Você está na página 1de 51

Paginação:

1 / 12
SAN.T.IN.NT 37 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas - Calça Aprovação:
Dir. Técnica
SUMÁRIO:
1. OBJETIVO
2. DESCRIÇÃO
3. MATERIAL
4. DETALHES
5. MEDIDAS
6. EMBALAGEM
7. IDENTIFICAÇÃO
8. CARACTERÍSTICAS
9. NOTAS
10. GARANTIA
11. AMOSTRAS
12. INSPEÇÃO
13. LOGOTIPO
14. REFERÊNCIAS
15. ANEXOS

1. OBJETIVO

Estabelecer através da Gerência de Logística de Materiais e Inspeção - FX e Gerência de


Manutenção - TM, condições mínimas para confecção e recebimento do material –
Uniforme Anti chamas – Calça.

2. DESCRIÇÃO

Calça para funcionários de ambos os sexos, confeccionada com uma camada de tecido
anti chama, com faixas refletivas resistentes às chamas, em diversos tamanhos, indicada
para uso dos funcionários eletricistas quando em atividades que envolvam riscos de arco
elétrico.

3. MATERIAL

3.1. Tecido

• COR: Azul Claro Ref. : FW-393


• COMPOSIÇÃO: 88% Algodão e 12% Fibras Sintéticas
• ARMAÇÃO: SARJA 3/1
• GRAMATURA: mínimo de 250 g/m2 e máximo de 280 g/m2
• CLASSE DE RISCO: 02
• A.T.P.V. (mínimo): 8 cal/cm2

3.2. Ganchos e Argolas

Em material sintético, reforçado e anti chama;

Cor: estar de acordo com a tonalidade do tecido.


Paginação:
2 / 12
SAN.T.IN.NT 37 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas - Calça Aprovação:
Dir. Técnica

3.3. Linhas para Costura

Deve conter propriedades ignífugas e estar de acordo com a tonalidade do tecido.

3.4. Faixas refletivas

Confeccionada em tecido resistente a chama, conforme Anexo II.

Cor: Ref.: 3M 9587 - 50 mm de largura.

4. DETALHES

4.1. Cós

Cós postiço, com elástico embutido na parte de trás da cintura, de uma lateral a outra,
fechamento através de 1 (um) botão, com caseado do tipo embutido, com 07 (sete)
passantes, vista com botões embutidos e protegida por cancela com fechamento
através de ganchos e argolas.

4.2. Bolso

Bolso na lateral das pernas, tipo envelope, com lapela fechada com ganchos e
argolas e dois bolsos traseiros chapados, com lapela fechada com ganchos e argolas.

Os bolsos deverão ser protegidos por uma lapela, com fechamento por ganchos e
argolas e sem aberturas do tipo porta ferramentas. Nas lapelas dos bolsos deverão
ser bordados o nº do C. A. e o mínimo de proteção (ATPV) correspondente, com
linhas na cor branca.

Os bolsos deverão possuir expansão lateral de 30 mm de largura, sendo que a parte


inferior deverá ser fixa.

4.3. Costura

Com máquina de pregar cós ou ponto fixo uma (1) agulha na parte da frente e
máquina de pregar elástico ou ponto fixo uma (1) agulha na parte de trás do cós.

Ponto corrente duas (2) agulhas paralelas para o fechamento das laterais e ganchos.

Ponto corrente duas (2) agulhas paralelas ou interlock bitola larga para o fechamento
das entre pernas.

Ponto fixo duas (2) agulhas paralelas para colocação da vista.

Travetes para reforçar o acabamento final da vista e junção dos ganchos interlocados.
Paginação:
3 / 12
SAN.T.IN.NT 37 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas - Calça Aprovação:
Dir. Técnica

Overlock nas partes desfiantes do tecido com linha nº 50, 100% algodão, tingido na
mesma cor do tecido.

4.4. Aviamentos

As cores das linhas deverão estar de acordo com a tonalidade do tecido.

As linhas deverão ter tratamento anti chama.

4.5. Barra

A calça deve ser entregue sem a barra; experimentada e posteriormente realizada a


barra.

4.6. Faixa Refletiva

A faixa refletiva deverá possuir combinação de material retro refletivo em conjunto


com material fluorescente.

A faixa retro refletiva de cor prata metálica deverá estar no centro da faixa
fluorescente de cor lima cítrica.

As faixas refletivas deverão ser costuradas a 40 cm abaixo da junção entre as duas


pernas.

O material refletivo deverá reter a sua cor típica durante o dia e sua retro refletividade
durante a noite, durante a vida útil da roupa em que estiver aplicada.

O material refletivo deverá ser leve e flexível, possuir elevado brilho retro refletivo
noturno com aparência diurna na cor prata metálica e resistente à chama.

A especificação técnica da faixa refletiva resistente à chama deverá ser conforme o


Anexo II.

5. MEDIDAS

5.1. Largura do Sistema de Ganchos e Argolas

• Da vista da calça: 25 (vinte e cinco) mm;


• Da lapela do bolso: 25 (vinte e cinco) mm;
• Cós Largura: 45 mm.
• Bolsos laterais:
− Largura: 140 mm;
− Profundidade: 170 mm.
• Bolsos traseiros:
− Largura: 140 mm;
− Profundidade: 170 mm.
Paginação:
4 / 12
SAN.T.IN.NT 37 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas - Calça Aprovação:
Dir. Técnica

• Largura das faixas refletivas:


− Deverá medir 50 mm no total (retro refletivo e fluorescente).

5.2. Calça (medidas em cm) (MANEQUIM):

MANEQUIM
ITENS
XP PP P M G GG XG
Cintura 36 40 44 48 52 56 60
Quadril 40 46 50 54 58 62 66
Entre pernas 82 82 82 82 82 82 82
Comprimento (s/cós) 102 104 107 108 109 110 110
Comprimento do cinto 95 98 105 114 122 130 138
Largura Boca 24 24 25 26 27 28 28

Obs.: Tolerância = + ou - 1 cm

5.3. Como Medir a Calça Pronta

• Cintura:
− Sobre o cós.
• Quadril:
− 5 cm da junção da costura entre pernas.
• Entre pernas:
− Da junção entre as duas pernas, até a extremidade inferior.
• Comprimento:
− Da junção com o cós até a extremidade inferior.

Obs.: Todas as medidas devem ser tomadas com a calça abotoada, sobre base fixa e
evitando-se dobras e rugas.

6. EMBALAGEM

O material deverá ser, acondicionado em embalagem plástica, transparente, individual e


fechada.

Deverá acompanhar cada peça do uniforme, um folheto de instrução de conservação e


lavagem leve e pesada (suor, poeira, graxa, óleo, etc.).

7. IDENTIFICAÇÃO

Todo material deverá vir identificado de forma legível e indelével com, no mínimo:
• Etiqueta confeccionada em poliéster ou similar, contendo o nome da confecção e o
tamanho da peça.
• Etiqueta de garantia de qualidade, contendo o nome e a marca do fabricante e também
o nome e composição do tecido.
Paginação:
5 / 12
SAN.T.IN.NT 37 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas - Calça Aprovação:
Dir. Técnica

• Etiqueta com Número do Certificado de Aprovação, número do lote, mês e ano de


fabricação.
• As etiquetas deverão ser colocadas no lado interno da calça.

8. CARACTERISTICAS

Deverá possuir as seguintes características:


• Não permitir a propagação da chama depois de cessada a fonte de calor;
• Não provocar a emissão de gases tóxicos;
• Atingir ATPV (valor de desempenho térmico do arco elétrico) mínimo de 8 cal/cm²
(ATPV = Arc Thermal Performance Value);
• Cobrir a Classe de Risco 2, conforme Anexo I ou NFPA 70E;
• Ter características de conforto similares às do tecido de algodão não resistente à
chama;
• Resistência mínima à tração na trama e no urdume de 28 Kgf e 48 Kgf,
respectivamente, conforme ASTM 5034;
• Não causar dermatoses de contato na pele do usuário;
• Possuir alta solidez de cor à lavagem;
• Composição básica: 88% algodão resistente à chama e 12% fibra de alta resistência
(poliamida);
• Manter as características ignífugas durante toda a vida útil do traje.

9. NOTAS

Nota 1: O tecido utilizado na confecção do traje deve ser resistente ao arco elétrico e à
chama, de forma a atender as exigências estabelecidas na Norma Regulamentadora -
NR10.

Nota 2: O tecido anti chama deverá ser tratado por meio de um processo de polimerização
que, após a remoção da fonte de ignição, a chama deverá se auto-extinguir
imediatamente. Na confecção do tecido deverá ser introduzido na alma da fibra do algodão
um polímero anti chama, que atuará como um catalisador, produzindo a carbonização do
tecido quando exposto em chamas.

Nota 3: É de responsabilidade do fornecedor/fabricante retirar e trocar as partes de tecido


afetadas por defeito e/ou substituir as peças defeituosas.

Nota 4: O fornecedor/fabricante deve separar as partes cortadas de diferentes rolos de


tecido para não ocorrer mistura de tonalidade.

Nota 5: O fornecedor / fabricante deve apresentar laudos e ensaios em nome do


licitante/fabricante do tecido e/ou uniforme conforme anexo IV, na língua original e
transcrito para a língua portuguesa por tradutor de reconhecimento público.

Nota 6: Para efeito desta Especificação, entende-se como Uniforme o vestuário


profissional destinado aos colaboradores da empresa, com o objetivo de identificá-los e
Paginação:
6 / 12
SAN.T.IN.NT 37 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas - Calça Aprovação:
Dir. Técnica

propagar a imagem da empresa junto aos clientes e ao público em geral, assim como
protegê-los contra os riscos da eletricidade (arco elétrico/fogo repentino).

Nota 7: O fornecedor/fabricante deve dar garantia de reposição contra quaisquer defeitos


de fabricação, durante a vida útil da peça, observadas as condições normais de uso do
traje pelos respectivos empregados, tais como rasgos, encolhimento ou alongamento,
desbotamento e manchas, rompimento de costuras ou queima dos aviamentos.

Nota 8: Declaração do fabricante informando sobre o procedimento de descarte do


material.

Nota 9: Certificado de garantia do tecido a resistência a chamas por toda a sua vida útil,
desde que atendidos os procedimentos apropriados de uso e conservação pelos usuários
do traje.

10. GARANTIA

O material deve ter garantia mínima de 12 (doze) meses.

11. AMOSTRAS

Uma amostra consiste em uma unidade ou um par, com características idênticas ao


material adquirido ou a ser adquirido. Ver anexo III.

A Gerência de Logística de Materiais e Inspeção - FX em conjunto com a Gerência de


Manutenção – TM solicitará uma amostra do material para conferência. Após verificação e
aprovação da amostra em comparação com a especificação do material, será dada
liberação para confecção final do Uniforme Anti Chamas – Calça.

12. INSPEÇÃO

Todo material recebido dos fornecedores será examinado pela Gerência de Logística de
Materiais e Inspeção – FX com assessoria de técnicos da Gerência de Manutenção - TM,
com objetivo de verificar se estão compatíveis com os padrões de qualidade exigidos nesta
especificação, o que se faz através de: inspeções, comparação de amostras e Laudos.

12.1. Inspeção Visual

De acordo com o tamanho do lote serão retiradas aleatoriamente, as amostras


conforme tabela abaixo:

LOTE AMOSTRAS N° REPROVAÇÃO


Até 32 Todo o lote 01
33 a 280 32 03
281 a 500 50 05
Acima de 500 80 07
Paginação:
7 / 12
SAN.T.IN.NT 37 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas - Calça Aprovação:
Dir. Técnica

Caso o número de reprovação supere ao descrito na tabela a cima o lote será


reprovado.

12.2. Inspeção em Corte

Não se aplica.

12.3. Inspeção em Laboratório

A critério da Gerência de Logística de Materiais e Inspeção – FX e Gerência de


Manutenção - TM.

