Você está na página 1de 9

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS

INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA


BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

WILLIAN DA SILVA MEDEIROS

SOCIOLOGIA DA INTERNET E AS REDES SOCIAIS

ITACOATIARA – AM
2019
WILLIAN DA SILVA MEDEIROS

SOCIOLOGIA DA INTERNET E AS REDES SOCIAIS

Trabalho elaborado como requisito para


obtenção de nota parcial do 2º período,
na disciplina Sociologia Aplicada, no
curso de Sistemas de Informação na
Universidade Federal do Amazonas.

Prof.º: Anderson Lincoln Vital da Silva

ITACOATIARA – AM
2019
1. INTRODUÇÃO

Quando buscamos a definição de sociologia, percebemos que onde tem


sociedade ou relação entre pessoas, tem sociologia, assim, em tudo o que fazemos
tem sociologia. Aliadas, a internet e a sociologia, os temas se tornam mais
diversificados e que merecem bastante discursão e compreensão. Pois se abre um
mundo de discursos que influenciam diretamente na nossa vida em sociedade.

A internet é um termo que surgiu nos anos 90, mas desde o seu surgimento,
ela influenciou em tudo, de tal modo que no mundo contemporâneo, tudo está ligado
a internet. Ela tomou proporções exorbitantes, em uma velocidade muito rápida. Não
há como falar de sociedade e não mencionar a internet.

Partindo desse pressuposto, o presente trabalho aborda como a sociologia e a


internet estão relacionadas, como elas atuam no nosso cotidiano, levando em
consideração a relação com as redes sociais, tanto em definição sociológica como
digital.
2. DESENVOLVIMENTO

Desde o surgimento e advento da internet, tudo ficou diferente e mudando de


forma drasticamente, o modo de interação passou do meio físico para um mundo
virtual, assim as formas de inter-relações socias passaram a criar outras formas, ou
seja, tudo e todos puderam se relacionar em qualquer parte do globo, a conexão entre
as pessoas ficou mais fácil e com o aprimoramento desta tecnologia da informação,
surgem as chamadas Redes Sociais.

Partindo desse pressuposto podemos criar uma linha temporal, sendo que o
que delimita essa linha é “o surgimento da internet”, assim antes disso, os meios
utilizados de comunicação surgiram respectivamente, o correio (cartas), telégrafo,
rádio (muito utilizado nos períodos de guerra), telefone (representou a evolução do
telégrafo, assim se expandiu, atualmente sendo muito utilizado: telefone público,
analógico, digital, sem fio e celulares. Após o surgimento da internet tudo pode estar
conectado, abrindo um vasto mundo de possibilidades de comunicação, utilizando as
mais variadas tecnologias de rede: eletrônica, sem fio e óptica.

A primeira rede social criada foi a ClassMates em 1995, ela basicamente


interligava alunos e amigos, e era paga. Foi bastante utilizada na sua época no
Canadá e nos Estados unidos.

ADAMI (2016?), define rede social como “uma estrutura que inter-relaciona
empresas ou pessoas, que estão conectadas pelas mais diversas relações.” Assim
tais relações são definidas de acordo com preferências e particularidades de cada
usuário. Com isso, forma-se uma ligação social e conexões entre pessoas, sendo que
essas relações podem envolver poucas ou muitas pessoas.

O mesmo autor acima citado, descreve que o conceito de Rede Social se refere
a Antropologia e Sociologia, matérias na qual tem como objetivo o estudo do
comportamento humano, desse jeito, Rede Social, denomina-se “o complexo de
relações entre pessoas”, sendo que essas pessoas fazem parte de determinados
grupos, facilitando assim a comunicação e interação.

Na sociologia, através das diferentes culturas, cria-se diferentes grupos sociais,


com as mais diversificadas relações socias, formando assim divisões em grupos da
sociedade, originando diferentes classes socias, assim a sociedade torna-se múltipla,
sendo que cada grupo social tem seus critérios definidos e de inserção em seu meio.

Os meios de comunicação social, que podem ser dos mais variados tipos,
representam o veículo entre o emissor e o receptor, a internet é uma hipermídia e
classificada como um meio de comunicação em massa, onde diversas pessoas
podem ser comunicar ao mesmo tempo, contribuindo para que diversos tipos de
informações sejam difundidas muito mais rápidas em um curto período de tempo,
tornado assim, um dos meios mais utilizados de disseminação de informação.

