Você está na página 1de 16

A doutrina de Deus

A Bíblia nos revela que Deus é o criador de todas as coisas.

I. Existência de Deus
A. Argumentos naturalistas para a existência de Deus. 1. Cosmológico. Da palavra grega
kosmos, “mundo”. O universo é um efeito que exige uma causa adequada, e a única causa
suficiente é Deus.

“Os céus declaram a glória de Deus; o firmamento proclama a obra das suas mãos.” Salmos 19:1
NVI

2. Teleológico. Da palavra grega templos e telos, “fim”. O universo não apenas prova a
existência de um Criador, mas indica a existência de um Arquiteto, um Planejador.

“Portanto, a ira de Deus é revelada dos céus contra toda impiedade e injustiça dos homens que
suprimem a verdade pela injustiça, pois o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles,
porque Deus lhes manifestou. Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu
eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das
coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis” Romanos 1:18-20 NVI

Há um propósito observável no universo que indica a existência de Deus como seu planejador.

3. Antropológico. Da palavra grega anthropos, “homem”. Já que o homem é um ser moral e


intelectual, deve ter um Criador que também seja moral e inteligente.

“Assim, visto que somos descendência de Deus, não devemos pensar que a Divindade é
semelhante a uma escultura de ouro, prata ou pedra, feita pela arte e imaginação do homem.”
Atos 17:29 NVI

A natureza moral, os instintos religiosos, a consciência e a natureza emocional do homem


argumentam em favor da existência de Deus.

4. Ontológico. Da palavra grega on, “existente, ser”. O homem tem a ideia inerente de um Ser
Perfeito. Esta ideia naturalmente inclui o conceito de existência, já que um ser, em tudo mais
perfeito, que não existisse, não seria tão perfeito quanto um ser perfeito que existisse.
Portanto, visto que a ideia de existência está contida na ideia de um ser perfeito, esse ser
perfeito deve necessariamente existir.

B. Argumentos bíblicos para a existência de Deus. Os autores bíblicos tanto presumem quanto
defendem a existência de Deus.

II. Os atributos de Deus.


A. Definição. Um atributo é uma propriedade intrínseca ao seu sujeito, pela qual ele pode
ser distinguido ou identificado.
B. Classificações. A maioria dos sistemas de classificação dos atributos baseia-se no fato
de que alguns deles pertencem exclusivamente a Deus (exemplo infinitude) e outros se
encontram, de maneira limitada em num sentido relativo, também no homem
(exemplo amor); assim a terminologia dessas classificações inclui incomunicáveis e
comunicáveis; absolutos e relativos; imanentes e transitivos; constitucionais e
pessoais.
C. Discussão. Se Deus é uma Pessoa, então Ele é um agente moral que possui caráter.
Assim sendo, podemos falar sobre os ‘atributos’ de Deus, referindo-nos às qualidades
que podemos atribuir ao caráter divino. Embora não exista atributo que possa
expressar adequadamente o Ser de Deus, contudo muitos dos atributos apresentados
nas Escrituras servem ao propósito de transmitir uma digna impressão tanto de Sua
transcendência (superioridade de inteligência, perspicácia, sagacidade. Sinômino: elevação,
excelência, sublimidade, superioridade), como de sua imanência (antônimo de transcendência).
Todavia, precisamos trazer sempre em mente o fato de que os atributos de Deus
pertencem à própria essência de seu Ser, e que, dessa maneira, são coextensivos com
Sua natureza. Em outras palavras, em Deus, entre atributos e ser são uma só coisa. Isso
não é assim no caso do homem. Os atributos do caráter humano visto que o homem é
finito, são sujeitos a limitações. No homem há diferença entre ser, viver, conhecer e
querer, e o máximo que podemos esperar é que essas coisas sejam bem equilibradas no
indivíduo. Em Deus, pelo contrário, os Seus atributos são todos difundidos, e cada um
deles é infinito e não conhece limitação. Por exemplo, não podemos dizer que Deus é
parte amor e parte justiça, pois Ele é todo amor e todo justiça. Cada atributo por si
mesmo é Deus, e Deus é completamente expresso por cada um dos Seus atributos.
Novamente, o homem permanece homem mesmo que não possua certos atributos
humanos; Deus já não seria Deus sem todos os Seus atributos.
Tem sido achado conveniente classificar os atributos de Deus em duas espécies
– comunicáveis e incomunicáveis (algumas vezes chamados de relacionados e não
relacionados, respectivamente). Os atributos comunicáveis são aquelas qualidades que
podem, em certa medida, ser transmitidos às Suas criaturas racionais e morais, tais
como sabedoria, bondade, equidade, justiça, amor, ou seja, atributos que expressam a
imanência de Deus. Os atributos incomunicáveis são aquelas perfeições divinas que não
encontram analogia no caráter humano, tais como autoexistência, imutabilidade,
onisciências, eternidade, ou seja, ao atributos que salientam Sua transcendência. Esses
são capazes de definição pelo menos em parte. Por autoexistencia de Deus queremos
dizer que Ele possui existência independente devido à própria necessidade de Seu Ser;
diferentemente de Suas criaturas, Ele não depende de ninguém fora de Si mesmo para
continuar existindo. Por sua imutabilidade queremos dizer que Ele não conhece
qualquer alteração em Seu Ser, perfeições, propósitos e promessas. Todas as sugestões
de alteração que as Escrituras lhe atribuem são figuras de linguagem, acomodações ao
nosso ponto de vista humano. Por Sua eternidade queremos dizer que Deus está acima
de qualquer limitação de tempo, sem princípio e sem fim, e sem sucessão de
momentos. Isso pode ser mais facilmente compreendido se lembrarmos que o tempo
não existe por si mesmo, mas é um acompanhamento inseparável da existência criada.
Em Deus não existe nem tempo nem início de ser. Ele é o eterno ‘Eu Sou’, e Seu
presente é a eternidade.
Por onisciência e onipresença de Deus queremos dizer que Ele está acima das
limitações de espaço. O conhecimento de Deus faz parte da sua própria natureza, e não
é adquirida, como a nossa. Seu conhecimento, portanto, é completo e absoluto, e se
estende para o passado e para o futuro. A onisciência traz juntamente consigo a
onipresença, visto que o conhecimento de Deus envolve a presença de Deus em todos
os lugares e em todos os tempos. Não é tanto que Deus esteja em todos os lugares; Ele
é Todos os Lugares. Além disso, Ele está inteiramente, e não apenas parcialmente,
presente em todos os lugares.
Por onipotência de Deus queremos indicar algo bem diferente do poder que o
homem possui. No homem, o poder é um esforço da vontade que emprega ou lança
mão de poder preexistente; em Deus, o que é um atributo criador, é a energia que faz
surgir a criação do nada. Em Deus todo poder é um atributo criador, é a energia que faz
surgir a criação do nada. Em Deus todo poder é criador.
Pode-se dizer que a santidade é o atributo distintivo por excelência de Deus, o
resplendor de tudo quanto Deus é. É a sua santidade que o separa particularmente de
toda a sua criação – pois somente Ele é Santo – e isso O torna inabordável em todas as
suas perfeições. É seu esplendor intelectual e moral, a pureza ética em virtude da qual
Ele se deleita no bem e abomina o mal.