Os lotes fornecidos serão inspecionados pela Gerência de Logística de Materiais e


Inspeção da Sanasa pelo critério de amostragem conforme descrito abaixo.

LOTE AMOSTRAS N° REPROVACÃO


Até 32 03 0
33 a 280 06 01
281 a 500 08 01
501 a 1000 13 02

Caso o número de reprovação supere ao descrito na tabela a cima o lote será


reprovado.

12.4. Entrega ao Usuário

Caso seja detectado qualquer tipo de defeito, o material será devolvido no prazo de
dez (10) dias úteis.

12.5. Reposição de Material

Todo material devolvido por reprovação nas inspeções, nos testes ou na entrega ao
usuário, deverá ser substituído imediatamente pelo fornecedor, sem ônus para a
SANASA.

12.6. Documentação/Responsabilidade

Gerência de Logística de materiais e Inspeção - FX em conjunto com a Gerência de


Manutenção – TM, solicitará uma cópia autenticada do Certificado de Aprovação,
Certificado de Garantia de Qualidade do Fabricante do Tecido, laudos técnicos de
laboratórios, especificações técnicas de todo material utilizado na confecção, e
outros, sem ônus para a SANASA.

No caso de revendedor, deverá, ainda, apresentar declaração do fabricante, na qual


o mesmo se responsabilizará totalmente pelo material ofertado e que, em qualquer
tempo, tomará as medidas necessárias à reposição do material encontrado em
desacordo com a especificação.
Paginação:
8 / 12
SAN.T.IN.NT 37 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas - Calça Aprovação:
Dir. Técnica

13. LOGOTIPO

Não se aplica

14. REFERÊNCIAS

Esta norma interage com os seguintes documentos:


• SAN.P.IN.PR 01 – Controle de Documentos.
• SAN.P.IN.PR 02 – Controle de Registros.

15. ANEXOS

ANEXO I - TABELA DE RISCOS EM ATPV – NFPA 70 E


Mínimo
Classe de Nível de Exposição
Descrição da Roupa de Proteção
Risco (cal/cm²)
Da Roupa (ATPV)
0 0 Algodão não tratado Não Aplicável
Roupa interna de algodão mais
calça e camisa ou macacão
1 0–5 5
confeccionado com uma camada
de tecido resistente a chamas (1)
Roupa interna de algodão mais
calça e camisa ou macacão
2 5–8 8
confeccionado com uma camada
de tecido resistente a chamas (1)
Roupa interna de algodão mais
calça e camisa ou macacão ou
3 8 – 25 calça e capa confeccionado com 25
duas camadas de tecido resistente
a chamas (2)
Roupa interna de algodão mais
calça e camisa ou macacão ou
4 25 – 40 calça e capa confeccionado com 40
três camadas de tecido resistente a
chamas (3)

FÓRMULA DE CÁLCULO DO ATPV

• ARCO EM ABERTO

− EA = 5271*d(-1,9593) *t*(0,0016*I2 -0,0076*I+0,8938)

• ARCO EM CAIXA

− EC = 1038,7*d (-1,4738) *t*(0,0093*I2 -0,3453*I+5,9675)


Paginação:
9 / 12
SAN.T.IN.NT 37 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas - Calça Aprovação:
Dir. Técnica

Onde:

E - Energia incidente em cal/cm2


d - Distância em polegadas, maior do que 18"
t - tempo do arco em segundos
I - corrente de curto circuito sólido trifásico em kA (entre 16 e 50 kA)

ANEXO II - FAIXA REFLETIVA RESISTENTE A CHAMAS (PERFORMANCE FÍSICA)

A. Material Refletivo

Faixa refletiva para uso em uniformes, cujo objetivo é melhorar a visibilidade noturna e
garantir mais segurança aos usuários.

B. Detalhes

1. Tecido Refletivo leve e flexível, com elevado brilho refletivo diurno e noturno, na cor
cítrica, constituído de micro-esferas de vidro com angularidade, expostas e
agregadas em uma resina que está aplicada a um tecido resistente 100% poliéster.
Sua superfície deve resistir a temperaturas de contato de até 260 º C.

2. Visibilidade Noturna: o tecido deve apresentar-se na cor branca prateada, quando


observado sob a luz dos faróis dos veículos e permanecer altamente refletivo
mesmo quando exposto a uma grande variedade de ângulos de incidência de luz.

3. O coeficiente de retro reflexão do segmento central deve ser medido segundo


procedimento descrito nas normas ASTM E809 e E810 ou CIE 54, nos ângulos de
entrada e observação especificados na norma NBR 15292, tabela 5. Os valores em
cd/lux² devem cumprir com as exigências mínimas especificadas na norma NBR
15292, tabela 5, e serem comprovados por laudo técnico (original ou cópia
autenticada), emitido em nome do interessado, por laboratório independente. Além
dos valores de coeficiente de retro reflexão, deverão constar obrigatoriamente do
laudo a marca e o código da faixa.

4. A faixa refletiva deve ser resistente à chama, comprovada por laudo técnico (original
ou cópia autenticada), emitido em nome do fabricante, por laboratório independente
internacional ou nacional comprovando que o produto atende a todos os requisitos
da Norma NPFA 1971.

5. Deverão constar obrigatoriamente do laudo a marca e o código da faixa.

6. Obrigatória a comprovação através de laudos (original ou cópia autenticada),


emitido em nome do fabricante, por laboratório independente nacional ou
internacional que identifique a presença de aramida na composição do tecido de
fundo. Deverão constar obrigatoriamente do laudo a marca e o código da faixa.
Paginação:
10 / 12
SAN.T.IN.NT 37 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas - Calça Aprovação:
Dir. Técnica

ANEXO III - MODELO

ANEXO IV - NORMAS, ENSAIOS E DOCUMENTOS

A. NORMAS TÉCNICAS

• ABNT - NBR 5426 - Planos de Amostragem e Procedimentos na Inspeção por


Atributos.
• ASTM D 5034 - Test Method for Breaking Strength and Elongation of Textile Fabrics
(Grab Test).
• ASTM D 5035 - Test Method for Breaking Strength and Elongation of Textile Fabrics
(Strip Method).
• ASTM F 1959 - Standard Test Method for Determining the Arc Thermal Performance
Value of Materials for Clothing.
• ISO3 2859-1 - Sampling Procedures for Inspection by Attributes - Part 1: Sampling
Schemes Indexed by Acceptance Quality Limit (AQL) for Lot-by-Lot Inspection.
• NFPA 70E - Standard for Electrical Safety Requirements for Employee Workplaces.
• NFPA 2112 – Standard on Flame-Resistant Garments for Protection of Industrial
Personnel Against Flash.
Paginação:
11 / 12
SAN.T.IN.NT 37 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas - Calça Aprovação:
Dir. Técnica

B. DOCUMENTOS TÉCNICOS

Apresentação obrigatória, juntamente com a amostra do traje, de cópia do Certificado


de Aprovação (CA) correspondente, emitido pelo Ministério do Trabalho e Emprego
(MTE), conforme exigido pela Norma Regulamentadora NR-6.

Apresentação obrigatória de Laudos Técnicos emitidos por Laboratório independente


reconhecido nacional e/ou internacionalmente, em nome da licitante ou do fabricante do
tecido, comprovando os Ensaios Técnicos, Têxteis e Faixas Refletivas.

Obs.: Os Laudos de Laboratório solicitados acima, deverão ser apresentados na língua


original e transcritos para a língua portuguesa por tradutor de reconhecimento público.

C. ENSAIOS TÉCNICOS - NFPA 70-E

• Atingir ATPV (Valor de Desempenho Térmico do Arco Elétrico) mínimo de 8,0


calorias/cm2. No item vestimentas da NFPA 70-E, é exigido que o tecido da roupa
atenda a Norma ASTM F 1506-02a (vestimentas para arco elétrico e perigos
térmicos).
• Teste de resistência à chama (flamabilidade vertical) - recebido e após 25 lavagens
- ASTM D 6413-99.
• Resistência ao rasgo - ASTM D 1424-96.
• Resistência à ruptura - ASTM D 5034-95.
• Resistência ao deslizamento do fio - ASTM D 434.
• Alteração dimensional em lavagem doméstica - AATCC nº 135-2004.
• Solidez da cor em lavagem acelerada - AATCC nº 61-2003.
• Solidez da cor em lavagem a seco - AATCC nº 132-2004.
• Determinação do ATPV - Ensaio conforme ASTM F 1959.
• Cobrir a classe de Risco 2, conforme NPFA 70E.
• HAF - Fator de atenuação de calor maior que 70%.

D. ENSAIOS TÉCNICOS - NFPA 2112

• Manter a característica ignífuga do tecido após ser submetido a 50 e 100 lavagens


tipo caseira, conforme ASTM D 6413.
• Ensaio com manequim instrumentado, conforme ASTM F 1930.
• Ensaio da permeabilidade do ar em tecidos têxteis - ASTM D 737-96.
• Resistência à ruptura por aparato tipo queda do pêndulo - Teste Elmendorf - ASTM
D 1424-96.
• Resistência mínima à tração na trama e no urdume de 28 Kgf e 48 Kgf,
respectivamente, conforme ASTM D 5034 e NBR 11912.

E. ENSAIOS TÊXTEIS

• Estabilidade dimensional, conforme NBR 10320: urdume - alteração +/-1,5%, no


máximo e trama - alteração de +/- 1,5%, no máximo.
• Resistência à abrasão, conforme ASTM D 3886: 200 ciclos, mínimo.
Paginação:
12 / 12
SAN.T.IN.NT 37 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas - Calça Aprovação:
Dir. Técnica

• Solidez de cor à fricção, conforme ABNT NBR ISO 105 X12: úmido - transferência
4/5, seco - transferência 4 / 5, no mínimo.
• Solidez de cor à luz (40 horas), conforme ABNT NBR ISO 105 B02: escala cinza 4 /
5, escala azul 5 / 6, no mínimo.
• Solidez de cor à lavagem doméstica e comercial conforme ABNT NBR ISO 105 C -
06 : método C1M - alteração 5, transferência 5.
• Solidez de cor à ferro quente, conforme NBR 10188: úmido - alteração 4 / 5,
transferência 4 / 5; seco - alteração 4 / 5, transferência 4 / 5, no mínimo; molhado -
alteração 4 / 5, transferência 4 / 5, no mínimo.
• Solidez de cor ao suor ácido e alcalino, conforme ABNT NBR ISO 105 E04: ácido -
alteração 4 / 5, transferência 4 / 5; alcalino - alteração 4 / 5, transferência 4 /5, no
mínimo.

F. INSTRUÇÕES SOBRE USO E CONSERVAÇÃO

O fornecedor/fabricante deve fornecer as instruções sobre uso, higienização e


conservação do traje, por meio de etiqueta ou folheto individual encartado na respectiva
embalagem.

ANEXO V - HISTÓRICO DE ALTERAÇÕES

DATA REV. PÁG. DESCRIÇÃO NOME/SETOR


30/01/2009 1 todas Revisada na integra Renato - TME
24/08/2009 2 todas Revisada na integra Renato - TME
Paginação:
1 / 12
SAN.T.IN.NT 41 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Camisa Aprovação:
Dir. Técnica

SUMÁRIO:
1. OBJETIVO
2. DESCRIÇÃO
3. MATERIAL
4. DETALHES
5. MEDIDAS
6. EMBALAGEM
7. IDENTIFICAÇÃO
8. CARACTERISTICAS
9. NOTAS
10. GARANTIAS
11. AMOSTRAS
12. INSPEÇÃO
13. LOGOTIPO
14. REFERÊNCIAS
15. ANEXOS

1. OBJETIVO

Estabelecer através da Gerência de Logística de Materiais e Inspeção – FX e Gerência de


Manutenção – TM, condições mínimas para confecção e recebimento do material –
Uniforme Anti chamas – Camisa.

