Você está na página 1de 12

Projeto de Orientação Profissional/Vocacional

1. Entrevistas:

Modelo - Ficha de Anammese

Cada aluno é uma pessoa dotada de um rosto, personalidade, características e história de vida própria,
os quais interferem em seu desenvolvimento.

Para conhecer um pouco da história de cada aluno, buscando ajudá-lo a orientá-lo, organizamos este
questionário, considerando os aspectos hereditários, suas condições físicas intelectuais e emocionais,
as influências ambientais, familiares e sociais. Esta ficha e confidencial e somente o setor de
autorização terá a mesma.

Agradecemos antecipamente à confiança e a cooperação com o nosso trabalho junto ao seu filho.

I-Identificação

Nome Completo:
Idade:
Data de Nascimento:
Naturalidade:
Nacionalidade:
II – Informações familiares

Irmãos:
Nome:
Sexo:
Idade:
Escolaridade:
Há parentes ou outras pessoas morando com a família?
III – Convivência familiar

1.Passa a maior parte do tempo com:


Pai_____ Irmão_____ Mãe_____ Empregados _____ Avós_____ Outros_____
2. A quem recorre quando tem alguma dificuldade?
3. Costuma procurar os pais para:

Contar novidade ____pai ____mãe

Pedir explicações ____pai ____ mãe

Contar um problema ____pai ____mãe

Solicitar ajuda _____pai ______mãe

Pedir sugestões _____pai ______mãe

IV – Desenvolvimento motor e da linguagem


Apresenta alguma dificuldade motora? Qual?

V – Desenvolvimento emocional

1.Além dos pais, há outras pessoas que envolve em sua educação?

2. Há parentes ou outras famílias ligadas à sua vida? Quem?

Recebe instrução religiosa?Qual? _____Sim _____Não

Você gosta de:

____Ouvir histórias _____Assistir TV _____Ir ao Teatro _____Outros

____Prestar pequenos serviços em casa

Dados Finais

Data do preenchimento _____/____/_____.

Nome do informante.

Atenciosamente,

Equipe Orientação Vocacional

2. Personalidade:
a) Questionário:
1. Cite três profissões que gostem ou algum interesse?
2. Você sabe alguma coisa dessas profissões?
3. Você tem apoio familiar a sua escolha profissional. Quais são as influências realizadas por eles?
4. Estas profissões são espelhadas em alguém (amigo, familiar, etc.).
5. Quais os principais aspectos a serem considerados na escolha da profissão?
6. Que objetivo você pretende atingir através da profissão?
7. Você deve ter ouvido a frase: “fulano escolhe a profissão certa”. Como você entende isso? Há mesmo
profissões certas para as pessoas?
b) Dinâmica:
· Técnica das frases para completar
Essa técnica foi apresentada originalmente por Rodolfo Bohoslavsky, em seu livro Orientação
Vocacional – a estratégica clinica, e adaptada por mim à realidade dos jovens brasileiros. Também
acrescentei algumas frases que trazem questões importantes para serem discutidas nos grupos de
Orientação Profissional.
Objetivos:
Auxiliar no diagnóstico da situação do orientando sobre sua possibilidade de escolha.
Consigna
“Esse material o ajudará a conhecer-se melhor, a pensar mais em você mesmo e nas coisas que faz
parte do seu mundo. Por isso é importante que você seja sincero e espontâneo ao realizá-lo. Complete
as frases no espaço necessário use o verso da folha.”
1. Eu sempre gostei de ..........
2. Me sinto bem quando...........

3. Se estudasse............

4. Às vezes acho melhor............

5. Mês pais gostariam que eu.............

6. Me imagino no futuro fazendo.............

7. No curso secundário sempre..............

8. Quando criança queria...........

9. Quando penso em vestibular............

10.Meus professores pensam que eu.........

11. No mundo em que vivemos, vale mais a pena ............ do que .............

12. Se não estudasse..............

13. Prefiro..................do que.................

14.Comecei a pensar no futuro....................