D. Descrição.
Atributos absolutos, incomunicáveis ou constitucionais, número de 1 a 14.
1. Simplicidade. a. Significado. Deus é incomplexo, não composto, indivisível. b. Texto:
“Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.”
João 4:24 ARA. “Porque a nossa glória é esta: o testemunho da nossa consciência de que
com simplicidade e sinceridade de Deus, não com sabedoria humana, mas na graça divina,
temos vivido no mundo, especialmente em relação a vocês.” 2Coríntios 1:12 NAA Obs.:
A ideia básica do conceito de adoração é o reconhecimento do valor do objeto adorado.
Devemos reconhecer em espírito (em contraste com meios materiais) e em verdade (em
contraste com o erro, a falsidade) o valor de Deus.
2. Unidade. a. Significado. Deus é um. b. Texto: “Ouve, Israel, o Senhor, nosso Deus, é o
único Senhor.” Deuteronômio 6:4 ARA “Eu e o Pai somos um (...) Mas se as realizo,
creiam nelas, mesmo que vocês não creiam em mim. Com isso vocês se convencerão de
que o Pai está em mim, e eu no Pai.” João 10:30, 38 NBV-P “Não crês que eu estou no Pai
e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo por mim mesmo; mas o
Pai, que permanece em mim, faz as suas obras. Crede-me que eu estou no Pai, e o Pai, em
mim; ou, senão, crede ao menos por causa das mesmas obras.” João 14:10-11 TB “Agora
eu estou saindo do mundo, e deixando todos aqui, e eu vou para a sua presença. Pai santo,
guarde-os com o seu nome, o nome que o Senhor deu a mim, para que, tal como nós, eles
sejam um. Eu dei a eles a glória que o Senhor me deu, para serem um, como nós somos um
(...)” João 17:11, 22 NBV-P. Conferir: Rm 15:5,6; 2Cr 30:12.
3. Infinitude. a. Significado. Deus é Espírito (Jo 1:18; 4:24). Ele não é limitado pelo espaço:
até o céu e a terra não podem contê-lo. Ele não é limitado pelo tempo, pois Ele não tem
término ou fim. Deus vê todas as coisas; passado, presente e futuro. b. Textos:
“Contudo, será possível que Deus habite na terra? Nem mesmo os mais altos céus podem
contê-lo, muito menos este templo que construí!” 1Reis 8:27 NVT; “Ele é o Deus que fez o
mundo e tudo que nele há. Uma vez que é Senhor dos céus e da terra, não habita em
templos feitos por homens” Atos 17:24 NVT; “Logo, amados, não se esqueçam disto: para
o Senhor, um dia é como mil anos, e mil anos como um dia.” 2Pedro 3:8 NVT.
4. Eternidade. a. Significado. Deus não está sujeito à sucessão do tempo. Ele sempre
existiu e sempre existirá, eternamente. b. Textos: “E Abraão plantou uma tamargueira
em Berseba e ali orou ao Senhor, invocando a presença do Deus Eterno.” Gênesis 21:33
NBV-P; “O Deus eterno é o seu refúgio. Ele sustenta Israel com braços eternos. Ele expulsa
os inimigos da sua presença, dizendo: ‘Destruam esses povos!’” Deuteronômio 33:27
NBV-P; “Deus é tão grande e maravilhoso! Não somos capazes de compreendê-lo; ele é
eterno, e ninguém pode calcular os anos da sua existência.” Jó 36:26 NBV-P. “Antes de
formar os montes e de criar a terra e o mundo, de eternidade a eternidade o Senhor é
Deus.” Salmos 90:2 NBV-P; “O trono do Senhor é eterno e seguro desde a antiguidade! O
Senhor existe desde a eternidade.” Salmos 93:2 NBV-P; c. Problema. seria o tempo irreal
para Deus? Não; Ele reconhece a continuidade dos acontecimentos, mas todos os
acontecimentos, passado, presente, e futuro são igualmente vívidos para ele. Conferir:
Ex 3:14; Sl 90:4-6; 102:12; Is 40:25-28; 57:15; 63:16; Jr 31:3; Cl 1:15-17; Hb 1:10-12; 2Pe
3:8; Ap 1:8.
5. Imutabilidade. a. Significado. Por ser perfeito, Deus é sempre o mesmo. Sua
disposição nunca muda nem o seu amor. Deus é imutável em natureza e prática.
Quando você aprende que Deus é Imutável, entenderá que Ele não muda
em nada por causa do que fez ou deixa de fazer. b. Textos: “Eu sou o SENHOR
e não mudo. Por isso vocês, descendentes de Jacó, ainda não foram destruídos.”
Malaquias 3:6 NVT; “Lembrem-se das coisas passadas, das coisas da antiguidade: que eu
sou Deus, e não há outro; eu sou Deus, e não há outro semelhante a mim. Desde o princípio
anuncio o que há de acontecer e desde a antiguidade revelo as coisas que ainda não
sucederam. Eu digo: o meu conselho permanecerá em pé, e farei toda a minha vontade.”
Isaías 46:9-10 NAA “Mas tudo quanto é bom e perfeito vem de Deus, o Criador de toda
luz, e que resplandece para sempre, sem mudança nem sombra.” Tiago 1:17 NBV-P. c.
Problema. Será que Deus muda de ideia ou se arrepende como parece acontecer de
nossa perspectiva; ou seria isto uma expressão do Decreto permissivo de Deus? Ou uma
maneira antropomórfica de descrever aparente mudanças no curso dos
acontecimentos? Conferir: Gn 18:14; Nm 23:19; Sl 33:11; Is 40:11-14; 41:4; Jr 31:3; Rm
5:17; Fp 1:6; Hb 1:12; 6:17,18; 13:8; Tg 1:17.
6. Onipresença. a. Significado. Deus está em todo lugar (não em todas as coisas que é o
panteísmo). Deus está sempre presente com você o tempo todo, ele vê tudo que você
faz e ouve tudo que você diz. Quando você aprende que Deus é Onipresente,
viverá cada dia buscando agradá-lo. b. Texto: “É impossível fugir do seu Espírito!
Em lugar algum conseguirei me esconder da sua presença! Se eu subir bem alto em direção
aos céus, lá o Senhor está; se eu quiser descansar no reino dos mortos, lá também o
encontrarei. Se eu voar para as partes mais distantes do oceano com os primeiros raios da
manhã, mesmo ali a sua mão direita dirigirá os meus passos e o seu poder me dará forças
para ficar de pé. Se eu tentar me esconder na escuridão, o Senhor transforma a noite em
dia claro. Para o Senhor, a escuridão nada esconde, a noite mais escura brilhará como o
dia claro, pois para o Senhor as trevas são luz.” Salmos 139:7-12 NBV-P; “_Sou eu Deus
apenas de perto, diz o Senhor, e não também Deus de longe? Pode alguém se ocultar em
esconderijos, de modo que eu não o veja? — diz o Senhor. Não encho eu os céus e a terra?
— diz o Senhor.” Jeremias 23:23-24 NAA “O Senhor vê tudo que acontece em toda parte;
ele observa o comportamento dos bons e dos maus.” Provérbios 15:3 NBV-P . Conferir:
Gn 1:31; 2Cr 6:18; Sl 33:18; 34:15; 104; 121:1-8; 139; Pv 5:21; Is 40:21-23; Jo 1:1-18; At
17:28; 1Co 6:19-20; Ef 4:6;
7. Soberania. a. Significado. Deus é o governante supremo do universo. Deus reina sobre
tudo. Ninguém pode dizer a Deus o que ele deve fazer. Todas as autoridades terrenas
e poderes angélicos tem de submeter-se a ele. Deus cuida de toda a criação e faz a sua
vontade na vida dos homens. Quando você aprende que Deus é Soberano,
aceitará que Ele tem o direito de planejar a sua vida, embora ele permita
o livre arbítrio. b. Textos: “Portanto, reconheçam este fato e guardem-no firmemente
na memória: O SENHOR é Deus nos céus e na terra, e não há outro além dele.”
Deuteronômio 4:39 NVT “Ó SENHOR, a ti pertencem a grandeza, o poder, a glória, a
vitória e a majestade. Tudo que há nos céus e na terra é teu, ó SENHOR, e este é teu reino.
Tu estás acima de tudo.” 1Crônicas 29:11 NVT “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor
Jesus Cristo, que nos abençoou com toda a bênção espiritual nas regiões celestes em Cristo,
assim como nos escolheu, nele, antes da fundação, do mundo para sermos santos e sem
defeito perante ele; e, em amor, nos predestinou para sermos adotados como filhos por
Jesus Cristo para si mesmo, conforme o beneplácito da sua vontade, para o louvor da glória
da sua graça, a qual nos deu gratuitamente no Amado,” Efésios 1:3-6 TB. Conferir: Ex
3:14; Dt 4:39; Sl 22:28; 47:2,6-7; 90:2; 115:3; 135:6; Is 40:21-28; 44:6; 66:1,2; Dn 4:34,35;
Mt 10:30; Rm 9:20; Cl 1:16-17; 1Tm 6:15.
8. Onisciência. a. Significado. Deus conhece todas as coisas reais e possíveis. Deus
conhece tudo desde a eternidade passada até eternidade futura, simultaneamente. Ele
não aprendi com ninguém, nunca é pego de surpresa e jamais esquece. Deus conhece
sua criação até nos mínimos detalhes. Ele dá nome as estrelas, equilibra as nuvens,
rastreia o movimento dos oceanos, veste os campos e sabe o que ocorre em cada