2. DESCRIÇÃO

Camisa para funcionários de ambos os sexos, confeccionada com uma camada de tecido
anti chama, com faixas refletivas resistente a chamas, em diversos tamanhos, indicada
para uso dos funcionários eletricistas quando em atividades que envolvam riscos de arco
elétrico.

3. MATERIAL

3.1. Tecido

• COR: Azul claro Ref.: FW-393


• COMPOSIÇÃO: 88% Algodão e 12% Fibras Sintéticas
• ARMAÇÃO: SARJA 3/1
• GRAMATURA: mínimo de 250 g/m2 e máximo de 280 g/m2
• CLASSE DE RISCO: 02
• A. T. P. V. (mínimo): 8 cal/cm2

3.2. Ganchos e Argolas

Em material sintético, reforçado e anti chama;

Cor: estar de acordo com a tonalidade do tecido.


Paginação:
2 / 12
SAN.T.IN.NT 41 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Camisa Aprovação:
Dir. Técnica

3.3. Linhas para Costura

Deve conter propriedades ignífugas e estar de acordo com a tonalidade do tecido.

3.4. Faixas refletivas

Confeccionada em tecido resistente a chamas, conforme Anexo II.

Cor: Ref.: 3M 9587 com 50 mm de largura.

4. DETALHES

4.1. Gola e Manga

Gola pespontada, mangas compridas com punho e fechamento através de ganchos e


argolas, abertura frontal com 03(três) botões, protegida por cancela em toda a sua
extensão.

4.2. Bolso

Um (1) bolso chapado no lado esquerdo do tórax, protegido por lapela com ganchos e
argolas e com tecido único nas costas;

O bolso deverá ser protegido por sistema de ganchos e argolas, sem abertura do tipo
porta canetas ou ferramentas;

Na lapela do bolso deverá ser bordado o nº do C. A. e o mínimo de proteção (ATPV)


correspondente, com linhas na cor branca;

Abaixo do ATPV deverá ser gravado, em silk-screen a base de água, o logotipo da


SANASA, conforme anexo II e item 11.

Deverá conter bordado na altura do peito lado direito com linha vermelha um símbolo
em forma de “Raio” e acima do Raio conter a sigla TME na cor: branca.

4.3. Costura

Ponto corrente duas (2) agulhas paralelas ou interlock bitola média ou larga para o
fechamento das ilhargas, ombros e colocação das mangas.

Ponto fixo uma (1) agulha para fixação da gola, bainhas e para pespontar.

Travetes a extremidades do interlock de fechamento das ilhargas e mangas.

Overlock nas partes desfiantes do tecido.


Paginação:
3 / 12
SAN.T.IN.NT 41 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Camisa Aprovação:
Dir. Técnica

4.4. Aviamentos

Linha com tratamento anti chama.

As cores das linhas, ganchos e argolas deverão estar de acordo com a tonalidade do
tecido.

4.5. Faixas refletivas

A faixa refletiva deverá possuir combinação de material retro refletivo em conjunto


com material fluorescente.

A faixa retro refletiva de cor prata metálica deverá estar no centro da faixa
fluorescente de cor lima cítrica

As faixas refletivas deverão ser costuradas na circunferência do corpo e mangas.

O material refletivo deverá reter a sua cor típica durante o dia e sua retro refletividade
durante a noite, durante a vida útil da roupa em que estiver aplicada.

O material refletivo deverá ser leve e flexível e possuir elevado brilho retro refletivo
noturno e com aparência diurna na cor prata metálica e resistente à chama;

A especificação técnica da faixa refletiva encontra-se no anexo II.

5. MEDIDAS

5.1. Sistema de Ganchos e Argolas

• Abertura frontal:
− Comprimento: Da junção da gola até a extremidade do tecido;
− Largura: 25 (vinte e cinco) mm.
• Da lapela do bolso:
− Largura:25 (vinte e cinco) mm;
− Comprimento: 50 (cinqüenta) mm.
• Do punho:
− Largura: 25 (vinte e cinco) mm;
− Comprimento: 50 (cinqüenta) mm.
• Bolso
− Profundidade: 14 cm;
− Largura: 11 cm.
Paginação:
4 / 12
SAN.T.IN.NT 41 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Camisa Aprovação:
Dir. Técnica

5.2. Camisa (medidas em cm)

MANEQUIM
ITENS
XP PP P M G GG XG
Tórax 46 50 54 58 62 66 70
Espalda 41 43 45 47 49 51 53
Comprimento da Manga 58 58 59 60 61 62 62
Contorno Cava 46 50 54 58 62 66 66
Comprimento Total 69 71 73 75 77 79 79
Obs.: Tolerância = + ou - 1 cm

5.3. Como Medir a Camisa Pronta

• Tórax:
− Da parte inferior de uma cava à outra.
• Espalda:
− Da parte do meio de uma cava a outra, nas costas.
• Comprimento Manga:
− Da junção com o ombro, até a extremidade.
• Contorno da Cava:
− Na junção da camisa com a manga, em ambos os lados.
• Comprimento Total:
− Da junção da gola no ombro, até a extremidade inferior.

Obs.: Todas as medidas devem ser tomadas com a camisa abotoada, sobre base fixa
e evitando-se dobras e rugas.

6. EMBALAGEM

O material deverá ser acondicionado em embalagem transparente, individual e fechada.


Deverá acompanhar cada peça do uniforme, um folheto de instrução de conservação e
lavagem leve e pesada (suor, poeira, graxa, óleo, etc.).

7. IDENTIFICAÇÃO

Todo material deverá vir identificado de forma legível e indelével com, no mínimo:
• Etiqueta confeccionada em poliéster ou similar, contendo o nome da confecção e o
tamanho da peça.
• Etiqueta de garantia de qualidade, contendo o nome e a marca do fabricante e também
o nome e composição do tecido.
• Número do Certificado de Aprovação, número do lote e mês e ano de fabricação.
• As etiquetas deverão ser colocadas no lado interno da camisa.
Paginação:
5 / 12
SAN.T.IN.NT 41 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Camisa Aprovação:
Dir. Técnica

8. CARACTERISTICA

Deverá possuir as seguintes características:


• Não permitir a propagação da chama depois de cessada a fonte de calor;
• Não provocar a emissão de gases tóxicos;
• Atingir ATPV (valor de desempenho térmico do arco elétrico) mínimo de 8 cal/cm²
(ATPV = Arc Thermal Performance Value);
• Cobrir a Classe de Risco 2, conforme Anexo I ou NFPA 70E;
• Ter características de conforto similares às do tecido de algodão não resistente à
chama;
• Resistência mínima à tração na trama e no urdume de 28 Kgf e 48 Kgf,
respectivamente, conforme ASTM 5034;
• Não causar dermatoses de contato na pele do usuário;
• Possuir alta solidez de cor à lavagem;
• Composição básica: 88% algodão resistente à chama e 12% fibra de alta
resistência (poliamida);
• Manter as características ignífugas durante toda a vida útil do traje.

9. NOTAS

Nota 1: O tecido utilizado na confecção do traje deve ser resistente ao arco elétrico e à
chama, de forma a atender as exigências estabelecidas na Norma Regulamentadora -
NR10.

Nota 2: O tecido anti chama deverá ser tratado por meio de um processo de polimerização
que, após a remoção da fonte de ignição, a chama deverá se auto-extinguir
imediatamente. Na confecção do tecido deverá ser introduzido na alma da fibra do algodão
um polímero anti chama, que atuará como um catalisador, produzindo a carbonização do
tecido quando exposto em chamas.

Nota 3: É de responsabilidade do fornecedor/fabricante retirar e trocar as partes de tecido


afetadas por defeito e/ou substituir as peças defeituosas.

Nota 4: O fornecedor/fabricante deve separar as partes cortadas de diferentes rolos de


tecido para não ocorrer mistura de tonalidade.

Nota 5: O fornecedor / fabricante deve apresentar laudos e ensaios em nome do


licitante/fabricante do tecido e/ou uniforme conforme anexo IV, na língua original e
transcrito para a língua portuguesa por tradutor de reconhecimento público.

Nota 6: Para efeito desta Especificação, entende-se como Uniforme o vestuário


profissional destinado aos colaboradores da empresa, com o objetivo de identificá-los e
propagar a imagem da empresa junto aos clientes e ao público em geral, assim como
protegê-los contra os riscos da eletricidade (arco elétrico/fogo repentino).
Paginação:
6 / 12
SAN.T.IN.NT 41 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Camisa Aprovação:
Dir. Técnica

Nota 7: O fornecedor/fabricante deve dar garantia de reposição contra quaisquer defeitos


de fabricação, durante a vida útil da peça, observadas as condições normais de uso do
traje pelos respectivos empregados, tais como rasgos, encolhimento ou alongamento,
desbotamento e manchas, rompimento de costuras ou queima dos aviamentos.

Nota 8: Declaração do fabricante informando sobre o procedimento de descarte do


material.

Nota 9: Certificado de garantia do tecido a resistência a chamas por toda a sua vida útil,
desde que atendidos os procedimentos apropriados de uso e conservação pelos usuários
do traje.

10. GARANTIA

O material deve ter garantia mínima de 12 (doze) meses.

11. AMOSTRAS

Uma amostra consiste em uma unidade ou um par, com características idênticas ao


material adquirido ou a ser adquirido. Ver anexo III.

A Gerência de Logística de Materiais e Inspeção - FX em conjunto com a Gerência de


Manutenção – TM solicitará uma amostra do material para conferência. Após verificação e
aprovação da amostra em comparação com a especificação do material, será dada
liberação para confecção final do Uniforme Anti Chamas – Camisa.

12. INSPEÇÃO

Todo material recebido dos fornecedores será examinado pela Gerência de Logística de
Materiais e Inspeção – FX e Coordenadoria de Manutenção Elétrica -TME, com objetivo de
verificar se estão compatíveis com os padrões de qualidade exigidos nesta especificação,
o que se faz através de: Inspeção, Comparação de Amostras e Laudos.

12.1. Inspeção Visual

De acordo com o tamanho do lote serão retiradas aleatoriamente, as amostras


conforme tabela a seguir:

LOTE AMOSTRAS N° REPROVAÇÃO


Até 32 Todo o lote 01
De 33 a 280 32 03
De 281 a 500 50 05
Acima de 500 80 07
Paginação:
7 / 12
SAN.T.IN.NT 41 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Camisa Aprovação:
Dir. Técnica

Caso o numero de reprovação supere o numero descrito na tabela acima o lote será
reprovado

12.2. Inspeção em Corte

Não se aplica.

12.3. Inspeção em Laboratório

A critério da Gerência de Logística de Materiais e Inspeção – FX e Gerência de


Manutenção - TM.

Se o material for aprovado nas inspeções visual das amostras aprovadas serão
retiradas às amostras necessárias aos testes em laboratório, conforme a tabela
abaixo:

LOTE AMOSTRAS N° REPROVAÇÃO


Até 32 03 00
De 33 a 280 06 01
De 281 a 500 08 01
De 5001 a 1000 13 02

Caso o numero de reprovação supere o numero descrito na tabela acima o lote será
reprovado

12.4. Entrega ao Usuário

Caso seja detectado qualquer tipo de defeito, o material será devolvido no prazo de
dez (10) dias úteis.

12.5. Reposição de Material

Todo material devolvido por reprovação nas inspeções, nos testes ou na entrega ao
usuário, deverá ser substituído imediatamente pelo fornecedor, sem ônus para a
SANASA.

12.6. Documentação/Responsabilidade

A Gerência de Logística de Materiais e Inspeção solicitará uma cópia autenticada do


Certificado de Aprovação, Certificado de Garantia de Qualidade do Fabricante do
Tecido ou Equipamento, laudos técnicos de laboratórios, especificações técnicas de
todo material utilizado na confecção, e outros, sem ônus para a SANASA.

