Você está na página 1de 20

Profº Jaime Mariz Eletrotécnica Básica

Potência Elétrica

De grande interesse nos equipamentos elétricos.


Ex.: Potência de um transformador, de um alternador, de um
transmissor de rádio, etc

Se a tensão na figura ao lado for


função do tempo, a corrente resultante
também o será. O produto da tensão
pela corrente, em qualquer instante, se
chama Potencia Instantânea e é dada
por: p = vi
A potência p pode ter valores positivos e negativos.
“p” positiva  transferência de energia da fonte para o circuito.
“p” negativa  transferência de energia do circuito para a fonte.
Consideremos o caso ideal em que o circuito passivo consta
de um elemento indutivo e apliquemos a ele uma tensão senoidal
da forma v = Vmax.sent; a corrente resultante terá a forma
i = Imax.sen(t-/2). Assim a potência será:
p = vi = Vmax.Imax. sent[sen(t-/2)]
Como sen(t-/2) = -cost
p = Vmax.Imax.sent[-cos(t)]
Como senX.cosX = ½ sen2X
1
p  VmaxImax sen 2t
2

42
Profº Jaime Mariz Eletrotécnica Básica

A potencia tem freqüência duas vezes


maior que a corrente e tensão.
Quando v e i são +  p é +  energia 
Quando v e i são -  p é -  energia 

No caso de um circuito puramente


capacitivo os resultados são análogos.

Se aplicarmos, agora, uma tensão v = Vmax.sent a uma


estrutura que só contenha resistência, a corrente será
I = Imax.sent e a potência será:
p = Vmax.Imax.sen2t
como sen2x= ½ (1-cos2x)
1
p  VmaxImax(1  cos 2t)
2
Então a potencia nesse tipo de circuito tem freqüência duas vezes
mais que a tensão ou corrente. Além disso, a potência aqui é
sempre positiva e varia de zero ao valor máximo Vmax.Imax

O valor médio da potência nesse caso


1
será: p  VmaxImax
2

43
Profº Jaime Mariz Eletrotécnica Básica

Consideremos finalmente o caso de um circuito passivo genérico


em que aplicada v = Vmax.sent teremos uma corrente
resultante I = Imax.sen(t+)
 será positivo se o circuito for capacitivo
 será negativo se o circuito for indutivo
Então
p = vi = Vmax.Imax.sent.sen(t+)
como sen.sen = ½ [cos(-)-cos(+)] e cos(-) = cos
1
p  VmaxImax[(cos   cos(2t  )]
2
Então a potencia em cada instante tem uma componente
cossenoidal cujo valor médio é zero, e também um termo
1
independente do tempo e constante igual a VmaxImax cos 
2
Vmax
V 
1 2
O valor médio de p é: p  VmaxImax cos  , como
2 I
I  max
2
P = VIcos
cos é chamado de fator de potência. O ângulo  é o ângulo de V
e I e seu valor varia de +90° a –90°. Portanto, cos e
conseqüentemente P são sempre positivos. Entretanto, para indicar
o sinal de , diz-se que um circuito indutivo, que tem a corrente
atrasada em relação à tensão, tem um fator de potência atrasado.
Num circuito capacitivo a corrente está adiantada em relação à
tensão e diz-se que tem um fator de potência adiantado.

44
Profº Jaime Mariz Eletrotécnica Básica

Potência Aparente (S):


O produto VI chama-se potência aparente e representa-se pelo
símbolo S. A unidade é o Volt-ampere (VA) e o seu múltiplo mais
usado é o Quilovolt-ampere (KVA) = 1000VA

Potência Reativa (Q):


O produto VIsen chama-se potência reativa e indica-se pelo
símbolo Q. A unidade é o Volt-ampere-reativo (VAr) e o seu múltiplo
mais empregado é o Quilovolt-ampere-reativo (KVAr) = 1000Var.

