Você está na página 1de 4

Grande parte dos empreendedores tem dificuldade na hora de como calcular o preço

de revenda de produtos.

As dúvidas mais comuns de quem tem uma loja são:


 Como colocar preço em roupas sem ter prejuízo?
 O preço de venda estabelecido do produto é justo?
 O preço de venda final do produto é competitivo?
A verdade é que tarefa de calcular o preço de venda de um produto (precificação de
produtos) não é simples.
Envolve o valor em si, o poder de compra do cliente, o preço de custo, o perfil de
consumo do público-alvo, a qualidade e a marca do produto, aceitação do item no
mercado, relação entre oferta e demanda, além de fatores como moda e exclusividade.
Tudo isso pode ajudar a determinar o preço final de um produto.

Formação do preço de venda


Cálculo que tem por base a abrangência e cobertura de todos os custos da empresa e
geração do lucro desejado. É como dizer que a partir da venda de qualquer produto você
estará tirando os custos ligados à empresa: Custo fixo, Custo Variável e, assim,
obtendo determinado lucro.

Lucro
É o retorno positivo de um investimento feito por uma pessoa nos negócios.
Para determinar e calcular o preço de venda de um produto e obter um lucro consistente
é necessário primeiro entender os conceitos citados e, a partir daí, traçar sua meta de
remuneração do capital investido, ou seja, o “seu lucro”.
Quanto eu espero que determinado produto gere de lucro para que eu invista no negócio?
Não podemos nos esquecer que, na outra ponta, está o mercado – clientes que atuam de
forma concorrencial e influenciam o preço final dos produtos. O que adianta colocar ou
desejar um preço por determinado produto se o mercado não aceita. Essa situação é
considerada uma variável não controlada.
A melhor forma de calcular o preço de venda um produto é fazer as duas coisas ao
mesmo tempo, já que de nada adianta fazer o cálculo pelos custos se, no final, o preço
não ficar atrativo aos clientes. E, por outro lado, é insensato estabelecer o preço com
base na concorrência sem saber se este valor será suficiente para arcar com os custos
que o negócio tem.
Resumindo: a precificação do produto deve ser coerente com os gastos para produzir a
mercadoria, os canais de distribuição e as formas de promoção, mas também deve
considerar a percepção de valor do cliente em relação ao artigo.
O preço é a variável mais flexível do composto de marketing, pois é a única que pode ser
ajustada a curto prazo. Tem com isso grande peso estratégico, sobretudo para, por
exemplo:
 Lidar com a necessidade de aumento imediato de vendas e de faturamento;
 Maximizar a participação de mercado da empresa;
 Reagir às estratégias dos concorrentes.

Cálculo do preço de venda na prática


Para calcular o preço de venda de um produto, primeiro você calcula a margem de lucro
média que você pretende para seu negócio:
O lucro é o que sobra das vendas, menos o custo das mercadorias vendidas, menos as
despesas variáveis e menos as despesas fixas, inclusive o pró-labore.
Cada tipo de atividade tem uma margem de lucro. Lembrando que o lucro destina-se a
remunerar o capital investido na empresa. É desejável que esse capital seja remunerado
no mínimo por volta de 2% a 4% ao mês.

Exemplo:

Preço de venda R$ 20,00 100%


(-) Imposto sobre as Vendas R$ 2,00 10%
(-) Custo das Mercadorias Vendidas R$ 9,00 45%
(-) Despesas Variáveis R$ 3,00 15%
(=) Margem de Contribuição R$ 6,00 30%
(-) Despesas Fixas R$ 4,00 20%
(=) Lucro R$ 2,00 10%

Depois, com base na remuneração do capital desejado (lucro), você parte para o uso da
técnica de cálculo do Mark-up, que é o valor desejado de margem de lucro adicionado ao
preço de custo do produto.
Exemplo:

Valor de custo do produto R$ 9,00 45%


(+) Despesas Variáveis R$ 1,00 10%
(+) Despesas Fixas R$ 2,25 20%
Subtotal R$ 12,25 15%
Mark-up intermediário R$ 5,75 32%
Impostos R$ 2,00 10%
Valor do preço final do produto R$ 20,00
Mark-up Divisor Total ( fator ) 0,45

