Você está na página 1de 8

CENTRO UNIVERSITÁRIO MAURÍCIO DE NASSAU

NÚCLEO DE SAÚDE
CURSO: PSICOLOGIA

Plano de estágio em Psicologia Clínica

Aluna : Cássia Roberta da Silva


Matrícula: 01178650
Disciplina: Estágio Básico I

Recife, 2019
CENTRO UNIVERSITÁRIO MAURÍCIO DE NASSAU
CURSO: PSICOLOGIA

Nome do(a) aluno(a)

Cássia Roberta da Silva

Plano de estágio em Psicologia Clínica

Texto apresentado pela aluna Cássia


Roberta da Silva à Professora Ms. Mariana
Lira como requisito parcial para obtenção
de créditos referentes à disciplina Estágio
Básico do curso de Psicologia da Faculdade
Maurício de Nassau.

Recife, 2019
1- INTRODUÇÃO

A psicologia sempre foi uma área que me encantou. No início da minha vida
acadêmica optei por outro curso, mas ao passar do tempo percebi que não aquilo que
eu queria, então mudei para o curso de psicologia com o intuito de atuar na área
organizacional, por acredita ser bem dinâmica. Ao começar estudar e explorar os
conteúdos, percebi que a psicologia vai muito além do que eu imaginava, um leque
de possibilidades. Com o passar dos períodos, ao se deparar com a quantidade de
livros, abordagens diferentes e teorias, uma tensão, medo e angustia diante de
tamanho informações para compreender e diferenciar. Com tantas possibilidades a
área de organizacional já não me interessava tanto, a clínica é o que me interessa
mais.

Sendo assim, colocar em prática o conhecimento teórico adquirido, ao longo dos


períodos é de tamanha importância a supervisão e a troca de experiências. A vivência
na clínica é um momento de muita aprendizagem, crescimento pessoal e profissional.
E ao se deparar com relatos diversos, é importante trabalhar seus próprios conteúdos
emocionais. É estar inclinado para o paciente ouvindo suas demandas e mantendo o
cuidado como for feita a intervenção e mostrar que estar ali para ajudar e acolher.

O plano de estágio é proposto para orientação das atividades que devem ser
cumpridas ao longo do período, e com isso contribuir para o desenvolvimento de
competências necessárias pra agregar a formação acadêmica. Está proposto 20 h
aulas, incluindo supervisão, dramatizações e atendimento. O plano está dividido por
introdução, fundamentação teórica, objetivo, atividades previstas e bibliografia.
2- FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA DA PSICOLOGIA CLÍNICA

O campo da psicologia é muito abrangente, com diversas formas de ver o indivíduo.


Quando se fala em psicologia logo associam ao modelo de psicoterapia, onde envolve
a escuta e a realização de intervenções. É um espaço para ouvir e acolher a vivência
e o sofrimento do indivíduo, com intuito de ajudar por meio das intervenções
proporcionando bem-estar e um conhecimento melhor de si mesmo. A psicologia
clínica para chegar na sua prática atual, é necessário conhecer um pouco da sua
história.

De acordo com MOREIRA (2007) inicialmente o campo da psicologia clínica teve a


influência do modelo médico, onde o cabia ao profissional observar, compreender e
intervir, não tinha preocupação com o sujeito em si, mas de categorizar uma patologia
desconsiderando a história de vida, não tinha escuta qualificada e outras técnicas não
eram levadas em consideração.

A evolução da psicologia se deu por meio do psicodiagnóstico, mas ainda manteve o


modelo de rotulação. Freud criador da psicanálise teve a preocupação em
compreender os fenômenos psicológicos, desenvolveu a técnica de associação livre.
Desde então foi aberto um campo abrangente para novas teorias e técnicas.

Entendemos que a psicologia clínica se distingue das demais áreas


psicológicas muito mais por uma maneira de pensar e atuar, do que
pelos problemas que trata. O comportamento, a personalidade, as
normas de ação e seus desvios, as relações interpessoais, os
processos grupais, evolutivos e de aprendizagem, são objeto de
estudo não só de muitos campos da psicologia como também das
ciências humanas em geral (MACEDO, 1984, p.8).

A psicologia se diferencia pela sua atuação e prática de perceber o outro na sua


singularidade, tendo uma escuta clínica e deixando o paciente expressar tudo que
estar se passando. Atualmente o que importa não é a busca pela patologização ou
rotular o paciente, é importante estar atento para suas demandas atuais e o contexto
social.
Diante das mudanças na área da psicologia clínica, uma prática que agrega é o
plantão psicológico, entende-se como um atendimento clínico-psicológico do tipo
emergencial, com base no acolhimento e escuta a pessoa no momento de crise.

O Plantão Psicológico (PP) é um tipo de intervenção psicológica que acolhe a


pessoa no exato momento de sua urgência, ajudando-a a lidar melhor com
seus recursos e limites. Desta forma, o objetivo de um PP é prestar
atendimento emergencial à demanda, acompanhando a pessoa em busca do
sentido de existência por meio da compreensão de seu sofrimento, sem,
contudo, garantir alívio ou um viver base ado na experiência de prazer
imediato e presente (Chaves & Henriques, 2008).

