Você está na página 1de 9

Orientação Técnica OT-002/2014-IBRAENG

(Publicada aos 26 de junho de 2014. Revisada aos 09 de março de 2015)

Elementos Mínimos Para


Anteprojetos de Engenharia
Minimal Elements for Engineering Works’ Drafts

Comitê de Elaboração (2014): Engo Civil Marcio Soares da Rocha, Engo Civil Ernesto Ferreira Nobre
Júnior, Engo Civil Francisco Alves de Aguiar, Engo Civil Jorge Luiz Rodrigues Cursino de Sena, Engo
Civil José de Montier Barroso, Engo Civil Calixto José de Oliveira Nogueira.
Palavras-Chaves: anteprojetos, engenharia, elementos de projeto. 10 páginas

Sumário
Prefácio 1
Introdução 2
1 Objetivo 2
2 Referências normativas e técnicas 2
3 Definições 3
4 Classificação das obras e serviços de engenharia 5
5 Elementos Mínimos dos Anteprojetos de Engenharia e Seus Conteúdos Básicos 5
6 Como citar este documento 10

Prefácio

O IBRAENG – Instituto Brasileiro de Auditoria de Engenharia é a entidade de classe homologada pelo


sistema Confea-Crea que objetiva o desenvolvimento e a padronização de métodos e técnicas
científicas de auditoria, aplicáveis aos trabalhos de Engenharia. O IBRAENG possui registro regional
no Crea-CE, tem atuação nacional e possui como associados profissionais de Engenharia e
Arquitetura de nível superior de todo o Brasil.

As Orientações Técnicas emitidas pelo IBRAENG visam contribuir para a uniformização do


entendimento sobre métodos, técnicas e procedimentos pertinentes à Auditoria de Engenharia e de
temas afins e correlatos, bem como orientar aos profissionais de Engenharia e Arquitetura sobre os
assuntos nelas tratados.
2
Orientação Técnica OT-002/2014-IBRAENG

As Orientações Técnicas do IBRAENG são disponibilizadas gratuitamente em meio eletrônico e


podem ser publicadas e distribuídas, sendo, no entanto, vetada a sua comercialização.

A impressão deste documento para uso pessoal é permitida, todavia, a impressão em grande escala
e para uso coletivo só pode ser feita com permissão do IBRAENG. As citações desta Orientação
Técnica devem ser feitas conforme apresentado no item 6.

Introdução

Aos 04 dias de agosto de 2011 o Brasil publicou a Lei no 12.462/2011 que institui o Regime
Diferenciado de Contratações Públicas (RDC). Um dos regimes de execução constantes nesta lei é a
“contratação integrada”, que, sob determinadas condições, permite que uma obra ou serviço público
de Engenharia seja licitado apenas com base no seu anteprojeto. Esta Lei, entretanto, não apresenta
uma definição clara do termo “anteprojeto”. O Decreto no 7.581/2011, que regulamenta o RDC, no
parágrafo 1º do seu artigo 74 traz uma relação sucinta dos elementos que devem constar em um
anteprojeto de engenharia, porém, a relação ali constante não traz todos os elementos necessários
para a estimativa dos custos de obras, não contempla as peculiaridades dos diferentes tipos de obras
e não indica os conteúdos de cada elemento do anteprojeto. Tal situação pode culminar em
indefinições por imprecisões de anteprojetos e causar falhas nos processos licitatórios e nas
propostas das empresas proponentes.

O IBRAENG, portanto, observando esta lacuna técnica da citada legislação e com o intuito de
contribuir para o desenvolvimento do país, disponibiliza aos profissionais de Engenharia em geral, às
entidades de classe e aos órgãos públicos (contratantes e auditores) esta Orientação Técnica que
visa uniformizar o entendimento sobre a definição de “anteprojeto de Engenharia” e dos seus
elementos componentes, considerando as peculiaridades de diferentes tipos de obras.

1 Objetivo

1.1 Esta Orientação Técnica objetiva contribuir para a padronização do entendimento quanto à
definição de “anteprojeto de Engenharia” e dos elementos mínimos que devem nele constar,
considerando as características peculiaridades de diferentes tipos de obras.

2 Referências normativas e técnicas

2.1 Na aplicação desta Orientação Técnica é necessário consultar e atender aos seguintes preceitos
legais:

Lei Federal no 12.462/2011 que institui o Regime Diferenciado de Contratações Públicas (RDC).