No caso de revendedor, deverá, ainda, apresentar declaração do fabricante, na qual


o mesmo se responsabilizará totalmente pelo material ofertado e que, em qualquer
tempo, tomará as medidas necessárias à reposição do material encontrado em
desacordo com a especificação.
Paginação:
8 / 12
SAN.T.IN.NT 41 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Camisa Aprovação:
Dir. Técnica

13. LOGOTIPO

Deverá conter bordado na altura do peito lado direito com linha vermelha um
símbolo em forma de “Raio” e acima do Raio conter a sigla TME na cor: branca.

Deverá ser gravado em silk-screen a base de água, como segue:


• A - Cor: branca;
• B - Local: Lado superior esquerdo do tórax;
• C - Tamanho: modelo conforme Anexo III.

14. REFERÊNCIAS

Esta norma interage com os seguintes documentos:


• SAN.P.IN.PR 01 – Controle de Documentos.
• SAN.P.IN.PR 02 – Controle de Registros.

15. ANEXOS

ANEXO I - TABELA DE RISCOS EM ATPV – NFPA 70 E


Mínimo
Classe de Nível de Exposição
Descrição da Roupa de Proteção
Risco (cal/cm²)
Da Roupa (ATPV)
0 0 Algodão não tratado Não Aplicável
Calça e camisa ou macacão
1 0–5 confeccionado com uma camada 5
de tecido resistente a chamas (1).
Roupa interna de algodão mais
calça e camisa ou macacão
2 5–8 confeccionado com uma camada 8
de tecido resistente
a chamas (1).
Roupa interna de algodão mais
calça e camisa ou macacão ou
3 8 – 25 calça e capa confeccionado com 25
duas camadas de tecido resistente
a chamas (2).
Roupa interna de algodão mais
calça e camisa ou macacão ou
4 25 – 40 calça e capa confeccionado com 40
três camadas de tecido resistente a
chamas (3).
Paginação:
9 / 12
SAN.T.IN.NT 41 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Camisa Aprovação:
Dir. Técnica

FÓRMULA DE CÁLCULO DO ATPV

• ARCO EM ABERTO

− EA = 5271*d(-1,9593) *t*(0,0016*I2 -0,0076*I+0,8938)

• ARCO EM CAIXA

− EC = 1038,7*d (-1,4738) *t*(0,0093*I2 -0,3453*I+5,9675)

Onde:
E - Energia incidente em cal/cm2
d - Distância em polegadas, maior do que 18"
t - tempo do arco em segundos
I - corrente de curto circuito sólido trifásico em kA (entre 16 e 50 kA)

ANEXO II - FAIXA REFLETIVA RESISTENTE A CHAMAS (PERFORMANCE FÍSICA)

A. Material Refletivo

Faixa refletiva para uso em uniformes, cujo objetivo é melhorar a visibilidade noturna e
garantir mais segurança aos usuários.

B. Detalhes

1. Tecido Refletivo leve e flexível, com elevado brilho refletivo diurno e noturno, na cor
cítrica, constituído de micro-esferas de vidro com angularidade, expostas e
agregadas em uma resina que está aplicada a um tecido resistente 100% poliéster.
Sua superfície deve resistir a temperaturas de contato de até 260 º C.

2. Visibilidade Noturna: o tecido deve apresentar-se na cor branca prateada, quando


observado sob a luz dos faróis dos veículos e permanecer altamente refletivo
mesmo quando exposto a uma grande variedade de ângulos de incidência de luz.

3. O coeficiente de retro reflexão do segmento central deve ser medido segundo


procedimento descrito nas normas ASTM E809 e E810 ou CIE 54, nos ângulos de
entrada e observação especificados na norma NBR 15292, tabela 5. Os valores em
cd/lux² devem cumprir com as exigências mínimas especificadas na norma NBR
15292, tabela 5, e serem comprovados por laudo técnico (original ou cópia
autenticada), emitido em nome do interessado, por laboratório independente. Além
dos valores de coeficiente de retro reflexão, deverão constar obrigatoriamente do
laudo a marca e o código da faixa.

4. A faixa refletiva deve ser resistente à chama, comprovada por laudo técnico (original
ou cópia autenticada), emitido em nome do fabricante, por laboratório independente
internacional ou nacional comprovando que o produto atende a todos os requisitos
da Norma NPFA 1971.
Paginação:
10 / 12
SAN.T.IN.NT 41 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Camisa Aprovação:
Dir. Técnica

5. Deverão constar obrigatoriamente do laudo a marca e o código da faixa.

6. Obrigatória a comprovação através de laudos (original ou cópia autenticada),


emitido em nome do fabricante, por laboratório independente nacional ou
internacional que identifique a presença de aramida na composição do tecido de
fundo. Deverão constar obrigatoriamente do laudo a marca e o código da faixa.

ANEXO III - CAMISA ELETRICISTA SANASA

ANEXO IV - NORMAS, ENSAIOS E DOCUMENTOS

A. NORMAS TÉCNICAS

• ABNT - NBR 5426 - Planos de Amostragem e Procedimentos na Inspeção por


Atributos.
• ASTM D 5034 - Test Method for Breaking Strength and Elongation of Textile Fabrics
(Grab Test).
• ASTM D 5035 - Test Method for Breaking Strength and Elongation of Textile Fabrics
(Strip Method).
• ASTM F 1959 - Standard Test Method for Determining the Arc Thermal Performance
Value of Materials for Clothing.
• ISO3 2859-1 - Sampling Procedures for Inspection by Attributes - Part 1: Sampling
Schemes Indexed by Acceptance Quality Limit (AQL) for Lot-by-Lot Inspection.
• NFPA 70E - Standard for Electrical Safety Requirements for Employee Workplaces.
• NFPA 2112 – Standard on Flame-Resistent Garments for Protection of Industrial
Personnel Against Flash
Paginação:
11 / 12
SAN.T.IN.NT 41 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Camisa Aprovação:
Dir. Técnica

B. DOCUMENTOS TÉCNICOS

Apresentação obrigatória, juntamente com a amostra do traje, de cópia do Certificado


de Aprovação (CA) correspondente, emitido pelo Ministério do Trabalho e Emprego
(MTE), conforme exigido pela Norma Regulamentadora NR-6.

Apresentação obrigatória de Laudos Técnicos emitidos por Laboratório independente


reconhecido nacional e/ou internacionalmente, em nome da licitante ou do fabricante do
tecido, comprovando os Ensaios Técnicos, Têxteis e Faixas Refletivas.

Obs.: Os Laudos de Laboratório solicitados acima, deverão ser apresentados na língua


original e transcritos para a língua portuguesa por tradutor de reconhecimento público.

C. ENSAIOS TÉCNICOS - NFPA 70-E

• Atingir ATPV (Valor de Desempenho Térmico do Arco Elétrico) mínimo de 8,0


calorias/cm2. No item vestimentas da NFPA 70-E, é exigido que o tecido da roupa
atenda a Norma ASTM F 1506-02a (vestimentas para arco elétrico e perigos
térmicos).
• Teste de resistência a chama (flamabilidade vertical) - recebido e após 25 lavagens
- ASTM D 6413-99.
• Resistência ao rasgo - ASTM D 1424-96.
• Resistência à ruptura - ASTM D 5034-95.
• Resistência ao deslizamento do fio - ASTM D 434.
• Alteração dimensional em lavagem doméstica - AATCC nº 135-2004.
• Solidez da cor em lavagem acelerada - AATCC nº 61-2003.
• Solidez da cor em lavagem a seco - AATCC nº 132-2004.
• Determinação do ATPV - Ensaio conforme ASTM F 1959.
• Cobrir a classe de Risco 2, conforme NPFA 70E.
• HAF - Fator de atenuação de calor maior que 70%.

D. ENSAIOS TÉCNICOS - NFPA 2112

• Manter a característica ignífuga do tecido após ser submetido a 50 e 100 lavagens


tipo caseira, conforme ASTM D 6413.
• Ensaio com manequim instrumentado, conforme ASTM F 1930.
• Ensaio da permeabilidade do ar em tecidos têxteis - ASTM D 737-96.
• Resistência a ruptura por aparato tipo queda do pêndulo - Teste Elmendorf - ASTM
D 1424-96.
• Resistência mínima à tração na trama e no urdume de 28 Kgf e 48 Kgf,
respectivamente, conforme ASTM D 5034 e NBR 11912.

E. ENSAIOS TÊXTEIS

• Estabilidade dimensional, conforme NBR 10320: urdume - alteração +/-1,5%, no


máximo e trama - alteração de +/- 1,5%, no máximo.
• Resistência à abrasão, conforme ASTM D 3886: 200 ciclos, mínimo.
Paginação:
12 / 12
SAN.T.IN.NT 41 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Camisa Aprovação:
Dir. Técnica

• Solidez de cor à fricção, conforme ABNT NBR ISO 105 X12 : úmido - transferência 4
/ 5, seco - transferência 4 / 5, no mínimo.
• Solidez de cor à luz ( 40 horas ), conforme ABNT NBR ISSO 105 B02: escala
cinza 4 / 5, escala azul 5 / 6, no mínimo.
• Solidez de cor à lavagem doméstica e comercial conforme ABNT NBR ISO 105 C -
06 :método C1M - alteração 5, transferência 5.
• Solidez de cor à ferro quente, conforme NBR 10188: úmido - alteração 4 / 5,
transferência 4 / 5; seco - alteração 4 / 5, transferência 4 / 5, no mínimo; molhado -
alteração 4 / 5, transferência 4 / 5, no mínimo.
• Solidez de cor ao suor ácido e alcalino, conforme ABNT NBR ISO 105 E04: ácido -
alteração 4 / 5, transferência 4 / 5; alcalino - alteração 4 / 5, transferência 4 /5, no
mínimo.

F. INSTRUÇÕES SOBRE USO E CONSERVAÇÃO

O fornecedor / fabricante deve fornecer as instruções sobre uso, higienização e


conservação do traje, por meio de etiqueta ou folheto individual encartado na respectiva
embalagem.

ANEXO V - HISTÓRICO DE ALTERAÇÕES

DATA REV. PÁG. DESCRIÇÃO NOME/SETOR


30/01/2009 1 todas Revisada na integra. Renato - TME
24/08/2009 2 todas Revisada na integra. Renato - TME
Paginação:
1 / 13
SAN.T.IN.NT 42 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Jaqueta Aprovação:
Dir. Técnica
SUMÁRIO:
1. OBJETIVO
2. DESCRIÇÃO
3. MATERIAL
4. DETALHES
5. MEDIDAS
6. EMBALAGEM
7. IDENTIFICAÇÃO
8. CARACTERÍSTICAS
9. NOTAS
10. GARANTIA
11. AMOSTRAS
12. INSPEÇÃO
13. LOGOTIPO
14. REFERÊNCIAS
15. ANEXOS

1. OBJETIVO

Estabelecer através da Gerência de Logística de Materiais e Inspeção – FX e Gerência de


Manutenção - TM, condições mínimas para confecção e recebimento do material –
Uniforme Anti chamas – Jaqueta.

2. DESCRIÇÃO

Jaqueta para funcionários de ambos os sexos, confeccionada com duas camadas de


tecido anti chama, com faixas refletivas resistentes a chamas, em diversos tamanhos,
indicada para uso dos funcionários eletricistas quando em atividades que envolvam riscos
de arco elétrico.

3. MATERIAL

3.1. Tecido

• COR: Azul claro Ref.: FW-393


• COMPOSIÇÃO: 88% Algodão e 12% Fibras Sintéticas
• ARMAÇÃO: SARJA 3/1
• GRAMATURA: mínimo de 250 g/m2 e máximo de 280 g/m2 por camada
• CLASSE DE RISCO: 03
• A. T. P. V. (mínimo): 25 cal/cm2

3.2. Ganchos e Argolas

Em material sintético, reforçado e anti chama;

Cor: estar de acordo com a tonalidade do tecido.