criatura a cada momento. b. Textos: “Conta o número das estrelas e a todas elas dá
nome. Grande é o nosso Senhor e mui poderoso; o seu entendimento é infinito.” Salmos
147:4-5 TB. “Porventura, sabes o equilíbrio das nuvens, as maravilhas daquele que é
perfeito em conhecimento.” Jó 37:16 TB “Por acaso você conhece as fontes que produzem
os mares e oceanos? Já andou pelo fundo escuro dos mares?”Jó 38:16 NBV-P “Quanto a
vocês, até os fios dos seus cabelos estão todos contados.” Mateus 10:30 NTLH. Conferir:
1Sm 16:7; Sl 33:13-15; 103:14; Is 40:28-29; 46:9-10; Ez 37:3; Mt 6:8,28; 10:29; Jo 14:2-3;
Ap 2:2-3.
9. Onipotência. a. Significado. Deus possui todo poder. Deus é a fonte do seu próprio
poder. Ele pode fazer qualquer coisa e faz o que deve ser feito. Não pode ter comunhão
com pecado. Quem mais pode criar qualquer coisa simplesmente com palavras?
Quando você aprende que Deus é o Todo-poderoso, confiará na ajuda
dEle. b. Textos: “(...) Será que o Senhor, que não tolera o pecado de maneira alguma, vai
ficar assistindo calmamente enquanto eles nos devoram? (...)” Habacuque 1:13 “Os céus
proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos. Um dia
discursa a outro dia, e uma noite revela conhecimento a outra noite. Não há linguagem,
nem há palavras, e deles não se ouve nenhum som. No entanto, por toda a terra se faz
ouvir a sua voz, e as suas palavras chegam até os confins do mundo. Aí, pôs uma tenda
para o sol” Salmos 19:1-4 NAA. “Pois ele falou, e tudo se fez; ele ordenou, e tudo passou
a existir.” Salmos 33:9 NAA, (Cf Gênesis 1:3-26). Conferir: Jr 32:17; 33:3; Sl 68:14; 86:8-
10; 91:1; 93:2-4; Ez 1:24; Ap 4:2-3.
10. Sabedoria. a. Significado. Deus, o grande criador, fez e entende todas as coisas. Ele
tem planos perfeitos e sempre os executa da melhor maneira possível. Por esta razão
podemos confiar plenamente nele. Quando você aprende que Deus é Sábio,
louvará o Seu excelso nome. b. Textos: “Ó SENHOR, que variedade de coisas criaste!
Fizeste todas elas com sabedoria; a terra está cheia de tuas criaturas.” Salmos 104:24
NVT “Com a Sabedoria o Senhor Deus criou a terra; e com o seu conhecimento colocou o
céu no lugar próprio. A sua sabedoria fez os rios nascerem e fez as nuvens darem chuva à
terra.” Provérbios 3:19-20 NTLH “Será que você não sabe? Ainda não ouviu falar que o
Deus eterno, o Criador de todo o mundo, nunca se cansa nem perde suas forças? Ninguém
é capaz de imaginar a grandeza da sua sabedoria.” Isaías 40:28 NBV-P “Como são
grandes as riquezas de Deus! Como são profundos o seu conhecimento e a sua sabedoria!
Quem pode explicar as suas decisões? Quem pode entender os seus planos?” Romanos
11:33 NTLH. Conferir: Ex 31:3,6; 1Rs 3:28; 4:29,30; 2Cr 1:10,11; Jó 12:13; 28:28; 38; Pv
2:6; Jr 10:7; Dn 2:20; Rm 11:33; 1Co 1:25; Ef 3:10; Cl 1:9; Tg 1:5; 3:17.
11. Majestoso. a. Significado. Deus é incomparável em bondade, beleza, poder e
excelência. Ele é grande em dignidade. É magnificente. Inclinamos a cabeça e O
adoramos. b. Textos: “A voz do Senhor ecoa sobre as águas. O Deus da glória troveja. A
voz do Senhor é forte como o trovão. A voz do Senhor é poderosa, a voz do Senhor é cheia
de majestade!” Salmos 29:3-4 NBV-P “O SENHOR reina! Está vestido de majestade; sim,
o SENHOR está vestido de majestade e armado de força. O mundo permanece firme e não
será abalado. Teu trono permanece desde os tempos antigos; tu existes desde a
eternidade.” Salmos 93:1-2 NVT “Vamos, procurem esconderijos nas cavernas!
Escondam-se na terra com medo da presença espantosa do Senhor e da tremenda glória
da sua majestade!” Isaías 2:10 NBV-P “Ele se levantará para conduzir seu rebanho com a
força do SENHOR e a majestade do nome do SENHOR, seu Deus. Então seu povo viverá
tranquilo, pois ele será exaltado em todo o mundo (...)” Miqueias 5:4 NVT. Conferir: 1 Cr
16:27; 29:11; Jó 37:4,22; 40:10; Sl 29:4; 45:3; 93:1; 96:6; 96:9; Is 24:14; 30:30; 57:15; Lc
9:43; Hb 1:3; Jd 1:25.
12. Misericordioso. a. Significado. A misericórdia é a compaixão em ação para com os
pecadores, que não tem nenhuma alegação nem direito de receber esse tratamento. A
misericórdia é apenas para os pecadores. Os anjos não sabem o que ela significa, pois
não precisam dela. a misericórdia é ideia de Deus. Ela está à disposição de todos, mas
apenas por intermédio do sacrifício de Cristo na cruz. A misericórdia de Deus é grande,
terna, abundante e eterna. E está interligada com todos os demais atributos de Deus.
A bondade do Senhor gera misericórdia, a santidade assegura sua integridade, a
verdade garante sua confiabilidade, o poder assegura sua duração e a fidelidade
reivindica sua constância. As consequências da misericórdia são perdão, restauração e
louvor daqueles que a recebem. b. Textos: “Louvado seja Deus, Pai de nosso Senhor
Jesus Cristo, Pai misericordioso e Deus de todo encorajamento.” 2Coríntios 1:3 NVT
“Respondeu Salomão: Tu usaste de grande misericórdia com meu pai Davi, teu servo,
segundo ele andou diante de ti em verdade, e justiça, e em retidão de coração para contigo;
guardaste-lhe esta grande misericórdia deste-lhe um filho que se assentasse no seu trono,
como hoje está.” 1Reis 3:6 TB “Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande
amor com que nos amou (...)” Efésios 2:4 NAA. Conferir: Nm14:18; Sl 36:5; 51:2,10-11;
89:1, 2; 103:3, 17; Ex 34:6-7; Is 16:5; 55:7; Lm 3:22; Lc1:78; Ef 2:4-7.
13. Longânimo. a. Significado. Longanimidade é tardar em irar-se. O julgamento de Deus
é certo. Mas Deus é chamado de “longânimo” porque seu julgamento não é imediato.
A longanimidade de Deus mostra um poder infinito, além de misericórdia, paciência e
amor, o que ele tem em abundância. Deus durante um tempo tolera insultos, rejeição
e indiferença com intuito de levar as pessoas ao arrependimento. A longanimidade
divina está atrelada a grande compaixão do pai e se torna ativa para levar-nos até Deus.
b. Textos: “O Senhor é tardio em irar-se e rico em bondade; ele perdoa a iniquidade e a
transgressão, mas não inocenta o culpado, e visita a iniquidade dos pais nos filhos até a
terceira e a quarta geração.” Números 14:18 NAA “Bondoso e compassivo é o Senhor,
tardio em irar-se e grande em misericórdia.” Salmos 145:8 NAA “Ou desprezas tu as
riquezas da sua bondade, e tolerância, e longanimidade, ignorando que a bondade de Deus
te conduz ao arrependimento?” Romanos 2:4 TB “Não retarda o Senhor a sua promessa,
como alguns a julgam demorada; pelo contrário, ele é longânimo para convosco, não
querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento.” 2Pedro 3:9
ARA. Conferir: Sl 103:8; Pv 14:29; Is 42:14-16; Is 48:9; Jn 4:2; Rm 9:22; 2Co 6:6; Ef 4:2;
1Pe 3:20; Ap 19:2,11.
14. Fiel. a. Significado. A fidelidade descreve quem Deus é. o significado original de
fidelidade em hebraico ‘emunah’ que significa certeza segurança. Não importa aquilo
que você faça, Deus não pode ser infiel, porque não pode negar a si mesmo. Ele é
imutável e digno de confiança, mantendo as suas promessas. A presença de Deus é
assegurada, mesmo que você não a perceba. A sua fidelidade é experimentada
mediante sua proteção, misericórdia, preservação, amor e disciplina. Quanto consolo e
encorajamento obtemos ao experimentar sua fidelidade. Você pode confiar
plenamente na sua palavra. Quando você aprende que Deus é Fiel, dependerá
dEle. b. Textos: “Pois disse eu: a benignidade está fundada para sempre; a tua fidelidade,
tu a confirmarás nos céus, (...) Celebram os céus as tuas maravilhas, ó Senhor, e, na
assembleia dos santos, a tua fidelidade.” Salmos 89:2,5 ARA “Certamente Deus é fiel, e
foi ele quem os convidou a essa maravilhosa comunhão com seu Filho Jesus Cristo, nosso
Senhor.” 1 Coríntios 1:9 NBV-P. Conferir: Js 23:14; Sl 89:32-33; Lm 3:22,23; Mt 28:20;
Rm 8:35-39; 1Co 10:13; 1 Ts 5:24; 2Ts 3:3; 2Tm 2:13; Hb 10:23.
Atributos relativos, comunicáveis ou pessoais, números 15 a 20.