Decreto no 7.581/2011 que regulamenta o RDC.

Lei Federal no 5194, de 21/12/66, que regula o exercício das profissões de Engenheiro, Arquiteto e
Agrônomo e dá outras providências.

Lei no 6496/77, que institui a “Anotação de Responsabilidade Técnica” (ART) na prestação de


serviços de Engenharia e de Agronomia; autoriza a criação pelo CONFEA de uma Mútua Assistência
Profissional e dá outras providências.

Decreto Federal no 81.621, de 03/05/78, que aprova o Quadro Geral de Unidades de Medida.

Decreto Federal nº 23.569-1933, de 11/12/1933, que regula o exercício das profissões de engenheiro,
de arquiteto e de agrimensor.

Resolução no 1002/2002 do Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Código de


Ética Profissional do Confea).

Resolução no 218/1973 do Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia que fixa as


atribuições do Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro Agrônomo nas diversas modalidades.

Instituto Brasileiro de Auditoria de Engenharia – IBRAENG (www.ibraeng.org)


3
Orientação Técnica OT-002/2014-IBRAENG

Resolução no 1010/2007 do Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, que fixa as


atribuições do Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro Agrônomo nas diversas modalidades.

2.2 São referências técnicas desta Orientação Técnica:

Instituto Brasileiro de Auditoria de Obras Públicas. OT IBR 001/2006 – Projeto Básico. 2006.

Instituto Brasileiro de Auditoria de Obras Públicas. OT IBR 004/2012 – Precisão do orçamento de


obras públicas. 2012.

Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos. OT 004/2013-IBEC. Estimativa de Custos de Obras


Públicas: versão para órgãos contratantes. Rio de Janeiro, 2013.

3 Definições

anteprojeto de engenharia: conjunto de documentos técnicos (desenhos e textos) que possibilitam a


caracterização da obra ou serviço planejado, que representam a opção aprovada no estudo de
viabilidade e que permitem a estimativa dos custos e prazos de execução dos seus serviços, bem
como a elaboração dos seus projetos básico e executivo.

Benefícios e Despesas Indiretas (BDI): taxa calculada/estimada por profissionais de engenharia,


que, ao ser multiplicada pelo total dos custos diretos de uma obra ou serviço de engenharia, permite a
estimação do seu preço global, para fins de orçamento ou de avaliação. No seu cálculo, são
considerados os custos indiretos, os tributos e o lucro.

composição de custo unitário direto: planilha de cálculo do custo direto de um serviço de


Engenharia que discrimina os materiais, a mão de obra (inclusive encargos sociais/trabalhistas), e os
equipamentos necessários à realização do serviço, bem como seus coeficientes de consumo e suas
respectivas quantidades e preços unitários.

custo: total das despesas diretas e indiretas necessárias à produção, manutenção ou aquisição de
um bem, num determinado período e situação.

custo direto: total das despesas com insumos, inclusive mão-de-obra e equipamentos, necessários à
execução de uma obra ou serviço, obtido a partir da soma das composições de custos unitários
diretos dos serviços da obra.

custo indireto: total das despesas administrativas e financeiras, e demais ônus, tributos e encargos
necessários à execução de uma obra ou serviço de Engenharia.

cronograma: documento técnico que representa graficamente o período de tempo necessário (dias,
semanas, meses) ao desenvolvimento de uma atividade ou à realização de um projeto.

custo referencial: custo adotado pelos órgãos públicos contratantes e auditores como padrão
representativo do valor de mercado local/regional para determinado serviço de engenharia, em
determinado período, obtido por composição de custos de insumos.

documentos técnicos: desenhos técnicos e/ou textos descritivos que caracterizam os diversos
elementos componentes dos projetos de obras e serviços de engenharia.

estudo de viabilidade: conjunto de estudos e análises preliminares realizados com vistas a avaliar a
viabilidade técnica e financeira da obra ou serviço planejado.

encargos sociais e trabalhistas: somatório dos percentuais determinados pelas leis sociais e
trabalhistas em vigor e de acordos coletivos sindicais, a incidir no custo da mão-de-obra.

estimativa de custos: cálculo preliminar dos custos diretos e indiretos e do preço global de uma obra
ou serviço de engenharia, tendo como base o anteprojeto, com a utilização de: (1) método expedito;
(2) orçamento preliminar ou; (3) orçamento paramétrico.