Como chegar no fator Mark-up de 0,45:


(R$ 9,00 / R$ 20,00 = 0,45) portanto, se (R$ 9,00 / 0,45 = R$ 20,00)
Reforçando, Mark-up é um valor originalmente adicionado ao custo.Portanto ao calcular
seu valor devemos fazê-lo usando o chamado cálculo por dentro, ou seja, dividir pelo fator
para adicionar o valor encontrado ao próprio preço.
Outro ponto fundamental que pode determinar o sucesso deste tipo de empreendimento é
o Giro de Estoques, ou seja, o quanto tempo as mercadorias ficam estocadas sem serem
vendidas. A velocidade com que os estoques se renovam pode contribuir com a saúde
financeira da operação.
Considere o preço de custo
O ponto de partida para estipular o preço de venda de um produto é considerar o quanto
esse item custou no atacado. Há quem dobre o valor de atacado para vender no varejo,
mas nem sempre essa técnica é a mais acertada. Em alguns casos, sobretudo em
períodos de lançamento, os custos das peças são mais elevados. Para garantir um preço
competitivo e que o faça se destacar em meio à concorrência, muitas vezes é preciso
diminuir o lucro em 10 ou 20%.
Siga a tendência do mercado
Por falar em concorrência, também não adianta perder todo o seu lucro apenas para
vender mais barato.
Você tem uma empresa para manter, aluguel e impostos a pagar, novas compras a fazer
e salários que dependem diretamente do seu faturamento. Colocar preços muito abaixo
das tendências do mercado não é uma estratégia nada inteligente e pode te trazer
prejuízos.
Leve em conta as despesas
Na hora de calcular o preço de venda, não basta apenas considerar o custo
de aquisição dos produtos. É necessário colocar na ponta do lápis, a média de gastos
variáveis, como impostos, embalagens, comissões, brindes, propaganda, etc. Além disso,
o empreendedor também precisa levar em conta as despesas fixas. Por fim, esses gastos
devem ser balanceados com o valor que os lojistas pretendem lucrar.

Dicas extras
 Se na sua região há muitas empresas oferecendo o mesmo produto, o ideal é praticar
preços bem competitivos. Se a oferta for menor, os valores de venda podem ser mais
altos;
 Tenha bom senso e não exagere nos preços (nem para mais, nem para menos);
 Faça promoções esporádicas para renovar o estoque, mas não estipule preços abaixo
do custo, nem que for para acabar com todo o estoque da mercadoria;
 Se você oferece um produto com valor agregado como algo exclusivo, o preço pode
ser mais elevado.
 A alta demanda por um produto é um indício de que ele pode custar um pouco mais
caro.

Custo por produto e despesas fixas

Custo por produto


Custo total + gasto com transporte. Assim, se você compra 10 peças por R$100,00 e
gasta R$ 20,00 com transporte, o custo total é de R$ 120,00 = o custo por unidade é de
R$ 12,00 (120/10).
.
Despesas Fixas
As despesas fixas podem ser estimadas para um determinado período. Existem várias
maneiras de calcular isso, vamos citar aqui a que consideramos mais fácil e bastante
válida ao caso.
ÚLTIMOS 12 MESES
Água
Luz
Telefone – internet
Taxa fixa mensal – MEI
Aluguel

Confira sua planilha de fluxo de caixa para pegar os valores


.Divida as despesas pelas vendas e multiplique por 100. O resultado é o percentual que
cada venda deve contribuir para abatimento das despesas fixas.
Exemplo: Se nos últimos 12 meses você teve R$10.000,00 de despesas fixas e R$
50.000,00 de vendas, o cálculo fica assim: 10.000,00/50.000,00×100=20%.

Margem de lucro
Margem de lucro é calculada por produto, ou seja, se você vende diversos tipos de
mercadorias, pode calcular uma margem de lucro específica para cada um deles.
Importante, contudo, é que você defina uma margem de lucro mínima, exemplo, 50%.
Como calcular o preço de venda – lucro
Com todos os dados disponíveis, agora ficou bastante fácil calcular o preço de venda.
(lucro)

Você também pode gostar