15. Amor. a. Significado. Deus sempre procura o maior bem para nós, como suas criaturas,
na manifestação de sua vontade. Foi por isso que Ele enviou Seu Filho para pagar pelo
nosso pecado. Ele quer que você conheça seu amor e o mostre a outros. O amor de
Deus é iniciativa divina, é indestrutível, imerecido, compassivo, constante,
imensurável, voluntário e um dom. Deus não começou amar na cruz, nem nos amará
mais amanhã do que nos ama hoje. não há nada que possamos fazer, pensar ou dizer
que mudará o amor de Deus, porque, para Deus, não há surpresas: Ele nos conhece
totalmente e nos ama incondicionalmente. O alvo do amor de Deus é ter-nos junto de
si durante toda a eternidade. Ele nos presenteou e tornou possível a realização desse
alvo com Jesus e do sacrifício dele na cruz. Quando você aprende que Deus é
Amor; aceitará o seu perdão por meio do Salvador. b. Textos: “Nisto consiste o
amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou seu
Filho como propiciação pelos nossos pecados.” 1 João 4:10 NVI “Estou convencido de que
nada poderá nos separar do seu amor: nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem
principados e potestades, nem o presente nem o futuro, nem um lugar bem alto no céu, ou
nas profundezas do mar, nem qualquer outra coisa será capaz de separar-nos do amor de
Deus que está em Cristo Jesus, o nosso Senhor.” Romanos 8:38-39 NBV-P “De longe, o
Senhor apareceu-nos, dizendo: “Amei-te, ó meu povo, com um amor eterno! Foi com terna
benignidade que te atraí a mim!” Jeremias 31:3 OL “Porque Deus tanto amou o mundo
que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida
eterna.” João 3:16 NVI “Aquele que é a Palavra tornou-se um ser humano e morou aqui
na terra entre nós, cheio de graça e de verdade. E vimos a sua glória, a glória do Filho único
do Pai celeste! João mostrou Cristo ao povo, dizendo às multidões: “Este é aquele a
respeito de quem eu estava falando quando disse: ‘Está para chegar alguém que é
muitíssimo mais importante do que eu, porque ele já existia muito antes de mim!’ ” Todos
nós temos tirado proveito das ricas dádivas que ele nos trouxe, dádiva sobre dádiva!
Porque Moisés nos deu a Lei, enquanto Jesus Cristo nos trouxe a graça e a verdade.
Ninguém jamais viu realmente a Deus, porém o seu Filho único certamente o viu, porque
ele vive com o Pai e o tornou conhecido.” João 1:14-18 NBV-P “Deus, porém, é tão rico
em misericórdia! Ele nos amou tanto que, embora estivéssemos espiritualmente mortos e
condenados pelos nossos pecados, ele nos deu vida juntamente com Cristo  —  somente
pela sua graça imerecida é que nós fomos salvos.” Efésios 2:4-5 NBV-P. Conferir Sl 139:1-
5; Is 49:15; 54:10; Jr 31:3; Rm 3:23; 5:8; 8:31,32; Jo 17:23,26; Ef 5:25; 1Pe 1:22; 1Jo
4:8,16,19.
16. Bom. a. Significado. Deus não é apenas bom, ele é o criador da bondade. Não existe
fonte de bondade além de Deus. Dizer que Deus é bom é dizer que ele é absolutamente
puro, sem nenhuma insinuação de mal nem mesmo de neutralidade. Ele é rico em
bondade, designada para esta vida e também para eternidade. Ela dá esperança, leva
ao arrependimento e gera ações de graças. Deus iniciou uma boa obra em cada crente
e comprometeu-se a completar a sua obra. Quando você aprende que Deus é
Bom, cultivará um coração agradecido. b. Textos: “E Deus viu que tudo o que havia
feito era muito bom. A noite passou, e veio a manhã. Esse foi o sexto dia.” Gênesis 1:31
NTLH “Eu disse ao SENHOR: “Tu és meu Senhor! Tudo que tenho de bom vem de ti”.”
Salmos 16:2 NVT “Mas eu tenho certeza de que ainda verei a bondade do Senhor triunfar
nesta terra.” Salmos 27:13 NBV-P “Tenho certeza de que aquele que começou a boa obra
em vocês irá completá-la até o dia em que Cristo Jesus voltar.” Filipenses 1:6 NVT.
Conferir: Ex 34:6; Sl 27:13; 31:19; 34:8; 84:11; 100:5; 103:2-4; 106:1; 119:68; 136:1; 145:9;
Mt 19:16-17; Mc 10:18; Rm 2:4
17. Justiça. a. Significado. Deus é o padrão de justiça, seus caminhos são justos por que
ele é justo. Ele é o perfeito Juiz; justo correto e coerente. A justiça de Deus é imutável.
Em outras palavras, seus padrões são inegociáveis. Frequentemente, sua justiça é
acompanhada de seu julgamento. Ele nunca comete erros com ninguém, jamais. Com
sua equidade moral, Ele age com imparcialidade no trato com suas criaturas. Quando
você aprende que Deus é Justo, compreenderá que Ele precisa castigar o
seu pecado. b. Textos: “O Senhor é justo em todos os seus planos e mostra o seu amor
fiel em tudo que faz.” Salmos 145:17 NBV-P “Ama a justiça e odeia o pecado. Por isso,
Deus, o seu Deus, o ungiu com o óleo da alegria, como a nenhum dos seus companheiros.”
Salmos 45:7 NBV-P “(...) pois eles não conhecem a maneira como Deus aceita as pessoas
e assim têm procurado conseguir isso da sua própria maneira. Eles rejeitaram o modo de
Deus aceitar as pessoas.” Romanos 10:3 NTLH “Pois estabeleceu um dia em que há de
julgar o mundo com justiça, por meio do homem que designou. E deu provas disso a todos,
ressuscitando-o dentre os mortos”. Atos 17:31 NVI. Conferir: Gn 3:14-19; 6:5-7; Ex 3:19-
20; 7:5; 11:4-5; Js 3:10; ; 2Rs 17:5-23; 2Cr 19:4-11; Sl 18:30; 23:3; 36:5-6; 50:1-6; Is 42:8;
Mt 24:21-22; Rm 2:11; 3:10,24-26; 6:23; 2Co 5:9-11,21; Cl 2:14; 1Jo 1:5; Ap 15:1; 19:8;
20:11-15.
18. Liberdade. a. Significado. Independência divina de suas criaturas, ou qualquer outra
limitação, ou ainda, autoridade exterior. Ele é e está acima de todos e tudo. Quando
você aprende que Deus é a fonte de toda Liberdade, entenderá que que
Ele realizará Sua Vontade independente do seu querer ou participação
humana. b. Texto: “Quem pode orientar o Espírito do SENHOR? Quem sabe o suficiente
para aconselhá-lo ou instruí-lo? Acaso o SENHOR já precisou do conselho de alguém?
Necessita que o instruam a respeito do que é bom? Alguém lhe ensinou o que é certo ou lhe
mostrou o caminho da sabedoria?” Isaías 40:13-14 NVT. “Não a nós, Senhor, não a nós,
mas ao teu nome dá glória, por amor da tua misericórdia e da tua fidelidade. (...) O nosso
Deus está no céu e faz tudo como lhe agrada.” Salmos 115:1, 3 NAA “Todos os habitantes
da terra são tidos como nada; ele faz conforme a sua vontade no exército do céu e entre os
habitantes da terra, e não há quem possa resistir a sua mão, nem lhe dizer: Que fazes?”
Daniel 4:35 TB
19. Santidade. a. Significado. Deus é completamente puro e perfeito, a ponto de não
podermos sequer imaginar sua retidão moral. Ele nunca peca e não pode tolerar o
pecado. Tudo o que Deus faz é certo e bom. Quando você aprende que Deus é
Santo, verá que você é um pecador. b. Texto: “Ninguém é santo como o Senhor,
porque não há outro além de ti, e não há rocha como o nosso Deus.” 1Samuel 2:2 NAA
“Levantem bem alto o nome do Senhor, o nosso Deus! Curvem-se diante do seu santo
monte, porque o Senhor, o nosso Deus é santo!” Salmos 99:9 NBV-P “Exaltem o
SENHOR, nosso Deus; prostrem-se a seus pés, pois ele é santo!” Salmos 99:5 NVT. “Eu
sou o Senhor, o seu Santo, o Criador de Israel e o seu Rei”. Isaías 43:15 NBV-P. Conferir:
Gn 18:25; Ex 33:17-23; Sl 42:1-2; 100:3; Am 4:2; 6:8 Rm 3:23; Fp 3:10.
20. Verdade. a. Significado. Cada palavra que sai da boca de Deus é verdadeira. Ele é o
padrão de toda a verdade; é por ele que tudo o que existe é mensurado. A verdade não
descreve apenas o que ele conhece, mas também tudo que ele faz e diz, inclusive o
juízo, a criação, a redenção e todos os detalhes de cada promessa feita por Deus.
Quando você aprende que Deus é a Verdade, procurará na Sua Palavra as
respostas para a vida. O fato de Deus ser a verdade está baseado na fé, porque o
oposto de fé em Deus é chamá-lo de mentiroso. Ele é inteiramente confiável e correto.
b. Texto: “Jesus disse: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém pode chegar ao
Pai, a não ser por mim.” João 14:6 NBV-P “Torna-os santos, ensinando-lhes as tuas
palavras da verdade.” João 17:17 OL “(...) então um descendente de Davi será rei. Ele
governará com fidelidade, julgará com justiça e se esforçará para fazer o que é justo.”
Isaías 16:5 NBV-P “E sabemos também que o Filho de Deus veio para ajudar-nos a
compreender e encontrar o verdadeiro Deus. E agora estamos em Deus, porque estamos
em Jesus Cristo seu Filho, que é o único Deus verdadeiro; e ele é a vida eterna.” 1 João 5:20
NBV-P. Conferir: Dt 32:4; Js 23:14; Sl 19:7-11; Is 31:5; 46:9-10; 146:6; Rm 3:4; Hb 6:17-
18.
III. OS NOMES DE DEUS
A derivação da palavra portuguesa é do latim Deo, Dil. Quanto ao conceito cristão sobre
Deus, a Bíblia é nossa única fonte de informação. Em suas páginas encontramos a auto-
revelação de Deus.
Ao considerarmos os viários nomes, títulos ou descrições de Deus, no Antigo Testamento,
surgem três palavras de importância básica: “el”, “elohim”, e “Yahweh” (Jeová). Desde o
princípio é preciso perceber o significado de cada um desses nomes separadamente, bem como
sua relação uns com os outros.

