Você está na página 1de 2

EXAME

1. Ao nível empresarial, a inflacção não só afecta a vida das empresas, mas também as decisões
empresariais sobretudo as decisões financeiras. Enumere 3 consequências resultantes destas
decisões.

2. Das seguintes afirmações quais as que ao nível empresarial não servem de precaução para
atenuar os efeitos da Inflacção?
a) A preferência pela aquisição e detenção de activos reais;
b) A preferência pelas reservas em meios financeiros
c) O endividamento a curto prazo;
d) A Necessidade de recursos financeiros adicionais para a simples manutenção do nível de
actividade das empresas.
e) A preferência pelos créditos concedidos de curto prazo
f) Todas acima
g) Nenhuma acima

3. Indique afirmações verdadeiras:


a) Revalorizar um activo, significa ajustar a quantia escriturada do mesmo
b) Na revalorização, toda a classe (edifícios, maquinaria, etc) do activo tangível à qual pertença
o item revalorizado deve ser revalorizada.
c) Na revalorização o ajustamento é sempre positivo (a mais).
d) Todas as afirmações são verdadeiras.
e) Nenhuma das afirmações

4. Na contabilidade da Empresa Rico/Rico Lda estão registados activos e passivos por impostos
diferidos, originados por diferenças temporárias de diversas origens. Na Empresa Rico/Rico Lda,
uma situação que não corresponde a uma diferença temporária dedutível em 2010 será:
(Justifique).
a) A reavaliação do edifico comercial efectuada em 1998.
b) Uma perda de imparidade em investimentos financeiros, relativamente a uma participação de
capital que a empresa detém e que se perspectiva vir a vender no próximo ano.
c) Uma perda por imparidade relacionada com um crédito resultante da actividade normal da
empresa e que no final do período de tributação se considerou de cobrança duvidosa e foi
evidenciado como tal na contabilidade.
d) A quantia relativa a uma coima por entrega fora de prazo de uma declaração do IVA.

5. A Empresa Maquinas Agricolas, Lda adoptou no ano 2008 o modelo da Revalorização a todo o
seu equipamento básico, que inclui um tractor, cuja quantia escriturada no final do ano anterior
era de $180.000,00 e a qual foi atribuído naquela data, o justo valor de $110.000,00. No final do
ano 2009 e de 2010, os justos valores do tractor, ascendiam respectivamente a $150.000,00 e a
$180.000,00. Efectue os lançamentos pertinentes sem considerar efeitos dos impostos diferidos.

6. A sociedade ABC, S. A. apresentava, em 31.Dez.20(N), antes da consideração de qualquer efeito


relativo a impostos diferidos, uma reserva de reavaliação constituída nos termos de um diploma
legal, que ascendia a 2.500.000u.m. Considerando que 40% do acréscimo das
depreciações/amortizações resultantes da reavaliação não serão aceites como custo fiscalmente
dedutível e que a taxa de tributação é de 20%, o Balanço em 31.Dez.20(N) deveria
reflectir(demonstre):
a) Um activo por impostos diferidos de 200.000 u.m.
b) Um passivo por impostos diferidos de 1.000.000 u.m.
c) Um activo por impostos de diferidos 1.000.000 u.m.
d) Um passivo por impostos diferidos de 200.000 u.m.

7. No final do exercício 2018, a empresa MK.Lda, acumulou prejuízos fiscais de anos anteriores que
ascendem a 200.000u.m. e do ano corrente que ascendiam a 150.000u.m. Pela projecção dos
resultados para os anos seguintes, espera-se a recuperação total, ou seja, estima-se que os lucros
tributáveis dos anos seguintes excedam os prejuízos acumulados. Por outro lado a empresa
procedeu à revalorização legal de um equipamento produtivo por 20.500u.m. Proceda à
contabilização destes factos para uma taxa de imposto de 32%.