Você está na página 1de 10

Lista de Exercícios Nº 3

1. Considere a analogia de transporte na Seção 5.1.1 (Kurose). Se o passageiro é análogo ao datagrama, o que é
análogo ao quadro da camada de enlace?
O meio de transporte. Ex. carro, ônibus, trem, avião.

2. Se todos os enlaces da Internet fornecessem serviço confiável de entrega, o serviço confiável de entrega TCP
seria redundante? Justifique sua resposta.
Embora cada link garanta que datagramas IP enviados através do link serão recebidos na outra extremidade do link
sem erros, não é garantido que datagramas IP chegarão ao destino final na ordem correta. Com IP, datagramas na
mesma conexão TCP pode assumir diferentes rotas na rede e, portanto, chegar fora de ordem. O TCP ainda seria
necessário para garantir que o recebimento final na aplicação tenha o fluxo de bytes na ordem correta. Além disso, IP
pode perder pacotes devido a loops de roteamento ou falhas de equipamento.

3. Quais alguns possíveis serviços que um protocolo de camada de enlace pode oferecer à camada de rede.
Quais desses serviços de camada de enlace têm serviços correspondentes no IP? E no TCP?
Quadros: há também quadros em IP e TCP; acesso ao enlace; entrega confiável: há também a entrega confiável em
TCP; controle de fluxo: há também o controle de fluxo em TCP; detecção de erro: há também a detecção de erros em
IP e TCP; correção de erros; full duplex: TCP também é full duplex.

4. Dê um exemplo (que não seja o da Figura 5.6) mostrando que verificações de paridade bidimensional podem
corrigir e detectar um erro de bit único. Dê um outro exemplo mostrando um erro de bit duplo que pode ser
detectado, mas não corrigido.
Suponha que nós começamos com a matriz de paridade inicial bidimensional:
0000|0
1111|0
0101|0
1 0 1 0 |0
0 0 0 0 |0
Com um erro de bit na linha 2, coluna 3, a paridade da linha 2 e coluna 3 está errada.
0000|0
1101|1
0101|0
1010|0
0010|1
Agora, suponha que há um erro de bit na linha 2, coluna 2 e coluna 3. A paridade da linha 2 está correta! A paridade
das colunas 2 e 3 estão erradas, mas não podemos detectar em quais linhas o erro ocorreu!
0000|0
1001|0
0101|0
1010|0
0110|0
O exemplo acima mostra que um erro de bit duplo pode ser detectada (se não corrigido).

5. Suponha que a porção de informação de um pacote contenha 10 Bytes consistindo na representação binária
ASCII sem sinal de uma cadeia de caracteres. Calcule a soma de verificação da Internet para os dados abaixo.

a. A representação ASCII das letras A a J (letras maiúsculas).


01000001 01000010 01000011 01000100 01000101 01000110 01000111 01001000 01001001
01001010

01000001 01000010 00010001 00010100


+01000011 01000100 +01001001 01001010
10000100 10000110 01011010 01011110
+01000101 01000110
11001001 11001100 Complemento de 1: 10100101 10100001
+01000111 01001000
100010001 00010100* *o 1 a mais é descartado

b. A representação ASCII das letras a a j (letras minúsculas).


01100001 01100010 01100011 01100100 01100101 01100110 01100111 01101000 01101001
01101010
01100001 01100010 10010001 10010100
+01100011 01100100 +01101001 01101010
11000100 11000110 11111010 11111111
+01100101 01100110
100101010 00101100* Complemento de 1: 00000101 00000000
+01100111 01101000
10010001 10010100 *o 1 a mais é descartado

6. Considere o gerador G = 10011 e suponha que D tenha os valores abaixo. Qual


é o valor de R?

a. 1001000101

b. 1010001111

c. 0101010101
7. Suponha que a porção de informação de um pacote contenha 10 Bytes consistindo na representação binária
ASCII sem sinal de uma cadeia de caracteres "Link Layer". Calcule a soma de verificação da Internet para
esses dados.

