Você está na página 1de 10

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA – RJ

DEPARTAMENTO DE ENSINO MÉDIO E TÉCNICO


COORDENAÇÃO DE CONSTRUÇÃO CIVIL

Disciplina: Computação Aplicada

Prof.: Emilson Damasceno de Andrade

Aluno: Matheus de Oliveira Soares

Prova do 1° bim
Convite de Formatura

Rio de Janeiro, 26/11/2010


Bomba de concreto
Bomba de concreto (em Portugal: bomba de betão) é um equipamento
destinado a impulsionar o concreto usado na construção civil, como
complemento às atividades de uma betoneira, principalmente em
construções de grande porte como edifícios e prédios em geral.
É um equipamento de extrema importância para a construção civil atual.
Tanto para grandes quanto para pequenas obras, ela imprime mais
velocidade à concretagem, diminui a quantidade de mão de obra e
equipamentos, facilita a aplicação e permite um melhor acabamento,
devido à maior plasticidade do concreto.
Seu funcionamento é muito complexo, mas podemos dizer que está
baseado em acionar dois pistões para funcionarem alternadamente.
Enquanto um se enche com o concreto proveniente do caminhão betoneira,
o outro se esvazia, empurrando o concreto para a tubulação de saída.

Dependendo do seu modelo, as bombas podem ser montadas sobre o


chassi de um caminhão, ou serem do tipo rebocável, seguindo para a obra
engatada em outro veículo.
Não existe uma classificação oficial para estes equipamentos, portanto,
para distingui-los, vamos agrupá-los da seguinte forma:

Bomba Lança: Equipamento que obrigatoriamente deve ser montado sobre


o chassi de um caminhão, devido ao seu tamanho e peso. O nome lança se
deve ao fato dela possuir um mastro distribuidor, articulado normalmente
em três ou quatro partes. No Brasil as bombas-lança mais utilizadas são as
de 28 m e 32 m de alcance do mastro.
Bomba Reboque ou Estacionária: São equipamentos sem o mastro
distribuidor, mas que podem ter o mesmo desempenho de uma Bomba
Lança em termos de velocidade e potência de bombeamento. São rebocadas
até a obra e necessitam da montagem de tubulação até o local de descarga.
São mais utilizadas em prédios, galpões com pé direito baixo, estacas
hélice, etc.

Auto Bomba: Seria uma Bomba Reboque ou Estacionária montada sobre o


chassi de um caminhão, dispensando a necessidade de um veículo para
rebocá-la.
Bomba de Mangote: São bombas com menor potência e velocidade de
bombeamento, mas perfeitas para serem utilizadas em obras residenciais. A
distribuição do concreto é feita através de mangotes de três polegadas e a
consistência do concreto (slump) é excelente para o enchimento de lajes,
vigas, etc.

Operação

Antes de iniciar

O bombeamento deve ser precedido de uma lubrificação da linha de tubos


por meio de uma argamassa constituída de cimento e areia na proporção de
1:2 (para cada quilo de cimento deve-se adicionar dois quilos de areia) e na
quantidade de 25 litros de argamassa por cada três metros de tubulação
(com bitola de aproximadamente 125 mm ou 5 polegadas). Deve-se tomar
o cuidado de não se utilizar esta argamassa nos elementos estruturais do
edifício, caso contrário compromete-se a estrutura do prédio, podendo
ocasionar sua destruição.

Ao iniciar o bombeamento deve-se, anteriormente, fazer uma inspeção


visual na linha de tubos fixa na obra, para verificar se não existem
elementos estranhos no interior da tubulação, se não há juntas soltas ou
canos furados.

Na montagem de tubulação fixa na obra, as paredes dos tubos deverão ter


espessura suficiente para suportar a pressão do concreto. A não observância
de tais itens pode ocasionar sérios danos ao equipamento e aos usuários.

Durante a operação

A manutenção do equipamento obedece às determinações do fabricante. O


concreto deve ser bombeável, ou seja, na forma semipastosa, caso contrário
entope a bomba causando danos irreversíveis ao equipamento. Seus
componentes — concreto, areia e cimento — não podem se separar por
segregação (movimento impulsionador de alta pressão utilizada pela
bomba), o que causaria entupimento e interrupção do bombeamento. O
fornecimento do concreto deve ser bem programado para que não haja
interrupção do processo. As linhas de tubo devem ter extensão menor
possível e o mínimo de curvas, para melhorar o rendimento do trabalho,
devem ter apoios eficientes para que as juntas e conexões não se abram,
normalmente anéis de ferro com junção dupla.

Após finalizar a operação

Após o término do bombeamento, os tubos devem ser bem limpos. Para


tanto, usa-se água sob pressão em local apropriado, pois o concreto além de
ser um agente isolante é prejudicial à natureza.

Nesse caso pode-se reutilizar o concreto após a devida fragmentação no


contra-piso da construção, removendo-se quaisquer detritos ou incrustações
que poderiam, em outra concretagem, criar resistência ao deslocamento do
concreto.