Instituto Brasileiro de Auditoria de Engenharia – IBRAENG (www.ibraeng.org)


4
Orientação Técnica OT-002/2014-IBRAENG

memorial descritivo: documento técnico no qual os serviços e os materiais de construção são


especificados de modo que permita a compreensão da obra ou serviço de engenharia e a estimativa
dos seus custos.

obra: toda realização de construção, reforma, fabricação, recuperação ou ampliação de bens


materiais destinados ao atendimento de interesses públicos ou privados, e cuja execução dos
serviços inerentes sejam de competência legal restrita aos profissionais de engenharia.

orçamento detalhado ou analítico: planilha elaborada com base no projeto básico ou executivo
para estimar os custos diretos e indiretos e o preço global de uma obra ou serviço de engenharia com
base em quantitativos calculados/levantados a partir do projeto e em custos unitários de tabelas
referenciais públicas ou particulares ou obtidos por apropriação de produtividade e consumo e/ou por
pesquisas de mercado.

Nota: de acordo com o IBRAOP (OT IBR 004/2012) e com o IBEC (OT 004/2013-IBEC), o orçamento detalhado
elaborado a partir do projeto básico contém precisão de ± 10,00% com relação ao orçamento real e o orçamento
detalhado elaborado a partir do projeto executivo contém precisão de ± 5,00% com relação ao orçamento real.

orçamento expedito: estimativa do preço global de uma obra ou serviço de engenharia obtido por
meio da multiplicação do custo de uma unidade básica de construção (m, Km, m2 etc.) pelo
quantitativo total da obra, acrescido do BDI. Ver também preço por área construída.

Nota1: de acordo com o IBRAOP (OT IBR 004/2012, item 4.6) a estimativa de preço global obtida a partir do
custo por área construída de uma edificação, com a utilização do CUB, contém imprecisão de ± 30,00%
com relação ao orçamento real.

Nota2: Os sindicatos de construtores (Sinduscons) estaduais são os responsáveis oficiais/legais pela publicação
do CUB para edificações no Brasil. Quanto aos custos referenciais de unidades básicas por medida linear
(m, Km etc.) para obras como rodovias, saneamento básico etc., não há ainda nenhum órgão público ou
entidade de classe sem fins lucrativos que os elabore e publique.

orçamento paramétrico ou preliminar: planilha elaborada com base no anteprojeto para estimar de
forma aproximada o preço global de uma obra ou serviço de engenharia, em cuja elaboração adotam-
se indicadores paramétricos históricos para estimar alguns quantitativos da obra, e preços unitários
obtidos em obras e serviços semelhantes ou custos unitários de sistemas referenciais, acrescidos de
um BDI estimado.

Nota: de acordo com o IBRAOP (OT IBR 004/2012) e com o International Cost Engineering Council (ICEC),
1
conforme Dias (2008, p. 95), o orçamento preliminar, elaborado com base no anteprojeto, contém imprecisão de
± 20,00% com relação ao orçamento real. No entanto, é melhor afirmar que o orçamento paramétrico pode
conter até ± 20,00% de imprecisão.

orçamento real: “orçamento elaborado após a conclusão da obra, com base nos preços, consumos e
produtividades efetivamente ocorridos na execução dos serviços, acrescidos do rateio das despesas
indiretas e da margem de lucro do construtor apurados contabilmente, bem como dos tributos
recolhidos pelo contratado”. (definição da OT IBR 004/2012. P. 3).

preço de mercado: medida (estatística) de tendência central (preferencialmente a média aritmética


inferencial) dos preços praticados em determinado mercado, em certo período.

preço executivo: preço global do contrato de uma obra, resultante do orçamento proposto pela
empresa construtora que executa ou executou a obra.

preço global: valor total de um orçamento de engenharia, resultante do somatório dos preços
unitários de todos os seus itens, já incluído o BDI.

preço por área construída: estimativa do preço global de uma obra ou serviço de engenharia obtido
por meio da multiplicação da sua área equivalente de construção pelo custo unitário básico (CUB)
correspondente, acrescidos os custos dos elementos não incluídos no CUB e o BDI adequado à
obra/serviço. Ver orçamento expedito e suas notas.

1
Dias, Paulo Roberto Vilela. Precisão das Estimativas in Novo Conceito de BDI. 3ª edição. Rio de Janeiro: sem editora, 2008.