3.3. Linhas para Costura

Deve conter propriedades ignífugas e estar de acordo com a tonalidade do tecido.


Paginação:
2 / 13
SAN.T.IN.NT 42 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Jaqueta Aprovação:
Dir. Técnica

3.4. Faixas refletivas

Confeccionada em tecido resistente a chamas, conforme Anexo II.

Cor: Ref.: 3M 9587 com 50 mm de largura.

3.5. Forro

Em tecido anti chama conforme especificação do item 3.1, com malha de material anti
chama, com peso de 100 g/m2 e acabamento em matelassê.

3.6. Zíper

De material não metálico, reforçado.

4. DETALHES

4.1. Confecção e Forro

Confeccionada em talhe reto, com bolsos e cós com elástico embutido na parte
traseira.

Forração interna por manta gramatura 100 g/m² ou malha dupla anti-chama,
costuradas em formato matelassê, forrada internamente com o mesmo tecido externo

Forrada em sua totalidade inclusive nas mangas.

4.2. Gola

Gola tipo esporte, entre telada e cortada em ângulo de 45º.

4.3. Bolso

Dois bolsos embutidos do lado externo, em ângulo de 25º, com fechamento através
de ganchos e argolas, forrado em material do mesmo tecido anti chama.

Um bolso embutido no lado interno esquerdo superior do tórax.

4.4. Mangas

Mangas compridas e punhos com elástico embutido.

4.5. Aviamentos

Devem conter propriedades ignífugas e estar de acordo com a tonalidade do tecido.


Paginação:
3 / 13
SAN.T.IN.NT 42 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Jaqueta Aprovação:
Dir. Técnica

As cores das linhas e sistemas de argolas e ganchos deverão estar de acordo com a
tonalidade do tecido.

Abertura frontal com fechamento através zíper do tipo trator e protegido por uma
cancela.

4.6. Costuras

Ponto corrente duas (2) agulhas paralelas ou interlock bitola média ou larga para o
fechamento das ilhargas, ombros e colocação das mangas.

Ponto corrente pespontado para a fixação dos elásticos.

Ponto fixo uma (1) agulha para fixação da gola, bainhas e para pespontar.

Travetes a extremidades do interlock de fechamento das ilhargas e mangas.

Overlock nas partes desfiantes do tecido com linha n. 50, 100% algodão, tingido na
mesma cor do tecido.

Ponto fixo, duas (2) agulhas paralelas, bitola média, pespontado, para acabamento da
gola e do cós na parte frontal.

No lado direito do tórax deverá ser bordado o mínimo de proteção (ATPV)


correspondente, com linhas na cor branca.

Deverá conter bordado na altura do peito, lado direito, com linha vermelha um
símbolo em forma de “Raio” e acima do Raio conter a sigla TME na cor branca.

4.7. Faixas refletivas

A faixa refletiva deverá possuir combinação de material retro refletivo em conjunto


com material fluorescente.

A faixa retro refletiva de cor prata metálica deverá estar no centro da faixa
fluorescente de cor lima cítrica.

As faixas refletivas deverão ser costuradas na circunferência do corpo e mangas.

O material refletivo deverá reter a sua cor típica durante o dia e sua retro refletividade
durante a noite, durante a vida útil da roupa em que estiver aplicada.

O material refletivo deverá ser leve e flexível e possuir elevado brilho retro refletivo
noturno e com aparência diurna na cor prata metálica e resistente à chama.

A especificação técnica da faixa refletiva encontra-se no anexo II.


Paginação:
4 / 13
SAN.T.IN.NT 42 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Jaqueta Aprovação:
Dir. Técnica

5. MEDIDAS

5.1. Gola

• Pontas: 10 cm
• Centro: 8 cm

5.2. Bolso Interno

• Abertura: 13 cm
• Profundidade: 16 cm

5.3. Bolsos Externos

• Abertura: 16 cm
• Profundidade: 16 cm

5.4. Vistas dos bolsos externos

• Altura: 5 cm
• Largura: 18 cm

5.5. Cós frontal e elástico traseiro:

• Largura: 5 cm.

5.6. Punho (elástico)

• Largura: 3 cm.

5.7. Largura do sistema de ganchos e argolas

• Da abertura frontal: 25 (vinte e cinco) mm;


• Dos bolsos: 20 (vinte) mm.

5.8. Faixas refletivas

• Largura: 50 mm.
Paginação:
5 / 13
SAN.T.IN.NT 42 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Jaqueta Aprovação:
Dir. Técnica

5.9. Jaqueta (medidas em cm)

MANEQUIM
ITENS
XP PP P M G GG XG
Tórax 50 54 58 62 66 70 74
Costas (Pala) 45 47 49 51 53 55 57
Compr. Manga 61 61 62 63 64 65 65
Contorno Cava 50 50 54 58 62 66 66
Compr. Total 67 67 69 71 73 75 75

Obs.: Tolerância = + ou - 1 cm

5.10. Como Medir a Jaqueta Pronta

• Tórax:
− Da parte inferior de uma cava à outra.
• Costas (pala):
− Da parte do meio de uma cava a outra, nas costas.
• Comprimento Manga:
− Da junção com o ombro, até a extremidade, inclusive o punho de elástico.
• Contorno da Cava:
− Na junção da jaqueta com a manga, em ambos os lados.
• Comprimento Total:
− Da junção da gola no ombro, até a extremidade inferior, inclusive o cós.

6. EMBALAGEM

O material deverá ser acondicionado em embalagem: plástica, transparente, individual e


fechada.

Deverá acompanhar cada peça do uniforme, um folheto de instrução de conservação e


lavagem leve e pesada (suor, poeira, graxa, óleo, etc.).

7. IDENTIFICAÇÃO

Todo material deverá vir identificado de forma legível e indelével com, no mínimo:
• Etiqueta confeccionada em poliéster ou similar, contendo o nome da confecção e o
tamanho da peça.
• Etiqueta de garantia de qualidade, contendo o nome e a marca do fabricante e também
o nome e composição do tecido.
• Número do Certificado de Aprovação, número do lote e mês e ano de fabricação.
• As etiquetas deverão ser colocadas no lado interno da jaqueta.
Paginação:
6 / 13
SAN.T.IN.NT 42 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Jaqueta Aprovação:
Dir. Técnica

8. CARACTERISTICAS

Deverá possuir as seguintes características:


• Não permitir a propagação da chama depois de cessada a fonte de calor;
• Não provocar a emissão de gases tóxicos;
• Atingir ATPV (valor de desempenho térmico do arco elétrico) mínimo de 8 cal/cm²
(ATPV = Arc Thermal Performance Value);
• Cobrir a Classe de Risco 2, conforme Anexo I ou NFPA 70E;
• Ter características de conforto similares às do tecido de algodão não resistente à
chama;
• Resistência mínima à tração na trama e no urdume de 28 Kgf e 48 Kgf,
respectivamente, conforme ASTM 5034;
• Não causar dermatoses de contato na pele do usuário;
• Possuir alta solidez de cor à lavagem;
• Composição básica: 88% algodão resistente à chama e 12% fibra de alta resistência
(poliamida);
• Manter as características ignífugas durante toda a vida útil do traje.

9. NOTAS

Nota 1: O tecido utilizado na confecção do traje deve ser resistente ao arco elétrico e à
chama, de forma a atender as exigências estabelecidas na Norma Regulamentadora -
NR10.

Nota 2: O tecido anti chama deverá ser tratado por meio de um processo de polimerização
que, após a remoção da fonte de ignição, a chama deverá se auto-extinguir
imediatamente. Na confecção do tecido deverá ser introduzido na alma da fibra do algodão
um polímero anti chama, que atuará como um catalisador, produzindo a carbonização do
tecido quando exposto em chamas.

Nota 3: É de responsabilidade do fornecedor/fabricante retirar e trocar as partes de tecido


afetadas por defeito e/ou substituir as peças defeituosas.

Nota 4: O fornecedor/fabricante deve separar as partes cortadas de diferentes rolos de


tecido para não ocorrer mistura de tonalidade.

Nota 5: O fornecedor/fabricante deve apresentar laudos e ensaios em nome do


licitante/fabricante do tecido e/ou uniforme conforme anexo IV, na língua original e
transcrito para a língua portuguesa por tradutor de reconhecimento público.

Nota 6: Para efeito desta Especificação, entende-se como Uniforme o vestuário


profissional destinado aos colaboradores da empresa, com o objetivo de identificá-los e
propagar a imagem da empresa junto aos clientes e ao público em geral, assim como
protegê-los contra os riscos da eletricidade (arco elétrico/fogo repentino).

Nota 7: O fornecedor/fabricante deve dar garantia de reposição contra quaisquer defeitos


de fabricação, durante a vida útil da peça, observadas as condições normais de uso do
Paginação:
7 / 13
SAN.T.IN.NT 42 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Jaqueta Aprovação:
Dir. Técnica

traje pelos respectivos empregados, tais como rasgos, encolhimento ou alongamento,


desbotamento e manchas, rompimento de costuras ou queima dos aviamentos.

Nota 8: Declaração do fabricante informando sobre o procedimento de descarte do


material.

Nota 9: Certificado de garantia do tecido a resistência a chamas por toda a sua vida útil,
desde que atendidos os procedimentos apropriados de uso e conservação pelos usuários
do traje.

10. GARANTIA

O material deve ter garantia mínima de 12 (doze) meses.

11. AMOSTRAS

Uma amostra consiste em uma unidade ou um par, com características idênticas ao


material adquirido ou a ser adquirido. Ver anexo III.

A Gerência de Logística de Materiais e Inspeção - FX em conjunto com a Gerência de


Manutenção – TM solicitará uma amostra do material para conferência. Após verificação e
aprovação da amostra em comparação com a especificação do material, será dada
liberação para confecção final do Uniforme Anti Chamas – Jaqueta.

12. INSPEÇÃO

Todo material recebido dos fornecedores será examinado pela Gerência de Logística de
Materiais e Inspeção - FX e Coordenadoria de Manutenção Elétrica -TME, com objetivo de
verificar se estão compatíveis com os padrões de qualidade exigidos nesta especificação,
o que se faz através de: Inspeção, comparação de amostras e Laudos.

12.1. Inspeção Visual

De acordo com o tamanho do lote serão retiradas aleatoriamente, as amostras


conforme tabela a seguir:

LOTE AMOSTRAS N° REPROVAÇÃO


Até 32 Todo o lote 01
33 a 280 32 03
281 a 500 50 05
Acima de 500 80 07

Caso o número de reprovação supere o descrito na tabela acima o lote será


reprovado.
Paginação:
8 / 13
SAN.T.IN.NT 42 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Jaqueta Aprovação:
Dir. Técnica

12.2. Inspeção em Corte

Não se aplica.

12.3. Inspeção em Laboratório

A critério da Gerência de Logística de Materiais e Inspeção – FX e Gerência de


Manutenção – TM.

Se o material for aprovado nas inspeções visual das amostras aprovadas serão
retiradas as amostras necessárias aos testes em laboratório, conforme a tabela
abaixo:

LOTE AMOSTRAS N° ACEITAÇÃO


Até 32 03 00
De 33 a 280 06 01
De 281 a 500 08 01
De 5001 a 1000 13 02

Caso o número de reprovação supere o descrito na tabela acima o lote será


reprovado.

12.4. Entrega ao Usuário

Caso seja detectado qualquer tipo de defeito, o material será devolvido no prazo de
dez (10) dias úteis.

12.5. Reposição de Material

Todo material devolvido por reprovação nas inspeções, nos testes ou na entrega ao
usuário, deverá ser substituído imediatamente pelo fornecedor, sem ônus para a
SANASA.

