Você está na página 1de 3

14/02/2017

Acidente de Goiânia
Foram identificados e isolados sete focos principais, onde houve a

BIOFÍSICA DAS contaminação de pessoas e do ambiente e onde havia altas taxas


de exposição.

RADIAÇÕES No total, foram monitoradas 112.800 pessoas. Dentre elas, em


6.500 constatou-se algum grau de irradiação e em 249 verificou-
se significativa contaminação interna e/ou externa.
Os 129 que constituíam o grupo com contaminação interna e/ou
externa passaram a receber acompanhamento médico regular.
Sandro Rogério Vargas USTRA Destes, 79 com contaminação externa receberam tratamento
GPFPF / UFU ambulatorial.
srvustra@pontal.ufu.br Dos 50 radioacidentados restantes, cuja contaminação interna foi
comprovada, 30 foram assistidos em albergues; 20 foram
encaminhados ao Hospital Geral de Goiânia.

Acidente de Goiânia Radioatividade


Destes últimos, 14 em estado grave foram transferidos para o  Falta de informação sobre radioatividade
Hospital Naval Marcílio Dias, no Rio de Janeiro, oito evoluíram
para a Síndrome Aguda da Radiação - SAR , 14 apresentaram  Preconceitos
falência da medula óssea e 01 sofreu amputação do antebraço,  Acidentes
quatro deles foram a óbito (+ dono do fvelho e seu irmão, pai
da primeira vítima).
 Presença de radioatividade no cotidiano
Os casos de óbito ocorreram cerca de 04 a 05 semanas após a  Radioatividade natural
exposição ao material radioativo, devido a complicações  Fonte de energia
esperadas da SAR , como hemorragia (02 pacientes) e infecção  Lixo atômico
generalizada (02 pacientes).
O acidente de Goiânia gerou 3500 m3 de lixo radioativo, que foi  Contribuições  Diagnóstico: radiografia,
acondicionado em containeres de aço e depois concretados. O  Radiologia tomografia, cintilografia, RMN, ...
repositório definitivo deste material localiza-se na cidade de
 Terapia: radioterapia
Abadia de Goiás, a 23 km de Goiânia.

Radioatividade Estrutura da matéria

 1895 – Röentgen: 1ª radiografia.


 1896 – Becquerel: Urânio com emissão similar aos A matéria é constituída por moléculas e os
RX. estados físicos (sólido, líquido e gasoso) são
determinados pelos diferentes espaçamentos
 1898 – Casal Curie: outros elementos com destas.
propriedades semelhantes ao Urânio (Tório, Polônio).
A constituição dessas moléculas se dá pelo
 1898 – Rutherford: radiação composta por 2
agrupamento de partículas menores (iguais ou
partículas (α e β) e de uma onda eletromagnética
diferentes), denominadas átomos, que por sua vez
(raios γ).
são constituídos por partículas ainda menores.
 1934 – Aceleradores de partículas: produção de
radionuclídios artificiais.

1
14/02/2017

Estrutura da matéria Salto quântico

Raio ~ 10-14m
1 cm
Concentra a maior
Comparação... parte da massa do
Raio ~ 10-10m átomo.
Elétrons com 100 m
intenso movimento
em altas
velocidades.

Salto quântico Saltos quânticos

Os saltos quânticos permitem explicar as cores dos


objetos e a emissão de luz.
Cores emitidas por fogos de artifício a base de:

Radioatividade Radioatividade
Fonte de RX Radioatividade
Propriedade de certos nuclídeos de se desintegrarem
emitindo radiação.
Neste processo, já transformação de um elemento em
outro.
• Corpuscular
Radiação • Eletromagnética
Forma de energia emitida por uma fonte, que se
propaga de um ponto para outro sob forma de partículas
(com ou sem carga) ou sob a forma de ondas
eletromagnéticas.

2
14/02/2017

Radioatividade Radioatividade
Radiação Corpuscular Radiação Corpuscular
Partículas atômicas que carregam energia na forma de  Fontes:
energia cinética de massa em movimento.  Decaimento de núcleos atômicos instáveis (Urânio,
mv² Tório, Plutônio, Rádio).
E=
2  Raios cósmicos.
Ex.: α, β+, β–, nêutrons, mésons π, dêuterons.  Alcance:
Partículas carregadas eletricamente, ao atravessarem um  Distância que a partícula percorre antes de parar.
meio, sempre provocam ionizações.  Num mesmo meio, partículas de igual E tem o mesmo alcance.
No tecido humano, podem resultar
E alcance
em quebras moleculares e provocar
mutações, morte celular e câncer.  Fixando E, alcance diminui se a densidade do meio aumentar.

Radioatividade Radioatividade
Radiação Corpuscular Radiação Eletromagnética
 Alcance:  Raios X e Raios γ
Energia (MeV) Alcance (cm)  Mais energéticos e ionizantes.
Partículas α Ar Tecido humano Alumínio
1,0 0,55 0,33·10-2 0,32·10-3
 Diferem apenas na origem.
2,0 1,04 0,68·10-2 0,61·10-3  Blindagem com materiais densos (chumbo, por exemplo).
3,0 1,67 1,00·10-2 0,98·10-3
5,0 3,50 2,10·10-2 2,06·10-3  Camada semirredutora:
Partículas β
0,01 0,23 0,27·10-3  Não é possível definir alcance (descrição probabilística da
0,1 12,0 1,51·10-2 4,3·10-3 MQ).
0,5 150 0,18 5,9·10-3
 Probabilidade que o fóton tem de interagir com a matéria.
1,0 420 0,50 0,15
3,0 1.260 1,50 0,56

Radioatividade Radioatividade
Radiação Eletromagnética Interação com a matéria
 Camada semirredutora:
 Distância na qual o fóton tem 50% de chance de interagir.

Energia (MeV) Camada semirredutora (cm)


Raios X ou γ Tecido humano Chumbo
0,01 0,13 4,3·10-4
0,05 3,24 0,8·10-2
0,1 4,15 1,1·10-2
0,5 7,23 0,38
1,0 9,91 0,86
5,0 23,10 1,44

Você também pode gostar