O sociólogo polonês Zygmunt Bauman falecido em 2017, foi o mais conhecido


sociólogo do mundo, quando o tema abordado era sociedade contemporânea, foi o
grande pensador da modernidade. Criou o termo “modernidade líquida”, título de um
livro seu publicado em 2000, para descrever as transformações do mundo
contemporâneo, no qual nada é sólido: tudo se dilui no ar.

Este sociólogo afirma que as redes sociais são o novo ópio da sociedade,
contribuindo para um termo chamado de “ativismo de sofá”.

Em uma entrevista para o Jornal El PAIS, Bauman fala sobre a diferença entre
a comunidade e a rede, que você pertence a comunidade, mas a rede pertence a
você. Quando você cria um perfil nas redes sociais, você pode relaciona-la como uma
comunidade, ou seja, você pode adicionar amigos, deletar amigos, criar uma espécie
de união de pessoas, sendo que quem decide os critérios de inserção na sua
comunidade é você, assim você adiciona as pessoas que, possuem algum tipo de
relação com você, por exemplo, gosta das mesmas coisas, curte as mesmas coisas,
ou cria um grupo com os amigos de seu ambiente, desse jeito você pode controlar
como a sua comunidade se comporta, caso você não goste, você pode deletar alguns
membros por exemplo. Mas nas redes, é tão fácil adicionar e deletar membros que as
habilidades sociais não são necessárias, sendo que essas habilidades utilizadas nas
redes sociais podem ser adquiridas em qualquer ambiente, seja na escola, no futebol
do final de semana, no ambiente de trabalho na rua por exemplo. Assim muitas
pessoas utilizam as redes socias para se fecharem em seu mundo, denominado por
Bauman de zona de conforto. Diversas redes socias existem no mundo, para os mais
variados gêneros e tipos de serviços, oferecendo serviços de ótima qualidade e que
são de interesse dos usuários, mas elas também são uma armadilha.
A internet hoje em dia, esta inserido ativamente no contexto de sociedade,
sendo um tema muito abordado quando se fala de sociologia da contemporaneidade,
pois querendo ou não ela influencia como nos vivemos nosso dia-a-dia, seja no
trabalho na escola por exemplo, no trabalho ela se tornou uma ferramenta que é
indispensável, sem internet o trabalho e o “mundo para”, ela se tornou a base de
sustentação desse ambiente.

Assim a sociologia está presente em tudo o que fazemos, bastante presente


nas redes socias, sejam elas físicas ou virtuais. Desde o surgimento das redes sociais,
a sociedade se comunica instantaneamente, sendo que muitas informações muitas
das vezes não refletem os verdadeiros fenômenos da realidade.

Existem gamas exorbitantes de serviços na internet, para os mais diversos


propósitos, mas considerando o gigantesco alcance que as plataformas digitais
possuem, ainda existe pensamentos de que a interação das redes sociais influencia
apenas o mundo virtual, mas esse pensamento é errado. Pois, sim elas funcionam no
ambiente de internet, mas impactam de forma profunda em nossa vida real.

Assim como todas as coisas, a internet e as redes socias, possuem suas


vantagens e desvantagens. As redes sociais possuem suas vantagens por exemplo,
ela ajudou os meios de comunicação, as notícias correm mais rápido, "se mais rápido
você descobre um problema, mais rápido pode soluciona-lo". Porém sua utilidade vem
mudando e tirando das pessoas seu pensamento altruísta, crítico. As redes sociais
passaram a ser meios que nos tiram totalmente aquele raciocínio do que está
realmente acontecendo ao nosso redor, nosso lado humano está sendo esquecido,
as pessoas vivem nas redes, "vivem da rede social, vivem para rede social", se nela
não está bom, então é como se o mundo estivesse ruim. Com tudo isso as pessoas
vêm esquecendo de livros, da sociedade e no que ela vem se transformando. Você
não controla ela, e sim ela é quem nos controla, nos tirando a capacidade de pensar,
gerar ideias críticas que ajudem a sociedade, mas para as pessoas, a sociedade que
existe é aquela encontrada nas redes sociais, uma sociedade mentirosa onde muitos
criam o personagem que querem ser.

