atividades
criminosas, a vaidade auto-orgulhosa, quaisquer vícios ou dependências. O artista marcial exibe essa
coragem no uso de suas habilidades para satisfazer as exigências da ética e em defesa de seu país ou
outros seres humanos contra a violência injusta, ao ponto de auto-sacrifício supremo, se necessário. O
artista marcial também usa a ética como um quadro de referência para o seu comportamento e as
atividades diárias. Um instrutor é portanto, obrigado em primeiro lugar, selecionar cuidadosamente e
filtrar seus alunos e não apenas considerar a margem de lucro, como a linha de fundo. Em segundo
lugar, ele também tem a obrigação de ensinar tal ética aos seus alunos, juntamente com as habilidades
marciais para que eles possam desenvolver o caráter de um verdadeiro artista marcial.

Wu Te
武徳
O Wu Te, que é o codigo de Etica do Kung Fu. Cada família tradicional de Kung fu tem as sua regras e
preceitos. Porém é tão milenar quanto a arte marcial chinesa em si, o Wu Te, que abrange muito mais do
que as famílias e as escolas, mas a arte do Kung fu na sua totalidade. O Wu Te não pertence a nenhum
estilo de Kung fu. Todos os estilos estão nele.

"Certo dia um discípulo perguntou ao seu mestre de kung-fu: mestre qual é o melhor meio de
se lidar com a força? E o mestre e respondeu: fugir, nunca ir de encontro a ela, pois
almejamos a paz mas que a vitória. Perceba aos modos da natureza que nenhuma força lhe
fará mal. Não bata de frente com uma onda, evite-a pois você não precisa de ter a força, é
mais fácil, redirecioná-la. Aprenda mais métodos de preservar do que destruir. Evite em lugar
de deter, detenha em lugar de machucar, machuque em lugar de mutilar. Mutile em lugar de
matar. Pois toda vida é preciosa e também insubstituível. Porém as vezes deve se cortar um
dedo para salvar a mão."

Wu Te - Códico de Ética do Kung Fu


Um artista marcial...
Deve sempre cultivar e defender o Wu Te
Nunca deve lutar ou usar suas habilidades para intimidar outros
Nunca deve envolver-se em argumentos desnecessários
Nunca deve difamar ou menosprezar
Deve ser humilde e modesto e sempre prática a humildade
Deve entender o ancestral de todas as dificuldades e controlar sua raiva e emoções
Deve, por exemplo trazer Honra e Respeito as Artes marciais.

O Wu Te é dividido, basicamente, em 5 princípios e 4 Virtudes, sendo eles:

Chiang Hsun (謙遜) “Humildade”: Ser humilde não é fácil para um artista marcial. Isso é especialmente
verdade para aqueles que já têm algumas pequenas realizações. É fácil olhar para baixo sobre os outros
que são menos qualificados e tornar-se excessivamente vaidoso e arrogante. Também é fácil tornar-se
míope, muitas vezes elogiando a si mesmo e colocar os outros para baixo. O resultado é que, muitas
vezes desnecessários preconceitos existentes entre os diferentes estilos de artes marciais. O fato é que
todos os estilos têm seu próprio mérito e todos têm pessoas que atingiram altos níveis de
realizações. Determinar qual estilo é melhor que o outro não é possível nem necessário. O estudo da
própria arte marcial é uma viagem sem fim. Todos os que têm grandes realizações também apresentam
grande humildade. Isto porque, sem a humildade, ninguém é capaz de aprender. A uma pessoa mais
humilde, mais disposto ele está a aprender. Este é o pré-requisito para a obtenção do conhecimento.
“Como um copo vazio pode ser facilmente preenchido, uma mente aberta é a certeza de aprender”.
Mantenha a sua xícara vazia e não se preocupe com a sua titularidade ou posição, pois o orgulho e o
ego são venenos poderosos para matar a arte em você. Quando permitimos que eles se infiltrem no
nosso raciocínio, começamos a agir e tomar decisões tendo eles como base de referência. Humildade
não é sub-serviência e é algo que se deixa de ser quando se afirma ter.