Triângulo de Potências:

Circuito Indutivo

Atrasado

Pot.Média
cos  
Pot.Aparente
Circuito Capacitivo

Adiantado

|S|2 = |Q|2 + |P|2 S = P  jQ


|KVA|2 = |KVar|2 + |KW|2

45
Profº Jaime Mariz Eletrotécnica Básica

Potência Média ou Real (P)  Potência Transformada em calor


Potência Aparente (S)  Potência Total do circuito
Potência Reativa (Q)  Potência Gasta para haver a troca de
energia entre o sistema e o
capacitor/indutor

Observemos que:
Seja v = |V|ej e i = |I|ej( + )

S = VI* = |V|ej.|I|e-j( + )
= VIe-j
S = VIcos - jVIsen  S = P - jQ

Potência Média ou Real (P) 


2 VR2
P  VI cos   I R   Re[VI*]
R
Potência Reativa (Q) 
2 VR2
Q  VIsen  I X   Im [VI*]
X
Potência Aparente (S) 
S = VI = I2Z = V2/Z  valor absoluto de [VI*]

R P
Fator de Potência  fp  cos   
Z S

46
Profº Jaime Mariz Eletrotécnica Básica

Exemplo 01)
Dado um circuito de impedância Z = 3 + j4 e uma tensão
V=10030° determine o triângulo de potencias.
V 10030
I    20(23,1)
Z 553,1

Método 1:
P = I2R = (20)2x3 = 1200W
Q = I2X = (20)2x4 = 1600Var atrasada
S = I2Z = (20)2x5 = 2000VA
cos = cos53,1° = 0,6 atrasado

Método 2:
S = VI = 100x20 = 2000VA
P = VIcos = 2000.cos53,1° = 1200W
Q = VIsen = 2000.sen53,1° = 1600Var

fp = cos = cos53,1° = 0,6 atrasado

Método 3:
S = VI* = 10030°x2023,1° = 2000(cos53,1° + jsen53,1°)
S = 1200 + j1600
P = 1200W
Q = 1600Var
S = 2000VA

47
Profº Jaime Mariz Eletrotécnica Básica

Correção de fator de potência

Instalações industriais  cargas indutivas – corrente atrasada em


relação à tensão aplicada
No triângulo de potencias  a hipotenusa “S” indica a
potencia total requerida do sistema, e o cateto “P” indica a
potencia útil fornecida.
É, portanto, desejável que “S” se aproxime o máximo e “P”,
isto é, que o ângulo  se aproxime de zero, para que o fator de
potência (cos) se aproxime da unidade.
No caso de uma carga indutiva aumenta-se o fator de potência
colocando-se capacitores em paralelo com a carga. Como a tensão
nos terminais da carga permanece a mesma, a potência útil P não
varia. Como o fator de potência é aumentado, a corrente e a
potência aparente diminuem, obtendo-se assim uma utilização
mais eficiente da instalação industrial.

P = VI.cos
S = VI*

48
Profº Jaime Mariz Eletrotécnica Básica

Exemplos:
1) Corrigir o valor do o fator de potência do exemplo anterior
(Z=3+j4 e V = 10030°) para 0,9 atrasado, acrescentando
capacitores em paralelo. Achar S’ após a correção, e a potência
reativa dos capacitores.

cos’ = 0,9
’ = arccos 0,9 = 26°
cos’ = P/S’
S’ = 1200/0,9 = 1333VA
sen’ = Q’/S’
Q’ = S’.sen26° = 1333sen26°
Q’ = 585Var

S = 2000Va
A potência reativa dos
P = 1200w capacitores será:
Q = 1600Var Qcap = Q – Q’ = 1600 – 585
Qcap = 1015Var adiantado
cos = 0,6 atrasado

2) Dado um circuito em que, aplicada a tensão


v = 150sen(t+10°), a corrente resultante é
i = 5sen(t – 50°), determinar o triângulo das potências.