01001100 01101001 01101110 01101011 00100000 01001100 01100001 01111001 01100101


01110010

01001100 01101001
+01101110 01101011
10111010 11010100
+00100000 01001100
11011011 00100000 Complemento de 1: 01011101 11110100
+01100001 01111001
100111100 10011001* *descarta o primeiro 1
+01100101 01110010
10100010 00001011

8. Suponha que dois nós comecem a transmitir ao mesmo tempo um pacote de comprimento L por um canal
broadcast de velocidade R. Denote o atraso de propagação entre os dois nós como t prop. Haverá uma colisão
se tprop < L/R? Por quê?
Haverá uma colisão no sentido de que, enquanto um nó está a transmitir vai começar a receber um pacote a partir do
outro nó.

9. Descreva os protocolos de polling e de passagem de permissão usando a analogia com as interações


ocorridas em um coquetel.
Na polling, um líder de discussão permite que apenas um participante fale de cada vez, com cada participante tendo
a chance de falar de uma forma round-robin. Para Token Ring, não há um líder de discussão, mas não há vidro de
vinho que os participantes se revezam segurando. Um participante só é permitido falar se o participante está
segurando o copo de vinho.

10. Que tamanho tem o espaço de endereço MAC? E o espaço de endereço IPv4? E o espaço de endereço IPv6?
Endereço MAC: 2^48
endereço IPv4:2^32
endereço IPv6:2^128

11. Suponha que cada um dos nós A, B e C esteja ligado à mesma LAN broadcast (por meio de seus
adaptadores). Se A enviar milhares de datagramas IP a B com quadro de encapsulamento endereçado ao
endereço MAC de B, o adaptador de C processará esses quadros? Se processar, ele passará os datagramas
IP desses quadros para C? O que mudaria em suas respostas se A enviasse quadros com endereço MAC de
broadcast?
Adaptador de C irá processar os quadros, mas o adaptador não irá passar os datagramas até a
pilha de protocolos. Se o endereço de broadcast LAN for usado, então o adaptador de C irá processar os quadros e
passar os datagramas até a pilha de protocolos.

12. Por que uma pesquisa ARP é enviada dentro de um quadro broadcast? Por que uma resposta ARP é enviada
dentro de um quadro com um endereço MAC de destino específico?
Uma consulta ARP é enviada em um quadro de broadcast porque o host que consulta não sabe o endereço MAC que
corresponde ao endereço IP em questão. Para a resposta, o nó de envio sabe o endereço MAC para onde a resposta
deve ser enviada, por isso, não há necessidade de enviar um quadro de transmissão (o que teria de ser processada
por todos os outros nós na LAN).

13. Na rede da Figura 5.19, o roteador tem dois módulos ARP, cada um com sua própria tabela ARP. É possível
que o mesmo endereço MAC apareça em ambas as tabelas?
Não é possível. Cada LAN tem seu próprio conjunto distinto de adaptadores ligados a ele, onde cada adaptador tem
um endereço MAC único.

14. Considere três LANs interconectadas por dois roteadores, como mostrado na Figura 5.38.

Figura 5.38: 3 sub-redes, interconectadas por roteadores

a. Atribua endereços a todas as interfaces. Para a Sub-rede 1, use endereços do tipo 192.168.1.xxx; para a Sub-
rede 2, use endereços do tipo 192.168.2.xxx, e para a Sub-rede 3 use endereços do tipo 192.168.3.xxx.

b. Atribua endereços de MAC a todos os adaptadores.

AeB
c. Considere o envio de um datagrama IP do hospedeiro E ao hospedeiro B. Suponha que todas as tabelas ARP
estejam atualizadas. Enumere todas as etapas como foi feito no exemplo de um único roteador na Seção
5.4.2.
(i) E -> R2
IPo: 192.168.3.2
IPd: 192.168.1.3
MACo: EE:EE:EE:EE:EE:EE
MADd: 11:11:11:11:11:11

(ii) R2 -> R1
IPo: 192.168.3.2
IPd: 192.168.1.3
MACo: 11:11:11:00:00:00
MADd: 00:00:00:11:11:11

(iii) R1 -> B
IPo: 192.168.3.2
IPd: 192.168.1.3
MACo: 00:00:00:00:00:00
MADd: BB:BB:BB:BB:BB:BB

d. Repita (c), admitindo agora que a tabela ARP do hospedeiro remetente esteja vazia (e que as outras
tabelas estejam atualizadas).

