Você está na página 1de 59

Meios Físicos de Comunicação

Aula 2
Padrões de Cabeamento

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 1


Conteúdo

Padrões de Crimpagem
Montagem e Organização
Teste
Tomadas e Emendas
Recomendações de Instalação

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 2


Introdução

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 3


Meios Físicos de Comunicação
Padrões de Cabeamento
Padrões de Crimpagem

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 4


Padrões de Crimpagem

Crimpagem
Ato de juntar dois pedaços de metal ou outro
material, como por exemplo plástico, através da
deformação de um ou ambos para segurar o outro.
(Dicionário Informal)
Padrões de crimpagem mais utilizados:
568A
568B

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 5


Padrões de Crimpagem

568A
Tráfego de dados

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 6


Padrões de Crimpagem

568A

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 7


Padrões de Crimpagem

568B
Tráfego de dados e voz

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 8


Padrões de Crimpagem

568B

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 9


Padrões de Crimpagem

Cabo Cross-over 10/100


Ligação de micros de forma direta
Dispensa o uso do hub/switch
Padrões 568A e 568B
Um padrão em cada ponta do cabo

Cabo straight (reto)


Mesmo padrão em ambas as pontas do cabo

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 10


Padrões de Crimpagem

Cabo Cross-over 10/100

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 11


Padrões de Crimpagem

Cabo Cross-over 10/100

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 12


Padrões de Crimpagem

Cabo Cross-over Gigabit Ethernet

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 13


Padrões de Crimpagem

Cabo Cross-over Gigabit Ethernet


Equipamentos antigos
Auto-MDI/MDI-X
Ligação por cabo straight

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 14


Padrões de Crimpagem

Revisão
Cabo straight (10/100/1000) 568B
1. Branco com laranja 1. Branco com laranja
2. Laranja 2. Laranja
3. Branco com verde 3. Branco com verde
4. Azul 4. Azul
5. Branco com azul 5. Branco com azul
6. Verde 6. Verde
7. Branco com marrom 7. Branco com marrom
8. Marrom 8. Marrom

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 15


Padrões de Crimpagem

Revisão
Cabo straight (10/100/1000) 568A
1. Branco com verde 1. Branco com verde
2. Verde 2. Verde
3. Branco com laranja 3. Branco com laranja
4. Azul 4. Azul
5. Branco com azul 5. Branco com azul
6. Laranja 6. Laranja
7. Branco com marrom 7. Branco com marrom
8. Marrom 8. Marrom

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 16


Padrões de Crimpagem

Revisão
Cabo cross-over (10/100) 568B/568A
1. Branco com laranja 1. Branco com verde
2. Laranja 2. Verde
3. Branco com verde 3. Branco com laranja
4. Azul 4. Azul
5. Branco com azul 5. Branco com azul
6. Verde 6. Laranja
7. Branco com marrom 7. Branco com marrom
8. Marrom 8. Marrom

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 17


Padrões de Crimpagem

Revisão
Cabo cross-over (Gigabit Ethernet) 568B
1. Branco com laranja 1. Branco com verde
2. Laranja 2. Verde
3. Branco com verde 3. Branco com laranja
4. Azul 4. Branco com marrom
5. Branco com azul 5. Marrom
6. Verde 6. Laranja
7. Branco com marrom 7. Azul
8. Marrom 8. Branco com azul

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 18


Padrões de Crimpagem

Revisão
Cabo cross-over (Gigabit Ethernet) 568A
1. Branco com verde 1. Branco com laranja
2. Verde 2. Laranja
3. Branco com laranja 3. Branco com verde
4. Azul 4. Branco com marrom
5. Branco com azul 5. Marrom
6. Laranja 6. Verde
7. Branco com marrom 7. Azul
8. Marrom 8. Branco com azul

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 19


Meios Físicos de Comunicação
Padrões de Cabeamento
Montagem e Organização

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 20


Montagem e Organização

Ferramentas
Alicate crimpador

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 21


Montagem e Organização

Ferramentas
Alicate decapador

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 22


Montagem e Organização

Ferramentas

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 23


Montagem e Organização

Montagem
Ao crimpar os cabos, o primeiro passo é descascá-los,
tomando cuidado para não ferir os fios internos, que
são bastante finos.
O segundo passo é destrançar os cabos.
Para facilitar o trabalho, descasque um pedaço
grande do cabo, uns 5 ou 6 centímetros, para poder
organizar os cabos com mais facilidade e depois corte
o excesso, deixando apenas os 2 centímetros que
entrarão dentro do conector.