O plantão psicológico está inserido na vivência na prática clínica escola onde inclui
procedimentos de triagem onde é onde se inicia o primeiro contato, acompanhada da
anamnese tendo em vista o levantamento da história de vida. Segundo Rosenberg,
1987 a escuta é o ponto principal do processo. É a partir da escuta que as
intervenções são produzidas e comunicadas como a compreensão daquilo que lhe foi
dito é estar preparado e disponível para receber a vivência do paciente. O acolhimento
é tão importante quanto a escuta, a forma como acolhe o paciente na sua
singularidade, mantendo um ambiente que ele fique à vontade pra falar o que está
sentindo e entendendo sua necessidade, esclarecendo suas dificuldades e fazendo
com ele sinta vontade de continuar na busca da melhora, e de se conhecer melhor.

Outra prática é o aconselhamento, onde visa ajudar ao paciente obter um melhor


desenvolvimento, facilitar o processo de escolhas e nas decisões que deve tomar
sobre áreas de sua vida. O aconselhamento e psicoterapia possuem semelhanças
que afinal é ajudar a pessoa ter um melhor conhecimento de si, e orientar diante dos
problemas apresentados. Mas o que diferencia essas duas práticas são o tempo de
duração que o aconselhamento tem um tempo mais breve e curto prazo, o modo como
a demanda é apresentada sendo que é voltada pra situações no presente e pontuais,
as intervenções têm o foco na ação ao invés da reflexão, concluindo que o
aconselhamento está mais no foco m resolver os problemas. (Scorsolini-Comin, 2010)

A supervisão estar inserida nessa no processo de estágio, é onde será relatado os


casos que foram atendidos e troca experiências, a partir daí adquire conhecimento
sobre a ética e o desenvolvimento das práticas inseridas no contexto da clínica.
Diante de algumas práticas psicológicas, o importante ter uma compreensão
empática, uma escuta atenta e acolhedora. Ainda ao falar sobre a psicologia clínica
temos diferentes abordagens as principais abordagens, como a Psicanálise,
Behavorismo, Humanismo e Teoria cognitiva comportamental entres outras. Assim
nesse processo cada uma das abordagens tem um olhar para o ser humano.

Mas independente qual seja a abordagem a vivência na psicologia clínica é se mostrar


presente, ser cauteloso e a capacidade de compreender e entender como estar
inserido no contexto social. É estar preparado para lidar com diversas demandas, e
com a prática na clínica escola adquirindo experiência, e auxiliando para o
desenvolvimento das pessoas que procuram por ajuda. Diante dessa prática capacita
o profissional para atender as mais diversas demandas, seja dentro dos padrões
terapêuticos, ou com interversões sociais. Tendo em vista a importância da relação
terapêutica desde a triagem, como o atendimento em si e a forma que são feitas as
intervenções diante dos problemas do paciente. Assim o ato de clinicar é ter o
embasamento teórico, acolhendo suas demandas e auxiliar no desenvolvimento
pessoa e mantendo a postura empática e ética.

3- OBJETIVOS

3.1-Objeto Geral: Aprimorar as técnicas e habilidades, proporcionando o bem-estar


diante o atendimento clínico.

3.2-Objeto Específico

 Desenvolver a prática da escuta clínica


 Compreensão da prática do acolhimento e intervenções clínicas
 Manejar o tempo

4- ATIVIDADES PREVISTAS

 Leitura de textos e fichamentos


 Dramatizações
 Supervisão
 Atendimento

5-CRONOGRAMA

Atividades AGO SET OUT NOV DEZ


previstas
Leitura e x x x x x
fichamento
Dramatizaç X x x x
ões
Supervisão x x x x

Atendiment x x x x
o

6- REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BARBOSA, Alex. O que é psicologia clínica?.Psicologado. Teresina, PI,fevereiro/2013


Disponível https://www.google.com.br/amp/s/psicologado.com.br/atuacao/psicologia-clinica/o-que-e-
psicologia-clinica/amp

MOREIRA, Jacqueline de Oliveira; ROMAGNOLI, Roberta Carvalho e NEVES, Edwiges de Oliveira.


O surgimento da clínica psicológica: da prática curativa aos dispositivos de promoção da saúde.
Psicol. cienc. prof. 2007

MOREIRA, S. B. da S. Descrição de Algumas Variáveis em um Procedimento de


Supervisão
de Terapia Analítica do Comportamento. Psicologia Refl exão e Critica, vol. 16, n. 1,
pp.
157-170, 2003

PAPARELLI, R,B.; MARTINS, M.C.Psicólogos em formação: vivências e demandas em plantão


psicológico. Psicol. cienc. prof.v.27n.1 Brasília mar. 2007

REBOUÇAS, Melina Séfora Souza; DUTRA, Elza; Psychological duty: a contemporary clinical
practice; Rev. abordagem gestalt. vol.16 no.1 Goiânia jun. 2010