12.6. Documentação/Responsabilidade

A Gerência de Logística de Materiais e Inspeção – FX solicitará uma cópia


autenticada do Certificado de Aprovação, Certificado de Garantia de Qualidade do
Fabricante do Tecido, laudos técnicos de laboratórios, especificações técnicas de
todo material utilizado na confecção, e outros, sem ônus para a SANASA.

No caso de revendedor, deverá, ainda, apresentar declaração do fabricante, na qual


o mesmo se responsabilizará totalmente pelo material ofertado e que, em qualquer
tempo, tomará as medidas necessárias à reposição do material encontrado em
desacordo com a especificação.
Paginação:
9 / 13
SAN.T.IN.NT 42 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Jaqueta Aprovação:
Dir. Técnica

13. LOGOTIPO

Deverá conter bordado na altura do peito lado direito com linha vermelha um símbolo
em forma de “Raio” e acima do Raio conter a sigla TME na cor: branca.

Deverá ser gravado em silk-screen a base de água, como segue:


• A - Cor: branca;
• B - Local: Lado superior esquerdo do tórax;
• C - Tamanho: modelo conforme Anexo III.

14. REFERÊNCIAS

Esta norma interage com os seguintes documentos:


• SAN.P.IN.PR 01 – Controle de Documentos.
• SAN.P.IN.PR 02 – Controle de Registros.

15. ANEXOS

ANEXO I - TABELA DE RISCOS EM ATPV – NFPA 70 E


Mínimo
Classe de Nível de Exposição
Descrição da Roupa de Proteção
Risco (cal/cm²)
Da Roupa (ATPV)
0 0 Algodão não tratado Não Aplicável
Calça e jaqueta ou macacão
1 0–5 confeccionado com uma camada 5
de tecido resistente a chamas (1).
Roupa interna de algodão mais
calça e jaqueta ou macacão
2 5–8 confeccionado com uma camada 8
de tecido resistente
a chamas (1).
Roupa interna de algodão mais
calça e jaqueta ou macacão ou
3 8 – 25 calça e capa confeccionado com 25
duas camadas de tecido resistente
a chamas (2).
Roupa interna de algodão mais
calça e jaqueta ou macacão ou
4 25 – 40 calça e capa confeccionado com 40
três camadas de tecido resistente a
chamas (3).
Paginação:
10 / 13
SAN.T.IN.NT 42 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Jaqueta Aprovação:
Dir. Técnica

FÓRMULA DE CÁLCULO DO ATPV

• ARCO EM ABERTO

− EA = 5271*d(-1,9593) *t*(0,0016*I2 -0,0076*I+0,8938)

• ARCO EM CAIXA

− EC = 1038,7*d (-1,4738) *t*(0,0093*I2 -0,3453*I+5,9675)

Onde:
E - Energia incidente em cal/cm2
d - Distância em polegadas, maior do que 18"
t - tempo do arco em segundos
I - corrente de curto circuito sólido trifásico em kA (entre 16 e 50 kA)

ANEXO II - FAIXA REFLETIVA RESISTENTE A CHAMAS (PERFORMANCE FÍSICA)


A. Material Refletivo

Faixa refletiva para uso em uniformes, cujo objetivo é melhorar a visibilidade noturna e
garantir mais segurança aos usuários.

B. Detalhes

1. Tecido Refletivo leve e flexível, com elevado brilho refletivo diurno e noturno, na cor
cítrica, constituído de micro-esferas de vidro com angularidade, expostas e
agregadas em uma resina que está aplicada a um tecido resistente 100% poliéster.
Sua superfície deve resistir a temperaturas de contato de até 260 º C.

2. Visibilidade Noturna: o tecido deve apresentar-se na cor branca prateada, quando


observado sob a luz dos faróis dos veículos e permanecer altamente refletivo
mesmo quando exposto a uma grande variedade de ângulos de incidência de luz.

3. O coeficiente de retro reflexão do segmento central deve ser medido segundo


procedimento descrito nas normas ASTM E809 e E810 ou CIE 54, nos ângulos de
entrada e observação especificados na norma NBR 15292, tabela 5. Os valores em
cd/lux² devem cumprir com as exigências mínimas especificadas na norma NBR
15292, tabela 5, e serem comprovados por laudo técnico (original ou cópia
autenticada), emitido em nome do interessado, por laboratório independente. Além
dos valores de coeficiente de retro reflexão, deverão constar obrigatoriamente do
laudo a marca e o código da faixa.

4. A faixa refletiva deve ser resistente à chama, comprovada por laudo técnico (original
ou cópia autenticada), emitido em nome do fabricante, por laboratório independente
internacional ou nacional comprovando que o produto atende a todos os requisitos
da Norma NPFA 1971.
Paginação:
11 / 13
SAN.T.IN.NT 42 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Jaqueta Aprovação:
Dir. Técnica

5. Deverão constar obrigatoriamente do laudo a marca e o código da faixa.

6. Obrigatória a comprovação através de laudos (original ou cópia autenticada),


emitido em nome do fabricante, por laboratório independente nacional ou
internacional que identifique a presença de aramida na composição do tecido de
fundo. Deverão constar obrigatoriamente do laudo a marca e o código da faixa.

ANEXO III - MODELO


Paginação:
12 / 13
SAN.T.IN.NT 42 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Jaqueta Aprovação:
Dir. Técnica

ANEXO IV - NORMAS, ENSAIOS E DOCUMENTOS

A. NORMAS TÉCNICAS

• ABNT - NBR 5426 - Planos de Amostragem e Procedimentos na Inspeção por


Atributos.
• ASTM D 5034 - Test Method for Breaking Strength and Elongation of Textile Fabrics
(Grab Test).
• ASTM D 5035 - Test Method for Breaking Strength and Elongation of Textile Fabrics
(Strip Method).
• ASTM F 1959 - Standard Test Method for Determining the Arc Thermal Performance
Value of Materials for Clothing.
• ISO3 2859-1 - Sampling Procedures for Inspection by Attributes - Part 1: Sampling
Schemes Indexed by Acceptance Quality Limit (AQL) for Lot-by-Lot Inspection.
• NFPA 70E - Standard for Electrical Safety Requirements for Employee Workplaces.

B. DOCUMENTOS TÉCNICOS

Apresentação obrigatória, juntamente com a amostra do traje, de cópia do Certificado


de Aprovação (CA) correspondente, emitido pelo Ministério do Trabalho e Emprego
(MTE), conforme exigido pela Norma Regulamentadora NR-6.

Apresentação obrigatória de Laudos Técnicos emitidos por Laboratório independente


reconhecido nacional e/ou internacionalmente, em nome da licitante ou do fabricante do
tecido, comprovando os Ensaios Técnicos, Têxteis e Faixas Refletivas.

Obs.: Os Laudos de Laboratório solicitados acima, deverão ser apresentados na língua


original e transcritos para a língua portuguesa por tradutor de reconhecimento público.

C. ENSAIOS TÉCNICOS - NFPA 70-E

• Atingir ATPV (Valor de Desempenho Térmico do Arco Elétrico) mínimo de 8,0


calorias/cm2. No item vestimentas da NFPA 70-E, é exigido que o tecido da roupa
atenda a Norma ASTM F 1506-02a (vestimentas para arco elétrico e perigos
térmicos).
• Teste de resistência a chama (flamabilidade vertical) - recebido e após 25 lavagens
- ASTM D 6413-99.
• Resistência ao rasgo - ASTM D 1424-96.
• Resistência à ruptura - ASTM D 5034-95.
• Resistência ao deslizamento do fio - ASTM D 434.
• Alteração dimensional em lavagem doméstica - AATCC nº 135-2004.
• Solidez da cor em lavagem acelerada - AATCC nº 61-2003.
• Solidez da cor em lavagem a seco - AATCC nº 132-2004.
• Determinação do ATPV - Ensaio conforme ASTM F 1959.
• Cobrir a classe de Risco 2, conforme NPFA 70E.
• HAF - Fator de atenuação de calor maior que 70%.
Paginação:
13 / 13
SAN.T.IN.NT 42 Data da
Emissão:
04.06.2008
Número da
revisão:
02
Especificações Técnicas Mínimas Data da
Aprovação:
24.08.2009
para Fornecimento de
Uniforme Anti Chamas – Jaqueta Aprovação:
Dir. Técnica

D. ENSAIOS TÉCNICOS - NFPA 2112

• Manter a característica ignífuga do tecido após ser submetido a 50 e 100 lavagens


tipo caseira, conforme ASTM D 6413.
• Ensaio com manequim instrumentado, conforme ASTM F 1930.
• Ensaio da permeabilidade do ar em tecidos têxteis - ASTM D 737-96.
• Resistência a ruptura por aparato tipo queda do pêndulo - Teste Elmendorf - ASTM
D 1424-96.
• Resistência mínima à tração na trama e no urdume de 28 Kgf e 48 Kgf,
respectivamente, conforme ASTM D 5034 e NBR 11912.

E. ENSAIOS TÊXTEIS

• Estabilidade dimensional, conforme NBR 10320: urdume - alteração +/-1,5%, no


máximo e trama - alteração de +/- 1,5%, no máximo.
• Resistência à abrasão, conforme ASTM D 3886: 200 ciclos, mínimo.
• Solidez de cor à fricção, conforme ABNT NBR ISO 105 X12 : úmido - transferência 4
/ 5, seco - transferência 4 / 5, no mínimo.
• Solidez de cor à luz (40 horas), conforme ABNT NBR ISO 105 B02: escala cinza 4 /
5, escala azul 5 / 6, no mínimo.
• Solidez de cor à lavagem doméstica e comercial conforme ABNT NBR ISO 105 C -
06 :método C1M - alteração 5, transferência 5.
• Solidez de cor a ferro quente, conforme NBR 10188: úmido - alteração 4 / 5,
transferência 4 / 5; seco - alteração 4 / 5, transferência 4 / 5, no mínimo; molhado -
alteração 4 / 5, transferência 4 / 5, no mínimo.
• Solidez de cor ao suor ácido e alcalino, conforme ABNT NBR ISO 105 E04: ácido -
alteração 4 / 5, transferência 4 / 5; alcalino - alteração 4 / 5, transferência 4 /5, no
mínimo.

F. INSTRUÇÕES SOBRE USO E CONSERVAÇÃO

O fornecedor / fabricante deve fornecer as instruções sobre uso, higienização e


conservação do traje, por meio de etiqueta ou folheto individual encartado na respectiva
embalagem.

ANEXO V - HISTÓRICO DE ALTERAÇÕES

DATA REV. PÁG. DESCRIÇÃO NOME/SETOR


30/01/2009 1 todas Revisada na integra. Renato - TME
24/08/2009 2 todas Revisada na integra. Renato - TME
ISO 9001
Paginação:
1 / 14
SAN.F.IN.NF 58 Data da Emissão:

Revisão:
03.05.2010
00
Data da Aprovação:
Especificações Técnicas Mínimas para Fornecimento de Aprovação:
03.05.2010

Uniformes Operacionais SANASA


- Camisa, Calça, Colete e Blusa - Dir. Adm.-Financeira e
de Rel. c/ Investidores

SUMÁRIO:
1. OBJETIVO
2. DESCRIÇÃO
3. IDENTIFICAÇÃO
4. FAIXAS REFLETIVAS
5. LOGOTIPO SANASA
6. EMBALAGEM
7. CONSIDERAÇÕES FINAIS
8. REFERÊNCIAS
9. ANEXOS

1. OBJETIVO

Estabelecer, através da Gerência de Logística de Materiais e Inspeção - FX, condições


mínimas para confecção e recebimento dos uniformes operacionais da SANASA: camisa
manga curta, camisa manga longa, calça, colete e blusa.

2. DESCRIÇÃO

2.1. Camisa Manga Curta

Camisa tipo polo com gola do mesmo tecido, abertura frontal parcial com vista de 3
botões caseados, mangas curtas com bainhas fixas e costas em tecido único.