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 24


Montagem e Organização

Montagem
Vale lembrar que o que protege os cabos contra as
interferências internas são justamente as tranças.
A parte destrançada que entra no conector RJ-45 é o
ponto fraco do cabo, onde ele é mais vulnerável a
todo tipo de interferência.

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 25


Montagem e Organização

Montagem
É recomendável deixar o menor espaço possível sem
as tranças.
Para crimpar dentro do padrão, você precisa deixar
menos de meia polegada de cabo (1,27 cm)
destrançado.
É preciso um pouco de atenção ao cortar e encaixar
os fios dentro do conector, pois eles precisam ficar
perfeitamente retos.

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 26


Montagem e Organização

Montagem

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 27


Montagem e Organização

Montagem

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 28


Montagem e Organização

Montagem

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 29


Montagem e Organização

Montagem

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 30


Montagem e Organização

Montagem

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 31


Montagem e Organização

Montagem

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 32


Montagem e Organização

Montagem
Boot
Capas plásticas que são usadas nas pontas dos
cabos para melhorar o aspecto visual.
Possuem aspecto puramente decorativo.

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 33


Montagem e Organização

Montagem
Boot
Estão disponíveis em várias cores, podendo ser
usadas para identificar os cabos.
Para usá-las, basta colocar a capa antes do
conector.

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 34


Montagem e Organização

Montagem
Insert
Suporte plástico que vai dentro do conector.
Depois de destrançar, organizar e cortar o excesso
de cabo, você passa os 8 fios dentro do insert e eles
os mantêm na posição, facilitando o encaixe no
conector.

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 35


Montagem e Organização

Montagem
Insert
Os conectores RJ-45 projetados para uso em
conjunto com o insert possuem um espaço interno
maior para acomodá-lo.

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 36


Meios Físicos de Comunicação
Padrões de Cabeamento
Teste

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 37


Teste

O primeiro teste para ver se os cabos foram


crimpados corretamente é conectar um dos micros
(ligado) ao switch e ver se os LEDs das placas de rede
e do switch acendem.
Se os LEDs não acenderem, corte os conectores e
tente de novo.
Os conectores são descartáveis, depois de crimpar
errado uma vez, você precisa usar outro novo,
aproveitando apenas o cabo.

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 38


Teste

Testador de Cabo
Existem também aparelhos testadores de cabos, que
oferecem um diagnóstico muito mais sofisticado.
Dizem, por exemplo, se os cabos são adequados
para transmissões a 100 ou a 1000 megabits.
Avisam também se algum dos 8 fios estão
rompidos.

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 39


Teste

Testador de Cabo

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 40


Teste

Testador de Cabo
O testador de cabo possui um conjunto de 8 LEDs que
mostram o status de cada um dos 8 fios.
Se algum fica apagado durante o teste, você sabe que
o fio correspondente está partido.
A limitação é que eles não são capazes de calcular
em que ponto o cabo está partido, de forma que a
sua única opção acaba sendo trocar e descartar o
cabo inteiro.

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 41


Meios Físicos de Comunicação
Padrões de Cabeamento
Tomadas e Emendas

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 42


Tomadas e Emendas

Uma boa opção ao cabear é usar tomadas para cabos


de rede, ao invés de simplesmente deixar os cabos
soltos.
Elas dão um acabamento mais profissional e tornam
o cabeamento mais flexível, já que você pode ligar
cabos de diferentes tamanhos às tomadas e substitui-
los conforme necessário.
Existem vários tipos de tomadas de parede, tanto de
instalação interna quanto externa.

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 43


Tomadas e Emendas

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 44


Tomadas e Emendas

O cabo de rede é instalado diretamente dentro da


tomada em um conector próprio (o tipo mais comum
é o conector 110) que contem lâminas de contato.
A instalação é feita usando uma chave especial,
chamada punch down.