150 S = VI* = (10610)(3,5450)


V  10  10610
2 S = 37560°= 187,5 + j325
5
I  (50)  3,54(50) P = Re[VI*] = 187,5W
2 Q = Im[VI*] = 325Var atrasado

S  VI *  187,52  3252
S = 375 VA
fp = cos60° = 0,5 atrasado

49
Profº Jaime Mariz Eletrotécnica Básica

3) Em um circuito série de dois elementos a potência é 940 watts e


o fator de potência é 0,707 adiantado. Sendo
v = 99sen(6000t + 30°) a tensão aplicada, determinar as
constantes do circuito.
99
V  30  7030
2
P = VIcos
940
940 = 70I(0,707)  I   I  19A
70x0,707
Como o fator de potência é 0,707 adiantado, o
fasor corrente está adiantado em relação à tensão,
do ângulo de  = arccos0,707 = 45°, então:
I = 19(45+30)  I = 1975°

V 7030
Z    3,68(45)  2,6  j2,6
I 1975
Como Z = R – jXc = R –j(1/C)
R = 2,6
1 1
XC   2,6  C   64,1F
C 6000x2,6

Outro Método:
940
I = 19A P = RI2  940 = R(19)2  R   2,6
192
Z = |Z|45° = R – jXc = 2,6 – jXc
Como  = -45°  Xc = 2,6
1 1
C    64,1F
XC 6000(2,6)

50
Profº Jaime Mariz Eletrotécnica Básica

4) Dado o circuito série abaixo, determinar o triângulo das


potências.
Z =3+j6–j2 = 3+j4 = 553,1°
50(90)
I   10(143,1)
553,1
S = VI* = [50(-90)](10143,1)
S = 50053,1°  S = 300 + j400
P = 300w
Q = 400Var atrasado
S = 500Va

Outro método
I = 10A  P = RI2 = 3.102 = 300w
Qj6 = 6.102 = 600Var atrasado
Q-j2 = 2.102 = 200Var adiantado
Q = Qj6 - Q-j2 = 600 – 200 = 400Var atrasado

5) A corrente eficaz total no circuito abaixo é 30A. Determine as


potências.
(5  j3)4
Zeq  
(5  j3)  4
(20  j12)(9  j3)
Zeq  
(9  j3)(9  j3)
Zeq  2,4  j0,533

P = IT2R = 302x2,4 = 2160w


Q = IT2X = 302x0,533 = 479,7Var adiantado

S  21602  479,72  2210Va

51
Profº Jaime Mariz Eletrotécnica Básica

6) Determinar o triângulo das potências de cada braço do circuito


abaixo e soma-los para obter o triângulo do circuito todo.

V 2060
Ramo 01: I1    530
Z1 430

S1 = VI1* = (2060°)[5(-30°)]
= 10030° = 86,6 + j50
Logo:
P1 = Re[VI1*] = 86,6w
Q1 = Im[VI1*] = 50Var atrasado
S1 = [VI1*] = 100Va
fp1 = P1/S1 = 0,866 atrasado

V 2060
Ramo 02: I2    40
Z2 560

S2 = VI2* = (2060°)(40°)
= 8060° = 40 + j69,2
Logo:
P2 = Re[VI2*] = 40w
Q2 = Im[VI2*] = 69,2Var atrasado
S2 = [VI2*] = 80Va
Fp2 = P2/S2 = 0,5 atrasado

52
Profº Jaime Mariz Eletrotécnica Básica

Exemplo 06 (continuação)

Total: PT = P1 + P2 = 68,6 + 40 = 126,6w


QT = Q1 + Q2 = 50 + 69,2 = 119,2Var
ST = PT + jQT = 126,6 + j119,2 = 17443,4°

ST = |ST| = 174Va
PT 126,6
fpT    0,727(atrasado)
ST 174

7) Um motor de indução cuja saída é 2HP tem rendimento de 85%.


