Você está na página 1de 2

PBL 2

Situação problema
Paciente de 33 anos, G3P3AOCO, puérpera há 2 meses, amamentação exclusiva, vem ao consultório
para orientação da melhor forma de contracepção. História de ciclos menstruais regulares; Exame ginecológico
dentro dos padrões de normalidade.

Roteiro
Os integrantes devem se reunir e destacar as palavras chaves da situação problema e correlacionar com
os anticoncepcionais orais e injetáveis. Indicar o melhor anticoncepcional para esta paciente

Em virtude de tratar-se de uma paciente PUÉRPERA e em AMAMENTAÇÃO, tem-se contraindicação


ao uso ESTRÓGENOS, podendo-se apenas utilizar PROGESTÁGENOS, limitando assim, os tipos de
anticoncepcionais orais /injetáveis que podem ser utilizados para o fim requerido. A amamentação exclusiva de
modo geral inibe a ovulação, contudo se a paciente não deseja engravidar, deve se associar algum método
anticoncepcional. Desta forma, anticoncepção da paciente do caso (em termos de anticoncepcionais
orais/injetáveis) pode ser feita apenas através de:

 Mini-pílula
o A eficácia anticonceptiva baseia-se em:
 alterações no muco do colo uterino que prejudicam o movimento e viabilidade do espermatozóide
(o muco torna-se mais espesso); Alteração do movimento da trompa uterina e função do corpo
lúteo. (elemento ovariano que existe a partir da ovulação); Alteração do endométrio de maneira
que seja evitada a implantação (o endométrio torna-se hipotrófico, ou seja a camada interna do
útero torna-se fina).
o EM pacientes no puerpério ou lactantes deve-se iniciar após 6 semanas do parto.
o No Brasil temos 3 tipos de minipílulas sendo comercializadas:
 Noretisterona - 350 mcg/dia.
 Levonorgestrel - 30 mcg/dia.
 Linestrenol - 500 mcg/ dia.
o O índice de falha varia entre 1 e 4 gestações em 100 mulheres/ano.
o O horário de tomada não deve sofrer variações além de 3 horas. (diminui a eficácia)
o O uso deste método, pode provocar amenorréia, ciclos irregulares ou sangramentos vaginais imprevisíveis
(ex. spotting).
o A tomada diária do progestágeno não deve ser interrompida.

 Injetáveis Trimestrais
o Acetato de medroxiprogesterona na dose de 150 mg a cada 90 dias.
 Mecanismo de ação: inibição da ovulação ( suprime o pico de LH ), alteração do muco cervical
tornando-o espesso, ação local sobre o endométrio que se torna fino e atrófico.
 A continuidade do uso leva a amenorréia, principalmente após 12 meses de uso.
 Embora seja reversível, a recuperação da fertilidade, é mais lenta do que com os outros métodos,
principalmente após 12 meses de uso. Assim se a paciente pensa em engravidar logo é uma
contraindicação.
 Indice de falha é de 0,2 a 0,5 gestação em 100 mulheres/ano.
 6 semanas depois do parto

 Anticoncepcionais com progestogênios isolados


o Desogestrel (75 µg/dia)
 Inibe a ovulação em 97%
 Independe de Amamentação exclusiva
 Independe do Número de mamadas
 Independe da Amenorréia.
 Período de esquecimento: até 12 horas
 6 semanas depois do parto
Referências:
Vieira CS, Brito MB, Yazlle MEHD. Contracepção no puerpério. Rev Bras Ginecol Obstet. 2008 set;
30(9):470-9.. Disponivel em: http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v30n9/v30n9a08.pdf

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas


Estratégicas. Área Técnica de Saúde da Mulher. Pré-natal e Puerpério: atenção qualificada e humanizada –
manual técnico. Brasília:Ministério da Saúde, 2005.
Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_pre_natal_puerperio_3ed.pdf

São Paulo(Estado). Secretaria da Saúde. Coordenadoria de Planejamento em Saúde. Assessoria Técnica em


Saúde da Mulher. Atenção à gestante e à puérpera no SUS – SP: manual técnico do pré natal e puerpério /
organizado por Karina Calife, Tania Lago, Carmen Lavras – São Paulo: SES/SP, 2010.
Disponível em: http://www.saude.sp.gov.br/resources/ses/perfil/gestor/destaques/atencao-a-gestante-e-a-
puerpera-no-sus-sp/manual-tecnico-do-pre-natal-e-puerperio/manual_tecnicoii.pdf

Você também pode gostar