Você está na página 1de 5

TESTE DE AVALIAÇÃO 1

Nome:___________________________________________________ N.º______ Turma_____


Data: ____/____/____ Avaliação: ____________________ Professor: ____________________

GRUPO I
Os nanotubos de carbono são estruturas alongadas e monoelementares de dimensões
nanométricas com elevado potencial científico-tecnológico. A sua descoberta foi um dos importantes
marcos no desenvolvimento da nanotecnologia.
Estruturalmente, a rede cristalina dos nanotubos é exclusivamente composta por ligações carbono-
carbono. São constituídos por uma ou mais folhas de grafeno enroladas.

Os nanotubos de carbono são bastante resistentes a ataques químicos e apresentam uma


estabilidade estrutural notável. No que se refere às suas propriedades elétricas, elas podem variar,
pois, consoante a forma como a folha de grafeno é enrolada, estes podem ter um caráter metálico ou
semicondutor. As suas propriedades mecânicas são também causa de grande interesse, por exemplo,
os nanotubos de folha simples são bastante flexíveis.
Podem ser usados para fabricar transístores e memórias de computador, ou mesmo como
catalisadores em processos de tratamento de águas e no desenvolvimento de membranas para
dessalinização e purificação de águas.
Baseado em “Levantamento da Produção Científica Mundial e Ibérica no Campo dos
Nanotubos de Carbono” do Boletim da Sociedade Portuguesa de Química n.º 116
“Nanotubos e Grafeno: Os primos mais jovens na família do carbono!”
do Boletim da Sociedade Portuguesa de Química n.º 128

Os nanotubos constituídos por uma camada simples podem ser fechados nos seus extremos. As
observações experimentais indicam que os diâmetros dos nanotubos de carbono de paredes simples
rondam os 1,3 nm e os seus comprimentos podem atingir 10 m.

1. Diga o que entende por nanotecnologia e, de acordo com o texto, identifique uma das suas
aplicações.

1
© Areal Editores
2. Comparando, em termos das respetivas ordens de grandeza, o diâmetro com o comprimento dos
nanotubos de carbono de paredes simples, conclui-se que o comprimento do nanotubo é…
(A) 105 vezes superior. (C) 104 vezes superior.
(B) 104 vezes superior. (D) 105 vezes superior

3. Um nanotubo de carbono de 10 mm é constituído por 2,0 × 1022 átomos de carbono. Qual é a massa
desse nanotubo?
(A) 0,20 g (C) 0,40 g
(B) 0,27 g (D) 1,00 g

4. O carbono tem vários isótopos, mas apenas dois deles são naturais e estáveis: e .A

abundância relativa do isótopo é de 98,90%. Considerando a massa isotópica aproximadamente


igual ao número de massa e apenas os isótopos estáveis, determine a massa atómica relativa média
do carbono.

5. O carbono-14 é um isótopo radioativo do carbono usado na datação de fósseis. Indique a


constituição de um átomo de carbono-14.

GRUPO II

O óxido de alumínio (A 2O3) é um composto químico de alumínio e oxigénio, vulgarmente conhecido


como alumina. É o principal componente da bauxite, um minério de alumínio. Industrialmente, a bauxite
é purificada em óxido de alumínio através do processo Bayer e o óxido é depois convertido em
alumínio metálico pelo processo Hall-Héroult.
O metal alumínio é muito suscetível ao oxigénio atmosférico e rapidamente forma uma camada fina de
óxido de alumínio na superfície exposta de metal, que o protege de oxidação mais profunda.
A espessura e as propriedades da camada de óxido podem ser melhoradas por meio de um processo
chamado de anodização. Este processo baseia-se no tratamento eletroquímico do alumínio, com o
objetivo de criar artificialmente uma capa de alumina, homogénea e de espessura variável (entre 5 e 25
m). Esta capa de dureza apreciável, depois de tratada, torna-se impenetrável à maior parte dos
agentes químicos, ao ar e à água.

1. Indique o valor, em unidade do SI, da maior espessura de uma camada de óxido de alumínio
formada durante o processo de anodização.

2. Quantos iões alumínio e iões óxido existem em 20,0 g de alumina?

3. Determine a fração mássica de alumínio na alumina.

2
© Areal Editores
GRUPO III

As cores deslumbrantes, que um espetáculo noturno de fogo de artifício nos pode oferecer, resultam da
sequência de transformações químicas, apenas possíveis a temperaturas elevadas. Para o seu
lançamento utiliza-se uma carga de pólvora capaz de elevar o foguete a uma distância de centenas de
metros do chão, enquanto uma segunda carga faz explodir o cartão que envolve a mistura de
substâncias, incendiando os cartuchos. A energia da chama provoca a excitação dos eletrões dos
átomos. A sua posterior desexcitação pode conduzir à emissão de radiação, o que se traduz num
belíssimo espetáculo de luz e cor.
Os elementos vulgarmente utilizados no fogo de artifício e que possibilitam o espetáculo de cor que
iluminam as noites festivas são o magnésio, 12Mg, muito utilizado pela intensa cor branca que emite, o
estrôncio, 38Sr, e o cobre, 29Cu, que emitem respetivamente, no vermelho e no azul.

