Você está na página 1de 47

Princípios de Prótese Fixa

Tomada de decisão
Prótese Fixa


É a restauração parcial ou total da coroa clínica de dentes perdidos
comprometidos, confeccionada com materiais biocompatíveis,
capazes de reestabelecer a forma, a função e estética. Recebe esse
nome por apresentar-se fixa aos dentes pilares, não podendo ser
removida pelo paciente
Objetivos


Restabelecimento da função mastigatória e fonética

Estética: forma, contorno, cor, textura

Conforto: devolução da função oral e estética
Indicações


Pacientes adultos

Pacientes com boas condições de saúde e higiene bucal

Pequenos espaços protéticos
Contraindicações e limitações


Pacientes jovens
Erupção incompleta, rizogênse incompleta, polpa ampla

Dentes conoides

Necessidade de preparo de dentes hígidos para viabilizar uma prót
fixa

Espaço protético amplo

Hábitos de higiene inadequados
Componentes de uma prótese parcial fixa
1- Dentes pilares ou de suporte: são os
dentes que receberão o retentor
2- Espaço protético: espaço edêntulo que
será ocupado pelo pôntico
1 2 1
3- Retentores: parte da prótese que se
encarrega da fixação aos dentes pilares 35 5
4
4- Pônticos: é a parte da prótese fixa que
substitui anatômica, estética e
funcionalmente os dentes perdidos
5- Conectores: é a união entre pônticos e
retentores
Classificação das próteses fixas


Segundo a localização na boca
Anteriores – Incisivos e caninos
Posteriores – Molares e pré-molares
Mista – Envolve dentes anteriores e posteriores
Classificação das próteses fixas


Segundo número de retentores
Prótese unitária – Restaurações indiretas que visa devolver estrutura
dental perdida por meio de coroas unitárias (inlays, onlays, facetas)
Prótese parcial fixa – Restauração indireta que visa devolver os dente
perdidos com o auxílio de retentores e pónticos.
fotos
Classificação das próteses fixas


Segundo o tipo de conexão
Rígida- O pôntico está unido aos retentores por um ponto de solda ou
mesmo fundição em monobloco.
Semirígida- O Pôntico está unido ao retentor através de um sistema d
encaixe de semiprecisão.
Exame

Diagnóstico

Planejamento

Execução

Cimentação
M
Mecânicos Biológicos Esté


Retenção •
Vitalidade pulpar •
Saúde per

Resistência/Estabilidade •
Preservação da •
Forma, con

Rigidez estrutural saúde periodontal cor

Integridade marginal

P
Princípios M

Retenção

Impede o deslocamento axial da peça
protética quando submetida às forças d
tração

Depende do contato existente entre as
superfícies internas da peça e as extern
dente preparado

Retenção friccional

Quanto mais // as paredes axiais do pre
dental, maior será a retenção friccionalP
Princípios M


Aumento exagerado da retenção friccional:
• Dificultar cimentação
• Resistência ao escoamento do cimento
• Assentamento final
• Desajuste oclusal e cervical

P
Princípios M

Inclinação correta das paredes axiais


Cimento
Técnica de cimentação

Promovem retenção e bom


escoamento

Podem variar de acordo com as dimensões da coroa

P
Princípios M

Coroa clínica
Coroas curtas:

Superfície contato •
Paredes axiais com inclinaç
mais próxima ao paralelism

Retenção •
Meios de retenção

Aumentar superfície de con

P
Necessidade de
paralelismo

Nem sempre os dentes estão alinhados nas arcadas


o suficiente para serem preparados sem nenhum
desgaste adicional para corrigir a mudança de
posição.
Mezzomo, 2006
1. Necessidade de Paralelismo
Desgaste compensatório
Via Única de inserção
Dentes - inclinação

-
Grau
-
Ameloplastia;
-
Procedimentos ortodônticos;
-
Tratamentos endodônticos com finalidade protética;
PEGORARO;
-
Via de inserção adequada 2013
Dentes - inclinação

PEGORARO;
2013
Princípios
Resistência/Estabilidade
Previne deslocamento protético quando submetida à
forças oblíquas, que podem provocar rotação da prót


Altura/largura Fatores relacion

Magnitude e direção de força com a forma d
resistência do pre

Integridade dente preparado

P
Princípios M

Altura/Largura:
Altura das paredes Área resistência
Rotação

Altura igual à sua largura

Coroas curtas:
Criação de novas áreas de retenção por mei
sulcos, canaletas ou caixas
Dentes – Tamanho de coroa clínica
-
Altura menor que largura;
-
Grau de retenção e estabilidade da restauração;
-
Procedimentos adicionais de retenção;

PEGORARO;
2013
Tamanho da coroa clínica

• Retenção e estabilidade
• Coroa é considerada cu
quando sua altura é me
que sua largura.

Mezzomo
Princípios M
Magnitude e direção de força:


Forças de grande intensidade e direcionadas
lateralmente

Deslocamento da prótese

Pacientes com bruxismo
Princípios M
Rigidez estrutural

Preparo deve ser executado de
tal forma que a resistência
apresente espessura suficiente
do material (metal,
metalocerâmica e porcelana)
para resistir às forças
mastigatórias não comprometer
estética e tecido periodontal

P
Vitalidade pulpar
Preservação da saúde periodontal

Pe
Dentes - vitalidade

-
Testes para avaliar vitalidade;
-
Dentes sem vitalidade
-
Pilar de PPF extensas

PEGORARO;
2013
Princípios

Preservação da saúde periodontal



Higiene oral

Forma, contorno e localização da margem cervical do preparo

Pe
Dentes - oclusão

-
Clinicamente e complementado com o modelo de estudo em ASA
-
Sinais de colapso;
-
Pericementite.
PEGORARO;
2013
Princípios

“ A melhor localização
término cervical é aqu
em que o profissional p
controlar todos os
procedimentos clínicos
paciente tem condiçõ
efetivas de higienizaçã

P
Princípios


Extensão cervical pode variar:
• 2mm distante do nível gengival

Quando não ocorrer comprometimento da retenção e estabilidade da prótese

• 1mm no interior do sulco gengival



Não traz problemas periodontais desde de que a adaptação, forma, contorno e polime
prótese estejam satisfatórios e o paciente consiga higienizar corretamente esta área

P
O prognóstico dos dentes pilares pode ser definido da segu
forma:

BOM Bolsas periodontais menores que 3 mm, sem sangramento e com per
inserção menor que 25%

QUESTIONÁVEL Bolsas periodontais maiores que 6 mm, perda de inserçã


50 %

SEM ESPERANÇA Dentes com perda de inserção maior que 75%

zitzmann et al 2010
Saúde
periodontal Forma, contorno e
da prótese P
Estética

Alterações de forma
Pôntico longe do tecido gengival
Aprisionamento de alimentos
Lesão de tecidos moles

MENDES, MIYASHITA, PE
OLIVEIRA;2012 20
Dentes - Estética

P
2

Você também pode gostar