Você está na página 1de 39

Resistência dos Materiais

Prof. Antonio Dias

Antonio Dias / Resistência dos Materiais 1


Flexão
Diagramas de força cortante e momento fletor

• Elementos longos e retos que suportam cargas perpendiculares a seu eixo longitudinal
são denominados vigas.
• Vigas são classificadas de acordo com o modo como são apoiadas.
• As funções de cisalhamento e momento podem ser representadas em gráficos
denominados diagramas de força cortante e momento fletor.
• Direções positivas indicam que a carga distribuída age para baixo na viga e a força
cortante interna provoca uma rotação em sentido horário.
Exemplo 6.1

Represente graficamente os diagramas de força cortante


e momento fletor para a viga dada.
Solução:

Um diagrama de corpo livre do segmento esquerdo é mostrado abaixo. A aplicação


das equações de equilíbrio produz
P
   Fy  0; V (1)
2
P
   M  0; M x (2)
2

Segmento esquerdo da viga se estende até a distância


x na região BC.

P P
  Fy  0;  P V  0  V   (3)
2 2
 L P
M  P x    x  M   L  x 
P
 M  0; (4)
 2 2 2
O diagrama tensão representa as equações 1 e 3 

O diagrama de momento representa as equações 2 e 4 


Exemplo 6.2

Represente graficamente os diagramas de força cortante e momento fletor para a


viga mostrada na figura.
Solução:
A carga distribuída é substituída por sua força resultante.
A intensidade da cargar triangular na seção é determinada por cálculo proporcional:

w  w0 ou w  w0
x L L

A resultante do carregamento distribuído é determinada pela área sob o diagrama:

   Fy  0;
w0 L 1  w0 x 
2
 
2 L 
w 2

 x  V  0  V  0 L  x (1)
2L
2

w0 L2 w0 L 1  w0 x   1 
  M  0;   x     x x   M  0 (2)
3 2 2 L  3 
O diagrama de força cortante representa a equação 1 

Momento fletor representa a equação 2 


Exemplo 6.3

Represente graficamente os diagramas de força cortante e momento fletor para a


viga mostrada ao lado.
Solução:
Duas regiões de x devem ser consideradas para se descreverem as funções de
cisalhamento e momento da viga inteira.

0  x1  5 m,
   Fy  0; 5,75  V  0  V  5,75 kN (1)
  M  0;  80  5,75 x1  M  0  M  5,75 x1  80 kNm (2)

5 m  x1  10 m,
   Fy  0; 5,75  15  5x2  5  V  0  V  15,75  5 x2  kN (3)
 x 5
  M  0;  80  5,75 x1  15  5x2  5 2 M  0
 2 
 
M   2,5 x22  15,75 x2  92,5 kNm (4)
O diagrama de força cortante
representa as equações 1 e 3 

O momento fletor das equações 2 e 4 


Método gráfico para construir diagramas de força cortante e
momento fletor

Regiões de carga distribuida


• Essas duas equações proporcionam um meio
conveniente para se obter rapidamente os
diagramas de força cortante e momento fletor
para uma viga:

inclinação do –intensidade da
  wx 
diagrama de dV carga distríbuida
força cortante em dx em cada ponto
cada ponto

inclinação do
cisalhamento(forç
diagrama de dM
momento em V a cortante) em
dx cada ponto
cada ponto
• Podemos integrar essas áreas entre quaisquer dois pontos para mudar a carga
distribuída e a força cortante.

mudança na
força cortante
V    wx dx –área sob a
carga distribuída

área sob o
mudança no
momento
M   V  x dx diagrama de força
cortante
Regiões de força e momento concentrados
• Alguns dos casos comuns de carregamento:
Exemplo 6.4

Represente graficamente os diagramas de força cortante e momento fletor para a


viga.
Solução:

As reações são mostradas são mostradas no diagrama de corpo livre ao lado:


De acordo com a convenção de sinal, em x = 0,
V = +P e em x = L, V = –P.

Visto que w = 0, a inclinação do diagrama de força cortante será zero, portanto:


dV dx   w  0 em todos os pontos
Para o diagrama de força cortante de acordo com a
convenção de sinal, em x = 0, M = –PL e em x = L, M = 0.
O diagrama de força cortante indica que o
cisalhamento é positivo constante. Portanto,

dM dx  V   P em todos os pontos
Exemplo 6.5

Represente graficamente os diagramas de força cortante


e momento fletor para a viga.
Solução:

A reação no apoio fixo é mostrada no diagrama de corpo livre:

Visto que não existe nenhuma carga distribuída na viga,


o diagrama de força cortante terá inclinação nula em
todos os pontos.

Pelo diagrama de força cortante, a inclinação do diagrama de


momento será nula. V = 0.
Exemplo 6.6

Represente graficamente os diagramas de força cortante


e momento fletor para a viga.
Solução:
A reação nos apoios foram calculadas e são mostradas no diagrama de corpo livre:

A carga distribuída na viga é positiva, porém decrescente.


Portanto, a inclinação é negativa decrescente.