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 45


Tomadas e Emendas

O punch down pressiona o cabo contra as lâminas, de


forma a criar o contato, e ao mesmo tempo corta o
excesso de cabo.
Alguns conectores utilizam uma tampa que, quando
fechada, empurra os cabos, tornando desnecessário o
uso da ferramenta (tool-less ou auto-crimp).
Eles são raros, justamente por serem mais caros.
O próprio conector inclui o esquema de cores dos
cabos, junto com um decalque ou etiqueta que indica
se o padrão usado corresponde ao 568A ou 568B.

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 46


Tomadas e Emendas

Outro conector usado é o keystone jack, uma versão


fêmea do conector RJ-45, que é usado em patch
panels e pode ser usado também em conectores de
parede, em conjunto com a moldura adequada.
Os cabos são instalados da mesma forma que nos
conectores de parede com o conector 110, usando o
punch down.

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 47


Tomadas e Emendas

Existem também emendas (couples) para cabos de


rede, que consistem em dois conectores RJ-45 fêmea,
que permitem ligar diretamente dois cabos, criando
um único cabo mais longo.

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 48


Tomadas e Emendas

Quase sempre as emendas vêm rotuladas com o


padrão específico.
Na falta da rotulação, o ideal é substituir os dois
cabos por um cabo maior, ou então fazer uma
extensão usando o keystone jack.

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 49


Meios Físicos de Comunicação
Padrões de Cabeamento
Recomendações de Instalação

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 50


Recomendações de Instalação

Evite lançar cabos UTP no interior de dutos que


contenham umidade excessiva.
Os cabos UTP não devem ser lançados em
infraestruturas que apresentem arestas vivas ou
rebarbas que possam provocar danos.

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 51


Recomendações de Instalação

A temperatura máxima de operação permissível ao


cabo é de 60ºC.
Os cabos UTP devem ser decapados somente nos
pontos de conectorização.
Jamais poderão ser feitas emendas, pois há o risco de
provocar um ponto de oxidação e consequentes
falhas na comunicação.

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 52


Recomendações de Instalação

Após o lançamento, os cabos UTP devem ser


acomodados adequadamente de forma que os
mesmos possam receber acabamentos, isto é,
amarrações e conectorizações.
Os cabos UTP devem ser agrupados em forma de
"chicotes", evitando-se trancamentos,
estrangulamentos e nós.
Posteriormente devem ser amarrados com velcros
para que possam permanecer fixos sem, contudo,
apertar.

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 53


Recomendações de Instalação

Devem ser deixadas folgas nas tomadas (se possível,


30 cm).
Devem ser deixadas folgas nas Salas de
Telecomunicações (pelo menos 3 metros).
Nas terminações, isto é, nos racks e brackets,
procurar deixar o cabo exposto o mínimo possível,
minimizando os riscos de o mesmo ser danificado
acidentalmente.

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 54


Recomendações de Instalação

Definir o padrão de conectorização.


Os cabos UTP devem ser lançados obedecendo-se o
raio de curvatura mínimo do cabo, que é de 4 vezes o
diâmetro do cabo.
Os cabos UTP devem ser lançados ao mesmo tempo
em que são retirados das caixas ou bobinas e
preferencialmente de uma só vez.

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 55


Meios Físicos de Comunicação
Padrões de Cabeamento
Exercícios de Fixação

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 56


Exercícios de Fixação

1) Quais são os dois principais padrões de crimpagem?


Indique a sequências dos fios e a diferença entre eles
em relação ao tráfego de informações?
2) Qual a finalidade do cabo cross-over? Como se dá a
sua montagem?
3) Para que serve o boot e o insert na montagem de um
cabo par trançado?

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 57


Meios Físicos de Comunicação
Padrões de Cabeamento
Referências Bibliográficas

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 58


Referências Bibliográficas

MORIMOTO, C. E. Redes – Guia Prático. 2 ed. Sul


Editores: Porto Alegre, 2011.

Meios Físicos de Comunicação - Padrões de Cabeamento 59