Instituto Brasileiro de Auditoria de Engenharia – IBRAENG (www.ibraeng.org)


5
Orientação Técnica OT-002/2014-IBRAENG

projeto executivo (Lei 8.666/93, art. 6º, X) : “X – Projeto Executivo – o conjunto dos elementos
necessários e suficientes à execução completa da obra, de acordo com as normas pertinentes da
Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT”.

serviço de engenharia: toda atividade, cuja execução seja de competência restrita aos profissionais
de engenharia.

sistemas referenciais de custos: sistemas informatizados ou impressos de composições de custos,


editados e publicados por órgãos públicos federais, estaduais ou municipais, ou por institutos,
editoras ou empresas especializadas em engenharia de custos, que podem ser adotados para
elaboração de orçamentos das obras e/ou serviços de engenharia.

4 Classificação das Obras e Serviços de Engenharia

Os tipos de obras de engenharia, para efeito desta Orientação Técnica, são: edificações; instalações;
obras hídricas (irrigações e canais, saneamento básico, redes adutoras, estações elevatórias e de
tratamento); rodovias; obras d´arte; obras aeroportuárias (pátios, pistas de pouso e terminais); obras
portuárias; obras de terra; redes urbanas.

Os tipos de serviços de engenharia, para efeito desta Orientação Técnica, são:

a) planejamento ou projeto, em geral de regiões, zonas, cidades, obras, estruturas, transportes,


explorações de recursos naturais e desenvolvimento da produção industrial e agropecuária;

b) estudos, análises, consultorias, avaliações, análises de custos e preços, vistorias, perícias,


pareceres, e divulgação técnica referentes a obras e serviços de engenharia;

c) pesquisa, ensino, experimentação e ensaios referentes a obras e serviços de engenharia;

d) auditoria e fiscalização de obras e serviços técnicos de engenharia;

e) direção / supervisão / gerência de obras e serviços técnicos;

f) produção técnica especializada, industrial ou agropecuária.

5 Elementos Mínimos Para Anteprojetos de Engenharia

As Tabelas 5.1 a 5.3 apresentam os elementos mínimos que devem constar nos anteprojetos de
obras e serviços dos tipos edificações, saneamento e rodovias, e a descrição básica dos seus
conteúdos.

Tabela 5.1 – Elementos Mínimos Para Anteprojetos de Edificações


Elemento Tipo Conteúdo
Necessidade da obra/serviço Texto e • Identificação e diagnóstico da
fotografias situação existente;
• Comprovação de titularidade do
terreno;
• Compatibilidade com o Plano
Diretor;
• Justificativa para a execução da
obra ou serviço – necessidades a
serem atendidas.
Levantamento Topográfico Desenho Levantamento plani-altimétrico
Planta de situação Desenho Localização do terreno e da
obra/serviço.
Sondagens de solo Desenho e • Locação dos furos
texto • Descrição das características do
solo;
• Perfil geométrico do terreno.

Instituto Brasileiro de Auditoria de Engenharia – IBRAENG (www.ibraeng.org)


6
Orientação Técnica OT-002/2014-IBRAENG

Tabela 5.1 – Elementos Mínimos Para Anteprojetos de Edificações (continuação)


Elemento Tipo Conteúdo
Terraplenagem Desenho • Implantação com indicação dos níveis originais e
dos níveis propostos;
• Perfil longitudinal e seções transversais tipo com
indicação da situação original e da proposta e
definição de taludes e contenção de terra.
Concepção Arquitetônica Desenho • Plantas baixas de cada pavimento e da
cobertura;
• Cortes e elevações
• Detalhes de elementos (que possam influir no
valor do orçamento);
• Indicação de elementos existentes, a demolir e a
executar, em caso de reforma e/ou ampliação;
• Especificações preliminares de materiais,
equipamentos, elementos, componentes e
sistemas construtivos.
Concepções preliminares Desenhos e • Plantas;
dos projetos cálculos • Layouts;
complementares (Estrutura, • Estimativas dos quantitativos;
Instalações [elétrica, • Especificações preliminares.
hidráulica, sanitária,
telefônica, lógica, de
incêndio, de ar
condicionado e outras];
Paisagismo/urbanização);
Licença Ambiental Prévia Texto • Documento emitido pelo órgão ambiental
(se necessária). competente.
Memorial descritivo Texto e • Especificações básicas dos serviços,
croquis ou componentes e materiais construtivos.
desenhos
Estimativa de custos (um Orçamento • Descrição dos serviços;
dos dois tipos de estimativa Paramétrico • Unidades;
da coluna 2) (ou • Quantitativos dos serviços (demonstrativos dos
Preliminar) índices paramétricos e dos cálculos);
• Custos unitários de serviços de obras
semelhantes – parametrizados – ou de tabelas
referenciais;
• Composição ou indicação da taxa de encargos
sociais de referência;
• Composição do BDI;
• Preços unitários;
• Preço global.
Orçamento • CUB adotado (fonte e valor)
Expedito • Cálculo da Área equivalente
(Preço por • Estimativa e acréscimo dos custos dos
Área de elementos não integrantes no CUB
Construção) • Composição do BDI;
• Preço global estimado
Cronograma preliminar da Gráficos • Descrição das etapas e respectivos serviços da
execução obra;
• Prazos de cada etapa/serviço;
• Interdependências entre as etapas e serviços;
• Prazo total.