A curva do diagrama de momento que apresenta esse


comportamento de inclinação é uma função cúbica
de x.
Deformação por flexão de um elemento reto

• A seção transversal de uma viga reta permanece plana quando a viga se deforma por
flexão.
• Isso provoca uma tensão de tração de um lado da viga e uma tensão de compressão do
outro lado.
• A deformação longitudinal varia linearmente de zero no eixo neutro.
• A lei de Hooke se aplica quando o material é homogêneo.
• O eixo natural passa pelo centroide da área da seção transversal.
A fórmula da flexão

• O momento resultante na seção transversal é igual ao momento produzido pela


distribuição linear da tensão normal em torno do eixo neutro.

My
 
I
σ = tensão normal no membro
M = momento interno
I = momento de inércia
y = distância perpendicular do eixo neutro

• Pela regra da mão direita, o sinal negativo é compressivo já que age na direção negativa
de x.
Exemplo 6.8

A viga simplesmente apoiada tem a área de seção transversal mostrada na figura


abaixo. Determine a tensão de flexão máxima absoluta na viga e represente a
distribuição de tensão na seção transversal nessa localização.
Solução:

O momento máximo interno na viga é M  22,5 kNm.


Por razões de simetria, o centroide C e, portanto, o eixo neutro, passa a meia
altura da viga, e o momento de inercia é


I   I  Ad 2 
1 2 1 3
 2  0,250,02  0,250,0020,16    0,020,3 
3

12  12 
 
 301,3 10 6 m 4
Aplicando a fórmula da flexão, para c = 170 mm,

Mc 22,50,17 
 máx   máx   12,7 MPa (Resposta)
I
;

301,3 10 
6
Exemplo 6.9

A viga mostrada na figura tem área de seção transversal em forma de um canal.


Determine a tensão de flexão máxima que ocorre na viga na seção a–a.
Solução:

O momento interno resultante deve ser calculado em torno do eixo neutro da


viga na seção a–a. Visto que o eixo passa pelo centroide,

 y A 20,10,2 0,015  0,010,020,25


y 
A 20,2 0,015  0,020,25
 0,05909 m  59,09 mm
Aplicando a equação do equilíbrio de momento sobre o eixo neutro, temos

  M NA  0; 2,42  1,00,05909   M  0  M  4,859 kNm

O momento de inércia sobre o eixo neutro é

1 2
I   0,250,02  0,250,020,05909  0,01 
3

12 
1 2
 2 0,0150,2  0,0150,20,1  0,05909 
3

12 
 
 42,26 106 m 4

A tensão de flexão máxima ocorre nos pontos mais afastados do eixo neutro.

Mc 4,8590,2  0,05909
 máx    16,2 MPa (Resposta)
I 
42,26 10 
6
Concentrações de tensão

• A tensão normal máxima em cada uma das descontinuidades ocorre na seção que passa
pela menor área de seção transversal.
• Uma vez que K for obtido, a tensão de flexão máxima é determinada por

Mc
 máx  K
I
Exemplo 6.14

A transição na área da seção transversal da barra de aço é obtida por filetes de


redução. Se a barra for submetida a um momento fletor 5 kN∙m, determine a tensão
normal máxima desenvolvida no aço. A tensão de escoamento é σe = 500 MPa.
Solução:
Pela geometria da barra,

r 16 w 120
  0,2   1,5
h 80 h 80

K é 1,45 e temos

 máx  K
Mc
 1,45
50,04  340 MPa
 3
I 1
12 0,02 0,08  

Este resultado indica que o aço permanece elástico, visto que a tensão está
abaixo da tensão de escoamento (500 MPa).
Exemplo 6.15

A viga é feita de uma liga de titânio cujo diagrama tensão-deformação pode ser
aproximado, em parte, por duas retas. Se o comportamento do material for o
mesmo sob tração e sob compressão, determine o momento fletor que pode ser
aplicado à viga e que fará com que o material, nas partes superior e inferior da viga,
seja submetido a uma deformação de 0,050 mm/mm.
Solução:
O ponto onde a tensão elástica máxima é
0,05 0,01
  y  0,3 cm  3 mm
1,5 y

Resultantes e suas locações são


determinadas como mostrado:

T1  C1 
1
1228020  33.600  33,6 kN
2
y1  0,3  1,2  1,1  11,0 mm
2
3
T2  C2  121.05020  25.200  252 kN
1
y2  0,3  1,2  0,9  9 mm
2
T3  C3  31.05020  31.500  31,5 kN
1
2
y3  0,3  0,2  2 mm
2
3
O momento produzido por essa distribuição de tensão normal em torno do eixo
neutro é, portanto,

M  233,6110  2529  31,52


 5.401,2 kNmm  5,40 kNm (Resposta)
Exemplo 6.16

A viga mostrada na figura está sujeita a um momento inteiramente plástico de Mp. Se


esse momento for removido, determine a distribuição de tensão residual na viga. O
material é elástico perfeitamente plástico e tem tensão de escoamento de σe = 250
MPa.
Solução:

A partir de cálculos, temos I  82,44  10 mm.


6 4

Portanto,

 máx 
Mc
;  adm 
188 10 125  285,1 N/mm
6
2
 285,1 MPa
I 82,44 10 6

Como esperado,  r  2 y . O ponto de tensão normal nula


foi determinado por proporção.

281,51 2.501
  y  109,61 mm
125 y