(i) E -> BROADCAST


ARP: 192.168.3.1 (iv) R2 -> R1
MACo: EE:EE:EE:EE:EE:EE IPo: 192.168.3.2
MADd: FF:FF:FF:FF:FF:FF IPd: 192.168.1.3
MACo: 11:11:11:00:00:00
(ii) R2 -> E MADd: 00:00:00:11:11:11
MACo: 11:11:11:11:11:11
MADd: EE:EE:EE:EE:EE:EE (v) R1 -> B
IPo: 192.168.3.2
(iii) E -> R2 IPd: 192.168.1.3
IPo: 192.168.3.2 MACo: 00:00:00:00:00:00
IPd: 192.168.1.3 MADd: BB:BB:BB:BB:BB:BB
MACo: EE:EE:EE:EE:EE:EE
MADd: 11:11:11:11:11:11

15. Considere a Figura 5.38. Agora substituímos o roteador entre as sub-redes 1 e 2 pelo comutador S1, e
etiquetamos o roteador entre as sub-redes 2 e 3 como R1.
a. Considere o envio de um datagrama IP do Hospedeiro E ao Hospedeiro F. O Hospedeiro E pedirá ajuda ao
roteador R1 para enviar o datagrama? Por quê? No quadro Ethernet que contém o datagrama IP, quais são os
endereços de origem e destino IP e MAC?
Não. E pode verificar o prefixo sub-rede do endereço IP do host de F, e então aprender que F faz parte da mesma
LAN. Assim, E não vai enviar o pacote para o roteador padrão R1.
Quadro Ethernet de E para F:
Endereço IP de origem: E
Endereço IP de destino: F
Endereço MAC de Origem: E
Endereço MAC de destino: F

b. Suponha que E gostaria de enviar um datagrama IP a B, e que o cache ARP de E não tenha o
endereço MAC de B. E preparará uma consulta ARP para descobrir o endereço MAC de B? Por quê? No
quadro Ethernet (que contém o datagrama IP destinado a B) que é entregue ao roteador R1, quais são os
endereços de origem e destino IP e MAC?
Não, porque eles não estão na mesma LAN. E pode descobrir isso através da verificação IP de B.
Quadro Ethernet de E para R1:
Endereço IP de origem: E
Endereço IP de destino: B
Endereço MAC de Origem: E
Endereço MAC de destino: O endereço MAC da interface de R1 que liga a sub-rede 3.

c. Suponha que o Hospedeiro A gostaria de enviar um datagrama IP ao Hospedeiro B, e nem o


cache ARP de A contém o endereço MAC de B, nem o cache ARP de B contém o endereço MAC de A.
Suponha também que a tabela de encaminhamento do comutador S1 contenha entradas somente para o
Hospedeiro B e para o roteador R1. Dessa forma, A transmitirá uma mensagem de requisição ARP. Que ações
o comutador S1 tomará quando receber a mensagem de requisição ARP? O roteador R1 também receberá a
mensagem de requisição ARP? Se sim, R1 encaminhará a mensagem para a Sub-rede 3? Assim que o
Hospedeiro B receber essa mensagem de requisição ARP, ele enviará a mensagem de volta ao Hospedeiro A.
Mas enviará uma mensagem ARP de consulta para o endereço MAC de A? Por quê? O que o comutador S1
fará quando receber a mensagem de resposta ARP do Hospedeiro B?
O comutador S1 vai transmitir o quadro de consulta ARP (broadcast) por todas as suas interfaces. Quando recebe o
quadro de A, o comutador aprende o locar do emissor (descobre que A reside na sub-rede 1, que está ligado a S1 na
interface de ligação com a sub-rede 1). O comutador S1 atualizará sua tabela de repasse para incluir uma entrada
para o Host A.

Sim, o roteador R1 também recebe a consulta ARP, mas R1 não irá encaminhara a mensagem a sub-rede 3.

B não enviará uma consulta ARP pedindo o endereço MAC de A, visto que este endereço foi obtido a partir da
consulta ARP enviada por A.

Quando o comutador S1 receber a resposta de B, ele irá adicionar uma entrada para o host B na sua tabela de
repasse, e em seguida, descartara a mensagem, devido ao seu mecanismo de filtragem.