15. Não consigo me ver fazendo....................

16. Quando penso na universidade................

17. Minha família...................

18. Escolhe sempre me fez..................

19. Uma pessoa que admiro muito é.....................por..................

20. Minha capacidade............

21. Meus colegas pensam que eu.................

22. Estou certo de que.........................

23. Se eu fosse.......................poderia...............

24. Sempre quis.................mas nunca poderei fazer..................

25. Quanto ao mercado de trabalho....................

26. O mais importante na vida.........................

27. Tenho mais habilidades para..................do que....................

28. Quando crianças, meus pais queriam.....................

29. Acho que poderei ser feliz se..................

30.Eu.....................

Comentários
Essa técnica é de grande valia no momento inicial do grupo. Geralmente eles gostam de responder às
questões, pois elas estão diretamente relacionadas com suas ansiedades no momento da escolha. Pode
ser trabalhada de diversas maneiras: pedindo que discutam em duplas, que escolham as mais difíceis
ou as mais fáceis de responder para discutirem, ou ainda distribuir as frases aleatoriamente e cada um
adivinhar quem respondeu.
c) Atividades sobre a família e suas idéias:

· Convidara família a ir à escola, porque assim pais e alunos fazem à devida discussão sobre as
expectativas familiares sobre o filho, os conflitos, com isso os jovens compreendem a
participação da família como mais um dos determinantes de sua escolha profissional.

· Texto para reflexão:

Título: Como Fazer?


Vamos começar pelo óbvio: a vida é feita de escolhas. A gente escolhe a roupa que vai vestir o estilo de cabelo
que vai usar. A gente escolhe a namorada ou o namorado. E a gente escolhe a profissão. Nem sempre foi
assim: durante séculos, meninos que nasciam no campo muito cedo tinham de ajudar o pai na lavoura. Não
havia opção, ou, ao menos, não havia opção sem conflito. Mas, para uma boa parte da população brasileira, a
escolha profissional é hoje uma coisa possível. Possível não quer dizer fácil: às vezes o processo de optar por
esta ou por aquela carreira é problemático e até angustiante. Aqui vão algumas considerações que têm o
propósito de ajudar neste processo.
Na escolha intervêm basicamente dois componentes: aquilo que a pessoa gostaria de fazer, e às vezes gostaria
muito de fazer (o que é chamado de vocação), e aquilo que é conveniente fazer. Se você anunciar em casa que
quer ser poeta seu pai ficarão preocupados; eles sabem que livros de poesia não vendem muito e que será
problemático ganhar a vida desta maneira. Dirão: escolha outra profissão, e faça poesia nas horas vagas.
Funciona? Às vezes funciona. Carlos Drummond de Andrade, grande poeta, era funcionário público. Isto não
impediu que produzisse uma grande obra. A melhor situação é aquela em que a pessoa tem uma vocação que
atende a uma necessidade social evidente: alguém que tem paixão por ensinar, por exemplo. Quando isto não
acontece, temos duas opções: fazer aquilo de que gostamos, ou aprender a gostar daquilo que fazemos. De
qualquer maneira, gostar é aí (como em qualquer outra situação) um verbo essencial. Isto é uma consideração
geral, não muito prática, mas que serve de ponto de partida para orientar a escolha. Agora vamos à outra
consideração. Quando eu fiz vestibular, isto na pré-história, as opções (ao menos na minha cidade, Porto
Alegre) eram poucas: medicina, engenharia, direito, arquitetura, filosofia e mais algumas. Hoje é incrível a
variedade de cursos que as universidades oferecem. E um fenômeno novo também está ocorrendo: as pessoas
trocam muito de curso (às vezes como quem troca de roupa). "Não gostei" é a explicação mais freqüentemente
dada para isso; como gostar é importante, parece ser razão suficiente. Mas pode nascer de um equívoco. Uma
coisa é o curso, outra coisa é a profissão à qual este curso conduzirá. Às vezes o curso é decepcionante,
sobretudo nos primeiros semestres, mas a profissão é uma excitante aventura. Portanto, um bom conselho é
não confundir as duas coisas. Escolha profissional deve ser baseada em um conhecimento da profissão, do que
ela significa no dia-a-dia da pessoa.Finalmente, uma terceira ponderação. Se a opção é difícil, se ela lhe causa
angústia, não hesite em pedir ajuda. Fale com pessoas mais velhas, mais experientes. E ah, sim, recorra ao
auxílio psicológico se você sentir que o problema é muito grande. Muitas vezes a opção torna-se problemática
porque nós estamos vivendo um momento problemático. Descobrir quem somos, e o que queremos, é
importante, e um tratamento pode ser fundamental para isto. Finalmente, lembre-se: profissão é essencial na
vida, mas a vida é maior que a profissão. E você sempre pode contar com a energia da vida para atingir seus
objetivos.
Moacyr Scliar nasceu , RS, em 1937. Médico especialista em saúde pública, é autor de mais de 40 livros, entre ensaios, crônicas, contos e
romances. Alguns de seus livros foram traduzidos e publicados nos EUA, na França, na Alemanha, em Israel, na Espanha e na Holanda.
Sua obra obteve prêmios importantes, como o Prêmio Casa de las Américas, em 1989.
3- Interesses:

a)Áreas de interesse profissional:

· Dinâmica: Técnica da cadeira Vazia

Objetivos
Trabalhar de maneira descontraída a questão da escola de uma profissão e suas dificuldades.
Consigna
Coloca-se uma cadeira vazia no meio da sala como o nome de uma pessoa que será entrevistada. Pode
ser um profissional, um familiar ou o próprio orientador. Três alunos são escolhidos para se sentar atrás
da cadeira e responder, enquanto o restante do grupo faz as perguntas. Estas podem ser referentes à
profissão escolhida pelo entrevistado, às dificuldades que enfrentou, as atividades que desempenha.
Comentários
Colocar o próprio jovem para responder as perguntas no lugar do profissional auxilia-o a entender
melhor suas próprias dificuldades para escolher. Muitas vezes, no final ele comenta que não imaginava
que fosse assim, que ele soubesse bastante sobre aquele profissional e o que despertou estando no
seu ligar. Isso permite que várias facetas de uma mesma profissão possam ser trabalhadas, uma vez
que três pessoas podem responder de três maneiras diferentes à mesma pergunta.
b)Exercícios para investigação das áreas de interesse.

· Exercícios de Pesquisa:

-Procurar todas as informações disponíveis sobre à área em que se deseja atuar(livros, internet, etc.);

-Proporcionar uma conversa com os profissionais da área escolhida, o que pode ser feita uma
entrevista com os profissionais ou das áreas de interesse para que seja de valia dos alunos quanto a
carreira a seguir, como: opiniões do mercado de trabalho, informações que possa auxiliá-lo nesta
escolha;

-Visita ao ambiente de trabalho desses profissionais;

· Dinâmica: Técnica das atividades Profissionais

Objetivo
Auxiliar o jovem a imaginar alguns tipos de atividades profissionais que gostaria de desempenhar.
Consigna
Assinale quais destas atividades você poderia desempenhar sentindo-se bem:
( ) atendimento a pessoas;

( ) movimentação em ambientes fechados;

( ) trabalho com as mãos;

( ) trabalho em equipe;

( ) ligado a instituição;

( ) que envolva instrumento de precisão;

( ) organização e sistematização de publicações;

( ) pequenos movimentos manuais precisos;

( ) que permita trabalhar em mais de uma lugar;

( ) que exija compreensão verbal;

( ) horário fixo;

( ) que envolva desenho a mão livre;

( ) desenvolvida em ambientais fechados;

( ) que exija estar bem vestido;


( ) convencer pessoas;

( ) atendimento a pessoas necessitadas;

( ) trabalhar sozinho;

( ) execução gráfica rica em detalhes;

( ) por conta própria – autônomo;

( ) manipulação de substâncias;

( ) uniformizado;

( ) horário livre;

( ) que permita traje informal;

( ) imaginar coisas novas;

( ) ajudar pessoas;

( ) que auxilie a transformação de mundo;

( ) ao ar livre;

( ) ligado à construção;

( ) direto com a natureza;

( ) que exija responsabilidade e decisão.