2.1.1. Material

Tecido na composição de 67% algodão e 33% poliéster, fios por cm 40,50,


batidas por cm 17,80, sarja 2/1, com peso de 185g/m2, na cor azul royal,
pantone 193952 TC, com fator de proteção solar e marca d’água do fabricante
no avesso do tecido.
ISO 9001
Paginação:
2 / 14
SAN.F.IN.NF 58 Data da Emissão:

Revisão:
03.05.2010
00
Data da Aprovação:
Especificações Técnicas Mínimas para Fornecimento de Aprovação:
03.05.2010

Uniformes Operacionais SANASA


- Camisa, Calça, Colete e Blusa - Dir. Adm.-Financeira e
de Rel. c/ Investidores

2.1.2. Costuras

Em máquina de interlock bitola mínima 7mm para fechamento das ilhargas,


ombros e mangas (fixação e fechamento).

Em máquina reta 1 agulha ponto fixo para fixação e pesponto da gola, vista,
bainhas, barra e aplicação da faixa refletiva.

Caseado reto de 18mm de comprimento.

Aplicação de overlock nas partes desfiantes do tecido.

Pontos por cm de 3,5 a 4,0 em todas as costuras.

2.1.3. Aviamentos

Linha 120 poliéster / algodão ou 100% poliéster, na cor do tecido para as


operações de fechamentos, fixações e pespontos, caseados e pregar botões.

Linha 120 e filamento para o overlock na cor do tecido.

Botão de massa de 4 furos 13 ou 14mm, da cor do tecido.

2.1.4. Faixa Refletiva

Faixa refletiva (item 4 dessa Norma) aplicada à 3cm abaixo da cava, frente e
costas, e nas mangas como barrado, atendendo a NORMA NBR 15292,
categoria de risco classe 3.

2.1.5. Logotipo SANASA

Logotipo da SANASA (item 5 dessa Norma) estampado na cor branco,


localizado no lado superior esquerdo de quem veste, com 8cm de
comprimento, e nas costas, com 20cm de comprimento.

2.1.6. Medidas

As medidas deverão estar de acordo com a tabela a seguir:

NUMERAÇÃO
1 2 3 4 5 6 7
Pontos de Medida Tolerância
Tórax +/- 1,0cm 50 54 58 62 66 70 74
Espalda Costas) +/- 1,0cm 43 45 47 49 51 53 55
Contorno da Cava +/- 1,0cm 51 53 55 57 59 61 63
Manga +/- 0,5cm 23,5 24,5 25,5 26,5 27,5 27,5 27,5
Comprimento +/- 1,0cm 71 73 75 77 79 79 79
ISO 9001
Paginação:
3 / 14
SAN.F.IN.NF 58 Data da Emissão:

Revisão:
03.05.2010
00
Data da Aprovação:
Especificações Técnicas Mínimas para Fornecimento de Aprovação:
03.05.2010

Uniformes Operacionais SANASA


- Camisa, Calça, Colete e Blusa - Dir. Adm.-Financeira e
de Rel. c/ Investidores

2.2. Camisa Manga Longa

Camisa tipo polo com gola do mesmo tecido, abertura frontal parcial com vista de 3
botões caseados, mangas longas com punho e carcela com fechamento através de
botão e caseado, e costas em tecido único.

2.2.1. Material

Tecido na composição de 67% algodão e 33% poliéster, fios por cm 40,50,


batidas por cm 17,80, sarja 2/1, com peso de 185g/m2, na cor azul royal,
pantone 193952 TC, com fator de proteção solar e marca d’água do fabricante
no avesso do tecido.

2.2.2. Costuras

Em máquina de interlock bitola mínima 7mm para fechamento das ilhargas,


ombros e mangas (fixação e fechamento).

Em máquina reta 1 agulha ponto fixo para fixação e pesponto da gola, vista,
bainhas, barra e aplicação da faixa refletiva.

Caseado reto de 18mm de comprimento.

Aplicação de overlock nas partes desfiantes do tecido.

Pontos por cm de 3,5 a 4,0 em todas as costuras.


ISO 9001
Paginação:
4 / 14
SAN.F.IN.NF 58 Data da Emissão:

Revisão:
03.05.2010
00
Data da Aprovação:
Especificações Técnicas Mínimas para Fornecimento de Aprovação:
03.05.2010

Uniformes Operacionais SANASA


- Camisa, Calça, Colete e Blusa - Dir. Adm.-Financeira e
de Rel. c/ Investidores

2.2.3. Aviamentos

Linha 120 poliéster / algodão ou 100% poliéster, na cor do tecido para as


operações de fechamentos, fixações e pespontos, caseados e pregar botões.

Linha 120 e filamento para o overlock na cor do tecido.

Botão de massa de 4 furos 13 ou 14mm, da cor do tecido.

2.2.4. Faixa Refletiva

Faixa refletiva (item 4 dessa Norma) aplicada à 3cm abaixo da cava, frente e
costas, e nas mangas na altura da faixa do tronco, atendendo a NORMA NBR
15292, categoria de risco classe 3.

2.2.5. Logotipo SANASA

Logotipo da SANASA (item 5 dessa Norma) estampado na cor branco,


localizado no lado superior esquerdo de quem veste, com 8cm de
comprimento, e nas costas, com 20cm de comprimento.

2.2.6. Medidas

As medidas deverão estar de acordo com a tabela a seguir:

NUMERAÇÃO
1 2 3 4 5 6 7
Pontos de Medida Tolerância
Tórax +/- 1,0cm 50 54 58 62 66 70 74
Espalda (Costas) +/- 1,0cm 43 45 47 49 51 53 55
Contorno da Cava +/- 1,0cm 51 53 55 57 59 61 63
Manga c/ Punho +/- 1,0cm 59,5 60,5 61,5 62,5 63,5 63,5 63,5
Comprimento +/- 1,0cm 71 73 75 77 79 79 79
ISO 9001
Paginação:
5 / 14
SAN.F.IN.NF 58 Data da Emissão:

Revisão:
03.05.2010
00
Data da Aprovação:
Especificações Técnicas Mínimas para Fornecimento de Aprovação:
03.05.2010

Uniformes Operacionais SANASA


- Camisa, Calça, Colete e Blusa - Dir. Adm.-Financeira e
de Rel. c/ Investidores

2.3. Calça

Calça meio elástico, cós postiço de 4,5cm com fechamento através de botão
caseado, com 7 passantes, vista embutida com fechamento através de botões;
traseiro com palas e dois bolsos chapados 5 cantos; dois bolsos cargos chapados
na lateral, sendo 35cm do cós de cada perna, abas com fechamento através de
velcron; com reforço no joelho.

2.3.1. Material

Tecido na composição de 67% algodão e 33% poliéster, fios por cm 40,50,


batidas por cm 17,80, sarja 3/1, com peso de 240g/m2, na cor azul royal,
pantone 193952 TC, com fator de proteção solar e marca d’água do fabricante
no avesso do tecido.

2.3.2. Costuras

Fixação do cós em maqui de pregar cós.

Fechamento das ilhargas, gancho traseiro e fixação das placas em fechadeira


3 agulhas paralelas.

Fechamento do entre pernas em interlock bitola mínima 10mm.


ISO 9001
Paginação:
6 / 14
SAN.F.IN.NF 58 Data da Emissão:

Revisão:
03.05.2010
00
Data da Aprovação:
Especificações Técnicas Mínimas para Fornecimento de Aprovação:
03.05.2010

Uniformes Operacionais SANASA


- Camisa, Calça, Colete e Blusa - Dir. Adm.-Financeira e
de Rel. c/ Investidores

Máquina reta 2 agulhas paralelas para o pesponto da vista, gancho dianteiro e


fixação dos bolsos.

Máquina reta 1 agulha para as bainhas dos bolsos, pespontos não paralelos
nas laterais dos bolsos, barra das pernas e aplicação da faixa refletiva.

Travetes nas extremidades dos bolsos, final da vista, fixação dos passantes e
na junção dos ganchos por sobre a costura de segurança do interlock.

Caseado tipo olho.

Aplicação de overlock nas partes desfiantes do tecido.

Pontos por cm de 3,0 a 3,5 em todas as costuras.

2.3.3. Aviamentos

Linha 80 poliéster / algodão ou 100% poliéster, na cor do tecido para as


operações de fechamentos, fixações e caseado.

Linha 120 e filamento para o overlock na cor do tecido.

Botão de massa de 4 furos 13 ou 14mm, da cor do tecido.

Velcro na cor do tecido.

2.3.4. Faixa Refletiva

Faixa refletiva (item 4 dessa Norma) aplicada nas pernas, sendo a primeira
logo abaixo dos bolsos das pernas e a segunda na altura do início da
panturrilha, frente e costas, atendendo a NORMA NBR 15292, categoria de
risco classe 3.

2.3.5. Logotipo SANASA

Logotipo da SANASA (item 5 dessa Norma) estampado na cor branco,


localizado nas abas dos bolsos laterais de cada perna, com 8cm de
comprimento.
ISO 9001
Paginação:
7 / 14
SAN.F.IN.NF 58 Data da Emissão:

Revisão:
03.05.2010
00
Data da Aprovação:
Especificações Técnicas Mínimas para Fornecimento de Aprovação:
03.05.2010

Uniformes Operacionais SANASA


- Camisa, Calça, Colete e Blusa - Dir. Adm.-Financeira e
de Rel. c/ Investidores

2.3.6. Medidas

As medidas deverão estar de acordo com a tabela a seguir:

NUMERAÇÃO
Pontos de 36 38 40 42 44 46 48 50 52 54 56 58
Tolerância
Medida
Cintura
(elástico +/- 1,0cm 40 42 44 46 48 50 52 54 56 58 60 62
esticado)
Quadril +/- 1,0cm 46 48 50 52 54 56 58 60 62 64 66 68
Coxa +/- 1,0cm 29,5 31 32 33,5 35 36,5 37,5 39 40 41 41,5 42
Gancho
+/- 1,0cm 23,5 24 24,5 25 25,5 26,5 27 27,5 28,5 28,5 29 29
Dianteiro
Gancho
+/- 1,0cm 35 36 37 38,5 39,5 40,5 41,5 42,5 43,5 44 44,5 45
Traseiro
Entre Pernas -
+/- 1,0cm 79,5 81,5 81,5 81,5 81,5 81,5 81,5 81,5 81,5 81,5 81,5 81,5
comprimento
Ilhargas -
+/- 1,0cm 102 104,5 105 105,5 106 106,5 107 107,5 108 108 108 108
comprimento

2.4. Colete

Colete gola V, frente aberta com fechamento através de zíper.

2.4.1. Material

Tecido tela 100% poliamida, com peso de 80g/m2, na cor azul royal, pantone
193952 TC.
ISO 9001
Paginação:
8 / 14
SAN.F.IN.NF 58 Data da Emissão:

Revisão:
03.05.2010
00
Data da Aprovação:
Especificações Técnicas Mínimas para Fornecimento de Aprovação:
03.05.2010

Uniformes Operacionais SANASA


- Camisa, Calça, Colete e Blusa - Dir. Adm.-Financeira e
de Rel. c/ Investidores

2.4.2. Costuras

Em máquina de interlock bitola mínima 10mm para fechamento das ilhargas e


ombros.

Em máquina reta 1 agulha ponto fixo para fixação e pesponto do viés,


aplicação do zíper e faixas refletivas.

Pontos por cm de 3,5 a 4,0 em todas as costuras.

2.4.3. Aviamentos

Linha 80 poliéster / algodão ou 100% poliéster, na cor do tecido para as


operações de fechamentos, fixações e pespontos.

Linha 120 e filamento para o overlock.

Viés azul royal aplicado na barra, cava, decote e vista.

Zíper vislon na cor do tecido.