Zun Ching (尊敬) “Respeito”: O respeito se inicia por ocasião de sua manifestação para consigo e para
com os outros, sendo conquistado e manifestado. Respeito à hierarquia é essencial, pois ocupa quem o
fez por merecer e assim, haverá o entendimento da sua posição e da posição dos outros e onde houver
entendimento haverá respeito e a existência de ambos não permite a manifestação do caos. Respeito
para aqueles que são altos e de quem você aprender é essencial para a aprendizagem. Sem esse
elemento básico, o professor não pode ensinar e o aluno não pode aprender. Este princípio pode ser
expandida para incluir o respeito pelos outros seres humanos, o respeito pela sociedade, as
instituições, as outras nações, culturas e todos os aspectos da vida e da natureza. Somente quando
houver um número suficiente de pessoas que compartilham este respeito podemos esperar para mudar
o nosso mundo de violência e caos em um mundo de paz e ordem. Isso então é talvez, o verdadeiro
espírito e objetivo final do caminho da arte marcial, para inspirar todos nós menos do que seres
perfeitos para se esforçar continuamente para a perfeição dentro de nós mesmos.

Jong Yu (荣 譽) “Honra”: A arte marcial chinesa do Kung fu tem fortes laços com a honra, por isso,
honre a arte, a família e os antepassados, mostrando lealdade, determinação e mantendo a pureza e a
essência. Foi graças a essas qualidades dos patriarcas do passado que a arte chegou até os nossos
dias e somente com a presença delas você conseguirá perpetuá-la para as gerações futuras. Um
verdadeiro artista marcial deve ter um alto caráter moral, ser aberto, franco e honesto. Ele ou ela nunca
deve ser intimidados pelo poder, corrompido pelo dinheiro, nem enfraquecida pelo desejo. Uma pessoa
nunca deve ser vaidoso, mas ele ou ela nunca pode ser sem orgulho. O verdadeiro artista marcial deve
ter orgulho suficiente para não ser usado e corrompido por outros, ou abaixar-se para ajoelhar-se aos
pés do rico e poderoso. Ele nunca permitirá que ela mesma a ser utilizada pelo mal. A independência ea
integridade de caráter pessoal deve ser defendida a todo o custo, para que possamos estar alto em
qualquer circunstância. Ao fazê-lo, sempre vai ter uma consciência clara e força justo. Esta é a
manifestação física do espírito marcial através dos princípios fusão da forma e da arte.

Hsin Yong (信用) “Confiança”: Estabeleça o vínculo de confiança de seu mestre para com você, e de
você para com seu mestre. Mantenha e solidifique esse vínculo confiando no seu aprendizado e no seu
tempo. No momento propício para o seu avanço e aprofundamento na arte o seu mestre saberá. Não
peça conhecimentos ao seu mestre, e sim prepare-se para recebê-lo.

Tao Te (道徳) “Virtude”: É sub-dividido em outras 4, sendo elas, A Serenidade, A Coragem, A


Prudência, e A Justiça.

Chéng Yì (誠意)“Serenidade”: É a moderação para manter-mos a racionalidade e a sensibilidade diante


de todas as facetas da vida. A sua prática da arte não tem como finalidade consumí-lo dentro de uma
sala de treinamentos, mas sim, enriquecer as nossas vidas estimulando o autoconhecimento e o
equilíbrio para aplicarmos em todos os setores da nossa vida cotidiana.