Instituto Brasileiro de Auditoria de Engenharia – IBRAENG (www.ibraeng.org)


7
Orientação Técnica OT-002/2014-IBRAENG

Tabela 5.2 – Elementos Mínimos Para Anteprojetos de Obras de Sistemas de Abastecimento de Água
e Esgotamento Sanitário
Elemento Tipo Conteúdo
Necessidade da Texto e • Identificação e diagnóstico da situação existente;
obra/serviço fotografias • Comprovação de titularidade do terreno;
• Compatibilidade com o Plano Diretor;
• Justificativa para a execução da obra ou serviço –
necessidades a serem atendidas.
Levantamento Topográfico Desenho Levantamento plani-altimétrico
Diretrizes gerais de projeto Desenhos e • População atendida;
(alternativas) textos • Cadastramento populacional (plantas);
• Escolha do manancial;
• Disposição final;
• Escolha do tratamento;
• Justificativa da alternativa adotada.
Sondagens de solo Desenho e • Locação dos furos
texto • Descrição das características do solo;
• Perfil geométrico do terreno.
Concepção dos elementos Desenhos e • Caminhamento (plantas e perfis);
do sistema textos • Definição e localização dos elementos do projeto
(plantas e cortes);
• Identificação dos fatores de interferência das
redes do sistema.
Concepções preliminares Desenhos e • Plantas;
dos projetos cálculos • Especificações preliminares.
complementares (Estrutura,
Instalações [elétrica,
hidráulica, sanitária, e
outras];
Paisagismo/urbanização);
Licença Ambiental Prévia Texto • Documento emitido pelo órgão ambiental
(se necessária). competente.
Memorial descritivo Texto e • Especificações básicas dos serviços,
croquis ou componentes e materiais construtivos.
desenhos
Estimativa de custos (um Orçamento • Descrição dos serviços;
dos dois tipos de estimativa Paramétrico • Unidades;
da coluna 2) (ou • Quantitativos dos serviços (demonstrativos dos
Preliminar ) índices paramétricos e dos cálculos);
• Custos unitários de serviços de obras
semelhantes – parametrizados – ou de tabelas
referenciais;
• Composição ou indicação da taxa de encargos
sociais de referência;
• Composição do BDI de referência;
• Preços unitários referenciais;
• Preço global.
Orçamento • Custo da Unidade de Construção adotado (fonte
Expedito e valor);
(Preço por • Comprimento total da obra/serviço;
Comprimento • Estimativas dos custos das obras
de complementares;
Construção) • Composição do BDI;
• Preço global estimado.
Cronograma preliminar da Gráficos • Descrição das etapas e respectivos serviços
execução • Prazos de cada etapa/serviço;
• Interdependências entre as etapas e serviços;
• Prazo total.