A. Nomes primários do A.T.

1. Adonai
Trata-se também de uma forma plural que designa Deus como Ser pleno de
vida e poder. Significa ‘Senhor’ ou em sua forma intensiva ‘Senhor dos senhores’ e
‘Senhor de toda a terra’, apontando Deus como governante a quem tudo está sujeito e
com quem o homem está relacionado com servo. Observar Gênesis 18:27: “Abraão
voltou a dizer: — Perdoa o meu atrevimento de continuar falando contigo, pois tu és o
Senhor, e eu sou um simples mortal.” Era a forma favorita do nome divino pelos
escritores judeus posteriores, os quais usavam na para substituir o nome Sagrado
YHWH.
A suposição que o emprego desses nomes salientam alguma distinção feita
pelos primeiros escritores do Antigo Testamento, entre uma divindade superior e outra
inferior, faz apenas violência os fatos, e quando isso é tornando critério para
determinação de fontes, tende a causar uma confusão insolúvel. Não deve ser negado
que os diversos escritores do Antigo Testamento salientam diferentes aspectos do
caráter divino, porém, isso não fornece base para o ponto de vista que a religião israelita
era uma do polidemonismo até o monoteísmo. Pois a tendência geral em Israel tomava
justamente a direção oposta, ou seja, corromper o monoteísmo puro mediante uma
acomodação com o politeísmo das nações circunvizinhas. Apesar de haver um
desenvolvimento histórico na autorevelação de Deus a Israel, sua natureza e caráter
permanecem coerentes do princípio ao fim.
O Deus revelado nas escrituras é um ser pessoal, alto existente e auto
consciente, criador do universo, fonte de vida e benção. Seu ser, caráter e vontade são
os temas que ocupam os pensamentos e todos os escritores bíblicos.

2. “El”, “Eloah”, “Elohim”