16. Considere o problema anterior, mas suponha que o roteador entre as sub-redes 2 e 3 é substituído por um
comutador (S2). Responda às questões de (a) a (c) do exercício anterior nesse novo contexto.
a. Não. E pode verificar o prefixo sub-rede do endereço IP do host de F, e então aprender que F faz parte da mesma
LAN. Assim, E não vai enviar o pacote para S2.
Quadro Ethernet de E para F:
Endereço IP de origem: E
Endereço IP de destino: F
Endereço MAC de Origem: E
Endereço MAC de destino: F

b. Sim, porque E gostaria de encontrar o endereço MAC de B. Neste caso, E vai enviar uma consulta ARP com
endereço MAC de destino sendo o endereço de broadcast.
Este pacote de consulta será retransmitido pelo comutador S1 e, eventualmente, recebido pelo Host B.
Quadro Ethernet de E para S2:
Endereço IP de origem do IP = E
Endereço IP de destino do IP = B
Endereço MAC de Origem: E
Endereço MAC de destino: FF-FF-FF-FF-FF-FF.

c. O comutador S1 vai transmitir o quadro de consulta ARP (broadcast) por todas as suas interfaces. Quando recebe
o quadro de A, o comutador aprende o locar do emissor (descobre que A reside na sub-rede 1, que está ligado a S1
na interface de ligação com a sub-rede 1). O comutador S1 atualizará sua tabela de repasse para incluir uma entrada
para o Host A.

Sim, o comutador S2 também recebe esta mensagem de solicitação ARP, e irá transmitir esta consulta para todas as
suas interfaces.

B não enviará uma consulta ARP pedindo o endereço MAC de A, visto que este endereço foi obtido a partir da
consulta ARP enviada por A.

Quando o comutador S1 receber a resposta de B, ele irá adicionar uma entrada para o host B na sua tabela de
repasse, e em seguida, envia o quadro recebido para o destino no host A eu está na mesma LAN.

17. Compare as estruturas de quadro das redes Ethernet 10BaseT, 100BaseT e Gigabit Ethernet. Quais as
diferenças entre elas?
As três possuem a mesma estrutura de quadro. A diferença entre elas está na velocidade.

18. Considere a Figura 5.26 (Kurose). Quantas sub-redes existem, em relação ao acesso da Seção 4.4? 2 redes (a
sub-rede interna e a internet(externa)).

19. Qual o número máximo de VLANs que podem ser configuradas em um comutador que suporta o protocolo
802.1Q? Por quê?
O quadro VLAN 802.1Q possui um identificador de VLAN de 12 bits. Assim, 2^12 = 4096 VLANs que podem ser
suportada.

20. Lembre-se de que, com o protocolo CSMA/CD, o adaptador espera K. 512 tempos de bits após uma colisão,
onde K é escolhido aleatoriamente. Para K = 100, quanto tempo o adaptador espera até voltar à etapa 2 para
uma Ethernet de 10 Mbps? E para uma Ethernet de 100 Mbps?

21. Vamos considerar a operação de aprendizagem do comutador no contexto da Figura 5.24 (Kurose). Suponha
que (i) B envia um quadro a E, (ii) E responde com um quadro a B, (iii) A envia um quadro a B, (iv) B responde
com um quadro a A. A tabela do comutador está inicialmente vazia. Demonstre o estado da tabela do
comutador antes e depois de cada um desses eventos. Para cada um dos eventos, identifique os enlaces em
que o quadro transmitido será encaminhado, e brevemente justifique suas respostas.

Ação Comutador Enlaces Encaminhado Justificativa


Destino do quadro
Após receber quadro, aprende local
desconhecido:
i do emissor B e registra par A, C, D, E, F
comutador imunda a
emissor/local na tabela de comutação
rede
Após receber quadro, aprende local
Destino B conhecido:
ii do emissor E e registra par B
envio seletivo
emissor/local na tabela de comutação
Após receber quadro, aprende local
Destino B conhecido:
iii do emissor A e registra par B
envio seletivo
emissor/local na tabela de comutação
Destino A conhecido:
iv Tabela já possui esses endereços A
envio seletivo