Com essa carga o fator de potência é de 0,8 atrasado.
Determinar as potências de entrada.
Nsaída
  x100(%) 2HP = 1755w
Nentrada
S = 1755/0,85 = 2190Va
 = arcos 0,80 = 36,9º
Q = 2190sen36,9 = 1315Var (atrasado)
P = Scos = 2190 x 0,80 = 1752w
53
Profº Jaime Mariz Eletrotécnica Básica

8) Determinar o triângulo das potências totais do circuito paralelo


abaixo, sendo de 20w a potência dissipada no resistor de 2.
20
P  RI12  I1   3,16A
2
 5
Z1  2  j5  22  52arctg
2
Z1 = 5,38(-68,2º)
V = I1Z1 = 3,16 x 5,38  17v

Tomando V = 170º
V 170º
I1    3,1668,2º  1,17  j2,93
Z1 5,38(68,2º )
Z2  1  j1  245º
V 170º
I2    12(45º )  8,48  j8,48
Z2 245º
IT = I1 + I2 = (1,17 + j2,93) + (8,48 – j8,48)
IT = = 9,65 – j5,55 = 11,1(-29,9º)

ST = V.IT* = 170 x 11,129,9 = 18929,8 = 164 +j94

PT = 164w , QT = 94Var (atrasado) , ST = 189Va

Cos = 164/189 = 0,868 (atrasado)

54
Profº Jaime Mariz Eletrotécnica Básica

8) Determinar as potências de uma associação de 3 cargas


individuais, assim especificadas: Carga 1 - 250Va, fp = 0,5
atrasado; Carga 2 - 180w, fp = 0,8 adiantado; Carga 3 - 300Va,
100Var atrasado.
Carga 01:
S = 250va P = S/cos = 250/0,5 = 125w
cos = 0,5  = arccos 0,5 = 60º
atrasado
Q = Ssen = 250sen60º = 216Var
atrasado
Carga 02:
S = 180va S = P/cos = 180/0,8 = 225w
cos = 0,8  = arccos 0,8 = 36,9º
adiantado
Q = Ssen = 225sen36,9º = 135Var
adiantado
Carga 03:
S = 300va
 = arcsenQ/S = arcsen 100/300 = 19,5º
Q = 100Var
adiantado P = Scos = 300cos19,5º = 283w

Então: PT = 125 + 180 + 283 = 588w


QT = 216 – 135 + 100 = 181Var atrasado
ST = PT + jQT = 588 +j181 = 61617,1  ST = 616Va
cos = P/S = 588/616 = 0,955 atrasado

55
Profº Jaime Mariz Eletrotécnica Básica

9) Um transformador de 25Kva fornece 12Kw a uma carga com


fator de potência 0,6 atrasado. Determinar a percentagem de
plena carga que o transformador alimenta. Desejando-se
alimentar cargas de fp unitário com esse mesmo transformador,
quantos Kw podem ser acrescidos, até que o transformador
esteja a plena carga.

P = 12 Kw  S = P/cos = 12/0,6 = 20KVa


A percentagem de plena carga é: (20/25)x100 = 80%
cos = 0,6   = arccos 0,6 = 53,1º
Q = Ssen = 20sen53,1 = 16Kvar atrasado

Como as cargas adicionais tem fp=1, Q permanece


inalterado
Quando o trafo estiver a plena  S’ = 25KVa
’ = arcsen Q/S’ = arcsen 16/25 = 39,8º
PT = S’cos’ = 25cos39,8º = 19,2Kw

Então a carga adicional = PT – P = 19,2 – 12 = 7,2Kw

56
Profº Jaime Mariz Eletrotécnica Básica

10) Um transformador de 500KVa está operando a plena carga


com fator de potência total de 0,6 atrasado. O fator de potência
é melhorado, acrescentando-se capacitores, para 0,9 atrasado.
Quantos KVar capacitivos são necessários? Após a correção
do fator de potência, que percentagem da plena carga o
transformador estará alimentando?