El se deriva de uma raiz que indica força ou poder, e com esse sentido o termo é
aplicado no Antigo Testamento aos homens, e mesmo abstratamente as coisas, bem
como a Deus. Quando aplicado à divindade o vocábulo é frequentemente ligado à
algum termo caracterizador sobre a moral do indivíduo ao qual ele se atribui como
‘todo-poderoso’, El-Shaddai, Deus Todo-Suficiente. El em nossa versão portuguesa
“Deus” ou ‘Deus’, tem formas semelhantes em outras línguas semíticas, e significa um
deus no sentido mais amplo, verdadeiro ou falso, ou mesmo uma imagem que é tratada
como deus. Essa ideia está presente em “Então Jacó disse à sua família e a todos que
estavam com ele: “Joguem fora todas as imagens dos deuses estrangeiros que estão com
vocês. Purifiquem-se e vistam roupas limpas.” Gênesis 35:2 NBV-P. Por causa desse
caráter geral, a palavra é frequentemente associada com um adjetivo ou predicado
definidor. Por exemplo, em Dt 5:9, lemos: ‘porque eu, o Senhor (Yahweh), teu Deus
(elohim), sou Deus (el) zeloso’, ou em ‘Eu sou o Deus (el) de Betel’, onde você ungiu uma
coluna, onde me fez um voto. Levante-se agora, saia desta terra e volte para a terra de sua
parentela.”” Gênesis 31:13 NAA.
Eloá é uma forma singular de elohim, e tem o mesmo sentido de el. No Antigo
Testamento esse termo se encontra principalmente nos escritos poéticos.
Frequentemente aparece no livro de Jó. Outro exemplo é “Mas quando o povo amado
de Israel engordou, agiu como animal selvagem. Quando ficou satisfeito, gordo e coberto
de gordura, abandonou o Deus que o fez; desprezou a Rocha da salvação! (...) Os filhos de
Israel ofereceram sacrifícios aos demônios, não a Deus. Ofereceram sacrifícios a deuses
que não conheciam, deuses novos e recém-chegados, deuses que não receberam o afeto
dos nossos pais.” Deuteronômio 32:15, 17 NBV-P.
Eloim, embora seja forma plural, ainda assim pode ser tratado como singular, no
qual caso significa a grande e suprema divindade, que nossa versão portuguesa traduz
por ‘Deus’, é a forma comumente empregada. Alguns veem nesse plural um ensino da
Trindade intrínseca em Deus, em forma subtendida. É mais provável que se trate de um
uso comum no hebraico, mediante o qual o plural serve para intensificar ou expandir a
ideia expressa no singular. Dessa maneira, tal plural estaria chamando a atenção para
abundante plenitude da divindade, para a plenitude da vida que existe em Deus. Em
outras palavras, tal como seu equivalente português, gramaticalmente considerado é
um substantivo comum, e transmite a noção de tudo quanto pertence ao conceito de
deidade, fazendo contraste com o conceito de homem (Nm 23:19) e de outros seres
criados. É uma palavra apropriada para dar a entender a relação cósmica e mundial
como em “No princípio Deus criou os céus e a terra” Gênesis 1:1 NBV-P, visto que existe
o único supremo e verdadeiro Deus, e Ele é uma Pessoa; aproxima-se do caráter
de um substantivo próprio, ainda que não perca sua qualidade abstrata e
conceptual.

Como estão relacionados El, Eloim e Yahweh

Agora encontramo-nos numa posição de onde é possível considerar como essas


três palavras concordam ou diferem em seu uso. Apesar de existirem ocasiões em que
qualquer desses vocábulos poderia ter sido empregado para Deus, de forma alguma
são termos idênticos ou intercambiáveis. No relato de Genesis 14, atualmente
considerado por muitos como história que fornece um quadro autêntico sobre a
situação no princípio do segundo milênio A. C., lemos como Abraão se encontrou com
Melquisedeque, o sacerdote de ’ēl ’elyôn’, ‘o Deus altíssimo’. Aqui encontramos o nome
ou título dado por Melquisedeque à deidade que ele adorava. Certamente seria errado
substituir quer ‘Eloim’ (Deus) quer ‘Yahweh’ (Senhor) por ’ēl ’elyôn’ Genesis 14:18:
“Melquisedeque, rei de Salém e sacerdote do Deus Altíssimo, trouxe pão e vinho”.
Melquisedeque abençoou Abraão em nome de ’ēl ’elyôn’, que possui o céus e a terra,
assim identificando ’ēl ’elyôn’ com o Deus supremo (vs. 19,20).
O rei de Sodoma ofereceu a Abraão um presente, mas este o rejeitou, levando
a mão a Yahweh ’ēl ’elyôn’, ‘o que possui o céus e a terra’ (v.22). Com isso Abraão queria
dizer que adorava o Deus supremo, o mesmo Deus (pois tenho outro existe), que Ele,
entretanto, conhecia pelo nome de ‘Yahweh’.
Citando um segundo exemplo, em Genesis 27:20, Jacó enganou seu pai com as
palavras: ‘Porque o Senhor (Yahweh), teu Deus (Eloim), a mandou ao meu encontro’.
Trocar ‘Yahweh’ por ‘Eloim’, ou vice-versa, não faria sentido. Yahweh era o nome pelo
qual Isaque conhecia e adorava o Supremo Deus (Eloim).

3. Javé (Yahweh - Jeová).


E Esse nome, é frequentemente transliterado do ‘Jeová’, mas que nossa versão
comumente traduz por ‘Senhor’, é o nome pessoal do Deus Israel, assim como ‘Eloim’
aparece no Antigo Testamento com o nome genérico da deidade. Por conseguinte,
trata-se distintivamente do nome do Deus vivo da revelação bíblica. Sua derivação é
incerta, embora provavelmente venha da mesma raiz que transmite a ideia de
existência não derivada. Quando pela primeira vez revelado a Moisés, na sarça ardente,
“Moisés, porém, disse a Deus: “Quem sou eu para me apresentar ao
faraó? Quem sou eu para tirar o povo de Israel do Egito?” Deus
respondeu: “Eu estarei com você. Este é o sinal de que eu sou aquele
que o envia: depois que você tirar o povo do Egito, vocês adorarão a
Deus neste monte”. Moisés disse a Deus: “Se eu for aos israelitas e lhes
disser: ‘O Deus de seus antepassados me enviou a vocês’, eles
perguntarão: ‘Qual é o nome dele?’. O que devo dizer?”. Deus
respondeu a Moisés: “Eu Sou o que Sou. Diga ao povo de Israel: Eu Sou
me enviou a vocês”. Deus também instruiu Moisés: “Diga ao povo de
Israel: Javé, o Deus de seus antepassados, o Deus de Abraão, o Deus de
Isaque e o Deus de Jacó, me enviou a vocês. Esse é meu nome para
sempre, o nome pelo qual serei lembrado de geração em geração.”
Êxodo 3:11-15 NVT

a chama que derivava sua sustentação de si mesma e não de seu ambiente, foi um
símbolo impressionante duma existência independente. A revelação divina do
significado do nome ‘Eu sou o que sou’, ou talvez com mais exatidão ‘Eu serei o que
serei’, anuncia a fidelidade e a imutabilidade de Deus, o mesmo ontem, hoje e
eternamente. Apesar de que no trecho “apareci a Abraão, a Isaque e a Jacó como o Deus
Todo-Poderoso; mas pelo meu nome, O Senhor, não lhes fui conhecido” Êxodo 6:3 NAA,
o nome não havia sido revelado em seu real sentido e significado. O que podemos
confirmar em “Deus continuou falando com Abrão: “Eu sou o Senhor que tirei você de Ur
dos caldeus, para dar a você esta terra como herança”.” Gênesis 15:7 NBV-P e “E eis que
o Senhor estava perto dele e lhe disse: — Eu sou o Senhor, Deus de Abraão, seu pai, e Deus
de Isaque. A terra em que agora você está deitado, eu a darei a você e à sua descendência.”
Gênesis 28:13 NAA. É digno de nota nessa revelação, Yahweh se tenha declarado não
ser um novo ou estranho Deus, em realidade não sendo outro senão ‘o Deus de vossos
pais’ conferir Ex 3:15 acima.
Estritamente falando, Yahweh é o único ‘nome’ de Deus. No livro de Gênesis,
entretanto, a palavra ‘nome’ é associada com o ser divino cujo nome é Yahweh. Quando
Abraão ou Isaque edificavam um altar, invocaram ‘o nome do Senhor’ (Gn 12:8; 13:4;
26:25).
Em particular, Yahweh era o Deus dos patriarcas, e lemos sobre ‘Yahweh, o
Deus (Eloim) de Abraão’, e então de Isaque, e finalmente ‘o Deus de Abraão, o Deus de
Isaque, e o Deus de Jacó’ a respeito do qual Eloim diz: ‘este é o meu nome eternamente’
(Ex 3:15). Portanto, Yahweh, fazendo contraste com Eloim, é um nome próprio, o nome
de uma Pessoa, embora essa Pessoa seja divina. Nesse caso, possui seu próprio pano
de fundo ideológico; apresenta Deus como uma Pessoa, e assim O leva a ter relação
com outras personalidades humanas. Esse nome traz Deus bem perto do homem, pois
ele se refere aos patriarcas como um amigo se refere a outro.
Um estudo da palavra ‘nome’, no Antigo Testamento, revela quanto esse
vocábulo significa no hebraico. O nome não é mero título, mas significa e expressa a
personalidade real daquele a quem pertence. Pode derivar-se das circunstâncias do
nascimento desse alguém (“Ele o chamou de Noé e disse: “Este há de trazer-nos descanso
para o duro trabalho da terra que o Senhor amaldiçoou”.” Gênesis 5:29 NBV-P), ou pode
refletir o seu caráter (“Esaú exclamou: “Não é de admirar que ele se chame Jacó, pois é a
segunda vez que me engana. Primeiro, tomou meus direitos de filho mais velho e, agora,
roubou minha bênção. O senhor não guardou uma bênção sequer para mim?”.” Gênesis
27:36 NVT) e quando uma pessoa punha o seu nome sobre alguma coisa ou pessoa,
esta última ficava sob sua influência ou proteção.