Dicas para prevenir acidentes de trabalho

1. Durante as inspeções antes do trabalho, assegurar que não há


rachaduras ou trincas nas intermediárias de telescopagem do
braço.
2. Inspeções periódicas especiais devem focar rachaduras ou
trincas nas intermediárias de telescopagem do braço, pinos e
parafuções, sistema de estabilidade e sistemas hidráulicos.
3. Se for detectada alguma anomalia, imediatamente realizar
reparos ou tomar outras medidas necessárias.
4. Observar toda a estabilidade, carga máxima, e mangueira da
ponta lança conforme especificações estabelecidas para o modelo
específico da bomba e do veículo utilizado.
5. Quando um "Braço de lançamento" está sendo usado,
restringir a passagem de trabalhadores sob o mesmo.
Bomba de argamassa
Chama-se argamassa, à mistura feita com pelo menos um aglomerante,
agregados miúdos e água. O aglomerante pode ser a cal, o cimento ou o
gesso. O agregado mais comum é a areia, embora possa ser utilizado o pó
de pedra.
As argamassas são empregadas com as seguintes finalidades:

• assentar tijolos e blocos, azulejos, ladrilhos, cerâmicas e tacos de


madeira;
• Impermeabilizar superfícies;
• regularizar (tapar buracos, eliminar ondulações, nivelar e aprumar)
paredes, pisos e tetos;
• dar acabamento às superfícies (liso, áspero, rugoso, texturizado, etc.).

As argamassas mais comuns são constituídas por cimento, areia e água.


Em alguns casos, costuma-se adicionar outro material como cal, saibro,
barro, caulim, e outros para a obtenção de propriedades especiais. Chama-
se proporção a proporção em volume ou em massa entre os componentes
das argamassas (cimento, cal e areia), que varia de acordo com a finalidade
e as características desejadas da argamassa.

Assim como o concreto, as argamassas também se apresentam em estado


plástico nas primeiras horas de confecção, e endurecem com o tempo,
ganhando resistência e durabilidade. Este processo chama-se cura da
argamassa.

A argamassa é uma cola que permite unir diversos materiais de


construção. Em muitos casos, pode-se utilizar argamassas com
características especiais para melhorar as características de adesão.
Também são importantes as características de impermeabilização, embora
haja necessidade de adição de produtos especiais para obter as propriedades
impermeabilizantes da argamassa.

Bomba de argamassa é uma bomba de embolos mecânica, versátil que


mistura, projeta, injeta, argamassas, natas, Grout, refratários, para as mais
diversas necessidade como: Estacas raiz, injeção, projeção de acabamento
ou contenção de encostas, bolsacret entre outras aplicações.
Existem diversos tipos de bombas de argamassa, dentre eles:

S8 EV - Os comandos da S8 EV são todos colocados no mesmo lado. O


quadro elétrico, protegido contra os respingos de água, permite o controlo
fácil de todas as funções evidenciando o estado das mesmas com alguns
leds luminosos e bloqueando automaticamente os motores elétricos no caso
de queda de tensão ou abertura das proteções móveis de segurança. É
provido, além disso, de um contador de horas que ajuda a programar o
trabalho e a manutenção.

Graças à granulometria elevada e à variabilidade da capacidade, é possível


bombear, projetar, injetar facilmente:
· rebocos tradicionais para interiores e exteriores
· rebocos pré-misturados para interiores e exteriores
· rebocos especiais
· argamassas reforçadas com fibras
· argamassas refratárias
· argamassas para fugas e conexões
· argamassas autonivelantes
· argamassas pré-confeccionadas e produtos especiais para recuperar
estruturas de concreto e edifícios de construção

Também é possível projetar betões nos painéis de rede eletrosoldada para


recuperações estruturais. Graças a um conjunto prático é possível efetuar
injeções com pressão controlada de calda de cimento. Utilizando a
apropriada lança, a S8 EV permite intervenções como o enchimento de
fugas e conexões.

P 13 - P13 Bomba de Argamassa, projetora de argamassa, injetora de


argamassa.
Uma bomba de embolos mecânica, versátil que mistura, projeta, injeta,
argamassas, natas, Grout, refratários, para as mais diversas necessidade
como: Estacas raiz, injeção, projeção de acabamento ou contenção de
encostas, bolsacret entre outras aplicações.
MP 25 - Uma bomba de extrator/rotor muita usada em trabalhos de
acabamentos e decorativos que mistura, bombeia e projeta gesso e
argamassas finas, cimento-cola.Com alta produtividade de fácil operação
permite a mecanização total do processo de acabamento.

S5 - bomba de argamassa, misturador de argamassa, projetora de


argamassa, injetora de argamassa, maquina para rebocar, maquina de
reboco, maquina projetora de reboco, maquina para chapisco, projetora de
gesso. Uma pequena bomba de extrator/rotor que permite bombear, projetar
ou injetar argamassas em geral, para inúmeras aplicações, principalmente
usado na aplicação de chapisco e projeção de argamassa de acabamento.
B30 - A B30 é uma bomba compacta e fácil de usar, ideal para a mistura,
o bombeamento e a projeção em ciclo contínuo de materais secos pré-
misturados sobre paredes internas e externas. O carregamento pode ser
tanto manualmente com os sacos, quanto em modo automático por silos.
Projetada para oferecer uma variabilidade da vazão de 6 a 65 litros por
minuto a segundo dos pulmões montados, serve para utilizar uma vasta
tipologia de materiais: rebocos a base de cal e cimento, gesso, anidrite,
rebocos isolantes, argamassa para muros e coberturas, argamassa para
preenchimento de junções, cola pra azulejo, cola pra laje, camadas de
fundo autonivelantes cementícios e anidriticos.
Bibliografia:

http://www.portaldoconcreto.com.br/cimento/concreto/bomba.html

http://www.putzmeister.com.br/index.php?lingua=1&pagina=p13

http://thatyane-ccivil.blogspot.com/2009/10/tipos-de-bomba-de-
argamassa.html

http://www.sertechtreinamentos.com.br/arquivos/dicas/002-BOMBA
%20DE%20CONCRETO.html

http://pt.wikipedia.org/wiki/Argamassa#Argamassas_industrializadas

http://pt.wikipedia.org/wiki/Bomba_de_concreto