1. As cores observadas resultam da __________ de radiação, quando eletrões dos respetivos átomos
transitam de níveis energéticos __________ para níveis energéticos __________.
(A) emissão … inferiores … superiores
(B) emissão … superiores … inferiores
(C) absorção … inferiores … superiores
(D) absorção … superiores … inferiores

2. Qual a razão da diferente coloração da chama aquando da combustão direta do magnésio, do


estrôncio e do cobre?

3. Indique, com base no texto, o que se deverá observar no espetro de absorção do cobre, na região do
visível.

4. O espetro de emissão do estrôncio na região do visível apresenta, entre outras, uma risca a um
comprimento de onda de 730 nm. Qual das expressões seguintes permite calcular a frequência, f, em
hertz (Hz), da radiação que, no vácuo, tem aquele comprimento de onda?

(A)

(B)

(C)

(D)

3
© Areal Editores
GRUPO IV

Nos finais do século XIX já se conheciam os espetros de emissão de riscas de vários elementos
químicos no estado gasoso. Foi Niels Bohr quem, em 1913, propôs uma explicação para as riscas do
espetro de emissão visível do átomo de hidrogénio. Segundo ele, as riscas no espetro de
emissão/absorção de radiação eletromagnética resultam das transições eletrónicas entre os diferentes
níveis de energia permitidos ao eletrão do átomo. Pelos valores das energias das radiações do espetro
de hidrogénio estabeleceu, ainda, a expressão matemática que permite determinar as energias dos
eletrões nos níveis para esse elemento:

Observe atentamente o seguinte diagrama onde estão representadas várias transições possíveis para
o eletrão do átomo de hidrogénio, segundo o modelo de Bohr.

1. Comente a seguinte afirmação.


“Nas transições eletrónicas entre estados excitados e o estado fundamental só há emissão de fotões
de radiação na zona do ultravioleta.”

2. As transições representadas pelas letras B e D pertencem à série de __________, mas a transição B


origina a emissão de radiação de __________ comprimento de onda.
(A) Balmer … menor
(B) Balmer … maior
(C) Lyman … menor
(D) Lyman … maior

3. Identifique a letra da transição eletrónica que corresponde a uma risca negra, na zona do visível, do
espetro de absorção do átomo de hidrogénio.

4. Determine a energia do fotão emitido durante a transição representada pela letra D.

4
© Areal Editores
GRUPO V

O cálcio, de número atómico 20, é o quinto elemento mais abundante na crosta terrestre.
Na forma de carbonato de cálcio (CaCO3), é o principal constituinte do calcário, dos corais e das
conchas. O magnésio, de número atómico 12, é o sétimo elemento mais abundante na crosta terrestre,
onde constitui cerca de 2% da sua massa. A alta solubilidade dos iões magnésio na água assegura-lhe
a posição como terceiro elemento mais abundante na água do mar.

1. Relativamente ao átomo de magnésio, qual das configurações eletrónicas seguintes pode


corresponder a esse átomo num estado excitado?
(A) 1s2 2s1 2p6 3s2 3p1
(B) 1s2 2s2 2p4 3s2 3p1
(C) 1s2 2s1 2p6 3s3
(D) 1s2 2s2 2p6 3s2

2. Indique quantas energias de remoção eletrónica são detetadas quando uma amostra de magnésio é
submetida a ensaios de espetroscopia fotoeletrónica.

3. A energia mínima de radiação capaz de remover o eletrão mais externo do átomo de magnésio é de
1,16 × 1018 J. Qual dos valores de energias seguintes poderá corresponder à energia de remoção de
um eletrão mais interno do magnésio?
(A) 2,18 × 10–16 J
(B) 1,03 × 10–18 J
(C) 2,12 × 10–19 J

4. Ao incidir a mesma radiação sobre átomos de cálcio e sobre átomos de magnésio, verifica-se que os
eletrões são removidos com velocidades diferentes. Por exemplo, os eletrões internos do átomo de
cálcio, que ocupam a orbital 1s, são removidos com uma energia cinética inferior à dos eletrões
internos, que ocupam a mesma orbital 1s, do átomo de magnésio.
Identifique, justificando, o elemento químico que apresenta menor valor para a energia da orbital 1s e
apresente uma interpretação para o facto da mesma orbital possuir diferentes valores de energia em
átomos de elementos químicos diferentes.

5
© Areal Editores