2.4.4. Faixa Refletiva

Faixa refletiva (item 4 dessa Norma) aplicada à 3cm da barra, frente e costas,
e na vertical, do lado direito e esquerdo, frente e costas.

2.4.5. Logotipo SANASA

Logotipo da SANASA (item 5 dessa Norma) estampado na cor branco,


localizado no lado superior esquerdo de quem veste, com 8cm de
comprimento.

2.4.6. Medidas

As medidas deverão estar de acordo com a tabela a seguir:

NUMERAÇÃO
M G GG
Pontos de Medida Tolerância
Tórax +/- 1,0cm 57,5 61,5 65,5
Espalda (Costas) +/- 1,0cm 47 50 53
Contorno da Cava +/- 1,0cm 67 70 72
Comprimento +/- 1,0cm 62 64 65
ISO 9001
Paginação:
9 / 14
SAN.F.IN.NF 58 Data da Emissão:

Revisão:
03.05.2010
00
Data da Aprovação:
Especificações Técnicas Mínimas para Fornecimento de Aprovação:
03.05.2010

Uniformes Operacionais SANASA


- Camisa, Calça, Colete e Blusa - Dir. Adm.-Financeira e
de Rel. c/ Investidores

2.5. Blusa

Blusa modelo STP, manga longa, gola náutica, em nylon pára-quedas impermeável,
com forração em matelasse, com dois bolsos na cintura embutidos tipo faca, com
lapela. Forro de nylon médio com bolso embutido. Gola tipo esporte, com zíper até o
final da gola. Punho de elástico e espelho com o próprio tecido da blusa. Barra com
cordão e terminais para regulagem.

2.5.1. Material

Tecido na composição nylon pára-quedas, fio 240/34 lisa para trama e ordume
Rhodia, com peso de 190g/metro linear, na cor azul royal, pantone 193952 TC.

Forro em matelasse, trama 30 batidas fio por cm2 e ordume 42 batidas por
cm2, com peso de 125g/metro linear.

Manta de enchimento 100% poliéster, com peso de 100g/metro linear.

Tingimento à base de anílinas ácidas. Processo de purgação (purificação do


tecido / eliminação da goma) no primeiro estágio. Fixação em altas
temperaturas a vapor. Tingimento por imersão e acabamento final com
secagem em rama.

2.5.2. Costuras

Costura em ponto fixo; máquina reta industrial; agulha em todas as operações


de costura.

A manta de poliéster deve ser fixada individualmente nas partes da blusa com
costura reta.
ISO 9001
Paginação:
10 / 14
SAN.F.IN.NF 58 Data da Emissão:

Revisão:
03.05.2010
00
Data da Aprovação:
Especificações Técnicas Mínimas para Fornecimento de Aprovação:
03.05.2010

Uniformes Operacionais SANASA


- Camisa, Calça, Colete e Blusa - Dir. Adm.-Financeira e
de Rel. c/ Investidores

Forro fechado com costura interloque que proporciona melhor acabamento e


fortalecimento na costura; acabamento final com pespontos duplos.

O elástico deve ser costurado em elastiqueira industrial de 8 cabeças para


melhor alinhamento das costuras nos elásticos dos punhos.

2.5.3. Aviamentos

Linha 100% poliéster nº 120. Manta (enchimento) 100% poliéster gramatura


100g/ metro linear.

Zíper Vislon destacável da cor da blusa / forro tipo médio.

Elástico de 4 ou 5cm de largura. Misto algodão e poliéster 65% e 35%


elastodieno.

2.5.4. Faixa Refletiva

Faixa refletiva (item 4 dessa Norma) aplicada à 3cm abaixo da cava, frente e
costas, e nas mangas na altura da faixa do tronco, atendendo a NORMA NBR
15292, categoria de risco classe 3.

2.5.5. Logotipo SANASA

Logotipo da SANASA (item 5 dessa Norma) bordado computadorizado e


matizado, na cor branco, localizado no lado superior esquerdo de quem veste,
com 8cm de comprimento.

2.5.6. Medidas

As medidas deverão estar de acordo com a tabela a seguir:

NUMERAÇÃO
Pontos de PP P M G GG XG XGG
Tolerância
Medida
Tórax +/- 1,0cm 50 54 58 62 66 70 74
Espalda
+/- 1,0cm 43 45 47 49 51 53 55
(Costas)
Contorno da
+/- 1,0cm 51 53 55 57 59 61 63
Cava
Manga c/ Punho +/- 1,0cm 59,5 60,5 61,5 62,5 63,5 63,5 63,5
Comprimento +/- 1,0cm 71 73 75 77 79 79 79
ISO 9001
Paginação:
11 / 14
SAN.F.IN.NF 58 Data da Emissão:

Revisão:
03.05.2010
00
Data da Aprovação:
Especificações Técnicas Mínimas para Fornecimento de Aprovação:
03.05.2010

Uniformes Operacionais SANASA


- Camisa, Calça, Colete e Blusa - Dir. Adm.-Financeira e
de Rel. c/ Investidores

3. IDENTIFICAÇÃO

Todas as peças deverão ser identificadas de forma legível e indelével, com etiquetas
confeccionadas em poliéster ou similar, contendo, no mínimo, as seguintes informações:

• Nome da confecção;
• Tamanho da peça;
• Garantia total de fabricante do tecido, contendo nome e marca do fabricante;
• Nome e composição do tecido;
• Instruções de lavagem.

4. FAIXAS REFLETIVAS

As faixas refletivas deverão obedecer aos critérios definidos para cada peça a ser
adquirida pela SANASA.

O material deve ser resistente à lavagem industrial, devendo ter a logomarca do


fabricante e o nome comercial do produto impresso no costado do tecido, de fundo.

O material retrorefletivo deve apresentar coeficiente de retrorefletividade inicial mínimo


de 500 cd/lux m2 quando medido a um ângulo de entrada de -4° (menos quatro graus) e
ângulo de observação de 0,2° (zero vírgula dois graus).

O coeficiente de retroreflexão poderá ser comprovado por boletim técnico.

A composição do tecido de fundo é de 100% poliéster.

Deve ser fornecido boletim técnico contendo as informações relacionadas na tabela


abaixo.

Conforme norma ISO 6330 método 2A.


Resistência à O coeficiente de retroreflexão após 100 ciclos de lavagem à
lavagem 60º C deverá ser superior a 100 (cd/lux/m2), medido a um
ângulo de observação de 0,2º e ângulo de entrada de 5,0º.
Conforme norma ISO 3175 método 9.1.
Resistência à O coeficiente de retroreflexão após 50 ciclos de lavagem
lavagem a seco deverá ser superior a 100 (cd/lux/m2), medido a um ângulo de
observação de 0,2º e ângulo de entrada de 5,0º.
Conforme norma EN 530 método 2.
O coeficiente de retroreflexão após 5.000 ciclos de lavagem
Abrasão
deverá ser superior a 100 (cd/lux/m2), medido a um ângulo de
observação de 0,2º e ângulo de entrada de 5,0º.
Conforme norma ISO 7854 método A.
O coeficiente de retroreflexão após 7.500 ciclos de lavagem
Flexão
deverá ser superior a 100 (cd/lux/m2), medido a um ângulo de
observação de 0,2º e ângulo de entrada de 5,0º.
ISO 9001
Paginação:
12 / 14
SAN.F.IN.NF 58 Data da Emissão:

Revisão:
03.05.2010
00
Data da Aprovação:
Especificações Técnicas Mínimas para Fornecimento de Aprovação:
03.05.2010

Uniformes Operacionais SANASA


- Camisa, Calça, Colete e Blusa - Dir. Adm.-Financeira e
de Rel. c/ Investidores

4.1. Camisa Manga Curta e Manga Longa, Calça e Blusa

Faixas refletivas código de referência 3M do Brasil - 9910, composta por uma faixa
refletiva com 5cm de largura, na cor prateada, entre duas faixas fluorescentes com
2,5cm de largura, na cor amarelo limão, conforme desenho abaixo:

Faixa fluorescente amarelo limão com 2,5cm de largura.

Faixa refletiva prateada com 5cm de largura.

Faixa fluorescente amarelo limão com 2,5cm de largura.

A composição do tecido fluorescente deve ser de 83% poliéster e 17% algodão, com
peso 160g/m2, na cor amarelo limão.

O material refletivo deve ser 100% poliéster, na cor prateada, constituído por
microesferas expostas, de alta angularidade, fixadas em um tecido de fundo
durável.

4.2. Colete

Faixa refletiva código de referência 3M do Brasil - 6187 - High - Gloss, com 5cm de
largura, na cor amarelo fluorescente, conforme desenho abaixo:

Faixa refletiva amarelo fluorescente com 5cm de largura.

O material consiste em uma faixa de microprismas altamente retrorefletivos,


formados em filme polimérico flexível de alto brilho e estável a UV. Acompanha
também um filme de vinil flexível vedado internamente protegendo as microprismas
contra penetração de poeira e umidade.

O material deverá ser de cor fluorescente amarelo.

O material retrorefletivo deve apresentar coeficiente de retrorefletividade inicial


mínimo de 700 cd/lux m2 quando medido a um ângulo de entrada de -4° (menos
quatro graus) e ângulo de observação de 0,2° (zero vírgula dois graus).
ISO 9001
Paginação:
13 / 14
SAN.F.IN.NF 58 Data da Emissão:

Revisão:
03.05.2010
00
Data da Aprovação:
Especificações Técnicas Mínimas para Fornecimento de Aprovação:
03.05.2010

Uniformes Operacionais SANASA


- Camisa, Calça, Colete e Blusa - Dir. Adm.-Financeira e
de Rel. c/ Investidores

5. LOGOTIPO SANASA

O logotipo da SANASA deverá ser estampado ou bordado, de acordo com cada peça,
na cor branco, conforme modelo fornecido pela SANASA, devendo ser respeitada a sua
proporcionalidade quando for necessário alterar o seu tamanho para maior ou menor.

6. EMBALAGEM

Cada peça deve ser acondicionada em embalagem transparente, com numeração visível
e fechada.

As embalagens individuais podem ser acondicionadas em caixa de papelão


devidamente identificada com numeração das peças e as respectivas quantidades.

7. CONSIDERAÇÕES FINAIS

O fornecedor deve dar garantia mínima de 12 meses contra qualquer defeito de


fabricação durante a vida útil da peça, observadas as condições normais de uso, tais
como: rasgos, encolhimento ou alongamento, desbotamento, manchas, rompimento de
costuras, zíperes e botões, entre outros.

Todo material recebido será examinado pela Gerência de Logística de Materiais e


Inspeção - FX, com o objetivo de verificar os padrões de qualidade exigidos nesta
Norma.

A Gerência de Logística de Materiais e Inspeção - FX poderá solicitar certificados de


aprovação e de garantia de qualidade do fabricante do tecido, laudos técnicos de
laboratórios, especificações técnicas de todo material utilizado na confecção das peças,
e outros, sem ônus para a SANASA.

Todo material reprovado nas inspeções ou testes deverá ser substituído imediatamente
pelo fornecedor, sem ônus para a SANASA.
ISO 9001
Paginação:
14 / 14
SAN.F.IN.NF 58 Data da Emissão:

Revisão:
03.05.2010
00
Data da Aprovação:
Especificações Técnicas Mínimas para Fornecimento de Aprovação:
03.05.2010

Uniformes Operacionais SANASA


- Camisa, Calça, Colete e Blusa - Dir. Adm.-Financeira e
de Rel. c/ Investidores

8. REFERÊNCIAS

Esta Norma interage com os seguintes documentos:

• SAN.P.IN.PR 01 – Controle dos Documentos Internos;


• SAN.P.IN.PR 02 – Controle de Registros.

9. ANEXOS

ANEXO I - HISTÓRICO DE ALTERAÇÕES

DATA REV. PÁG. DESCRIÇÃO NOME/SETOR