Instituto Brasileiro de Auditoria de Engenharia – IBRAENG (www.ibraeng.org)


8
Orientação Técnica OT-002/2014-IBRAENG

Tabela 5.3 – Elementos Mínimos Para Anteprojetos de Obras Rodoviárias


Elemento Tipo Conteúdo
Necessidade da Texto e • Identificação e diagnóstico da situação existente;
obra/serviço fotografias • Comprovação de titularidade do terreno;
• Compatibilidade com o Plano Diretor;
• Justificativa para a execução da obra ou serviço –
necessidades a serem atendidas.
Estudos de Tráfego Desenhos, • Descrição dos procedimentos básicos utilizados
Rodoviário textos e na pesquisa – definição da área de estudo e
cálculos estabelecimento de zonas de tráfego;
• Pesquisas de tráfego (resultado das contagens
volumétricas, pesquisas de origem e destino,
informações sobre velocidades pontuais,
pesquisas de velocidade e retardamento,
pesquisas de ocupação dos veículos e
resultados das pesagens dos veículos);
• Determinação do tráfego atual, apresentando o
volume médio diário (VMD), as matrizes de
origem/destino atuais e a calibração da rede
atual;
• Determinação do tráfego futuro, (período de
análise, identificação das variáveis
socioeconômicas relevantes e formulação de
modelos de projeção de tráfego).
Levantamento Topográfico Desenho Levantamento planialtimétrico
Sondagens de solo Desenho e • Locação dos furos
texto • Descrição das características do solo;
• Perfil geométrico do terreno.
Terraplenagem Desenhos e • Perfil geotécnico;
textos • Seções transversais típicas;
• Planta geral da situação de empréstimos e
botaforas;
• Plantas dos locais de empréstimo.
• Relatório do projeto contendo sua
concepção e justificativa;
• Memória justificativa contendo cálculo
estrutural e classificação dos materiais a
escavar;
• Cálculo de volumes;
• Quadro e orientação de terraplenagem;
• Plano de Execução, contendo: relação de
serviços, cronograma físico; relação de
equipamento mínimo e “Layout” do canteiro
de obras, posicionando as instalações,
jazidas, fontes de materiais e acessos.
• Relatório do projeto contendo sua
concepção e justificativa;
• Folha de convenções;
• Notas de Serviço de Terraplenagem e
Pavimentação.
Concepção da Desenhos e • Estudo dos materiais inerentes à pavimentação;
Pavimentação textos • Dimensionamento preliminar da estrutura do
pavimento.
Concepções preliminares Desenhos e • Plantas;
dos projetos cálculos • Especificações preliminares.
complementares
(Sinalização, Defensas,
Cercas,
Paisagismo/urbanização,
Desapropriação).

Instituto Brasileiro de Auditoria de Engenharia – IBRAENG (www.ibraeng.org)


9
Orientação Técnica OT-002/2014-IBRAENG

Tabela 5.3 – Elementos Mínimos Para Anteprojetos de Obras Rodoviárias (conclusão)


Elemento Tipo Conteúdo
Memorial Descritivo Texto e • Especificações básicas dos serviços,
croquis ou componentes e materiais construtivos.
desenhos
Licença Ambiental Prévia (se Texto • Documento emitido pelo órgão ambiental
necessária). competente.
Estimativa de custos (um dos dois Orçamento • Descrição dos serviços;
tipos de estimativa da coluna 2) Paramétrico • Unidades;
(ou • Quantitativos dos serviços (demonstrativos
Preliminar) dos índices paramétricos e dos cálculos);
• Custos unitários de serviços de obras
semelhantes – parametrizados – ou de
tabelas referenciais;
• Composição ou indicação da taxa de
encargos sociais de referência;
• Composição do BDI de referência;
• Preços unitários referenciais;
• Preço global.
Orçamento • Custo da Unidade de Construção adotado
Expedito (fonte e valor);
(Preço por • Comprimento total da obra/serviço;
Comprimento • Estimativas dos custos das obras
de complementares;
Construção) • Composição do BDI;
• Preço global estimado.
Cronograma preliminar da Gráficos • Descrição das etapas e respectivos
execução serviços
• Prazos de cada etapa/serviço;
• Interdependências entre as etapas e os
serviços;
• Prazo total.

Notas: (1) Para anteprojetos de obras cujos tipos não constam nas tabelas 5.1 a 5.3, adotar por similaridade. (2)
O IBRAENG poderá vir a revisar/reeditar esta Orientação Técnica, inclusive acrescentar-lhe outras tabelas de
elementos mínimos para anteprojetos de outros tipos de obras.

6. Como citar este documento

INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORIA DE ENGENHARIA. OT-002/2014-IBRAENG: elementos


mínimos para anteprojetos de engenharia. Fortaleza, 2014.

_______________________

Instituto Brasileiro de Auditoria de Engenharia – IBRAENG (www.ibraeng.org)