Yǒng Qì (勇氣) “Coragem”: A vontade de defender a verdade e a justiça é uma virtude tradicional nas
artes marciais. Este é um teste importante do verdadeiro valor de uma pessoa. Em tempos de perigo ou
de crise, um artista marcial deve se levantar e ser contado. A disposição para o sacrifício é a marca de
um verdadeiro artista marcial. Nenhum esforço humano nunca pode ser possível sem algum sacrifício.
Está na capacidade de agir quando confrontado pelo medo, que atua em nós tanto no aspecto físico
como mental. Sua manifestação física ocorre ao estarmos assustados com algo, um lugar, um ambiente,
uma pessoa ou uma situação, enquanto que mentalmente, ele se refere principalmente ao medo do
fracasso. O kung fu pode e deve proporcionar a segurança e a coragem necessárias para que nos mova
através da vida, enfrentando o medo com a determinação necessária para não se deixar paralisar.

Yùfáng Cuòshī (預防措施) “Prudência”: A prudência está na abordagem com discernimento sobre
todas as situações que a vida coloca diante de nós. Atentar a todos os resultados de qualquer ação nos
propicia a sensibilidade, a sabedoria e o discernimento inspirados em fatos, conhecimento e
experiência, minimizando a ansiedade e controlando a impulsividade.

Zhèng Yì (正義) “Justiça”: Para que ela seja plena, é necessário que tenhamos compreendido cada
princípio e cada virtude do Wu te. Justiça e sabedoria tem que caminhar juntas.

Disciplina , conduta e etiqueta forma o elo unificador entre os praticantes de artes marciais. Eles são um
pré-requisito para dominar qualquer forma de kung fu. Artes marciais chinesas não servem apenas
como sistemas de combate, mas também servir como um meio insuperável para disciplinar a mente,
alcançar a saúde perfeita e encarnam virtudes próprias. A disciplina é o exercício do autocontrole. Nas
artes marciais, este conceito engloba as emoções, ações e atividades mentais de seus praticantes. É um
dos pilares da qual o domínio é atingido. Qualquer realização de valor requer uma certa dose de
dedicação, esforço e disciplina. Isto não é menos evidente em treinamento de artes marciais.Todos os
aspectos do kung fu exige a harmonização da mente e do corpo. Esta harmonização é conseguido
através do foco mental e concentração combinada com a respiração adequada e técnicas físicas
precisas. Nos níveis iniciais, a disciplina é nutrida pelo instrutor. Com a prática, o objetivo final de auto-
disciplina emerge. Neste ponto, o aluno explora o seu potencial latente e o corpo ea mente começam a
funcionar de forma integrada. Com o tempo, o aluno se transforma em um indivíduo forte, capaz e
confiante. Ele se destaca não só em sua arte marcial, mas em todos os empreendimentos de sua vida. A
Conduta refere-se à maneira pela qual se comporta em palavras e ação. No kung fu, este conceito inclui
as atitudes, estilo de vida, bem como o comportamento social e moral do praticante. As habilidades
aprendidas com a prática de artes marciais deve ser contra-balançada por boa conduta. As Artes
marciais chinesas têm baseado o seu modo de vida e seu comportamento Espiritual, moral e social
sobre preceitos budista, confucionista e taoísta. Centralizar para esses ensinamentos é o conceito de
não-violência, respeito por si mesmo e aos outros, a lealdade a sua família e do país, e os seguintes da
maneira natural. Assim, um praticante de artes marciais não é apenas um atleta superior, bem versado
em combate, mas também um cidadão íntegro, com boas virtudes morais e sociais. A etiqueta é o modo
socialmente aceitável de comportamento. Em artes marciais, grande ênfase é colocada na
aprendizagem de etiqueta apropriada. Ele serve como o padrão tradicional, cultural e social, que os
profissionais são educados em kung fu. É também um meio de aperfeiçoar o caráter incutir respeito,
humildade e disciplina. A saudação marcial serve como um exemplo de etiqueta apropriada. O aluno
mostra respeito por fundadores do passado e os defensores e praticantes atuais quando ele se curva ao
entrar e sair da área de treinamento. Ele mostra respeito, apreço e humildade quando ele se curva ao
seu professor. Ele também mostra respeito quando ele se curva aos seus colegas de classe e membros
da família kung fu.