Nomes compostos para Deus


1. Yahweh Eloim - Essas duas palavras aparecem combinadas na narrativa de Genesis
2:4-3, (como exemplo conferir o v. 8: “Depois o Senhor Deus plantou um jardim na região
do Éden, no Leste, e ali pôs o ser humano que ele havia formado.”), embora Eloim
somente tivesse sido usado no discurso entre Eva e a serpente. Se a narrativa
concernente ao Jardim do Éden foi relatado num original sumério, talvez tenha
chegado ao conhecimento de Abraão em Ur, e assim seria possível explicar o emprego
diferente, desses dois capítulos, em contraste com os capítulos que o antecedem e que
os seguem.

2. El elyon - ’Ēl ’elyôn’, ‘ó Deus altíssimo’, era o título de Deus conforme adorado por
Melquisedeque. ‘Elyôn se encontra por exemplo no texto “(...) a mensagem daquele que
ouve as palavras de Deus, que possui conhecimento dado pelo Altíssimo, que tem uma
visão concedida pelo Todo-poderoso, que se curva com os olhos bem abertos(...)”
Números 24:16 NVT e noutros lugares. Em Salmos 7:17 NAA “Eu, porém, louvarei o
Senhor, segundo a sua justiça, e cantarei louvores ao nome do Senhor Altíssimo” há
combinação com Yahweh. E em Salmos 18:13 NVT, “O SENHOR trovejou dos céus; a voz
do Altíssimo ressoou, em meio ao granizo e às brasas vivas”, semelhante paralelamente.

3. ’Ēl ‘Ôlãm - Em Berseba Abraão plantou uma tamareira (ou tamargueira ) e invocou ali
o nome do Senhor Deus, eterno (Yahweh , ’el ‘ôlãm, Genesis 21:33 “Abraão plantou uma
tamargueira em Berseba e ali invocou o nome do SENHOR, o Deus Eterno.” Gênesis 21:33
NVT). Nesta passagem, ‘Yahweh’ é o nome seguido por uma descrição, ‘Deus eterno’.
Outras citações estão em: Ex 34:6; Sl 45:7; 75:10; Is 40:28. Cross, chamou a atenção para
a forma original desse nome ’El dhü-‘Ôlami, ‘Deus da eternidade’ numa recente
apreciação em que aparecerá variação de ‘Pai da eternidade’ em “Porque um menino
nos nasceu, um filho se nos deu. O governo está sobre os seus ombros, e o seu nome será:
“Maravilhoso Conselheiro”, “Deus Forte”, “Pai da Eternidade”, “Príncipe da Paz”.” Isaías
9:6 NAA

4. El-Elohe-Israel – Tendo chegado em Siquém, Jacó comprou um terreno, erigiu uma


altar, e o chamou de ’ēl-’elõhê-Yisra’el: “Ali edificou um altar e lhe chamou El Elohe
Israel.” Gênesis 33:20 NVI. ‘Deus (el) é o Deus (elohim) de Israel’. Dessa maneira ele
comemorou o recente encontro com o anjo no lugar que chamará de Peniel (peniel, ‘a
face de Deus’, “Jacó chamou aquele lugar de Peniel, pois disse: “Vi Deus face a face e, no
entanto, minha vida foi poupada”.” Gênesis 32:30 NVT). Dessa maneira Jacó aceitou
‘Israel’ como seu próprio nome, e assim prestou adoração a Deus.

5. Jeová-jireh - “Respondeu Abraão: Deus proverá para si, meu filho, o cordeiro para o
holocausto; assim, caminharam ambos juntos. (...) Chamou Abraão àquele lugar Jeová-
Jiré (Yahweh yir’eh); donde, até o dia de hoje, se diz: No monte de Jeová se provê.”
Gênesis 22:8, 14 TB

6. Jeová-nissi – De maneira um tanto familiar, depois da derrota dos amalequitas, “Moisés


construiu um altar ali e o chamou de Javé-Nissi (‘o Senhor é minha bandeira’).” Êxodo
17:15 NVT. Esses nomes entretanto, não são considerados propriamente como nomes
de Deus, mas apenas comemoram certos acontecimentos.
7. Jeová-shalom - “Então Gideão construiu um altar para o SENHOR naquele local e o
chamou de Javé-Shalom (o Senhor é paz). Até hoje o altar está em Ofra, (Yahweh
shãlôm), no território do clã de Abiezer.” Juízes 6:24 NVT

8. Jeová-tsidkenu – Esse seria o nome pelo qual o Messias seria conhecido, Yahweh
çidhkēnü, ‘o Senhor (é) nossa justiça’ em Jr 23:6. “Naqueles dias, Judá será salvo e
Jerusalém habitará em segurança; ela será chamada “Senhor, Justiça Nossa”.” Jeremias
33:16 NAA, em contraste com o último rei de Judá, que era um portador indignado de
nome Zedequias (çidhqiyãhü, ‘Yahweh é justiça’).

9. Jeová-shammah – Esse é o nome dado à cidade na visão de Ezequiel, Yahweh


shãmmâ, ‘o Senhor está ali’. Conferir no texto: “O contorno será de nove quilômetros. E
o nome da cidade desde aquele dia será: “O Senhor Está Ali”.” Ezequiel 48:35 NAA

10. Senhor dos Exércitos – Diferindo dos nomes anteriores, Yahweh sebhã’ôth ‘o Senhor
dos exércitos’, é um título divino. Não ocorre no Pentateuco, e aparece pela primeira
vez como título mediante o qual Deus era adorado em Silo. Em 1Sm 1:3 pôde-se conferir
isso: “Todos os anos, Elcana subia de sua cidade até Siló para adorar o SENHOR dos
Exércitos e oferecer sacrifícios a ele. Nesse tempo, os sacerdotes do SENHOR eram Hofni
e Fineias, os dois filhos de Eli.” Também foi usado por Davi ao desafiar o gigante filisteu.
Em 1Sm 17:45 lemos: “Davi, porém, disse ao filisteu: — Você vem contra mim com espada,
com lança e com escudo. Eu, porém, vou contra você em nome do Senhor dos Exércitos, o
Deus dos exércitos de Israel, a quem você afrontou.” E foi empregado por Davi como
clímax de um glorioso cântico de vitória em Sl 24:10 em que podemos ler: “Quem é o
Rei da glória? O SENHOR dos Exércitos; ele é o Rei da glória.” É comumente encontrado
nos livros dos profetas (88 vezes só em Jeremias), e é empregado para exibir Yahweh
em todas as ocasiões como o Salvador e o Protetor de Seu povo como em Sl 46:7,11 em
que a frase tem sua ênfase por ser usada nos dois versículos: “O Senhor dos Exércitos
está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio.” Os ‘exércitos’ são todos os poderes
celestiais, prontos para obedecerem ao Senhor.

11. Senhor Deus de Israel – Esse título (Yahweh ’elõhê Yisra’el) já pode ser encontrado
desde o cântico de Débora em Jz 5:3 “Ouçam, ó reis! Príncipes, escutem! Eu cantarei ao
Senhor, ao Senhor, Deus de Israel.” E era frequentemente usado pelos profetas
(exemplo, Is 17:6 “Restarão apenas uns poucos de seu povo, como as azeitonas que
sobram quando a árvore é sacudida. Apenas duas ou três restam nos galhos mais altos,
quatro ou cinco aqui e ali em seus ramos”, declara o SENHOR, o Deus de Israel.” Além de
Sf 2:9; Jr 34:12; 37:6. Algumas citações estão entre os históricos como Js 7:20; 14:14; Jz
11:23 e outras com os poéticos Sl 41:13; 72:18; 135:19 é uma dentre os evangelhos em
Lc 1:16). Segue-se sempre dentro da série ‘o Deus de Abraão, de Isaque, e de Jacó’). Em
Sl 59:5 é combinado com o título anterior: “Ó Senhor, Deus dos Exércitos, ó Deus de
Israel! Desperte e venha enfrentar todas as nações inimigas! Não tenha pena de ninguém
que faz da maldade o seu modo de vida!”