Liste, para cada item assinalado, aquelas profissões que você acha que envolveriam esse tipo de
requisito. Coloque todas que lhe vierem à cabeça.
Escolha três requisitos que você mais gostaria de desenvolver, e explique por que você se sentiria bem
atuando dessa forma.
Comentários
Essa técnica já existe descrita na literatura disponível, mas como fiz algumas alterações, achei
importante a sua publicação. Pode ser utilizada como preparatória para a técnica R-O, descrita por
Bohoslavsky e adaptada por mim (1987), pois auxilia o jovem a tomar contato com as inúmeras
atividades profissionais existentes. Geralmente o jovem se vê colocado frente à situação de escolha
pela primeira vez. Isso provoca ansiedade, que vai sendo trabalhada ao longo do processo.
c)Atividades sobre coisas que gosto de fazer

· Dinâmica: Técnica Gosto e Faço

Objetivos:
Levantar as atividades que cada um gosta de executar.
Discutir sobre os sentimentos relacionados com essas atividades.
Auxiliar a discriminar os diferentes vínculos que estabelecemos com as diferentes atividades.
Levar o jovem a se conhecer melhor por meio de uma conscientização do seu cotidiano.
Consigna
Fazer um quadro das atividades que realiza em seu cotidiano:
gosto e faço gosto e não faço

Não gosto e faço não gosto e não faço


Comentários
Geralmente o jovem gosta de realizar essa atividade, pois é um momento em que pode parar para
pensar em si mesmo por meio das coisas que realiza no seu dia-a-dia.
É importante que o coordenador do grupo realize a tarefa em si próprio antes de aplicá-la no jovem e
possa discuti-las com algum colega de trabalho.
Outro aspecto importante a ser analisado é em qual dos quadrantes se concentra o maior número de
atividades: se for no quadrante “não gosto e faço”, é bom pensar melhor no assunto: por que fazemos
tantas coisas de que não gostamos? Como podemos mudar essa situação? Ou, se for no quadrante
“gosto e não faço”, ver o que está acontecendo e avaliar o que o está impedindo de realizar coisa de
que gosta.
4- Valores:

a) Atividades para investigação dos valores:

O que diz respeito o que norteiam as ações dos indivíduos: valores estes de ordem social, aquilo que
poderiam demonstrar alguma preocupação com a sociedade como um todo.
b) Dinâmica:

· Técnica de Apresentação (cores)


Objetivos
Tomar os momentos do grupo conhecidos a partir de características comuns e diferentes entre eles.
Consigna I
Distribuir no chão papéis coloridos e solicitar que cada um se levante e escolha um papel. Depois cada
participante deve procurar os companheiros que têm a mesma cor e formar um grupo. Cada grupo
deverá criar uma forma de apresentar-se, de maneira que todos estejam contemplados. Ao se
apresentarem, devem estar falando de todos ao mesmo tempo. Ao final, cada
Comentários
Surgem maneiras bem diferentes e criativas de se apresentarem, por meio de poesia, jogral, ou mesmo
dramatizando uma situação. O mais importante é o processo de conhecimento e a descoberta das
semelhanças entre lês. Surge o sentimento de grupo, por não se sentirem mais sozinhos em sua
dificuldade de escolher.
5- Informação Profissional: Biomédicas

a) Fontes de Informação Profissional:

Será montada uma feira profissional com os alunos da 8ª série, que terá vários estandes (que tem que
ter no mínino um banner, decoração de acordo com a profissão escolhida), de várias áreas da
Biomédica. Todos na banca têm que está ciente do que se trata a profissão, para passar aos visitantes
as dúvidas e os questionamentos que irá acontecer durante as visitas aos estandes, como:
- quanto ganha;
- mercado de trabalho;
- equipamentos;
- quantas horas de trabalho por dia;
- o que estudar exatamente;
-quantos anos de estudo são necessários, na Graduação, Pós-graduação, participação em congressos;
b) Roteiro de entrevista para informação profissional:

Entrevista a um profissional:
Nome:
Idade:
Formação:
Cargo:
Empresa:
1. Fale-nos sobre as atividades que envolvem o seu dia-a-dia.
2. O que a motivou a optar por esta área?
3. Há quantos anos você atua nesta área?
4. Quais as dificuldades encontradas para atuar nesta área?
5. Qual a média salarial de um recém-formado?
6. Qual a expectativa salarial após cinco amos de formado?
7. Como está o Mercado de trabalho nesta área?
8. Quais as opções de trabalho para um profissional formado nesta área?
9. O Estágio é importante? Você passou por esta experiência?
10. Uma sugestão ao leitor indeciso quanto à escolha da carreira a seguir.
c) Atividade: Cartões de profissões

· Dinâmica da troca

Objetivo
Conhecer as especialidades dentro da Biomédica; identificar a especialidade que mais atrai; posicionar
quando ao atendimento.
Consigna
Solicitar que todos se levantem pedir para formar duas filas e que vire de frente para o outro formando
dupla. Nomear as filas, por exemplo: fila número 1 e fila número 2. Pedir para simular o atendimento,
assim que o coordenador nomeá-los.
-A fila um fará o papel do cardiologista e a fila dois fará o papel de paciente.
Será cronometrado esse tempo. E assim, nomear várias especialidades.
Comentários
Depois solicitar que todos se sentem e comente como cada um se sentiu em exercer o papel de
paciente e de especialista naquela profissão.
d) Atividade: Procurando emprego
Solicitar aos orientados que façam uma pesquisa em jornais de caderno de emprego, assim eles
possam verificar como está o mercado de trabalho, referente a sua área profissional.
6- Etapas final do processo

a) Exercício: Análise e reflexão sistematizada


· Dinâmica: Técnica da Carta de Despedida
Objetivos
Fazer uma avaliação do trabalho desenvolvido no grupo> Trabalhar a separação do grupo, os
sentimentos despertados.
Consigna I
Solicitar que cada participante escreva uma carta despedindo-se do grupo, comentando como se sentia,
se gostava ou não, se foi útil, o que mais apreciou e o que menos apreciou. Depois, em grupo, todos
lêem suas cartas e discutem. As cartas podem ser trocadas antes de serem lidas para o grupo todo.
Consigna II
Solicitar que cada um escreva uma carta para uma pessoa amiga que não tenha participado do grupo,
contando como foi, que coisas mais apreciou, em que ajudou na sua escolha e como gostaria que
tivesse sido.
Comentários
É importante de ser trabalhada a separação do grupo, pois o envolvimento é proporcional à sua vontade
de que ele não acabe sendo muitas vezes difícil para o grupo se separar. Essa técnica permite que os
participantes verbalizem as suas emoções em relação ao trabalho desenvolvido.
b) Atividade: Programação para o futuro
· Dinâmica: Técnica do cartaz – Integração do tempo
Objetivos
Facilitar e dinamizar processos de associações e expressão de aspectos inconscientes que são
sugeridos pelo material oferecido. Propor uma reflexão sobre o passado, presente e futuro.
Consigna
Propor ao jovem fazer uma colagem utilizando em revistas e recortando as imagens por ele escolhidas.
Ele deverá mostrar como vê o seu passado, presente e futuro em relação à sua escolha profissional.
Pode-se utilizar as seguintes questões:
“Como eu vejo meu passado até o momento atual? Qual a profissão que imaginava para mim quando eu
era criança?
“O que espero para o meu futuro profissional? Como imagino meu futuro profissional daqui a dez
anos?”
Após a confecção dos cartazes, os mesmos são observados pelo grupo. Pode-se definir várias formas
de apresentação; 1) Cada um apresenta o seu cartaz e após todos comentam. 2) Cada um escolhe o
cartaz de um colega e faz o seu comentário, após o dono do cartaz, e todos os colegas cometam. 3)
Cada cartaz é comentado por todos do grupo inicialmente e só após o dono do mesmo explica-o. Esta
última traz muitos elementos para serem discutidos, pois a colagem permite que o jovem se projete no
cartaz de seu colega, o que enriquece muito a discussão.
Comentários
Esta técnica auxilia o jovem a trabalhar a questão da integração do tempo. O futuro é construído a partir
do que fomos no passado e das escolhas do presente. Esta técnica pode ser realizada em dois
momentos: inicialmente trabalha-se o passado até o presente, no final do processo solicita-se o cartaz
do futuro (pois neste momento o jovem tem mais condições de se projetar no futuro).
c) Atividade: Reflexão sobre o vestibular