Portanto voltando ao pensamento de Bauman, identificando e comprovando


que a rede social é o novo ópio da sociedade, onde as pessoas são alienadas pelos
mais diversos temas difundidos na internet, principalmente nas redes sociais,
tonando-se assim, uma comunidade onde quem dita as regras são os administradores
da informação. Criar um perfil ou uma comunidade de uma rede social, adicionar ou
deletar membros não torna o usuário a pessoa que controla a rede, ela apenas esta
sendo influenciada em fazer aquilo, muitas das vezes criando como se fosse um
mundo onde ela dita o que deve ser feito, assim por exemplo, tudo oque significa e
vale é ter várias curtidas em uma foto ou vários compartilhamentos. Mas quem ganha
realmente com isso são os membros que administram a plataforma ou os “donos” de
tudo, pois quanto mais perfis criados, mas dinheiro eles ganham. Desse jeito a
sociologia em sociedade é impactada dos diversos jeitos, sendo empregados
definitivamente, diretamente na sociedade e nas relações entre as pessoas.

Exemplo de impactos da internet em nossa vida por exemplo, são as diversas


discursos que existem de assuntos do nosso cotidiano, mas que são mais discutidos
na internet. Por exemplo, a política, na internet ela ganha várias discursos e
ramificações, onde esses resultados são verificados no nosso dia-a-dia. Sendo que
muitas vezes esses resultados não são dos gostos de muitos, pois eles não participam
diretamente quando os assuntos são discutidos na internet.

Hoje em dia podemos fazer de tudo na internet, compras, estudos, trabalho,


etc, mas isso também abre um mundo para as coisas maliciosas, roubos e coisas
proibida por exemplo. Pois podemos encontrar os mais variados assuntos, sejam eles
públicos, privados ou proibidos, para os mais diversos gostos e gêneros. Isso faz com
que a sociologia esteja inserida diretamente na internet, pois onde tem sociedade,
relação entre pessoas e ambientes também tem sociologia.
3. CONCLUSÃO

Portanto tanto a internet quanto a sociologia sempre estão em constante


movimento, pois a sociologia estuda a sociedade, e a sociedade nunca para, sempre
se modificando. A internet é a mesma coisa, a todo momento surgem novos temas,
novas informações, de todo gênero, para os mais diversos tipos de usuários. Assim
como as redes sociais, a sociologia é dinâmica, se alterando conforme a ocasião e
analisando os fenômenos que a sociedade produz de maneira diferente.

A partir desse texto podemos observar que a sociologia está presente ao nosso
meio e em tudo o que fazemos. As relações podem parecer simples e diretas, e o
mundo pode parecer estranho, mas que leva um vasto índice de relações socias que
podem ser implícitas e complexas. As interações socias através da internet, fazem
com que, o mundo se torne dinâmico e conectado, onde tudo e todos que tenham
acesso a internet podem saber das informações dos diferentes lugares do mundo.
Sendo assim podemos perceber que no mundo existe uma espécie de rede, onde
tudo se relaciona, mas essas relações podem acarretar vantagens e desvantagens,
então a sociologia e o termo que é utilizado para estudar e compreender as relações
existentes.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ADAMI, Anna. Redes Sociais. Info Escola. 2016?. Disponível em:


https://www.infoescola.com/sociedade/redes-sociais-2/. Acesso em: 17 jun. 2019.

DIANA, Daniela. Meios de Comunicação. Toda Matéria. 2018. Disponível em:


https://www.todamateria.com.br/meios-de-comunicacao/. Acesso em: 21 jun. 2019.

FRAZÃO, Dilva. Zygmunt Bauman: Sociólogo polonês. E biografia. 2019.


Disponível em: https://www.ebiografia.com/zygmunt_bauman/. Acesso em: 22 jun.
2019.

VALENCIANO, Tiago. Sociologia no tempo das redes sociais. Tiago Valenciano.


Disponível em: https://tiagovalenciano.wordpress.com/2015/02/26/sociologia-no-
tempo-das-redes-sociais/. Acesso em: 17 jun. 2019.

Zygmunt Bauman: “As redes sociais são uma armadilha”. EL PAÍS. 2016.
Disponível em:
https://brasil.elpais.com/brasil/2015/12/30/cultura/1451504427_675885.html. Acesso
em: 17 jun. 2019.

Você também pode gostar