12. O Santo de Israel – Esse título (qedhôsh Yisra’ēl) era empregado como favorito por
Isaías em 24 vezes como em Is 1:4; 17:7; 29:19; 30:11; 43:15; 47:4 e em Sl 78:41; 89:18,19.
Tanto na primeira como na última porção de suas profecias, e também no livro de
Jeremias. Um tanto semelhante a esse é o título ‘o Poderoso de Israel’ (’abhïr Yisrã’ēl,
como em “Por isso, o Soberano, o Senhor dos Exércitos, o Poderoso de Israel, anuncia:
“Vou ajustar as contas, vou castigar duramente os meus inimigos!” Isaías 1:24 NBV-P)
outras passagens: Sl 132:2,5; Is 49:26. E também ‘a força (vitória) de Israel’ (nēah
Yisrã’ēl, “E também aquele que é a Força de Israel não mente nem se arrepende; porquanto
não é um homem, para que se arrependa.”1Samuel 15:29 ARC)

13. Antigo de dias – Essa é a descrição (em aramaico, ‘attïq yômïn) dada por Daniel, que
descreve Deus em seu trono de julgamento a julgar os grandes impérios mundiais em:
“Continuei olhando, até que foram postos uns tronos, e o Ancião de
Dias se assentou. Sua roupa era branca como a neve, e os cabelos da
cabeça eram como a lã pura. O seu trono eram chamas de fogo, e as
rodas do trono eram fogo ardente. (...) Eu estava olhando nas minhas
visões da noite. E eis que vinha com as nuvens do céu alguém como um
filho do homem. Ele se dirigiu ao Ancião de Dias, e o fizeram chegar até
ele. (...) Até que veio o Ancião de Dias e fez justiça aos santos do
Altíssimo. E veio o tempo em que os santos possuíram o reino.” Daniel
7:9, 13, 22 NAA
Alterna-se com o título ‘o Altíssimo’ em aramaico, ‘illãyâ ‘elyônïn, em:
“Mas os santos do Altíssimo receberão o reino e o possuirão para todo
o sempre, de eternidade a eternidade. (...) Até que veio o Ancião de Dias
e fez justiça aos santos do Altíssimo. E veio o tempo em que os santos
possuíram o reino. (...) Ele falará contra o Altíssimo, oprimirá os santos
do Altíssimo e tentará mudar os tempos e a lei; e os santos serão
entregues nas mãos dele por um tempo, tempos e metade de um
tempo. (...) O reino, o domínio e a majestade dos reinos debaixo de
todo o céu serão dados ao povo dos santos do Altíssimo. O seu reino
será um reino eterno e todos os domínios o servirão e lhe obedecerão.”
Daniel 7:18, 22, 25, 27 NAA

Resumindo:

Principais nomes de Deus

Tradução da Bíblia de
Nome Hebraico Referência Bíblica Significado
Almeida
Eloim Deus Gn 1:1; Deus Todo-poderoso ou Deus
Gn 3:3* supremo com referência à
Usado mais de 2500 fidelidade de Deus. O Criador. O
vezes Forte. Palavra no plural, permite a
revelação subsequente da
Trindade no N.T., mas não a
ensina de fato.
Jeovah ‘SENHOR’ (em, letras 1Sm 1:20*; Auto-existente ou Eterno.
maiúsculas). Sl 110:1 Fala da sua santidade, justiça e
Ex 3:14 – Eu Sou o Que ódio ao pecado. Mas amor aos
Sou pecadores.
Encontrado mais de Aquele que existe por ser Quem
7000 vezes é.
O nome mais pessoal e íntimo
que Deus dá a si mesmo.
Adonai ‘Senhor’ (quando usado Sl 2:4; 8:9 – 300 vezes Senhor, Proprietário de todas as
para Deus), ‘senhor’ referindo-se a Deus coisas, Mestre.
(usado para homens). 1Pe 3:6 – mais de 200 Dono ou senhor.
vezes usado para o Indica o relacionamento senhor-
homem. servo.
PALAVRAS COMPOSTAS PARA DEUS
’Ab Pai 2 Sm 7:14 A primeira pessoa da Trindade
Abba (aram.) Paizinho Sl 89: 26 Diminutivo de pai
Mc 14:36
El Shaddai Deus Todo-poderoso Gn 17:1,2; El (‘força’)
Rt 1:20* Shaddai (‘doador da vida’)
O todo-generoso doador de
todas as bênçãos.
El Elyon Deus Altíssimo Gn 14:8; 18-20 O Deus que se assenta acima de
Is 14:13-14 todos os outros como Rei do
universo. O Forte dos fortes. O
Exaltado.
El Gibbon Deus Forte Is 9:6,7 O Deus que tudo pode.
El Olam Deus Eterno Gn 21:33; O Eterno Deus.
Is 40:28
El Roi Deus Forte que vê Gn 16:13* O Deus Forte que tudo vê. O que
atende às necessidades.
Illaya(aram.) Altíssimo Dn 7:25 Aquele que é exaltado
Jeovah Jireh ‘O Senhor Proverá’ Gn 22:7,8,13-14 O Deus que proverá todas as suas
necessidades.
Jeovah Sabaoth ‘O Senhor dos Sl 24:10; O Deus dos exércitos do céu.
Exércitos’ 1Sm 1:3
Jeovah Shalom ‘O Senhor é paz’ Jz 6:24 O Deus que pode lhe dar paz.
Jeová é paz
Jeovah Ropheia ‘O Senhor que te sara’ Ex 15:22-26 O Deus que restaura, fortalece e
cura você.
Jeovah Nissi ‘O Senhor é minha Ex 17:15 Deus, Aquele que você pode
bandeira’ seguir como sua autoridade.
Jeovah Tsidkenu ‘Senhor, Justiça Nossa’ Jr 23:6 Deus, Aquele que pensa e age de
maneira justa, certa e boa.
Jeovah Rophi ou ‘O Senhor é o Meu Sl 23 Deus, Aquele que pensa e age de
Raah Pastor’. O Deus que maneira justa, certa e boa.
cuida com amor.
Jeovah Shammah ‘O Senhor Está Ali’ Ez 48:35 O Deus presente em todas as
horas.
Jeovah M’Kaddesh ‘O Senhor que te Ex 31:13; O Deus que leva você do lugar da
Santifica’ Lv 20:8 separação do pecado para
dedicação à Ele.
Jeovah El Gmolah Senhor da recompensa. Jr 51:56 O Senhor Deus da recompensa.
Jeovah Nakeh Senhor que fere Ez 7:9 O Senhor que fere.
Qedosh Yisra’el O Deus exclusivo de Is 1:4 O Santo de Israel.
Israel
Shapat Juiz Gn 18:25 O Líder que profere sentenças.
Tsur Is 44:8 Rocha

 Jeovah, o nome mais sagrado de Deus, é conhecido como o Tetragrama, e sua pronúncia
exata é incerta.
 As vogais para adonai são inseridas no texto hebraico e os eruditos e estudantes judeus
leem adonai sempre que encontram YHWH.
 (*) Referências nas quais uma mulher usou este nome.

Imagens de Deus nos Salmos

Imagens de Deus Referência em Salmos


1. Criador 8:1,6
2. Curador 30:2
3. Escudo 3:3; 28:7; 119:114
4. Fortaleza 31:3; 71:3
5. Juiz 7:11
6. Libertador 37:39-40
7. Pastor 23:1; 80:1
8. Protetor 5:11
9. Provedor 78:23-29
10. Redentor 107:2
11. Refúgio 46:1; 62:7
12. Rei 5:2; 44:4; 74:12
13. Rocha 18:2; 42:9; 95:1
14. Vingador 26:1