Você está na página 1de 1

BIURETO

O reagente de biureto é um reagente analítico feito de cobre e hidróxido de sódio com um


complexante que estabiliza o cobre em solução, sendo o tartarato de sódio o recomendado
por Gornall e cols [1]. Este reagente de coloração azul torna-se violeta na presença
de proteínas (mais especificamente, o reagente de biureto torna-se violeta ao reagir com
íons cúpricos), e muda para rosa quando combinado com polipeptídeos de cadeia curta. A
intensidade da coloração violeta varia de acordo com a concentração de proteínas na
amostra analisada. O hidróxido de potássio não participa na reação, mas meramente
provê um meio alcalino no qual a reação ocorre.
O reagente é comumente usado em um ensaio colorimétrico para a determinação
de concentração de proteínas—tal como a espectroscopia UV/visível no comprimento de
onda de 540 nm (para a detecção do íon Cu2+).

Preparação do reagente
Dissolve-se 1,5 g de sulfato de cobre (II) (CuSO4.5H2O) e 6,0 g de tartarato duplo de sódio
e potássio (KNaC4H4O6.4H2O) em 500 mL de água destilada. Adiciona-se, sob agitação
constante, 300 mL de solução de NaOH aquoso a 10%. Adiciona-se 1g de iodeto de
potássio (KI). Completa-se o volume para 1L com água destilada e guarda-se o reagente
em frasco de vidro âmbar. Esse reagente conserva-se por tempo indefinido.[2]
Observe-se que esta é uma formulação modificada.