22. Considere o único comutador VLAN da Figura 5.30 (Kurose), e suponha que um roteador externo está
conectado as portas 3 e 11 do comutador. Atribua endereços IP aos hospedeiros EE e CC e às interfaces do
roteador. Relacione às etapas usadas em ambas as camadas de rede e de enlace para transferir o datagrama
IP ao hospedeiro EE e ao hospedeiro CC.
Endereços IP dos hospedeiros EE:
192.168.1.1, MAC 00:00:00:00:00:00
192.168.1.2, MAC 11:11:11:11:11:11
111.111.1.3, MAC 22:22:22:22:22:22
Máscara de sub-rede: 192.168.1/24
Endereços IP dos hospedeiros CC:
192.168.2.1, MAC 33:33:33:33:33:33
192.168.2.2, MAC 44:44:44:44:44:44
192.168.2.3, MAC 55:55:55:55:55:55
Máscara de sub-rede: 192.168.2/24
Endereços Roteador
Interface EE 192.168.1.254, MAC 66:66:66:00:00:00
Interface CC 192.168.2.254, MAC 66:66:66:11:11:11

(i) Host EE 192.168.1.1 -> Roteador (ii) Roteador -> Host EE 192.168.2.1
IPo: 192.168.1.1 IPo: 192.168.1.1
IPd: 192.168.2.1 IPd: 192.168.2.1
MACo: 00:00:00:00:00:00 MACo: 66:66:66:11:11:11
MADd: 66:66:66:00:00:00 MADd: 33:33:33:33:33:33

23. Neste problema, você juntará tudo que aprendeu sobre protocolos de Internet. Suponha que você entre em
uma sala, conecte-se à Ethernet e quer fazer o download de uma página web. Quais são etapas de protocolos
utilizadas, desde ligar o computador até receber a página web? Suponha que não tenha nada no seu DNS ou
no seu navegador quando você ligar seu computador. Indique explicitamente em suas etapas como obter os
endereços MAC e IP de um roteador de borda.
O computador primeiro usa DHCP para obter um endereço IP. O computador cria pela primeira vez um datagrama IP
especial destinado a 255.255.255.255 na etapa de descoberta do servidor DHCP, e o coloca em um quadro Ethernet
e o transmiti na Ethernet. Então, seguindo os passos do protocolo DHCP, o computador é capaz de obter um
endereço IP com um determinado tempo de concessão.
Um servidor DHCP na Ethernet também dá ao computador o endereço IP do roteador de primeiro salto, a máscara de
sub-rede da sub-rede onde o computador reside, e o endereço do servidor DNS.
A tabela ARP do computador é inicialmente vazio, assim o computador usará protocolo ARP para obter os endereços
MAC do roteador de primeiro salto, do servidor DNS local e assim poder realizar a consulta DNS.
Primeiro computador irá obter o endereço IP da página da Web que você gostaria de fazer download. Se o servidor
DNS local não tiver o endereço IP, o seu computador irá utilizar DNS protocolo para localizar o endereço IP da página
da Web.
Uma vez que o computador tem o endereço IP da página da Web, em seguida, ele irá enviar uma solicitação HTTP,
através do roteador de primeiro salto se a página Web não reside em um servidor Web local. O Mensagem de pedido
HTTP será segmentado e encapsulados em pacotes TCP e, em seguida ainda encapsuladas em pacotes IP, e
finalmente encapsulados em quadros Ethernet. Seu computador envia os quadros Ethernet destinados ao roteador de
primeiro salto. Uma vez que o roteador recebe os quadros, os passa na camada IP, verifica sua tabela de roteamento
e, em seguida envia os pacotes para a interface fora de todas as suas interfaces.
Em seguida, seus pacotes IP serão encaminhadas através da Internet até chegarem ao servidor Web. O servidor que
hospeda a página Web irá enviar de volta a página da Web para o seu computador via Mensagens de resposta HTTP.
Essas mensagens serão encapsulados em pacotes TCP e em seguida, em pacotes IP. Esses pacotes IP seguem as
rotas IP e, finalmente, chega ao seu roteador de primeiro salto, e, em seguida, o roteador irá encaminhar estes
pacotes IP para o computador encapsulando-os em quadros de Ethernet.