Para discussão em grupo uma notícia de jornal - A Gazeta dia 09 de novembro de 2008;
Título: Estresse por uma - Pressão para ter sucesso profissional deixa jovem dividido entre vocação e
retorno financeiro.
Faculdade particular ou universidade pública? Seja qual for a escolha, uma características é freqüente
entre a maioria dos vestibulandos de hoje, para a psicóloga Ângela Del Carro: a pressa para entrar no
mercado de trabalho e para garantir a independência financeira.
Mesmo que os estudantes tenham o apoio dos pais para continuar os estudos, muitos não conseguem
deixar de pressionar os filhos com medo de que o tempo passe, a velhice cheque e eles não estejam
“encaminhados”.
Para a psicóloga, entre estudantes da classe média, ainda existe a pressão para ingresso numa
universidade gratuita. “Ainda há jovens que têm a obrigação de passar naquele ano, porque os pais
dizem não ter condições de continuar pagando o cursinho. Mas eles já consideram as vagas nas
particulares e recorrem ás mais conhecidas”, explica a psicóloga.
Diante da pressão, fica difícil escolher entre a vocação e a carreira que vai trazer maior retorno
financeiro. ”Agora eles têm informações, sabem quanto se ganha em cada profissão. Então, a
preocupação é se vai ter emprego e se vão ter como se manter. Sempre aviso que, se a pessoa escolhe
o curso para o qual tem mais aptidão, tem mais chances de ter sucesso”, afirmou.
Mesmo que tenham aumentado as opções de ingresso no curso superior, Ângela ressalta que, como rito
de passagem, o vestibular continua sendo um marco do início da vida adulta, daí o estresse e a pressão
que recaem sobre os jovens ou que eles mesmos acabam incorporando.
e) Dinâmica sobre o Preconceito profissional:

· Técnica da Nave de Noé


Objetivos
Trabalhar preconceitos e valores em relação às profissões. Permitir a projeção ao futuro, tendo que
decidir no presente.
Consigna I
O planeta terra será destruído e uma espacial será enviada a outro planeta para iniciar uma nova vida.
Só cabem dez pessoas nesta nave. Indique quais, dentre as pessoas da lista abaixo, você acha que
deveriam ser escolhidas ( a lista pode ser alterada conforme os interesses demonstrados no grupo).
Médico Lixeiro Professor

Padre Artista Padeiro

Datilógrafo Jornalista Engenheiro

Esportista Advogado Psicólogo

Prostituta Enfermeiro Economista

Os participantes fazem listas individuais, depois discutem em pequenos grupos e finalmente todos
juntos.
Consigna II
O planeta terra será destruído e você está dentro de uma nave que irá povoar um novo planeta. Você faz
uma viagem interplanetária e chega ao novo planeta. Que profissional você gostaria de ser para auxiliar
na construção desse novo mundo? Vamos nos imaginar nesse planeta, e cada um vai assumir o papel
do profissional que escolheu ser.
Dramatiza-se a situação da chegada a novo planeta e todos participam. É interessante fazer uma
entrevista com cada participante sobre se papel, para auxiliá-lo na formação na formação do
personagem.
Comentários
Essa técnica permite que o jovem entre em contato com uma situação em que a tomada de decisão é
importante. Aparecem os preconceitos em relação a cada uma das profissões. Também é discutida a
função social das profissões e sua importância na formação de um mundo novo. Pode aparecer também
a falta de informações sobre as atividades que cada profissional desempenha.
7- Temas para a redação:

1. A importância da água...

2. Sabe-se que a prática de atividades físicas deve ser feita sob supervisão de alguém
especializado, a fim de evitar conseqüências desastrosas algum tempo depois.
3. Tudo indica que, no futuro, as vacinas serão ingeridas por meio de alimentos modificados
geneticamente.