Plena carga
P = VIcos = 500 x 0,6 = 300Kw
= arccos0,6 = 53,1º
Q = VIsen = 500sen53,1º = 400Kvar atrasado

Quando cos’ = 0,9 atrasado


’ = arccos0,9 = 26º
S’ = 300/0,9 = 333KVa
Q’ = 333sen26º = 146KVar atrasado

Então carga capacitiva = Q – Q’ = 400 – 146


= 254KVar adiantado
% plena carga = (330/500)x100 = 66,7%

57
Profº Jaime Mariz Eletrotécnica Básica

11) Considere o circuito abaixo, ao qual se aplica uma voltagem


de freqüência igual a 50Hz. Determinar qual deve ser a
capacitância para que o fator de potência do circuito seja 0,80,
e neste caso, dizer se a corrente estará em avanço ou em
atraso.

Se cos = 0,80   = arccos 0,80 = 36,87º


Ramo ab: Z1 = 5  Y1 = 1/5
Ramo cd: Z2 = 2 + j4 
1(2  j4) 2  j4 2  j4
Y2   2 
(2  j4)(2  j4) 2  42 20
Yfg = Y1 + Y2 
1 2  j4 4  2  j4 6  j4 3  j2
   
5 20 20 20 10
1 10(3  j2) 30  j20 30  j20
Zfg =   2 
Yfg (3  j2)(3  j2) 3  22 13

Ramo ef: Zef = 2 -jXc

58
Profº Jaime Mariz Eletrotécnica Básica

Impedância Total: ZT = Zef + Zfg =


30  j20 26  j13XC  30  j20
ZT = 2  jXC  
13 13
56  j(20  13XC) 56 20  13XC
ZT    j
13 13 13

tg = tg36,87º = 0,75 = X/R


20  13XC
13 20  13XC
0,75  
56 56
13
20 - 13XC = 56 x 0,75 = 72
42  20
XC   1,70
 13

56 20  13(1,7)
Então ZT   j  4,3  j3,24
13 13

Parte imaginária
1 1 Positiva, então
XC   corrente atrasada
C 2fC
1 1
C    C  1,87x10 3F
2fXC 2x50x1,70

59
Profº Jaime Mariz Eletrotécnica Básica

Ressonância em circuitos de corrente alternada

Um circuito está em ressonância quando a tensão aplicada em


fase com a corrente resultante, apesar do circuito ter reatância
capacitiva e indutiva. Portanto Z = R. V em fase com I  fator de
potência = 1

Ressonância em Série

Z  R  j L 
1 
  R  jX em ressonância  X=0
 C 
1 1 1 1
isto é, L   2LC = 1  2     
C LC LC LC
1
como L  2f  f0  ciclos/seg
2 LC

0 XL  2fL  L
na ressonância: Z  R2  (XL  XC)2  R 1 1
XC  
2fC C
V
Com I   a corrente vai ser máxima
Z
Se a freqüência do circuito for menor que 0  o circuito passa a
ter a reatância capacitiva maior do que a reatância indutiva saindo
então da ressonância.
Se a freqüência do circuito for maior que 0  o circuito passa a
ser predominantemente indutivo. O circuito sai da ressonância.
60
Profº Jaime Mariz Eletrotécnica Básica

Ressonância Paralela
R, L, C  elementos puros

Y  G  j C 
1 
  G  jB
 L 
1
 B  BC  BL  C 
L
O circuito está em ressonância quando B = 0, isto é, quando:
1 1 1
C      0    2f  f0 
L LC 2 LC

Na ressonância Y = G +jB portanto Y é mínimo, a corrente


(I = VY) também será
Quando  < 0  BL > BC  predominantemente indutivo
Quando  > 0  BL < BC  predominantemente capacitivo

61

Você também pode gostar